You are on page 1of 11

Os Reinos do Dharma

No Budismo, existem dez estados de existência que também são chamados de Os Dez Reinos do
Dharma. Cada reino do Dharma possui sua própria característica, e sua existência é atribuída à
retribuição dos seres. Estes dez reinos não parecem ser discretos em suas formas, uma vez que suas
existências são virtualmente determinadas por um estado mental. Portanto, é importante notar que os
dez reinos do Dharma não vão além de um simples pensamento.

Os seis reinos inferiores são conhecidos por Os Seis Caminhos ou Os Seis Reinos do Renascimento.
Esses seis estados de existência estão sujeitos ao nascimento e morte, e então renascimento por muitas
vidas. O estado de existência de uma pessoa depende de suas atividades karmicas. Com o poder
karmico diabólico, a pessoa nascerá nos três reinos mais baixos, conhecidos como O Caminho dos
Três Males ( para a transmigração ). Com o karma bom e gentil, a pessoa nascerá nos três próximos
reinos superiores, conhecidos como Os Três Caminhos Bons ( para a transmigração ).

Os quatro reinos superiores são conhecidos como os Quatro Reinos Santos. Estes quatro estados de
existência estão além do nascimento e morte e o liberta do Samara.

Os Dez Reinos do Dharma consistem de:

(a) Seis Reinos de Renascimento

1) Inferno
2) Fantasma
3) Animal
4) Asura
5) Humano
6) Deva

(b) Quatro Reinos Santos

7) Sravaka (o Arhat que ouve o som)
8) Praetyka-Buddha
9) Bodhisattva
10) Buddha

1. Inferno

O Sofrimento é muito severo, contínuo e perpétuo. Esses seres devem ter cometido ações
imperdoáveis e más, sem se lamentarem ou se arrependerem. O karma mau determina suas existências
no inferno. Eles sofrem até serem completamente punidos ou o karma mau desaparer. Porém, para
esses que cometeram as Cinco Ofenças (pecados mortais), ficarão no inferno sem qualquer tempo
específico para serem liberados.

Os Cinco atos rebeldes ou pecados mortais são:

(1) matar o pai de alguém
(2) matar a mãe de alguém
(3) matar um feto
(4) derramar o sangue do Buddha
(5) criar desarmonia entre a Sangha.

A performance de boas ou más ações, simbolisa a ascenção aos céus ou a descida ao de alguém sob a
lei do karma. Não é o julgamento de nenhum Buda ou deus, nem é o julgamento do Deus Supremo;
isto diz respeito aos desejos de cada um de nós, e se manifesta em concordância a isto. Aos olhos das
pessoas boas não existe Inferno, porque elas não tem nenhum karma com isto. Ao olhos das pessoas
más, existe a manifestação do Inferno,, porque o Inferno é a manifestação de suas mentes.
Simplesmente, é a própria consciência da pessoa punindo seus próprios pecados.

Os sofrimentos do Inferno incluem vinda ilimitada à vida e à morte em um único dia. O inferno que
tem a maioria dos sofrimentos é o Inferno de Avici. O sofrimento de Inferno de Avici é descrito
claramente no Ksitigarbha Sutra. O primeiro sofrimento é tempo ininterrupto, significando que não há
nenhum descanso. O sofrimento é contínuo, não há nenhum tempo para respirar durante até mesmo
um minuto ou um segundo. O segundo sofrimento é espaço ininterrupto. No Inferno de Avici, espaço é
preenchido com uma ou várias pessoas. Se houver muito espaço, uma pessoa se multiplicará até que
ela ocupe todo o espaco. Assim este inferno pode estar cheio com só uma pessoa. O terçeiro é o
sofrimento ininterrupto. A pessoa tem que sofrer todos os tipos de sofrimento do mundo. Não há
nenhum inferno que tenha mais sofrimento que este Inferno de Avici. Tal sofrimento é chamado de
sofrimento ilimitado. O quarto sofrimento é o grau ininterrupto, significando que este inferno não
diferencia, se a pessoa é um deus no céu, um humano no reino humano, um fantasma faminto dentro
do reino dos fantasmas ou um animal dentro do reino animal. Se a pessoa se "qualifica ", qualquer um
pode entrar no Inferno de Avici e pode receber o mesmo tratamento. O quinto sofrimento é vida
ininterrupta. Há numerosas vidas e mortes dentro de um dia e uma noite, e, entre uma vida e uma
morte, a pessoa sofre.

