Acupuntura estética é a arma oriental para os tratamentos de beleza http://drafagundes.blogspot.

com
Tratamento estético costuma ser sinônimo de sofrimento. Vermelhidão e descamação da pele, impedimento da exposição ao sol, longos períodos de cicatrização e recuperação. O que pouca gente sabe é que, para evitar o desconforto, existe uma opção eficaz, praticamente indolor e livre de efeitos colaterais. É a acupuntura estética. » Veja o antes e o depois do tratamento
Postado em Marcadores: Medicina Oriental |

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - O tratamento para celulite é bastante procurado

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - O tratamento harmoniza as energias internas com benefícios externos

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - A aparência da pele melhora consideravelmente

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - Estrias também podem ser tratadas com a acupuntura estética

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - A acupuntura estética reduz até 60% de manchas na primeira sessão

O antes e o depois da acupuntura estética
Foto: Divulgação

São Paulo, 21/08/2006 - A acupuntura estética é indicada inclusive para flacidez nos seios

Pode soar estranho para quem está acostumado a pensar em acupuntura como tratamento de dores e doenças. Mas o lado estético da técnica, apesar de não muito difundido no Brasil, é utilizado há bastante tempo. O tratamento, indicado para rugas, flacidez, olheiras, celulites, gordura localizada, manchas e cicatrizes, é feito da mesma maneira que as sessões de acupuntura para doenças. Com agulhas ou com laser, o especialista estimula pontos de energia do corpo que não estão em harmonia. O laser ajuda também na reconstituição de tecidos danificados. A principal diferença dos tratamentos comuns, além de não necessitar tempo de recuperação, é que a acupuntura considera o paciente como um todo. "Os problemas estéticos normalmente têm ligação com o desequilíbrio da energia de órgãos internos", diz Luiz Carlos Fornazieri, do Instituto Holus de Pesquisa e autor do livro Tratado de Acupuntura Estética (Ícone). Por exemplo: celulite pode ser um indicativo de problemas com a energia do fígado. O tratamento da energia traz, por isso, benefícios internos e aparentes, com resultados animadores. "Em uma sessão conseguimos diminuir 60% de uma mancha. No tratamento de estrias largas, temos melhora de 85%" conta Fornazieri. Os resultados podem ser conferidos na galeria de fotos cedida por ele. As rugas, ligadas ao envelhecimento, podem ser sinal de desarmonia dos músculos da face. "A acupuntura atua harmonizando essa musculatura, provoca renovação e retorno da elasticidade da pele", afirma Maria Assunta Nakano, especialista em acupuntura estética da Associação Médica Brasileira de Acupuntura. E isso sem contar no tratamento de gordura localizada, que pode substituir uma lipoescultura simples. Menos invasiva que os tratamentos comuns, a acupuntura estética pode não ser tão eficaz. "Não podemos comparar o preenchimento com da acupuntura com botox, ou a eletroacupuntura com peeling", diz a especialista. "A acupuntura tem seu limite de ação. Não tira rugas profundas, nem excessos de pele." Para quem não quer enfrentar botox, peelings ou cirurgias plásticas, é uma ótima opção, e não muito cara: o tratamento completo, dependendo do número de sessões, varia de R$ 1500 a R$ 2800.

Fonte: Redação Terra

Acupuntura X Celulite

mal

A acupuntura entra em cena para combater este

Os chineses desenvolveram a acupuntura há mais de 5.000 anos. A terapia usa agulhas finíssimas, espetadas uma a uma, sem causar dor, pelos meridianos, um mapa energético cheio de pontos-chave que, segundo os chineses, representam o fluxo de energia de uma pessoa.

Muito utilizada para tratar de doenças e aliviar dores, a acupuntura agora é usada para garantir um corpo sem celulite e rugas. Será que isto é possível? O professor de medicina chinesa da escola de medicina oriental de São Paulo, Luiz Carlos Fornazieri diz que sim. Ele utiliza microcorrentes acopladas às agulhas para obter o resultado." A agulha colocada na pele é submetida a um estímulo elétrico e esse estímulo faz com que haja um recondicionamento no tecido, de colágeno e elastina, fechando basicamente os sulcos que ali existiam", explica Dr. Fornazieri.

