2004 © Elipse Software Ltda.

Todos os direitos reservados
23.12.2004 - Versão 2.26



ELlFSESC/D/
HMl/SC/D/ SCFIW/FE
MANUAL DO
U8UAR¡O



Índice
1. INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................................. 7
1.1. VERSÕES DO ELIPSE SCADA.................................................................................................................................. 7
1.2. MÓDULOS DE OPERAÇÃO........................................................................................................................................ 9
1.3. PLUG-INS.............................................................................................................................................................. 10
2. O QUE HÁ NA TELA ................................................................................................................................................. 11
2.1. OPÇÕES DE MENU................................................................................................................................................ 12
2.1.1. Menu Arquivo........................................................................................................................................ 12
2.1.2. Menu Tela ............................................................................................................................................. 13
2.1.3. Menu Objetos........................................................................................................................................ 14
2.1.4. Menu Arranjar ....................................................................................................................................... 16
2.1.5. Menu Visualizar..................................................................................................................................... 17
2.1.6. Menu Ajuda........................................................................................................................................... 17
2.2. BARRA DE FERRAMENTAS..................................................................................................................................... 18
2.2.1. Barra de Ferramentas Aplicação........................................................................................................... 18
2.2.2. Barra de Ferramentas Objetos.............................................................................................................. 19
2.2.3. Barra de Ferramentas Arranjar ............................................................................................................. 20
2.2.4. Barra de Ferramentas Telas ................................................................................................................. 21
2.3. TECLAS DE ATALHO .............................................................................................................................................. 21
2.4. OPÇÕES DE LINHAS DE COMANDO......................................................................................................................... 22
3. ORGANIZER.............................................................................................................................................................. 23
3.1. APP BROWSER ..................................................................................................................................................... 26
3.2. CRIANDO A SUA APLICAÇÃO................................................................................................................................... 27
3.2.1. Propriedades Gerais da Aplicação........................................................................................................ 28
3.2.2. Janela de Aplicação.............................................................................................................................. 30
3.2.3. Touch Screen........................................................................................................................................ 31
3.2.4. Elipse Web............................................................................................................................................ 33
3.3. SCRIPTS............................................................................................................................................................... 34
4. TAGS.......................................................................................................................................................................... 35
4.1. GRUPO DE TAGS................................................................................................................................................... 36
4.2. NOVO TAG............................................................................................................................................................ 37
4.3. TAG CRONO.......................................................................................................................................................... 38
4.4. TAG PLC.............................................................................................................................................................. 39
4.5. TAG DDE.............................................................................................................................................................. 41
4.6. TAG DEMO............................................................................................................................................................ 43
4.7. TAG EXPRESSÃO .................................................................................................................................................. 45
4.8. TAG BLOCO.......................................................................................................................................................... 46
4.8.1. Elemento de Bloco................................................................................................................................ 48
4.9. TAG RAM.............................................................................................................................................................. 50
4.10. TAG MATRIZ .................................................................................................................................................. 50
4.11. TAG BIT......................................................................................................................................................... 52
4.12. PÁGINA DE ALARMES..................................................................................................................................... 53
4.13. SCRIPTS DE TAGS.......................................................................................................................................... 56
5. TELAS........................................................................................................................................................................ 57
5.1. PROPRIEDADES GERAIS DA TELA.......................................................................................................................... 59
5.2. PROPRIEDADES DE ESTILO DE TELAS.................................................................................................................... 60
5.3. SCRIPTS DE TELA ................................................................................................................................................. 62
6. OBJETOS DE TELA.................................................................................................................................................. 63
6.1. EDIÇÃO DOS OBJETOS DE TELA............................................................................................................................. 63
6.2. PROPRIEDADES DOS OBJETOS DE TELA ................................................................................................................ 64
6.2.1. Página Tamanho e Pos......................................................................................................................... 64
6.2.2. Página Moldura..................................................................................................................................... 66
6.2.3. Página de Tags..................................................................................................................................... 67
6.3. SCRIPTS DE OBJETOS DE TELA ............................................................................................................................. 68


6.4. REFERÊNCIA CRUZADA......................................................................................................................................... 69
6.5. OBJETOS DE VISUALIZAÇÃO.................................................................................................................................. 70
6.5.1. Texto..................................................................................................................................................... 70
6.5.2. Display .................................................................................................................................................. 72
6.5.3. Browser................................................................................................................................................. 75
6.5.4. Bitmap................................................................................................................................................... 81
6.5.5. Animação.............................................................................................................................................. 82
6.5.6. AVI ........................................................................................................................................................ 86
6.5.7. Video..................................................................................................................................................... 87
6.5.8. Preview ................................................................................................................................................. 88
6.5.9. Tendência ............................................................................................................................................. 89
6.5.10. Gráfico de Barras.................................................................................................................................. 96
6.5.11. Gauge ................................................................................................................................................. 101
6.6. OBJETOS DE INTERAÇÃO..................................................................................................................................... 103
6.6.1. Slider................................................................................................................................................... 103
6.6.2. Botão................................................................................................................................................... 105
6.6.3. Setpoint ............................................................................................................................................... 109
6.6.4. Alarmes............................................................................................................................................... 112
7. ALARMES................................................................................................................................................................ 119
7.1. PROPRIEDADES GERAIS DOS ALARMES............................................................................................................... 119
7.2. SCRIPTS DOS ALARMES ...................................................................................................................................... 120
8. RECEITAS ............................................................................................................................................................... 121
8.1. PROPRIEDADES GERAIS DA RECEITA................................................................................................................... 122
8.2. EDITANDO RECEITAS .......................................................................................................................................... 123
9. HISTÓRICOS........................................................................................................................................................... 125
9.1. PROPRIEDADES GERAIS DOS HISTÓRICOS........................................................................................................... 125
9.2. ANÁLISE HISTÓRICA............................................................................................................................................ 126
9.3. CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS............................................................................................................ 135
10. RELATÓRIOS.......................................................................................................................................................... 149
10.1. PROPRIEDADES GERAIS............................................................................................................................... 151
10.2. CONFIGURAÇÕES ........................................................................................................................................ 152
10.3. CONSULTA .................................................................................................................................................. 154
10.4. BANCO DE DADOS ....................................................................................................................................... 155
10.5. BATELADA................................................................................................................................................... 157
10.6. GRÁFICO..................................................................................................................................................... 159
10.7. PENAS......................................................................................................................................................... 161
10.8. RELATÓRIO FORMATADO............................................................................................................................. 163
10.9. RELATÓRIO ANÁLISE HISTÓRICA .................................................................................................................. 163
11. DRIVERS.................................................................................................................................................................. 165
11.1. CONFIGURANDO DRIVERS............................................................................................................................ 166
11.1.1. Drivers PLC......................................................................................................................................... 166
11.1.2. Drivers de Rede.................................................................................................................................. 169
11.2. SCRIPTS DE DRIVERS .................................................................................................................................. 171
11.3. LISTA DE TAGS ASSOCIADOS ....................................................................................................................... 171
12. DATABASE.............................................................................................................................................................. 173
13. USUÁRIOS............................................................................................................................................................... 177
13.1. FUNÇÕES E ATRIBUTOS............................................................................................................................... 179
13.2. SCRIPTS DE LOGIN ...................................................................................................................................... 180
14. APLICAÇÕES REMOTAS....................................................................................................................................... 181
14.1. PROPRIEDADES GERAIS............................................................................................................................... 183
14.2. SCRIPTS DE APLICAÇÕES REMOTAS............................................................................................................. 185
15. ELIPSE WEB ........................................................................................................................................................... 187


16. WATCHER ............................................................................................................................................................... 189
16.1. OBJETOS DO WATCHER............................................................................................................................... 190
17. STEEPLECHASE..................................................................................................................................................... 203
18. OPC SERVER.......................................................................................................................................................... 205
18.1. PROPRIEDADES GERAIS DO OPC SERVER ................................................................................................... 206
18.2. TAGS OPC.................................................................................................................................................. 208
18.3. GRUPO OPC............................................................................................................................................... 212
19. SCRIPTS.................................................................................................................................................................. 215
19.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS............................................................................................................................ 215
19.2. APPBROWSER E REFERÊNCIA CRUZADA ...................................................................................................... 217
19.3. OPERADORES E CONSTANTES ..................................................................................................................... 218
19.4. CONTROLE DE FLUXO.................................................................................................................................. 219
19.4.1. Comando If...Else...ElseIf...EndIf ........................................................................................................ 219
19.4.2. Comando For...Next ............................................................................................................................ 220
19.4.3. Comando While...Wend ...................................................................................................................... 220
19.4.4. Comando Repeat...Until ...................................................................................................................... 221
19.5. FUNÇÕES ESPECIAIS.................................................................................................................................... 221
19.5.1. Funções do Gerenciador Global ......................................................................................................... 222
19.5.2. Funções da Aplicação......................................................................................................................... 246
19.5.3. Funções de Tags................................................................................................................................. 248
19.5.4. Funções de Tela.................................................................................................................................. 253
19.5.5. Funções dos Objetos de Tela ............................................................................................................. 254
19.5.6. Funções de Alarmes ........................................................................................................................... 261
19.5.7. Funções das Receitas......................................................................................................................... 265
19.5.8. Funções de Históricos......................................................................................................................... 267
19.5.9. Funções da Análise Histórica.............................................................................................................. 269
19.5.10. Funções do CEP................................................................................................................................. 270
19.5.11. Funções de Relatórios ........................................................................................................................ 270
19.5.12. Funções de Consultas......................................................................................................................... 272
19.5.13. Funções da Plotagem......................................................................................................................... 272
19.5.14. Funções de Drivers ............................................................................................................................. 273
19.5.15. Funções de Database......................................................................................................................... 276
19.5.16. Funções de Aplicações Remotas........................................................................................................ 283
19.6. ATRIBUTOS.................................................................................................................................................. 284
19.6.1. Atributos do Gerenciador Global ......................................................................................................... 284
19.6.2. Atributos da Aplicação......................................................................................................................... 285
19.6.3. Atributos dos Tags .............................................................................................................................. 289
19.6.4. Atributos da Tela................................................................................................................................. 295
19.6.5. Atributos dos Objetos de Tela............................................................................................................. 298
19.6.6. Atributos da Plotagem......................................................................................................................... 323
19.6.7. Atributos de Alarmes........................................................................................................................... 328
19.6.8. Atributos das Receitas ........................................................................................................................ 328
19.6.9. Atributos dos Históricos....................................................................................................................... 328
19.6.10. Atributos da Análise Histórica ............................................................................................................. 329
19.6.11. Atributos da Consulta.......................................................................................................................... 330
19.6.12. Atributos do CEP (SPC) ...................................................................................................................... 332
19.6.13. Atributos da Batelada.......................................................................................................................... 333
19.6.14. Atributos dos Relatórios ...................................................................................................................... 333
19.6.15. Atributos dos Drivers........................................................................................................................... 334
19.6.16. Atributos de Database......................................................................................................................... 336
19.6.17. Atributos da Lista de Usuários ............................................................................................................ 336
19.6.18. Atributos da Aplicação Remota........................................................................................................... 336
19.6.19. Atributos do Watcher........................................................................................................................... 340
19.6.20. Atributos do Steeplechase .................................................................................................................. 342
19.6.21. Atributos do OPCServer...................................................................................................................... 343
20. SUPORTE A DDE.................................................................................................................................................... 345
20.1. ELIPSE SCADA COMO CLIENTE ................................................................................................................... 345
20.2. ELIPSE SCADA COMO SERVIDOR ................................................................................................................ 347




Convenções
Estas são convenções utilizadas neste manual:

EXEMPLO DESCRIÇÃO
S!LO6.BNP
Nomes de arquivos e outros termos no nível do
sistema operacional são indicados com o tipo de letra
Tahoma, em maiúsculas.
Geral
Nomes de campos e opções que devem ser
procurados na tela, em menus ou nas abas dos objetos
são indicados com tipo de letra Tahoma.
“Agitação”
Caracteres entre aspas devem ser digitados no lugar
mencionado, sem a presença das aspas.
Tela1.Show() Partes de programas (scripts) são indicadas com o
tipo de letra Courier. Eles deverão ser digitados
nos lugares reservados e depois compilados para a
verificação de erros.
Tank01.High
Caracteres em negrito indicam nomes de objetos do
Elipse SCADA ou suas propriedades.
<nome do arquivo>
Expressões entre os sinais < > devem ser substituídas
pelo nome do objeto em questão.
|Ctrl+Enter|
Expressões entre colchetes indicam nomes de teclas.
Quando estiverem acompanhadas de um sinal +, você
deve pressionar a segunda tecla enquanto pressiona a
primeira.



Introdução 7

Bem-vindo ao Elipse SCADA! A Elipse Software sente-se orgulhosa em apresentar
esta poderosa ferramenta para o desenvolvimento de sistemas de supervisão e
controle de processos.
O Elipse SCADA alia alto desempenho e grande versatilidade representados em seus
diversos recursos que facilitam e agilizam a tarefa de desenvolvimento de sua
aplicação. Totalmente configurável pelo usuário, permite a monitoração de variáveis
em tempo real, através de gráficos e objetos que estão relacionados com as variáveis
físicas de campo. Também é possível fazer acionamentos e enviar ou receber
informações para equipamentos de aquisição de dados. Além disso, através de sua
exclusiva linguagem de programação, o Elipse Basic, é possível automatizar
diversas tarefas a fim de atender as necessidades específicas de sua empresa.
Agradecemos a sua preferência por nossos produtos e desejamos sucesso com sua
nova ferramenta de trabalho!
Equipe Elipse Software
1.1. Versões do Elipse 8CADA
O Elipse SCADA está disponível em quatro versões, atendendo as demandas de
personalização de nossos clientes. Estas versões se diferenciam na sua
funcionalidade, cada uma acrescentando recursos em relação à versão anterior. A
seguir, podemos observar as características de cada versão:
View
A versão View é indicada para aplicações simples, como por exemplo, uma interface
com o operador para monitoração e acionamentos. As informações recebidas pelo
View estão disponíveis também para outras aplicações que possam trabalhar com
DDE (Dynamic Data Exchange). Neste módulo estão disponíveis:
• Funções de monitoramento e controle;
• Comunicação com PLCs e outros equipamentos via drivers, inclusive em
blocos;
Capitulo
1
1. ¡ntroduçáo
Manual do Usuário
8 Introdução
• Objetos de tela para a produção de interfaces, como por exemplo, botões,
medidores (gauges), caixas de texto, gráficos de barra e tendências, imagens,
animações, alarmes e outros;
• Importação de imagens de editores gráficos, como por exemplo, Corel Draw! e
Microsoft Paint;
• Alarmes;
• Controle de acesso através de lista de usuários (autenticação);
• Servidor e cliente DDE;
• Programação e automação de processos através de sua exclusiva linguagem de
programação baseada em scripts, o Elipse Basic;
• Servidor para aplicações remotas.
MM¡ {Man Machine ¡nterface}
Esta versão é indicada para aplicações de médio porte, onde é necessário o
armazenamento de dados, tratamento de informações e criação de relatórios
complexos.
Nesta versão, estão disponíveis além das características da versão View, as
seguintes:
• Históricos;
• Receitas;
• Relatórios;
• CEP (Controle Estatístico de Processos);
• Novos objetos de tela: Browser e Alarmes tipo Histórico;
• Log de alarmes em disco.

Manual do Usuário

Introdução 9
Pro {Professional}
Esta versão é indicada para aplicações de qualquer porte, que envolvam
comunicação em rede, seja local ou remota ou ainda que necessitem a troca de
informações com bancos de dados. A versão Professional possui, além de todas as
características da versão MMI, as seguintes funções:
• Suporte a ODBC (Open Database Connectivity);
• Suporte a DAO (Data Access Objects);
• Age como cliente de aplicações remotas.
Power
Versão especialmente desenvolvida para supervisão de subestações e sistemas
elétricos. Permite conexão com IEDs (Intelligent Electronic Device) e RTU (Remote
Terminal Units) através de qualquer protocolo de comunicação, inclusive IEC 870-
5/DNP 3.0. Utiliza base de tempo local, permitindo seqüenciamento de eventos
(SOE) com precisão de 1 ms e oscilografia, transferência e visualização de formas
de onda, tanto em estações locais como em sistemas telesupervisionados.
1.2. Módulos de Operaçáo
O Elipse SCADA possui três módulos para sua operação: Configurador, Runtime
e Master. O módulo ativo é definido a partir de um dispositivo de proteção
(hardkey) que é acoplado ao computador. Enquanto que os módulos Configurador e
Master foram especialmente desenvolvidos para a criação e o desenvolvimento de
aplicativos, o módulo Runtime permite apenas a execução destes. Neste módulo, não
é possível qualquer alteração no aplicativo por parte do usuário.
Na ausência do hardkey, o software pode ainda ser executado em modo
Demonstração. Como não necessita do hardkey, o modo Demo pode ser utilizado
para a avaliação do software. Ele possui todos os recursos existentes no módulo
Configurador, com exceção de que trabalha com um máximo de 20 tags (variáveis
de processo) e permite a comunicação com equipamentos de aquisição de dados por
até 10 minutos. Neste modo, o software pode ser livremente reproduzido e
distribuído.
Os módulos Runtime e Master estão também disponíveis em versões Lite que
possuem as mesmas características, porém são limitadas em número de tags
(variáveis): Lite 75 com 75 tags e Lite 300 com 300 tags.
Manual do Usuário
10 Introdução
1.3. Plug-¡ns
Plug-ins são ferramentas adicionais que permitem a expansão dos recursos do Elipse
SCADA, acrescentando funcionalidades no software. Eles podem ser adquiridos
separadamente e trabalham em conjunto com qualquer versão do software.
Atualmente, estão disponíveis os seguintes plug-ins:


Permite a monitoração de sistemas através de
recursos de captura, registro e transmissão digital de
imagens em tempo real. Suporta diversos padrões
(inclusive MPEG), possibilitando a visualização em
janelas com tamanho e qualidade programáveis pelo
usuário. Permite a criação de um banco de imagens
com busca por período ou evento e transmissão de
imagens em tempo real para estações remotas via
TCP/IP ou linha discada.


Sistema para supervisão de processos através da
Internet. Utilizando qualquer navegador (Internet
Explorer, Netscape e outros) é possível conectar-se a
uma estação de supervisão remota, recebendo dados
em tempo real. Com este recurso é possível visualizar
processos de qualquer parte do mundo.



O que há na Tela 11

Uma maneira fácil de compreender o funcionamento do Elipse SCADA é partir das
ferramentas disponíveis e sua apresentação em tela.
A ilustração a seguir mostra a tela principal do Elipse SCADA quando uma
aplicação está aberta, no módulo Configurador, identificando seus elementos.

A Barra de Título mostra o caminho e o nome de sua aplicação, bem como o título
da tela corrente que está sendo mostrada na área de trabalho. A área de trabalho é o
espaço onde desenvolvemos a aplicação. A edição de telas e de relatórios é feita
nessa área. A Barra de Telas mostra o título da tela corrente e permite que você
alterne entre uma tela e outra. A Barra de Menus permite a escolha das diversas
opções para a configuração da aplicação. Os botões da Barra de Ferramentas
permitem que você execute determinadas tarefas rapidamente sem usar os menus.
Assim, com apenas um clique, você pode criar objetos de tela ou chamar o
Organizer, por exemplo. A Barra de Status mostra várias informações auxiliares
quando editando uma aplicação, como por exemplo, indicadores da ativação do
teclado numérico (NUM), letras maiúsculas (CTRL) e rolagem de tela (SCRL) e
coordenadas do ponteiro do mouse. Ela também mostra uma pequena descrição de
um determinado objeto, por exemplo um Botão da Barra de Ferramentas ou um item
de menu.
Capitulo
2
2. O que ha na Tela
Manual do Usuário
12 O que há naTela
Assim, com apenas um clique, você pode criar objetos de tela ou chamar o
Organizer, por exemplo. A barra de status mostra várias informações auxiliares
quando editando uma aplicação, como por exemplo, indicadores da ativação do
teclado numérico (NUN), letras maiúsculas (CTRL) e rolagem de tela (SCRL) e
coordenadas do ponteiro do mouse. Ela também mostra uma pequena descrição de
um determinado objeto, por exemplo um botão da barra de ferramentas ou um item
de menu.
2.1. Opções de Menu
É através das opções de menu que podemos acessar os recursos e funções do Elipse.
Descrevemos as opções do Elipse SCADA a seguir.
2.1.1. Menu Arquivo

Figura 1: Menu Arquivo
Manual do Usuário

O que há na Tela 13
Opções do Menu Arquivo
COMANDO AÇÃO
Nova aplicaçao
Cria uma nova aplicação.
Abrir aplicaçao
Abre uma aplicação já existente.
Salvar aplicaçao
Salva a aplicação corrente.
Salvar aplicaçao como
Salva uma cópia da aplicação corrente em um novo
arquivo.
Fechar aplicaçao
Fecha a aplicação corrente.
Rodar
Executa a aplicação corrente.
Organizer
Chama o Organizer.
Opçoes.
Permite configurar algumas opções do Elipse SCADA,
como criar um arquivo de backup (.BAK) quando salvar a
aplicação; definir o mecanismo de proteção e os seus
parâmetros e definir o nome do arquivo da biblioteca
linguagem (o default é !NTLBR32.DLL).
1, 2, 3 e +
Lista dos quatro arquivos recentemente abertos
Sair
Encerra o Elipse SCADA.
2.1.2. Menu Tela

Figura 2: Menu Tela
Opções do Menu Tela
COMANDO AÇÃO
Nova
Cria uma nova tela (tela em branco).
Deletar
Apaga a tela corrente.
Fechar
Fecha a tela corrente.
Nonitorar
Permite monitorar a tela corrente.
Propriedades...
Mostra as propriedades da tela corrente, onde você pode definir
uma imagem de fundo e o estilo da janela, entre outras
características.
Redesenhar
Redesenha as telas carregadas.

Manual do Usuário
14 O que há naTela
2.1.3. Menu Objetos

Figura 3: Menu Objetos
Manual do Usuário

O que há na Tela 15
Opções do Menu Objetos
COMANDO AÇÃO
Desselecionar
Desseleciona o objeto corrente.
Selecionar tudo
Seleciona todos os objetos da tela.
Recortar
Recorta o objeto selecionado.
Copiar
Copia o objeto selecionado para a área de
transferência (clipboard).
Colar
Cola o objeto contido na área de transferência no
local indicado.
Deletar
Apaga os objetos selecionados. Para selecionar mais
de um objeto, use a tecla |Ctrl|.
Propriedades
Mostra as propriedades do objeto selecionado. A
mesma função pode ser ativada com um duplo clique
sobre o objeto.
Nodo de seleçao
Liga o modo de seleção, permitindo que o usuário
selecione todos os objetos dentro de uma área
delimitada pelo mouse.

As demais opções criam objetos de acordo os respectivos nomes. Depois de escolher
o Objeto de Tela desejado, deve-se selecionar uma região da tela para colocar o
objeto mantendo-se pressionado o botão esquerdo do mouse enquanto ele é
movimentado. Um retângulo pontilhado mostra o tamanho e a forma do objeto.
Soltando-se o botão do mouse o objeto será colocado dentro da área especificada.
Manual do Usuário
16 O que há naTela
2.1.4. Menu Arranjar

Figura 4: Menu Arranjar
Opções do Menu Arranjar
COMANDO AÇÃO
Agrupar
Agrupa os objetos selecionados.
Desagrupar
Desagrupa o grupo de objetos selecionados.
Levar para o fundo
Envia o objeto selecionado para o último plano
(fundo da tela).
Trazer para frente
Traz o objeto selecionado para o primeiro plano
(frente da tela).
Comandos de alinhamento
Alinha objetos selecionados pela esquerda, pela
direita, pelo topo ou pela base.
Nesmo tamanho
Faz com que os objetos selecionados tenham o
mesmo tamanho.
Centralizar na tela
Centraliza na tela os objetos selecionados.

Manual do Usuário

O que há na Tela 17
2.1.5. Menu Visualizar

Figura 5: Menu Visualizar
Opções do Menu Visualizar
COMANDO AÇÃO
Barra de Ferramentas
Mostra ou esconde a Barra de Ferramentas.
Barra de Status
Mostra ou esconde a Barra de Status.
Barra da Tela
Mostra ou esconde a Barra de Telas.

2.1.6. Menu Ajuda

Figura 6: Menu Ajuda
Opções do Menu Ajuda
COMANDO AÇÃO
Índice
Mostra o índice da ajuda.
Usando Ajuda
Explica como a ajuda deve ser usada.
Sobre o Elipse SCADA...
Mostra informações a respeito do Elipse SCADA,
como a versão, o número do hardkey e direitos de
cópia.

Manual do Usuário
18 O que há naTela
2.2. Barra de Ferramentas
A Barra de Ferramentas oferece um acesso rápido às funções do Elipse SCADA.
Essas funções são distribuídas em quatro conjuntos, a saber: Aplicação, Objetos de
Tela, Arranjar e Telas. Vejamos cada um deles.
2.2.1. Barra de Ferramentas Aplicaçáo

Figura 7: Barra de Ferramentas Aplicação
Opções da Barra de Ferramentas Aplicação
BOTÃO DESCRIÇÃO

Cria uma nova aplicação.

Cria uma nova tela.

Abre uma aplicação já existente.

Salva a aplicação corrente.

Recorta o objeto selecionado copiando para a área de transferência.

Copia o objeto selecionado para a área de transferência.

Cola o objeto que está na área de transferência no local indicado na tela.

Chama o Organizer.

Mostra as propriedades do objeto selecionado.

Mostra as propriedades da tela selecionada.

Executa a aplicação corrente iniciando pelas telas que estão abertas.

Executa a aplicação corrente.

Abre a ajuda do sistema.

Ativa a ajuda sensível ao contexto.
Manual do Usuário

O que há na Tela 19
2.2.2. Barra de Ferramentas Objetos

Figura 8: Barra de Ferramentas Objetos
Opções da Barra de Ferramentas Objetos
BOTÃO DESCRIÇÃO

Liga o modo de seleção, permitindo que o usuário selecione todos os
objetos dentro de uma área delimitada pelo mouse.

Cria um novo objeto Slider.

Cria um novo objeto Gráfico de Tendência.

Cria um novo objeto Botão.

Cria um novo objeto Gauge (medidor).

Cria uma nova área de texto (objeto Texto).

Cria um novo objeto Gráfico de Barra.

Cria um novo objeto Display.

Cria uma nova Animação.

Cria um novo objeto Setpoint.

Cria um novo objeto Alarme.

Cria um novo objeto Browser.

Cria um novo objeto Bitmap.

Cria um novo objeto Vídeo.

Cria um objeto AVI.

Cria um novo objeto Preview.

Manual do Usuário
20 O que há naTela
2.2.3. Barra de Ferramentas Arranjar
A Barra de Ferramentas Arranjar possui comandos para edição de Telas agindo
sobre os Objetos de Tela que estiverem selecionados, os mesmos comandos estão
disponíveis no menu Arranjar. Para selecionar mais de um Objeto de Tela utilize o
botão esquerdo do mouse mantendo a tecla |Ctrl| pressionada, o último objeto
selecionado fica com o foco em vermelho para ser usado como referência. Para
desselecionar um objeto use a combinação de teclas: |Ctrl|+|Shift|+|BotaoEsq|.

Figura 9: Barra de Ferramentas Arranjar
Opções da Barra de Ferramentas Arranjar
BOTÃO DESCRIÇÃO

Envia o objeto selecionado para o último plano (fundo da tela).

Traz o objeto selecionado para o primeiro plano (frente da tela).

Alinha os objetos selecionados pelo lado esquerdo.

Alinha os objetos selecionados pelo lado direito.

Alinha os objetos selecionados pelo topo.

Alinha os objetos selecionados pela base.

Centraliza horizontalmente os objetos selecionados em relação à tela.

Centraliza verticalmente os objetos selecionados em relação à tela.

Faz com que os objetos selecionados tenham a mesma largura.

Faz com que os objetos selecionados tenham a mesma altura.

Faz com que os objetos selecionados tenham o mesmo tamanho.

Agrupa os objetos selecionados.

Desagrupa os objetos selecionados.

Manual do Usuário

O que há na Tela 21
2.2.4. Barra de Ferramentas Telas
A Barra de Ferramentas Telas mostra o nome da tela corrente e permite trocar de
tela através de uma lista que mostra o nome de todas as telas existentes na aplicação.

Figura 10: Barra de Ferramentas Telas
2.3. Teclas de Atalho
Outra maneira para acessar rapidamente as funções do Elipse SCADA são as teclas
de atalho. Listamos abaixo as teclas disponíveis, agrupadas por função.
Opções Gerais
TECLAS DESCRIÇÃO
Ctrl + O
Abrir aplicação
Ctrl + Shift + v
Informações “Sobre o Elipse SCADA”
F1
Chama a ajuda
Shift + F1
Chama a ajuda de contexto
Editando uma aplicação
TECLAS DESCRIÇÃO
Ctrl + S
Salvar aplicação
F10
Rodar (executar) aplicação
Alt + O
Chama o Organizer
Ctrl + N
Nova tela
F8
Monitorar tela
Ctrl + Alt + Shift + !
Conta o número de itens da aplicação
Ctrl + Shift + F10
Chama a janela de configuração da fonte do Editor de Scripts
Editando Relatórios
TECLAS DESCRIÇÃO
Ctrl + F+
Fecha o editor de relatórios
Esc
Desselecionar objeto
Ctrl + A
Selecionar todos objetos
Del
Apagar objeto

Manual do Usuário
22 O que há naTela
Editando Telas
TECLAS DESCRIÇÃO
Ctrl + F+
Fechar tela
Esc
Desselecionar objeto
Ctrl + A
Selecionar todos objetos
Del
Apagar objeto
Ctrl + X
Recortar objeto
Ctrl + C
Copiar objeto
Ctrl + v
Colar objeto
Shift + Del
Recortar objeto
Ctrl + !ns
Copiar objeto
Shift + !ns
Colar objeto
2.4. Opções de Linhas de Comando
É possível chamar o Elipse SCADA diretamente da linha de comando. O executável
EL!PSE32.EXE possui a seguinte sintaxe:
ELIPSE32.EXE [-DEMO] [-SETUP] [-EDIT] [<NomeApp>]
Onde:
-DENO
(Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar em modo de
demonstração, sem verificar os mecanismos de proteção (hardkey).
Esta opção reescreve o arquivo .INI configurando a seção
[ProtectionType].
-SETUP
(Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar o programa de Setup, que
permite a você configurar as opções no arquivo de preferências
(.INI).
-ED!T
(Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar no modo Configurador.
Se o nome de uma aplicação for informado na linha de comando, esta
aplicação será aberta para configuração.
NomeApp
(Opcional) O nome da aplicação que irá rodar automaticamente ou
será aberta para configuração (quando o -EDIT é especificado).




Organizer 23

O desenvolvimento de uma aplicação no Elipse SCADA é baseado na ferramenta
Organizer. Ele permite uma visão simples e organizada de toda a aplicação,
ajudando na edição e configuração de todos os objetos envolvidos no sistema através
de uma árvore hierárquica.
A estrutura do Organizer pode ser comparada à árvore de diretórios do Gerenciador
de Arquivos do Windows. Desta forma a estrutura da aplicação começa no canto
superior esquerdo com a raiz da aplicação. Todos os objetos da aplicação descem a
partir da raiz agrupados de acordo com seu tipo: Tags, Telas, Alarmes, Receitas,
Históricos, Relatórios, Drivers, Databases; que se constituem nos principais
elementos de sua aplicação. Selecionando-se qualquer um dos ramos da árvore da
aplicação o mesmo irá se expandir mostrando seu conteúdo desta forma você pode
facilmente navegar pela aplicação tendo disponíveis todas as opções de configuração
desde a criação de Tags até o redimensionamento de objetos em uma tela específica.
A estrutura básica do Organizer é apresentada a seguir:

Figura 11: Árvore de classes de objetos no Organizer
Você pode chamar o Organizer somente quando existir uma aplicação aberta
selecionando o comando Organizer do menu Arquivo ou pressionando o botão do
Organizer na Barra de Ferramentas. A seguinte janela irá aparecer:

Capitulo
3
3. Organizer
Manual do Usuário
24 Organizer

Figura 12: Organizer
A partir do Organizer você pode criar toda a sua aplicação simplesmente navegando
através da árvore da aplicação. Selecionando-se qualquer um de seus ramos, as
propriedades do objeto selecionado serão mostradas no lado direito da janela onde
poderão ser editadas. Por exemplo, se você selecionar Tags na árvore do Organizer
você poderá criar novos Tags e editar suas propriedades selecionando a página
desejada a partir dos abas no topo da janela.
Os botões na Barra de Ferramentas do Organizer permitem realizar determinadas
tarefas rapidamente sem usar os menus. Existem 13 botões como pode ser verificado
na tabela a seguir:

Manual do Usuário

Organizer 25
Ferramentas do Organizer
ICONE NOME AÇÃO

Deletar
Apaga um ou mais itens selecionados no
Organizer.

Duplicar
Duplica o item selecionado na árvore do
Organizer.

AppBrowser
Chama o AppBrowser.

Referência Cruzada
Chama a Referência Cruzada.

Compilar
Compila o script que está sendo editado.

Compilar tudo
Compila todos os scripts que não estão
compilados.

Recompilar tudo
Recompila todos os scripts da aplicação,
possibilitando ao usuário acessar cada
script com um duplo clique. É gerada uma
lista dos scripts compilados, mostrando
em vermelho os que estão com erro.

!f
Insere o comando IF...ENDIF no script
selecionado, no ponto onde está o cursor.

Else.!f
Insere o comando ELSE...IF no script
selecionado, no ponto onde está o cursor.

Else
Insere o comando ELSE no script
selecionado, no ponto onde está o cursor.

For.Next
Insere o comando FOR...NEXT no script
selecionado, no ponto onde está o cursor.

While.Wend
Insere o comando WHILE...WEND (fim
de While) no script selecionado, no ponto
onde está o cursor.

Repeat.Until
Insere o comando REPEAT...UNTIL no
script selecionado, no ponto onde está o
cursor.

Manual do Usuário
26 Organizer
3.1. App Browser
O AppBrowser é uma importante ferramenta do Organizer. Ele é composto de uma
janela que apresenta a árvore da aplicação com seus objetos. Clicando em qualquer
objeto, pode-se visualizar as funções e atributos relacionados a este objeto. Quando
estamos escrevendo um script, um botão Copia no Script --> fica disponível nesta
janela, permitindo a cópia do atributo ou função em questão para as linhas de
programação, facilitando essa tarefa.

Figura 13: App Browser
Manual do Usuário

Organizer 27
3.2. Criando a sua aplicaçáo
A criação de uma aplicação é o ponto de partida para montagem de um sistema
utilizando o Elipse SCADA. Em uma aplicação, o usuário reúne todos os objetos
necessários para execução das tarefas desejadas. As informações referentes a esta
aplicação ficam armazenadas em um arquivo de extensão APP.
Para criar uma nova aplicação, faça isso:
Escolha no menu Arquivo a opção Nova Aplicaçao, ou clique no botão
correspondente na barra de ferramentas.
No quadro Salvar Aplicaçao Nova! escolha um nome e o lugar onde a
aplicação será salva.
Além dos arquivos de extensão APP, existem outros gerados e utilizados pelo Elipse
SCADA:
Extensões disponíveis
EXTENSÃO DESCRIÇÃO
.APX
Arquivo com configurações da lista de usuários.
.BAK
Backup da aplicação
.DAT
Arquivo de históricos
.HDR
Cabeçalhos de arquivos de históricos por batelada
.RCP
Arquivo de receitas
.DLL, .SO
Drivers de comunicação

Manual do Usuário
28 Organizer
3.2.1. Propriedades Gerais da Aplicaçáo
Quando você seleciona a raiz Aplicação, na árvore do Organizer, suas propriedades
são mostradas ao lado direito da árvore. A página de propriedades gerais da
Aplicação aparece quando selecionada a aba Aplicaçao no topo das páginas da
Aplicação. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na
tabela que segue.

Figura 14: Propriedades da Aplicação
Manual do Usuário

Organizer 29
Propriedades da Aba Aplicação
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Descriçao
Define o nome da aplicação (que aparecerá na barra de
título) caso a opção Barra de Titulo esteja habilitada.
Barra de titulo
Habilita a barra de título na janela da aplicação.
Propriedades da Aba Aplicação (Quadro Estilo)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Desabilita troca de
aplicaçao
Desabilita a troca entre programas, ou seja, desabilita o
atalho |Alt+Tab| do Windows.
Desabilita proteçao
de tela
Desabilita qualquer protetor de tela (screen saver) enquanto
o Elipse SCADA estiver sendo executado.
Botao de Fechar
Habilita o botão de Fechar na barra de título da janela da
aplicação.
Botao de Ninimizar
Habilita o botão de Minimizar na janela da aplicação.
Botao de Naximizar
Habilita o botão de Maximizar na janela da aplicação.
Permite Fechar
Desligado, faz com que a execução termine apenas quando
for chamada a função StopRunning(). Ligado, permite que
a aplicação (e o Elipse SCADA) seja terminado via outros
meios, como um clique no botão Fechar, desligar do
Windows, etc.
Propriedades da Aba Aplicação (Botões)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Estatisticas.
Abre uma janela que mostra informações estatísticas da
aplicação, como: tempo total de edição da aplicação,
número de itens na aplicação, número total de tags, número
de revisões e versão do Elipse SCADA em que foi gerada a
aplicação.
Procura !tem.
Abre uma janela que permite buscar um item (objeto,
propriedade) em qualquer lugar da aplicação e apresentá-lo
para edição.
!mportar.
Abre uma janela que permite escolher uma aplicação para a
importação. Após a escolha da aplicação origem, uma nova
janela é aberta com a árvore das duas aplicações, de modo
que o usuário pode arrastar os objetos da aplicação origem
para a aplicação destino. OBS: a aplicação-origem não é
modificada.
Proteçao.
Abre uma janela para proteção da aplicação. Existem duas
proteções: para configuração (para editar e fazer qualquer
tipo de modificação) e para execução. No caso da utilização
de senha para a configuração, o usuário final não poderá
alterar a aplicação, a não ser que conheça a senha utilizada.
O mesmo vale para a execução, sendo que só pode haver
esta senha, se houver uma para a configuração.
Manual do Usuário
30 Organizer
3.2.2. Janela de Aplicaçáo
A página Janela permite a configuração da janela principal para execução da
aplicação.

Figura 15: Janela da Aplicação
Propriedades da Aba Aplicação
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Começa Naximizado
/Ninimizado
/Normal
Define a configuração inicial da janela da aplicação.
X, Y, Largura, Altura
Define a posição e tamanho da janela em pixels.
Centralizar Janela
Indica que a janela deverá iniciar em posição central
na tela.

Manual do Usuário

Organizer 31
3.2.3. Touch 8creen
O Elipse SCADA possui suporte especial para a utilização de telas de toque (Touch
Screen), permitindo uma interface mais intuitiva para o uso de sua aplicação.

Figura 16: Touch Screen
Manual do Usuário
32 Organizer
Propriedades da Aba Touch Screen
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Habilitar ¨Key Pad"
Habilita o uso do Key Pad em tempo de execução.
Salvar coordenadas do
¨Key Pad"
Habilita o salvamento das novas coordenadas do Key
Pad à medida que sua janela é mudada de posição.
Cor de fundo do ¨Key
Pad"
Define a cor de fundo do Key Pad.
Cor das teclas do ¨Key
Pad"
Define a cor das teclas do Key Pad.
Cor do texto do ¨Key Pad"
Define a cor do texto do Key Pad.
Esconder mouse
Desabilita o ponteiro do mouse enquanto o Key Pad
está sendo mostrado.
Usar botoes grandes
Aumenta o tamanho dos botões do Key Pad.

Propriedades do Key Pad e do Numeric Pad
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Show window title bar
Mostra a barra de título da janela do Key Pad e/ou
Numeric Pad.
Override default titlebar
text
Permite definir um novo título para a barra de título
da janela do Key Pad e/ou Numeric Pad.
Show close button
Mostra o botão de fechar na janela do Key Pad e/ou
Numeric Pad.

Manual do Usuário

Organizer 33
3.2.4. Elipse Web
Através do plug-in Elipse Web, o Elipse SCADA pode gerar documentos para serem
visualizados pela Internet, em conjunto com algum Servidor Web comercial, como o
Internet Information Services (IIS) ou o Microsoft Personal Web Server (PWS).
O Elipse Web pode ser habilitado através do Organizer selecionando o item
Aplicação, conforme figura abaixo:

Figura 17: Elipse Web
Propriedades do Elipse Web
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Habilitar servidor de dados
para Web
Habilita o Elipse Web.
Diretório das paginas Web Permite escolher através do botão |Localizar| o
diretório onde serão gerados os documentos a serem
visualizados pela Internet. O diretório deverá estar na
árvore de documentos do servidor Web.
Porta
Permite definir a porta a qual o servidor Web está
associado.

Nota: Para maiores informações, veja o capítulo Elipse Web.

Manual do Usuário
34 Organizer
3.3. 8cripts
Durante a execução de uma aplicação, diversos procedimentos podem ser disparados
através de eventos. Estes procedimentos são descritos por scripts associados a estes
eventos. Maiores detalhes sobre scripts serão discutidos em capítulo posterior. Aqui,
temos uma lista de eventos/scripts disponíveis em uma aplicação.
Eventos/Scripts de uma Aplicação
EVENTO DESCRIÇÃO
OnKeyPress
Executa quando uma determinada tecla for
pressionada.
OnKeyRelease
Executa quando a tecla é solta.
OnStartRunning
Executa quando a aplicação iniciar a execução.
OnStopRunning
Executa quando a aplicação terminar a execução.
OnUserLogin
Executa quando um usuário inicia a sua seção na
aplicação.
OnUserLogout
Executa quando um usuário encerra a sua seção na
aplicação.
WhileKeyPressed
Executa enquanto uma determinada tecla estiver
sendo pressionada.
WhileRunning
Executa enquanto a aplicação estiver executando. O
script irá executar tantas vezes quantas você definir na
caixa de texto rodar a cada (aparece somente para
scripts whilerunning).



Tags 35

A supervisão de um processo com o Elipse SCADA ocorre através da leitura de
variáveis de processos no campo. Os valores dessas variáveis são associados a
objetos do sistema chamados Tags.
Para cada objeto inserido na tela, devemos associar pelo menos um tag ou atributo.
Os tags são todas as variáveis (numéricas ou alfanuméricas) envolvidas numa
aplicação. Os atributos são dados fornecidos pelo Elipse SCADA sobre parâmetros
de sistema e componentes da aplicação.
Ao criar tags, o usuário poderá organizá-los livremente em grupos, de forma a
facilitar a procura e identificação durante o processo de configuração. Para a criação
de um grupos, basta selecionar o item Tags no Organizer e clicar em Novo Grupo.
Você pode criar grupos dentro de outros grupos, sem restrições. Para modificar a
hierarquia dos grupos e mudá-los de posição (por exemplo, incluir um grupo em
outro grupo) basta arrastar o grupo em questão para o lugar desejado.
Você pode criar e editar tags a partir do Organizer, selecionando o ramo Tags na
árvore da aplicação e pressionando o botão Novo Tag. Na janela do Organizer você
pode dar um duplo clique na opção Tags para ver os tags já definidos para a
aplicação, da mesma forma que você faz em uma árvore de diretórios. A medida que
a aplicação cresce os tags podem ser agrupados para melhor organizar e editar a
aplicação.

Capitulo
4
4. Tags
Manual do Usuário
36 Tags
4.1. Grupo de Tags
Quando você seleciona a opção Tags na árvore da aplicação no Organizer a seguinte
página irá aparecer ao lado direito da árvore. Usando os botões desta página você
pode criar um novo grupo de tags ou um novo tag para a sua aplicação. O novo
grupo ou tag que for criado irá aparecer automaticamente na árvore da aplicação
abaixo da opção Tags.

Figura 18: Grupo de Tags
Propriedades da Aba Grupo de Tags
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do grupo de tags selecionado. Um
grupo de tags trabalha da mesma forma que um
diretório onde vários tags serão definidos.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o grupo selecionado.
Novo Grupo
Cria um novo grupo de tags a partir do grupo atual.
Novo Tag
Cria um novo tag.
Relatório.
Abre uma janela para configuração de um relatório de
todos os tags existentes na aplicação. Podem ser
selecionadas apenas as propriedades que se deseja
imprimir para cada tipo de tag. O relatório será
impresso em um arquivo-texto especificado na caixa
!mprime para o arquivo.

Manual do Usuário

Tags 37
4.2. Novo Tag
Quando você pressiona o botão Novo Tag, a janela a seguir irá aparecer. Nesta
janela você poderá definir o nome do tag, a quantidade de tags que você deseja criar
e o seu tipo. Todos os tags especificados no campo Ouantidade serão do mesmo
tipo definido no campo Tipo do Tag.
Opções de Tags
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Espaços e caracteres especiais não são
permitidos quando os Tags são usados em Scripts.
Ouantidade
Define o número de Tags que serão criados com as
mesmas características especificadas.
PLC
Tags PLC (CLP) são usados para trocar valores com
os equipamentos de aquisição de dados.
DDE
Tags DDE (Dynamic Data Exchange) são usados
para trocar dados com servidores DDE.
Demo
Tags Demo são usados para gerar dados randômicos.
Natriz
O Tags Matriz permitem criar matrizes ou vetores de
dados.
Expressao
Tags Expressão permitem a entrada de uma
expressão numérica ou alfanumérica (permitem
concatenação de strings, por exemplo).
Block
Tags Bloco são usados para ler um bloco de valores
simultaneamente.
RAN
Tags RAM são usados para armazenar valores na
memória.

Manual do Usuário
38 Tags
4.3. Tag Crono
O Tag Crono cria um novo cronômetro.

Figura 19: Propriedades do Tag Crono
Propriedades do Tag Crono
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
!ncremento
Determina o incremento do tag.
Preset
Determina o tempo de preset do tag.
!niciar cronömetro ao
rodar aplicaçao
Habilita a inicialização do cronômetro ao rodar a
aplicação.
Zerar o acumulador ao
ligar o cronömetro
Habilita zerar o acumulador ao ligar o cronômetro.
Salvar acumulador ao sair
Habilita salvar acumulador ao sair.
Reinicio automatico
(execuçao em loop)
Habilita o reinício automático em execução de loop.

Manual do Usuário

Tags 39
4.4. Tag PLC
O Tag PLC é usado para trocar informações com os equipamentos de aquisição de
dados usando drivers de I/O fornecidos pela Elipse de acordo com o tipo do
equipamento. Um arquivo de ajuda é fornecido com cada driver contendo
informações importantes a respeito de sua configuração.
Você pode instalar um novo driver pressionando o botão Novo na página de Drivers
e selecionando um ou mais drivers da lista. O botão Configurar. abre a janela de
propriedades do driver permitindo a configuração dos parâmetros de comunicação
“P” de acordo com as informações contidas no arquivo de ajuda. A opção Abortar
em erro, encerra a comunicação caso ocorra algum problema, impedindo que uma
aplicação fique “travada”.

Figura 20: Propriedades do Tag PLC

Manual do Usuário
40 Tags
Propriedades do Tag PLC
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Nudar tipo para ...
Permite que se mude o tipo do Tag.
Acessar bits.
Permite desmembrar o Tag em bits, criando Tags Bit
para cada bit ou conjunto de bits do Tag.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
Driver
Permite a seleção de um driver de comunicação para
o Tag corrente. Os drivers devem ser instalados
através da janela de Drivers a fim de que estejam
disponíveis.
Ajuda
Mostra a Ajuda do Driver selecionado.
Parametros ¨N"
Permite a configuração dos parâmetros de
endereçamento “N” para o Tag corrente de acordo
com o driver selecionado. Esta configuração está
contida na Ajuda do Driver que pode ser acessado
pressionando-se o botão "Ajuda". Os valores podem
ser expressos em decimais [-32768, 65535], octais
[0o, 177777o] ou hexadecimais [0000h, FFFFh].
Scan
Define de quanto em quanto tempo os valores do Tag
serão atualizados (ms)
Escala
Marcando esta opção os valores do Tag serão
convertidos para uma nova escala de valores
determinada pelo usuário conforme os limites
definidos em CLP Inferior e Superior, e Sistema
Superior e Inferior.
CLP !nferior
Define o valor mínimo a ser lido do PLC (CLP).
Sistema !nferior
Define o novo valor mínimo para a conversão dos
valores lidos.
CLP Superior
Define o valor máximo a ser lido do PLC (CLP).
Sistema Superior
Define o novo valor máximo para a conversão dos
valores lidos.
Testar Conexao aqui
Testa a comunicação com o PLC, permitindo a leitura
e escrita de valores.
Habilita leitura pelo Scan
Habilita a leitura pelo scan para um Tag PLC (CLP).
Habilita leitura automatica
Habilita a leitura automática para o Tag PLC (CLP).
Habilita escrita automatica
Habilita escrita automática para o Tag PLC (CLP).

Manual do Usuário

Tags 41
Escrita automática em tags PLC
Ao atribuir um valor diretamente a um tag PLC ou elemento de bloco que possua a
propriedade escrita automática habilitada, o comando é enviado diretamente ao
driver de comunicação, que por sua vez o repassa ao equipamento associado. Tal
ação não ocorre somente quando o valor atribuído for igual ao conteúdo que já
estava no tag. Caso queira forçar uma escrita mesmo assim, deve ser executada a
função Write() do tag, em algum script (ver capítulo Scripts).
4.5. Tag DDE
O Tag DDE é usado para troca de dados entre o Elipse SCADA e outras aplicações
(Excel, Access, Word, etc.) usando DDE (Dynamic Data Exchange). Para tanto você
precisa especificar a aplicação servidora, o tópico e o item, conforme você pode ver
na janela abaixo.

Figura 21: Propriedades do Tag DDE
Manual do Usuário
42 Tags
Propriedades do Tag DDE
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Nudar tipo para
Permite que se mude o tipo do Tag.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
Nome do Servidor
Define o nome do servidor DDE que pode ser uma
aplicação Windows (ex: Excel, Word, etc) ou um
driver DDE fornecido pelo fabricante do seu
equipamento. A lista de programas disponíveis para
servidores DDE aparece quando a seta ao lado desta
caixa é pressionada.
Tópico
Define o nome do Tópico do Servidor DDE,
dependendo do tipo do Servidor. Pode ser um
documento (ex: uma tabela do Excel). A lista de
Tópicos disponíveis aparece quando a seta ao lado
desta caixa é pressionada.
!tem
Define o nome do Item do Servidor DDE,
dependendo do tipo do Servidor. Pode ser um item de
um documento (ex: uma célula em uma tabela do
Excel).
Testar Conexao
Permite que você teste a configuração DDE. Uma
mensagem pode indicar um erro de conexão ou o
valor recebido pelo item configurado.
Escala
Marcando esta opção os valores do Tag serão
convertidos para uma nova escala de valores
determinada pelo usuário conforme os limites
definidos em Server Low, System Low, Server High
e System High.
Servidor !nferior
Define o valor mínimo a ser lido do Servidor.
Sistema !nferior
Define o novo valor mínimo para a conversão dos
valores lidos.
Servidor Superior
Define o valor máximo a ser lido do Servidor.
Sistema Superior
Define o novo valor máximo para a conversão dos
valores lidos.

Manual do Usuário

Tags 43
4.6. Tag Demo
O Tag Demo é usado para a simulação de valores. Ele permite a você gerar curvas
definidas ou valores randômicos conforme o tipo de curva selecionada nos seis
botões da página Geral do tag Demo (veja figura abaixo).
Tags Demo podem ajudá-lo a testar sua aplicação ou podem ser usados, por
exemplo, em um objeto de tela animação para mostrar os quadros da animação de
acordo com a variação do tag.

Figura 22: Propriedades do Tag Demo
Manual do Usuário
44 Tags
Propriedades do Tag Demo
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Espaços e caracteres especiais não são
permitidos quando os Tags forem usados em Scripts.
Nudar tipo para
Permite que se mude o tipo do Tag.
Acessar bits.
Permite desmembrar o Tag em bits, criando Tags Bit
para cada bit.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
Tipo
Define o tipo de curva a ser usada pelo Tag Demo
corrente.
Limite inferior
Define um valor mínimo para o Tag Demo.
Limite superior
Define um valor máximo para o Tag Demo.
!ncremento
Define o incremento para o Tag Demo para uma
curva dente de serra.
Espera
Define o número de períodos entre cada geração de
valor para o Tag Demo. Por exemplo, se for 1 um
valor é gerado a cada período, se for 2, gera um valor
a cada dois períodos, e assim por diante. É usado
junto com o atributo period para controlar o intervalo
de tempo para a variação dos dados.
Periodo
Define o número de milisegundos entre a geração de
cada novo valor para o Tag Demo. É usado junto com
o atributo delay para controlar o intervalo de tempo
para a variação dos dados.
Habilitado
Define a condição inicial do Tag Demo: Habilitada
ou Desabilitada. Os valores do Tag Demo são
gerados somente quando esta opção estiver marcada,
caso contrário, o valor do Tag permanece o mesmo.

Manual do Usuário

Tags 45
4.7. Tag Expressáo
O Tag Expressão permite que você atribua uma expressão numérica ou
alfanumérica a um tag. Você pode criar equações envolvendo outros tags e strings.
As mesmas funções, operadores e constantes usadas nos Scripts podem ser usadas
nos Tags Expressão.

Figura 23: Propriedades do Tag Expressão
Propriedades do Tag Expressão
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do tag. Espaços e caracteres especiais não são permitidos
quando os tags forem usados em scripts.
Nudar tipo para
Permite que se mude o tipo do tag.
Acessar bits.
Permite desmembrar o tag em bits, criando tags Bit para cada
bit.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o tag.
Expressao
Permite a entrada de qualquer expressão válida para o tag.
Erros
Lista erros de sintaxe encontrados na expressão. Os erros são
mostrados durante a edição da expressão e para que se tenha
uma expressão válida a mensagem “No errors” (Sem erros) deve
aparecer neste campo.
Manual do Usuário
46 Tags
4.8. Tag Bloco
Tags Blocos permitem a comunicação em bloco com os equipamentos de aquisição
de dados usando drivers de I/O fornecidos pela Elipse Software de acordo com o
tipo do equipamento. Um arquivo de ajuda é fornecido com cada driver contendo
informações importantes a respeito de sua configuração.
Você pode instalar um novo driver pressionando o botão Novo na página de Drivers
e selecionando um ou mais drivers da lista. O botão Configurar. abre a janela de
propriedades do driver permitindo a configuração dos parâmetros de comunicação
“P” de acordo com as informações contidas no arquivo de ajuda. A opção Abortar
em erro encerra a comunicação caso ocorra algum problema, impedindo que uma
aplicação fique “travada”.

Figura 24: Propriedades do Tag Bloco

Manual do Usuário

Tags 47
Propriedades do Tag Bloco
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Nudar tipo para
Permite que se mude o tipo do Tag.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
Driver
Permite a seleção de um driver de comunicação para
o Tag corrente. Os drivers devem ser instalados
através da janela de Drivers a fim de que estejam
disponíveis.
Ajuda
Mostra a Ajuda do Driver selecionado.
Parametros ¨B"
Permite a configuração dos parâmetros de
endereçamento “B” para o Tag corrente de acordo
com o driver selecionado. Esta configuração está
contida na Ajuda do Driver que pode ser acessado
pressionando-se o botão "Ajuda". Os valores podem
ser expressos em decimais [-32768, 65535], octais
[0o, 177777o] ou hexadecimais [0000h, FFFFh].
Scan
Define de quanto em quanto tempo os valores do Tag
serão atualizados (ms).
Nudar tamanho
Muda o tamanho do bloco a ser monitorado pelo
Elipse SCADA.
Adicionar Elemento
Permite que você adicione um novo elemento ao Tag
selecionado.
Habilitar leitura pelo scan
Habilita leitura em bloco.
Habilitar leitura
automatica
Habilita leitura automática para o bloco.
Habilitar escrita
automatica
Habilita escrita automática para o bloco.
Tamanho
Configura o tamanho do tag bloco.
Novo elemento...
Novo elemento no tag bloco.

Manual do Usuário
48 Tags
4.8.1. Elemento de Bloco
Cada elemento do tag Bloco possui suas propriedades que podem ser acessadas
selecionando-se o elemento desejado na árvore da aplicação no Organizer. A página
a seguir será, então, mostrada no lado direito da janela.

Figura 25: Propriedades do Elemento de Bloco
Manual do Usuário

Tags 49
Propriedades do Elemento de Bloco
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Tag.
Nudar tipo para.
Permite que se mude o tipo do Tag.
Acessar bits.
Permite desmembrar o Tag em bits, criando Tags Bit
para cada bit ou conjunto de bits do Tag.
Bloco index
Permite mudar a ordem do elemento no bloco
digitando o índice desejado.
Escala
Marcando esta opção os valores do Tag serão
convertidos para uma nova escala de valores
determinada pelo usuário conforme os limites
definidos em CLP Inferior, Sistema Inferior, CLP
Superior e Sistema Superior.
CLP !nferior
Define o valor mínimo a ser lido do PLC (CLP).
Sistema !nferior
Define o novo valor mínimo para a conversão dos
valores lidos.
CLP Superior
Define o valor máximo a ser lido do PLC (CLP).
Sistema Superior
Define o novo valor máximo para a conversão dos
valores lidos.
Testar comunicaçao aqui
Testa a comunicação com o PLC lendo e escrevendo
alguns valores.

Manual do Usuário
50 Tags
4.9. Tag Ram
Tags Ram são usados internamente para armazenar valores em memória. Este tipo
de tag é volátil, portanto mantém seus valores somente enquanto a aplicação está
executando.

Figura 26: Propriedades do tag Ram
Propriedades do Tag Ram
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o tag.
Nudar tipo para.
Permite que se mude o tipo do tag.
Acessar bits.
Permite desmembrar o tag em bits, criando tags Bit
para cada bit ou conjunto de bits do tag.
valor inicial
Define um valor inicial para o tag. Este valor pode ser
um número ou um string entre aspas duplas (ex.:
“abc”).

4.10. Tag Matriz
O Tag Matriz permite criar matrizes ou vetores de dados que podem ser usados em
cálculos, armazenamentos etc. É possível associar cada célula de uma matriz a um
tag ou propriedade. As operações sobre matrizes sempre tem linha e coluna
começando com o índice 1.
Manual do Usuário

Tags 51

Figura 27: Propriedades do Tag Matriz
Propriedades do Tag Matriz
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do tag. Você pode usar tantos caracteres
quanto queira mas espaços e caracteres especiais não
são permitidos quando os Tags forem usados nos
Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o tag.
Colunas
Define o número de colunas da matriz
Linhas
Define o número de linhas da matriz.
Associar
Mapeia todas ou somente algumas células da matriz
para um tag.

Associar células a tags
Você pode associar uma célula da matriz ou vetor para um tag pressionando o botão
Associar. na página Geral do tag Matriz e especificando qual ou quais as células
que deseja associar.
Cada célula associada aparece abaixo do tag Matriz na árvore da aplicação no
Organizer. Ao selecionar uma célula específica suas propriedades são mostradas ao
lado direito da árvore. Cada célula associada possui 4 páginas de propriedades:
Geral, Alarmes, Scripts e Tags. As 3 primeiras páginas são as mesmas de qualquer
tag e a página de tags permite associar um tag ou propriedade à célula da matriz da
mesma forma em que tags e propriedades são associados à objetos de tela.
Manual do Usuário
52 Tags
4.11. Tag Bit
O Tag Bit somente pode ser criado a partir de um outro tag e permite acessar
individualmente cada bit do mesmo. Os tags que permitem o desdobramento em bits
são: PLC, Demo, Expressão, Elemento de Bloco, Ram ou Remoto.
Você pode criar um tag Bit a partir da página Geral de qualquer um dos tags citados
acima. Clicando no botão Acessar bits. a seguinte janela irá aparecer, onde você
poderá selecionar os bits que deseja mapear. A seleção dos bits é feita usando-se o
mouse e as teclas |Shift| ou |Ctrl|, da mesma forma em que se selecionam itens em
uma list box do Windows.

Figura 28: Tag Bit
O tag Bit pode ser tanto um único bit quanto um conjunto de bits, desde que sejam
contínuos. Isto quer dizer que você pode mapear para um único tag Bit, por
exemplo, os bits 0, 1, e 2 mas não os bits 10, 11 e 24. A check box existente nesta
janela permite especificar se devem ser criados um tag para cada bit selecionado ou
se os bits contínuos que estejam selecionados devem ser agrupados em um único
tag.
No exemplo acima serão criados cinco tags Bit da seguinte forma:
TAGS bitField bitField2 bitField3 bitField4 bitField5
BITS 0, 1, 2 5 8 12 20, 21, 22

Os tags Bit criados aparecem abaixo do respectivo tag na árvore da aplicação no
Organizer. Ao selecionar um tag Bit específico suas propriedades são mostradas ao
lado direito da árvore.
A página de Propriedades Gerais do tag Bit aparece quando selecionada a aba Geral
no topo das páginas do tag Bit. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos
campos são descritos na tabela que segue.
Manual do Usuário

Tags 53

Figura 29: Propriedades gerais do Tag Bit
Propriedades do Tag Bit
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do tag. Espaços e caracteres especiais não são
permitidos quando os tags forem usados nos scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o tag.
Bit de palavra alta e bit
de palavra baixa
Define quais os bits ou bit que fazem parte daquele
tag.



4.12. Pagina de Alarmes
Cada tag que você define possui uma página de Alarmes como a mostrada abaixo,
onde podem ser configurados 4 intervalos de valores e prioridades para Alarmes.
Alarmes são usados para sinalizar algum problema e então tomar as ações
apropriadas usando scripts. Para visualizar os Alarmes configurados para um tag
você precisa criar um objeto de tela Alarme e atribuir o tag a ele. Este objeto pode
mostrar, também, alarmes já ocorridos que estejam registrados em um arquivo de
históricos ou alarmes ativos no sistema. Para imprimir os alarmes ocorridos no
Manual do Usuário
54 Tags
sistema você pode definir um relatório através do Organizer e executar a função
especial Print() em um script.
A página de Alarmes dos Tags aparece quando selecionada a aba Alarmes no topo
das páginas do tag. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são
descritos na tabela que segue.

Figura 30: Página de Alarmes
Manual do Usuário

Tags 55
Propriedades dos Alarmes (associados a Tags)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
LoLo
Alarme Baixo Crítico. Define um intervalo de valores
(menor igual) onde o Tag é considerado em um
estado de Alarme Baixo Crítico. É usado quando o
valor do tag está abaixo de um mínimo, ou seja,
extremamente baixo.
Low
Alarme Baixo. Define um intervalo de valores
(menor igual) onde o tag é considerado em estado de
alarme baixo. É usado quando o valor do tag está
abaixo do normal.
High
Alarme Alto. Define um intervalo de valores (maior
igual) onde o tag é considerado em estado de Alarme
Alto. É usado quando o valor do tag está mais alto do
que o normal.
HiHi
Alarme Alto Crítico. Define um intervalo de valores
(maior igual) onde o tag é considerado em estado de
Alarme Alto Crítico. É usado quando o valor do tag é
está acima de um máximo, ou seja, extremamente
alto.
valor
Define os limites para cada situação possível de
alarme (lolo, low, hi, hihi).
Pri
Define a prioridade para cada situação de alarme.
Números pequenos indicam alta prioridade (a
prioridade deve ser um número entre 0 e 999). Para
um melhor controle os alarmes de maior prioridade
irão aparecer em primeiro plano na janela de alarmes
(objeto de tela Alarme).
Comentarios
Um comentário ou mensagem pode ser definido para
cada alarme.
Logar mensagens de
retorno
Habilita o registro (log) das mensagens de retorno de
alarme.
Grupo de Alarmes
Define o grupo de Alarmes do tag corrente. O grupo
de Alarmes deve ser definido na opção Alarmes do
Organizer.
Nanter o valor do tag
sempre atualizado
Define que o sistema irá supervisionar o tag
constantemente, mesmo que ele não esteja sendo
utilizado em nenhum lugar da aplicação, a fim de não
perder nenhum alarme deste tag.
Usar outro nome de tag
Permite definir um nome alternativo para tag no
registro (log) de alarmes.




Manual do Usuário
56 Tags
4.13. 8cripts de Tags
É possível executar scripts associados a mudanças nos valores dos tags e a estados
de alarmes dos tags.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnAck
Executa o script quando o alarme for sinalizado como
reconhecido pelo usuário.
OnAlarmHigh
Executa o script quando o valor definido para alarme
Alto (High) for alcançado.
OnAlarmHiHi
Executa o script quando o valor definido para o
alarme HiHi for alcançado.
OnAlarmLow
Executa o script quando o valor definido para o
alarme baixo (Low) for alcançado.
OnAlarmLoLo
Executa o script quando o valor definido para o
alarme LoLo for alcançado.
OnAlarmReturn
Executa o script assim que uma situação de alarme
tiver terminado.
OnvalueChanged
Executa o script quando mudar o valor do tag
OnRead
Somente para tags PLC e Bloco. Executa o script
quando o tag é lido do driver.




Telas 57

Uma Tela pode ser definida como uma janela para monitoramento de um processo.
Cada aplicação pode ter um número ilimitado de telas.
Você pode criar uma nova Tela pressionando o botão Nova Tela na Barra de
Ferramentas ou usando o comando Novo no menu Tela. Nesta nova tela você pode
definir Objetos de Tela, um desenho de fundo e outras características específicas.
Para uma melhor visualização do sistema que você está monitorando alguns bitmaps
de fundo podem ser definidos para as telas. Um bitmap do Windows é um arquivo
gráfico com extensão BMP que pode ser criado em diversas aplicações Windows
específicas para desenho, como por exemplo o Paintbrush.
Você pode criar seus desenhos (bitmaps) em qualquer tamanho e cores que desejar,
Elipse SCADA irá importá-los automaticamente sem a necessidade de qualquer
processo de conversão.
Para visualizar ou editar as propriedades da tela corrente dê um duplo clique em um
espaço vazio da tela ou use o comando Propriedades do menu Tela.
Quando a opção Telas é selecionada na árvore do Organizer, a janela a seguir
aparece, contendo uma lista de todas as telas da sua aplicação. Você pode criar uma
nova tela usando o botão Novo à direita da página ou remover uma tela existente
selecionando-a na lista e pressionando o botão Deletar.
Capitulo
5
5. Telas
Manual do Usuário
58 Telas

Figura 31: Janela de criação de Telas
Propriedades da Janela de Criação das Telas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Lista
Mostra uma lista de todas as Telas existentes na sua
aplicação. As mesmas Telas aparecem na árvore do
Organizer logo abaixo da opção Telas e quando
selecionadas suas respectivas propriedades são
mostradas.
Nova
Cria uma nova Tela.
Deletar
Apaga a Tela selecionada da Lista.
!r para
Fecha o Organizer e mostra a Tela corrente.
Nostrar
Mostra a Tela corrente sem selecioná-la.
Fechar
Esconde a Tela corrente mantendo-a na aplicação.




Manual do Usuário

Telas 59
5.1. Propriedades Gerais da Tela
Cada tela que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção Telas na árvore da
aplicação no Organizer. Ao selecionar uma tela específica suas propriedades são
mostradas ao lado direito da árvore. A página de propriedades gerais de telas
aparece quando selecionada a aba Geral no topo das páginas da tela. Esta página é
mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 32: Propriedades da Tela
Propriedades da Tela
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define um nome para a tela corrente. Usando este nome você
pode abrir a tela de qualquer parte da aplicação usando botões ou
teclas de função, bem como associá-la a scripts.
Titulo
Define um título para a tela, usado também como sua descrição.
Cor
Define a cor de fundo para a tela corrente. Este parâmetro é
usado quando não existe um bitmap selecionado ou quando o
bitmap não preenche toda a tela.
Bitmap
Habilita ou desabilita o uso de um bitmap como fundo para a
tela corrente.
Localizar...
Permite navegar na estrutura de diretórios a fim de encontrar os
arquivos BMP que serão usados como fundo para a tela. O
caminho e nome do bitmap aparecem abaixo.
Nivel de acesso
Define o nível de acesso para a tela.

Manual do Usuário
60 Telas
5.2. Propriedades de Estilo de Telas
A página propriedades de estilo de telas aparece quando selecionada a aba Estilo no
topo das propriedades da tela. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos
campos são descritos na tabela que segue.

Figura 33: Propriedades de Estilo da Tela
Manual do Usuário

Telas 61
Propriedades de Estilo da Tela
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Tela Cheia
Determina que a Tela ocupe toda a janela da aplicação.
Janelada
Determina que a Tela apareça dentro de uma janela sem
ocupar toda a Tela da aplicação conforme especificado nas
opções Tamanho e a Posição.
Largura
Define a largura da Tela em pixels.
Altura
Define a altura da Tela em pixels.
X
Determina a coordenada X para o canto superior esquerdo
da Tela em pixels. Por exemplo, se você esta usando uma
resolução no Windows de 640x480 (VGA) a sua
coordenada X pode variar de 0 (zero) a 640 pixels para uma
janela sem scroll bar.
Y
Determina a coordenada Y para o canto superior esquerdo
da Tela em pixels. Por exemplo, se você esta usando uma
resolução no Windows de 640x480 (VGA) a sua
coordenada Y pode variar de 0 (zero) a 480 pixels para uma
janela sem scroll bar.
Rolagem
Nunca: determina que a janela não tenha barras de rolagem,
mesmo quando necessário. Automático: barras de rolagem
aparecerão automaticamente quando se fizer necessário.
Nao mostra foco dos
objetos
Não mostra o foco dos objetos da tela em tempo de
execução.
Nostrar Borda
Mostra uma borda de 1 pixel de largura em volta da tela.
Somente para telas janeladas e de tamanho fixo.
Redimensionavel
Permite o redimensionamento da janela em tempo de
execução.
Nóvel
Permite que a janela seja movida em tempo de execução.
Barra de Titulo
Mostra ou esconde a Barra de Título.
visivel
Torna a Tela visível em tempo de execução.
Nodal
Somente válido para Telas janeladas. Define a janela como
sendo modal, isto é, deve ser fechada para que o foco possa
passar para outras janelas abertas.
Popup
Somente válido para Telas janeladas. Define a janela como
sendo popup, isto significa que ela é fechada
automaticamente quando perde o foco.
Recortar objeto
Define o uso do clipping para o redesenho dos objetos de
tela relativo ao fundo, otimizando o redesenho. Esta opção
deve ser habilitada somente se os objetos de tela não estão
sobrepostos e não serão movidos, caso contrário poderá não
surtir o efeito desejado.
Botao de Fechar
Habilita o botão fechar na janela (botão do canto superior
direito). Este botão só pode ser visto em tempo de
execução.
Manual do Usuário
62 Telas
5.3. 8cripts de Tela
Scripts de telas geralmente estão associados a uma ação executada na tela. Isto
significa, por exemplo, que eles podem ser executados ao abrir ou fechar a tela, ou
mesmo quando uma tecla for pressionada enquanto a tela é monitorada. Os scripts
disponíveis para as telas são descritos na tabela abaixo.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnHide
Executado após uma tela ter sido fechada.
OnKeyPress
Executado quando a tecla especificada no botão
Nova tecla for pressionada.
OnKeyRelease
Executado quando a tecla especificada no botão
Nova tecla for solta.
OnKillFocus
Executado quando a tela perde o foco de teclado ou
mouse
OnPreHide
Executado antes da tela ser fechada. Chame a função
Show() neste script para manter a tela aberta.
OnPreShow
Executado antes da tela ser mostrada. Chame a
função Hide() neste script para cancelar a abertura da
tela.
OnSetFocus
Executado quando a tela ganha o foco de teclado ou
mouse.
OnShow
Executado quando a tela é mostrada.
WhileKeyPressed
Executado enquanto a tecla especificada no botão
Nova tecla estiver sendo pressionada.
WhileRunning
Executado enquanto a tela estiver ativa.




Objetos de Tela 63

Quando o programador está desenvolvendo a sua aplicação, muitas vezes ele
necessita mostrar algum resultado, fazer um alerta ou receber informações e
acionamentos do usuário. Essa interação com o usuário é feita através do que
chamamos interface. Para que o programador possa construir a interface de sua
aplicação, o Elipse SCADA oferece uma série de recursos chamados “Objetos de
Tela”.
Objetos de Tela são elementos gráficos e representações de objetos reais do
processo que ajudam o usuário a interagir e acompanhar a aplicação que está sendo
executada no Elipse SCADA.
Neste capítulo, veremos os objetos de tela que estão disponíveis no Elipse SCADA,
seu significado, utilidade e funcionamento. Para uma melhor compreensão,
organizamos os objetos de tela em duas categorias: objetos de visualização e objetos
de interação.
6.1. Ediçáo dos Objetos de Tela
Os objetos de tela podem ser criados a partir da barra de ferramentas Objetos já
descrita em seção anterior ou através do menu Objetos. Uma vez selecionado o
objeto que se deseja criar mantenha o botão esquerdo do mouse pressionado na área
da tela enquanto movimenta o mouse (um retângulo pontilhado mostra o tamanho e
a forma do objeto). Ao soltar o botão o objeto será posicionado dentro da área
especificada.
A edição dos objetos na tela, como alinhamento, tamanho, posição e agrupamento é
feita através da barra de ferramentas Arranjar já descrita ou através do menu. O
último objeto selecionado fica com o foco em vermelho para ser usado como
referência. Para deselecionar um objeto use a combinação de teclas:
|Shift|+|Ctrl|+|BotaoEsq|.






Capitulo
6
6. Objetos de Tela
Manual do Usuário
64 Objetos de Tela
6.2. Propriedades dos Objetos de Tela
Em geral, os objetos de tela possuem diversas propriedades comuns que estão
agrupadas nas páginas descritas a seguir.
6.2.1. Pagina Tamanho e Pos

Figura 34: Página Tamanho e Pos
Manual do Usuário

Objetos de Tela 65
Propriedades da Página de Tamanho e Posição
OPÇÃO DESCRIÇÃO
X
Define a coordenada X para o canto superior
esquerdo do objeto, em pixels. É usado juntamente
com o atributo Y para definir a posição do objeto a
partir da origem da tela (0,0)
Y
Define a coordenada Y para o canto superior esquerdo
do objeto, em pixels. É usado juntamente com o
atributo X para definir a posição do objeto a partir da
origem da tela (0,0)
Largura
Determina a largura do objeto em pixels. É usado
juntamente com o atributo altura para definir o
tamanho do objeto
Altura
Determina a altura do objeto em pixels. É usado
juntamente com o atributo largura para definir o
tamanho do objeto
Posiçao fixa durante a
configuraçao
Determina que o objeto não possa ser movido durante
a configuração (bloqueia a mudança de posição do
objeto).
visivel quando iniciar
aplicaçao
Define que o objeto será visível no momento em que
a aplicação iniciar.
Habilitado (aceita entrada
de mouse e teclado)
Habilita o acesso do teclado e mouse ao objeto
(válido somente para objetos que permitem entradas
via mouse ou teclado. Exemplo: slider).
Nostrar dica em execuçao
Habilita o objeto a mostrar uma dica (tip) quando o
mouse está sobre ele.
Nivel de Acesso
Permite associar um nível de acesso ao objeto (0 para
acesso livre).













Manual do Usuário
66 Objetos de Tela
6.2.2. Pagina Moldura

Figura 35: Página de Moldura
Propriedades da Página de Moldura
OPÇÃO DESCRIÇÃO
visivel
Habilita ou desabilita uma moldura em volta do objeto.
Cor
Define a cor da moldura do objeto.
Titulo
Habilita ou desabilita um título na moldura do objeto.
Texto
Define o texto do título.
Fonte
Define fonte, cor e tamanho da fonte do Título.
Separador de titulo
Habilita ou desabilita uma linha separadora entre o texto e o
objeto.
Borda
Habilita ou desabilita uma borda na moldura.
Espessura
Define a espessura do moldura em pixels.
Cor
Define a cor da borda do moldura.
Efeito 3D
Seleciona um efeito 3D dentro ou fora do moldura do
objeto.
Espessura
Define a espessura em pixels para o efeito 3D.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 67
6.2.3. Pagina de Tags

Figura 36: Página de Tags
Propriedades da Página de Tags
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Objetos
Mostra a árvore da aplicação. Conforme o objeto
selecionado, suas propriedades aparecerão na janela
de Propriedades.
Propriedades
Permite a seleção de qualquer propriedade do objeto
selecionado na árvore.
Tags selecionados
Lista os Tags que estão associados ao objeto.
Adicionar
Adiciona os Tags marcados à lista de Tags
selecionados.
Remover
Remove os Tags selecionados da lista.

Manual do Usuário
68 Objetos de Tela
6.3. 8cripts de Objetos de Tela
Existem alguns scripts disponíveis para todos os objetos de tela, estes scripts são
descritos na tabela abaixo. Scripts específicos de um objeto são descritos mais
adiante na respectiva seção do objeto. Maiores detalhes a respeito do uso de scripts
veja no capítulo específico.

Figura 37: Página de Scripts
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnKillFocus
Executado quando o objeto perde o foco do teclado
ou mouse.
OnLButtonDblClk
Executado quando o botão esquerdo do mouse é
pressionado duas vezes sobre o objeto.
OnLButtonDown
Executado quando o botão esquerdo do mouse é
pressionado sobre o objeto.
OnLButtonUp
Executado quando o botão esquerdo do mouse é solto
sobre o objeto.
OnNouseNove
Executado quando o mouse é movido sobre o objeto.
OnRButtonDblClk
Executado quando o botão direito do mouse é
pressionado duas vezes sobre o objeto.
OnRButtonDown
Executado quando o botão direito do mouse é
pressionado sobre o objeto.
OnRButtonUp
Executado quando o botão direito do mouse é solto
sobre o objeto.
OnSetFocus
Executado quando o objeto recebe o foco do teclado
ou mouse.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 69
6.4. Referència Cruzada
A página de Referência-Cruzada (Cross-Reference) lista todos os links para o
objeto corrente e suas propriedades, ou seja, quais outros objetos se referem a este e
quais propriedades ou valores estão sendo usados. Se você deseja ir ao item
selecionado basta dar um duplo-clique sobre. A caixa Nostrar itens filhos permite
visualizar na lista os itens “filhos” associados aos itens “pai” listados.

Figura 38: Página de Referência Cruzada
Manual do Usuário
70 Objetos de Tela
6.5. Objetos de Visualizaçáo
6.5.1. Texto
O objeto Texto permite atribuir mensagens a intervalos de valores dos tags,
denominados Zonas. Podem ser definidas diversas zonas cada uma delas contendo
sua própria mensagem.

Figura 39: Texto
As Propriedades do Texto permitem definir cores e mensagens para cada zona.
Também é possível definir uma zona padrão para os valores que não pertencem a
nenhum intervalo específico. Você pode editar as propriedades de um texto dando
um duplo-clique sobre o mesmo.
Propriedades Gerais do Texto

Figura 40: Propriedades Gerais do Texto
Propriedades Gerais do Texto
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do texto que será usado na árvore do
Organizer e nos scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o texto.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 71
Zonas de Texto

Figura 41: Propriedades da Zona de Texto
Manual do Usuário
72 Objetos de Tela
Propriedades da Zona de Texto
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Zonas
Lista todas as Zonas definidas e permite sua edição.
Adicionar
Adiciona uma nova Zona na lista.
Deletar
Remove da lista a Zona selecionada.
Auto Ajuste
Ajusta o intervalo das Zonas automaticamente.
Nessagem
Texto associado a zona selecionada. Esta mensagem
será mostrada quando o valor do Tag associado ao
objeto Texto estiver dentro da zona.
Alinhamento
Define o alinhamento dos caracteres para o objeto
Texto.
Transparente
Define que o fundo do objeto será transparente.
Zona padrao
Define a Zona selecionada como zona padrão
(default), ou seja, uma zona que contém todos os
valores que não estão definidos em outras zonas.
Pisca
Habilita o pisca-pisca para a zona. Uma vez ativa e
definida como “Pisca” a zona alterna com a zona
default conforme o tempo em Piscar a cada.
Piscar a cada
Define o tempo para o pisca-pisca entre as zonas
Blinking e a default.
Dica
Permite configurar uma dica (tip) para cada zona. Se
a zona não possui uma dica, o sistema utiliza a
descrição do objeto.
Ninimo
Define um valor mínimo para a Zona selecionada.
Naximo
Define um valor máximo para a Zona selecionada.
Fundo
Define a cor de fundo do Texto.
Fonte
Define fonte, cor e tamanho para o texto da
mensagem.
6.5.2. Display
O objeto Display é usado para mostrar os valores dos tags em tempo real.
As propriedades do display permitem definir o tamanho, cor, fonte, alinhamento,
efeitos 3D e outras características. Você pode editar as propriedades do display
dando um duplo clique sobre o mesmo.

Figura 42: Display
Manual do Usuário

Objetos de Tela 73
Propriedades Gerais do Display

Figura 43: Propriedades Gerais do Display
Propriedades Gerais do Display
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do display que será usado na árvore
do Organizer e nos scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o display.
Alinhamento
Define o alinhamento dos caracteres para o display.
Fonte
Define a fonte, cor e tamanho do texto do display.
Fundo
Define a cor de fundo do display.
Nultiplas linhas
Define o display como tendo múltiplas linhas.
Somente disponível se o formato do setpoint (página
de formato) é string.

Manual do Usuário
74 Objetos de Tela
Formato do Display

Figura 44: Propriedades de Formato do Display
Propriedades do Formato do Display
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Texto
Mostra o valor do Tag em formato string.
Numérico
Mostra o valor do Tag em formato numérico.
Tamanho
Define o número de dígitos a serem mostrados
incluindo o ponto decimal.
Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Prefixo
Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.
Sufixo
Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 75
6.5.3. Browser
O objeto Browser permite visualizar seus arquivos de bancos de dados. Estes
arquivos devem estar no formato Elipse SCADA, ou seja, devem ter sido criados
pelo Elipse. Para localizar estes arquivos você deve procurar pelas extensões .DAT
(Históricos ou Alarmes) ou .HDR (Batelada). Você pode editar as propriedades do
browser dando um duplo-clique sobre o mesmo.

Figura 45: Browser
Propriedades Gerais do Browser

Figura 46: Propriedades Gerais do Browser
Manual do Usuário
76 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Browser
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Browser que será usado na árvore
do Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Browser.
Fontes
Define a fonte, cor e tamanho do texto a ser mostrado
no Browser.
Ordem
Define a ordem (ascendente ou descendente) dos
registros do Browser.
Titulo de fundo
Define a cor de fundo para o título do Browser.
Texto doTitulo
Define a cor do texto para o título do Browser.
Fundo das linhas
Define a cor de fundo das linhas de texto do Browser.
Texto das linhas
Define a cor do texto das linhas do Browser.
Fundo selecionado
Define a cor de fundo para as linhas selecionadas do
Browser.
Texto selecionado
Define a cor do texto para as linhas selecionadas do
Browser.
Grades
Define a cor da grade do Browser.
Fundo
Define a cor da área externa do Browser.

Configurações do Browser

Figura 47: Configurações do Browser
Manual do Usuário

Objetos de Tela 77
Propriedades das Configurações do Browser
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Arquivo Fonte
Define o nome do arquivo a ser mostrado no objeto
Browser. Este arquivo deve ter extensão DAT ou
HDR.
Browser
Permite localizar o arquivo fonte a ser usado pelo
Browser.
Todas as Bateladas
Seleciona todas as bateladas para serem impressas.
Esta opção está disponível somente se o arquivo fonte
(Source Filename) é um arquivo de Histórico com
processo de batelada habilitado.
Ultimas bateladas
Seleciona a última batelada para ser impressa. Esta
opção está disponível somente se o arquivo fonte
(Source Filename) é um arquivo de Histórico com
processo de batelada habilitado.
Batelada Especifica
Seleciona uma batelada específica para ser impressa,
conforme o especificado nos campos Campo (Field)
e Critério (Criteria). Esta opção está disponível
somente se o arquivo fonte (Source Filename) é um
arquivo de Histórico com processo de batelada
habilitado.
Campos
Lista os campos disponíveis para seleção de uma
batelada específica. Somente campos tipo string serão
listados.
valor
Define o valor a ser buscado quando selecionada uma
batelada específica.

Manual do Usuário
78 Objetos de Tela
Consulta do Browser

Propriedades da Consulta do Browser
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Sem consulta por data
Não será usado filtro, ou seja, seleciona todos os
dados.
!ntervalo de tempo
Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo
especificado.
Dados mais recentes
Seleciona apenas os dados mais novos.
Data !nicial
Determina a data inicial do intervalo de tempo.
Data Final
Determina a data final do intervalo de tempo.
Hora !nicial
Determina o horário inicial do intervalo de tempo.
Hora Final
Determina o horário final do intervalo de tempo.
Ultimo
Define o número de unidades para selecionar os
dados mais recentes.
Unidade
Define a unidade usada para selecionar os dados mais
recentes.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 79
Banco de Dados do Browser

Figura 48: Propriedades do Banco de Dados do Browser
Manual do Usuário
80 Objetos de Tela
Propriedades do Banco de Dados do Browser
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Campos
Lista os campos disponíveis.
Para Cima
Move o campo selecionado uma posição para cima.
Para Baixo
Move o campo selecionado uma posição para baixo.
Habilita
Permite que o campo selecionado seja impresso.
Atualiza estrutura do
arquivo
Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos
campos do browser. Quando é feita alguma
modificação na estrutura do arquivo usado pelo
browser este botão deve ser pressionado para
atualização dos campos.
Tamanho
Define o número de dígitos a serem mostrados
incluindo o ponto decimal.
Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Prefixo
Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.
Suffixo
Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.
Formato de data
Define o formato da marcação de tempo (timestamp)
do browser.
Etiqueta
Permite trocar o nome do campo selecionado.
Linhas
Define o número de linhas que o campo selecionado
irá ter no browser.

8cripts do Browser
Os eventos disponíveis para Scripts exclusivos do Browser são descritos na tabela
abaixo. Maiores detalhes a respeito do uso de Scripts veja no capítulo específico.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnDrawRow
Executado logo antes de cada linha do Browser ser
desenhada. Permite que a cor de fundo e do texto da
linha sejam modificadas através das funções
SetTempRowColor() e SetTempRowTextColor(),
de acordo com o valor dos campos da linha (este
valor pode ser pego com a função GetField()).

Manual do Usuário

Objetos de Tela 81
6.5.4. Bitmap
O objeto Bitmap permite inserir imagens, figuras ou desenhos nas suas telas de sua
aplicação, desde que estejam nos formatos BNP, G!F ou JPEG. Este objeto pode ser
redimensionado para ter o mesmo tamanho da figura e possui suporte a
transparência, bastando habilitar e selecionar uma cor. Você pode editar as
propriedades do Bitmap dando um duplo clique sobre o mesmo.

Figura 49: Bitmap
Propriedades Gerais do Bitmap

Manual do Usuário
82 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Bitmap
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Bitmap que será usado na árvore
do Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Bitmap.
Nome do Bitmap
Define o nome do arquivo correspondente.
Localizar.
Permite indicar a localização do arquivo a ser usado.
Transparente Determina que a cor epecificada em Fundo seja
transparente.
Fundo
Define a cor de fundo do Bitmap.
Tamanho Original
Ajusta o objeto Bitmap de forma que ele tenha o
mesmo tamanho da figura original.
6.5.5. Animaçáo
O objeto Animação é um meio fácil de criar uma animação usando imagens
(bitmaps) associados a quadros (frames) definidos pelo usuário que são mostrados
em sequência. Um Tag deve ser associado à animação de forma que o valor do Tag
determine qual o quadro da animação que será mostrado. Os valores do Tag são
associados a Zonas, que correspondem a um determinado quadro.
É possível usar imagens de quaisquer tamanho e cores, desde que sejam arquivos
nos formatos suportados: GIF, JPEG e Bitmap (.BNP). Você pode editar as
propriedades da Animação dando um duplo clique sobre o objeto.


Figura 50: Animação

Manual do Usuário

Objetos de Tela 83
Propriedades Gerais da Animaçáo

Figura 51: Propriedades Gerais da Animação
Propriedades Gerais da Animação
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome da animação.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o objeto.
Transparente Define que a cor especificada na opção Fundo será
transparente, permitindo que o fundo da tela apareça.
Borda
Habilita uma borda (linha preta) ao redor dos
quadros.
Fundo
Define uma cor de fundo para a animação.
Piscar a cada
Tempo em milisegundos para o pisca-pisca entre as
zonas Pisca e Padrao.
Ajustar imagem
Ajusta o objeto animação de forma que ele tenha o
mesmo tamanho do primeiro quadro da animação.

Manual do Usuário
84 Objetos de Tela
Zonas da Animaçáo

Figura 52: Propriedades da Zona de Animação
Manual do Usuário

Objetos de Tela 85
Propriedades da Zona de Animação
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Bitmap
Lista os bitmaps dos quadros da animação. Selecione um
dos bitmaps para ver e editar suas propriedades.
Localizaçao
Mostra o caminho dos bitmaps.
Adicionar
Usado para adicionar um bitmap ou um grupo de bitmaps à
lista.
Deletar
Remove um bitmap ou um grupo de bitmaps da lista.
Auto ajuste...
Ajusta automaticamente as zonas dividindo o total do
intervalo igualmente entre as zonas definidas.
Alterar Localizaçao
Usado para trocar a localização (path) do bitmap.
Zona Padrao
Define o quadro selecionado na lista como padrão; desta
forma, ele será mostrado quando o valor do tag estiver fora
das outras zonas definidas.
Ninimo
Define um valor mínimo para a zona selecionada.
Naximo
Define um valor máximo para a zona selecionada.
Pisca
Indica que essa zona será utilizada no pisca-pisca.
Dica
Permite configurar uma dica (tip) para cada zona. Se a zona
não possui uma dica habilitada então é utilizada a descrição
do objeto.
Preview
Mostra uma prévia do quadro selecionado.

Manual do Usuário
86 Objetos de Tela
6.5.6. AV¡
O objeto AVI é utilizado para visualização de arquivos de extensão AVI no sistema.
Através deste objeto, é possível localizar arquivo AVI no sistema e mostrá-lo na tela
no momento da execução do projeto. Este objeto aceita somente arquivos AVI.

Figura 53: AVI
Propriedades Gerais do AV¡

Figura 54: Propriedades Gerais do AVI
Propriedades Gerais do AVI
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto no sistema.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o video.
Arquivo Av!
Mostra o caminho do arquivo AVI no sistema.
Localizar...
Permite navegar nos diretórios para localizar o
arquivo AVI.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 87
6.5.7. Video
O objeto Video é utilizado para visualização de uma imagem de video. Através
desta opção, é possível visualizar arquivos do sistema ou criados a partir da opção
Watcher.
Propriedades Gerais do Video

Figura 55: Propriedades Gerais do Video
Propriedades Gerais do Video
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto no sistema.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o video.
Fonte do video
Determina a fonte que o video irá utilizar para a
visualização do objeto.
Play automatico ao abrir a
tela
Habilita a visualização do video no momento da
execução do objeto.
Ajustar video ao tamanho
do objeto
Habilita o ajuste do video conforme o tamanho do
objeto.

Manual do Usuário
88 Objetos de Tela
6.5.8. Preview
O objeto Preview é utilizado para visualização de arquivos de video que foram
gerados através da placa XPressPlayer. Através deste objeto, é possível configurá-lo
na placa XPressPlayer para conectar-se a câmera determinada ou indicar o arquivo
XPressPlayer. A visualização do objeto será mostrada na execução do projeto.

Figura 56: Preview
Propriedades Gerais do Preview

Figura 57: Propriedades Gerais do Preview
Manual do Usuário

Objetos de Tela 89
Propriedades Gerais do Preview
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto no sistema.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o video.
Placa XPressPlus
Indica o objeto do XPressPlus do Watcher a ser
associado ao objeto Preview.
Numero da camera
Indica o número da câmera que será conectada ao
objeto.
Tamanho da Janela
Indica o tamanho da janela para a visualização do
objeto.
Arquivo de video
Mostra o caminho do arquivo de video no sistema.
Auto Ajuste
Ajusta automaticamente a janela de visualização
conforme as especificações da opção Tamanho da
Janela.
Habilitar tela cheia
Habilita a visualização em "tela cheia".
6.5.9. Tendència
Este objeto é usado para visualizar um gráfico de tendência com até 16 tags. O
gráfico é constantemente atualizado a medida que o processo evolui e os valores dos
tags mudam.
Usando tendências, você pode fazer gráficos como Valor x Tempo e Valor x Valor.
Devido a estas características pode-se efetuar a análise dos dados a medida que o
processo evolui.
O objeto tendência possui vários aspectos que podem ser modificados através de
várias páginas de propriedades, que serão vistas a seguir.

Figura 58: Tendência

Manual do Usuário
90 Objetos de Tela
Propriedades Gerais da Tendència

Figura 59: Propriedades Gerais da Tendência
Manual do Usuário

Objetos de Tela 91
Propriedades Gerais da Tendência
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome para identificação do objeto
Tendência.
Descriçao
Uma breve descrição sobre a Tendência.
XY
Habilita um gráfico em tempo real em função de duas
variáveis, uma em cada eixo de coordenadas. As
variáveis podem ser agrupadas aos pares, de forma
que um objeto possa mostrar várias funções XY.
Tempo x Dado
Define um gráfico de dados em função do tempo.
Nostrar labels
Mostra uma legenda com o significado para cada
pena da Tendência.
Novo dado aparecera
Define de onde virão os novos dados da Tendência.
!ntervalo de
Define o intervalo total de tempo para amostragem do
gráfico (em segundos). Esta opção é desabilitada se a
Tendência é histórica.
Atualizar tendência a cada
Define o intervalo de tempo entre cada atualização do
gráfico. Esta opção é desabilitada se a Tendência é
histórica.
Tamanho do Buffer
Define o número de pontos (de 1 a 1.000.000) que a
tendência irá armazenar para cada pena (cada ponto
ocupa 20 bytes). Esta opção é desabilitada se a
Tendência é histórica.
Adicionar Narca
Adiciona uma linha horizontal, uma linha vertical ou
um ponto para referência no gráfico da Tendência.

Manual do Usuário
92 Objetos de Tela
Propriedades Avançadas da Tendència

Figura 60: Propriedades Avançadas da Tendência
Propriedades Avançadas da Tendência
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Tempo real, somente
quando a tendência esta
no topo
Atualiza os valores da Tendência em tempo real
somente se a Tendência está visível.
Tempo real, coleta de
dados quando a tela esta
no fundo
Atualiza os valores da tendência em tempo real
mesmo quando a Tendência não está visível.
Carregar dados do
histórico em disco
Atualiza a Tendência carregando dados de um
Histórico selecionado.
Configurar consulta.
Abre uma janela que permite configurar a Consulta
da Tendência Histórica.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 93
Propriedades do Grafico de Tendència

Figura 61: Propriedades da Tendência
Manual do Usuário
94 Objetos de Tela
Propriedades para os Eixos X e Y
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Limite
Define o limite esquerdo do eixo X no gráfico. Esta
opção está disponível somente se o gráfico é do tipo
XY.
Limite direito
Define o limite direito do eixo X no gráfico. Esta
opção está disponível somente se o gráfico é do tipo
XY.
Exibir régua superior
Exibe uma régua no topo do gráfico, com os valores
do eixo X.
Exibir régua inferior
Exibe uma régua na base no gráfico, com os valores
do eixo X.
Limite superior
Define o limite superior do eixo Y no gráfico.
Limite inferior
Define o limite inferior do eixo Y no gráfico.
Exibir régua a esquerda
Exibe uma régua à esquerda do gráfico, com os
valores do eixo Y.
Exibir régua a direita
Exibe uma régua à direita do gráfico, onde os valores
do eixo Y.
Grade Rolante
Faz com que a grade do gráfico acompanhe o
movimento gerado pela entrada dos dados na
Tendência.
Texto
Permite colocar uma legenda para os eixos X e Y.
Formato Data/Hora
Premite definir o formato de data e hora, para
Tendências do tipo Valor x Tempo.
Propriedades de Cores do Gráfico
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Fundo da régua
Define a cor de fundo para as réguas do gráfico.
Texto da régua
Define a cor para o texto que será mostrado nas
réguas.
Fundo do grafico
Define a cor de fundo para o gráfico.
Grades e eixos
Define a cor da grade e dos eixos do gráfico.
Propriedades da Grade do Gráfico
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Grade
Habilita a grade no gráfico (linhas de orientação ).
Linhas de X
Define o número de linhas horizontais da grade.
Linhas de Y
Define o número de linhas verticais da grade.
Fonte da régua.
Define fonte, tamanho e cor para os caracteres do
gráfico.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 95
Cores das Penas da Tendència

Figura 62: Propriedades das Cores das Penas da Tendência
Propriedades das Cores das Penas da Tendência
OPÇÃO DESCRIÇÃO

Insere uma pena associada a um tag.

Insere uma pena associada a um campo do histórico (a opção
Carrega Dados do Histórico do Disco deve estar habilitada na aba
Avançado).

Insere uma marca indicativa no gráfico.

Apaga uma pena ou uma marca selecionada na lista.

Define que o desenho da pena será do tipo Linha.

Define que o desenho da pena será do tipo Área.

Define que o desenho da pena será do tipo Barra.

Muda a ordem da pena selecionada.
Label Essa coluna lista as penas selecionadas para o gráfico. Permite mudar
o texto da legenda e ativar/desativar cada pena.
Y Axis Seleciona o tag a ser visualizado no eixo Y.
X Axis Seleciona o tag a ser visualizado no eixo X.

Mostra o quadro Cores das Penas.
Manual do Usuário
96 Objetos de Tela
6.5.10. Grafico de Barras
O Gráfico de Barras é utilizado quando se deseja visualizar os dados na forma de
volume. Editando as propriedades do gráfico podem ser definidas uma série de
características como escala gráfica, orientação das barras (vertical/horizontal),
réguas e cores.
Cada tag associado ao Gráfico de Barras é representado por uma barra com uma cor
específica, podendo ser mostradas até um máximo de 16 barras (ou seja, 16 tags). O
objeto possui ainda um segundo modo, o Bar Gauge. Nesse modo, os valores dos
tags são indicados por uma agulha que percorre uma escala disposta sobre cada
barra.
Você pode editar as propriedades do Gráfico de Barras dando um duplo clique sobre
o mesmo. Nas propriedades do Gráfico de Barras temos várias páginas (abas ou
tabs) para a sua configuração.

Figura 63: Gráfico de barras
Manual do Usuário

Objetos de Tela 97
Propriedades Gerais do Grafico de Barras

Figura 64: Propriedades Gerais do Gráfico de Barras
Manual do Usuário
98 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Gráfico de Barras
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto, que será usado na árvore do
Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o gráfico.
Tipo
Define qual o tipo de gráfico de barras: Barra
(simples) ou Bar Gauge (medidor em barra).
Limite
Define os valores mínimo e máximo para o Gráfico
de Barras.
Orientaçao
Define a orientação do Gráfico. As opções
disponíveis são de baixo para cima, de cima para
baixo, da esquerda para a direita, da direita para a
esquerda.
Fundo
Define uma cor de fundo para o Gráfico de Barras.
Bipolar
Determina que as barras do gráfico tenham dois lados
divididos por um centro. As barras crescem do centro
em direção aos limites do gráfico.
Centro
Define o centro para um Gráfico de Barras bipolares.
Espaçamento
Define o espaço entre as barras, em pixels.
3D
Habilita ou desabilita um efeito tridimensional nas
barras do gráfico. Você também pode definir a
largura do efeito 3D.
Propriedades da Régua

Figura 65: Propriedades da Régua
Manual do Usuário

Objetos de Tela 99
Propriedades da Régua
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Habilita
Permite que uma régua seja mostrada no Gráfico de
Barras.
Exibir régua superior
Exibe uma régua superior no Gráfico de Barras, onde
são mostrados os valores dos Tags.
Exibir régua inferior
Exibe uma régua inferior no Gráfico de Barras, onde
são mostrados os valores dos Tags.
Exibir régua a esquerda
Exibe uma régua a esquerda do Gráfico de Barras,
onde são mostrados os valores dos Tags.
Exibir régua a direita
Exibe uma régua a direita do Gráfico de Barras, onde
são mostrados os valores dos Tags.
Texto da unidade
Unidade a ser mostrada na régua do Gráfico de
Barras.
Divisoes da régua
Define o número de divisões da régua.
Cores
Define as cores do fundo da régua, do texto e da
grade (divisões).
Fonte da régua.
Define fonte, tamanho e cor para os caracteres na
régua do Gráfico de Barras.
Cores da Barra
Esta aba permite habilitar legendas que ficarão ao lado do desenho das barras no
gráfico. Isso é feito marcando o quadro Nostrar labels. Cada número indica a barra
do gráfico, sua respectiva legenda e cor.

Figura 66: Propriedades das Barras
Manual do Usuário
100 Objetos de Tela
Cores do Bar Gauge
Esta página permite ajustar as propriedades do Bar Gauge. Ela só está disponível
quando a opção Bar Gauge é especificada na página de propriedades gerais do
gráfico.

Figura 67: Definição das cores do Bar Gauge
Propriedades do Bar Gauge
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Tag
Permite escolher qual a barra que será editada.
Limite LOLO
Habilita a indicação da faixa de valor baixo crítico na
barra. Especifica a cor da faixa e o valor limite.
Limite baixo
Habilita a indicação da faixa de valor baixo na barra.
Especifica a cor da faixa e o valor limite.
Limite Normal
Especifica a cor da faixa de valores considerados
normais para o tag.
Limite alto
Habilita a indicação da faixa de valor alto na barra.
Especifica a cor da faixa e o valor limite.
Limite H!H!
Habilita a indicação da faixa de valor alto crítico na
barra. Especifica a cor da faixa e o valor limite.
Tamanho da marca
Define o tamanho da agulha que fará a indicação do
valor do tag.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 101
6.5.11. Gauge
O objeto Gauge é bastante útil para mostrar variáveis com resultados analógicos,
funcionando como um medidor contínuo. Os valores de escala e as propriedades do
gauge podem ser definidos pelo usuário, além de sua posição na tela que pode variar
em 0, 90, 180 ou 270 graus de rotação. Você pode editar as propriedades do Gauge
dando um duplo clique sobre o mesmo.

Figura 68: Gauge
Propriedades Gerais do Gauge

Figura 69: Propriedades do Gauge
Manual do Usuário
102 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Gauge
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Gauge.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Gauge.
valor minimo
Define o valor mínimo para o Gauge.
valor maximo
Define o valor máximo para o Gauge.
Cor da moldura
Define a cor de fundo do Gauge.
Cor do fundo
Define a cor do Gauge.
Cor do texto
Define uma cor para os números de escala do Gauge.
Cor da agulha
Define a cor do ponteiro do Gauge.
Posiçao
Define a posição do Gauge (0°, 90°, 180° e 270°).
Nostrar limites
Mostra os números-limite da escala do Gauge.
Nostrar valor
Mostra o valor nominal indicado no Gauge.
Casas decimais
Define o número de casas decimais para o valor nominal
do Gauge.
Total ticks
Define o número de divisões na escala gráfica usada no
Gauge.
Angulo inicial
Define o ângulo inicial para a agulha do Gauge.
Fontes.
Define fonte, cor e tamanho para o texto do Gauge.
Usar ponteiro grosso
Define uma agulha mais grossa para o Gauge.
Propriedades Avançadas do Gauge

Figura 70: Propriedades Avançadas do Gauge
Manual do Usuário

Objetos de Tela 103
Propriedades Avançadas do Gauge
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nostrar marcas
Exibe as marcas principais no objeto Gauge.
Narcas grossas
Determina que as marcas principais sejam grossas.
Nostrar sub-marcas
Exibe sub marcas no objeto Gauge.
Total
Define o número total de sub-marcas a serem
exibidas entre as marcas principais.
Nostrar valores
Exibe os valores numéricos no objeto Gauge.
Nostrar bullets
Mostra as marcas em forma de bullets.
Fonte
Permite definir a fonte dos valores do Gauge.
Nostrar legenda
Exibe uma barra ao longo do Gauge onde podem ser
configuradas diferentes cores dependendo da faixa de
valores.
Nostrar moldura
Mostra um frame ao longo do percurso da agulha.
Limite alto
Define a altura da borda superior da legenda.
Limite baixo
Define a altura da borda inferior da legenda.
Cores
Define os valores e cores para os limites: LowLow,
Low, Normal, High e HighHigh a serem mostrados
na legenda.
6.6. Objetos de ¡nteraçáo
6.6.1. 8lider
Este objeto é usado para ler ou escrever valores em um Tag selecionado. Você pode
atribuir valores ao Tag selecionado deslizando o potenciômetro (botão deslizante) ou
usando as setas de direção nas extremidades do Slider. O valor vai variar conforme
uma escala definida no objeto. Você pode editar as propriedades do Slider dando um
duplo clique sobre o mesmo.

Figura 71: Slider
Manual do Usuário
104 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do 8lider

Figura 72: Propriedades Gerais do Slider
Manual do Usuário

Objetos de Tela 105
Propriedades Gerais do Slider
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Slider.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Slider.
valor Ninimo
Define o valor mínimo para o Slider.
valor Naximo
Define o valor máximo para o Slider.
Passo
Define o passo de variação do valor do Slider (Tag
associado) quando as setas de direção são pressionadas.
Fundo
Define a cor de fundo do Slider.
Cor do texto
Define a cor dos números que serão mostrados no Slider.
Fontes.
Permite configurar as fontes utilizadas no slider.
Limite do Slider
Habilita ou desabilita que os limites (máximos e mínimos)
do Slider sejam mostrados no objeto.
Nostrar valor
Habilita ou dasabilita que os valores do Slider sejam
mostrados.
Nostrar setas
Habilita ou dasabilita que as setas do Slider sejam
mostradas.
Posiçao vertical
Posiciona o Slider verticalmente.
Posiçao horizontal
Posiciona o Slider horizontalmente.
Nover
Permite a atualização do valor do Slider mesmo quando o
botão está sendo movido.
Soltar
Atualiza o valor do Slider somente quando o botão
deslizante é solto.
Precisao
Define o número de dígitos decimais a serem mostrados no
Slider.
Tamanho do botao
Modifica o tamanho do botão deslizante do Slider.
6.6.2. Botáo
Este objeto é utilizado para acionamentos ou execuções de tarefas especificadas pelo
usuário através do mouse ou teclado e seu funcionamento é igual aos dos botões
standard do Windows. O Elipse SCADA possui uma série de modelos de botão entre
interruptores, chaves e outros, para facilitar a implementação de várias funções
através de botões. O pressionamento de botões também gera eventos que podem ser
tratados por Scripts. Os botões são bastante flexíveis e podem ser amplamente
configurados através das páginas de propriedades.

Figura 73: Botão
Manual do Usuário
106 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Botáo

Figura 74: Propriedades do Botão
Manual do Usuário

Objetos de Tela 107
Propriedades do Botão
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Botão que será usado na árvore do
Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Botão.
Nomentaneo
Este tipo de botão funciona como um botão de OK de
uma caixa de diálogo e é usado para atribuir um valor
ao Tag associado ou trocar entre telas.
Liga/Desliga
Este tipo de botão funciona como um chave. Ele
possui dois estados (ligado e desligado) que podem
ser definidos na página Nensagens.
Jog
Este botão alterna entre dois valores: um quando está
pressionado e outro quando é solto. Ele funciona
como o botão de reset do computador.
Botoes
Conjunto de modelos que definem a aparência do
botão. Estão disponíveis chaves, interruptores e
bitmaps, além de um quadro transparente que permite
transformar em um botão qualquer objeto sob ele.
Teclas de funçao
Associa uma tecla de função ao botão.
!r para a tela
Define uma tela para ser chamada quando o botão é
pressionado.
Mensagem do Botáo

Figura 75: Propriedades das Mensagens do Botão
Manual do Usuário
108 Objetos de Tela
Propriedades da Mensagem do Botão – Estado Normal
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Texto
Define um texto a ser mostrado no botão quando ele
está despressionado.
Fonte do texto
Define a cor, tamanho e tipo da fonte do texto quando
o botão está despressionado.
Fundo
Define uma cor de fundo para o botão quando ele está
despressionado.
valor
Define o valor a ser atribuído ao tag associado,
quando o botão está despressionado.
Propriedades da Mensagem do Botão – Estado Pressionado
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Texto
Define um texto a ser mostrado no botão quando ele
está pressionado.
Fonte do texto
Define a cor, tamanho e tipo da fonte do texto quando
o botão está pressionado.
Fundo
Define uma cor de fundo para o botão quando ele está
pressionado.
valor
Define o valor a ser atribuído ao Tag associado,
quando o botão está pressionado.
Alinhamento
Alinha o texto do botão à esquerda, ao centro ou à
direita.
8cripts de Botões
Os scripts disponíveis exclusivamente para botões são descritos na tabela abaixo.
Maiores detalhes a respeito do uso de scripts veja no capítulo específico.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a botões executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnPress
Executa o script quando o botão é pressionado.
OnRelease
Executa o script quando o botão é solto.
WhilePressed
Executa o script enquanto o botão está sendo
pressionado, conforme o ciclo (em ms) definido.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 109
6.6.3. 8etpoint
O objeto Setpoint trabalha como uma caixa de edição do Windows, assim basta
digitar um valor e pressionar |Enter| para atribuir este valor ao tag associado. As
propriedades do setpoint permitem que você defina o tipo do valor de entrada, a
fonte, tamanho e cor dos caracteres que serão mostrados no objeto. Você pode editar
as propriedades do Setpoint dando um duplo clique sobre o mesmo.

Figura 76: Setpoint
Propriedades Gerais do 8etpoint

Figura 77: Propriedades Gerais do Setpoint
Manual do Usuário
110 Objetos de Tela
Propriedades Gerais do Setpoint
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Setpoint que será usado na árvore
do Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Setpoint.
Alinhamento
Define o alinhamento dos caracteres do Setpoint.
Fundo
Define uma cor de fundo para o Setpoint.
Limites
Define os limites para os dados de entrada do
Setpoint.
Fontes
Define a fonte, cor e tamanho do texto do Setpoint.
Atualizar
Atualiza o valor do Setpoint sempre que o valor do
Tag mudar.
Linhas multiplas
Define o Setpoint como tendo múltiplas linhas.
Somente disponível se o formato do Setpoint (página
de Formato) é texto.
Seleciona tudo ao ganhar
foco
Seleciona todos os caracteres do Setpoint quando ele
recebe o foco.
Formato do 8etpoint

Figura 78: Propriedades do Formato do Setpoint
Manual do Usuário

Objetos de Tela 111
Propriedades do Formato do Setpoint
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Texto
Mostra o valor do Setpoint em formato string.
Numerico
Mostra o valor do Setpoint em formato numérico.
Tamanho
Define o número de dígitos a serem mostrados
incluindo o ponto decimal.
Data/Hora
Mostra o valor do Setpoint em formato data e hora.
Formato.
Permite definir um string que descreve o formato data
e hora.
Prefixo
Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.
Sufixo
Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.
Teclas do 8etpoint

Figura 79: Propriedades das Teclas do Setpoint
Manual do Usuário
112 Objetos de Tela
Propriedades das Teclas do Setpoint
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Tecla de mudança de foco
Permite a seleção de uma combinação de teclas ou
uma tecla para alternar o foco entre as entradas de
dados dos Objetos de Tela. Substitui a tecla |Tab|
quando o Setpoint é multilinhas.
Teclas para forçar valor
Permite a seleção de uma combinação de teclas ou
uma tecla para enviar os dados digitados do Setpoint
para o Tag selecionado. Substitui a tecla |Enter|
quando o Setpoint é multilinhas.
Esconde keypad após
entrada de valores
Indica que o keypad irá desaparecer depois da entrada
de valores pelo usuário.
6.6.4. Alarmes
O objeto Alarme permite a verificação dos alarmes ativos ou dos alarmes
registrados (“logados”) no arquivo de alarmes. Alarmes podem ser disparados
quando os valores dos tags associados são verificados em quatro situações e
prioridades diferentes: LoLo (baixo crítico), Low (baixo), High (alto), HiHi (alto
crítico). Fora dessas faixas, os valores dos tags são considerados normais.

Figura 80: Janela do objeto Alarme
Na janela de alarmes, encontramos uma barra de ferramentas que permite algumas
funções, a saber:

Reconhece os alarmes selecionados com o mouse

Lista os alarmes pela data

Lista os alarmes pelo nome, usando a data como chave secundária

Lista os alarmes por prioridade (iniciando pela prioridade 1), usando a data
como chave secundária

Manual do Usuário

Objetos de Tela 113
Propriedades Gerais dos Alarmes
As propriedades dos alarmes permitem definir o formato da data, hora e mensagens,
bem como as cores para cada situação de alarme. Você pode editar as propriedades
dando um duplo clique sobre o objeto Alarmes.

Figura 81: Propriedades Gerais dos Alarmes
Manual do Usuário
114 Objetos de Tela
Propriedades Gerais dos Alarmes
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto Alarmes.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o objeto Alarmes.
Tipo de alarme Resumido: mostra os alarmes ativos, ou seja, Tags
que estão em situação de alarme no momento.
Histórico: mostra os alarmes que estão registrados no
arquivo de alarmes. Obs: a opção Habilita Reg. no
objeto Alarmes no Organizar deve estar habilitada.
Da Prioridade
Define a prioridade mais alta de alarmes a serem
mostrados no objeto.
Para Prioridade
Define a prioridade mais baixa de alarmes a serem
mostrados no objeto.
Barra de Ferramentas
Mostra ou esconde a barra de ferramentas do objeto
Alarme.
Titulos
Habilita uma barra de título no objeto Alarme,
mostrando uma linha de cabeçalho com selecionados
na página Formato da Nensagem.
Botoes grandes
Habilita botões grandes na barra de ferramentas do
objeto de Alarmes.
Grupo de alarmes
Seleciona o grupo de alarmes que será mostrado no
objeto de Alarmes corrente.

Manual do Usuário

Objetos de Tela 115
Cores dos Alarmes

Figura 82: Propriedades das Cores do Alarme
Propriedades das Cores do Alarme
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Cor da janela
Define a cor de fundo da janela de Alarmes.
Cor padrao do alarme
Define a cor de fundo para os Alarmes não
reconhecidos.
Zona 1
Define a cor de fundo para os Alarmes reconhecidos.
Zona 2
Define a cor de fundo para a barra de título do objeto
Alarme.
Zona 3
Define a cor do texto da barra de título do objeto
Alarme.
Cor padrao dos alarmes
Define a cor de fundo para a barra de ferramentas do
objeto Alarme.
RTN Color
Define a cor dos Alarmes que já retornaram a um
estado normal.
Manual do Usuário
116 Objetos de Tela
Formato das Mensagens dos Alarmes

Figura 83: Propriedades das Mensagens dos Alarmes
Manual do Usuário

Objetos de Tela 117
Propriedades das Mensagens dos Alarmes
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Data
Habilita a visualização da data no objeto Alarme,
conforme o formato especificado na opção Formato.
Data/Formato
Define o formato da data a ser mostrada no objeto.
Hora
Habilita a visualização da hora no objeto Alarme,
conforme o formato especificado na opção Formato.
Hora/Formato
Define o formato da hora a ser mostrada no objeto.
AN/PN
Habilita o formato de hora americano.
Nostrar milisegundos
Mostra os milisegundos na coluna de hora do objeto
Alarme.
Evento
Habilita a visualização da coluna de eventos no objeto.
Tipo do alarme
Habilita a visualização da coluna do tipo do alarme (lolo,
low, high, hihi) no objeto Alarme.
Prioridade
Habilita a visualização da coluna de prioridades de
alarmes (lolo, low, high, hihi) no objeto Alarme.
Estado do Alarme
Habilita a visualização da coluna de status (UnAck, Ack)
dos alarmes no objeto Alarme.
Comentarios
Habilita a visualização dos comentários definidos para os
Tags no objeto Alarme.
Comentarios/Tamanho
Define o tamanho dos comentários em números de
caracteres.
valor
Habilita a visualização da coluna de valores dos tags no
objeto Alarme. Os valores serão mostrados variando para
alarmes tipo resumidos ou fixos para alarmes tipo
histórico.
valor/Tamanho
Define o tamanho dos valores dos tags em número de
caracterers.
valor/Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Nome do tag
Habilita a visualização da coluna de valores dos Tags no
objeto Alarme.
Nome do Tag/Tamanho
Define o tamanho do nome dos tags em números de
caracteres.
Limite
Habilita a visualização dos limites definidos para os
Alarmes conforme o seu tipo (Low, LoLo, High, HiHi)
Limite/Tamanho
Define o tamanho dos valores limites de cada alarme em
número de caracteres.
Limite/Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Usuario
Habilita a visualização do nome do usuário responsável.
Usuario/Tamanho
Define o tamanho do nome do usuário em números de
caracteres.


Alarmes 119



A opção Alarmes da árvore da aplicação no Organizer permite que sejam definidas
algumas características para o gerenciamento dos Alarmes do sistema. Você pode
especificar um arquivo para gravar todos os alarmes que irão ocorrer no seu sistema,
bem como configurar sons e mensagens de alerta.
As propriedades do Gerenciador de Alarmes afetam o comportamento de todos os
Alarmes do sistema especificados na página de Alarmes dos Tags.
7.1. Propriedades Gerais dos Alarmes
A página de Propriedades Gerais dos Alarmes aparece quando selecionada a aba
Alarmes no topo das páginas dos Alarmes. Esta página é mostrada abaixo e seus
respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 84: Propriedades Gerais dos Alarmes
Capitulo
7
7. Alarmes

120 Alarmes
Propriedades Gerais dos Alarmes
OPÇÃO DESCRIÇÃO
verifica alarmes neste
grupo
Permite habilitar ou desabilitar a verificação de
alarmes do grupo.
Habilitar reg.
Habilita o registro (log) dos alarmes do grupo atual.
Registros
Define o tamanho do arquivo de Alarmes em número
de registros. Cada alarme é um registro que ocupa 42
bytes. O tamanho do cabeçalho é 848 bytes
determinando o tamanho inicial do arquivo. A
atualização deste arquivo se dá de forma cíclica.
Arquivo
Define o nome do arquivo de Alarmes (extensão
DAT)
Localizar
Permite localizar ou definir um diretório para o
arquivo de Alarmes.
Tocar som de aviso
Habilita um som de alerta para os Alarmes. O som
pode ser escolhido a partir da lista embaixo.
Escrever direto em disco
Força a escrita direta dos dados no disco, sem utilizar
buffers. Isso diminui a performance, mas aumenta
muito a segurança de dados no caso de falhas.
Envia traps SNNP para
cada alarme
(Disponível somente nos sistemas Windows NT.) Faz
com que o sistema gere um evento (trap) SNMP a
cada nova mensagem de alarme.
Novo grupo de alarmes!
Cria um novo grupo de Alarmes. O usuário pode
escolher a que grupo de alarmes um Tag ou um
objeto de tela Alarmes está associado.
7.2. 8cripts dos Alarmes
Os scripts do Gerenciador de Alarmes geralmente estão associados a uma situação
de alarme. Isto significa, por exemplo, que eles podem ser executados quando um
Alarme ocorrer.
Os scripts disponíveis para os alarmes são descritos na tabela abaixo. Maiores
detalhes a respeito veja no scripts.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a alarmes executando-os em uma das situações a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnAlarm
Executa o Script quando um alarme ocorrer.



Receitas 121

Uma Receita é um conjunto de valores pré-definidos que podem ser carregados para
um grupo de tags a fim de configurar um processo específico. Esta lista de tags
também chamamos de modelo de receita.
Por exemplo, seja uma máquina que fabrica diferentes tipos de parafusos. As
variáveis envolvidas no processo são sempre as mesmas, mas seus valores
provavelmente irão mudar dependendo do tipo de parafuso que se quer produzir.
Supondo que você tem diferentes configurações de máquina para cada tipo de
parafuso, estes valores poderiam ser gravados em uma receita e serem
posteriormente carregados em tags de controle, facilitando a tarefa do operador e
evitando erros.
Dessa maneira, podemos criar um modelo de receita “Parafuso” com diversas
receitas “Fenda Philips”, “Fenda Torx”, “Fenda Simples” e assim por diante.
Para que sejam recuperados quando necessário, os modelos e os dados de uma
receita são armazenados em disco, em um “arquivo de receitas” com a extensão
.RCP.
Você pode definir uma receita no Organizer durante a configuração da aplicação ou
em tempo de execução usando Funções Especiais através de scripts.

Capitulo
8
8. Receitas

122 Receitas
8.1. Propriedades Gerais da Receita
Cada receita que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção Receitas na
árvore do Organizer. Ao selecionar uma receita específica, suas propriedades são
mostradas ao lado direito da árvore. A seguir, podemos ver as propriedades das
receitas.

Figura 85: Propriedades Gerais da Receita
Propriedades Gerais da Receita
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do modelo de receita.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o modelo de receita.
Arquivo Receita
Define o nome do arquivo para o modelo de receita.
O nome do arquivo pode ter até 8 caracteres e não
deve conter extensão (o Elipse SCADA irá sempre
usar a extensão RCP). Você pode especificar também
o caminho do arquivo, que poderá ser uma
localização absoluta (“C:\ELIPSE\RECIPES\RCP1”)
ou relativa (“RECIPES\RCP1”). Localizações
relativas são recomendadas se você deseja copiar sua
aplicação para outro computador.
Editar receita selecionada
aqui
Permite a edição da etiqueta que identifica o tag
selecionado na receita.
Editar Dado.
Abre a janela Editar Receita onde se pode acrescentar
e modificar os valores das diversas receitas.
Etiquetas
Mostra os campos associados aos tags do modelo de
receita.
Tag
Mostra os tags selecionados para o modelo de receita
corrente.

Manual do Usuário

Receitas 123
8.2. Editando Receitas
Para acrescentar, editar ou apagar receitas já criadas, utilizamos a janela Editar
Receita que é chamada através do botão Editar dado... na página de propriedades
de receitas. Todas as receitas criadas utilizando o modelo escolhido são listadas no
campo Receitas, onde podem ser selecionados para edição. Selecionando qualquer
receita da lista você poderá editar a sua descrição e os valores de cada tag associado.
Veremos os campos dessa janela a seguir:

Figura 86: Editando Receitas

124 Receitas
Campos da janela Editar Receitas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Receitas
Permite a seleção de uma receita no modelo corrente.
Descriçao
Nome ou descrição da receita.
Nova receita
Cria uma nova receita. Cada modelo de receita pode ter várias
receitas (conjunto de valores) relacionadas.
Deletar receita
Apaga a receita selecionada.
Copia receita
Permite copiar uma receita já definida, a fim de tornar mais
fácil a criação de receitas com muitas variáveis.
Edite o valor aqui
Permite a edição do valor do tag para a receita corrente, que
são listados no quadro inferior. Os tags são identificados por
suas etiquetas associadas. Use as setas de direção do teclado
ou o mouse para selecionar o tag a ser editado.


Históricos 125

Os Históricos permitem o armazenamento da variação dos dados de um processo ao
longo do tempo, possibilitando análises futuras. Estes Históricos podem ser gerados
de duas maneiras diferentes: de forma Contínua ou em Bateladas (em batch).
Na forma contínua, o Elipse SCADA armazena os dados continuamente durante a
execução da aplicação. Na forma de bateladas, o histórico é feito por lotes. Nessa
modalidade, é necessário enviar um comando via script para iniciar e terminar a
geração do histórico.
9.1. Propriedades Gerais dos Históricos
A página de propriedades gerais dos históricos aparecem no lado direito do
Organizer, quando clicamos no item Histórico na árvore da aplicação. Esta página é
a que segue.

Figura 87: Propriedades Gerais dos Históricos
Capitulo
9
9. Históricos

126 Históricos
Propriedades Gerais dos Históricos
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do objeto histórico.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Analises...
Permite a visualização dos dados do histórico em
forma gráfica. Você pode chamar a Análise Histórica
em tempo de execução, através da função Analysis()
do Histórico.
Atualizar
Recalcula a análise histórica e o CEP para o histórico.
CEP...
Chama a tela do Controle Estatístico de Processos.
Arquivo
Define o nome do arquivo do histórico.
Localizar...
Permite localizar ou definir um diretório para o
arquivo de histórico.
Tempo Escr.
Define a freqüência com que os dados serão escritos
no arquivo.
Nax. Regs.
Número máximo de registros a serem armazenados
no arquivo. O arquivo de histórico é rotativo, ou seja,
quando os dados excederem o tamanho do arquivo,
os primeiros registros serão substituídos.
Habilita histórico por scan
Habilita a escrita no arquivo de histórico a partir do
início da execução da aplicação segundo a taxa de
varredura definida. Deixe esta opção desmarcada se
você deseja controlar manualmente (usando scripts) a
geração dos dados do histórico.
Processo de Batelada
Define o tipo do histórico como sendo por batelada
(por lotes). Quando esta opção está marcada, um
arquivo de cabeçalho (extensão HDR) é criado com o
mesmo nome que o arquivo de histórico. O arquivo
de cabeçalho guarda informações sobre cada
batelada.
Suporte a rede
Habilita o suporte a rede para o histórico, isto é,
permite que o histórico seja acessado (somente para
leitura) por outras aplicações Elipse na rede, através
de um browser ou relatório do tipo Análise Histórica.

9.2. Analise Histórica
Quando um Histórico é criado, o Elipse SCADA automaticamente associa a ele um
objeto Análise Histórica (HAnalysis). Este objeto possui diversas características
que podem ser ajustadas em tempo de execução.
Ao ser chamada a Análise Histórica, uma janela Histórico é aberta em sua aplicação,
mostrando a página Análises com o gráfico para análise dos dados. Esta janela
possui mais seis páginas de configuração (disponíveis de acordo com a programação
da aplicação). São elas: Gráfico, Penas, Cores das Penas, Configurações, Consultas e
Manual do Usuário

Históricos 127
Impressão. Cada uma destas páginas aparece quando selecionada a sua guia
correspondente do topo da janela. Vejamos, a seguir, uma descrição da cada uma.
Analise
A página de Análise mostra o gráfico da Análise Histórica e permite a configuração
das variáveis a serem mostradas no mesmo. Possui recursos de zoom, rolagem e
impressão, que podem ser acessados por meio da barra de ferramentas que se
localiza na parte inferior da janela.

Figura 88: Página de análise
À direita, podemos ver as penas do gráfico, cada uma delas associada a um tag, o
qual se quer observar a evolução histórica. Estas penas podem ser ativadas ou
desativadas e pode-se mudar o tipo de cor e estilo de linha, de acordo com a vontade
do usuário.
Na parte superior, o Elipse SCADA mostra algumas informações quando o mouse
está posicionado dentro da área do gráfico: coordenadas do mouse e valor do ponto
selecionado no gráfico demarcado pelas linhas (horizontal e vertical) tracejadas.
Para selecionar um ponto do gráfico basta clicar sobre o mesmo.

128 Históricos
Grafico
Esta página permite a configuração da aparência do Gráfico da Análise Histórica, de
acordo com o que segue:

Figura 89: Página de configuração do gráfico
Manual do Usuário

Históricos 129
Opções para o eixo X (horizontal)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Limite esquerdo
Limite esquerdo do eixo X. Disponível se o gráfico é
do tipo XY.
Limite direito
Limite direito do eixo X. Disponível se o gráfico é do
tipo XY.
Exibir régua superior
Exibe uma régua para o eixo X na parte superior do
gráfico.
Exibir régua inferior
Exibe uma régua para o eixo X na parte inferior do
gráfico.
Opções para o eixo Y (vertical)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Limite superior
Limite superior do eixo Y.
Limite inferior
Limite inferior do eixo Y.
Exibir régua a esquerda
Exibe uma régua a esquerda do gráfico, com os
valores do eixo Y.
Exibir régua a direita
Exibe uma régua a direita do gráfico, com os valores
do eixo Y.
Opções comuns
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Ajuste automatico
Calcula automaticamente os limites para os eixos X
e/ou Y.
Grade Rolante
Faz com que a grade de fundo se movimente à
medida que os valores do gráfico são atualizados.
Texto
Permite acrescentar um título para as réguas.
Formato Data/Hora
Ajusta o formato de data e hora quando configurados
para o eixo.
Cores/Fundo da régua
Define a cor de fundo para as réguas.
Cores/Texto da régua
Define a cor para o texto que será mostrado nas
réguas.
Cores/Fundo do grafico
Define a cor de fundo para o gráfico.
Cores/Grades e eixos
Define a cor da grade e dos eixos do gráfico.
Grade/Linhas de X
Define o número de linhas horizontais da grade.
Grade/Linhas de Y
Define o número de linhas verticais da grade.
Fonte da régua
Define fonte, tamanho e cor para os caracteres do
gráfico.


130 Históricos
Penas
Esta página permite determinar os tags que serão mostrados no gráfico, associando a
cada um, uma “pena” que irá descrever a evolução da variável no processo.

Figura 90: Guia de configuração das penas
No quadro central, são listadas as penas que serão usadas no gráfico. Pode-se ajustar
quais estarão ativas. Clicando-se no retângulo preto mais à direita, é possível ajustar
as características da representação gráfica da pena, tais como espessura da linha e
cor. Os outros campos são descritos abaixo:
Opções de configuração das penas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Label
Nome ou descrição da pena. Por padrão, o nome do
tag é sugerido, mas pode ser mudado.
Y axis
Variável a ser usada na coordenada Y.
X axis
Variável a ser usada na coordenada X.

Através dos botões da barra de ferramentas, posicionada na parte superior da janela,
é possível:
acrescentar mais uma Pena subir a pena de posição
acrescentar uma Marca descer a pena de posição
apagar uma Pena ou Marca
ajustar a representação em linha para o tag selecionado
ajustar a representação em preenchimento para o tag selecionado
ajustar a representação em barra para o tag selecionado
Manual do Usuário

Históricos 131
Configurações
Esta página permite especificar o arquivo de dados a ser usado na análise. Se a
opção Processo de Batelada estiver marcada (ver propriedades gerais do
Histórico), o grupo Batelada nesta página estará disponível para a escolha da
batelada.

Figura 91: Guia de configuração do arquivo de histórico
Campos de configuração do arquivo de histórico
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome do arquivo
Define o nome do arquivo fonte para Análise
Histórica e CEP (.DAT).
Todas Bateladas
Seleciona a impressão de todas as bateladas do
arquivo.
Ultima batelada
Seleciona para ser impressa a última batelada
registrada.
Batelada Especifica
Seleciona uma batelada específica para ser impressa,
conforme o especificado nos campos Campo e valor.


132 Históricos
Consulta
Esta página permite criar uma “consulta” (query) para o arquivo de histórico. A
partir dessa consulta é possível definir um intervalo de tempo para limitar os dados
com os quais se quer trabalhar.

Figura 92: Guia de configuração da consulta no histórico
Manual do Usuário

Históricos 133
Campos de configuração da consulta no histórico
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Sem consulta por data
Não será usado filtro, ou seja, seleciona todos os dados.
!ntervalo de Tempo
Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo
especificado.
Dados mais recentes
Seleciona os dados a partir de um tempo passado até
agora.
Data inicial
Determina a data inicial do intervalo de tempo.
Hora inicial
Determina a hora inicial do intervalo de tempo.
Data final
Determina a data final do intervalo de tempo.
Hora final
Determina a hora final do intervalo de tempo.
Ultimo (valor)
Define o número de unidades de tempo dos dados mais
recentes.
Ultimo (unidade)
Define a unidade de tempo dos dados mais recentes.
Sempre carrega todo o
banco de dados
Carrega todos os dados do histórico. Os limites de
visualização são restringidos conforme o configurado
pelo usuário.


134 Históricos
¡mpressáo
Esta página permite a configuração de opções para a impressão da análise histórica.
O desenvolvedor da aplicação poderá gerar arquivos de configuração de impressora
(arquivos .PTR) que são carregados pelo usuário em tempo de execução.

Figura 93: Configurações de impressão
Configurações de impressões
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Caixa !mpressora
Permite a escolha da impressora onde se quer
imprimir o relatório.
Botao Carregar
Permite carregar arquivos de configuração.
Botao Salvar
Permite salvar uma configuração específica.
Botao !mpressora
Chama a configuração da impressora corrente.
!mprimir
Comanda a impressão da Análise Histórica.
!mprimir o titulo do
relatório
Permite especificar um título para o relatório (no
campo embaixo).

Manual do Usuário

Históricos 135
9.3. Controle Estatistico de Processos
O Controle Estatístico de Processos (ou CEP) permite uma análise estatística de
um processo monitorado. É uma poderosa ferramenta para que você possa verificar
se o processo está executando de acordo com as suas necessidades e controlar suas
variáveis para obter um melhor resultado. Assim como a Análise Histórica, o CEP
também está associado a um objeto Histórico e é possível habilitar a sua
configuração em tempo de execução.
Quando o CEP é chamado, uma Janela de Propriedade é aberta. Através dela, é
possível configurar as opções do CEP, que possui 7 páginas: Configurar, Cores das
Penas , Gráfico de Média, Gráfico de Dispersão, Gráfico de Histograma,
Configurações e Consulta.
As notações a seguir serão usadas na explicação das fórmulas do CEP:
• k : número de amostras;

x
i
: média aritmética dos valores da amostra i, onde i = 1, 2, 3, ..., k
• n : tamanho de cada amostra;

x
ij
: valor j da amostra i, onde j = 1, 2, 3, ..., n

136 Históricos
Configurar
Esta é a página principal do CEP e permite a configuração de suas propriedades
gerais. Nesta tela também encontramos botões para chamar as telas auxiliares do
CEP, que permitem visualizar gráficos e resultados da análise estatística.

Figura 94: Propriedades do CEP

Manual do Usuário

Históricos 137
Configuração das propriedades do CEP
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Pontos/Grupo
Define o número de itens para cada amostra
Tipo de dispersao
Define o método a ser usado: Sigma ou Range
Tag
Define qual o Tag do Histórico que será analisado
Limites de
Engenharia/!nferior
Define o limite inferior de Engenharia ou
Especificação do intervalo de tolerância para os dados
das amostras do CEP
Limites de
Engenharia/Superior
Define o limite superior de Engenharia ou
Especificação do intervalo de tolerância para os dados
das amostras do CEP

Após a alteração de algumas destas características, é necessário apertar o botão
Atualizar CEP para o sistema refazer os cálculos.
Cores das Penas
Esta página permite selecionar as cores para cada pena (tag) do Histórico e as
demais linhas de controle, que serão mostradas nos gráficos do CEP, a saber: média,
limite superior/inferior de controle, limite superior/inferior de engenharia, curva
normal e cor da barra.

Figura 95: Configurações das Cores das Penas

138 Históricos
Graficos de Médias
Esta página permite configurar a aparência do gráfico de médias do CEP. Seus
controles são descritos a seguir.

Figura 96: Configurações do Gráfico de Média
Opções para o eixo X (horizontal)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Limite esquerdo
Limite esquerdo do eixo X. Disponível se o gráfico é
do tipo XY.
Limite direito
Limite direito do eixo X. Disponível se o gráfico é do
tipo XY.
Exibir régua superior
Exibe uma régua para o eixo X na parte superior do
gráfico.
Exibir régua inferior
Exibe uma régua para o eixo X na parte inferior do
gráfico.

Manual do Usuário

Históricos 139
Opções para o eixo Y (vertical)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Limite superior
Limite superior do eixo Y.
Limite inferior
Limite inferior do eixo Y.
Exibir régua a esquerda
Exibe uma régua a esquerda do gráfico, com os
valores do eixo Y.
Exibir régua a direita
Exibe uma régua a direita do gráfico, com os valores
do eixo Y.
Opções comuns
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Ajuste automatico
Calcula automaticamente os limites para os eixos X
e/ou Y.
Grade Rolante
Faz com que a grade de fundo se movimente à
medida que os valores do gráfico são atualizados.
Texto
Permite acrescentar um título para as réguas.
Formato Data/Hora
Ajusta o formato de data e hora quando configurados
para o eixo.
Cores/Fundo da régua
Define a cor de fundo para as réguas.
Cores/Texto da régua
Define a cor para o texto que será mostrado nas
réguas.
Cores/Fundo do grafico
Define a cor de fundo para o gráfico.
Cores/Grades e eixos
Define a cor da grade e dos eixos do gráfico.
Grade/Linhas de X
Define o número de linhas horizontais da grade.
Grade/Linhas de Y
Define o número de linhas verticais da grade.
Fonte da régua
Define fonte, tamanho e cor para os caracteres do
gráfico.

Métodos de Cálculo
O gráfico da média é calculado da maneira seguinte. Para cada amostra i (1, 2, ..., k),
é calculada a média
x
i
:
x
i
=
1
n
( x
11
+ x
12
+ x
13
+ ... + x
1n
)
Uma linha central representada por
x
, é a média das médias de cada amostra. Você
pode obter o valor do desvio padrão das médias
σ
x
usando um de dois métodos:

140 Históricos
a) Método Sigma
Para cada amostra i ( i = 1, 2, ..., k ) calcula-se:
S
i
=
1 2
2 2
1
j
j
n
x
n
x
n −
|
\

|
.
|

=
¯
.

A seguir, calcula-se o desvio médio:
S =
( )
1
1 2
k
S S S
k
+ + + ...
Utiliza-se, para a estimativa do desvio padrão, um fator de correção, anotado por c
2
.
Esta constante varia conforme n e, como você pode ver na tabela do CEP, quando n
é maior que 25, c
2
= 1, o que significa que não há mais correção a fazer.
O desvio padrão será, então:
2
C
S
x
=
σ

Recomenda-se utilizar este método para amostras grandes, com n maior que 10.
Manual do Usuário

Históricos 141
b) Método Range
Para cada amostra i ( i = 1, 2, ..., k ), calcula-se:
( )
i
R X X
= −
max min

A seguir calcula-se a amplitude média:
( )
R
k
R R R
k
= + + +
1
1 2
...

Utiliza-se, para a estimativa do desvio padrão, um fator de correção, anotado por d
2
.
Esta constante varia conforme n e, como você pode ver na tabela do CEP, quanto
maior o valor de n maior a correção a ser aplicada. O desvio padrão será, então:
2
D
R
x
=
σ

Recomenda-se utilizar este método para amostras pequenas, com n menor ou igual a
10 (n<=10).
O gráfico terá, então, os seguintes pontos no eixo X.
XDB: Linha central =
x

LSC: Limite Superior de Controle
R X LSC
a
⋅ + =
2
;
LIC: Limite Inferior de Controle
R X LIC
a
⋅ − =
2
;
LSE: Limite Superior de Engenharia;
LIE: Limite Inferior de Engenharia;


142 Históricos
Grafico de Dispersáo
Esta página permite configurar a aparência do gráfico de dispersão do CEP. Ela tem
os mesmos controles e funcionamento do gráfico das Médias.
Métodos de cálculo
a) Método Sigma
A linha central do gráfico é representada por
S
e calculada como segue:
S =
( )
1
1 2
k
S S S
k
+ + + ...
Utiliza-se, para o cálculo dos limites de controle, duas constantes c
3
e c
4
(ver tabela
SPC). Desta forma calcula-se os limites:
LSC = S
( )
4
c

LIC = S
( )
3
c

Este gráfico é recomendado para amostras grandes com n maior que 10 (n>10);
b) Método Range
Da mesma forma que no gráfico anterior, a linha central do gráfico é representada
por
R
e calculada como segue:
( )
R
k
R R R
k
= + + +
1
1 2
...

Utiliza-se, para o cálculo dos limites de controle, duas constantes d
3
e d
4
(ver tabela
CEP). Desta forma calcula-se os limites:
LSC = R .
4
d

LIC = R .
3
d

Manual do Usuário

Históricos 143
Os valores para cálculo das linhas centras e limites de controle são definidos de
acordo com a tabela que segue:
Tabela CEP (valores para cálculo das linhas centrais e limites de controles)
N a
2

d
2
c
2
d
3
d
4
c
3
c
4

1 1,880 1,128 0,5642 0,000 3,267 0,000 3,267
2 1,023 1,693 0,7236 0,000 2,575 0,000 2,568
3 0,729 2,059 0,7979 0,000 2,282 0,000 2,266
4 0,577 2,326 0,8407 0,000 2,115 0,000 2,089
5 0,483 2,534 0,8686 0,000 2,004 0,030 1,970
6 0,419 2,704 0,8882 0,076 1,924 0,118 1,882
7 0,373 2,847 0,9027 0,136 1,864 0,185 1,815
8 0,337 2,970 0,9139 0,184 1,816 0,239 1,761
9 0,308 3,078 0,9227 0,223 1,777 0,284 1,716
10 0,285 3,173 0,9300 0,256 1,744 0,321 1,679
11 0,266 3,258 0,9359 0,284 1,716 0,354 1,646
12 0,249 3,336 0,9410 0,308 1,692 0,382 1,618
13 0,235 3,407 0,9453 0,329 1,671 0,406 1,594
14 0,223 3,472 0,9490 0,348 1,652 0,428 1,572
15 0,212 3,532 0,9523 0,364 1,636 0,448 1,552
16 0,203 3,588 0,9551 0,379 1,621 0,466 1,534
17 0,194 3,640 0,9576 0,392 1,608 0,482 1,518
18 0,187 3,689 0,9599 0,404 1,596 0,497 1,503
19 0,180 3,735 0,9619 0,414 1,586 0,510 1,490
20 0,173 3,778 0,9638 0,425 1,575 0,523 1,477
21 0,167 3,819 0,9655 0,434 1,566 0,534 1,466
22 0,162 3,858 0,9670 0,433 1,557 0,545 1,455
23 0,157 3,895 0,9684 0,452 1,548 0,555 1,445
24 0,153 3,931 0,9696 0,459 1,541 0,565 1,435


144 Históricos
Grafico de Histograma
O Gráfico de Histograma mostra um volume grande de dados de forma clara,
permitindo uma melhor visualização da tendência central, da dispersão ao longo da
escala de medição e da freqüência de valores.

Figura 97: Gráfico de Histograma
Na página Gráfico de Histograma podemos configurar a aparência deste tipo de
gráfico gerado a partir do CEP. Esta página tem os mesmos controles e
funcionamento do gráfico das médias. O Elipse SCADA gera o Gráfico de
Histograma baseado nos seguintes elementos:
Número de Barras
Total de itens Número de barras
20-50 6
51-100 7
101-200 8
201-500 9
501-1000 10
Mais de 1000 11-20
Intervalo de Barra (l)
A largura de cada barra é dada por um intervalo, determinado diminuindo-se o
menor item do maior e dividindo-se o resultado pelo número de barras. Elipse
SCADA define que item pertence a que barra e calcula a freqüência total f para cada
barra do gráfico. A distribuição normal também aparece no gráfico do Histograma e
é determinada pela seguinte fórmula:
Manual do Usuário

Históricos 145
( )
y
x
e
=
− −
1
2
2
2
2
σ π
σ
µ


onde:
µ
= média e
σ
= desvio padrão
A linha central da média, e os limites de controle (LSC e LIC) e engenharia (LSE e
LIE) também aparecem no gráfico.
Índices de capabilidade
Antes de descrever cada índice de capabilidade, as seguintes fórmulas devem ser
definidas:
Ponto médio = (LSE + LIE) / 2
Tolerância = LSE - LIE
CP - Capabilidade Inerente do Processo
CP =
Tolerancia


Se as amostras não estiverem no ponto médio elas tendem a zero.

VALOR DO CP DESCRIÇÃO
Maior que 1.33 Processo é capaz.
Entre 1.0 e 1.33 Processo é capaz, mas precisa ser monitorado
com CP próximo de 1.0.
Menor que 1.0 Processo não é capaz.

CR - Taxa de Capabilidade
É o inverso do CP.
CR =

Tolerancia

valores de CR menores que 0.75 indicam capabilidade.
K - média do processo versus média especificada
K é a comparação entre a média e o ponto médio, mostrando o quanto os dados estão
centralizados de acordo com a especificação.

146 Históricos
K =
( )
Media PtoMedio
Tolerancia

|
\

|
.
|
2

CPK - Capabilidade em relação a média especificada
CPK é a capabilidade do processo baseada no pior caso de dados. CPK é o menor
valor de:
( )
LSE Media −

ou
( )
Media LIE −


Um valor negativo do CPK indica que a média está fora dos limites de engenharia.
Um CPK igual a zero indica que a média é igual a um dos limites de engenharia. Um
CPK entre 0 e 1.0 significa que parte dos 6 limites sigma caem fora dos limites de
engenharia. Um CPK igual a 1 indica que um final dos 6 limites sigma cai em um
limite de engenharia. Um CPK maior que um significa que os 6 limites sigma caem
completamente dentro dos limites de engenharia.
Manual do Usuário

Históricos 147
Configurações
Esta página é a mesma existente na consulta do Histórico e permite a configuração
do arquivo de histórico que será usado pelo CEP.

Figura 98: Configurações


148 Históricos
Consulta
Esta página é a mesma existente na consulta do Histórico e permite definir um
intervalo de tempo para o arquivo de Histórico.

Figura 99: Configurações das Consultas


Relatórios 149

Relatórios permitem imprimir os dados de arquivos de Histórico ou de Alarmes ou
ainda valores de tags em tempo real.
Você pode definir um Relatório no Organizer durante a configuração da aplicação
ou em tempo de execução usando Funções Especiais através de Scripts.
Existem quatro tipos de Relatórios disponíveis:
• Texto: imprime os dados de arquivos de históricos ou de alarmes em formato
texto;
• Gráfico: imprime os dados de arquivos de históricos ou de alarmes de forma
gráfica;
• Formatado: usado para imprimir dados em tempo real, como por exemplo o
valor de um Tag em determinado momento;
• Análise Histórica: é um relatório em tela que possui dentro dele um relatório
gráfico.
Para criar ou editar um Relatório você precisa selecionar a opção Relatórios na
árvore da aplicação no Organizer, a página abaixo será mostrada contendo uma lista
de todos os Relatórios existentes na aplicação.

Figura 100: Tela de criação de relatórios
Você pode criar um novo Relatório usando o botão Novo à direita da página ou
remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão deletar. A
janela para escolha do tipo do Novo Relatório é mostrada a seguir:
Capitulo
10
10. Relatórios

150 Relatórios

Figura 101: Tela dos tipos de relatórios
Cada Relatório que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção Relatórios
(Reports) na árvore da aplicação no Organizer. Ao selecionar um Relatório
específico suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore.

Manual do Usuário

Relatórios 151
10.1. Propriedades Gerais
Para relatórios do tipo: Texto, Gráfico e Formatado
A página de propriedades Gerais dos Relatórios Texto, Gráfico e Formatado aparece
quando selecionada a aba Geral no topo das páginas do Relatório. Esta página é
mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 102: Propriedades gerais dos relatórios


152 Relatórios
Propriedades Gerais dos Relatórios
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do Relatório que será usado na árvore
do Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o Relatório.
!mprimir cabeçalho na
batelada
Habilita a impressão de uma página contendo dados
do cabeçalho da Batelada.
!mprime o titulo do
relatório
Somente disponível para Relatórios TEXTO e
GRÁFICO. Imprime como título o texto informado
no campo Descrição.
!mpressora
Permite escolher a definição de impressora para o
relatório. O botão mostra a caixa de diálogo de
Configuração de Impressora.
Editar!
Permite editar o desenho de um relatório
FORMATADO.
Fonte...
Define a fonte (tipo, cor e tamanho) a ser usada no
Relatório.
!mprimir
Imprime o Relatório.
!mpressora e Fonte Os botões Carregar e Salvar permitem carregar e
salvar configurações de impressora previamente
definidas e salvas no sistema.
10.2. Configurações
Para relatórios do tipo: Texto e Gráfico
Permite a especificação do arquivo a ser impresso: Histórico (extensão DAT),
Alarmes (extensão DAT) ou Batelada (extensão HDR). Se a opção Processo de
Batelada estiver marcada (ver Propriedades Gerais do Histórico) o quadro Batelada
nesta página estará disponível para a escolha da Batelada.
A página de Configurações dos Relatórios aparece quando selecionada a aba
Configurações no topo das páginas do Relatório Texto ou Gráfico. Esta página é
mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.
Manual do Usuário

Relatórios 153

Figura 103: Configurações do Relatório
Configurações dos Relatórios
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Arquivo fonte
Define o nome do arquivo fonte para o Relatório
(.DAT ou .HDR).
Localizar...
Permite localizar o arquivo fonte a ser usado pelo
Relatório.
Todas as bateladas
Seleciona todas as bateladas para serem impressas.
Esta opção está disponível somente para arquivos de
Histórico por batelada.
Ultima batelada
Seleciona a última batelada para ser impressa. Esta
opção está disponível somente para arquivos de
Histórico por batelada.
Batelada especifica
Seleciona uma batelada específica para ser impressa,
conforme o especificado nos campos Campo e valor.
Campo
Lista os campos disponíveis para seleção de uma
batelada específica. Somente campos tipo string serão
listados.
valor
Define o valor a ser buscado quando numa batelada
específica.


154 Relatórios
10.3. Consulta
Para relatórios do tipo: Texto e Gráfico
Permite definir um intervalo de tempo para selecionar os dados do arquivo a ser
impresso. A página de Consulta do Relatório aparece quando selecionada a aba
Consulta no topo das páginas dos Relatórios Texto ou Gráfico. Esta página é
mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 104: Propriedades das Consultas
Manual do Usuário

Relatórios 155
Propriedades das Consultas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Sem consulta por data
Não será usado filtro, ou seja, seleciona todos os
dados.
!ntervalo de tempo
Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo
especificado.
Dados mais recentes
Seleciona apenas os dados mais novos.
Data inicial
Determina a data inicial do intervalo de tempo.
Hora inicial
Determina o horário inicial do intervalo de tempo.
Data final
Determina a data final do intervalo de tempo.
Hora final
Determina o horário final do intervalo de tempo.
Ultimo
Número de unidades usadas para selecionar os dados
mais recentes.
Unidade
Define a unidade usada para selecionar os dados mais
recentes.
10.4. Banco de Dados
Relatório Texto
A página Banco de Dados do Relatório aparece quando selecionada a aba Banco de
Dados no topo das páginas do Relatório Texto.

Figura 105: Propriedades de Bancos de Dados em Relatórios

156 Relatórios
Propriedades do Banco de Dados
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Campos
Lista os campos disponíveis.
Para Cima
Move o campo selecionado uma posição para cima.
Para Baixo
Move o campo selecionado uma posição para baixo.
Atualizar Estrutura do
Arquivo
Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos
campos do Relatório. Quando é feita alguma
modificação na estrutura do arquivo usado pelo
Relatório este botão deve ser pressionado para
atualização dos campos.
Habilitado
Permite que o campo selecionado seja impresso.
Tamanho
Define o número de dígitos a serem mostrados
incluindo o ponto decimal.
Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Prefixo
Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.
Sufixo
Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.
Formato da Data
Define o formato do campo DataTime.
Etiqueta
Define um nome alternativo aos campos que serão
impressos no relatório.
Linhas
Define o número de linhas que o campo selecionado
irá ter no Relatório.

Manual do Usuário

Relatórios 157
10.5. Batelada
Relatório Texto
A página de Batelada do Relatório Texto aparece quando selecionada a aba
Batelada no topo das páginas do Relatório Texto. Esta página é mostrada abaixo e
seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 106: Propriedades de Bateladas em Relatórios


158 Relatórios
Propriedades de Bateladas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Campos
Lista os campos disponíveis.
Para cima
Move o campo selecionado uma posição para cima.
Para baixo
Move o campo selecionado uma posição para baixo.
Habilitado
Permite que o campo selecionado seja impresso.
Atualizar estrutura de
arquivo
Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos
campos do Relatório. Quando é feita alguma
modificação na estrutura do arquivo usado pelo
Relatório este botão deve ser pressionado para
atualização dos campos.
Tamanho
Define o número de dígitos a serem mostrados
incluindo o ponto decimal.
Precisao
Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.
Prefixo
Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.
Sufixo
Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.
Formato da Data
Define o formato do campo DataTime.
Etiqueta
Define um nome alternativo aos campos que serão
impressos no relatório.
Linhas
Define o número de linhas que o campo selecionado
irá ter no Relatório.

Manual do Usuário

Relatórios 159
10.6. Grafico
Relatório Gráfico
A página Gráfico do Relatório Gráfico aparece quando selecionada a aba Grafico no
topo das páginas do Relatório Gráfico. Esta página é mostrada abaixo e seus
respectivos campos são descritos na tabela que segue:

Figura 107: Propriedades do Gráfico

160 Relatórios
Propriedades do Gráfico (Eixo X e Eixo Y)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Escala
Define se a escala do gráfico será linear (escala normal)
ou logarítmica (fator de potência).
Limite esquerdo
Define o limite esquerdo do eixo X do gráfico. Esta
opção está disponível somente se o gráfico é do tipo XY.
Limite direito
Define o limite direito do eixo X do gráfico. Esta opção
está disponível somente se o gráfico é do tipo XY.
Exibir régua superior
Exibe uma régua superior no gráfico, onde são mostrados
os valores do eixo X.
Exibir régua inferior
Exibe uma régua inferior no gráfico, onde são mostrados
os valores do eixo X.
Limite superior
Define o limite superior do eixo Y do gráfico.
Limite inferior
Define o limite inferior do eixo Y do gráfico.
Exibir régua a
esquerda
Exibe uma régua a esquerda do gráfico, onde são
mostrados os valores do eixo Y.
Exibir régua a direita
Exibe uma régua a direita do gráfico, onde são mostrados
os valores do eixo Y.
Ajuste automatico
Calcula automaticamente os limites dos eixos X ou Y do
gráfico.
Grade rolante
Define que a grade de orientação do gráfico irá rolar na
direção em que o gráfico está sendo desenhado
acompanhando os valores, ao invés de ficar fixa no
objeto.
Texto
Legenda que irá aparecer ao lado da escala do eixo X e
eixo Y.
Formato Data/Hora
Define o formato da marcação de tempo que irá aparecer
no eixo X nos gráficos Tempo X Dado.
Propriedades do Gráfico (Cores e Grade)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Fundo da régua
Define a cor de fundo para as réguas do gráfico.
Texto da régua
Define a cor para o texto que será mostrado nas réguas.
Fundo do grafico
Define a cor de fundo para o gráfico.
Grades e eixos
Define a cor da grade e dos eixos do gráfico.
Grade
Mostra uma grade (linhas de orientação vertical e
horizontal) no gráfico.
Linhas de X
Define o número de linhas horizontais da grade.
Linhas de Y
Define o número de linhas verticais da grade.
Nostrar milisegundos
Mostra os milisegundos no eixo do gráfico que representa
o tempo.
Fonte da régua.
Define fonte, tamanho e cor para os caracteres do gráfico.
Manual do Usuário

Relatórios 161
10.7. Penas
Relatório Gráfico
A página Penas do Relatório Gráfico aparece quando selecionada a aba Penas no
topo das páginas do Relatório Gráfico. Esta página é mostrada abaixo e seus
respectivos controles e campos são descritos na tabela que segue.

Figura 108: Propriedades de Penas
Propriedades das Penas
OPÇÃO DESCRIÇÃO

Insere uma pena associada a um tag.

Insere uma pena associada a um campo do histórico (a opção Carrega
Dados do Histórico do Disco deve estar habilitada na aba Avançado).

Insere uma marca indicativa no gráfico.

Apaga uma pena ou uma marca selecionada na lista.

Define que o desenho da pena será do tipo Linha.

Define que o desenho da pena será do tipo Área.

Define que o desenho da pena será do tipo Barra.

Muda a ordem da pena selecionada.
Label
Essa coluna lista as penas selecionadas para o gráfico. Permite mudar o
texto da legenda e ativar/desativar cada pena.
Y Axis
Seleciona o tag a ser visualizado no eixo Y.
X Axis
Seleciona o tag a ser visualizado no eixo X.

Mostra o quadro Cores das Penas (ver seção a seguir).


162 Relatórios
Cores das Penas
O quadro Cores das Penas aparece quando clica-se no ícone ao lado das
penas do gráfico. Nesse quadro, podemos definir a cor, o formato e o tipo do gráfico
que será desenhado para a pena em questão: linha, área ou barra. O botão Outros...
permite a escolha de outras cores que não as listadas no quadro.

Figura 109: Configurações das Cores das Penas

Manual do Usuário

Relatórios 163
10.8. Relatório Formatado
O Relatório Formatado é usado quando se deseja imprimir dados em tempo real
como por exemplo o valor de um determinado tag em dado momento. Este relatório
pode ser editado usando-se objetos disponíveis em modo de edição.

Figura 110: Relatório Formatado
10.9. Relatório Analise Histórica
O Relatório Análise Histórica é um relatório em tela que cria um objeto Análise
Histórica, podendo também ser impresso. A configuração e as páginas de
propriedade deste Relatório são feitas em tempo de execução, de acordo com o que
já foi descrito nessa seção.
É possível configurar a janela da Análise Histórica e ativar ou desativar as páginas
de configuração nas propriedades gerais do objeto Análise Histórica no Organizer.


Drivers 165



O Elipse SCADA permite a comunicação com equipamentos de aquisição de dados
e com outros computadores executando o Elipse SCADA, através de drivers de E/S
ou drivers de rede fornecidos pela Elipse Software. Um documento é fornecido com
cada driver contendo informações importantes a respeito de sua configuração.
Para instalar ou configurar um driver você precisa selecionar a página de drivers em
um tag PLC ou Bloco associado ou acessar o objeto Drivers no Organizer. Nesse
caso, a página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos os drivers
instalados na aplicação. Você pode instalar um novo driver pressionando o botão
Novo ou remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão
Deletar.

Figura 111: Drivers do Sistema
Capitulo
11
11. Drivers

166 Drivers
11.1. Configurando Drivers
Cada novo driver que você adiciona na aplicação, aparece abaixo da opção Drivers
na árvore da aplicação no Organizer. Ao selecionar um driver específico, suas
propriedades são mostradas ao lado direito da árvore.
A página de Configuração do Driver aparece quando selecionada a respectiva aba no
topo das páginas de configuração do driver ou quando você pressiona o botão
Configurar. à direita da lista de Drivers.
11.1.1. Drivers PLC
Para os Drivers PLC, você pode configurar os parâmetros de comunicação “P” e
outras propriedades do driver de acordo com as informações contidas no arquivo de
ajuda que acompanha o driver. A opção Abortar em erro encerra a comunicação
caso ocorra algum problema, impedindo que a aplicação fique “travada”.

Figura 112: Configuração do driver
Manual do Usuário

Drivers 167
Propriedades de Configuração de Drivers
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do objeto.
Descriçao
Mostra informações do driver, como fabricante,
versão e data.
Localizaçao do Driver
Mostra o caminho do arquivo do driver.
Parametros
Permite a configuração dos parâmetros de
comunicação “P” para o driver selecionado,
conforme especificado na ajuda do driver.
Abortar em erro
Aborta a comunicação se algum problema ocorrer.
Esconder mouse durante
a comunicaçao
Esconde o cursor do mouse durante a comunicação.
Retentar comunicaçoes
falhadas
Define que o sistema irá tentar reestabelecer uma
comunicação perdida com o driver.
No. de tentativas
Define o número de tentativas de reestabelecer a
comunicação com o driver.
Localizar
Permite navegar pelos diretórios para localizar o
arquivo do driver.
Recarregar
Recarrega o driver, reestabelecendo a conexão.
Ajuda
Mostra a ajuda do driver selecionado.
Avançado
Abre uma janela para configuração das opções
avançadas do driver.
Extras
Abre uma janela paea configuração dos parâmetros
extras do driver.


168 Drivers
Propriedades de Configuração de Drivers (Avançado)
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nanter comportamento
16-bits
Se ligado desabilita a multitarefa, fazendo com que o
driver 32-bits rode como na versão 16-bits. Essa
opção é necessária para alguns drivers mais antigos.
Escrever em background
Controla como as escritas serão efetuadas no driver.
Algumas escritas geradas pelo Elipse SCADA podem
ser efetuadas em background (segundo plano),
aumentando a performance. Se esta opção estiver
desabilitada todas as escritas serão em foreground
(primeiro plano), forçando a aplicação a esperar a
comunicação com o driver para continuar sua
execução.
Prioridade de escrita
Permite escolher se a prioridade das escritas será
maior (High) ou igual (Low) à prioridade das leituras.
!niciar o driver ao rodar a
aplicaçao
Permite desabilitar o início automático do driver. Por
exemplo: em um driver dial-up, muitas vezes é
interessante esperar um comando para iniciar a
comunicação.
Nanter o driver em
memória
Muitos drivers têm um tempo de carregamento e
início muito lento. Essa opção mantém o driver em
memória, minimizando o tempo de início e
agilizando a comunicação.

O botão Extras... chama configurações especiais dos drivers. Essas configurações
variam de driver para driver. Consulte o arquivo de ajuda que acompanha o driver
para obter maiores informações.

Manual do Usuário

Drivers 169
11.1.2. Drivers de Rede

Figura 113: Configurações Comuns para Drivers de Rede

170 Drivers
Configurações Comuns para Drivers de Rede
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do objeto.
Descriçao
Breve descrição do objeto.
Nome do driver
Nome do driver, definido pelo fabricante.
Localizaçao do driver
Permite navegar nos diretórios para indicar o arquivo
do driver.
Configuraçao corrente
Mostra a configuração corrente do driver de rede.
Localizar...
Permite navegar pelos diretórios para localizar o
arquivo do driver.
Recarregar
Recarrega o driver, reestabelecendo a conexão.
Ajuda
Mostra a ajuda do driver selecionado.
Configurar...
Abre a janela de configuração do driver. Esta janela
varia conforme o driver selecionado. Consulte a
documentação do driver para obter mais informações
!nicia driver quando
carregar a aplicaçao
Ativa o driver no início da execução da aplicação.
T1, T2, PS, BR
Estes parâmetros governam o funcionamento do
protocolo de troca de mensagens entre diversas
instâncias do Elipse SCADA. O protocolo é full-
duplex e permite que cada estação envie até 16
mensagens sem confirmação (janela de mensagens).
O tamanho da mensagem em bytes é definido no
campo PS (Packet Size).
O pacote de dados é dividido entre a troca de dados
de tags e arquivos remotos, e o envio de dados para
transmissão de vídeo em tempo real para o Elipse
Watcher. O campo BR (Band Reserve) determina o
percentual destes pacotes que está reservado para a
troca de dados. O restante pode ser utilizado pelo
Watcher. Se não houverem dados de vídeo, o pacote
inteiro é utilizado para dados de tags, e vice-versa.
O campo T1 determina o tempo de envio do
keepalive (em milisegundos), isto é, uma mensagem
que informa que o Elipse ainda está ativo. Esta
mensagem só é enviada se a estação não estiver
enviando dados no momento.
O campo T2 indica o timeout (tempo-limite), em
milisegundos, para o reenvio de mensagens
não-reconhecidas. Se uma mensagem não foi
reconhecida como recebida, ela é reenviada após este
tempo expirar. Se o envio de uma mensagem falhar
dez vezes, a conexão é abortada.

Manual do Usuário

Drivers 171
11.2. 8cripts de Drivers
Scripts do drivers normalmente estão associados ao status da comunicação. Isto
significa, na prática, que um script pode ser executado quando um erro de
comunicação ocorrer. Maiores detalhes a respeito do uso de scripts veja no capítulo
específico.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a drivers executando-os em uma das situações a seguir:
OnCommError
Executado cada vez que um erro de leitura ou escrita ocorrer no
driver.
11.3. Lista de Tags Associados
A página Lista de Tags mostra os tags PLC e Bloco que estão associados ao driver
em questão, permitindo a edição dos parâmetros de endereçamento e varredura
diretamente na lista, num processo semelhante a uma planilha eletrônica.

Figura 114: Cabeçalho da Lista de tags associados
Opções disponíveis na Lista de tags associados
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Nome do Tag
N1/B1 - N+/B+
Parâmetros de endereçamento do tag .
Scan
Tempo de atualização (leitura) do valor do tag.
Size
Mostra o tamanho de um tag Bloco (não disponível
para tags PLC).
Exportar Tags...
Permite criar um arquivo no formato CSV com a
definição dos parâmetros dos tags listados. Este
arquivo pode ser importado no Elipse E3 ou qualquer
outro software compatível (como por exemplo, o
Microsoft Excel).


Database 173

A opção Databases permite criar e manipular bancos de dados dentro do Elipse
SCADA. Este objeto utiliza o padrão ODBC do Windows que efetua a manipulação
do banco de dados enviando e recebendo dados. Open Database Connectivity
(ODBC) é uma interface criada pela Microsoft que oferece uma interface universal
para acesso a diferentes bancos de dados incluindo Oracle, Access, MySQL,
Interbase entre outros.
Você pode definir um Banco de Dados no Organizer durante a configuração da
aplicação ou em tempo de execução através de Scripts. Para utilizar um banco de
dados no Elipse SCADA você precisa selecionar a opção Databases na árvore da
aplicação no Organizer. A página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos
os Databases existentes na aplicação.

Figura 115: Database
Propriedades do Database
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Lista
Lista os databases existentes na aplicação.
Novo Chama o Assistente de Nova Conexao que permite acrescentar
uma conexão ODBC para um banco de dados.
Deletar
Remove da lista o database selecionado.
Avançado
Permite a consulta e edição do string de conexão ODBC.

Você pode conectar o Elipse SCADA a um banco de dados usando o Assistente de
Nova Conexao ao pressionar o botão Novo à direita da página. Uma janela será
mostrada perguntando se você deseja criar uma conexão com uma tabela já existente
Capitulo
12
12. Database

174 Database
ou criar uma nova tabela. A seguir uma lista contendo as conexões (Data Sources)
existentes será mostrada, se desejar uma nova clique no botão Novo e escolha o
driver ODBC que você deseja usar: MS Access, MS Fox Pro, MS Excel, CA-
Clipper, dBase, Oracle e outros. Selecionado o driver, clique OK e configure as
opções do mesmo, entre elas: Nome da Conexão (Data Source Name) e o arquivo ou
diretório que contém os dados. Se você estiver criando uma nova tabela uma janela
será apresentada para que você informe o Nome da Tabela, seus respectivos campos
e o tipo de dados de cada um.
O Elipse SCADA irá mostrar na árvore do Organizer a nova tabela e seus
respectivos campos, que poderão ser modificados usando as funções especiais do
ODBC nos Scripts. Você pode remover um banco de dados existente selecionando-o
na lista e pressionando o botão Deletar. Para uma melhor compreensão da
conectividade do ODBC veja a figura a seguir:

Figura 116: Exemplo de conectividade ODBC
Manual do Usuário

Drivers 175
Exemplo usando Database
O exemplo a seguir mostra uma conexão do Elipse SCADA com um banco de dados
Access.
No Access crie um banco de dados contendo uma ou mais tabelas. Ex:
arquivo SUPPORT.NDB com a tabela Nain Table.
Feche o banco de dados (SUPPORT.NDB).
No Elipse SCADA selecione a opção Databases na árvore do Organizer.
Pressione o botão Novo e o Assistente de Nova Conexão será mostrado
para que você escolha fazer uma conexão com uma tabela já existente ou
criar uma nova tabela. Selecione a conexão com uma tabela já existente.

Figura 117: Assistente de Nova Conexão de Banco de Dados
Selecione a aba Nachine Data Source e uma lista com as conexões (Data
Source Name) disponíveis será mostrada. Se você desejar alguma não
disponível na lista pressione o botão Novo e escolha o Driver ODBC que
deseja usar. Neste exemplo você deve escolher o banco de dados
Microsoft Access e clicar OK.

176 Database

Figura 118: Bases de dados ODBC
A janela Criar nova Database será mostrada para que voce indique o tipo
da fonte de dados. Selecione Sistema Database e clique Next.
Na janela seguinte escolha o Driver ODBC que deseja usar. Neste exemplo
você deve escolher o banco de dados Microsoft Access e clicar Next;
Aparecerá a janela de Configuração do Driver onde você deve informar o
nome da conexão (Data Source Name) e pressionando o botão Select
escolher o arquivo que você criou (SUPPORT.NDB);
A próxima janela permite a seleção das tabelas do banco de dados que
serão utilizadas. Selecione a tabela Nain Table;
Agora os títulos das tabelas selecionadas aparecem abaixo da opção
Databases na árvore da aplicação e seus respectivos campos aparecem
abaixo do título.
Feito isso, os campos do Banco de Dados podem ser associados aos
Objetos de Tela, bem como a Tags (variáveis do sistema). A manipulação
dos registros do Banco de Dados é feita através de Funções Especiais que
podem ser encontradas usando-se o App Browser quando em uma página
de Scripts (ver Capítulo de Scripts - Funções Especiais - Funções de
Bancos de Dados).


Usuários 177

Elipse SCADA permite a você controlar o acesso a uma aplicação através de uma
lista de nomes, podendo atribuir uma senha a cada usuário e configurar níveis de
segurança no seu sistema.
O usuário “Administrador” possui acesso ilimitado ao sistema. Os demais usuários
possuem um nível de segurança associado que permite a eles acessarem apenas as
características atribuídas ao seu nível de acesso.
Você pode criar uma lista de usuários selecionando a opção Usuários na árvore da
aplicação no Organizer, a página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos
os usuários cadastrados na aplicação.

Figura 119: Lista de usuários
Opções disponíveis na Lista de usuários
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Lista
Lista de todos os usuários cadastrados.
Novo
Adiciona um novo usuário na lista de usuários.
Deletar
Remove o usuário selecionado.
Propriedades
Mostra as propriedades do usuário selecionado.

Você pode adicionar um novo usuário usando o botão Novo à direita da página ou
remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão Deletar.
Ao adicionar um novo usuário no sistema ele irá aparecer na árvore do Organizer
logo abaixo de Usuários. Selecione o novo usuário na árvore e a janela a seguir irá
aparecer, onde deverão ser informados o login e a senha do usuário.
Capitulo
13
13. Usuarios

178 Usuários

Figura 120: Propriedades do Usuário
Propriedades do Usuário
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome do usuário.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o usuário.
Login
String de identificação do usuário.
Senha
Campo para cadastrar a senha do usuário.
Nivel de Acesso
Define o nível de acesso do usuário (de 1 a 100). A
maior prioridade é o número 1.

Feito isto, você deve definir o nível de acesso para cada tela da aplicação conforme a
tabela a seguir:
NÍVEL ACESSO
0
livre acesso para todos
1
super usuário
maior que 1
outros usuários

Um usuário pode acessar somente as telas que possuem prioridade zero ou maior
igual a sua. Como padrão, todas as telas possuem nível de acesso 0 (livre acesso).

Manual do Usuário

Usuários 179
13.1. Funções e Atributos
As funções a seguir são específicas para o login:
Aplicação.Login(}
Chama uma caixa de diálogo para a identificação de um novo usuário. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o usuário foi identificado com sucesso (foi
“logado”) ou falso (zero) se não foi. Em caso de erro, nenhuma mensagem será
mostrada. A função atualiza o atributo global lastError, colocando 0 (zero) se o
login for cancelado pelo usuário ou 1 (um) se o usuário ou a senha for inválida.
Aplicação.Logout(}
Retira um usuário logado da aplicação. Fecha todas as telas que possuem prioridade
diferente de zero.
Aplicação.UserAdministration(}
Esta função mostra uma de duas caixas de diálogo conforme o nível de acesso do
usuário:
• Se User-level = 1 (administrador), ele poderá criar, modificar e remover os
atributos de todos os usuários, inclusive trocar a senha.
• Se User-level > 1, ele somente poderá trocar a sua senha.
Quando você pressionar OK na caixa de diálogo a mensagem “Senha Trocada”
deverá aparecer. Se aparecer a mensagem “Nova senha não confirma”, você
provavelmente reescreveu uma senha diferente da sua nova.
A aplicação possui os seguintes atributos para as funções de login:

ATRIBUTO DESCRIÇÃO
UserName
Nome do usuário logado na aplicação (vazio, quando
não há usuários logados).
UserAccessLevel
Nível do usuário logado na aplicação (100, quando
não há usuários logados).


180 Usuários
13.2. 8cripts de Login
É possível associar scripts a eventos gerados pelo login de usuários.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a dois eventos de login da aplicação:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnUserLogin
executado quando um usuário é logado na aplicação
OnUserLogout
executado quando um usuário sai da aplicação

Observações:
• Não é permitido mais de um usuário logado ao mesmo tempo na aplicação.
• Quando um usuário loga na aplicação, os dois scripts são executados:
OnUserLogout (se já existe um usuário logado) e OnUserLogin;
• Quando a aplicação termina é executado um Logout;
• Você não pode acessar ou modificar qualquer propriedade de usuários (nome,
descrição etc.) em tempo de execução. Propriedades de usuários não podem ser
associadas a nenhum objeto de tela e não podem ser usadas em scripts.



Aplicações Remotas 181



As Aplicações Remotas são usadas quando se deseja conectar dois ou mais Elipse
SCADA que estejam ligados via rede, modem ou cabo serial. Para usar esta
característica, você deve definir uma estação Servidora e outra Cliente e adicionar o
driver de rede que deseja usar em ambas.
Você pode adicionar um driver de rede às suas aplicações Servidora e Cliente
selecionando a opção Drivers na árvore da aplicação no Organizer e pressionando o
botão Novo à direita da lista de drivers de rede. Cada novo driver que você adiciona
na aplicação, aparece abaixo da opção Drivers e ao selecionar um Driver específico,
suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. Pressione o botão
Configurar. para abrir a janela de configuração do driver de rede, que varia
conforme o driver selecionado. (Ver o capítulo sobre drivers).
Na aplicação Cliente, depois de adicionar o driver de rede, você precisa criar uma
Aplicação Remota e configurar seus parâmetros.
Para criar ou editar uma Aplicação Remota, você precisa selecionar a opção
Aplicaçoes Remotas na árvore da aplicação no Organizer. A página abaixo será
mostrada contendo uma lista de todas as Aplicações Remotas existentes na
aplicação. Você pode criar uma nova Aplicação Remota usando o botão Novo à
direita da página ou remover uma existente selecionando-a na lista e pressionando o
botão Deletar.

Figura 121: Aplicações Remotas
Capitulo
14
14. Aplicações Remotas

182 Aplicações Remotas
Propriedades da Lista de Aplicação Remota
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Lista
Mostra uma lista de todas as Aplicações Remotas existentes na sua
aplicação, elas aparecem na árvore do Organizer logo abaixo da
opção Remote Applications e quando selecionadas permitem a
edição de suas propriedades.
Novo
Cria uma nova Aplicação Remota.
Deletar
Remove da lista a Aplicação Remota selecionada.

Depois de adicionar uma Aplicação Remota, você precisa configurar os parâmetros
do Servidor conforme o driver selecionado. Para isso, pressione o botão
Configurar… na página de Propriedades Gerais da Aplicação Remota (veja a
próxima seção).
Manual do Usuário

Aplicações Remotas 183
14.1. Propriedades Gerais
Cada Aplicação Remota que você cria para a aplicação, aparece abaixo da opção
Aplicaçoes Remotas na árvore da aplicação no Organizer. Ao selecionar uma
Aplicação Remota específica, suas propriedades são mostradas ao lado direito da
árvore.
A página de propriedades Gerais da Aplicação Remota aparece quando selecionada
a aba Geral no topo das páginas da Aplicação Remota. Esta página é mostrada
abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Figura 122: Propriedades Gerais

184 Aplicações Remotas
Propriedades Gerais de Aplicações Remotas
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Define o nome da Aplicação Remota que será usada
na árvore do Organizer e nos Scripts.
Descriçao
Uma breve descrição sobre a Aplicação Remota.
Driver de rede
Permite a seleção de um Driver de Rede para a
Aplicação Remota corrente. Os drivers devem ser
instalados na opção Drivers da árvore da aplicação a
fim de que estejam disponíveis.
Configuraçao de rede
Mostra a configuração de rede usada pelo driver
selecionado, por exemplo: porta remota, endereço de
rede remoto, endereço do nodo remoto. Nenhuma
edição é permitida neste campo.
Conectar com o servidor
ao rodar a aplicaçao
Habilita a conexão com a Aplicação Remota
(Servidor) no início da execução da aplicação no
Elipse.
Ajuda
Mostra a Ajuda do Driver selecionado.
Configuraçao.
Abre uma janela que permite configurar, os
parâmetros da Aplicação Servidora (remota), por
exemplo, quando usando um driver MIRROR/SPX:
- Porta Servidora: define a porta de comunicação do
servidor (de 1 a 32767)
- Endereço da Rede: define o endereço de rede do
Servidor (8 caracteres hexa)
- Endereço do Nodo: define o endereço do nodo
Servidor (12 caracteres hexa)
Novo Tag Remoto!
Cria um novo Tag Remoto que aparece abaixo da
Aplicação Remota na árvore do Organizer. Cada Tag
Remoto criado na aplicação Cliente está associado a
um Tag na aplicação Servidora (remota).
Novo arquivo Remoto!
Cria um novo Arquivo Remoto que aparece abaixo
da Aplicação Remota na árvore do Organizer. O
Arquivo Remoto é usado para obter um arquivo da
aplicação Servidora, o que deve ser feito usando-se as
funções dos Arquivos Remotos.
Novo Grupo
Cria um novo grupo de Tags Remotos que aparece
abaixo da Aplicação Remota ou de um outro grupo
deTags Remotos, na árvore do Organizer.

Manual do Usuário

Aplicações Remotas 185
14.2. 8cripts de Aplicações Remotas
Scripts de Aplicações Remotas geralmente estão associados a uma conexão remota.
Isto significa, por exemplo, que eles podem ser executados ao iniciar ou terminar
uma conexão.
Os Scripts disponíveis para as Aplicações Remotas são descritos na tabela abaixo.
Maiores detalhes a respeito do uso de Scripts, veja no capítulo específico.
Scripts Disponíveis
Você pode associar scripts a Aplicações Remotas executando-os na situação a seguir:
EVENTOS DESCRIÇÃO
OnDisconnect
Executa o Script ao terminar a conexão.



Elipse Web 187

O módulo adicional Elipse Web permite disponibilizar as telas da aplicação na web
através de um Servidor Web qualquer como por exemplo o PSW (Personal Web
Server) ou o IIS (Internet Information Services) do Windows. O Servidor Web
precisa ser instalado na máquina onde está rodando a aplicação Elipse, e esta deve
possuir um IP fixo caso se queira acessar a aplicação pela Internet.
Para configurar o Elipse Web, siga os seguintes procedimentos:
Verifique se seu computador possui um Servidor Web (PWS ou IIS). Em
caso negativo, instale-o.
O Elipse Web é um módulo adicional, portanto verifique se o hardkey
possui este módulo.
No Elipse SCADA, acesse o Organizer e no item Aplicação, clique na aba
Web.
Habilite o item “Habilitar servidor de dados para web”, conforme a figura
abaixo:

Figura 123: Aba Web
Clique no botão Localizar e especifique o diretório padrão do Servidor
Web. No caso do PWS ou IIS, o diretório padrão é C:\Inetpub\wwwroot.
Capitulo
15
15. Elipse Web

188 Elipse Web
Clique no botão OK.
No item Porta, especifique a porta TCP/IP a ser utilizada.
Feitas estas configurações, copie os arquivos “Applet.cab” e “Applet.zip”
da pasta C:\...\Elipse SCADA\Applet\ para a pasta padrão do Servidor
Web.
Em cada Tela que você deseja visualizar pela web, é necessário habilitar a
criação da página htm. Para tanto, acesse as propriedades da Tela e clique
na aba Web, conforme figura abaixo:

Figura 124: Aba Web acessada através das propriedades da Tela
Habilite a opção Criar Página Web e especifique o nome da página html
a ser criada. Estas páginas serão criadas no diretório padrão do Servidor
Web.
Para visualizar a aplicação, basta digitar na barra de endereços do browser
o endereço do servidor e o nome do htm configurado
(Ex: http://NomedoServidor/Screen1.htm).
Observações:
- O Elipse Web permite apenas a supervisão da aplicação. Não é possível controlar,
enviar dados ou interagir com a aplicação.
- Será acessível somente a Tela que estiver ativa na aplicação.


Watcher 189

O Elipse Watcher é um plug-in do Elipse SCADA que oferece captura,
armazenamento e transmissão digital de imagens. Com ele, é possível visualizar
imagens dentro de uma aplicação e trabalhar com elas como for desejado.
Cada placa de aquisição ligada ao Elipse SCADA é representada por um objeto do
Watcher. Para acrescentar um equipamento, basta acrescentar um objeto
correspondente na lista de objetos.
É possível configurar os parâmetros de cada um dos objetos independentemente.
Estes objetos são posteriormente ligados a um objeto de tela (Preview, AVI ou
Video) para sua utilização dentro da aplicação ou ligados a um objeto AVI
Recorder, que permite a geração de um arquivo .AVI. O Elipse Watcher possui
drivers para uma variedade de equipamentos do mercado. Consulte nosso
departamento técnico para verificar a compatibilidade do seu com o Elipse SCADA.

Figura 125: Watcher
Capitulo
16
16. Watcher

190 Watcher
16.1. Objetos do Watcher
Cada objeto do Watcher representa um dispositivo ou placa de aquisição conectado
no sistema. Os objetos de captura de vídeo são ligados a "câmeras" (listadas na aba
Cameras do Watcher), que representam a entrada de vídeo do objeto em questão.
Quando configuramos objetos de tela para a apresentação de vídeo, temos que
indicar a qual câmera o objeto estará ligado, isto é, qual entrada de vídeo ele irá
receber.

Figura 126: Tipos de objetos do Watcher
Manual do Usuário

Watcher 191
AV¡ Player
O objeto Av! Player permite a reprodução de um arquivo .Av! no sistema. Este
objeto do Watcher é normalmente associado a um objeto de tela Av!.

Figura 127: Propriedades do AVI Player
Propriedades do AVI Player
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Arquivo Av!
Determina o caminho do arquivo AVI.
Localizar
Permite navegar pelo disco para indicar o arquivo
AVI de origem.


192 Watcher
AV¡ Recorder
O objeto Av! Recorder permite a gravação de uma entrada de vídeo (uma placa de
aquisição, por exemplo) em um arquivo formato .Av!.

Figura 128: Propriedades do AVI Recorder
Propriedades do AVI Recorder
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Arquivo Av!
Determina a localização e o nome do arquivo AVI a
ser gerado.
Localizar
Permite navegar pelo disco para indicar o arquivo
AVI de destino.
Fonte de video
Origem do vídeo a ser gravado.
Compressao
Determina como será feita a compressão do AVI,
permitindo a escolha do compressor, qualidade e
outras configurações.
Ouadros por segundo
Determina a taxa de atualização com a qual será feita
a gravação.

Manual do Usuário

Watcher 193
Frame grabber 8611
Através desta opção, é possível configurar as especificações referentes a interface
com placa de aquisição (frame-grabber) S611 da Sensoray.

Figura 129: Propriedades da interface com a placa S611

194 Watcher
Propriedades da interface com a placa S611
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Entrada
Determina o tipo de entrada do video: S-Video,
Video 1, Video 2, Video 3 ou Video 4.
Tamanho da imagem
Determina o tamanho da imagem: Tamanho integral,
3/4 do tamanho, 1/2 do tamanho, 1/4 do tamanho ou
Avançado (determinando largura e altura).
Largura
Determina a largura da imagem. Esta opção só é
válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem
estiver habilitado.
Altura
Determina a altura da imagem. Esta opção só é válida
se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver
habilitado.
Placa #
Determina as especificações da placa.
Formato de Cor
Determina o formato da cor do video: (RGB 24 bits
ou Mono 8 bits)
Entrelaçado
Habilita a opção entrelaçado no sistema.
Formato do Sinal
Determina o formato do sinal do video: NTSC,
NTSC Japão, PAL, PAL-M, PAL-N.
Ouadros por segundo
Determina quantos quadros por segundo serão
gravados no objeto.

Manual do Usuário

Watcher 195
Frame grabber 8613
Através desta opção, é possível configurar as especificações referentes a interface
com placa de aquisição S613 da Sensoray.

Figura 130: Propriedades da interface com a placa S613

196 Watcher
Propriedades da interface com a placa S613
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Entrada
Determina o tipo de entrada do video: S-Video,
Video 1 ou Video 2.
Tamanho da imagem
Determina o tamanho da imagem: Tamanho integral,
3/4 do tamanho, 1/2 do tamanho, 1/4 do tamanho ou
Avançado (determinando largura e altura).
Largura
Determina a largura da imagem. Esta opção só é
válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem
estiver habilitado.
Altura
Determina a altura da imagem. Esta opção só é válida
se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver
habilitado.
Placa #
Determina as especificações da placa.
Formato de Cor
Determina o formato da cor do video: (RGB 24 bits
ou Mono 8 bits)
Entrelaçado
Habilita a opção entrelaçado no sistema.
Formato do Sinal
Determina o formato do sinal do video: NTSC,
NTSC Japão, PAL, PAL-M, PAL-N.
Ouadros por segundo
Determina quantos quadros por segundo serão
gravados no objeto.
Compressao da imagem
Determina como a imagem será comprimida: Sem
compressão ou compressão M JPEG.
Fator
Determina o fator do MJPEG (Esta opção só é
habilitada, se for selecionada o ítem MJPEG na opção
acima).

Manual do Usuário

Watcher 197
Dispositivos com 8uporte a Video for Windows
Através de esta opção, é possível configurar as especificações referentes a entrada de
video através de dispositivos com suporte ao padrão Video for Windows.

Figura 131: Propriedades do Dispositivo com Suporte a Video for Windows
Propriedades do Dispositivo com Suporte a Video for Windows
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Dispositivo de video
Determina a o dispositivo de video habilitado no
sistema.
Compressao de video
Habilita a compressão do video
visualizaçao de video
Habilita a visualização do video
Formato de video
Habilita a configuração do formato do video
Fonte de video
Determina as especificações referentes a fonte do
video.


198 Watcher
Placa de captura Xpress Plus
Através desta opção, é possível configurar as especificações referentes à placa de
captura XPressPlus da IntegralTech. Esta placa permite o controle de até 32
câmeras, que podem ser configuradas separadamente.

Figura 132: Propriedades da Plca a de captura Xpress Plus
Propriedades da Plca a de captura Xpress Plus
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Numero de
Especifica o número de câmeras que serão inseridas
pelo botão !nserir Cameras. Permite criar objetos
que representarão as câmeras conectadas à placa.
!nserir Cameras
Insere o número de objetos "Camera" especificado
em Numero de. A placa XPressPlus tem um limite
de 32. As excedentes serão ignoradas.
Arquivo
Nome do arquivo (com o caminho completo) onde o
vídeo será gravado.
Formato do Sinal
Formato do sinal que está sendo recebido.
Numero da Placa
Número de identificação da placa.

