O sabonete não quer saber. A gente pode até estar bem distraído, lavando as mãos, tomando banho.

Mas com o sabonete não tem distração. Ele entra na área e mostra quem manda no pedaço, deixando a pele limpa. E como a gente precisa dessa limpeza! Enquanto a gente brinca e anda por aí, vai pegando em tanta coisa, que as mãos acabam "hospedando" sem querer um monte de bichinhos muito pequenos, tão pequenos que são invisíveis: os micróbios. Nem todos os micróbios são prejudiciais, mas alguns tipos, como as bactérias e os vírus, podem causar uma série de doenças. Esses são "hóspedes" muito indesejáveis! Para livrar a pele dos micróbios, a água sozinha não dá conta do recado. Por isso é preciso usar sempre sabão ou sabonete para limpar as mãos, principalmente antes das refeições e antes e depois de fazer cocô ou xixi. Além de ajudar a retirar as sujeiras mais teimosas, como gordura e terra, o sabonete funciona como um verdadeiro desinfetante contra as bactérias. Se você for comer com as mãos sujas, pode estar engolindo, junto com a comida, certas bactérias que não foram convidadas. Argh! E na hora do banho? É uma verdadeira dança da limpeza. Sabonete, xampu e condicionador fazem a festa embaixo do chuveiro. O sabonete faz o maior banho de espuma, passeando pelo corpo todo, atrás da orelha, debaixo dos braços até chegar no pé. Xô, chulé! O xampu entra na jogada e faz mais espuma ainda, limpando a gordura e a sujeira acumuladas nos cabelos. Depois vem o condicionador para deixar os fios bem macios e fáceis de pentear. Sabe quem mais sofre com a sujeira? Seus poros! Mas para seu corpo ficar bem limpo, não precisa demorar uma hora no chuveiro... Junto com toda a espuma, foram embora também o suor, o pó e os micróbios que ficam sobre a pele. Faxina geral! Os poros agradecem e respiram aliviados. Mas... quem são mesmo esses poros? Não está vendo? Então olha para sua pele bem de perto... mais perto... mais perto... Ops, chegou tão perto que não dá para ver mais nada? Bem, mas os poros estão ali, milhões de buraquinhos minúsculos na superfície da pele. Se a gente fica muito tempo sem tomar banho, o acúmulo de sujeira não deixa os poros respirarem. Que sufoco! Isso pode provocar irritações na pele, coceiras... É a vingança dos poros, exigindo melhores e mais limpas condições de trabalho! Aviso aos exagerados: uma coisa é tomar banho, outra coisa é ficar horas embaixo do chuveiro, pensando na vida e brincando com o sabonete. O banho deve demorar o suficiente para você ficar limpinho. E só! Nada de ficar desperdiçando energia elétrica e água! Banho tomado, corpo limpo e cheiroso. Você olha em volta... que lama, jacaré! O banheiro está todo sujo, chão molhado

e cheio de pegadas do sr. Tênis, cesto com papel higiênico transbordando, toalha jogada, roupa suja espalhada. Assim não dá, o serviço tem que ser completo: deixar o piso do banheiro sequinho, pendurar a toalha, separar a roupa suja para lavar. A higiene começa no corpo, mas tem que se estender ao ambiente em que a gente vive, porque se não os micróbios encontram a porta aberta para entrar com todo seu baixo astral... Se deixarmos restos de comida entre os dentes, atrairemos bactérias que vão estragá-los: é a cárie! Da mesma forma, deixar restos de comida no chão ou sobre a pia é atração imediata para ratos e baratas. Como a cozinha é o lugar onde todo mundo carrega comida para lá e para cá, ela se torna um dos alvos preferidos desses bichos asquerosos. Só que para eles não tem a menor graça uma cozinha limpa, com chão brilhando, panelas e louças lavadas, lixo no lugar. Limpeza é a melhor estratégia para evitar ratos e baratas. Além dar um "chega pra lá" nos bichos que a gente vê, é preciso também evitar que entrem em ação outros que a gente não vê, como os micróbios. Eles podem estar nos alimentos e fazer o maior estrago à nossa saúde. Que fazer? Mandar a comida tomar banho, ora! Lavar cuidadosamente as frutas na torneira antes de comê-las. E dedicar especial atenção às verduras e legumes, já que os bichinhos adoram montar seu acampamento neles, botar ovinhos, etc. Muita gente deixa esses alimentos descansando em água com vinagre e sal antes de servi-los na salada. Cozinhá-las também é bom, já que a água fervente mata a maioria dos micróbios. Se os vegetais não forem bem lavados, ficamos expostos a várias doenças. Podem ser desde uma pequena e desagradável diarréia, passando pela verminose conhecida como ascaridíase (infestação por lombrigas, vermes compridos que moram no intestino da pessoa doente), até o cólera, do qual você já deve ter ouvido falar. Esta doença pode até levar a pessoa à morte. A melhor maneira de prevenir as verminoses é lavar sempre bem as mãos, beber água filtrada ou fervida e lavar muito bem os alimentos. Com comida, todo o cuidado é pouco! A falta de higiene e de cuidado com os alimentos pode causar doenças como a cisticercose e a teníase. Para não falar da intoxicação alimentar, que pode estar logo ali na esquina, em um carrinho de cachorroquente... O cuidado com os alimentos é coisa séria. Você já ouviu aquele ditado: o mal entra pela boca? Pois é, um alimento pode ter grande valor nutritivo, mas se estiver contaminado ou deteriorado acaba se tornando muito perigoso. Ao preparar os alimentos, é preciso também o cuidado com o próprio corpo. Não adianta nada lavar os alimentos direitinho e esterilizá-los se você estiver com as mãos sujas, por exemplo. Por isso, dê aquele trato no corpinho antes de entrar na cozinha, principalmente se você for um cozinheiro de mão-cheia (e limpa!). Ah, um detalhe importante: se estiver gripado, fique longe da cozinha quando a comida estiver sendo preparada. Você imagina o que pode acontecer se espirrar ou tossir perto dos alimentos? Vai ser vírus

voando para todo lado. Resultado: a família inteira pode ficar contaminada assim que comêlos. E você não quer causar uma epidemia em casa, quer? Aliás, você sabe o que é epidemia? É quando um grande número de pessoas são contaminadas rapidamente pela mesma doença. Então, para evitar catástrofes, fora da cozinha! Os alimentos que não forem para a geladeira precisam ficar protegidos de moscas e em lugares frescos e ventilados. Cuidado nunca é demais quando se fala de comida. Vamos ver mais alguns: não comprar alimentos que não estiverem adequadamente expostos; verificar se as embalagens estão limpas e em perfeitas condições; lavar todas as carnes e vegetais antes de cozinhá-los; esterilizar os vegetais antes de serem consumidos crus (deixá-los de molho em água com sal e vinagre por alguns minutos); usar tábuas de plástico (como pode: tábua de plástico?) em vez das de madeira, que podem ter micróbios nos buraquinhos; ferver o leite que não for do tipo longa vida (aquele de caixinha, que fica fora da geladeira); lavar e ferver os ovos durante sete minutos antes de comê-los, ou fritá-los até a gema ficar dura; ferver ou filtrar a água antes de beber e também a que for usada para cozinhar.

de

-

A máquina de lavar roupa lavava e cantarolava: - A camiseta do boneco vai tomar um banheco... estava cheia suor, mas vai ficar muito melhor... - O pijama da madama vai ficar muito bacana... vai chacoalhar com água e sabão, na centrifugação... - O chulé já vai embora das meias da senhora... As cuecas e calcinhas vão ficar umas gracinhas!

Do mesmo modo que tomamos banho, tudo o que entra em contato direto com nosso corpo precisa estar limpo. Portanto, as roupas também têm que ser lavadas com freqüência. É por isso que a gente troca de camiseta, meia, cueca e calcinha todo dia! A nossa casa também tem roupas: tapetes, carpetes, toalhas de mesa, lençol e cobertores de cama, toalhas do banheiro, pano de prato... Tudo isso também entra na "lavação",. porque a higiene também deve ser praticada dentro de casa! Esfrega, torce, chacoalha. A máquina de lavar faz a maior bagunça para lavar as roupas. Depois é só esticar no varal, esperar secar e passar o ferro elétrico para deixar as roupas lisinhas, prontas para outra.

Era uma vez dentinhos de leite que sofriam muito com o ataque das bactérias depois de cada refeição. Isso porque o garoto, dono da boca onde os dentinhos moravam, sempre esquecia de escovar os dentes. Não tinha para ninguém: as bactérias vinham com tudo, ajudadas pelos restos de alimentos que ficavam entre os dentes, dando a maior força para as cáries. - Socoooorro!!! Ouvindo o chamado desesperado dos dentinhos, a pasta de dente pulou em cima da escova e gritou ainda mais alto: lá vamos nóóóóós! E voaram para a boca para socorrer os chorões. Pulando corda, veio a fita dental. Enfiou-se entre os dentes, dando um "chega para lá" nos restinhos de comida. Pasta de dente, escova, fio ou fita dental: esse é o batalhão da higiene bucal em ação, em mais uma missão diária importante. Eles fizeram seu trabalho, expulsaram as bactérias e evitaram, mais uma vez, que os dentes fossem atacados. Fim. Você com certeza já viu esse filme. É a famosa guerra entre a higiene bucal e as bactérias que causam a cárie. Só que na vida real esse batalhão de limpeza _ escova de dente, pasta, fita dental _ não é nada sem sua ajuda. Você é quem tem de liderar o combate às cáries, garantindo a limpeza e a conservação dos Por isso depois das refeições (ou de comer doces) e antes de dormir, não esqueça de colocar em ação o batalhão da limpeza bucal: a escova de dente, pasta, fio ou fita dental. Mas o batalhão precisa de sua ajuda! Você deve conhecer muito bem cada um dos seus integrantes, e aprender a escovar os dentes direitinho! Pronto? Escova de dente: ajuda a retirar os restos de comida que ficam presos nos dentes. Para ficar divertido, você pode escolher um daqueles modelos bem incrementados, coloridos, às vezes até com personagens de desenho. Mas fique ligado, porque não adianta ser apenas bonita. A escova tem que ser também eficiente, com tamanho adequado para sua boca e cerdas macias para limpar sem machucar. Seu dentista pode orientar você a escolher a melhor escova. Aliás é bom lembrar que a eficiência passa longe das escovas velhas, aquelas que já estão completamente "descabeladas". Quando as cerdas começam a perder a forma original, é o aviso que a escova precisa ser substituída rapidinho... Pasta de dente: garante a limpeza da boca ao retirar a placa bacteriana, além de conter flúor, uma substância que torna os dentes mais resistentes ao ataque dos ácidos e também ajuda a "consertar" o esmalte no ataque inicial da cárie. Mas nada de exagero! Não precisa esvaziar um tubo de pasta cada vez que vai escovar os dentes... Basta uma pequena quantidade (uma bolinha do tamanho de uma ervilha). E no final da escovação cuspa tudo fora, não engula nada. Pasta de dente é para limpar, não para alimentar. Fio ou fita dental: deve ser usada pelo menos uma vez por dia. Magrinha e fininha daquele jeito, a fita dental consegue chegar onde a escova não alcança, completando o serviço. ESCOVA PRA CÁ, ESCOVA PRA LÁ!! Exército a postos? Vamos ao ataque:

É preciso percorrer todo o território com a escova. Você não quer deixar nenhuma área desprotegida, não é? Escove os dentes tanto na parte de fora quanto na parte de dentro, tanto os da frente quanto aqueles que estão lááááááááá atrás. Nos dentes de cima, passe a escova de cima para baixo. Nos dentes de baixo, faça o movimento contrário, de baixo para cima. É como se estivesse "penteando" os dentes, girando levemente a escova, sempre tomando a gengiva como ponto de partida e indo até o topo do dente. E já que seu exército está na área, aproveite para escovar também a língua. Ela também merece uma faxina. Completando a operação de guerra, entra em campo a fita dental, tirando de campo os restos de comida que se escondem entre os dentes. Como guerra é guerra, nada melhor do que conhecer o inimigo.

A cárie acontece quando uma certa bactéria, muito chata por sinal, transforma os restos de alimentos que ingerimos, principalmente o açúcar, em ácidos prejudiciais aos dentes. Essa bactéria fica grudadinha com muitas outras sobre os dentes e ao redor das gengivas, formando uma película chamada placa bacteriana. Insistente e teimosa, essa placa se forma todos os dias. Os ácidos liberados pelas bactérias da placa atacam o esmalte dental (a parte branca), até causar um "buraco", a famosa cárie, em um processo chamado desmineralização. Se não for tratada logo, a cárie começa a aumentar e a corroer o interior do dente, provocando dor. E não dá pra descuidar, porque as cáries atacam sem avisar. Sabia que a dieta tem tudo a ver com a cárie? É bom comer alimentos ricos em fibras, como cenoura, aveia, maçã, pepino e verduras em geral. Eles são verdadeiros desinfetantes, pois diminuem a acidez da boca, que também contribui para a cárie. E agora a parte mais difícil: evitar comer muito chocolate, balas, doces e refrigerantes_ ou seja, tudo que é rico em açúcar. Assim como a gente, os tais ácidos também adoram um docinho. Os dentes não querem saber de moleza: eles também precisam de exercícios. É verdade! Mas não precisa levá-los para a academia. A melhor ginástica para os dentes _ e também para as arcadas dentárias, onde eles estão confortavelmente instalados _ é mastigar alimentos duros, como maçã e cenoura crua. Se até os dentes gostam de ginástica, por que você vai ficar nessa preguiça toda, enrolando na hora de escovar os dentes?

Você acha que vampiro só morde o pescoço? Que nada, esse vampirinho só morde a nossa cabeça: o piolho! O pior da história é que ele pode chegar até a sua cabecinha com um simples ventinho! Imagine que você está inocentemente sentado em sua carteira, assistindo aula, e a criança que está na sua frente está cheia de piolhos. Sua professora tem a péssima idéia de ligar o ventilador e... pronto! Um piolho se desprendeu do fio de cabelo do menino que estava na sua frente e foi parar na sua cabeleira! Daí em diante, pode esperar: eles irão grudar na sua pobre cabeça e sugar seu sangue até encher a pança! As fêmeas botam os ovinhos (chamados de lêndeas) perto da raiz do cabelo e aí nascem mais piolhos para fazer a festa! Cada fêmea bota, mais ou menos, 200 ovos. Para acabar com o auê desses sugadores, nada melhor que aqueles xampus e loções próprias para piolho, e o bom e velho pente fino!!! Mas calma: aquela coceirinha na cabeça não é sempre sinal de piolho! Pode ser sinal de... neve na cabeça! A caspa parece bolinhas de neve, não é mesmo? E é um problema bastante comum, enfraquecendo os fios e provocando coceiras. Existem dois tipos de caspa: a seca e a oleosa. Quase todas as pessoas já tiveram a caspa seca, que é caracterizada pelas bolinhas brancas. Já a caspa oleosa, chamada de seborréia, é um pouco mais grave, pois dá aquela coceira danada e provoca descamação do couro cabeludo. A caspa pode ser causada pela reprodução excessiva de um fungo chatinho, o Pityrosporum ovale. O pior é que ele é um habitante muito comum do nosso couro cabeludo. Existem ainda outros motivos: o excesso de permanentes, alisamentos e colorações não faz nada bem para a saúde dos seus cabelos. Bom, chega de coçar a cabeça! Que tal dar uma lavada na cabeleira agora? Para cuidar dos cabelos nada melhor do que um belo xampu! Essa superinvenção é de 1877, mas naquela época ele não fazia tanta espuma como hoje. Só que o xampu não serve apenas para deixar o cabelo perfumado: ele limpa os fios também!! "Ué, como?" As substâncias contidas no xampu levantam as escamas do cabelo e retira o sebo que se acumula entre elas! Mas as escamas erguidas acabam se enrolando umas nas outras e o que acontece? Os cabelos ficam embaraçados e cheios de nós... É aí que entra o supercondicionador! Ele nutre os fios e fecha as escamas. Não é um casal perfeito? Além de lavar, há outras coisas que você pode fazer para ter um cabelo lindo de morrer... Seu cabelo vai adorar esse super-roteiro para você cuidar direitinho dele! Lavando as madeixas - Tudo bem que no inverno dá vontade de ficar para sempre debaixo do chuveiro quente. Mas sempre que possível, lave os cabelos com água fria. Água quente deixa as mechas sem brilho e quebradiças, além de tornar os cabelos oleosos mais oleosos ainda! Portanto,

deixe seus cabelos bonitos e economize energia! Como lavar? Massageie o couro cabeludo com as pontas dos dedos (não com as unhas!). Isso ativa a circulação, fortalecendo os fios. Condicionador - Todos os cabelos precisam do condicionador após o xampu, mas devem ser usados do meio do cabelo para as pontas. Nunca perto da raiz, pois pode deixar o couro cabeludo muito oleoso. Desembaraçando - Nunca desembarace a cabeleira debaixo do chuveiro. Depois do banho, pegue mecha por mecha e desembarace da metade do fio para as pontas. Só depois disso, penteie perto do couro cabeludo. O melhor é desembaraçar os cabelos ainda úmidos, pois assim você não arrebenta os fios! Vento quente - Enxugue bem os cabelos antes de usar o secador, e mantenha uma distância mínima de 15 centímetros dos fios. Não se esqueça que ele deve ser usado em temperatura baixa e o mais importante: não abuse! Secador demais estraga o cabelo! Prendendo a cabeleira - Não prenda os cabelos quando eles estiverem molhados. E mesmo que eles estejam secos, evite usar o elástico de borracha, pois quebra os fios e na hora de tirar arranca outros tantos! Uma boa dica é pegar aquela meia-calça velha da sua mãe e cortar em tirinhas bem pequenas: elas são mais macias para prender o cabelo, além de serem baratas. Secando os ouvidos! Depois de tomar um belo banho é hora de secar o corpo! Você seca o cabelo, o rosto, mas e os ouvidos? É aí que entra em ação o cotonete: uma haste com a ponta de algodão! Lançado nos Estados Unidos, em 1921, pela Johnson & Johnson, o primeiro cotonete tinha a haste feita de madeira e apenas uma das pontas tinha algodão! Seu nome era Wooden Applicator, e só os hospitais tinham o privilégio de usá-lo. Como o cotonete fez o maior sucesso, a Johnson & Johnson resolveu criar o Johnson's Cotton Tipped Applicator: feito especialmente para as crianças e disponível nas lojas para os consumidores! Você ainda não deve ter se acostumado à idéia de que os cotonetes eram feitos de madeira, né? O mais engraçado é que isso só foi mudar mais tarde: em 1963 as hastes deixaram de ser de madeira para dar lugar ao plástico. Secar o ouvido é sumperimportante, mas tome cuidado ao fazer isso: se você ficar cutucando muito fundo corre o risco de se machucar. Tome cuidado!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful