Sem gols, sem emoção.

Na volta de Três Passos, além dos três pontos veio junto a esperança de uma seqüência de vitórias para o time do Riograndense. Isso poderia ocorrer caso vencesse o União Frederiquense. Mas a consolidação do time não veio. Dentro de campo, um jogo sem emoção e com poucas chances de gol, resultaram um 0x0 nos Eucaliptos. Agora, a equipe de Santa Maria soma sete pontos no Grupo 4. Mais uma vez jogando no meio da semana, sob os 36ºC do outono santa-mariense, o Riograndense contou com pouco apoio oriundo das arquibancadas. Cerca de 600 torcedores foram até o Estádio dos Eucaliptos para acompanhar o último jogo do primeiro turno da Segundona Gaúcha. A equipe do União, comandada pelo ex-treinador do Riograndense, Rodrigo Bandeira, soube aproveitar a instabilidade da equipe local e, jogando fechada, deixou poucos espaços para a equipe de Santa Maria praticar o seu futebol. O visitante valorizou muito o ponto fora de casa. E pelas circunstâncias criadas durante o jogo, o Periquito também. Sem emoção e sem chance alguma de gol no primeiro tempo, o que se viu em campo foi marcação forte e muita catimba dos adversários. Veio a parada técnica, e com ela a rispidez do treinador Jair Galvão, que não poupou adjetivos para tentar animar sua equipe. A bronca surtiu efeito. Após a parada para hidratação, a equipe esmeraldina voltou mais acesa para partida. Aos 30 minutos, o camisa 10 Gil penetrou na zaga adversária e cruzou rasteiro. Fábio Santos se esforçou mas não alcançou a bola, que passou perto do gol do goleiro Rafael. Um lance curioso ainda estava para acontecer na partida. O atacante Fabio Santos se esforçou para alcançar uma bola na linha de fundo. Após a jogada, um cachorro da Brigada Militar avançou sobre o jogador e mordeu o atacante periquito. O atacante periquito apenas sofreu uma leve escoriação nas costas, mas deixou o campo para ser atendido. Lances que só acontecem na Série B do futebol gaúcho. Ao término do primeiro tempo, o Riograndense foi para o vestiário sob vaias. Com o intervalo, vieram as mudanças. Fábio Buda fez sua estréia com a camisa 18, entrou no lugar do Fábio Santos, e Diogo entrou no meio, no lugar de Anderson Cruz. Com a entrada destes jogadores, o camisa 10 Gil passou a atuar na lateral esquerda. O primeiro lance do segundo tempo mostrou o que seria todo o restante do jogo: bola alçada na área do Riograndense e muita briga no meio-campo, com Toto armando e enfrentando a marcação do time da casa. Rodrigo Bandeira modificou sua equipe antes mesmo dos 5 minutos do segundo tempo, Entrou Rodrigo Vareta e saiu Carlinhos. Vareta atuou pelo lado esquerdo, para

o Riograndense perdeu a posse de bola e o controle do jogo. mas o final da partida resultou em mais uma expulsão. Nem os 5 minutos de acréscimos dados pelo juiz da partida foram suficientes para a equipe do Riograndense fazer o seu gol. RIOGRANDENSE . No final. O jogador veio a pedido do treinador Jair Galvão. e o esquema ficou ofensivo. Gil acabou acertando o rosto do atacante Fabiano Veiga. Fábio Buda escorou e Adison chutou de primeira. Desta vez. o ex-jogador do Riograndense. Mas esse foi um dos raros momentos que a torcida pode acompanhar o time com três atacantes. lançou. A direção periquita se defendeu. até o mais bravo torcedor desligou seu rádio e começou a deixar o estádio. Adison e Zé Carlos na frente. Evandro Zamberlan. Aos 15 minutos. com esperança de que algo mudasse o placar. anunciou a contratação do volante Leandro Gaúcho. o Riograndense se atirou ao ataque. Leandro Nunes deixou a equipe com nove jogadores em campo. ex-Riograndense. colocou na partida o garoto Adison. Após o jogo Ao deixar o gramado. foi alvo dos xingamentos da torcida. poucos lances de gol. Antes que Fabiano Veiga chegasse para marcar o gol.marcar as subidas do ala Gudi. a situação ficou difícil para a equipe santa-mariense. Aos 27 minutos. Ao dar entrevista. O treinador Jair Galvão tentou modificar novamente a sua equipe. pois o sistema teve que ser mudado novamente após a expulsão do volante Gudi. Perdido no jogo. Domingo. Morelli. o diretor de futebol. às 18h30min. A partir daí. o Riograndense não cumpriu com suas obrigações. Na entrevista coletiva. Um 4-3-3. o Riograndense enfrenta o Juventus. Segundo o jogador. na abertura do segundo turno da primeira fase da Série B do Gauchão 2011.acusando o jogador por ter levado dinheiro do clube. apareceu o zagueiro Morelli para afastar o perigo. O jogo ficou parado por alguns minutos para que os ânimos fossem acalmados e a discussão encerrada. A medida deu resultado na atuação. e aos 22 minutos o União fez sua melhor jogada. Em um contra-ataque. Com um jogador a menos e correndo contra o relógio. avançou e cruzou rasteiro para o meio da área. mas não no placar. porque a esperança terminava. em Santa Rosa. assustando o goleiro Rafael. o volante chorou ao lembrar dos momentos de dificuldades que passou aqui em Santa Maria. com Fabio Buda. duas expulsões e nenhuma emoção no jogo entre Riograndense 0 X 0 União Frederiquense. Nos minutos finais. Adilson. Toto.

Éverton (Róbson Baiano) e Carlinhos (Vareta). Edilson (Alessandro) e Adilson. Morelli e Guilherme Vianna. Fabiano Veiga e Bassani Técnico: Rodrigo Bandeira CARTÕES AMARELOS: Rafael. . Flávio. Douglas. EXPULSÕES: Gudi e Leandro Nunes (R). Zé Carlos e Fábio Santos (Fábio Buda) Técnico: Jair Galvão UNIÃO Rafael. Gudi. LOCAL: Estádio dos Eucaliptos. Maurício Pizzi.Goico. Toto e Edilson (U). Gil (Adison) e Anderson Cruz (Diogo). Davi Guerreiro. Diogo. Douglas. Leandro Nunes. Toto. em Santa Maria.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful