Sobre o uso do chat como ferramenta auxiliar de ensino e aprendizagem no curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília1

Carlos Alberto Mamede Hernandes2 Roberto Aguiar Santana3 Sérgio Dagnino Falcão4

Resumo
Este artigo visa suscitar reflexões, por parte da comunidade acadêmica, sobre a aplicação do chat como ferramenta auxiliar de ensino do ponto de vista da Ontologia da Linguagem, com o objetivo de produzir especulações a respeito de formas diferentes de se utilizar a ferramenta. Para se avaliar o chat partiu-se da experiência do uso dessa ferramenta no curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília. Foram efetuadas comparações com três outras modalidades de ensino: aula presencial, videoconferência e e-mail. Para embasar os juízos expostos, foi, ainda, utilizado um questionário distribuído aos alunos do curso.

Palavras-chave
Chat, Aula Presencial, Videoconferência, E-mail, Ensino à Distância, Ensino Baseado em Computador, Aula Via Internet, Ensino e Aprendizagem, Linguagem.

On chat as an auxiliary tool for teaching and learning in the MsC in Computer Science at Universidade Católica de Brasília1
Abstract
The purpose of this paper is to excite reflections on the part of the academic community on the application of chat as an auxiliary tool of education from the point of view of the Language Ontology, with the goal to speculate about different uses of that teaching and learning tool. In order to evaluate chat, the authors started from the experience of using the tool during the classes of the MsC in Computer Science at Universidade Católica de Brasília. Comparisons between chat and three other modalities of education had been effected: actual lesson, video conference and e-mail. To support the displayed judgments, a questionnaire distributed to the students of the course was used.

Keywords
Chat, IRC, Lecture Setting, Video Conference, E-mail, Distance Learning; Computer Based Training, CBT, WBT, Teaching & Learning, Language.

1

Publicado na Revista Tecnologia da Informação, Ed. Universa, v. 2, n. 1, Brasília, 2000, p. 51-58. Aluno do curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília-UCB – carlosmh@linkexpress.com.br. 3 Aluno do curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília-UCB – rsantana@aipnet.com.br. 4 Aluno do curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília-UCB – sfalcao@bsb.terra.com.br.
2

perceber a possibilidade de se elevar tais resultados a um patamar de maior satisfação [ARGYRIS. Johann F. Introdução 2.Sobre o uso do chat como ferramenta auxiliar de ensino e aprendizagem no curso de Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília O propósito deste artigo é suscitar reflexões sobre a aplicação do chat como ferramenta de ensino no Mestrado em Informática da Universidade Católica de Brasília – UCB. 5863]. Ainda neste bloco. Ensino e Aprendizagem Os primeiros trabalhos reconhecidamente importantes para o desenvolvimento da didática foram desenvolvidos em meados do século XVII por João Amós Comênio (1592-1670) que criou os primeiros princípios e regras do ensino [COMÊNIO]. do ponto de vista da ontologia da linguagem. Na conclusão. sob o ponto de vista dos autores enquanto observadores. ser e sentir [PILETTI. amplia-se o número de observadores do mesmo fenômeno mediante a análise dos resultados de um questionário enviado a todos os alunos do curso de Mestrado já citado. p. sendo também comparado com outras modalidades. p. o chat é focalizado à luz da experiência de sua utilização como ferramenta de ensino e aprendizagem na UCB. de conteúdos e condução do processo de ensino. procura-se abordar alguns aspectos teóricos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem. eficácia e eficiência do chat como ferramenta de ensino e aprendizagem e são colocadas algumas questões para discussão.1. gravar no espírito”. assim como outras especulações. e. p. donde se conclui que ao ensinar objetiva-se gravar idéias na cabeça de alguém (aluno) [PILETTI. 28-31]. 31-35]. são tecidas considerações acerca da adequabilidade. 100]. comportamentos. no entanto. pretender esgotar o tema. 2. Na segunda parte. A aprendizagem se caracteriza por ser um processo complexo no qual ocorre a aquisição de novos conhecimentos. conteúdos ou informações que conduzem a uma nova forma de perceber. No primeiro. Herbart (17761841). conseqüentemente. O processo de ensino é uma atividade de mediação onde são oferecidos os meios e as condições para que o aluno se torne o sujeito ativo na assimilação de conhecimentos. expandindo os horizontes da pessoa. p. pensar. p. [LIBÂNEO. ser e agir. John Dewey (1859-1952) e Guilherme Dilthey (1833-1911) [LIBÂNEO. provocando nela novas atitudes. O ensino resulta da combinação adequada de assimilação. Aprendizagem e capacidade de ação Amplia-se o conceito de aprendizagem quando a capacidade de agir não se baseia apenas na obtenção de resultados antecipadamente previstos mas também pelo fato da pessoa questionar o porquê de tais resultados. 1. Profissionais de outras áreas vinculadas ao estudo do ensino à distância ou baseado em computadores poderão se valer dos questionamentos aqui levantados para sugerir novas aplicações do chat como recurso de ensino e aprendizagem. 89-90]. Outros autores considerados muito importantes para a evolução da didática foram Jean Jacques Rousseau (1712-1778). independente e autônoma.Denomina-se Aprendizagem de Primeira Ordem a . O conceito etimológico de ensino decorre da palavra latina signare que significa “colocar dentro. com o objetivo de produzir especulações a respeito de formas diferentes de se utilizar a ferramenta. Em seguida. Henrique Pestalozzi (1746-1827). valores e formas interiores de pensar. será apresentada a caracterização do chat e suas peculiaridades. sem. Este artigo está estruturado em quatro grandes blocos.

não há como falar em aprendizagem [FLORES. 3. voltar e rever qualquer diálogo anterior desde o momento em que entrou na sala. já que as pessoas. pela hora que a mensagem foi transmitida.forma de aprendizagem em que se intervém no tipo de ação adotada. o usuário normalmente se conecta e se desconecta nos horários em que achar conveniente. em uma empresa) ou remotas (e. 32]. Ao final da sessão. mas sim através de esforços visando modificar o tipo do observador. A Ferramenta chat O chat é um espaço conversacional virtual que permite que duas ou mais pessoas dialoguem entre si mediante troca de mensagens escritas enviadas e recebidas com o auxílio de computadores interligados em redes locais (e. fazendo-se expandir o leque de opções de ação. Internet). Adicionalmente. pelo fato de que a pessoa procura questionar os pressupostos. Sem nova capacidade de ação. p. Cada sala representa um espaço conversacional próprio e um usuário pode estar em várias salas simultaneamente.g. a tela com o diálogo rola e o usuário pode. de modo tal que a pessoa possa. o usuário tem a opção de escolher a sala (canal) que deseja entrar. estão ali de livre e expontânea vontade e em seu horário de lazer. o usuário tem a opção de gravar um arquivo contendo todos os diálogos (log do chat) ou imprimir o que foi dito naquela sessão para referência futura.ultranet. agir e atuar no mundo que a cerca [ECHEV96. O que um usuário digita em seu computador é mostrado nas telas dos demais participantes logo que ele pressiona a tecla “ENTER”. Assim. Para compensar a relativa carência de emocionalidades típicas da linguagem escrita. chamados de emoticons (ícones de emoção). Caracteriza-se. quando desejar. Diferenciação dos chats da UCB e da Internet Nas salas de chat da Internet. em geral. importa verificar que a aprendizagem conduza a novos comportamentos. emerge uma noção ampliada de aprendizagem através da qual busca-se intervir na capacidade de agir. p. principalmente. A figura 1 apresenta uma visão esquemática das aprendizagens de primeira e de segunda ordem. [ECHEV96. A linguagem utilizada nos chats é textual e cada mensagem recebida é precedida do nome ou pseudônimo (nickname ou nick) do autor e. p. 137-141]. as distinções5 e juízos6 primários a partir dos quais se dispara o atuar [ECHEV96.com/support/netiquette/emoticons. Este tipo é chamado de Aprendizagem de Segunda Ordem e caracteriza-se. não diretamente no conjunto de ações.shtml. [ECHEV96. Em geral. principalmente. muitos serviços de chat oferecem a opção de um usuário enviar 5 6 Capacidade de separar alguma coisa do plano de fundo e constituí-la em objeto de observação. como aqueles encontrados em www. por sua reatividade na medida em que seus efeitos incidem diretamente na capacidade de ação da pessoa. 7] . definitivamente. 6] Ato lingüístico que reflete a capacidade humana de tomar posição frente a distintas entidades. as salas não têm mediador e o usuário normalmente usa um pseudônimo. verdadeiras ou não. opcionalmente. A partir da Teoria do Observador [ECHEV96]. p. p.1. o chat permite a conversação on-line. as emoções. À medida que a conversação se desenvolve. os usuários utilizam conjuntos de caracteres que simulam a expressão facial do autor. 3. Diferentemente do e-mail. originados em mudanças ocorridas no nível do observador. [LUCENA]. O clima nas salas costuma ser descontraído.g. 32]. Uma vez conectado a um servidor de chat. tornando-se anônimo e se sentindo à vontade para se comportar como quiser e para prover as informações que achar conveniente.

receber críticas. O conteúdo das aulas ministradas com auxílio de computador normalmente é oferecido aos alunos no site do curso. responder questionamentos dos alunos e compartilhar bibliografias com os alunos. O clima nessas salas é de seriedade. nas sessões de chat na UCB as conversas reservadas não são incentivadas. O professor normalmente ministra aulas expositivas com o auxílio de um computador ligado direto aos equipamentos de transmissão. d) e-mail (correio eletrônico): é um veículo de comunicação entre os professores e os alunos e entre os alunos entre si Os professores utilizam esse veículo basicamente para: enviar informativos aos alunos (e. isto é. c) chat: também é uma modalidade de ensino de uso recente nas universidades brasileiras.1. Por fim. Diferentemente da Internet. Relato da experiência de uso de chat no Mestrado em Informática na UCB Um dos objetivos do trabalho foi avaliar o uso do chat sob o paradigma que considera o chat um espaço de conversações. Principais modalidades de ensino e aprendizagem usadas no Mestrado em Informática da UCB São quatro as modalidades de ensino usadas na UCB: aula presencial. b) videoconferência: é uma modalidade de ensino de uso mais recente nas universidades brasileiras e caracteriza-se pelo uso intensivo de equipamentos de transmissão e recepção por televisão e pela distância física entre professor e alunos. Já nas salas de chat da UCB. sugestões e elogios dos trabalhos analisados pelos professor e vistos pelos demais colegas. chat e e-mail. videoconferência. compartilhar bibliografias com o professor e com os demais colegas. a biblioteca localizada no Campus de Taguatinga e o site do Mestrado em Informática na Internet (www. a) aula presencial: modalidade tradicional de ensino usada nas universidades brasileiras. 4. quanto a horários de aulas transferidas de seus horários originais). já que trata-se de uma atividade acadêmica no contexto de disciplinas de um curso de Mestrado e as sessões são mediadas pelos professores. data de entrega de um trabalho). de modo que a imagem do professor é intercalada com imagens provenientes do computador utilizado por ele. com um software para conversação via chat.g. expostas a seguir. A rigidez da coordenação depende de cada professor. com alguns melhoramentos. dentro da sala há canais privados entre as pessoas. cada aula tem data e hora marcadas. 4. como a biblioteca da Pós-Graduação da UCB. tais como computador ligado a um canhão de projeção ou um retroprojetor e transparências. Além dessas modalidades.br).2. O pano de fundo teórico que subsidiará a análise está no modelo de projetos de conversações proposto por Echeverría . Cada participante (professor e alunos) utiliza um computador ligado à Internet.mensagens para outro sem que os demais participantes vejam. Experiência de uso do chat na UCB 4. estão resumidas na Tabela 1. os alunos se identificam e as informações e opiniões expressas afetam o desempenho acadêmico do aluno. existem algumas ferramentas de apoio. e fazer reclamações (e. Na UCB tem sido usado o mIRC.ucb. Em data e hora marcadas previamente. Os alunos usam essencialmente para: enviar perguntas e trabalhos para o professor e para os demais colegas.mestradoinfo. Suas características.g. todos se conectam a um sistema de chat e escolhem uma sala adequada.

