Notas do Editor

Ficha Técnica
Editor : Um novo ano começou e chegou também o quarto número da publicação online da Ekosshop Magazine. O nosso esforço em divulgar a Aerografia, esta arte tão própria em si e também tão abrangente, é reconhecido através das vossas palavras de apoio e encorajamento que nos chegam através de vossos contactos e pelas quais estamos muito gratos! A capa desta edição, para ser diferente das anteriores não nos foi cedida por nenhum artista da aerografia. É uma adpatação nossa e pretende enquadrar-se na época que atravessámos: o Carnaval. A altura ideal para a máscara e o disfarce no meio da cor e da folia. Aproveitem a ideia e experimentem a pintura na face e no corpo. As potencialidades são muitas. Podem ver um exemplo na Galeria do Artista. Neste número temos algumas técnicas de manutenção de aerógrafo e dicas para desenhar letras em mão livre. Esperamos que a informação vos seja útil. Como habitualmente e sempre com a intenção de aumentar este nosso círculo de acção, voltamos a desafiar os artistas de origem lusófona (Portugal e Brasil), a avançar com exemplares de sua autoria, pois gostaríamos de bastante de passar a ter capas de autoria lusófona. Leitores de Portugal e do Brasil, ficamos à espera de vossos contributos! Boas Pinturas!!! Equipa Ekosshop

Número 4 - Março 2011 EkosShop Apartado 245 8126-903 Quarteira Portugal

Directora Editorial : Anabela Francisco Director Gráfico : Luís Almeida Publicidade : Contacto : revista@ekosshop.com Web Site : http://ekosshop.com Publicação Online ( ISSN 1647-8533 )

Isento de Registo na ERC Lei de imprensa 2/99 -13 Jan, Art.º 9º, n.º2

Convidamos todos os profissionais e amadores desta arte a fazerem parte da nossa tentativa de divulgação da aerografia ainda tão pouco desenvolvida em Portugal. Solicitamos a todos os artistas (portugueses e brasileiros) que partilhem algumas de suas experiências enviando-nos fotos de trabalhos realizados acompanhadas de informação sobre as mesmas. Também se agradece o envio de dicas e truques. Todas as fotos serão redimensionadas e os textos serão editados para adaptação ao espaço na revista. Todos os direitos de autor serão garantidos na nossa divulgação e publicação dos textos e fotos.

G

uia do Iniciante Limpeza & Manutenção do Aerógrafo

Limpar e Manter um Aerógrafo Um aerógrafo mantido de forma adequada é uma aerógrafo com vida longa e desempenho duradouro. Sendo um instrumento de precisão e com uma estrutura e composição algo delicadas, obriga a uma manipulação cuidada e disciplinada de todos os seus componentes. Os maiores cuidados concentram-se principalmente na limpeza que deverá ser meticulosa para garantir que não ficam sobras de tinta no interior do aerógrafo, na agulha ou na boquilha. Restos de tinta seca podem colar a agulha no interior do aerógrafo o que dificulta em muito ou torna impossível a sua utilização no trabalho seguinte. A desmontagem do instrumento deverá ser delicada pois qualquer pancada pode deteriorar os componentes. A água é a forma mais simples, eficaz e ideal para limpeza do aerógrafo. Se usar água corrente tenha cuidado em fechar o ralo do lavatório para evitar a perda de algum componente pois alguns são de dimensão reduzida. No entanto, se utilizar tintas que não sejam à base de água (acrílicos especiais ou óleos), o aerógrafo deverá passar por uma solução de solvente adequado à tinta utilizada, completando a limpeza com abundante água limpa. É também muito importante para a conservação de qualquer aerógrafo, trabalhar sempre com a pressão de ar conveniente para cada instrumento. A pressão a utilizar pode oscilar entre uma e 5 atmosferas, dependendo do modelo, sendo aconselhável manter uma utilização mediana ou standard de duas a três atmosferas.

Passo a Passo

1. Retirar a parte de trás, ou cobertura, do aerógrafo e desenroscar o parafuso de ajuste da agulha, antes de manipulá-la. Manter o aerógrafo ligado ao compressor durante este passo e o seguinte.

2. Encher repetidas vezes o depósito do aerógrafo com água limpa (ou solvente), accionando o gatilho e deslocando a agulha em simultâneo para a frente e para trás, sobre uma superfície como jornal ou trapos velhos até não apresentar coloração.

ekosShop Magazine #4 Pag. 1

ekosShop Magazine #4 Pag. 2

3. Extrair cuidadosamente a agulha (depois de desligar o aerógrafo do compressor) e limpá-la com um pouco e algodão humedecido em alcóol ou “Cleaner” da marca da tinta utilizada, sem movimentos bruscos pois qualquer desnível na agulha desequilibra a precisão e nitidez do jacto de pulverização.

5. Para limpar a boquilha, desenroscar a protecção da agulha, mantendo-a presa atrás, com a ajuda do gatilho, afim de evitar qualquer possível toque mais agressivo na ponta da agulha.

4. Muito cuidado para não danificar a ponta da agulha, ao voltar a introduzi-la no aerógrafo. Este é sem dúvida o momento mais delicado de todo o processo da limpeza.

6. Ao terminar as operações anteriores, fixar sempre a agulha por meio da rosca de ajuste.

ekosShop Magazine #4 Pag. 3

7. Proteger a parte de trás do aparelho, com a cobertura quando este não estiver a ser utilizado. Uma queda acidental sem a protecção pode danificar o instrumento irremediavelmente.

8. Para a arrumação do aerógrafo, convém dispor de um suporte adequado.

ekosShop Magazine #4 Pag. 4

Resolução dos Principais Problemas
Problemas na Aerografia
Causas Principais e Resoluções Possíveis O aerógrafo como instrumento de precisão que é, pode apresentar diversos problemas de funcionamento e desempenho. O utilizador experiente rapidamente identifica o problema através dos sintomas que se lhe apresentam e aplica a melhor técnica para o solucionar. Naturalmente esse conhecimento resulta de aprendizagem, experiência e persistência em ultrapassar obstáculos. Já para aqueles que se estão a iniciar na arte, pequenos problemas com o equipamento podem ser o suficiente para se desistir e isto por parecerem maiores do que realmente são. Para não seres surpreendido por erros ou falhas inoportunas, vamos demonstrar alguns dos problemas mais comuns e as técnicas e truques utilizados para os resolver. No quadro que se segue poderás encontrar dicas para resolver esses erros bem como as possíveis causas dos problemas, para assim melhor os poderes evitar.

Problemas
Formação de Borrões.

Causas
a) Excesso de água.

Soluções
a) Tornar a tinta mais espessa.

b) O aerógrafo está situado muito b) Afastar o aerógrafo do papel perto do papel. quando necessário, até se produzir o efeito de spray sem borrão. c) A agulha está demasiado puxada para trás. c) Colocar correctamente a agulha e ajustá-la com a rosca. Produção de Salpicos. a) Falta de pressão de ar. a) Ajustar correctamente a pressão de ar de acordo com a densidade da b) A tinta é muito espessa e está mal tinta. misturada ou pouco diluída. b) Esvaziar aerógrafo, limpá-lo e c) Há partículas de pigmento na voltar a preparar a mistura de forma boquilha ou no corpo do aerógrafo. correcta. d) Existe acumulação de tinta na c) Desmontar o aerógrafo e limpá-lo boquilha. completamente e retirar totalmente qualquer partícula. e) A boquilha está avariada. d) Puxar a agulha para dentro e limpar bem a boquilha. e) Substituir boquilha. Salpicos e Desvios no Traçado. A agulha está danificada. Endireitar ou substituir a agulha

ekosShop Magazine #4 Pag. 5

Problemas

Causas

Soluções

Salpicos no Início e no Final do O gatilho está a ser solto muito Soltar e apertar o gatilho com mais Traçado. depressa, provocando acumulação suavidade. de tinta.

O Traçado apresenta irregularidades

a) Falta de segurança a manipular o a) Praticar até conseguir aerógrafo. destreza e segurança. b) Obstrução da boquilha. b) Limpar boquilha.

maior a

convenientemente

O Traçado é muito grosso.

a) A agulha está gasta.

a) Substituir agulha.

b) A boquilha ou a tampa estão mal b) Ajustar. colocadas.

O Traçado fino apresenta excesso de A agulha está gasta ou torta. halo.

Substituir ou endireitar.

Avarias, Diagnóstico e Reparação
Para além dos erros que resultam de manuseamento inadequado ou falta de destreza, existem problemas de origem mecânica que podem dificultar a qualidade do resultado final. Apresentamos no quadro seguinte um resumo de possíveis avarias, diagnósticos e reparações das mesmas.

Avarias

Diagnóstico

Reparação

O gatilho não regressa à posição a) A mola da válvula não se encontra a) Proceder ao aperto ou substituição inicial depois de utilizado suficientemente tensa/apertada. da mola. b) O gatilho pode estar partido. b) Convém recorrer a um profissional para reparação.