2. Fantasma

Neste reino, a maioria dos fantasmas vivem sempre numa atmosfera de ansiedade, ilusão e medo. Seus
desejos nunca estão satisfeitos. Os fantasmas famintos não podem comer pois a garganta deles é tão
estreito quanto o fundo de uma agulha, mas o estômago deles é tão grande quanto um tambor. Aparte
dos fantasmas famintos, há também Yaksa, Raksa, Fantasmas Espirituais, etc.. Fantasmas espirituais
residem na natureza, em árvores, montanhas e mares, e protegem as criaturas, enquanto que Yaksa,
Raksa são demoníacos, maus e violentos.

Se a pessoa quiser evitar descer ao Reino do Fantasma Faminto, a pessoa tem que aprender a controlar
seus desejos. A pessoa não pode ter um desejo insaciável. Em geral, os desejos humanos são dinheiro,
sexo, fama, comida e sono.

Se a pessoa deseja riqueza, a pessoa só deveria raciocinar que a vida dura somente algumas décadas, e
que este corpo é ilusivo e desaparecerá logo uma vez que a pessoa morra. A pessoa deveria estar
satisfeita uma vez que ela tenha bastante dinheiro para gastar. A pessoa não deveria escravizar seu
próprio corpo e mente numa busca constante de riqueza causando uma perturbação no corpo e na
mente e tornando-se um escravo da aquisição. Tal pessoa, quando morre, entrará no Reino do
Fantasma Faminto provavelmente por causa de seu desejo insaciável. Se nós constantemente
contemplarmos isto, pensamentos errôneos de desejar riqueza desaparecerão lentamente.

Um desejo insaciável por sexo é também um dos maiores desejos dos humanos. Se quizermos evitá-lo,
devemos cultivar a meditação sobre a impureza. Impureza significa impureza do corpo físico.
Exteriormente, o corpo é bonito. Por dentro é de ossos cobertos com carne de odor ofensivo. Os
prazeres sensuais da visão, olfato, audição e gustação são apenas temporários. O corpo bonito é
passageiro, como um orvalho, um sonho, uma bolha ou raio. Nós não devemos estar presos à tal beleza
ilusiva, pois tal apego é o obstáculo principal aos nossos cuidados. Tudo deveria ser visto
naturalmente - não porque a beleza nos comoveu. Deste modo, nós não seremos gananciosos para com
os prazeres temporários de visão, cheiro, som, gosto, e toque.

No que diz respeito à fama, poucas pessoas no mund ocnseguem ficar desapegadas dela,
especialmente em face à declaração antiga, as " Pessoas se esforçam para provar seu valor, e o Buddha
se esforça para provar sua Honra ". O problema relativo a fama é pronunciado. Pense nisto: ao longo
de história, quantas pessoas procuraram fama e lutaram por isto? E como muitas delas podem ser
realmente lembradas? O mundo está mudando o tempo todo e os seres sensíveis transmigram e
regeneram.

A vida naterra é até curta; logo logo tudo estará acabado como bolhas de sabão. Até mesmo o corpo
físico não dura para sempre, muito menos fama e honra. Se a pessoa não existe, onde será seu porto
seguro para a fama? Portanto, seja ela uma blasfêmia ou um mérito, nós deveríamos seguir nossa
consciência para apoiar nossa integridade e evitar pedir por fama. Então a ganância por fama baixará e
um nome honorável será formado de geração a geração.

Se viciar no desejo por uma boa comida é muito sério. Parece ser uma questão tão pequena, mas o
dano que causará é grande. Nós não podemos ter desejo irrestrito por uma boa comida porque, se nós
tivermos apetites insaciáveis e estivermos constantemente mudando nosso gosto, será muito fácil de
cometer uma matança [de um animal]. Além disso, se viciar em comida aumenta o lado cruel de nossa
natureza e encoraja nossos desejos sexuais animalescos. Este se tornará um obstáculo principal em
nosso cultivo. Então, é melhor tratar a comida de forma leve e consumir somente comida pura.

A próxima coisa a considerar éo gosto pelo sono, Nós temos que pôr um limite aqui, também. Se nós
formos demais cobiçosos de seu conforto, encorajará preguiça e aumento de sonolência. A mente
mudará de direção fora o caminho íntegro para mal. Isto não é horrível?

Fantasmas famintos têm fome todo o tempo, se eles acham comida e a colocam em suas bocas, elas se
transformarão em chamas, queimando suas bocas. Eles estão sofrendo fome, contudo eles não podem
comer. Assim " fome " é o sofrimento principal, e isso é por que este reino é chamado o Reino de
Fantasmas Famintos.

O Reino de Fantasmas Famintos é uma forma de castigo para a ganância. Este é um dos três mais
baixos reinos de existência (o outro dois são o Reino Animal e o Inferno).

3. Animal

É um caminho especial. Todos os seres dos Seis Reinos que não pertencem a nenhum outros dos cinco
reinos são categorizados neste caminho. Animais podem existir em todos os outros cinco caminhos.

Animais têm inteligência e consciência mínimas. Eles vivem em adaptação com a natureza. Como
seus comportamentos seguem o instinto sem deliberação, o karma deles é neutro, i.e. nem bom nem
mal.

Nós freqüentemente vemos o comportamento dos animais. Muitos animais lutam entre si e muitos
também consomem uns aos outros. Animais também sofrem de fome e doença. Além disso, eles
sofrem as flutuações quentes, frias, ventosas e chuvosas do tempo. Este tipo de sofrer é duro para os
humano-os seres supremos de todas as criaturas que se possa imaginar. As mortes de animais estão
cheias de miséria. Principalmente eles são caçados e mortos pelos de sua própria espécie ou de
espécies diferentes. Mosquito, moscas, piolho e lombrigas morrem de desintegração. Galinhas, patos,
peixes, cabras e porcos são mortos e cozidos. Quase tudo o que voa no céu, nada no mar, ou rasteja na
terra, não pode escapar de tornarem-se comida para os humanos. Até mesmo as minhocas chamaram a
atenção dos humanos. É como se nem mesmo as minhocas pudessem escapar de terminar como um
prato principal em um cardápio de restaurante!

4. Asura

É um caminho peculiar nos Seis caminhos. Em termos de prazer material e poder psíquico, é
semelhante ao Deva. Porém, em alguns aspectos, é até pior que o Caminho Humano. O Asura
masculino é extremamente feio, enquanto a fêmea é tão bonita quanto um anjo. O Asura masculino
sempre luta entre si pois eles são cruéis e furiosos. Eles são orgulhosos de si-mesmos, e relutantes em
aprender e praticar os ensinamentos budistas.

Asuras é um termo coletivo para Yaksas, Raksasas e outros demônios. Este reino é em geral sem
forma. Em termos gerais, os asuras cultivaram bondade e executaram boas ações. Mas eles são muito
combativos e eles se põem bravos muito facilmente. Eles amam competir e lutar.Pelo fato deles não
terem se livrado da raiva, eles não se qualificam para entrar no céu e, assim eles entram no Reino dos
Asuras. Estes fantasmas e espíritos, apesar de terem pensamentos benevolentes, eles não tem dias
calmos porque eles são muito competitivos.

Assim para evitar entrar no Reino dos Espíritos da Natureza, a pessoa tem que reter um coração que é
compassivo, íntegro, conforme decoro, honesto e benevolente.

5. Humano

É o reino do Dhama com o qual nós estamos muito familiarizados. Neste reino, nós temos felicidade e
sofrimento. É um mundo material, e as atividades de mente sempre estão conectadas com os princípios
da matéria. Alegria e felicidade estão limitadas assim como liberdade também é limitada pelo corpo e
outros órgãos sensoriais do homem. Por outro lado, sofrer podem ser a causa principal e condição que
permite ao homem possuir um coração amável, e assim procurar o Caminho Budista. Neste respeito, o
Caminho Humano é melhor que o Caminho do Deva.

De fato, mesmo se a pessoa quiser nascer como um humano, não é tão simples. Pelo menos, a pessoa
tem que observar os Cinco Preceitos para nascer como humano. Os Cinco Preceitos são:

1) Não matar. A pessoa tem que ter compaixão para todos os tipos de animais e pássaros. A pessoa os
deveria amar e os deveria proteger de serem mortos;

2) Não roubar. A pessoa não deveria roubar nem deveria tomar à força até mesmo algo tão pequeno
quanto uma folhade grama ou uma flor, sem o consentimento do dono. Ame o próximo e seja honesto;

3) Não procurar sexo ilícito. Pratique monogamia. Todos que agem contra o decoro e se abandonam
aos prazeres carnais se viciam em sexo ilícito,

4). Não mentir. Se a pessoa torce Verdade ou confunde justiça com injustiça, istotambém constitue a
mentira;

5) evite intoxicantes. É aceitável usar vinho como um medicamento. Caso contrário, se alguem bebe e
fica tonto, isto se torna uma fonte importante do mal. Portanto, é melhor ficar longe de intoxicantes
para evitar causar o mal.

6. Deva

É um paraíso para aqueles que são sábios e gentís como retribuição para suas boas ações. Seus
maiores desejos serão satisfeitos. Este caminho, é dividido em Três Reinos Divinos, isto é o Reino do
Céu de Desejo, o Reino do Céu da Forma (ou Rupa), o Reino do Céu da Não-forma(ou Arupa). No
Reino do Céu de Desejo, os seres vivos têm um forte desejo na materia e podem ser facilmente e
completamente satisfeitos com prazer. No Reino do Céu da Forma, os seres vivos não estão
interessados na materia. Ao invés, seus corpos e mentes procuram a felicidade espiritual, como
filosofia, música, arte e meditação. No Reino do Céu Informe, os seres vivos não se prendem ao
material nem a seus próprios corpos. Eles estão livres de qualquer obstáculo, e vivem em um estado de
alegria, liberdade e poder psíquico. É a sabedoria e o karma do Deva que determina qual reino do céu
eles vivem.

Se as pessoas comuns quiserem ascender aos céus, elas têm que praticar as Dez Ações Saudáveis. Uma
vez que elas se aperfeiçoam nas Dez Ações Saudáveis, elas estão qualificadas para ascender ao céu.
As Dez Ações Saudáveis são:

(1) Evitar matar, estendendo ao libertar de criaturas vivas capturadas, prevenir a matança deles

(2) Evitar roubar e adotar o ato generoso de dar;

(3) Evitar o adultério e adotar uma vida pura;

(4) Evitar mentir e, reciprocamente, (i.e.,não incitar fofoca entre outros) e, quando possível, mediar em
uma disputa;

(6) Evitar palavrões(nenhuma palavra suja ou obscena) e, dedicação para se ocupar da fala e louvor ao
Dharma;

(7) Evitar praguejar e, ao invés, falar em um tom macio e aconselhar os malfeitores a praticarem a
bondade;

(8) Evitar a ganância, (por fama, dinheiro ou luxúria);

(9) Evitar a ira (mesmo quando se encontra adversidades) e, inversamente ter sempre um coração
compassivo;

(10) Evitar a ilusão, i.e., praticar o Buda Dharma correto, compreender a Lei do Dharma e evitar
caminhos desviados.

Que bem está em nascer nos céus? Há muitas razões. Os deuses nos céus estão usando os melhores
tipos de vestimentas, limpas, cheirosas e sem poeira. As coroas que eles estão usando emitem luz
infinita, e são coloridas e magníficas - dificimente pode-se encontrar um lugar assim na terra. Além
disso os corpos dos deuses são sutis e iluminam sem impurezas e nenhum mal cheiro. Comida e
roupas vêm naturalmente a eles, manifestando-se sempre que os deuses as desejam. Em resumo, os
deuses podem ter tudo que eles desejam; a provisão é inesgotável. Também há uma provisão
inesgotável de música boa no reino divino. Todos os deuses emitem luz de seus corpos, e a água de
seus banho seca por si só.

Então, os cinco desejos [surgido dos objetos dos cinco sentidos - coisas vistas, ouviu, cheiradas,
provadas, ou tocadas] são naturalmente satisfeitos. Além disso, os olhos dos deuses sãoclaros e longo
alcance. Seus espíritos são sempre brilhantes e luminosos.

A pergunta mais importante é, o que é os céus? De acordo com Budismo, há Três Reinos Divinos que
contêm Vinte e oito Céus.

No Reino de Desejo, há:

1) os Céus dos Quatro Deva-reis,

2) Trayastrimsa,

3) Yama Deva (a Morada de Yama),

4) Tusita,

5) Nirmanarati,

6) Paranirmitavasavartin (a Morada de Mara).
No Reino da Forma, há:

(a) O Primeiro Céus Meditativos nos quais consistem:

7) Brahmakayika [assembléia de Brahmadevas],

8) Brahmapurohita [seguidores de Brahma],

9) Mahabrahman [o Grande Brahman];

(b) O Segundo dos Céus Meditativos nos quais consistem:

10) Parittab - has[Luz Secundária],

11) Apramanabha [Luz Infinita],

12) Abhasvara [Luz e Som];

(c) O Terçeiro dos Céus Meditativos nos quais consistem:

13) Parittasubha [Pureza Secundária],

14) Apramanasubha [Pureza Ilimitada],

15) Subhakrtsna [Pureza Universal];

(d) Os Quartos dos Céus Meditativos nos quais consistem:

16) Punyaprasva [Nascido para a Felicidade],

17) Felicidade no Amor,

18) Brhatphala [Frutífero],

19) Asanjnisattva [Não-Pensamento],

20) Avhra [Não-Vexação],

21) Atapas [Não-Calor],

22) Sudrsa [Beleza],

23) Sudarsana [Beleza Aparente]

24) Akanisthas [Fim da Forma].

No Reino da Não-Forma, há:

25) Akasanantyayatana (Morada do Espaço Infinito),

26) Vijnananantyayatana (Finitude da Consciência),

27) Akincanyayatana (Não-existência),
28) Naivasamjnanasamjnanayatana (Nem Pensamento nem Não-pensamento).

Estes Três Reinos - os 28 Céus estão todos incluídos no Reino dos Céus.

7. Sravaka (Arhat que ouve o Som)

É o primeiro caminho dos Quatro Caminhos Santos. Um Arhat é aquele que atingiu a renúncia de
todos os desejos e nenhum apego por qualquer coisa. Assim ele será liberado da reencarnação dos Seis
Caminhos assim que as causas karmicas sejam completamente retribuidas. Neste caminho, que é o
estado jovial da existência além do nascimento e morte mundanos, porque eles estão iluminados, que
os fenômenos mundanos são irreais e impermanentes. O Sravaka é iluminado enquanto eles escutam
as Quatro Verdades Nobres. Por isso, ele é conhecido como o Arhat que ouve o Som.

8. Praetyka-Buddha (Aqueles Iluminados para as Condições)

O Praetyka-Buddha também é um Arhat, mas mais superior ao Sravaka. Eles são iluminados por
entenderem a Lei das Origens Dependentes ou as Doze Ligações das Origens Dependentes.

Arhat é devidido em quatro graus para se tornar um arhat ou realizações ou phala.

1.Srota-aparnna--- o que entrou no fluxo do viver sagrado. É a primeira fase do arhat, de um Sravaka.

2.Sakradagamin--- o que vem nascer mais uma vez. É o segundo grau para se tornar um arhat que
envolve só um nascimento.

3.Anagamin--- o que não será renascido neste mundo (i.e. Seis Caminhos), mas no Reino da Forma ou
no Reino da Não-Forma onde ele atingirá o Nirvana.

4.Arhan--- o que entra no Nirvana. Todo o Karma da reencarnação é destruído. Ele também chega a
um estado de nenhuma aprendizagem inferior. Ele é o mais alto Santo no Hinayana em contraste com
o Bodhisattva que é o Santo no Mahayana.

9. Bodhisattva

Bodhisattva é um ser iluminado. Porém, ele tem o afeto a outros seres sensíveis. Com suas Quatro
Mentes Imensuráveis, ele pratica os Seis Paramitas para ajudar os seres sensíveis a atravessar o
sofrimento. O que os Bodhisattvas fazem é se iluminar, e iluminar os outros, beneficiando a si-
mesmos e aos outros. Eles atravessam os seres sensíveis em perseguição à conquista do Budato. Todas
estas relações são mútuas e interdependentes.

As Quatro Mentes Imensuráveis (Ilimitadas) do Bodhisattva são:

1. Bondade

2. Compaixão

3. Deleite

4. Renúncia

Paramita: Significa atravessar desta praia de nascimentos e mortes para outra costa que é o Nirvana.

O Seis Paramitas ou meios de assim fezê-lo são:
(1) dana - caridade/entrega

(2) sila - preceitos de moral/conduta/conquista

(3) ksanti - paciência

(4) virya - vigor/devoção/energia

(5) dhyana - contemplação/meditação

(6) prajna - sabedoria.

Todos os Bodhisattvas não tomam refúgio no Nirvana. Eles se comprometem, ppor seus grandes
votos, de renascer em qualquer Reino do Dharma para salvar os seres sensíveis.

Existem dez fases ou graus de desenvolvimento do Bodhisattva dependendo de seus méritos e
virtudes:

Dez Fases de Bodhisattva

Estas são as dez fases de desenvolvimento do Bodhisattva que depende de seus méritos e virtudes:

1.Pramudita (alegria) - alegria de ter superado as dificuldades e sofrimentos, entrando agora no
caminho do Budato

2.Vimala (pureza) - liberdade de toda corrupção possível

3.Prabhakari (Iluminação) - fase de iluminação adicional

4.Arcismati (sabedoria) - fase de sabedoria incandescente

5.Sudurjaya (não-dificuldade) - fase de dominar as dificuldades extremas

6.Abhimukhi (caminho aberto) - o caminho aberto para a sabedoria superior das definições de
impureza e pureza

7.Duramgama (procedendo para além) - adquirindo idéias superiores de ego para salvar os outros

8.Acala (inalterado) - conquista de ser inalterado

9.Sadhumati (sabedoria discriminatória) - a mais fina sabedoria discriminatória, sabendo onde e como
economizar, e possuindo os Dez Poderes

10.Dharma megha (nuvem da lei) - conquistando os podêres fertilizadores da nuvem da lei

Os Dez Poderes

Os Dez Poderes do Buddha ou Bodhisattva são o conhecimento completo de:

1. o que é certo ou errado em toda condição

2. o que é o karma de todo ser, passado, presente e futuro

3. todas as fases da liberação dhyana e samadhi
4. os poderes e faculdades de todos os seres

5. os desejos ou direções morais de todo ser

6. a condição verdadeira de todo indivíduo

7. a direção e conseqüência de todas as leis

8. todas as causas da mortalidade e do bem e do mal na realidade deles

9. o fim de todos os seres e Nirvana

10. a destruição de toda ilusão de qualquer tipo

10. Buddha

" Se há as pessoas que desejam entender todos os Buddhas dos três períodos de tempo, eles deveriam
contemplar a natureza de Reino do Dharma. Os Tathagatas (Buddhas) são feitos somente a partir da
mente.

Buddha é o estado mais alto da existência de todos os seres sensíveis. Há muitos títulos do Buddha,
mas o mais comuns são resumidos nos Dez Títulos do Buddha que representam a característica de
Buddha.

Os Dez Títulos de Buda são:

1. Tathagata--- os que Assim Vêm

2. Arhat--- Merecedor de oferendas

3. Samyak-sambuddha--- De conhecimento apropiado e universal

4. Vidyacarva-sampauna--- perfeito na compreenção e conduta

5. Sugata--- hábil em deixar o mundo através da liberação
6. Lokavid --- compreensão perfeita e completa de todo Dharma mundano

7. Anuttara--- luz insuperável

8. Purusa-damya-sarathi--- domando os heróis

9. Deramanusyanam de Sasta--- professores de deuses e as pessoas

10. Buddha-lokanatha ou Bhagavan--- Buddha, o Honorável do Mundo,

Buda também tem Dez Poderes que o permitem ajudar na travessia dos seres vivos, para executar
todos os tipos de méritos e virtudes com poder psíquico e morar na liberação sem obstáculo.

Buddha trata todos os tipos de seres vivos para serem iguais. No curso da oração e travessia. Buda é
destemido e confiante para superar todas as dificuldades. É conhecido como os Quatro Destemores.

Os Quatro Destemores
Há quatro tipos de destemor do qual há dois grupos:

A. O destemor de Buda surge de:
1. sua omnisciência

2. perfeição de caráter

3. superação da oposição

4. término do sofrimento

B. O destemor de um Bodhisattva surge de:

1. poderes da memória

2. poder de diagnóstico moral e aplicação do remédio

3. poder de raciocínio

4. poder de resolver dúvidas

Também há Dezoito Caráteres Diferentes de um Buddha como comparado a um Bodhisattva e outros
seres nos Reinos do Dharma.

Os Dezoito Caráteres Diferentes:

1. Sua perfeição de pessoa(ou corpo)

2. Sua perfeição de boca (ou fala)

3. Sua perfeição de memória

4. Sua perfeição de imparcialidade à tudo

5. Serenidade

6. Auto-sacrifício

7. Incessante desejo para salvar

8. Zelo incansável neste salvamento

9. Pensamento infalível a este salvamento

10. Sabedoria incessante para salvar

11. Poderes de entrega

12. O princípio dos poderes de entrega

13. Sabedoria perfeita reveladora na ação

14. Sabedoria perfeita reveladora na palavra
15. Sabedoria perfeita reveladora no pensamento

16. Conhecimento Perfeito do passado

17. Conhecimento Perfeito do futuro

18. Conhecimento Perfeito do presente

Buddha tem um corpo triplo:

1. Corpo do Dharma--- o corpo de Buda em sua em sua natureza essencial

2. Corpo da recompensa merecida--- um corpo de glória que ele " recebe " para seu próprio " uso " e
diferenciação de todos os outros Buddhas

3. Corpo de resposta e transformação--- Buddha pode aparecer em qualquer forma para ajudar os seres
sensíveis a atravessar.

Embora Buddha seja o mais alto dos seres iluminados com inconcebível poder espiritual, ele não pode
fazer o seguinte:

1. eliminar ou mudar o castigo karmico

2. atravessar aqueles que rejeitam o Budismo

3. atravessar todos os seres sensíveis nos Reinos do Dharma