O médico diz ainda, que o tratamento é capaz de aliviar marcas de expressão facial, pés de galinha na região dos olhos e sulcos no nariz e lábios. "Cada ponto desse tem uma correspondência com órgãos internos da pessoa. Então, trabalhando cada um desses pontos, a gente está promovendo também uma organização na saúde do paciente", comenta ele apontando para as duas rugas na testa entre os olhos da paciente, que estão relacionadas com o fígado. Segundo os preceitos da acupuntura, tudo no organismo está relacionado com energia. Isso inclui rugas, celulite e até gordura localizada, consideradas disfunções energéticas."Com a passagem da corrente elétrica através das agulhas, a gente consegue desestabilizar os núcleos da celulite, que a medicina contemporânea enxerga como um edema e inflamação. Com este trabalho a gente favorece a eliminação da celulite e reequilibra toda a região", acrescenta.

O tratamento é finalizado com drenagem linfática, para favorecer a eliminação das toxinas. Com mais de 15 anos de trabalho na área, Dr. Fornazieri diz que com um tratamento completo é possível rejuvenescer alguns anos e eliminar quase por completo a celulite. Fonte: http://www.estilosamiracampos.com.br/beleza/

Medicina Oriental na Prevenção
A Medicina Oriental na Prevenção - merece um destaque maior uma vez que o custo é reduzido, não concorda? O conceito de saúde está mudando,muitos médicos entenderam que os homens não são máquinas vivas, cujas partes que se desgastam são trocadas em cirurgias. As causas não são mais atribuídas apenas aos desequilíbrios químicos. Atualmente já se aceita as interações entre química e campos eletromagnéticos, e aos poucos estamos substituindo a visão materialista e mecânica pela quântica e holística. A cura agora é encarada como parte de um relacionamento com o universo, é o resultado do equilíbrio entre o material e o espiritual. O corpo é composto não só por oxigênio, nutrientes, gorduras, ácidos, etc, mas também pela energia sutil, essa força vital que organiza nossos sistemas. A saúde então, passa a ser o equilíbrio entre os sistemas físicos, a energia vital e a sua relação com a natureza. Quando o homem aprender a viver de forma sadia, equilibrando: saúde, criatividade, amor, harmonia, respeito ao planeta, então estará se reequilibrando e curando a si mesmo. Se nós somos constituídos de energia, com certeza somos afetados por ela também, tanto de forma positiva quanto negativa se houver desequilíbrio. Atualmente a medicina tradicional está abrindo espaço e se utilizando dela para seus tratamentos, como por exemplo: radiação no combate ao câncer, eletricidade para deter a dor e campos eletromagnéticos para curar fraturas. Esse conhecimento que é milenar para as culturas orientais está florescendo agora para nós. Com a utilização das Terapias ditas Alternativas como complemento na prevenção, haveria possibilidade de redução dos custos nos tratamentos, menos toxicidade e riscos que as cirurgias convencionais, isso sem falar da parte psicológica envolvida. A Medicina Tradicional Chinesa há muito nos ensina que quando se harmoniza a energia interna, equilibra-se o funcionamento dos órgãos, fortalece-se a pessoa como um todo, aumentando-se também a sua resistência natural. Hoje começa a existir um interesse muito grande das pessoas em conhecer e experimentar os resultados favoráveis das técnicas menos agressivas como por exemplo: Homeopatia, Acupuntura, Reiki, Shiatsu, Lian Gong, Fitoterapia entre outras, mas ainda nos falta a garantia de um acesso amplo, mais fácil e rápido a elas através dos sistemas de saúde pública.

Essa situação começa timidamente a mudar, com alguns poucos postos de saúde oferecendo a população o atendimento em homeopatia e lian gong. Outras técnicas que permitem o autotratamento ainda não são divulgadas como por exemplo o Do-In, onde a própria pessoa aplica pressão em determinados pontos do corpo para tratar diversos problemas, é claro que isso não indica que não se deva mais procurar médicos, mas com certeza aplicando os conhecimentos orientais essa necessidade ficará cada vez mais distante e para os casos mais graves e complexos. Outro exemplo de tratamento simples e barato é o Lian Gong, que foi desenvolvido pelo Dr. Zhuang Yuen Ming, médico ortopedista chinês, que baseado nas queixas mais comuns de seus pacientes iniciou um estudo e acabou desenvolvendo uma ginástica que é um autotratamento, o Lian Gong em 18 Terapias, ela é composta de 36 movimentos divididos em 6 séries, fáceis de serem feitas, não necessita de grandes espaços ou ferramentas específicas, apenas uma música especialmente desenvolvida para trabalhar o ritmo do movimento. Com a prática constante as síndromes dolorosas do corpo praticamente acabarão, porque ela serve para tratar e também prevenir os distúrbios causados pelo sedentarismo, pelos movimentos repetitivos, trabalha a parte física, emocional e espiritual a um custo baixíssimo. Pelo respeito aos limites de cada um pode ser praticada por pessoas de todas as idades, em meu grupo tenho jovens e pessoas com 87 anos, que ao iniciarem apresentavam problemas de dores e limitação de movimentos, e agora já conseguem fazer tudo aquilo que as doenças comuns da idade (artrose etc) impediam. Hoje pode-se dizer que estão novamente alcançando a plenitude.

Acupuntura pode tratar úlcera e falta de ar
A maneira como a medicina tradicional chinesa explica a eficácia da acupuntura pode até estar errada, mas pesquisadores brasileiros acabam de encontrar uma série de evidências sobre a capacidade da técnica de enfrentar doenças. Dados em animais e humanos sugerem que a acupuntura toma partido da ação de um mensageiro químico das células nervosas para funcionar. Os estudos, feitos por uma equipe da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), se referem a problemas de saúde para os quais ainda havia poucas evidências da ação das agulhas: gastrite, úlcera gástrica e apnéia (dificuldade de respiração) durante o sono. Segundo os pesquisadores, a acupuntura parece estimular a produção de serotonina --um neurotransmissor que modula a ação do sistema nervoso, velho suspeito de estar ligado à eficácia desse tratamento milenar. "Os resultados realmente parecem ser bem promissores", disse à Folha a médica Anaflávia de Oliveira Freire, do Departamento de Fisiologia e Psicobiologia da Unifesp, uma das autoras dos estudos. O trabalho da equipe foi divulgado na edição do mês passado da revista "Pesquisa Fapesp" (revistapesquisa.fapesp.br), publicação editada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Úlcera induzida Segundo a médica, um dos objetivos do estudo era criar condições bem controladas, em laboratório, nas quais fosse possível isolar a ação da acupuntura de outros fatores. "Nós escolhemos um modelo gastrointestinal que é bem conhecido em ratos", conta Freire. Os animais receberam indometacina, fármaco que leva à formação de úlceras no estômago. Depois, foram tratados com duas abordagens distintas que envolvem a acupuntura. Uma delas, a moxibustão ou moxa, consiste em aplicar um bastão em brasa de folhas de artemísia (planta usada na medicina tradicional chinesa) sobre os pontos estratégicos do corpo que, segundo a teoria oriental, são responsáveis pela ação curativa da acupuntura. Outros animais receberam as agulhas propriamente ditas nesses pontos (no abdômen e na lateral das patas). Para quem estranha o fato de que os pontos estimulados tradicionalmente pela técnica tenham correspondência em animais, a médica diz que é possível usar certas medidas das proporções dos ossos para saber onde "picar" ratos ou outros mamíferos. Para completar o controle do experimento, alguns bichos tiveram pontos falsos (não correspondentes aos usados pelos acupunturistas) estimulados, enquanto outros não foram tratados. Após as sessões, os resultados de cada grupo foram comparados e a equipe, formada também pelo orientador de doutorado de Freire, Luiz Eugenio Mello, e por Ysao Yamamura, verificou que tanto a moxa quanto a acupuntura "clássica" reduziram significativamente o problema: as lesões no estômago eram quatro vezes menos numerosas nos bichos que foram tratados. A hipótese da equipe era que o neurotransmissor serotonina, liberado pela acupuntura, aumentava os movimentos do estômago e ajudava a expulsar a indometacina mais rápido do organismo dos roedores. Foi o que a equipe verificou, em trabalhos realizados por Gisele Sugai e Angela Tabosa. Quando uma substância que inibe a ação da serotonina foi dada aos animais, nada feito: as agulhas não ajudaram os bichos. A eficácia da técnica também foi examinada em pacientes que sofriam de apnéia do sono, interrupções noturnas de até dez segundos na respiração. Nesse caso, o uso dos pontos "certos" se mostrou tão eficaz quanto o de um aparelho de pressão positiva que os doentes normalmente usam. Análises do sangue dos pacientes estão em curso e deverão confirmar de vez o papel da serotonina nos efeitos da acupuntura. Apesar desses dados e de outras evidências parecidas obtidas por outros grupos de pesquisa, muitos pesquisadores ainda discutem se a técnica é realmente capaz de atuar sobre o sistema nervoso de maneira a aliviar enfermidades. "Acho que precisamos de mais testes clínicos, feitos com desenho experimental cuidadoso, porque os dados vindos de animais já são bastante numerosos e confiáveis", afirma a médica. Fonte: Folha de S.Paulo

Acupuntura nelas!
Por: SIMONE SERPA A milenar técnica oriental que usa agulhas para tratar da saúde agora é aplicada com sucesso a favor da beleza. Veja como se beneficiar dessa

superdescoberta

Será que dói? A imagem de agulhas espetadas no corpo é aflitiva para certas pessoas. Quem tem a pele mais sensível pode sentir um pouco de dor ou ganhar hematomas, que somem rapidamente. Mas na maioria dos casos as picadinhas não provocam sensação alguma. A princípio, o Ocidente se apropriou da acupuntura, uma terapia chinesa, para curar dores e doenças. Hoje, a técnica é utilizada também na estética. Durante os tratamentos de beleza, as agulhas são aplicadas nos meridianos - canais de energia vital -, nos pontos relacionados aos órgãos causadores do problema e na região onde o mal está localizado. Tudo isso para promover o equilíbrio do Yin e Yang. "De maneira simplificada, o primeiro, conforme os preceitos da medicina oriental, é a matéria e o segundo é a energia que a coloca em movimento. O segredo é ter essas duas forças na mesma proporção. A gordura localizada, por exemplo, significa excesso de Yin que o Yang não consegue mover por estar deficiente", diz a dermatologista e acupunturista Maria Assunta Nakano, responsável pelo departamento de acupuntura estética da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Para potencializar os resultados, alguns especialistas, depois de introduzir as agulhas, as giram, aquecem ou as estimulam com ultra-som ou correntes elétricas, como faz a doutora Assunta. "Acredito que sem a eletroestimulação o procedimento não funcionaria contra as gordurinhas a mais." Concorda com ela a fisioterapeuta e acupunturista Talita Siqueira, da clínica Hara (SP): "Eu ainda associo a esse processo a moxa, uma espécie de charuto de uma erva chamada artemísia, que é aquecida e passada próxima à pele do rosto para estimular a produção de colágeno e combater a formação de rugas e linhas finas". Animada para experimentar? Veja a seguir como você pode tirar proveito da novidade... Na mira das picadinhas Quase todos os arquiinimigos da beleza se rendem à ação eficiente da acupuntura. Porém,para que os efeitos apareçam é preciso ter disciplina e fazer as aplicações semanalmente e a manutenção deve ser realizada em média a cada 6 meses. Confira os problemas que podem ser tratados: Celulite: Para combater o aspecto casca de laranja, especialmente em grau leve, as agulhas ativam a circulação e facilitam a drenagem das toxinas. Para perceber os efeitos são necessárias 12 sessões, que devem ser refeitas a cada três meses, principalmente se o problema é desencadeado por alterações hormonais.

Gordura localizada e barriga: Sim, as picadinhas também dão cabo da gordura localizada . “A técnica destrói algumas células adiposas, murcha outras e melhora o seu metabolismo”, explica a doutora Maria Assunta Nakano. Para manter o resultado, você não pode engordar. Portanto, vale a dobradinha controle alimentar e malhação. Em média, são indicadas 12 aplicações. Estria: As agulhadas estimulam a chegada de energia na região com as marcas, promovendo uma melhor circulação e o aparecimento de um novo tecido. O ideal é fazer entre 6 e 12 sessões. Rugas: O método melhora a produção de colágeno, renova a pele, relaxa os músculos contraídos e tonifica os flácidos. A recomendação é de 10 a 12 aplicações. Acne:Aqui, o tratamento age como anti-séptico, antiinflamatório e cicatrizante. Porém, quando a espinha está inflamada as agulhas são colocadas próximas e não sobre ela. Devem ser feitas de 10 a 12 sessões. Prevenir é o melhor remédio Nada é milagroso, inclusive a acupuntura. A cura total de cada mal estético depende de fatores como idade, características genéticas e tempo de evolução do problema. "Uma mulher com celulite severa pode ter o aspecto da pele melhorado, mas os resultados não serão tão bons quanto em alguém que apresenta o estágio inicial", esclarece o médico e acupunturista Henrique Pagnoncelli (RJ). Assim como em qualquer tratamento, prevenção é a palavra-chave. "As agulhas reequilibram o organismo agindo sobre a causa antes da manifestação do sintoma", diz a enfermeira e acupunturista Nilza Domingues (SP).

Fonte: Revsita Corpo a Corpo Comentários dos Usuários (0)

ACUPUNTURA ESTÉTICA FACIAL NO TRATAMENTO DE RUGAS

Fabíola Zucco - Fisioterapeuta e Pósgraduanda em Acupuntura. Introdução Envelhecer é um processo natural que ocorre desde que nascemos, porém fica mais evidente após a terceira idade. A qualidade do envelhecimento está relacionada diretamente com a qualidade de vida à qual o organismo foi submetido. Estresse, exposição demasiada ao sol, hereditariedade, alimentação inadequada ou deficiente, mímica exagerada, fumo, poluição ambiental, ar condicionado, vento, frio, são algumas das principais causas de envelhecimento. No tecido envelhecido ocorre diminuição de colágeno, elastina, substância fundamental da derme, proteínas e açúcares, em especial do ácido hialurônico, que influenciam no turgor da pele. Estes também apresentam alterações bioquímicas, fazendo com que haja uma perda de elasticidade e compressibilidade da pele. Devemos lembrar que a barreira de proteção contra a radiação ultravioleta (UV) está extremamente prejudicada, uma vez que há uma diminuição no número de melanócitos ativos. A diminuição

na taxa de renovação celular e reparação de pele elevam o tempo de cicatrização das feridas que pode chegar a duas ou três vezes mais do que o de uma pessoa jovem. Assim sendo, a derme envelhecida se torna um tecido rígido, inelástico e irresponsível à tensão, com menor capacidade de resposta a estresse ou trauma. Além das alterações já citadas, estas modificações na estrutura da pele resultam também num problema inestético, as rugas. As rugas e linhas de expressão também podem ser bloqueios causados por sofrimento, tristeza, preocupação por exemplo e de acordo com a medicina tradicional chinesa estas são consideradas sobrecargas de energia vital para determinado ponto. As rugas atingem um grande número de indivíduos, independente da causa, estas são um incômodo para boa parte destas pessoas. Atualmente existem várias técnicas para prevenir e tratar o envelhecimento facial, como por exemplo peelings, cinesioterapia, eletrolifting, eletroestimulação, laser, aplicação de toxina botulínica, cosméticos, preenchimento, cirurgias plástica, e também a acupuntura estética facial. A utilização da acupuntura na estética facial não é novidade. Imperatrizes das diversas dinastias na Antiga China já usavam as agulhas para atenuar as rugas e as marcas de expressão. A acupuntura estética facial é um método que auxilia na redução de rugas, além de prevenir o envelhecimento, melhorando a estrutura da pele, renovando o estrato córneo e estimulando a circulação local. Revisão Bibliográfica Os rins tem as funções fisiológicas de armazenar o Jing (Essência), controlar os líquidos, receber o Qi, controlar os ossos, gerar a medula e chegar ao cérebro, segundo a Medicina Tradicional Chinesa. O Jing é a matéria fundamental necessária para efetuar as diversas atividades funcionais do corpo. Este divide-se em congênito e adquirido. O congênito proporciona as matérias fundamentais para o adquirido antes do nascimento, e o congênito depende da nutrição do adquirido para o completo desenvolvimento de suas funções. O Jing Qi dos rins é a base que produz o Yin e Yang dos rins, que constituem fontes de Yin e Yang e todo o corpo congênito (CHONGHUO, 1993).O Jing Qi ou Qi essencial dos rins tem influência importante na função de crescimento e de desenvolvimento do corpo, durante o crescimento até o período da maturidade. O Jing Qi enriquece-se quando as mulheres passam a ter a menstruação e os homens, a emissão seminal, fatores que indicam a capacidade de reprodução. Na idade senil, este declina-se, a função sexual e da reprodução debilitam-se gradualmente, e o corpo começa a envelhecer (CHONGHUO, 1993). O fenômeno fisiológico do envelhecimento ocorre em todos os tecidos. O colágeno, componente fundamental do tecido conjuntivo torna-se gradualmente mais rígido, e a elastina, outro componente do mesmo tecido, vai perdendo sua elasticidade natural devido à redução do número de fibras elásticas e de outros componentes do tecido conjuntivo. O declínio das funções do tecido conjuntivo faz com que as camadas de gordura sob a pele não consigam manter-se uniformes e a degeneração das fibras elásticas, aliada à menor velocidade de troca e oxigenação dos tecidos provoca a

desidratação da pele resultando em rugas (GUIRRO e GUIRRO, 2002). De acordo com os mesmos autores, as rugas podem ser divididas em:
  

Dobras e rugas gravitacionais (ptose); Rugas finas; Rugas de expressão.

As rugas de expressão são denominadas também de rugas dinâmicas, pois são decorrentes da mímica facial, aparecendo com o movimento. Com a fadiga das estruturas da pele, em decorrência de movimentos faciais repetitivos, surgem então as rugas estáticas, que aparecem mesmo na ausência de movimento. Dos 20 aos 25 anos ocorrem principalmente as linhas orbiculares visualizadas em expressão facial Já de 45 aos 55 anos aparecem rugas periorbiculares, frontais e glabelares, uma acentuação do sulco nasogeniano, pregas transversais na região do pescoço e formação de bolsas gordurosas nas pálpebras inferiores. E acima de 55 anos há acentuação de rugas e pregas, atenuação da eminência malar, depressão do sulco nasolabial e ptose facial (GUIRRO e GUIRRO, 2002). Sendo assim, por constituir um caráter fisiológico, as rugas não podem ser evitadas, embora existam medidas para retardá-las. Certos músculos ou grupos musculares, se encarregam de realizar uma determinada ação – músculos agonistas – enquanto que um outro músculo ou grupo – músculos antagonistas- deve se deixar distender de modo a possibilitar a contração dos primeiros. Os efeitos que a contração dos músculos faciais ou da mímica produzem, são todos de tipo ativo, dinâmicos. Quando há rugas, ocorre que um certo grupo muscular está contraído e outro relaxado, sendo necessário por um lado relaxar ou “sedar” o músculo que se encontra contraído e por outro lado, estimular ou “tonificar” os músculos antagonistas, de modo a restituir a situação de equilíbrio original, resultando numa melhora do aspecto destas (VAMRELL; PAULETE e OLIVEIRA, 1986). Acredita-se que a acupuntura estética foi desenvolvida por acidente, sendo que os resultados de rejuvenescimento foram observados a partir de tratamentos com pacientes em outras condições, e a partir daí iniciou-se pesquisas detalhadas deste assunto que comprovaram que a acupuntura auxilia na prevenção e tratamento de rugas (THAMBIRAJAH, 2003). Em 1996, um artigo no Journal of Clinical Acupuncture, relatou que 300 pessoas foram tratadas com acupuntura facial, e em 90% da amostra foi observado efeitos benéficos, como melhor elasticidade nos músculos faciais, pele mais macia e menos rugas (MORRIS, 2003). A acupuntura estética facial, no tratamento de rugas, tem como objetivo melhorar a circulação local, a oxigenação, o metabolismo, melhorar a sustentação da pele, harmonizando assim os músculos faciais, promovendo um rejuvenescimento facial. Existe uma regra que deve ser seguida para que os resultados sejam satisfatórios: nunca tonificar um músculo sem antes sedar o seu antagonista (VAMRELL; PAULETE e OLIVEIRA, 1986). O tratamento e o número de sessões é realizado de acordo com a necessidade de cada paciente ou da ruga que mais lhe incomoda,

acrescentando-se técnicas complementares quando necessário. É indica aplicação semanal, com duração de 30 minutos aproximadamente cada sessão (BASTOS, 2000). De acordo com MORRIS (2003) a acupuntura pode rejuvenescer de 5 a 15 anos, e os resultados obtidos com as sessões podem ser mantidas e intensificadas com cosméticos, exercícios faciais, eletroterapia e massagens. A acupuntura estética trata várias patologias inestéticas além de rugas, como por exemplo ptose de mama, acne, bolas sub-oculares, celulite, gordura localizada, couperose, flacidez facial, flacidez de pescoço, hipercromias cutâneas, olheiras, papada no queixo, hirsutismo, oleosidade, obesidade, entre outros. Conclusão A aplicabilidade da acupuntura na área de estética facial, como já vimos anteriormente não é novidade, e vem se firmando entre outros tratamentos atuais, pois esta não atua só nas rugas, mas sim nas causas destas, podendo também ser trabalhado o indivíduo como um todo. Sendo assim, os resultados são mais duradouros. Referências Bibliográficas 1. BASTOS, S. Shiatsu Facial: A arte do Rejuvenescimento. Rio de Janeiro: Brasport, 2000. CHONGHUO, T. Tratado de medicina chinesa. São Paulo: Roca, 1993. 2. DANGELO, J.; FATTINI, C. Anatomia humana sistêmica e segmentar. Rio de Janeiro: Atheneu, 1987. 3. FITZPATRICK, T. B. Dermatologia em medicina geral. 3 ed. Buenos Aires: Panamericana, 1992. 4. GUIRRO, E.; GUIRRO, R. Fisioterapia Dermato-Funcional: Fundamentos, Recursos e Patologias. 3 ed. São Paulo: Manole, 2002. 5. MORRIS, C. Acupuncture Facelift. Disponível em : Acessado em: 28 set. 2003. 6. REICHMANN, B. T. Apostila de auriculoterapia. Curitiba: Artes e Textos, 2000. 7. VAMRELL, J.; PAULETE, S.; OLIVEIRA, J. Acupuntura aplicada à estética. São Paulo: Belezeterna, 1986. 8. THAMBIRAJAH, R. Clinical experience: cosmetic acupuncture. The Journal of Chinese Medicine, n.72, vol.7239, junho, 2003.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful