CONFIRMADO: CAIO VESTIRÁ PRETO E BRANCO

Por.: André Quintão

Caio, que hoje possui 30 Anos, começou a sua carreira profissional em 1998, quando atuava pela equipe do Rio Branco/SP. Em toda a sua carreira o jogador passou por 11 times diferentes, sendo 8 pelo futebol brasileiro e 3 equipes estrangeiras.A última equipe brasileira que o jogador atuou foi pelo Avaí, na temporada de 2010.

Equipes onde Atuou

A Diretoria atleticana confirmou na última Sexta-Feira (10/06/2011), a contratação do meio-campista brasileiro Antônio Caio da Silva Souza. No início do ano o jogador recebeu sondagens do Cruzeiro e Al-Khor, porém a proposta celeste não o satisfez e ele acabou sendo contratado pelo último.

FICHA TÉCNICA

O Galo1

ÚLTIMOS NÚMEROS NO BRASIL Brasileirão 2009

Brasileirão 2010

[J=Jogos, V=Vitórias, E=Empates, D=Derrotas, SG=Saldo de Gols, M=Minutos, T=Titulares, RU=Reserva Utilizado,GP=Gols marcados, A=Cartões Amarelos, AA=Segundos Amarelos, V=Cartões Vermelhos]

[J=Jogos, V=Vitórias, E=Empates, D=Derrotas, SG=Saldo de Gols, M=Minutos, T=Titulares, RU=Reserva Utilizado,GP=Gols marcados, A=Cartões Amarelos, AA=Segundos Amarelos, V=Cartões Vermelhos]

N/U = Reserva Não Utilizado

2 O Galo

Copa do Brasil 2010

PÓS-JOGO: BAHIA 1vs 1 GALO
Por.:UOL

[J=Jogos, V=Vitórias, E=Empates, D=Derrotas, SG=Saldo de Gols, M=Minutos, T=Titulares, RU=Reserva Utilizado,GP=Gols marcados, A=Cartões Amarelos, AA=Segundos Amarelos, V=Cartões Vermelhos]

No reencontro entre os desafetos Dorival Júnior e Ricardinho, Atlético-MG e Bahia empataram por 1 a 1, neste domingo, no estádio de Pituaçu, em Salvador, e não conseguiram atingir seus objetivos. Enquanto o time mineiro, que vinha de derrota em casa, voltou a desperdiçar várias chances de gol e adiou a reabilitação no Brasileirão, a equipe baiana segue sem vencer na competição. Com o resultado, o Atlético chegou a sete pontos e reassumiu a quarta posição, ao mesmo momentaneamente. Já o Bahia, que somou seu segundo ponto na competição, permaneceu na 18º posição, na zona de rebaixamento. A exemplo do jogo com o São Paulo, quando criou várias chances de gol e saiu derrotado por 1 a 0, o time mineiro teve muitas oportunidades para marcar neste domingo, mas só conseguiu balançar as redes uma vez. De acordo com o levantamento do Datafolha exibido durante o acompanhamento do Placar UOL, a equipe alvinegra finalizou 22 vezes, contra três do Bahia. O Bahia abriu o placar com Souza, em cobrança de pênalti aos 3min de etapa final. O empate atleticano veio aos 31min, com Neto Berola. No restante da partida, o Atlético esteve mais perto da virada, mas desperdiçou oportunidades claras, principalmente com Mancini e Magno Alves. A partida deste domingo marcou o reencontro Dorival Júnior com o meia Ricardinho, dispensado pelo Atlético a pedido do treinador. O experiente armador, que estreou com a camisa do Bahia, teve

Sul-Americana 2010

[J=Jogos, V=Vitórias, E=Empates, D=Derrotas, SG=Saldo de Gols, M=Minutos, T=Titulares, RU=Reserva Utilizado,GP=Gols marcados, A=Cartões Amarelos, AA=Segundos Amarelos, V=Cartões Vermelhos]

3 O Galo

atuação discreta. O atacante Jobson, que chegou a defender o clube mineiro no início do ano e pediu para sair, enfrentou pela primeira vez seus ex-companheiros. Em um primeiro movimentado, o Atlético esteve mais perto de abrir o placar. O time mineiro finalizou 11 vezes, de acordo com o levantamento do Datafolha. Quatro delas tiveram a direção do gol, mas sete foram para fora. O Bahia concluiu apenas uma vez, num chute de fora da área de Jobson, aos 30min defendido por Renan Ribeiro. O Atlético começou bem o jogo e partiu para cima do adversário. Aos 3min, Mancini cruzou da esquerda e Magno Alves cabeceou para fora. Dois minutos depois, Fahel recebeu livre na área e mandou para o gol, mas a arbitragem assinalou impedimento. A imagem da televisão mostrou, no entanto, que o jogador estava em posição legal. Mais organizado em campo, o time mineiro criou chances seguidas para marcar, mas errou na hora de concluir e parou nas defesas de Marcelo Lomba. Aos 11min, Mancini acertou a trave esquerda do goleiro do Bahia, que conseguiu desviar a bola. Aos 32min, Toró cruza para a área e Magno Alves, de frente para o gol, cabeceia para fora. Ainda no primeiro tempo, ocorreram dois lances polêmicos. No início do jogo, a bola tocou na mão de Rafael Cruz em lance com Jobson. Os atleticanos reclamaram de toque de mão do jogador do Bahia. No final da primeira etapa, Leonardo Silva marcou de bicicleta, mas o árbitro anulou e assinalou lance perigoso. No início do segundo tempo, mais lance polêmico. Aos 3min, Leonardo Silva intercepta uma bola chutada da entrada da área e o árbitro assinala pênalti. O zagueiro atleticano alega que a bola tocou em suas

costas, reclama bastante e leva cartão amarelo. O Atlético não se abateu com o gol sofrido e criou várias chances para empatar. O objetivo só foi alcançado aos 31min. Em jogada que envolveu dois jogadores que saíram do banco, Daniel Carvalho lançou na área e Neto Berola tocou de cabeça no canto direito de Marcelo Lomba, que dessa vez não pôde fazer nada. No final da partida, o Atlético ficou um jogador a menos. Neto Berola entrou de carrilho por trás no adversário e foi expulso. Aos 46min, Mancini recebeu lançamento certeiro de Daniel Carvalho, mas finalizou por cima do travessão, desperdiçando excelente oportunidade. Antes disso, aos 40min, Daniel Carvalho cobrou falta na área e Dudu Cearense desviou de cabeça para o gol, mas a arbitragem assinalou impedimento. Após o término do jogo, os atleticanos reclamaram bastante da arbitragem, entre eles o técnico Dorival Júnior.

ESTATÍSTICAS

4 O Galo

PRÉ-JOGO: GALO vs ATLÉTICO/GO

Artilheiros Alvinegros
Gols 5 3 2 Nome Dario Éder Aleixo D. Tardelli R. Bueno

O GALO vai para a 5ª Rodada do Campeonato Brasileiro em busca da retomada do caminho da Vitória. E se depender da história do confronto dessas duas equipes, o GALO sairá vencedor.

Primeiro Jogo
O primeiro jogo entre as duas equipes ocorreu no ano de 1969, em um amistoso no Estádio Nacional. Na ocasião o GALO venceu por 1 a 0. Só dá Galo é um programa da Rádio Favela (106,7 FM - BH) que vai ao ar toda Terça-Feira, das 20h às 21h. Próximo Programa: Dia 14 de junho de 2011 ± Com participação da Galo¶Stones, na quadra SinteticBool.

Último Jogo
O ultimo confronto entre as duas equipes foi no ano passado, válida pela 27ª Rodada do Campeonato Brasileiro e disputada no Serra Dourada. Na ocasião o GALO venceu por 3 a 2.

Maiores Goleadas
GALO ± Por duas vezes o GALO goleou os goianos por 4 a 1. Primeiro foi no ano de 1969 e depois em 1970. Atlético/GO ±Nunca ganhou do GALO

5 O Galo

É
Font : IC

EÃ !!!

Pouco depois os portugueses mudaram o plcar para 2 a 1. Mas o Atlético soube mostrar quem é que mandava na partida, marcou mais um e liquidou a partida.

linho foi campeão na Holanda. ³O Galo´ não conseguiu acompanhar a competi ão da equipe para passar maiores detalhes, porém, colocamos a seguir a tradução de todos os relatos das partidas que o time disputou e se encontram disponí el no site oficial da competição.

Em uma partida agradável de se ver, o time brasileiro ganhou merecidamente do seu coloni ador. Ambas as equipes foram ofensivas, porém o Atlético foi um pouco mais ofensivo e melhor taticamente do que a equipe portuguesa. A torcida do Sporting Lisboa marcou presença na partida com sua torcida organi ada local ³Juve Leo Holanda´, porém foi o Atlético quem começou com um bom ataque efetuado por Cândido Silva. Mas foi no terceiro ataque, o ataque organi ado pelo capitão Gomes dos Santos que saiu o gol atleticano um pouco antes da metade do jogo. Porém, foi no segundo tempo que o nível do jogo aumentou e o que não faltou foi emoção. Após uma entrada dura no jogador português Bangna a confsão se formou, em um empurra pra lá e grita pra cá, o jui foi o único a não entender o que se falava. Em seguida o Atlético chutou de longe, a bola raspou nos dedos do goleiro mas não deu, foi para o canto esquerdo e entrou: 2 a 0 Atlético.

