You are on page 1of 79

MANUAL DE ELABORAÇÃO DE DOCUMENTOS ACADÊMICOS

Salvador 2008

4

Autores: Diogo Antonio Queiroz Gomes Graduado em Turismo e Hotelaria pela UNEB. Especialista em Gestão Governamental pela UNEB. Professor titular da Faculdade São Salvador. Marcelo Cruz Dalcom Junior Graduado em Letras com Ênfase em Tradução pela UNIFACS. Graduado em Artes Cênicas Interpretação Teatral pela UFBA. Especialista em Metodologia e Prática em Docência Superior pelas Faculdades Jorge Amado. Professor titular da Faculdade São Salvador. Maria Augusta Bergamini de Gouveia Marti Graduada em pedagogia pela Universidade 9 de Julho, São Paulo. Especialista em educação pela UFBA. Professora titular da Faculdade São Salvador. Maria Auxiliadora Ribeiro Silva Graduada em Administração de Empresas pela UCSAL. Especialista em Gestão Estratégica e Recursos Humanos pela UNICENID. Especialista em Gestão Escolar pela Faculdade Monte Negro. Professora titular da Faculdade São Salvador. Maura Josuela Dias Fernandes Graduada em Pedagogia pela UNEB. Especialista em Psicologia Organizacional pela UCSAL. Especialista em Psicopedagogia Clínica. Faculdade Internacional de Curitiba, FACINTER. Professora titular da Faculdade São Salvador. Paulo Henrique Góes Souza Graduado em Pedagogia pela UFBA. Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela UNESE. Especialista em Psicopedagogia pela faculdade Monte Negro. Professor titular da Faculdade São Salvador. Priscila Rolemberg Duarte Graduada em Admistração de Empresas pela Faculdade São Camilo. Especialista em Gestão em Saúde na FTC. MBA em Gerenciamento de Projeto pela Fundação Getúlio Vargas. Professora titular da Faculdade São Salvador.

5

APRESENTAÇÃO DA 3ª EDIÇÃO

Compreendemos que a construção deste manual é imprescindível como instrumento de excelência para elaboração e apresentação dos trabalhos científicos, respaldando a toda comunidade acadêmica da Faculdade São Salvador, contemplando os seus três pilares básicos: ensino, extensão e pesquisa. Parabenizamos aos professores engajados nesta proposta que

viabilizaram a elaboração deste material que esclarece sobre as diretrizes para a produção cientifica, atualizada dentro das normas atuais da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), unificando em uma só linguagem a construção do saber científico. Que este material seja uma referência e um estímulo para quem o acessa, entendo que todos nós somos potencialmente capazes de trilharmos o caminho do sucesso acadêmico. Salvador, 31 de março de 2008. Professor Antonio Ribas Reis Diretor Acadêmico

2.3.1 Relatório de visita técnica 2.2 Relatório de estágio supervisionado 2.3.5 ARTIGO CIENTÍFICO PROJETO 2.4 2.3 A CIÊNCIA DENTRO DO CONTEXTO DA METODOLOGIA CIENTÍFICA 07 13 13 15 18 18 19 20 21 25 27 27 31 38 72 73 74 TRABALHOS UTILIZADOS NA GRADUAÇÃO DA FSSAL RESUMO RESENHA RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO 2.2 2.1 2.3.6 3 MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CURSO (TC) A NORMALIZAÇÃO REFERÊNCIAS APÊNDICE .3 Orientações gerais 2.1 Projeto de relatório de estágio 2.6 SUMÁRIO 1 2 2.3.2 Projeto de pesquisa 2.5.5.1Roteiro para elaboração do relatório de estágio 2.

22).7 1 A CIÊNCIA DENTRO DO CONTEXTO DA METODOLOGIA CIENTÍFICA A ciência “A ciência é o conjunto de conhecimentos racionais.” (ANDER-EGG. “A ciência é todo um conjunto de atitudes e atividades racionais. apud LAKATOS. capaz de ser submetido à verificação. 1978. que fazem referência a objetos de uma mesma natureza.” (TRUJILLO. p. 1974. metodicamente sistematizados e verificáveis. 2004. obtidos. dirigidas ao sistemático conhecimento com objeto limitado. 2004.15 apud LAKATOS. p.22) Respostas provisórias Sistematização de conhecimentos Solução de problemas Racional Sistemática Planejada Objetiva Lógica Confiável Deve: Buscar a originalidade e criatividade Considerar a disponibilidade e acesso às informações Revisão das investigações e literaturas anteriores . certos ou prováveis. p.

8 O MEC adota o critério utilizado pela CAPES para as áreas científicas: Ciências naturais e saúde. adaptandose ao objeto de estudo. 1999. p. D) Permite a elaboração de um conhecimento ou conjunto de conhecimentos que nos ajudem na compreensão da realidade e orientem nossa ação. Sendo este uma observação ao acaso que se difere do conhecimento científico que quando aplicado resulta no método de investigação.” (SELLITZ. Engenharia e tecnologias. 39). . B) “Descobrir respostas para questões mediante a aplicação de métodos científicos. Ciências humanas e sociais (maior densidade teórica). não em função do assunto estudado. 1965 apud MARCONI. Licenciaturas. Ciências sociais aplicadas (aplicações práticas das teorias sociais) Características Objeto socialmente condicionado O pesquisador é sujeito e objeto de estudo Produz aplicações práticas no contexto social Metodologia científica Disciplina instrumental presente em todas as áreas acadêmicas. “A ciência se define em função do método empregado. p. servindo a um objetivo pré-formulado.” (DENCKER. racional e sistemática com a intenção de buscar soluções de problemas. A pesquisa científica nas ciências sociais aplicadas: A) Esta é uma pesquisa que tem por finalidade uma atividade planejada. Ciências exatas e da terra. 2001.18) C) Busca indagação e investigação da realidade a partir da observação de fatos.

leitura de relatórios. fotografias. participação em conferências.9 Os planos de pesquisa variam de acordo com a finalidade Finalidades: A) Familiaridade em relação ao fenômeno B) Exatidão na representação das características C) Análise de hipóteses Quanto aos objetivos: Exploratória (investiga objeto e hipóteses) Descritiva (sem a interferência do pesquisador) Explicativa (descreve causas dos objetos) Etapas da pesquisa: Planejamento Projeto Coleta de dados Análise de dados Relatório Eficácia nos estudos Estudo: fruto da experiência direta ou indireta Direta: O indivíduo participa (ex: visita técnica. mapas. . assiduidade. quadros. pesquisa) Indireta: Observação de filmes. técnicas de leitura. organização. sumários e índice. Estudar: Motivação. “Ir direto ao que interessa” O assunto interessa à pesquisa que está sendo realizada? Quem é o autor? O texto oferece alguma contribuição temática? Verificar tabelas. adequação do ambiente.

10 Técnicas Anotação: Seleção de informações para posterior aproveitamento. Registrar as informações da fonte: Autor. Em caso de aula ou palestra: autor. o mês e o ano da exposição. título da obra. aulas ou consultas bibliográficas. editora. Podem ser de palestras. * As anotações são decorrentes de esquemas fruto da sublinha das idéias principais. Não devem ser tão sintéticas que dificultem o entendimento posterior. As anotações de textos escritos (livros e artigos) devem ser posteriores a uma leitura rápida e completa e após sublinha das idéias principais. o local. Sublinhar Como e por que sublinhar: A) Idéias principais e palavras-chaves B) Após várias leituras C) Reconstruir o parágrafo D) Colocar um traço vertical à margem do texto para passagens mais significativas E) Colocar um ponto de interrogação à margem do texto em caso de dúvidas * Destacar com dupla sublinha expressões tópicas do texto. . lugar. ano da publicação e número das páginas consultadas.

TIPOS DE DOCUMENTOS ACADÊMICOS De acordo com a necessidade de aprendizagem e dos requisitos de exigências do corpo docente e da instituição o aluno pode desenvolver os diversos tipos de documentos acadêmicos a seguir: A) RESUMO Apresentação concisa das idéias relevantes de uma obra. orientado pela NBR6028:2003 da ABNT para a apresentação sintetizada de um documento. apresentando os resultados. suas intervenções. C) RELATÓRIO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO Documento em que são relatadas as atividades práticas exercidas em ambiente de trabalho. baseados em conhecimentos teórico-científicos. melhorias ou sugestões. . Versão sintetizada do texto contém uma análise critica do documento. na sua aplicabilidade diante de problemas analisados pelo discente. sendo também requisito obrigatório de acordo com o PDI para a titulação na graduação. B) RESENHA Também chamado de resumo crítico. imprimindo opiniões próprias do resenhista.11 Vocabulário Recomendações para palavras desconhecidas: Anotar Uso do dicionário Descobrir o sentido da palavra no contexto.

apresentando os resultados de um trabalho. Representa o resultado de um trabalho experimental ou a exposição de um estudo científico. que tem como finalidade comunicar resultados e pesquisas. E) PROJETO DE PESQUISA “Compreende uma das fases da pesquisa. Visa a obtenção da titulação na graduação e na pósgraduação nos cursos de especializações. provando uma teoria. 2) F) ARTIGOS CIENTÍFICOS É um trabalho científico. . com tema único e bem delimitado. Visa a obtenção do título de doutor. I) TESES Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou a exposição de um estudo científico. levando os resultados do teste de hipóteses. 2005. H) DISSERTAÇÕES Idem a tese. com tema único e bem delimitado.” (ABNT/ NBR 15287. debates.12 D) RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO Documento em que são descritos os caminhos percorridos. sendo que visa a obtenção do título de mestre. É a descrição de sua estrutura. fatos analisados e atividades realizadas relativas a um projeto. G) MONOGRAFIA Documento também chamado de Trabalho de Curso. p. idéias.

b) redigir um resumo. d) escrever a síntese. Apresenta-se em artigos. monografias. . mantendo o encadeamento dos pontos apresentados no texto. ferir a mensagem de quem escreveu o texto original. formando frases com as idéias principais. usando frases curtas e objetivas.13 2 TRABALHOS UTILIZADOS NA GRADUAÇÃO DA FSSAL 2. para depois levantar um esquema e preparar as anotações de leitura. os pontos relevantes do texto. sem. procurando entendê-lo a fundo. é uma versão sintetizada dos pontos fundamentais de uma obra. Atentar para suas fases: a) Ler e reler o texto. o aluno deve apresentar com as próprias palavras. Como trabalho de graduação deve ser orientado pelo professor.1 RESUMO É a condensação do texto. nos trabalhos de graduação. b) buscar a idéia principal de cada parágrafo. ou seja. Por ser um ato de condensar idéias principais ou centrais. e o seu preparo serve para fichamentos de conteúdo das disciplinas cursadas. dissertações e deve-se observar as normas da NBR6028:2002-ABNT. c) ordenar as idéias dos parágrafos. A síntese do texto pode ser feita com as palavras do autor. contudo. Aspectos que devemos considerar ao elaborarmos um resumo: a) Fazer uma leitura analítica.