O objetivo. não há espaço para qualquer dos três tipos de conversações acima referido. o que sugere que o chat para este tipo de conversação (coordenação de ações) é eficaz. perante um determinado fato que precisa ser enfrentado.25/08/1998 • Disciplina: MPI . Chat 2 . Chat 3 . não se gera qualquer tipo de ação acerca dos fatos interpretados.Metodologias de Gerenciamento de Sistemas • Tema Central: conceito de “empresa virtual” • Análise: houve uma profusão de juízos pessoais. dada a ocorrência de um determinado fato. onde se consubstanciam quatro tipos possíveis de conversações: a) conversações de juízos pessoais: é um tipo de conversação onde se reflete uma cadeia de juízos através dos quais se interpreta determinados fatos e as conseqüências que derivam deles. uma das características centrais das conversações de juízos pessoais.Metodologias de Pesquisa em Informática • Tema Central: conceitos de Metodologia Científica • Análise: predominaram conversações de juízos pessoais. provocado pelo professor. mas houve espaço para conversações de coordenação de ações também. metodologia de pesquisa científica. onde o conjunto de alunos era praticamente o mesmo. mas os temas centrais das aulas eram distintos. abrir o canal que está fechado ou construir o canal que nunca existiu. 218-231]. em um determinado momento. onde cada aluno tentou dar a sua conceituação de “empresa virtual”. portanto. O objetivo principal reside em obter explicações para os fatos e. As declarações. Chat 1 . c) conversações para possíveis ações: ocorrem quando não é possível. O método utilizado neste trabalho foi o de averiguar as conversações ocorridas em três chats específicos. Levantamento da percepção dos alunos com relação ao chat como ferramenta auxiliar de ensino Com o objetivo de subsidiar a análise do chat como ferramenta auxiliar de ensino no Mestrado de Informática da UCB. deseja-se gerar um conjunto de ações futuras que permitam trabalhar o fato ocorrido. discutiu e definiu quais seriam os assuntos a serem tratados nas próximas aulas. geralmente. d) conversações para possíveis conversações: ocorrem quando. Foram observadas conversações para coordenação de ações quando o grupo. tanto dos alunos como do professore. estão assentadas em leituras prévias de material cujo conteúdo.[ECHEV95. intervindo no estado atual de coisas. foi elaborado um questionário com seis questões . assim como os respectivos professores. Objetiva-se especular e explorar acerca de possíveis ações e novas possibilidades que levem à ação que permitirá trabalhar o fato com o qual se depara. b) conversações para a coordenação de ações: tipo de conversação onde. Não se perceberam conversas para possíveis ações. partir para a ação propriamente dita.20/08/1998 • Disciplina: TSI – Tecnologias de Suporte aos Sistemas de Informação • Tema Central: software e hardware básicos • Análise: nesta aula predominaram as conversações de juízos pessoais. 4. p. de disciplinas diferentes. é criar um espaço de conversação.12/04/1999 • Disciplina: MGS .3. não deixa espaço para a busca de responsáveis.

Para facilitar a visualização dos resultados.89 (Figura 4). isto é. que me permitiram identificar lacunas em meu conjunto de conhecimentos. As respostas possíveis variavam de 1 (não aprendi) a 6 (aprendi). segundo constava na página www. que é a média ponderada das respostas. O objetivo do envio do questionário foi dar uma oportunidade para a comunidade de usuários de chat do curso se expressar. Em momento nenhum se pretendeu realizar uma pesquisa com todo o rigor do método científico nem obter resultados definitivos sobre a ferramenta chat. Em última análise. mapear inquietudes comuns aos usuários da ferramenta. O questionário foi enviado para todos os alunos do curso através da lista de distribuição de e-mails mestradoinfo (mestradoinfo-l@tiger. Objetivo: verificar a adequação do chat para transmissão de conceitos novos durante as aulas de chat. eu tomei contato com tópicos novos.br/Aluno/alunos. para que este trabalho representasse a visão de múltiplos observadores. essencialmente. Valor médio das respostas: 2. porém a resposta mais freqüente foi aquela em que declararam não ter aprendido (resposta 1). não se restringisse às opiniões dos autores.mestradoinfo. Houve convergência das respostas. independentemente da finalidade (lazer. enviaram respostas.3. obtida pelo produto das respostas (1 a 6) pelas respectivas freqüências dividido pelo número total de respostas. O valor médio inferior a 2 e a resposta 1 ter prevalecido reafirmam este fato.br) na segunda semana de novembro de 1999.89 indica que houve uma predominância de alunos que declararam que as aulas de chat despertaram poucas inquietudes • • • . A distribuição das respostas é pouco convergente. Valor médio das respostas: 1. As respostas possíveis variavam de 1 (não descobri) a 6 (descobri) Valor médio das respostas: 2. Questão 3 • Enunciado: Durante as aulas de chat. Análise do resultado: 85% dos alunos (17 respostas) declararam ter pouca experiência anterior com o chat (respostas 1 a 3).ucb.ucb. As respostas possíveis variavam de 1 (pouca familiaridade) a 6 (muita familiaridade). Para cada questão foram calculados calculou-se o valor médio das respostas. Questão 2 • • Enunciado: Eu aprendi novos conceitos no decorrer de aulas de chat. que foram tabuladas e analisadas. Questão 1 • • • • Enunciado: Eu usava freqüentemente chat antes da experiência da UCB.3.1. profissional ou educacional). descobri que não sabia sobre alguns assuntos que considerava relevantes. Objetivo: averiguar o grau de familiaridade prévia dos alunos com o chat. de um universo de 83 matriculados. pois nem todos os alunos responderam todas as questões. 4.3. Isto é. Análise do resultado: predominaram (60%) as respostas que indicaram baixo ou nenhum aprendizado (respostas 1 a 3) durante as aulas de chat.do tipo múltipla escolha que apresentavam seis alternativas possíveis como resposta. foram traçados gráficos com as freqüências de cada uma das seis alternativas possíveis para cada questão.95 (Figura 2). buscou-se. Objetivo: avaliar a possibilidade das aulas de chat despertarem novas inquietudes e transformá-las de “não sei que não sei” para “sei que não sei”. Análise do resultado: o valor médio de 2.3. • • 4. 4. Vinte alunos.2. O total de respostas pode variar a cada questão.htm naquela ocasião.63 (Figura 3).

50. Questão 4 • Enunciado: Tendo descoberto uma lacuna de conhecimento. correio eletrônico . com • • .4.3.5. Porém a dispersão dos resultados e o fato de a resposta 3 ser a segunda mais freqüente torna arriscado qualquer juízo definitivo. c) chat e d) correio eletrônico. Valor médio das respostas: aula presencial . mas uma vantagem para as modalidades que a dispensam (videoconferência. chat 2.4. tenho as seguintes percepções a respeito das diversas modalidades de aula: a) aula presencial. Análise do resultado: foram consideradas eficazes quanto ao aprendizado as modalidades aula presencial (unanimidade) e videoconferência (maioria).4. Valor médio das respostas:3. videoconferência e e-mail). Para cada modalidade as respostas possíveis eram 1 (pouco eficiente) a 6 (muito eficiente). A medida da eficiência das modalidades de aula é importante para avaliar a adequabilidade de cada uma delas ao ensino à distância. Questão 6 • Enunciado: Com relação à eficiência (esforço despendido em função do resultado alcançado). Objetivo: comparar a eficácia das aulas de chat com as demais modalidades (aula presencial. que não exige o deslocamento do professor e alunos a um mesmo local físico. • • • 4. Objetivo: verificar se ações foram executadas a partir do momento em que novas inquietudes foram identificadas. As respostas possíveis eram 1 (não fiz nada) a 6 (procurei mais informações a respeito). Análise do resultado: a maioria dos alunos considerou muito eficientes as modalidades aula presencial (valor médio 5. Por exemplo. Com relação ao e-mail (média 4. correio eletrônico . O fato de o aprendizado (no juízo dos alunos) estar associado com a transferência de conceitos durante a aula.novas. fiz alguma coisa para preencher essa lacuna. videoconferência e e-mail). • • • 4. as respostas possíveis eram 1 (pouco eficaz) a 6 (muito eficaz).00. Valor médio das respostas: aula presencial . b) videoconferência. Questão 5 • Enunciado: Com relação à eficácia (aprendi aquilo que esperava). Já o chat (2. Análise do resultado: o valor médio acima de 3 indica que a maioria dos alunos procurou informações adicionais sobre tópicos comentados no decorrer das aulas de chat e que ele considerava ter conhecimentos insatisfatórios.37.3. houve grande dispersão entre as respostas. videoconferência .83 (Figura 5).21). a videoconferência. consultei colegas ou professores.00).74). videoconferência . li livros ou artigos. chat 2.32. c) chat e d) correio eletrônico. porém com ligeira predominância das respostas que consideram esta ferramenta eficaz para o aprendizado. foi classificado como pouco eficiente pela maioria dos alunos.6.00) e videoconferência (média 4.3.5. houve grande dispersão entre as respostas. tenho as seguintes percepções a respeito das diversas modalidades de aula: a) aula presencial. b) videoconferência. Para cada modalidade.4. A necessidade da presença física seria uma desvantagem para a aula presencial. Com relação ao e-mail.00 (Figura 7). pesquisei na Internet.05 (Figura 6). chat e e-mail).valor médio 4. Objetivo: Comparar a eficiência das aulas de chat com as demais modalidades (aula presencial.21. ao contrário do chat. 4. talvez explique a grande preferência pela aula presencial e pela modalidade mais próxima.74. considerado pouco eficaz pela maioria dos alunos.5.

tornando a comunicação mais rápida e natural. emocionalidade e linguagem. mesma mídia utilizada pela aula de chat. aparentemente. Já os resultados de questão 4 indicam que o chat é um espaço conversacional adequado a conversas para possíveis ações. é provável que se aumente a eficiência e eficácia dessa modalidade. . Vale ressaltar que a Internet. 4. Análise das respostas do questionário Pelos resultados da questão 1. que levem em conta as perspectivas de aumento da largura de banda disponível. não são adequadas para a transmissão de novos conhecimentos. mesmo oferecendo a comodidade de não exigir deslocamentos. Observa-se que o chat não permite aos participantes trabalhar as suas corporalidades. utilização de pouca largura de banda (capacidade de vazão do meio de transmissão) e documentação permanente de tudo o que foi apresentado e discutido na aula (log do chat). A descoberta de novas inquietudes provocou uma mudança ao nível do observador. Nessa primeira sessão deve-se estabelecer as regras de conversação no ambiente do chat (protocolo de conversação) e orientar os alunos que nunca usaram a ferramenta para se familiarizem com ela. tais como: i) imagens. As vantagens identificadas do chat residem na sua simplicidade de uso. em complemento aos textos escritos. mesmo com o inconveniente de exigir presença física e sincronismo de tempo. assim como outras desfavoráveis. É importante notar que as modalidades apropriadas para o ensino a distância foram preteridas em relação à aula presencial. Pode-se concluir que a aula presencial. Tendo em vista os resultados expostos do questionário aplicado. dificulta significativamente a expressão das emocionalidades e restringe os recursos da linguagem à forma escrita.3. fixas ou em movimento. as aulas de chat aparentemente são adequadas para provocar a curiosidade dos alunos a respeito de temas novos e/ou desconhecidos. ii) reconhecimento de voz. substitui-se a digitação. pode-se inferir que é recomendada uma conversação para possíveis conversas durante a primeira aula de chat de cada disciplina. A seguir são sugeridas algumas linhas de trabalhos mais aprofundados sobre o tema chat como ferramenta complementar de ensino e aprendizagem: a) utilização de recursos tecnológicos mais avançados junto com o chat. a necessidade de deslocamento físico e a necessidade de sincronismo de tempo (vide Tabela 1). oferece poderosas ferramentas de pesquisa que facilitam e estimulam a procura de novas fontes de informação após o término da aula ou até mesmo durante seu transcorrer. fazendo com que ele agisse de forma diferente (passou a procurar respostas às inquietudes descobertas). as aulas de chat. A maior desvantagem do chat decorre do empobrecimento das três componentes conversacionais: corporalidade. De acordo com os resultados da questão 2. Essa documentação pode auxiliar os alunos que não participaram de uma sessão de chat a se inteirar do que foi discutido. 5. Com essa primeira sessão. Os fatores que podem aumentar a eficiência de uma modalidade de aula.ligeira predominância das respostas que consideram esta ferramenta eficiente para ensino e aprendizagem. reduzindo o esforço necessário são: o tempo de aula. da forma como são realizadas hoje. é a modalidade preferida. ao se transformar as mensagens faladas pelo usuário em textos. Conclusão O chat apresenta algumas características favoráveis à sua utilização como ferramenta complementar de ensino e aprendizagem.7.

São Paulo: Cortez. Chile: Dolmen. Ática. SMITH. onde predominou a forma tradicional de ensino. Didática Geral. Providencia.b) levantamento das dinâmicas de aula e técnicas didáticas mais apropriadas e eficazes para utilização do chat como ferramenta auxiliar de ensino. Santiago. 1993. viabiliza mais a aprendizagem de primeira ordem do que a de segunda ordem? e) As conversas para coordenação de ações têm no chat um espaço de conversação que atende aos seus principais requisitos? 6. d) impactos do uso do chat nos sistemas de avaliação de desempenho de alunos e possibilidades de aperfeiçoamento de tais sistemas. São Paulo. HOCHGURTEL. idade. [ECHEV96] ECHEVERRÍA. Brian D. JCST. [PILETTI] PILETTI. p. Didática. Também parece relevante levantar algumas questões sobre o uso do chat como ferramenta auxiliar de ensino e aprendizagem: a) As aulas mediadas por chat deveriam ter um formato distinto (protocolo de conversação) daquele utilizado em dois dos chats analisado. José Carlos. Using Internet Relay Chat to provide on-line tutorials in a distancelearning chemistry couse: Holding Class On-Line at a Commuter-Only University. distribuídos em salas distintas. c) estudos exploratórios visando comparar o desempenho do chat com outras modalidades. Chris. [LUCENA] LUCENA. Pedagogicas Chilenas. PIZARRO. ed. 1995. Steven S. Claudino. Didactica Magna: Tratado Universal da Arte de Ensinar Tudo a Todos. Harvard Business Review. Boston. 4. constantemente visitadas pelo professor. El Observador y la Acción Humana. Rafael. Universidade Católica de Brasília (UCB). não exploraria melhor as vantagens oferecidas pelo chat? c) Até que ponto os processos de ensino e aprendizagem são comprometidos pelas restrições conversacionais relativas à corporalidade e à emocionalidade? Como superar estas limitações? d) O espaço conversacional disponibilizado pelo chat. EUA. Alicia. João Amós. ed. Fernando. 1998. 1996. 4. Creando Organizaciones para el Futuro. [LIBÂNEO] LIBÂNEO. nov. 1996. Rafael. [ECHEV95] ECHEVERRÍA. a corporalidade e a emocionalidade. Teaching Smart People How to Learn. 99-109.. Ontologia del Lenguaje. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 2. [ARGYRIS] . Newfield Consulting. segundo critérios como grau de escolaridade. nos moldes descritos por Kimbrough [KIMBROU]. 1993. por restringir a linguagem. [FLORES] FLORES. ed. [KIMBROU] KIMBROUGH. Gentil. Denver.. Referências bibliográficas ARGYRIS. com sessões de perguntas (alunos) e respostas (professor)? b) A utilização de grupos de estudo menores. Mestrado em Informática. Doris. julho-novembro de 1999.. 1996. sexo e eixo temático das aulas. México. Notas de Aula da Disciplina "Gerenciamento de Recursos Humanos em Organizações Informatizadas". May-June1991. [COMÊNIO] COMÊNIO. R. em grupos distintos de estudantes. Chile.

33] Resultados da questão 1 10 Resultados da questão 2 7 5 2 2 1 4 1 0 6 4 2 1 1 2 3 4 5 1 2 3 4 5 6 respostas respostas Figura 2 – Resultados da questão 1 Figura 3 – Resultados da questão 2 Resultados da questão 3 7 5 2 1 1 3 4 Resultados da questão 4 5 4 2 1 2 1 2 3 4 5 6 1 2 3 4 5 6 respostas respostas Figura 4 – Resultados da questão 3 Figura 5 – Resultados da questão 4 . p.PESSOA Observador Ação Resultados Aprendizado de Primeira Ordem Aprendizado de Segunda Ordem Figura 1 – Aprendizagem de Primeira e Segunda Ordem Fonte: [ECHEVERR.

fita de vídeo) Nula Baixa Escrita Nula Baixa Baixa Escrita Baixa (esquecimento) Sim (log do chat) Escrita Alta Sim (pode ser organizado por assunto) Tabela 1 .g.Comparativo das modalidades de ensino e aprendizagem . mas é possível (e.Pontual (professor vê o grupo na maior parte do tempo) Alta – Pontual (professor vê o grupo na maior parte do tempo) Oral Baixa (esquecimento) Não. perguntas) Atendimento do professor com relação aos alunos (predominante) Corporalidade do professor Emocionalidade do professor Linguagem do professor Corporalidade dos alunos aula presencial videoconferência Sim Sim Alta Baixa Coletivo Sim. arquivo ou texto impresso) Média (imagem da cintura para cima) Alta Oral Média .g.g. chat 0 2 0 2 3 8 6 4 5 6 4 4 3 2 1 0 00 0 2 2 11 0 4 44 3 4 2 00 1 e-mail presencial video conf. com a participação de todos Nula Baixa Escrita Nula e-mail Não Não Irrelevante (assíncrona) Alta Individual (coletivo com lista de distribuição) Alta Alta Oral Alta – Pontual (professor vê o grupo na maior parte do tempo) Alta – Pontual (professor vê o grupo na maior parte do tempo) Oral Baixa (esquecimento) Não Emocionalidade dos alunos Linguagem dos alunos Continuação de conversas com amadurecimento de idéias Há registro único da conversa (e. o professor em um local e os alunos em outro Sim Alta (depende da infra-estrutura) Baixa Coletivo chat Não Sim Baixa (digitação) Baixa Individual. chat e-mail presencial Figura 6 – Resultados da questão 5 Figura 7 – Resultados da questão 6 Características Necessidade de alunos e professores estarem no mesmo local físico Sincronismo de tempo (alunos e professores presentes ou conectados ao mesmo tempo) Velocidade de transmissão de informações Grau da estruturação das intervenções dos alunos (e.Respostas da Questão 5 1 12 Respostas da Questão 6 1 2 3 4 5 6 2 3 4 5 6 8 9 7 8 6 5 5 5 4 3 3 2 1 0 video conf.