OG l 

¥¤ £ ¢ ©     ¡  ¨§
º LO 3vs 1 Sporti

¦

2º Jogo FC Uitgeest1vs 7 GALO

O Atlético Mineiro tem um começo promissor para o ICGT. A primeira partida já estava ganha, e a partida contra o FC Uitgeest se transformou em lucro para os brasileiros. Acabou em uma goleada monstruosa. O Atlético Mieniro acertou o gol sete vezes, já o Uitgeest marcou um apenas para salvar a honra. O resultado foi mais do que justo. O Atlético acabou rapidamente com qualquer perigo que o time local pudesse fazer. O time de Uitgeest dificilmente conseguiu tirar a bola de sua grande área. Para o time verde e amarelo, apenas o fim do jogo foi motivo de comemoração.

3º Jogo GALO 2 vs 0 Young Boys
A batalha entre os sambistas brasileiros contra os táticos suíços foi concluída com uma merecida vitória do time de Belo Horizonte. Tanto na técnica quanto n tática o Atlético se mostrou muito superior aos suíços. O mais impressionante foi a diferença de qualidade técnica individual do time atleticano, embora os mesmos jogadores cometam erros que ocasionam em perda de bola desnecessária. O primeiro gol atleticano foi marcado por Paulo Henrique da Silva ± um nome muito grande para o futebol. Dez minutos depois Paulo Henrique da Silva marcou o seu

6

segundo gol e garantiu a vitória atleticana. Sesselo Hélio ainda tentou marcar, mas o goleiro Victor evitou o que seria o gol de honra dos suíços. Com essa vitória o time atleticano assegurou o primeiro lugar do grupo, voltando a jogar as fases finais na próxima segunda-feira.

FINAL GALO 2vs 1 Sporting
A final da 26ª Edição do ICGT contou com uma linda e forte partida entre as equipes, que fizeram de tudo para conquistar o primeiro lugar do torneio. Enfim o Atlético Mineiro sagrou-se Campeão. Apesar do mau tempo, felizmente cerca de mil torcedores compareceram à partida. Depois de uma forte primeira etapa, o Sporting lançou-se na frente do placar com um gol de pênalti do jogador José Lopez. Depois de dez minutos Jemerson Nascimento se encontrou sozinho, frente a frente com o goleiro português Luis Ribeiro, e foi merecidamente que Jemerson empatou a partida para o Atlético. Aos 51 minutos Afonso Taira, jogador do Sporting, fez uma falta grave e levou o vermelho. Quatro minutos depois Souza de Jesus fez uma jogada brilhante pra cima do jogador português e tocou para Paulo Henrique marcar. Estava aí o resultado final. E merecidamente o Atlético Mineiro se sagrou campeão do torneio ICGT, pois é uma equipe de grande nome. A festa foi comandada pelos brasileiros e a Holanda já espera a volta da equipe para o próximo torneio, onde o time defenderá a Taça.

Semi Final GALO 3vs 0 Villareal
Foi um jogo brigado, mas o Atlético se garantiu na final do torneio pela primeira vez. No ano passado a equipe parou nas Semifinais quando perdeu de 1 a 0 para o Villareal. Infelizmente o árbitro teve que distribuir alguns cart es para manter o controle da partida. O jogo esquentou quando o jogador atleticano fez uma falta pesada e não levou o vermelho, isso fez com que os espanhóis jogassem pesados e acabaram tendo um expulso. O time atleticano descartou o jogo aberto e fez uma linda corrida pelo lado direito, que sempre acabava aos pés de Cândido Silva. O Villareal conseguia chegar ao gol algumas vez com um ataque bem planejado, mas não conseguiu marcar. Nos quinze primeiros minutos o Atlético jogou fechado, o atawue ficava pro conta de Wescley, que sempre chutava com precisão no ponto extremo do gol espanhol. O Villareal não aceitava a derrota e criou algumas oportunidades com Esteves Rodriguez, mas todas as tentativas falharam. Por outro lado, Wescley não titubeou e marcou três vezes. Atlético garantido na Final do campeonato. 

OG l 

7

O GALO parabeniza todos os nossos integrantes na Holanda por mais um grande conquista Atletas
1 ± Paulo Victor ScarpellineSecco ± PAULO VICTOR ± Goleiro 2 ± Roger Luiz da Silva Teixeira Alves ± ROGER ± Lateral-direito 3 ± Igor Soares Evaristo ± IGOR SOARES ± Zagueiro 4 ± Jemerson de Jesus Nascimento ± JEMERSON ± Zagueiro 5 ± Paulo Roberto Alves Coelho ± PAULO ROBERTO ALVES ± Volante 6 ± Eron Santos Lourenço ± ERON ± Lateral Esquerdo 7 ± Valdisney Costa dos Santos ± DINEY ± Meia 8 ± Lucas Cândido Silva ± LUCAS CANDIDO ± Meia 9 ± Manoel Segundo Jardim Júnior ± MANOEL ± Atacante 10 ± Claudionor Souza de Jesus ± LELEU ± Meia 11 ± Wescley Gomes dos Santos ± WESCLEY ± Atacante 13 ± Victor Cardoso de Freitas - VITÃO ± Zagueiro 14 ± Markwell Feitosa dos Santos ± CAFÉ ± Volante 15 ± Paulo Modesto da Silva Júnior ± PAULINHO SILVA ± Volante 16 ± Bernard ± BERNARD ± Meia 17 ± Felipe Augusto Ferreira Batista ± FELIPE AUGUSTO ± Atacante 18 ± Paulo Henrique Ribeiro da Silva ± PAULO HENRIQUE ± Atacante 20 ± João Vitor Rapatão ± JOÃO VITOR ± Goleiro

Ubaldo, o Deus Negro
Fonte.:GaloDigital

Ubaldo

Miranda,

mais

conhecido

como Ubaldo, foi jogador do Atlético nas décadas de 1950 e 1960. Com a camisa do Galo, o ex-jogador fez 274 jogos e marcou 124 gols. Além disso, venceu 6 títulos mineiros e é um dos principais jogadores na história do clube.

Início no Atl tico
O amigo de Ubaldo, Airton Guimarães, descreve assim seu início na equipe do Atlético: "O "Estado de Minas" comentava a atuação na equipe contra o Corinthians: "Sabe-se que o centro de ataque apresentará aquele que já merece o posto. O jovem jogador de Divinópolis terá um excelente ocasião para exibir os seus recursos. O público já percebeu que Ubaldo, uma das mais recentes conquistas do Atlético, é uma esperança para o futuro. Sua característica principal é a maneira veloz de fugir aos adversários, o que constitui participa." E Ubaldo não decepcionou. Apesar de não ponto de básico que dos lances empolgadantes constantemente

Comissão T cnica 1 ± André Luiz Silva Figueiredo ± Gerente Técnico 2 ± Mário Rogério Reis Micale ± Treinador 3 ± Otávio Ruegger Almeida Neves ± Preparador Físico 4 ± William José de Castro ± Treinador de Goleiros 5 ± Aluísio Carlos dos Santos ± Massagista 6 ± Rodrigo Barreiros Vieira ± Médico 7 ± Júlio César Pacheco ± Mordomo

ter marcado gol na partida, deu o passe para o primeiro gol de Lucas e fez a jogada para o terceiro gol assinalado por Resende. O segundo gol também foi de Lucas, na vitória de três a zero. O Atlético jogou com Mão de Onça - Juca e Osvaldo - Afonso, Monte e Carango - Lucas, Lauro, Ubaldo, Alvinho e Nívio. Uma formação formosa,

8 

OG l

que o atleticano sabe de cor e de que se lembra com orgulho. Quando Ubaldo começou a jogar na equipe titular do Atlético, no início dos anos de 1950, o time ressentia-se da ausência de um grande atacante. Depois que o Atlético perdeu Guará, no célebre acidente com Caieira, iniciou-se uma série de experiências â procura de um substituto à altura do grande ídolo. Aí surgiu Ubaldo, um jogador sem uma técnica mais apurada, e olhado com desconfiança pela Imprensa, que o tachava de "estranho e esquisito". Sua maneira de jogar era diferente: velocidade e entusiasmo como características básicas, aliadas a uma determinação de perseguir a jogada até o fim, sem nunca desistir. Tentar o gol nas condições mais adversas, e, sobretudo, acreditar nas bolas impossíveis. Essa última característica faria dele depois um ídolo da torcida, quando marcava gols decisivos, chamadas de "espíritas" - não se sabia como, mas mesmo em jogadas complicadas e difíceis, a bola tocada por ele acabava no fundo das redes adversárias. Os atleticanos, acostumados por exemplo ao toque refinado de um Carlyle, estavam sendo apresentados a um novo estilo de centroavante. Seria Ubaldo o ideal para os atleticanos?

pedida a licença no 10°RI onde o craque servia mas o comandante advertiu que somente o Ministério da Guerra poderia resolver. embarque Aproximava-se e, sem uma a data do o definição,

presidente do Atlético tomou uma decisão de ir a Juiz de Fora avistar com o comandante da IV Região Militar a quem estava afeta a liberação. Mas de nada adiantaram seu apelos. Ricardo Diez lamentou a ausência do jogador na delegação: "Será extremamente lamentável para o Atlético e para o futebol brasileiro a falta de Ubaldo na delegação pois nessa excursão não estará em jogo apenas o nome do Atlético mas sobretudo o do Brasil."

Ausência na Europa
Para que o Atlético pudesse excursionar à Europa os seus jogos foram adiados e a tabela do campeonato reformada. O único problema resumia-se em Ubaldo. Foi

9 

OG l