You are on page 1of 26

História do Limite

Limites nos apresentam um grande paradoxo. Todos os conceitos principais do cálculo - derivada, continuidade, integral, convergência/divergência - são definidos em termos de limites. Limite é o conceito mais fundamental do Cálculo; de fato, limite é o que distingue, no nível mais básico, o cálculo de álgebra, geometria e o resto da matemática. Portanto, em termos do desenvolvimento ordenado e lógico do cálculo, limites devem vir primeiro . Porém, o registro histórico é justamente o oposto. Por vários séculos, as noções de limite eram confusas, com idéias vagas e algumas vezes filosóficas sobre o infinito (números infinitamente grandes e infinitamente pequenos e outras entidades matemáticas) e com intuição geométrica subjetiva e indefinida. O termo limite em nosso sentido moderno é um produto do iluminismo na Europa no final do século 18 e início do século 19, e nossa definição moderna tem menos de 150 anos de idade. Até este período, existiram apenas raras ocasiões nas quais a idéia de limite foi usada rigorosamente e corretamente. A primeira vez que limites foram necessários foi para a resolução dos quatro paradoxos de Zenão (cerca de 450 a.C.). No primeiro paradoxo, a Dicotomia, Zenão colocou um objeto se movendo uma distância finita entre dois pontos fixos em uma série infinita de intervalos de tempo (o tempo necessário para se mover metade da distância, em seguida o tempo necessário para se mover metade da distância restante, etc.) durante o qual o movimento deve ocorrer. A conclusão surpreendente de Zenão foi que o movimento era impossível! Aristóteles (384-322 a.C.) tentou refutar os paradoxos de Zenão com argumentos filosóficos. Em matemática, uma aplicação cuidadosa do conceito de limite resolverá as questões levantadas pelos paradoxos de Zenão. Para suas demonstrações rigorosas das fórmulas para certas áreas e volumes, Arquimedes (287--212 a.C.) encontrou várias séries infinitas - somas que contêm um número infinito de termos. Não possuindo o conceito de limite propriamente dito, Arquimedes inventou argumentos muito engenhosos chamados de redução ao absurdo duplo, que, na verdade , incorporam alguns detalhes técnicos do que agora chamamos de limites. Cálculo é também algumas vezes descrito como o estudo de curvas, superfícies e sólidos. O desenvolvimento da geometria destes objetos floresceu seguindo a invenção da geometria analítica por Pierre Fermat (1601--1665) e René Descartes (1596--1650). A geometria analítica é, essencialmente, o casamento da geometria com a álgebra, e cada uma melhora a outra. Fermat desenvolveu um método algébrico para encontrar os pontos mais altos e mais baixos sobre certas curvas. Descrevendo a curva em questão por uma equação, Fermat chamou um número pequeno de E, e então fez alguns cálculos algébricos legítimos, e finalmente assumiu E = 0 de tal maneira que todos os termos restantes nos quais E estava presente desapareceriam! Essencialmente, Fermat colocou de lado o limite com o argumento que E é "infinitamente pequeno". Geometricamente, Fermat estava tentando mostrar que, exatamente nos pontos mais altos e mais baixos ao longo da curva, as retas tangentes à curva são horizontais, isto é, têm inclinação zero. Encontrar retas tangentes a curvas é um dos dois problemas mais fundamentais do cálculo. Problemas envolvendo tangentes são uma parte do que chamamos agora de estudo das derivadas. Durante o século 17, vários geômetras desenvolveram esquemas algébricos complicados para encontrar retas tangentes a certas curvas. Descartes tinha um processo que usava raízes duplas de uma

equação auxiliar, e essa técnica foi melhorada pelo matemático Johan Hudde (1628--1704), que era também o prefeito de Amsterdam. René de Sluse (1622-1685) inventou um método ainda mais complicado para obter tangentes a curves. Em cada um desses cálculos, o limite deveria ter sido usado em alguma etapa crítica, mas não foi. Nenhum destes geômetras percebeu a necessidade da idéia de limite, e assim cada um encontrou uma maneira inteligente para alcançar seus resultados, os quais estavam corretos, mas com meios que, agora reconhecemos, faltam fundamentos rigorosos. Determinar valores exatos para áreas de regiões limitadas, pelo menos em parte, por curvas é o segundo problema fundamental do cálculo. Este são chamados freqüentemente de problemas de quadratura, e, intimamente relacionados a eles, estão os problemas de cubatura - encontrar volumes de sólidos limitados, pelo menos em parte, por superfícies curvas. Eles nos levam a integrais. Johannes Kepler (1571--1630), o famoso astrônomo, foi um dos primeiros estudiosos dos problemas de cubatura. Bonaventura Caval ieri (1598-1647) desenvolveu uma teoria elaborada de quadraturas. Outros, tais como Evangelista Torricelli (1608--1647), Fermat, John Wallis (1616--1703), Gilles Personne de Roberval (1602--1675), e Gregory St. Vincent (1584--1667) inventaram técnicas de quadratura e/ou cubatura que se aplicam a curvas e sólidos específicos ou famílias de curvas. Mas nenhum deles usou limites! Seus resultados eram quase todos corretos, mas cada um dependia de um malabarismo algébrico ou apelavam para intuição geométrica ou filosófica questionável em algum ponto crítico. A necessidade de limites não era reconhecida. Em quase todos os seus trabalhos que agora são considerados como cálculo, Isaac Newton (1642--1727), também não reconheceu o papel fundamental do limite. Para séries infinitas, Newton raciocinou meramente por analogia: se fosse possível executar operações algébricas em polinômios, então seria possível fazer o mesmo com o número infinito de termos de uma série infinita. Newton calculou o que ele chamou de flúxions a curvas, não exatamente derivadas, mas muito próximo. O processo que ele usou para esses cálculos era muito próximo do método de Fermat. Neste e na maioria dos outros trabalhos comparáveis, Newton negligenciou o limite. Por outro lado, em seu Principia Mathematica (1687), talvez o maior trabalho em matemática e ciência, Newton foi o primeiro a reconhecer que o limite deve ser o ponto de partida para problemas de tangência, quadratura e afins. No início do Livro I do Principia, Newton tentou dar uma formulação precisa do conceito de limite: Quantidades, e as razões de quantidades, as quais em qualquer tempo finito convergem continuamente para igualdade, e antes do final daquele tempo se aproximam entre si por qualquer dada diferença, tornam-se iguais no final. Existiram críticas sobre esta afirmação e sobre a discussão que a seguiu, notadamente por George Berkeley (1685--1753). Mas a genialidade de Newton tinha descoberto o papel fundamental que o limite tinha que desempenhar no desenvolvimento lógico do cálculo. E, apesar de sua linguagem rebuscada, a semente da definição moderna de limite estava presente em suas afirmações. Infelizmente, para a fundamentação rigorosa do cálculo, por muitas décadas, ninguém observou estas dicas que Newton tinha fornecido. As principais contribuições ao cálculo de Gottfried Wilhelm Leibniz (1646 --1716) foram as notações e as fórmulas básicas para as derivadas e integrais (as quais usamos

a Academia de Ciências de Berlim ofereceu um prêmio para um ensaio que explicasse com sucesso uma teoria do infinitamente pequeno e do infinitamente grande em matemática e que poderia. Com estas ferramentas poderosas. Mas Maclaurin reverteu a argumentos do século 17 similares aos de Fermat e apenas ocasionalmente usou a redução ao absurdo dupla de Arquimedes. hoje. entendemos que tais problemas requerem o uso de limites. Nicolas I (1687--1759) e Daniel (1700--1782). "a teoria de limites era a verdadeira metafísica do cálculo". Nos anos que seguiram a Revolução Francesa.mas ele não explicou como estes erros se cancelariam mutuamente perfeitamente. O cálculo se desenvolveu rapidamente pelos seus vários sucessos no século 18. d'Alembert percebeu que. havia po uca preocupação com convergência ou divergência de sequências e séries infinitas. Dentre os líderes desse desenvolvimento do século 18 estavam vários membros da família Bernoulli. e Alexis Claude Clairaut (1713--1765). Sua solução. Embora este prêmio tenha sido dado. A preocupação sobre a falta de fundamento rigoroso para o cálculo cresceu durante os últimos anos do século 18. Ao longo do século 18. não importa quão pequena. Em termos gerais. o trabalho vencedor "longo e tedioso" de Simon L'Huilier (1750 --1840) não foi considerado uma solução viável para os problemas colocados. e pouca atenção foi dada aos seus fundamentos. de limites ou de flúxions´. Jean Le Rond d'Alembert (1717--1783) foi o único cientista daquele tempo que reconheceu explicitamente a importância central do limite no cálculo. Renomado por suas outras contribuições ao cálculo. o grande matemático da época. muito menos ao limite e seus detalhes. Lazare N. Leonhard Euler (1707 --1783). Problemas desafiadores de geometria foram resolvidos. com uma falha fatal) para tornar o cálculo puramente algébrico eliminando limites inteiramente. por sua vez. Lagrange fez um esforço heróico (como sabemos agora. principalmente física e astronomia. o número de curvas e sólidos para os quais derivadas e integrais podiam ser facilmente calculadas se expandiram rapidamente. Funções Analíticas (1797). conseguiu reformular toda a mecânica em termos de cálculo. No final do século 18. Lagrange concentrou sua atenção nos problemas da fundamentação do cálculo. embora ele não tenha usado a terminologia de limites. foram criados. apesar da segunda quantidade nunca exceder a quantidade que ela aproxima. Na famosa Encyclopédie (1751--1776). Carnot (1753 -1823) produziu uma tentativa popular de explicar o papel do limite no cálculo como "a compensação de erros" . ser usada para colocar uma base sólida para o cálculo. especialmente equações diferenciais e o cálculo de variações. desligou o cálculo de ³qualquer consideração do infinitamente pequeno ou quantidades imperceptíveis. Carl Friedrich Gauss (1777 --1855) produziu o primeiro tratamento estritamente rigoroso da convergência de sequências e séries. d'Alembert afirmou que a definição apropriada da derivada necessitava um entendimento do limite primeiro e então. foram descobertas. Em 1812. e novos campos da matemática. mais e mais aplicações do cálculo à ciência.desde então) e o Teorema Fundamental do Cálculo. Brook Taylor (1685--1731). M. Johann I (1667--1748). Joseph -Louis Lagrange (1736--1813). Apesar de suas boas intenções. Em 1784. deu a definição explícita: Uma quantidade é o limite de uma outra quantidade quando a segunda puder se aproximar da primeira dentro de qualquer precisão dada. Colin Maclaurin (1698 --1746) defendeu o tratamento dos fluxions de Newton do ataque de George Berkeley. Maclaurin passou por oportunidades de seguir a sugestão de Newton sobre limites. Na sua famosa Teoria .

Cauchy começou o seu curso de cálculo do nada.C. ele encontrou erros no programa estabelecido por Lagrange. o geométrico e o computacional. os gregos não perceberam nenhuma linha em comum ou qualquer valor nestes teoremas. tem aplicações em física.C. também surgiram com os gregos antigos. novamente sem usar limites. Enquanto Augustin Louis Cauchy (1789 -1857) estava procurando por uma exposição clara e rigorosamente correta do cálculo para apresentar aos seus estudantes de engenharia na École Polytechnique em Paris. A exposição de Weierstrass é exatamente aquela que encontramos no livro de Cálculo de Thomas. Além disso. economia e muito mais. as idéias sobre limites eram com certeza confusas.) tinha um procedimento para encontrar a tangente à sua espiral e Apolônio (cerca de 262--190 a. elipses e hipérboles. No primeiro estudo cuidadoso e rigoroso das diferenças entre curvas contínuas e descontínuas e funções.Analítica do Calor. ele começou com uma definição moderna de limite. tecnologia.C. Cauchy usou o princípio de limite como a base para introduções precisas à continuidade e convergência. No começo do século 18. ele escreveu as suas próprias notas de aula. Lá ele desenvolveu um programa para trazer rigor aritmético para todo o cálculo e à análise matemática. mas então ele afirmou que qualquer função poderia ser escrita como uma de suas séries. engenharia. as aplicações das derivadas são muitas: a derivada tem muitos papéis importantes na matemática propriamente dita. Bernhard Bolzano (1781--1848) olhou além da noção intuitiva da ausência de buracos e quebras e encontrou os conceitos mais fundamentais os quais expressamos hoje em termos de limites. Weierstrass prosseguiu em uma carreira brilhante como professor de matemática na Universidade de Berlim. Mas estes eram apenas problemas geométricos que foram estudados apenas por seus interesses particulares limitados. a integral. Niels Henrik Abel (1802--1829) e Peter Gustav Lejeune Dirichlet (1805--1859) estavam entre aqueles que desencavaram estes problemas delicados e não intuitivos. História da Derivada A derivada tem dois aspectos básicos. Nas décadas de 1840 e 1850. para determinar uma reta que intersecta uma dada curva em apenas um ponto dado. especialmente na aplicação da sua definição de limite a funções contínuas e à convergência de certas séries infinitas. por exemplo. . usando apenas valores absolutos e desigualdades. o primeiro chamado de Cours d'analyse (Curso de Análise). a derivada. Cauchy perdeu alguns dos d etalhes técnicos. enquanto era um professor do ensino médio. Jean Baptiste Joseph Fourier (1768 --1830) tentou definir a convergência de uma série infinita. A origem da derivada está nos problemas geométricos clássicos de tangência. Karl Weierstrass (1815--1897) determinou que a primeira etapa necessária para corrigir estes erros era restabelecer a definição original de Cauchy do limite em termos estritamente aritméticos. e o resto do cálculo. ciências. e novas aplicações aparecem todos os dias. e não mencionou a convergência ou divergência desta série.) provou o familiar teorema que diz que a reta tangente a um círculo em qualquer ponto P é perpendicular ao raio em P. todos um tanto diferentes. também básicos para nosso entendimento de derivadas hoje em dia. Nas suas classes e nestes livros-texto clássicos. Contudo. Problemas de movimento e velocidade. Arquimedes (287--212 a. essencialmente seus próprios livros. química. Começando em 1821. Euclides (cerca de 300 a.) descreveu métodos. para determinar tangentes a parábolas. Então.

da integral e do cálculo. ele estava encontrando os pontos onde a tangente à curva tem inclinação zero. Em particular. geometricamente. pelo menos em teoria. usou as proporções clássicas de Euclides e propriedades das cônicas de Apolônio par a estabelecer relações entre distância. em sua Geometria.. O livro está escrito em linguagem matemática . os princípios e benefícios da geometria analítica tornaram-se mais amplamente conhecidos. o procedimento da dupla raiz foi redescoberto por Christiaan Huygens (1629-1695). Como resultado da tradução da Geometria de Descartes para o latim por Frans van Schooten (1615 --1661) e as explicações abrangentes por Schooten. Foi Galileu Galilei (1564--1642) quem estabeleceu o princípio que matemática era a ferramenta indispensável para estudar o movimento e. Huygens inventou uma seqüência de etapas algébricas que produziu os pontos de inflexão de uma curva. é a derivada (ou a taxa de variação) da distância em relação ao tempo. em geral. René François de Sluse (1622--1685) desenvolveu uma técnica algébrica que levou à inclinação da tangente a uma curva. Uma vez que equações eram então usadas para descrever curvas. quantidades infinitamente pequenas e infinitamente grandes). Hoje. estas quantidades variáveis são aplicações básicas das derivadas. havia grande correspondência entre Huygens. mas até aquele que sempre desejei conhecer.. modificando o processo da tangente de Fermat.C. e isto (entre outros fatores) levou a controvérsias espirituosas e até amarguradas. O interesse em tangentes a curvas reapareceu no século 17 como uma parte do desenvolvimento da geometria analítica. onde k é constante e n = 2. Hudde..) se apóiam sobre dificuldades para entender velocidade instantânea sem ter uma noção de derivada. velocidade e aceleração. os problemas de movimento estão associados intimamente com noções de continuidade e do infini to (isto é. Na Física de Aristóteles (384--322 B. hoje. Na época medieval. o número e variedade de curvas aumentou tremendamente naqueles estudos em épocas clássicas. « A introdução de símbolos algébricos para estudar a geometria de curvas contribuiu significativamente para o desenvolvimento da derivada.´ Descartes inventou um procedimento de dupla raiz para encontrar a normal e então a tangente a uma curva. a noção de velocidade instantânea tornou-se mensurável.). curvas da forma y = kxn.´ Galileu estudou o movimento geometricamente. Sluse e outros sobre . ciência: ³Filosofia [ciência e natureza] está escrita naquele grande livro o qual está diante de nossos olhos ± quero dizer o universo ± mas não podemos entendê-lo se não aprendermos primeiro a linguagem. Então. 3. os padrões de rigor lógico que tinham sido iniciados pelos gregos antigos foram relaxados em muitos problemas de cálculo. No final da década de 1650. Oxford. como conclusões e resultados geométricos poderiam ser obtidos mais facilmente usando raciocínio algébrico que geométrico. Em particular. veremos que isto requer a derivada segunda. escreveu ³E eu ouso dizer isto [encontrar a normal. 4. Thomas Bradwardine (1295 --1349) e seus colegas em Merton College. Pierre Fermat (1601--1665) foi o primeiro a considerar a idéia de uma família inteira de curvas de uma só vez. fizeram os primeiros esforços para transformar algumas das idéias de Aristóteles sobre movimento em afirmações quantitativas. a partir da qual podemos facilmente identificar a tangente] não é apenas o problema mais útil e geral da geometria que conheço. Hudde simplificou a técnica da dupla raiz de Descartes para determinar pontos máximos e mínimos sobre uma curva. Florimonde de Beaune (1601--1652) e Johan Hudde (1628-1704). Fermat desenvolveu um procedimento algébrico para determinar os pontos mais altos (máximos) e mais baixos (mínimos) sobre uma curva. Por outro lado..embora estas questões tenham sido originalmente tratadas mais filosoficamente que matematicamente. ou perpendicular a uma curva. René Descartes (1596--1650) teve o discernimento de prever a importância da tangente quando.C. Os quatro paradoxos de Zenon (cerca de 450 a. van Schooten. Por exemplo. Ele as chamou de parábolas superiores.

Em vez disso. 1669 e 1671. movimento era a ³base fundamental´ para curvas. qualquer um poderia resolver problemas de tangentes sem ser especialista em geometria. limites) necessárias. Hudde e Sluse especialmente procuraram métodos algébricos mais simples e padronizados que poderiam ser aplicados a uma variedade maior de curvas. como Richard Courant (1888-1972) observou. as well as tangents. which is neither impeded by fractional nor irrational quantities. assim como tangentes. e ele desenvolveu um método mecânico para encontrar a tangente para muitas curvas. cálculo tem sido ³uma luta intelectual dramática que durou 2500 anos´. tangentes e fenômenos relacionados de cálculo e ele desenvolveu seus flúxions a partir da versão de Hudde do procedimento da dupla raiz. integral. Mas o método de l¶Hospital para determinar o raio de curvatura era muito parecido com aquele de Newton. Leibniz aprendeu o método de Sluse para encontrar tangentes a curvas algébricas. Em 1666. As acusações de plágio e outros ataques eram irrelevantes frente à matemática feita por eles. and a remarkable calculus for them" (Novos métodos para máximos e mínimos. sobre quem deveria receber os créditos do cálculo. e um cálculo notável para eles) de 1684. Em uma pequena viagem a Londres. Newton estendeu esta técnica como um método para encontrar a curvatura de uma curva. Ainda assim. séries infinitas e. Newton resumiu e revisou seu trabalho de cálculo e estes manuscritos circularam entre um grande número de seus colegas e amigos. Algumas vezes se diz que Newton e Leibniz ³inventaram´ o cálculo. embora tenha continuado a retornar a problemas de cálculo em épocas diferentes de sua vida científica. Jakob Bernoulli (1654 - . Leibniz tinha pouca inclinação para desenvolver estas técnicas e interesse ainda menor em fundamentações matemáticas (isto é. incluindo a ciclóide. Muito de seu trabalho foi realmente devido à Johann Bernoulli (1667 --1748) e seguiu o tratamento de Leibniz para derivadas. mas as acusações e contra-ataques escalaram para cisões entre matemáticos e cientistas na Inglaterra (leais a Newton) e no continente europeu (seguidores de Leibniz) os quais levaram à xenofobia nacionalista por mais de um século. onde participou de um encontro da Sociedade Real em 1673. Isaac Newton (1642--1727) começou a desenvolver o seu ³cálculo de flúxions´ entre os seus primeiro esforços científicos em 1663. Depois de 1700. isto é simplificação exagerada. Como podemos ver. Cada um fez contribuições importantes para derivada. para o Teorema Fundamental do Cálculo. os quais não são impedidos por quantidades fracio nárias e irracionais. mínimos e outras análises de curvas. Mas o método de Roberval não podia ser generalizado para incluir mais curvas. alguém poderia simplesmente usar as fórmulas de ³cálculo´ de Leibniz. Com algum tutoramento e conselho de Huygens e outros. Para Gilles Personne de Roberval (1602--1675). Agora. e mais ainda entre seus seguidores. Para Newton. acima de tudo. uma característica que agora sabemos ser uma aplicação da derivada segunda.1696) pelo Mar quês de l¶Hospital (1661--1704). uma curva era o caminho de um ponto se movendo. O primeiro livro sobre cálculo diferencial foi Analysis of Infinitely Small Quantities for the Understanding of Curved Lines (Análise de quantidades infinitamente pequenas para o entendimento de curvas.tangentes de várias curvas algébricas. mas ele aperfeiçoou as fórmulas modernas e a notação para derivada no seu famoso artigo "New methods for maximums and minimums. Gottfried Wilhelm Leibniz (1646--1716) desenvolveu seu cálculo diferencial e integral durante o período entre 1673 e 1676 enquanto vivia como um diplomata em Paris. circunstâncias levaram a um dos episódios mais tristes e deselegantes em toda a história da ciência: a disputa entre Leibniz e Newton. Aqui está o primeiro trabalho publicado em cálculo e de fato a primeira vez que a palavra ³cálculo´ foi usada em termos modernos. máximos. os trabalhos de Newton sobre cálculo não foram publicados até 1736 e 1745.

1705) e seu irmão mais novo Johann lideraram o caminho para espalhar o conhecimento do poder das fórmulas de cálculo de Leibniz propondo e resolvendo problemas desafiadores (o problema da catenária e da braquistócrona são dois exemplos) para os quais o cálculo era necessário. na famosa Encyclopédie francesa. Leonh ard Euler (1707--1783) deu um passo importante na direção de estabelecer uma fundamentação sólida para o cálculo no seu Introduction to the Analysis of the Infinite (Introdução à Análise do Infinito. mas criticou as "quantidades infini tamente pequenas" e os "incrementos imperceptíveis" dos fundamentos das derivadas. Euler queria dizer algum tipo de "expressão analítica". Na sua publicação. Na Inglaterra. das quais elas são funções". novos campos da matemática dependentes de cálculo. Leibniz.1737) de Thomas Simpson (1710--1761) forneceu a primeira derivada da função seno. Lagrange desenvolveu a principal notação que usamos agora para derivadas e o desenvolvimento lógico de seu cálculo era admirável em outros aspectos. sabemos agora. Em 1734. Berkeley reconheceu a precisão das fórmulas de Newton e a exatidão das suas aplicações abrangentes em física e astronomia. Newton e Huygens também resolveram estes problemas. Mesmo assim. que soa não muito científico hoje em dia. Finalmente. Euler trabalhou com vários casos especiais da regra da cadeia.1748). Joseph Louis Lagrange ( 1736--1813) tentou reformar o cálculo e torná-lo mais rigoroso no seu Theory of Analytic Functions (Teoria das Funções Analíticas. Jean le Rond d'Alembert (1717--1783) afirmou que a "definição mais precisa e elegante possível do cálculo diferencial" é que a derivada é o limite de certas razões quando os numeradores e denominadores se aproximam mais e mais de zero. introduziu equações diferenciais e tratou máximos e mínimos sem usar quaisquer diagramas ou gráficos. não são verdadeiras. mas seu esforço em prover uma base sólida para o cálculo falhou porque sua concepção da derivada era baseada em certas propriedades de séries infinitas as quais. sem recorrer à intuição geométrica. No continente. o Bispo George Berkeley (1685 --1753) publicou The Analyst (O Analista). Euler definiu a derivada como "o método para determinar as razões entre os incrementos imperceptíveis. sua concepção não era tão abrangente como a nossa definição moderna. também introduziu o termo análise como um nome moderno para cálculo e a matemática avançada relacionada. a gráficos ou a diagramas e sem qualquer ajuda dos limites de d'Alembert. Maria Agnesi (1718--1799) seguiu Leibniz e L'Hospital no seu livro de cálculo Analytical Institutions (Instituições Analíticas. as quais as funções recebem. Lagrange pretendia dar uma forma puramente algébrica para a derivada. um ataque à falta de fundamentos rigorosos para seus flúxions. e que este limite produz certas expressões algébricas que chamamos de derivada. Em seu Résumé of Lessons given at l'Ecole Polytechnique in the . a definição moderna de derivada foi dada por Augustin Louis Cauchy (1789--1857) em suas aulas para seus alunos de engenharia. No seu Methods of Differential Calculus (Métodos de Cálculo Diferencial.1797). 1748) quando introduziu funções (no lugar de curvas) como os objetos para os quais as derivadas e outras técnicas de cálculo seriam aplicadas.1755). no início do século 19. Em 1754. e os incrementos imperceptíveis das quantidades variáveis. No final do século 18. o novo Treatise of Fluxions (Tratado de Flúxions. Por função. Colin Maclaurin (1698--1746) tentou defender Newton no seu Treatise of Fluxions (Tratado de Flúxions) (1742) e desenvolveu derivadas para funções logarítmicas e exponenciais e expandiu as fórmulas de Simpson para incluir as derivadas das funções tangente e secante. Este problemas e outros levaram ao desenvolvimento das equações diferenciais e do cálculo das variações.

Hipócrates de Chios (cerca de 440 A.C.) alegou que poderia "quadrar o círculo" (isto é.C. chamamos de método da compressão. o simplificaram de várias maneiras e agora o problema pode ser resolvido avaliando uma integral. o uso do termo quadratura não mudou muito: matemáticos. Esta técnica refinou o método de exaustão. Seu problema era o "etc. História da Integral O cálculo integral se originou com problemas de quadratura e cubatura . Cauchy mostrou que o Teorema do Valor Médio para derivadas. Então Arquimedes aproximou a área do círculo de raio unitário usando polígonos regulares de 96 lados inscritos e circunscritos! Seu famoso resultado foi 3 10/71 < p < 3 1/7. Arquimedes aproximou a área com um número grande de triângulos construídos engenhosamente e então usou o argumento da redução ao absurdo dupla para provar o resultado rigorosamente e evitar qualquer metafísica do infinito. a seguir um hexadecaedro. Historicamente. Mas Antiphon tinha o início de uma grande idéia agora chamado de método de exaustão. Ele teria que ter usado o conceito moderno de limite para finalizar seu processo com rigor matemático. isto é muito fácil de se verificar hoje em dia.) executou as primeiras quadraturas quando encontrou a área de certas lúnulas.Infinitesimal Calculus (Resumo das Lições Dadas na Escola Politécnica Sobre o Cálculo Infinitesimal. nunca poderia ser terminada. que tinha aparecido no trabalho de Lagrange. encontrar a área de um círculo) com uma seqüência infinita de polígonos regulares inscritos: primeiro um quadrado. esta técnica foi modificada para atacar cubaturas também. regiões que se parecem com a lua próxima do seu quarto crescente. creditamos a Eudoxo (cerca de 370 A. Resolver um problema de quadratura significa encontrar o valor exato da área de uma região bidimensional cuja fronteira consiste de uma ou mais curvas. Arquimedes (287--212 A. Para indicar sua dependência. dá-se à nova função o nome de função derivada. uma vez que ambas as fórmulas dependem de p.". etc. mas como estas eram apenas aproximações.1823). ) o desenvolvimento do método de exaustão: uma técnica de aproximação da área de uma região com um número crescente de polígonos. segundo um octógono. o que significa que tinham um problema complicado. De igual importância. ou de uma superfície tridimensional. não eram quadraturas. descrições de funções crescentes e decrescentes. Cauchy afirmou que a derivada é: O limite de [f(x + i) . usou o método de exaustão para encontrar a quadratura da parábola. queremos determinar o volume exato de um sólido tridimensional limitado. er a realmente a pedra fundamental para provar vários teoremas básicos do cálculo que foram assumidos como verdadeiros. com aproximações melhorando a cada etapa e a área exata sendo obtida depois de um número infinito destas etapas. por superfícies curvas. cuja fronteira também consiste de pelo menos uma curva. Antiphon (cerca de 430 A.C.f(x)] / i quando i se aproxima de 0. o maior matemático da antiguidade. assim quando existe um número infinito de aproximações poligonais. Arquimedes primeiro mostrou que a área depende da circunferência. no sentido estrito.C. Hoje. A forma da função que serve como o limite da razão [f(x + i) . Para um problema de cubatura.f(x)] / i dependerá da forma da função proposta y = f(x). Derivadas e o cálculo diferencial estão agora estabelecidos como uma parte rigorosa e moderna do cálculo. O processo de Arquimedes para encontrar a área de um segmento de . isto é.). cientistas e engenheiros comumente dizem que "reduziram um problema a uma quadratura". Cauchy prosseguiu para encontrar derivadas de todas as funções elementares e dar a regra da cadeia. pelo menos em parte. Como a quadratura do círculo de Antiphon requeria um número infinito de polígonos. Para o círculo. Mais de 2000 anos depois.

tornou-se necessário ter um mapa do mundo no qual certas retas representassem rumos sobre a superfície da Terra. Hoje. Em particular. Oresme colocou as retas de velocidade de um corpo juntas verticalmente. onde f é a latitude. Notícias deste trabalho de Heytesbury e seus colegas de Merton alcançaram Paris posteriormente no século 14. o famoso astrônomo Johannes Kepler (1571--1630) aproximou os volumes de vários sólidos tridimensionais. mas com espessura zero. além disso. isto é. Em seu New Stereometry of Wine Barrels (Nova Estereometria de Barris de Vinho) (1615). Aquela tarefa foi assumida por Edward Wright (1561--1615) que. Thabit ibn Qurrah (826--901) desenvolveu sua própria cubatura. então estes discos são conhecidos como indivisíveis. de raios variados. Em cada caso. e a configuração total. sobre uma reta base horizontal.uma espiral era comprimir esta região entre setores de círculos inscritos e circunscritos: seu método de determinar o volume de um conóide (um sólido formado pela rotação de uma parábola ao redor de seu eixo) era comprimir este sólido entre cilindros inscritos e circunscritos. quando a composição de um sólido tridimensional é pensada como um número infinito de discos circulares. foi o primeiro a vislumbrar métodos para a determinação da velocidade e a distância percorrida por um corpo supostamente sob "aceleração uniforme". então estas retas são chamadas de indivisíveis. a área desta configuração era chamada de "quantidade total de movimento" do corpo. um dos mais notáveis de todos matemáticos árabes. como ele a chamou. e por outro faltava um rigor lógico completo). No seu possivelmente mais famoso trabalho de todos. Aqui temos precursores dos gráficos modernos e o nascimento da cinemática. e então o cientista persa Abu Sahl al-Kuhi (século 10) simplificou consideravelmente o processo de Thabit. deste sólido. aproximando a integral de sec f. como os indivisíveis de Arquimedes. William Heytesbury (1335). seu trabalho sugeria a verdade de seus resultados. Durante o período medieval no ocidente. mas a solução mais famosa foi a projeção de Mercator. À medida que os europeus começaram a explorar o globo. Matemáticos muçulmanos dos séculos 9 a 13 foram grandes estudiosos de Arquimedes. (Arquimedes reconheceu que. providenciou uma tabela que mostrava que as distâncias ao longo das retas de rumo seriam bem aproximadas somando os produtos (sec f D f ). Arquimedes empregou indivisíveis para estimar o centro de gravidade de certas regiões bidimensionais e de certos sólidos tridimensionais. mas nunca souberam da determinação de Arquimedes do volume de um conóide. Ibn al-Haytham (965--1039). embora Gerard Mercator (1512-1594) não tenha explicado seus princípios geométricos. podemos obter estes resultados encontrando duas integrais indefinidas ou antiderivadas. Se considerarmos uma destas regiões sendo composta de um número infinito de retas. Similarmente. Houve diversas soluções para este problema. sucessivamente. cada qual era formado girando uma . a etapa final que estabelecia rigorosamente o resultado era o argumento da redução ao absurdo dupla. um membro do notável grupo de estudiosos do Merton College. de comprimentos variados. em Oxford. conhecido no ocidente como Alhazen e famoso por seu trabalho em ótica. usou o método de compressão para encontrar o volume do sólido formado pela rotação da parábola ao redor de uma reta perpendicular ao eixo da curva. progresso foi obtido aplicando as idéias de cálculo a problemas de movimento. por um lado. um tanto complicada. Assim. um tratado combinado de matemática e física. representava a distância total coberta pelo corpo. onde Nicole Oresme (1320--1382) representou ambas a velocidade e o tempo como segmentos de reta de comprimentos variáveis.

Para cada um destes volumes de revolução. Finalmente.. e para aproximar estas áreas. isto é o que vem primeiro. a soma destes infinitésimos aproximavam o volume desejado. para sua decepção. Também inventou o símbolo ¥ para infinito e. usando retângulos estreitos inscritos e circunscritos de larguras diferentes especialmente desenhados e o método de compressão. y2 = . Blaise Pascal (1623-1662). mas eram etapas em seu esforço para calcular os momentos de certos sólidos. Bonaventura Cavalieri (1598--1647). Roberval e Pascal foram os primeiros a plotar as funções seno e coseno e a encontrar as quadratura s destas curvas (para o primeiro quadrante). razões inteligentes e apelos ao raciocínio por analogia. "Sobre os métodos de Cavalieri: alguém se engana se aceitar seu uso como uma demonstração mas são úteis como um meio de descoberta anterior à demonstração. «) usando retângulos estreitos inscritos e circunscritos para levar ao método de compressão. Christiaan Huygens (1629--1695) criticou. Estendeu a fórmula de quadratura para y = kxn para casos quando n era um número racional positivo usando indivisíveis. Gilles Personne de Roberval (1602--1675). Pascal aproximou integrais duplas e triplas usando somas triangulares e piramidais. Vincent estendeu esta e outras quadraturas para encontrar várias cubaturas. Vincent (1584--1667) determinou a área sob a hipérbole xy = 1. O "Chifre de Gabriel" é uma cubatura "incrível" descoberta por Torricelli. A dependência de Wallis em fórmulas o levou a várias quadraturas interessantes. -4. Mas. St. em 1657.". Pierre Fermat (1601--1665) desenvolveu uma técnica para encontrar as áreas sob cada uma das "parábolas de ordem superior" (y = kxn. -3. Por volta da década de 1640. 4. «. ao usar isto. Evangelista Torricelli (1608--1648).. obscureceu lugares onde agora sabemos que deveria ter usado o limite. subdividiu o sólido em várias fatias muito finas ou discos chamados de infinitésimos (note a diferença entre infinitésimos e os indivisíveis de Arquimedes). Então. um estudante de Galileu. onde k > 0 é constante e n = 2. desenvolveu uma teoria de indivisíveis. ym = kxn. nunca foi capaz de estender estes processos para "hipérboles de ordem superior". ele tratou a parábola. Então empregou uma série geométrica para fazer o mesmo para cada uma das curvas y = kxn. Gregory St.região bidimensional ao redor de um eixo. para cada um dos quais ele então determinou o centro de gravidade. Cavalieri considerou a coleção de "todas as retas" como sendo um único número. a fórmula geral para a integral de parábolas de ordem superior era conhecida de Fermat. René Descartes (1596--1650). em cada caso. Alfonso Antonio de Sarasa (1618 --1667) reconheceu que a quadratura da hipérbole está intimamente ligada à propriedade do produto do logaritmo! Seguindo uma sugestão de Wallis. para n = -2. 3. Logo depois disto. a área da região. A segunda lei de Kepler do movimento planetário requeria quadraturas de segmentos de uma elipse. Marin Mersenne (1588--1648) e provavelmente outros. a elipse e a hipérbole como curvas planas definidas por equações em duas variáveis em vez de seções de um cone. outro discípulo de Galileu e amigo de Cavalieri. Foi cuidadoso para usar argumentos de redução ao absurdo para provar quadraturas que obteve por indivisíveis. somou triângulos infinitesimais. William Neile (1637 --1670) determinou o comprimento de uma seção arbitrária da parábola semicúbica. Por exemplo. Estas não eram cubaturas.. Torricelli. tentou resolver algumas das dificuldades com indivisíveis ao afirmar que as retas poderiam ter algum tipo de espessura.. seu aluno. John Wallis (1616--1703) estava fortemente comprometido com a relativamente nova notação algébrica cujo desenvolvimento era uma característica dos matemáticos do século 17. Roberval explorou o Princípio de Cavalieri para encontrar a área sob um arco da ciclóide. Para uma região bidimensional.

e assim represento em meu cálculo a área da figura por ò y dx". Leibniz (1686) fez y representar uma ordenada da curva e dx a distância infinitesimal de uma abscissa para a próxima. inventou técnicas geométricas de quadratura. estes esforços estimularam o aumento do interesse durante o século 18 na fatoração e resolução de equações polinomiais de graus elevados. como usamos em cálculo. Estas regras foram resumidas elegantemente por Leonhard Euler (1707--1783) em seu trabalho enciclopédico de três volumes sobre cálculo (1768-1770). portanto desenvolveu a essência do nosso método moderno de retificação . Na forma geométrica. Embora Newton tenha desferido um golpe muito imperfeito sobre a idéia de limite. "represento a área de uma figura pela soma de todos os retângulos [infinitesimais] limitados pelas ordenadas e diferenças das abscissas . muitas fórmulas de integração inteligentes foram desenvolvidas.. O último trabalho de Newton sobre cálculo. Johann Bernoulli desenvolveu procedimentos matemáticos para a integração de todas as funções racionais. Hendrick van Heuraet (1634 -cerca de 1660) generalizou seu trabalho somando tangentes infinitesimais a uma curva. Christopher Wren (1632--1723). e também o primeiro a ser publicado. quadraturas que não podiam ser encontradas usando o Teorema Fundamental do Cálculo eram aproximadas. ninguém nos séculos 18 e 19 teve a visão de combinar limites e áreas para definir a integral matematicamente. isto é. e para curvas as quais não podia desenvolver fórmulas de integração. foi seu ensaio. Leibniz tomou o "S" alongado para a integral do latim sum ma e d do latim differentia. Então disse. escrito entre 1691 e 1693 e publicado como um apêndice na edição de 1704 do seu Opticks. Newton propôs um problema com implicações importantes para o cálculo: . com grande engenhosidade.usando uma integral para encontrar o comprimento de um arco. Incidentalmente. Enquanto descrevia as trajetórias dos cometas no Principia Mathematica (1687). Barrow deixou sua cadeira de Professor Lucasiano em Cambridge em favor de se ex-aluno Isaac Newton (1642 --1727).x3. o famoso arquiteto. mas o extremo direito podia variar. o extremo esquerdo era fixo. mas acreditava que contas formais de cálculo poderiam ser confiáveis porque levavam a resultados corretos. e em 1658. Em vez disso. integrais eram consideradas simplesmente como derivadas "inversas". e estas têm permanecido nossas notações de cálculo mais básicas desde então. Leibniz era ambivalente sobre infinitesimais. O termo integral.. o qual chamamos agora de método das frações parciais. Ele considerava as contas de cálculo como o meio de abreviar de algum modo o clássico método grego de exaustão. Newton desenvolveu as técnicas básicas para avaliar integrais usadas hoje em dia. Usando o Teorema Fundamental do Cálculo. A área era uma noção intuitiva. Este truque lhe permitiu estender algumas fórmulas de quadratura de Wallis e o levou ao Teorema Fundamental do Cálculo. uma curva era um polígono com um número infinito de lados. encontrou o comprimento de um arco da ciclóide. "On the Quadrature of Curves" (Sobre Quadratura de Curvas). Aproximadamente ao mesmo tempo em que a tabela de integrais de Newton tinha sido publicada. ele montou uma tabela extensa de integrais de funções algébricas um tanto complicadas. Principalmente como uma conseqüência do poder do Teorema Fundamental do Cálculo de Newton e Leibniz. Newton seguiu James Gregory (1638 --1675) ao pensar na área da região entre uma curva e o eixo horizontal como uma variável. foi cunhado por Johann Bernoulli (1667--1748) e publicado primeiramente por seu irmão mais velho Jakob Bernoulli (1654--1705). Para Gottfried Wilhelm Leibniz (1646--1716). incluindo os métodos de substituição e integração por partes. Neste. muito do cálculo nos primeiros dois terços do século 17 culminaram no The Geometrical Lectures (1670) de Isaac Barrow (1630--1677). Em 1659. a diferença entre abscissas "sucessivas".

Dirichlet também é responsável pela definição moderna de função (1837). Por sua vez. Leonhard Euler e outros.1822). B. A idéia moderna de uma função contínua. Sua primeira obrigação era provar que este limite existia para todas as funções contínuas sobre o intervalo dado. Infelizmente. popular e útil das formulas de Newton -Cotes para aproximar uma integral. que pensou em uma função contínua como sendo definida apenas por uma única fórmula em todo seu domínio. e em 1711. não conseguiu seu objetivo porque não observou dois fatos teóricos sutis mas cruciais.. foi iniciada em 1791 por Louis-François Arbogast (1759--1803): "A lei de continuidade consiste em que uma quantidade não pode passar de um estado [valor] para outro [valor] sem passar por todos os estados intermediários [valores] .. a Regra de Simpson. Euler identificou tanto funções com expressão analítica. O trabalho de interpolação de Newton foi estendido em épocas distintas por Roger Cotes (1682 --1716). a parábola [polinômio] pode sempre ser quadrada geometricamente por métodos conhecidos em geral [isto é.. me pareceu necessário demonstrar com generalidade a existência das integrais ou funções primitivas antes de tornar conhecidas suas diversas propriedades. James Stirling (1692--1770). Esta idéia tornou-se rigorosa em um panfleto de 1817 por Bernhard Bolzano (1781 --1848) e é conhecida agora como o Teorema do Valor Intermediário. a integral era uma de suas pedras fundamentais: No cálculo integral. Dirichlet sucedeu Carl Friedrich Gauss (1777-1855) como professor na Universidade de Göttingen. independente de qualquer fórmula. Em 1855. Riemann (1826 --1866) sucedeu Dirichlet (1859) em Göttingen. houve vários mal -entendidos sobre o conceito de função. a área da parábola [polinômio] será quase igual à área da figura curvilínea . Em 1743. Embora Euler tenha feito cálculos mais analíticos que geométricos."Para encontrar uma curva do tipo parabólico [isto é. A primeira prova rigorosa da convergência da Série de Fourier geral foi feita por Peter Gustav Lejeune Dirichlet (1805--1859) em 1829. ele ressaltou sua importância: "Assim as áreas de todas as curvas podem ser aproximadas . o matemático autodidata Thomas Simpson (1710-1761) encontrou o que se tornou um caso especial. contribuíram para esta confusão. Riemann generalizou a definição de Cauchy da integral para funções . 1755. Colin Maclaurin (1698 --1746).". Newton redescobriu a fórmula de interpolação de James Gregory (1638--1675). é chamada de fórmula de Gregory-Newton. como o problema da corda vibrante. No processo de extensão do trabalho de Dirichlet sobre séries de Fourier. com ênfase em funções (1748. embora Cauchy tenha usado o Teorema do Valor Intermediário. Niels Henrik Abel (1802--1829) também apontou certos erros delicados ao usar a integral de Cauchy para integrar todo termo de uma série infinita de funções.. usando o Teorema Fundamental do Cálculo]". Para alcançar este objetivo. Quando Augustin Louis Cauchy (1789 --1857) assumiu a reforma total do cálculo para seus alunos de engenharia na École polytechnique na década de 1820. Certos problemas de física.. Funções descontínuas (no sentido moderno) foram forçadas na comunidade matemática e científica por Joseph Fourier (1768--1830) no seu famoso Analytical Theory of Heat (Teoria Analítica do Calor. hoje. propriamente dito. 1768). Cauchy definiu a integral de qualquer função contínua no intervalo [a. Ele não tinha noção das falhas lógicas no seu argumento e prosseguiu para justificar o Teorema do Valor Médio para Integrais e para provar o Teorema Fundamental do Cálculo para funções contínuas. foi necessário estabelecer no começo a noção de integrais tomadas entre limites dados ou integrais definidas.. no século 18. Georg F. um polinômio] a qual deve passar por qualquer número de pontos dados".b] sendo o limite da soma das áreas de retângulos finos.

Fermat também antecipou o Teorema Fundamental do Cálculo no procedimento que desenvolveu para encontrar o centro de gravidade de um conóide (agora conhecido como um parabolóide de revolução). à quadratura da espiral. Mas aquilo não parecia ser de seu interesse. Mas. para 0 e x e a. 4. Em alguma época na década de 1640. Euclides (cerca de 300 a. Em seu estudo das "parábolas de ordem superior". Fermat mostrou que a área entre qualquer uma das parábolas de ordem superior e o eixo horizontal. Em suas notas não publicadas até sua morte.C. y = kxn . podemos ver que Fermat estava torturantemente próximo do Teorema Fundamental do Cálculo. James Gregory (1638--1675) e Isaac Barrow (1630--1677) quando este posteriormente viajou e estudou na Itália. e o eixo t. teria sido fácil encontrar a fórmula para a derivada. De uma maneira indireta envolvendo retificação (para encontrar o comprimento de um segmento de uma curva). Imediatamente. e o limite das somas de Riemann é a formulação no texto. quadraturas e cubaturas não tinham lugar de destaque dentre outros problemas geométricos. Torricelli desenvolveu sua construção de retas tangentes a "hipérboles de ordem superior" de Fermat. falhou em reconhecê -lo. onde k é constante e n = 2. retas tangentes a curvas e áreas. rm = kq n em coordenadas polares. a partir da quadratura destas curvas. Apolônio (cerca de 262--190 a. A partir daí. Gregory St. começando em t = a como uma função do extremo direito. Arquimedes (287--212 a. Fermat desenvolveu a fórmula y/k para a subtangente em qualquer ponto sobre a curva. y. 3.C. através dele. e. mas ainda havia dificuldades com integrais de séries infinitas que não foram trabalhadas até o início do século 20.b].) e todos os outros matemáticos da antiguidade clássica. podemos ver os primeiros lampejos de uma conexão entre tangentes e quadraturas. o Teorema Fundamental do Cálculo teria sido uma grande surpresa. «.arbitrárias no intervalo [a. Hoje.). Adicionalmente. ym = kxn.). um problema que tinha se originado com Arquimedes. Os resultados de Torricelli eram bem conhecidos de seus alunos. O Teorema Fundamental do Cálculo Quando pensamos nas origens geométricas das derivadas e integrais. principalmente Vincenzo Viviani (1622 --1703). Este . mas também não observou a conexão. Riemann perguntou. James Gregory considerou a área entre a curva.C. Para estes matemáticos. muitas das técnicas do que agora chamamos de cálculo foram transmitidas para a Inglaterra. não existe pista alguma que sugira o Teorema Fundamental do Cálculo. Quando álgebra foi usada pela primeira vez para descrever curvas na geometria analítica de René Descartes (1596--1650) e Pierre Fermat (1601--1665). mas para Fermat. respectivamente.C. Então encontrou a reta tangente a esta nova curva em t=x e mostrou que sua inclinação neste ponto era igual à ordenada. Desta maneira. como teria sido expresso em termos de suas parábolas de ordem superior. Vincent (1584 --1667) e Evangelista Torricelli (1608--1647) adicionaram à técnica de Roberval para determinar centros de gravidade sem perceber quaisquer outros princípios matemáticos importantes. Gilles Personne de Roberval (1602-1675) usou um processo somatório e ambas a tangente e a quadratura de certas curvas. Para encontrar o centro de gravidade de um sólido mais geral. da curva original. nxn-1 não era o objetivo. e do nosso ponto de vista hoje. t=x. y. "em que casos uma função é integrável?" A maior parte do desenvolvimento da teoria de integração foi subseqüentemente verificada por Riemann e outros.). era igual à área do retângulo de largura a e altura an/(k+ 1). mas sem qualquer pista de idéias mais abrangentes e gerais. Torricelli relacionou a construção de retas tangentes a espirais. retas tangentes. Para Eudoxo (cerca de 370 a.

Mas no lugar de derivadas. Assim não percebeu que o cálculo.processo tortuoso aproximou Gregory da Parte 1 do Teorema Fundamental do Cálculo da maneira que é afirmado no livro de Cálculo de Thomas. a £ t £ x. no seu Geometrical Lectures. ele usou o que ele chamou de fluentes. e o eixo horizontal. Mais além. como também não estava usando as fórmulas convenientes usadas hoje em dia. Newton adotou a idéia que a área entre uma curva. Esta é a essência da Parte 2 do Teorema Fundamental do Cálculo como encontrado no livro de Cálculo de Thomas. h(x).1668) de Gregory. Barrow era no fundo um geômetra muito talentoso. mostrou como a reta tangente a uma curva (distância) poderia levar à construção e quadratura de outra curva (velocidade). O livro Geometrical Lectures de Barrow foi o ápice dos processos geométricos do século 17 que levaram às nossas modernas derivada e integral. se aperfeiçoou nos resultados da tangente e quadratura dos primeiros dois terços do século 17. e em vez de antiderivadas. também antecipou a Parte 1 do Teorema Fundamental do Cálculo. o que os dois problemas mais básicos de cálculo eram (e ainda são): "1. sua tentativa de resumir e organizar a geometria do cálculo como ele a conhecia (o muito da qual tinha aprendido durante seus estudos na Itália. Dado o comprimento do espaço continuamente [isto é. Newton empregou flúxions de variáveis. Desta maneira. t = x. Newton afirmou claramente. Em particular. por x. Barrow mostrou no mínimo uma compreensão intuitiva do fato que tangentes e quadraturas eram operações inversas. 1664--1668). mas arbitrária. Graças aos fundamentos providos por Barrow. Barrow provou um teorema relacionando a soma de retângulos infinitesimais preenchendo a região entre uma curva e o eixo horizontal. equivalente a encontrar nossas antiderivadas. ao retângulo cuja largura é uma constante e cuja altura é F(b) . em vários lugares. Devido às semelhanças em educação e formação de seus escritores. a integral ou a antiderivada] descrita em qualquer tempo proposto". e o eixo horizontal. um múltiplo constante do que agora chamamos de antiderivada. na realidade. em termos físicos. encontrar o comprimento do espaço [isto é. por exemplo. Ele não só não procurava o Teorema Fundamental do Cálculo aqui.F(a) em notação moderna. este é o cerne da Parte 2 do Teorema Fundamental do . Isaac Newton (1642 --1727). Ao discutir velocidade e distância. Assim o flúxion da área era simplesmente yx. o Geometrical Lectures (1670) de Barrow e o Universal Part of Geometry de Gregory cobriram praticamente o mesmo assunto. e vice-versa. através do Teorema Fundamental do Cálculo. y. Então. é uma entidade intelectual única. em todo instante de tempo]. Dada a velocidade de movimento continuamente. era dependente do extremo direito. a £ x £ b. Newton pensou na área como sendo realmente gerada pelo movimento da reta vertical t = x. Em uma carta a Gottfried Wilhelm Leibniz (1646--1716). F(x). O trabalho de Barrow se aprofundou de alguma maneira nos esforços do século 17 levando ao desenvolvimento do cálculo. denotados. Isaac Barrow foi o primeiro professor da cadeira Lucasiana de Matemática e Filosofia Natural em Cambridge (1663--1669). A linguagem geométrica de Barrow provavelmente escondeu o fato de que seu h(x) era. Isaac Newton (1642 --1727). Mas este resultado era uma pequena parte do livro Universal Part of Geometry (Parte Universal da Geometria. Barrow primeiro mostrou geometricamente que a área entre uma curva crescente. No seu tratado mais abrangente. encontrar a velocidade do movimento [isto é. De fato. 2. era igual a y vezes a subtangente de uma curva auxiliar. o tenha encorajado a incluir alguns métodos algébricos adicionais no seu trabalho. onde y é a ordenada da curva dada em t = x. A partir de Gregory. a técnica de Newton para encontrar tais quadraturas era encontrar o fluente de y. Embora seu aluno e protegido. f(t). a derivada] em qualquer tempo dado.

Newton usou o Teorema Fundamental do Cálculo para encontrar os valores exatos para várias áreas. Em seu trabalho mais famoso. escreveu em 1680. Newton usou as idéias e algumas das técnicas de cálculo. da mesma maneira que fazemos hoje. como ò ydx. Posteriormente. devemos considerar seu contexto dentro do seu significativo trabalho em lógica. History and Origin of the Differential Calculus (História e Origem do Cálculo Diferencial. se fosse dada uma seqüência finita de números tais como. As idéias de Leibniz sobre integrais. foi introduzido a idéias emergentes de cálculo por Christiaan Huygens (1629 --1695). e 89. Para apreciar completamente as contribuições de Leibniz ao cálculo. Ele coroou seus estudos com sua própria genialidade. 27. sobre o qual falaremos a seguir. e continuou a especificar esta lei na forma da Parte 2 do Teorema Fundamental do Cálculo. foram amplamente conhecidas através de cópias feitas para seus colegas da Sociedade Real. escrevendo três manuscritos sobre cálculo: o primeiro foi escrito em outubro de 1666. Mas elas não foram publicadas até muito depois de sua morte.começaram enquanto ele estava em Paris (1672--1676). 216 . o segundo em 1669. Para Leibniz. e 216. as fórmulas e partes algébricas do cálculo estavam ausentes. Leibniz formulou uma afirmação inicial da Parte 1 do Teorema Fundamental do Cálculo como encontrado no livro Cálculo de Thomas. o Principia Mathematica (1687). Leibniz afirmou que ao encontrar a área representada por ò ydx. A maior parte dos escritos de Leibniz sobre cálculo recaíram em três grupos: seus manuscritos .1714). Então. "Eu represento a área de uma figura pela soma [infinita] de todos os retângulos limitados pelas ordenadas e diferenças das abscissas". uma curva era um polígono feito de um número infinito de lados. Y é nossa antiderivada. Agora. cada um com comprimento "infinitesimal". atualizando seus dois trabalhos anteriores. e assim. deve-se encontrar uma curva Y tal que as ordenadas y são diferenças de Y. para Leibniz. ele notou que a soma das diferenças.8) + « + (216 . "continha uma maneira prática de computar" e era uma abreviação dos métodos rigorosos das tangentes e quadraturas de Arquimedes . Então. foi especialmente influenciado por La géométrie de René Descartes (1596--1650) numa tradução em Latim e com comentários por Frans van Schooten (1615-1660) e por John Wallis (1616--1703) em seu The Arithmetic of Infinites. 1. e relatou que aqueles de Blaise Pascal (1623--1662) eram especialmente úteis. derivadas e cálculo em geral foram desenvolvidas a partir de analogias com somas e diferenças.0) + (8 . "elevando a alturas maiores" se baseando na analogia com somas finitas e diferenças. Em termos modernos. 19. 61. 8. metafísica e filosofia porque pensava em todas estas atividades como inter -relacionadas.1) + (27 . Quando Leibniz foi a Paris em 1672 em missão diplomática. e um manuscrito. Newton começou a pensar nos problemas geométricos de cálculo em termos algébricos.quase todos diários . Cálculo. com diferenças y: 1. 7. Leibniz escreveu. contudo. Leibniz estudou muitos dos trabalhos de autores de matemática avançada. mas não observou o ponto em seu cálculo. a existência de infinitésimos poderia ter sido um problema filosófico interessante. å y = (1 . Em geral. Y: 0. um membro da nova Academia Francesa. os artigos que publicou no Acta Eruditorum nas décadas de 1680 e 1690. Juntamente com Barrow. 37. para o Teorema Fundamental do Cálculo. Newton resumiu quase todos os trabalhos anteriores so bre cálculo. especialmente o teorema Fundamental. As três monografias de cálculo de Newton.125) se alternavam em torno da diferença entre o primeiro e o último valor de Y. em 1671.0. 125. Por exemplo. e o terceiro. mas como o Principia foi escrito em sua maior parte na forma geométrica. isto é. ou y = dY. 64. "o problema geral de quadraturas pode ser reduzido a encontrar uma curva que tenha uma dada lei de tangência". em um artigo de 1693 no Acta Eruditorum.Cálculo como encontrado no livro Cálculo de Thomas.

C. Finney. Infelizmente. deveriam dividir igualmente a glória da criação do cálculo. Naturalmente. «. e Joseph Louis Lagrange (1736-1813) estendeu a idéia básica de Maclaurin a funções crescentes representadas por uma série de potências. expandiram e aplicaram o cálculo. Newton era presidente da Sociedade Real e Leibniz ainda era um membro. A prova moderna do Teorema Fundamental do Cálculo foi formulada para funções contínuas em a e x e b por Augustin Louis Cauchy (1789 -1857) em seu Lessons Given at the École Royale Polytechnique on the Infinitesimal Calculus (1823). História das Equações Diferenciais De várias maneiras. mas durante as primeiras décadas do século 18. a maior parte dos matemáticos ingleses se limitaram aos flúxions e fluentes de Newton e evitaram as notações superiores de Leibniz até o início do século 19. Colin Maclaurin (1698 -1746) provou a Parte 1 do Teorema Fundamental do Cálculo para funções de potência simples. alguns poucos seguidores de Newton atacaram Leibniz acusando-o de plágio do cálculo de Newton durante suas visitas a Londres em 1673 e 1676. equações diferenciais são o coração da análise e do cálculo. numa lealdade mal direcionada. que podemos dizer que a história deste assunto começa e termina com ele. Como uma ferramenta matemática importante para ciências físicas.(287--212 a. inacessíveis à perspectiva do século 18 de Euler e sofisticadas além do entendimento de apenas uma pessoa. Jakob (1654 -1705) e Johann Bernoulli (1 667--1748) e outros matemáticos e cientistas do século 18 que se aproveitaram do cálculo de Leibniz. Leibniz argumentou sobre o Teorema Fundamental do Cálculo por analogia e Newton baseou sua justificativa em flúxions e fluentes. feito por vários estudiosos. para todas as funções contínuas. é que Newton e Leibniz desenvolveram o Teorema Fundamental do Cálculo independentemente e que. e aqueles que vieram antes de Euler foram necessários para que ele pudesse entender o cálculo e a análise necessários para desenvolver muitas das idéias fundamentais. Leonhard Euler. y = xn. A história sobre este assunto é rica no seu desenvolvimento e é isto que estaremos olhando aqui. Existem vários contribuintes importantes.) e outros geômetras gregos clássicos. que finalmente uniu rigorosamente os dois ramos principais do cálculo em uma estrutura. Os contribuintes depois de Euler r efinaram seu trabalho e produziram idéias inteiramente novas. Com seu Teorema Fundamental do Cálculo. Newton e Leibniz nunca se encontraram frente a frente. Os argumentos que Cauchy deu são os mesmos daqueles encontrados no livro de Cálculo de Thomas. A matéria se tornou uma disputa prioritária de escala monumental e se tornou um descrédito para todos os participantes à medida que o século 18 avançou. Assim é amplamente aceito que equações diferenciais são importantes em ambas matemática pura e aplicada. onde n = 1. a equação diferencial não tem igual. Weir & Giordano. que por sua vez dependiam da intuição de pontos se movendo ao longo de uma curva. Os fundamentos deste assunto parecem estar dominados pelas contribuições de um homem. freqüentemente com resultados espetaculares. Cauchy proveu a chave. ambos elegantes e úteis. especialmente de sua notação fértil. Leibniz escreveu seu History and Origin of the Differential Calculus (1714) para sua defesa. por exemplo. O consenso hoje. Daremos uma . Esta é a história do desenvolvimento das equações diferenciais. 3. 2. depois de muito estudo meticuloso e imparcial. mas sem sucesso. portanto. usaram livremente. Equações diferenciais são uma parte integral ou um dos objetivos de vários cursos de graduação de cálculo. em torno da virada do século 18. dois dos mais importantes ramos da matemática nos últimos 300 anos. Por outro lado. isto seria uma simplificação grosseira do seu desenvolvimento.

desenvolveu procedimentos para soluções de muitos tipos de equações. Johann. estudou suas propriedades e definições. Newton. mas a chave para seu entendimento era seu conhecimento e percepção de funções. foi provavelmente o primeiro matemático a entender o cálculo de Leibniz e os princípios de mecânica para modelar matematicamente fenômenos físicos usando equações diferenciais e a encontrar suas soluções. outros desenvolveram e usaram estas séries para vários propósitos. Na época.pequena olhada nas pessoas. nas técnicas. Euler entendeu o papel e a estrutura de funções. Johann Bernoulli. usando os princípios de gravidade e momento desenvolvidos por Newton. A partir do momento que estes matemáticos brilhantes tiveram entendimento suficiente e notação para a derivada. em circunstâncias muito especiais. Em 1739. nas equações. Ao redor do início do século 18. e Daniel. Euler teve o benefício dos trabalhos anteriores. Jakob Bernoulli estudou cuidadosamente e escreveu equações diferenciais para o movimento planetário. trigonométricas e muitas outras fu nções elementares. As manipulações simbólicas e simplificações algébricas ajudaram apenas um pouco. Halley usou os mesmos princípios para analisar a trajetória de um cometa que hoje leva seu nome. No início do século 18. Em muitos casos. A integral (antiderivada) e seu papel teórico no Teorema Fundamental do Cálculo ofereceu ajuda direta apenas quando as variáveis eram separadas. Jakob. logarítmicas. O irmão de Jakob. Foi o primeiro a entender as propriedades e os papéis das funções exponenciais. Os Bernoullis. quando Leonhard Euler chegou à cena das equações diferenciais. mas foi limitado pelas teorias do seu tempo para casos especiais da equação que leva hoje seu nome. Cinqüenta anos de equações diferenciais trouxeram progresso considerável. O método de separação de variáveis foi desenvolvido por Jakob Bernoulli e generalizado por Leibniz. muitas equações ainda eram desconhecidas em termos de propriedades ou métodos de resolução. mas não uma teoria geral. logo descobriram que as soluções para estas equações não eram tão fáceis. técnicas de soluções iludiram perseguidores por cerca de 50 anos. Fermat. as equações diferenciais estavam interagindo com outros tipos de matemática e ciências para resolver problemas aplicados significativos. Usando seu conhecimento de funções. a próxima onda de pesquisadores de equações diferenciais começou a aplicar estes tipos de equações a problemas em astronomia e ciências físicas. na teoria e nas aplicações. Suas técnicas de conjecturar e encontrar os coeficientes indeterminados foram etapas fundamentais para desenvolver este assunto. A história começa com os inventores do cálculo. e Leibniz. Muitas equações pareciam amigáveis. o desenvolvimento de Taylor de diferenças finitas começou um novo ramo da matemática intimamente relacionado ao desenvolvimento das equações diferenciais. Nesta época. Rapidamente achou que funções eram a chave para entender equações diferenciais e desenvolver métodos para suas resoluções. desenvolveu o método de variação de . Taylor usou séries para "resolver" equações diferenciais. Euler também desenvolveu várias funções novas baseadas em soluções em séries de tipos especiais de equações diferenciais. Contudo. Assim estes pesquisadores iniciais do século 17 focalizaram estes casos especiais e deixaram um desenvolvimento mais geral das teorias e técnicas para aqueles que os seguiram. O trabalho de Bernoulli incluiu o desenvolvimento da catenária e o uso de coordenadas polares. mas tornaram-se decepcionantemente difíceis. esta logo apareceu em equações e o assunto nasceu. Contudo. Contudo. O desenvolvimento das equações diferenciais precisava de um mestre para consolidar e generalizar os métodos existentes e criar novas e mais poderosas técnicas para atacar grandes famílias de equações. Ricatti (1676--1754) começou um estudo sério de uma equação em particular. este e muitos outros matemáticos tinham acumulado uma crescente variedade de técnicas para analisar e resolver muitas variedades de equações diferenciais. todos estudaram os casos da equação de Ricatti também.

Gauss usou equações diferenciais para melhorar as teorias das órbitas planetárias e gravitação. pouco contribuiu para a teoria matemática desta série. no qual ele fez uso extensivo da série que leva seu nome. Os resultados são agora clássicos em hidrodinâmica. A contribuição principal de Lacroix foi resumir muitos dos resultados de Euler. Gauss estabeleceu a teoria do potencial como um ramo coerente da matemática. e Lagrange. Ele desenvolveu uma máquina de calcular chamada de Máquina de Diferença que usava diferenças finitas para aproximar soluções de equações. Fourier. Trabalhou em avanços nas equações diferenciais parciais e incorporou muitos dos avanços desde os tempos de Euler ao seu livro. Ele era um mestre que este assunto necessitava para se desenvolver além de seu início primitivo. As maiores contribuições de Lagrange foram provavelmente na definição de função e propriedades. Sua pesquisa matemática fez contribuições ao estudo e cálculos da difusão de calor e à solução de equações diferenciais. ele é nosso mestre". O trabalho de Legendre sobre equações diferenciais foi motivado pelo movimento de projéteis. Lagrange. Lagrange seguiu de perto os passos de Euler. Lagrange foi provavelmente o primeiro matemático com conhecimento teórico e ferramentas suficientes para ser um verdadeiro analista de equações diferenciais. Em 1799. desenvolvendo mais teoria e estendendo resultados em mecânica. Este resultado foi uma ferramenta importante para o estudo de oscilações. especialmente equações de movimento (problema dos três corpos) e energia potencial. Laplace claramente reconheceu as raízes de seu trabalho quando escreveu "Leia Euler. contudo. Cauchy foi o primeiro a definir completamente as idéias de convergência e convergência absoluta de séries infinitas e iniciou uma análise rigorosa de cálculo e equações diferenciais. leia Euler. Depois de Euler vieram muitos especialistas que refinaram ou estenderam muitas das idéias de Euler. Laplace. os quais proveram "soluções" aproximadas para quase todas as equações. Em 1728. Daniel Bernoulli usou os métodos de Euler para ajudá-lo a estudar oscilações e as equações diferenciais que produzem estes tipos de soluções. hoje conhecidas como equações de Lagrange. Cauchy aplicou equações diferenciais para modelar a propagação de ondas sobre a superfície de um líquido. incluindo técnicas numéricas melhores e um melhor entendimento de integração. Os dois contribuintes principais deste desenvolvimento foram Gauss e Cauchy. tornando-se um assunto coeso e central ao desenvolvimento da matemática aplicada moderna. Euler então continuou aplicando o trabalho em mecânica que levou a modelos de equações diferenciais e soluções. a qual era bem conhecida anteriormente por Euler. Lacroix foi o próximo a deixar sua marca.1822) de Fourier. Muito deste trabalho aparece em The Analytical Theory of Heat (A Teoria Analítica do Calor. o qual é importante na análise e solução de várias equações diferenciais parciais. As contribuições de Charles Babbage vieram por uma rota diferente. O trabalho de Laplace sobre a estabilidade do sistema solar levou a mais avanços. pela primeira vez levando em conta novos fatores tais como resistência do ar e velocidades iniciais. quando as teorias e conceitos de funções de variáveis complexas se desenvolveram. o que manteve o interesse em generalizar métodos e analisar novas famílias de equações diferenciais. Daniel Bernoulli. introduziu as idéias de um laplaciano de uma função. Também reconheceu que a teoria das funções de uma variável complexa era a chave para entender muitos dos resultados necessários em equações diferenciais aplicadas. Seu trabalho também incluiu o uso de aproximações numéricas e o desenvolvimento de métodos numéricos. ele introduziu equa ções gerais de movimento para sistemas dinâmicos. e Legendre. Também foi o primeiro a desenvolver . O próximo avanço importante neste assunto ocorreu no início do século 19.parâmetros. O trabalho de D'Alembert em física matemática envolveu equações diferenciais parciais e explorações por soluções das formas mais elementares destas equações. Inventou o método das características. Em 1788. O próximo na ordem foi Fourier.

Lipschitz (1832--1903) desenvolveu teoremas de existência para soluções de equações diferenciais de primeira ordem. O trabalho de Hermite foi desenvolver a teoria de funções e soluções de equações. Gibbs é conhecido como o pai da análise vetorial. Rayleigh. Os trabalhos iniciais de Poisson em mecânica apareceram em Traité de mécanique em 1811. Jacobi desenvolveu a teoria de determinantes e transformações em uma ferramenta poderosa para avaliar integrais múltiplas e resolver equações diferenciais. na teoria de variáveis complexas. elasticidade. Vários matemáticos vieram em socorro. Muito de seu trabalho original foi feito na solução e análise de equações diferenciais. eletricidade e magnetismo foi publicado em 1828 em ³An Essay on the Application of Mathematical Analysis to Electricity and Magnetism´. Em 1876. os polinômios de Hermite e as funções de Hermite se mostraram posteriormente muito úteis para resolver a equação de onda de Schrödinger e outras equações diferenciais. Sylvester e foi para os Estados Unidos para lecionar na Universidade Johns Hopkins entre 1881 e 1882. assim como as inversas das funções trigonométricas e as funções exponenciais e logarítmicas. Poisson e Cauchy enquanto usava equações diferenciais para desenvolver teorias sobre a condução do calor. Outro aplicador destas teorias foi George Green. Cayley criou a noção de matrizes em 1858 e desenvolveu boa parte da teoria de matrizes nas décadas posteriores.uma teoria sistemática para números complexos e a desenvolver a transformada de Fourier para prover soluções algébricas para equações diferenciais. Aplicou seu conhecimento de equações diferenciais a aplicações em física e mecânica. O trabalho de Riemann em . A estrutura do jacobiano foi desenvolvida em 1841. calor. A matemática de Green proveu a base na qual Thomson. À medida que a teoria se desenvolveu. som. Depois destas grandes contribuições de Gauss e Cauchy. Fourier. Riemann também teve o benefício de trabalhar com o físico Wilhelm Weber. Joseph Liouville foi o primeiro a resolver problemas de contorno resolvendo equaç ões integrais equivalentes. sob a orientação de Gauss. Stokes. O trabalho de Liouville sobre a teoria de integrais de funções elementares foi uma contribuição substancial para soluções de equações diferenciais. outros puderam refinar estas teorias poderosas e aplicá-las a vários ramos da ciência. luz. Seu trabalho sobre funções de Bessel foi feito para analisar perturbações planetárias. Josiah Gibbs fez contribuições à termodinâmica. Seu doutorado foi obtido. J. Ostrogradsky colaborou com Laplace. Cayley era um amigo de J. Cayley também trabalhou com determinantes e criou uma teoria para operações com matrizes em 1854. Bessel era um amigo de Gauss e aplicou seu conhecimento sobre equações diferenciais à astronomia. ao eletromagnetismo e à mecânica. Legendre. Na metade do século 19. uma nova es trutura era necessária para atacar sistemas de mais de uma equação diferencial. Posteriormente estas construções foram usadas para resolver equações diferenciais. as seis funções trigonométricas básicas foram provadas transcendentais. As investigações teóricas e experimentais de Stokes cobriram hidrodinâmica. À medida que o final do século 19 se aproximava. O próximo a construir fundamento teórico foi Bernhard Riemann. os principais esforços em equações diferenciais se moveram para um plano teórico. incluindo elasticidade e vibrações. Maxwell e outros construíram a teoria atual do magnetismo. Hermite mostrou que a equação de quinta ordem poderia ser resolvida por funções elípticas. Ele usou modelos de equações diferenciais em todos os campos de estudo. Por seu trabalho nos fundamentos de sistemas de equações. um método refinado por Fredholm e Hilbert no início da década de 1900. Jacobi era um calculador muito hábil e um perito numa variedade de campos aplicados. dinâmica teórica e astronomia. Enquanto seu trabalho era teórico. Cayley publicou mais de 900 artigos cobrindo muitas áreas da matemática. gravitação. Como Euler. O trabalho de Green em fundamentos matemáticos de gravitação. meteorologia e física solar.

Muitos resultados de seu trabalho foram as sementes de novas maneiras de pensar. Richard Courant e Garrett Birkhoff foram pioneiros bem sucedidos neste esforço. tais como análise de séries divergentes e equações diferenciais não lineares. a maior matemática antes do século 20. a teoria emergente do caos usou os princípios desenvolvidos por Poincaré e seus seguidores. ela teve oportunidade de estudar com Weierstrass. Equações não lineares foram o próximo grande obstáculo. trabalhos teóricos de Fredholm e Hilbert refinaram os resultados iniciais e desenvolveram novas classificações para o entendimento posterior de algumas das mais complicadas famílias de equações diferenciais.equações diferenciais contribuiu para resultados em dinâmica e física. o maior matemático de sua geração. Estes métodos numéricos ainda são usados hoje. completou três artigos sobre equações diferenciais parciais. Em mecânica celeste. ela se apoiou no trabalho de Laplace. muitos matemáticos e cientistas da computação implementaram métodos numéricos para equações diferenciais em computadores para dar soluções rápidas e eficientes para sistemas complicados. No início de sua pesquisa. Como o mundo físico é multidimensional (isto é. as quais floresceram. Carl Runge desenvolveu métodos numéricos para resolver as equações diferenciais que surgiram no seu estudo do espectro atômico. produziu mais de 30 livros técnicos sobre física matemática e mecânica celeste. trabalhando com os resultados do astrônomo americano George Hill. cujo trabalho ela generalizou. Ela publicou vários artigos sobre equações diferenciais parciais. Na última metade do século 20. Poincaré entendeu e contribuiu em quatro áreas principais da matemática . muitas das quantidades usadas nestes modelos aplicados eram de várias variáveis.análise. Por isso. Depois de vencer dificuldades consideráveis por causa da discriminação de seu gênero. no século 20. a última pessoa a estar nesta posição. Poincaré. matemáticos estavam desenvolvendo uma nova matemática para resolver problemas em ciências físicas. História do Cálculo de Várias Variáveis Durante o século 16. álgebra. sobre geometrias complexas. baseada em equações diferenciais. George Birkhoff usou as idéias de Poincaré para analisar sistemas dinâmicos grandes e estabelecer uma teoria para a análise das propriedades das soluções destas equações. O próximo impulso foi no desenvolvimento de métodos numér icos mais robustos e eficientes. provavelmente. de grande escala. e fez tanta física que os matemáticos pensaram que fosse físico. geometria e teoria de números. A maioria destes trabalhos envolveu o uso e análise de equações diferenciais. Hoje seu nome está associado com os métodos de Runge-Kutta para resolver equações diferenciais. três dimensões espaciais e o tempo). Posteriormente. o trabalho de Kovalevsky era sobre a teoria de equações diferenciais parciais e um resultado central sobre a existência de soluções ainda leva seu nome. Astronomia era uma área da ciência que era rica neste tipo de matemática de várias variáveis. Ele usou tanta matemática em sua pesquisa que fí sicos pensaram que fosse matemático. No final da década de 1890. No século 20. Basicamente. Na década de 1980. outro matemático aplicado alemão. também é lembrado por sua contribuição à teoria de Kutta-Joukowski de sustentação de aerofólios em aerodinâmica. O próximo contribuinte teórico importante foi Kovalevsky. Kutta. conquistou a estabilidade das órbitas e iniciou a teoria qualitativa de equações diferenciais não lineares. o cenário estava sendo montado por astrônomos e matemáticos para o . Ele tinha um domínio criativo de toda a matemática de seu tempo e foi. Gibbs escreveu um artigo que descreveu a convergência e o "fenômeno de Gibbs" da série de Fourier. No seu estudo da forma dos anéis de Saturno.

unificou e generalizou muitos métodos para incluir cálculo de várias variáveis. Ele tinha apenas 19 anos quando inventou estes métodos e até muito mais tarde em sua vida ainda os considerava como seu melhor trabalho em matemática. para o cálculo de várias variáveis. o qual ajudou a fazer com que a diferenciação parcial fizesse parte do cálculo. finalmente. por isso precisou e desenvolveu resultados em cálculo de várias variáveis. Foi muito produtivo nesta área aplicada da matemática. D'Alembert pesquisou nesta área e publicou muitos trabalhos em matemática e física matemática. Publicou Mécanique analytique (1787). Seu trabalho em otimização em várias variáveis resultou na técnica que agora chamamos de multiplicadores de Lagrange. sua aplicação para resolver problemas em um mundo multidimensional resultou na necessidade de generalização para incluir funções de mais de uma variável e cálculo de várias variáveis. cinemática e resistência dos materiais. Seu tratado expandiu o papel do cálculo de várias variáveis nas ciências. O que seriam os análogos da derivada e da integral para funções de mais de uma variável? Jean d'Alembert (1717--1783) desenvolveu e usou o cálculo de várias variáveis para lidar com métodos para resolver equações diferenciais e movimento de corpos considerando a resistência do meio. Analisou a curva descrita pelas bolas de canhão. um problema de gravitação mútua que tinha frustrado Euler e Lagrange. Por sua habilidade. Sylvestre François Lacroix (1765--1843) escreveu um tratado importante sobre cálculo em 1797. Próximo na linha de refinamento e uso do cálculo de várias variáveis foi Joseph Louis Lagrange (1736--1813). o astrônomo e matemático Pierre-Simon Laplace (1749--1827). Pelo seu trabalho nestas áreas. Seu famoso tratado sobre este assunto foi intitulado Mécanique celeste. ainda jovem. também incorporou resultados obtidos no final do século 18 ao seu texto. Seu trabalho principal foi o Traité de dynamique (1743). Galileu (1564--1642) tentou aplicar a matemática ao seu trabalho em astronomia. De várias maneira. Estes resultados mudaram a astronomia e desempenharam um papel crucial no desenvolvimento da física newtoniana e do cálculo. Seu trabalho contribuiu para a análise do sistema solar. Depois do desenvolvimento do cálculo de uma variável no século 17. Seu trabalho ajudou a desacreditar o modelo geocêntrico de Ptolomeu e ajudou a estabelecer a teoria heliocêntrica de Copérnico. é freqüentemente chamado de fundador da mecânica e física moderna. foi . usou os trabalhos de Newton. L'Hospital e dos Bernoullis para estender os conceitos de cálculo para várias variáveis. Também montou o cenário para o surgimento da matemática aplicada em várias variáveis. Em seu livro. Seus principais trabalhos foram sobre as equações de movimento e no entendimento da energia potencial. Colega de Lagrange. O astrônomo. Legendre pôde desenvolver estas equações a partir de seu trabalho avançado em equações diferenciais e cálculo de várias variáveis.desenvolvimento de funções de várias variáveis e. levando em consideração a resistência do ar e desenvolveu relações para alcance dadas as velocidades iniciais. Adrien Legendre (1752--1833) venceu um prêmio de pesquisa da Academia de Berlim com seu trabalho sobre balística exterior. Este aplicou seu conhecimento de cálculo à mecânica. Enquanto Lacroix seguiu muitos dos fundamentos estabelecidos por Euler. Laplace generalizou as leis da mecânica para sua aplicação ao movimento e às propriedades de corpos celestes. se sobressaiu ao resolver. Em 1782. Lagrange também foi o primeiro a desenvolver os método de hoje para encontrar máximos e mínimos usando cálculo. matemático e físico alemão Johannes Kepler (1571--1630) contribuiu grandemente através do desenvolvimento das suas três leis do movimento planetário. no qual aplicou cálculo de várias variáveis ao movimento e às propriedades de objetos no espaço. O matemático francês Joseph Fourier (1768--1830) também aplicou cálculo para resolver problemas práticos em ciência.

mas suas anotações não foram publicadas até muitos anos depois. O matemático francês Siméon Poisson (1781--1840) estudou com Lagrange e Laplace. Desde então tornou-se conhecido como Teorema de Stokes. O matemático aplicado Carl Jacobi (1804--1851) desenvolveu a teoria de determinantes e transformações em uma ferramenta poderosa para avaliar integrais múltiplas. Suas contribuições foram em termodinâmica. que nasceu em Connecticut e estudou em Yale. Rayleigh. Fourier. trabalhou em problemas de ciência aplicada em física matemática. som. resolveu um problema de hidrodinâmica sobre a propagação de ondas sobre a superfície de um líquido. Seu desenvolvimento de uma teoria de órbitas planetárias foi publicado em 1809. por isso. algumas vezes. meteorologia e física solar. chamado de Teorema de Gauss. Mikhail Ostrogradsky (1801--1862) foi o primeiro a publicar uma prova do teorema da divergência. foi dado crédito a outros pelo desenvolvimento e prova deste importante resultado de várias variáveis. Gauss desenvolveu resultados que estabeleceram a teoria do potencial como um ramo coerente da matemática. gravitação. Fourier continuou sua pesquisa matemática usando seu entendimento de derivadas parciais e de cálculo de várias variáveis. George Stokes (1819--1903) aplicou o cálculo de várias varáveis para estudar hidrodinâmica. Ostrogradsky deixou a Rússia para Paris em 1822 onde encontrou Laplace. Usou seus conhecimentos de diferenciação parcial e de integrais de linha para analisar soluções e propriedades das equações diferenciais parciais. A matemática de Green deu a base na qual Thomson. Bernhard Riemann (1826--1866) trabalhou com físico Wilhelm Weber (1804-1891). Muito daquele trabalho aparece em seu influente livro Théorie analytique de la chaleur. Central a este desenvolvimento foi o cálculo de várias variáveis. Fourier fez contribuições para o estudo e cálculo de difusão de calor e para a solução de equações diferenciais. Continuou a estudar e contribuir com o cálculo de várias variáveis aplicando resultados em dinâmica e física computacional. Sonya Kovalevsky (1850--1891). a matemática russa mais conhecida do final do século 19. Enquanto trabalhava na teoria do calor na metade da década de 1820. O teorema é. Utilizou a matemática nas aplicações de elasticidade e vibrações. elasticidade. fazendo seu trabalhos iniciais em mecânica. calor. Em 1816. aprendeu matemática lendo papel de parede de um quarto que consistia de páginas de um texto matemático do cálculo diferencial e integral . eletromagnetismo e mecânica. As conquistas de Gauss em ciências e matemática foram assombrosas. À frente daqueles que contribuíram para o cálculo de várias variáveis estava Carl Friedrich Gauss (1777--1855). Posteriormente. Gauss desenvolveu e provou o Teorema da Divergência enquanto trabalhava na teoria de gravitação. O trabalho de George Green (1793 --1841) sobre os fundamentos matemáticos da gravitação. Josiah Willard Gibbs (1839 --1903). Também aplicou métodos de transformação para estudar integrais como as que surgiram no cálculo do comprimento de arco. ele o aprendeu de Thomson em 1850 e poucos anos depois incluiu entre questões de um exame. formulou o teorema da divergência como uma ferramenta para tornar integrais de volume em integrais de superfície. Stokes. Similarmente. introduzindo as idéias básicas da geometria diferencial. Ele não foi o primeiro a desenvolver o teorema integral que agora chamamos de Teorema de Stokes. luz. resultado que agora chamamos de Teorema de Green. Maxwell e outros construíram a teoria atual do eletromagnetismo. Legendre. O famoso matemático Augustine Cauchy (1789--1857) construiu sobre os conceitos de várias variáveis no Mécanique céleste de Laplace e no Traité des functions analytiques de Lagrange. da eletricidade e do magnetismo foi publicado em 1828 em um pequeno livro intitulado An Essay on the Application of Mathematical Analysis to Electricity and Magnetism. Poisson e Cauchy.selecionado por Napoleão para ir numa expedição ao Egito como consultor técnico em engenharia e pesquisa técnica.

3. luz. O matemático italiano Guido Fubini (1879 --1943) avançou ambos os aspectos aplicado e teórico do cálculo de várias variáveis. Dentre seus vários resultados estava que a área sob um arco parabólico é sempre dois terços da base vezes a altura. Seu trabalho não foi tão completo ou rigoroso.5. Na verdade.C. Seu trabalho influenciou trabalhos posteriores de Albert Einstein em relatividade e física.de Ostrogradsky. Este ensaio destaca as contribuições de alguns daqueles matemáticos que estudaram seqüências e séries. . eletricidade e magnetismo. Arquimedes (287-. introduzindo -a em termos de modelagem de uma população reprodutiva de coelhos. Os paradoxos de Zenão sobre o movimento desconcertaram matemáticos por séculos. fluxo e potencial para avançar no entendimento de ótica. Durante os séculos 13 e 14. O físico James Maxwell (1831--1879) usou ferramentas de várias variáveis como a divergência. como daqueles matemáticos que vieram depois e desenvolveram seqüências e séries como Newton e Leibniz. Vários dos matemáticos gregos da antiguidade usaram seu método de exaustão (um argumento seqüencial) para mediar áreas de figuras e regiões. Ernst Mach (1838--1916) usou muitas destas mesmas ferramentas para produzir novos resultados em mecânica. História das Seqüências e Séries Zenão de Eléa (490--425 a.212 a.«). No final eles envolvem a soma de um número infinito de termos positivos a um número finito. Vários matemáticos contribuíram para o entendimento das propriedades de seqüências e séries. Este trabalho inicial na Ásia levou a mais investigação e análise de várias progressões e séries mas teve pouca influência sobre os matemáticos europeus. Ele provou o método de avaliar integrais iteradas que tem o seu nome e utilizou os resultados em mecânica e física. o livro não sobreviveu até os tempos modernos. Ela trabalhou principalmente na teoria de equações diferenciais parciais. Pelo menos quatro dos paradoxos influenciaram o desenvolvimento da matemática para explicar os fenômenos relevantes. O próximo contribuinte importante para esta área da matemática foi Fibonacci (1170--1240). Zenão não foi o único matemático da antiguidade a trabalhar com seqüências.) escreveu um livro com 40 paradoxos relativos ao contínuo e ao infinito. o rotacional. o qual é a essência da convergência de uma série infinita de números. foi capaz de descobrir muitos dos elementos da análise moderna de seqüências e séries. Hoje. ele construiu vários exemplos e tentou explicar como somas infinitas poderiam ter resultados finitos. termodinâmica e física. Esta seqüência tem muitas propriedades curiosas e interessantes e continua sendo aplicada em várias áreas da matemática moderna e ciência. Durante o mesmo período.C. Ele descobriu uma seqüência de inteiros na qual cada número é igual à soma dos dois antecessores (1. Infelizmente. astrônomos chineses desenvolveram técnicas numéricas para analisar resultados experimentais. matemáticos chineses usaram a idéia de diferenças finitas para analisar tendências em seus dados. Embora Arquimedes tenha sido obstruído pela falta de precisão e notação eficiente. Usando sua técnica refinada de raciocínio chamada de "método". mas foi tão impressionante quanto. Seu trabalho aplicou matemática à ciência e à engenharia.) alcançou vários resultados importantes envolvendo áreas e volumes de várias figuras e sólidos. métodos como os deles são usados para entender o comportamento a longo prazo e os limites de seqüências infinitas. Trabalhos posteriores de cientistas e matemáticos aplicados no final do século 19 e no século 20 refinaram resultados anteriores de várias variáveis e utilizaram estas técnicas em várias áreas de ciência e engenharia.2.1.8. assim conhecemos estes paradoxos a partir de outras fontes.

Baseado no seu estudo de Arquimedes. Até sugeriu que poderia existir uma terceira propriedade entre o finito e o infinito. Seu principal trabalho. mas impossível de entender. Brook Taylor (1685--1731) não foi o primeiro a inventar a estrutura e o processo que chamamos de série de Taylor. Ele entendeu os conceitos físicos e matemáticos da aceleração devido à gravidade. desenvolveu os resultados para o movimento em queda livre sob a ação da gravidade e os movimentos dos planetas. Leibniz usou uma abordagem seqüencial de valores infinitamente próximos para explicar o conceito de limite. seguindo o trabalho de St. ele. À medida que o desenvolvimento do cálculo foi tomando forma. mas era confundido pelo seu conceito. e a série de Maclaurin não foi desenvolvida por Colin Maclaurin (1698 --1746). o primeiro por conta de sua magnitude. comprimento de arco e volumes. Vincent. Gregory também publicou a série de Maclaurin para muitas funções trigonométricas antes que Maclaurin tivesse nascido. o qual continha o que chamamos agora de série de Taylor. Até a metade do século 17. O argumento que usamos para mostrar a divergência da série harmônica foi inventado por Oresme em sua publicação. Infinitos e indivisíveis transcendem nosso entendimento finito. Usando métodos algébricos e geométricos. descobriu muitos dos resultados que agora estudamos em cálculo usando limites. Galileu melhorou a compreensão de hidrostática. somou e analisou várias seqüências geométricas. o infinito era alguma coisa para admirar. a razão deve entrar. Ele tinha desenvolvido independentemente um método baseado em cálculo para gerar . mas parou um pouco antes de definir ou explicar limites e convergência. imagine o que eles são quando combinados. De configurationibus. Embora nunca tenha pensado na derivada como um limite. Somou séries e analisou seqüências. Galileu (1564--1642). foi o primeiro a apresentar gráficos de velocidade. Newton calculou as séries para as funções trigonométricas sen(x) e cos(x) e para a função exponencial. o progresso no entendimento de séries infinitas teve um papel no desenvolvimento do cálculo diferencial e integral. Ambos Newton (1642--1727) e Leibniz (1646--1716) desenvolveram representações de séries para funções. Pascal (1623--1662) era fascinado pelos resultados impressionantes que vinham das somas infinitas.Oresme (1325--1382) estudou taxas de variação. Estes resultados são encontrados nos trabalhos de Newton intitulados Method of Fluxions and Infinite Series e Analysis with Infinite Series. matemáticos tinham desenvolvido e analisado séries de números. usando uma aproximação seqüencial. aplicou matemática às ciências especialmente astronomia. Newton utilizou séries para desenvolver muitos resultados de cálculo. Pascal preferiu a abordagem geométrica de St. Para ele. tais como área. Leibniz somou seqüências de recíprocas de números poligonais e. O tempo tinha chegado para investigar seqüências e séries de funções. James Gregory (1638--1675) estava trabalhando com séries de Taylor quando Taylor tinha apenas alguns anos de idade. O contemporâneo de Stevin. Galileu deixou seus sucessores com conselhos e desafios encontrados nas duas citações a seguir: Onde os sentidos falham. Stevin (1548--1620) avançou a matemática providenciando uma simbologia mais fácil de se compreender. junto com Descartes e Fermat. Apesar da limitação de Pascal para entender séries. Taylor não conhecia o trabalho de Gregory quando publicou seu livro Methodus incrementorum directa et inversa. Vincent (1584 --1667) para séries e sua convergência em vez da nova abordagem analítica de Fe rmat (1601--1665) e Descartes (1596--1650) que não conseguia visualizar ou entender. como velocidade e aceleração. usou cálculos com séries nas contribuições aos fundamentos do cálculo diferencial e integral. Duzentos anos depois. o segundo pela sua pequenez.

Maclaurin citou um trabalho de Taylor em um livro de cálculo que escreveu em 1742. Fourier (1768--1830) fez contribuição ao estudo e cálculo da difusão de calor e à solução de equações diferenciais. L'Hospital e dos Bernoullis. Estabeleceu a notação de somatório que usamos hoje. ambos Cauchy e seu colega Niels Henrik Abel (1802--1829) ignoraram a utilidade das séries divergentes. Lagrange (1736--1813) estendeu o trabalho de Euler nas equações de movimento e o entendimento da energia potencial. a natureza da pesquisa sobre séries estava mudando de cálculos práticos para uma fundamentação mais teórica. as quais eram conhecidas. Contudo. Também foi o primeiro a desenvolver uma teoria sistemática para números complexos e a transformada de Fourier para equações diferenciais. Embora tenha recebido pouca educação científica formal. Considerou a derivada como um limite da diferença de quocientes. Seqüências e séries tornaram-se ferramentas padrão para aproximar funções e calcular resultados em computação numérica. Tentou explicar convergência associando-a com a idéia de subconjuntos limitados. usando sigma para o símbolo da soma. .representações de funções em séries. Finalmente. O livro de Maclaurin popularizou representações de funções em séries. D'Alembert publicou muitos trabalhos sobre matemática e física matemática. a comunidade matemática foi motivada a estabelecer fundamentos mais teóricos para as idéias de limite e convergência de seqüências e séries. a série de Taylor centrada em a = 0 tornou-se posteriormente conhecida como série de Maclaurin. apontando que a convergência era importante para entender e usar séries. culminado com seu trabalho principal. Bolzano (1781-1848) confrontou este assunto. D'Alembert (1717--1783) escreveu cinco artigos lidando com métodos para integrar equações diferenciais. e embora Maclaurin nunca tenha afirmado que as tinha descoberto. Abel escreveu em 1828 "séries divergentes são a invenção do diabo. muito antes. O maior trabalho de Lagrange foi na teoria e aplicação do cálculo. Apesar disso. Publicou Mechanica em 1736. por Euler. onde aplicou sistematicamente o cálculo à mecânica e desenvolveu novos métodos para resolver equações diferenciais usando séries de potências. contribuiu muito pouco para a teoria destas séries. Kutta (1867--1944). Este trabalho foi feito em conjunto com o desenvolvimento de uma análise rigorosa do cálculo. Ele sentiu que a série de Taylor desempenhava um papel fundamental no entendimento do cálculo. e é uma vergonha basear nelas qualquer demonstração". Bolzano acreditava no método de Lagrange para usar séries de Taylor como a base para o cálculo. o que o colocou à frente dos seus pares no entendimento do cálculo. Traité de dynamique. Daniel Bernoulli e Lagrange. Através do trabalho de D'Alembert. Cauchy (1789-1857) foi o primeiro a definir por completo as idéias de convergência e convergência absoluta de séries infinitas. Runge (1856--1927) desenvolveu o método de resolução baseado em seqüências para solucionar numericamente equações diferenciais junto com M. 1822) contém uso extenso de séries consistindo de funções trigonométricas que hoje chamamos de séries de Fourier. embora ainda evitasse o limite e as propriedades de convergência de seqüências e séries. Posteriormente. Publicou Mécanique analytique (1787). Também desenvolveu o teste da razão para determinar a convergência de muitas séries. W. Johann Bernoulli (1667 --1748) também fez uma descoberta independente do teorema de Taylor. Théorie analytique de la chaleur (A Teoria Analítica do Calor. Euler (1707--1783) usou freqüentemente séries infinitas em seu trabalho para desenvolver novos métodos ou para modelar problemas aplicados. é claro que ele conhecia os trabalhos de Newton. que aplicava cálculo ao movimento de objetos.

html www.prenhall.O matemático indiano autodidata Srinivasa Ramanujan (1887 --1920) usou seqüências e séries de potências para desenvolver resultados em teoria de números. Seus colaboradores britânicos Godfrey Harold (G. O trabalho de Ramanujan era teórico e produziu numerosos resultados importantes usados por matemáticos no século 20.somatematica. fontes: http://cwx.br/historia.com.H.com/bookbind/pubbooks/thomas_br/medialib /indexb.php .) Hardy (1877--1947) e John Littlewood (1885 --1977) usaram seu conhecimento de séries para produzir avanços importantes em teoria de números e estenderam a utilidade das séries para muitas áreas da matemática.