As conclusões do autor deverão ser apontadas. descrevendo sua natureza e seus objetivos. discutir e refletir sobre as novas possibilidades de leitura e escrita. é necessário seguir as orientações conforme adaptação da ABNT NBR6028:2003. Linguagem. em que o autor deve construir frases. devendo atentar para as exigências relacionadas a seguir nas partes em que aborda sobre a composição destes documentos e as exigências de sua apresentação. Leitura. monografias. Este tipo de resumo tem como características: Apresentação do texto de maneira concisa. Não desprezando as mudanças ocorridas na comunicação e na expressão humana com o advento do computador e. constituído de frases curtas que geralmente correspondem às idéias principais do texto. Ordenação das idéias e fatos apresentados de acordo com o encadeamento que aparecem no texto. Exemplo de resumo de artigo científico: Este artigo tem como objetivo investigar. . A utilização de linguagem clara. artigos científicos. Internet. Dispensa consulta ao texto original Para a elaboração do resumo para os trabalhos de conclusão de cursos. usando corretamente a gramática e vocabulário empregado. Refere-se às partes principais do texto. segundo a sua finalidade.14 Os resumos. podem ser: A) Indicativo ou descritivo – o aluno deve manter a estrutura e os pontos essenciais. A transcrição de frases longas e na íntegra do texto original deverá ser evitada. e. Palavras-chave: Escrita. Este tipo de resumo não dispensa a leitura integral do original. objetiva. B) Informativo ou analítico – refere-se às partes principais do texto. sobretudo da Internet.

sua opinião sobre o conteúdo analisado.2 RESENHA É a versão sintetizada do texto. artigos. deve manter as características de um resumo informativo. acrescentando seus comentários. onde o autor imprime opiniões próprias. . B) credenciais do autor. etc. contém uma análise crítica do documento.. Autor dos livros O Tao da Física (1975) e O Ponto de Mutação (1982). filmes. a que ele chama de Eco-Alfabetização.21).15 2. Pode ser chamada também de Resumo Crítico ou Recensão e pode ser preparados a partir de texto. D) apreciação crítica do autor da resenha. Pode se valer do uso de citação como reforço para seus argumentos “. livros. PhD em física quântica. Modelo de resenha: RESENHA DO FILME PONTO DE MUTAÇÃO O filme assistido é baseado no livro homônimo do físico austríaco Fritjof Capra (publicado pela Editora Cultrix). utilizam-se opiniões de diversas autoridades científicas em relação às idéias defendidas pelo autor do texto analisado” (SALVADOR. 1897. p. interpretando-os à luz da ecologia. com pesquisas em Teoria de Sistemas Complexos e dá uma compreensão holística a esses conhecimentos. Capra coloca a essa disposição intelectual a serviço do engajamento político e da educação do público nos conceitos da ecologia. C) resumo do conteúdo do texto ou obra. Na sua elaboração o aluno deve indicar os elementos que integram uma resenha: A) Referências. ao fazer uma resenha.. o aluno. Em TRABALHOS ACADÊMICOS.

ele se individualiza. A intensa preocupação de todos (ou quase todos) com a ecologia. como um alter-ego dos dois primeiros. O relógio ou a máquina foi a primeira grande ruptura do homem com a natureza. a realidade. É o surgimento de uma nova visão de mundo. vai transformar sua casa. aprimorando seus conhecimentos e não o socializa. Essa visão do mundo como um relógio vem de Descartes e sua visão mecanicista da vida e do mundo. futuro. O mundo é uma máquina como o relógio. Essa mudança pode ser vista hoje em dia no mundo em que vivemos. Para muitos. meio ambiente e economia. discutindo sobre conceitos novos para aquela época que mais tarde integrariam o rol das idéias ambientalistas. A Internet não quer isso. mestre do minimalismo musical que sempre transforma sua música em um personagem a mais na trama. Quando os três personagens principais aparecem juntos pela primeira vez é numa sala do relógio. que fica o tempo todo estudando. o filme reúne num castelo francês um candidato derrotado à presidência dos EUA. seu micro. roteirizado por ambos e com música de Philip Glass.16 O filme é dirigido pelo irmão do autor. NÃO É TODO/ A PARTE SEM O TODO NÃO É PARTE/ MAS SE A PARTE O FAZ TODO SENDO . de um novo paradigma que percebe a interrelação de tudo e que vai mudar a forma de todos pensarem. Narrado durante a Era Reagan. quanto mais o homem navega na grande rede. política. O avanço tecnológico acontece para que as pessoas possam trocar conhecimentos. Precisamos de uma nova maneira para poder entender a vida. Quando falamos de saúde. para que possam viver melhores. numa sociedade mais justa e igualitária. com as guerras. com o futuro da humanidade. falamos de sistemas vivos. está representada no filme pela cientista que está sempre lendo. escondida num ambiente medieval e acha que precisa sair para poder conhecer as pessoas. Essa maneira de pensar que tudo deve está interrelacionado e de que nada pode ser descrito ou “lido” de uma maneira isolada pode ser exemplificado através de um poema de Gregório de Mattos: O TODO SEM A PARTE. o corpo também era visto dessa maneira. a cientista funciona. pois até então o homem pensava que a natureza não fosse uma coisa viva e por isso quiseram controlá-la. um dramaturgo em crise e uma física arrependida e desencantada com o projeto Guerra nas Estrelas. num “castelo medieval”. no caso. e a natureza. Essa idéia de que quanto mais ocorre um avanço tecnológico mais nos fechamos. Aquela pessoa que se fecha. Bernt. o mundo. tecnologia.

a sociedade em que vive. no mundo. de formar uma rede de especialistas. é o ser humano ter uma noção de como tudo funciona. Acho que essa é a idéia da aldeia global. houve tremendos avanços que produziram entusiasmo e esquecimento de outras coisas fundamentais. seja pela transformação do mundo numa aldeia global. Esse ponto de mudança. o mundo e tudo que faz “parte” dele. por partes.17 PARTE/ NÃO SE DIGA QUE É PARTE SENDO TODO”. só que ensinada desde cedo nas escolas. uma educação ecológica. e de que a natureza pode ser a sua grande companheira na luta pela sobrevivência. Ora. Com relação ao avanço tecnológico é a mesma coisa. possa utilizá-la como um modelo para modificar o meio. O Ponto de mutação é exatamente isso. seja por Capra e seu projeto de Eco-Alfabetização. como o mundo. Precisamos entender como isso acontece. para que todos possam ter uma certa consciência ecológica. essa conscientização já está sendo feito de alguma maneira. nada mais é do que uma “semente” da atual bandeira levantada pelo autor de Eco-Alfabetização. não devemos “ler” o mundo sub uma única ótica isolada. informações. De trocarmos idéias. onde cada um possa opinar sobre o assunto de seu interesse e que domina. o futuro de “mãos dadas” com a natureza. É a chamada consciência ecológica. A evolução é muito mais que adaptação ao meio ambiente. conhecimentos. E que o grande barato é construir o progresso. . deve ser lido como um todo. O ser humano tem de compreender de que não está só. Talvez quando o homem compreender como a natureza de fato funciona. O pensamento ecológico do filme. a natureza. compreender os princípios básicos da organização de ecossistemas e traduzi-los para comunidades humanas.

folha de rosto e sumário. gráficos. lugares visitados e estudados. Seu texto deve conter a relação dos participantes e descrição do trabalho desenvolvido (procedimentos metodológicos. . em relação aos objetivos propostos. que devem ser inseridas no texto o mais próximo possível do conteúdo a que se referem e indicadas de acordo com a ABNT. processos técnicos observados). indicada pelo número 1(um). mapas). Já para a construção da estrutura textual o aluno deve atentar para suas especificidades como: Para o título apontar como RELATÓRIO DESCRITIVO DE VISITA TÉCNICA. deve abordar o propósito do relatório e a indicação do fato investigado ou relatado. duração e local da visita. indicada pelo número 2(dois). Indicação da data.3 RELATÓRIO TÉCNICO CIENTÍFICO 2. Apresentação dos objetivos da visita técnica. caso seja necessário. A introdução deve constar: Apresentação das justificativas que motivaram a visita técnica e das diretrizes que a orientaram. e devem constar os comentários e análises sobre textos.1 Relatório de visita técnica Para a elaboração de relatório de visita técnica orienta-se que para a identificação do trabalho o aluno deve seguir as orientações de trabalhos acadêmicos deste manual no que se refere aos elementos pré-textuais como: capa. ilustrações (quadros. partes subdividas em secções. atividades realizadas. o aluno deverá fazer uma redação relatando e pormenorizando os fatos apurados e registrados e a sua análise sobre a situação apresentada e observada na visita. Sendo a parte que trata da confirmação dos resultados e análise crítica do trabalho desenvolvido. A sua introdução. resultados alcançados devem ser apresentados e discutidos.3. E para a conclusão ou considerações finais deve-se indicar o número 3 (três) e apontar as recomendações cabíveis e sugestões para aprofundamento e continuidade. fotografias. Dados gerais e localização.18 2. Na parte do desenvolvimento.

Formato do relatório de estágio baseado nas normas da ABNT: NBR 14724: 2005 . Referências . NBR 6024: 2003 .sumário. data.. elementos como: Apêndices – devem ser indicados caso sejam produzidos pelos autores do relatório como: fotografias. etc. Anexos. etc.apresentação de trabalhos acadêmicos. guias. horário. etc. 2. em conformidade com a ABNT NBR 6023:2002.19 Para a parte pós-textual. NBR 6023:2002 – referências: . mapas. objetivos e o relato da visita. transcrições de entrevistas. (não produzidos pelos autores). NBR 6027: 2003 . As visitas mais curtas permitem relatórios mais simples.2 Relatório de estágio supervisionado É o documento que tem como objetivo apresentar a descrição do local onde foi realizado o estágio.numeração progressiva das seções de um documento. incluindo folhetos explicativos. a exemplos de: folhetos de propagandas do local visitado. local. dos quais podem constar os itens: participantes. o período de duração e a análise crítica das atividades desenvolvidas pelo estagiário.3.deve relacionar todo material documental utilizado nas análises e conclusões.

3 Resposta ao problema apresentado 2.2.1 Roteiro para a elaboração do relatório de estágio O aluno deverá seguir as orientações abaixo para a construção do seu relatório: A) Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Agradecimentos (opcional) Sumário B) Elementos textuais (estrutura a ser apresentada no sumário) 1 Introdução 2 Relatório Descritivo 2.1 Caracterização da organização 2.6 Importância do trabalho para a vida profissional 3 Conclusão e recomendações C) Elementos pós-textuais Referências Apêndices Anexos .20 2.2 Análise da problemática 2.4 Apresentação de resultados (apontando as dificuldades) 2.3.5 Apresentação dos trabalhos desenvolvidos 2.

direita do trabalho a 02 cm. atentando para os elementos como: Natureza do trabalho. onde começa o texto. período de realização. Inicia com o número 1(um) alinhado à margem esquerda. a finalidade do estágio (para que?).21 2. Apresentação da metodologia da seqüência de exposição. A construção e apresentação de argumentos e objetivos do trabalho. Importância e natureza do estágio. organização estrutural do relatório. total de dias. formação profissional. No texto devem ser consideradas sucintamente as seguintes informações: Explicação de conceitos e noções. Agradecimentos (Elemento opcional) Sumário (deve conter os elementos textuais e pós-textuais – NBR6027:2003) B) Elementos textuais (CORPO DO TRABALHO) O corpo do trabalho do relatório indicado busca atender as exigências curriculares do projeto pedagógicos dos cursos da FSSAL e apresenta a seguinte estrutura redacional: a) Introdução É a parte.3. constando o número correspondente à contagem a partir da folha de rosto. setor. . A descrição de métodos e técnicas usados para a elaboração. total de horas.3 Orientações gerais A) Elementos pré-textuais Capa (seguir modelo fornecido pela Instituição) Folha de rosto (seguir modelo fornecido pela Instituição). função. o aluno deve colocar a numeração da página na parte superior. nome do supervisor. a 03 cm de borda superior e o texto deve iniciar a 02 cm abaixo. devendo descrever objetivo. nome da empresa. Período de realização e esquema de trabalho. ou seja.

. Neste item devem estar especificadas e descritas todos os dados coletados sobre o objeto de estudo (estágio).1). Outro dado que pode ser colocado. Toda organização está inserida em um contexto e este também deve ser caracterizado – o mercado. alinhado à margem esquerda. da filosofia de trabalho predominante. filiais. citando inclusive. missão. reforçando com conhecimentos teóricos e científicos de autores da sua área de atuação no estágio. por exemplo. Além disso. diz respeito à linha de produtos ou serviços da organização. alinhado à margem esquerda. possíveis modificações em sua natureza jurídica ou propriedades. localização geográfica. número de estabelecimentos. O desenvolvimento desta parte terá a seguinte composição .2) a subtítulo Análise da Problemática refere-se a identificação ou diagnóstico de um problema na rotina de trabalho em sua área. através do faturamento ou número de funcionários. subsidiárias e o tamanho da organização. a partir da sua experiência na empresa relacionada à gestão. tipos de clientes podem ser tratados neste item. É a parte principal do relatório.22 b) Relatório Descritivo (Desenvolvimento) Inicia apresentando o indicativo numérico 2(dois). deve incluir a história da empresa. Descrito em título distinto como: Relatório Descritivo. Deve estar claro se o estudante exerce atividades gerenciais. suas etapas e atividades desenvolvidas. visão. clima organizacional. valores organizacionais. bem como. o (a) estagiário (a) deverá apresentar de forma mais detalhada o setor/departamento onde desenvolveu seu estágio. Via de regra. etc. e o texto deve iniciar 02 cm abaixo do título inicial “Relatório Descritivo”. a concorrência. além da estrutura organizacional. missão. medido. é conveniente citar a sua nacionalidade. Consiste na identificação da empresa onde o aluno desempenha suas atribuições. a) O subtítulo Caracterização da organização . Nos últimos parágrafos. visão.Inicia apresentando o indicativo numérico (2. políticas de qualidade. sua análise e interpretação. a 03 cm de borda superior e suas partes do texto devem iniciar 02 cm abaixo. O aluno descreverá as atividades desenvolvidas. b) Indicado pelo número (2. desde sua fundação. valores. fundamentando-as com os referenciais teóricos pesquisados.

É importante que o (a) estagiário (a) aproveite a oportunidade para observar a "realidade da empresa" a fim de que possa construir seu projeto gráfico curricular agregando "valores" – conhecimentos que vão além da técnica. data). correlatas a área de formação do discente. filosofia da empresa. programas. rotinas.6. em mudanças de práticas. e) Apresentação dos trabalhos desenvolvidos – indicado pelo número (2. o aluno deve apresentar as intervenções ou sugestões de melhorias realizadas a partir de sua análise.4). revistas. relacionamento com pessoas em diferentes postos de trabalho. Precisa-se somente de informações gerais sobre estes aspectos.5) a sua composição refere-se à apresentação de dados de todas as atividades desenvolvidas no estágio. bem como ter cuidado para não divulgar informações confidenciais da empresa. do seu trabalho. As citações devem constar nas partes que compõem o relatório descritivo. procedimentos. aspectos éticos. d) Apresentação de resultados (apontando as dificuldades) deve ser abordado o comparativo com as atividades desempenhadas na empresa (campo de estágio) com a teoria que é vista em sala de aula referente à atualidade da gestão e das tarefas do discente. f) Importância do trabalho para a vida profissional deverá ser indicada pelo número 2. ou seja. O orientador (a) /supervisor (a) estabelecerá parâmetros e orientações sobre quais as atividades que serão descritas e analisadas criticamente.3). em que houve a sua participação por meio de desenvolvimento de projeto. . sites. que devem constar nas referências indicadas de acordo com a ABNT NBR 6023:2002. apresentando as dificuldades encontradas no desempenho do estágio. Deve ser indicado pelo número (2. evidenciando a fonte (autor. que deve ser indicado pelo número (2. devido o uso de informações contidas em livros. Resposta ao problema. como: aspectos administrativos.23 c) No subtítulo.

indicado pelo número 3(três). sugestões para a melhoria ou pontos a serem mais bem discutidos. . Neste item. se necessário. C) Tecendo. mais algumas considerações finais sobre o trabalho. alinhado à margem esquerda. Ao final da página deverão constar as assinaturas do estagiário (a) e do supervisor (a) /orientador (a) do estágio.24 c) Conclusão e recomendações Iniciar em folha separada. C) Elementos pós-textuais Referências (Observar os critérios da NBR 6023:2002) Apêndices (Material de autoria própria e de relevância para o estudo) Anexos (Material cuja autoria pertence a terceiros e de relevância para o estudo). a 03 cm de borda superior e o texto devem iniciar 02 cm abaixo. devem ser descritos brevemente os resultados finais obtidos a partir da análise crítica do aluno durante a realização do estágio: A) Recomendando ações a serem tomadas. B) Refletindo sobre as questões a serem estudadas futuramente.

capítulos referentes a estes trabalhos científicos. B) Comunicar ou apresentar de forma condensada os resultados de uma pesquisa. provar uma teoria (tese. e pela freqüência como é apresentado num artigo um número entre dez a vinte páginas. . Para o seu modelo de estrutura o aluno deve atentar quanto. indicando em nota de rodapé informações sobre o autor. centralizado em letras maiúscula. D) Servir de intercâmbio de idéias entre cientistas da sua área de atuação.4 ARTIGO CIENTÍFICO Para a elaboração de um artigo científico. como cadernos. revistas. E) Trabalhos didáticos. pois para a sua publicação em periódicos científicos. em geral. caso tenha graduação completa em outra área e/ou referência sobre o trabalho quando extraído de outras fontes. O artigo. etc. por isso é importante à capacidade de sintetizar textos. podem existir normas de editoração. É um texto sintetizado e tem como finalidades: A) Apresentar síntese de resultados de teses ou dissertações.25 2. Nomes do(s) autor (es) – Deve apresentar recuo a direita. C) Publicar ou comunicar textos em periódicos científicos. a finalidade do artigo. entre outros. ou ainda. Como documento acadêmico para a FSSAL pede-se: Título – Tema delimitado abordado. trabalho científico). entre a comunidade acadêmica. com numeração em arábico e sobre-escrito após o nome. apresenta resultados de uma forma sintetizada de um resultado e ao construir o autor deve ter o cuidado com o equilíbrio entre a quantidade e qualidade das informações ali expressas. com fonte tamanho 12 – cerca de 4 cm da borda superior. é necessário a seguir a orientação conforme as exigências da normas da ABNT para trabalhos acadêmicos NBR´s 6022/2003. 6023/2002 e 10520/2002. por exemplo. Pode-se tomar como base e critério.

5 após o nome do autor. Referências . Tanto o resumo quanto o abstract podem ser apresentados em colunas paralelas ou no final do texto. com conteúdo convidativo a leitura do artigo. indicando de forma sintetizada os objetivos do estudo desenvolvido em espaço simples e fonte tamanho 10.5 após as palavras chaves. entre três e cinco que sejam mais importantes sobre o tema em questão e a por como palavras chaves do trabalho em fonte tamanho 12.Seguem as normas da ABNT BNR 6023:2002 . do resumo.5 e parágrafo justificado. com espacejamento 1. gramática e ortografia. em língua estrangeira. Key-Words – Escolha de palavras em língua estrangeira (inglês). espaço entre linhas de 1.5 e parágrafo justificado. Abstract – Trata-se da versão. com espacejamento 1. apresentando-se com espaço de 1. Texto – A estrutura textual deve ser composta por subtítulos. onde a introdução. Inicia-se 1.26 Resumo – Contendo no máximo dez linhas. com parágrafo justificado e alinhado à esquerda com recuo de 05 cm. utilizando corretamente vocabulário. desenvolvimento e conclusão devem ser redigidos de forma clara. Palavras-chave – Escolha de palavras entre três e cinco que sejam mais importantes sobre o tema em questão e a por como palavras-chave do trabalho em fonte tamanho 12. com tamanho da fonte 12.5 e parágrafos justificados que devem conter recuo de 1.25cm na primeira linha e 1 (um espaço) entre o outro.

é um plano que traça diretrizes para o processo de elaboração do relatório de estágio. confuso e de resultado incerto.5 PROJETO 2.27 2. Iniciar um relatório de estágio sem elaborar o projeto implica em improvisações. Justificativa 3. As idéias sobre o projeto. Objetivos 3. Roteiro do projeto de relatório de estágio É fundamental. acarretando duplicação de esforços.1 Geral 3. ou seja. 2. de forma mais completa e precisa possível.2 Área de conhecimento de atuação.1 Projeto de relatório de estágio Trata-se de um documento que descreve um plano com suas fases e procedimentos. todo o plano de descrição e análise de atividades desenvolvidas no estágio/trabalho. incluir no projeto os seguintes elementos: A) Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Sumário B) Elementos textuais (apresentar esta estrutura no sumário) 1.5. sua estratégia lógica. são resultados de associações com o que já é conhecido pelo aluno. Fundamentação teórica .2 Específicos 4. que vai tomar uma forma. tornando o trabalho difícil. pelo menos. É um texto no qual se explicita.1 Apresentação dos dados da empresa 1. Identificação dos Dados 1.

.....28 5. Agradecimentos (Elemento opcional) Sumário (deve conter os elementos textuais e pós-textuais – NBR6027:2003) .........da Faculdade São Salvador.... Objeto de estudo 7. Cronograma 8. técnicas e recursos 6. a exemplo do texto: Projeto de relatório de estágio apresentado como requisito parcial de avaliação da disciplina Estágio Supervisionado do Curso de ... Orçamento C) Elementos pós-textuais Referências Apêndices Anexos Detalhamento do roteiro Para a estrutura de identificação e redacional do projeto o aluno deverá adotar as seguintes informações: A) ESTRUTURA ... Métodos. sob a orientação do(a) Professor(a)...Elementos Pré-Textuais Capa (seguir modelo fornecido pela Instituição) Folha de rosto (seguir modelo fornecido pela Instituição).......

3 Objetivos 3. supervisor (responsável da empresa pelas informações). o setor onde trabalha e suas rotinas. 2 Justificativa Descrever as razões práticas/teóricas pelas quais justificam a elaboração do relatório de estágio e a realização do estágio. sua missão. os acionistas. livros.2 Área de conhecimento de atuação Relacionar a área em que atua no estágio. Exemplo: Área Administrativa-financeira. . procedimentos. suas normas.2 Objetivos específicos (aplicação do objetivo geral a situações particulares) 4 Fundamentação teórica Descrever fundamentação teórica que se baseou para a realização do estágio (textos. práticas. a carga horária.1 Apresentação dos dados da empresa Descrever o histórico da empresa. políticas da empresa onde atua como estagiário). sua visão. artigos. o segmento em que atua.29 B) ESTRUTURA – Elementos Textuais 1 Identificação dos Dados 1.1 Objetivo geral (visão do que pretende alcançar com o estágio) 3. 1. sua localização. o período do estágio. a relação de estagiário com a empresa. o clima organizacional.

finanças. . as técnicas. 7 Cronograma Elaboração desenvolvidas do cronograma do de execução necessário das para atividades executar o a serem projeto. caixa de sugestão. Como vê suas atividades no contexto da organização? Por quê? Relacionar as atividades que contribuíram ou contribuirão para o crescimento profissional como estagiário. técnicas e recursos É feita a descrição da metodologia no curso da investigação utilizada no levantamento dos dados para a elaboração do trabalho. Se suas sugestões são consideradas nas tomadas de decisão. qualidade). (Observando: Como é o ambiente de trabalho onde atuam. relatando uma problemática levantada por meio de diagnóstico de um problema. reuniões. etc. áreas como: cargos e salários. (definição tempo contemplando as etapas do relatório.30 5 Métodos. a indicação e/ou intervenção e os resultados apresentados. como por exemplo: a entrevista e a observação. produto final do mesmo). Como? (Através de intranet. prestação de serviços. produção. 8 Orçamento Tabela de recursos utilizados (Previsão dos gastos com a elaboração – recursos humanos e materiais).) Relacionar a expectativa de aprendizagem e desenvolvimento a acadêmico e profissional. aprendizagem organizacional. recrutamento seleção. 6 Objeto de estudo – Análise das atividades desenvolvidas no estágio Construção do texto em que descreverá as atividades desenvolvidas durante a realização do Estágio Supervisionado. Quais os sistemas de controle que circundam o ambiente de trabalho? Caso haja políticas claras de pessoal abordá-las. É necessário explicitar os métodos.

b) Será determinado.” (ABNT/ NBR 15287. antes de ser aceito e colocado em execução pode ser denominado Ante-Projeto de Pesquisa onde serão demonstradas: a) A importância e a viabilidade de execução da proposta de estudo. o planejamento de seu estudo.31 C) ESTRUTURA . É a partir daí que o pesquisador inicia. todo trabalho científico nasce de uma dificuldade ou questionamento que deve ser cuidadosamente formulado. assim.Elementos pós-textuais Referências (Observar os critérios da NBR 6023:2002) Apêndices (Material de autoria própria e de relevância para o estudo) Anexos (Material de autoria de terceiros e de relevância para o estudo) 2. É a descrição de sua estrutura. Mas. de forma cuidadosa o PLANO METODOLÓGICO DA PESQUISA.5. “É um problema que nasce de um tema geral de estudo”.2 Projeto de pesquisa Segundo Barros e Lefehld (2004). p. que tem como resultado o PROJETO DE PESQUISA. 2). . Do planejamento da pesquisa resulta um projeto que. o que é o PROJETO DE PESQUISA? Conceito: “Compreende uma das fases da pesquisa. 2005.

que estabelece os princípios gerais para a elaboração de projetos de pesquisa. bibliográficas. Recomendações: Levantamento prévio de material. Revisão das fontes de consulta. Criatividade no recorte do objeto de estudo e na definição do problema e melhor definição do que pretende estudar * A ABNT editou a NBR 15287 em 30/12/2005. Participar da seleção em programas de pós-graduação (mestrado). Ao elaborarmos um projeto/ anteprojeto é importante atentarmos para perguntas que servem de guias para as fases e os caminhos para a construção das partes textuais que compõem o roteiro do projeto. por meio da realização de estudos bibliográficos e de documentação preliminares.32 CONSIDERAÇÕES SOBRE PROJETO DE PESQUISA Importância: Fundamentar a elaboração da monografia. Iniciar contato com possíveis orientadores. explicitando ações que serão desenvolvidas ao longo da pesquisa. Apresentar em encontros acadêmicos. Tais como: O que fazer? (definição do tema e problema) Por que fazer? (justificativa da escolha do problema) Para que fazer (propósitos do estudo – objetivos) Quando fazer? (cronograma da execução) Onde fazer? (local – campo de pesquisa) Com que fazer? (recursos humanos/ materiais – custos) Como fazer? (metodologia) Foi feito por quem? (pesquisadores) . Solicitar bolsas de pesquisa a Instituições de fomento. eletrônicas e/ou documentais.

e que estejam alinhadas aos objetivos específicos. Recomenda-se entre duas e três.33 I .1 Geral (Apontar de forma genérica o que se pretende estudar.) 4 Objetivos (O que se pretende estudar. Devem estar alinhados às etapas necessárias para a verificação das hipóteses.) 4.) 4.) 2 Problema da pesquisa (Enunciado da questão-problema. contendo o histórico.ROTEIRO DO PROJETO DE PESQUISA PARA A MONOGRAFIA A) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa (seguir modelo fornecido pela Instituição) Folha de rosto (seguir modelo fornecido pela Instituição) Sumário (deve conter os elementos textuais e pós-textuais – NBR6027:2003) B) ELEMENTOS TEXTUAIS 1 Objeto de estudo (Elaborar uma descrição panorâmica do tema. cuja veracidade será checada durante o estudo.) 7 Metodologia (Evidenciar tipo de pesquisa.2 Específicos (Apontar quais aspectos/ atividades precisa estudar ou realizar para atingir o objetivo geral.) 5 Problemática (Descrição fundamentada da situação-problema.) 6 Referencial teórico (Evidenciar e analisar. método utilizado e procedimentos a serem adotados no estudo) 8 Cronograma (Planejamento de atividades e prazos para a elaboração da monografia) 9 Orçamento (previsão de despesas para a monografia) . trata-se da pergunta que a pesquisa pretende responder.) 3 Hipóteses de pesquisa (São respostas provisórias para a questão problema. a contextualização. o pensamento dos principais autores que fundamentam e respaldam a sua proposta de estudo. Apenas um. através de citações. justificativa e contribuição do estudo.

3 . 5 . pelo menos.Incluindo os elementos pré-textuais. 9 .As referências deverão obedecer ao que preceitua a ABNT/ NBR 6023 (2002).Os projetos serão apresentados mediante marcação prévia de datas e horários.Os temas devem ter aderência às questões ligadas à área de formação do estudante. a versão final do projeto deverá ter no máximo 20 páginas.O aluno que não apresentar. porém o registro da folha só na primeira página textual. 7 .As citações deverão obedecer ao que preceitua a ABNT/ NBR 10520 (2002).34 C) ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Referências (Observar os critérios da NBR 6023-2002) Apêndices (Material de autoria própria e de relevância para o estudo) Anexos (Material cuja autoria pertence a terceiros e de relevância para o estudo) PROCEDIMENTOS PARA O PROJETO DE PESQUISA DA MONOGRAFIA 1 . numeração de página no canto superior da margem direita. e no máximo em trio para os demais. recuo de um “TAB” (1. 6 .5 cm) na primeira linha de cada parágrafo (não há espaço entre parágrafos). . inferior 2 cm. 2 .5. três versões preliminares ou não comparecer a pelo menos duas seções de orientação. letra tipo arial. 8 .O projeto será elaborado individualmente para os alunos desemestralizados.Os alunos deverão cumprir os prazos pré-determinados sob pena da não aceitação do projeto fora destes. textuais e pós-textuais. obedecendo ao seguinte: papel A4 branco. tamanho de fonte 12 (para o texto).A estrutura e apresentação do relatório deverão estar em consonância com a ABNT/NBR 15287 (2005) e ABNT/ NBR 14724 (2005). não terá o seu projeto aceito. 10 .A versão final deverá ser entregue e uma via encadernada em espiral de cor preta (frente transparente e fundo preto). direita 2 cm (configuração de página para A4). contagem da página – a partir da folha de rosto. 4 . esquerda 3 cm. espaçamento entre linhas 1. margem superior 3 cm.

4 OBJETIVOS/ HIPÓTESES Checar se: Objetivo geral adequado ao tema e título Objetivos específicos inseridos no geral e hipóteses Hipóteses formuladas de modo claro. Se o tema foi bem delimitado Justificou a importância do trabalho? O recorte atribui originalidade a abordagem? .35 ASPECTOS PARA A REVISÃO DO PROJETO DE PEQUISA 1 TÍTULO Deve expressar a essência do projeto Deve envolver os termos-chave do projeto 2 ESTRUTURA Certificar se atende a estrutura recomendada Ver se há organização lógica das partes 3 PROBLEMA O enunciado da questão-problema é adequado ao tema? Ver se a pergunta está elaborada de modo claro e sem ambigüidade. direto e preciso. 5 PROBLEMÁTICA Verificar se o tema aponta relevância humana.

O trabalho deve ser encadernado em espiral de cor preta .36 6 REFERENCIAL TEÓRICO Apontou conceituações e definições inerentes? Articulou com conteúdos do curso? Aponta referências fidedignas? Utiliza dados atuais? Revela senso crítico? 7 METODOLOGIA Verificar se: Aponta as escolhas metodológicas Aponta as fases e técnicas de pesquisa Aponta os procedimentos de coleta de dados Amostra compatível com o tema e os objetivos 8 CRONOGRAMA Checar se apresenta prazos e etapas compatíveis 9 ORÇAMENTO Ver se é coerente para as atividades 10 FORMATAÇÃO .ABNT Observar a norma para apresentação de trabalhos acadêmicos (NBR14724) Observar a norma para indicação de citações (NBR10520) Observar a norma para referências (NBR6023) As páginas devem ser numeradas após o sumário Os itens devem seguir os critérios para a numeração progressiva A linguagem utilizada deve ser correta. clara e objetiva.

sistemático e completo Tema específico Estudo aprofundado Metodologia específica Expressar o conhecimento do assunto escolhido Realizado sob a coordenação de um orientador Estrutura Introdução (visão panorâmica + síntese dos itens expostos no projeto) Desenvolvimento Explicação Discussão Demonstração Conclusão (retoma pontos importantes + resposta ao problema e hipóteses + recomendações) .6 MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) A construção do trabalho monográfico no curso de graduação: Monografia – um só assunto (especificação) Monografias escolares – graduação (iniciação científica) Monografias científicas – Mestrado (dissertação) / Doutorado (tese) – maior aprofundamento teórico e originalidade Características Trabalho escrito.37 2.

tabelas. abreviaturas. etc. • • • Sumário Introdução Desenvolvimento Tabelas TEXTO Quadros Figuras Citações • • Conclusão Referências Apêndices Anexos PÓS-TEXTO (•) Itens indispensáveis à elaboração de um trabalho acadêmico.38 Elementos básicos da estrutura do trabalho • • • Capa Folha de rosto Folha de aprovação Dedicatória (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) 11 12 13 14 15 16 17 18 19 PRÉ-TEXTO Agradecimentos Epígrafe Prefácio ou apresentação • Resumo Lista de símbolos. .

39 FACULDADE SÃO SALVADOR NOME DO AUTOR ESTRATÉGIAS EMPRESARIAS PARA MICRO EMPRESAS DO RAMO VAREJISTA EM SALVADOR .BA SALVADOR 2008 .

Use fonte 12 para cidade e ano. inferior e direita – 2 cm) Todos os elementos da capa são centralizados e utilizam fonte caixa alta. autor e título. Apenas o título tem destaque em negrito Use fonte 14 para o nome da instituição. .40 SOBRE A CAPA A capa apresenta o trabalho e deve conter: Nome da instituição Nome do autor Título e subtítulo se houver Cidade e ano da apresentação A capa segue a mesma configuração de margens do trabalho (superior e esquerda – 3 cm.

a lombada é a parte da capa do trabalho que reúne as margens internas das folhas. da Monografia . Exemplo: SOBRENOME ANO DEFESA DA Fornecido pela Secretaria NO. devendo trazer informações que facilitem a localização do material.41 LOMBADA Segundo a NBR 14724/ 2005. quando depositado em biblioteca.

para fins de avaliação da disciplina metodologia científica.BA Projeto de pesquisa apresentado ao curso de Administração.42 NOME DO AUTOR ESTRATÉGIAS EMPRESARIAS PARA MICRO EMPRESAS DO RAMO VAREJISTA EM SALVADOR . Orientador: Professor Diogo Gomes SALVADOR 2008 .

Ano da entrega. área de concentração ou disciplina. monografia.43 SOBRE A FOLHA DE ROSTO Elementos que devem figurar da folha de rosto: Nome do autor. Título e subtítulo (se houver) Numero de volumes (se houver mais de um). com espaço simples. Atende a um recuo de 6 cm e espaçamento simples. . devendo localizar-se abaixo do título e acima da cidade e ano. outros). nome do orientador e co-orientador (se houver). e justificado. objetivo. O local para inserção das informações sobre a natureza e objetivo do trabalho chama-se ementa. Normalmente a bibliotecária se encarrega dessa tarefa. O verso da folha de rosto deve conter ficha catalográfica conforme o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente. Natureza do trabalho (projeto. Local (cidade). o tamanho da fonte é 11.

44 FICHA CATALOGRÁFICA No verso da folha de rosto. I. Assunto da Monografia.. 2. Número de páginas. Ficha catalográfica elaborada por Nome do Bibliotecário Número do CRB . Assunto da Monografia.Salvador. a ser elaborado pelo(a) bibliotecário(a) Esta ficha é elaborada por um Bibliotecário devidamente registrado no Conselho Regional de Biblioteconomia XXXX Título da Monografia / Nome Completo do(a) Graduando(a). 1. Título Sobrenome. Monografia (Graduação) – Faculdade São Salvador. deve constar a ficha catalográfica. Autor. ano da Defesa. Nome. II.

) da Faculdade São Salvador.. Data da Aprovação (Defesa) Nome do 1º Componente da Banca Orientador – Presidente da Banca Nome do 2º Componente da Banca Componente da Banca Nome do 3º Componente da Banca Componente da Banca Obs: Não é necessário colocar linhas para assinaturas dos componentes da Banca Examinadora ..)... se houver Monografia apresentada ao curso de (.45 FOLHA DE APROVAÇÃO Nome do(a) Graduando(a) TÍTULO DA MONOGRAFIA SUBTÍTULO. SalvadorBahia. como requisito final obrigatório para a obtenção do título Bacharel em (.

46 Dedico à minha esposa e filhos. sempre presentes apoiando-me e incentivando-me a concluir essa caminhada. .

Por questão de estética. usando-se a parte inferior direita para o texto. aconselhamos dividir a página em quatro.47 SOBRE A DEDICATÓRIA A dedicatória é um item opcional. Página reservada para dedicar o trabalho à pessoa ou às pessoas consideradas merecedoras. .

etc.................... que foram de muita importância para que eu chegasse até aqui............ por todos esses anos de apoio e incentivo..... que foram fundamentais para conclusão desse curso............................. Aos meus pais....... Etc... Ao professor/a .. etc.... ....... cuja ajuda .. .......... Ao meu orientador/a (nome)......48 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus pela determinação e força de vontade a mim concedida.

os professores que colaboraram de alguma forma com a elaboração do trabalho. porém ainda opcional. . normalmente.49 SOBRE AGRADECIMENTOS Item bastante usado. se houver. são citados o orientador e co-orientador. seguidos de outras pessoas da instituição ou não que tiveram especial participação ou influência no desenvolvimento da pesquisa. No espaço reservado aos agradecimentos.

..50 “os dias prósperos não vêm do acaso: nascem de muita fadiga e persistência.” Henry Ford .

A citação deve vir em itálico.51 SOBRE A EPÍGRAFE (item opcional) Coloca-se uma citação com conteúdo significativo. . relacionado ao trabalho ou ao autor.

v. Informa que a mortalidade perinatal para recém-nascidos de partos únicos foi de 31.52 RESUMO Trata dos fatores sociológicos e sociais da saúde perinatal em Pelotas. RS. n. et alii.301012. Palavras-chave: Saúde perinatal.9 para 1000 nascidos totais. Esclarece que a incidência de peso ao nascer (abaixo de 2500g) foi de 8. 1984. Brasil: Fatores sociológicos e sociais. Estuda os nascimentos ocorridos em hospitais de Pelotas. Obs. no ano de 1992. Brasil.ago.9 para 1000. Recém-nascidos. Avalia através de entrevistas hospitalares. São Paulo.2 para 1000 e a mortalidade neonatal precoce foi de 15. RS.: adaptado de: BARROS. Mortalidade. Saúde perinatal em Pelotas. sendo que a mortalidade fetal foi de 16.9. R. RS. . visitas domiciliares. 4. Saúde Pública.1% para partos únicos. revisão de atestados de óbitos e certidões de nascimentos ocorridos em três maternidades de Pelotas. F. 18.

53 SOBRE O RESUMO Condensação que enfatiza os pontos mais relevantes do trabalho. . pelo próprio autor. a título de Palavras-chave. no caso o inglês. com verbo na voz ativa e num único parágrafo. Deve ser redigido na terceira pessoa do singular. O resumo deve ser indicativo com a intenção de orientar o leitor se é ou não necessária a leitura completa do texto. métodos. Devem ser destacadas entre três e cinco palavras ou expressões que contemplem a essência do conteúdo e interesse do texto. Devem ser separadas por ponto. Deve constar do resumo os objetivos. Normalmente usa-se 250 palavras para o resumo de um trabalho monográfico. procedimentos do desenvolvimento do trabalho e pontos relevantes da conclusão. O abstract é a mera tradução do resumo para um idioma estrangeiro. no caso o inglês. Key words é a tradução das palavras-chave para o idioma estrangeiro. Em geral é redigido após o termino do trabalho. técnicas.

.................................................................................. Figura 7 .......................................................................................................................................... Figura 8 ..................................................................................................................................................................... Figura 6 .....54 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 – Lâmpada de 100Watts Figura 2 – Colheitadeira de café Figura 3 – Moinho de café Figura 4 ...................... 35 54 70 ........... Figura 5 ..............................................................

Os itens virão numerados com algarismos arábicos e titulados conforme aparecem no texto... QUADROS.... Indicando o número da página onde se localizam........ As listas necessárias ao trabalho devem vir com título centralizado... Exemplo: LISTA DE TABELAS Tabela 1 – Satisfação com o ambiente – universo masculino Tabela 2 – Satisfação com o ambiente – universo feminino Tabela 3 – ..55 SOBRE LISTAS – SÍMBOLOS...... 22 25 LISTA DE SIGLAS (em ordem alfabética) ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas BB – Banco do Brasil FSSAL – Faculdade São Salvador . OBS: Cada lista deve vir em páginas separadas............... ABREVIATURAS.......... ILUSTRAÇÕES.. TABELAS.......... ETC....

56 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 SITUAÇÃO ECONÔMICA DO AGRESTE BAIANO 2.2.1A região dos açudes 2.2.2 A região irrigada 2.1 O cultivo de manga natural 2.2 O cultivo da uva 12 13 15 15 17 19 97 99 102 105 3 CONCLUSÃO REFERÊNCIAS APÊNDICES ANEXOS .1.1.1.1.1 A RENDA PER CAPITA 2.

Os itens citados em parênteses não levam numeração nas folhas do trabalho e nem aparecerão no sumário. a partir da introdução. A subordinação dos itens do SUMÁRIO deve ser destacada na apresentação tipográfica (seções primárias. Ordenamento das folhas para melhor compreensão. O título SUMÁRIO deve vir centralizado na folha. Capa Folha rosto Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Lista de Abreviaturas Lista de figuras Sumário (Início do sumário) (01) (02) (03) (04) (05) (06) (07) (08) (09) . etc). Note-se que a numeração começa a aparecer no SUMÁRIO. A forma de registro no SUMÁRIO é idêntica ao que aparece titulando os capítulos. divisões e seções do trabalho acompanhados dos números das páginas onde se encontram referidos respectivamente.57 SOBRE O SUMÁRIO O SUMÁRIO é um elemento obrigatório do qual deve constar a relação de capítulos. itens e sub-itens do texto. no entanto deve-se numerar a partir da introdução. terciárias. Vale lembrar que a partir da folha de rosto deve-se contar todas as páginas. secundárias. portanto primeiro elemento textual.

destaca que para atuar nessa nova ordem. MELO NETO. As ONG’s têm características de ordem social. com vistas à continuidade das mesmas. vêm surgindo instituições como as entidades filantrópicas e de direitos civis. 1999. depreende-se que o terceiro setor é constituído basicamente por organizações privadas sem fins lucrativos (entidades da sociedade civil) que geram bens. serviços públicos e privados. fundações e instituições sociais de empresas que se aliam ao Estado e à sociedade civil em geral. “É uma ordem que supera em vitalidade. Para que tais projetos ganhem corpo e se materializem são necessários. a qualificação pessoal e a avaliação. Levando-se em conta esse fato. visando suprir a carência do Estado e proporcionar à população um mínimo de bem-estar social. . nota-se que. p. as associações e fundações. os movimentos independentes das Organizações Não Governamentais – ONG´s. e a ordem econômica do mercado (Segundo Setor)”. (OFFE. No entender deste autor. Existe uma série de organizações que não pode ser classificada como pertencentes ao Estado nem ao mercado. cuja expressão institucional encontra-se no Terceiro Setor. Trata-se de um universo ideal para as “empresas-cidadãs” exercerem sua responsabilidade social.58 1 INTRODUÇÃO A ação estatal insuficiente no atendimento das demandas sociais da população tem estimulado uma reconfiguração da sociedade civil. Como exemplos dessas organizações tem-se: ONGs. entre outros procedimentos. as ONG’s nasceram da desordem social vigente. órgãos autônomos da administração pública descentralizada. Melo Neto (1999). As Organizações Não-Governamentais implementam projetos juntamente com as populações que demandam bens e serviços do Estado. aumentando significativamente sua influência sobre as ações do governo. para além do Estado e do mercado. Das lições procedidas. legitimidade e harmonia a ordem da burocracia estatal (Primeiro Setor).5). constituindo o denominado “Terceiro Setor Social”. a obtenção de verbas. apud. existem novas agremiações que estão surgindo. após organizaremse movimentos sociais.

também possuem valores crenças e estratégias. Esse universo não para de crescer no Brasil. são mais de 250 mil ONGs no país. do comércio de produtos e da arrecadação de doações. atendendo às demandas sociais.2% do PIB brasileiro e demonstra enorme potencial de crescimento. Nesse contexto. Tais evidências respaldam a necessidade de que seu desenvolvimento se realize da maneira mais ordenada possível. a atividade turística destaca-se pela considerável complexidade de sua estrutura. A fonte supracitada. pois o setor já movimenta 6% do PIB em países da Europa e nos EUA. – devem buscar aperfeiçoamento constante e excelência. chegando a 44. o homem passa a ser a medida de todas as coisas e não apenas os índices quantitativos e o lucro. Tal constatação se revela tanto pela quantidade de agentes envolvidos com o turismo (visitante. ganham destaque as ONG´s com ações ligadas direta ou indiretamente a esta atividade. ou 50% da população adulta brasileira. no Brasil. empresários. gerenciamento e avaliação das ações voltadas para o turismo. Nele. como também por seus efeitos sobre o entorno natural e cultural. oriundos da prestação de serviços. poder público). Qualquer que seja a área de atuação – saúde. entre as pessoas físicas. haviam 15 milhões de doadores. É grande a influência dessas entidades na defesa dos interesses do cidadão durante as etapas de planejamento. Outro dado confirma a expansão: em 1995. sociedade civil. número que em 1998 já havia triplicado. O Terceiro Setor é composto de entidades de base que praticam um novo modelo de gestão. adaptando-se às novas realidades à medida que surgem. etc. De acordo com Setor 3 (2005). Os benefícios econômicos que o turismo pode deixar na cidade de Salvador devem criar uma estrutura ideal para elevar o nível e a qualidade de vida local. que movimentam R$ 12 bilhões/ano. frisa que o valor corresponde a 1. cultura.59 As organizações do Terceiro Setor. Utilizam procedimentos de administração participativa. em todos . meio ambiente.2 milhões de pessoas. educação. assim como as do setor produtivo privado. quando o turismo pode se tornar uma ameaça ao meio ambiente ou representar risco de exclusão social. Paralelo a este cenário. que significa acima de tudo um desenvolvimento em escala humana. Torna-se urgente ao turismo o desenvolvimento local.

As hipóteses desta pesquisa para o problema levantado são: • O perfil do gestor de organizações do Terceiro Setor ligadas à atividade turística em Salvador. Diante da tamanha complexidade do cenário supra mencionado. cujos conteúdos curriculares contemplem habilidades e competências específicas para o exercício do cargo/ função • Os cursos de turismo e/ou hotelaria da Região Metropolitana de Salvador não atendem às exigências para o exercício do cargo de gestor de Organizações Não-Governamentais relacionadas com atividades turísticas . outrora somente adquiridos em bancos acadêmicos. cabe a responsabilidade de proporcionar a inspiração. particularmente em curso superior. Dessa forma. dentre outros. Ao gestor de entidades com este perfil. emerge a grande questão norteadora da pesquisa. valem-se de novos canais de reinvidicações sociais e formam entre si uma extensa rede de solidariedade social. tem essas entidades como canal direto de denúncia contra a violação de seus direitos quando ameaçados por um turismo predatório e.60 os níveis de decisão e atuação. Para gerir esses instrumentos de intervenção social. têm formação acadêmica apropriada para administrar entidades dessa natureza? A vocação turística da cidade de Salvador faz incrementar o fluxo de visitantes à capital baiana a cada ano. pressupõe-se que para a posição que ocupam esses gestores. o direcionamento e a orientação estratégica para que a organização esteja apta a cumprir sua missão. o pivô operacional e administrativo da organização sem fins lucrativos. Assim. ligadas à atividade turística na capital baiana. avançar e fazer a diferença. demandam uma série de conhecimentos estratégicos. Atenta para esta “ameaça”. indesejável. a sociedade civil organizada. gera muitas vezes impactos das mais diversas naturezas. Esse líder é a figura central. aprofundando aspectos de gestão em turismo e/ ou áreas afins. o turismo enquanto conjunto de atividades produtivas desenvolvidas nesse contexto sócio-cultural e ambiental. com o seguinte enunciado: Os gestores das organizações do terceiro setor. seus líderes devem preencher pré-requisitos como habilidades para conciliar conflitos e sensibilidade para as questões socioambientais. requer formação acadêmica (3º grau). portanto.

