You are on page 1of 1

PARCERIA COM AS FAMÍLIAS

Com as mudanças que foram acontecendo na sociedade, apontam-se uma importância especial para relação família e instituições. Observa-se que essas relações estão envolvidas por conflitos constantes. As instituições compreendem que a família atrapalha o processo de socialização e de aprendizagem com diferentes problemas de acordo cada classe social. Esses preconceitos e a busca de um modelo ideal de família, estabelecidos pelas instituições, tem sido o responsável pelo afastamento dessas duas instituições. Outros olhares apontam para um modelo de família inconstante, sujeita as mudanças de acordo cada cultura e processos históricos. A organização familiar pode ser vista de diferentes maneiras, mas isso não está relacionado com sua classe social. Existem famílias que são compostas pelos pais e filhos, outras de cônjuges separados e somente a mãe ou o pai está presente e aquelas que foram constituídas a partir de novos casamentos com filhos de outras relações. Existem também aquelas famílias que convivem na mesma casa com diferentes gerações ou por um grau de parentesco dentro de uma mesma casa. De acordo o Estatuto da Criança e do Adolescente, a família é a primeira instituição que têm a responsabilidade de realizar os direitos básicos das crianças. Nesse sentido, as instituições precisam construir uma relação de diálogo com a família, sendo essas parceiras no processo educativo da criança. A instituição junto com a família é responsável por favorecer um conhecimento, convívio e respeito com as diferenças, assim como criar condições para uma conscientização das diversidades e a importância da cada uma delas. A instituição através da sua equipe deve acolher as diferentes famílias som suas respectivas culturas e hábitos e “evitar julgamentos moralistas, pessoais ou vinculados a preconceitos é condição para o estabelecimento de uma base para diálogo” (BRASI, 1998, p.78). Existem diferentes maneiras que favorece esse diálogo, mas não devem acontecer de maneiras impessoais, ou escritas de maneira burocrática. Esse contato da família com a instituição para saber sobre o sentido dos trabalhos realizados é estabelecido com direito de todos os pais. A participação da família deve ir além de uma única possibilidade, eles devem ter acesso à filosofia e concepção de trabalho da instituição, assim com outras informações que favoreçam o processo de socialização e aprendizagem na instituição. O conhecimento da família também deve estar incluso nos projetos e atividades pedagógicas da escola. Os primeiros dias na escola são difíceis para muitas crianças. A instituição e os pais precisam trabalhar em equipe, precisam fazer parte da adaptação dessas crianças na escola e é nesses primeiros contatos que a instituição também tem a oportunidade de conhecer alguns hábitos da criança. É necessário estabelecer uma relação de confiança com as famílias, deixando claro, a parceria de cuidados e educação para o bem-estar dessa criança. Nos primeiros dias, o professor também necessita de um apoio da equipe técnica, pois ele também está em um processo de adaptação. Deve ser dada uma atenção especial para essas crianças em seus momentos de choro, pegando no colo ou sugerindo-lhes atividades interessantes. Nesses primeiros dias também o professor deve organizar o ambiente escolar, oferecendo para as crianças atividades atrativas. Algumas situações enfrentadas pelas instituições escolares é o remanejamento entre os grupos de crianças e a substituição de professores. Essas modificações devem ser realizadas com muito cuidado, devem ser pensadas, planejadas e preparar as crianças. Outras situações que a escola também enfrenta é a passagem das crianças de educação infantil para o ensino fundamental. Essa passagem é um marco significativo na vida das crianças e deve ser feito algumas atividades e projetos que favoreçam essas mudanças, demonstrando que mesmo com as perdas existe também um crescimento. Existem também famílias com diferentes necessidades especiais que comprometem sua atuação junto às crianças. Essas famílias precisam receber toda ajuda possível das instituições e da comunidade para que melhorem seu convívio com essas crianças.