Manual do Usuário

Watcher 199
Câmeras
Com a placa XPressPlus é possível gerenciar e ajustar opções de todas as câmeras
conectadas, individualmente. As configurações são feitas através de um objeto
Camera, que representa a câmera em questão. Estes objetos são criados através do
botão !nserir Cameras, mostrado no item anterior. Cada câmera tem três conjuntos
de opções, a saber: Geral, Opções de Gravação e Máscara.
a) Propriedades Gerais

Figura 133: Propriedades gerais de câmeras Xpress Plus
Propriedades gerais de câmeras Xpress Plus
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Camera
Determina a câmera em foco.
Brilho
Determina o brilho da imagem da câmera.
Saturaçao
Determina a saturação da imagem da câmera.
Contraste
Determina o contraste da imagem da câmera.
Hue
Determina o Hue da imagem da câmera.
Foco
Determina o foco da imagem da câmera.


200 Watcher
b) Opções de Gravação
Através deste item é possível ajustar as opções de gravação da placa de captura.

Figura 134: Propriedades das Opções de Gravação
Manual do Usuário

Watcher 201
Propriedades das Opções de Gravação
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Opçoes de gravaçao
Configura as opções de gravação da câmera:
- Habilitar gravaçao: habilita a gravação na câmera
selecionada.
- Habilitar seqüência: habilita a gravação em
sequência na câmera.
- Detecçao de movimento: habilita a gravação na
câmera a cada detecção de movimento.
- Sem gatilho de prioridade: habilita a gravação
sem gatilho de prioridade.
- Gravaçao por Gatilho: habilita a gravação por
gatilho.
Area
Determina a área de gravação da câmera.
Sensitividade
Determina a sensitividade da gravação da câmera.
Campo/ciclo
Determina o campo/ciclo da gravação da câmera.
Tam.quadro
Determina o tamanho do quadro de gravação da
câmera.
OPS
Determina o QPS da gravação da câmera.
Opçoes de gatilho
Determina as opções de gatilho da gravação da
câmera.

c) Máscara
Definir uma máscara é indicar áreas de sensibilidade, isto é, detecção de movimento
de cada entrada de vídeo. As áreas em vermelho representam os lugares não-
sensíveis. As áreas em verde-claro, as áreas sensíveis.



Steeplechase 203



O objeto Steeplechase configura as especificações referentes ao Steeplechase, que
é um SoftPLC ao qual o Elipse SCADA dá suporte. Através deste objeto, é possível
a comunicação com este dispositivo.
Através de suas propriedades, é possível configurar o caminho pelo qual o sistema
buscará as informações no servidor local ou da rede. Após configuradas as
especificações, o sistema verifica a autorização da licença e ativa ou não a
comunicação. Somente em algumas versões do Elipse SCADA esta opção é
disponível.
As propriedades para esta opção são os seguintes:

Figura 135: Steeplechase

Capitulo
17
17. 8teeplechase

204 Steeplechase
Propriedades do Steeplechase
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Scan
Determina o valor do scan.
!mportar Tags
Permite importar tags.
Wizard
Abre um wizard de configuração para o steeplechase.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o objeto.
Nome do Servidor
Determina o nome do servidor do steeplechase.
Status
Determina o status do objeto.
Status do vLC
Determina o status do VLC (Virtual Logic
Controler).
Projeto do vLC
Determina o projeto do VLC (Virtual Logic
Controler).
versao
Determina a versão do objeto.



OPC Server 205

O objeto OPCServer é um cliente OPC (OLE for Process Control) que possibilita a
comunicação com um determinado equipamento ou dispositivo, utilizando o
protocolo OPC. O objeto OPCServer é a representação de um servidor OPC DA
(Data Access) dentro do Elipse SCADA, o que permite o envio e recebimento de
dados de tempo real (tags).

Figura 136: Objetos OPCServer no Organizer
Capitulo
18
18. OPC 8erver

206 OPC Server
18.1. Propriedades Gerais do OPC 8erver

Figura 137: Propriedades Gerais do OPC Server
Manual do Usuário

OPC Server 207
Propriedades Gerais do OPC Server
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do objeto.
Nanter conexao ativa
Quando habilitado, a conexão com o servidor é
estabelecida uma vez e mantida até o encerramento
da aplicação. Quando desabilitado, o Elipse SCADA
irá estabelecer conexões com o servidor OPC toda
vez que precisar solicitar um dado.
Descriçao
Uma breve descrição sobre o objeto.
Nome do Servidor
Determina qual o servidor OPC ao qual o objeto irá
se conectar.
versao
Informa a versão do servidor OPC.
!nformaçoes do fabricante
Apresenta as informações sobre o servidor OPC,
registradas pelo fabricante.
verificar servidor OPC a
cada ... segundos
Habilita a verificação do servidor OPC no período
(em segundos) determinado no campo.
Recuperar conexoes
perdidas a cada ...
segundos
Habilita a recuperação de conexões perdidas no
período (em segundos) determinado no campo. Obs.:
só é válida se a opção acima de verificação estiver
habilitada.
Habilita/Leituras de Fundo
Habilita a leitura dos tags em segundo plano. É o
modo mais eficiente de leitura, com um mínimo de
comunicação entre o Elipse SCADA e o servidor
OPC. Os dados só são atualizados quando ocorrerem
variações significativas (ver banda morta).
Scan
Indica o tempo da atualização dos tags em segundo
plano. Este valor poderá ser aproximado pelo
servidor, de acordo com suas características internas.
Um valor zero (0) requisita ao servidor um tempo de
atualização menor possível.
Banda Norta
Percentual que especifica a faixa de variação
considerada não-significativa. Isto é, variações dentro
desse percentual não são notificadas pelo servidor ao
sistema. Um valor zero (0) por exemplo, mandaria
qualquer variação. Obs.: a utilização dessa
característica depende diretamente do servidor OPC
utilizado. Consulte a documentação do servidor.
!mportar
Permite a importação de tags ou grupos de tags
definidos no servidor OPC. Obs.: este recurso pode
não estar disponível no servidor OPC.
Log
Permite habilitar o registro (log) do servidor e definir
o nome e caminho do arquivo de log.
Novo Grupo
Cria um novo grupo no Driver. Um grupo permite ter
uma organização hierárquica dos tags do servidor
OPC.

208 OPC Server
18.2. Tags OPC
Os tags OPC permitem a troca de informações com servidores OPC. Através deles, é
possível enviar e receber dados ao servidor OPC.

Figura 138: Propriedades de tags OPC
Manual do Usuário

OPC Server 209
Propriedades de Tags OPC
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Determina o nome do tag OPC.
Descriçao
Breve descrição sobre o tag.
Nome Real
Identificador do tag dentro do servidor OPC
(caminho).
Nodo de Leitura
Especifica o modo de leitura dos tags no servidor
OPC.
Síncrono - faz a solicitação de leitura do tag e
aguarda o retorno do servidor.
Fundo (ou Segundo Plano) - os dados só são
atualizados quando ocorrerem variações
significativas (fora da Banda Morta). Veja as
propriedades do servidor OPC.
Ler do (a)
Define qual a origem dos dados lidos do servidor
OPC.
Dispositivo - força a leitura o dado diretamente do
dispositivo conectado ao servidor.
Cache - solicita o valor armazenado no cache do
servidor.
Escala
Marcando esta opção, os valores do Tag serão
convertidos para uma nova escala de valores,
determinada pelo usuário conforme os limites
definidos em OPC Inferior, OPC Superior, Sist.
Inferior e Sist. Superior.
OPC !nferior
Define o valor mínimo a ser lido do servidor OPC.
Sistema !nferior
Define o novo valor mínimo para a conversão dos
valores lidos.
OPC Superior
Define o valor máximo a ser lido do servidor
OPC.
Sistema Superior
Define o novo valor máximo para a conversão dos
valores lidos.
Scan
Determina o valor do Scan.
Testar conexao aqui
Permite que você teste a configuração do
Tag,OPC, tanto para escrita quanto para leitura.
Uma mensagem pode indicar um erro de conexão
ou o valor recebido pelo item configurado.
Habilita a leitura pelo scan
Habilita a leitura periódica do tag OPC. O período
é definido no campo Scan.
Habilita a escrita automatica
Habilita escrita automática para o tag OPC.
Novo Elemento da Natriz!
Acrescenta elementos a um tag OPC tratado como
uma matriz (array). Permite a leitura de variáveis
definidas como matrizes no servidor.


210 OPC Server
Pagina de alarmes

Figura 139: Página de alarmes
Manual do Usuário

OPC Server 211
Propriedades da Página de Alarmes
OPÇÃO DESCRIÇÃO
LoLo
Alarme Baixo Crítico. Define um intervalo de valores
(menor igual) onde o Tag OPC é considerado em um
estado de Alarme Baixo Crítico. É usado quando o
valor do Tag OPC está abaixo de um mínimo, ou
seja, extremamente baixo.
Low
Alarme Baixo. Define um intervalo de valores
(menor igual) onde o Tag OPC é considerado em
estado de alarme baixo. É usado quando o valor do
Tag OPC está abaixo do normal.
High
Alarme Alto. Define um intervalo de valores (maior
igual) onde o Tag OPC é considerado em estado de
Alarme Alto. É usado quando o valor do Tag OPC
está mais alto do que o normal.
HiHi
Alarme Alto Crítico. Define um intervalo de valores
(maior igual) onde o Tag OPC é considerado em
estado de Alarme Alto Crítico. É usado quando o
valor do Tag OPC é está acima de um máximo, ou
seja, extremamente alto.
valor
Define os limites para cada situação possível de
alarme (lolo, low, hi, hihi).
Pri
Define a prioridade para cada situação de alarme.
Números pequenos indicam alta prioridade (a
prioridade deve ser um número entre 0 e 999). Para
um melhor controle os alarmes de maior prioridade
irão aparecer em primeiro plano na janela de alarmes
(objeto de tela Alarme).
Comentarios
Um comentário ou mensagem pode ser definido para
cada alarme.
Logar mensagens de
retorno
Habilita o registro (log) das mensagens de retorno de
alarme.
Grupo de Alarmes
Define o grupo de Alarmes do tag corrente. O grupo
de Alarmes deve ser definido na opção Alarmes do
Organizer.
Nanter o valor do tag
sempre atualizado
Define que o sistema irá supervisionar o Tag OPC
constantemente, mesmo que ele não esteja sendo
utilizado em nenhum lugar da aplicação, a fim de não
perder nenhum alarme deste tag.
Usa outro nome de tag
Permite definir um nome alternativo para o tag.
Ativar alarme após espera
de
Ativa o alarme após o tempo (em milissegundos)
determinado.


212 OPC Server
18.3. Grupo OPC
Os grupos OPC permitem uma organização visual dos tags OPC, facilitando sua
manipulação. Em muitos casos, estes grupos são criados automaticamente durante a
importação de tags do servidor, refletindo a estrutura hierárquica do próprio.

Figura 140: Propriedades de Grupos OPC
Propriedades do Grupo OPC
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome
Especifica o nome do objeto.
Descriçao
Uma breve descrição do objeto.
Novo Grupo
Insere um novo Grupo OPC no objeto OPCServer.
!mportar
Permite importar tags ou grupos de tags definidos no servidor
OPC para o Grupo OPC em questão.

Manual do Usuário

OPC Server 213
Quando é acionado o botão Importar tags, a janela abaixo é mostrada. A partir daí,
basta arrastar o tag desejado para o grupo selecionado.

Figura 141: Assistente de importação


Scripts 215



Os Scripts são pequenos procedimentos escritos em linguagem de programação
própria – Elipse Basic – que permitem uma maior flexibilidade na sua aplicação. O
scripts são sempre associados a eventos, isto é, eles são iniciados no momento da
ocorrência deste evento.
19.1. Considerações Gerais
Em qualquer linguagem de programação, é necessária a criação de métodos, de
modo a especificar e ordenar a execução das instruções desejadas. A própria
estrutura dos scripts do Elipse SCADA já organiza de certa maneira esta ordem, pois
são orientados a eventos.
Os eventos são ocorrências relacionadas a um objeto, que podem ser tratadas de
modo a se realizar uma ação específica. Eles podem ser físicos, como por exemplo,
alguma ação no teclado ou no mouse. Em cada caso, temos diversas informações
relevantes como a tecla pressionada ou a posição do cursor e o status dos botões. Os
eventos podem ser internos, como a mudança do valor de uma variável. Estes
eventos podem também ter associações físicas, como a mudança de uma temperatura
de uma câmara de 10 para 11 graus quando temos um tag que recebe os valores
dessa temperatura. O Elipse SCADA já tem diversos eventos pré-definidos
disponíveis para a ligação ou associação de scripts. Exemplos de alguns desses
eventos são listados a seguir.
Capitulo
19
19. 8cripts

216 Scripts
Eventos comuns em aplicações no ElipseSCADA
OPÇÃO DESCRIÇÃO
OnKeyPress
Quando uma tecla é pressionada
OnKeyRelease
Quando uma tecla é liberada
OnSetFocus
Quando um objeto recebe o foco de edição
OnLButtonDown
Quando o botão esquerdo é pressionado sobre um objeto
OnPress
Quando um objeto botão é pressionado
OnRelease
Quando um objeto botão é liberado
WhileRunning
Enquanto uma aplicação está executando
OnAlarm
Quando ocorre qualquer tipo de alarme

A linguagem utilizada nos módulos de script, o Elipse Basic, é bastante similar às
linguagens C, porém com recursos de programação visuais como os encontrados no
Visual Basic. Algumas características da linguagem:
• Não é necessário a declaração de variáveis ou funções no início do Script. As
variáveis devem ser tags, objetos ou atributos previamente criadas ou importadas
de outras aplicações. O Elipse SCADA já possui algumas variáveis de sistema
pré-definidas.
• O tipo de dado que se atribui a um tag é livre. O valor suportado pode ser desde
um inteiro de 8 bits até um tipo real de 64 bits ou ainda um string (texto). Em
comunicação de dados com equipamentos externos, a conversão é feita
automaticamente, de acordo com os tipos suportados pelo equipamento. No caso
de propriedades, um ícone ao lado de cada uma (visualizado através do
AppBrowser) indica o tipo de dado suportado:

Atributo numérico (número inteiro)

Atributo numérico (número real)

Atributo string (texto)

Atributo booleano (0 ou 1)

As variáveis e constantes são os objetos básicos manipulados num Script. Os
operadores especificam o que será realizado com os mesmos. As expressões
combinam variáveis e constantes para produzir novos valores. Para facilitar a edição
de scripts ou de tags expressão, podem ser usadas as ferramentas AppBrowser e
Referência Cruzada.
Manual do Usuário

Scripts 217
19.2. AppBrowser e Referència Cruzada
O AppBrowser permite navegar facilmente pela aplicação. Quando você seleciona
um objeto na árvore ao lado esquerdo da janela, seus atributos e funções
correspondentes são listados à direita.
Você pode usar o AppBrowser como referência durante a edição de um script. Uma
característica bastante útil é a possibilidade de selecionar um objeto, atributo ou
função que você deseja utilizar e copiar diretamente para o script pressionando o
botão Copia no Script ->.
A ferramenta Referência Cruzada possui a mesma estrutura do AppBrowser com a
diferença que quando você seleciona um objeto na árvore ao lado esquerdo da
janela, suas respectivas referências é que são listadas à direita. Dê um duplo-clique
sobre uma referência para ir ao objeto referido.

Figura 142: AppBrowser
Opções disponíveis no App Browser
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Seleçao
Mostra o nome do objeto, atributo e função selecionado, da mesma
forma que será copiado para o script.
Objetos
Lista dos objetos em ordem hierárquica.
!nfo
Mostra uma descrição do item selecionado.
Propriedades
Lista dos atributos e funções do objeto selecionado.
Exibir
Permite filtrar a informação (atributos ou funções) listada na janela
de propriedades.
Copia no Script
Copia a referência do atributo ou função selecionado para o script.

218 Scripts
19.3. Operadores e Constantes
Listamos as constantes (com suas notações) e operadores que podem ser utilizados
nos scripts.
Constantes
TIPOS EXEMPLO
Inteiros (32 bits, dec) 1234, 1234d, -993
Inteiros (32 bits, bin) 11001110b (não permite sinal)
Inteiros (32 bits, octal) 7733o (não permite sinal)
Inteiros (32 bits, hex) 0A100h, 3B8h (não permite sinal)
(se o primeiro dígito é A-F, coloque um zero na
frente)
Números reais (64 bits) 133.443, 344.939 (não tem notação científica)
Strings "Temperatura", "pressão"
Operadores Aritméticos
OPERADOR EXEMPLO
+ (adição) tag001 + 34
+ (concatenação de strings) slider1.Frame.title + "<- PLC1"
- (subtração) tag001 - screen1.x
* (multiplicação) screen1.width * 3.141592
/ (divisão) tag001 / tag002
¾ (resto da divisão) tag001 % tag002
** (exponenciação) tag001 ** 2 (tag001 ao quadrado)
Operadores lógicos
OPERADOR EXEMPLO
8 (E bit-a-bit) flags & 0F000h
] (OU bit-a-bit) flags | 0F000h
' (OU exclusivo bit-a-bit) flags ^ 0F000h
~ (NÃO bit-a-bit) ~flags
<< (SHIFT à esquerda) flags << 2
(desloca o valor de “flags” dois bits para a esquerda)
>> (SHIFT à direita) flags >> 2
(desloca o valor de “flags” dois bits para a direita)
AND (E lógico) tagOnOff AND (tag001 > 200)
OR (OU lógico) tagOnOff OR (tag001 > 200)
XOR (OU exclusivo) tagOnOff XOR (tag001 > 200)
NOT (negação) NOT tagOnOff
Manual do Usuário

Scripts 219
Precedència de operadores {ordem de execuçáo}
A tabela abaixo lista as regras para precedência e associação de todos os operadores.
+ - ~ NOT (operadores unários)
**
/ ¾
+ -
>> <<
>= < <=
== <>
8
'
AND, XOR e OR
= += -= *= /= ¾= 8= ]= '= **= <<= >>=
19.4. Controle de Fluxo
A fim de controlar a ordem na qual as instruções são processados o Elipse Basic
disponibiliza uma série de comandos para fazer desvios e condições. Estes
comandos são tratados a seguir.
19.4.1. Comando ¡f...Else...Else¡f...End¡f
Permite a tomada de decisões durante a execução de um script.
Sintaxe:

220 Scripts
If <condição1>
<bloco de instruções 1>
Else
<bloco de instruções n>
EndIf

If <condição1>
<bloco de instruções 1>
ElseIf <condição2>
<bloco de instruções 2>
Else
<bloco de instruções n>
EndIf
As condições especificadas são expressões que podem ser avaliadas como
verdadeiras (diferente de zero) ou falsas (zero ou string vazio ""). Se a condição for
verdadeira o bloco de instruções é executado até o comando EndIf.
Quando este comando é executado, a condição do If (condição1) é avaliada
primeiro, caso verdadeira o bloco de instruções 1 é executado encerrando o comando
com o EndIf. Se a condição1 for falsa a condição do ElseIf (condição2) é avaliada e
o bloco de instruções 2 é executado caso esta seja verdadeira. Se for falsa a próxima
condição ElseIf será avaliada e assim por diante. Se nenhuma condição ElseIf for
verdadeira o bloco de instruções do Else será executado. O programa continua sua
execução com o comando após o EndIf.
Blocos de instruções ElseIf e Else são opcionais. Você pode especificar tantas
cláusulas ElseIf desejar, entretanto elas nunca poderão estar após uma cláusula Else.
Qualquer bloco de instruções pode conter comandos If…EndIf aninhados.
19.4.2. Comando For...Next
Repete um bloco de instruções um determinado número de vezes. A esta repetição
damos o nome de “Laço” ou “Loop”.
Sintaxe:
For <contador> = <início> To <fim>
<bloco de instruções>
Next
19.4.3. Comando While...Wend
Executa um bloco de instruções enquanto uma determinada condição é verdadeira.
Sintaxe:
Manual do Usuário

Scripts 221
While <condição>
<bloco de instruções>
Wend
A condiçao especificada é uma expressão que pode ser avaliada como verdadeira
(diferente de zero) ou falsa (zero ou string vazio ""). Se a condição for verdadeira o
bloco de instruçoes é executado até a instrução Wend, quando, então, a condição é
avaliada novamente. O bloco de instruçoes será repetido até que a condição seja
falsa, quando o comando depois da instrução Wend será executado. Laços
While...Wend podem ser aninhados.
19.4.4. Comando Repeat...Until
Executa um bloco de instruções até que determinada condição seja verdadeira.
Sintaxe:
Repeat
<bloco de instruções>
Until <condição>
A condiçao especificada é uma expressão que pode ser avaliada como verdadeira
(diferente de zero) ou falsa (zero ou string vazio ""). O bloco de instruçoes é
executado e após a condição é avaliada. Se for falsa, o bloco de instruçoes é
repetido e a condição é avaliada novamente. O bloco de instruçoes será repetido
até que a condição seja verdadeira, quando então, o comando depois da instrução
Until será executado. Laços Repeat...Until podem ser aninhados.
19.5. Funções especiais
O Elipse SCADA possui uma série de funções especiais pré-definidas que auxiliam
na edição de scripts, facilitando a execução de tarefas mais complexas e permitindo
uma melhor configuração do seu sistema.
Através da ferramenta AppBrowser podemos ver as diversas funções especiais
disponíveis para cada objeto durante a edição de scripts.
Destacamos o objeto Gerenciador Global, que traz funções de utilidade geral, como
funções de datas e do relógio de tempo-real, manipulação de strings e conversões
numéricas, arquivos, multimídia e outras.
Além deste, temos diversos outros objetos que possuem funções específicas
relacionadas: Aplicação, Tags, Telas, Objetos de Tela, Alarmes, Receitas,
Históricos, Relatórios, Consulta, Plotagem, Drivers, Databases e Aplicações
Remotas.
Este capítulo apresenta a lista completa de todas as funções disponíveis no Elipse
SCADA, divididas por objeto, em ordem alfabética. Cada entrada indica o protótipo

222 Scripts
da função com seus parâmetros entre parênteses. Os parâmetros entre colchetes são
opcionais. Seguindo a entrada da função, há a explicação de que ela faz e os seus
parâmetros.
19.5.1. Funções do Gerenciador Global
Abs (x}
Retorna o valor absoluto de X.
Exemplo:
tag001 = Abs(-5.14) // Retorna 5.14
ACos (x}
Retorna arco cosseno (ângulo) do valor x no intervalo [0, π] radianos.
O parâmetro x deve estar contido no intervalo [-1, 1], caso contrário a função retorna
zero.
Asc (string}
Retorna o código ASCII para o primeiro caractere de string.
Exemplo:
tag001 = Asc("screw") // Retorna 115
ASin (x}
Retorna arco seno (ângulo) do valor x no intervalo [-π/2, π/2] radianos. O parâmetro
x deve estar contido no intervalo [-1, 1], caso contrário a função retorna zero.
ATan(x}
Retorna arco tangente (ângulo) do valor x no intervalo [-π/2, π/2] radianos. O
parâmetro x deve estar contido no intervalo [-1, 1], caso contrário a função retorna
zero.
Blue(Cor}
Retorna o valor do componente azul de Cor.
Ver função Red().
CaptureAppScreen ([nomedoarquivo|,[nomedatela|,[tipo|}
Captura a tela especificada no parâmetro nomedatela e salva-a em um arquivo de
formato BMP com nome especificado em nomedoarquivo. Se o parâmetro
nomedoarquivo a for em branco (" "), a captura é colocada na área de
transferência.
Manual do Usuário

Scripts 223
O parâmetro tipo determina como a tela será capturada: se o parâmetro for 0, toda a
tela é capturada, inclusive a barra de tarefas do Windows; se for 1 (ou qualquer valor
diferente de 0), apenas a área que abrange os objetos da tela é capturada (o tamanho
fica sendo o contorno ao redor de todos os objetos de tela).
Exemplo:
IF CaptureAppScreen("tela.bmp", "Tela1",1)
MessageBox("Tela1 capturada no arquivo tela.bmp")
ELSE
MessageBox("Erro capturando a tela!")
ENDIF
IF CaptureAppScreen("", "Tela1",1)
MessageBox("Tela1 capturada para a área de transferência")
ELSE
MessageBox("Erro capturando a tela!")
ENDIF
CaptureScreen([nomeArquivo|}
Captura a toda a tela do sistema colocando-a na área de transferência (se nenhum
arquivo for especificado no parâmetro nomeArquivo) ou em um arquivo com nome
nomeArquivo, no formato BMP.
Exemplo:
IF CaptureScreen("tela.bmp")
MessageBox("Tela capturada no arquivo tela.bmp")
ELSE
MessageBox("Erro capturando a tela!")
ENDIF
Chr(n}
Retorna o caractere representado pelo código ASCII especificado.
Exemplo:
tag001 = Chr(115) // retorna "s"
CopyFile (arqFonte, arqDestino}
Copia os conteúdos do arquivo arqFonte para o arqDestino. A função retorna 1
(um) se foi bem sucedida e 0 (zero) caso contrário. Os atributos globais lastError e
lastErrorStr são atualizados por essa função.
Exemplo:

224 Scripts
IF CopyFile("source.dat", "dest.dat")
MessageBox ("A cópia foi bem sucedida.")
ELSE
MessageBox("Erro no comando CopyFile!")
ENDIF
CopyObject (strSrcName, strDestName [, strDestFolder|}
Cria uma cópia do objeto strSrcName com o nome strDestName. O novo objeto é
criado na mesma pasta do objeto-fonte como padrão, a não ser que o destino seja
indicado no parâmetro opcional strDestFolder. A função retorna True se for bem
sucedida ou False caso contrário.
Exemplo:
// Cria uma cópia do objeto Display1 na pasta
// Screens.Screen1; o novo objeto será chamado Display2
CopyObject ("Screens.Screen1.Display1", "Display2")

// Cria uma cópia de Display1 na pasta Screens.Screen1
// o novo objeto será chamado Display2 e será colocado
// na pasta Screens.Screen2
CopyObject ("Screens.Screen1.Display1",
"Display2", "Screens.Screen2")
Cos (angle}
Retorna o cosseno do ângulo especificado. O ângulo angle é expresso em radianos.
CreateDir (dir}
Cria um novo diretório, especificado no parâmetro dir. Retorna TRUE se for bem
sucedida ou FALSE se falhar. Os atributos globais lastError e lastErrorStr são
atualizados por essa função.
CreateFile (nomeArquivo, string}
Cria um arquivo chamado nomeArquivo, escreve o texto string no arquivo e fecha
o arquivo. Se o arquivo já existir, ele é destruído e substituído pelo novo conteúdo.
Retorna FALSE em erro ou TRUE caso contrário.
DDEExecute (servidor, tópico, comando}
Envia um comando DDE para outra aplicação. O parâmetro servidor é o nome do
servidor DDE, normalmente o nome de uma aplicação, o parâmetro topico é um
documento aberto na aplicação e o parâmetro comando é o comando que você quer
executar.
Exemplo:
Manual do Usuário

Scripts 225
DDEExecute("Excel", "Sheet1", '[SELECT("R1C1:R5C1")]')
DDEExecute("Excel", "Sheet1",
"[PRINT(1;;;1;FALSE;FALSE;1;FALSE;1;360;360)]")
O primeiro exemplo seleciona a região a ser impressa, o segundo executa o comando
de impressão. O primeiro parâmetro é sempre o nome da aplicação. O segundo
parâmetro é a planilha ou documento que você quer acessar, incluindo o caminho e a
extensão do arquivo. O terceiro parâmetro é o comando.
Deg (angle}
Retorna o ângulo angle, expresso em graus, convertido para radianos, segundo a
fórmula degrees = (radians / 3.141592) * 180.
Exemplo:
tag001 = Deg(ACos(x)) // Arcosseno de x expresso em graus
DeleteFile (arquivo}
Apaga o arquivo especificado no parâmetro arquivo. Retorna TRUE se for bem
sucedida ou FALSE se falhar. Os atributos globais lastError e lastErrorStr são
atualizados por essa função.
DeleteObject (strNomeObjeto}
Apaga o objeto strNomeObjeto da aplicação.
EditProperties (}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Gerenciador Global.
Execute (CmdLinha}
Executa o programa especificado no parâmetro CmdLinha. Se o programa não está
localizado no diretório do \WINDOWS ou \WINDOWS\SYSTEM, você deve
especificar a localização do arquivo. Parâmetros do programa também podem ser
incluídos na linha de comando CmdLinha.
Exemplo:
Execute("C:\WINDOWS\WINCALC.EXE")
Execute("C:\UTIL\PKZIP.EXE DATA C:\DATA\*.*")
Exp(x}
Retorna a função exponencial de x.
Exemplo:

226 Scripts
tag001 = Exp(2.302585093) // retorna 10.0
FileSelectWindow([filepath|[, extension|[,type|}
Mostra uma janela para a seleção de um arquivo. Retorna um string contendo o
nome do arquivo selecionado ou um string vazio, se falhar ou for cancelado pelo
usuário. O parâmetro filepath especifica o arquivo ou diretório que estará
previamente marcado. O parâmetro extension especifica os tipos de arquivos que
poderão ser selecionados. Sua sintaxe é:
filterName1 | mask1 | … filterNameN | maskN
Cada filtro é uma seqüência de dois strings separados por um ‘|’. O primeiro string é
o nome do filtro que será mostrado na caixa combo e o segundo string é a máscara
de seleção de arquivos (*.dat, por exemplo). A máscara pode conter uma seqüência
de máscaras, separadas por ponto-e-vírgula (por exemplo, *.bmp;*.jpg;*.gif). Os
filtros devem estar separados por ‘|’.
Exemplo:
str = FileSelectWindow ("c:\Dados###BOT_TEXT###quot;,
"Arquivos de dados (*.dat)|*.dat|Todos os arquivos|*.*")
str = FileSelectWindow("c:\Imagens###BOT_TEXT###quot;,
"Arquivos de imagens|*.bmp;*.gif;*.jpg")

O parâmetro type é um inteiro que especifica a maneira que o arquivo será
selecionado, de acordo com a tabela:

VALOR DESCRIÇÃO
0
Abre uma janela de seleção de arquivo; não permite que o usuário
digite nada, só escolher os arquivos existentes.
1
Permite o usuário criar um novo arquivo, digitando o nome do
arquivo a ser criado.
2
Permite o usuário digitar o nome do arquivo desejado e retorna o
caminho (path) completo; não cria o arquivo.
FillString (string, nCount}
Retorna um string contendo o parâmetro string tantas vezes quantas especificadas
em nCount.
Exemplo:
// retorna "PasswordPassword" em String
String = FillString("Password", 2)
FindFirstFile (nome, atributos}
Procura pelo primeiro arquivo a partir de um determinado padrão de nome e
atributos específicos, retornando o nome do arquivo encontrado. O atributo nome
determina o padrão de arquivo a ser procurado (por exemplo: "\DATA\*.DAT") e o
Manual do Usuário

Scripts 227
parâmetro atributos determina a soma dos atributos desejados no arquivo, segundo
a tabela:
VALOR ATRIBUTO
0
Normal, sem atributos
1
Somente leitura (read only)
2
Oculto (hidden)
+
Arquivo de sistema (system)
16
Diretório (directory)
32
Arquivo-morto (archive)
Por exemplo, para colocar o atributo System (arquivo do sistema) e Hidden
(oculto), deve atribuir o numeral 6, isto é: system (4) + hidden (2) = 4+2 = 6.
A função retorna o nome do primeiro arquivo que satisfaz os parâmetros ou vazio
("") caso nenhum arquivo seja encontrado. Após chamar FindFirstFile() a função
FindNextFile() pode ser chamada para encontrar outros arquivos que satisfaçam
essas condições.
FindNextFile(}
Procura pelo próximo arquivo que obedece os parâmetros especificados na função
FindFirstFile(). Retorna o nome do arquivo que satisfaz os parâmetros, ou vazio ("")
caso nenhum arquivo seja encontrado.
Exemplo:
// Este exemplo faz uma cópia de segurança de todos os
// arquivos *.DAT no diretório C:\DADOS que tenham o
// atributo arquivo-morto (archive) para C:\BACKUP
DIM strFile
strFile = FindFirstFile ("C:\Dados\*.dat",32)
WHILE strFile<>""
CopyFile ("C:\Data\”+strFile,“C:\Backup\”+strFile)
strFile = FindNextFile()
WEND
FolderSelectWindow ([filepath|}
Abre uma janela para seleção de um diretório (pasta), retornando um string com o
nome do diretório selecionado ou um string vazio, se for cancelada. O parâmetro
filepath especifica o diretório inicial a ser selecionado. Se não for especificado, a
seleção é o diretório-raiz do drive corrente.
Exemplo:
strFile = FolderSelectWindow ("C:\Dados")

228 Scripts
Format (strFormato, valor}
Retorna um valor no formato data/hora de acordo com a string strFormato. A string
valor especifica um formato data/hora (ex: "dd/mm/yy hh:mm:ss”) e a data/hora e
retorna a função GetTime().
As opções para esta função são as seguintes:
Formatos Data/Hora para a função Format
FORMATO SIGNIFICADO
w
Dia da semana (Dom – Sab)
W
Dia da semana (DOM – SAB)
ww
Dia da semana (Domingo – Sábado)
WW
Dia da semana (DOMINGO – SÁBADO)
d
Dia (1 – 31)
dd
Dia (01 – 31)
m
Mês (1 – 12)
mm
Mês (01 – 12)
mmm
Mês (Jan – Dez)
NNN
Mês (JAN – DEZ)
mmmm
Mês (Janeiro – Dezembro)
NNNN
Mês (JANEIRO – DEZEMBRO)
mmmmm
Mês (j – d)
NNNNN
Mês (J – D)
yy
Ano (00 – 99)
YY
Ano (1970 – 9999)
h
Hora (0 – 23)
hh
Hora (00 – 23)
m
Minuto (0 – 59) (deve estar acompanhando horas ou seguido de
segundos)
mm
Minuto (00 – 59) (deve estar acompanhando horas ou seguido de
segundos)
s
Segundo (0 – 59)
ss
Segundo (00 – 59)
AN/PN Hora no formato 12 horas, mostra AN (manhã) e PN (tarde).
am/pm Hora no formato 12 horas, mostra am e pm.
A/P Hora no formato 12 horas, mostra A e P.
a/p Hora no formato 12 horas, mostra a e p.
0
Décimos de segundo (deve ser precedido de segundos)

Manual do Usuário

Scripts 229
00
Centésimos de segundo (deve ser precedido de segundos)
000
Milésimos de segundo (deve ser precedido de segundos)
]
Nova linha (CR + LF)

Exemplo:
DIM date = GetTime()
// Retorna "November 21, 2000"
str = Format("mmmm d, yyyy",date)
// Retorna "11:41:32.612"
str = Format("hh:mm:ss.000",date)
GetAbsoluteFilename (arquivo}
Retorna o nome completo do arquivo.
Exemplo:
// Retorna "C:\WINDOWS\SYSTEM\VGA.DRV"
strArquivo = GetAbsoluteFilename("VGA.DRV")
GetAppDir (}
Retorna o diretório da aplicação.
GetCurDir (}
Retorna o diretório corrente.
GetDay (time}
Obtém o dia a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:
day = GetDay(GetTime())
// Exemplo abaixo retorna 30
day = GetDay(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
GetDayOfWeek (dataHora}
Obtém o dia da semana a partir de um valor de tempo absoluto (1 para domingo, 2
para segunda, …, 7 para sábado).
Exemplo:
day = GetDayOfWeek(GetTime())
// Exemplo abaixo retorna 5
day = GetDayOfWeek(MakeTime(30,10,1997,17,25,56))

230 Scripts
GetDayOfYear (dataHora}
Obtém o dia do ano a partir de um valor de tempo absoluto em dias (1 para 1o. de
jan, 2 para 2 de jan, …, 32 para 1o. de fev, 33 para 2 de fev, …).
Exemplo:
day = GetDayOfYear(GetTime())
day = GetDayOfYear(MakeTime(9,2,1997,17,25,56))
// retorna 40
GetDispFreeSpace (strDiretório}
Retorna o número total de Kbytes disponíveis no caminho strDiretório especificado.
GetFileAttributes (arquivo}
Retorna a soma dos atributos do arquivo através do parâmetro arquivo, de acordo
com a seguinte tabela:

VALOR ATRIBUTO
-1 Erro
0 Normal
1 Somente Leitura (Read Only)
2 Oculto (Hidden)
4 Sistema (System)
8 Volume
16 Diretório (Directory)
32 Arquivo-morto (Archive)
GetFileCreationTime (arquivo}
Retorna a hora em que o arquivo foi criado, através fo parâmetro arquivo.
GetFileLastAccessTime (arquivo}
Retorna a hora em que o arquivo foi acessado pela última vez, através do parâmetro
arquivo.
GetFileLastModifiedTime (arquivo}
Retorna a hora da última modificação no arquivo através do parâmetro arquivo.
GetFileSize (arquivo}
Retorna o tamanho do arquivo em bytes, através do parâmetro arquivo.
GetHaspVar (strNomeVar}
Lê o valor de uma variável interna armazenada em uma chave de hardware (Hasp).
Esta variável só pode ser programada pela Elipse Software no Hasp. A função
Manual do Usuário

Scripts 231
retorna uma string contendo o valor da variável ou em vazio ("") se ocorrer algum
erro ou a variável não existir.
Exemplo:
tagSerialNo = GetHaspVar("SerialNo")
GetHour (time}
Obtém a hora a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:
hour = GetHour(GetTime())
hour = GetHour(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
// Retorna 17
GetLastError (}
Retorna o código de erro da última operação no arquivo (o mesmo valor do atributo
global lastError).
GetMinute (time}
Obtém os minutos a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:
minute = GetMinute(GetTime())
minute = GetMinute(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
// retorna 25
GetMonth (time}
Obtém o mês a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:
month = GetMonth(GetTime())
month = GetMonth(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
// retorna 10
GetSecond (time}
Obtém os segundos a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:

232 Scripts
second = GetSecond(GetTime())
second = GetSecond(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
// retorna 56
GetTime (}
Retorna a hora atual do sistema como um valor de tempo absoluto medido em
segundos desde 00:00 do dia 1o. de janeiro de 1970. O valor também expressa
milisegundos nas três primeiras casas decimais.
Exemplo:
// Este exemplo conta quantos segundos leva para
// fazer uma cópia de um arquivo
DIM timeInicio, timeDuracao
timeInicio = GetTime()
CopyFile("C:\Dados\Temp.dat","C:\Dados\Backup\Temp.dat")
timeDuracao = GetTime() – timeInicio
MessageBox ("A cópia durou "
+ Str (timeDuracao,8,3) + " segundos.")
GetYear (time}
Obtém o ano a partir de um valor de tempo absoluto.
Exemplo:
year = GetYear(GetTime())
year = GetYear(MakeTime(30,10,1996,17,25,56))
// retorna 1996
Green (cor}
Retorna o valor do componente verde de Cor. Ver Red().
Int (x}
Retorna a parte inteira de x, obtida por truncagem.
Exemplo:
tag002 = -9,9
tag001 = Int (tag002) // retorna -9
IsNumeric (expressão}
Verifica se o resultado da expressão informada no parâmetro expressao é um
número. Retorna TRUE (diferente de zero) se for um número ou FALSE (zero) se
não for.
Exemplo:
Manual do Usuário

Scripts 233
tag001 = IsNumeric(1000) // retorna TRUE (1)
tag001 = IsNumeric("teste") // retorna FALSE (0)
tag001 = IsNumeric(GetTime()) // retorna TRUE (1)
IsString (expressão}
Verifica se o resultado da expressão informada no parâmetro expressao é um string.
Retorna TRUE (diferente de zero) se for um número ou FALSE (zero) se não for.
Exemplo:
tag001 = IsString(1000) // retorna FALSE (0)
tag001 = IsString("teste") // retorna TRUE (1)
tag001 = IsString(GetTime()) // retorna FALSE (0)
Left(string, nCount}
Retorna os nCount caracteres mais à esquerda do parâmetro string.
Exemplo:
String = Left('Password', 4) // retorna 'Pass'
Len(string}
Retorna o número de caracteres de um string.
Exemplo:
Integer = Len('Password') // retorna 8
Log(x}
Retorna o logaritmo natural do número x.
Exemplo:
tag001 = Log(tag002)
Log10(x}
Retorna o logaritmo base-10 do número x.
Exemplo:
tag001 = Log10(tag002)
MakeLower(string}
Retorna o parâmetro string em letras minúsculas.
Exemplo:
String = MakeLower('Password') // Retorna 'password'
MakeReverse(string}
Inverte um string, de forma que o primeiro caractere se torne o último e vice-versa.

234 Scripts
Exemplo:
String = MakeReverse('Password') // Retorna 'drowssaP'
MakeTime (day, month, year, hour, minute, second}
Retorna um valor de tempo absoluto a partir dos parâmetros especificados. O
intervalo de valores para cada parâmetro é:
Intervalo Descrição
day
1 a 31 (pode ser 28, 29 ou 30 conforme o mês e o ano)
month
1 a 12
year
1970 a 2039
hour
0 a 23
minute
0 a 59
second
0 a 59

Se algum dos parâmetros for inválido a função retorna 0.
Exemplo:
myTime = MakeTime(30,10,1996,17,25,56)
MakeUpper (string}
Retorna o parâmetro string em letras maiúsculas.
Exemplo:
String = MakeUpper(‘Password’) // retorna ‘PASSWORD’
Max (x}
Compara x e y e retorna o maior valor entre as duas expressões numéricas.
Exemplo:
tag001=Max(tag002,tag003)
MessageBox (texto[, título[, Estilo||[,x|[,y|}
Mostra uma caixa de mensagem que pode ser configurada pelo usuário. A função
retorna um valor correspondente a um botão pressionado na caixa de mensagem ou
no “Keypad”.
Parâmetros da função
O parâmetro Text é obrigatório, os parâmetros Title e Style são opcionais e seus
valores default (0000h) determinam uma caixa de mensagem padrão.
texto: Deve ser um string ou um Tag contendo um string. Deve ser expresso entre
aspas simples e aparecerá centralizado na caixa de mensagem logo acima dos
botões.
Manual do Usuário

Scripts 235
Exemplo:
MessageBox ("Como está a Caixa de Mensagem?")
// Um string e' atribuido a um Tag
Mensagem = "Como está a Caixa de Mensagem?"
MessageBox(strMensagem)
Titulo: Deve ser um string da mesma forma que o parâmetro Text e irá aparecer na
barra de título da caixa de mensagem. Exemplo:
MessageBox ("Como está a caixa de Mensagem?",
"Teste da Caixa de Mensagem")
// Dois strings abaixo sao atribuidos a Tags
strText="Como está a caixa de Mensagem?"
strTitle="Teste da Caixa de Mensagem"
MessageBox(strText,strTitle)
x, y: Permite especificar a posição em que o diálogo irá aparecer.
Estilo: Permite modificar o estilo da caixa de mensagem e deve ser um valor em
hexadecimal conforme as características que você deseja. As seguintes
características podem ser configuradas.
Tipos da janela
TIPO HEXA DESCRIÇÃO
Application Nodal
0000h Você deve responder a caixa de mensagem
para seguir usando a janela que a chamou.
Entretanto, você pode ir para qualquer outra
janela.
System Nodal
1000h Todas as aplicações ficam suspensas até que
você responda esta caixa de mensagem. Ë
usada para mensagens muito importantes.
Desk Nodal
2000h Semelhante ao Application Modal só que
suspende todas as telas da aplicação até que
a mensagem seja respondida.
Botões da caixa de mensagem
BOTÕES HEXA DESCRIÇÃO
OK
0000h Aparecerá somente o botão de OK na caixa
de mensagem
OK, Cancel
0001h Aparecerão os botões OK e Cancel.
Abort, Retry, !gnore
0002h Aparecerão os botões Abort, Retry, e Ignore.
Yes, No, Cancel
0003h Aparecerão os botões Yes, No, e Cancel.
Yes, No
0004h Aparecerão os botões Yes e No
Retry, Cancel
0005h Aparecerão os botões Retry e Cancel.

236 Scripts
Default para os botões
BOTÕES HEXA DESCRIÇÃO
Botao1 como default
0000h Dá o foco para o Botão 1.
Botao2 como default
0100h Dá o foco para o Botão 2.
Botao3 como default
0200h Dá o foco para o Botão 3.
Ícone
TIPO HEXA DESCRIÇÃO
Pare
0010h O ícone é um sinal de pare
Pergunta
0020h O ícone é um ponto de interrogação
Exclamaçao
0030h O ícone é um ponto de exclamação
!nformaçao
0040h O ícone é o caractere ‘i’ dentro de um círculo
Valores de retorno
VALOR BOTÃO MENSAGEM
1
OK OK
2
Cancel Cancelar
3
Abort Abortar
4
Retry Tentar de novo
5
Ignore Ignorar
6
Yes Sim
7
No Não
Configurando uma Caixa de Mensagem
Para configurar o estilo de uma Caixa de Mensagem você deve fazer um OR lógico
de cada característica que você deseja (Tipo, botões default, ícone, botões). Você
pode escolher apenas uma das características disponíveis (veja tabelas acima). Por
exemplo, para especificar uma caixa de Mensagem com o seguinte estilo:
Tipo System Modal (1000h) + Botão 2 como Default (0100h) +
Ícone de exclamação (0030h) + Botões Yes e No (0004h) = 1134h
Exemplo:
strText = "Como está a caixa?"
strTitle = "Teste da Caixa de Mensagem"
MessageBox(strText, strTitle, 1134h)
Mid (strTexto, nFirst, [nCount|}
Retorna parte de strTexto conforme os parâmetros nFirst e nCount. nFirst
especifica a posição, no string, do primeiro caractere do substring que será retornado
e nCount é o número de caracteres do substring.
Manual do Usuário

Scripts 237
Exemplo:
strSenha = Mid('Password',1,3) // retorna 'Pas'
strSenha = Mid('Password',4,4) // retorna 'swor'
strSenha = Mid('Password',3) // retorna 'ssword'
Min (x,y}
Compara x e y e retorna o menor valor entre as duas expressões numéricas.
Exemplo:
tag001 = Min (2.4,28.3) // tag001 = 2.4
MoveFile (arqFonte, arqDestino}
Move o arquivo especificado para uma nova localização. Retorna TRUE se bem
sucedida ou FALSE em caso de erro. Os atributos globais lastError e lastErrorStr
são atualizados por essa função.
Exemplo:
MoveFile("c:\data\turtle.dat","c:\newdata\rabbit.dat")
PadC (string, tamanho [, caractere|}
Retorna a string strString centralizada com o caractere, parâmetro caractere,
completando o tamanho do string resultante especificado pelo parâmetro tamanho.
Se caractere não é especificado, espaços são introduzidos. Somente o primeiro
caractere do parâmetro caracter é usado.
Exemplos:
PadC("abc",7) // Resulta " abc "
PadC("abcdefghij",5) // Resulta "abcde"
PadC("abc",8,"-") // Resulta "--abc---"
PadL (string, tamanho [, caractere|}
Retorna string posicionado no lado direito com o caractere caractere completando
o tamanho do string resultante, indicado por tamanho. Se caractere não é
especificado, espaços são introduzidos. Somente o primeiro caractere de caractere é
usado.
Exemplos:
PadL("abc",5) // Resulta " abc"
PadL("abcdefghij",5) // Resulta "abcde"
PadL("abc",8,"-") // Resulta "-----abc"


238 Scripts
PadR (string, tamanho [, caracter|}
Retorna string posicionado no lado esquerdo com o caractere especificado no
parâmetro caracter, completando o tamanho do string resultante, indicado por
tamanho. Se caracter não é especificado, espaços são introduzidos. Somente o
primeiro caractere de strPadChar é usado.
Exemplos:
PadR("abc",7) // Resulta "abc "
PadR("abcdefghij",5) // Resulta "abcde"
PadR("abc",8,"-") // Resulta "abc-----"
PasswordDlg(text, title, [x|, [y|}
Abre uma caixa de diálogo para entrada de uma password. O parâmetro title é um
string a ser mostrado na barra de título e text é um string com uma mensagem para o
usuário. Retorna a password digitada pelo usuário. Os parâmetros opcionais x e y
indicam a posição do canto superior esquerdo da caixa de mensagem a ser mostrada.
A função retorna a senha digitada pelo usuário.
Exemplo:
strPwd = PasswordDlg ("Digite a senha","Segurança")
strPwd = PasswordDlg
("Digite sua senha","Login",100,100)
PlaySound (soundIndex}
Toca um som especificado no parâmetro sound!ndex (inteiro entre 0 e 5) de acordo
com a tabela abaixo:

ÍNDICE DESCRIÇÃO
0
Bipe usando o alto-falante interno do computador
1
Asterisco (observação)
2
Exclamação
3
Mão (atenção)
+
Questão
5
Alerta padrão

Este som é definido no painel de controle do Windows. A função faz a solicitação
do toque do som ao sistema e retorna. O som é tocado assincronamente.
PlayWave (filename, [startTime|, [stopTime|}
Toca um arquivo formato WAV. Os parâmetros startTime e stopTime especifica o
intervalo do arquivo que será tocado (em milisegundos). Se estes parâmetros forem
omitidos, todo o arquivo será tocado. O processo pode ser parado chamando a
função StopWave().
Manual do Usuário

Scripts 239
Exemplo:
PlayWave("tada.wav",2000,5000)
// Toca o arquivo do segundo 2 até o 5
PrintString (numeroLPT, string}
Envia a string para a impressora numeroLPT. A string é enviada aguardando um pré
processamento (raw bytes). Se a formatação é requerida, é possível acessar as
configurações da impressora. Os caracteres CR e LF (Chr(13) + Chr(10)) deve ser
fornecido para mudar uma nova linha.
Exemplo:
PrintString(1, "Hello World…")
Rad (angle}
Retorna o ângulo angle (expresso em graus) convertido para radianos, segundo a
fórmula: radianos = (angle / 180) * 3.141592.
ReadFromFile (strArquivo, [posInicio|, [bytesALer}
Lê o arquivo strArquivo, iniciando por pos!nicio (do início do arquivo, se não for
especificado). Se bytesALer não for especificado, a função lê todos os bytes do
arquivo. Recomenda-se que o arquivo contenha somente dados de texto/caractere.
Dados binários podem ser lidos, mas não podem ser manipulados no Elipse
SCADA.
Exemplo:
tag001 = ReadFromFile("Help.txt")
// Lê todo o arquivo HELP.TXT para tag001
ReadIniNumber (strArquivo, strSeção, strEntrada, [nValorDefault|}
Retorna o número de uma entrada no arquivo de configuração (.INI) strArquivo. Os
parâmetros strSeçao e strEntrada especificam a seção e a entrada do arquivo
respectivamente. Se a entrada não for encontrada, o valor nvalorDefault é
retornado. Se nvalorDefault não for especificado, a função retorna zero. O arquivo
deve ser formatado com a seguinte sintaxe:

240 Scripts
[secao1]
entrada1 = valor1
entrada2 = valor2
<outras entradas>
entradaN = valorN
[secao2]
<outras entradas>
[secaoN]
<outras entradas>
Exemplo:
// Arquivo MYAPP.INI com o seguinte conteúdo:
// [General]
// Total = 1000
// UserName = Admin
ReadIniNumber("MYAPP.INI","General","Total",-1)
// retorna 1000
ReadIniString("MYAPP.INI","General","UserName")
// retorna "Admin"
NOTA: Se houver um outro programa que modifica o arquivo .INI, as mudanças
poderão não ser vistas imediatamente porque Windows mantem uma cópia do
arquivo em memória. Você pode forçar a atualização chamando Write!ni
(strFile,"","","") antes de ler o arquivo .INI. Seja um arquivo VALUES.INI que está
sendo atualizado por um outro programa. Pode-se ler os valores atualizados assim:
WriteIni("VALUES.INI","","","")
// Força o Windows a descarregar o cache
ReadIniNumber("VALUES.INI", "Secao", "Entrada")
// Lê o valor de Entrada na seção Secao
ReadIniString(strArquivo, strSeção, strEntrada, [strValorPadrão|}
Retorna o string contendo o valor da entrada no arquivo strArquivo .INI. Os
parâmetros strSeçao e strEntrada especificam a seção e a entrada do respectivo
arquivo. Se a entrada não for encontradaI, o strvalorPadrao é retornado, ou um
string nulo ("") se strvalorPadrao não for especificado.
Real (string}
Converte um string numérico ou um número para um número real.
Exemplo:
Manual do Usuário

Scripts 241
Numeric = Real(‘30’) // retorna 30,0
Red(cor}
Estas funções permitem obter uma das três cores componentes de um valor 24
bits.de cor: vermelho, verde e azul. O valor retornado estará sempre entre 0
(intensidade mínima) e 255 (intensidade máxima).
Exemplo:
color = Display.backgroundColor
Display.backgroundColor = RGB(Red(color)/2,
Green(color)/2, Blue(color)/2)
O exemplo acima configura a cor de fundo de um Display para a metade da
intensidade da cor original, para cada uma das três componentes de cores.
ReleaseMouseCapture (}
Libera a captura do mouse efetuada pela função SetNouseCapture(). Um objeto
que tem uma captura de mouse ativa recebe todos os eventos do mouse,
independente do mouse estar ou não sobre o objeto.
Exemplo: o script OnNouseOver a seguir muda a cor de fundo de um objeto de tela
quando o mouse está sobre ele e retorna à cor original quando o mouse sai.
// verifica se já não há uma captura de mouse
IF NOT Display.HasMouseCapture()
// o mouse entrou no objeto, capture
Display.SetMouseCapture()
// colocar uma cor de destaque
Display.backgroundColor = RGB(220,220,220)
ELSEIF NOT Display.IsMouseInside()
// se o mouse saiu do objeto, coloque a cor original
Display.backgroundColor = RGB(192,192,192)
// e cancele a captura
ReleaseMouseCapture()
ENDIF
RemoveDir (dir}
Remove um diretório (pasta) existente. No Windows, por restrição do sistema, o
diretório deve estar vazio e não deve ter sub-diretórios, para ser apagado. Não é
possível apagar o diretório corrente, o diretório de trabalho do sistema ou o
diretório-raiz. Retorna o valor TRUE se bem sucedida ou FALSE (zero) se não. Os
atributos globais lastError e lastErrorStr são atualizados por essa função.

242 Scripts
RenameFile (arqFonte, arqDestino}
Muda o nome do arquivo arqFonte para arqDestinoe. Retorna o valor TRUE se
bem sucedida ou FALSE (zero) se não. Os atributos globais lastError e lastErrorStr
são atualizados por essa função.
RGB (vermelho, verde, azul}
Retorna um valor de cor 24 bits para as três cores componentes especificadas:
vermelho, verde e azul. Cada componente é um inteiro entre 0 (intensidade mínima)
e 255 (intensidade máxima). O valor retornado pode ser atribuído a qualquer atributo
de cor de um objeto. Exemplo:
// Vermelho forte
Display1.backgroundColor = RGB(255,0,0)
Right (string, nCount}
Retorna os nCount caracteres mais à direita do parâmetro string.
Exemplo:
str = Right("Password",4) // retorna "word"
Rnd (}
Retorna um número real aleatório entre 0 e 1 (inclusive).
Round (x}
Retorna o número x arredondado para o inteiro mais próximo.
Exemplo:
tag001 = Round(14,1) // o resultado é 14.0
tag002 = Round(13,9) // o resultado é 14.0
RunMacro (strExpressão}
Compila e executa a expressão contida no string strExpressao passado como
parâmetro. Retorna o valor da expressão executada ou zero se nenhum erro de
compilação ou execução ocorrer.
Exemplo:
// executa a expressão "Screen<activeScreen>.Activate",
// onde activeScreen é o número da tela.
RunMacro("Screen"+Str(activeScreen,1,0)+".Activate()")
ScriptWindow (}
Abre uma janela para debug no modo Runtime que permite supervisionar todos os
scripts que estão rodando. Também mostra quanto tempo ou quantas vezes um script
for executado.
Manual do Usuário

Scripts 243
SetFileAttributes (arquivo, attrNovo}
Modifica os atributos do arquivo file para attrNovo. Veja a função
GetFileAttributes para a lista de atributos que o parâmetro arquivo pode receber. A
função retorna TRUE se bem sucedida ou FALSE (zero) se falhar. Os atributos
globais lastError e lastErrorStr são atualizados por esta função.
Exemplo:
SetFileAttributes("turtle.dat",3)
// somente leitura (1) + oculto (2) = 3
SetSystemTime (novaHora}
Ajusta a hora do sistema para o parâmetro novaHora. O parâmetro novaHora é um
valor absoluto de datahora. Use a função NakeTime() para compilar este número.
A função retorna 1 (TRUE) se obtiver sucesso, 0 (FALSE) se falhar.
Exemplo:
SetSystemTime(MakeTime(10,8,2000,17,25,56))
NOTA: A hora interna mantida pelo Elipse SCADA não é ajustada
automaticamente. Ao invés disso, o sistema faz pequenos incrementos/decrementos
em seu tempo interno até que alcance a hora do relógio do sistema em uma taxa
máxima de 20% (incrementa/decrementa no máximo 2 segundos a cada 10
segundos).
Sgn (x}
Retorna o sinal de x (-1 se negativo, 0 se zero, 1 se positivo).
Exemplo:
tag001 = Sgn(-123.98) // retorna -1
ShellExecute (strOperação, strArquivo, strParametros, strDir, nCmdVisual}}
Executa uma operação strOperaçao para o arquivo strArquivo especificado.
strOperaçao pode ser um dos seguintes comandos: "edit" (editar), "explore"
(explorar), "find" (buscar), "open" (abrir), "print" (imprimir) ou "properties"
(propriedades). strParametros é um string que especifica os parâmetros que devem
ser passados para a aplicação. strDir define o diretório padrão. nCmdvisual
especifica como a aplicação deve ser mostrada quando for aberta, a saber:
0 = esconder a janela; 1 = mostrar a janela; 2 = mostrar a janela minimizada;
3 = mostrar a janela maximizada.
Sin (angle}
Retorna o seno do ângulo especificado. O ângulo angle é expresso em radianos.

244 Scripts
Sleep (nSegundos}
Faz uma pausa na execução do script durante nSeconds segundos (é possível
especificar uma fração, por exemplo: Sleep (0.5)). A interface do usuário não
responderá enquanto a pausa estiver sendo executada. Processos rodando em
segundo plano que estiverem rodando em thread separados (E/S, drivers de rede,
recepção de vídeo) continuarão funcionando, mas toda a lógica da aplicação (scripts)
será pausada.
Sqrt (x}
Retorna a raiz quadrada de x.
Exemplo:
tag001 = Sqrt(81) // returns 9
StartSound (soundIndex, [frequency (ms}|}
Toca o som especificado em sound!ndex na freqüência especificada em frequency
(em milisegundos) até um comando StopSound ser chamado. sound!ndex deve ser
um inteiro entre 0 e 5 (veja a tabela de sons disponíveis consultando a função
PlaySound()). A freqüência mínima é 100ms; se for especificado um número
menor, o valor 100 será assumido. Note que o parâmetro frequency designa de
quanto em quanto tempo o som será tocado.
Exemplo:
StartSound(2,2000)
// toca o som de exclamação a cada 2 segundos
StopSound (}
Pára um som que está tocando, iniciado pela função StartSound().
StopWave (}
Pára a reprodução de um arquivo WAV iniciada pela função PlayWave().
Str (value, size, precision}
Converte um número inteiro ou real para um string. O parâmetro value é o número a
ser convertido, o parâmetros size e precision determinam o tamanho e precisão do
string. Quando o parâmetro value for um string ele primeiro é convertido para um
número e depois formatado conforme os parâmetros size e precision.
Exemplo:
String = Str(30.95,6,2) // Retorna " 30.95"
StrZero (Valor, tamanho, prec}
Converte um número inteiro ou real para um string preenchendo com zeros a
esquerda até o tamanho especificado. O parâmetro valor é o número a ser
convertido, o parâmetros tamanho e prec determinam o tamanho e precisão do
Manual do Usuário

Scripts 245
string. Quando o parâmetro value for um string ele primeiro é convertido para um
número e depois formatado conforme os parâmetros tamanho e prec.
Exemplo:
String = StrZero(30.95,6,2) // Retorna "030.95"
Tan (angle}
Retorna a tangente do ângulo especificado. O ângulo angle é expresso em radianos.
WaitCursor(bHabilita}
Habilita (bHabilita=1) ou desabilita (bHabilitae=0) o cursor de espera (ampulheta).
Exemplo:
WaitCursor (1)
<alguns comandos que demoram tempo>
WaitCursor (0)
WatchWindow(}
Abre uma janela de depuração no módulo Runtime que permite visualizar os valores
das propriedades de um item selecionado na árvore da aplicação.
WriteIni (strArquivo, strSeção, strEntrada, valor}
Escreve o valor (numérico ou string) no arquivo .INI strArquivo. O parâmetro
strSeçao e strEntrada especificam a seção e a entrada do arquivo respectivo.
NOTA: Se o arquivo for modificado INI file, tas transformações não serão
imediatamente modificadas, porque o Windows copia um arquivo na memória.
Você pode forçar a atualização utilizando o parâmetro Write!ni (strFile, "", "", "")
depois de ler o arquivo .INI.
O exemplo abaixo escreve as seguintes linhas em MYAPP.INI:
[General]
Total = 1500
UserName = Admin
Exemplo:
WriteIni("MYAPP.INI","General","Total",1500)
WriteIni("MYAPP.INI","General","UserName","Admin")
WriteToFile(arquivo, texto, [operação|}
Escreve o texto no arquivo. Retorna 1 se for bem sucedida ou 0 se ocorrer algum
erro. O parâmetro operaçao é opcional e possui as seguintes especificações:


246 Scripts
MODO DESCRIÇÃO
0
(default) Cria o arquivo se não existir, colocando a string no fim do
arquivo.
1
Falha se o arquivo não existir, colocando a string no final do arquivo.
2
Cria o arquivo se não existir, substituindo o arquivo por uma nova
string.
3
Falha se o arquivo não existir, substituindo o arquivo por uma nova
string.

Exemplo:
WriteToFile("test.txt", "Essa linha será
acrescentada para um arquivo existente", 1)
19.5.2. Funções da Aplicaçáo
AddUser (nome, descrição, login, senha, nivelAcesso}
Adiciona um novo usuário na lista de usuários da aplicação. Retorna 1 (um) se for
bem sucedida ou 0 (zero) caso contrário.
Exemplo:
Application.AddUser
("João Machado", "Gerente", "JoaoM", "1234", 0 )
DeleteUser (login}
Apaga um usuário da lista de usuários. Retorna 1 (um) se for bem sucedida ou 0
(zero) caso contrário.
Exemplos:
Application.DeleteUser("JoaoM")
Application.DeleteUser(strUserName)
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Aplicação.
GetMaxX(}
Retorna a lagura da janela da aplicação em pixels.
GetMaxY(}
Retorna a altura da janela da aplicação em pixels.
Login ([x|[,y|[,habilitaTitulo|[,permiteFechar|[,strTitulo|}
Chama uma caixa de diálogo para a identificação (login) de um usuário. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o usuário for logado com sucesso ou falso (zero) se
Manual do Usuário

Scripts 247
não for. Em caso de erro nenhuma mensagem ou janela será mostrada. Os
parâmetros opcionais X e Y indicam as coordenadas da posição do canto superior
esquerdo da janela de login. O parâmetro permiteFechar é um booleano que indica
se o botão de fechar a janela deve aparecer (padrão é 1, visível). O parâmetro
strTitulo permite especificar um título para a janela diferente do padrão. Em caso de
erro, o atributo global lastError também atualizado: 0 (zero) se o login for cancelado
pelo usuário ou 1 (um) se o usuário ou a senha forem inválidos.
Exemplo:
IF Application.Login()
SetPointScreen.Activate()
ENDIF
Logout(}
Executa o logout (saída) de um usuário da aplicação. Fecha todas as telas que
possuem prioridade diferente de zero.
Exemplo:
IF MessageBox("Você quer dar logout?","Logout",4) == 6
Application.Logout( )
ENDIF
MaximizeApp(}
Maximiza a janela da aplicação.
MinimizeApp(}
Minimiza a janela da aplicação.
ReloadApp([strAppName|}
Termina a execução da aplicação corrente, recarrega-a do disco e reinicia-a. O
parâmetro opcional strAppName permite passar o nome de outra aplicação a ser
reiniciada, ao invés da corrente. Esta função não está disponível no modo Demo
(demonstração) do Elipse SCADA.
RestoreApp(}
Restaura o tamanho original da janela da aplicação, antes de ela ter sido maximizada
ou minimizada.
ShutDownWindows(modoDesligamento}
Permite que seja reiniciado o micro via programação Script. Termina a aplicação
atual e fecha-a abaixo o computador. O parâmetro modoDesligamento pode ser: 1
(parada programada), 2 (parada programada forçada), 3 (reboot) ou 4 (reboot
forçado). Uma parada forçada ou um reboot forçado indicam que todos os outros

248 Scripts
programas em execução (exceto Elipse) imediatamente serão terminados e não será
possível salvar nenhuma alteração.
Exemplo:
// Parada programada normal do Windows
Application.ShutdownWindows(1)
OBS: Quando a aplicação é rodada no modo Configurador, ele simplesmente pára a
aplicação. Quando a aplicação é rodada no modo Runtime, o aplicativo é parado e o
micro reiniciado.
StopRunning(}
Finaliza a aplicação corrente.
UserAdministration([x|[,y|[,enableTitle|[,allowClose|[,customTitle|}
Permite a um usuário modificar sua senha. Se o usuário é administrador (nível de
acesso 1) ele poderá criar, modificar e remover os atributos de todos os usuários.
19.5.3. Funções de Tags
Funções Comuns
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do tag.
GetAt (index}
Retorna o valor do elemento index de um bloco.
Exemplo:
Tag1.GetAt(3)
Read (}
Lê um valor do PLC diretamente para o Tag.
Manual do Usuário

Scripts 249
SetAt (index, value}
Atribui um valor ao elemento de um bloco, somente se o atributo autoWrite estiver
habilitado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a operação for efetuada com
sucesso ou falso (zero) se não for.
Exemplo:
Tag1.SetAt(3, 3.44)
Write (}
Escreve o valor de um Tag diretamente no PLC.
Funções de Tags Matriz
Avg (r1, c1, r2, c2}
Retorna a média dos valores no retângulo definido por linha1 (r1) coluna1 (c1) e
linha2 (r2) coluna2 (c2).
Exemplo:
tagSum = tagMatriz.Avg(2,1,3,3)
// retorna a média das células
// (2,1), (2,2), (2,3), (3,1), (3,2), (3,3)
ExchangeColumns (coluna1, coluna2}
Troca o conteúdo de duas colunas de uma matriz.
Exemplo:
// Troca os conteúdos das colunas 3 e 4
TagMTX1.ExchangeColumns(3,4)
ExchangeRows (linha1, linha2}
Troca o conteúdo de duas linhas de uma matriz.
Exemplo:
// Troca os conteúdos das linhas 3 e 4
TagMTX1.ExchangeRows(3,4)
GetCell (linha, columa}
Retorna o valor (numérico ou string) de uma determinada célula da matriz
especificada pela linha row e columa column.
Exemplo:

250 Scripts
// Retorna o valor da célula da linha 3, coluna 5
TagMTX1.GetCell(3,5)
MapCellsToTags(startColumn, startRow, endColumn, endRow}
Mapeia as informações associada com as propriedades ou tags.
Exemplo:
TagMTX1.MapCellsToTags(1,1,5,5)
OrderBy(linhaSuperior, linhaInferior, coluna, ascendente}
Ordena as linhas de uma matriz entre a linha inicial linhaSuperior e a final
linha!nferior pela coluna coluna, de maneira ascendente (se ascendente = 1) ou
descendente (se ascendente = 0).
Exemplo:
// Ordena as linhas 1 a 8 da matriz de forma ascendente,
// conforme os valores da coluna 1
TagMTX1.OrderBy(1,8,1,1)
SetCell (linha, coluna, valor}
Atribui um valor value a uma determinada célula da matriz especificada pela linha
especificada pelo parâmetro linha e coluna especificada pelo parâmetro coluna.
Exemplo:
// Atribui o valor 9 à célula da linha 3, coluna 5
TagMTX1.SetCell(3,5,9)
Sum (r1, c1, r2, c2}
Retorna o somatório dos valores contidos no retângulo definido por linha1 (r1)
coluna1 (c1) e linha2 (r2) coluna2 (c2).
Exemplo:
// Soma os conteúdos das células
// (2,1), (2,2), (2,3), (2,4), (3,1), (3,2), (3,3), (3,4)
TagMTX1.Sum(2,1,3,4)
Funções de Tags Crono
EditProperties(}
Abre a janela de edição das propriedades do ítem.
Reset(}
Zera o acumulador.
Manual do Usuário

Scripts 251
Funções de Tags Bloco
GetAt(índice}
Pega o valor armazenado em um elemento de bloco. O atributo indice indica o
índice do elemento do tag bloco. Atenção: esta função não pode ser usada em
versões limitadas (versões Lite) do Elipse SCADA.
Exemplo:
// Soma todos os elementos do bloco
DIM index, sum
sum = 0
FOR index = 0 TO Block1.size-1
sum += Block1.GetAt(index)
NEXT
Read(}
Lê o bloco do PLC imediatamente, retorna 1 se lido sucedido, e 0 se falhar. Usa o
bloco e verifica a documentação do bloco. Esta é uma função synchronous, espera
até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução da
especificação, pois ele pode seriamente degradar o desempenho da aplicação,
conseqüentemente você deve usá-la com cuidado e somente quando for
absolutamente necessário.
SetAt (índice, valor}
Seta o valor de um elemento de bloco. Retorna verdadeiro se a operação for bem
sucedida, caso contrário retorna falso. O atributo indice indica o índice do elemento
do tag bloco e o atributo valor é o valor a ser enviado para o elemento.
Atenção: Esta função não pode ser usada em versões limitadas (versões Lite) do
Elipse SCADA.
Exemplo:
// Este exemplo ajusta todos os elementos do bloco para zero
DIM index
FOR index = 0 TO Block1.size-1
Block1.SetAt(index, 0)
NEXT
SetSize (size}
Ajusta o número dos elementos do bloco, indicado pelo parâmetro size. Os
elementos do bloco serão adicionados se o bloco crescer, ou removidos se o bloco
diminuir.

252 Scripts
Write (}
Escreve os valores atuais do bloco ao PLC imediatamente, retorna 1, se a escrita for
bem sucedida, e 0, se falhar. Usa o bloco que escreve o serviço do I/O, verificando a
documentação do bloco.
Funções de Elementos de Bloco
Read(}
Lê o elemento de um tag bloco PLC. Retorna 1 (um) se lido, e 0 (zero) se falhar.
Atenção: esta é uma função síncrona, espera até que a operação lida esteja terminada
antes de retornar a execução. Ela pode seriamente degradar o desempenho da
aplicação, conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário.
Write(}
Escreve o valor atual do elemento do bloco ao PLC imediatamente, retornando 1
(um) se a escrita ser bem sucedida, ou 0 (zero) se falhar. Usa o bloco para escreve o
serviço do elemento do I/O, verifica se suportar o elemento do bloco escrever.
Atenção: Esta é uma função síncrona, espera até que a operação lida esteja
terminada antes de retornar a execução. Ela pode seriamente degradar o desempenho
da aplicação, conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente
necessário.
WriteEx(valor}
Escreve o valor diretamente ao I/O, sem atribuí-lo ao Elemento de Bloco. Esta
função usa a escala definida no Elemento de Bloco .
Exemplo:
Block1.elm000.WriteEx(12)
Funções de Tags OPC
Read(}
Lê o valor do servidor OPC.
Write(}
Escreve o valor no tag para o servidor OPC.
Manual do Usuário

Scripts 253
Funções de Tags PLC
Read(}
Lê o Tag o PLC imediatamente, retorna 1 se for bem sucedido, 0 se falhar. Usa o
Tag leu o serviço do driver do I/O, verifica a documentação do driver se suportar o
Tag ler. Atenção: esta é uma função síncrona, espera até que a operação lida esteja
terminada antes de retornar a execução. Ela pode seriamente degradar o desempenho
da aplicação, conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente
necessário.
Write(}
Escreve o valor atual do Tag no PLC imediatamente. Retorna 1 se a escrita for bem
sucedida e 0 se falhar. Usa o Tag escreve o serviço do driver I/O, verifica a
documentação do driver se suportar o Tag escrever. Atenção: esta é uma função
síncrona, espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a
execução. Ela pode seriamente degradar o desempenho da aplicação,
conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário.
WriteEx(valor}
Escreve o valor para o driver I/O, especificando as informações para o tag. Esta
função é usada para especificar as informações de varredura (scan) do tag.
19.5.4. Funções de Tela
Activate(}
Mostra uma tela dando o foco para ela.
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Tela.
GetMouseX(}
Retorna a coordenada X atual do mouse.
GetMouseY(}
Retorna a coordenada Y atual do mouse.
Hide(}
Esconde (fecha) uma tela.

254 Scripts
SendTab (nTabs}
Envia caracteres [Tab] para a aplicação de modo a mudar o foco do teclado entre os
objetos de tela. Valores positivos de nTabs simulam a tecla [Tab], valores negativos
simulam a combinação de teclas [Shift]+[Tab].
Exemplo:
Screen1.SendTab(4)
Show(}
Mostra uma tela. A tela não recebe o foco quando mostrada.
19.5.5. Funções dos Objetos de Tela
Funções comuns
BringToFront(}
Coloca o objeto no primeiro plano da tela (na frente dos demais objetos).
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do objeto.
HasFocus(}
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o objeto tem o foco de teclado ou falso
(zero) se não tem.
Exemplo:
// Muda a cor de Botao se ele tem o foco do teclado
IF Botao.HasFocus()
Botao.foregroundColor = RGB(255,255,0)
ENDIF
HasMouseCapture(}
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o objeto está com o mouse capturado ou
falso (zero) se não está.
Exemplo:
Manual do Usuário

Scripts 255
Botao.SetMouseCapture()
tag1 = Botao.HasMouseCapture() // retorna 1
ReleaseMouseCapture()
tag1 = Botao.HasMouseCapture() // retorna 0
IsMouseInside(}
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o mouse está sobre o objeto ou falso (zero)
se não está.
Exemplo:
// Muda a cor de Botao se ele tem o mouse sobre ele
IF Botao.IsMouseInside( )
Botao.foregroundColor = RGB(255,255,0)
ENDIF
MoveTo(x,y}
Move um objeto para as coordenadas x e y especificadas.
Exemplo:
// Nesse exemplo, quando o mouse passar por cima do objeto,
// ele é movido para o canto esquerdo superior da tela.
IF Quadrado.IsMouseInside()
Quadrado.MoveTo(0,0)
ENDIF
SendToBack(}
Coloca o objeto no último plano da tela (atrás dos demais objetos).
SetFocus(}
Define o foco de teclado para o objeto.
SetMouseCapture(}
Captura o mouse para o objeto que chama a função. Todas as mensagens de mouse
serão direcionadas a este objeto até que a função global ReleaseMouseCapture( )
seja chamada.
SetTag(nomeTag}
Associa um novo Tag (nomeTag) ao objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se o Tag foi adicionado com sucesso ou falso (zero) se não foi. Se nomeTag é um
string vazio (" "), então o Tag associado é removido do objeto. Esta função somente
pode ser usada para objetos com apenas um único Tag, ou seja, não é válida para os
objetos Tendência e Barra.

256 Scripts
Funções do Objeto Alarme
AckSelection(}
Envia um sinal de reconhecimento (ACK) para todas as mensagens de alarme
selecionadas no objeto. Retorna o número de mensagens reconhecidas.
Exemplo:
DIM nAcks
nAcks = Alarm1.AckSelection()
IF nAcks > 0
MessageBox(Str(nAcks) + " message(s) acknowledged!")
ELSE
MessageBox("No messages acknowledged!")
ENDIF
GetColorZoneInfo(campo, zona}
Retorna informações sobre uma zona de alarmes não-reconhecidos. zona é o
número da zona (0, 1 ou 2). campo pode ser um dos seguintes campos:

MODO DESCRIÇÃO
Checkvalue
Retorna 0 se a zona está desabilitada, 1 se a zona é
permitida
ForeColor
Retorna a cor de primeiro plano (texto) da zona
BackColor
Retorna a cor de fundo da zona
!nitialvalue
Retorna a menor prioridade para a zona
Secondvalue
Retorna a maior prioridade para a zona

Exemplos:
// Ajusta a cor da zona 0 para branco se está habilitada
IF Alarm.GetColorZoneInfo("CheckValue", 0)
Alarm.SetColorZoneInfo("ForeColor", 0, RGB(255,255,255))
ENDIF
SetColorZoneInfo(campo, zona, valor}
Modifica o valor de um campo de uma zona de alarmes não-reconhecidos. zona e
campo têm o mesmo significado que em GetColorZone!nfo(). valor é o novo valor
a ser atribuído ao campo.
Manual do Usuário

Scripts 257
Funções de Objetos AV¡
End(}
Move a posição do filme para o final.
Home(}
Move a posição do filme para o início.
OpenAVI(}
Abre um arquivo AVI sem iniciar a reprodução.
PauseAVI(}
Pausa o filme na posição atual.
PlayAVI([nFrom [, nTo||}
Abre um arquivo AVI e inicia a execução do avi. Se nFrom for especificado, o
início será a partir do quadro nFrom. Se nTo for especificado, a reprodução será até
o quadro nTo. Se o AVI estiver configurado para tocar ao contrário, estes
parâmetros serão ignorados e o filme vai ser tocado por inteiro. Se o atributo
timeFormat do AVI for 1, então os parâmetros nFrom e nTo serão interpretados
como milisegundos.
Step(nframes}
Move a posição do filme nframes quadros para frente. Se nframes for negativo, a
posição será movida para trás. O filme será pausado depois da chamada da função.
Se o atributo timeFormat do AVI for 1, então o parâmetro nframes será
interpretado como milisegundos.
StopAVI(}
Pára a reprodução do filme e fecha o arquivo.
Funções da Barra
O parâmetro bar!ndex usado nas funções abaixo é o número que identifica a barra
no gráfico de barras, sendo a primeira, identificada com o número zero, a segunda,
um, a terceira, dois, e assim por diante.

258 Scripts
CheckLoLoLimit(barIndex, bEnable}
CheckLowLimit(barIndex, bEnable}
CheckHighLimit(barIndex, bEnable}
CheckHiHiLimit(barIndex, bEnable}
Estas funções habilitam ou desabilitam uma zona em um Bar Gauge.
Exemplo:
// Habilita a zona HiHi
// se tag1.HiHi.verify for verdadeiro.
Bar1.CheckHiHiLimit(2, tag1.HiHi.verify)
GetCheckLoLoLimit(barIndex}
GetCheckLowLimit(barIndex}
GetCheckHighLimit(barIndex}
GetCheckHiHiLimit(barIndex}
Estas funções retornam 1 se a zona correspondente estiver habilitada em um Bar
Gauge.
GetLoLoColor(barIndex}
GetLowColor(barIndex}
GetNormalColor(barIndex}
GetHighColor(barIndex}
GetHiHiColor(barIndex}
Retorna a cor da zona específica em um Bar Gauge.
GetLoLoLimit(index}
GetLowLimit(index}
GetHighLimit(index}
GetHiHiLimit(index}
Retorna o limite da zona específica em um Bar Gauge.
Manual do Usuário

Scripts 259
SetIndexBarColor(barIndex, color}
Ajusta a cor de um gráfico de barra normal. Para um Bar Gauge, é feita uma
configuração diferente.
Exemplo:
// Este exemplo muda a cor das barras 1 a 4 para vermelho
// no gráfico de barras Bar1.
DIM index
FOR index = 1 to 4
Bar1.SetIndexBarColor(index, RGB(255,0,0) )
NEXT
SetLoLoColor( barIndex, color }
SetLowColor( barIndex, color }
SetNormalColor( barIndex, color }
SetHighColor( barIndex, color }
SetHiHiColor( barIndex, color}
Ajusta a cor de uma zona específica em um Bar Gauge.
SetLoLoLimit( barIindex, value }
SetLowLimit( barIndex, value }
SetHighLimit( barIndex, value }
SetHiHiLimit( barIndex, value }
Ajusta o limite de uma zona específica em um Bar Gauge.
Funções do Browser
GetField(nomeDoCampo}
Retorna o valor do campo indicado por nomeDoCampo na linha atual (apontada
por curSel). Se chamada no script OnDrawRow(), retorna o valor do campo na linha
que vai ser desenhada.
SetRecordRange(primeiroReg, últimoReg}
Define um intervalo de registros a ser carregado no Browser.

260 Scripts
SetTempRowColor(cor}
Permite ajustar a cor de fundo da linha que vai ser desenhada.
SetTempRowTextColor(cor}
Permite ajustar a cor do texto da linha que vai ser desenhada.
UpdateOuery(}
Atualiza a consulta do Browser, renovando os valores das linhas mostradas.
Funções de Objetos Texto
SetZoneText(iZone, Text}
Muda o texto da zona iZone para Text. Se iZone for 0 o texto de todas as zonas é
modificado.
Funções de Objetos Tendència
AddData(time}
Adiciona um novo valor a todas as penas da Tendência.
BreakPen(}
Quebra a pena, fazendo com que os novos dados adicionados não estejam
conectados com os pontos que já estavam na pena.
ClearData(}
Apaga os dados da tendência ou somente de uma pena da tendência.
Exemplo:
// Apaga todos os dados da tendência Fornos
Fornos.ClearData()
// Apaga só os dados da pena Temp1 da tendência Fornos
Fornos.Temp1.ClearData()
LoadHistoricData(}
Carrega dados do histórico relacionado à tendência, segundo a consulta especificada.
Funções do Video¡n
Pause (}
Pausa a reprodução do video.
Manual do Usuário

Scripts 261
Play (}
Liga a reprodução do video.
Snapshot (nomedoarquivo, tipo}
Grava o quadro (frame) atual de um vídeo em um arquivo com o nome e caminho
nomedoarquivo. O nome do arquivo deverá ter a extensão incluída, a função não
adiciona-a. tipo designa o tipo de arquivo e pode ser:

TIPO DESCRIÇÃO
0
Arquivo “RAW” (salva o quadro atual no disco, sem nenhuma conversão.
1
Formato BMP.
2
Formato GIF (limitado a uma paleta de 256 cores).
3
Formato JPEG.

Stop (}
Pára a reprodução do vídeo.
19.5.6. Funções de Alarmes
AckAllAlarms([tagName|}
Reconhece todos os alarmes pertencentes ao tag tagName. Se tagName não for
especificado, todos os alarmes de todos os tag do alarme serão reconhecidos.
Exemplo:
// Reconhece todas as mensagens para o tag Heat1
Alarms.AckAllAlarms(Heat1)
// Reconhece tudo
Alarms.AckAllAlarms()
ClearHistoricalData(}
Apaga todas as mensagens de alarmes e também limpa o arquivo de log de alarmes.
GetColorZoneInfo(campo, zona}
Retorna informações a respeito de uma mensagem de alarmes. Se zona não for
especificado, a função retorna informações sobre a última mensagem criada no
grupo de alarmes. O parâmetro campo é o nome do campo que se deseja saber o
conteúdo. Os valores possíveis são:

262 Scripts
Valores possíveis
CAMPO DESCRIÇÃO
Comment
Retorna um string com o “Comentário” da mensagem.
DateTime
Retorna a marcação de tempo (timestamp) do alarme como
um valor “datetime” (número de segundos desde 01.01.1970).
Event
Retorna o tipo de evento, a saber: “ALM” para mensagem de
alarme e “RTN” para mensagens de retorno.
Limit
Retorna um inteiro com o limite do alarme.
Priority
Retorna um inteiro com a prioridade da mensagem de alarme.
State
Retorna um string com o estado do alarme, a saber: “ACK”
para reconhecido e “UNACK” para não-reconhecido.
Tagname
Retorna o nome do tag associado à mensagem de alarme.
Type
Retorna um string com o tipo de alarme (“HIHI”, “HIGH”,
“LOW”, “LOLO”, “RET”)
value
Retorna o valor do alarme.
Handle
Retorna um “handle” da mensagem de alarme. Este “handle”
pode ser armazenado e usado para recuperar as informações
sobre o alarme posteriormente.
User
Retorna o usuário responsável pela mensagem de alarme.

É possível usar abreviações para os nomes dos campos, com pelo menos, dois
caracteres. Isto é, o campo “Value” pode ser abreviado por “VA”, o campo
“Priority” pode ser abreviado por “PR” e assim por diante.
Exemplo:
// Alarms.OnAlarm() script
// guarda o handle de alarme das mensagens
// de tags que começam "TEMP"
IF Left(Alarms.GetInfo("Tagname"), 4) == "TEMP"
lastHandle = Alarms.GetInfo("Handle")
ENDIF
GetNextActiveAlarmHandle( lastHandle }
Retorna o handle da próxima mensagem de alarmes ativos. Mensagens de alarmes
ativos são mostradas no Alarme Resumido. lastHandle pode ser: -1 para buscar o
primeiro handle de alarme ativo ou o número do handle anterior, retornado pela
função GetNextActiveAlarmHandle. Se não há mais mensagens de alarmes ativos,
a função retorna -1. O handle retornado pode ser usado na função Alarms.Get!nfo().
Exemplo:
Manual do Usuário

Scripts 263
// conta o número de mensagens de alarmes
// de tags que começam "TEMP"
// e mostra em uma Caixa de Mensagem (MessageBox)
DIM hAlarm, strTagName, nTotal
nTotal = 0
hAlarm = Alarms.GetNextActiveAlarmHandle(-1)
While hAlarm <> -1
strTagName = Alarms.GetInfo("TA", hAlarm)
IF Left(strTagName, 4) == "TEMP"
nTotal = nTotal + 1
EndIf
hAlarm = Alarms.GetNextActiveAlarmHandle(hAlarm)
Wend
MessageBox("Existem " + Str(nTotal) + " alarmes ativos!")
RemoveFromSummary(messageID}
Remove do Alarme Resumido uma mensagem de alarme criada pela função
SimulateAlarm com a ID messageID.
SimulateAlarm(id, timeStamp, strNomeTag, strComentário, valor, limite,
pri, tipo, evt, estado}
Cria uma nova mensagem de alarme. Retorna 1 se bem-sucedida, ou 0 caso
contrário. Os parâmetros disponíveis nesta função são os seguintes:

264 Scripts
Parâmetros
CAMPO DESCRIÇÃO
id
Identificador da mensagem do alarme. Se o valor for 0, a
mensagem de alarme será escrita somente no registro de
alarmes. Se o valor for maior que 0, a mensagem será escrita
no registro de alarmes e poderá ser mostrada no objeto Alarme
da Tela. Você deve passar o mesmo valor deste parâmetro a
função RemoveFromSummary para remover a mensagem do
sumário.
timeStamp
TimeStamp do alarme.
strNomeTag
String que contém o nome do tag. Caso não exista tag, este
campo é puramente informativo.
strComentario
String que contém a mensagem de comentário do alarme.
valor
Valor do alarme.
limite
Determina o limite máximo excedido pelo alarme.
pri
Nível de prioridade do alarme, que pode ser de 1 até 999
tipo
Tipo de mensagem do alarme, que pode ser: “RET”, “HIHI”,
“HIGH”, “LOLO”, “LOW” or “”
evt
Tipo de evento: “EVT”, “ACK”, “ALM”, “RTN” or “”
estado
Determina o estado de reconhecimento do alarme: “ACK”,
“UNACK” ou “”

Manual do Usuário

Scripts 265
Exemplo:
// Este exemplo grava um evento do sistema no registro
// de alarmes. A mensagem não vai para o Alarme Resumido
// porque a ID é 0.
Alarms.SimulateAlarm(0, GetTime(),_
"System", "Comm Error",0, 0, 1, "", "EVT", "UNACK")
// Este exemplo simula um alarme High
Alarms.SimulateAlarm(230, GetTime(), "pressure1",_
"Pressao 1 ALTA", 140, 120, 10, "HIGH", "ALM", "UNACK")
// A linha seguinte remove a mensagem simulada do Resumido
// e grava uma mensagem de retorno de alarme falsa no
// registro de alarmes
Alarms.RemoveFromSummary(230)
Alarms.SimulateAlarm(0, GetTime(), "pressure1",_
"Pressure normal",110, 120, 10, "RTN", "ALM", "ACK")
19.5.7. Funções das Receitas
ChooseRecipe(título,registroSel[,x|[,y|[,largura|[,altura|}
Abre um diálogo que permite selecionar uma receita a partir de uma lista, retornando
seu índice no arquivo. O parâmetro titulo é um string a ser mostrado na barra de
título do diálogo (coloque " " para uma janela sem título), registroSel é o índice da
receita a ser selecionada quando o diálogo for aberto (coloque -1 para não selecionar
nenhuma), x, y, largura and altura são opcionais e indicam a posição e o tamanho
da janela; se não forem informados, o diálogo é aberto no centro da tela ou na última
posição em que foi aberto, e uma borda permite que seu tamanho seja modificado.
Exemplo:
// tagReceita irá receber o índice da receita escolhida.
// O Diálogo será aberto no centro da tela, em uma janela
// redimensionável, com o título “Lista de Receitas”.
tagReceita = Receitas.ChooseRecipe("Lista de receitas",1)
CreateNewRecord(description}
Cria um novo registro no arquivo de Receitas conforme o parâmetro description,
retornando o índice do registro no arquivo.

266 Scripts
CopyRecord(indice}
Copia um registro selecionado com os mesmos valores do registro original,
especificados em indice. Esta função retorna o número de novos registros ou 0 se
falhar.
Exemplo:
// Copiando uma receita
DIM nRecord
nRecord = Recipe1.ChooseRecipe("Recipes", -1)
IF nRecord > 0
Recipe1.CopyRecord(nRecord)
ENDIF
DeleteRecipe(registro}
Apaga o registro de número registro em uma receita. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se a operação for efetuada com sucesso ou falso (zero) se não for.
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Receita;
EditRecipe(}
Abre uma caixa de diálogo para editar um arquivo de Receita.
FindRecipe(descrição}
Procura por um registro de uma receita que possui o string description na sua
descrição. Retorna o número do registro ou zero caso não encontre nenhum.
GetRecCount(}
Retorna o número de registros do arquivo de receitas.
GetRecDescription(record}
Retorna a descrição de um registro record no arquivo de Receitas. O parâmetro
record deve estar entre 1 <= record <= GetRecCount().
LoadRecipe(record}
Carrega uma receita record do arquivo de Receitas para os respectivos tags
relacionados. O parâmetro record deve estar entre 1 <= record <= GetRecCount().
A função retorna True se a receita foi carregada corretamente; False, se algum erro
ocorrer.
Exemplo:
// Carrega o quarto registro de Receitas
Receitas.LoadRecipe(4)
Manual do Usuário

Scripts 267
SaveRecipe(record}
Salva o registro record. A função retorna True se a receita foi gravada corretamente;
False, se algum erro ocorrer.
SetRecDescription(record, description}
Muda para description a descrição do registro record no arquivo de Receitas.
19.5.8. Funções de Históricos
Analysis (x, y [, width [, height||}
Abre a janela da análise histórica gerando o seu respectivo gráfico. Os parâmetros x
e y determinam as coordenadas horizontal e vertical da janela da análise,
respectivamente. O parâmetro width determina a largura da janela da análise
histórica. O parâmetro height determina a altura da janela da análise histórica.
Average (src, type, startTime [, endTime|}
Retorna a média de um conjunto de dados do histórico. O parâmetro src determina o
nome do tag que é gravado no histórico. O parâmetro type determina o intervalo de
tempo a ser considerado para calcular a média, que pode ser o seguinte:
Intervalos de tempo
VALOR ATRIBUTO
0
Ano
1
Mês
2
Semana
3
Dia
+
Hora
5
Minuto

O parâmetro startTime determina o tempo inicial da média. O parâmetro endTime
(opcional) determina o tempo final da média. Se ele for utilizado, o parâmetro Type
é ignorado.
Close(}
Fecha um arquivo de histórico.
Edit(}
Edita o registro corrente sem escrevê-lo em disco. Para escrevê-lo use a função
Update().

268 Scripts
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do histórico.
FindTime(time}
Retorna o índice do primeiro registro que possui data e hora maior ou igual à
especificada em time.
FinishBatchProcess(}
Termina um histórico tipo batelada.
GetFirstRec(}
Retorna o número do primeiro registro do arquivo de histórico.
GetLastRec(}
Retorna o número do último registro do arquivo de histórico.
GetRecCount(}
Retorna o número total de registros do arquivo de histórico.
GetRecno(}
Retorna a posição atual do ponteiro para o arquivo de histórico.
GoTo(recno}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o registro de índice recno
sem ler o registro.
IsBOF(}
Verifica se o ponteiro de registros aponta para o início do arquivo de histórico.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o ponteiro estiver no início ou falso (zero)
se não.
IsEOF(}
Verifica se o ponteiro de registros aponta para o fim do arquivo de histórico. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o ponteiro estiver no fim ou falso (zero) se não.
Move(n}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico n registros para frente
(números positivos) ou para trás (números negativos). O registro é lido e seus
valores carregados nos respectivos campos do histórico.
MoveFirst(}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o primeiro registro. O
registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico.
Manual do Usuário

Scripts 269
MoveLast(}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o último registro. O
registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico.
MoveNext(}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o próximo registro. O
registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico.
MovePrev(}
Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o registro anterior. O
registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico.
Open(}
Abre um arquivo de histórico.
RestartLastBatch(}
Reinicia a última batelada.
SPC(}
Executa a análise do SPC.
StartBatchProcess(}
Inicia um histórico por batelada.
Update(}
Escreve o registro corrente.
WriteRecord(}
Escreve um registro no arquivo de histórico.
19.5.9. Funções da Analise Histórica
Analysis(x, y[,width[,height||}
Abre a janela da análise histórica gerando o seu respectivo gráfico. Os parâmetros x
e y determinam as coordenadas horizontal e vertical da janela da análise,
respectivamente. O parâmetro width determina a largura da janela da análise
histórica. O parâmetro height determina a altura da janela da análise histórica.
CloseAnalysis(}
Fecha a janela da análise histórica.

270 Scripts
RequeryAnalysis(}
Reaplica a consulta sobre o arquivo de dados da análise histórica, carregando
novamente os dados na janela da análise.
SPC(}
Executa o CEP (Controle Estatístico de Processos) sobre o arquivo de dados da
análise histórica.
19.5.10. Funções do CEP
Recalc([bMostraJanelaProgresso=1|}
Recalcula todos os dados do CEP. Esta função juntamente com SetDatField()
permite calcular o CEP automaticamente sem ter que abrir as janelas de
configuração e gráfico, especificada através do parâmetro
bNostraJanelaProgresso=1.
SetDatField(nomeCampo}
Ajusta o nome do campo do arquivo histórico que será utlizado nos cálculos do
CEP.
19.5.11. Funções de Relatórios
Funções Comuns
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do relatório.
LoadCfg(nomeArquivo}
Carrega a configuração da impressora, margens e fontes do relatório de um arquivo
em disco salvo pela função SaveCfg().
Print(bShowErrorMessages,[strHeaderBmp|,[strFooterBmp|,
[bStretchHeader|, [bStretchFooter|}
Imprime o relatório conforme a configuração especificada. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o Relatório for impresso com sucesso, ou falso (zero) se não
for. O parâmetro bShowErrorNessages indica se o comando deverá mostrar
mensagens de erro (1) ou deverá executar em modo "silencioso", ou silent mode (0).
Os parâmetros opcionais strHeaderBmp e strFooterBmp indicam os nomes do
arquivos com as imagems a serem incluídas no cabeçalho e no rodapé,
Manual do Usuário

Scripts 271
respectivamente. Já os parâmetros opcionais bStretchHeader e bStretchFooter
habilitam , cada um por vez, o stretch no cabeçalho e no rodapé.
SaveCfg(nomeArquivo}
Salva a configuração da impressora, margens e fontes do relatório em um arquivo;
SetupPrinter(}
Abre a janela de configuração (setup) da impressora.
Relatório Texto
AddFilter (campo, valorMin, valorMax}
Filtra o valor de um campo. O parâmetro campo é um string especificando o nome
do campo numérico a ser filtrado. Os parâmetros valorNin e valorNax especificam
um intervalo de valores para a busca. Registros que possuem valores fora deste
intervalo serão excluídos do relatório. É recomendável configurar o filtro antes da
impressão e removê-lo depois. Mais de um campo podem ser filtrados e somente os
registros que satisfaçam todos os filtros serão incluídos no relatório.
Exemplo:
TextRep1.AddFilter("code", 0, 23)
PrintToFile (arquivo,[bImprimeCabeçalho|, [separador|, [bIndicarProgres|}
Imprime os dados de um arquivo Histórico ou de Alarmes para um arquivo texto
especificado pelo nome no parâmetro fileName.
O parâmetro b!mprimeCabeçalho habilita (1) ou desabilita (0) a impressão do
cabeçalho (este parâmetro é opcional e o valor default é 0). Quando você seleciona
uma Batelada específica para ser impressa com o parâmetro b!mprimeCabeçalho
como 1 e o atributo B!mprimeCabeçalho do Relatório como 1, a função também irá
imprimir os dados do cabeçalho da batelada.
O parâmetro separador é um string contendo o caractere que será utilizado para
separar os campos (é opcional e o valor default é " ", ou seja, um espaço em branco).
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o relatório foi impresso com sucesso ou
falso (zero) se não foi. Nenhum cabeçalho é impresso.
O parâmetro b!ndicarProgress habilita (1) ou desabilita (0) mostrar uma barra de
progresso enquanto o relatório é impresso (este parâmetro é opcional e o valor
default é 0).
Exemplo:

272 Scripts
Relatorio.PrintToFile ("turtle.dat", 1, "-", 1)
RemoveAllFilters(}
Remove os filtros de todos os campos do relatório.
RemoveFilter(campo}
Remove um filtro de um campo field.
19.5.12. Funções de Consultas
FindTime(time, firstReg, lastReg}
Retorna o número do primeiro registro entre firstReg e lastReg que possue a data e
hora maior ou igual a time. Se não existirem registros no intervalo especificado com
a data maior ou igual a time a função retorna -1.
Exemplo:
Query1.FindTime(MakeTime(2,3,1995,13,45,30), 20, 50)
ReloadStructure(}
Força o objeto consulta a recarregar a lista de campos. Isto está requerido se você
mudar a especificação de fonte para a consulta e a estrutura da especificação for
diferente do campo precedente.
Exemplo:
ReportTxt.Query.filename = "C:\Data\MON12.DAT"
ReportTxt.Query.ReloadStructure()
19.5.13. Funções da Plotagem
SaveBitmap (nomeArquivo, largura, altura, escalaFonte}
Grava o gráfico em um arquivo .BMP. O parâmetro nomeArquivo determina o
nome (e o caminho) do arquivo .BMP. largura e altura especificam a largura e
altura do bitmap, respectivamente. escalaFonte determina o tamanho da fonte do
texto do bitmap, de acordo com a fórmula tamanhoDaFonte *
(escalaFonte/1000). Se zero, o tamanho da fonte não é alterado.
Exemplo:
Trend1.Plotter.SaveBitmap("C:\SNAPSHOT.BMP", 320, 200, 0)
ShowDate(bShow}
Mostra a data na régua inferior do gráfico, quando o parâmetro bShow é igual a 1.
Se bShow igual a 0 não mostra a data.
Manual do Usuário

Scripts 273
TimeInHAxis(}
Determina que o eixo X em um gráfico XY expresse tempo.
TimeInVAxis(}
Determina que o eixo Y em um gráfico XY expresse tempo.
Funções do Cursor/Marca/Pena
GetXAxis(}
Retorna o nome do tag/campo do eixo x.
GetYAxis(}
Retorna o nome do tag/campo do eixo y .
SetXAxis(strNome}
Modifica o tag/campo do eixo x através do parâmetro strNome.
SetYAxis(strNome}
Modifica o tag/campo do eixo y através do parâmetro strNome.
19.5.14. Funções de Drivers
Funções Comuns
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do driver.
LoadCfg(nomeArquivo}
Carrega um arquivo, especificado por nomeArquivo, com a configuração do driver.
SaveCfg(nomeArquivo}
Salva a configuração do driver em um arquivo especificado por nomeArquivo.

274 Scripts
Drivers PLC
AddFilter(filter}
Adiciona um filtro de comunicação filter ao Driver. filter permite desabilitar leitura
ou escrita nos Tags PLC ou Bloco que possuam os mesmos parâmetros
especificados no filtro.
Exemplo:
// desabilita todas comunicações
// com N1 ou B1=1 e N2 ou B2 = 30
Driver1.AddFilter("1,30")
// desabilita todas as leituras com N4 ou B4 = 40
Driver1.AddFilter("R,,,40")
filter é um string composto por 4 números separados por vírgulas, correspondendo
aos parâmetros N1/B1, N2/B2, N3/B3, N4/B4. O primeiro parâmetro pode ser
precedido por uma letra como segue:
"R" desabilita leituras
"W" desabilita escritas
“B" desabilita Tags Bloco
"T" desabilita Tags PLC
Se nenhuma letra for especificada todas as leituras e escritas nos tags PLC e Bloco
serão afetadas pelo filtro. A função retorna zero (0) caso ocorra algum erro ou 1 se o
filtro foi adicionado com sucesso.
GetErrorInfo(param}
Retorna informação sobre o último erro; param define qual informação será
retornada.
Se param = 0, retorna o tipo de comunicação que causou o erro:
0 = nenhum erro;
1 = leitura de um Tag PLC;
2 = leitura de um Tag Bloco;
3 = escrita em um Tag PLC;
4 = escrita em um Tag Bloco;
Se param for 1, 2, 3 ou 4, retorna os parâmetros N1 a N4 ou B1 a B4 do Tag PLC ou
Bloco que causou o erro.
Reload(}
Recarrega o driver do disco. Não retorna nenhum valor caso ocorra um erro.
Manual do Usuário

Scripts 275
RemoveAllFilters(}
Remove todos os filtros de um driver. Não retorna nenhum valor caso ocorra um
erro.
RemoveFilter(filter}
Remove um filtro de um driver, adicionado com AddFilter(). Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o filtro foi removido com sucesso ou falso (zero) se ele não
existir ou for inválido. O parâmetro filter deve ser especificado da mesma forma que
em AddFilter().
StartComm(}
Inicia a comunicação com o driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
comunicação foi iniciada com sucesso ou falso (zero) se não foi.
StopComm(}
Encerra a comunicação com o driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
comunicação foi encerrada com sucesso ou falso (zero) se não foi.
Drivers de Rede
Configure(}
Abre uma caixa de diálogo para configuração dos parâmetros do driver de rede.
StartDriver(}
Carrega o driver de rede habilitando a comunicação remota. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o driver foi carregado com sucesso ou falso (zero) se não foi.
StopDriver(}
Pára o driver de rede desabilitando qualquer comunicação remota. Retorna sempre
verdadeiro (diferente de zero) indicando que o driver foi parado com sucesso.

276 Scripts
19.5.15. Funções de Database
AddRecord (bUpdateOuery}
Adiciona um novo registro na database. Retorna TRUE (diferente de zero) se foi
adicionado com sucesso ou FALSE (zero) se algum dos seguintes erros ocorrer:
disco cheio, banco de dados é somente para leitura, uma chave primária com um
valor já existente ou não foram feitas modificações na database. É necessário
preencher todos os campos do registro antes de chamar a função. O parâmetro
bUpdateOuery indica se a consulta (query) deve ser atualizada depois de adicionar-
se o registro. Se o parâmetro estiver em 0 (zero) então o registro adicionado só
estará visível após a atualização da consulta. O valor padrão é 1 (um).
Exemplos:
Table1.ID = tag002
Table1.Valor = tag003
Table1.AddRecord(1)
BeginTrans(}
Inicia uma transação com a database (base de dados). Retorna verdadeiro se a
transação for começada, falso se falhar ou se as transações da sustentação da base de
dados não forem localizadas.
Exemplo:
if (BD1.CanTransact())
BD1.BeginTrans()// inicia uma transação
BD1.GotoRecord(0)// vai para o início
while (not BD1.IsEOF())// se não é o fim do arquivo
BD1.DeleteRecord()// apaga um registro
BD1.MoveNext()// vai para o próximo
wend
BD1.CommitTrans()// mesmo que BD1.EndTrans(1)
endif
CanTransact(}
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a database está disponível para transações
ou falso (zero) se não está. Exemplo: veja em BeginTrans().
CloseConnection(}
Fecha uma conexão ODBC. Esta operação libera o banco de dados para operações
externas, como por exemplo, fazer um backup da database que está sendo usada pelo
Elipse ou mudar algum parâmetro de conexão.
Manual do Usuário

Scripts 277
CommitTrans(}
Termina uma transação salvando todos os novos dados.
Exemplo: veja em BeginTrans().
DeleteRecord(}
Apaga o registro corrente do Banco de Dados. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o registro foi removido ou falso (zero) se algum dos seguintes erros ocorrer:
o banco de dados é somente para leitura, o ponteiro de registros está apontando para
a marca de início de arquivo (BOF), o ponteiro de registros está apontando para a
marca de fim de arquivo (EOF). Esta função apaga todos os registros duplicados, ou
seja, que possuam os mesmos dados, caso um único registro duplicado seja apagado.
Exemplo: veja o exemplo em BeginTrans().
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Banco de Dados.
EditRecord(}
Edita o registro corrente sem escrevê-lo em disco. Para escrevê-lo use a função
Update(). Estas duas funções estão obsoletas e são mantidas para permitir
compatibilidade com versões anteriores do software. Para editar um registro,
atualmente, deve-se apenas modificar os valores dos campos, uma vez estando sobre
os mesmos.
EndTrans(n}
Encerra uma transação conforme o parâmetro n. Se n é um (1) é chamada a função
CommitTrans() se é zero (0) é chamada a função RollBack(). Exemplo: veja em
BeginTrans().
Find(strCondition [, bMoveFirst=0|}
Procura o primeiro registro da condição strCondition. Se bMoveFirst for 1 a busca
partirá do primeiro registro, se bMoveFirst for 0 (opção) a busca partirá do registro
atual. strCondition é uma expressão de texto usada encontrar o registro (como
cláusula Where em uma indicação do SQL sem a palavra Where). (Apenas em
DAO.)

278 Scripts
GetConnectionString(}
Obtém o string de conexão usado pelo driver ODBC.
Exemplo:
// Obtém o string ODBC da conexão de BD1
strConexao = BD1.GetConnectionString()
GetEditMode(}
Retornam o estado da edição para o registro atual. (Apenas em DAO.) Pode ser um
dos seguintes valores:
VALOR ATRIBUTO
-1
A tabela não está conectada (fechada).
0
Nenhuma edição em progresso.
1
O registro está sendo modificado.
2
O registro está sendo adicionado.
GetLastError(}
Retorna a última mensagem de erro ocorrida durante uma transação com o Banco de
Dados.
GetODBCParameter(strParam}
Retornam o valor do parâmetro strParam da string da conexão ODBC. A string da
conexão é uma seqüência dos parâmetros e dos valores de parâmetro como no
ODBC;DSN=C:\Data.DB;Timeout=500.
Exemplo:
strDSN = Table1.GetODBCParameter(.DSN.)
GetRecordNumber(}
Retorna o número do registro no Banco de Dados. O primeiro registro é o número
zero.
GetTableName(}
Obtém o nome da tabela do Banco de Dados. (Apenas em ODBC.)
Manual do Usuário

Scripts 279
GetTotalNumberOfRecords(}
Retorna o número total de registros no Banco de Dados conforme a Consulta
especificada na função SQLQuery().
Exemplo:
// Retorna o número total de registros,
// pois não tem um consulta definida.
BD1.SQLQuery(" ", " ")
TagRam = BD1.GetTotalNumberOfRecords()
GotoRecord(n}
Move o ponteiro de registros para o registro n, conforme a Consulta especificada.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou
falso (zero) se for achado uma marca de fim de arquivo EOF.
Exemplo:
// vai para o 13o. registro, uma vez que o primeiro
// registro tem sempre índice 0 (zero)
Database1.GotoRecord(12)
IsBOF(}
Verifica se o ponteiro de registros está no início do arquivo. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se está ou falso (zero) se não está.
IsEOF(}
Verifica se o ponteiro de registros está no final do arquivo. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se está ou falso (zero) se não está.
Exemplo: veja em BeginTrans().
Locate(strCondição [, bMoveParaInício|}
Procura pelo próximo registro que atenda à expressão informada no parâmetro string
strCondiçao. O parâmetro bNovePara!nicio é um valor booleano que define se a
procura deve começar a partir do primeiro registro do banco de dados
(bNovePara!nicio = 1) ou do registro atual (bNovePara!nicio = 0).
Exemplo:
// Localiza o primeiro registro que atenda a expressão
// a partir do registro atual
Database1.Locate("temp = tag001 * tag002", 0)

280 Scripts
Move(n}
Move o ponteiro do banco de dados n registros para frente relativos a posição atual
do ponteiro. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com
sucesso ou falso (zero) se for achado uma marca de fim de arquivo EOF.
Exemplo:
// Posiciona o ponteiro no 11o. registro, uma vez que
// o primeiro registro tem sempre índice 0 (zero)
Database1.GotoRecord(10)
// Posiciona o ponteiro no próximo registro (12o. registro)
Database1.Move(1)
// Volta dois registros (10o. registro)
Database1.Move(-2)
MoveFirst(}
Move o ponteiro de registros para o primeiro registro do banco de dados. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso
(zero) se não foi.
MoveLast(}
Move o ponteiro de registros para o último registro do banco de dados. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso
(zero) se não foi.
MoveNext(}
Move o ponteiro de registros para o próximo registro. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma
marca de fim de arquivo EOF.
MovePrev(}
Move o ponteiro de registros para o registro anterior. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma
marca de início de arquivo BOF.
OpenConnection(}
Reabre uma conexão ODBC. Deve ser usada somente após uma função
CloseConnection() já ter sido usada, uma vez que os bancos de dados usados no
Elipse SCADA são abertos juntamente com a aplicação. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a operação obteve sucesso ou falso (zero) se não.
Requery(}
Atualiza o Banco de Dados. É útil quando mais de um usuário está usando o BD.
Esta função não é necessária quando você está usando a função Update(1), já que
esta própria função atualiza o BD.
Manual do Usuário

Scripts 281
RollBack(}
Desfaz todas as ações feitas durante uma transação. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se as ações foram desfeitas com sucesso ou falso (zero) se não.
SetODBCParameter(param, valor}
Muda um parâmetro dentro do string de conexão ODBC.
Exemplo:
// muda a string de conexão ODBC para usar o banco
// de dados Access de nome Suporte que se encontra
// no raiz do disco C:
Database1.CloseConnection()
Database1.SetODBCParameter("DBQ", "C:\suporte.mdb")
Database1.OpenConnection()
SetTableName(nomeTabela}
Define um novo nome para a tabela corrente.
Exemplo:
Table1.CloseConnection()
Table1.SetTableName("Producao")
Table1.OpenConnection()
SOLOuery(Filtro, OrdenarPor}
Define um filtro a ser usado na consulta ao Banco de Dados, conforme os
parâmetros Filtro e OrdenarPor.
Filtro: Define um filtro a ser usado na consulta ao Banco de Dados conforme os
campos e as opções do usuário. Para usar este parâmetro você precisa especificar um
valor ou expressão a ser usado para pesquisa de um campo específico. Quando não
existe um filtro específico para o parâmetro Filtro, você deve entrar com um string
vazio.
Os operadores aceitos em expressões neste parâmetro são: =, <> (diferente), <, >,
<=, >=, !< (não menor do que), !> (não maior do que), AND, OR, NOT, LIKE
(semelhante ou igual), IN, BETWEEN, IS NULL, IS NOT NULL.
OrdenarPor: Define uma ordem para a pesquisa no Banco de Dados conforme o
campo especificado, que pode ser ascendente (default) ou descendente. Este campo é
opcional.
Exemplos:
// Procura todos os registros que possuem
// "Maria" no campo nome, em ordem ascendente
Database1.SQLQuery("nome = 'Maria'","nome")


282 Scripts
// Nenhum filtro. Note que as aspas do string
// podem ser duplas ou simples.
Database1.SQLQuery(" ")
// Procura todos os registros que possuem no
// campo name um string maior que 'Mary' e no campo
// salary um número maior que 1000. Ambos os filtros
// devem ser satisfeitos.
Database1.SQLQuery("name > 'Mary' AND salary > 1000")

// Você pode usar o valor de um Tag para criar
// um string usando a concatenação.
Database1.SQLQuery("name = '"+TagRam1+"'")

// Procura todos os registros que possuem no
// campo name um string que começa por 'ma'.
// Por exemplo: Maria, Mario, Manoela, Marcelo…
Database1.SQLQuery("name LIKE 'ma%'")

// Procura todos os registros que possuem no
// campo vendas um número entre 40000 e 100000.
Database1.SQLQuery("vendas BETWEEN 40000 AND 100000")

// Procura todos os registros que possuem no
// campo opcional um espaço em branco, ordenado em
// ordem descendente pelo campo nome.
Database1.SQLQuery("opcional IS NULL","nome DESC")
// Faz a consulta por data
Database1.SQLQuery("Date = #08/03/2004#")
Update(bReconsulta}
Atualiza as mudanças feitas no registro. O parâmetro bReconsulta determina se
deve ser feita uma consulta após atualização dos registros. Se este parâmetro for 1, a
consulta é feita e os registros são atualizados e se for 0, os registros adicionados só
estarão visíveis após a atualização da consulta. Esta função está obsoleta e foi
mantida para permitir compatibilidade com versões anteriores do software.
Atualmente, as gravações no banco de dados são feitas automaticamente quando
necessárias.
Manual do Usuário

Scripts 283
19.5.16. Funções de Aplicações Remotas
Configure(}
Abre uma caixa de diálogo do driver para configuração dos parâmetros da Aplicação
Remota.
Connect(}
Estabelece conexão com a Aplicação Remota. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se a conexão foi estabelecida com sucesso ou falso (zero) se não.
Disconnect(}
Encerra a conexão com a Aplicação Remota. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se a conexão foi encerrada com sucesso ou falso (zero) se não.
EditProperties(}
Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Aplicação Remota.
LoadCfg(nomeArquivo}
Carrega de um arquivo, especificado por nomeArquivo, a configuração da
Aplicação Remota.
SaveCfg(nomeArquivo)
Salva a configuração da Aplicação Remota em um arquivo, especificado por
nomeArquivo.
Funções para Arquivos Remotos
Cancel(}
Aborta uma transferência de arquivo que esteja em andamento.
GetFile(serverFile, clientFile}
Obtém um arquivo do servidor com o nome serverFile e faz uma cópia deste para
um arquivo local com nome clientFile.

284 Scripts
19.6. Atributos
Atributos são dados associados a um objeto que determinam suas características e a
maneira com que ele irá se comportar. Normalmente existe uma janela onde você
pode modificar os atributos de um objeto. Cada atributo tem um tipo associado
representado por seu ícone conforme segue:


Atributo numérico

Atributo string (texto)

Atributo booleano (verdadeiro/falso, true/false

Atributo de sistema, usado internamente pelo Elipse
SCADA.

As seções a seguir irão descrever os seguintes atributos:
Atributos Globais Atributos da Receita
Atributos da Aplicação Atributos do Histórico
Atributos dos Tags Atributos do Relatório
Atributos da Tela Atributos do Driver
Atributos do Alarme Atributos de Databases
Atributo de Usuários Atributo de Aplicação Remota
Atributo de Watcher Atributo de Steeplechase
Atributo de OPCServer
19.6.1. Atributos do Gerenciador Global
Estes atributos são atributos Globais do Elipse SCADA e podem ser modificados de
qualquer ponto da aplicação. Porém, deve-se ter cuidado ao modificar qualquer um
destes atributos já que eles podem mudar a funcionalidade de um Script ou de um
objeto.
currentTime: Um inteiro sem sinal (somente leitura) contendo a data e hora
atual do sistema para ser utilizado em expressões ou em displays com formato
data/hora. É atualizado uma vez por segundo. Não deve ser usado como contador de
tempo em scripts pois não é atualizado durante a execução de scripts. Neste caso,
use a função gettime() que é atualizada sempre que é chamada;
day: Um inteiro contendo o dia do sistema;
Manual do Usuário

Scripts 285
dayofweek: um inteiro sem sinal de 1 to 7 (somente leitura) contendo o número
do dia da semana corrente, conforme segue: 1 - Domingo, 2 - Segunda, 3 - Terça, 4 -
Quarta, 5 - Quinta, 6 - Sexta, 7 - Sábado;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o objeto global;
hour: Um inteiro contendo a hora do sistema;
lasterror: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura) contendo o
código do último erro ocorrido em operações com arquivos ou diretórios;
lasterrorstr: Um string contendo a descrição do último erro ocorrido em
operações com arquivos ou diretórios.
minute: Um inteiro contendo os minutos do sistema;
month: Um inteiro contendo o mês do sistema;
name: Um string contendo o nome do objeto global, usado como identificador
para o mesmo;
performanceCount: Indica a performance da aplicação, que pode variar de 0 a
1000. O valor 0 determina que a aplicação está carregada e 1000 determina que a
aplicação está com folga de processamento.
second: Um inteiro contendo os segundos do sistema;
year: Um inteiro contendo o ano do sistema;
19.6.2. Atributos da Aplicaçáo
allowClose: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o
aplicativo possa ser fechado por outros meios que não a função StopRunning()
como por exemplo, um clique do mouse no botão Close ou o comando Shutdown
do Windows. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou
falso (zero) se não está;
centerWindow: Um atributo booleano usado para habilitar a centralização da
janela da aplicação, no início da sua execução. Retorna True (sem zero) se a
centralização da janela for habillitada e false (zero) caso contrário.
closeButton: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o botão
de close esteja habilitado na janela da aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a aplicação;
exclusive: Um atributo booleano determinando que o Elipse SCADA possua
exclusividade para uso da CPU. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Elipse
SCADA é exclusivo ou falso (zero) se não é;

286 Scripts
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da janela da
Aplicação, em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o
tamanho da janela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no
Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está
usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 480
pixels;
isMaximized: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está
maximizada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está
maximizada ou falso (zero) se não está;
isMinimized: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está
minimizada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está
minimizada ou falso (zero) se não está;
isNormal: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está
normalizada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está
normalizada ou falso (zero) se não está;
keyPadHeight: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da
janela do Key Pad, em pixels. É usado juntamente com o atributo KeyPadWidth para
definir o tamanho da janela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução
usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se
você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar
de 0 a 480 pixels;
keyPadBackColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Key Pad (Teclado em Tela). Este
valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente
(r,g,b) pode variar de 0 a 255.
keyPadKeyColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor das teclas do Key Pad (Teclado em Tela). Este valor
também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b)
pode variar de 0 a 255.
keyPadTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor do texto das teclas do Key Pad (Teclado em Tela).
Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada
componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255.
keyPadTitleBar: Atributo booleano, indica se o Key Pad terá barra de título
(um, default) ou não (zero).
keyPadVisible: Um atributo booleano determinando que o Key Pad seja visível.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Key Pad é visível ou falso (zero) se não
é.
keyPadX: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a
coordenada X para o canto superior esquerdo da janela do Key Pad, em pixels. É
usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo
Manual do Usuário

Scripts 287
da janela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows
para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma
resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels;
keyPadY: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a
coordenada Y para o canto superior esquerdo da janela do Key Pad, em pixels. É
usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo
da janela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows
para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma
resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada Y pode variar de 0 a 480 pixels;
keyPadWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da
janela do Key Pad, em pixels. É usado juntamente com o atributo KeyPadHeight
para definir o tamanho da janela. Este atributo deve ser definido conforme a
resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por
exemplo, se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height
pode variar de 0 a 640 pixels;
largeButtons: Um atributo booleano habilitando botões grandes no Organizer,
Análise Histórica, etc. para facilitar o uso do Touch Screen. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se os botões grandes estão habilitados ou falso (zero) se não
estão.
maximizeButton: Um atributo booleano(somente leitura) determinando que o
botão maximizar esteja habilitado na janela da aplicação. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está.
minimizeButton: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o
botão minimizar esteja habilitado na janela da aplicação. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está.
name: Um string contendo o nome da aplicação, usado como identificador para
a mesma.
noMousePointer: Um atributo booleano usado para desabilitar (esconder) o
ponteiro do mouse em tempo de execução (quando executando uma aplicação).
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o mouse está desabilitado ou falso (zero)
se não está.
noScreenSaver: Um atributo booleano usado para desabilitar o screen saver em
tempo de execução (quando executando uma aplicação). Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o screen saver está desabilitado ou falso (zero) se não está.
numPadCloseButton: Atributo booleano, indica se o botão para fechar o
NumPad deverá ser apresentado (valor um, default) ou não (valor zero).
numPadTitleBar: Atributo booleano, indica se o Numeric Pad terá barra de
título (um, default) ou não (zero).

288 Scripts
numPadTitleBarText: Atributo string, permite indicar um texto para a barra de
título do Numeric Pad (vazio, por default).
numPadTitleBarText: Atributo string, permite indicar um texto para a barra de
título do Key Pad (vazio, por default).
revision: Um inteiro sem sinal (somente leitura) indicando o número de revisão
da aplicação. É automaticamente incrementado cada vez que a aplicação é salva.
saveKeyPadCoord: Um atributo booleano determinando que as coordenadas e o
tamanho da janela do KeyPad (Teclado em tela) seja salvo para carregar na próxima
abertura do mesmo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o salvamento está
habilitado ou falso (zero) se não está.
startMaximized: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação
inicie maximizada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia
maximizada ou falso (zero) se não.
startMinimized: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação
inicie minimizada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia
minimizada ou falso (zero) se não.
startNormal: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação
inicie normalizada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia
normalizada ou falso (zero) se não.
startScreen: Somente para uso do Elipse SCADA. Não são permitidas
modificações por parte de usuários.
titleBar: Um atributo booleano determinando que a Barra de Título seja
mostrada na janela da aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Barra de
Título é mostrada ou falso (zero) se não é.
useKeyPad: Um atributo booleano habilitando o uso do KeyPad (Teclado em
tela) em tempo de execução. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o KeyPad
está habilitado ou falso (zero) se não está.
userAccessLevel: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura)
determinando o nível de acesso do usuário logado na aplicação.
userLogin: Um string (somente leitura) contendo o nome de usuário (login)
corrente.
userName: Um string (somente leitura) contendo o usuário corrente logado na
aplicação.
version: Um string (somente leitura) indicando a versão do Elipse que salvou a
aplicação por último.
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo da janela da Aplicação, em pixels. É usado juntamente
com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da janela. Este
atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se
Manual do Usuário

Scripts 289
tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma resolução de
640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels.
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo da janela da Aplicação, em pixels. É usado juntamente
com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da janela.
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da janela da
Aplicação, em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o
tamanho da janela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no
Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está
usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro width pode variar de 0 a 640
pixels.
19.6.3. Atributos dos Tags
Atributos Comuns
advised: (booleano, somente leitura) Usado para indicar se o item está em
advise, isto é, se os objetos associados ao tag são “informados” sempre que o valor
do tag mudar.
alarmDelay: (inteiro sem sinal) É o tempo mínimo (em milisegundos) que o tag
deve permanecer em uma mesma condição de alarme antes deste tornar-se ativo. Se
alarmDelay for modificado em tempo de execução, o contador de tempo é
reiniciado. Este atributo só é válido se o atributo delayedAlarm for True (ver
atributo delayedAlarm).
alternateName: (string) Nome alternativo do tag para ser usado no registro (log)
de alarmes do Tag.
alwaysInAdvise: (boolean) Permite forçar um tag estar em advise (ver atributo
advised).
currentAlarm: (inteiro sem sinal, apenas leitura) Indica o estado de alarme atual
do tag, conforme segue: 0, sem alarme; 1, LoLo; 2, Low; 3, High e 4, HiHi.
delayedAlarm: (booleano) Se TRUE, o tag deve permanecer um tempo mínimo
(especificado em alarmDelay) em uma mesma condição de alarme (Hi, HiHi, Lo,
LoLo) para ativar (ou gerar) o alarme correspondente.
description: (string) Contém uma breve descrição sobre o tag.
enableAlternateName: (booleano) Habilita utilizar um nome alternativo
(indicado no atributo alternateName) para o registro (log) de alarmes do tag.

290 Scripts
enableReturnLog: (booleano) Usado para habilitar o log da mensagem de
retorno do alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o log está habilitado ou
falso (zero) se não está.
name: (string) Contém o nome do tag, usado como identificador do tag.
returnMessage: (string) Contém a mensagem de retorno de alarme para o tag.
timeStamp: (real, somente leitura) Contém a última data e hora em que o valor
do tag foi modificado.
Atributos de Grupos de Tags
totalAlarms: (inteiro sem sinal, apenas leitura) que indica o número de alarmes
ativos nos tags e subgrupos do grupo.
Atributos de Tags PLC
autoRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura automática do
PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura automática está habilitada
ou falso (zero) se não está. Deve ser usado em conjunto com o atributo enableScan
devendo ambos estarem marcados ou desmarcados;
autoWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita automática no
PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita automática está habilitada
ou falso (zero) se não está;
driverName: Um string contendo o nome do Driver do PLC conectado ao
sistema, é usado como um identificador do Driver;
enableScan: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura do PLC.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scan está habilitado ou falso (zero) se
não está. Deve ser usado em conjunto com o atributo autoRead devendo ambos
estarem marcados ou desmarcados;
high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. Ele é usado
junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação;
high2: Um número real configurando o limite superior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação;
low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. Ele é usado junto
com o atributo high1 para definir um intervalo de variação;
low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação;
n1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N1
conforme a documentação do Driver;
Manual do Usuário

Scripts 291
n2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N2
conforme a documentação do Driver;
n3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N3
conforme a documentação do Driver;
n4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N4
conforme a documentação do Driver;
nFailReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de
leituras incorretas;
nFailWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total
de escritas incorretas;
nOKReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de
leituras feitas com sucesso;
nOKWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total
de escritas feitas com sucesso;
realScan: Um número real (somente leitura) indicando o tempo real de scan em
que o Elipse está conseguindo ler o Tag.
scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o
PLC e o sistema. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada
ou falso (zero) se não está. Com este atributo habilitado você pode configurar os
atributos low1, high1, low2 e high2;
scanTime: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o intervalo
de tempo entre duas leituras;
status: Um string (somente leitura) contendo o estado atual de comunicação do
Tag: "Reading" (lendo), "Writing" (escrevendo), "Idle" (fazendo nada);
Atributos de Tags DDE
computer: Um string contendo o nome do computador a ser conectado usando
DDE. É usado como identificador do computador em uma rede e pode ser mudado
em tempo de execução.
high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. Ele é usado
junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação;
high2: Um número real configurando o limite superior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação;
item: Um string contendo o nome dos dados a serem monitorados pelo Tag
DDE. É usado como identificador dos dados. Em uma conexão entre dois Elipse
SCADA este atributo pode ser um Tag, em uma conexão com o Excel este atributo

292 Scripts
deve ser declarado como RxCy onde x é a linha e y a coluna de uma célula
específica;
low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. Ele é usado junto
com o atributo high1 para definir um intervalo de variação;
low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação;
scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o
PLC e o sistema. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada
ou falso (zero) se não está. Com este atributo habilitado você pode configurar os
atributos low1, high1, low2 e high2;
server: Um string contendo o nome da aplicação a ser conectada usando DDE. É
usado como um identificador da aplicação no computador especificado para a
conexão. Por exemplo, você deseja criar uma conexão DDE no computador
Elipse_Software, que está executando o Elipse SCADA cujo nome DDE é ELIPSE$.
Você pode mudar este atributo em tempo de execução;
topic: Um string contendo o nome da janela ou área de trabalho a ser conectada
usando DDE. É usado como identificador de uma área de trabalho no servidor da
aplicação;
Atributos de Tags Demo
delay: Um inteiro configurando o número de períodos entre cada geração de
valor para o tag demo. Por exemplo, se for 1 um valor é gerado a cada período, se
for 2, gera um valor a cada dois períodos, e assim por diante. É usado junto com o
atributo period para controlar o intervalo de tempo para a variação dos dados. A
fórmula que exprime a frequência de modificação do tag demo é period * delay.
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar a simulação de dados do tag
demo enquanto o tag está ativo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
simulação de dados está habilitada ou falso (zero) se não está;
highLimit: Um número real configurando o limite alto do tag demo. É usado
junto com o atributo lowLimit para definir o intervalo de variação do Tag;
increment: Um número real determinando o incremento a ser adicionado aos
dados conforme a frequência de tempo especificada em period.
lowLimit: Um número real configurando o limite baixo do tag demo. É usado
junto com o atributo highLimit para definir o intervalo de variação do Tag.
period: Um inteiro configurando o intervalo em milisegundos entre a geração de
cada novo valor para o tag demo. É usado junto com o atributo delay para controlar
o intervalo de tempo para a variação dos dados.
type: Um inteiro configurando o tipo de variação do tag demo. A variação é
descrita por uma curva e pode ter os seguintes tipos:
Manual do Usuário

Scripts 293
Tipos de variação
NOME VALOR DESCRIÇÃO
Randömico
0
Dados variando randomicamente
Senoidal
1
Dados variando conforme uma função seno
Onda Ouadrada
2
Dados alternam entre dois valores
Rampa de Subida
3
Um gráfico tipo dente de serra onde os
dados variam de um limite mais baixo para
um mais alto
Triangular
4
Um gráfico tipo dente de serra onde os
dados variam entre dois limites
Rampa de Descida
5
Um gráfico tipo dente de serra onde os
dados variam de um limite mais alto para
um mais baixo
Atributos de Tags Bloco
autoRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura automática do
PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura automática está habilitada
ou falso (zero) se não está. Deve ser usado em conjunto com o atributo enableScan
devendo ambos estarem marcados ou desmarcados.
autoWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita automática no
PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita automática está habilitada
ou falso (zero) se não está.
b1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B1
conforme a documentação do Driver.
b2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B2
conforme a documentação do Driver.
b3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B3
conforme a documentação do Driver.
b4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B4
conforme a documentação do Driver.
driverName: um string contendo o nome do Driver do PLC conectado ao
sistema, é usado como um identificador do Driver.
enableScan: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura do PLC.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scan está habilitado ou falso (zero) se
não está. Deve ser usado em conjunto com o atributo autoRead devendo ambos
estarem marcados ou desmarcados.

294 Scripts
nFailReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de
leituras incorretas.
nFailWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total
de escritas incorretas.
nOKReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de
leituras feitas com sucesso.
nOKWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total
de escritas feitas com sucesso.
realScan: um número real (somente leitura) indicando o tempo real de scan em
que o Elipse está conseguindo ler o Tag.
scanTime: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o intervalo
de tempo entre duas leituras.
size: Um inteiro determinando o tamanho do bloco a ser monitorado pelo Elipse
SCADA.
status: Um string (somente leitura) contendo o estado atual de comunicação do
Tag: "Reading" (lendo), "Writing" (escrevendo), "Idle" (fazendo nada).
Atributos de elementos de Tags Bloco
high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. Ele é usado
junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação.
high2: Um número real configurando o limite superior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação.
index: Um inteiro sem sinal (de 0 ao número total de elementos - 1)
determinando o índice (iniciando em zero) do elemento no bloco.
low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. Ele é usado junto
com o atributo high1 para definir um intervalo de variação.
low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. Ele é usado
junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação.
scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o
PLC e o sistema. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada
ou falso (zero) se não está. Com este atributo habilitado você pode configurar os
atributos low1, high1, low2 e high2.
Atributos de Tags Matriz
nColumns: Um inteiro sem sinal configurando o número de colunas do Tag
Matriz.
Manual do Usuário

Scripts 295
nRows: Um inteiro sem sinal configurando o número de linhas do Tag Matriz.
Atributos de Tags Crono
acum: Valor atual do cronômetro;
autoRestart: Reinicia automaticamente ao atingir valor de preset;
description: Descrição do ítem.
name: O identificador usado para referência do item.
enable: Habilita/Desabilita cronômetro.
resetAcum: Reseta acumulador quando habilitado (reiniciado)
saveAcum: Salva acumulador ao sair.
Atributos de Tags Expressáo
expression: (string) Contém a própria expressão do tag, permitindo que ela seja
modificada em tempo de execução.
Atributos de Tags RAM
initialValue: (string) Contém um valor inicial para o tag e permite que este valor
seja modificado em tempo de execução.
19.6.4. Atributos da Tela
accessLevel: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura) determinando
o nível de acesso da Tela.
background: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de fundo da Tela. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255. Exemplo: tela1.background = RGB(255,0,0)
bitmapName: Um string contendo o nome de um bitmap usado como fundo em
uma Tela. Exemplo: screen.bitmapName = "Leaves.bmp"
border: somente para telas janeladas e de tamanho fixo. Um atributo booleano
determinando que a uma borda de 1 pixel de largura seja mostrada em volta da tela.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada (default) ou falso (zero)
se não é;

296 Scripts
caption: Um atributo booleano determinando que a Barra de Título seja
mostrada na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Barra de Título é
mostrada ou falso se não é;
clipChildren: Um atributo booleano, habilitando o uso do clipping para o
redesenho dos objetos de tela relativo ao fundo da mesma. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o clipping está habilitado ou falso se não está. Este atributo
deve ser habilitado somente se os objetos de tela não estão sobrepostos e não serão
movidos, caso contrário poderá não surtir o efeito desejado;
closeButton: Um atributo booleano determinando que o botão de close seja
mostrado na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado ou
falso (zero) se não é;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Tag;
fullScreen: Um atributo booleano determinando o tipo da tela (cheia ou
janelada). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a tela é cheia ou falso (zero) se é
janelada;
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Tela, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da Tela.
Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se
tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma resolução de
640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 480 pixels;
maximizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão maximizar
seja mostrado na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado
ou falso (zero) se não é;
minimizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão minimizar
seja mostrado na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado
ou falso (zero) se não é;
modal: somente para telas janeladas (fullScreen=0). Um atributo booleano
determinando que a tela seja, ou não, do tipo modal (ela deve ser fechada para que o
foco passe para outras telas abertas). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela
é modal ou falso (zero) se não é;
moveable: Um atributo booleano determinando que a Tela possa ser movida em
tempo de execução. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela pode ser
movida ou falso (zero) se não pode;
name: Um string contendo o nome da Tela, usado como identificador da Tela;
popup: Somente para telas janeladas (fullScreen=0). Um atributo booleano
determinando que a tela seja, ou não, do tipo popup (ela é automaticamente fechada
quando perde o foco). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela é popup ou
falso (zero) se não é;
Manual do Usuário

Scripts 297
resizeable: Um atributo booleano determinando que a Tela possa ser
redimensionada em tempo de execução. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
Tela pode ser redimensionada ou falso (zero) se não pode;
scrollBars: Um atributo booleano determinando que o scroll bar seja mostrado
na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scroll bar é mostrado ou falso
(zero) se não é;
visible: Um atributo booleano determinando que a Tela seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se a Tela é visível ou falso (zero) se não é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Tela, em
pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da Tela.
Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se
tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma resolução de
640x480 (VGA) o parâmetro width pode variar de 0 a 640 pixels;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo da Tela, em pixels. É usado juntamente com o atributo Y
para definir a posição do canto superior esquerdo da Tela. Este atributo deve ser
definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem
scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a
sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels;
xOrigin: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a coordenada X para
a origem da Tela, em pixels. É usado juntamente com o atributo yOrigin para definir
o tamanho da Tela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no
Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está
usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro xOrigin pode variar de 0 a
640 pixels;
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo da Tela, em pixels. É usado juntamente com o atributo X
para definir a posição do canto superior esquerdo da Tela. Este atributo deve ser
definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem
scroll bar. Por exemplo, se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a
sua coordenada Y pode variar de 0 a 480 pixels;
yOrigin: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a coordenada Y para
a origem da Tela, em pixels. É usado juntamente com o atributo xOrigin para definir
o tamanho da Tela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no
Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Por exemplo, se você está
usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro yOrigin pode variar de 0 a
480 pixels;

298 Scripts
19.6.5. Atributos dos Objetos de Tela
Os objetos de tela possuem atributos em comum, que aparecem em todos os objetos
e atributos específicos, associados as suas características únicas. Listamos todos
estes atributos a seguir.
Atributos Comuns
accessLevel: (inteiro) Permite atribuir um nível de segurança ao objeto. Se for 0
(zero), todos os usuários tem livre acesso ao objeto, podendo clicar e entrar dados
neste. Se for 1 (um) ou mais, apenas os usuários com o nível de acesso menor ou
igual podem usar o objeto.
enabled: Valor booleano que, quando verdadeiro (TRUE), habilita o acesso ao
objeto via mouse ou teclado. Este atributo não afeta objetos que não provêem acesso
via teclado ou mouse (como o Display ou o Gauge).
height: Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) que Determina a altura do objeto, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do objeto.
showTip: Valor booleano que habilita o objeto a mostrar uma pequena dica (tip)
quando o mouse está sobre ele.
visible: Valor booleano que indica se o objeto está visível ao usuário (TRUE) ou
não (FALSE).
width: Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) Determinando a largura do objeto, em
pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do objeto.
x, y: Dois inteiros com sinal (de -32768 a 32767) Determinando a coordenada X
e Y para o canto superior esquerdo do objeto, em pixels, a partir do canto superior
esquerdo da Tela em que está o objeto.
Atributos do Alarme
ackALMColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto para uma mensagem de Alarme reconhecida.
Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada
componente RGB pode variar de 0 a 255. Exemplo: Alarm.ackAlmColor =
RGB(255,0,255)
alarmState: (booleano) Determina que a coluna de status dos alarmes seja
mostrada no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de status é
mostrada ou falso (zero) se não é.
alarmType: (booleano) Determina se a coluna de tipo de Alarme será mostrada
no objeto: verdadeiro (diferente de zero) é mostrada; falso (zero) não é.
ampm: (booleano) Determina se a coluna de hora do Alarme será mostrada no
sistema (inglês) de 12 horas. Verdadeiro (diferente de zero), 12 horas; falso (zero)
24 horas.
Manual do Usuário

Scripts 299
comment: (booleano) Determina que a coluna de comentários seja mostrada no
objeto Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de comentários é
mostrada ou falso (zero) se não é.
commentLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) Determinando o comprimento
do comentário que será mostrado. Somente disponível se o atributo comment está
habilitado;
date: (booleano) Determina que a coluna de data seja mostrada no objeto
Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de data é mostrada ou
falso (zero) se não é.
dateFormat: Inteiro sem sinal (de 0 a 7) configurando o formato da data para o
objeto Alarme conforme a tabela a seguir:
VALOR FORMATO
0
MM/DD (03/27)
1
MMM DD (Mar 27)
2
MM/DD/YY (03/27/96)
3
MMM DD YYYY (Mar 27 1996)
+
DD/MM (27/03)
5
DD MMM (27 Mar)
6
DD/MM/YY (27/03/96)
/
DD MMM YYYY (27 Mar 1996)

description: String contendo uma breve descrição sobre o Alarme.
displayTitle: (booleano) Determina que a barra de título do Alarme seja
mostrada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a barra de título é mostrada ou
falso (zero) caso contrário.
enableAlarms: (booleano) Se verdadeiro (diferente de zero), Determina que
todos os alarmes de um grupo de Alarmes estão habilitados.
event: (booleano) Determina que a coluna de eventos seja mostrada no objeto
Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de eventos é mostrada ou
falso (zero) se não é.
finalPriority: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) determinando a maior prioridade de
mensagens de alarme a ser monitorada pelo objeto. Somente mensagens de Alarme
com prioridade inferior a finalPriority serão mostrados no objeto.
initialPriority: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) determinando a menor prioridade
de mensagens de alarme a ser monitorada pelo objeto. Somente mensagens de
Alarme com prioridade maior que initialPriority serão mostrados no objeto.

300 Scripts
largeButtons: (booleano) Habilita botões grandes na toolbar do objeto Alarmes.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os botões grandes estão habilitados ou
falso (zero) se não estão.
limit: (booleano) Determina que a coluna de limites dos alarmes seja mostrada
no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de limites é mostrada
ou falso (zero) se não é.
limitLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 10) determinando o comprimento dos
limites dos Alarmes que serão mostrados. Somente disponível se o atributo limit está
habilitado;
limitPrec: Inteiro sem sinal (de 0 a limitLength - 2) determinando o número de
dígitos decimais para os limites que serão mostrados no Alarme.
name: String contendo o nome do Alarme, usado como identificador do Alarme.
priority: (booleano) Determina que a coluna de prioridades de alarmes seja
mostrada no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de
prioridades é mostrada ou falso (zero) se não é.
rtnColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da mensagem de retorno do Alarme. Este valor também
pode ser especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada componente RGB pode
variar de 0 a 255.
Exemplo:
Alarm.rtnColor = RGB(255,255,0)
tagName: (booleano) Determina que a coluna de nomes dos Tags seja mostrada
no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de nomes dos Tags é
mostrada ou falso (zero) se não é.
tagNameLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 32) determinando o comprimento dos
nomes dos Tags que serão mostrados. Somente disponível se o atributo tagName
está habilitado;
time: (booleano) Determina que a coluna de hora seja mostrada no objeto
Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de hora é mostrada ou
falso (zero) se não é.
timeFormat: Inteiro sem sinal (de 0 a 2) configurando o formato da hora para o
objeto Alarme conforme a tabela a seguir:

VALOR FORMATO
0 HH:MM (14:33)
1 HH:MM:SS (14:33:47)
2 MM:SS (33:47)

Manual do Usuário

Scripts 301
titleBarColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da linha de título do Alarme. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada componente RGB pode variar de 0
a 255. Exemplo: Alarm.titleBarColor = RGB(255,255,0)
titleTextColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de texto do título do Alarme. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada componente RGB pode variar de 0
a 255. Exemplo: Alarm.titleTextColor = RGB(255,255,0)
toolbar: (booleano) Determina que a barra de ferramentas do objeto Alarme seja
mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a barra de ferramentas é
mostrado ou falso (zero) se não é.
toolbarColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da barra de ferramentas do Alarme. Este valor também
pode ser especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada componente RGB pode
variar de 0 a 255. Exemplo: Alarm.toolbarColor = RGB(255,255,0)
type: Inteiro sem sinal (de 0 a 1) definindo o tipo do Alarme, que pode ser
resumido (0) ou histórico (1).
unAckALMColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto para uma mensagem de Alarme não
reconhecida. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r, g, b)
onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255.
userLength: (inteiro de 1 a 20) Indica o tamanho da coluna Usuário (user), em
caracteres.
userName: (booleano) Se verdadeiro, indica que a coluna Usuário (user) deve
ser mostrada.
value: (booleano) Determina que a coluna de valores dos Tags seja mostrada no
objeto Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de valores dos
Tags é mostrada ou falso (zero) se não é.
valueLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 10) determinando o comprimento dos
valores dos Tags que serão mostrados. Somente disponível se o atributo comment
está habilitado;
valuePrec: Inteiro sem sinal (de 0 a valueLength - 2) determinando o número de
dígitos decimais para os valores que serão mostrados no Alarme.
windowColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de fundo do Alarme. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB (r, g, b) onde cada componente RGB pode variar de 0
a 255.

302 Scripts
Atributos da Animaçáo
backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Animação. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
blinkTime: Um inteiro sem sinal (de 0 a 100) determinando o tempo em ms de
pisca-pisca da Animação, ou seja, o tempo em que a zona default irá piscar
alternando com a zona atual.
border: Um atributo booleano determinando que a borda da Animação seja
mostrada no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada ou
falso (zero) se não é;
description: um String contendo uma breve descrição sobre a Animação.
Exemplo:
Animation.description = "Animation Object"
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Animação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está
habilitado ou falso (zero) se não está;
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Animação,
em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da
Animação;
name: Um string contendo o nome da Animação, usado como identificador da
Animação.
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
transparent: Um atributo booleano determinando que o fundo da Animação
seja transparente. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a o fundo é transparente
ou falso (zero) se não é;
visible: Um atributo booleano determinando que a Animação seja visível.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Animação é visível ou falso (zero) se não
é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da
Animação, em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o
tamanho da Animação;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo da Animação, em pixels. É usado juntamente com o
atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Animação a partir da
origem da Tela (0,0);
Manual do Usuário

Scripts 303
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo da Animação, em pixels. É usado juntamente com o
atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Animação a partir da
origem da Tela (0,0);
Atributos da Barra
backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Gráfico de Barras. Este valor também
pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode
variar de 0 a 255;
barColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da Barra no gráfico. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
bipolar: Um atributo booleano determinando que o Gráfico de Barras seja
bipolar, desta forma as barras possuem dois lados divididos por um centro. As barras
crescem a partir do centro em direção aos limites do gráfico. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se o Gráfico de Barras é bipolar ou falso (zero) se não é;
bottomRange: Um número real configurando o valor mínimo para o Gráfico de
Barras. É usado junto com o atributo topRange para definir um intervalo de valores
para a Barra;
bottomRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores
seja mostrada na parte inferior do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se a régua inferior é mostrada ou falso (zero) se não é;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Gráfico de
Barras;
enable3D: Um atributo booleano usado para habilitar um efeito 3D na Barra.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D está habilitado ou falso (zero)
se não está.
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Barra. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou
falso (zero) se não está;
enableRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores
seja mostrada no Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
régua é mostrada ou falso (zero) se não é;
gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da grade e divisões do Gráfico de Barras. Este valor
também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b)
pode variar de 0 a 255;

304 Scripts
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Barra, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Gráfico
de Barras;
label: Um string contendo a unidade de medida a ser mostrada na régua.
Exemplo: Barra1.label = "MHz"
labelEnable: Um atributo booleano determinando que o label da régua seja
mostrado no Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o label da
régua é mostrado ou falso (zero) se não é;
leftRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada à esquerda do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se
a régua à esquerda é mostrada ou falso (zero) se não é;
middle: Um número real determinando o centro das barras bipolares. Somente
disponível se o atributo middle está habilitado;
name: Um string contendo o nome do Gráfico de Barras, usado como
identificador da Barra;
orientation: Um inteiro sem sinal determinando a orientação do Gráfico de
Barras, conforme a tabela a seguir:

GAUGE ORIENTAÇÃO

Vertical, de cima para baixo

Vertical, de baixo para cima

Horizontal, da esquerda para direita

Horizontal, da direita para esquerda
rightRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada à direita do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
régua à direita é mostrada ou falso (zero) se não é;
rulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da régua do Gráfico de Barras. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
rulerDivisions: Um inteiro sem sinal (de 0 a 100) determinando o número de
divisões na régua do Gráfico de Barras. Somente disponível se o atributo
enableRuler está habilitado;
Manual do Usuário

Scripts 305
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
spacing: Um inteiro sem sinal (de 0 a 10) determinando o espaço (em pixels)
entre as barras do gráfico;
textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto da régua. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
thickness: Um inteiro sem sinal configurando a largura do efeito 3D da barra
(em pixels);
topRange: Um número real configurando o valor máximo para o Gráfico de
Barras. É usado junto com o atributo bottomRange para definir um intervalo de
valores para a Barra;
topRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada na parte superior do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se a régua superior é mostrada ou falso (zero) se não é;
visible: Um atributo booleano determinando a visibilidade do gráfico de barras.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o gráfico de barras está visível ou falso
(zero) se não está.
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Gráfico
de Barras, em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o
tamanho da Barra.
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Gráfico de Barras, em pixels. É usado juntamente com
o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Barra a partir da
origem da Tela (0,0).
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Gráfico de Barras, em pixels. É usado juntamente com
o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Barra a partir da
origem da Tela (0,0).
Atributos do Browser
ascending: Um atributo booleano determinando a ordem dos registros a serem
mostrados no Browser. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a ordem é
ascendente ou falso (zero) se é descendente. O default é ascendente;
backColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da área fora da tabela do Browser. Este valor também

306 Scripts
pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode
variar de 0 a 255;
completeRows: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número das
linhas completamente visíveis, não incluindo a última linha se ela estiver
parcialmente visível.
curSel: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do registro
selecionado (somente leitura). Retorna -1 se nenhuma linha está selecionada;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Browser;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Browser. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
firstRec: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do
primeiro registro selecionado para ser visto (somente leitura).
gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor das linhas da grade do Browser. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Browser,
em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do
Browser;
lastRec: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do último
registro selecionado para ser visto (somente leitura).
name: Um string contendo o nome do Browser, usado como identificador do
Browser;
rowColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de fundo das linhas não selecionadas do Browser. Este
valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente
(r,g,b) pode variar de 0 a 255;
rowTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto das linhas não selecionadas do Browser. Este
valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente
(r,g,b) pode variar de 0 a 255;
selColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de fundo da linha corrente, selecionada no Browser. Este
valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente
(r,g,b) pode variar de 0 a 255;
selTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto da linha corrente, selecionada no Browser. Este
valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente
(r,g,b) pode variar de 0 a 255;
Manual do Usuário

Scripts 307
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
titleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da linha de título do Browser. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
titleTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de texto do título do Browser. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
topRow: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do
registro mostrado na primeira linha visível (somente leitura).
visible: Um atributo booleano determinando que o Browser seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Browser é visível ou falso (zero) se não é;
visibleRows: Um Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
linhas visíveis, incluindo a última mesmo que esteja aparecendo só parcialmente
(somente leitura).
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Browser,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
Browser;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Browser, em pixels. É usado juntamente com o atributo
Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Browser a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Browser, em pixels. É usado juntamente com o atributo
X para definir a posição do canto superior esquerdo do Browser a partir da origem da
Tela (0,0);
Atributos do Botáo
buttonAction: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo de ação do
botão, que pode ser Momentâneo (Momentary) (0), Liga-desliga (Toggle) (1) ou Jog
(2);

308 Scripts
buttonType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 6) determinando o tipo do botão de 7
tipos disponíveis:

buttonType = 0

buttonType = 1

buttonType = 2

buttonType = 3

buttonType = +

buttonType = 5

buttonType = 6
backgroundColor0: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor do Botão quando está em seu estado normal (não
pressionado). Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde
cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
backgroundColor1: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor do Botão quando está pressionado. Este valor
também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b)
pode variar de 0 a 255;
bitmap0: Um string contendo o nome do bitmap a ser mostrado como fundo de
um Botão quando está em seu estado normal (não pressionado);
bitmap1: Um string contendo o nome do bitmap a ser mostrado como fundo de
um Botão quando está pressionado;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Botão;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Botão. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
goToScreen: Somente para uso do Elipse SCADA. Não são permitidas
modificações por parte de usuários.
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Botão, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Botão;
Manual do Usuário

Scripts 309
name: Um string contendo o nome do Botão, usado como identificador do
Botão;
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
text0: Um string contendo o texto que será mostrado no Botão quando ele está
em estado normal (não pressionado);
text1: Um string contendo o texto que será mostrado no Botão quando ele está
pressionado;
textColor0: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto do Botão quando está em seu estado normal (não
pressionado). Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde
cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
textColor1: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto do Botão quando está pressionado. Este valor
também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b)
pode variar de 0 a 255;
value0: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o valor do Botão
quando em estado normal (não pressionado);
value1: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o valor do Botão
quando pressionado;
visible: Um atributo booleano determinando que o Botão seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Botão é visível ou falso (zero) se não é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Botão,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
Botão;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Botão, em pixels. É usado juntamente com o atributo Y
para definir a posição do canto superior esquerdo do Botão a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Botão, em pixels. É usado juntamente com o atributo X
para definir a posição do canto superior esquerdo do Botão a partir da origem da
Tela (0,0);

310 Scripts
Atributos do Display
name: Um string contendo o nome do Display, usado como identificador do
Display;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Display;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Display, em pixels. É usado juntamente com o atributo
Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Display a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Display, em pixels. É usado juntamente com o atributo
X para definir a posição do canto superior esquerdo do Display a partir da origem da
Tela (0,0);
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Display,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
Display;
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Display,
em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do
Display;
visible: Um atributo booleano determinando que o Display seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Display é visível ou falso (zero) se não é;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Display. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
horizontalAlign: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o alinhamento
horizontal para os dados que serão mostrados no Display, conforme a tabela abaixo:

VALOR ALINHAMENTO
0 Esquerda
1 Centro
2 Direita

verticalAlign: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o alinhamento
vertical para os dados que serão mostrados no Display, conforme a tabela abaixo:

Manual do Usuário

Scripts 311
VALOR ALINHAMENTO
0 Topo
1 Centro
2 Abaixo

textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto do Display. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Display. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
type: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando o tipo de dados a ser
mostrado no Display, que pode ser um string (1) ou um número (2).
size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando o tamanho dos dados a
serem mostrados no Display.
precision: Um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos
decimais a serem mostrados no Display. Nunca poderá ser maior que o atributo size.
prefix: Um string contendo um prefixo a ser mostrado antes do valor do Tag
associado ao Display;
suffix: Um string contendo um sufixo a ser mostrado depois do valor do Tag
associado ao Display;
multiLine: Um atributo booleano usado para habilitar múltiplas linhas no
Display. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o uso de múltiplas linhas está
habilitado ou falso (zero) se não está;
Atributos do Gauge
name: Um string contendo o nome do Gauge, usado como identificador do
Gauge;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Gauge;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Gauge, em pixels. É usado juntamente com o atributo
Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Gauge a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Gauge, em pixels. É usado juntamente com o atributo

312 Scripts
X para definir a posição do canto superior esquerdo do Gauge a partir da origem da
Tela (0,0);
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Gauge,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
Gauge;
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Gauge, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Gauge;
visible: Um atributo booleano determinando que o Gauge seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Gauge é visível ou falso (zero) se não é;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
points: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de pontos
na régua do Gauge. Alguns pontos não podem ser mostrados se forem definidos
muitos pontos para um Gauge pequeno.
valueVisible: Um atributo booleano determinando que o valor do Gauge seja
mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o valor do Gauge é mostrado ou
falso (zero) se não é;
limitVisible: Um atributo booleano determinando que os limites do Gauge
sejam mostrados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os limites são mostrados
ou falso (zero) se não são;
needleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da agulha do Gauge. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
frameColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da moldura do Gauge. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Gauge. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no Gauge. Este valor também
pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode
variar de 0 a 255;
Manual do Usuário

Scripts 313
minimum: Um número real configurando o valor mínimo para o Gauge. É
usado junto com o atributo maximum para definir um intervalo de valores para o
Gauge;
maximum: Um número real configurando o valor máximo para o Gauge. É
usado junto com o atributo minimum para definir um intervalo de valores para o
Gauge;
startAngle: Um número real configurando o ângulo inicial da agulha do Gauge;
orientation: Um Inteiro sem sinal (de 0 a 3) determinando a orientação do
gráfico do Gauge, conforme segue:

Gauge1.orientation = 0

Gauge1.orientation = 1

Gauge1.orientation = 2

Gauge1.orientation = 3
needleThickness: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando a espessura da
agulha do Gauge, que pode ser ponteiro fino (1) ou grosso (2);
decimalPlaces: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
casas decimais a serem utilizadas na formatação dos valores do Gauge.
ticksValues: Um atributo booleano determinando que os valores das marcas
(ticks) sejam mostrados no Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os
valores são mostrados ou falso (zero) se não são;
ticksVisible: Um atributo booleano determinando que as marcas principais
(ticks) sejam mostradas no Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as
marcas são mostradas ou falso (zero) se não são;
legendVisible: Um atributo booleano determinando que uma legenda seja
mostrada no Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as marcas são
mostradas ou falso (zero) se não são;
thickTicks: Um atributo booleano determinando que as marcas principais do
Gauge sejam grossas. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as marcas são
grossas ou falso (zero) se não são;
bulletsVisible: Um atributo booleano determinando que as marcas sejam
mostradas em forma de bullets. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os bullets
são mostrados ou falso (zero) se não são;

314 Scripts
tickColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor das marcas principais do Gauge. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
normalColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados
como normais. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b)
onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
subTicksVisible: Um atributo booleano determinando que sub-marcas (ticks)
sejam mostradas entre as marcas principais. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se as sub-marcas são mostradas ou falso (zero) se não são;
totalNumberOfSubticks: Um inteiro sem sinal (de 0 a 9) determinando o
número total de sub-marcas a serem mostradas entre as marcas principais.
subTicksColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0
a 16777215) definindo a cor das sub-marcas do Gauge. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
frameVisible: Um atributo booleano determinando que um frame seja mostrado
ao longo do percurso da agulha do Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se
o frame é mostrado ou falso (zero) se não é;
lowLimit: Um número real no intervalo [0,1], configurando a posição da borda
inferior da legenda do Gauge. É usado junto com o atributo hiLimit para definir a
espessura da legenda;
hiLimit: Um número real no intervalo [0,1], configurando posição da borda
superior da legenda. É usado junto com o atributo lowLimit para definir a espessura
da legenda;
isLowLowLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de
valores LowLow do Gauge seja mostrado na legenda. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se o intervalo LowLow é mostrado ou falso (zero) se não é;
lowLowDiv: Um número real configurando o valor do limite superior do
intervalo Low-Low;
lowLowColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores
especificados como Low-Low. Este valor também pode ser especificado pela função
RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
isLowLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de
valores Low do Gauge seja mostrado na legenda. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o intervalo Low é mostrado ou falso (zero) se não é;
lowDiv: Um número real configurando o valor do limite superior do intervalo
Low;
Manual do Usuário

Scripts 315
lowColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados
como Low. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde
cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
isHiLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de
valores High do Gauge seja mostrado na legenda. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o intervalo High é mostrado ou falso (zero) se não é;
hiDiv: Um número real configurando o valor do limite inferior do intervalo
High;
hiColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0
a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados
como High. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde
cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
isHiHiLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de
valores HighHigh do Gauge seja mostrado na legenda. Retorna verdadeiro (diferente
de zero) se o intervalo HighHigh é mostrado ou falso (zero) se não é;
hiHiDiv: Um número real configurando o valor do limite inferior do intervalo
High-High;
hiHiColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados
como High-High. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b)
onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
Atributos do 8etpoint
autoSend: (booleano) Quando em 1 (um), automaticamente manda os dados
entrados no controle para o tag associado quando este perder o foco.
backgroundColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor de fundo do SetPoint. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255.
checkMaximum: (booleano) Usado para habilitar a verificação do valor do
SetPoint com o valor máximo especificado para o mesmo. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a verificação está habilitada ou falso (zero) se não está.
checkMinimum: (booleano) Usado para habilitar a verificação do valor do
SetPoint com o valor mínimo especificado para o mesmo. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a verificação está habilitada ou falso (zero) se não está.

316 Scripts
dateFormat: (string) Define um formato para mostrar e entrar dados de
data/hora em um setpoint. Exemplo: "dd/mm/yy hh:mm:ss" será mostrado como
"02/07/97 18:35:22".

Formatos Data/Hora para o atributo dateFormat
FORMATO SIGNIFICADO
w
Dia da semana (Dom – Sab)
W
Dia da semana (DOM – SAB)
ww
Dia da semana (Domingo – Sábado)
WW
Dia da semana (DOMINGO – SÁBADO)
d
Dia (1 – 31)
dd
Dia (01 – 31)
m
Mês (1 – 12)
mm
Mês (01 – 12)
mmm
Mês (Jan – Dez)
NNN
Mês (JAN – DEZ)
mmmm
Mês (Janeiro – Dezembro)
NNNN
Mês (JANEIRO – DEZEMBRO)
mmmmm
Mês (j – d)
NNNNN
Mês (J – D)
Yy
Ano (00 – 99)
YY
Ano (1970 – 9999)
H
Hora (0 – 23)
Hh
Hora (00 – 23)
N
Minuto (0 – 59) (deve estar acompanhando hs ou seguido de seg.)
mm
Minuto (00 – 59) (deve estar acompanhando hs ou seguido de seg.)
S
Segundo (0 – 59)
Ss
Segundo (00 – 59)
AN/PN Hora no formato 12 horas, mostra AN (manhã) e PN (tarde).
Am/pm Hora no formato 12 horas, mostra am e pm.

A/P Hora no formato 12 horas, mostra A e P.
a/p Hora no formato 12 horas, mostra a e p.
0
Décimos de segundo (deve ser precedido de segundos)
00
Centésimos de segundo (deve ser precedido de segundos)
000
Milésimos de segundo (deve ser precedido de segundos)
]
Nova linha (CR + LF)

Manual do Usuário

Scripts 317
description: (string) Contém uma breve descrição sobre o SetPoint.
enabled: (booleano) Usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto
Setpoint. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso
(zero) se não está.
height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do SetPoint,
em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do
SetPoint.
horizontalAlign: (inteiro sem sinal de 0 a 2) Determina o alinhamento
horizontal para os dados que serão mostrados no SetPoint, a saber: 0, à esquerda; 1,
centro ou 2, à direita.
maximum: Um número real configurando o valor máximo para o SetPoint. É
usado junto com o atributo minimum para definir um intervalo de valores para o
SetPoint;
minimum: Um número real configurando o valor mínimo para o SetPoint. É
usado junto com o atributo maximum para definir um intervalo de valores para o
SetPoint;
multiLine: Um atributo booleano usado para habilitar múltiplas linhas no
SetPoint. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o uso de múltiplas linhas está
habilitado ou falso (zero) se não está;
name: (string) Contém o nome do SetPoint, usado como identificador do
SetPoint.
precision: Um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos
decimais a serem mostrados no SetPoint. Nunca poderá ser maior que o atributo size.
prefix: (string) Contém um prefixo a ser mostrado antes do valor do Tag
associado ao SetPoint. Exemplo: SetPoint.prefix = "Peso"
refresh: Um atributo booleano determinando que o valor do SetPoint seja
atualizado automaticamente se alguma modificação ocorrer no Tag associado.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a atualização automática está habilitada ou
falso (zero) se não está.
selectAll: Um atributo booleano determinando que todos os caracteres do
SetPoint sejam selecionados quando o objeto receber o foco. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a seleção de todos os caracteres está habilitada ou falso (zero)
se não está.
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está.

318 Scripts
size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando o tamanho dos dados a
serem mostrados no SetPoint;
suffix: (string) Contém um sufixo a ser mostrado depois do valor do Tag
associado ao SetPoint. Exemplo: SetPoint.suffix = "Kg"
textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no SetPoint. Este valor
também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b)
pode variar de 0 a 255;
type: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando o tipo de dados a ser
mostrado no SetPoint, que pode ser um string (1) ou Um número (2).
verticalAlign: (inteiro sem sinal de 0 a 2) Determina o alinhamento vertical para
os dados que serão mostrados no SetPoint, a saber: 0, pelo topo; 1, centro e 2, por
baixo.
visible: Um atributo booleano determinando que o SetPoint seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o SetPoint é visível ou falso (zero) se não é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do SetPoint,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
SetPoint;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do SetPoint, em pixels. É usado juntamente com o atributo
Y para definir a posição do canto superior esquerdo do SetPoint a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do SetPoint, em pixels. É usado juntamente com o atributo
X para definir a posição do canto superior esquerdo do SetPoint a partir da origem da
Tela (0,0);
Atributos do 8lider
description: um string contendo uma breve descrição sobre o Slider;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Slider. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
frameColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da moldura do Slider. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Slider, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Slider;
Manual do Usuário

Scripts 319
name: um string contendo o nome do Slider, usado como identificador do
Slider;
orientation: um inteiro sem sinal (de 0 a 1) determinando a orientação do Slider.
Retorna 0 (zero) se o Slider é horizontal ou 1 (um) se vertical;
precision: um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos
decimais a serem mostrados nos limites e no valor visível do Slider.
rangeMaximum: Um número real configurando o valor máximo para o Slider.
É usado junto com o atributo rangeMinimum para definir um intervalo de valores
para o Slider;
rangeMinimum: Um número real configurando o valor mínimo para o Slider. É
usado junto com o atributo rangeMaximum para definir um intervalo de valores para
o Slider;
showRange: Um atributo booleano determinando que os limites do Slider sejam
mostrados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os limites são mostrados ou
falso (zero) se não são;
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
showValue: Um atributo booleano determinando que o valor do Slider seja
mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o valor do Slider é mostrado ou
falso (zero) se não é;
step: Um número real a ser incrementado ou decrementado do valor do Slider
quando as setas do mesmo são pressionadas;
textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no Slider. Este valor também
pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode
variar de 0 a 255;
updateOnRelease: Um atributo booleano determinando que o valor do Slider
seja atualizado quando o botão do mouse for solto depois de mover a alavanca do
Slider. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Slider é atualizado quando sua
alavanca é movida ou falso (zero) se não é.
visible: Um atributo booleano determinando que o Slider seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Slider é visível ou falso (zero) se não é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Slider,
em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do
Slider;

320 Scripts
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Slider, em pixels. É usado juntamente com o atributo Y
para definir a posição do canto superior esquerdo do Slider a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Slider, em pixels. É usado juntamente com o atributo X
para definir a posição do canto superior esquerdo do Slider a partir da origem da
Tela (0,0);
Atributos do Texto
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Texto;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Texto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado
ou falso (zero) se não está;
height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Texto, em
pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Texto;
name: um string contendo o nome do Texto, usado como identificador do Texto;
showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica)
quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está
habilitada ou falso (zero) se não está;
visible: Um atributo booleano determinando que o Texto seja visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se o Texto é visível ou falso (zero) se não é;
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Texto, em
pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Texto;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo do Texto, em pixels. É usado juntamente com o atributo Y
para definir a posição do canto superior esquerdo do Texto a partir da origem da
Tela (0,0);
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo do Texto, em pixels. É usado juntamente com o atributo X
para definir a posição do canto superior esquerdo do Texto a partir da origem da
Tela (0,0);
Atributos da Tendència
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Tendência;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse
ao objeto Tendência. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está
habilitado ou falso (zero) se não está;
Manual do Usuário

Scripts 321
enableDataRec: Um atributo booleano usado para habilitar a Tendência a
coletar novos valores sempre que os Tags associados a ela mudarem. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se os valores são coletados ou falso (zero) se não são;
frozen: Um atributo booleano usado para habilitar/desabilitar o scroll
automatico do Trend. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Trend está
congelado ou falso (zero) se o scroll está habilitado (default);
height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Tendência,
em pixels. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da
Tendência;
isXY: Um atributo booleano. Somente para uso do Elipse SCADA. Não são
permitidas modificações por parte de usuários.
name: Um string contendo o nome do Tendência, usado como identificador da
Tendência;
orientation: Um inteiro sem sinal (de 0 a 3) determinando a orientação do
gráfico da Tendência, conforme a tabela a seguir:

VALOR ORIENTAÇÃO
0
Horizontal, da direita para esquerda
1
Horizontal, da esquerda para direita
2
Vertical, de cima para baixo
3
Vertical, de baixo para cima

showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip
(dica) quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se
a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está;
timeSpan: Um número real determinando o tempo a ser visualizado na
Tendência em segundos.
visible: Um atributo booleano determinando se a tendência está visível. Retorna
verdadeiro (diferente de zero) se a tendência está visível ou falso (zero) se não está.
width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da
Tendência, em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o
tamanho da Tendência;
x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para
o canto superior esquerdo da Tendência, em pixels. É usado juntamente com o
atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Tendência a partir da
origem da Tela (0,0);

322 Scripts
y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para
o canto superior esquerdo da Tendência, em pixels. É usado juntamente com o
atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Tendência a partir da
origem da Tela (0,0);
Atributos da Moldura
borderColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da borda da Moldura. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
borderEnabled: Um atributo booleano determinando que a borda da Moldura
seja mostrada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada ou falso
(zero) se não é;
borderThickness: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando a espessura
da borda da Moldura;
color: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da Moldura. Este valor também pode ser especificado
pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Moldura;
enable3D: Um atributo booleano usado para habilitar um efeito 3D na Moldura.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D está habilitado ou falso (zero)
se não está.
frame: Um atributo booleano determinando que a Moldura seja mostrada.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Moldura é mostrada ou falso (zero) se
não é.
name: Um string contendo o nome da Moldura, usado como identificador da
Moldura;
separator: Um atributo booleano determinando que uma linha de separação do
título seja mostrada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a linha é mostrada ou
falso (zero) se não é;
set3DInset: Um atributo booleano determinando que o efeito 3D seja na parte de
dentro ou de fora da Moldura. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D
é mostrado por dentro ou falso (zero) se é por fora;
thickness3D: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando a espessura do
efeito 3D da Moldura.
title: Um string contendo o título da Moldura;
titleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor do texto do título. Este valor também pode ser
Manual do Usuário

Scripts 323
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
titleEnabled: Um atributo booleano determinando que o título da Moldura seja
mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o título é mostrado ou falso
(zero) se não é;
19.6.6. Atributos da Plotagem
autoRangeX: Um atributo booleano determinando que os limites do eixo X do
gráfico sejam automaticamente calculados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se
o cálculo automático para os limites do eixo X está habilitado ou falso (zero) se não
está;
autoRangeY: Um atributo booleano determinando que os limites do eixo Y do
gráfico sejam automaticamente calculados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se
o cálculo automático para os limites do eixo Y está habilitado ou falso (zero) se não
está;
backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal
(de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Plotagem. Este valor também pode
ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar
de 0 a 255;
backRulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de
0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Plotagem. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
bottomLimit: Um número real configurando o limite inferior a ser mostrado na
régua do eixo Y. É usado junto com o atributo topLimit para definir um intervalo de
valores;
bottomRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores
seja mostrada na parte inferior da Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se a régua inferior é mostrada ou falso (zero) se não é;
bShowMsec: Um atributo booleano determinando que os milisegundos sejam
sejam mostrados na Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os
milisegundos são mostrados ou falso (zero) se não são;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Plotagem;
enableXUnit: Um atributo booleano determinando que a unidade do eixo X seja
mostrada na Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a unidade do eixo
X é mostrada ou falso (zero) se não é;

324 Scripts
enableYUnit: Um atributo booleano determinando que a unidade do eixo Y seja
mostrada na Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a unidade do eixo
Y é mostrada ou falso (zero) se não é;
gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da grade da Plotagem. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
gridVisible: Um atributo booleano determinando que a grade da Plotagem seja
mostrada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a grade é mostrada ou falso
(zero) se não é;
gridX: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de divisões
no eixo X;
gridY: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de divisões
no eixo Y;
leftLimit: Um número real configurando o limite esquerdo a ser mostrado na
régua do eixo X. É usado junto com o atributo rightLimit para definir um intervalo
de valores;
leftRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada à esquerda da Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua
à esquerda é mostrada ou falso (zero) se não é;
name: Um string contendo o nome da Plotagem, usado como identificador da
Plotagem;
rightLimit: Um número real configurando o limite direito a ser mostrado na
régua do eixo X. É usado junto com o atributo leftLimit para definir um intervalo de
valores;
rightRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada à direita da Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua à
direita é mostrada ou falso (zero) se não é;
rulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da régua da Plotagem. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
topLimit: Um número real configurando o limite superior a ser mostrado na
régua do eixo Y. É usado junto com o atributo bottomLimit para definir um intervalo
de valores;
topRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja
mostrada na parte superior da Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
régua superior é mostrada ou falso (zero) se não é;
xUnit: Um string contendo o nome da unidade a ser mostrada no eixo X;
Manual do Usuário

Scripts 325
yUnit: Um string contendo o nome da unidade a ser mostrada no eixo Y;
Atributos do Cursor
barCalc: Determina como o valor da barra é calculado, a saber: 0 = Média;
1 = Máxima; 2 = Mínima; 3 = Por Amostra.
barWidth: Define a largura da barra no eixo X quando for uma barra por
amostra.
bottomWorld: Determina o ponto inferior dos dados do gráfico.
description: Possui a descrição do objeto.
leftWorld: Determina o ponto esquerdo dos dados do gráfico.
mode: Configura o modo de operação do cursor, a saber: 0 = Nenhum;
1 = Modo de Seleção; 2 = Modo de Zoom; 3 = Modo de Rolagem.
name: Contém o nome que identifica o objeto.
penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da pena do cursor. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB (ver função RGB).
penStyle: Especifica o estilo da pena do cursor, a saber: 0 = Sólido;
1 = Tracejado; 2 = Pontilhado; 3 = Traço-Ponto; 4 = Traço-Ponto-Ponto.
penType: Especifica o tipo da pena do cursor a ser desenhado, a saber:
1 = Linha; 2 = Barra; 3 = Área.
penVisible: Atributo booleano que determina se a pena está sendo mostrada
(diferente de zero) ou não (zero).
penWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65.535) determinando a largura da pena
do cursor em pixels.
rangeType: Determina the seleção do cursor:
VALOR ESTILO
0
Sem seleção.
1
A seleção é um ponto.
2
A seleção é um retângulo.
rangeX1: Determina o valor x do primeiro ponto da seleção (atributo
rangeType deve ser 2).
rangeX2: Determina o valor x do segundo ponto da seleção (atributo
rangeType deve ser 2).

326 Scripts
rangeY1: Determina o valor y do primeiro ponto da seleção (atributo
rangeType deve ser 2).
rangeY2: Determina o valor y do segundo ponto da seleção (atributo
rangeType deve ser 2).
rightWorld: Determina o ponto direito dos dados do gráfico (atributo
rangeType deve ser 2).
selLabel: Nome da pena selecionada.
selRecord: Determina o número do registro selecionado: Se o valor for -1, não
há seleção.
selX: Determina o valor x do ponto selecionado (atributo rangeType deve
ser 1).
selY: Determina o valor y do ponto selecionado (atributo rangeType deve
ser 1).
topWorld: Determina o ponto superior dos dados do gráfico.
vLock: Atributo booleano que determina se os limites verticais do gráfico serão
congelados quando em modo zoom ou rolagem (diferente de zero) ou não (zero).
Atributos das Penas
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Pena;
name: Um string contendo o nome da Pena, usado como identificador da Pena;
penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da Pena. Este valor também pode ser especificado pela
função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
penStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 4) determinando o estilo da Pena,
conforme a tabela a seguir:
VALOR ESTILO
0
Sólido
1
Tracejado
2
Pontilhado
3
Traço-Ponto

Traço-Ponto-Ponto
penVisible: Atributo booleano que determina se a pena está sendo mostrada
(diferente de zero) ou não (zero).
penWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Pena
em pixels;
Manual do Usuário

Scripts 327
Atributos da Marca
name: Um string contendo o nome da Marca, usado como identificador da
Marca;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Marca;
penVisible: Um atributo booleano determinando que a Marca seja mostrada.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Marca é mostrada ou falso (zero) se não
é;
markType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo da Marca,
conforme a tabela a seguir:
VALOR TIPO
0 Ponto
1 Vertical
2 Horizontal
penStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 4) determinando o estilo da Marca,
conforme a tabela a seguir:
VALOR ESTILO
0
Sólido
1
Tracejado
2
Pontilhado
3
Traço-Ponto

Traço-Ponto-Ponto
penWidth: Um inteiro sem sinal (from 0 to 65535) determinando a largura da
Marca em pixels;
penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor da Marca. Este valor também pode ser especificado pela
função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255;
x: Um número real determinando a coordenada X da Marca em pixels. É usado
juntamente com o atributo Y para definir a posição da Marca a partir da origem do
gráfico (0,0);
y: Um número real determinando a coordenada Y da Marca em pixels. É usado
juntamente com o atributo X para definir a posição da Marca a partir da origem do
gráfico (0,0);

328 Scripts
19.6.7. Atributos de Alarmes
name: Um string contendo o nome do Alarme, usado como identificador do
Alarme;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Alarme;
logAlarms: Um atributo booleano determinando que os alarmes sejam gravados
no arquivo de log de Alarmes. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a gravação
está habilitada ou falso (zero) se não está;
nRecords: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
alarmes mais recentes a serem gravados no arquivo de log de alarmes.
filename: Um string contendo o nome do arquivo de log de Alarmes;
warningSound: Um atributo booleano usado para habilitar um som de alerta
quando um alarme ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o som de alerta
está habilitado ou falso (zero) se não está;
soundType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o tipo de som a
ser tocado quando um alarme ocorrer. Está disponível somente se o atributo
warningSound está habilitado.
displayMessageBox: Um atributo booleano determinando que as mensagens de
alarme sejam mostradas quando um alarme ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se as mensagens estão habilitadas ou falso (zero) se não estão;
lastAlarmPri: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) informando a prioridade do
último alarme ativado. É um atributo somente de leitura.
19.6.8. Atributos das Receitas
name: Um string contendo o nome da Receita, usado como identificador da
Receita;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Receita;
19.6.9. Atributos dos Históricos
name: Um string contendo o nome do Histórico, usado como identificador do
Histórico;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Histórico;
enabled: Um atributo booleano usado para habilitar a gravação dos dados
históricos no arquivo de Histórico. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
gravação está habilitada ou falso (zero) se não está;
filename: Um string contendo o nome do arquivo de Histórico;
Manual do Usuário

Scripts 329
size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o tamanho do arquivo de
Histórico em número de registros;
writeTime: Um inteiro longo sem sinal (de 0 a 2
32
) determinando a frequência
com que os dados serão escritos no arquivo de Histórico;
batch: Um atributo booleano usado para habilitar um processo de batelada.
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a batelada está habilitada ou falso (zero) se
não está;
isBatchRunning: Um atributo booleano (somente leitura) determinando se a
batelada está sendo executada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
batelada está executando ou falso (zero) se não está;
networkSupport: Um atributo booleano usado para habilitar o suporte a rede
para o Histórico, isto é, permite que o Histórico seja acessado (somente para leitura)
por outras aplicações Elipse na Rede, através de um Browser ou Relatório do tipo
Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o suporte a rede está
habilitado ou falso (zero) se não está;
19.6.10. Atributos da Analise Histórica
name: Um string contendo o nome da Análise Histórica, usado como
identificador da Análise;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Análise Histórica;
advised: Este atributo é somente para leitura e não faz sentido para a Análise
Histórica;
modal: Um atributo booleano determinando que a caixa de diálogo da Análise
Histórica seja modal (não permite acessar nenhuma outra janela antes de ser
fechada) ou modeless (não necessita ser fechada para se acessar outras telas).
Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é modal ou falso (zero) se não é;
pageStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando quais as páginas da
Análise Histórica que devem ser mostradas, conforme a tabela a seguir:

VALOR PÁGINAS
0
Mostra todas as páginas
1
Mostra somente a página da Análise (Gráfico)
2
Mostra somente as páginas selecionadas
showGraphPage: Um atributo booleano determinando que a página Gráfico
seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;

330 Scripts
showPensPage: Um atributo booleano determinando que a página Penas seja
mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
página é mostrada ou falso (zero) se não é;
showPenColorsPage: Um atributo booleano determinando que a página Cores
das Penas seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;
showSettingsPage: Um atributo booleano determinando que a página
Configurações seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;
showQueryPage: Um atributo booleano determinando que a página Consulta
seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero)
se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;
showPrintSetupPage: Um atributo booleano determinando que a página
Impressão seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;
resizeable: Um atributo booleano determinando que a janela da Análise
Histórica possa ser redimensionada em tempo de execução. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a janela pode ser redimensionada ou falso (zero) se não pode;
minimizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão minimizar
esteja habilitado na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está;
maximizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão maximizar
esteja habilitado na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de
zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está;

19.6.11. Atributos da Consulta
batchField: texto (string) que define qual o campo de cabeçalho a ser utilizado
em uma consulta em um histórico por bateladas. Este valor é equivalente ao campo
Field na página Settings nas propriedades do browser. Após configurada esta
propriedade, deve-se chamar a função UpdateOuery() para visualizar os novos
dados no browser.
criteria: um string contendo o nome da batelada que se deseja procurar.
description: um string contendo uma breve descrição sobre a Consulta.
filename: um string contendo o nome do arquivo sobre o qual vai ser aplicada a
Consulta.
finalDay: um inteiro sem sinal (de 1 a 31) determinando o dia final quando o
tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
Manual do Usuário

Scripts 331
finalMonth: um inteiro sem sinal (de 1 a 12) determinando o mês final quando o
tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
finalYear: um inteiro sem sinal (de 1970 a 2039) determinando o ano final
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
finalHour: um inteiro sem sinal (de 0 a 23) determinando a hora final quando o
tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
finalMinute: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o minuto final
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
finalSecond: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o segundo final
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
name: um string contendo o nome da Consulta, usado como identificador da
Consulta.
queryType: um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo de Consulta
conforme a tabela a seguir:
VALOR TIPO DA CONSULTA
0
Intervalo de Tempo
1
Dados mais Recentes
2
Sem Critério
queryUnit: É usado juntamente com o atributo queryvalue, quando este é
igual a 1 (dados mais recentes ou newest data). É um inteiro sem sinal (de 0 a 5)
determinando uma unidade de tempo para a busca dos dados mais recentes,
conforme a tabela a seguir:
VALOR FORMATO
0
Dia
1
Mês
2
Ano
3
Horas
+
Minutos
5
Segundos
queryValue: Somente disponível se o atributo queryType é 1 (Dados mais
Recentes ou newest data). É um inteiro sem sinal determinando um período de
tempo para a busca dos dados mais recentes, especificado no campo Last na página
de Consulta. É usado juntamente com o atributo queryUnit.
startDay: um inteiro sem sinal (de 1 a 31) determinando o dia inicial quando o
tipo de consulta é por Intervalo de Tempo;
startMonth: um inteiro sem sinal (de 1 a 12) determinando o mês inicial quando
o tipo de consulta é por Intervalo de Tempo;

332 Scripts
startYear: um inteiro sem sinal (de 1970 a 2039) determinando o ano inicial
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
startHour: um inteiro sem sinal (de 0 a 23) determinando a hora inicial quando
o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
startMinute: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o minuto inicial
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
startSecond: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o segundo inicial
quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
19.6.12. Atributos do CEP {8PC}
avg: Um número real determinando a média;
cp: Somente para uso do Elipse SCADA.;
cpk: Somente para uso do Elipse SCADA.
cr: Somente para uso do Elipse SCADA;
description: um string contendo uma breve descrição sobre o SPC;
dispersionChartType: um inteiro sem sinal (de 0 a 1) determinando o tipo do
gráfico como Sigmas (0) ou Ranges (1);
dispLCL: Um número real configurando o limite inferior do gráfico de
Dispersão. Ele é usado junto com o atributo dispUCL para definir um intervalo de
variação;
dispUCL: Um número real configurando o limite superior do gráfico de
Dispersão. Ele é usado junto com o atributo dispLCL para definir um intervalo de
variação;
k: Somente para uso do Elipse SCADA;
lcl: Um número real configurando o limite inferior de Controle. Ele é usado
junto com o atributo ucl para definir um intervalo de variação;
lel: Um número real configurando o limite inferior de Engenharia. Ele é usado
junto com o atributo uel para definir um intervalo de variação;
maxValue: (somente leitura) Um número real indicando o valor máximo entre
as amostras calculadas.
minValue: (somente leitura) Um número real indicando o valor mínimo entre as
amostras calculadas.
name: Um string contendo o nome do SPC, usado como identificador do SPC;
nRecords: (somente leitura) um inteiro sem sinal (de 1 a 65535) indicando o
número total de registros analisados.
Manual do Usuário

Scripts 333
pointsPerGroup: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número
de pontos por amostra;
stdDev: Um número real determinando o Desvio Padrão;
ucl: Um número real configurando o limite superior de Controle. Ele é usado
junto com o atributo lcl para definir um intervalo de variação;
uel: Um número real configurando o limite superior de Engenharia. Ele é usado
junto com o atributo lel para definir um intervalo de variação;
19.6.13. Atributos da Batelada
name: Um string contendo o nome da Batelada, usado como identificador da
Batelada;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Batelada;
fieldName: Um string contendo o nome do arquivo da Batelada;
fieldType: Um inteiro sem sinal determinando o tipo de Batelada (somente
leitura).
19.6.14. Atributos dos Relatórios
bottomMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem
inferior do Relatório, em milímetros;
description: um string contendo uma breve descrição sobre o Relatório;
leftMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem
esquerda do Relatório, em milímetros;
name: um string contendo o nome do Relatório, usado como identificador do
Relatório;
printHeader: Um atributo booleano usado para habilitar a impressão de uma
página contendo informações do cabeçalho da batelada. Retorna verdadeiro
(diferente de zero) se a impressão do cabeçalho está habilitada ou falso (zero) se não
está;
printTitle: Um atributo booleano usado para habilitar a impressão de um título
no Relatório. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a impressão do título está
habilitada ou falso (zero) se não está;
rightMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem
direita do Relatório, em milímetros;

334 Scripts
rowColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a
16777215) definindo a cor das linhas do Relatório. Este valor também pode ser
especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0
a 255;
topMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem
superior do Relatório, em milímetros;
19.6.15. Atributos dos Drivers
Driver PLC
abortOnError: Um atributo booleano usado para habilitar a interrupção da
comunicação se algum erro ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
comunicação está habilitada ou falso (zero) se não está;
busy: Um atributo booleano usado para informar se uma comunicação está
ocorrendo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se uma comunicação está
ocorrendo ou falso (zero) se nenhuma comunicação está sendo feita;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Driver;
driverName: Um string contendo o nome do Driver conforme o fabricante, este
nome será usado para a comunicação com o PLC;
driverPath: Um string contendo a localização (path) do Driver;
enableRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura de valores e
blocos do driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura está habilitada
ou falso (zero) se não está;
enableRetry: Um atributo booleano usado para habilitar a uma nova tentativa de
comunicação se algum erro ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a
retentativa está habilitada ou falso (zero) se não está;
enableWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita de valores e
blocos do driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita está habilitada
ou falso (zero) se não está;
hideMouse: Um atributo booleano determinando que o mouse seja escondido
durante a comunicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o desaparecimento
do mouse está habilitado ou falso (zero) se não está;
isLoaded: Um atributo booleano usado para informar se o driver está carregado
em memória ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está
carregado ou falso (zero) se não está;
Manual do Usuário

Scripts 335
isStarted: Um atributo booleano usado para informar se uma comunicação foi
iniciada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se uma comunicação foi
iniciada ou falso (zero) se não foi;
name: Um string contendo o nome do Driver, usado como identificador do
Driver;
p1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P1
conforme a documentação do Driver;
p2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P2
conforme a documentação do Driver;
p3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P3
conforme a documentação do Driver;
p4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P4
conforme a documentação do Driver;
retryCount: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
tentativas, se o atributo enableRetry está habilitado;
Drivers de Rede
bytesReceived: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
bytes recebidos pelo driver (somente leitura);
bytesSent: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de bytes
enviados pelo driver aos clientes (somente leitura);
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Driver;
name: Um string contendo o nome do Driver, usado como identificador do
Driver;
nClients: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de
clientes atualmente conectados ao driver (somente leitura);
rx: Um atributo booleano (somente leitura) usado para informar se o driver está
recebendo dados ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está
recebendo dados ou falso (zero) se não está;
tx: Um atributo booleano (somente leitura) usado para informar se o driver está
enviando dados ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está
enviando dados ou falso (zero) se não está;

336 Scripts
19.6.16. Atributos de Database
name: Um string contendo o nome da database, usado como identificador do
Banco de Dados.
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Banco de Dados.
lastErrorStr: Um string contendo a descrição do último erro ocorrido em
operações com o Banco de Dados.
recno: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do registro
corrente.
sort: Um string contendo o nome do campo no Banco de Dados usado para
ordená-lo.
filter: Um string ou valor usado como filtro quando é feita uma consulta no
Banco de Dados.
directory: Determina o diretório do Database.
lastErrorStr: Descreve os erros ocorridos no database.
originalTableName: Especifica as informações referentes a tabela do database.
Atributos de campos de Databases
advised: (booleano, somente leitura) Indica que o campo está em advise, ou seja,
ele é atualizado toda vez que um objeto associado for referenciado.
originalFieldName: Determina o nome do campo no database.
type: Determina o tipo do campo.
19.6.17. Atributos da Lista de Usuarios
name: Um string contendo o nome do Usuário, usado como identificador do
Usuário.
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Usuário.
19.6.18. Atributos da Aplicaçáo Remota
name: Um string contendo o nome da Aplicação Remota, usado como
identificador da Aplicação Remota;
description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Aplicação
Remota;
isConnected: Atributo booleano usado para informar se a Aplicação Remota
está conectada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está conectada ou
falso (zero) se não está;
Manual do Usuário

Scripts 337
isConnecting: Atributo booleano usado para informar se a Aplicação Remota
está em processo de conexão ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está
conectando ou falso (zero) se não está;
Atributos do Arquivo Remoto
bytesDone: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2
32
) que determina o número de bytes
já comparados / transferidos (somente leitura).
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Arquivo Remoto;
lastError: Um inteiro sem sinal (de 0 a 5) que determina o código do erro
ocorrido na última transferência de arquivo (somente leitura), conforme a tabela a
seguir:
VALOR EVENTO
0
Transferência OK
1
Não conseguiu abrir ou criar arquivo do cliente
2
Arquivo do servidor não foi encontrado.
3
Dados inválidos recebidos do servidor durante conexão
+
Bloco fora de sequência recebido do servidor
5
Erro de posicionamento ou de escrita no arquivo do cliente
name: Um string contendo o nome identificador do Arquivo Remoto;
result: Um inteiro com sinal (de -1 a 1) que determina o resultado da última
transferência de arquivo (somente leitura), conforme a tabela a seguir:
VALOR EVENTO
-1
Nenhuma transferência foi efetuada
0
Última transferência falhou
1
Última transferência teve sucesso.
state: Um inteiro sem sinal (de 0 a 3) indicando o estado da transferência de
arquivo atual (somente leitura), conforme a tabela a seguir:
VALOR EVENTO
0
Nenhuma transferência em andamento
1
Conectando
2
Comparando arquivos
3
Transferindo
totalLength: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2
32
) determinando o número de bytes
a comparar / transferir (somente leitura).

338 Scripts
Atributos do Tag Remoto
alarmDelay: (inteiro sem sinal) É o tempo mínimo (em milisegundos) que o tag
deve permanecer em uma mesma condição de alarme antes deste tornar-se ativo. Se
alarmDelay for modificado em tempo de execução, o contador de tempo é
reiniciado. Este atributo só é válido se o atributo delayedAlarm for True (ver
atributo delayedAlarm).
alternateName: Nome alternativo para este tag no log de alarmes.
alwaysInAdvise: Mantém o valor do tag sempre atualizado.
currentAlarm: Determina o estado do tag. As opções disponíveis são as
seguintes:
Opções disponíveis
ÍNDICE DESCRIÇÃO
0
Indica que não há alarmes ativos.
1
Alarme de nível LOLO
2
Alarme de nível LOW
3
Alarme de nível High
+
Alarme de nível HIHI

delayedAlarm: (booleano) Se TRUE, o tag deve permanecer um tempo mínimo
(especificado em alarmDelay) em uma mesma condição de alarme (Hi, HiHi, Lo,
LoLo) para ativar (ou gerar) o alarme correspondente.
enableAlternateName: Habilita o uso de outro nome para o tag.
enableReturnLog: Habilita/desabilita o log de mensagens de retorno de alarme.
initialValue: (string) Contém um valor inicial para o tag e permite que este valor
seja modificado em tempo de execução.
remoteTag: Caminho do tag remoto.
remoteTagPath: (string) Indica o caminho do tag remoto dentro de uma
aplicação remota.
returnMessage: Determina a mensagem de retorno de alarme do tag.
timeStamp: Data/hora em que o valor do tag foi gerado.
Atributos do Video Remoto
name: Nome do objeto.
remoteCameraId: Determina o ID da câmera na aplicação remota.
Manual do Usuário

Scripts 339
Atributos da Càmera do Video Remoto
bitsPerPixel: Determina o número de bits necessários para armazenar cada pixel
da imagem.
brighness: Determina o ajuste do brilho da imagem.
cameraId: Identificador da câmera na aplicação (de 0 a 65535).
color: Ajusta a saturação de cores da imagem.
contrast: Ajusta o contraste da imagem.
curentFrameRate: Taxa de captura atual.
currentPos: Determina a posição atual (em segundos) na sequência do video.
firstPos: Determina a posição inicial (em segundos) da sequência de video.
frameSize: Determina o tamanho (em bytes) do último quadro capturado.
gamma: Ajuste de gama (de 0 a 1000).
imageHeight: Determina a altura da imagem, em pixels.
imageWidth: Determina a largura da imagem, em pixels.
isPaused: Indica se o video está pausado em um quadro.
isPlaying: Indica se o video está sendo reproduzido.
isStopped: Indica se a entrada de video está parada.
lastPos: Indica a posição final da sequência de video (em segundos).
name: Determina o nome da câmera.
sharpness: Ajusta o foco da imagem.
tint: Ajusta a coloração da imagem.
velocity: Indica a velocidade em que o video está sendo tocado. As opções
disponíveis são as seguintes:
Opções disponíveis
ÍNDICE DESCRIÇÃO
1
Velocidade normal à frente
-1
Velocidade normal para trás

340 Scripts
19.6.19. Atributos do Watcher
Atributos comuns
name: Um string contendo o nome do Watcher, usado como identificador.
description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Watcher.
Atributos do objeto AV¡ Player
duration: Determina o número total de frames do AVI.
fileName: Determina o nome do arquivo AVI.
position: Determina a posição do frame no arquivo AVI.
reverse: Retrocede um frame no arquivo AVI.
speed: Determina a velocidade dos frames do AVI.
timeFormat: Determina o formato de tempo do frame: 0 – duração e posição são
especificados no número de frames e 1 – duração e posição são especificados por
milisegundos.
volume: Determina o volume do som em 0,1% unidades do nível do som original
(1000 = volume original, 500 = metade-volume etc.)
Atributos do objeto AV¡ Recorder
description: Descrição do objeto.
fileName: Nome do arquivo AVI.
frameRate: Indica o número de quadros a gravar por segundo.
isRecording: Inicia/pára a gravação no arquivo AVI.
name: Nome do objeto.
Atributos da Placa 8611
board: Indica o número da placa (de 0 a 7).
color: Determina o formato de cor da saída do video.
customHeight: Determina altura da imagem, empixels (para escala avançada).
custonWidth: Determina a largura da imagem, em pixels (para escala avançada).
Manual do Usuário

Scripts 341
format: Determina o formato da imagem (PAL-M, NTSC, etc).
frameRate: Determina o número de quadros a capturar por segundo.
input: Determina a entrada de video.
interlaced: Determina o entrelaçamento de imagens. As opções disponíveis são
as seguintes:
Opções disponíveis
ÍNDICE DESCRIÇÃO
0
Imagem não entrelaçada
1
Imagem entrelaçada

scale: Define o tamanho da imagem.
Atributos da Placa 8613
board: Determina o número da placa (de 0 a 7).
cfactor: Determina o fator de compressão. As configurações são as seguintes:
Opções disponíveis
ÍNDICE DESCRIÇÃO
0
Menor compressão
Até 65535
Maior compressão:

color: Determina o formato de cor da saída do video.
compress: Determina a compressão da imagem. As configurações são as
seguintes:
Opções disponíveis
ÍNDICE DESCRIÇÃO
0
Sem compressão
1
MJPEG

customHeight: Determina a altura da imagem, em pixels (para escala avançada).
customWidth: Determina a largura da imagem, em pixels (para escala
avançada).
description: Descrição do objeto.

342 Scripts
format: Determina o formato da imagem (PAL-M, NTSC, etc).
frameRate: Determina o número de quadros a capturar, por segundo.
imput: Determina a entrada de video.
interlaced: Determina o entrelaçamento de imagem. Se o valor for 0, a imagem
não é entrelaçada e se for 1, a imagem é entrelaçada.
name: Nome do objeto.
scale: Define o tamanho da imagem.
Atributos do objeto VFW
deviceIndex: Determina o índice do dispositivo na listagem de dispositivo do
sistema.
deviceName: Determina o nome do dispositivo com suporte a Video for
Windows.
deviceVersion: Determina a versão do dispositivo com suporte a Video for
Windows.
frameRate: Determina o número de quadros a capturar por segundo.
Atributos do objeto XPresPlus Camera
fileName: Nome do arquivo de video.
format: Formato da imagem (PAL-M, NTSC, etc).
name: Nome do objeto.
nFrame: Determina o número do quadro atual.
numBoard: Determina o número da placa.
numCam: Define o número total de câmeras.
19.6.20. Atributos do 8teeplechase
server: (string) Contém o nome do servidor Steeplechase.
scan: (inteiro) Tempo de varredura e atualização do Steeplechase (em
milisegundos).
Manual do Usuário

Scripts 343
19.6.21. Atributos do OPC8erver
vrfyTime: (inteiro) Especifica o período de tempo (em milissegundos) em que o
sistema deve verificar se o servidor está ativo.
totalAlarms: (inteiro) Indica o número total de alarmes ativos em um grupo de
tags OPC.


Suporte a DDE 345

O Elipse SCADA permite a troca de informações com outros programas através do
suporte a tecnologia DDE (Dynamic Data Exchange). O sistema pode operar como
servidor ou cliente de aplicativos como o Microsoft Excel, Microsoft Access e
outros.
20.1. Elipse 8CADA como Cliente
O Elipse SCADA trabalhando como Cliente DDE permite buscar dados de
aplicações servidoras DDE. Para tal conexão, é necessário que a outra aplicação seja
servidora DDE (no mesmo computador). A sintaxe DDE é definida na aplicação
servidora. Como Cliente DDE, o Elipse SCADA deve ter um tag DDE configurado
de acordo com a documentação de sintaxe fornecida pela aplicação servidora. Não é
necessário criar qualquer definição na aplicação servidora, pois o Elipse SCADA
pode encontrar as informações automaticamente. A configuração do tag DDE é feita
na página geral do tag no Organizer, como pode ser visto abaixo.

Figura 143: Página de configuração do tag DDE
Capitulo
20
20. 8uporte a DDE

346 Suporte a DDE
Os campos Nome do Servidor, Tópico e !tem são sempre definidos de acordo com
a aplicação servidora. Se a aplicação estiver aberta no mesmo computador que o
Elipse SCADA está rodando, esta é detectada automaticamente através dos itens
Servidor e Tópico. É possível testar a conexão com a aplicação servidora através do
botão |Testar Conexao|.
Você pode enviar um comando DDE para uma aplicação servidora através de
Scripts, usando a função DDEExecute(). Veja o capítulo sobre Scripts, em Funções
Especiais, Gerenciador Global.
Exemplo: Elipse SCADA & Microsoft Excel
A configuração a seguir estabelece uma conexão DDE entre o Elipse SCADA, como
um cliente, e o Microsoft Excel, como servidor, usando a célula A1 em uma planilha
chamada Sheet1 na pasta de trabalho Book1. Ambos os programas estão rodando
no mesmo computador.
Para esse exemplo, execute os seguintes procedimentos:
Crie um Tag DDE.
Faça as seguintes configurações no Tag DDE:
Configurações do Tag DDE
OPÇÃO DESCRIÇÃO
Nome do Servidor Excel
Tópico [Plan1.xls]Plan1
Item L1C1

NOTA: Para versões ou linguagens diferentes do software, tópicos e itens podem
mudar.
O botão Testar Conexão permite testar a conexão DDE. Uma vez feita a
conexão, o tag DDE configurado pode ser usado em objetos de tela, scripts
ou outras funções.
Manual do Usuário

Suporte a DDE 347
20.2. Elipse 8CADA como 8ervidor
Elipse SCADA não necessita de nenhuma configuração especial para trabalhar como
um servidor DDE, precisa apenas estar rodando com uma aplicação aberta no
momento em que outra aplicação precisar acessar seus dados.
Para configurar a aplicação cliente basta especificar os três parâmetros para acessar
o Elipse SCADA como servidor DDE: servidor, tópico e item.
Exemplo: Elipse SCADA & Microsoft Excel
Neste exemplo o Excel (Cliente) precisa acessar um tag no Elipse SCADA
(Servidor) usando DDE.
Para esse exemplo, execute os seguintes procedimentos:
Defina o tag que o Excel irá acessar no Elipse SCADA; por exemplo:
tagDDE.
Crie uma tabela no Excel e salve com qualquer nome; por exemplo:
tabela.xls.
No Excel, digite na célula desejada, digite a seguinte fórmula:
=ELIPSE|Aplicação!Tags.tagDDE, onde: "ELIPSE" é o servidor DDE,
"Aplicação" é o tópico e Tags.tagDDE é o item a ser acessado. Esse item
pode ser qualquer tag ou atributo de qualquer objeto do aplicativo como
por exemplo: "Hist1.DateTime".

1. 1.1. 1.2. 1.3. 2. 2.1.

INTRODUÇÃO ............................................................................................................................................................. 7 VERSÕES DO ELIPSE SCADA.................................................................................................................................. 7 MÓDULOS DE OPERAÇÃO ........................................................................................................................................ 9 PLUG-INS.............................................................................................................................................................. 10 O QUE HÁ NA TELA ................................................................................................................................................. 11 OPÇÕES DE MENU ................................................................................................................................................ 12 2.1.1. Menu Arquivo ........................................................................................................................................ 12 2.1.2. Menu Tela ............................................................................................................................................. 13 2.1.3. Menu Objetos........................................................................................................................................ 14 2.1.4. Menu Arranjar ....................................................................................................................................... 16 2.1.5. Menu Visualizar..................................................................................................................................... 17 2.1.6. Menu Ajuda ........................................................................................................................................... 17 2.2. BARRA DE FERRAMENTAS ..................................................................................................................................... 18 2.2.1. Barra de Ferramentas Aplicação........................................................................................................... 18 2.2.2. Barra de Ferramentas Objetos.............................................................................................................. 19 2.2.3. Barra de Ferramentas Arranjar ............................................................................................................. 20 2.2.4. Barra de Ferramentas Telas ................................................................................................................. 21 2.3. TECLAS DE ATALHO .............................................................................................................................................. 21 2.4. OPÇÕES DE LINHAS DE COMANDO......................................................................................................................... 22

3. 3.1. 3.2.

ORGANIZER .............................................................................................................................................................. 23 APP BROWSER ..................................................................................................................................................... 26 CRIANDO A SUA APLICAÇÃO................................................................................................................................... 27 3.2.1. Propriedades Gerais da Aplicação ........................................................................................................ 28 3.2.2. Janela de Aplicação .............................................................................................................................. 30 3.2.3. Touch Screen........................................................................................................................................ 31 3.2.4. Elipse Web ............................................................................................................................................ 33 3.3. SCRIPTS ............................................................................................................................................................... 34

4. 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 4.5. 4.6. 4.7. 4.8.

TAGS.......................................................................................................................................................................... 35 GRUPO DE TAGS ................................................................................................................................................... 36 NOVO TAG ............................................................................................................................................................ 37 TAG CRONO.......................................................................................................................................................... 38 TAG PLC .............................................................................................................................................................. 39 TAG DDE.............................................................................................................................................................. 41 TAG DEMO ............................................................................................................................................................ 43 TAG EXPRESSÃO .................................................................................................................................................. 45 TAG BLOCO .......................................................................................................................................................... 46 4.8.1. Elemento de Bloco ................................................................................................................................ 48 4.9. TAG RAM .............................................................................................................................................................. 50 4.10. TAG MATRIZ .................................................................................................................................................. 50 4.11. TAG BIT ......................................................................................................................................................... 52 4.12. PÁGINA DE ALARMES ..................................................................................................................................... 53 4.13. SCRIPTS DE TAGS.......................................................................................................................................... 56

5. 5.1. 5.2. 5.3. 6. 6.1. 6.2.

TELAS........................................................................................................................................................................ 57 PROPRIEDADES GERAIS DA TELA .......................................................................................................................... 59 PROPRIEDADES DE ESTILO DE TELAS .................................................................................................................... 60 SCRIPTS DE TELA ................................................................................................................................................. 62 OBJETOS DE TELA .................................................................................................................................................. 63 EDIÇÃO DOS OBJETOS DE TELA............................................................................................................................. 63 PROPRIEDADES DOS OBJETOS DE TELA ................................................................................................................ 64 6.2.1. Página Tamanho e Pos......................................................................................................................... 64 6.2.2. Página Moldura ..................................................................................................................................... 66 6.2.3. Página de Tags ..................................................................................................................................... 67 6.3. SCRIPTS DE OBJETOS DE TELA ............................................................................................................................. 68

6.4. 6.5.

REFERÊNCIA CRUZADA ......................................................................................................................................... 69 OBJETOS DE VISUALIZAÇÃO .................................................................................................................................. 70 6.5.1. Texto ..................................................................................................................................................... 70 6.5.2. Display .................................................................................................................................................. 72 6.5.3. Browser................................................................................................................................................. 75 6.5.4. Bitmap ................................................................................................................................................... 81 6.5.5. Animação .............................................................................................................................................. 82 6.5.6. AVI ........................................................................................................................................................ 86 6.5.7. Video ..................................................................................................................................................... 87 6.5.8. Preview ................................................................................................................................................. 88 6.5.9. Tendência ............................................................................................................................................. 89 6.5.10. Gráfico de Barras.................................................................................................................................. 96 6.5.11. Gauge ................................................................................................................................................. 101 6.6. OBJETOS DE INTERAÇÃO..................................................................................................................................... 103 6.6.1. Slider................................................................................................................................................... 103 6.6.2. Botão................................................................................................................................................... 105 6.6.3. Setpoint ............................................................................................................................................... 109 6.6.4. Alarmes............................................................................................................................................... 112 7. 7.1. 7.2. 8. 8.1. 8.2. 9. 9.1. 9.2. 9.3. 10. ALARMES................................................................................................................................................................ 119 PROPRIEDADES GERAIS DOS ALARMES ............................................................................................................... 119 SCRIPTS DOS ALARMES ...................................................................................................................................... 120 RECEITAS ............................................................................................................................................................... 121 PROPRIEDADES GERAIS DA RECEITA................................................................................................................... 122 EDITANDO RECEITAS .......................................................................................................................................... 123 HISTÓRICOS ........................................................................................................................................................... 125 PROPRIEDADES GERAIS DOS HISTÓRICOS........................................................................................................... 125 ANÁLISE HISTÓRICA ............................................................................................................................................ 126 CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS............................................................................................................ 135 RELATÓRIOS .......................................................................................................................................................... 149 10.1. 10.2. 10.3. 10.4. 10.5. 10.6. 10.7. 10.8. 10.9. 11. PROPRIEDADES GERAIS............................................................................................................................... 151 CONFIGURAÇÕES ........................................................................................................................................ 152 CONSULTA .................................................................................................................................................. 154 BANCO DE DADOS ....................................................................................................................................... 155 BATELADA ................................................................................................................................................... 157 GRÁFICO ..................................................................................................................................................... 159 PENAS......................................................................................................................................................... 161 RELATÓRIO FORMATADO ............................................................................................................................. 163 RELATÓRIO ANÁLISE HISTÓRICA .................................................................................................................. 163

DRIVERS.................................................................................................................................................................. 165 11.1. CONFIGURANDO DRIVERS ............................................................................................................................ 166 11.1.1. Drivers PLC......................................................................................................................................... 166 11.1.2. Drivers de Rede .................................................................................................................................. 169 11.2. SCRIPTS DE DRIVERS .................................................................................................................................. 171 11.3. LISTA DE TAGS ASSOCIADOS ....................................................................................................................... 171

12. 13.

DATABASE.............................................................................................................................................................. 173 USUÁRIOS............................................................................................................................................................... 177 13.1. 13.2. FUNÇÕES E ATRIBUTOS ............................................................................................................................... 179 SCRIPTS DE LOGIN ...................................................................................................................................... 180

14.

APLICAÇÕES REMOTAS ....................................................................................................................................... 181 14.1. 14.2. PROPRIEDADES GERAIS............................................................................................................................... 183 SCRIPTS DE APLICAÇÕES REMOTAS............................................................................................................. 185

15.

ELIPSE WEB ........................................................................................................................................................... 187

16.

WATCHER ............................................................................................................................................................... 189 16.1. OBJETOS DO W ATCHER ............................................................................................................................... 190

17. 18.

STEEPLECHASE..................................................................................................................................................... 203 OPC SERVER .......................................................................................................................................................... 205 18.1. 18.2. 18.3. PROPRIEDADES GERAIS DO OPC SERVER ................................................................................................... 206 TAGS OPC .................................................................................................................................................. 208 GRUPO OPC ............................................................................................................................................... 212

19.

SCRIPTS .................................................................................................................................................................. 215 19.1. 19.2. 19.3. 19.4. 19.4.1. 19.4.2. 19.4.3. 19.4.4. 19.5. 19.5.1. 19.5.2. 19.5.3. 19.5.4. 19.5.5. 19.5.6. 19.5.7. 19.5.8. 19.5.9. 19.5.10. 19.5.11. 19.5.12. 19.5.13. 19.5.14. 19.5.15. 19.5.16. 19.6. 19.6.1. 19.6.2. 19.6.3. 19.6.4. 19.6.5. 19.6.6. 19.6.7. 19.6.8. 19.6.9. 19.6.10. 19.6.11. 19.6.12. 19.6.13. 19.6.14. 19.6.15. 19.6.16. 19.6.17. 19.6.18. 19.6.19. 19.6.20. 19.6.21. CONSIDERAÇÕES GERAIS ............................................................................................................................ 215 APPBROWSER E REFERÊNCIA CRUZADA ...................................................................................................... 217 OPERADORES E CONSTANTES ..................................................................................................................... 218 CONTROLE DE FLUXO .................................................................................................................................. 219 Comando If...Else...ElseIf...EndIf ........................................................................................................ 219 Comando For...Next ............................................................................................................................ 220 Comando While...Wend ...................................................................................................................... 220 Comando Repeat...Until ...................................................................................................................... 221 FUNÇÕES ESPECIAIS .................................................................................................................................... 221 Funções do Gerenciador Global ......................................................................................................... 222 Funções da Aplicação ......................................................................................................................... 246 Funções de Tags................................................................................................................................. 248 Funções de Tela.................................................................................................................................. 253 Funções dos Objetos de Tela ............................................................................................................. 254 Funções de Alarmes ........................................................................................................................... 261 Funções das Receitas......................................................................................................................... 265 Funções de Históricos......................................................................................................................... 267 Funções da Análise Histórica .............................................................................................................. 269 Funções do CEP ................................................................................................................................. 270 Funções de Relatórios ........................................................................................................................ 270 Funções de Consultas......................................................................................................................... 272 Funções da Plotagem ......................................................................................................................... 272 Funções de Drivers ............................................................................................................................. 273 Funções de Database ......................................................................................................................... 276 Funções de Aplicações Remotas........................................................................................................ 283 ATRIBUTOS .................................................................................................................................................. 284 Atributos do Gerenciador Global ......................................................................................................... 284 Atributos da Aplicação......................................................................................................................... 285 Atributos dos Tags .............................................................................................................................. 289 Atributos da Tela ................................................................................................................................. 295 Atributos dos Objetos de Tela ............................................................................................................. 298 Atributos da Plotagem ......................................................................................................................... 323 Atributos de Alarmes........................................................................................................................... 328 Atributos das Receitas ........................................................................................................................ 328 Atributos dos Históricos....................................................................................................................... 328 Atributos da Análise Histórica ............................................................................................................. 329 Atributos da Consulta .......................................................................................................................... 330 Atributos do CEP (SPC) ...................................................................................................................... 332 Atributos da Batelada .......................................................................................................................... 333 Atributos dos Relatórios ...................................................................................................................... 333 Atributos dos Drivers ........................................................................................................................... 334 Atributos de Database......................................................................................................................... 336 Atributos da Lista de Usuários ............................................................................................................ 336 Atributos da Aplicação Remota ........................................................................................................... 336 Atributos do Watcher........................................................................................................................... 340 Atributos do Steeplechase .................................................................................................................. 342 Atributos do OPCServer...................................................................................................................... 343

20.

SUPORTE A DDE .................................................................................................................................................... 345 20.1. 20.2. ELIPSE SCADA COMO CLIENTE ................................................................................................................... 345 ELIPSE SCADA COMO SERVIDOR ................................................................................................................ 347

Estas são convenções utilizadas neste manual:

EXEMPLO

DESCRIÇÃO Nomes de arquivos e outros termos no nível do sistema operacional são indicados com o tipo de letra , em maiúsculas. Nomes de campos e opções que devem ser procurados na tela, em menus ou nas abas dos objetos são indicados com tipo de letra .

“Agitação” Tela1.Show()

Caracteres entre aspas devem ser digitados no lugar mencionado, sem a presença das aspas. Partes de programas (scripts) são indicadas com o tipo de letra Courier. Eles deverão ser digitados nos lugares reservados e depois compilados para a verificação de erros. Caracteres em negrito indicam nomes de objetos do Elipse SCADA ou suas propriedades. Expressões entre os sinais < > devem ser substituídas pelo nome do objeto em questão.

Tank01.High

!

Expressões entre colchetes indicam nomes de teclas. Quando estiverem acompanhadas de um sinal +, você deve pressionar a segunda tecla enquanto pressiona a primeira.

Neste módulo estão disponíveis: • • Funções de monitoramento e controle.! "$ # # $ % Bem-vindo ao Elipse SCADA! A Elipse Software sente-se orgulhosa em apresentar esta poderosa ferramenta para o desenvolvimento de sistemas de supervisão e controle de processos. uma interface com o operador para monitoração e acionamentos. inclusive em blocos. O Elipse SCADA alia alto desempenho e grande versatilidade representados em seus diversos recursos que facilitam e agilizam a tarefa de desenvolvimento de sua aplicação. atendendo as demandas de personalização de nossos clientes. através de sua exclusiva linguagem de programação. cada uma acrescentando recursos em relação à versão anterior. Também é possível fazer acionamentos e enviar ou receber informações para equipamentos de aquisição de dados. o Elipse Basic. As informações recebidas pelo View estão disponíveis também para outras aplicações que possam trabalhar com DDE (Dynamic Data Exchange). através de gráficos e objetos que estão relacionados com as variáveis físicas de campo. Estas versões se diferenciam na sua funcionalidade. podemos observar as características de cada versão: A versão View é indicada para aplicações simples. Agradecemos a sua preferência por nossos produtos e desejamos sucesso com sua nova ferramenta de trabalho! Equipe Elipse Software O Elipse SCADA está disponível em quatro versões. Totalmente configurável pelo usuário. 7 Introdução . permite a monitoração de variáveis em tempo real. é possível automatizar diversas tarefas a fim de atender as necessidades específicas de sua empresa. como por exemplo. Além disso. A seguir. Comunicação com PLCs e outros equipamentos via drivers.

Manual do Usuário • Objetos de tela para a produção de interfaces. Servidor e cliente DDE. Servidor para aplicações remotas. 8 Introdução . caixas de texto. Relatórios. Log de alarmes em disco. o Elipse Basic. estão disponíveis além das características da versão View. gráficos de barra e tendências. Alarmes. medidores (gauges). Receitas. alarmes e outros. as seguintes: • • • • • • Históricos. Programação e automação de processos através de sua exclusiva linguagem de programação baseada em scripts. Controle de acesso através de lista de usuários (autenticação). onde é necessário o armazenamento de dados. como por exemplo. Novos objetos de tela: Browser e Alarmes tipo Histórico. CEP (Controle Estatístico de Processos). Corel Draw! e Microsoft Paint. ! ' # ( ! ) • • • • • • & ! Esta versão é indicada para aplicações de médio porte. como por exemplo. botões. Importação de imagens de editores gráficos. tratamento de informações e criação de relatórios complexos. Nesta versão. imagens. animações.

Age como cliente de aplicações remotas. não é possível qualquer alteração no aplicativo por parte do usuário. transferência e visualização de formas de onda. * Versão especialmente desenvolvida para supervisão de subestações e sistemas elétricos. Utiliza base de tempo local. o software pode ainda ser executado em modo Demonstração. além de todas as características da versão MMI. o modo Demo pode ser utilizado para a avaliação do software. Enquanto que os módulos Configurador e Master foram especialmente desenvolvidos para a criação e o desenvolvimento de aplicativos. seja local ou remota ou ainda que necessitem a troca de informações com bancos de dados. o software pode ser livremente reproduzido e distribuído. o módulo Runtime permite apenas a execução destes. + . $ ! % O Elipse SCADA possui três módulos para sua operação: Configurador. Neste modo. A versão Professional possui. Introdução 9 . Permite conexão com IEDs (Intelligent Electronic Device) e RTU (Remote Terminal Units) através de qualquer protocolo de comunicação. porém são limitadas em número de tags (variáveis): Lite 75 com 75 tags e Lite 300 com 300 tags. Na ausência do hardkey. Ele possui todos os recursos existentes no módulo Configurador. permitindo seqüenciamento de eventos (SOE) com precisão de 1 ms e oscilografia. com exceção de que trabalha com um máximo de 20 tags (variáveis de processo) e permite a comunicação com equipamentos de aquisição de dados por até 10 minutos. Como não necessita do hardkey. Os módulos Runtime e Master estão também disponíveis em versões Lite que possuem as mesmas características. Runtime e Master. inclusive IEC 8705/DNP 3. as seguintes funções: • • • Suporte a ODBC (Open Database Connectivity). O módulo ativo é definido a partir de um dispositivo de proteção (hardkey) que é acoplado ao computador. Suporte a DAO (Data Access Objects). tanto em estações locais como em sistemas telesupervisionados.Manual do Usuário * & * ( !) Esta versão é indicada para aplicações de qualquer porte. que envolvam comunicação em rede. Neste módulo.0.

Atualmente. Eles podem ser adquiridos separadamente e trabalham em conjunto com qualquer versão do software. Utilizando qualquer navegador (Internet Explorer. acrescentando funcionalidades no software. Sistema para supervisão de processos através da Internet. Suporta diversos padrões (inclusive MPEG). recebendo dados em tempo real./ Plug-ins são ferramentas adicionais que permitem a expansão dos recursos do Elipse SCADA. estão disponíveis os seguintes plug-ins: Permite a monitoração de sistemas através de recursos de captura.Manual do Usuário . 10 Introdução . Permite a criação de um banco de imagens com busca por período ou evento e transmissão de imagens em tempo real para estações remotas via TCP/IP ou linha discada. possibilitando a visualização em janelas com tamanho e qualidade programáveis pelo usuário. registro e transmissão digital de imagens em tempo real. Netscape e outros) é possível conectar-se a uma estação de supervisão remota. Com este recurso é possível visualizar processos de qualquer parte do mundo.* $.

bem como o título da tela corrente que está sendo mostrada na área de trabalho. indicadores da ativação do teclado numérico (NUM). A edição de telas e de relatórios é feita nessa área. Os botões da Barra de Ferramentas permitem que você execute determinadas tarefas rapidamente sem usar os menus. A ilustração a seguir mostra a tela principal do Elipse SCADA quando uma aplicação está aberta.! "$ # + + 0$ '1 ! 2 ! Uma maneira fácil de compreender o funcionamento do Elipse SCADA é partir das ferramentas disponíveis e sua apresentação em tela. no módulo Configurador. como por exemplo. O que há na Tela 11 . Ela também mostra uma pequena descrição de um determinado objeto. A Barra de Telas mostra o título da tela corrente e permite que você alterne entre uma tela e outra. por exemplo. Assim. com apenas um clique. A área de trabalho é o espaço onde desenvolvemos a aplicação. identificando seus elementos. A Barra de Status mostra várias informações auxiliares quando editando uma aplicação. você pode criar objetos de tela ou chamar o Organizer. por exemplo um Botão da Barra de Ferramentas ou um item de menu. A Barra de Menus permite a escolha das diversas opções para a configuração da aplicação. letras maiúsculas (CTRL) e rolagem de tela (SCRL) e coordenadas do ponteiro do mouse. A Barra de Título mostra o caminho e o nome de sua aplicação.

A barra de status mostra várias informações auxiliares quando editando uma aplicação. letras maiúsculas ( & ) e rolagem de tela ( & ) e % coordenadas do ponteiro do mouse. Ela também mostra uma pequena descrição de um determinado objeto. você pode criar objetos de tela ou chamar o " # . por exemplo um botão da barra de ferramentas ou um item de menu. por exemplo. indicadores da ativação do teclado numérico ($ ). com apenas um clique.Manual do Usuário Assim. + $ 0$ Figura 1: Menu Arquivo 12 O que há naTela . Descrevemos as opções do Elipse SCADA a seguir. como por exemplo. + $ É através das opções de menu que podemos acessar os recursos e funções do Elipse.

Manual do Usuário Opções do Menu Arquivo $ +. Redesenha as telas carregadas. COMANDO '( ) * '( ) * '( ) * '( ) ( * . Abre uma aplicação já existente. definir o mecanismo de proteção e os seus parâmetros e definir o nome do arquivo da biblioteca linguagem (o default é $ &23 4 ). 56 36 2 7 + + $2 ! Figura 2: Menu Tela Opções do Menu Tela COMANDO $ 4 . Salva a aplicação corrente.( & " # ') /0 . entre outras características. Mostra as propriedades da tela corrente. Chama o Organizer. onde você pode definir uma imagem de fundo e o estilo da janela. Salva uma cópia da aplicação corrente em um novo arquivo.( ' / AÇÃO Cria uma nova tela (tela em branco). Apaga a tela corrente. como criar um arquivo de backup ( +1 quando salvar a ) aplicação. Lista dos quatro arquivos recentemente abertos Encerra o Elipse SCADA. '( ) * AÇÃO Cria uma nova aplicação. Fecha a tela corrente. Permite configurar algumas opções do Elipse SCADA. Permite monitorar a tela corrente. 13 & O que há na Tela / . Executa a aplicação corrente. Fecha a aplicação corrente.

Manual do Usuário + - $ 34 # Figura 3: Menu Objetos 14 O que há naTela .

Copia o objeto selecionado para a área de transferência (clipboard). A mesma função pode ser ativada com um duplo clique sobre o objeto. Para selecionar mais de um objeto. 4 ' / Apaga os objetos selecionados. permitindo que o usuário selecione todos os objetos dentro de uma área delimitada pelo mouse. Depois de escolher o Objeto de Tela desejado. use a tecla !. Um retângulo pontilhado mostra o tamanho e a forma do objeto. Recorta o objeto selecionado. deve-se selecionar uma região da tela para colocar o objeto mantendo-se pressionado o botão esquerdo do mouse enquanto ele é movimentado.Manual do Usuário Opções do Menu Objetos COMANDO 4 // ( ( & ( ' AÇÃO Desseleciona o objeto corrente. / As demais opções criam objetos de acordo os respectivos nomes. Seleciona todos os objetos da tela. ) * Liga o modo de seleção. Mostra as propriedades do objeto selecionado. Cola o objeto contido na área de transferência no local indicado. O que há na Tela 15 . Soltando-se o botão do mouse o objeto será colocado dentro da área especificada.

pela direita.Manual do Usuário + 5 $ ! 4 ! Figura 4: Menu Arranjar Opções do Menu Arranjar COMANDO +" ' 4 / "' ' # ' / / # 8 8 AÇÃO Agrupa os objetos selecionados. 16 O que há naTela . Centraliza na tela os objetos selecionados. pelo topo ou pela base. Traz o objeto selecionado para o primeiro plano (frente da tela). Desagrupa o grupo de objetos selecionados. Envia o objeto selecionado para o último plano (fundo da tela). Alinha objetos selecionados pela esquerda. Faz com que os objetos selecionados tenham o mesmo tamanho.

Mostra ou esconde a Barra de Status. O que há na Tela 17 . +: '/ +4+ AÇÃO Mostra o índice da ajuda. Explica como a ajuda deve ser usada. Mostra informações a respeito do Elipse SCADA. como a versão. o número do hardkey e direitos de cópia.Manual do Usuário + 6 $ $! 7 ! Figura 5: Menu Visualizar Opções do Menu Visualizar COMANDO / / AÇÃO Mostra ou esconde a Barra de Ferramentas. + 8 $ 4 ! $ Figura 6: Menu Ajuda Opções do Menu Ajuda COMANDO 9 ( % / . Mostra ou esconde a Barra de Telas.

Essas funções são distribuídas em quatro conjuntos. Copia o objeto selecionado para a área de transferência. Executa a aplicação corrente. Cria uma nova tela. Arranjar e Telas. Recorta o objeto selecionado copiando para a área de transferência. Abre a ajuda do sistema. # ! A Barra de Ferramentas oferece um acesso rápido às funções do Elipse SCADA. Executa a aplicação corrente iniciando pelas telas que estão abertas. Abre uma aplicação já existente. a saber: Aplicação. Mostra as propriedades do objeto selecionado. Objetos de Tela. Ativa a ajuda sensível ao contexto. Mostra as propriedades da tela selecionada.Manual do Usuário + + 9! ! : !. ++ 9! ! : !. 18 O que há naTela DESCRIÇÃO . # ! ! % Figura 7: Barra de Ferramentas Aplicação Opções da Barra de Ferramentas Aplicação BOTÃO Cria uma nova aplicação. Vejamos cada um deles. Chama o Organizer. Cola o objeto que está na área de transferência no local indicado na tela. Salva a aplicação corrente.

Cria um novo objeto Setpoint. Cria um novo objeto Browser. Cria uma nova Animação. Cria um novo objeto Slider. # ! 34 # Figura 8: Barra de Ferramentas Objetos Opções da Barra de Ferramentas Objetos BOTÃO DESCRIÇÃO Liga o modo de seleção. Cria um novo objeto Display. Cria um novo objeto Gauge (medidor). Cria um novo objeto Botão. Cria um novo objeto Vídeo. Cria uma nova área de texto (objeto Texto). Cria um objeto AVI. O que há na Tela 19 . Cria um novo objeto Gráfico de Barra. Cria um novo objeto Alarme. Cria um novo objeto Bitmap.Manual do Usuário +++ 9! ! : !. Cria um novo objeto Preview. Cria um novo objeto Gráfico de Tendência. permitindo que o usuário selecione todos os objetos dentro de uma área delimitada pelo mouse.

Alinha os objetos selecionados pelo lado esquerdo.Manual do Usuário ++- 9! ! : !. 20 O que há naTela . Agrupa os objetos selecionados. Para selecionar mais de um Objeto de Tela utilize o botão esquerdo do mouse mantendo a tecla ! pressionada. Centraliza horizontalmente os objetos selecionados em relação à tela. Alinha os objetos selecionados pelo lado direito. Alinha os objetos selecionados pelo topo. Faz com que os objetos selecionados tenham a mesma altura. o último objeto selecionado fica com o foco em vermelho para ser usado como referência. Alinha os objetos selecionados pela base. Figura 9: Barra de Ferramentas Arranjar Opções da Barra de Ferramentas Arranjar BOTÃO DESCRIÇÃO Envia o objeto selecionado para o último plano (fundo da tela). Faz com que os objetos selecionados tenham o mesmo tamanho. Faz com que os objetos selecionados tenham a mesma largura. Centraliza verticalmente os objetos selecionados em relação à tela. os mesmos comandos estão disponíveis no menu Arranjar. Traz o objeto selecionado para o primeiro plano (frente da tela). # ! ! 4 ! A Barra de Ferramentas Arranjar possui comandos para edição de Telas agindo sobre os Objetos de Tela que estiverem selecionados. Para desselecionar um objeto use a combinação de teclas: !+ 8 !+ * / !. Desagrupa os objetos selecionados.

Figura 10: Barra de Ferramentas Telas +. Listamos abaixo as teclas disponíveis. Informações “Sobre o Elipse SCADA” Chama a ajuda Chama a ajuda de contexto Editando uma aplicação TECLAS Salvar aplicação -5< + $ -= + 8 8 -5< Rodar (executar) aplicação Chama o Organizer Nova tela Monitorar tela Conta o número de itens da aplicação Chama a janela de configuração da fonte do Editor de Scripts Editando Relatórios TECLAS -7 /( + 4 DESCRIÇÃO Fecha o editor de relatórios Desselecionar objeto Selecionar todos objetos Apagar objeto DESCRIÇÃO DESCRIÇÃO O que há na Tela 21 . agrupadas por função.Manual do Usuário ++5 9! ! : !. # 2 ! ! A Barra de Ferramentas Telas mostra o nome da tela corrente e permite trocar de tela através de uma lista que mostra o nome de todas as telas existentes na aplicação.2 ! # ' ! Outra maneira para acessar rapidamente as funções do Elipse SCADA são as teclas de atalho. Opções Gerais TECLAS Abrir aplicação 8 -5 8 -5 .

INI). ? % ? 4 $ +'' 22 O que há naTela .EXE [-DEMO] [-SETUP] [-EDIT] [<NomeApp>] Onde: ?4 (Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar em modo de demonstração.INI configurando a seção [ProtectionType]. esta aplicação será aberta para configuração. sem verificar os mecanismos de proteção (hardkey). O executável 23 > possui a seguinte sintaxe: ELIPSE32. (Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar o programa de Setup. (Opcional) Força o Elipse SCADA a rodar no modo Configurador. (Opcional) O nome da aplicação que irá rodar automaticamente ou será aberta para configuração (quando o -EDIT é especificado).! É possível chamar o Elipse SCADA diretamente da linha de comando. 8 8 4 / / DESCRIÇÃO Fechar tela Desselecionar objeto Selecionar todos objetos Apagar objeto Recortar objeto Copiar objeto Colar objeto Recortar objeto Copiar objeto Colar objeto +5 '! .Manual do Usuário Editando Telas TECLAS -7 /( + 4 > . Se o nome de uma aplicação for informado na linha de comando. Esta opção reescreve o arquivo . que permite a você configurar as opções no arquivo de preferências (.

que se constituem nos principais elementos de sua aplicação.! 7 O desenvolvimento de uma aplicação no Elipse SCADA é baseado na ferramenta Organizer. Databases. A estrutura básica do Organizer é apresentada a seguir: Figura 11: Árvore de classes de objetos no Organizer Você pode chamar o Organizer somente quando existir uma aplicação aberta selecionando o comando Organizer do menu Arquivo ou pressionando o botão do Organizer na Barra de Ferramentas. Alarmes. Relatórios. Receitas. Telas. ajudando na edição e configuração de todos os objetos envolvidos no sistema através de uma árvore hierárquica. Selecionando-se qualquer um dos ramos da árvore da aplicação o mesmo irá se expandir mostrando seu conteúdo desta forma você pode facilmente navegar pela aplicação tendo disponíveis todas as opções de configuração desde a criação de Tags até o redimensionamento de objetos em uma tela específica. A seguinte janela irá aparecer: Organizer 23 .! "$ # - . Desta forma a estrutura da aplicação começa no canto superior esquerdo com a raiz da aplicação. Ele permite uma visão simples e organizada de toda a aplicação. Drivers. Históricos. A estrutura do Organizer pode ser comparada à árvore de diretórios do Gerenciador de Arquivos do Windows. Todos os objetos da aplicação descem a partir da raiz agrupados de acordo com seu tipo: Tags.

Selecionando-se qualquer um de seus ramos. se você selecionar Tags na árvore do Organizer você poderá criar novos Tags e editar suas propriedades selecionando a página desejada a partir dos abas no topo da janela.Manual do Usuário Figura 12: Organizer A partir do Organizer você pode criar toda a sua aplicação simplesmente navegando através da árvore da aplicação. as propriedades do objeto selecionado serão mostradas no lado direito da janela onde poderão ser editadas. Os botões na Barra de Ferramentas do Organizer permitem realizar determinadas tarefas rapidamente sem usar os menus. Por exemplo. Existem 13 botões como pode ser verificado na tabela a seguir: 24 Organizer .

Insere o comando IF...UNTIL no script selecionado.NEXT no script selecionado. Compila todos os scripts que não estão compilados. no ponto onde está o cursor... no ponto onde está o cursor. possibilitando ao usuário acessar cada script com um duplo clique.WEND (fim de While) no script selecionado... ' Recompila todos os scripts da aplicação. mostrando em vermelho os que estão com erro. no ponto onde está o cursor. Insere o comando WHILE.Manual do Usuário Ferramentas do Organizer ICONE 4 4 '( +'' @/ # NOME AÇÃO Apaga um ou mais itens selecionados no Organizer. no ponto onde está o cursor.IF no script selecionado.0$ B C 0C Insere o comando ELSE.. no ponto onde está o cursor.ENDIF no script selecionado. É gerada uma lista dos scripts compilados. Duplica o item selecionado na árvore do Organizer. / 08 / . Insere o comando FOR. no ponto onde está o cursor... Chama a Referência Cruzada. & 8 A( ' ' & ( 8 & ' 0% Organizer 25 . Insere o comando REPEAT. Chama o AppBrowser. Insere o comando ELSE no script selecionado.. Compila o script que está sendo editado.

pode-se visualizar as funções e atributos relacionados a este objeto. Quando estamos escrevendo um script. permitindo a cópia do atributo ou função em questão para as linhas de programação. um botão ' ( ' ?? fica disponível nesta janela. Clicando em qualquer objeto. Ele é composto de uma janela que apresenta a árvore da aplicação com seus objetos.Manual do Usuário - 9 O AppBrowser é uma importante ferramenta do Organizer. Figura 13: App Browser 26 Organizer . facilitando essa tarefa.

+' ( ) . Em uma aplicação. Para criar uma nova aplicação. ou clique no botão * No quadro +' ( ) $ D * escolha um nome e o lugar onde a aplicação será salva. o usuário reúne todos os objetos necessários para execução das tarefas desejadas. Além dos arquivos de extensão + . As informações referentes a esta aplicação ficam armazenadas em um arquivo de extensão + . Backup da aplicação Arquivo de históricos Cabeçalhos de arquivos de históricos por batelada Arquivo de receitas Drivers de comunicação Organizer 27 .Manual do Usuário -+ ! ! $! ! ! % A criação de uma aplicação é o ponto de partida para montagem de um sistema utilizando o Elipse SCADA. existem outros gerados e utilizados pelo Elipse SCADA: Extensões disponíveis EXTENSÃO + > +1 4+ E4& & 4 6 DESCRIÇÃO Arquivo com configurações da lista de usuários. faça isso: Escolha no menu + a opção $ correspondente na barra de ferramentas.

Figura 14: Propriedades da Aplicação 28 Organizer . A página de propriedades gerais da Aplicação aparece quando selecionada a aba +' ( ) no topo das páginas da * Aplicação. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.Manual do Usuário -+ * ! < ! ! ! % Quando você seleciona a raiz Aplicação. na árvore do Organizer. suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore.

Desabilita qualquer protetor de tela (screen saver) enquanto o Elipse SCADA estiver sendo executado.! do Windows. O mesmo vale para a execução. como: tempo total de edição da aplicação. Existem duas proteções: para configuração (para editar e fazer qualquer tipo de modificação) e para execução. Habilita o botão de Minimizar na janela da aplicação. sendo que só pode haver esta senha. como um clique no botão Fechar. etc. a não ser que conheça a senha utilizada. número de itens na aplicação. faz com que a execução termine apenas quando for chamada a função '& "HLigado. ( '( ) * 4 / . de modo que o usuário pode arrastar os objetos da aplicação origem para a aplicação destino. Habilita o botão de Maximizar na janela da aplicação. 29 ( 0 ' 0 ) 0 * Organizer . Desligado. No caso da utilização de senha para a configuração. Propriedades da Aba Aplicação (Botões) / OPÇÃO F ( /0 / DESCRIÇÃO Abre uma janela que mostra informações estatísticas da aplicação.Manual do Usuário Propriedades da Aba Aplicação OPÇÃO 4 /( ) * F DESCRIÇÃO Define o nome da aplicação (que aparecerá na barra de título) caso a opção F esteja habilitada. propriedade) em qualquer lugar da aplicação e apresentá-lo para edição. o usuário final não poderá alterar a aplicação. Propriedades da Aba Aplicação (Quadro Estilo) OPÇÃO 4 / . Habilita a barra de título na janela da aplicação. * * * . desabilita o atalho + . a aplicação (e o Elipse SCADA) seja terminado via outros meios. Habilita o botão de Fechar na barra de título da janela da aplicação. Abre uma janela que permite buscar um item (objeto. permite que G .( # # ) * DESCRIÇÃO Desabilita a troca entre programas. Abre uma janela para proteção da aplicação. ou seja. uma nova janela é aberta com a árvore das duas aplicações. Após a escolha da aplicação origem. desligar do Windows. OBS: a aplicação-origem não é modificada. número total de tags. se houver uma para a configuração.( B ' . número de revisões e versão do Elipse SCADA em que foi gerada a aplicação. Abre uma janela que permite escolher uma aplicação para a importação.

30 Organizer . Figura 15: Janela da Aplicação Propriedades da Aba Aplicação OPÇÃO ) B # # " 6+ # K DESCRIÇÃO Define a configuração inicial da janela da aplicação. Indica que a janela deverá iniciar em posição central na tela. I I$ >6 J6 Define a posição e tamanho da janela em pixels.Manual do Usuário -++ =! ! ! % A página Janela permite a configuração da janela principal para execução da aplicação.

permitindo uma interface mais intuitiva para o uso de sua aplicação.Manual do Usuário -+- 2 $ ' O Elipse SCADA possui suporte especial para a utilização de telas de toque (Touch Screen). Figura 16: Touch Screen Organizer 31 .

8 B @( / . ( / L M 1 Define a cor das teclas do Key Pad. . DESCRIÇÃO Mostra a barra de título da janela do Key Pad e/ou Numeric Pad. Define a cor de fundo do Key Pad.Manual do Usuário Propriedades da Aba Touch Screen E . N L M 1 OPÇÃO L M 1 N / DESCRIÇÃO Habilita o uso do Key Pad em tempo de execução. Mostra o botão de fechar na janela do Key Pad e/ou Numeric Pad. ( L M 1 8 N / N B /( % / / . 32 Organizer . Permite definir um novo título para a barra de título da janela do Key Pad e/ou Numeric Pad. Aumenta o tamanho dos botões do Key Pad. Desabilita o ponteiro do mouse enquanto o Key Pad está sendo mostrado. Habilita o salvamento das novas coordenadas do Key Pad à medida que sua janela é mudada de posição. Propriedades do Key Pad e do Numeric Pad OPÇÃO @@ @ . ./ " / L M 1 N Define a cor do texto do Key Pad.

veja o capítulo Elipse Web. O Elipse Web pode ser habilitado através do Organizer selecionando o item Aplicação. " DESCRIÇÃO Habilita o Elipse Web. O diretório deverá estar na árvore de documentos do servidor Web.Manual do Usuário -+5 > 3 Através do plug-in Elipse Web. Permite definir a porta a qual o servidor Web está associado. Permite escolher através do botão ( #! o diretório onde serão gerados os documentos a serem visualizados pela Internet. o Elipse SCADA pode gerar documentos para serem visualizados pela Internet. Organizer 33 . como o Internet Information Services (IIS) ou o Microsoft Personal Web Server (PWS). / / ' C . em conjunto com algum Servidor Web comercial. Nota: Para maiores informações. 4 O / 'P / C . conforme figura abaixo: Figura 17: Elipse Web Propriedades do Elipse Web OPÇÃO E .

Executa quando um usuário encerra a sua seção na aplicação. Executa quando a aplicação iniciar a execução. Executa enquanto a aplicação estiver executando. Estes procedimentos são descritos por scripts associados a estes eventos. Maiores detalhes sobre scripts serão discutidos em capítulo posterior. Executa enquanto uma determinada tecla estiver sendo pressionada.Manual do Usuário -- # Durante a execução de uma aplicação. temos uma lista de eventos/scripts disponíveis em uma aplicação. Executa quando a aplicação terminar a execução. Aqui. Executa quando um usuário inicia a sua seção na aplicação. diversos procedimentos podem ser disparados através de eventos. O script irá executar tantas vezes quantas você definir na caixa de texto ( (aparece somente para scripts whilerunning). 34 Organizer . DESCRIÇÃO uma determinada tecla for Executa quando a tecla é solta. Eventos/Scripts de uma Aplicação 1M 1 M& & '& % / % / C C 1M & " " // " EVENTO // / " " Executa quando pressionada.

selecionando o ramo Tags na árvore da aplicação e pressionando o botão $ " Na janela do Organizer você . Os atributos são dados fornecidos pelo Elipse SCADA sobre parâmetros de sistema e componentes da aplicação. A supervisão de um processo com o Elipse SCADA ocorre através da leitura de variáveis de processos no campo. Os valores dessas variáveis são associados a objetos do sistema chamados Tags. Os tags são todas as variáveis (numéricas ou alfanuméricas) envolvidas numa aplicação. Você pode criar e editar tags a partir do Organizer. Ao criar tags. da mesma forma que você faz em uma árvore de diretórios. de forma a facilitar a procura e identificação durante o processo de configuração. Tags 35 . Para cada objeto inserido na tela. o usuário poderá organizá-los livremente em grupos. sem restrições. " para ver os tags já definidos para a / pode dar um duplo clique na opção aplicação. incluir um grupo em outro grupo) basta arrastar o grupo em questão para o lugar desejado. Para modificar a hierarquia dos grupos e mudá-los de posição (por exemplo.! "$ # 5 5 2!. A medida que a aplicação cresce os tags podem ser agrupados para melhor organizar e editar a aplicação. basta selecionar o item " no Organizer e clicar em $ / ' . Você pode criar grupos dentro de outros grupos. devemos associar pelo menos um tag ou atributo. Para a criação de um grupos.

4 /( ) * $ $ & ' " O 0 36 Tags . Um grupo de tags trabalha da mesma forma que um diretório onde vários tags serão definidos. Podem ser selecionadas apenas as propriedades que se deseja imprimir para cada tipo de tag. Quando você seleciona a opção " na árvore da aplicação no Organizer a seguinte / página irá aparecer ao lado direito da árvore. Cria um novo grupo de tags a partir do grupo atual. Cria um novo tag. Usando os botões desta página você pode criar um novo grupo de tags ou um novo tag para a sua aplicação. Abre uma janela para configuração de um relatório de todos os tags existentes na aplicação.Manual do Usuário 5 < $ 2!. Figura 18: Grupo de Tags Propriedades da Aba Grupo de Tags OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Define o nome do grupo de tags selecionado. Uma breve descrição sobre o grupo selecionado. O novo grupo ou tag que for criado irá aparecer automaticamente na árvore da aplicação abaixo da opção " /. O relatório será impresso em um arquivo-texto especificado na caixa ' ' .

Espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags são usados em Scripts. O Tags Matriz permitem criar matrizes ou vetores de dados. Define o número de Tags que serão criados com as mesmas características especificadas. janela você poderá definir o nome do tag. Todos os tags especificados no campo Q serão do mesmo tipo definido no campo ' " .Manual do Usuário 5+ 2!. Tags PLC (CLP) são usados para trocar valores com os equipamentos de aquisição de dados. Tags Expressão permitem a entrada de uma expressão numérica ou alfanumérica (permitem concatenação de strings. Quando você pressiona o botão $ " a janela a seguir irá aparecer. Tags Bloco são usados para ler um bloco de valores simultaneamente. por exemplo). 44 4 # B' //* Tags DDE (Dynamic Data Exchange) são usados para trocar dados com servidores DDE. Opções de Tags OPÇÃO $ Q DESCRIÇÃO Nome do Tag. (R &+ Tags 37 . Nesta . Tags RAM são usados para armazenar valores na memória. Tags Demo são usados para gerar dados randômicos. a quantidade de tags que você deseja criar e o seu tipo.

Uma breve descrição sobre o Tag. Habilita o reinício automático em execução de loop. Determina o incremento do tag. 4 /( ) * ( & F ( GB ( ) * 38 Tags .2!. / Habilita salvar acumulador ao sair. Habilita a inicialização do cronômetro ao rodar a aplicação. Figura 19: Propriedades do Tag Crono Propriedades do Tag Crono OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do Tag.Manual do Usuário 5 . O Tag Crono cria um novo cronômetro. / ( T " ( S '( ) * ( ( S ( P( 'H Determina o tempo de preset do tag. Habilita zerar o acumulador ao ligar o cronômetro. Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts.

* O Tag PLC é usado para trocar informações com os equipamentos de aquisição de dados usando drivers de I/O fornecidos pela Elipse de acordo com o tipo do equipamento. . Figura 20: Propriedades do Tag PLC Tags 39 . O botão 8 " 0 abre a janela de propriedades do driver permitindo a configuração dos parâmetros de comunicação “P” de acordo com as informações contidas no arquivo de ajuda. impedindo que uma aplicação fique “travada”.Manual do Usuário 5 5 2!. encerra a comunicação caso ocorra algum problema. Você pode instalar um novo driver pressionando o botão $ na página de Drivers e selecionando um ou mais drivers da lista. Um arquivo de ajuda é fornecido com cada driver contendo informações importantes a respeito de sua configuração. A opção +.

/ LN $ Permite a configuração dos parâmetros de endereçamento “N” para o Tag corrente de acordo com o driver selecionado. Permite que se mude o tipo do Tag. Uma breve descrição sobre o Tag. Habilita a leitura pelo scan para um Tag PLC (CLP). FFFFh]. Define o novo valor mínimo para a conversão dos valores lidos.Manual do Usuário Propriedades do Tag PLC OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do Tag. e Sistema Superior e Inferior. E . criando Tags Bit para cada bit ou conjunto de bits do Tag. U ' ' +( // . Define o novo valor máximo para a conversão dos valores lidos. 8 / ' / / E . 177777o] ou hexadecimais [0000h. permitindo a leitura e escrita de valores. E . Esta configuração está contida na Ajuda do Driver que pode ser acessado pressionando-se o botão "Ajuda". Os drivers devem ser instalados através da janela de Drivers a fim de que estejam disponíveis. Os valores podem ser expressos em decimais [-32768. Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts. Habilita a leitura automática para o Tag PLC (CLP). /( ' B* ' ( P( P( 8 Define o valor mínimo a ser lido do PLC (CLP). Permite a seleção de um driver de comunicação para o Tag corrente. Define de quanto em quanto tempo os valores do Tag serão atualizados (ms) Marcando esta opção os valores do Tag serão convertidos para uma nova escala de valores determinada pelo usuário conforme os limites definidos em CLP Inferior e Superior. Permite desmembrar o Tag em bits. Testa a comunicação com o PLC. Define o valor máximo a ser lido do PLC (CLP). /0 4 /( ) * 4 +: ( /( 40 Tags . octais [0o. 65535]. Habilita escrita automática para o Tag PLC (CLP). Mostra a Ajuda do Driver selecionado.

Caso queira forçar uma escrita mesmo assim. o comando é enviado diretamente ao driver de comunicação.Manual do Usuário Escrita automática em tags PLC Ao atribuir um valor diretamente a um tag PLC ou elemento de bloco que possua a propriedade escrita automática habilitada. em algum script (ver capítulo Scripts). o tópico e o item. Figura 21: Propriedades do Tag DDE Tags 41 . Access. etc. Tal ação não ocorre somente quando o valor atribuído for igual ao conteúdo que já estava no tag. que por sua vez o repassa ao equipamento associado. Para tanto você precisa especificar a aplicação servidora. Word. O Tag DDE é usado para troca de dados entre o Elipse SCADA e outras aplicações (Excel. conforme você pode ver na janela abaixo. H 5 6 2!.) usando DDE (Dynamic Data Exchange). deve ser executada a função C Gdo tag.

Define o novo valor máximo para a conversão dos valores lidos. / B* Permite que você teste a configuração DDE. Word. dependendo do tipo do Servidor. Define o nome do Item do Servidor DDE. Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts. System Low. A lista de Tópicos disponíveis aparece quando a seta ao lado desta caixa é pressionada. Define o nome do servidor DDE que pode ser uma aplicação Windows (ex: Excel. Define o novo valor mínimo para a conversão dos valores lidos.Manual do Usuário Propriedades do Tag DDE OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do Tag. Pode ser um item de um documento (ex: uma célula em uma tabela do Excel). Uma breve descrição sobre o Tag. Pode ser um documento (ex: uma tabela do Excel). Server High e System High. 8 / 8 ' / ' Define o valor mínimo a ser lido do Servidor. etc) ou um driver DDE fornecido pelo fabricante do seu equipamento. dependendo do tipo do Servidor. A lista de programas disponíveis para servidores DDE aparece quando a seta ao lado desta caixa é pressionada. ' ' 4 /( ) * $ O( ' /( 42 Tags . Define o valor máximo a ser lido do Servidor. Permite que se mude o tipo do Tag. Marcando esta opção os valores do Tag serão convertidos para uma nova escala de valores determinada pelo usuário conforme os limites definidos em Server Low. Define o nome do Tópico do Servidor DDE. Uma mensagem pode indicar um erro de conexão ou o valor recebido pelo item configurado.

.Manual do Usuário 5 8 2!. O Tag Demo é usado para a simulação de valores. Ele permite a você gerar curvas definidas ou valores randômicos conforme o tipo de curva selecionada nos seis botões da página do tag Demo (veja figura abaixo). em um objeto de tela animação para mostrar os quadros da animação de acordo com a variação do tag. Tags Demo podem ajudá-lo a testar sua aplicação ou podem ser usados. Figura 22: Propriedades do Tag Demo Tags 43 . por exemplo.

o valor do Tag permanece o mesmo.Manual do Usuário Propriedades do Tag Demo OPÇÃO $ ' ' +( // . Permite desmembrar o Tag em bits. Define um valor máximo para o Tag Demo. caso contrário. Define o incremento para o Tag Demo para uma curva dente de serra. Espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados em Scripts. Uma breve descrição sobre o Tag. Os valores do Tag Demo são gerados somente quando esta opção estiver marcada. criando Tags Bit para cada bit. Define o número de períodos entre cada geração de valor para o Tag Demo. Define o tipo de curva a ser usada pelo Tag Demo corrente. Define a condição inicial do Tag Demo: Habilitada ou Desabilitada. 8 / ' ( /' Define um valor mínimo para o Tag Demo. se for 1 um valor é gerado a cada período. /0 DESCRIÇÃO Nome do Tag. Define o número de milisegundos entre a geração de cada novo valor para o Tag Demo. 4 /( ) * ' F E . Permite que se mude o tipo do Tag. gera um valor a cada dois períodos. se for 2. e assim por diante. É usado junto com o atributo delay para controlar o intervalo de tempo para a variação dos dados. 44 Tags . É usado junto com o atributo period para controlar o intervalo de tempo para a variação dos dados. Por exemplo.

Espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os tags forem usados em scripts. Você pode criar equações envolvendo outros tags e strings. Uma breve descrição sobre o tag. Permite que se mude o tipo do tag. Os erros são mostrados durante a edição da expressão e para que se tenha uma expressão válida a mensagem “No errors” (Sem erros) deve aparecer neste campo. 45 4 /( ) * B' //* / Tags . Permite desmembrar o tag em bits. criando tags Bit para cada bit. /0 DESCRIÇÃO Nome do tag. Permite a entrada de qualquer expressão válida para o tag. Figura 23: Propriedades do Tag Expressão Propriedades do Tag Expressão OPÇÃO $ ' ' +( // .Manual do Usuário 5 ? 2!. Lista erros de sintaxe encontrados na expressão. @ % O Tag Expressão permite que você atribua uma expressão numérica ou alfanumérica a um tag. As mesmas funções. operadores e constantes usadas nos Scripts podem ser usadas nos Tags Expressão.

Um arquivo de ajuda é fornecido com cada driver contendo informações importantes a respeito de sua configuração. Figura 24: Propriedades do Tag Bloco 46 Tags . O botão 8 " 0 abre a janela de propriedades do driver permitindo a configuração dos parâmetros de comunicação “P” de acordo com as informações contidas no arquivo de ajuda. Você pode instalar um novo driver pressionando o botão $ na página de Drivers e selecionando um ou mais drivers da lista. A opção +. 9 Tags Blocos permitem a comunicação em bloco com os equipamentos de aquisição de dados usando drivers de I/O fornecidos pela Elipse Software de acordo com o tipo do equipamento.Manual do Usuário 5 A 2!. encerra a comunicação caso ocorra algum problema. impedindo que uma aplicação fique “travada”.

' /( Permite que você adicione um novo elemento ao Tag selecionado. P( Configura o tamanho do tag bloco. U ' ' 4 /( ) * 4 +: ( Tags 47 . Uma breve descrição sobre o Tag. E . Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts. Mostra a Ajuda do Driver selecionado. Os valores podem ser expressos em decimais [-32768. Esta configuração está contida na Ajuda do Driver que pode ser acessado pressionando-se o botão "Ajuda". P( E . 65535]. FFFFh].Manual do Usuário Propriedades do Tag Bloco OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do Tag. Os drivers devem ser instalados através da janela de Drivers a fim de que estejam disponíveis. Permite que se mude o tipo do Tag. octais [0o. Habilita leitura em bloco. Permite a seleção de um driver de comunicação para o Tag corrente. 177777o] ou hexadecimais [0000h. Habilita leitura automática para o bloco. + ( E . Muda o tamanho do bloco a ser monitorado pelo Elipse SCADA. $ Novo elemento no tag bloco. Define de quanto em quanto tempo os valores do Tag serão atualizados (ms). /( Habilita escrita automática para o bloco. / LN Permite a configuração dos parâmetros de endereçamento “B” para o Tag corrente de acordo com o driver selecionado.

Figura 25: Propriedades do Elemento de Bloco 48 Tags . A página a seguir será. # 9 Cada elemento do tag Bloco possui suas propriedades que podem ser acessadas selecionando-se o elemento desejado na árvore da aplicação no Organizer. então.Manual do Usuário 5A . mostrada no lado direito da janela.

Define o novo valor mínimo para a conversão dos valores lidos. Testa a comunicação com o PLC lendo e escrevendo alguns valores. Marcando esta opção os valores do Tag serão convertidos para uma nova escala de valores determinada pelo usuário conforme os limites definidos em CLP Inferior. 8 / ' / / ( ' ( ) * 8 Define o valor mínimo a ser lido do PLC (CLP). 4 /( ) * ' ' +( // ( /( . Sistema Inferior. /0 B Tags 49 . Permite mudar a ordem do elemento no bloco digitando o índice desejado. Permite desmembrar o Tag em bits. criando Tags Bit para cada bit ou conjunto de bits do Tag. CLP Superior e Sistema Superior.Manual do Usuário Propriedades do Elemento de Bloco OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do Tag. Define o novo valor máximo para a conversão dos valores lidos. Uma breve descrição sobre o Tag. Define o valor máximo a ser lido do PLC (CLP). 0 Permite que se mude o tipo do Tag. Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts.

: “abc”). 0 Permite que se mude o tipo do tag. . As operações sobre matrizes sempre tem linha e coluna começando com o índice 1. !.Manual do Usuário 5 B 2!. criando tags Bit para cada bit ou conjunto de bits do tag. Tags Ram são usados internamente para armazenar valores em memória. 4 /( ) * ' ' +( // . Define um valor inicial para o tag. armazenamentos etc. Permite desmembrar o tag em bits. Este tipo de tag é volátil. portanto mantém seus valores somente enquanto a aplicação está executando. Este valor pode ser um número ou um string entre aspas duplas (ex. Uma breve descrição sobre o tag. Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts. 50 Tags . Figura 26: Propriedades do tag Ram Propriedades do Tag Ram OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do tag. /0 ( 5 C 2!. É possível associar cada célula de uma matriz a um tag ou propriedade. !# 7 O Tag Matriz permite criar matrizes ou vetores de dados que podem ser usados em cálculos.

Você pode usar tantos caracteres quanto queira mas espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os Tags forem usados nos Scripts.Manual do Usuário Figura 27: Propriedades do Tag Matriz Propriedades do Tag Matriz OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Nome do tag. Alarmes. 4 /( ) * / / +// ( Associar células a tags Você pode associar uma célula da matriz ou vetor para um tag pressionando o botão +// ( 0 na página Geral do tag Matriz e especificando qual ou quais as células que deseja associar. As 3 primeiras páginas são as mesmas de qualquer tag e a página de tags permite associar um tag ou propriedade à célula da matriz da mesma forma em que tags e propriedades são associados à objetos de tela. Uma breve descrição sobre o tag. Mapeia todas ou somente algumas células da matriz para um tag. Define o número de colunas da matriz Define o número de linhas da matriz. Scripts e Tags. Tags 51 . Cada célula associada aparece abaixo do tag Matriz na árvore da aplicação no Organizer. Ao selecionar uma célula específica suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. Cada célula associada possui 4 páginas de propriedades: Geral.

Ram ou Remoto. Isto quer dizer que você pode mapear para um único tag Bit. Clicando no botão +( // . 9 # O Tag Bit somente pode ser criado a partir de um outro tag e permite acessar individualmente cada bit do mesmo. A check box existente nesta janela permite especificar se devem ser criados um tag para cada bit selecionado ou se os bits contínuos que estejam selecionados devem ser agrupados em um único tag. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. da mesma forma em que se selecionam itens em uma list box do Windows. 11 e 24. /0 a seguinte janela irá aparecer. os bits 0. 2 bitField2 5 bitField3 8 bitField4 12 bitField5 20. Expressão. Demo. Os tags que permitem o desdobramento em bits são: PLC. e 2 mas não os bits 10. por exemplo. A seleção dos bits é feita usando-se o mouse e as teclas 8 ! ou !. Você pode criar um tag Bit a partir da página de qualquer um dos tags citados acima. Elemento de Bloco. 21. onde você poderá selecionar os bits que deseja mapear. No exemplo acima serão criados cinco tags Bit da seguinte forma: TAGS BITS bitField 0. 52 Tags . 1. Figura 28: Tag Bit O tag Bit pode ser tanto um único bit quanto um conjunto de bits. Ao selecionar um tag Bit específico suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. A página de Propriedades Gerais do tag Bit aparece quando selecionada a aba no topo das páginas do tag Bit. 1. desde que sejam contínuos.Manual do Usuário 5 2!. 22 Os tags Bit criados aparecem abaixo do respectivo tag na árvore da aplicação no Organizer.

Espaços e caracteres especiais não são permitidos quando os tags forem usados nos scripts. 5 + *1. onde podem ser configurados 4 intervalos de valores e prioridades para Alarmes. ! !. alarmes já ocorridos que estejam registrados em um arquivo de históricos ou alarmes ativos no sistema. Uma breve descrição sobre o tag. Este objeto pode mostrar. Define quais os bits ou bit que fazem parte daquele tag. Para imprimir os alarmes ocorridos no Tags 53 . B . também. Cada tag que você define possui uma página de Alarmes como a mostrada abaixo.Manual do Usuário Figura 29: Propriedades gerais do Tag Bit Propriedades do Tag Bit OPÇÃO $ 4 /( ) * ' ' . Para visualizar os Alarmes configurados para um tag você precisa criar um objeto de tela Alarme e atribuir o tag a ele. DESCRIÇÃO Nome do tag. Alarmes são usados para sinalizar algum problema e então tomar as ações apropriadas usando scripts.

H A página de Alarmes dos Tags aparece quando selecionada a aba + / no topo das páginas do tag. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. Figura 30: Página de Alarmes 54 Tags .Manual do Usuário sistema você pode definir um relatório através do Organizer e executar a função especial Gem um script.

Define o grupo de Alarmes do tag corrente. O grupo de Alarmes deve ser definido na opção Alarmes do Organizer. Define um intervalo de valores (menor igual) onde o tag é considerado em estado de alarme baixo. " / ' # Define que o sistema irá supervisionar o tag constantemente. P / " ' / " / + / Um comentário ou mensagem pode ser definido para cada alarme. mesmo que ele não esteja sendo utilizado em nenhum lugar da aplicação. a fim de não perder nenhum alarme deste tag. Alarme Alto. low. É usado quando o valor do tag está mais alto do que o normal.Manual do Usuário Propriedades dos Alarmes (associados a Tags) OPÇÃO DESCRIÇÃO Alarme Baixo Crítico. % / " Tags 55 . Habilita o registro (log) das mensagens de retorno de alarme. É usado quando o valor do tag está abaixo de um mínimo. ou seja. Define um intervalo de valores (menor igual) onde o Tag é considerado em um estado de Alarme Baixo Crítico. hihi). ou seja. extremamente baixo. Define um intervalo de valores (maior igual) onde o tag é considerado em estado de Alarme Alto. Para um melhor controle os alarmes de maior prioridade irão aparecer em primeiro plano na janela de alarmes (objeto de tela Alarme). Permite definir um nome alternativo para tag no registro (log) de alarmes. extremamente alto. É usado quando o valor do tag é está acima de um máximo. Define um intervalo de valores (maior igual) onde o tag é considerado em estado de Alarme Alto Crítico. É usado quando o valor do tag está abaixo do normal. Define a prioridade para cada situação de alarme. Alarme Baixo. @ E" EE . hi. Alarme Alto Crítico. Números pequenos indicam alta prioridade (a prioridade deve ser um número entre 0 e 999). Define os limites para cada situação possível de alarme (lolo.

Executa o script quando o tag é lido do driver. Executa o script quando o valor definido para o alarme baixo (Low) for alcançado. 56 Tags . É possível executar scripts associados a mudanças nos valores dos tags e a estados de alarmes dos tags. Executa o script quando o valor definido para alarme Alto (High) for alcançado. Executa o script quando o valor definido para o alarme HiHi for alcançado.Manual do Usuário 5 - # 2!. Executa o script assim que uma situação de alarme tiver terminado. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS +(R + + + + + . Executa o script quando o valor definido para o alarme LoLo for alcançado. & & " E" EE @ DESCRIÇÃO Executa o script quando o alarme for sinalizado como reconhecido pelo usuário. Executa o script quando mudar o valor do tag Somente para tags PLC e Bloco.

contendo uma lista de todas as telas da sua aplicação. espaço vazio da tela ou use o comando Quando a opção / é selecionada na árvore do Organizer. Elipse SCADA irá importá-los automaticamente sem a necessidade de qualquer processo de conversão.! "$ # 6 6 2 ! Uma Tela pode ser definida como uma janela para monitoramento de um processo. um desenho de fundo e outras características específicas. como por exemplo o Paintbrush. a janela a seguir aparece. Telas 57 . Nesta nova tela você pode definir Objetos de Tela. Você pode criar seus desenhos (bitmaps) em qualquer tamanho e cores que desejar. Um bitmap do Windows é um arquivo gráfico com extensão BMP que pode ser criado em diversas aplicações Windows específicas para desenho. Para visualizar ou editar as propriedades da tela corrente dê um duplo clique em um ' / do menu . Você pode criar uma nova tela usando o botão $ à direita da página ou remover uma tela existente selecionando-a na lista e pressionando o botão 4 . Você pode criar uma nova Tela pressionando o botão $ na Barra de Ferramentas ou usando o comando $ no menu . Para uma melhor visualização do sistema que você está monitorando alguns bitmaps de fundo podem ser definidos para as telas. Cada aplicação pode ter um número ilimitado de telas.

' / . Mostra a Tela corrente sem selecioná-la. Esconde a Tela corrente mantendo-a na aplicação. As mesmas Telas aparecem na árvore do Organizer logo abaixo da opção Telas e quando selecionadas suas respectivas propriedades são mostradas. Cria uma nova Tela.Manual do Usuário Figura 31: Janela de criação de Telas Propriedades da Janela de Criação das Telas OPÇÃO / DESCRIÇÃO Mostra uma lista de todas as Telas existentes na sua aplicação. Apaga a Tela selecionada da Lista.( Fecha o Organizer e mostra a Tela corrente. $ 4 58 Telas .

O caminho e nome do bitmap aparecem abaixo. ( // Define o nível de acesso para a tela. bem como associá-la a scripts. Figura 32: Propriedades da Tela Propriedades da Tela OPÇÃO $ DESCRIÇÃO Define um nome para a tela corrente. ' ( # Habilita ou desabilita o uso de um bitmap como fundo para a tela corrente. Permite navegar na estrutura de diretórios a fim de encontrar os arquivos BMP que serão usados como fundo para a tela. Ao selecionar uma tela específica suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. usado também como sua descrição. Usando este nome você pode abrir a tela de qualquer parte da aplicação usando botões ou teclas de função. Define a cor de fundo para a tela corrente. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. A página de propriedades gerais de telas aparece quando selecionada a aba no topo das páginas da tela. $ F Telas 59 .Manual do Usuário 6 * ! < ! !2 ! Cada tela que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção / na árvore da aplicação no Organizer. Este parâmetro é usado quando não existe um bitmap selecionado ou quando o bitmap não preenche toda a tela. Define um título para a tela.

Figura 33: Propriedades de Estilo da Tela 60 Telas . Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.Manual do Usuário 6+ * ! # 2 ! A página propriedades de estilo de telas aparece quando selecionada a aba / no topo das propriedades da tela.

" Nunca: determina que a janela não tenha barras de rolagem. . 8 ( / Não mostra o foco dos objetos da tela em tempo de execução. Habilita o botão fechar na janela (botão do canto superior direito). Por exemplo. 61 J & $ * / . ' ' Somente válido para Telas janeladas. Automático: barras de rolagem aparecerão automaticamente quando se fizer necessário. caso contrário poderá não surtir o efeito desejado. Define a janela como sendo popup. Determina que a Tela apareça dentro de uma janela sem ocupar toda a Tela da aplicação conforme especificado nas opções Tamanho e a Posição. Somente válido para Telas janeladas.: / / & O / & ( * . Por exemplo. Define a altura da Tela em pixels. F . Esta opção deve ser habilitada somente se os objetos de tela não estão sobrepostos e não serão movidos. se você esta usando uma resolução no Windows de 640x480 (VGA) a sua coordenada Y pode variar de 0 (zero) a 480 pixels para uma janela sem scroll bar. Define a janela como sendo modal. Torna a Tela visível em tempo de execução. otimizando o redesenho.: Define o uso do clipping para o redesenho dos objetos de tela relativo ao fundo. P Permite o redimensionamento da janela em tempo de execução. deve ser fechada para que o foco possa passar para outras janelas abertas. isto é. mesmo quando necessário.( Telas . isto significa que ela é fechada automaticamente quando perde o foco. se você esta usando uma resolução no Windows de 640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 (zero) a 640 pixels para uma janela sem scroll bar.Manual do Usuário Propriedades de Estilo da Tela OPÇÃO K DESCRIÇÃO Determina que a Tela ocupe toda a janela da aplicação. Determina a coordenada Y para o canto superior esquerdo da Tela em pixels. Permite que a janela seja movida em tempo de execução. /F Mostra ou esconde a Barra de Título. Este botão só pode ser visto em tempo de execução. Mostra uma borda de 1 pixel de largura em volta da tela. Determina a coordenada X para o canto superior esquerdo da Tela em pixels. Somente para telas janeladas e de tamanho fixo. " + > Define a largura da Tela em pixels.

Executado quando a tela ganha o foco de teclado ou mouse. Os scripts disponíveis para as telas são descritos na tabela abaixo.( / @ C C 1M & 62 Telas . .Manual do Usuário 6- # 2 ! Scripts de telas geralmente estão associados a uma ação executada na tela. Executado quando a tela é mostrada. Executado enquanto a tela estiver ativa. por exemplo. ou mesmo quando uma tecla for pressionada enquanto a tela é monitorada. Executado quando a tela perde o foco de teclado ou mouse Executado antes da tela ser fechada. Chame a função E Gneste script para cancelar a abertura da H tela. que eles podem ser executados ao abrir ou fechar a tela.( / E @ // / DESCRIÇÃO Executado após uma tela ter sido fechada. Executado quando a tecla especificada no botão $ ( for solta. Executado quando a tecla especificada no botão $ ( for pressionada. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS E 1M 1 M& 1. H Executado antes da tela ser mostrada. // " Executado enquanto a tecla especificada no botão $ ( estiver sendo pressionada. Isto significa. Chame a função @Gneste script para manter a tela aberta.

como alinhamento. tamanho. utilidade e funcionamento.: /. Objetos de Tela 63 .! "$ # 8 8 8 % 34 # 2 ! Quando o programador está desenvolvendo a sua aplicação. A edição dos objetos na tela. Objetos de Tela são elementos gráficos e representações de objetos reais do processo que ajudam o usuário a interagir e acompanhar a aplicação que está sendo executada no Elipse SCADA. organizamos os objetos de tela em duas categorias: objetos de visualização e objetos de interação. posição e agrupamento é feita através da barra de ferramentas Arranjar já descrita ou através do menu. muitas vezes ele necessita mostrar algum resultado. o Elipse SCADA oferece uma série de recursos chamados “Objetos de Tela”. Uma vez selecionado o objeto que se deseja criar mantenha o botão esquerdo do mouse pressionado na área da tela enquanto movimenta o mouse (um retângulo pontilhado mostra o tamanho e a forma do objeto). Neste capítulo. Ao soltar o botão o objeto será posicionado dentro da área especificada. Para uma melhor compreensão. seu significado. Essa interação com o usuário é feita através do que chamamos interface. fazer um alerta ou receber informações e acionamentos do usuário. Para deselecionar um objeto use a combinação de teclas: 8! ! * / !. veremos os objetos de tela que estão disponíveis no Elipse SCADA. O último objeto selecionado fica com o foco em vermelho para ser usado como referência. Para que o programador possa construir a interface de sua aplicação. 34 # 2 ! Os objetos de tela podem ser criados a partir da barra de ferramentas Objetos já descrita em seção anterior ou através do menu .

! 2!. 8+ *1. ! ' * Figura 34: Página Tamanho e Pos 64 Objetos de Tela .Manual do Usuário 8+ * ! 34 # 2 ! Em geral. os objetos de tela possuem diversas propriedades comuns que estão agrupadas nas páginas descritas a seguir.

Define que o objeto será visível no momento em que a aplicação iniciar. Habilita o acesso do teclado e mouse ao objeto (válido somente para objetos que permitem entradas via mouse ou teclado. Exemplo: slider). Habilita o objeto a mostrar uma dica (tip) quando o mouse está sobre ele.0) " Determina a largura do objeto em pixels. G( / ( H / $ F ( +( // B ( ) * Objetos de Tela 65 . É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do objeto a partir da origem da tela (0. J + ( . em pixels.Manual do Usuário Propriedades da Página de Tamanho e Posição OPÇÃO > DESCRIÇÃO Define a coordenada X para o canto superior esquerdo do objeto.0) Define a coordenada Y para o canto superior esquerdo do objeto. É usado juntamente com o atributo " para definir o tamanho do objeto /) 8B * 8" ) * Determina que o objeto não possa ser movido durante a configuração (bloqueia a mudança de posição do objeto). Permite associar um nível de acesso ao objeto (0 para acesso livre). É usado juntamente com o atributo para definir o tamanho do objeto Determina a altura do objeto em pixels. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do objeto a partir da origem da tela (0. em pixels. /F ( '( ) * E .

Habilita ou desabilita um título na moldura do objeto. /' // 8 24 Define a espessura do moldura em pixels. Define o texto do título. Habilita ou desabilita uma linha separadora entre o texto e o objeto. Define fonte. Define a espessura em pixels para o efeito 3D. /F F B ' F DESCRIÇÃO Habilita ou desabilita uma moldura em volta do objeto. /' // 66 Objetos de Tela . Seleciona um efeito 3D dentro ou fora do moldura do objeto. Define a cor da moldura do objeto. ! $! Figura 35: Página de Moldura Propriedades da Página de Moldura OPÇÃO . cor e tamanho da fonte do Título.Manual do Usuário 8++ *1. Define a cor da borda do moldura. Habilita ou desabilita uma borda na moldura.

Adiciona os Tags marcados à lista de Tags selecionados. suas propriedades aparecerão na janela de Propriedades. ! 2!.Manual do Usuário 8+- *1. Remove os Tags selecionados da lista. ' "/ / + ( & ( / Objetos de Tela 67 . Figura 36: Página de Tags Propriedades da Página de Tags OPÇÃO . / Lista os Tags que estão associados ao objeto. Conforme o objeto selecionado. Permite a seleção de qualquer propriedade do objeto selecionado na árvore.: / DESCRIÇÃO Mostra a árvore da aplicação.

Executado quando o botão esquerdo do mouse é solto % ' sobre o objeto. Scripts específicos de um objeto são descritos mais adiante na respectiva seção do objeto. Executado quando o botão esquerdo do mouse é 4. R pressionado duas vezes sobre o objeto. R pressionado duas vezes sobre o objeto. 68 Objetos de Tela . Figura 37: Página de Scripts Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS DESCRIÇÃO Executado quando o objeto perde o foco do teclado 1. Executado quando o botão esquerdo do mouse é 4 @ pressionado sobre o objeto.( / ou mouse. estes scripts são descritos na tabela abaixo. Maiores detalhes a respeito do uso de scripts veja no capítulo específico. Executado quando o botão direito do mouse é & 4 @ pressionado sobre o objeto. Executado quando o objeto recebe o foco do teclado .Manual do Usuário 8- # 34 # 2 ! Existem alguns scripts disponíveis para todos os objetos de tela. Executado quando o mouse é movido sobre o objeto.( / ou mouse. / Executado quando o botão direito do mouse é & 4. Executado quando o botão direito do mouse é solto & % ' sobre o objeto.

Figura 38: Página de Referência Cruzada Objetos de Tela 69 .Manual do Usuário 85 ( D ! $7 ! ! A página de & 8 A ( ? # (Cross-Reference) lista todos os links para o objeto corrente e suas propriedades. quais outros objetos se referem a este e quais propriedades ou valores estão sendo usados. A caixa / /8 / permite visualizar na lista os itens “filhos” associados aos itens “pai” listados. ou seja. Se você deseja ir ao item selecionado basta dar um duplo-clique sobre.

* ! < ! 2 @# Figura 40: Propriedades Gerais do Texto Propriedades Gerais do Texto OPÇÃO $ 4 /( ) * DESCRIÇÃO Define o nome do texto que será usado na árvore do Organizer e nos scripts. Uma breve descrição sobre o texto.Manual do Usuário 86 34 # $! 7 % ! 86 2 @# O objeto Texto permite atribuir mensagens a intervalos de valores dos tags. denominados Zonas. Figura 39: Texto As Propriedades do Texto permitem definir cores e mensagens para cada zona. Podem ser definidas diversas zonas cada uma delas contendo sua própria mensagem. Você pode editar as propriedades de um texto dando um duplo-clique sobre o mesmo. Também é possível definir uma zona padrão para os valores que não pertencem a nenhum intervalo específico. 70 Objetos de Tela .

Manual do Usuário E ! 2 @# Figura 41: Propriedades da Zona de Texto Objetos de Tela 71 .

Adiciona uma nova Zona na lista. Figura 42: Display 72 Objetos de Tela . Texto associado a zona selecionada. Define a Zona selecionada como zona padrão (default). Define um valor mínimo para a Zona selecionada. efeitos 3D e outras características. Define o alinhamento dos caracteres para o objeto Texto. alinhamento. As propriedades do display permitem definir o tamanho. /' T ' * Define que o fundo do objeto será transparente. fonte. Remove da lista a Zona selecionada. ( Define o tempo para o pisca-pisca entre as zonas Blinking e a default. uma zona que contém todos os valores que não estão definidos em outras zonas. Uma vez ativa e definida como “Pisca” a zona alterna com a zona default conforme o tempo em /( ( . Habilita o pisca-pisca para a zona. ou seja. + /( /( 4( 86+ !F O objeto Display é usado para mostrar os valores dos tags em tempo real. Se a zona não possui uma dica. B Define um valor máximo para a Zona selecionada.Manual do Usuário Propriedades da Zona de Texto OPÇÃO T + ( 4 + +: / // " / DESCRIÇÃO Lista todas as Zonas definidas e permite sua edição. Ajusta o intervalo das Zonas automaticamente. o sistema utiliza a descrição do objeto. Você pode editar as propriedades do display dando um duplo clique sobre o mesmo. cor. Define a cor de fundo do Texto. cor e tamanho para o texto da mensagem. Define fonte. Esta mensagem será mostrada quando o valor do Tag associado ao objeto Texto estiver dentro da zona. Permite configurar uma dica (tip) para cada zona.

Define o alinhamento dos caracteres para o display. Objetos de Tela 73 . cor e tamanho do texto do display. Define a fonte. Define o display como tendo múltiplas linhas. Somente disponível se o formato do setpoint (página de formato) é string. Uma breve descrição sobre o display.Manual do Usuário * ! < ! !F Figura 43: Propriedades Gerais do Display Propriedades Gerais do Display OPÇÃO $ 4 /( ) * + V' / / DESCRIÇÃO Define o nome do display que será usado na árvore do Organizer e nos scripts. Define a cor de fundo do display.

Manual do Usuário : . Mostra o valor do Tag em formato numérico. Define o número de dígitos a serem mostrados incluindo o ponto decimal. Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado. Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado. 74 Objetos de Tela . !# !F Figura 44: Propriedades de Formato do Display Propriedades do Formato do Display OPÇÃO B $ W( DESCRIÇÃO Mostra o valor do Tag em formato string. ( /* 8B 8B Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.

devem ter sido criados pelo Elipse. Para localizar estes arquivos você deve procurar pelas extensões 4+ (Históricos ou Alarmes) ou E4& (Batelada).Manual do Usuário 86- 9 O objeto Browser permite visualizar seus arquivos de bancos de dados. Você pode editar as propriedades do browser dando um duplo-clique sobre o mesmo. Figura 45: Browser * ! < ! 9 Figura 46: Propriedades Gerais do Browser Objetos de Tela 75 . ou seja. Estes arquivos devem estar no formato Elipse SCADA.

Define a fonte. (. cor e tamanho do texto a ser mostrado no Browser. Define a cor do texto para as linhas selecionadas do Browser. Define a cor de fundo para as linhas selecionadas do Browser.$ ! 9 Figura 47: Configurações do Browser 76 Objetos de Tela . Define a cor do texto para o título do Browser. Define a cor do texto das linhas do Browser.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Browser OPÇÃO $ 4 /( ) * / DESCRIÇÃO Define o nome do Browser que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. Define a cor da área externa do Browser. Define a cor de fundo das linhas de texto do Browser. F B B B / / / / ( ( 8 F / / / Define a cor de fundo para o título do Browser. Uma breve descrição sobre o Browser. Define a cor da grade do Browser. Define a ordem (ascendente ou descendente) dos registros do Browser.

Esta opção está disponível somente se o arquivo fonte (Source Filename) é um arquivo de Histórico com processo de batelada habilitado.Manual do Usuário Propriedades das Configurações do Browser + OPÇÃO DESCRIÇÃO Define o nome do arquivo a ser mostrado no objeto Browser. Permite localizar o arquivo fonte a ser usado pelo Browser. Esta opção está disponível somente se o arquivo fonte (Source Filename) é um arquivo de Histórico com processo de batelada habilitado. Objetos de Tela 77 . Seleciona a última batelada para ser impressa. / Seleciona todas as bateladas para serem impressas. Somente campos tipo string serão listados. Lista os campos disponíveis para seleção de uma batelada específica. Define o valor a ser buscado quando selecionada uma batelada específica. / /' (F 8( ' / . Esta opção está disponível somente se o arquivo fonte (Source Filename) é um arquivo de Histórico com processo de batelada habilitado. @/ / / X /. Este arquivo deve ter extensão DAT ou HDR. conforme o especificado nos campos Campo (Field) e Critério (Criteria). Seleciona uma batelada específica para ser impressa.

seleciona todos os dados. Determina o horário inicial do intervalo de tempo. Seleciona apenas os dados mais novos. Determina a data inicial do intervalo de tempo. Determina o horário final do intervalo de tempo. Determina a data final do intervalo de tempo. Define o número de unidades para selecionar os dados mais recentes. 78 Objetos de Tela .Manual do Usuário $# ! 9 Propriedades da Consulta do Browser ( OPÇÃO / ' ' 4 4 4 E E X % ( / ( / ( / DESCRIÇÃO Não será usado filtro. ou seja. Define a unidade usada para selecionar os dados mais recentes. Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo especificado.

Manual do Usuário 9! ! 9 Figura 48: Propriedades do Banco de Dados do Browser Objetos de Tela 79 .

80 Objetos de Tela . Permite trocar o nome do campo selecionado.G H ). + # / DESCRIÇÃO Lista os campos disponíveis. Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado. # 9 Os eventos disponíveis para Scripts exclusivos do Browser são descritos na tabela abaixo. Move o campo selecionado uma posição para cima.Manual do Usuário Propriedades do Banco de Dados do Browser OPÇÃO ' / B E . de acordo com o valor dos campos da linha (este valor pode ser pego com a função . Define o formato da marcação de tempo (timestamp) do browser. Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a tags executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS 4 @& @ DESCRIÇÃO Executado logo antes de cada linha do Browser ser desenhada. Permite que a cor de fundo e do texto da linha sejam modificadas através das funções '& @ Ge H '& @ B G H . / Define o número de linhas que o campo selecionado irá ter no browser. Maiores detalhes a respeito do uso de Scripts veja no capítulo específico. Quando é feita alguma modificação na estrutura do arquivo usado pelo browser este botão deve ser pressionado para atualização dos campos. Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos campos do browser. Move o campo selecionado uma posição para baixo. Define o número de dígitos a serem mostrados incluindo o ponto decimal. Permite que o campo selecionado seja impresso. ( /* 8B 88 B Define quantos dígitos do tamanho serão decimais.

desde que estejam nos formatos . Este objeto pode ser redimensionado para ter o mesmo tamanho da figura e possui suporte a transparência.Manual do Usuário 865 9# ! . Você pode editar as propriedades do Bitmap dando um duplo clique sobre o mesmo. bastando habilitar e selecionar uma cor.ou K . . Objetos de Tela 81 . figuras ou desenhos nas suas telas de sua aplicação. O objeto Bitmap permite inserir imagens. Figura 49: Bitmap * ! < ! 9# ! .

Determina que a cor epecificada em transparente. Um Tag deve ser associado à animação de forma que o valor do Tag determine qual o quadro da animação que será mostrado.! % O objeto Animação é um meio fácil de criar uma animação usando imagens (bitmaps) associados a quadros (frames) definidos pelo usuário que são mostrados em sequência. Os valores do Tag são associados a Zonas. É possível usar imagens de quaisquer tamanho e cores. Uma breve descrição sobre o Bitmap. Define a cor de fundo do Bitmap. Permite indicar a localização do arquivo a ser usado. que correspondem a um determinado quadro. Figura 50: Animação 82 Objetos de Tela . Você pode editar as propriedades da Animação dando um duplo clique sobre o objeto. desde que sejam arquivos nos formatos suportados: GIF. Define o nome do arquivo correspondente. JPEG e Bitmap ( ). Ajusta o objeto Bitmap de forma que ele tenha o mesmo tamanho da figura original.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Bitmap OPÇÃO $ 4 /( ) * $ ( #0 /' " ' DESCRIÇÃO Define o nome do Bitmap que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. seja 866 .

Define que a cor especificada na opção será transparente. Tempo em milisegundos para o pisca-pisca entre as zonas /( e *.! % Figura 51: Propriedades Gerais da Animação Propriedades Gerais da Animação OPÇÃO $ 4 /( ) * /' DESCRIÇÃO Define o nome da animação.Manual do Usuário * ! < ! ! . permitindo que o fundo da tela apareça. /( +: / ( " Define uma cor de fundo para a animação. Objetos de Tela 83 . Uma breve descrição sobre o objeto. Ajusta o objeto animação de forma que ele tenha o mesmo tamanho do primeiro quadro da animação. Habilita uma borda (linha preta) ao redor dos quadros.

Manual do Usuário E ! ! .! % Figura 52: Propriedades da Zona de Animação 84 Objetos de Tela .

Mostra o caminho dos bitmaps. Indica que essa zona será utilizada no pisca-pisca. Permite configurar uma dica (tip) para cada zona. Se a zona não possui uma dica habilitada então é utilizada a descrição do objeto. @ Mostra uma prévia do quadro selecionado. Ajusta automaticamente as zonas dividindo o total do intervalo igualmente entre as zonas definidas. Remove um bitmap ou um grupo de bitmaps da lista. Define o quadro selecionado na lista como padrão. Selecione um dos bitmaps para ver e editar suas propriedades. Usado para trocar a localização (path) do bitmap. B /( 4( Define um valor máximo para a zona selecionada. Objetos de Tela 85 . ele será mostrado quando o valor do tag estiver fora das outras zonas definidas. Define um valor mínimo para a zona selecionada. desta forma.Manual do Usuário Propriedades da Zona de Animação OPÇÃO ' ( #) * + ( 4 + + T : / ( #) * * DESCRIÇÃO Lista os bitmaps dos quadros da animação. Usado para adicionar um bitmap ou um grupo de bitmaps à lista.

Uma breve descrição sobre o video. é possível localizar arquivo AVI no sistema e mostrá-lo na tela no momento da execução do projeto. Este objeto aceita somente arquivos AVI. DESCRIÇÃO Define o nome do objeto no sistema. Figura 53: AVI * ! < ! Figura 54: Propriedades Gerais do AVI Propriedades Gerais do AVI OPÇÃO $ 4 /( ) * + ( # +.Manual do Usuário 868 O objeto AVI é utilizado para visualização de arquivos de extensão AVI no sistema. 86 Objetos de Tela . Permite navegar nos diretórios para localizar o arquivo AVI. Através deste objeto. Mostra o caminho do arquivo AVI no sistema.

Determina a fonte que o video irá utilizar para a visualização do objeto. Objetos de Tela 87 .Manual do Usuário 86? O objeto Video é utilizado para visualização de uma imagem de video. é possível visualizar arquivos do sistema ou criados a partir da opção Watcher. Uma breve descrição sobre o video. Habilita o ajuste do video conforme o tamanho do objeto. DESCRIÇÃO Define o nome do objeto no sistema.: . Através desta opção. P( . Habilita a visualização do video no momento da execução do objeto. * ! < ! Figura 55: Propriedades Gerais do Video Propriedades Gerais do Video OPÇÃO $ 4 /( ) * M +: / .

Através deste objeto.Manual do Usuário 86A * O objeto Preview é utilizado para visualização de arquivos de video que foram gerados através da placa XPressPlayer. A visualização do objeto será mostrada na execução do projeto. é possível configurá-lo na placa XPressPlayer para conectar-se a câmera determinada ou indicar o arquivo XPressPlayer. Figura 56: Preview * ! < ! * Figura 57: Propriedades Gerais do Preview 88 Objetos de Tela .

Indica o tamanho da janela para a visualização do objeto. E . Ajusta automaticamente a janela de visualização conforme as especificações da opção K ( Habilita a visualização em "tela cheia". Indica o objeto do XPressPlus do Watcher a ser associado ao objeto Preview. Mostra o caminho do arquivo de video no sistema. Indica o número da câmera que será conectada ao objeto. você pode fazer gráficos como Valor x Tempo e Valor x Valor. O gráfico é constantemente atualizado a medida que o processo evolui e os valores dos tags mudam.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Preview OPÇÃO $ 4 /( ) * ( > $ V // (U K + + +: / / DESCRIÇÃO Define o nome do objeto no sistema. O objeto tendência possui vários aspectos que podem ser modificados através de várias páginas de propriedades. 86B 2 D ! Este objeto é usado para visualizar um gráfico de tendência com até 16 tags. Usando tendências. Figura 58: Tendência Objetos de Tela 89 . Uma breve descrição sobre o video. que serão vistas a seguir. Devido a estas características pode-se efetuar a análise dos dados a medida que o processo evolui.

Manual do Usuário * ! < ! !2 D ! Figura 59: Propriedades Gerais da Tendência 90 Objetos de Tela .

Esta opção é desabilitada se a Tendência é histórica. uma em cada eixo de coordenadas. ' B4 / $ . de forma que um objeto possa mostrar várias funções XY. Define o número de pontos (de 1 a 1. Adiciona uma linha horizontal. / ' ( P Define um gráfico de dados em função do tempo. Uma breve descrição sobre a Tendência. Define o intervalo total de tempo para amostragem do gráfico (em segundos). uma linha vertical ou um ponto para referência no gráfico da Tendência. Esta opção é desabilitada se a Tendência é histórica. Habilita um gráfico em tempo real em função de duas variáveis.000) que a tendência irá armazenar para cada pena (cada ponto ocupa 20 bytes). + # A( ( Define o intervalo de tempo entre cada atualização do gráfico. Esta opção é desabilitada se a Tendência é histórica.000. As variáveis podem ser agrupadas aos pares.Manual do Usuário Propriedades Gerais da Tendência OPÇÃO $ 4 /( ) * >J DESCRIÇÃO Define o nome para identificação do objeto Tendência. 88 + ( ( Objetos de Tela 91 . Mostra uma legenda com o significado para cada pena da Tendência. Define de onde virão os novos dados da Tendência.

0 Abre uma janela que permite configurar a Consulta da Tendência Histórica. OPÇÃO 6/ A( 6( /P DESCRIÇÃO Atualiza os valores da Tendência em tempo real somente se a Tendência está visível. /P 92 Objetos de Tela . Atualiza os valores da tendência em tempo real mesmo quando a Tendência não está visível.Manual do Usuário * ! ! ! ! !2 D ! Figura 60: Propriedades Avançadas da Tendência Propriedades Avançadas da Tendência ' ' ' / 8 " / O( 8" / /( ( / Atualiza a Tendência carregando dados de um Histórico selecionado.

Manual do Usuário * ! < 1( 2 D ! Figura 61: Propriedades da Tendência Objetos de Tela 93 .

Permite colocar uma legenda para os eixos X e Y. Define o número de linhas verticais da grade. 4 IE Premite definir o formato de data e hora. B. com os valores do eixo Y. Define a cor para o texto que será mostrado nas réguas. Propriedades de Cores do Gráfico B / OPÇÃO W " W " "P( 8 B / DESCRIÇÃO Define a cor de fundo para as réguas do gráfico. Esta opção está disponível somente se o gráfico é do tipo XY. Define o limite inferior do eixo Y no gráfico. Define a cor da grade e dos eixos do gráfico. Esta opção está disponível somente se o gráfico é do tipo XY. Exibe uma régua à direita do gráfico. Propriedades da Grade do Gráfico OPÇÃO / / > J W 0 " DESCRIÇÃO Habilita a grade no gráfico (linhas de orientação ). Define a cor de fundo para o gráfico. B - 94 Objetos de Tela . tamanho e cor para os caracteres do gráfico. W / ' " W " / ' 8 B. Exibe uma régua à esquerda do gráfico.Manual do Usuário Propriedades para os Eixos X e Y OPÇÃO DESCRIÇÃO Define o limite esquerdo do eixo X no gráfico. Define o limite superior do eixo Y no gráfico. onde os valores do eixo Y. Faz com que a grade do gráfico acompanhe o movimento gerado pela entrada dos dados na Tendência. Define fonte. W " W " & / 8 Exibe uma régua no topo do gráfico. com os valores do eixo X. Define o limite direito do eixo X no gráfico. B. Define o número de linhas horizontais da grade. B. Exibe uma régua na base no gráfico. com os valores do eixo X. para Tendências do tipo Valor x Tempo.

Apaga uma pena ou uma marca selecionada na lista. Insere uma pena associada a um campo do histórico (a opção "4 / E / O( 4 /( deve estar habilitada na aba + ) ). Mostra o quadro Cores das Penas. Objetos de Tela 95 . Seleciona o tag a ser visualizado no eixo X. Define que o desenho da pena será do tipo Área. Define que o desenho da pena será do tipo Linha. Seleciona o tag a ser visualizado no eixo Y. Insere uma marca indicativa no gráfico. Label Y Axis X Axis Essa coluna lista as penas selecionadas para o gráfico. Muda a ordem da pena selecionada. Define que o desenho da pena será do tipo Barra. Permite mudar o texto da legenda e ativar/desativar cada pena.Manual do Usuário ! * ! !2 D ! Figura 62: Propriedades das Cores das Penas da Tendência Propriedades das Cores das Penas da Tendência OPÇÃO DESCRIÇÃO Insere uma pena associada a um tag.

Figura 63: Gráfico de barras 96 Objetos de Tela . Você pode editar as propriedades do Gráfico de Barras dando um duplo clique sobre o mesmo. podendo ser mostradas até um máximo de 16 barras (ou seja. 16 tags).Manual do Usuário 8 6 C < 1( 9! ! O Gráfico de Barras é utilizado quando se deseja visualizar os dados na forma de volume. réguas e cores. Editando as propriedades do gráfico podem ser definidas uma série de características como escala gráfica. o Bar Gauge. O objeto possui ainda um segundo modo. Nas propriedades do Gráfico de Barras temos várias páginas (abas ou tabs) para a sua configuração. Cada tag associado ao Gráfico de Barras é representado por uma barra com uma cor específica. Nesse modo. os valores dos tags são indicados por uma agulha que percorre uma escala disposta sobre cada barra. orientação das barras (vertical/horizontal).

Manual do Usuário * ! < ! < 1( 9! ! Figura 64: Propriedades Gerais do Gráfico de Barras Objetos de Tela 97 .

em pixels. Define o centro para um Gráfico de Barras bipolares. da esquerda para a direita. Define qual o tipo de gráfico de barras: Barra (simples) ou Bar Gauge (medidor em barra). Habilita ou desabilita um efeito tridimensional nas barras do gráfico. da direita para a esquerda. Uma breve descrição sobre o gráfico. ' Determina que as barras do gráfico tenham dois lados divididos por um centro. - * ! ! G. de cima para baixo.$! Figura 65: Propriedades da Régua 98 Objetos de Tela . As barras crescem do centro em direção aos limites do gráfico. Você também pode definir a largura do efeito 3D. ) * Define a orientação do Gráfico. Define os valores mínimo e máximo para o Gráfico de Barras. Define uma cor de fundo para o Gráfico de Barras. que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. As opções disponíveis são de baixo para cima.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Gráfico de Barras OPÇÃO $ 4 /( ) * ' DESCRIÇÃO Define o nome do objeto. /' ) 24 Define o espaço entre as barras.

Cada número indica a barra do gráfico. do texto e da grade (divisões). Isso é feito marcando o quadro / . /. B. Exibe uma régua a esquerda do Gráfico de Barras. onde são mostrados os valores dos Tags. B. Figura 66: Propriedades das Barras Objetos de Tela 99 . sua respectiva legenda e cor. onde são mostrados os valores dos Tags. tamanho e cor para os caracteres na régua do Gráfico de Barras. Define o número de divisões da régua./ / W 0 " W " W / ' " W " W " W " 8 / DESCRIÇÃO Permite que uma régua seja mostrada no Gráfico de Barras. Exibe uma régua inferior no Gráfico de Barras. B. B. onde são mostrados os valores dos Tags. Define as cores do fundo da régua.Manual do Usuário Propriedades da Régua OPÇÃO E . onde são mostrados os valores dos Tags. Exibe uma régua a direita do Gráfico de Barras. Exibe uma régua superior no Gráfico de Barras. Unidade a ser mostrada na régua do Gráfico de Barras. ! 9! ! Esta aba permite habilitar legendas que ficarão ao lado do desenho das barras no gráfico. Define fonte. B 4 /.

Manual do Usuário 9! <!$. . Habilita a indicação da faixa de valor baixo crítico na barra. Especifica a cor da faixa e o valor limite. B $ Habilita a indicação da faixa de valor baixo na barra. Especifica a cor da faixa de valores considerados normais para o tag. Especifica a cor da faixa e o valor limite. Esta página permite ajustar as propriedades do Bar Gauge. Figura 67: Definição das cores do Bar Gauge Propriedades do Bar Gauge OPÇÃO " DESCRIÇÃO Permite escolher qual a barra que será editada. Define o tamanho da agulha que fará a indicação do valor do tag. Especifica a cor da faixa e o valor limite. EE ( Habilita a indicação da faixa de valor alto crítico na barra. 100 Objetos de Tela . Especifica a cor da faixa e o valor limite. Ela só está disponível quando a opção " é especificada na página de propriedades gerais do gráfico. Habilita a indicação da faixa de valor alto na barra.

além de sua posição na tela que pode variar em 0.Manual do Usuário 86 <!$. funcionando como um medidor contínuo. Os valores de escala e as propriedades do gauge podem ser definidos pelo usuário. 180 ou 270 graus de rotação. O objeto Gauge é bastante útil para mostrar variáveis com resultados analógicos. Você pode editar as propriedades do Gauge dando um duplo clique sobre o mesmo. Figura 69: Propriedades do Gauge Objetos de Tela 101 . Figura 68: Gauge * ! < ! <!$. 90.

Define o ângulo inicial para a agulha do Gauge. 180° e 270°). 90°. Define o valor mínimo para o Gauge. F P B 8 B " /) * / / / / ( (R / Y" % / /0 ' " // ( / / DESCRIÇÃO Define o nome do Gauge. Define fonte. Define uma cor para os números de escala do Gauge. Define a posição do Gauge (0°. * ! ! ! ! <!$. Define o número de casas decimais para o valor nominal do Gauge. Uma breve descrição sobre o Gauge.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Gauge OPÇÃO $ 4 /( ) * . Figura 70: Propriedades Avançadas do Gauge 102 Objetos de Tela . Mostra os números-limite da escala do Gauge. cor e tamanho para o texto do Gauge. Define a cor de fundo do Gauge. Define a cor do Gauge. . Mostra o valor nominal indicado no Gauge. Define a cor do ponteiro do Gauge. Define uma agulha mais grossa para o Gauge. Define o número de divisões na escala gráfica usada no Gauge. Define o valor máximo para o Gauge.

( / " // / / 88 34 # # ! % 88 Este objeto é usado para ler ou escrever valores em um Tag selecionado. Low. Define os valores e cores para os limites: LowLow. Você pode atribuir valores ao Tag selecionado deslizando o potenciômetro (botão deslizante) ou usando as setas de direção nas extremidades do Slider. Exibe uma barra ao longo do Gauge onde podem ser configuradas diferentes cores dependendo da faixa de valores. / / / " . O valor vai variar conforme uma escala definida no objeto. Define o número total de sub-marcas a serem exibidas entre as marcas principais.Manual do Usuário Propriedades Avançadas do Gauge / / OPÇÃO ( / / . Você pode editar as propriedades do Slider dando um duplo clique sobre o mesmo.? ( / DESCRIÇÃO Exibe as marcas principais no objeto Gauge. Normal. Mostra um frame ao longo do percurso da agulha. Permite definir a fonte dos valores do Gauge. Figura 71: Slider Objetos de Tela 103 . / / Exibe os valores numéricos no objeto Gauge. . Define a altura da borda superior da legenda. B / Define a altura da borda inferior da legenda. Determina que as marcas principais sejam grossas. Exibe sub marcas no objeto Gauge. High e HighHigh a serem mostrados na legenda. Mostra as marcas em forma de bullets.

Manual do Usuário * ! < ! Figura 72: Propriedades Gerais do Slider 104 Objetos de Tela .

* Define o número de dígitos decimais a serem mostrados no Slider. Uma breve descrição sobre o Slider. Os botões são bastante flexíveis e podem ser amplamente configurados através das páginas de propriedades. Define o valor mínimo para o Slider. ( /* . Figura 73: Botão Objetos de Tela 105 . Atualiza o valor do Slider somente quando o botão deslizante é solto. Define a cor de fundo do Slider. Posiciona o Slider horizontalmente. 88+ 9 # % Este objeto é utilizado para acionamentos ou execuções de tarefas especificadas pelo usuário através do mouse ou teclado e seu funcionamento é igual aos dos botões standard do Windows. O Elipse SCADA possui uma série de modelos de botão entre interruptores. Define a cor dos números que serão mostrados no Slider.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Slider OPÇÃO $ 4 /( ) * . para facilitar a implementação de várias funções através de botões. O pressionamento de botões também gera eventos que podem ser tratados por Scripts. Define o passo de variação do valor do Slider (Tag associado) quando as setas de direção são pressionadas. chaves e outros. Posiciona o Slider verticalmente. / / /) * /) * / / ( # Habilita ou dasabilita que os valores do Slider sejam mostrados. Permite a atualização do valor do Slider mesmo quando o botão está sendo movido. Habilita ou dasabilita que as setas do Slider sejam mostradas. Modifica o tamanho do botão deslizante do Slider. . // B /0 F P B DESCRIÇÃO Define o nome do Slider. Permite configurar as fontes utilizadas no slider. Define o valor máximo para o Slider. Habilita ou desabilita que os limites (máximos e mínimos) do Slider sejam mostrados no objeto.

Manual do Usuário * ! < ! 9 # % Figura 74: Propriedades do Botão 106 Objetos de Tela .

Ele funciona como o botão de reset do computador. Conjunto de modelos que definem a aparência do botão./ ( / ' !. Define uma tela para ser chamada quando o botão é pressionado. Uma breve descrição sobre o Botão. Ele possui dois estados (ligado e desligado) que podem ser definidos na página / " /. 9 # % Figura 75: Propriedades das Mensagens do Botão Objetos de Tela 107 . .Manual do Usuário Propriedades do Botão OPÇÃO $ 4 /( ) * U DESCRIÇÃO Define o nome do Botão que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. Estão disponíveis chaves. Este tipo de botão funciona como um chave. 8 ) * Associa uma tecla de função ao botão. além de um quadro transparente que permite transformar em um botão qualquer objeto sob ele. "I4 / " K" . interruptores e bitmaps. Este botão alterna entre dois valores: um quando está pressionado e outro quando é solto. Este tipo de botão funciona como um botão de OK de uma caixa de diálogo e é usado para atribuir um valor ao Tag associado ou trocar entre telas.

Propriedades da Mensagem do Botão – Estado Pressionado OPÇÃO B . conforme o ciclo (em ms) definido. B DESCRIÇÃO Define um texto a ser mostrado no botão quando ele está despressionado. Define o valor a ser atribuído ao tag associado. tamanho e tipo da fonte do texto quando o botão está pressionado. Define a cor. Executa o script enquanto o botão está sendo pressionado. ao centro ou à direita. quando o botão está despressionado. Maiores detalhes a respeito do uso de scripts veja no capítulo específico.Manual do Usuário Propriedades da Mensagem do Botão – Estado Normal OPÇÃO B . 108 Objetos de Tela . Define o valor a ser atribuído ao Tag associado. tamanho e tipo da fonte do texto quando o botão está despressionado. Define a cor. Define uma cor de fundo para o botão quando ele está despressionado. + B DESCRIÇÃO Define um texto a ser mostrado no botão quando ele está pressionado. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a botões executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS // & C / // DESCRIÇÃO Executa o script quando o botão é pressionado. Executa o script quando o botão é solto. quando o botão está pressionado. # 9 # Os scripts disponíveis exclusivamente para botões são descritos na tabela abaixo. Alinha o texto do botão à esquerda. Define uma cor de fundo para o botão quando ele está pressionado.

Figura 76: Setpoint * ! < ! # # Figura 77: Propriedades Gerais do Setpoint Objetos de Tela 109 . Você pode editar as propriedades do Setpoint dando um duplo clique sobre o mesmo. As propriedades do setpoint permitem que você defina o tipo do valor de entrada.Manual do Usuário 88- # # O objeto Setpoint trabalha como uma caixa de edição do Windows. a fonte. tamanho e cor dos caracteres que serão mostrados no objeto. assim basta digitar um valor e pressionar ! para atribuir este valor ao tag associado.

" Seleciona todos os caracteres do Setpoint quando ele recebe o foco. Somente disponível se o formato do Setpoint (página de Formato) é texto. Define a fonte. cor e tamanho do texto do Setpoint. Define o alinhamento dos caracteres do Setpoint. Atualiza o valor do Setpoint sempre que o valor do Tag mudar.Manual do Usuário Propriedades Gerais do Setpoint OPÇÃO $ 4 /( ) * + / + / # / V' / DESCRIÇÃO Define o nome do Setpoint que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. Uma breve descrição sobre o Setpoint. Define uma cor de fundo para o Setpoint. Define os limites para os dados de entrada do Setpoint. !# # # Figura 78: Propriedades do Formato do Setpoint 110 Objetos de Tela . Define o Setpoint como tendo múltiplas linhas. ( 8 ( : .

Permite definir um string que descreve o formato data e hora. Mostra o valor do Setpoint em formato numérico. Define o número de dígitos a serem mostrados incluindo o ponto decimal. Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado.Manual do Usuário Propriedades do Formato do Setpoint OPÇÃO B $ ( DESCRIÇÃO Mostra o valor do Setpoint em formato string. 4 8B 8B IE 0 Mostra o valor do Setpoint em formato data e hora. 2 ! # # Figura 79: Propriedades das Teclas do Setpoint Objetos de Tela 111 . Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.

( /' 8 ) /( RM' 885 !. Permite a seleção de uma combinação de teclas ou uma tecla para enviar os dados digitados do Setpoint para o Tag selecionado. Substitui a tecla ! quando o Setpoint é multilinhas. E E (alto crítico). Alarmes podem ser disparados quando os valores dos tags associados são verificados em quatro situações e prioridades diferentes: (baixo crítico). encontramos uma barra de ferramentas que permite algumas funções. Figura 80: Janela do objeto Alarme Na janela de alarmes.Manual do Usuário Propriedades das Teclas do Setpoint ( OPÇÃO ) 8 ( DESCRIÇÃO Permite a seleção de uma combinação de teclas ou uma tecla para alternar o foco entre as entradas de dados dos Objetos de Tela. E " (alto). Fora dessas faixas. a saber: Reconhece os alarmes selecionados com o mouse Lista os alarmes pela data Lista os alarmes pelo nome. os valores dos tags são considerados normais. usando a data como chave secundária Lista os alarmes por prioridade (iniciando pela prioridade 1). Substitui a tecla . usando a data como chave secundária 112 Objetos de Tela . O objeto Alarme permite a verificação dos alarmes ativos ou dos alarmes registrados (“logados”) no arquivo de alarmes. 'O / / Indica que o keypad irá desaparecer depois da entrada de valores pelo usuário. @ (baixo).! quando o Setpoint é multilinhas.

bem como as cores para cada situação de alarme.Manual do Usuário * ! < ! !. Você pode editar as propriedades dando um duplo clique sobre o objeto Alarmes. As propriedades dos alarmes permitem definir o formato da data. Figura 81: Propriedades Gerais dos Alarmes Objetos de Tela 113 . hora e mensagens.

Uma breve descrição sobre o objeto Alarmes. Define a prioridade mais baixa de alarmes a serem mostrados no objeto. Define a prioridade mais alta de alarmes a serem mostrados no objeto. Obs: a opção E . Seleciona o grupo de alarmes que será mostrado no objeto de Alarmes corrente.Manual do Usuário Propriedades Gerais dos Alarmes OPÇÃO $ 4 /( ) * ' DESCRIÇÃO Define o nome do objeto Alarmes. mostrando uma linha de cabeçalho com selecionados na página / " ./ " ' 114 Objetos de Tela . & " no . / / Habilita botões grandes na barra de ferramentas do objeto de Alarmes. Habilita uma barra de título no objeto Alarme. 4 . E / O( : mostra os alarmes que estão registrados no arquivo de alarmes. Tags que estão em situação de alarme no momento. objeto Alarmes no Organizar deve estar habilitada. & / : mostra os alarmes ativos. / / Mostra ou esconde a barra de ferramentas do objeto Alarme. ou seja.

Manual do Usuário !. Define a cor de fundo para os Alarmes reconhecidos. Define a cor dos Alarmes que já retornaram a um estado normal. 115 Objetos de Tela . Define a cor do texto da barra de título do objeto Alarme. Define a cor de fundo para a barra de ferramentas do objeto Alarme. Figura 82: Propriedades das Cores do Alarme Propriedades das Cores do Alarme OPÇÃO : ' T T T ' & $ 5 3 2 * / / * DESCRIÇÃO Define a cor de fundo da janela de Alarmes. Define a cor de fundo para a barra de título do objeto Alarme. Define a cor de fundo para os Alarmes não reconhecidos.

Figura 83: Propriedades das Mensagens dos Alarmes 116 Objetos de Tela . !. !# ! !.Manual do Usuário : .

Define quantos dígitos do tamanho serão decimais. Mostra os milisegundos na coluna de hora do objeto Alarme. high. Define o formato da hora a ser mostrada no objeto. Habilita a visualização da coluna de eventos no objeto. Habilita a visualização dos comentários definidos para os Tags no objeto Alarme. hihi) no objeto Alarme. High. . Ack) dos alarmes no objeto Alarme. Define o tamanho dos comentários em números de caracteres. I I ( /* " " I Define o tamanho dos valores dos tags em número de caracterers. low. Habilita a visualização do nome do usuário responsável. Habilita o formato de hora americano. Define quantos dígitos do tamanho serão decimais. Habilita a visualização da hora no objeto Alarme. Define o tamanho do nome dos tags em números de caracteres. . low. / + P / P /I . $ $ Objetos de Tela 117 . hihi) no objeto Alarme. Habilita a visualização da coluna de valores dos Tags no objeto Alarme. Habilita a visualização da coluna de status (UnAck. conforme o formato especificado na opção . LoLo. ' Habilita a visualização da coluna do tipo do alarme (lolo. high. conforme o formato especificado na opção . Os valores serão mostrados variando para alarmes tipo resumidos ou fixos para alarmes tipo histórico.Manual do Usuário Propriedades das Mensagens dos Alarmes OPÇÃO 4 4 E E + I / / " / IIDESCRIÇÃO Habilita a visualização da data no objeto Alarme. Define o tamanho do nome do usuário em números de caracteres. HiHi) I I % P / % P I / ( /* Define o tamanho dos valores limites de cada alarme em número de caracteres. Habilita a visualização da coluna de prioridades de alarmes (lolo. Habilita a visualização da coluna de valores dos tags no objeto Alarme. Habilita a visualização dos limites definidos para os Alarmes conforme o seu tipo (Low. Define o formato da data a ser mostrada no objeto.

.

Figura 84: Propriedades Gerais dos Alarmes Alarmes 119 .! "$ # ? ? ? * ! !. A opção Alarmes da árvore da aplicação no Organizer permite que sejam definidas algumas características para o gerenciamento dos Alarmes do sistema. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. A página de Propriedades Gerais dos Alarmes aparece quando selecionada a aba Alarmes no topo das páginas dos Alarmes. As propriedades do Gerenciador de Alarmes afetam o comportamento de todos os Alarmes do sistema especificados na página de Alarmes dos Tags. bem como configurar sons e mensagens de alerta. Você pode especificar um arquivo para gravar todos os alarmes que irão ocorrer no seu sistema. < ! !.

+ '/ $ ( $ "' ' ?+ # !. Força a escrita direta dos dados no disco. por exemplo. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a alarmes executando-os em uma das situações a seguir: EVENTOS + DESCRIÇÃO Executa o Script quando um alarme ocorrer. Os scripts do Gerenciador de Alarmes geralmente estão associados a uma situação de alarme.Propriedades Gerais dos Alarmes .) Faz com que o sistema gere um evento (trap) SNMP a cada nova mensagem de alarme. Habilita um som de alerta para os Alarmes. & " / OPÇÃO / / " / DESCRIÇÃO Permite habilitar ou desabilitar a verificação de alarmes do grupo. Define o nome do arquivo de Alarmes (extensão 4+ ) ( # ( /( / / /( Permite localizar ou definir um diretório para o arquivo de Alarmes. /D Cria um novo grupo de Alarmes. mas aumenta muito a segurança de dados no caso de falhas. O tamanho do cabeçalho é 848 bytes determinando o tamanho inicial do arquivo. 8( "' E . 120 Alarmes . que eles podem ser executados quando um Alarme ocorrer. A atualização deste arquivo se dá de forma cíclica. O som pode ser escolhido a partir da lista embaixo. Define o tamanho do arquivo de Alarmes em número de registros. Habilita o registro (log) dos alarmes do grupo atual. Cada alarme é um registro que ocupa 42 bytes. Os scripts disponíveis para os alarmes são descritos na tabela abaixo. Isso diminui a performance. O usuário pode escolher a que grupo de alarmes um Tag ou um objeto de tela Alarmes está associado. Maiores detalhes a respeito veja no scripts. Isto significa. (Disponível somente nos sistemas Windows NT. sem utilizar buffers.

! "$ # A A # ! Uma Receita é um conjunto de valores pré-definidos que podem ser carregados para um grupo de tags a fim de configurar um processo específico. Supondo que você tem diferentes configurações de máquina para cada tipo de parafuso. “Fenda Torx”. Receitas 121 . seja uma máquina que fabrica diferentes tipos de parafusos. estes valores poderiam ser gravados em uma receita e serem posteriormente carregados em tags de controle. “Fenda Simples” e assim por diante. em um “arquivo de receitas” com a extensão & . os modelos e os dados de uma receita são armazenados em disco. Para que sejam recuperados quando necessário. Dessa maneira. Esta lista de tags também chamamos de modelo de receita. Você pode definir uma receita no Organizer durante a configuração da aplicação ou em tempo de execução usando Funções Especiais através de scripts. Por exemplo. As variáveis envolvidas no processo são sempre as mesmas. mas seus valores provavelmente irão mudar dependendo do tipo de parafuso que se quer produzir. facilitando a tarefa do operador e evitando erros. podemos criar um modelo de receita “Parafuso” com diversas receitas “Fenda Philips”.

( 4 122 Receitas . que poderá ser uma localização absoluta (“C:\ELIPSE\RECIPES\RCP1”) ou relativa (“RECIPES\RCP1”). Abre a janela Editar Receita onde se pode acrescentar e modificar os valores das diversas receitas.A * ! < ! ! # ! Cada receita que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção & ( / na árvore do Organizer. Você pode especificar também o caminho do arquivo. Mostra os tags selecionados para o modelo de receita corrente. Mostra os campos associados aos tags do modelo de receita. / 0 / " ( Permite a edição da etiqueta que identifica o tag selecionado na receita. A seguir. Localizações relativas são recomendadas se você deseja copiar sua aplicação para outro computador. Ao selecionar uma receita específica. O nome do arquivo pode ter até 8 caracteres e não deve conter extensão (o Elipse SCADA irá sempre usar a extensão RCP). suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. podemos ver as propriedades das receitas. Define o nome do arquivo para o modelo de receita. Figura 85: Propriedades Gerais da Receita Propriedades Gerais da Receita OPÇÃO $ 4 /( ) * + & ( DESCRIÇÃO Define o nome do modelo de receita. Uma breve descrição sobre o modelo de receita.

Veremos os campos dessa janela a seguir: Figura 86: Editando Receitas Receitas 123 . utilizamos a janela & ( que é chamada através do botão na página de propriedades de receitas. Selecionando qualquer receita da lista você poderá editar a sua descrição e os valores de cada tag associado. onde podem ser selecionados para edição. Todas as receitas criadas utilizando o modelo escolhido são listadas no campo & ( /. editar ou apagar receitas já criadas.Manual do Usuário A+ # ! # ! Para acrescentar.

124 Receitas . Permite copiar uma receita já definida. Cria uma nova receita. que são listados no quadro inferior. Os tags são identificados por suas etiquetas associadas. Nome ou descrição da receita. Permite a edição do valor do tag para a receita corrente. Apaga a receita selecionada.Campos da janela Editar Receitas OPÇÃO & ( / 4 /( ) * $ 4 ' ( ( ( DESCRIÇÃO Permite a seleção de uma receita no modelo corrente. Use as setas de direção do teclado ou o mouse para selecionar o tag a ser editado. Cada modelo de receita pode ter várias receitas (conjunto de valores) relacionadas. a fim de tornar mais fácil a criação de receitas com muitas variáveis.

o Elipse SCADA armazena os dados continuamente durante a execução da aplicação. é necessário enviar um comando via script para iniciar e terminar a geração do histórico. Figura 87: Propriedades Gerais dos Históricos Históricos 125 . o histórico é feito por lotes. Nessa modalidade. A página de propriedades gerais dos históricos aparecem no lado direito do Organizer. Esta página é a que segue. Estes Históricos podem ser gerados de duas maneiras diferentes: de forma Contínua ou em Bateladas (em batch). < ! H # . quando clicamos no item E / O ( na árvore da aplicação. possibilitando análises futuras. Na forma de bateladas. Os Históricos permitem o armazenamento da variação dos dados de um processo ao longo do tempo.! "$ # B B B * ! H # . Na forma contínua.

Você pode chamar a Análise Histórica em tempo de execução. Configurações. mostrando a página Análises com o gráfico para análise dos dados. Consultas e 126 Históricos . através da função + M/ /G H do Histórico. + ( # ' /( Define o nome do arquivo do histórico. Recalcula a análise histórica e o CEP para o histórico. Permite a visualização dos dados do histórico em forma gráfica.Propriedades Gerais dos Históricos OPÇÃO $ 4 /( ) * + P/ / DESCRIÇÃO Define o nome do objeto histórico. ou seja. Esta janela possui mais seis páginas de configuração (disponíveis de acordo com a programação da aplicação). Habilita o suporte a rede para o histórico. Cores das Penas. São elas: Gráfico. uma janela Histórico é aberta em sua aplicação. Define o tipo do histórico como sendo por batelada (por lotes). através de um browser ou relatório do tipo Análise Histórica. permite que o histórico seja acessado (somente para leitura) por outras aplicações Elipse na rede. um arquivo de cabeçalho (extensão HDR) é criado com o mesmo nome que o arquivo de histórico. ! Quando um Histórico é criado. quando os dados excederem o tamanho do arquivo. O arquivo de histórico é rotativo. Deixe esta opção desmarcada se você deseja controlar manualmente (usando scripts) a geração dos dados do histórico. Penas. o Elipse SCADA automaticamente associa a ele um objeto Análise Histórica (HAnalysis). + # P & " B / E . Ao ser chamada a Análise Histórica. Este objeto possui diversas características que podem ser ajustadas em tempo de execução. Quando esta opção está marcada. os primeiros registros serão substituídos. Uma breve descrição do objeto. O arquivo de cabeçalho guarda informações sobre cada batelada. Número máximo de registros a serem armazenados no arquivo. /( Habilita a escrita no arquivo de histórico a partir do início da execução da aplicação segundo a taxa de varredura definida. Define a freqüência com que os dados serão escritos no arquivo. Permite localizar ou definir um diretório para o arquivo de histórico. Chama a tela do Controle Estatístico de Processos. / O( ' ( // ' B+ 1 H # . isto é.

o Elipse SCADA mostra algumas informações quando o mouse está posicionado dentro da área do gráfico: coordenadas do mouse e valor do ponto selecionado no gráfico demarcado pelas linhas (horizontal e vertical) tracejadas. o qual se quer observar a evolução histórica. de acordo com a vontade do usuário. Para selecionar um ponto do gráfico basta clicar sobre o mesmo. rolagem e impressão. Cada uma destas páginas aparece quando selecionada a sua guia correspondente do topo da janela. 1 A página de Análise mostra o gráfico da Análise Histórica e permite a configuração das variáveis a serem mostradas no mesmo. que podem ser acessados por meio da barra de ferramentas que se localiza na parte inferior da janela. Históricos 127 . Figura 88: Página de análise À direita. Vejamos. cada uma delas associada a um tag. Estas penas podem ser ativadas ou desativadas e pode-se mudar o tipo de cor e estilo de linha. Possui recursos de zoom. podemos ver as penas do gráfico. a seguir. uma descrição da cada uma. Na parte superior.Manual do Usuário Impressão.

de acordo com o que segue: Figura 89: Página de configuração do gráfico 128 Históricos .< 1( Esta página permite a configuração da aparência do Gráfico da Análise Histórica.

com os valores do eixo Y. Ajusta o formato de data e hora quando configurados para o eixo. Limite inferior do eixo Y. B. Define fonte. Opções comuns +: / & B /I/I /I/I I I / / / W " B 4 IE W " W " "P( 8 B / > J OPÇÃO P( DESCRIÇÃO Calcula automaticamente os limites para os eixos X e/ou Y. Permite acrescentar um título para as réguas. Define a cor de fundo para as réguas. Define a cor da grade e dos eixos do gráfico. W Z/ " W Z " DESCRIÇÃO Limite superior do eixo Y. W / ' " W " 8 Exibe uma régua para o eixo X na parte superior do gráfico. com os valores do eixo Y. Define a cor para o texto que será mostrado nas réguas. Históricos 129 . Limite direito do eixo X. Define o número de linhas verticais da grade. Disponível se o gráfico é do tipo XY. B. Exibe uma régua a esquerda do gráfico. B. tamanho e cor para os caracteres do gráfico. Opções para o eixo Y (vertical) OPÇÃO / ' 8 B. Define a cor de fundo para o gráfico. Define o número de linhas horizontais da grade. Faz com que a grade de fundo se movimente à medida que os valores do gráfico são atualizados. Exibe uma régua para o eixo X na parte inferior do gráfico. Disponível se o gráfico é do tipo XY.Manual do Usuário Opções para o eixo X (horizontal) OPÇÃO / DESCRIÇÃO Limite esquerdo do eixo X. Exibe uma régua a direita do gráfico.

Variável a ser usada na coordenada Y. é possível ajustar as características da representação gráfica da pena. Através dos botões da barra de ferramentas. Pode-se ajustar quais estarão ativas. associando a cada um. uma “pena” que irá descrever a evolução da variável no processo. Figura 90: Guia de configuração das penas No quadro central. é possível: acrescentar mais uma Pena acrescentar uma Marca apagar uma Pena ou Marca ajustar a representação em linha para o tag selecionado ajustar a representação em preenchimento para o tag selecionado ajustar a representação em barra para o tag selecionado 130 Históricos subir a pena de posição descer a pena de posição . Variável a ser usada na coordenada X. J B/ > B/ DESCRIÇÃO Nome ou descrição da pena. tais como espessura da linha e cor.* ! Esta página permite determinar os tags que serão mostrados no gráfico. são listadas as penas que serão usadas no gráfico. posicionada na parte superior da janela. o nome do tag é sugerido. Por padrão. mas pode ser mudado. Os outros campos são descritos abaixo: Opções de configuração das penas OPÇÃO . Clicando-se no retângulo preto mais à direita.

Seleciona a impressão de todas as bateladas do arquivo.$ ! Esta página permite especificar o arquivo de dados a ser usado na análise. Figura 91: Guia de configuração do arquivo de histórico Campos de configuração do arquivo de histórico OPÇÃO $ / X . Seleciona para ser impressa a última batelada registrada. Seleciona uma batelada específica para ser impressa.Manual do Usuário (. /' (F 8( / DESCRIÇÃO Define o nome do arquivo fonte para Análise Histórica e CEP ( 4+ ). Se a opção ( // estiver marcada (ver propriedades gerais do Histórico). . conforme o especificado nos campos ' e. o grupo nesta página estará disponível para a escolha da batelada. Históricos 131 .

A partir dessa consulta é possível definir um intervalo de tempo para limitar os dados com os quais se quer trabalhar. Figura 92: Guia de configuração da consulta no histórico 132 Históricos .$# ! Esta página permite criar uma “consulta” (query) para o arquivo de histórico.

Determina a data inicial do intervalo de tempo. Determina a hora final do intervalo de tempo.Manual do Usuário Campos de configuração da consulta no histórico OPÇÃO ( / ' ' 4 4 E 4 E X X ' . ( 8 8 G G ( " / H H / ( ( / ( / DESCRIÇÃO Não será usado filtro. Define a unidade de tempo dos dados mais recentes. seleciona todos os dados. ou seja. Os limites de visualização são restringidos conforme o configurado pelo usuário. Históricos 133 . Seleciona os dados a partir de um tempo passado até agora. Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo especificado. Define o número de unidades de tempo dos dados mais recentes. Carrega todos os dados do histórico. Determina a data final do intervalo de tempo. Determina a hora inicial do intervalo de tempo.

. Permite salvar uma configuração específica. Figura 93: Configurações de impressão Configurações de impressões B * * * ' ' O F ' // OPÇÃO ' // " DESCRIÇÃO Permite a escolha da impressora onde se quer imprimir o relatório. Permite carregar arquivos de configuração. Permite especificar um título para o relatório (no campo embaixo). 134 Históricos . % Esta página permite a configuração de opções para a impressão da análise histórica. O desenvolvedor da aplicação poderá gerar arquivos de configuração de impressora (arquivos &) que são carregados pelo usuário em tempo de execução. Comanda a impressão da Análise Histórica. Chama a configuração da impressora corrente.

Manual do Usuário

B-

#

# "# !#

*

O Controle Estatístico de Processos (ou CEP) permite uma análise estatística de um processo monitorado. É uma poderosa ferramenta para que você possa verificar se o processo está executando de acordo com as suas necessidades e controlar suas variáveis para obter um melhor resultado. Assim como a Análise Histórica, o CEP também está associado a um objeto Histórico e é possível habilitar a sua configuração em tempo de execução. Quando o CEP é chamado, uma Janela de Propriedade é aberta. Através dela, é possível configurar as opções do CEP, que possui 7 páginas: Configurar, Cores das Penas , Gráfico de Média, Gráfico de Dispersão, Gráfico de Histograma, Configurações e Consulta. As notações a seguir serão usadas na explicação das fórmulas do CEP:
• • • •

k : número de amostras;

x : média aritmética dos valores da amostra i, onde i = 1, 2, 3, ..., k
i

n : tamanho de cada amostra;

x

ij

: valor j da amostra i, onde j = 1, 2, 3, ..., n

Históricos

135

(.$ ! Esta é a página principal do CEP e permite a configuração de suas propriedades gerais. Nesta tela também encontramos botões para chamar as telas auxiliares do CEP, que permitem visualizar gráficos e resultados da análise estatística.

Figura 94: Propriedades do CEP

136

Históricos

Manual do Usuário

Configuração das propriedades do CEP OPÇÃO /I ' ' " / " / " I ' I 8 /' /* DESCRIÇÃO Define o número de itens para cada amostra Define o método a ser usado: Sigma ou Range Define qual o Tag do Histórico que será analisado Define o limite inferior de Engenharia ou Especificação do intervalo de tolerância para os dados das amostras do CEP Define o limite superior de Engenharia ou Especificação do intervalo de tolerância para os dados das amostras do CEP

Após a alteração de algumas destas características, é necessário apertar o botão Atualizar CEP para o sistema refazer os cálculos. ! * !

Esta página permite selecionar as cores para cada pena (tag) do Histórico e as demais linhas de controle, que serão mostradas nos gráficos do CEP, a saber: média, limite superior/inferior de controle, limite superior/inferior de engenharia, curva normal e cor da barra.

Figura 95: Configurações das Cores das Penas

Históricos

137

< 1(

G !

Esta página permite configurar a aparência do gráfico de médias do CEP. Seus controles são descritos a seguir.

Figura 96: Configurações do Gráfico de Média

Opções para o eixo X (horizontal) OPÇÃO / DESCRIÇÃO Limite esquerdo do eixo X. Disponível se o gráfico é do tipo XY. Limite direito do eixo X. Disponível se o gráfico é do tipo XY. B, B, W / ' " W " 8 Exibe uma régua para o eixo X na parte superior do gráfico. Exibe uma régua para o eixo X na parte inferior do gráfico.

138

Históricos

Manual do Usuário

Opções para o eixo Y (vertical) OPÇÃO / ' 8 B, B, W Z/ " W Z " DESCRIÇÃO Limite superior do eixo Y. Limite inferior do eixo Y. Exibe uma régua a esquerda do gráfico, com os valores do eixo Y. Exibe uma régua a direita do gráfico, com os valores do eixo Y. Opções comuns +: / & B /I/I /I/I I I / / / W " B 4 IE W " W " "P( 8 B / > J OPÇÃO P( DESCRIÇÃO Calcula automaticamente os limites para os eixos X e/ou Y. Faz com que a grade de fundo se movimente à medida que os valores do gráfico são atualizados. Permite acrescentar um título para as réguas. Ajusta o formato de data e hora quando configurados para o eixo. Define a cor de fundo para as réguas. Define a cor para o texto que será mostrado nas réguas. Define a cor de fundo para o gráfico. Define a cor da grade e dos eixos do gráfico. Define o número de linhas horizontais da grade. Define o número de linhas verticais da grade. Define fonte, tamanho e cor para os caracteres do gráfico.

Métodos de Cálculo O gráfico da média é calculado da maneira seguinte. Para cada amostra i (1, 2, ..., k), é calculada a média

x i:

xi=

1 ( x11 + x12 + x13 + ... + x1n ) n

x , é a média das médias de cada amostra. Você pode obter o valor do desvio padrão das médias σ x usando um de dois métodos:
Uma linha central representada por
Históricos 139

a) Método Sigma Para cada amostra i ( i = 1, 2, ..., k ) calcula-se:
12

Si =

n j =1

x 2 − n.x 2 j

n

A seguir, calcula-se o desvio médio:

S=

Utiliza-se, para a estimativa do desvio padrão, um fator de correção, anotado por c2. Esta constante varia conforme n e, como você pode ver na tabela do CEP, quando n é maior que 25, c2 = 1, o que significa que não há mais correção a fazer. O desvio padrão será, então:

1 k

(S + S
1

2

+...+ S k

)

σ

x

=

S C2

Recomenda-se utilizar este método para amostras grandes, com n maior que 10.

140

Históricos

LIE: Limite Inferior de Engenharia. LIC: Limite Inferior de Controle LSC = X + a2 ⋅ R . Históricos 141 .. k ). com n menor ou igual a 10 (n<=10)...Manual do Usuário b) Método Range Para cada amostra i ( i = 1. O gráfico terá. Esta constante varia conforme n e. um fator de correção. então. . então: 1 k ( R + R +. anotado por d2. LIC = X − a2 ⋅ R .. os seguintes pontos no eixo X. LSE: Limite Superior de Engenharia.+ R ) 1 2 σ XDB: Linha central = x LSC: Limite Superior de Controle x = R D2 Recomenda-se utilizar este método para amostras pequenas. como você pode ver na tabela do CEP. quanto maior o valor de n maior a correção a ser aplicada. para a estimativa do desvio padrão. 2.. calcula-se: A seguir calcula-se a amplitude média: R =(X i max − X ) min k R= Utiliza-se. O desvio padrão será.

< 1( % Esta página permite configurar a aparência do gráfico de dispersão do CEP.d 3 142 Históricos . b) Método Range Da mesma forma que no gráfico anterior.d 4 R . Desta forma calcula-se os limites: 1 k (S + S 1 2 +.+ R ) 1 2 k LSC = LIC = R . Desta forma calcula-se os limites: 1 k ( R + R +. Métodos de cálculo a) Método Sigma A linha central do gráfico é representada por S e calculada como segue: S= Utiliza-se. a linha central do gráfico é representada por (c ) 3 R e calculada como segue: R= Utiliza-se.. para o cálculo dos limites de controle..+ S k ) LSC = LIC = S S (c ) 4 Este gráfico é recomendado para amostras grandes com n maior que 10 (n>10). Ela tem os mesmos controles e funcionamento do gráfico das Médias. duas constantes d3 e d4 (ver tabela CEP).. para o cálculo dos limites de controle. duas constantes c3 e c4 (ver tabela SPC)..

761 1.716 1.136 0.406 0.9027 0.9490 0.321 0.8686 0.266 2.239 0.532 3.089 1.858 3.284 0.266 0.693 2.924 1.9227 0.115 2.336 3.744 1.671 1.452 0.472 3.459 d4 3.534 0.9523 0.9684 0.646 1.329 0.Manual do Usuário Os valores para cálculo das linhas centras e limites de controle são definidos de acordo com a tabela que segue: Tabela CEP (valores para cálculo das linhas centrais e limites de controles) N 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 a 2 d2 1.030 0.588 3.596 1.212 0.184 0.586 1.000 0.167 0.541 c3 0.256 0.575 2.379 0.518 1.235 0.348 0.000 0.249 0.490 1.882 1.477 1.9410 0.000 0.9359 0.425 0.173 3.970 1.9576 0.185 0.636 1.523 0.534 2.565 c4 3.548 1.566 1.621 1.326 2.414 0.575 1.419 0.076 0.880 1.816 1.577 0.9551 0.364 0.9670 0.267 2.059 2.864 1.931 c2 0.078 3.847 2.9300 0.118 0.203 0.8882 0.8407 0.023 0.187 0.608 1.9638 0.534 1.679 1.337 0.000 0.552 1.503 1.778 3.392 0.9696 d3 0.223 0.555 0.448 0.373 0.692 1.9655 0.282 2.7979 0.716 1.267 2.483 0.354 0.482 0.466 0.000 0.970 3.433 0.9453 0.435 1.618 1.545 0.497 0.466 1.000 0.9599 0.819 3.729 0.689 3.285 0.594 1.895 3.404 0.445 1.308 0.180 0.434 0.568 2.157 0.652 1.704 2.455 1.000 0.428 0.7236 0.128 1.5642 0.572 1.777 1.9619 0.382 0.308 0.004 1.194 0.223 0.9139 0.162 0.640 3.815 1.735 3.000 0.173 0.258 3.153 Históricos 143 .407 3.000 0.510 0.284 0.557 1.

Elipse SCADA define que item pertence a que barra e calcula a freqüência total f para cada barra do gráfico. determinado diminuindo-se o menor item do maior e dividindo-se o resultado pelo número de barras. !.< 1( H # . Figura 97: Gráfico de Histograma Na página Gráfico de Histograma podemos configurar a aparência deste tipo de gráfico gerado a partir do CEP. da dispersão ao longo da escala de medição e da freqüência de valores. A distribuição normal também aparece no gráfico do Histograma e é determinada pela seguinte fórmula: 144 Históricos . O Elipse SCADA gera o Gráfico de Histograma baseado nos seguintes elementos: Número de Barras Total de itens 20-50 51-100 101-200 201-500 501-1000 Mais de 1000 Número de barras 6 7 8 9 10 11-20 Intervalo de Barra (l) A largura de cada barra é dada por um intervalo. Esta página tem os mesmos controles e funcionamento do gráfico das médias. ! O Gráfico de Histograma mostra um volume grande de dados de forma clara. permitindo uma melhor visualização da tendência central.

e os limites de controle (LSC e LIC) e engenharia (LSE e LIE) também aparecem no gráfico.75 indicam capabilidade.Taxa de Capabilidade É o inverso do CP.33 Menor que 1. CR = 6σ Tolerancia valores de CR menores que 0.0 e 1.33 Entre 1. Processo é capaz.média do processo versus média especificada K é a comparação entre a média e o ponto médio. Tolerancia 6σ CR . Históricos 145 . VALOR DO CP Maior que 1.0. mas precisa ser monitorado com CP próximo de 1.Manual do Usuário y= 1 σ 2π e −( x − µ )2 2 σ 2 onde: µ = média e σ = desvio padrão A linha central da média. as seguintes fórmulas devem ser definidas: Ponto médio = (LSE + LIE) / 2 Tolerância = LSE .Capabilidade Inerente do Processo CP = Se as amostras não estiverem no ponto médio elas tendem a zero.0 DESCRIÇÃO Processo é capaz. Índices de capabilidade Antes de descrever cada índice de capabilidade. mostrando o quanto os dados estão centralizados de acordo com a especificação.LIE CP . K . Processo não é capaz.

Um CPK igual a 1 indica que um final dos 6 limites sigma cai em um limite de engenharia.Capabilidade em relação a média especificada CPK é a capabilidade do processo baseada no pior caso de dados. Um CPK maior que um significa que os 6 limites sigma caem completamente dentro dos limites de engenharia. CPK é o menor valor de: ( LSE − Media ) 3σ ou ( Media − LIE ) 3σ Um valor negativo do CPK indica que a média está fora dos limites de engenharia. Um CPK entre 0 e 1. 146 Históricos .( ) K = Media − PtoMedio Tolerancia 2 CPK .0 significa que parte dos 6 limites sigma caem fora dos limites de engenharia. Um CPK igual a zero indica que a média é igual a um dos limites de engenharia.

Manual do Usuário (. Figura 98: Configurações Históricos 147 .$ ! Esta página é a mesma existente na consulta do Histórico e permite a configuração do arquivo de histórico que será usado pelo CEP.

Figura 99: Configurações das Consultas 148 Históricos .$# ! Esta página é a mesma existente na consulta do Histórico e permite definir um intervalo de tempo para o arquivo de Histórico.

! "$ # C C • • • • !# . Gráfico: imprime os dados de arquivos de históricos ou de alarmes de forma gráfica. A janela para escolha do tipo do Novo Relatório é mostrada a seguir: Relatórios 149 . Formatado: usado para imprimir dados em tempo real. Você pode definir um Relatório no Organizer durante a configuração da aplicação ou em tempo de execução usando Funções Especiais através de Scripts. a página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos os Relatórios existentes na aplicação. Figura 100: Tela de criação de relatórios Você pode criar um novo Relatório usando o botão Novo à direita da página ou remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão deletar. Existem quatro tipos de Relatórios disponíveis: Texto: imprime os dados de arquivos de históricos ou de alarmes em formato texto. Para criar ou editar um Relatório você precisa selecionar a opção Relatórios na árvore da aplicação no Organizer. Análise Histórica: é um relatório em tela que possui dentro dele um relatório gráfico. Relatórios permitem imprimir os dados de arquivos de Histórico ou de Alarmes ou ainda valores de tags em tempo real. como por exemplo o valor de um Tag em determinado momento.

Figura 101: Tela dos tipos de relatórios Cada Relatório que você cria para a aplicação aparece abaixo da opção Relatórios (Reports) na árvore da aplicação no Organizer. Ao selecionar um Relatório específico suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. 150 Relatórios .

Figura 102: Propriedades gerais dos relatórios Relatórios 151 . Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. Gráfico e Formatado A página de propriedades Gerais dos Relatórios Texto. Gráfico e Formatado aparece quando selecionada a aba Geral no topo das páginas do Relatório.Manual do Usuário C * ! < ! Para relatórios do tipo: Texto.

Permite escolher a definição de impressora para o relatório. Se a opção Processo de Batelada estiver marcada (ver Propriedades Gerais do Histórico) o quadro Batelada nesta página estará disponível para a escolha da Batelada. A página de Configurações dos Relatórios aparece quando selecionada a aba Configurações no topo das páginas do Relatório Texto ou Gráfico. Uma breve descrição sobre o Relatório.$ ! Para relatórios do tipo: Texto e Gráfico Permite a especificação do arquivo a ser impresso: Histórico (extensão DAT). cor e tamanho) a ser usada no Relatório. O botão mostra a caixa de diálogo de Configuração de Impressora. Habilita a impressão de uma página contendo dados do cabeçalho da Batelada. desenho de um relatório D ' ' // - Define a fonte (tipo. Somente disponível para Relatórios TEXTO e GRÁFICO. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue. ) DESCRIÇÃO Define o nome do Relatório que será usado na árvore do Organizer e nos Scripts. Imprime o Relatório. Imprime como título o texto informado no campo Descrição.Propriedades Gerais dos Relatórios OPÇÃO $ 4 /( ) * ' . Alarmes (extensão DAT) ou Batelada (extensão HDR). Permite editar o FORMATADO. Os botões " e permitem carregar e salvar configurações de impressora previamente definidas e salvas no sistema. C+ (. ' O ' // F ( . 152 Relatórios .

Lista os campos disponíveis para seleção de uma batelada específica. Esta opção está disponível somente para arquivos de Histórico por batelada. Relatórios 153 . / OPÇÃO 8 DESCRIÇÃO Define o nome do arquivo fonte para o Relatório ( 4+ ou E4&). /' (F 8( ' Seleciona uma batelada específica para ser impressa. Permite localizar o arquivo fonte a ser usado pelo Relatório. Seleciona a última batelada para ser impressa.Manual do Usuário Figura 103: Configurações do Relatório Configurações dos Relatórios + ( # / /. Seleciona todas as bateladas para serem impressas. . Somente campos tipo string serão listados. Esta opção está disponível somente para arquivos de Histórico por batelada. conforme o especificado nos campos ' e. . Define o valor a ser buscado quando numa batelada específica. % .

Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.C- $# ! Para relatórios do tipo: Texto e Gráfico Permite definir um intervalo de tempo para selecionar os dados do arquivo a ser impresso. A página de Consulta do Relatório aparece quando selecionada a aba Consulta no topo das páginas dos Relatórios Texto ou Gráfico. Figura 104: Propriedades das Consultas 154 Relatórios .

seleciona todos os dados. Define a unidade usada para selecionar os dados mais recentes.Manual do Usuário Propriedades das Consultas ( OPÇÃO / ' ' 4 4 E 4 E X % 8 8 / ( ( / ( / DESCRIÇÃO Não será usado filtro. Determina a data inicial do intervalo de tempo. Determina a data final do intervalo de tempo. Número de unidades usadas para selecionar os dados mais recentes. Determina o horário final do intervalo de tempo. Seleciona apenas os dados mais novos. C 5 9! ! Relatório Texto A página Banco de Dados do Relatório aparece quando selecionada a aba 4 / no topo das páginas do Relatório Texto. Determina o horário inicial do intervalo de tempo. ( Figura 105: Propriedades de Bancos de Dados em Relatórios Relatórios 155 . Seleciona os dados dentro de um intervalo de tempo especificado. ou seja.

( /* 8B 8B 4 Define quantos dígitos do tamanho serão decimais. E . Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos campos do Relatório. Move o campo selecionado uma posição para baixo. Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado. Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado.Propriedades do Banco de Dados OPÇÃO ' / B + + # / DESCRIÇÃO Lista os campos disponíveis. Define um nome alternativo aos campos que serão impressos no relatório. Define o número de dígitos a serem mostrados incluindo o ponto decimal. Move o campo selecionado uma posição para cima. / Define o número de linhas que o campo selecionado irá ter no Relatório. Permite que o campo selecionado seja impresso. Quando é feita alguma modificação na estrutura do arquivo usado pelo Relatório este botão deve ser pressionado para atualização dos campos. 156 Relatórios . Define o formato do campo DataTime.

Figura 106: Propriedades de Bateladas em Relatórios Relatórios 157 . Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.Manual do Usuário C 6 9!# ! ! Relatório Texto A página de Batelada do Relatório Texto aparece quando selecionada a aba no topo das páginas do Relatório Texto.

( /* 8B 8B 4 Define quantos dígitos do tamanho serão decimais. Adiciona um sufixo tipo string ao valor mostrado. B E . Permite que o campo selecionado seja impresso.Propriedades de Bateladas OPÇÃO ' / ( . Move o campo selecionado uma posição para cima. Define um nome alternativo aos campos que serão impressos no relatório. Adiciona um prefixo tipo string ao valor mostrado. 158 Relatórios . + # / DESCRIÇÃO Lista os campos disponíveis. Quando é feita alguma modificação na estrutura do arquivo usado pelo Relatório este botão deve ser pressionado para atualização dos campos. Move o campo selecionado uma posição para baixo. Define o formato do campo DataTime. Define o número de dígitos a serem mostrados incluindo o ponto decimal. Recarrega a lista de campos atual do arquivo nos campos do Relatório. / Define o número de linhas que o campo selecionado irá ter no Relatório.

Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue: Figura 107: Propriedades do Gráfico Relatórios 159 .Manual do Usuário C 8 < 1( Relatório Gráfico A página Gráfico do Relatório Gráfico aparece quando selecionada a aba P ( no 8 topo das páginas do Relatório Gráfico.

Define o limite esquerdo do eixo X do gráfico. Define o formato da marcação de tempo que irá aparecer no eixo X nos gráficos Tempo X Dado. Define o limite inferior do eixo Y do gráfico. Define a cor de fundo para o gráfico. tamanho e cor para os caracteres do gráfico. W / ' " W " / ' 8 B. Define o número de linhas verticais da grade. Mostra uma grade (linhas de orientação vertical e horizontal) no gráfico. Exibe uma régua a esquerda do gráfico. Calcula automaticamente os limites dos eixos X ou Y do gráfico. Define a cor para o texto que será mostrado nas réguas. Define o limite superior do eixo Y do gráfico. / / / > J / " W 0 " / Define o número de linhas horizontais da grade.Propriedades do Gráfico (Eixo X e Eixo Y) OPÇÃO /( / DESCRIÇÃO Define se a escala do gráfico será linear (escala normal) ou logarítmica (fator de potência). B 4 IE Legenda que irá aparecer ao lado da escala do eixo X e eixo Y. 160 Relatórios . Define que a grade de orientação do gráfico irá rolar na direção em que o gráfico está sendo desenhado acompanhando os valores. onde são mostrados os valores do eixo X. Define a cor da grade e dos eixos do gráfico. ao invés de ficar fixa no objeto. Define o limite direito do eixo X do gráfico. Define fonte. Exibe uma régua inferior no gráfico. B. / B. onde são mostrados os valores do eixo Y. Mostra os milisegundos no eixo do gráfico que representa o tempo. onde são mostrados os valores do eixo X. Esta opção está disponível somente se o gráfico é do tipo XY. +: / W " W " P( 8 Exibe uma régua superior no gráfico. Exibe uma régua a direita do gráfico. onde são mostrados os valores do eixo Y. Propriedades do Gráfico (Cores e Grade) B / OPÇÃO W " W " "P( 8 B / DESCRIÇÃO Define a cor de fundo para as réguas do gráfico. B. Esta opção está disponível somente se o gráfico é do tipo XY.

Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos controles e campos são descritos na tabela que segue. J +B / > +B / Essa coluna lista as penas selecionadas para o gráfico. Insere uma pena associada a um campo do histórico (a opção " 4 / E / O( 4 /( deve estar habilitada na aba + ) ). Permite mudar o texto da legenda e ativar/desativar cada pena. Define que o desenho da pena será do tipo Barra. Seleciona o tag a ser visualizado no eixo Y. Muda a ordem da pena selecionada.Manual do Usuário C? * ! Relatório Gráfico A página Penas do Relatório Gráfico aparece quando selecionada a aba / no topo das páginas do Relatório Gráfico. Define que o desenho da pena será do tipo Linha. Insere uma marca indicativa no gráfico. Figura 108: Propriedades de Penas Propriedades das Penas OPÇÃO DESCRIÇÃO Insere uma pena associada a um tag. Apaga uma pena ou uma marca selecionada na lista. Seleciona o tag a ser visualizado no eixo X. Define que o desenho da pena será do tipo Área. . Mostra o quadro Cores das Penas (ver seção a seguir). Relatórios 161 .

o formato e o tipo do gráfico que será desenhado para a pena em questão: linha. O botão / permite a escolha de outras cores que não as listadas no quadro.! * ! O quadro Cores das Penas aparece quando clica-se no ícone ao lado das penas do gráfico. Figura 109: Configurações das Cores das Penas 162 Relatórios . podemos definir a cor. Nesse quadro. área ou barra.

1 H # .Manual do Usuário CA !# . podendo também ser impresso. A configuração e as páginas de propriedade deste Relatório são feitas em tempo de execução. Este relatório pode ser editado usando-se objetos disponíveis em modo de edição. !# ! O Relatório Formatado é usado quando se deseja imprimir dados em tempo real como por exemplo o valor de um determinado tag em dado momento. ! O Relatório Análise Histórica é um relatório em tela que cria um objeto Análise Histórica. É possível configurar a janela da Análise Histórica e ativar ou desativar as páginas de configuração nas propriedades gerais do objeto Análise Histórica no Organizer. de acordo com o que já foi descrito nessa seção. Relatórios 163 . : . Figura 110: Relatório Formatado CB !# .

.

Nesse caso. Um documento é fornecido com cada driver contendo informações importantes a respeito de sua configuração. Para instalar ou configurar um driver você precisa selecionar a página de drivers em um tag PLC ou Bloco associado ou acessar o objeto 4 / no Organizer. a página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos os drivers instalados na aplicação.! "$ # O Elipse SCADA permite a comunicação com equipamentos de aquisição de dados e com outros computadores executando o Elipse SCADA. Figura 111: Drivers do Sistema Drivers 165 . Você pode instalar um novo driver pressionando o botão $ ou remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão 4 . através de drivers de E/S ou drivers de rede fornecidos pela Elipse Software.

* Para os Drivers PLC.(. A página de Configuração do Driver aparece quando selecionada a respectiva aba no topo das páginas de configuração do driver ou quando você pressiona o botão 8 " 0 à direita da lista de Drivers. você pode configurar os parâmetros de comunicação “P” e outras propriedades do driver de acordo com as informações contidas no arquivo de ajuda que acompanha o driver.$ ! Cada novo driver que você adiciona na aplicação. suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. aparece abaixo da opção 4 / na árvore da aplicação no Organizer. A opção +. encerra a comunicação caso ocorra algum problema. Ao selecionar um driver específico. Figura 112: Configuração do driver 166 Drivers . impedindo que a aplicação fique “travada”.

/ / Esconde o cursor do mouse durante a comunicação. Define o número de tentativas de reestabelecer a comunicação com o driver.Manual do Usuário Propriedades de Configuração de Drivers OPÇÃO $ 4 /( ) * ( #) * U / 4 Nome do objeto. Aborta a comunicação se algum problema ocorrer. Mostra informações do driver. Define que o sistema irá tentar reestabelecer uma comunicação perdida com o driver. Mostra a ajuda do driver selecionado. como fabricante. conforme especificado na ajuda do driver. Abre uma janela paea configuração dos parâmetros extras do driver. DESCRIÇÃO +. Permite navegar pelos diretórios para localizar o arquivo do driver. Recarrega o driver. Mostra o caminho do arquivo do driver. reestabelecendo a conexão. / ( ) * ( ( ) / . ) / Abre uma janela para configuração das opções avançadas do driver. /( ( & 8 $ ( # & ( +: + B " Drivers 167 . versão e data. Permite a configuração dos parâmetros de comunicação “P” para o driver selecionado.

Consulte o arquivo de ajuda que acompanha o driver para obter maiores informações. 168 Drivers . forçando a aplicação a esperar a comunicação com o driver para continuar sua execução. Algumas escritas geradas pelo Elipse SCADA podem ser efetuadas em background (segundo plano). Essa opção é necessária para alguns drivers mais antigos. aumentando a performance. fazendo com que o driver 32-bits rode como na versão 16-bits. (R " OPÇÃO ' DESCRIÇÃO Se ligado desabilita a multitarefa. Por exemplo: em um driver dial-up. Permite escolher se a prioridade das escritas será maior (High) ou igual (Low) à prioridade das leituras. Muitos drivers têm um tempo de carregamento e início muito lento. Essa opção mantém o driver em memória.Propriedades de Configuração de Drivers (Avançado) ( 5 ?. /( ( '( ) * O O botão B / chama configurações especiais dos drivers. minimizando o tempo de início e agilizando a comunicação. muitas vezes é interessante esperar um comando para iniciar a comunicação. Essas configurações variam de driver para driver. / /( . Permite desabilitar o início automático do driver. Controla como as escritas serão efetuadas no driver. Se esta opção estiver desabilitada todas as escritas serão em foreground (primeiro plano).

Manual do Usuário + Figura 113: Configurações Comuns para Drivers de Rede Drivers 169 .

Consulte a documentação do driver para obter mais informações Ativa o driver no início da execução da aplicação. e o envio de dados para transmissão de vídeo em tempo real para o Elipse Watcher. Esta janela varia conforme o driver selecionado. isto é. '( ) * 6 & Estes parâmetros governam o funcionamento do protocolo de troca de mensagens entre diversas instâncias do Elipse SCADA. Permite navegar nos diretórios para indicar o arquivo do driver. para o reenvio de mensagens não-reconhecidas. Mostra a ajuda do driver selecionado. Se uma mensagem não foi reconhecida como recebida. definido pelo fabricante. uma mensagem que informa que o Elipse ainda está ativo. O campo BR (Band Reserve) determina o percentual destes pacotes que está reservado para a troca de dados. Se o envio de uma mensagem falhar dez vezes. DESCRIÇÃO ( ( " 56 36 170 Drivers . o pacote inteiro é utilizado para dados de tags. O campo T2 indica o timeout (tempo-limite). Permite navegar pelos diretórios para localizar o arquivo do driver. Nome do driver. Recarrega o driver. O pacote de dados é dividido entre a troca de dados de tags e arquivos remotos. Abre a janela de configuração do driver. O protocolo é fullduplex e permite que cada estação envie até 16 mensagens sem confirmação (janela de mensagens). Mostra a configuração corrente do driver de rede. a conexão é abortada. O campo T1 determina o tempo de envio do keepalive (em milisegundos). Esta mensagem só é enviada se a estação não estiver enviando dados no momento. O restante pode ser utilizado pelo Watcher. em milisegundos.Configurações Comuns para Drivers de Rede OPÇÃO $ 4 /( ) * $ ( #) * 8" ) ( * ( # & ( +: 8" " Nome do objeto. O tamanho da mensagem em bytes é definido no campo PS (Packet Size). ela é reenviada após este tempo expirar. reestabelecendo a conexão. Breve descrição do objeto. Se não houverem dados de vídeo. e vice-versa.

Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a drivers executando-os em uma das situações a seguir: Executado cada vez que um erro de leitura ou escrita ocorrer no driver. Tempo de atualização (leitura) do valor do tag. na prática. Mostra o tamanho de um tag Bloco (não disponível para tags PLC). permitindo a edição dos parâmetros de endereçamento e varredura diretamente na lista. que um script pode ser executado quando um erro de comunicação ocorrer. Maiores detalhes a respeito do uso de scripts veja no capítulo específico. Permite criar um arquivo no formato CSV com a definição dos parâmetros dos tags listados. ! A página Lista de Tags mostra os tags PLC e Bloco que estão associados ao driver em questão. - # ! 2!. Isto significa.Manual do Usuário + # Scripts do drivers normalmente estão associados ao status da comunicação. DESCRIÇÃO Drivers 171 . o Microsoft Excel). Este arquivo pode ser importado no Elipse E3 ou qualquer outro software compatível (como por exemplo. num processo semelhante a uma planilha eletrônica. Figura 114: Cabeçalho da Lista de tags associados Opções disponíveis na Lista de tags associados OPÇÃO $ $ 5[$ 7 5I 7I ( # B' " / Nome do Tag Parâmetros de endereçamento do tag .

.

Você pode definir um Banco de Dados no Organizer durante a configuração da aplicação ou em tempo de execução através de Scripts. A página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos os 4 . Figura 115: Database Propriedades do Database OPÇÃO / $ 4 + ) DESCRIÇÃO Lista os databases existentes na aplicação. Você pode conectar o Elipse SCADA a um banco de dados usando o +// / $ B* ao pressionar o botão $ à direita da página. / / existentes na aplicação. MySQL. Uma janela será mostrada perguntando se você deseja criar uma conexão com uma tabela já existente Database 173 . Permite a consulta e edição do string de conexão ODBC. Interbase entre outros. Access. / / na árvore da aplicação no Organizer. Este objeto utiliza o padrão ODBC do Windows que efetua a manipulação do banco de dados enviando e recebendo dados. Chama o +// / $ B* que permite acrescentar uma conexão ODBC para um banco de dados. Remove da lista o database selecionado. Open Database Connectivity (ODBC) é uma interface criada pela Microsoft que oferece uma interface universal para acesso a diferentes bancos de dados incluindo Oracle.! "$ # + + !# !3! A opção Databases permite criar e manipular bancos de dados dentro do Elipse SCADA. Para utilizar um banco de dados no Elipse SCADA você precisa selecionar a opção 4 .

Se você estiver criando uma nova tabela uma janela será apresentada para que você informe o Nome da Tabela. CAClipper. Você pode remover um banco de dados existente selecionando-o na lista e pressionando o botão 4 .ou criar uma nova tabela. A seguir uma lista contendo as conexões (Data Sources) existentes será mostrada. MS Excel. que poderão ser modificados usando as funções especiais do ODBC nos Scripts. dBase. MS Fox Pro. Selecionado o driver. se desejar uma nova clique no botão $ e escolha o driver ODBC que você deseja usar: MS Access. entre elas: Nome da Conexão (Data Source Name) e o arquivo ou diretório que contém os dados. O Elipse SCADA irá mostrar na árvore do Organizer a nova tabela e seus respectivos campos. Oracle e outros. clique 1e configure as opções do mesmo. Para uma melhor compreensão da conectividade do ODBC veja a figura a seguir: Figura 116: Exemplo de conectividade ODBC 174 Database . seus respectivos campos e o tipo de dados de cada um.

Selecione a conexão com uma tabela já existente. Se você desejar alguma não disponível na lista pressione o botão $ e escolha o Driver ODBC que deseja usar. Feche o banco de dados ( % & 4 ). Ex: arquivo % & 4 com a tabela . . No Access crie um banco de dados contendo uma ou mais tabelas. Pressione o botão $ e o Assistente de Nova Conexão será mostrado para que você escolha fazer uma conexão com uma tabela já existente ou criar uma nova tabela. Figura 117: Assistente de Nova Conexão de Banco de Dados Selecione a aba ( 4 ( e uma lista com as conexões (4 ( $ ) disponíveis será mostrada.Manual do Usuário Exemplo usando Database O exemplo a seguir mostra uma conexão do Elipse SCADA com um banco de dados Access. / / na árvore do Organizer. Drivers 175 . No Elipse SCADA selecione a opção 4 . Neste exemplo você deve escolher o banco de dados Microsoft Access e clicar 1 .

A próxima janela permite a seleção das tabelas do banco de dados que serão utilizadas.Funções Especiais . Na janela seguinte escolha o Driver ODBC que deseja usar. . Feito isso. Agora os títulos das tabelas selecionadas aparecem abaixo da opção Databases na árvore da aplicação e seus respectivos campos aparecem abaixo do título. A manipulação dos registros do Banco de Dados é feita através de Funções Especiais que podem ser encontradas usando-se o App Browser quando em uma página de Scripts (ver Capítulo de Scripts . Selecione / 4 . bem como a Tags (variáveis do sistema). Selecione a tabela . / e clique $ B . Aparecerá a janela de Configuração do Driver onde você deve informar o ( $ ) e pressionando o botão Select nome da conexão (4 escolher o arquivo que você criou ( % & 4 ). Neste exemplo você deve escolher o banco de dados Microsoft Access e clicar $ B . os campos do Banco de Dados podem ser associados aos Objetos de Tela.Figura 118: Bases de dados ODBC A janela 4 . 176 Database . / será mostrada para que voce indique o tipo da fonte de dados.Funções de Bancos de Dados).

Ao adicionar um novo usuário no sistema ele irá aparecer na árvore do Organizer logo abaixo de Usuários. onde deverão ser informados o login e a senha do usuário. Remove o usuário selecionado. Usuários 177 . Você pode adicionar um novo usuário usando o botão $ à direita da página ou remover um existente selecionando-o na lista e pressionando o botão 4 . O usuário “Administrador” possui acesso ilimitado ao sistema. podendo atribuir uma senha a cada usuário e configurar níveis de segurança no seu sistema. a página abaixo será mostrada contendo uma lista de todos os usuários cadastrados na aplicação. Selecione o novo usuário na árvore e a janela a seguir irá aparecer.! "$ # - $1 Elipse SCADA permite a você controlar o acesso a uma aplicação através de uma lista de nomes. Figura 119: Lista de usuários Opções disponíveis na Lista de usuários OPÇÃO / $ 4 ' / DESCRIÇÃO Lista de todos os usuários cadastrados. Você pode criar uma lista de usuários selecionando a opção Usuários na árvore da aplicação no Organizer. Adiciona um novo usuário na lista de usuários. Os demais usuários possuem um nível de segurança associado que permite a eles acessarem apenas as características atribuídas ao seu nível de acesso. Mostra as propriedades do usuário selecionado.

Figura 120: Propriedades do Usuário Propriedades do Usuário OPÇÃO $ 4 /( ) * " $ F +( // DESCRIÇÃO Define o nome do usuário. você deve definir o nível de acesso para cada tela da aplicação conforme a tabela a seguir: NÍVEL < 5 5 ACESSO livre acesso para todos super usuário outros usuários Um usuário pode acessar somente as telas que possuem prioridade zero ou maior igual a sua. Feito isto. Como padrão. String de identificação do usuário. todas as telas possuem nível de acesso 0 (livre acesso). Campo para cadastrar a senha do usuário. 178 Usuários . Uma breve descrição sobre o usuário. A maior prioridade é o número 1. Define o nível de acesso do usuário (de 1 a 100).

Fecha todas as telas que possuem prioridade diferente de zero. colocando 0 (zero) se o login for cancelado pelo usuário ou 1 (um) se o usuário ou a senha for inválida. inclusive trocar a senha. Nível do usuário logado na aplicação (100. Usuários 179 . você provavelmente reescreveu uma senha diferente da sua nova.Manual do Usuário - :$ # 3$# As funções a seguir são específicas para o login: Chama uma caixa de diálogo para a identificação de um novo usuário. quando não há usuários logados). modificar e remover os atributos de todos os usuários. A função atualiza o atributo global / . Retira um usuário logado da aplicação. Se aparecer a mensagem “Nova senha não confirma”. ele somente poderá trocar a sua senha. A aplicação possui os seguintes atributos para as funções de login: ATRIBUTO % $ / % +(( // / DESCRIÇÃO Nome do usuário logado na aplicação (vazio. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o usuário foi identificado com sucesso (foi “logado”) ou falso (zero) se não foi. nenhuma mensagem será mostrada. ele poderá criar. Esta função mostra uma de duas caixas de diálogo conforme o nível de acesso do usuário: • • Se % ? / (administrador). Em caso de erro. quando não há usuários logados). Se % ? / 5. Quando você pressionar 1 na caixa de diálogo a mensagem “Senha Trocada” deverá aparecer.

descrição etc. Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a dois eventos de login da aplicação: % / % / EVENTOS " " DESCRIÇÃO executado quando um usuário é logado na aplicação executado quando um usuário sai da aplicação Observações: • • Não é permitido mais de um usuário logado ao mesmo tempo na aplicação. • • Você não pode acessar ou modificar qualquer propriedade de usuários (nome. Quando a aplicação termina é executado um " . 180 Usuários . Quando um usuário loga na aplicação.-+ # . Propriedades de usuários não podem ser associadas a nenhum objeto de tela e não podem ser usadas em scripts. os dois scripts são executados: % / " (se já existe um usuário logado) e % / ".) em tempo de execução. É possível associar scripts a eventos gerados pelo login de usuários.

/ na árvore da aplicação no Organizer.! "$ # 5 5 ! . Para criar ou editar uma Aplicação Remota. depois de adicionar o driver de rede. # ! As Aplicações Remotas são usadas quando se deseja conectar dois ou mais Elipse SCADA que estejam ligados via rede. Para usar esta característica. Figura 121: Aplicações Remotas Aplicações Remotas 181 . Na aplicação Cliente. Você pode adicionar um driver de rede às suas aplicações Servidora e Cliente selecionando a opção 4 / na árvore da aplicação no Organizer e pressionando o botão $ à direita da lista de drivers de rede. A página abaixo será mostrada contendo uma lista de todas as Aplicações Remotas existentes na à aplicação. você deve definir uma estação Servidora e outra Cliente e adicionar o driver de rede que deseja usar em ambas. modem ou cabo serial. Você pode criar uma nova Aplicação Remota usando o botão $ direita da página ou remover uma existente selecionando-a na lista e pressionando o botão 4 . aparece abaixo da opção 4 / e ao selecionar um Driver específico. que varia conforme o driver selecionado. Pressione o botão 8 " 0 para abrir a janela de configuração do driver de rede. você precisa selecionar a opção +' ( ) / & . você precisa criar uma Aplicação Remota e configurar seus parâmetros. suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. Cada novo driver que você adiciona na aplicação. (Ver o capítulo sobre drivers).

$ 4 Depois de adicionar uma Aplicação Remota. elas aparecem na árvore do Organizer logo abaixo da opção Remote Applications e quando selecionadas permitem a edição de suas propriedades. 182 Aplicações Remotas . pressione o botão Configurar… na página de Propriedades Gerais da Aplicação Remota (veja a próxima seção). Remove da lista a Aplicação Remota selecionada. Cria uma nova Aplicação Remota.Propriedades da Lista de Aplicação Remota OPÇÃO / DESCRIÇÃO Mostra uma lista de todas as Aplicações Remotas existentes na sua aplicação. você precisa configurar os parâmetros do Servidor conforme o driver selecionado. Para isso.

Manual do Usuário 5 * ! < ! Cada Aplicação Remota que você cria para a aplicação. Figura 122: Propriedades Gerais Aplicações Remotas 183 . aparece abaixo da opção +' ( ) / & . A página de propriedades Gerais da Aplicação Remota aparece quando selecionada a aba no topo das páginas da Aplicação Remota. / na árvore da aplicação no Organizer. suas propriedades são mostradas ao lado direito da árvore. Ao selecionar uma Aplicação Remota específica. Esta página é mostrada abaixo e seus respectivos campos são descritos na tabela que segue.

Propriedades Gerais de Aplicações Remotas OPÇÃO $ 4 /( ) * 4 DESCRIÇÃO Define o nome da Aplicação Remota que será usada na árvore do Organizer e nos Scripts. Uma breve descrição sobre a Aplicação Remota. Permite a seleção de um Driver de Rede para a Aplicação Remota corrente. Os drivers devem ser instalados na opção Drivers da árvore da aplicação a fim de que estejam disponíveis. 8" ) * Mostra a configuração de rede usada pelo driver selecionado, por exemplo: porta remota, endereço de rede remoto, endereço do nodo remoto. Nenhuma edição é permitida neste campo. Habilita a conexão com a Aplicação Remota (Servidor) no início da execução da aplicação no Elipse. Mostra a Ajuda do Driver selecionado. 8" ) 0 * Abre uma janela que permite configurar, os parâmetros da Aplicação Servidora (remota), por exemplo, quando usando um driver MIRROR/SPX: - Porta Servidora: define a porta de comunicação do servidor (de 1 a 32767) - Endereço da Rede: define o endereço de rede do Servidor (8 caracteres hexa) - Endereço do Nodo: define o endereço do nodo Servidor (12 caracteres hexa) D Cria um novo Tag Remoto que aparece abaixo da Aplicação Remota na árvore do Organizer. Cada Tag Remoto criado na aplicação Cliente está associado a um Tag na aplicação Servidora (remota). D Cria um novo Arquivo Remoto que aparece abaixo da Aplicação Remota na árvore do Organizer. O Arquivo Remoto é usado para obter um arquivo da aplicação Servidora, o que deve ser feito usando-se as funções dos Arquivos Remotos. Cria um novo grupo de Tags Remotos que aparece abaixo da Aplicação Remota ou de um outro grupo deTags Remotos, na árvore do Organizer.

(

(

/ '( ) *

+:

$

" &

$

&

$

'

184

Aplicações Remotas

Manual do Usuário

5+

#

!

; # !

Scripts de Aplicações Remotas geralmente estão associados a uma conexão remota. Isto significa, por exemplo, que eles podem ser executados ao iniciar ou terminar uma conexão. Os Scripts disponíveis para as Aplicações Remotas são descritos na tabela abaixo. Maiores detalhes a respeito do uso de Scripts, veja no capítulo específico.
Scripts Disponíveis Você pode associar scripts a Aplicações Remotas executando-os na situação a seguir: EVENTOS DESCRIÇÃO Executa o Script ao terminar a conexão. 4 /( (

Aplicações Remotas

185

! "$ #

6
6

> 3

O módulo adicional Elipse Web permite disponibilizar as telas da aplicação na web através de um Servidor Web qualquer como por exemplo o PSW (Personal Web Server) ou o IIS (Internet Information Services) do Windows. O Servidor Web precisa ser instalado na máquina onde está rodando a aplicação Elipse, e esta deve possuir um IP fixo caso se queira acessar a aplicação pela Internet. Para configurar o Elipse Web, siga os seguintes procedimentos: Verifique se seu computador possui um Servidor Web (PWS ou IIS). Em caso negativo, instale-o. O Elipse Web é um módulo adicional, portanto verifique se o hardkey possui este módulo. No Elipse SCADA, acesse o Organizer e no item Aplicação, clique na aba Web. Habilite o item “Habilitar servidor de dados para web”, conforme a figura abaixo:

Figura 123: Aba Web

Clique no botão Localizar e especifique o diretório padrão do Servidor Web. No caso do PWS ou IIS, o diretório padrão é C:\Inetpub\wwwroot.
Elipse Web 187

Clique no botão OK. No item Porta, especifique a porta TCP/IP a ser utilizada. Feitas estas configurações, copie os arquivos “Applet.cab” e “Applet.zip” da pasta C:\...\Elipse SCADA\Applet\ para a pasta padrão do Servidor Web. Em cada Tela que você deseja visualizar pela web, é necessário habilitar a criação da página htm. Para tanto, acesse as propriedades da Tela e clique na aba Web, conforme figura abaixo:

Figura 124: Aba Web acessada através das propriedades da Tela

Habilite a opção Criar Página Web e especifique o nome da página html a ser criada. Estas páginas serão criadas no diretório padrão do Servidor Web. Para visualizar a aplicação, basta digitar na barra de endereços do browser o endereço do servidor e o nome do htm configurado (Ex: http://NomedoServidor/Screen1.htm). Observações: - O Elipse Web permite apenas a supervisão da aplicação. Não é possível controlar, enviar dados ou interagir com a aplicação. - Será acessível somente a Tela que estiver ativa na aplicação.

188

Elipse Web

! "$ #

8
8

> !# '

O Elipse Watcher é um plug-in do Elipse SCADA que oferece captura, armazenamento e transmissão digital de imagens. Com ele, é possível visualizar imagens dentro de uma aplicação e trabalhar com elas como for desejado. Cada placa de aquisição ligada ao Elipse SCADA é representada por um objeto do Watcher. Para acrescentar um equipamento, basta acrescentar um objeto correspondente na lista de objetos. É possível configurar os parâmetros de cada um dos objetos independentemente. Estes objetos são posteriormente ligados a um objeto de tela (Preview, AVI ou Video) para sua utilização dentro da aplicação ou ligados a um objeto AVI Recorder, que permite a geração de um arquivo .AVI. O Elipse Watcher possui drivers para uma variedade de equipamentos do mercado. Consulte nosso departamento técnico para verificar a compatibilidade do seu com o Elipse SCADA.

Figura 125: Watcher

Watcher

189

Figura 126: Tipos de objetos do Watcher 190 Watcher . qual entrada de vídeo ele irá receber. isto é. Os objetos de captura de vídeo são ligados a "câmeras" (listadas na aba / do Watcher). temos que indicar a qual câmera o objeto estará ligado. Quando configuramos objetos de tela para a apresentação de vídeo.8 34 # > !# ' Cada objeto do Watcher representa um dispositivo ou placa de aquisição conectado no sistema. que representam a entrada de vídeo do objeto em questão.

. Permite navegar pelo disco para indicar o arquivo AVI de origem. no sistema.Manual do Usuário * !F O objeto +. DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto. Uma breve descrição do objeto. Figura 127: Propriedades do AVI Player Propriedades do AVI Player OPÇÃO $ 4 /( ) * + ( # +. Este é normalmente associado a um objeto de tela +. objeto do C ( M permite a reprodução de um arquivo +. Determina o caminho do arquivo AVI. Watcher 191 .

Uma breve descrição do objeto. permitindo a escolha do compressor.. por exemplo) em um arquivo formato +. Origem do vídeo a ser gravado. Q /' 192 Watcher . Figura 128: Propriedades do AVI Recorder Propriedades do AVI Recorder OPÇÃO $ 4 /( ) * + ( # . qualidade e outras configurações. F ' //* +. DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto.O objeto +. Determina a localização e o nome do arquivo AVI a ser gerado. Determina como será feita a compressão do AVI. / " Determina a taxa de atualização com a qual será feita a gravação. & ( permite a gravação de uma entrada de vídeo (uma placa de aquisição. Permite navegar pelo disco para indicar o arquivo AVI de destino.

Manual do Usuário : !. !33 8 Através desta opção. Figura 129: Propriedades da interface com a placa S611 Watcher 193 . . é possível configurar as especificações referentes a interface com placa de aquisição (frame-grabber) S611 da Sensoray.

PAL-M. Determina o formato da cor do video: (RGB 24 bits ou Mono 8 bits) Habilita a opção entrelaçado no sistema. Esta opção só é válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver habilitado. ( ] ) Q /' / " Determina as especificações da placa. " Determina o tamanho da imagem: Tamanho integral. PAL. 1/4 do tamanho ou Avançado (determinando largura e altura). 3/4 do tamanho. " + 194 Watcher . 1/2 do tamanho. Video 2. Determina o formato do sinal do video: NTSC. Video 3 ou Video 4.Propriedades da interface com a placa S611 OPÇÃO $ 4 /( ) * DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto. Determina quantos quadros por segundo serão gravados no objeto. Uma breve descrição do objeto. PAL-N. NTSC Japão. Video 1. Determina a largura da imagem. Determina o tipo de entrada do video: S-Video. Determina a altura da imagem. Esta opção só é válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver habilitado.

. !33 8 - Através desta opção.Manual do Usuário : !. é possível configurar as especificações referentes a interface com placa de aquisição S613 da Sensoray. Figura 130: Propriedades da interface com a placa S613 Watcher 195 .

Determina a altura da imagem. ( ] ) Q /' ' //* / " " Determina as especificações da placa. NTSC Japão. PAL-M. Determina quantos quadros por segundo serão gravados no objeto. Esta opção só é válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver habilitado. 3/4 do tamanho. PAL. Determina o formato da cor do video: (RGB 24 bits ou Mono 8 bits) Habilita a opção entrelaçado no sistema. Determina o fator do MJPEG (Esta opção só é habilitada. " Determina o tamanho da imagem: Tamanho integral. 1/2 do tamanho. " + 196 Watcher . Determina a largura da imagem. Determina o formato do sinal do video: NTSC. se for selecionada o ítem MJPEG na opção acima). Determina como a imagem será comprimida: Sem compressão ou compressão M JPEG. PAL-N.Propriedades da interface com a placa S613 OPÇÃO $ 4 /( ) * DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto. Determina o tipo de entrada do video: S-Video. Esta opção só é válida se o ítem Avançado do Tamanho da imagem estiver habilitado. Uma breve descrição do objeto. 1/4 do tamanho ou Avançado (determinando largura e altura). Video 1 ou Video 2.

$ # ! ( > Através de esta opção. / #) * . Habilita a compressão do video Habilita a visualização do video Habilita a configuração do formato do video Determina as especificações referentes a fonte do video. é possível configurar as especificações referentes a entrada de video através de dispositivos com suporte ao padrão Video for Windows.Manual do Usuário # . Figura 131: Propriedades do Dispositivo com Suporte a Video for Windows Propriedades do Dispositivo com Suporte a Video for Windows OPÇÃO $ 4 /( ) * 4 /' / ' //* . Watcher 197 . Determina a o dispositivo de video habilitado no sistema. DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto Uma breve descrição do objeto.

Especifica o número de câmeras que serão inseridas pelo botão / U /. que podem ser configuradas separadamente. U / Insere o número de objetos "Camera" especificado em $ V . Figura 132: Propriedades da Plca a de captura Xpress Plus Propriedades da Plca a de captura Xpress Plus OPÇÃO $ 4 /( ) * $ V DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto. As excedentes serão ignoradas. Nome do arquivo (com o caminho completo) onde o vídeo será gravado. Esta placa permite o controle de até 32 câmeras. A placa XPressPlus tem um limite de 32. Uma breve descrição do objeto. ( Número de identificação da placa. é possível configurar as especificações referentes à placa de captura XPressPlus da IntegralTech. / + $ V 198 Watcher . Formato do sinal que está sendo recebido.*! ! ! # !I $ *$ Através desta opção. Permite criar objetos que representarão as câmeras conectadas à placa.

Determina o foco da imagem da câmera. Determina a saturação da imagem da câmera. Estes objetos são criados através do botão / /. Cada câmera tem três conjuntos de opções. mostrado no item anterior. As configurações são feitas através de um objeto . Opções de Gravação e Máscara. Uma breve descrição do objeto. Determina o contraste da imagem da câmera. Watcher 199 . individualmente. Determina a câmera em foco. Determina o Hue da imagem da câmera. Determina o brilho da imagem da câmera. que representa a câmera em questão.Manual do Usuário Câmeras Com a placa XPressPlus é possível gerenciar e ajustar opções de todas as câmeras conectadas. a) Propriedades Gerais Figura 133: Propriedades gerais de câmeras Xpress Plus Propriedades gerais de câmeras Xpress Plus OPÇÃO $ 4 /( ) * U ) * / E . a saber: Geral.( DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto.

Figura 134: Propriedades das Opções de Gravação 200 Watcher .b) Opções de Gravação Através deste item é possível ajustar as opções de gravação da placa de captura.

Determina o tamanho do quadro de gravação da câmera. " ) * DESCRIÇÃO Configura as opções de gravação da câmera: ?E . c) Máscara Definir uma máscara é indicar áreas de sensibilidade. Q ') / . ? E . as áreas sensíveis. detecção de movimento de cada entrada de vídeo.Manual do Usuário Propriedades das Opções de Gravação OPÇÃO ') / . ? 4 () * : habilita a gravação na câmera a cada detecção de movimento. As áreas em vermelho representam os lugares nãosensíveis. As áreas em verde-claro. isto é. Determina a sensitividade da gravação da câmera. Determina o campo/ciclo da gravação da câmera. Watcher 201 . ? ) ' * : habilita a gravação por gatilho. " ) : habilita a gravação na câmera * selecionada. " Determina o QPS da gravação da câmera. / ^ ( : habilita a gravação em A sequência na câmera. ? " ' : habilita a gravação sem gatilho de prioridade. _ / ' I( ( Determina a área de gravação da câmera. Determina as opções de gatilho da gravação da câmera.

.

Através deste objeto. As propriedades para esta opção são os seguintes: Figura 135: Steeplechase Steeplechase 203 . Através de suas propriedades. é possível configurar o caminho pelo qual o sistema buscará as informações no servidor local ou da rede. o sistema verifica a autorização da licença e ativa ou não a comunicação. Após configuradas as especificações. é possível a comunicação com este dispositivo. que é um SoftPLC ao qual o Elipse SCADA dá suporte. Somente em algumas versões do Elipse SCADA esta opção é disponível.! "$ # ? ? # '! O objeto ' ( / configura as especificações referentes ao Steeplechase.

Determina o status do VLC (Virtual Logic Controler). Abre um wizard de configuração para o steeplechase. Uma breve descrição sobre o objeto. /* . Determina a versão do objeto. Determina o status do objeto. 204 Steeplechase . Permite importar tags. " / DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto.Propriedades do Steeplechase OPÇÃO $ ( ' C# 4 /( ) * $ / / : . Determina o nome do servidor do steeplechase. . Determina o projeto do VLC (Virtual Logic Controler). Determina o valor do scan.

O objeto é a representação de um servidor OPC DA (Data Access) dentro do Elipse SCADA.! "$ # A A * O objeto é um cliente OPC (OLE for Process Control) que possibilita a comunicação com um determinado equipamento ou dispositivo. o que permite o envio e recebimento de dados de tempo real (tags). Figura 136: Objetos OPCServer no Organizer OPC Server 205 . utilizando o protocolo OPC.

A * ! < ! * Figura 137: Propriedades Gerais do OPC Server 206 OPC Server .

Habilita a leitura dos tags em segundo plano. Consulte a documentação do servidor. Quando desabilitado. ' Cria um novo grupo no Driver. /* 8 .: a utilização dessa característica depende diretamente do servidor OPC utilizado. ' Permite a importação de tags ou grupos de tags definidos no servidor OPC. É o modo mais eficiente de leitura. registradas pelo fabricante. Habilita a recuperação de conexões perdidas no período (em segundos) determinado no campo. Obs. Habilita a verificação do servidor OPC no período (em segundos) determinado no campo. Este valor poderá ser aproximado pelo servidor. 8( ( & ( ' ' / " E . Um valor zero (0) por exemplo. Quando habilitado. / / " ( / ( / I 8 . Os dados só são atualizados quando ocorrerem variações significativas (ver banda morta).Manual do Usuário Propriedades Gerais do OPC Server OPÇÃO $ ( B* DESCRIÇÃO Determina o nome do objeto.: este recurso pode não estar disponível no servidor OPC. Uma breve descrição sobre o objeto. / B. 207 4 /( ) * $ . mandaria qualquer variação. Permite habilitar o registro (log) do servidor e definir o nome e caminho do arquivo de log. variações dentro desse percentual não são notificadas pelo servidor ao sistema. com um mínimo de comunicação entre o Elipse SCADA e o servidor OPC. Um valor zero (0) requisita ao servidor um tempo de atualização menor possível. Informa a versão do servidor OPC. ( Apresenta as informações sobre o servidor OPC. Obs. Isto é. Percentual que especifica a faixa de variação considerada não-significativa. Obs. ) / ./ / - ( " $ OPC Server . a conexão com o servidor é estabelecida uma vez e mantida até o encerramento da aplicação. Um grupo permite ter uma organização hierárquica dos tags do servidor OPC. Determina qual o servidor OPC ao qual o objeto irá se conectar.: só é válida se a opção acima de verificação estiver habilitada. o Elipse SCADA irá estabelecer conexões com o servidor OPC toda vez que precisar solicitar um dado. de acordo com suas características internas. Indica o tempo da atualização dos tags em segundo plano.

Através deles.A + 2!. é possível enviar e receber dados ao servidor OPC. Figura 138: Propriedades de tags OPC 208 OPC Server . * Os tags OPC permitem a troca de informações com servidores OPC.

Fundo (ou Segundo Plano) . Define o valor máximo a ser lido do servidor OPC. Dispositivo . Identificador do tag dentro do servidor OPC (caminho). GH /( 8 / ' / ( / ( B* ' 8 E . Breve descrição sobre o tag. OPC Superior. Define qual a origem dos dados lidos do servidor OPC. Especifica o modo de leitura dos tags no servidor OPC. determinada pelo usuário conforme os limites definidos em OPC Inferior.solicita o valor armazenado no cache do servidor. Determina o valor do Scan. Síncrono . Define o novo valor mínimo para a conversão dos valores lidos.faz a solicitação de leitura do tag e aguarda o retorno do servidor. Superior.OPC. Inferior e Sist.os dados só são atualizados quando ocorrerem variações significativas (fora da Banda Morta). os valores do Tag serão convertidos para uma nova escala de valores. Sist. Veja as propriedades do servidor OPC.Manual do Usuário Propriedades de Tags OPC OPÇÃO $ 4 /( ) * $ & DESCRIÇÃO Determina o nome do tag OPC.força a leitura o dado diretamente do dispositivo conectado ao servidor. $ /( ' /( P( # D OPC Server 209 . Habilita escrita automática para o tag OPC. O período é definido no campo ( . Habilita a leitura periódica do tag OPC. Cache . Define o valor mínimo a ser lido do servidor OPC. Uma mensagem pode indicar um erro de conexão ou o valor recebido pelo item configurado. Permite que você teste a configuração do Tag. Define o novo valor máximo para a conversão dos valores lidos. tanto para escrita quanto para leitura. E . Acrescenta elementos a um tag OPC tratado como uma matriz (array). Marcando esta opção. Permite a leitura de variáveis definidas como matrizes no servidor.

Figura 139: Página de alarmes 210 OPC Server . ! !! .*1.

Define a prioridade para cada situação de alarme. Define um intervalo de valores (maior igual) onde o Tag OPC é considerado em estado de Alarme Alto Crítico. É usado quando o valor do Tag OPC está mais alto do que o normal. extremamente baixo. Alarme Alto Crítico. P / " ' / " / + / Um comentário ou mensagem pode ser definido para cada alarme. hi. a fim de não perder nenhum alarme deste tag. extremamente alto. Define o grupo de Alarmes do tag corrente. % / + " 'O /' / OPC Server 211 . Para um melhor controle os alarmes de maior prioridade irão aparecer em primeiro plano na janela de alarmes (objeto de tela Alarme). Habilita o registro (log) das mensagens de retorno de alarme. Define um intervalo de valores (menor igual) onde o Tag OPC é considerado em um estado de Alarme Baixo Crítico. Números pequenos indicam alta prioridade (a prioridade deve ser um número entre 0 e 999). Ativa o alarme após o tempo (em milissegundos) determinado.Manual do Usuário Propriedades da Página de Alarmes OPÇÃO DESCRIÇÃO Alarme Baixo Crítico. Alarme Baixo. mesmo que ele não esteja sendo utilizado em nenhum lugar da aplicação. É usado quando o valor do Tag OPC está abaixo de um mínimo. hihi). low. Define os limites para cada situação possível de alarme (lolo. Define um intervalo de valores (maior igual) onde o Tag OPC é considerado em estado de Alarme Alto. Define um intervalo de valores (menor igual) onde o Tag OPC é considerado em estado de alarme baixo. É usado quando o valor do Tag OPC é está acima de um máximo. É usado quando o valor do Tag OPC está abaixo do normal. @ E" EE . ou seja. O grupo de Alarmes deve ser definido na opção Alarmes do Organizer. " / ' # Define que o sistema irá supervisionar o Tag OPC constantemente. Permite definir um nome alternativo para o tag. ou seja. Alarme Alto.

Permite importar tags ou grupos de tags definidos no servidor OPC para o Grupo OPC em questão.< $ * Os grupos OPC permitem uma organização visual dos tags OPC.A. estes grupos são criados automaticamente durante a importação de tags do servidor. facilitando sua manipulação. Figura 140: Propriedades de Grupos OPC Propriedades do Grupo OPC OPÇÃO $ 4 /( ) * $ ' ' DESCRIÇÃO Especifica o nome do objeto. Insere um novo Grupo OPC no objeto OPCServer. 212 OPC Server . Em muitos casos. refletindo a estrutura hierárquica do próprio. Uma breve descrição do objeto.

basta arrastar o tag desejado para o grupo selecionado. A partir daí. a janela abaixo é mostrada. Figura 141: Assistente de importação OPC Server 213 .Manual do Usuário Quando é acionado o botão Importar tags.

.

! "$ # B B B ! < # Os Scripts são pequenos procedimentos escritos em linguagem de programação própria – Elipse Basic – que permitem uma maior flexibilidade na sua aplicação. Estes eventos podem também ter associações físicas. Os eventos são ocorrências relacionadas a um objeto. isto é. Em cada caso. O scripts são sempre associados a eventos. ! Em qualquer linguagem de programação. Eles podem ser físicos. eles são iniciados no momento da ocorrência deste evento. pois são orientados a eventos. que podem ser tratadas de modo a se realizar uma ação específica. O Elipse SCADA já tem diversos eventos pré-definidos disponíveis para a ligação ou associação de scripts. de modo a especificar e ordenar a execução das instruções desejadas. é necessária a criação de métodos. Scripts 215 . A própria estrutura dos scripts do Elipse SCADA já organiza de certa maneira esta ordem. como a mudança de uma temperatura de uma câmara de 10 para 11 graus quando temos um tag que recebe os valores dessa temperatura. Os eventos podem ser internos. como a mudança do valor de uma variável. alguma ação no teclado ou no mouse. como por exemplo. temos diversas informações relevantes como a tecla pressionada ou a posição do cursor e o status dos botões. Exemplos de alguns desses eventos são listados a seguir.

O valor suportado pode ser desde um inteiro de 8 bits até um tipo real de 64 bits ou ainda um string (texto). As expressões combinam variáveis e constantes para produzir novos valores. Os operadores especificam o que será realizado com os mesmos. O Elipse SCADA já possui algumas variáveis de sistema pré-definidas. de acordo com os tipos suportados pelo equipamento. a conversão é feita automaticamente. podem ser usadas as ferramentas AppBrowser e Referência Cruzada. Algumas características da linguagem: • Não é necessário a declaração de variáveis ou funções no início do Script. porém com recursos de programação visuais como os encontrados no Visual Basic. Em comunicação de dados com equipamentos externos. um ícone ao lado de cada uma (visualizado através do +'' @/ ) indica o tipo de dado suportado: Atributo numérico (número inteiro) Atributo numérico (número real) Atributo string (texto) Atributo booleano (0 ou 1) • As variáveis e constantes são os objetos básicos manipulados num Script. o Elipse Basic. 216 Scripts . é bastante similar às linguagens C. As variáveis devem ser tags. objetos ou atributos previamente criadas ou importadas de outras aplicações.Eventos comuns em aplicações no ElipseSCADA OPÇÃO 1 M // 1 M& . Para facilitar a edição de scripts ou de tags expressão. O tipo de dado que se atribui a um tag é livre. No caso de propriedades.( / 4 @ // & C + & / " / DESCRIÇÃO Quando uma tecla é pressionada Quando uma tecla é liberada Quando um objeto recebe o foco de edição Quando o botão esquerdo é pressionado sobre um objeto Quando um objeto botão é pressionado Quando um objeto botão é liberado Enquanto uma aplicação está executando Quando ocorre qualquer tipo de alarme A linguagem utilizada nos módulos de script.

atributo e função selecionado. ' Scripts DESCRIÇÃO Mostra o nome do objeto. Uma característica bastante útil é a possibilidade de selecionar um objeto. / Lista dos atributos e funções do objeto selecionado. seus atributos e funções correspondentes são listados à direita. A ferramenta Referência Cruzada possui a mesma estrutura do AppBrowser com a diferença que quando você seleciona um objeto na árvore ao lado esquerdo da janela. suas respectivas referências é que são listadas à direita. Lista dos objetos em ordem hierárquica.Manual do Usuário B+ 9 ( D ! $7 ! ! O AppBrowser permite navegar facilmente pela aplicação. Permite filtrar a informação (atributos ou funções) listada na janela de propriedades. 217 . ( ' Copia a referência do atributo ou função selecionado para o script. atributo ou função que você deseja utilizar e copiar diretamente para o script pressionando o botão ' ( ' ? . Quando você seleciona um objeto na árvore ao lado esquerdo da janela.: / 8 ' B. Figura 142: AppBrowser Opções disponíveis no App Browser OPÇÃO ) * . Dê um duplo-clique sobre uma referência para ir ao objeto referido. Mostra uma descrição do item selecionado. Você pode usar o AppBrowser como referência durante a edição de um script. da mesma forma que será copiado para o script.

dec) Inteiros (32 bits. bin) Inteiros (32 bits. 1234d.Frame.141592 tag001 / tag002 tag001 % tag002 tag001 ** 2 (tag001 ao quadrado) Operadores lógicos OPERADOR b (E bit-a-bit) c (OU bit-a-bit) d (OU exclusivo bit-a-bit) e(NÃO bit-a-bit) (SHIFT à esquerda) (SHIFT à direita) +$ (E lógico) 4 & (OU lógico) > & (OU exclusivo) $ (negação) EXEMPLO flags & 0F000h flags | 0F000h flags ^ 0F000h ~flags flags << 2 (desloca o valor de “flags” dois bits para a esquerda) flags >> (desloca o valor de “flags” dois bits para a direita) tagOnOff AND (tag001 > 200) tagOnOff OR (tag001 > 200) tagOnOff XOR (tag001 > 200) NOT tagOnOff 2 Números reais (64 bits) Strings 218 Scripts .B- ! # # ! Listamos as constantes (com suas notações) e operadores que podem ser utilizados nos scripts. "pressão" Operadores Aritméticos OPERADOR (adição) (concatenação de strings) ? (subtração) ` (multiplicação) I (divisão) a (resto da divisão) `` (exponenciação) EXEMPLO tag001 + 34 slider1.443.title + "<. hex) EXEMPLO 1234.width * 3.x screen1. octal) Inteiros (32 bits. 344.939 (não tem notação científica) "Temperatura". 3B8h (não permite sinal) (se o primeiro dígito é A-F.PLC1" tag001 .screen1. coloque um zero na frente) 133. -993 11001110b (não permite sinal) 7733o (não permite sinal) 0A100h. Constantes TIPOS Inteiros (32 bits.

? e$ `` Ia ? (operadores unários) \ \ \ b d \ +$ > & e & 4. B5 .Manual do Usuário * D ! ! & . Estes comandos são tratados a seguir.! ( ( ( Permite a tomada de decisões durante a execução de um script. \ \ ?\ `\ I\ a\ b\ c\ d\ ``\ \ \ B5 # : $@ A fim de controlar a ordem na qual as instruções são processados o Elipse Basic disponibiliza uma série de comandos para fazer desvios e condições. @ $ % ) A tabela abaixo lista as regras para precedência e associação de todos os operadores. Sintaxe: Scripts 219 .

A esta repetição damos o nome de “Laço” ou “Loop”. O programa continua sua execução com o comando após o EndIf. Se a condição1 for falsa a condição do ElseIf (condição2) é avaliada e o bloco de instruções 2 é executado caso esta seja verdadeira. Sintaxe: For <contador> = <início> To <fim> <bloco de instruções> Next B5- . a condição do If (condição1) é avaliada primeiro. B5+ . entretanto elas nunca poderão estar após uma cláusula Else. Qualquer bloco de instruções pode conter comandos If…EndIf aninhados.! : @# Repete um bloco de instruções um determinado número de vezes. caso verdadeira o bloco de instruções 1 é executado encerrando o comando com o EndIf. Se a condição for verdadeira o bloco de instruções é executado até o comando EndIf. Sintaxe: 220 Scripts . Se for falsa a próxima condição ElseIf será avaliada e assim por diante. Se nenhuma condição ElseIf for verdadeira o bloco de instruções do Else será executado. Blocos de instruções ElseIf e Else são opcionais.If <condição1> <bloco de instruções 1> Else <bloco de instruções n> EndIf If <condição1> <bloco de instruções 1> ElseIf <condição2> <bloco de instruções 2> Else <bloco de instruções n> EndIf As condições especificadas são expressões que podem ser avaliadas como verdadeiras (diferente de zero) ou falsas (zero ou string vazio "").! >' > Executa um bloco de instruções enquanto uma determinada condição é verdadeira. Você pode especificar tantas cláusulas ElseIf desejar. Quando este comando é executado.

Drivers. ( / ) / é . Históricos. Consulta. Plotagem. Laços C C podem ser aninhados. ( / ) / é executado até a instrução C . O . Cada entrada indica o protótipo Scripts 221 . Tags. Este capítulo apresenta a lista completa de todas as funções disponíveis no Elipse SCADA. falsa. ( / ) / será repetido . Relatórios. então. repetido e a condição é avaliada novamente. Alarmes. como funções de datas e do relógio de tempo-real. arquivos. o . temos diversos outros objetos que possuem funções específicas relacionadas: Aplicação. até que a condição seja verdadeira. Databases e Aplicações Remotas. O . a condição é avaliada novamente. Destacamos o objeto Gerenciador Global. ( / ) / é .! !# # Executa um bloco de instruções até que determinada condição seja verdadeira. Sintaxe: Repeat <bloco de instruções> Until <condição> A( ) especificada é uma expressão que pode ser avaliada como verdadeira * (diferente de zero) ou falsa (zero ou string vazio ""). em ordem alfabética. ( / ) / será repetido até que a condição seja . Objetos de Tela. Se for falsa. Receitas. o comando depois da instrução % será executado. . O . quando então. quando o comando depois da instrução C será executado. B55 . que traz funções de utilidade geral. multimídia e outras. Laços & ' % podem ser aninhados. executado e após a condição é avaliada. quando. B 6 :$ ! O Elipse SCADA possui uma série de funções especiais pré-definidas que auxiliam na edição de scripts. Telas. facilitando a execução de tarefas mais complexas e permitindo uma melhor configuração do seu sistema. Através da ferramenta AppBrowser podemos ver as diversas funções especiais disponíveis para cada objeto durante a edição de scripts.Manual do Usuário While <condição> <bloco de instruções> Wend A( ) especificada é uma expressão que pode ser avaliada como verdadeira * (diferente de zero) ou falsa (zero ou string vazio ""). Se a condição for verdadeira o . divididas por objeto. Além deste. manipulação de strings e conversões numéricas.

222 Scripts . Se o parâmetro a for em branco (" "). Retorna o valor do componente azul de Ver função Red(). 1]. Retorna o código ASCII para o primeiro caractere de / Exemplo: tag001 = Asc("screw") // Retorna 115 " . Retorna arco tangente (ângulo) do valor B no intervalo [-π/2. Exemplo: tag001 = Abs(-5. π] radianos. O parâmetro x deve estar contido no intervalo [-1.14) // Retorna 5. "# " Captura a tela especificada no parâmetro e salva-a em um arquivo de formato BMP com nome especificado em . 1]. B6 :$ < ! < 3! Retorna o valor absoluto de >. π/2] radianos. caso contrário a função retorna zero. caso contrário a função retorna zero. Retorna arco seno (ângulo) do valor B no intervalo [-π/2. a captura é colocada na área de transferência. caso contrário a função retorna zero. Seguindo a entrada da função. há a explicação de que ela faz e os seus parâmetros.14 Retorna arco cosseno (ângulo) do valor B no intervalo [0. Os parâmetros entre colchetes são opcionais. O parâmetro x deve estar contido no intervalo [-1. 1]. O parâmetro x deve estar contido no intervalo [-1. π/2] radianos. ! "# .da função com seus parâmetros entre parênteses.

"Tela1". Os atributos globais / e / são atualizados por essa função. Exemplo: tag001 = Chr(115) // retorna "s" %& & # ' Copia os conteúdos do arquivo para o 4 / . inclusive a barra de tarefas do Windows. A função retorna 1 (um) se foi bem sucedida e 0 (zero) caso contrário.Manual do Usuário O parâmetro ' determina como a tela será capturada: se o parâmetro for 0. Exemplo: IF CaptureScreen("tela. Exemplo: Scripts 223 .bmp") ELSE MessageBox("Erro capturando a tela!") ENDIF IF CaptureAppScreen("".bmp". se for 1 (ou qualquer valor diferente de 0). apenas a área que abrange os objetos da tela é capturada (o tamanho fica sendo o contorno ao redor de todos os objetos de tela).1) MessageBox("Tela1 capturada no arquivo tela. Exemplo: IF CaptureAppScreen("tela.bmp") MessageBox("Tela capturada no arquivo tela. "Tela1".1) MessageBox("Tela1 capturada para a área de transferência") ELSE MessageBox("Erro capturando a tela!") ENDIF ! " Captura a toda a tela do sistema colocando-a na área de transferência (se nenhum arquivo for especificado no parâmetro + ) ou em um arquivo com nome + . no formato BMP.bmp") ELSE MessageBox("Erro capturando a tela!") ENDIF $ Retorna o caractere representado pelo código ASCII especificado. toda a tela é capturada.

Screen2 CopyObject ("Screens.dat". normalmente o nome de uma aplicação. ' + '+ ! # . Retorna TRUE se for bem sucedida ou FALSE se falhar. Retorna FALSE em erro ou TRUE caso contrário.") ELSE MessageBox("Erro no comando CopyFile!") ENDIF %( ) * # ' * # ' & " Cria uma cópia do objeto / ($ com o nome / 4 / $ . O novo objeto é criado na mesma pasta do objeto-fonte como padrão.Screen1 // o novo objeto será chamado Display2 e será colocado // na pasta Screens. O parâmetro / é o nome do servidor DDE.Screen2") Retorna o cosseno do ângulo especificado.Display1". & ! # Cria um arquivo chamado + .IF CopyFile("source. Se o arquivo já existir. O ângulo ' " é expresso em radianos. Exemplo: // Cria uma cópia do objeto Display1 na pasta // Screens.Screen1.Display1".dat") MessageBox ("A cópia foi bem sucedida. Os atributos globais / e / são atualizados por essa função. "Display2". escreve o texto / "no arquivo e fecha o arquivo. "Display2") // Cria uma cópia de Display1 na pasta Screens.Screen1. o parâmetro ' ( é um documento aberto na aplicação e o parâmetro ( é o comando que você quer executar. A função retorna True se for bem sucedida ou False caso contrário. especificado no parâmetro .Screen1. Exemplo: 224 Scripts . o novo objeto será chamado Display2 CopyObject ("Screens. ele é destruído e substituído pelo novo conteúdo. # Envia um comando DDE para outra aplicação. "dest. "Screens. a não ser que o destino seja indicado no parâmetro opcional / 4 / . Cria um novo diretório.

FALSE.EXE DATA C:\DATA\*.141592) * 180. você deve especificar a localização do arquivo. segundo a fórmula degrees = (radians / 3. incluindo o caminho e a extensão do arquivo. o segundo executa o comando de impressão. '[SELECT("R1C1:R5C1")]') DDEExecute("Excel".1. Exemplo: Execute("C:\WINDOWS\WINCALC. Os atributos globais / e / são atualizados por essa função.EXE") Execute("C:\UTIL\PKZIP. O segundo parâmetro é a planilha ou documento que você quer acessar. expresso em graus.FALSE. ' Retorna o ângulo angle. O terceiro parâmetro é o comando.FALSE. Retorna TRUE se for bem sucedida ou FALSE se falhar. "[PRINT(1.360. ' ( ) * ( ) Apaga o objeto / $ + - .1. convertido para radianos.*") + Retorna a função exponencial de B. Parâmetros do programa também podem ser incluídos na linha de comando . + $ Executa o programa especificado no parâmetro . Exemplo: Scripts 225 . Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Gerenciador Global.360)]") O primeiro exemplo seleciona a região a ser impressa.1. "Sheet1". Exemplo: tag001 = Deg(ACos(x)) // Arcosseno de x expresso em graus ' & ! Apaga o arquivo especificado no parâmetro .. Se o programa não está localizado no diretório do \WINDOWS ou \WINDOWS\SYSTEM.. "Sheet1".Manual do Usuário DDEExecute("Excel". O primeiro parâmetro é sempre o nome da aplicação.: da aplicação.

não cria o arquivo.tag001 = Exp(2.*. / 0 $ # " // retorna 10.jpg") O parâmetro M' é um inteiro que especifica a maneira que o arquivo será selecionado.*.dat. Exemplo: String = FillString("Password". Permite o usuário digitar o nome do arquivo desejado e retorna o caminho (path) completo.*. "Arquivos de imagens|*. retornando o nome do arquivo encontrado.*. *. Os filtros devem estar separados por ‘|’. digitando o nome do arquivo a ser criado. O parâmetro 8 ' especifica o arquivo ou diretório que estará previamente marcado.dat|Todos os arquivos|*. Sua sintaxe é: filterName1 | mask1 | … filterNameN | maskN Cada filtro é uma seqüência de dois strings separados por um ‘|’. A máscara pode conter uma seqüência de máscaras. não permite que o usuário digite nada.gif).bmp. separadas por ponto-e-vírgula (por exemplo. Retorna um string contendo o nome do arquivo selecionado ou um string vazio.*") str = FileSelectWindow("c:\Imagens###BOT_TEXT###quot;.302585093) & . só escolher os arquivos existentes. O parâmetro B / especifica os tipos de arquivos que poderão ser selecionados. "Arquivos de dados (*.bmp. # & Retorna um string contendo o parâmetro / em . O atributo determina o padrão de arquivo a ser procurado (por exemplo: "\DATA\*.jpg. Permite o usuário criar um novo arquivo.gif.DAT") e o 226 Scripts .dat)|*. por exemplo). se falhar ou for cancelado pelo usuário. Exemplo: str = FileSelectWindow ("c:\Dados###BOT_TEXT###quot;. O primeiro string é o nome do filtro que será mostrado na caixa combo e o segundo string é a máscara de seleção de arquivos (*. 2) & & & # "tantas vezes quantas especificadas // retorna "PasswordPassword" em String Procura pelo primeiro arquivo a partir de um determinado padrão de nome e atributos específicos.0 " # % " Mostra uma janela para a seleção de um arquivo. de acordo com a tabela: VALOR < 5 3 DESCRIÇÃO Abre uma janela de seleção de arquivo.

O parâmetro 8 ' especifica o diretório inicial a ser selecionado. para colocar o atributo M/ (arquivo do sistema) e E (oculto). Se não for especificado. / 0 $ " Abre uma janela para seleção de um diretório (pasta). / determina a soma dos atributos desejados no arquivo. ou vazio ("") caso nenhum arquivo seja encontrado. Exemplo: strFile = FolderSelectWindow ("C:\Dados") Scripts 227 . Retorna o nome do arquivo que satisfaz os parâmetros. Exemplo: // Este exemplo faz uma cópia de segurança de todos os // arquivos *.. isto é: system (4) + hidden (2) = 4+2 = 6.“C:\Backup\”+strFile) strFile = FindNextFile() WEND & .$ B . sem atributos Somente leitura (read only) Oculto (hidden) Arquivo de sistema (system) Diretório (directory) Arquivo-morto (archive) Por exemplo../ . se for cancelada.DAT no diretório C:\DADOS que tenham o // atributo arquivo-morto (archive) para C:\BACKUP DIM strFile strFile = FindFirstFile ("C:\Dados\*.32) WHILE strFile<>"" CopyFile ("C:\Data\”+strFile. A função retorna o nome do primeiro arquivo que satisfaz os parâmetros ou vazio ("") caso nenhum arquivo seja encontrado. segundo VALOR ATRIBUTO Normal.G pode ser chamada para encontrar outros arquivos que satisfaçam H essas condições.G a função H . a seleção é o diretório-raiz do drive corrente.(). deve atribuir o numeral 6. & * & Procura pelo próximo arquivo que obedece os parâmetros especificados na função ./ .Manual do Usuário parâmetro a tabela: < 5 3 7 5 23 . retornando um string com o nome do diretório selecionado ou um string vazio. Após chamar .dat".

mostra e' .& & #! Retorna um valor no formato data/hora de acordo com a string / . mostra e '. mostra + (manhã) e Hora no formato 12 horas. Hora no formato 12 horas. Décimos de segundo (deve ser precedido de segundos) (tarde). 228 Scripts . A string especifica um formato data/hora (ex: "dd/mm/yy hh:mm:ss”) e a data/hora e retorna a função G H As opções para esta função são as seguintes: Formatos Data/Hora para a função Format FORMATO @ C @@ CC SIGNIFICADO Dia da semana (Dom – Sab) Dia da semana (DOM – SAB) Dia da semana (Domingo – Sábado) Dia da semana (DOMINGO – SÁBADO) Dia (1 – 31) Dia (01 – 31) Mês (1 – 12) Mês (01 – 12) Mês (Jan – Dez) Mês (JAN – DEZ) Mês (Janeiro – Dezembro) Mês (JANEIRO – DEZEMBRO) Mês (j – d) Mês (J – D) MM JJ Ano (00 – 99) Ano (1970 – 9999) Hora (0 – 23) Hora (00 – 23) Minuto (0 – 59) (deve estar acompanhando horas ou seguido de segundos) Minuto (00 – 59) (deve estar acompanhando horas ou seguido de segundos) / // + I I' +I I' < Segundo (0 – 59) Segundo (00 – 59) Hora no formato 12 horas. Hora no formato 12 horas. mostra + e .

2000" str = Format("mmmm d.000".10. Exemplo: day = GetDay(GetTime()) // Exemplo abaixo retorna 30 day = GetDay(MakeTime(30.17.25. Exemplo: // Retorna "C:\WINDOWS\SYSTEM\VGA. yyyy".25.17. 7 para sábado).612" str = Format("hh:mm:ss.Manual do Usuário << <<< c Centésimos de segundo (deve ser precedido de segundos) Milésimos de segundo (deve ser precedido de segundos) Nova linha (CR + LF) Exemplo: DIM date = GetTime() // Retorna "November 21.date) 1 & ! Retorna o nome completo do arquivo. 0 2 3 Obtém o dia da semana a partir de um valor de tempo absoluto (1 para domingo. 2 para segunda.1997. ….56)) Scripts 229 . Exemplo: day = GetDayOfWeek(GetTime()) // Exemplo abaixo retorna 5 day = GetDayOfWeek(MakeTime(30.DRV" strArquivo = GetAbsoluteFilename("VGA.56)) 1 ' %( .date) // Retorna "11:41:32.1996. 1 ' Retorna o diretório corrente. 1 '% Obtém o dia a partir de um valor de tempo absoluto.10.DRV") 1 ' Retorna o diretório da aplicação.

Retorna o tamanho do arquivo em bytes.2.56)) // retorna 40 1 ' & ' . Retorna a soma dos atributos do arquivo através do parâmetro com a seguinte tabela: VALOR -1 0 1 2 4 8 16 32 1 & ! Erro Normal Somente Leitura (Read Only) Oculto (Hidden) Sistema (System) Volume Diretório (Directory) Arquivo-morto (Archive) ATRIBUTO 6 de acordo Retorna a hora em que o arquivo foi criado. através do parâmetro 1 3 7 * 7 . …. 2 para 2 de jan. de fev.25. Lê o valor de uma variável interna armazenada em uma chave de hardware (Hasp). …).17. A função 230 Scripts . Exemplo: day = GetDayOfYear(GetTime()) day = GetDayOfYear(MakeTime(9.1997. através do parâmetro . 1 ' %( 4 0 3 Retorna o número total de Kbytes disponíveis no caminho / 4 1 & ! O especificado.Obtém o dia do ano a partir de um valor de tempo absoluto em dias (1 para 1o. de jan. através fo parâmetro 1 & ! . Esta variável só pode ser programada pela Elipse Software no Hasp. Retorna a hora em que o arquivo foi acessado pela última vez. 1 & 5 0 ! Retorna a hora da última modificação no arquivo através do parâmetro 1 & 6 ! . 32 para 1o. 33 para 2 de fev.

17.25. Exemplo: minute = GetMinute(GetTime()) minute = GetMinute(MakeTime(30. Exemplo: Scripts 231 . Exemplo: hour = GetHour(GetTime()) hour = GetHour(MakeTime(30.17.1996.56)) // retorna 10 1 Obtém os segundos a partir de um valor de tempo absoluto.1996.56)) // retorna 25 1 5 $ Obtém o mês a partir de um valor de tempo absoluto.25.10. 1 5 Obtém os minutos a partir de um valor de tempo absoluto.1996.17.Manual do Usuário retorna uma string contendo o valor da variável ou em vazio ("") se ocorrer algum erro ou a variável não existir. Exemplo: month = GetMonth(GetTime()) month = GetMonth(MakeTime(30.10.56)) // Retorna 17 1 + Retorna o código de erro da última operação no arquivo (o mesmo valor do atributo global / ).25. Exemplo: tagSerialNo = GetHaspVar("SerialNo") 1 3 Obtém a hora a partir de um valor de tempo absoluto.10.

Ver Red(). Exemplo: tag002 = -9. O valor também expressa milisegundos nas três primeiras casas decimais. Exemplo: // Este exemplo conta quantos segundos leva para // fazer uma cópia de um arquivo DIM timeInicio. timeDuracao timeInicio = GetTime() CopyFile("C:\Dados\Temp.3) + " segundos. de janeiro de 1970.56)) // retorna 56 1 Retorna a hora atual do sistema como um valor de tempo absoluto medido em segundos desde 00:00 do dia 1o.17.9 tag001 = Int (tag002) // retorna -9 8* Verifica se o resultado da expressão informada no parâmetro B' //* é um número."C:\Dados\Backup\Temp.8.10.dat".10. 8 Retorna a parte inteira de x.25. Exemplo: year = GetYear(GetTime()) year = GetYear(MakeTime(30.25.1996.56)) // retorna 1996 1 Retorna o valor do componente verde de Cor. obtida por truncagem.17.") 1 4 Obtém o ano a partir de um valor de tempo absoluto. Exemplo: 232 Scripts .1996.dat") timeDuracao = GetTime() – timeInicio MessageBox ("A cópia durou " + Str (timeDuracao.second = GetSecond(GetTime()) second = GetSecond(MakeTime(30. Retorna TRUE (diferente de zero) se for um número ou FALSE (zero) se não for.

! Scripts Inverte um string. 233 . Retorna o número de caracteres de um / Exemplo: Integer = Len('Password') " . Exemplo: tag001 = Log(tag002) 9: Retorna o logaritmo base-10 do número x. Retorna TRUE (diferente de zero) se for um número ou FALSE (zero) se não for. // retorna 8 Retorna o logaritmo natural do número x. Exemplo: tag001 = IsString(1000) tag001 = IsString("teste") tag001 = IsString(GetTime()) 0 # // retorna FALSE (0) // retorna TRUE (1) // retorna FALSE (0) Retorna os nCount caracteres mais à esquerda do parâmetro / Exemplo: String = Left('Password'. Exemplo: tag001 = Log10(tag002) 5 2 / Retorna o parâmetro / Exemplo: " letras minúsculas. em String = MakeLower('Password') // Retorna 'password' 5 2. 4) // retorna 'Pass' " . de forma que o primeiro caractere se torne o último e vice-versa.Manual do Usuário tag001 = IsNumeric(1000) tag001 = IsNumeric("teste") tag001 = IsNumeric(GetTime()) 8 // retorna TRUE (1) // retorna FALSE (0) // retorna TRUE (1) Verifica se o resultado da expressão informada no parâmetro B' //* é um string.

tag003) 5 # < #+ "" # " #%" Mostra uma caixa de mensagem que pode ser configurada pelo usuário. O intervalo de valores para cada parâmetro é: Intervalo M M Descrição 1 a 31 (pode ser 28. Deve ser expresso entre aspas simples e aparecerá centralizado na caixa de mensagem logo acima dos botões. Exemplo: tag001=Max(tag002.17.Exemplo: String = MakeReverse('Password') // Retorna 'drowssaP' 5 2 %# $% # #$ # # Retorna um valor de tempo absoluto a partir dos parâmetros especificados. 29 ou 30 conforme o mês e o ano) 1 a 12 1970 a 2039 0 a 23 0 a 59 0 a 59 / ( Se algum dos parâmetros for inválido a função retorna 0. os parâmetros e M são opcionais e seus valores default (0000h) determinam uma caixa de mensagem padrão. B : Deve ser um string ou um Tag contendo um string.56) 5 2 Retorna o parâmetro / Exemplo: " letras maiúsculas.10. Parâmetros da função O parâmetro B é obrigatório. 234 Scripts . em // retorna ‘PASSWORD’ String = MakeUpper(‘Password’) 5 Compara x e y e retorna o maior valor entre as duas expressões numéricas. A função retorna um valor correspondente a um botão pressionado na caixa de mensagem ou no “Keypad”.25.1996. Exemplo: myTime = MakeTime(30.

Aparecerão os botões Yes. e Cancel. Tipos da janela TIPO +'' ( HEXA 0000h DESCRIÇÃO Você deve responder a caixa de mensagem para seguir usando a janela que a chamou. Semelhante ao Application Modal só que suspende todas as telas da aplicação até que a mensagem seja respondida. Aparecerão os botões Yes e No Aparecerão os botões Retry e Cancel. ( 6& M6 " ( ( HEXA 0000h 0001h 0002h 0003h 0004h 0005h DESCRIÇÃO Aparecerá somente o botão de OK na caixa de mensagem Aparecerão os botões OK e Cancel. você pode ir para qualquer outra janela. No. Ë usada para mensagens muito importantes. Todas as aplicações ficam suspensas até que você responda esta caixa de mensagem. Retry. / : Permite modificar o estilo da caixa de mensagem e deve ser um valor em hexadecimal conforme as características que você deseja. 235 J /6 $ 6 J /6 $ & Scripts M6 . Aparecerão os botões Abort. As seguintes características podem ser configuradas. "Teste da Caixa de Mensagem") // Dois strings abaixo sao atribuidos a Tags strText="Como está a caixa de Mensagem?" strTitle="Teste da Caixa de Mensagem" MessageBox(strText. Exemplo: MessageBox ("Como está a caixa de Mensagem?". e Ignore.strTitle) B6 Mf Permite especificar a posição em que o diálogo irá aparecer. M/ 1000h 4 /R 2000h Botões da caixa de mensagem BOTÕES 1 1 6 +.Manual do Usuário Exemplo: MessageBox ("Como está a Caixa de Mensagem?") // Um string e' atribuido a um Tag Mensagem = "Como está a Caixa de Mensagem?" MessageBox(strMensagem) F : Deve ser um string da mesma forma que o parâmetro Text e irá aparecer na barra de título da caixa de mensagem. Entretanto.

236 Scripts . 1134h) 5 # & # " Retorna parte de / B conforme os parâmetros . . botões). Dá o foco para o Botão 2./ e . Por exemplo. para especificar uma caixa de Mensagem com o seguinte estilo: Tipo System Modal (1000h) + Botão 2 como Default (0100h) + Ícone de exclamação (0030h) + Botões Yes e No (0004h) = 1134h Exemplo: strText = "Como está a caixa?" strTitle = "Teste da Caixa de Mensagem" MessageBox(strText. ícone. strTitle. no string.Default para os botões BOTÕES *5 ( 8 *3 ( *2 ( 8 8 HEXA 0000h 0100h 0200h DESCRIÇÃO Dá o foco para o Botão 1. Dá o foco para o Botão 3. Ícone TIPO " B( 8 ) * ) * HEXA 0010h 0020h 0030h 0040h DESCRIÇÃO O ícone é um sinal de pare O ícone é um ponto de interrogação O ícone é um ponto de exclamação O ícone é o caractere ‘i’ dentro de um círculo Valores de retorno VALOR 1 2 3 4 5 6 7 BOTÃO OK Cancel Abort Retry Ignore Yes No MENSAGEM OK Cancelar Abortar Tentar de novo Ignorar Sim Não Configurando uma Caixa de Mensagem Para configurar o estilo de uma Caixa de Mensagem você deve fazer um OR lógico de cada característica que você deseja (Tipo. botões default. Você pode escolher apenas uma das características disponíveis (veja tabelas acima). do primeiro caractere do substring que será retornado e é o número de caracteres do substring./ especifica a posição.

5) PadL("abcdefghij".7) PadC("abcdefghij". Exemplos: PadC("abc".8. Se ( ( não é especificado.5) PadL("abc". Exemplo: MoveFile("c:\data\turtle."-") # $ # // Resulta " abc " // Resulta "abcde" // Resulta "--abc---" " Retorna / "posicionado no lado direito com o caractere ( ( completando o tamanho do string resultante."c:\newdata\rabbit.4.28. Retorna TRUE se bem sucedida ou FALSE em caso de erro.4. Os atributos globais / e / são atualizados por essa função. parâmetro ( ( 6 completando o tamanho do string resultante especificado pelo parâmetro .8."-") // Resulta " abc" // Resulta "abcde" // Resulta "-----abc" Scripts 237 .4) strSenha = Mid('Password'. Exemplos: PadL("abc". Somente o primeiro caractere de ( ( é usado.3) 5 #% // retorna 'Pas' // retorna 'swor' // retorna 'ssword' Compara B e M e retorna o menor valor entre as duas expressões numéricas. espaços são introduzidos.4 Move o arquivo especificado para uma nova localização.3) 5 ! & & # ' // tag001 = 2.5) PadC("abc". Exemplo: tag001 = Min (2.1. Se ( ( não é especificado. espaços são introduzidos.dat") # $ # " Retorna a string / " centralizada com o caractere. Somente o primeiro caractere do parâmetro ( ( é usado.3) strSenha = Mid('Password'.Manual do Usuário Exemplo: strSenha = Mid('Password'. indicado por .dat".

todo o arquivo será tocado.. Somente o primeiro caractere de / é usado. indicado por . Retorna a password digitada pelo usuário. Os parâmetros / e/ ' especifica o intervalo do arquivo que será tocado (em milisegundos). # $ # " Retorna / " posicionado no lado esquerdo com o caractere especificado no parâmetro ( ( 6 completando o tamanho do string resultante. Exemplo: strPwd = PasswordDlg ("Digite a senha". O processo pode ser parado chamando a função 'C ().% 8 Toca um som especificado no parâmetro / com a tabela abaixo: ÍNDICE < 5 3 2 7 g B (inteiro entre 0 e 5) de acordo DESCRIÇÃO Bipe usando o alto-falante interno do computador Asterisco (observação) Exclamação Mão (atenção) Questão Alerta padrão Este som é definido no painel de controle do Windows.7) // Resulta "abc " PadR("abcdefghij". Se ( ( não é especificado. A função retorna a senha digitada pelo usuário.100."-") // Resulta "abc-----" / ' # # "# %" Abre uma caixa de diálogo para entrada de uma password.5) // Resulta "abcde" PadR("abc". A função faz a solicitação do toque do som ao sistema e retorna. espaços são introduzidos. 238 Scripts ."Segurança") strPwd = PasswordDlg ("Digite sua senha". O som é tocado assincronamente. O parâmetro é um string a ser mostrado na barra de título e text é um string com uma mensagem para o usuário. Os parâmetros opcionais B e M indicam a posição do canto superior esquerdo da caixa de mensagem a ser mostrada.8..%. . Exemplos: PadR("abc"."Login". Se estes parâmetros forem omitidos.100) . ! 0 # "# " Toca um arquivo formato WAV.

M /+ não for especificado. . Se . a função lê todos os bytes do arquivo. Se a entrada não for encontrada.5000) // Toca o arquivo do segundo 2 até o 5 -# Envia a string para a impressora . Os parâmetros / ) e / * especificam a seção e a entrada do arquivo respectivamente.TXT para tag001 .141592. Se a formatação é requerida. 8 * ! # # + # 7 '0 " Retorna o número de uma entrada no arquivo de configuração (. Se .INI) / + . a função retorna zero. & & ! # 8 "# % Lê o arquivo / + . é possível acessar as configurações da impressora.Manual do Usuário Exemplo: PlayWave("tada. mas não podem ser manipulados no Elipse SCADA. se não for especificado). Recomenda-se que o arquivo contenha somente dados de texto/caractere. 4 8 é retornado. 4 8 não for especificado. "Hello World…") . O arquivo deve ser formatado com a seguinte sintaxe: Scripts 239 . segundo a fórmula: radianos = (angle / 180) * 3. Os caracteres CR e LF (Chr(13) + Chr(10)) deve ser fornecido para mudar uma nova linha. Exemplo: tag001 = ReadFromFile("Help. Dados binários podem ser lidos. A string é enviada aguardando um pré processamento (raw bytes).txt") // Lê todo o arquivo HELP. o valor . Retorna o ângulo angle (expresso em graus) convertido para radianos. iniciando por ' / ( (do início do arquivo.2000.wav". Exemplo: PrintString(1.

"Secao"."".[secao1] entrada1 = valor1 entrada2 = valor2 <outras entradas> entradaN = valorN [secao2] <outras entradas> [secaoN] <outras entradas> Exemplo: // Arquivo MYAPP.-1) // retorna 1000 ReadIniString("MYAPP. ou um string nulo ("") se / .INI.INI"."UserName") // retorna "Admin" NOTA: Se houver um outro programa que modifica o arquivo .INI".INI com o seguinte conteúdo: // [General] // Total = 1000 // UserName = Admin ReadIniNumber("MYAPP. Converte um string numérico ou um número para um número real..INI. Você pode forçar a atualização chamando C (/ . * é retornado."General". Seja um arquivo VALUES. Exemplo: 240 Scripts . Se a entrada não for encontradaI."Total".INI. 8 ! # # + # 7 " Retorna o string contendo o valor da entrada no arquivo / + . as mudanças poderão não ser vistas imediatamente porque Windows mantem uma cópia do arquivo em memória."") // Força o Windows a descarregar o cache ReadIniNumber("VALUES.INI".INI". Os parâmetros / ) e/ * especificam a seção e a entrada do respectivo arquivo. "Entrada") // Lê o valor de Entrada na seção Secao ."") antes de ler o arquivo .INI que está sendo atualizado por um outro programa. o / . * não for especificado."General".""."". Pode-se ler os valores atualizados assim: WriteIni("VALUES. ."".

220.0 Estas funções permitem obter uma das três cores componentes de um valor 24 bits. Não é possível apagar o diretório corrente. O valor retornado estará sempre entre 0 (intensidade mínima) e 255 (intensidade máxima).backgroundColor Display.backgroundColor = RGB(220. por restrição do sistema. Blue(color)/2) O exemplo acima configura a cor de fundo de um Display para a metade da intensidade da cor original. Green(color)/2.backgroundColor = RGB(192.192) // e cancele a captura ReleaseMouseCapture() ENDIF . independente do mouse estar ou não sobre o objeto.IsMouseInside() // se o mouse saiu do objeto. // verifica se já não há uma captura de mouse IF NOT Display.192. .SetMouseCapture() // colocar uma cor de destaque Display. Exemplo: color = Display.Manual do Usuário Numeric = Real(‘30’) . Exemplo: o script / a seguir muda a cor de fundo de um objeto de tela quando o mouse está sobre ele e retorna à cor original quando o mouse sai. coloque a cor original Display. para ser apagado. verde e azul. para cada uma das três componentes de cores.de ( : vermelho. // retorna 30. Scripts 241 . o diretório de trabalho do sistema ou o diretório-raiz. Os atributos globais / e / são atualizados por essa função. 5 Libera a captura do mouse efetuada pela função / ' (). ! ' Remove um diretório (pasta) existente. Retorna o valor TRUE se bem sucedida ou FALSE (zero) se não.backgroundColor = RGB(Red(color)/2. Um objeto que tem uma captura de mouse ativa recebe todos os eventos do mouse.220) ELSEIF NOT Display. capture Display. No Windows.HasMouseCapture() // o mouse entrou no objeto. o diretório deve estar vazio e não deve ter sub-diretórios.

Activate". Retorna um número real aleatório entre 0 e 1 (inclusive). Também mostra quanto tempo ou quantas vezes um script for executado. 242 Scripts .Activate()") .1) tag002 = Round(13. Os atributos globais / e / são atualizados por essa função. Cada componente é um inteiro entre 0 (intensidade mínima) e 255 (intensidade máxima). RunMacro("Screen"+Str(activeScreen. / Abre uma janela para debug no modo Runtime que permite supervisionar todos os scripts que estão rodando.0 // o resultado é 14. 5 + // o resultado é 14.0)+". // onde activeScreen é o número da tela. str = Right("Password".0..0 Compila e executa a expressão contida no string / B' //* passado como parâmetro. Exemplo: // Vermelho forte Display1. . Retorna o valor TRUE se bem sucedida ou FALSE (zero) se não.backgroundColor = RGB(255.9) . verde e azul.4) . Exemplo: tag001 = Round(14. $ # Retorna os Exemplo: caracteres mais à direita do parâmetro / // retorna "word" " . Retorna o número x arredondado para o inteiro mais próximo. Exemplo: // executa a expressão "Screen<activeScreen>.0) . & & # ' Muda o nome do arquivo para 4 / . Retorna o valor da expressão executada ou zero se nenhum erro de compilação ou execução ocorrer.1. . 1 ! $#! # 6 Retorna um valor de cor 24 bits para as três cores componentes especificadas: vermelho. O valor retornado pode ser atribuído a qualquer atributo de cor de um objeto.

O parâmetro E é um valor absoluto de datahora.98) $ + ( # // retorna -1 ! # # ' # 7 Executa uma operação / ' ) para o arquivo / + * especificado.8. Os atributos globais / e / são atualizados por esta função. / / é um string que especifica os parâmetros que devem ser passados para a aplicação. / ' ) pode ser um dos seguintes comandos: "edit" (editar). Retorna o seno do ângulo especificado.25. Exemplo: SetFileAttributes("turtle. a saber: 0 = esconder a janela. Exemplo: SetSystemTime(MakeTime(10. 1 = mostrar a janela. A função retorna TRUE se bem sucedida ou FALSE (zero) se falhar. Ao invés disso.dat". / para a lista de atributos que o parâmetro pode receber. / 4 define o diretório padrão.2000. 3 = mostrar a janela maximizada.17. H A função retorna 1 (TRUE) se obtiver sucesso. 0 (FALSE) se falhar. 0 se zero./ especifica como a aplicação deve ser mostrada quando for aberta. "find" (buscar). 2 = mostrar a janela minimizada. Retorna o sinal de x (-1 se negativo. "open" (abrir). "print" (imprimir) ou "properties" (propriedades). Use a função R G para compilar este número. Scripts 243 . Exemplo: tag001 = Sgn(-123.+ . 1 se positivo). Veja a função .3) // somente leitura (1) + oculto (2) = 3 % ! 3 Ajusta a hora do sistema para o parâmetro E .56)) NOTA: A hora interna mantida pelo Elipse SCADA não é ajustada automaticamente. "explore" * (explorar). O ângulo angle é expresso em radianos. o sistema faz pequenos incrementos/decrementos em seu tempo interno até que alcance a hora do relógio do sistema em uma taxa máxima de 20% (incrementa/decrementa no máximo 2 segundos a cada 10 segundos). .Manual do Usuário & ! # *! Modifica os atributos do arquivo file para $ .

Retorna a raiz quadrada de x.6. drivers de rede. Note que o parâmetro frequency designa de quanto em quanto tempo o som será tocado. O parâmetro é o número a ser convertido.2000) // toca o som de exclamação a cada 2 segundos Pára um som que está tocando.95. / B deve ser um inteiro entre 0 e 5 (veja a tabela de sons disponíveis consultando a função M ()). Pára a reprodução de um arquivo WAV iniciada pela função ! # 6# MC (). Exemplo: StartSound(2.5)). ! (). o valor 100 será assumido. A freqüência mínima é 100ms. Exemplo: tag001 = Sqrt(81) 8 # 0 // returns 9 % " Toca o som especificado em / B na freqüência especificada em frequency (em milisegundos) até um comando ' ser chamado.95" Converte um número inteiro ou real para um string preenchendo com zeros a esquerda até o tamanho especificado. Processos rodando em segundo plano que estiverem rodando em thread separados (E/S. mas toda a lógica da aplicação (scripts) será pausada. o parâmetros e ' ( determinam o tamanho e precisão do 244 Scripts . o parâmetros / # e precision determinam o tamanho e precisão do string. O parâmetro é o número a ser convertido. recepção de vídeo) continuarão funcionando.2) = 7 # $# // Retorna " 30. Converte um número inteiro ou real para um string. A interface do usuário não responderá enquanto a pausa estiver sendo executada. iniciado pela função .Faz uma pausa na execução do script durante ( / segundos (é possível especificar uma fração. por exemplo: Sleep (0. Quando o parâmetro for um string ele primeiro é convertido para um número e depois formatado conforme os parâmetros size e precision. Exemplo: String = Str(30. se for especificado um número menor.

Exemplo: String = StrZero(30. "") depois de ler o arquivo ."Total".6.INI". NOTA: Se o arquivo for modificado INI file. "". Você pode forçar a atualização utilizando o parâmetro C (strFile. O exemplo abaixo escreve as seguintes linhas em MYAPP. O parâmetro / ) e/ * especificam a seção e a entrada do arquivo respectivo.INI"."General". Exemplo: WaitCursor (1) <alguns comandos que demoram tempo> WaitCursor (0) ."General"."UserName". O parâmetro ' ) é opcional e possui as seguintes especificações: * Scripts 245 . 3 " é expresso em radianos.95" Retorna a tangente do ângulo especificado. Retorna 1 se for bem sucedida ou 0 se ocorrer algum erro. porque o Windows copia um arquivo na memória.Manual do Usuário string. Habilita (bHabilita=1) ou desabilita (bHabilitae=0) o cursor de espera (ampulheta). tas transformações não serão imediatamente modificadas. "".INI. $ .INI / + .1500) WriteIni("MYAPP. 8 ! # # + #! Escreve o valor (numérico ou string) no arquivo . O ângulo . .2) // Retorna "030. & ! # # " Escreve o texto no arquivo.95.INI: [General] Total = 1500 UserName = Admin Exemplo: WriteIni("MYAPP. Quando o parâmetro for um string ele primeiro é convertido para um número e depois formatado conforme os parâmetros e ' (."Admin") . / Abre uma janela de depuração no módulo Runtime que permite visualizar os valores das propriedades de um item selecionado na árvore da aplicação.

DeleteUser(strUserName) + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Aplicação. colocando a string no fim do arquivo. substituindo o arquivo por uma nova string. Retorna 1 (um) se for bem sucedida ou 0 (zero) caso contrário. 1 5 4 Retorna a altura da janela da aplicação em pixels. 1) B6+ :$ # ! ! % # # $# ! Adiciona um novo usuário na lista de usuários da aplicação. " #%" #$ " # & $ " # " Chama uma caixa de diálogo para a identificação (login) de um usuário. "Gerente". Falha se o arquivo não existir.txt". 1 5 > Retorna a lagura da janela da aplicação em pixels.AddUser ("João Machado". substituindo o arquivo por uma nova string.DeleteUser("JoaoM") Application. colocando a string no final do arquivo. Retorna 1 (um) se for bem sucedida ou 0 (zero) caso contrário. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o usuário for logado com sucesso ou falso (zero) se 246 Scripts . Falha se o arquivo não existir. 0 ) ' Apaga um usuário da lista de usuários. Cria o arquivo se não existir. Exemplos: Application. Exemplo: WriteToFile("test. "Essa linha será acrescentada para um arquivo existente". "JoaoM". "1234".MODO < 5 3 2 DESCRIÇÃO (default) Cria o arquivo se não existir. Exemplo: Application.

* " Termina a execução da aplicação corrente.4) == 6 Application. visível).Manual do Usuário não for. Os parâmetros opcionais > e J indicam as coordenadas da posição do canto superior esquerdo da janela de login. / ' Permite que seja reiniciado o micro via programação Script. Exemplo: IF MessageBox("Você quer dar logout?".Activate() ENDIF Executa o logout (saída) de um usuário da aplicação. ."Logout". $ '/ . Uma parada forçada ou um reboot forçado indicam que todos os outros Scripts 247 . Em caso de erro.( é um booleano que indica se o botão de fechar a janela deve aparecer (padrão é 1. 5 6 Minimiza a janela da aplicação. Em caso de erro nenhuma mensagem ou janela será mostrada. Fecha todas as telas que possuem prioridade diferente de zero. o atributo global / também atualizado: 0 (zero) se o login for cancelado pelo usuário ou 1 (um) se o usuário ou a senha forem inválidos. antes de ela ter sido maximizada ou minimizada.Logout( ) ENDIF 5 6 Maximiza a janela da aplicação. . recarrega-a do disco e reinicia-a.Login() SetPointScreen. O parâmetro / F permite especificar um título para a janela diferente do padrão. Esta função não está disponível no modo Demo (demonstração) do Elipse SCADA. Termina a aplicação atual e fecha-a abaixo o computador. ao invés da corrente. 2 (parada programada forçada). 3 (reboot) ou 4 (reboot forçado). O parâmetro ' . O parâmetro opcional / +''$ permite passar o nome de outra aplicação a ser reiniciada. Exemplo: IF Application. O parâmetro 4 / " pode ser: 1 (parada programada). Restaura o tamanho original da janela da aplicação.

Exemplo: // Parada programada normal do Windows Application. " #%" # " # / " # " Permite a um usuário modificar sua senha. Lê um valor do PLC diretamente para o Tag.GetAt(3) . Finaliza a aplicação corrente. Se o usuário é administrador (nível de acesso 1) ele poderá criar. modificar e remover os atributos de todos os usuários. Exemplo: Tag1. o aplicativo é parado e o micro reiniciado.ShutdownWindows(1) OBS: Quando a aplicação é rodada no modo Configurador. + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do tag. 1 Retorna o valor do elemento index de um bloco. ele simplesmente pára a aplicação. . B6:$ :$ .$ 2!. 248 Scripts .programas em execução (exceto Elipse) imediatamente serão terminados e não será possível salvar nenhuma alteração. Quando a aplicação é rodada no modo Runtime.

Exemplo: Scripts 249 .Avg(2. (3.Manual do Usuário #! Atribui um valor ao elemento de um bloco. Exemplo: Tag1. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a operação for efetuada com sucesso ou falso (zero) se não for. somente se o atributo C estiver habilitado.ExchangeColumns(3.2).1)./ $ 9# $? Troca o conteúdo de duas linhas de uma matriz.ExchangeRows(3. :$ ! 2!.44) . Exemplo: // Troca os conteúdos das colunas 3 e 4 TagMTX1. Exemplo: tagSum = tagMatriz. (2.SetAt(3.3.1. 9# 9# ? ? # !# 7 Retorna a média dos valores no retângulo definido por linha1 (r1) coluna1 (c1) e linha2 (r2) coluna2 (c2).1).3) // retorna a média das células // (2. Escreve o valor de um Tag diretamente no PLC.4) + $ . (3. (2.3). (3.2). 3. Exemplo: // Troca os conteúdos das linhas 3 e 4 TagMTX1.4) 1 $# Retorna o valor (numérico ou string) de uma determinada célula da matriz especificada pela linha row e columa column.3) + $ 9# ? Troca o conteúdo de duas colunas de uma matriz.

1) $# #! e a final = 1) ou // Ordena as linhas 1 a 8 da matriz de forma ascendente.1). Abre a janela de edição das propriedades do ítem.4) :$ + - 2!.1.2). Atribui um valor value a uma determinada célula da matriz especificada pela linha especificada pelo parâmetro e coluna especificada pelo parâmetro ( .1. (2.3./ Mapeia as informações associada com as propriedades ou tags.8. Exemplo: // conforme os valores da coluna 1 TagMTX1.5) ( % $ # $ 80 # # Ordena as linhas de uma matriz entre a linha inicial ' 8 pela coluna ( .4).5.9) 9# 9# ? ? # Retorna o somatório dos valores contidos no retângulo definido por linha1 (r1) coluna1 (c1) e linha2 (r2) coluna2 (c2). (3. coluna 5 TagMTX1. (2. coluna 5 TagMTX1. Exemplo: TagMTX1.5. (3.GetCell(3.3). /# # . .// Retorna o valor da célula da linha 3. 250 Scripts . (3.OrderBy(1. Exemplo: // Soma os conteúdos das células // (2. Exemplo: // Atribui o valor 9 à célula da linha 3.Sum(2.3).MapCellsToTags(1.2). (3.5) 5 # .1). Zera o acumulador.1. (2. de maneira ascendente (se /( descendente (se /( = 0).SetCell(3.4) TagMTX1.

conseqüentemente você deve usá-la com cuidado e somente quando for absolutamente necessário. Retorna verdadeiro se a operação for bem sucedida. Atenção: Esta função não pode ser usada em versões limitadas (versões Lite) do Elipse SCADA. indicado pelo parâmetro size. espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução da especificação.SetAt(index. O atributo F ( indica o índice do elemento do tag bloco. e 0 se falhar. Esta é uma função synchronous. < #! Seta o valor de um elemento de bloco. Atenção: esta função não pode ser usada em versões limitadas (versões Lite) do Elipse SCADA. ou removidos se o bloco diminuir. pois ele pode seriamente degradar o desempenho da aplicação. retorna 1 se lido sucedido. Scripts 251 . Lê o bloco do PLC imediatamente. Exemplo: // Este exemplo ajusta todos os elementos do bloco para zero DIM index FOR index = 0 TO Block1. Usa o bloco e verifica a documentação do bloco. O atributo F ( indica o índice do elemento do tag bloco e o atributo é o valor a ser enviado para o elemento. Exemplo: // Soma todos os elementos do bloco DIM index.size-1 sum += Block1.size-1 Block1. sum sum = 0 FOR index = 0 TO Block1. caso contrário retorna falso. Os elementos do bloco serão adicionados se o bloco crescer. 9 Pega o valor armazenado em um elemento de bloco.Manual do Usuário :$ 1 < 2!. 0) NEXT 6 6 Ajusta o número dos elementos do bloco.GetAt(index) NEXT .

Usa o bloco que escreve o serviço do I/O. conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário. espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução. . retornando 1 (um) se a escrita ser bem sucedida. retorna 1. Atenção: esta é uma função síncrona. se a escrita for bem sucedida. Escreve o valor no tag para o servidor OPC. Esta função usa a escala definida no Elemento de Bloco . # 9 Lê o elemento de um tag bloco PLC.elm000. verificando a documentação do bloco. conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário.Escreve os valores atuais do bloco ao PLC imediatamente. * Lê o valor do servidor OPC. Retorna 1 (um) se lido. verifica se suportar o elemento do bloco escrever. Exemplo: Block1.WriteEx(12) :$ . Usa o bloco para escreve o serviço do elemento do I/O. Ela pode seriamente degradar o desempenho da aplicação. e 0. se falhar. e 0 (zero) se falhar. + ! Escreve o valor diretamente ao I/O. ou 0 (zero) se falhar. 2!. Atenção: Esta é uma função síncrona. . sem atribuí-lo ao Elemento de Bloco. . :$ . . Ela pode seriamente degradar o desempenho da aplicação. Escreve o valor atual do elemento do bloco ao PLC imediatamente. 252 Scripts . . espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução.

3 Esconde (fecha) uma tela. 1 5 > Retorna a coordenada X atual do mouse. retorna 1 se for bem sucedido. Atenção: esta é uma função síncrona. Scripts 253 . verifica a documentação do driver se suportar o Tag ler. 0 se falhar. Usa o Tag escreve o serviço do driver I/O. + ! Escreve o valor para o driver I/O. 1 5 4 Retorna a coordenada Y atual do mouse. Usa o Tag leu o serviço do driver do I/O. . + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Tela. 2!. conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário. * Lê o Tag o PLC imediatamente. B65 :$ ! 2 ! Mostra uma tela dando o foco para ela. especificando as informações para o tag.Manual do Usuário :$ . Ela pode seriamente degradar o desempenho da aplicação. espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução. verifica a documentação do driver se suportar o Tag escrever. conseqüentemente deve ser usada quando for absolutamente necessário. Esta função é usada para especificar as informações de varredura (scan) do tag. Escreve o valor atual do Tag no PLC imediatamente. Ela pode seriamente degradar o desempenho da aplicação. Atenção: esta é uma função síncrona. Retorna 1 se a escrita for bem sucedida e 0 se falhar. . espera até que a operação lida esteja terminada antes de retornar a execução.

255. 3 & Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o objeto tem o foco de teclado ou falso (zero) se não tem.foregroundColor = RGB(255.Envia caracteres [Tab] para a aplicação de modo a mudar o foco do teclado entre os objetos de tela.HasFocus() Botao.$ & 34 # 2 ! Coloca o objeto no primeiro plano da tela (na frente dos demais objetos).0) ENDIF 3 5 Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o objeto está com o mouse capturado ou falso (zero) se não está. B66 :$ :$ . Exemplo: 254 Scripts . valores negativos simulam a combinação de teclas [Shift]+[Tab]./ simulam a tecla [Tab]. Valores positivos de .SendTab(4) $/ Mostra uma tela. Exemplo: Screen1. Exemplo: // Muda a cor de Botao se ele tem o foco do teclado IF Botao. + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do objeto. A tela não recebe o foco quando mostrada.

ou seja.255. Scripts 255 .HasMouseCapture() ReleaseMouseCapture() tag1 = Botao. não é válida para os objetos Tendência e Barra. 5 Captura o mouse para o objeto que chama a função.IsMouseInside( ) Botao. & Define o foco de teclado para o objeto. IF Quadrado.SetMouseCapture() tag1 = Botao. Retorna verdadeiro (diferente de zero) ) se o Tag foi adicionado com sucesso ou falso (zero) se não foi. Esta função somente pode ser usada para objetos com apenas um único Tag.IsMouseInside() Quadrado.MoveTo(0. // ele é movido para o canto esquerdo superior da tela.foregroundColor = RGB(255. Associa um novo Tag ( " ao objeto. Exemplo: // Muda a cor de Botao se ele tem o mouse sobre ele IF Botao.0) ENDIF 5 ! #% Move um objeto para as coordenadas B e M especificadas. Exemplo: // Nesse exemplo. Se "é um string vazio (" ").HasMouseCapture() 85 8 // retorna 1 // retorna 0 Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o mouse está sobre o objeto ou falso (zero) se não está. então o Tag associado é removido do objeto. quando o mouse passar por cima do objeto.0) ENDIF 2 Coloca o objeto no último plano da tela (atrás dos demais objetos). Todas as mensagens de mouse serão direcionadas a este objeto até que a função global ReleaseMouseCapture( ) seja chamada.Manual do Usuário Botao.

1 se a zona é permitida Retorna a cor de primeiro plano (texto) da zona Retorna a cor de fundo da zona Retorna a menor prioridade para a zona Retorna a maior prioridade para a zona é o Exemplos: // Ajusta a cor da zona 0 para branco se está habilitada IF Alarm. RGB(255.:$ 2 34 # !.GetColorZoneInfo("CheckValue". Envia um sinal de reconhecimento (ACK) para todas as mensagens de alarme selecionadas no objeto.SetColorZoneInfo("ForeColor". ( ' pode ser um dos seguintes campos: MODO (R . DESCRIÇÃO Retorna 0 se a zona está desabilitada. 1 ou 2).255)) ENDIF = 80 #6 #! Modifica o valor de um campo de uma zona de alarmes não-reconhecidos.AckSelection() IF nAcks > 0 MessageBox(Str(nAcks) + " message(s) acknowledged!") ELSE MessageBox("No messages acknowledged!") ENDIF 1 = 80 #6 Retorna informações sobre uma zona de alarmes não-reconhecidos. 256 Scripts . # e ( ' têm o mesmo significado que em T 8 (). # número da zona (0. Retorna o número de mensagens reconhecidas. é o novo valor a ser atribuído ao campo. 0. ( . (R . Exemplo: DIM nAcks nAcks = Alarm1. 0) Alarm.255.

sendo a primeira. . Se o AVI estiver configurado para tocar ao contrário. a segunda. um.Manual do Usuário :$ + 34 # Move a posição do filme para o final. dois. identificada com o número zero. Se o atributo timeFormat do AVI for 1. B usado nas funções abaixo é o número que identifica a barra no gráfico de barras. 3 Move a posição do filme para o início. Scripts 257 . Se o atributo do AVI for 1. O filme será pausado depois da chamada da função. 7 8 Pausa o filme na posição atual. Se for especificado. Se nTo for especificado. 0 Move a posição do filme 8 / quadros para frente. :$ ! 9! ! O parâmetro . estes parâmetros serão ignorados e o filme vai ser tocado por inteiro. a posição será movida para trás. o início será a partir do quadro . então o parâmetro 8 / será interpretado como milisegundos. então os parâmetros nFrom e nTo serão interpretados como milisegundos. a reprodução será até o quadro . 7 8 Pára a reprodução do filme e fecha o arquivo.% 7 8 & # "" Abre um arquivo AVI e inicia a execução do avi. e assim por diante. ( 7 8 Abre um arquivo AVI sem iniciar a reprodução. a terceira. Se 8 / for negativo.

HiHi. Exemplo: // Habilita a zona HiHi // se tag1.$ 2 $ 2 / $ 2 $ 3 $ 2 3 3 8 8 8 8 # + # + # + # + Estas funções habilitam ou desabilitam uma zona em um Bar Gauge. 258 Scripts . 1 8 / 8 8 8 8 1 1 * 1 3 $ 1 33 Retorna a cor da zona específica em um Bar Gauge.verify) 1 1 1 1 $ 2 $ 2 / $ 2 $ 3 $ 2 3 3 8 8 8 8 Estas funções retornam 1 se a zona correspondente estiver habilitada em um Bar Gauge. tag1. 1 1 / 1 3 $ 1 33 Retorna o limite da zona específica em um Bar Gauge.HiHi.CheckHiHiLimit(2.verify for verdadeiro. Bar1.

0. :$ 1 & 9 ' Retorna o valor do campo indicado por 4 ' na linha atual (apontada por ( ). é feita uma configuração diferente. DIM index FOR index = 1 to 4 Bar1. Exemplo: // Este exemplo muda a cor das barras 1 a 4 para vermelho // no gráfico de barras Bar1. . . RGB(255. Se chamada no script 4 @& @(). #@ . . Define um intervalo de registros a ser carregado no Browser. Para um Bar Gauge.0) ) NEXT 8 / * 3 $ 33 8 8 8 8 # # # # # 8 8 # Ajusta a cor de uma zona específica em um Bar Gauge. retorna o valor do campo na linha que vai ser desenhada.SetIndexBarColor(index. 8 / 3 $ 33 8 8 8 #! #! #! #! Ajusta o limite de uma zona específica em um Bar Gauge. Scripts 259 .Manual do Usuário Ajusta a cor de um gráfico de barra normal.

/ . Se T for 0 o texto de todas as zonas é 34 # 2 D ! Adiciona um novo valor a todas as penas da Tendência. A % Atualiza a consulta do Browser. segundo a consulta especificada. Exemplo: // Apaga todos os dados da tendência Fornos Fornos. renovando os valores das linhas mostradas.Temp1.ClearData() 3 ' Carrega dados do histórico relacionado à tendência. 260 Scripts . :$ ' para Text./ Permite ajustar a cor do texto da linha que vai ser desenhada. ' Apaga os dados da tendência ou somente de uma pena da tendência. :$ - Pausa a reprodução do video.ClearData() // Apaga só os dados da pena Temp1 da tendência Fornos Fornos. . Funções de Objetos Texto = = # Muda o texto da zona T modificado. fazendo com que os novos dados adicionados não estejam conectados com os pontos que já estavam na pena.Permite ajustar a cor de fundo da linha que vai ser desenhada. 2 - Quebra a pena.

$ ! # Grava o quadro (frame) atual de um vídeo em um arquivo com o nome e caminho .AckAllAlarms() 3 ' Apaga todas as mensagens de alarmes e também limpa o arquivo de log de alarmes. a função não adiciona-a. Se # não for especificado. 1 = 80 #6 Retorna informações a respeito de uma mensagem de alarmes. O parâmetro ( ' é o nome do campo que se deseja saber o conteúdo.AckAllAlarms(Heat1) // Reconhece tudo Alarms. O nome do arquivo deverá ter a extensão incluída. Formato BMP. Pára a reprodução do vídeo. " Reconhece todos os alarmes pertencentes ao tag tagName. todos os alarmes de todos os tag do alarme serão reconhecidos.% Liga a reprodução do video. sem nenhuma conversão. Formato JPEG. Os valores possíveis são: Scripts 261 . ' designa o tipo de arquivo e pode ser: TIPO < 5 3 2 DESCRIÇÃO Arquivo “RAW” (salva o quadro atual no disco. Se tagName não for especificado. a função retorna informações sobre a última mensagem criada no grupo de alarmes. Exemplo: // Reconhece todas as mensagens para o tag Heat1 Alarms. Formato GIF (limitado a uma paleta de 256 cores). B68 :$ 2 * !.Manual do Usuário .

Isto é. a saber: “ALM” para mensagem de alarme e “RTN” para mensagens de retorno. com pelo menos. Se não há mais mensagens de alarmes ativos. O handle retornado pode ser usado na função + /. a função retorna -1. E Retorna o nome do tag associado à mensagem de alarme. % / É possível usar abreviações para os nomes dos campos. Retorna um string com o estado do alarme.01. dois caracteres. “RET”) Retorna o valor do alarme. Retorna o tipo de evento. “HIGH”. M Retorna um inteiro com a prioridade da mensagem de alarme. Retorna um inteiro com o limite do alarme. Exemplo: 262 Scripts . 8 (). Exemplo: // Alarms.1970). Retorna um string com o tipo de alarme (“HIHI”. Mensagens de alarmes ativos são mostradas no Alarme Resumido.Valores possíveis CAMPO 4 DESCRIÇÃO Retorna um string com o “Comentário” da mensagem. “LOW”. Retorna um “handle” da mensagem de alarme. retornado pela função $ B +( + E .GetInfo("Handle") ENDIF 1 * ! 3 3 Retorna o handle da próxima mensagem de alarmes ativos. a saber: “ACK” para reconhecido e “UNACK” para não-reconhecido. Retorna o usuário responsável pela mensagem de alarme. Retorna a marcação de tempo (timestamp) do alarme como um valor “datetime” (número de segundos desde 01. o campo “Priority” pode ser abreviado por “PR” e assim por diante. " M' . Este “handle” pode ser armazenado e usado para recuperar as informações sobre o alarme posteriormente. “LOLO”. o campo “Value” pode ser abreviado por “VA”. 4) == "TEMP" lastHandle = Alarms.OnAlarm() script // guarda o handle de alarme das mensagens // de tags que começam "TEMP" IF Left(Alarms.GetInfo("Tagname"). / E pode ser: -1 para buscar o primeiro handle de alarme ativo ou o número do handle anterior.

! & % 8 ' Remove do Alarme Resumido uma mensagem de alarme criada pela função SimulateAlarm com a ID messageID.GetNextActiveAlarmHandle(-1) While hAlarm <> -1 strTagName = Alarms. 4) == "TEMP" nTotal = nTotal + 1 EndIf hAlarm = Alarms.GetInfo("TA". strTagName. Retorna 1 se bem-sucedida. hAlarm) IF Left(strTagName. # # # ! # # * # B # ! # # Cria uma nova mensagem de alarme.Manual do Usuário // conta o número de mensagens de alarmes // de tags que começam "TEMP" // e mostra em uma Caixa de Mensagem (MessageBox) DIM hAlarm. ou 0 caso contrário. Os parâmetros disponíveis nesta função são os seguintes: Scripts 263 .GetNextActiveAlarmHandle(hAlarm) Wend MessageBox("Existem " + Str(nTotal) + " alarmes ativos!") . nTotal nTotal = 0 hAlarm = Alarms.

a mensagem será escrita no registro de alarmes e poderá ser mostrada no objeto Alarme da Tela. a mensagem de alarme será escrita somente no registro de alarmes. Valor do alarme.Parâmetros CAMPO DESCRIÇÃO Identificador da mensagem do alarme. “ALM”. Determina o limite máximo excedido pelo alarme. " P String que contém o nome do tag. que pode ser de 1 até 999 Tipo de mensagem do alarme. Você deve passar o mesmo valor deste parâmetro a função RemoveFromSummary para remover a mensagem do sumário. “HIHI”. Se o valor for 0. String que contém a mensagem de comentário do alarme. este campo é puramente informativo. “UNACK” ou “” ' / $ / 264 Scripts . TimeStamp do alarme. “HIGH”. ' ' Nível de prioridade do alarme. Se o valor for maior que 0. “LOW” or “” Tipo de evento: “EVT”. “ACK”. “LOLO”. que pode ser: “RET”. “RTN” or “” / Determina o estado de reconhecimento do alarme: “ACK”. Caso não exista tag.

RemoveFromSummary(230) Alarms. "RTN". /( ' ._ "Pressure normal".1) * /. "pressure1". Alarms.Manual do Usuário Exemplo: // Este exemplo grava um evento do sistema no registro // de alarmes.110. Exemplo: // tagReceita irá receber o índice da receita escolhida. // O Diálogo será aberto no centro da tela. M. Cria um novo registro no arquivo de Receitas conforme o parâmetro retornando o índice do registro no arquivo. "ALM". " and são opcionais e indicam a posição e o tamanho da janela. GetTime()._ "System". ! < # # ! # " #%" # " # " Abre um diálogo que permite selecionar uma receita a partir de uma lista. "ALM". em uma janela // redimensionável. "UNACK") // Este exemplo simula um alarme High Alarms.ChooseRecipe("Lista de receitas".0. tagReceita = Receitas. "". O parâmetro F é um string a ser mostrado na barra de título do diálogo (coloque " " para uma janela sem título). 10. B.SimulateAlarm(0. se não forem informados. GetTime(). 10. A mensagem não vai para o Alarme Resumido // porque a ID é 0._ "Pressao 1 ALTA".SimulateAlarm(230. "EVT". Scripts 265 . o diálogo é aberto no centro da tela ou na última posição em que foi aberto. "UNACK") // A linha seguinte remove a mensagem simulada do Resumido // e grava uma mensagem de retorno de alarme falsa no // registro de alarmes Alarms. com o título “Lista de Receitas”. " / é o índice da receita a ser selecionada quando o diálogo for aberto (coloque -1 para não selecionar nenhuma). GetTime(). 1. "pressure1". "HIGH". "Comm Error".SimulateAlarm(0. 120. e uma borda permite que seu tamanho seja modificado. 0. 140. retornando seu índice no arquivo. "ACK") B6? $ :$ . 120.

Copia um registro selecionado com os mesmos valores do registro original. %. Carrega uma receita ( do arquivo de Receitas para os respectivos tags relacionados. Retorna o número do registro ou zero caso não encontre nenhum. + . O parâmetro record deve estar entre 1 <= record <= GetRecCount(). Esta função retorna o número de novos registros ou 0 se falhar. Procura por um registro de uma receita que possui o string /( ' na sua descrição. A função retorna True se a receita foi carregada corretamente.ChooseRecipe("Recipes". Abre uma caixa de diálogo para editar um arquivo de Receita. . especificados em ( . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a operação for efetuada com sucesso ou falso (zero) se não for.LoadRecipe(4) 266 Scripts . O parâmetro ( deve estar entre 1 <= ( <= GetRecCount(). + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Receita. 1 . Retorna o número de registros do arquivo de receitas. Exemplo: // Copiando uma receita DIM nRecord nRecord = Recipe1. -1) IF nRecord > 0 Recipe1. Apaga o registro de número " / em uma receita.CopyRecord(nRecord) ENDIF ' . Exemplo: // Carrega o quarto registro de Receitas Receitas. False. ' Retorna a descrição de um registro ( no arquivo de Receitas. & . 1 . se algum erro ocorrer.

O parâmetro M' determina o intervalo de tempo a ser considerado para calcular a média.Manual do Usuário ! . False. B6A :$ % #% #/ H # . respectivamente. O parâmetro " determina a altura da janela da análise histórica. que pode ser o seguinte: Intervalos de tempo VALOR < 5 3 2 7 g Ano Mês Semana Dia Hora Minuto ATRIBUTO O parâmetro / determina o tempo inicial da média. O parâmetro / ( determina o nome do tag que é gravado no histórico. Fecha um arquivo de histórico. . $ #$ $ "" Abre a janela da análise histórica gerando o seu respectivo gráfico. + Edita o registro corrente sem escrevê-lo em disco. ! # % # # " Retorna a média de um conjunto de dados do histórico. O parâmetro (opcional) determina o tempo final da média. Os parâmetros B e M determinam as coordenadas horizontal e vertical da janela da análise. ' # Muda para description a descrição do registro ( no arquivo de Receitas. Scripts 267 . O parâmetro @ determina a largura da janela da análise histórica. Salva o registro ( . o parâmetro M' é ignorado. se algum erro ocorrer. Para escrevê-lo use a função % ' (). Se ele for utilizado. A função retorna True se a receita foi gravada corretamente.

5 ! & Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o primeiro registro. & $ $ - Termina um histórico tipo batelada. 8 ( & ( Verifica se o ponteiro de registros aponta para o início do arquivo de histórico. O registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o ponteiro estiver no início ou falso (zero) se não. Retorna o número do primeiro registro do arquivo de histórico. 1 . 8+ & ( Verifica se o ponteiro de registros aponta para o fim do arquivo de histórico. Retorna o número total de registros do arquivo de histórico. 268 Scripts .+ - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do histórico. 1 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o ponteiro estiver no fim ou falso (zero) se não. 1 Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o registro de índice sem ler o registro. & Retorna o índice do primeiro registro que possui data e hora maior ou igual à especificada em . 5 ! Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico n registros para frente (números positivos) ou para trás (números negativos). O registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico. Retorna a posição atual do ponteiro para o arquivo de histórico. 1 & . 1 . Retorna o número do último registro do arquivo de histórico.

Escreve um registro no arquivo de histórico. % Fecha a janela da análise histórica. . 5 ! . B6B :$ % # % #/ ! 1 $ "" H # . ! $ #$ Abre a janela da análise histórica gerando o seu respectivo gráfico. 5 ! * Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o próximo registro. .! Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o registro anterior. respectivamente. O parâmetro @ determina a largura da janela da análise histórica. Scripts 269 . O registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico. O parâmetro " determina a altura da janela da análise histórica. O registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico. ( Abre um arquivo de histórico. - Executa a análise do SPC. . O registro é lido e seus valores carregados nos respectivos campos do histórico. $ Reinicia a última batelada. Escreve o registro corrente. Os parâmetros B e M determinam as coordenadas horizontal e vertical da janela da análise.Manual do Usuário 5 ! Move o ponteiro de registros do arquivo de histórico para o último registro. $ - Inicia um histórico por batelada.

Os parâmetros opcionais / E ' e / ' indicam os nomes do arquivos com as imagems a serem incluídas no cabeçalho e no rodapé. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Relatório for impresso com sucesso. - . O parâmetro . 270 Scripts . @ // " / indica se o comando deverá mostrar mensagens de erro (1) ou deverá executar em modo "silencioso". especificada através do parâmetro . + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do relatório. B 6 C :$ . / K " // \ 5. margens e fontes do relatório de um arquivo em disco salvo pela função 8" ().$ !# . ' & Ajusta o nome do campo do arquivo histórico que será utlizado nos cálculos do CEP. 0 ! Carrega a configuração da impressora. Esta função juntamente com SetDatField() permite calcular o CEP automaticamente sem ter que abrir as janelas de configuração e gráfico.Reaplica a consulta sobre o arquivo de dados da análise histórica. B6 :$ :$ . carregando novamente os dados na janela da análise. 5 C * D9" Recalcula todos os dados do CEP. % % Executa o CEP (Controle Estatístico de Processos) sobre o arquivo de dados da análise histórica. ou falso (zero) se não for. ou silent mode (0). $ /+ $ 3 5 "# # 3 $ & " "# & "# Imprime o relatório conforme a configuração especificada.

Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o relatório foi impresso com sucesso ou falso (zero) se não foi. É recomendável configurar o filtro antes da impressão e removê-lo depois. O parâmetro / ' é um string contendo o caractere que será utilizado para separar os campos (é opcional e o valor default é " ". Os parâmetros e B especificam um intervalo de valores para a busca. 0. ) como 1 e o atributo ' . !# . Mais de um campo podem ser filtrados e somente os registros que satisfaçam todos os filtros serão incluídos no relatório. um espaço em branco). margens e fontes do relatório em um arquivo. - Abre a janela de configuração (setup) da impressora. ) do Relatório como 1. ( " // habilita (1) ou desabilita (0) mostrar uma barra de progresso enquanto o relatório é impresso (este parâmetro é opcional e o valor default é 0). a função também irá imprimir os dados do cabeçalho da batelada. o stretch no cabeçalho e no rodapé. habilitam . O parâmetro . ou seja. & 2 @# #! 5 #! 5 Filtra o valor de um campo. ( E e .Manual do Usuário respectivamente. Registros que possuem valores fora deste intervalo serão excluídos do relatório. cada um por vez. O parâmetro . Exemplo: Scripts 271 .AddFilter("code". Nenhum cabeçalho é impresso. Já os parâmetros opcionais . 23) & ! # 8 $ "# "# 8 " Imprime os dados de um arquivo Histórico ou de Alarmes para um arquivo texto especificado pelo nome no parâmetro fileName. ) habilita (1) ou desabilita (0) a impressão do cabeçalho (este parâmetro é opcional e o valor default é 0). Quando você seleciona uma Batelada específica para ser impressa com o parâmetro . ' . ' . O parâmetro ( ' é um string especificando o nome do campo numérico a ser filtrado. Exemplo: TextRep1. ! 0 ! ( - Salva a configuração da impressora.

o tamanho da fonte não é alterado. " e especificam a largura e altura do bitmap.filename = "C:\Data\MON12.Query. Exemplo: Query1.BMP.1995.30). Se bShow igual a 0 não mostra a data.:$ ! !* # !.DAT" ReportTxt.BMP.BMP". 320. "-". 20. quando o parâmetro bShow é igual a 1. Exemplo: Trend1. B 6 + :$ & #0 .SaveBitmap("C:\SNAPSHOT. Isto está requerido se você mudar a especificação de fonte para a consulta e a estrutura da especificação for diferente do campo precedente. 1) .13. 1. 50) . 272 Scripts . ! # # # & Grava o gráfico em um arquivo . Se zero.PrintToFile ("turtle.dat". # $# ! . ! & Remove os filtros de todos os campos do relatório. Força o objeto consulta a recarregar a lista de campos.Query.Relatorio.45. 0) $ /' $/ Mostra a data na régua inferior do gráfico.FindTime(MakeTime(2. ! & Remove um filtro de um campo field. Exemplo: ReportTxt. 200. Retorna o número do primeiro registro entre firstReg e lastReg que possue a data e hora maior ou igual a time.3. . /( determina o tamanho da fonte do texto do bitmap. respectivamente. .ReloadStructure() B 6 . de acordo com a fórmula tamanhoDaFonte * (escalaFonte/1000). Se não existirem registros no intervalo especificado com a data maior ou igual a time a função retorna -1.Plotter. O parâmetro + determina o nome (e o caminho) do arquivo .

> * Modifica o tag/campo do eixo x através do parâmetro / $ 4 * . 0 ! Carrega um arquivo. Scripts 273 .Manual do Usuário Determina que o eixo X em um gráfico XY expresse tempo. 87 83 Determina que o eixo Y em um gráfico XY expresse tempo. B 6 5 :$ :$ + - . 1 4 Retorna o nome do tag/campo do eixo y .$ Abre uma janela que permite a edição das propriedades do driver. especificado por ! 0 ! + . Salva a configuração do driver em um arquivo especificado por + . Modifica o tag/campo do eixo y através do parâmetro / $ . :$ 1 > $ J ! !J * ! Retorna o nome do tag/campo do eixo x. com a configuração do driver.

retorna o tipo de comunicação que causou o erro: 0 = nenhum erro.* & 0 Adiciona um filtro de comunicação filter ao Driver. Se param for 1.AddFilter("R. 2 = leitura de um Tag Bloco. Não retorna nenhum valor caso ocorra um erro. retorna os parâmetros N1 a N4 ou B1 a B4 do Tag PLC ou Bloco que causou o erro. . N2/B2. 1 + 80 Retorna informação sobre o último erro. Recarrega o driver do disco.30") // desabilita todas as leituras com N4 ou B4 = 40 Driver1.40") 8 é um string composto por 4 números separados por vírgulas. 1 = leitura de um Tag PLC. A função retorna zero (0) caso ocorra algum erro ou 1 se o filtro foi adicionado com sucesso. correspondendo aos parâmetros N1/B1.. 274 Scripts . param define qual informação será retornada.AddFilter("1. Se param = 0. O primeiro parâmetro pode ser precedido por uma letra como segue: "R" desabilita leituras "W" desabilita escritas “B" desabilita Tags Bloco "T" desabilita Tags PLC Se nenhuma letra for especificada todas as leituras e escritas nos tags PLC e Bloco serão afetadas pelo filtro. 3 = escrita em um Tag PLC.. 2. 4 = escrita em um Tag Bloco. N3/B3. 3 ou 4. N4/B4. Exemplo: // desabilita todas comunicações // com N1 ou B1=1 e N2 ou B2 = 30 Driver1. filter permite desabilitar leitura ou escrita nos Tags PLC ou Bloco que possuam os mesmos parâmetros especificados no filtro.

Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a comunicação foi encerrada com sucesso ou falso (zero) se não foi. Não retorna nenhum valor caso ocorra um erro. O parâmetro 8 deve ser especificado da mesma forma que em + (). ' ! Pára o driver de rede desabilitando qualquer comunicação remota. adicionado com + (). . Inicia a comunicação com o driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a comunicação foi iniciada com sucesso ou falso (zero) se não foi. Encerra a comunicação com o driver. Scripts 275 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver foi carregado com sucesso ou falso (zero) se não foi. ' ! 0 Carrega o driver de rede habilitando a comunicação remota. ! & 0 ! & Remove um filtro de um driver. Remove todos os filtros de um driver. Retorna sempre verdadeiro (diferente de zero) indicando que o driver foi parado com sucesso. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o filtro foi removido com sucesso ou falso (zero) se ele não existir ou for inválido.Manual do Usuário . Abre uma caixa de diálogo para configuração dos parâmetros do driver de rede.

MoveNext()// vai para o próximo wend BD1.CommitTrans()// mesmo que BD1. É necessário preencher todos os campos do registro antes de chamar a função. Exemplo: if (BD1. Retorna verdadeiro se a transação for começada. banco de dados é somente para leitura.AddRecord(1) Inicia uma transação com a database (base de dados). O parâmetro .BeginTrans()// inicia uma transação BD1.EndTrans(1) endif Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a database está disponível para transações ou falso (zero) se não está. Retorna TRUE (diferente de zero) se foi adicionado com sucesso ou FALSE (zero) se algum dos seguintes erros ocorrer: disco cheio. Se o parâmetro estiver em 0 (zero) então o registro adicionado só estará visível após a atualização da consulta. O valor padrão é 1 (um).IsEOF())// se não é o fim do arquivo BD1.% ' Q M indica se a consulta (query) deve ser atualizada depois de adicionarse o registro. !# !3! A % Adiciona um novo registro na database. Fecha uma conexão ODBC.Valor = tag003 Table1. Esta operação libera o banco de dados para operações externas.B 6 6 :$ .CanTransact()) BD1. uma chave primária com um valor já existente ou não foram feitas modificações na database. Exemplo: veja em BeginTrans(). como por exemplo. falso se falhar ou se as transações da sustentação da base de dados não forem localizadas.DeleteRecord()// apaga um registro BD1. Exemplos: Table1.GotoRecord(0)// vai para o início while (not BD1. 276 Scripts . fazer um backup da database que está sendo usada pelo Elipse ou mudar algum parâmetro de conexão.ID = tag002 Table1.

atualmente. Estas duas funções estão obsoletas e são mantidas para permitir compatibilidade com versões anteriores do software. Exemplo: veja em BeginTrans(). " /(). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o registro foi removido ou falso (zero) se algum dos seguintes erros ocorrer: o banco de dados é somente para leitura. (Apenas em DAO. Se é um (1) é chamada a função CommitTrans() se é zero (0) é chamada a função RollBack(). Se bMoveFirst for 1 a busca partirá do primeiro registro. uma vez estando sobre os mesmos. ou seja. caso um único registro duplicado seja apagado. strCondition é uma expressão de texto usada encontrar o registro (como cláusula Where em uma indicação do SQL sem a palavra Where).Manual do Usuário Termina uma transação salvando todos os novos dados. Exemplo: veja em ' . + Encerra uma transação conforme o parâmetro n. & # 5 ! & D: " Procura o primeiro registro da condição strCondition. o ponteiro de registros está apontando para a marca de início de arquivo (BOF).) Scripts 277 . Apaga o registro corrente do Banco de Dados. que possuam os mesmos dados. Para escrevê-lo use a função Update(). deve-se apenas modificar os valores dos campos. Edita o registro corrente sem escrevê-lo em disco. + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades do Banco de Dados. se bMoveFirst for 0 (opção) a busca partirá do registro atual. Para editar um registro. o ponteiro de registros está apontando para a marca de fim de arquivo (EOF). Exemplo: veja o exemplo em BeginTrans(). Esta função apaga todos os registros duplicados. + .

* Retorna o número do registro no Banco de Dados.) 1 . Nenhuma edição em progresso.DB.DSN=C:\Data. Exemplo: // Obtém o string ODBC da conexão de BD1 strConexao = BD1. O registro está sendo modificado. (Apenas em ODBC. Exemplo: strDSN = Table1. O primeiro registro é o número zero. A string da conexão é uma seqüência dos parâmetros e dos valores de parâmetro como no ODBC.) 278 Scripts . (Apenas em DAO. 1 ( ' - Retornam o valor do parâmetro / da string da conexão ODBC.Timeout=500.GetConnectionString() 1 + 5 1 Retornam o estado da edição para o registro atual. O registro está sendo adicionado. 1 * Obtém o nome da tabela do Banco de Dados.DSN.) Pode ser um dos seguintes valores: VALOR ?5 < 5 3 1 + ATRIBUTO A tabela não está conectada (fechada).GetODBCParameter(.Obtém o string de conexão usado pelo driver ODBC. Retorna a última mensagem de erro ocorrida durante uma transação com o Banco de Dados.

GetTotalNumberOfRecords() 1 . Exemplo: // Retorna o número total de registros.Manual do Usuário Retorna o número total de registros no Banco de Dados conforme a Consulta especificada na função SQLQuery(). 1 * (. Exemplo: // Localiza o primeiro registro que atenda a expressão // a partir do registro atual Database1. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma marca de fim de arquivo EOF. ( = 0). // pois não tem um consulta definida. conforme a Consulta especificada. 0) Scripts 279 . O parâmetro .Locate("temp = tag001 * tag002". Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está ou falso (zero) se não está. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está ou falso (zero) se não está. uma vez que o primeiro // registro tem sempre índice 0 (zero) Database1. 8+ & ( Verifica se o ponteiro de registros está no final do arquivo. " ") TagRam = BD1. * F é um valor booleano que define se a ( procura deve começar a partir do primeiro registro do banco de dados (. 0 Move o ponteiro de registros para o registro .SQLQuery(" ".GotoRecord(12) 8 ( & Verifica se o ponteiro de registros está no início do arquivo. BD1. # 5 ! 8< " Procura pelo próximo registro que atenda à expressão informada no parâmetro string / ) . registro. Exemplo: // vai para o 13o. ( = 1) ou do registro atual (. Exemplo: veja em BeginTrans().

280 Scripts .Move o ponteiro do banco de dados n registros para frente relativos a posição atual do ponteiro. Deve ser usada somente após uma função CloseConnection() já ter sido usada. registro. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a operação obteve sucesso ou falso (zero) se não. . uma vez que // o primeiro registro tem sempre índice 0 (zero) Database1. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma marca de fim de arquivo EOF. registro) Database1. % Atualiza o Banco de Dados. É útil quando mais de um usuário está usando o BD.Move(1) // Volta dois registros (10o. ( Reabre uma conexão ODBC. registro) Database1.! Move o ponteiro de registros para o registro anterior. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se não foi. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se não foi.GotoRecord(10) // Posiciona o ponteiro no próximo registro (12o. 5 ! .Move(-2) 5 ! & 5 ! Move o ponteiro de registros para o primeiro registro do banco de dados. Esta função não é necessária quando você está usando a função Update(1). uma vez que os bancos de dados usados no Elipse SCADA são abertos juntamente com a aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma marca de fim de arquivo EOF. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a movimentação foi feita com sucesso ou falso (zero) se for achado uma marca de início de arquivo BOF. Exemplo: // Posiciona o ponteiro no 11o. 5 ! Move o ponteiro de registros para o último registro do banco de dados. 5 ! * Move o ponteiro de registros para o próximo registro. já que esta própria função atualiza o BD.

SetODBCParameter("DBQ". Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as ações foram desfeitas com sucesso ou falso (zero) se não. Exemplo: // muda a string de conexão ODBC para usar o banco // de dados Access de nome Suporte que se encontra // no raiz do disco C: Database1. Desfaz todas as ações feitas durante uma transação. que pode ser ascendente (default) ou descendente.mdb") Database1.CloseConnection() Table1. conforme os parâmetros e . IN. Exemplo: Table1. BETWEEN. <> (diferente). : Define uma ordem para a pesquisa no Banco de Dados conforme o campo especificado. !< (não menor do que). <. IS NOT NULL. >. LIKE (semelhante ou igual). "C:\suporte. AND.OpenConnection() AA % & #( - Define um filtro a ser usado na consulta ao Banco de Dados. em ordem ascendente Database1. Para usar este parâmetro você precisa especificar um valor ou expressão a ser usado para pesquisa de um campo específico. OR.SetTableName("Producao") Table1. Este campo é opcional.CloseConnection() Database1. !> (não maior do que).Manual do Usuário . >=."nome") Scripts 281 . Quando não existe um filtro específico para o parâmetro 6 você deve entrar com um string vazio. Exemplos: // Procura todos os registros que possuem // "Maria" no campo nome. Os operadores aceitos em expressões neste parâmetro são: =.OpenConnection() * Define um novo nome para a tabela corrente. : Define um filtro a ser usado na consulta ao Banco de Dados conforme os campos e as opções do usuário.SQLQuery("nome = 'Maria'". IS NULL. NOT. <=. ( ' #! 2 Muda um parâmetro dentro do string de conexão ODBC.

Note que as aspas do string // podem ser duplas ou simples. O parâmetro . Manoela. Database1.SQLQuery("opcional IS NULL". Se este parâmetro for 1.& ( / determina se deve ser feita uma consulta após atualização dos registros.SQLQuery("name LIKE 'ma%'") // Procura todos os registros que possuem no // campo vendas um número entre 40000 e 100000. Mario. // Por exemplo: Maria. Atualiza as mudanças feitas no registro. Database1. Ambos os filtros // devem ser satisfeitos.SQLQuery("vendas BETWEEN 40000 AND 100000") // Procura todos os registros que possuem no // campo opcional um espaço em branco. a consulta é feita e os registros são atualizados e se for 0. Database1. 282 Scripts . Marcelo… Database1.SQLQuery("name > 'Mary' AND salary > 1000") // Você pode usar o valor de um Tag para criar // um string usando a concatenação. os registros adicionados só estarão visíveis após a atualização da consulta. ordenado em // ordem descendente pelo campo nome.SQLQuery("name = '"+TagRam1+"'") // Procura todos os registros que possuem no // campo name um string que começa por 'ma'. Database1."nome DESC") // Faz a consulta por data Database1.SQLQuery(" ") // Procura todos os registros que possuem no // campo name um string maior que 'Mary' e no campo // salary um número maior que 1000. Database1. Esta função está obsoleta e foi mantida para permitir compatibilidade com versões anteriores do software.SQLQuery("Date = #08/03/2004#") . as gravações no banco de dados são feitas automaticamente quando necessárias. Atualmente.// Nenhum filtro.

. a configuração da Salva a configuração da Aplicação Remota em um arquivo.Manual do Usuário B 6 8 :$ 0 ! . - e faz uma cópia deste para Scripts 283 . 1 & ! & # & Obtém um arquivo do servidor com o nome / um arquivo local com nome ( . Estabelece conexão com a Aplicação Remota. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a conexão foi estabelecida com sucesso ou falso (zero) se não. + - Abre uma janela que permite a edição das propriedades da Aplicação Remota. :$ !! 0$ . # Aborta uma transferência de arquivo que esteja em andamento. # ! Abre uma caixa de diálogo do driver para configuração dos parâmetros da Aplicação Remota. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a conexão foi encerrada com sucesso ou falso (zero) se não. 0 ! Carrega de um arquivo. ' Encerra a conexão com a Aplicação Remota. especificado por + . especificado por Aplicação Remota. ! 0 ! ) + .

Porém. H day: Um inteiro contendo o dia do sistema. 284 Scripts . use a função " Gque é atualizada sempre que é chamada. Cada atributo tem um tipo associado representado por seu ícone conforme segue: Atributo numérico Atributo string (texto) Atributo booleano (verdadeiro/falso. Neste caso. usado internamente pelo Elipse SCADA. deve-se ter cuidado ao modificar qualquer um destes atributos já que eles podem mudar a funcionalidade de um Script ou de um objeto. Não deve ser usado como contador de tempo em scripts pois não é atualizado durante a execução de scripts. Normalmente existe uma janela onde você pode modificar os atributos de um objeto.B8 # 3$# Atributos são dados associados a um objeto que determinam suas características e a maneira com que ele irá se comportar. É atualizado uma vez por segundo. currentTime: Um inteiro sem sinal (somente leitura) contendo a data e hora atual do sistema para ser utilizado em expressões ou em displays com formato data/hora. As seções a seguir irão descrever os seguintes atributos: Atributos Globais Atributos da Aplicação Atributos dos Tags Atributos da Tela Atributos do Alarme Atributo de Usuários Atributo de Watcher Atributo de OPCServer Atributos da Receita Atributos do Histórico Atributos do Relatório Atributos do Driver Atributos de Databases Atributo de Aplicação Remota Atributo de Steeplechase B8 # 3$# < ! < 3! Estes atributos são atributos Globais do Elipse SCADA e podem ser modificados de qualquer ponto da aplicação. true/false Atributo de sistema.

centerWindow: Um atributo booleano usado para habilitar a centralização da janela da aplicação. 5 . closeButton: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o botão de close esteja habilitado na janela da aplicação. lasterror: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura) contendo o código do último erro ocorrido em operações com arquivos ou diretórios. 2 . que pode variar de 0 a 1000.Quinta.Segunda. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está. second: Um inteiro contendo os segundos do sistema. um clique do mouse no botão / ou o comando @ do Windows. hour: Um inteiro contendo a hora do sistema. 7 . B8+ # 3$# ! ! % allowClose: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o aplicativo possa ser fechado por outros meios que não a função '& "H G como por exemplo. exclusive: Um atributo booleano determinando que o Elipse SCADA possua exclusividade para uso da CPU. description: Um string contendo uma breve descrição sobre a aplicação. performanceCount: Indica a performance da aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está. Scripts 285 .Sexta. 3 . 6 . lasterrorstr: Um string contendo a descrição do último erro ocorrido em operações com arquivos ou diretórios. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Elipse SCADA é exclusivo ou falso (zero) se não é. no início da sua execução. usado como identificador para o mesmo. month: Um inteiro contendo o mês do sistema.Sábado. O valor 0 determina que a aplicação está carregada e 1000 determina que a aplicação está com folga de processamento. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o objeto global. Retorna True (sem zero) se a centralização da janela for habillitada e false (zero) caso contrário.Manual do Usuário dayofweek: um inteiro sem sinal de 1 to 7 (somente leitura) contendo o número do dia da semana corrente.Terça. name: Um string contendo o nome do objeto global.Domingo. 4 Quarta. year: Um inteiro contendo o ano do sistema. conforme segue: 1 . minute: Um inteiro contendo os minutos do sistema.

g.g.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255. em pixels. keyPadBackColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Key Pad (Teclado em Tela). keyPadX: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo da janela do Key Pad. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 480 pixels.g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g.b) onde cada componente (r.g. keyPadTitleBar: Atributo booleano. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. keyPadHeight: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da janela do Key Pad. isNormal: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está normalizada ou não. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da janela. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo 286 Scripts . É usado juntamente com o atributo KeyPadWidth para definir o tamanho da janela.b) pode variar de 0 a 255. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Key Pad é visível ou falso (zero) se não é. isMaximized: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está maximizada ou não. keyPadTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto das teclas do Key Pad (Teclado em Tela). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está minimizada ou falso (zero) se não está. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 480 pixels. indica se o Key Pad terá barra de título (um. isMinimized: Um atributo booleano determinando se a janela da aplicação está minimizada ou não. em pixels. keyPadKeyColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor das teclas do Key Pad (Teclado em Tela).height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da janela da Aplicação. Por exemplo. em pixels. Por exemplo. keyPadVisible: Um atributo booleano determinando que o Key Pad seja visível.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está normalizada ou falso (zero) se não está. default) ou não (zero).b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela está maximizada ou falso (zero) se não está.

noMousePointer: Um atributo booleano usado para desabilitar (esconder) o ponteiro do mouse em tempo de execução (quando executando uma aplicação). se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 640 pixels. default) ou não (valor zero). Por exemplo. numPadCloseButton: Atributo booleano. etc. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está. em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o screen saver está desabilitado ou falso (zero) se não está. para facilitar o uso do Touch Screen. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o mouse está desabilitado ou falso (zero) se não está. Análise Histórica. keyPadWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da janela do Key Pad. É usado juntamente com o atributo KeyPadHeight para definir o tamanho da janela. Por exemplo. default) ou não (zero). usado como identificador para a mesma. minimizeButton: Um atributo booleano (somente leitura) determinando que o botão minimizar esteja habilitado na janela da aplicação. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da janela. keyPadY: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo da janela do Key Pad. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. numPadTitleBar: Atributo booleano. name: Um string contendo o nome da aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está. noScreenSaver: Um atributo booleano usado para desabilitar o screen saver em tempo de execução (quando executando uma aplicação). Por exemplo. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. em pixels.Manual do Usuário da janela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os botões grandes estão habilitados ou falso (zero) se não estão. indica se o Numeric Pad terá barra de título (um. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada Y pode variar de 0 a 480 pixels. maximizeButton: Um atributo booleano(somente leitura) determinando que o botão maximizar esteja habilitado na janela da aplicação. indica se o botão para fechar o NumPad deverá ser apresentado (valor um. Scripts 287 . largeButtons: Um atributo booleano habilitando botões grandes no Organizer.

em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o salvamento está habilitado ou falso (zero) se não está. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia maximizada ou falso (zero) se não. version: Um string (somente leitura) indicando a versão do Elipse que salvou a aplicação por último. numPadTitleBarText: Atributo string. permite indicar um texto para a barra de título do Key Pad (vazio. por default). Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se 288 Scripts . Não são permitidas modificações por parte de usuários. titleBar: Um atributo booleano determinando que a Barra de Título seja mostrada na janela da aplicação. É automaticamente incrementado cada vez que a aplicação é salva. startMinimized: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação inicie minimizada. permite indicar um texto para a barra de título do Numeric Pad (vazio. revision: Um inteiro sem sinal (somente leitura) indicando o número de revisão da aplicação. por default). startScreen: Somente para uso do Elipse SCADA. userName: Um string (somente leitura) contendo o usuário corrente logado na aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia normalizada ou falso (zero) se não. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da janela. useKeyPad: Um atributo booleano habilitando o uso do KeyPad (Teclado em tela) em tempo de execução. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo da janela da Aplicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Barra de Título é mostrada ou falso (zero) se não é.numPadTitleBarText: Atributo string. userLogin: Um string (somente leitura) contendo o nome de usuário (login) corrente. userAccessLevel: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura) determinando o nível de acesso do usuário logado na aplicação. startNormal: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação inicie normalizada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o KeyPad está habilitado ou falso (zero) se não está. startMaximized: Um atributo booleano determinando que a janela da aplicação inicie maximizada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a aplicação inicia minimizada ou falso (zero) se não. saveKeyPadCoord: Um atributo booleano determinando que as coordenadas e o tamanho da janela do KeyPad (Teclado em tela) seja salvo para carregar na próxima abertura do mesmo.

se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels. em pixels. LoLo) para ativar (ou gerar) o alarme correspondente. somente leitura) Usado para indicar se o item está em advise. 2. 3. em pixels. enableAlternateName: (booleano) Habilita utilizar um nome alternativo (indicado no atributo $ ) para o registro (log) de alarmes do tag. LoLo. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro width pode variar de 0 a 640 pixels. Se 4 M for modificado em tempo de execução. B8- # 3$# # 3$# . Lo. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo da janela da Aplicação. apenas leitura) Indica o estado de alarme atual do tag. Por exemplo. delayedAlarm: (booleano) Se TRUE. o tag deve permanecer um tempo mínimo (especificado em 4 M) em uma mesma condição de alarme (Hi. sem alarme. alwaysInAdvise: (boolean) Permite forçar um tag estar em advise (ver atributo / ). Este atributo só é válido se o atributo M + for True (ver atributo M + ). se os objetos associados ao tag são “informados” sempre que o valor do tag mudar.$ 2!. 1. alarmDelay: (inteiro sem sinal) É o tempo mínimo (em milisegundos) que o tag deve permanecer em uma mesma condição de alarme antes deste tornar-se ativo. Scripts 289 . conforme segue: 0. Por exemplo. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da janela. isto é. o contador de tempo é reiniciado. alternateName: (string) Nome alternativo do tag para ser usado no registro (log) de alarmes do Tag. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da janela da Aplicação. description: (string) Contém uma breve descrição sobre o tag. HiHi. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da janela. currentAlarm: (inteiro sem sinal. HiHi. advised: (booleano. Low.Manual do Usuário tenha uma janela sem scroll bar. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. High e 4.

Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scan está habilitado ou falso (zero) se não está. high2: Um número real configurando o limite superior do sistema. é usado como um identificador do Driver. timeStamp: (real. high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. # 3$# 2!. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita automática está habilitada ou falso (zero) se não está. Deve ser usado em conjunto com o atributo enableScan devendo ambos estarem marcados ou desmarcados. enableScan: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura do PLC. apenas leitura) que indica o número de alarmes ativos nos tags e subgrupos do grupo. name: (string) Contém o nome do tag. Ele é usado junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação. autoWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita automática no PLC. Deve ser usado em conjunto com o atributo autoRead devendo ambos estarem marcados ou desmarcados. returnMessage: (string) Contém a mensagem de retorno de alarme para o tag. Ele é usado junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação. driverName: Um string contendo o nome do Driver do PLC conectado ao sistema. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura automática está habilitada ou falso (zero) se não está. Ele é usado junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação. totalAlarms: (inteiro sem sinal. Ele é usado junto com o atributo high1 para definir um intervalo de variação. # 3$# < $ 2!. * autoRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura automática do PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o log está habilitado ou falso (zero) se não está. usado como identificador do tag. low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. n1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N1 conforme a documentação do Driver. 290 Scripts .enableReturnLog: (booleano) Usado para habilitar o log da mensagem de retorno do alarme. somente leitura) Contém a última data e hora em que o valor do tag foi modificado.

n3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N3 conforme a documentação do Driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada ou falso (zero) se não está. em uma conexão com o Excel este atributo Scripts 291 . # 3$# 2!. nFailReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de leituras incorretas. low2 e high2. É usado como identificador dos dados. nFailWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de escritas incorretas. high1. nOKReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de leituras feitas com sucesso. high2: Um número real configurando o limite superior do sistema. realScan: Um número real (somente leitura) indicando o tempo real de scan em que o Elipse está conseguindo ler o Tag. É usado como identificador do computador em uma rede e pode ser mudado em tempo de execução. "Idle" (fazendo nada). Em uma conexão entre dois Elipse SCADA este atributo pode ser um Tag. item: Um string contendo o nome dos dados a serem monitorados pelo Tag DDE. scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o PLC e o sistema. Com este atributo habilitado você pode configurar os atributos low1. Ele é usado junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação. scanTime: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o intervalo de tempo entre duas leituras. n4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N4 conforme a documentação do Driver.Manual do Usuário n2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro N2 conforme a documentação do Driver. Ele é usado junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação. nOKWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de escritas feitas com sucesso. high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. "Writing" (escrevendo). computer: Um string contendo o nome do computador a ser conectado usando DDE. status: Um string (somente leitura) contendo o estado atual de comunicação do Tag: "Reading" (lendo).

Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a simulação de dados está habilitada ou falso (zero) se não está. high1. delay: Um inteiro configurando o número de períodos entre cada geração de valor para o tag demo. A variação é descrita por uma curva e pode ter os seguintes tipos: 292 Scripts . A fórmula que exprime a frequência de modificação do tag demo é ' ` M. lowLimit: Um número real configurando o limite baixo do tag demo. É usado junto com o atributo @ para definir o intervalo de variação do Tag. period: Um inteiro configurando o intervalo em milisegundos entre a geração de cada novo valor para o tag demo. Você pode mudar este atributo em tempo de execução. scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o PLC e o sistema. # 3$# 2!. e assim por diante. increment: Um número real determinando o incremento a ser adicionado aos dados conforme a frequência de tempo especificada em ' . que está executando o Elipse SCADA cujo nome DDE é ELIPSE$. Por exemplo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada ou falso (zero) se não está. Ele é usado junto com o atributo high1 para definir um intervalo de variação.deve ser declarado como RxCy onde x é a linha e y a coluna de uma célula específica. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar a simulação de dados do tag demo enquanto o tag está ativo. Ele é usado junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação. É usado junto com o atributo M para controlar o intervalo de tempo para a variação dos dados. topic: Um string contendo o nome da janela ou área de trabalho a ser conectada usando DDE. low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. server: Um string contendo o nome da aplicação a ser conectada usando DDE. low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. É usado junto com o atributo ' para controlar o intervalo de tempo para a variação dos dados. É usado como identificador de uma área de trabalho no servidor da aplicação. se for 2. Com este atributo habilitado você pode configurar os atributos low1. Por exemplo. type: Um inteiro configurando o tipo de variação do tag demo. highLimit: Um número real configurando o limite alto do tag demo. você deseja criar uma conexão DDE no computador Elipse_Software. se for 1 um valor é gerado a cada período. low2 e high2. gera um valor a cada dois períodos. É usado como um identificador da aplicação no computador especificado para a conexão. . É usado junto com o atributo " para definir o intervalo de variação do Tag.

Deve ser usado em conjunto com o atributo enableScan devendo ambos estarem marcados ou desmarcados. 9 autoRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura automática do PLC. b2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B2 conforme a documentação do Driver. Scripts 293 . driverName: um string contendo o nome do Driver do PLC conectado ao sistema. b1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B1 conforme a documentação do Driver. b3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B3 conforme a documentação do Driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura automática está habilitada ou falso (zero) se não está. b4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro B4 conforme a documentação do Driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita automática está habilitada ou falso (zero) se não está. 4 " 5 & ' 4 /( Um gráfico tipo dente de serra onde os dados variam de um limite mais baixo para um mais alto Um gráfico tipo dente de serra onde os dados variam entre dois limites Um gráfico tipo dente de serra onde os dados variam de um limite mais alto para um mais baixo Dados variando conforme uma função seno Dados alternam entre dois valores VALOR 0 DESCRIÇÃO Dados variando randomicamente # 3$# 2!. Deve ser usado em conjunto com o atributo autoRead devendo ambos estarem marcados ou desmarcados. é usado como um identificador do Driver. enableScan: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura do PLC.Manual do Usuário Tipos de variação NOME & S ( 1 2 Q 3 & ' . autoWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita automática no PLC. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scan está habilitado ou falso (zero) se não está.

nFailReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de leituras incorretas. nOKReads: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de leituras feitas com sucesso. high1.1) determinando o índice (iniciando em zero) do elemento no bloco. !# 7 nColumns: Um inteiro sem sinal configurando o número de colunas do Tag Matriz. Ele é usado junto com o atributo high2 para definir um intervalo de variação. Com este atributo habilitado você pode configurar os atributos low1. # 2!. 9 high1: Um número real configurando o limite superior do PLC. # 3$# 2!. scaling: Um atributo booleano usado para habilitar escalas de valores entre o PLC e o sistema. "Writing" (escrevendo). status: Um string (somente leitura) contendo o estado atual de comunicação do Tag: "Reading" (lendo). Ele é usado junto com o atributo low2 para definir um intervalo de variação. "Idle" (fazendo nada). 294 Scripts . nOKWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de escritas feitas com sucesso. size: Um inteiro determinando o tamanho do bloco a ser monitorado pelo Elipse SCADA. realScan: um número real (somente leitura) indicando o tempo real de scan em que o Elipse está conseguindo ler o Tag. nFailWrites: Um inteiro sem sinal (somente leitura) que indica o número total de escritas incorretas. low2 e high2. index: Um inteiro sem sinal (de 0 ao número total de elementos . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escala está habilitada ou falso (zero) se não está. scanTime: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o intervalo de tempo entre duas leituras. low1: Um número real configurando o limite inferior do PLC. Ele é usado junto com o atributo low1 para definir um intervalo de variação. low2: Um número real configurando o limite inferior do sistema. # 3$# . Ele é usado junto com o atributo high1 para definir um intervalo de variação. high2: Um número real configurando o limite superior do sistema.

permitindo que ela seja modificada em tempo de execução. Um atributo booleano determinando que a uma borda de 1 pixel de largura seja mostrada em volta da tela. Scripts 295 . name: O identificador usado para referência do item. resetAcum: Reseta acumulador quando habilitado (reiniciado) saveAcum: Salva acumulador ao sair.bitmapName = "Leaves. description: Descrição do ítem. # 3$# 2!. @ % expression: (string) Contém a própria expressão do tag. B85 # 3$# !2 ! accessLevel: Um inteiro sem sinal de 0 a 65535 (somente leitura) determinando o nível de acesso da Tela. Exemplo: screen. acum: Valor atual do cronômetro.b) onde cada componente (r.background = RGB(255. initialValue: (string) Contém um valor inicial para o tag e permite que este valor seja modificado em tempo de execução.g. enable: Habilita/Desabilita cronômetro. # 3$# 2!. autoRestart: Reinicia automaticamente ao atingir valor de preset. background: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Tela.0.0) bitmapName: Um string contendo o nome de um bitmap usado como fundo em uma Tela. # 3$# 2!. Exemplo: tela1.Manual do Usuário nRows: Um inteiro sem sinal configurando o número de linhas do Tag Matriz. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g.b) pode variar de 0 a 255.bmp" border: somente para telas janeladas e de tamanho fixo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada (default) ou falso (zero) se não é.

em pixels. fullScreen: Um atributo booleano determinando o tipo da tela (cheia ou janelada). ou não. caso contrário poderá não surtir o efeito desejado. closeButton: Um atributo booleano determinando que o botão de close seja mostrado na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o clipping está habilitado ou falso se não está. name: Um string contendo o nome da Tela.caption: Um atributo booleano determinando que a Barra de Título seja mostrada na Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado ou falso (zero) se não é. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro height pode variar de 0 a 480 pixels. popup: Somente para telas janeladas (fullScreen=0). ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado ou falso (zero) se não é. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão é mostrado ou falso (zero) se não é. do tipo modal (ela deve ser fechada para que o foco passe para outras telas abertas). do tipo popup (ela é automaticamente fechada quando perde o foco). height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Tela. minimizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão minimizar seja mostrado na Tela. modal: somente para telas janeladas (fullScreen=0). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela é modal ou falso (zero) se não é. Um atributo booleano determinando que a tela seja. moveable: Um atributo booleano determinando que a Tela possa ser movida em tempo de execução. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Barra de Título é mostrada ou falso se não é. habilitando o uso do clipping para o redesenho dos objetos de tela relativo ao fundo da mesma. Este atributo deve ser habilitado somente se os objetos de tela não estão sobrepostos e não serão movidos. usado como identificador da Tela. Um atributo booleano determinando que a tela seja. 296 Scripts . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela pode ser movida ou falso (zero) se não pode. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da Tela. maximizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão maximizar seja mostrado na Tela. clipChildren: Um atributo booleano. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a tela é cheia ou falso (zero) se é janelada. Por exemplo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela é popup ou falso (zero) se não é. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Tag. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar.

É usado juntamente com o atributo yOrigin para definir o tamanho da Tela. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela pode ser redimensionada ou falso (zero) se não pode. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro xOrigin pode variar de 0 a 640 pixels. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Tela. visible: Um atributo booleano determinando que a Tela seja visível. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da Tela. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro yOrigin pode variar de 0 a 480 pixels. Por exemplo. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Tela. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Tela. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo da Tela. Por exemplo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o scroll bar é mostrado ou falso (zero) se não é. em pixels. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Scripts 297 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tela é visível ou falso (zero) se não é. Por exemplo. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. em pixels. Por exemplo. em pixels.Manual do Usuário resizeable: Um atributo booleano determinando que a Tela possa ser redimensionada em tempo de execução. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) o parâmetro width pode variar de 0 a 640 pixels. scrollBars: Um atributo booleano determinando que o scroll bar seja mostrado na Tela. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo da Tela. Por exemplo. xOrigin: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a coordenada X para a origem da Tela. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. yOrigin: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a coordenada Y para a origem da Tela. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada X pode variar de 0 a 640 pixels. em pixels. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. Este atributo deve ser definido conforme a resolução usada no Windows para que se tenha uma janela sem scroll bar. em pixels. É usado juntamente com o atributo xOrigin para definir o tamanho da Tela. se você está usando uma resolução de 640x480 (VGA) a sua coordenada Y pode variar de 0 a 480 pixels.

Se for 0 (zero).0. g. É usado juntamente com o atributo @ para definir o tamanho do objeto. 12 horas. x. em pixels. quando verdadeiro (TRUE). b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255. visible: Valor booleano que indica se o objeto está visível ao usuário (TRUE) ou não (FALSE). Este atributo não afeta objetos que não provêem acesso via teclado ou mouse (como o Display ou o Gauge). É usado juntamente com o atributo " para definir o tamanho do objeto. Se for 1 (um) ou mais. width: Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) Determinando a largura do objeto. associados as suas características únicas. Verdadeiro (diferente de zero). a partir do canto superior esquerdo da Tela em que está o objeto.B86 # 3$# 34 # 2 ! Os objetos de tela possuem atributos em comum. que aparecem em todos os objetos e atributos específicos.ackAlmColor = RGB(255.$ accessLevel: (inteiro) Permite atribuir um nível de segurança ao objeto. podendo clicar e entrar dados neste. Exemplo: Alarm. em pixels. habilita o acesso ao objeto via mouse ou teclado. height: Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) que Determina a altura do objeto. Atributos do Alarme ackALMColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto para uma mensagem de Alarme reconhecida. falso (zero) 24 horas. # 3$# . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de status é mostrada ou falso (zero) se não é. Listamos todos estes atributos a seguir. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. 298 Scripts . y: Dois inteiros com sinal (de -32768 a 32767) Determinando a coordenada X e Y para o canto superior esquerdo do objeto. todos os usuários tem livre acesso ao objeto. em pixels. alarmType: (booleano) Determina se a coluna de tipo de Alarme será mostrada no objeto: verdadeiro (diferente de zero) é mostrada. showTip: Valor booleano que habilita o objeto a mostrar uma pequena dica (tip) quando o mouse está sobre ele. falso (zero) não é. apenas os usuários com o nível de acesso menor ou igual podem usar o objeto.255) alarmState: (booleano) Determina que a coluna de status dos alarmes seja mostrada no objeto. enabled: Valor booleano que. ampm: (booleano) Determina se a coluna de hora do Alarme será mostrada no sistema (inglês) de 12 horas.

displayTitle: (booleano) Determina que a barra de título do Alarme seja mostrada. enableAlarms: (booleano) Se verdadeiro (diferente de zero). date: (booleano) Determina que a coluna de data seja mostrada no objeto Alarme. initialPriority: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) determinando a menor prioridade de mensagens de alarme a ser monitorada pelo objeto. Somente disponível se o atributo comment está habilitado. Scripts 299 . Determina que todos os alarmes de um grupo de Alarmes estão habilitados. Somente mensagens de Alarme com prioridade inferior a 8 M serão mostrados no objeto. commentLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) Determinando o comprimento do comentário que será mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a barra de título é mostrada ou falso (zero) caso contrário. finalPriority: Inteiro sem sinal (de 1 a 199) determinando a maior prioridade de mensagens de alarme a ser monitorada pelo objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de data é mostrada ou falso (zero) se não é. dateFormat: Inteiro sem sinal (de 0 a 7) configurando o formato da data para o objeto Alarme conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 7 g h FORMATO MM/DD (03/27) MMM DD (Mar 27) MM/DD/YY (03/27/96) MMM DD YYYY (Mar 27 1996) DD/MM (27/03) DD MMM (27 Mar) DD/MM/YY (27/03/96) DD MMM YYYY (27 Mar 1996) description: String contendo uma breve descrição sobre o Alarme.Manual do Usuário comment: (booleano) Determina que a coluna de comentários seja mostrada no objeto Alarme. Somente mensagens de Alarme com prioridade maior que M serão mostrados no objeto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de comentários é mostrada ou falso (zero) se não é. event: (booleano) Determina que a coluna de eventos seja mostrada no objeto Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de eventos é mostrada ou falso (zero) se não é.

rtnColor = RGB(255. Exemplo: Alarm. Somente disponível se o atributo limit está habilitado. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255. priority: (booleano) Determina que a coluna de prioridades de alarmes seja mostrada no objeto. limit: (booleano) Determina que a coluna de limites dos alarmes seja mostrada no objeto. rtnColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da mensagem de retorno do Alarme. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. limitLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 10) determinando o comprimento dos limites dos Alarmes que serão mostrados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de nomes dos Tags é mostrada ou falso (zero) se não é. timeFormat: Inteiro sem sinal (de 0 a 2) configurando o formato da hora para o objeto Alarme conforme a tabela a seguir: VALOR 0 1 2 FORMATO HH:MM (14:33) HH:MM:SS (14:33:47) MM:SS (33:47) 300 Scripts . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de limites é mostrada ou falso (zero) se não é. usado como identificador do Alarme. tagNameLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 32) determinando o comprimento dos nomes dos Tags que serão mostrados. time: (booleano) Determina que a coluna de hora seja mostrada no objeto Alarme. name: String contendo o nome do Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de hora é mostrada ou falso (zero) se não é. Somente disponível se o atributo tagName está habilitado.2) determinando o número de dígitos decimais para os limites que serão mostrados no Alarme. g.255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de prioridades é mostrada ou falso (zero) se não é. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os botões grandes estão habilitados ou falso (zero) se não estão. limitPrec: Inteiro sem sinal (de 0 a limitLength .largeButtons: (booleano) Habilita botões grandes na toolbar do objeto Alarmes.0) tagName: (booleano) Determina que a coluna de nomes dos Tags seja mostrada no objeto.

0) toolbar: (booleano) Determina que a barra de ferramentas do objeto Alarme seja mostrado. Scripts 301 . Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. Exemplo: Alarm. que pode ser resumido (0) ou histórico (1). valueLength: Inteiro sem sinal (de 1 a 10) determinando o comprimento dos valores dos Tags que serão mostrados.255.255. g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. Somente disponível se o atributo comment está habilitado. value: (booleano) Determina que a coluna de valores dos Tags seja mostrada no objeto Alarme.toolbarColor = RGB(255. userName: (booleano) Se verdadeiro. Exemplo: Alarm. toolbarColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da barra de ferramentas do Alarme. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255. g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. em caracteres. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a coluna de valores dos Tags é mostrada ou falso (zero) se não é. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255.titleBarColor = RGB(255. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (r. Exemplo: Alarm. g.0) type: Inteiro sem sinal (de 0 a 1) definindo o tipo do Alarme. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255. b) onde cada componente RGB pode variar de 0 a 255.255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a barra de ferramentas é mostrado ou falso (zero) se não é. userLength: (inteiro de 1 a 20) Indica o tamanho da coluna Usuário (user). g.0) titleTextColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de texto do título do Alarme. g. valuePrec: Inteiro sem sinal (de 0 a valueLength . windowColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Alarme. unAckALMColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto para uma mensagem de Alarme não reconhecida.titleTextColor = RGB(255.2) determinando o número de dígitos decimais para os valores que serão mostrados no Alarme.Manual do Usuário titleBarColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da linha de título do Alarme. indica que a coluna Usuário (user) deve ser mostrada.

name: Um string contendo o nome da Animação.description = "Animation Object" enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Animação. o tempo em que a zona default irá piscar alternando com a zona atual.# 3$# ! . ou seja.g. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da Animação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a o fundo é transparente ou falso (zero) se não é.! % backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Animação. visible: Um atributo booleano determinando que a Animação seja visível. border: Um atributo booleano determinando que a borda da Animação seja mostrada no objeto. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Animação é visível ou falso (zero) se não é. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Animação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada ou falso (zero) se não é. Exemplo: Animation. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. em pixels.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. 302 Scripts . É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da Animação. transparent: Um atributo booleano determinando que o fundo da Animação seja transparente. description: um String contendo uma breve descrição sobre a Animação.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Animação a partir da origem da Tela (0. em pixels. em pixels.b) pode variar de 0 a 255. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo da Animação. usado como identificador da Animação. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Animação. blinkTime: Um inteiro sem sinal (de 0 a 100) determinando o tempo em ms de pisca-pisca da Animação.0).

b) onde cada componente (r. bottomRange: Um número real configurando o valor mínimo para o Gráfico de Barras. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Barra.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255. barColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da Barra no gráfico. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está.g.b) onde cada componente (r.Manual do Usuário y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo da Animação.b) pode variar de 0 a 255.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Gráfico de Barras é bipolar ou falso (zero) se não é.g. Scripts 303 . Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua inferior é mostrada ou falso (zero) se não é. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. bipolar: Um atributo booleano determinando que o Gráfico de Barras seja bipolar. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Gráfico de Barras. Atributos da Barra backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D está habilitado ou falso (zero) se não está. As barras crescem a partir do centro em direção aos limites do gráfico. em pixels. bottomRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada na parte inferior do Gráfico de Barras. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Animação a partir da origem da Tela (0. enable3D: Um atributo booleano usado para habilitar um efeito 3D na Barra.g. É usado junto com o atributo topRange para definir um intervalo de valores para a Barra.0). enableRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada no Gráfico de Barras. gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da grade e divisões do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua é mostrada ou falso (zero) se não é. desta forma as barras possuem dois lados divididos por um centro.b) pode variar de 0 a 255.

leftRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada à esquerda do Gráfico de Barras. Somente disponível se o atributo middle está habilitado. usado como identificador da Barra.g.b) onde cada componente (r. conforme a tabela a seguir: GAUGE ORIENTAÇÃO Vertical. name: Um string contendo o nome do Gráfico de Barras. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. de baixo para cima Horizontal. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua à direita é mostrada ou falso (zero) se não é. de cima para baixo Vertical. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua à esquerda é mostrada ou falso (zero) se não é. Exemplo: Barra1. 304 Scripts . em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o label da régua é mostrado ou falso (zero) se não é.g. da esquerda para direita Horizontal. orientation: Um inteiro sem sinal determinando a orientação do Gráfico de Barras.b) pode variar de 0 a 255. rulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da régua do Gráfico de Barras. da direita para esquerda rightRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada à direita do Gráfico de Barras. middle: Um número real determinando o centro das barras bipolares. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Gráfico de Barras. Somente disponível se o atributo enableRuler está habilitado. rulerDivisions: Um inteiro sem sinal (de 0 a 100) determinando o número de divisões na régua do Gráfico de Barras. label: Um string contendo a unidade de medida a ser mostrada na régua.label = "MHz" labelEnable: Um atributo booleano determinando que o label da régua seja mostrado no Gráfico de Barras.height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Barra.

x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Gráfico de Barras. # 3$# 9 ascending: Um atributo booleano determinando a ordem dos registros a serem mostrados no Browser. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da Barra. backColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da área fora da tabela do Browser. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. em pixels.b) onde cada componente (r.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a ordem é ascendente ou falso (zero) se é descendente. O default é ascendente.g. Este valor também Scripts 305 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o gráfico de barras está visível ou falso (zero) se não está. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Gráfico de Barras. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua superior é mostrada ou falso (zero) se não é. É usado junto com o atributo bottomRange para definir um intervalo de valores para a Barra.0). thickness: Um inteiro sem sinal configurando a largura do efeito 3D da barra (em pixels). É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Barra a partir da origem da Tela (0. topRange: Um número real configurando o valor máximo para o Gráfico de Barras. em pixels. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Gráfico de Barras. topRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada na parte superior do Gráfico de Barras. spacing: Um inteiro sem sinal (de 0 a 10) determinando o espaço (em pixels) entre as barras do gráfico. visible: Um atributo booleano determinando a visibilidade do gráfico de barras. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Barra a partir da origem da Tela (0. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto da régua.0). em pixels.b) pode variar de 0 a 255.Manual do Usuário showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele.

b) onde cada componente (r. rowTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto das linhas não selecionadas do Browser. name: Um string contendo o nome do Browser. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Browser. não incluindo a última linha se ela estiver parcialmente visível. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Browser.b) pode variar de 0 a 255.b) onde cada componente (r. firstRec: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do primeiro registro selecionado para ser visto (somente leitura).b) pode variar de 0 a 255.b) onde cada componente (r. Retorna -1 se nenhuma linha está selecionada.g.g. selTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto da linha corrente.b) pode variar de 0 a 255.g.g.g. usado como identificador do Browser. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) pode variar de 0 a 255. selecionada no Browser. lastRec: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do último registro selecionado para ser visto (somente leitura).b) pode variar de 0 a 255.g. completeRows: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número das linhas completamente visíveis. rowColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo das linhas não selecionadas do Browser. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Browser.b) onde cada componente (r.g.g.pode ser especificado pela função RGB(r.b) onde cada componente (r.b) onde cada componente (r.g.g. selColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da linha corrente. selecionada no Browser.g. gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor das linhas da grade do Browser. em pixels.b) pode variar de 0 a 255. 306 Scripts . curSel: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do registro selecionado (somente leitura).g. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Browser.

É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Browser a partir da origem da Tela (0. topRow: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do registro mostrado na primeira linha visível (somente leitura). titleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da linha de título do Browser.g. que pode ser Momentâneo (Momentary) (0). É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do Browser a partir da origem da Tela (0. em pixels.0).b) onde cada componente (r. Scripts 307 .0). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Browser é visível ou falso (zero) se não é. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Browser. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Browser. visible: Um atributo booleano determinando que o Browser seja visível. titleTextColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de texto do título do Browser. em pixels. visibleRows: Um Inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de linhas visíveis.g.Manual do Usuário showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele.b) onde cada componente (r. # 3$# 9 # % buttonAction: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo de ação do botão. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. em pixels. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Browser.b) pode variar de 0 a 255. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Browser.g.b) pode variar de 0 a 255.g. Liga-desliga (Toggle) (1) ou Jog (2). incluindo a última mesmo que esteja aparecendo só parcialmente (somente leitura).

g. M' M' . M' \ backgroundColor0: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do Botão quando está em seu estado normal (não pressionado). . enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Botão. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Botão.b) onde cada componente (r. em pixels.b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está.buttonType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 6) determinando o tipo do botão de 7 tipos disponíveis: . 308 Scripts . Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255. M' .g. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Botão. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Botão. M' . Não são permitidas modificações por parte de usuários. bitmap0: Um string contendo o nome do bitmap a ser mostrado como fundo de um Botão quando está em seu estado normal (não pressionado). goToScreen: Somente para uso do Elipse SCADA. backgroundColor1: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do Botão quando está pressionado. M' ###BOT_TEXT###lt; . bitmap1: Um string contendo o nome do bitmap a ser mostrado como fundo de um Botão quando está pressionado. M' \g .g.

em pixels. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. visible: Um atributo booleano determinando que o Botão seja visível. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Botão é visível ou falso (zero) se não é. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do Botão a partir da origem da Tela (0.0).g.Manual do Usuário name: Um string contendo o nome do Botão. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Botão. value1: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o valor do Botão quando pressionado. text0: Um string contendo o texto que será mostrado no Botão quando ele está em estado normal (não pressionado).g. value0: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o valor do Botão quando em estado normal (não pressionado). textColor1: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto do Botão quando está pressionado. textColor0: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto do Botão quando está em seu estado normal (não pressionado). x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Botão.g. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Botão a partir da origem da Tela (0. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. em pixels. Scripts 309 . em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está.b) pode variar de 0 a 255. text1: Um string contendo o texto que será mostrado no Botão quando ele está pressionado. usado como identificador do Botão. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255.b) onde cada componente (r. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Botão. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Botão.g.0).

em pixels. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do Display a partir da origem da Tela (0. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Display. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. conforme a tabela abaixo: 310 Scripts . enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Display. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. conforme a tabela abaixo: VALOR 0 1 2 ALINHAMENTO Esquerda Centro Direita verticalAlign: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o alinhamento vertical para os dados que serão mostrados no Display. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Display. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Display.# 3$# !F name: Um string contendo o nome do Display. em pixels. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Display. em pixels. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Display. usado como identificador do Display. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Display.0). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Display é visível ou falso (zero) se não é. em pixels. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Display a partir da origem da Tela (0. horizontalAlign: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o alinhamento horizontal para os dados que serão mostrados no Display. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. visible: Um atributo booleano determinando que o Display seja visível. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Display.0).

name: Um string contendo o nome do Gauge. Nunca poderá ser maior que o atributo size. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. multiLine: Um atributo booleano usado para habilitar múltiplas linhas no Display. em pixels.b) pode variar de 0 a 255. usado como identificador do Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o uso de múltiplas linhas está habilitado ou falso (zero) se não está. # 3$# <!$.g. prefix: Um string contendo um prefixo a ser mostrado antes do valor do Tag associado ao Display.b) onde cada componente (r. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Gauge a partir da origem da Tela (0. size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando o tamanho dos dados a serem mostrados no Display. que pode ser um string (1) ou um número (2).b) onde cada componente (r.g. É usado juntamente com o atributo Scripts 311 .Manual do Usuário VALOR 0 1 2 ALINHAMENTO Topo Centro Abaixo textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto do Display. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Gauge. backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Display.0).g.g. precision: Um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos decimais a serem mostrados no Display. suffix: Um string contendo um sufixo a ser mostrado depois do valor do Tag associado ao Display. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Gauge. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. em pixels. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Gauge.b) pode variar de 0 a 255. type: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando o tipo de dados a ser mostrado no Display.

b) pode variar de 0 a 255. em pixels.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. frameColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da moldura do Gauge. needleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da agulha do Gauge.g.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os limites são mostrados ou falso (zero) se não são.b) pode variar de 0 a 255. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Gauge. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g. points: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de pontos na régua do Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está.b) pode variar de 0 a 255. limitVisible: Um atributo booleano determinando que os limites do Gauge sejam mostrados. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.X para definir a posição do canto superior esquerdo do Gauge a partir da origem da Tela (0.g.b) pode variar de 0 a 255. em pixels.b) onde cada componente (r. 312 Scripts . É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Gauge.g. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Gauge.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o valor do Gauge é mostrado ou falso (zero) se não é.b) onde cada componente (r. Alguns pontos não podem ser mostrados se forem definidos muitos pontos para um Gauge pequeno.g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) onde cada componente (r. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Gauge.g. valueVisible: Um atributo booleano determinando que o valor do Gauge seja mostrado. visible: Um atributo booleano determinando que o Gauge seja visível. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Gauge.0). backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do Gauge. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Gauge é visível ou falso (zero) se não é.

conforme segue: Gauge1.orientation = 1 Gauge1. É usado junto com o atributo minimum para definir um intervalo de valores para o Gauge. É usado junto com o atributo maximum para definir um intervalo de valores para o Gauge. bulletsVisible: Um atributo booleano determinando que as marcas sejam mostradas em forma de bullets. que pode ser ponteiro fino (1) ou grosso (2). thickTicks: Um atributo booleano determinando que as marcas principais do Gauge sejam grossas. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as marcas são grossas ou falso (zero) se não são. ticksValues: Um atributo booleano determinando que os valores das marcas (ticks) sejam mostrados no Gauge. Scripts 313 .orientation = 3 needleThickness: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando a espessura da agulha do Gauge. ticksVisible: Um atributo booleano determinando que as marcas principais (ticks) sejam mostradas no Gauge. maximum: Um número real configurando o valor máximo para o Gauge. legendVisible: Um atributo booleano determinando que uma legenda seja mostrada no Gauge. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as marcas são mostradas ou falso (zero) se não são. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os bullets são mostrados ou falso (zero) se não são. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os valores são mostrados ou falso (zero) se não são.Manual do Usuário minimum: Um número real configurando o valor mínimo para o Gauge.orientation = 0 Gauge1. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as marcas são mostradas ou falso (zero) se não são. orientation: Um Inteiro sem sinal (de 0 a 3) determinando a orientação do gráfico do Gauge.orientation = 2 Gauge1. startAngle: Um número real configurando o ângulo inicial da agulha do Gauge. decimalPlaces: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de casas decimais a serem utilizadas na formatação dos valores do Gauge.

g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o intervalo Low é mostrado ou falso (zero) se não é. É usado junto com o atributo lowLimit para definir a espessura da legenda.g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o frame é mostrado ou falso (zero) se não é. totalNumberOfSubticks: Um inteiro sem sinal (de 0 a 9) determinando o número total de sub-marcas a serem mostradas entre as marcas principais. isLowLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de valores Low do Gauge seja mostrado na legenda.b) pode variar de 0 a 255.g.b) pode variar de 0 a 255.g. lowLimit: Um número real no intervalo [0.b) pode variar de 0 a 255. frameVisible: Um atributo booleano determinando que um frame seja mostrado ao longo do percurso da agulha do Gauge. normalColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados como normais. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o intervalo LowLow é mostrado ou falso (zero) se não é. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) onde cada componente (r.b) onde cada componente (r.1]. subTicksColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor das sub-marcas do Gauge. É usado junto com o atributo hiLimit para definir a espessura da legenda. lowLowDiv: Um número real configurando o valor do limite superior do intervalo Low-Low.b) onde cada componente (r.g.tickColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor das marcas principais do Gauge.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as sub-marcas são mostradas ou falso (zero) se não são. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.1]. 314 Scripts . isLowLowLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de valores LowLow do Gauge seja mostrado na legenda. lowLowColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados como Low-Low. lowDiv: Um número real configurando o valor do limite superior do intervalo Low.g. hiLimit: Um número real no intervalo [0.g. configurando a posição da borda inferior da legenda do Gauge. subTicksVisible: Um atributo booleano determinando que sub-marcas (ticks) sejam mostradas entre as marcas principais.g. configurando posição da borda superior da legenda.

hiHiDiv: Um número real configurando o valor do limite inferior do intervalo High-High.Manual do Usuário lowColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados como Low.g.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o intervalo High é mostrado ou falso (zero) se não é.g.b) onde cada componente (r. isHiHiLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de valores HighHigh do Gauge seja mostrado na legenda.g.g.b) onde cada componente (r.g. hiColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados como High. automaticamente manda os dados entrados no controle para o tag associado quando este perder o foco. backgroundColor: Número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo do SetPoint.b) pode variar de 0 a 255. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a verificação está habilitada ou falso (zero) se não está.b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a verificação está habilitada ou falso (zero) se não está.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o intervalo HighHigh é mostrado ou falso (zero) se não é. checkMaximum: (booleano) Usado para habilitar a verificação do valor do SetPoint com o valor máximo especificado para o mesmo. isHiLimitVisible: Um atributo booleano determinando que o intervalo de valores High do Gauge seja mostrado na legenda. Scripts 315 . # 3$# # # autoSend: (booleano) Quando em 1 (um). Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. checkMinimum: (booleano) Usado para habilitar a verificação do valor do SetPoint com o valor mínimo especificado para o mesmo.b) pode variar de 0 a 255. hiDiv: Um número real configurando o valor do limite inferior do intervalo High. hiHiColorLegend: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da legenda para o intervalo de valores especificados como High-High.g.g. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.

Hora no formato 12 horas.dateFormat: (string) Define um formato para mostrar e entrar dados de data/hora em um setpoint. (tarde). Décimos de segundo (deve ser precedido de segundos) Centésimos de segundo (deve ser precedido de segundos) Milésimos de segundo (deve ser precedido de segundos) Nova linha (CR + LF) 316 Scripts . Exemplo: "dd/mm/yy hh:mm:ss" será mostrado como "02/07/97 18:35:22". Hora no formato 12 horas. mostra e '. mostra + (manhã) e Hora no formato 12 horas.) Minuto (00 – 59) (deve estar acompanhando hs ou seguido de seg. mostra + e .) Segundo (0 – 59) / + I + I' +I I' < << <<< c Segundo (00 – 59) Hora no formato 12 horas. mostra e' . Formatos Data/Hora para o atributo dateFormat FORMATO @ C @@ CC SIGNIFICADO Dia da semana (Dom – Sab) Dia da semana (DOM – SAB) Dia da semana (Domingo – Sábado) Dia da semana (DOMINGO – SÁBADO) Dia (1 – 31) Dia (01 – 31) Mês (1 – 12) Mês (01 – 12) Mês (Jan – Dez) Mês (JAN – DEZ) Mês (Janeiro – Dezembro) Mês (JANEIRO – DEZEMBRO) Mês (j – d) Mês (J – D) JM JJ E E Ano (00 – 99) Ano (1970 – 9999) Hora (0 – 23) Hora (00 – 23) Minuto (0 – 59) (deve estar acompanhando hs ou seguido de seg.

enabled: (booleano) Usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Setpoint.prefix = "Peso" refresh: Um atributo booleano determinando que o valor do SetPoint seja atualizado automaticamente se alguma modificação ocorrer no Tag associado. Scripts 317 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o uso de múltiplas linhas está habilitado ou falso (zero) se não está. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. maximum: Um número real configurando o valor máximo para o SetPoint. à esquerda. à direita. em pixels. usado como identificador do SetPoint. minimum: Um número real configurando o valor mínimo para o SetPoint. precision: Um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos decimais a serem mostrados no SetPoint. selectAll: Um atributo booleano determinando que todos os caracteres do SetPoint sejam selecionados quando o objeto receber o foco. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. a saber: 0. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do SetPoint. 1. multiLine: Um atributo booleano usado para habilitar múltiplas linhas no SetPoint. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a seleção de todos os caracteres está habilitada ou falso (zero) se não está. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a atualização automática está habilitada ou falso (zero) se não está. centro ou 2. Exemplo: SetPoint. height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do SetPoint. Nunca poderá ser maior que o atributo size. prefix: (string) Contém um prefixo a ser mostrado antes do valor do Tag associado ao SetPoint.Manual do Usuário description: (string) Contém uma breve descrição sobre o SetPoint. name: (string) Contém o nome do SetPoint. horizontalAlign: (inteiro sem sinal de 0 a 2) Determina o alinhamento horizontal para os dados que serão mostrados no SetPoint. É usado junto com o atributo minimum para definir um intervalo de valores para o SetPoint. É usado junto com o atributo maximum para definir um intervalo de valores para o SetPoint.

1.0). em pixels. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do SetPoint. height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Slider.g. Exemplo: SetPoint. em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. verticalAlign: (inteiro sem sinal de 0 a 2) Determina o alinhamento vertical para os dados que serão mostrados no SetPoint.g. centro e 2. em pixels. por baixo. type: Um inteiro sem sinal (de 1 a 2) determinando o tipo de dados a ser mostrado no SetPoint. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do SetPoint. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do SetPoint. que pode ser um string (1) ou Um número (2).suffix = "Kg" textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no SetPoint. # 3$# description: um string contendo uma breve descrição sobre o Slider. a saber: 0. 318 Scripts . É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do SetPoint a partir da origem da Tela (0. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Slider.b) onde cada componente (r. frameColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da moldura do Slider. pelo topo. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Slider. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do SetPoint. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) pode variar de 0 a 255. suffix: (string) Contém um sufixo a ser mostrado depois do valor do Tag associado ao SetPoint.b) onde cada componente (r.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o SetPoint é visível ou falso (zero) se não é. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) pode variar de 0 a 255. em pixels. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do SetPoint a partir da origem da Tela (0.size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando o tamanho dos dados a serem mostrados no SetPoint.g. visible: Um atributo booleano determinando que o SetPoint seja visível.0).

showRange: Um atributo booleano determinando que os limites do Slider sejam mostrados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os limites são mostrados ou falso (zero) se não são.g. em pixels. Scripts 319 . Retorna 0 (zero) se o Slider é horizontal ou 1 (um) se vertical. É usado junto com o atributo rangeMinimum para definir um intervalo de valores para o Slider.Manual do Usuário name: um string contendo o nome do Slider. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Slider. showValue: Um atributo booleano determinando que o valor do Slider seja mostrado. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o valor do Slider é mostrado ou falso (zero) se não é. orientation: um inteiro sem sinal (de 0 a 1) determinando a orientação do Slider. precision: um inteiro sem sinal (de 0 a 254) determinando o número de dígitos decimais a serem mostrados nos limites e no valor visível do Slider. rangeMinimum: Um número real configurando o valor mínimo para o Slider. textColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto que será mostrado no Slider. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Slider é atualizado quando sua alavanca é movida ou falso (zero) se não é.g. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. updateOnRelease: Um atributo booleano determinando que o valor do Slider seja atualizado quando o botão do mouse for solto depois de mover a alavanca do Slider. step: Um número real a ser incrementado ou decrementado do valor do Slider quando as setas do mesmo são pressionadas.b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. usado como identificador do Slider. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Slider é visível ou falso (zero) se não é. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Slider. rangeMaximum: Um número real configurando o valor máximo para o Slider.b) onde cada componente (r. É usado junto com o atributo rangeMaximum para definir um intervalo de valores para o Slider. visible: Um atributo booleano determinando que o Slider seja visível.

y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Texto. em pixels. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Tendência. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho do Texto. showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho do Texto. # 3$# !2 D ! description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Tendência. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura do Texto.0). usado como identificador do Texto. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Slider a partir da origem da Tela (0. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo do Texto a partir da origem da Tela (0. em pixels. em pixels.0). height: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura do Texto. # 3$# 2 @# description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Texto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Texto é visível ou falso (zero) se não é. em pixels.0). name: um string contendo o nome do Texto.0). 320 Scripts . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do Slider a partir da origem da Tela (0. em pixels. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo do Texto a partir da origem da Tela (0. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar o acesso do teclado e mouse ao objeto Texto. visible: Um atributo booleano determinando que o Texto seja visível. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Texto. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o acesso está habilitado ou falso (zero) se não está. em pixels.x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo do Slider. y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo do Slider.

É usado juntamente com o atributo height para definir o tamanho da Tendência. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os valores são coletados ou falso (zero) se não são. da esquerda para direita Vertical. em pixels. de cima para baixo Vertical. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o Trend está congelado ou falso (zero) se o scroll está habilitado (default). usado como identificador da Tendência. Somente para uso do Elipse SCADA. É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição do canto superior esquerdo da Tendência a partir da origem da Tela (0. É usado juntamente com o atributo width para definir o tamanho da Tendência. height: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a altura da Tendência. name: Um string contendo o nome do Tendência. Scripts 321 . em pixels. visible: Um atributo booleano determinando se a tendência está visível.Manual do Usuário enableDataRec: Um atributo booleano usado para habilitar a Tendência a coletar novos valores sempre que os Tags associados a ela mudarem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a tendência está visível ou falso (zero) se não está. width: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Tendência. frozen: Um atributo booleano usado para habilitar/desabilitar o scroll automatico do Trend. Não são permitidas modificações por parte de usuários. orientation: Um inteiro sem sinal (de 0 a 3) determinando a orientação do gráfico da Tendência. da direita para esquerda Horizontal. em pixels. timeSpan: Um número real determinando o tempo a ser visualizado na Tendência em segundos.0). de baixo para cima showTip: Um atributo booleano habilitando o objeto a mostrar uma Tip (dica) quando o mouse está sobre ele. conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 ORIENTAÇÃO Horizontal. x: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada X para o canto superior esquerdo da Tendência. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Tip está habilitada ou falso (zero) se não está. isXY: Um atributo booleano.

titleColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor do texto do título. color: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da Moldura. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição do canto superior esquerdo da Tendência a partir da origem da Tela (0. usado como identificador da Moldura.b) onde cada componente (r. enable3D: Um atributo booleano usado para habilitar um efeito 3D na Moldura.g. set3DInset: Um atributo booleano determinando que o efeito 3D seja na parte de dentro ou de fora da Moldura.b) pode variar de 0 a 255. Este valor também pode ser 322 Scripts . Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. em pixels. frame: Um atributo booleano determinando que a Moldura seja mostrada. borderThickness: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando a espessura da borda da Moldura. thickness3D: Um inteiro sem sinal (de 0 a 255) determinando a espessura do efeito 3D da Moldura. borderEnabled: Um atributo booleano determinando que a borda da Moldura seja mostrada. description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Moldura. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D é mostrado por dentro ou falso (zero) se é por fora.y: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) determinando a coordenada Y para o canto superior esquerdo da Tendência. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a linha é mostrada ou falso (zero) se não é. # 3$# ! $! borderColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da borda da Moldura.0). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Moldura é mostrada ou falso (zero) se não é.g.b) onde cada componente (r. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a borda é mostrada ou falso (zero) se não é. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o efeito 3D está habilitado ou falso (zero) se não está. separator: Um atributo booleano determinando que uma linha de separação do título seja mostrada. title: Um string contendo o título da Moldura.g. name: Um string contendo o nome da Moldura.b) pode variar de 0 a 255.

enableXUnit: Um atributo booleano determinando que a unidade do eixo X seja mostrada na Plotagem. autoRangeY: Um atributo booleano determinando que os limites do eixo Y do gráfico sejam automaticamente calculados.g. É usado junto com o atributo topLimit para definir um intervalo de valores. B88 # 3$# !* # !.b) pode variar de 0 a 255. titleEnabled: Um atributo booleano determinando que o título da Moldura seja mostrado.g. Scripts 323 . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua inferior é mostrada ou falso (zero) se não é.g. autoRangeX: Um atributo booleano determinando que os limites do eixo X do gráfico sejam automaticamente calculados. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se os milisegundos são mostrados ou falso (zero) se não são. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o título é mostrado ou falso (zero) se não é. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g.Manual do Usuário especificado pela função RGB(r. backgroundColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Plotagem.b) onde cada componente (r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. bottomLimit: Um número real configurando o limite inferior a ser mostrado na régua do eixo Y.b) onde cada componente (r.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o cálculo automático para os limites do eixo X está habilitado ou falso (zero) se não está. bottomRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada na parte inferior da Plotagem.b) onde cada componente (r. .b) pode variar de 0 a 255. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a unidade do eixo X é mostrada ou falso (zero) se não é.g. backRulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor de fundo da Plotagem.b) pode variar de 0 a 255. bShowMsec: Um atributo booleano determinando que os milisegundos sejam sejam mostrados na Plotagem. description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o cálculo automático para os limites do eixo Y está habilitado ou falso (zero) se não está.

g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua superior é mostrada ou falso (zero) se não é. gridColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da grade da Plotagem. rulerColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da régua da Plotagem.b) pode variar de 0 a 255. topRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada na parte superior da Plotagem. name: Um string contendo o nome da Plotagem.b) onde cada componente (r. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. leftLimit: Um número real configurando o limite esquerdo a ser mostrado na régua do eixo X.enableYUnit: Um atributo booleano determinando que a unidade do eixo Y seja mostrada na Plotagem.b) onde cada componente (r.b) pode variar de 0 a 255. leftRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada à esquerda da Plotagem.g. topLimit: Um número real configurando o limite superior a ser mostrado na régua do eixo Y. usado como identificador da Plotagem. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r. É usado junto com o atributo rightLimit para definir um intervalo de valores. gridVisible: Um atributo booleano determinando que a grade da Plotagem seja mostrada.g. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a grade é mostrada ou falso (zero) se não é. É usado junto com o atributo bottomLimit para definir um intervalo de valores. 324 Scripts . gridX: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de divisões no eixo X. gridY: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de divisões no eixo Y. rightRuler: Um atributo booleano determinando que uma régua de valores seja mostrada à direita da Plotagem. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua à esquerda é mostrada ou falso (zero) se não é. rightLimit: Um número real configurando o limite direito a ser mostrado na régua do eixo X. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a unidade do eixo Y é mostrada ou falso (zero) se não é. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a régua à direita é mostrada ou falso (zero) se não é.g. xUnit: Um string contendo o nome da unidade a ser mostrada no eixo X. É usado junto com o atributo leftLimit para definir um intervalo de valores.

535) determinando a largura da pena do cursor em pixels. a saber: 1 = Linha. penVisible: Atributo booleano que determina se a pena está sendo mostrada (diferente de zero) ou não (zero). A seleção é um ponto. Scripts 325 . bottomWorld: Determina o ponto inferior dos dados do gráfico. 3 = Modo de Rolagem. mode: Configura o modo de operação do cursor. rangeX1: Determina o valor x do primeiro ponto da seleção (atributo " M' deve ser 2). 3 = Traço-Ponto. penType: Especifica o tipo da pena do cursor a ser desenhado. 2 = Mínima. 1 = Máxima.Manual do Usuário yUnit: Um string contendo o nome da unidade a ser mostrada no eixo Y. penStyle: Especifica o estilo da pena do cursor. 1 = Modo de Seleção. 1 = Tracejado. barWidth: Define a largura da barra no eixo X quando for uma barra por amostra. 4 = Traço-Ponto-Ponto. 3 = Por Amostra. penWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65. 3 = Área. penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da pena do cursor. A seleção é um retângulo. 2 = Modo de Zoom. 2 = Barra. # 3$# $ barCalc: Determina como o valor da barra é calculado. Este valor também pode ser especificado pela função RGB (ver função RGB). description: Possui a descrição do objeto. 2 = Pontilhado. a saber: 0 = Média. a saber: 0 = Sólido. rangeX2: Determina o valor x do segundo ponto da seleção (atributo " M' deve ser 2). leftWorld: Determina o ponto esquerdo dos dados do gráfico. a saber: 0 = Nenhum. rangeType: Determina the seleção do cursor: VALOR < 5 3 ESTILO Sem seleção. name: Contém o nome que identifica o objeto.

# 3$# ! * ! " M' " M' deve deve description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Pena.g. selX: Determina o valor x do ponto selecionado (atributo ser 1). rangeY2: Determina o valor y do segundo ponto da seleção (atributo " M' deve ser 2). topWorld: Determina o ponto superior dos dados do gráfico. usado como identificador da Pena. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.b) pode variar de 0 a 255.rangeY1: Determina o valor y do primeiro ponto da seleção (atributo " M' deve ser 2). selRecord: Determina o número do registro selecionado: Se o valor for -1. name: Um string contendo o nome da Pena. conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 Sólido Tracejado Pontilhado Traço-Ponto Traço-Ponto-Ponto ESTILO penVisible: Atributo booleano que determina se a pena está sendo mostrada (diferente de zero) ou não (zero). vLock: Atributo booleano que determina se os limites verticais do gráfico serão congelados quando em modo zoom ou rolagem (diferente de zero) ou não (zero). rightWorld: Determina o ponto direito dos dados do gráfico (atributo " M' deve ser 2). selY: Determina o valor y do ponto selecionado (atributo ser 1). penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da Pena. selLabel: Nome da pena selecionada. não há seleção. penWidth: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a largura da Pena em pixels. 326 Scripts . penStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 4) determinando o estilo da Pena.b) onde cada componente (r.g.

Scripts 327 . É usado juntamente com o atributo Y para definir a posição da Marca a partir da origem do gráfico (0. conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 Sólido Tracejado Pontilhado Traço-Ponto Traço-Ponto-Ponto ESTILO penWidth: Um inteiro sem sinal (from 0 to 65535) determinando a largura da Marca em pixels.g. markType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo da Marca.0).b) pode variar de 0 a 255. usado como identificador da Marca. penVisible: Um atributo booleano determinando que a Marca seja mostrada.0). Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r.g. x: Um número real determinando a coordenada X da Marca em pixels. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a Marca é mostrada ou falso (zero) se não é. description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Marca.b) onde cada componente (r. É usado juntamente com o atributo X para definir a posição da Marca a partir da origem do gráfico (0. y: Um número real determinando a coordenada Y da Marca em pixels. conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 TIPO Ponto Vertical Horizontal penStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 4) determinando o estilo da Marca. penColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor da Marca.Manual do Usuário # 3$# ! ! ! name: Um string contendo o nome da Marca.

lastAlarmPri: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) informando a prioridade do último alarme ativado. B8A # 3$# ! # ! name: Um string contendo o nome da Receita. usado como identificador do Histórico. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Histórico. É um atributo somente de leitura. B8B # 3$# H # . Retorna verdadeiro (diferente de zero) se as mensagens estão habilitadas ou falso (zero) se não estão. Está disponível somente se o atributo warningSound está habilitado. filename: Um string contendo o nome do arquivo de Histórico. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o som de alerta está habilitado ou falso (zero) se não está. nRecords: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de alarmes mais recentes a serem gravados no arquivo de log de alarmes. name: Um string contendo o nome do Histórico. usado como identificador do Alarme. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a gravação está habilitada ou falso (zero) se não está. logAlarms: Um atributo booleano determinando que os alarmes sejam gravados no arquivo de log de Alarmes. filename: Um string contendo o nome do arquivo de log de Alarmes. soundType: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o tipo de som a ser tocado quando um alarme ocorrer. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Alarme.B8? # 3$# !. enabled: Um atributo booleano usado para habilitar a gravação dos dados históricos no arquivo de Histórico. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Receita. warningSound: Um atributo booleano usado para habilitar um som de alerta quando um alarme ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a gravação está habilitada ou falso (zero) se não está. 328 Scripts . name: Um string contendo o nome do Alarme. usado como identificador da Receita. displayMessageBox: Um atributo booleano determinando que as mensagens de alarme sejam mostradas quando um alarme ocorrer.

Manual do Usuário

size: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o tamanho do arquivo de Histórico em número de registros; writeTime: Um inteiro longo sem sinal (de 0 a 232) determinando a frequência com que os dados serão escritos no arquivo de Histórico; batch: Um atributo booleano usado para habilitar um processo de batelada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a batelada está habilitada ou falso (zero) se não está; isBatchRunning: Um atributo booleano (somente leitura) determinando se a batelada está sendo executada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a batelada está executando ou falso (zero) se não está; networkSupport: Um atributo booleano usado para habilitar o suporte a rede para o Histórico, isto é, permite que o Histórico seja acessado (somente para leitura) por outras aplicações Elipse na Rede, através de um Browser ou Relatório do tipo Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o suporte a rede está habilitado ou falso (zero) se não está;

B8 C

# 3$#

!

1

H # ,

!

name: Um string contendo o nome da Análise Histórica, usado como identificador da Análise; description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Análise Histórica; advised: Este atributo é somente para leitura e não faz sentido para a Análise Histórica; modal: Um atributo booleano determinando que a caixa de diálogo da Análise Histórica seja modal (não permite acessar nenhuma outra janela antes de ser fechada) ou modeless (não necessita ser fechada para se acessar outras telas). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é modal ou falso (zero) se não é; pageStyle: Um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando quais as páginas da Análise Histórica que devem ser mostradas, conforme a tabela a seguir:
VALOR < 5 3 PÁGINAS Mostra todas as páginas Mostra somente a página da Análise (Gráfico) Mostra somente as páginas selecionadas

showGraphPage: Um atributo booleano determinando que a página Gráfico seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é;
Scripts 329

showPensPage: Um atributo booleano determinando que a página Penas seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é; showPenColorsPage: Um atributo booleano determinando que a página Cores das Penas seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é; showSettingsPage: Um atributo booleano determinando que a página Configurações seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é; showQueryPage: Um atributo booleano determinando que a página Consulta seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é; showPrintSetupPage: Um atributo booleano determinando que a página Impressão seja mostrada na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a página é mostrada ou falso (zero) se não é; resizeable: Um atributo booleano determinando que a janela da Análise Histórica possa ser redimensionada em tempo de execução. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a janela pode ser redimensionada ou falso (zero) se não pode; minimizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão minimizar esteja habilitado na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está; maximizeButton: Um atributo booleano determinando que o botão maximizar esteja habilitado na janela da Análise Histórica. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o botão está habilitado ou falso (zero) se não está;

B8

# 3$#

!

$# !

batchField: texto (string) que define qual o campo de cabeçalho a ser utilizado em uma consulta em um histórico por bateladas. Este valor é equivalente ao campo na página " nas propriedades do browser. Após configurada esta / propriedade, deve-se chamar a função % ' Q MG para visualizar os novos H dados no browser. criteria: um string contendo o nome da batelada que se deseja procurar. description: um string contendo uma breve descrição sobre a Consulta. filename: um string contendo o nome do arquivo sobre o qual vai ser aplicada a Consulta. finalDay: um inteiro sem sinal (de 1 a 31) determinando o dia final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;
330 Scripts

Manual do Usuário

finalMonth: um inteiro sem sinal (de 1 a 12) determinando o mês final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; finalYear: um inteiro sem sinal (de 1970 a 2039) determinando o ano final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; finalHour: um inteiro sem sinal (de 0 a 23) determinando a hora final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; finalMinute: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o minuto final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; finalSecond: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o segundo final quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; name: um string contendo o nome da Consulta, usado como identificador da Consulta. queryType: um inteiro sem sinal (de 0 a 2) determinando o tipo de Consulta conforme a tabela a seguir:
VALOR < 5 3 TIPO DA CONSULTA Intervalo de Tempo Dados mais Recentes Sem Critério

queryUnit: É usado juntamente com o atributo M; , quando este é igual a 1 (dados mais recentes ou newest data). É um inteiro sem sinal (de 0 a 5) determinando uma unidade de tempo para a busca dos dados mais recentes, conforme a tabela a seguir:
VALOR < 5 3 2 7 g FORMATO Dia Mês Ano Horas Minutos Segundos

queryValue: Somente disponível se o atributo M M' é 1 (Dados mais Recentes ou newest data). É um inteiro sem sinal determinando um período de tempo para a busca dos dados mais recentes, especificado no campo / na página de Consulta. É usado juntamente com o atributo M% . startDay: um inteiro sem sinal (de 1 a 31) determinando o dia inicial quando o tipo de consulta é por Intervalo de Tempo; startMonth: um inteiro sem sinal (de 1 a 12) determinando o mês inicial quando o tipo de consulta é por Intervalo de Tempo;
Scripts 331

startYear: um inteiro sem sinal (de 1970 a 2039) determinando o ano inicial quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; startHour: um inteiro sem sinal (de 0 a 23) determinando a hora inicial quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; startMinute: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o minuto inicial quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo; startSecond: um inteiro sem sinal (de 0 a 59) determinando o segundo inicial quando o tipo de Consulta é por Intervalo de Tempo;

B8 +

# 3$#

*&* )

avg: Um número real determinando a média; cp: Somente para uso do Elipse SCADA.; cpk: Somente para uso do Elipse SCADA. cr: Somente para uso do Elipse SCADA; description: um string contendo uma breve descrição sobre o SPC; dispersionChartType: um inteiro sem sinal (de 0 a 1) determinando o tipo do gráfico como Sigmas (0) ou Ranges (1); dispLCL: Um número real configurando o limite inferior do gráfico de Dispersão. Ele é usado junto com o atributo dispUCL para definir um intervalo de variação; dispUCL: Um número real configurando o limite superior do gráfico de Dispersão. Ele é usado junto com o atributo dispLCL para definir um intervalo de variação; k: Somente para uso do Elipse SCADA; lcl: Um número real configurando o limite inferior de Controle. Ele é usado junto com o atributo ucl para definir um intervalo de variação; lel: Um número real configurando o limite inferior de Engenharia. Ele é usado junto com o atributo uel para definir um intervalo de variação; maxValue: (somente leitura) Um número real indicando o valor máximo entre as amostras calculadas. minValue: (somente leitura) Um número real indicando o valor mínimo entre as amostras calculadas. name: Um string contendo o nome do SPC, usado como identificador do SPC; nRecords: (somente leitura) um inteiro sem sinal (de 1 a 65535) indicando o número total de registros analisados.
332 Scripts

Manual do Usuário

pointsPerGroup: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de pontos por amostra; stdDev: Um número real determinando o Desvio Padrão; ucl: Um número real configurando o limite superior de Controle. Ele é usado junto com o atributo lcl para definir um intervalo de variação; uel: Um número real configurando o limite superior de Engenharia. Ele é usado junto com o atributo lel para definir um intervalo de variação;

B8 -

# 3$#

! 9!# ! !

name: Um string contendo o nome da Batelada, usado como identificador da Batelada; description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Batelada; fieldName: Um string contendo o nome do arquivo da Batelada; fieldType: Um inteiro sem sinal determinando o tipo de Batelada (somente leitura).

B8 5

# 3$#

!# ,

bottomMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem inferior do Relatório, em milímetros; description: um string contendo uma breve descrição sobre o Relatório; leftMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem esquerda do Relatório, em milímetros; name: um string contendo o nome do Relatório, usado como identificador do Relatório; printHeader: Um atributo booleano usado para habilitar a impressão de uma página contendo informações do cabeçalho da batelada. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a impressão do cabeçalho está habilitada ou falso (zero) se não está; printTitle: Um atributo booleano usado para habilitar a impressão de um título no Relatório. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a impressão do título está habilitada ou falso (zero) se não está; rightMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem direita do Relatório, em milímetros;
Scripts 333

rowColor: Um número hexadecimal (de 0h a 1000000h) ou decimal (de 0 a 16777215) definindo a cor das linhas do Relatório. Este valor também pode ser especificado pela função RGB(r,g,b) onde cada componente (r,g,b) pode variar de 0 a 255; topMargin: um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando a margem superior do Relatório, em milímetros;

B8 6

# 3$#
*

abortOnError: Um atributo booleano usado para habilitar a interrupção da comunicação se algum erro ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a comunicação está habilitada ou falso (zero) se não está; busy: Um atributo booleano usado para informar se uma comunicação está ocorrendo. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se uma comunicação está ocorrendo ou falso (zero) se nenhuma comunicação está sendo feita; description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Driver; driverName: Um string contendo o nome do Driver conforme o fabricante, este nome será usado para a comunicação com o PLC; driverPath: Um string contendo a localização (path) do Driver; enableRead: Um atributo booleano usado para habilitar a leitura de valores e blocos do driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a leitura está habilitada ou falso (zero) se não está; enableRetry: Um atributo booleano usado para habilitar a uma nova tentativa de comunicação se algum erro ocorrer. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a retentativa está habilitada ou falso (zero) se não está; enableWrite: Um atributo booleano usado para habilitar a escrita de valores e blocos do driver. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se a escrita está habilitada ou falso (zero) se não está; hideMouse: Um atributo booleano determinando que o mouse seja escondido durante a comunicação. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o desaparecimento do mouse está habilitado ou falso (zero) se não está; isLoaded: Um atributo booleano usado para informar se o driver está carregado em memória ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está carregado ou falso (zero) se não está;

334

Scripts

Manual do Usuário

isStarted: Um atributo booleano usado para informar se uma comunicação foi iniciada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se uma comunicação foi iniciada ou falso (zero) se não foi; name: Um string contendo o nome do Driver, usado como identificador do Driver; p1: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P1 conforme a documentação do Driver; p2: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P2 conforme a documentação do Driver; p3: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P3 conforme a documentação do Driver; p4: Um inteiro com sinal (de -32768 a 32767) configurando o parâmetro P4 conforme a documentação do Driver; retryCount: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de tentativas, se o atributo enableRetry está habilitado;

bytesReceived: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de bytes recebidos pelo driver (somente leitura); bytesSent: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de bytes enviados pelo driver aos clientes (somente leitura); description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Driver; name: Um string contendo o nome do Driver, usado como identificador do Driver; nClients: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número de clientes atualmente conectados ao driver (somente leitura); rx: Um atributo booleano (somente leitura) usado para informar se o driver está recebendo dados ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está recebendo dados ou falso (zero) se não está; tx: Um atributo booleano (somente leitura) usado para informar se o driver está enviando dados ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se o driver está enviando dados ou falso (zero) se não está;

Scripts

335

B8 8

# 3$#

!# !3!

name: Um string contendo o nome da database, usado como identificador do Banco de Dados. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Banco de Dados. lastErrorStr: Um string contendo a descrição do último erro ocorrido em operações com o Banco de Dados. recno: Um inteiro sem sinal (de 0 a 65535) determinando o número do registro corrente. sort: Um string contendo o nome do campo no Banco de Dados usado para ordená-lo. filter: Um string ou valor usado como filtro quando é feita uma consulta no Banco de Dados. directory: Determina o diretório do Database. lastErrorStr: Descreve os erros ocorridos no database. originalTableName: Especifica as informações referentes a tabela do database. Atributos de campos de Databases advised: (booleano, somente leitura) Indica que o campo está em advise, ou seja, ele é atualizado toda vez que um objeto associado for referenciado. originalFieldName: Determina o nome do campo no database. type: Determina o tipo do campo.

B8 ?

# 3$#

!

# !

$1

name: Um string contendo o nome do Usuário, usado como identificador do Usuário. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Usuário.

B8 A

# 3$#

!

! %

; # !

name: Um string contendo o nome da Aplicação Remota, usado como identificador da Aplicação Remota; description: Um string contendo uma breve descrição sobre a Aplicação Remota; isConnected: Atributo booleano usado para informar se a Aplicação Remota está conectada ou não. Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está conectada ou falso (zero) se não está;
336 Scripts

Scripts 337 .Manual do Usuário isConnecting: Atributo booleano usado para informar se a Aplicação Remota está em processo de conexão ou não. # 3$# 0$ . conforme a tabela a seguir: VALOR ?5 < 5 EVENTO Nenhuma transferência foi efetuada Última transferência falhou Última transferência teve sucesso. # bytesDone: Um inteiro sem sinal (de 0 a 232) que determina o número de bytes já comparados / transferidos (somente leitura). state: Um inteiro sem sinal (de 0 a 3) indicando o estado da transferência de arquivo atual (somente leitura). conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 EVENTO Nenhuma transferência em andamento Conectando Comparando arquivos Transferindo totalLength: Um inteiro sem sinal (de 0 a 232) determinando o número de bytes a comparar / transferir (somente leitura). Dados inválidos recebidos do servidor durante conexão Bloco fora de sequência recebido do servidor Erro de posicionamento ou de escrita no arquivo do cliente name: Um string contendo o nome identificador do Arquivo Remoto. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Arquivo Remoto. result: Um inteiro com sinal (de -1 a 1) que determina o resultado da última transferência de arquivo (somente leitura). Retorna verdadeiro (diferente de zero) se está conectando ou falso (zero) se não está. conforme a tabela a seguir: VALOR < 5 3 2 7 g EVENTO Transferência OK Não conseguiu abrir ou criar arquivo do cliente Arquivo do servidor não foi encontrado. lastError: Um inteiro sem sinal (de 0 a 5) que determina o código do erro ocorrido na última transferência de arquivo (somente leitura).

enableReturnLog: Habilita/desabilita o log de mensagens de retorno de alarme. # . Este atributo só é válido se o atributo M + for True (ver atributo M + ). o tag deve permanecer um tempo mínimo (especificado em 4 M) em uma mesma condição de alarme (Hi. remoteCameraId: Determina o ID da câmera na aplicação remota. Lo. # alarmDelay: (inteiro sem sinal) É o tempo mínimo (em milisegundos) que o tag deve permanecer em uma mesma condição de alarme antes deste tornar-se ativo. 338 Scripts . HiHi. remoteTag: Caminho do tag remoto. timeStamp: Data/hora em que o valor do tag foi gerado. Se 4 M for modificado em tempo de execução. enableAlternateName: Habilita o uso de outro nome para o tag. alternateName: Nome alternativo para este tag no log de alarmes. . remoteTagPath: (string) Indica o caminho do tag remoto dentro de uma aplicação remota. Alarme de nível LOLO Alarme de nível LOW Alarme de nível High Alarme de nível HIHI delayedAlarm: (booleano) Se TRUE. As opções disponíveis são as seguintes: Opções disponíveis ÍNDICE < 5 3 2 7 DESCRIÇÃO Indica que não há alarmes ativos. LoLo) para ativar (ou gerar) o alarme correspondente. # 3$# name: Nome do objeto.# 3$# 2!. currentAlarm: Determina o estado do tag. initialValue: (string) Contém um valor inicial para o tag e permite que este valor seja modificado em tempo de execução. alwaysInAdvise: Mantém o valor do tag sempre atualizado. returnMessage: Determina a mensagem de retorno de alarme do tag. o contador de tempo é reiniciado.

imageHeight: Determina a altura da imagem. em pixels. brighness: Determina o ajuste do brilho da imagem.Manual do Usuário # 3$# ! K. imageWidth: Determina a largura da imagem. isStopped: Indica se a entrada de video está parada. frameSize: Determina o tamanho (em bytes) do último quadro capturado. isPlaying: Indica se o video está sendo reproduzido. curentFrameRate: Taxa de captura atual. isPaused: Indica se o video está pausado em um quadro. contrast: Ajusta o contraste da imagem. sharpness: Ajusta o foco da imagem. # bitsPerPixel: Determina o número de bits necessários para armazenar cada pixel da imagem. gamma: Ajuste de gama (de 0 a 1000). tint: Ajusta a coloração da imagem. firstPos: Determina a posição inicial (em segundos) da sequência de video. ! . lastPos: Indica a posição final da sequência de video (em segundos). cameraId: Identificador da câmera na aplicação (de 0 a 65535). name: Determina o nome da câmera. em pixels. color: Ajusta a saturação de cores da imagem. velocity: Indica a velocidade em que o video está sendo tocado. As opções disponíveis são as seguintes: Opções disponíveis ÍNDICE 5 ?5 DESCRIÇÃO Velocidade normal à frente Velocidade normal para trás Scripts 339 . currentPos: Determina a posição atual (em segundos) na sequência do video.

$ > !# ' # 3$# name: Um string contendo o nome do Watcher. fileName: Nome do arquivo AVI. frameRate: Indica o número de quadros a gravar por segundo. 500 = metade-volume etc. speed: Determina a velocidade dos frames do AVI. # 3$# 34 # * !F duration: Determina o número total de frames do AVI. usado como identificador.1% unidades do nível do som original (1000 = volume original. name: Nome do objeto. color: Determina o formato de cor da saída do video. isRecording: Inicia/pára a gravação no arquivo AVI. description: Um string contendo uma breve descrição sobre o Watcher. # 3$# !*! ! 8 board: Indica o número da placa (de 0 a 7). fileName: Determina o nome do arquivo AVI. em pixels (para escala avançada). reverse: Retrocede um frame no arquivo AVI.B8 B # 3$# . customHeight: Determina altura da imagem. empixels (para escala avançada). timeFormat: Determina o formato de tempo do frame: 0 – duração e posição são especificados no número de frames e 1 – duração e posição são especificados por milisegundos. custonWidth: Determina a largura da imagem. 340 Scripts . volume: Determina o volume do som em 0.) # 3$# 34 # description: Descrição do objeto. position: Determina a posição do frame no arquivo AVI.

NTSC. customWidth: Determina a largura da imagem. etc). compress: Determina a compressão da imagem. As opções disponíveis são as seguintes: Opções disponíveis ÍNDICE < 5 DESCRIÇÃO Imagem não entrelaçada Imagem entrelaçada scale: Define o tamanho da imagem. frameRate: Determina o número de quadros a capturar por segundo. input: Determina a entrada de video. # 3$# !*! ! 8 - board: Determina o número da placa (de 0 a 7). cfactor: Determina o fator de compressão. As configurações são as seguintes: Opções disponíveis ÍNDICE < + W gg2g Menor compressão Maior compressão: DESCRIÇÃO color: Determina o formato de cor da saída do video. As configurações são as seguintes: Opções disponíveis ÍNDICE < 5 Sem compressão MJPEG DESCRIÇÃO customHeight: Determina a altura da imagem. em pixels (para escala avançada). interlaced: Determina o entrelaçamento de imagens. description: Descrição do objeto.Manual do Usuário format: Determina o formato da imagem (PAL-M. em pixels (para escala avançada). Scripts 341 .

frameRate: Determina o número de quadros a capturar por segundo. # 3$# 34 # :> deviceIndex: Determina o índice do dispositivo na listagem de dispositivo do sistema. name: Nome do objeto. # 3$# 34 # I* *$ !. a imagem não é entrelaçada e se for 1. deviceName: Determina o nome do dispositivo com suporte a Video for Windows. B 8 +C # 3$# # '! server: (string) Contém o nome do servidor Steeplechase.format: Determina o formato da imagem (PAL-M. imput: Determina a entrada de video. por segundo. a imagem é entrelaçada. numBoard: Determina o número da placa. NTSC. numCam: Define o número total de câmeras. format: Formato da imagem (PAL-M. 342 Scripts . deviceVersion: Determina a versão do dispositivo com suporte a Video for Windows. etc). Se o valor for 0. etc). nFrame: Determina o número do quadro atual. ! fileName: Nome do arquivo de video. frameRate: Determina o número de quadros a capturar. scan: (inteiro) Tempo de varredura e atualização do Steeplechase (em milisegundos). NTSC. interlaced: Determina o entrelaçamento de imagem. name: Nome do objeto. scale: Define o tamanho da imagem.

Scripts 343 . totalAlarms: (inteiro) Indica o número total de alarmes ativos em um grupo de tags OPC.Manual do Usuário B8+ # 3$# * vrfyTime: (inteiro) Especifica o período de tempo (em milissegundos) em que o sistema deve verificar se o servidor está ativo.

.

Não é necessário criar qualquer definição na aplicação servidora. Para tal conexão. A sintaxe DDE é definida na aplicação servidora. como pode ser visto abaixo. é necessário que a outra aplicação seja servidora DDE (no mesmo computador). . # O Elipse SCADA trabalhando como Cliente DDE permite buscar dados de aplicações servidoras DDE. A configuração do tag DDE é feita na página geral do tag no Organizer.! "$ # +C +C +C $ # ! O Elipse SCADA permite a troca de informações com outros programas através do suporte a tecnologia DDE (Dynamic Data Exchange). Microsoft Access e outros. O sistema pode operar como servidor ou cliente de aplicativos como o Microsoft Excel. pois o Elipse SCADA pode encontrar as informações automaticamente. Figura 143: Página de configuração do tag DDE Suporte a DDE 345 . Como Cliente DDE. o Elipse SCADA deve ter um tag DDE configurado de acordo com a documentação de sintaxe fornecida pela aplicação servidora.

no mesmo computador. como servidor. Você pode enviar um comando DDE para uma aplicação servidora através de Scripts. o tag DDE configurado pode ser usado em objetos de tela. execute os seguintes procedimentos: Crie um Tag DDE. 346 Suporte a DDE . usando a célula +5 em uma planilha chamada 5 na pasta de trabalho R Ambos os programas estão rodando 5. Faça as seguintes configurações no Tag DDE: Configurações do Tag DDE OPÇÃO Nome do Servidor Tópico Item DESCRIÇÃO Excel [Plan1. esta é detectada automaticamente através dos itens e O ( .xls]Plan1 L1C1 NOTA: Para versões ou linguagens diferentes do software. e o Microsoft Excel. Gerenciador Global. Exemplo: Elipse SCADA & Microsoft Excel A configuração a seguir estabelece uma conexão DDE entre o Elipse SCADA. tópicos e itens podem mudar. Uma vez feita a conexão. É possível testar a conexão com a aplicação servidora através do ' botão / B* !. em Funções H . Se a aplicação estiver aberta no mesmo computador que o Elipse SCADA está rodando. scripts ou outras funções. Especiais. Para esse exemplo. O botão Testar Conexão permite testar a conexão DDE. como um cliente. usando a função 44 B ( G Veja o capítulo sobre Scripts.Os campos $ 6 O( e ' são sempre definidos de acordo com a aplicação servidora.

Para configurar a aplicação cliente basta especificar os três parâmetros para acessar o Elipse SCADA como servidor DDE: servidor. por exemplo: tabela. Para esse exemplo. Elipse SCADA não necessita de nenhuma configuração especial para trabalhar como um servidor DDE. "Aplicação" é o tópico e Tags. No Excel.tagDDE é o item a ser acessado. digite a seguinte fórmula: =ELIPSE|Aplicação!Tags.Manual do Usuário +C + . precisa apenas estar rodando com uma aplicação aberta no momento em que outra aplicação precisar acessar seus dados. por exemplo: tagDDE.tagDDE. Exemplo: Elipse SCADA & Microsoft Excel Neste exemplo o Excel (Cliente) precisa acessar um tag no Elipse SCADA (Servidor) usando DDE. digite na célula desejada. Crie uma tabela no Excel e salve com qualquer nome. onde: "ELIPSE" é o servidor DDE. execute os seguintes procedimentos: Defina o tag que o Excel irá acessar no Elipse SCADA.DateTime". Suporte a DDE 347 . tópico e item.xls. Esse item pode ser qualquer tag ou atributo de qualquer objeto do aplicativo como por exemplo: "Hist1.