Os procedimentos metodológicos do processo de pesquisa envolvem planejamento. Neste universo. e sendo assim. na medida em que levanta aspectos importantes para a saúde organizacional dessas entidades. adotou-se o estudo exploratório. Para o desenvolvimento da pesquisa. análise e interpretação e redação do relatório. também aumenta a necessidade por otimizar suas diretrizes no sentido de alcançarem suas metas com base em subsídios que aumentem a eficácia de suas ações. . pretende-se identificar os cursos de Turismo e/ ou Hotelaria oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior. O objetivo geral deste trabalho é elaborar o perfil do gestor de Organizações Não-Governamentais ligadas à atividade turística em Salvador. segundo o modelo no qual o observador e seus instrumentos desempenham papel ativo na coleta. uma vez que tornar-se-á ferramenta importante para uma requalificação dos gestores e sobretudo. destaca-se também o interesse específico em: identificar as entidades.61 Analisar o perfil do gestor de Organizações Não-Governamentais ligadas à atividade turística na capital baiana revela-se particularmente importante em virtude do interesse pessoal em futuramente atuar em instituições dessa natureza. potencializando o surgimento de novos estudos capazes de gerar conhecimentos de relevância para a melhoria da vida social. Num segundo bloco de objetivos específicos. coleta de dados. sediadas na região metropolitana de Salvador. ancorado no método dedutivo que aborda o tema desde seu contexto genérico até chegar a suas particularidades. Em meio acadêmico constata-se a latente escassez de pesquisas sobre o tema. Sobretudo. tendo o cuidado de considerar o ambiente em que são coletados esses dados. bem como as formas de controle das variáveis envolvidas. Com o crescimento das organizações sem fins lucrativos (em tamanho e número). a pesquisa revela-se de suma importância e relevância para as organizações enfocadas na investigação. análise e interpretação dos dados. O delineamento da pesquisa se define ao confrontar a visão teórica do problema com os dados da realidade. o presente trabalho poderá incitar o debate do tema nas universidades. tem papel fundamental nas tomadas de decisões e de medidas corretivas. demonstrar suas potencialidades e limitações área de gestão e elencar as habilidades e competências de seus gestores. a partir de uma abordagem de natureza teóricoempírica. além de analisar seus conteúdos curriculares.

dissertações e teses. • Pesquisa eletrônica Viabilizada por intermédio de informações capturadas em sites e home-pages especializadas. de um lado. relatórios da empresa. fotografias. de modo a “reter” o essencial para o desenvolvimento da pesquisa. As principais fontes foram livros. capítulos ou de toda a obra. coletâneas. habilidades e competências. formação técnicoprofissional. cartas. a partir de leitura analítica e interpretativa. tabelas estatísticas etc. Os aspectos mais importantes de interesse na pesquisa. As fichas foram ordenadas segundo seu conteúdo para que no futuro fossem. a partir da técnica de análise de conteúdo da revisão de literatura. Após a localização das fontes bibliográficas. os demais procedimentos metodológicos estão a seguir discriminados: • Pesquisa bibliográfica O levantamento bibliográfico desenvolve-se. monografias. reportagens de jornal. Esta etapa foi capaz de permitir a cobertura de uma ampla gama de fenômenos. filmes. diários. gerando reflexões e inferências sobre o assunto. gravações etc. basicamente. em seguida analisadas. enciclopédias. contratos. De outro lado. foram reproduzidos em fichas contendo o resumo de parágrafos. artigos de revistas científicas. passou-se à leitura de caráter seletivo. .62 Dentro desta linha. Há. É pertinente ressaltar que as fases supracitadas (pesquisa documental e levantamento bibliográfico) enfocaram conteúdos nas seguintes áreas: gestão de organizações do terceiro setor. existem os documentos que de alguma forma já foram analisados como relatórios de pesquisa. os documentos que não receberam qualquer tratamento analítico. • Pesquisa documental O desenvolvimento da pesquisa documental seguiu os mesmos passos da fase bibliográfica. no entanto. jornais. currículo. que se considerar a variedade das fontes documentais. utilizou-se de instrumentos de coleta de dados – questionário para os gestores de ONG´s ligadas a atividade turística e entrevistas com dirigentes de Instituições que oferecem cursos de turismo e/ ou hotelaria. atividades turísticas. • Pesquisa de campo O trabalho de campo. Existem. tais como: documentos oficiais.

Seu delineamento guiou-se a partir do estudo estatístico da amostra aleatória definida em 50 questionários. com auxílio da transcrição de depoimentos. já o roteiro. a seguir. bem como de organizações e acervos privados. visando detectar confluências com as habilidades desejadas para esse profissional. representando 20% do universo tomando como referência informações da Abong. segundo Lakatos (1996). Nas fases bibliográfica e documental. • Já o segundo capítulo oferece uma estrutura conceitual que aborda a eficácia no gerenciamento no terceiro setor.63 representando a fase experimental. oferecidos em Salvador. . Em relação ao questionário. • A quinta parte trata de analisar conteúdos curriculares de cursos na área de turismo. as bibliotecas das instituições de ensino superior. porcentagem mínima estimada capaz de refletir uma impressão confiável da realidade em estudo. procedeu-se a tabulação e tratamento dos dados. A investigação teve ainda como suporte o estudo dos currículos dos cursos de turismo e hotelaria oferecidos pelas Instituições contempladas no estudo. as bibliotecas públicas. Os arquivos privados. revelaram-se extremamente ricos em dados pertinentes ao estudo do objeto. • A atividade turística é abordada sob uma visão genérica. e entrevistas com dirigentes das Instituições de ensino. o instrumento conteve perguntas abertas e fechadas. Objetivando dar uma visão panorâmica do corpo do trabalho passa-se. reservaram fontes prioritárias de dados para a pesquisa. para a fase de entrevistas conteve perguntas genéricas e específicas. em especial os das ONG´s. representando também 20%. ancorando-se em métodos estatísticos baseados principalmente em tabelas. numa perspectiva de análise de conteúdo. De posse dos resultados. Em relação aos aspectos qualitativos da pesquisa recorreu-se a análise do discurso. na terceira parte do trabalho. • O capítulo IV tem seu foco nas habilidades e competências desejáveis para o exercício da função de gestor dessas entidades. a sintetizar suas partes: • O capítulo I determina o cenário e as premissas básicas para a abordagem do terceiro setor.

explicita-se o alcance dos objetivos traçados na introdução. Finalmente. resgatando aspectos-chave do texto.64 • O capítulo seis refere-se a análise e interpretação dos resultados decorrentes do estudo de campo. esboça-se o posicionamento crítico do autor desta obra e apresenta-se um rol de recomendações. • . expõe-se a comprovação das hipóteses preestabelecidas. objetivando fomentar novas pesquisas. a conclusão encerra o estudo.

.65 SOBRE A INTRODUÇÃO É o primeiro capítulo e apresentação do trabalho. importância e objetivo da pesquisa. Deve-se evitar introduções longas e muito pomposas. A INTRODUÇÃO deve conter os elementos contemplados no projeto de pesquisa como problema. objetivos. hipóteses. posicionando-o sobre o assunto. Deve colocar o leitor a par da importância do problema. Não esquecer de mencionar a estrutura capitular do trabalho. A INTRODUÇÃO é um pano de fundo que deve conter a definição. etc. Pode ser escrita depois do texto pronto por entender-se que fica mais fácil apresentar um conteúdo já trabalhado. o leitor deve tomar conhecimento da indagação da pesquisa (problema) e dos caminhos para obtenção da resposta. metodologia. conceituação. Na INTRODUÇÃO.

1 A região dos açudes TABELAS (texto) NOTAS DE RODAPÉ 2.2.1.1 O cultivo de manga natural QUADROS (texto) (e outros).2 O cultivo da uva (texto) .1.1 A RENDA PER-CAPITA Elementos de apoio inseridos no corpo do texto.66 (Desenvolvimento do Texto) 2.2 A região irrigada ILUSTRAÇÕES (texto) GRAVURAS 2. 2. SITUAÇÃO ECONÔMICA DO AGRESTE BAIANO (texto) 2.1. (texto) CITAÇÕES 2.1.2.

67

SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO TEXTO

O corpo do texto contém as informações mais importantes do trabalho. Aí aparecem elementos de apoio, tais como: citações, tabelas, quadros, notas de rodapé, recursos visuais e outros que possam contribuir para fundamentação e uma melhor compreensão do mesmo.

Estes itens acessórios devem se apresentar de forma harmônica durante o desenvolvimento do trabalho. As citações por si só complementam o texto e os demais devem ser inseridos os mais próximos possíveis do parágrafo que os cita ou comenta, de forma que o leitor não necessite desviar-se da leitura para procurá-los e consultá-los.

Os conteúdos elaborados pelo próprio autor do trabalho, tais como, tabelas, quadros, textos complementares, gravuras e outros, que sejam importantes para complementação e melhor compreensão do conteúdo exposto devem ser colocados no item APÊNDICE.

Os conteúdos levantados de outros autores ou fontes, quando são informações que, embora importantes, possam ser consideradas acessórias ou de consulta mais longa devem estar contidas em ANEXOS, pelo mesmo motivo citado, ou seja, não desviar a atenção do leitor da linha de raciocínio.

68

TABELAS

São apresentações de sínteses numéricas, comparativas e percentuais que devem ser obtidas em fontes fidedignas. As TABELAS devem ser numeradas consecutivamente em algarismos arábicos no decorrer do documento. Sobre as TABELAS indicamos o número da mesma e título. Sob a tabela deve ser indicada a fonte onde os dados foram colhidos, em letra de tamanho sempre menor que a utilizada no texto, Fonte 10, por exemplo.

Exemplo:

VOCÊ SE SENTE

F

%

A vontade Pouco a vontade Envergonhado Calmo Contente Sem resposta
Total

31 0 8 16 13 2
70

44,3% 0,0% 11,4% 22,9% 18,6% 2,9% 100,0%

Tabela 2 - Satisfação com o ambiente – universo feminino Fonte: FIERLI apud FERREIRA , 1993, p.20

69

FIGURAS

Seguem uma ordenação numérica em algarismos arábicos, ordem crescente no decorrer do documento, seguida pela informação que a nomeia. São indicadas na parte inferior pela palavra FIGURA. Se tiver origem, indicar a fonte com tamanho de letra 10.

Exemplo:

FIGURA 1 – Reator de Lâmpada Incandescente Fonte: FIERLI apud FERREIRA , 1993, p.50

periódicos ou quaisquer outros documentos consultados e inseridos no novo texto para confirmar idéias ou fundamentar afirmações defendidas pelo autor (do novo texto). porém. indiretas e citações de citações.. Existem citações diretas.70 CITAÇÕES Citações são trechos retirados de livros.. Os compradores modernos preferem. Citações Diretas São transcrições fidedignas de parte de um texto. vírgula.. há uma crescente consciência entre os administradores sobre o potencial para que práticas de medição melhoradas resultem em programas de determinação de preços mais efetivos. vírgula e a página referida. que nunca devem ser usadas sem que se indique o autor. a data e a página de onde foram tiradas. Citações Indiretas São consideradas citações indiretas quando reconstruímos com nossas próprias palavras o texto original. Quando isso acontece podemos indicar de forma simples a autoria das idéias. seguido de parênteses que contém: o sobrenome do autor em maiúscula. p. mostrando que “a reação dos clientes à variações de preços é a maior fonte de incerteza com que se defrontam os administradores quando tomam decisões referentes a determinação de preços. . entre aspas duplas. A informação completa sobre a obra deverá constar das Referências. 1987.73). o ano de publicação. Exemplo: Segundo Torres (2000).. Exemplo: .. Citações curtas Quando o trecho é curto.. aparece harmonizado com a redação do texto..” (NAGLE.

ideológicos e naturais. Podemos citar. Exemplo: Este modo de ver se aproxima do que foi externado por Eight Bakker (2002. solucionador de problemas. seguido de parênteses com data e página onde se encontra o referido texto. O nome do autor poderá vir referenciado normalmente no parágrafo anterior em citação simples. com espaço simples entre linhas. materiais.71 Citações longas Quando o trecho possui mais de três linhas a citação deve aparecer em um parágrafo a parte. disponível para aquele Município.. 102) que. de capital. que utiliza. p. empenhado em satisfazer necessidades humanas particulares. também. com letras em fonte 10. Exemplo: Segundo Barros (2001. atualmente. a quatro centímetros da margem esquerda. A organização nasce da necessidade humana de cooperação. transforma e amalgama um conjunto específico de recursos humanos. em inserção simples. num todo único. 23) “para atender plenamente as necessidades dos hospitais públicos de Porto Alegre seria necessário triplicar a verba destinada à saúde.” . após considerável análise conclui: Uma organização social é um sistema contínuo de atividades humanas diferenciadas e coordenadas. em interação com outros sistemas de atividades e recursos humanos de sua ambientação. mencionando anteriormente o último nome do autor. p..

. p.. Exemplo: .. diferenciado apenas pela inclusão dos nomes adicionais.. São Paulo. seguidos da indicação da Instituição Pública a que pertencem.72 Se a fonte de referência pertencer a dois ou três autores. divididos por ponto e vírgula e apenas vírgula no último nome. Mantêm-se os nomes em maiúscula. Município etc. 1997.147) Obras cujas entradas em referências sejam pelo nome do País. 2003. seguido de número. colocamos apenas o primeiro nome em letras maiúsculas. (BASTOS...101) Se a fonte de referência pertencer a mais de três autores. foi apresentado trabalho sobre os benefícios obtidos. p. simplificado para et al. BECKMANN. Exemplo: Durante o 7º CONGRESSO NACIONAL SOBRE A EDUÇÃO PRÉ-ESCOLAR. EMPRESA BRASILEIRA DE TURISMO. deverão constar na citação da mesma forma. p. sempre com data e página referida.(BERNARDES et al.... o procedimento é o mesmo. em maiúscula. (BRASIL.. Estado. seguido da expressão et alii. 20) Seminários. Exemplo: . que quer dizer e outros. Exemplo: . ano e local do evento em inserção simples. . 1999. 1967. Conferências entram com o nome completo. Congressos.

. Exemplo: “A Fundação Getúlio Vargas é uma instituição de referência nacional”.” (NAGLE. . “a reação dos clientes para com as variações de preços é a maior fonte de incerteza com que se defrontam os administradores quando tomam decisões referentes a determinação de preços.73 Ainda sobre citações Se a frase é citada em parte.. Se a frase é citada inteira. o ponto final virá após o fechamento das aspas. Exemplo: . p. fechamos as aspas duplas antes do ponto final.73). 1987.

” (PIRES apud RAMOS. Na reutilização da citação do original de Mario Pires feita por Antonio Ramos indica-se: “O problema da educação brasileira reside mais na má utilização das verbas públicas do que necessariamente na insuficiência do dinheiro destinado para este fim. . Quando isso acontece devemos indicar a referida citação usando o nome do autor original. por seções ou todo o documento. O número pode aparecer entre parênteses ou sobrescritos. São indicados por algarismos arábicos. o vocábulo apud e o nome do autor da obra de onde foi retirada. 2002. Podem constar das conclusões sugestões para novos trabalhos que contenham indicações sobre vertentes ainda não exploradas sobre o assunto. p.75) NOTAS DE RODAPÉ São explicações colocadas ao pé da página com a intenção de esclarecer o leitor sem que seja necessário estender demais o texto. seguido de data e página.74 Citação de Citação É o uso de uma citação já inserida em outro texto. em ordem crescente. SOBRE A CONCLUSÃO A conclusão deve ser uma síntese do trabalho e é a única parte que pode conter opiniões próprias do autor. As notas de rodapé são escritas em tamanho 10 e espaço simples. Exemplo: Em um texto de Antônio Ramos encontra-se uma citação retirada de um livro de Mario Pires.

. Deve conter os documentos elaborados pelo próprio autor do trabalho. gravuras e outros. quadros.75 SOBRE REFERÊNCIAS É um elemento obrigatório em todos os trabalhos acadêmicos. Por ser um conteúdo diversificado e extenso. Exemplo: ANEXO A ANEXO B ANEXO C e assim por diante. tais como. Devem constar das referências todas as fontes consultadas. em ordem alfabética. tabelas. São conteúdos complementares que favorecem uma melhor compreensão e aprofundamento do texto. disponíveis na biblioteca. aconselhamos recorrer a livros de Metodologia. sempre com a data e a hora da consulta. Seguem uma ordenação alfabética. que sejam importantes para complementação e melhor compreensão do conteúdo exposto. SOBRE ANEXOS O item ANEXO(S) é opcional. textos complementares. para referenciar as fontes consultadas. seguidas pelas eletrônicas. As fontes bibliográficas. SOBRE APÊNDICES O item APÊNDICE(S) é opcional.

76 ANEXOS ANEXO A – Modelo de gabarito .

Apresentação NBR 6028 – NOVEMBRO: 2003 .Informação e Documentação Trabalhos Acadêmicos – Apresentação NBR 6023.77 3 A NORMALIZAÇÃO Todo trabalho acadêmico deve ser elaborado segundo parâmetros determinados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.Informação e Documentação Citações em Documentos .Resumos NBR 6027 – MAIO: 2003 – Sumário NBR 15287 – DEZEMBRO: 2005 – Projeto de pesquisa .Elaboração NBR 10520 – AGOSTO: 2002 . É importante salientar que elas são periodicamente alteradas/ modificadas. Assim.AGOST0: 2002 . Cada norma da ABNT (NBR) serve uma especificidade: NBR 14724 – DEZEMBRO: 2005 .Informação e Documentação Referências . cabe ao pesquisador ou aluno checar a sua vigência junto à ABNT.

João Bosco. 2001. Rio de Janeiro: ABNT. DENCKER. NBR 6023: Referências. SANTOS. 2002. Metodologia científica. Eva Maria. 2005.Associação Brasileira de Normas Técnicas. Eva Maria. 2002. 1987. NBR 6028: Resumo. Ed. MEDEIROS. Salvador: Quarteto. Rio de Janeiro: ABNT. elaboração. Marina de Andrade. Luiz Carlos dos. resumos. 2003. _________. 2003. 1998. 2005. LAKATOS. Umberto. 4. resenhas. Ednalva Maria Marinho. DEMO. Rio de Janeiro: ABNT. São Paulo: Atlas. São Paulo. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas. 1999. _________. SANTOS. 2006. Como se faz uma tese. 6. Ed. NBR 6027: Sumário. Eva Maria. Redação Científica: a prática de fichamentos. NBR 14724: Trabalhos Acadêmicos. 7. NBR 10520: Citações.ed. Como fazer uma monografia. O Texto científico: normas para apresentação. _________. Délcio Vieira. Ed. _________. Pesquisa empírica em ciências humanas. MARCONI. 2004.ed. Rio de Janeiro: ABNT. 2. . Perspectiva. ECO. NBR 15287: Projeto de pesquisa. São Paulo: Atlas. Rio de Janeiro: ABNT. Marina de Andrade. Artigos técnicos científicos e textos de opinião. 4. São Paulo: Atlas.78 REFERÊNCIAS ABNT . 2005. São Paulo: Futura. SALOMON. São Paulo: Martins Fontes. MARCONI. et al. 2004. São Paulo: Atlas. 2003. Pedro. LAKATOS. Introdução à metodologia da ciência. amostragens e técnicas de pesquisas. _________. 2001. análise e interpretação de dados. Salvador: Editora UNEB. São Paulo: Atlas. Fundamentos de metodologia científica. Rio de Janeiro: ABNT. Ada de Freitas Maneti. LAKATOS. MARCONI. Marina de Andrade.

79 APÊNDICE PROPOSTA DE ESTÁGIO Supervisionado – Modelo IDENTIFICAÇÃO: Nome de Aluno(a):_________________________________________________________ Telefone p/ contato: ______________________e-mail:___________________________ Empresa:________________________________________________________________ Supervisor de estágio/ cargo_________________________________________________ Período Previsto: Início: ____/_____/_______ Término até: _____/_____/______ ÁREA DE INTERESSE PARA ESTÁGIO ______________________________________________________________________ _____________________________________________________________________ JUSTIFICATIVA ________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ .

80 OBJETIVOS ________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________ RECURSOS ________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ________________________________________________________________ REFERÊNCIAS ________________________________________________________________________ ______________________________________________________ ____________________________________________________________________ .

considerando: Tipo de Estudo que será realizado. etc.81 ORIENTAÇÕES SOBRE O PREENCHIMENTO DA PROPOSTA DE ESTÁGIO Área de Interesse do Estágio: Indicar a área de atuação. Forma de apresentação dos resultados. * Cronograma das Atividades: Em conjunto com o orientador serão preenchidos os campos e datas como forma de acompanhamento dos trabalhos. como será desenvolvido o trabalho (metodologia). bibliotecas. dados estatísticos do IBGE. Objetivo: descrever de modo geral o que pretende realizar. relatórios de empresas. Recursos: Especificar os recursos que serão utilizados. sintetizando a importância da realização do trabalho. . Período (datas) de realização. folders. Local de realização. exemplo: Internet. Forma de coleta dos dados. de acordo com o que foi descrito no Cadastro do Estagiário. Planejamento das Atividades: Explicitar. sua relevância para o aprendizado acadêmico e os benefícios que o mesmo poderá trazer para a empresa e para o acadêmico. Bibliografia Inicial: Relacionar a bibliografia utilizada para a confecção do Plano de Estágio. Justificativa: Redigir um texto. revistas. em linhas gerais.