A agulha fica bloqueada dentro do a) Possivelmente a tinta secou no a) Mergulhar o aerógrafo em água ou aerógrafo interior do aerógrafo. solvente e desbloquear a agulha com cuidado. b) O aerógrafo foi incorrectamente manipulado. Algum componente b) Reparação a efectuar por um no interior pode ter sido torcido ou profissional. quebrado.

ekosShop Magazine #4 Pag. 6

Avarias
O Fluxo da Tinta interrompe-se

Diagnóstico

Reparação

a) A tinta é excessivamente espessa. a) Diluir a tinta até ao ponto correcto (similar à espessura de leite). b) A agulha está demasiado ajustada à boquilha. b) Colocar bem a agulha e experimentar a rosca de ajuste da c) Falta tinta no depósito. agulha. d) O gatilho partiu-se. c) Encher o depósito.

e) A tinta seca está a obstruir a d) Substituição do gatilho. boquilha. e) Desmontar e limpar a boquilha e a agulha. Excesso de Pressão de Ar O controlo de pressão de ar está Reduzir pressão. demasiado alto.

Fuga de ar pela boquilha e formação a) A tampa da boquilha está frouxa ou a) Ajustar bem a boquilha. de bolhas mal colocada. b) Aumentar a pressão de ar. b) O abastecimento de ar é inadequado/insuficiente. Fuga de Ar sem o aerógrafo estar a A válvula de ar está mal ajustada. funcionar Fugas de Ar pela Anilha Principal Ruptura da válvula do ar. estão frouxas Ajustar a válvula de ar.

Substituir a válvula de ar. ou Ajustar as ligações ou substitui-las.

Produção de Fugas de Ar pelas As ligações ligações da fronte de abastecimento avariadas.

ekosShop Magazine #4 Pag. 7

ekosShop Magazine #4 Pag. 8

T

écnicas Básicas Como Desenhar Letras em Aerografia? (Parte II)

No último número deixámos-te a treinar a letra “e” em Script até à exaustão. Agora vamos avançar para as restantes letras do alfabeto sempre em Script. Como sabes, existem vários estilos para desenhar letras em Aerografia, no entanto, antes de começar com qualquer estilo há-que interiorizar bem este antes de pensar em dominar qualquer outro. Além de ser o estilo que nos é de alguma forma familiar, pois foi assim que começámos a desenhar as primeiras letras na escola, é também um estilo fluído que se adapta perfeitamente ao desenho de mão livre com o aerógrafo. Antes de qualquer coisa deves arranjar um bom alfabeto em Script (minúsculas e maiúsculas) para te ajudar a recordar os pormenores de cada letra. Podes obter facilmente através da Internet. Podes praticar com lápis em papel antes de começares a treinar com o aerógrafo. Ajuda a treinar distâncias entre letras nas palavras mais curtas ou mais longas. Quando estiveres a usar o aerógrafo não te esqueças que deves estar relativamente perto da superfície ao desenhar as letras, pois quanto mais longe estiveres menos definida fica a linha do desenho. Outro ponto importante a reter é que a pressa é contrária à perfeição. Não te sintas frustrado se as letras não ficarem logo como querias. Depois de teres interiorizado bem a técnica a velocidade virá naturalmente. Primeiro a técnica e o controlo absoluto do aparelho, depois a velocidade! Podes treinar em papel, lençóis, camisas, t-shirts velhas,

etc. Aconselhamos o uso de lençóis pois são baratos e ficas com muita superfície para treinar vários tipos, letras, tamanhos, cores, combinações, etc. Tal como demonstrámos com a letra “e”, a regra de ouro persiste: traço ascendente – fino e traço descendente grosso. Esta dualidade dá um efeito de profundidade ao desenho da letra e a forma mais fácil de o conseguir é passar duas vezes no traço descendente (em “Dagger Stroke”) para o engrossar. Depois de conseguires e controlares perfeitamente a letra “e”, podes passar ás restantes letras do alfabeto e só depois tentar nomes e expressões ou frases. Na figura acima temos um exemplo possível de um alfabeto inteiro em Script. Como te dissemos anteriormente, podes procurar fontes Script a obter ou em livros de caligrafia ou mais facilmente em sites da Internet. Com a variedade existente podes escolher a que mais se adapta ao teu estilo e gosto. No entanto, agora para melhor exemplificar os exercícios, vamos fazer de conta que o exemplo acima é o melhor que encontraste e que o vais treinar e trabalhar até à perfeição! Quanto mais treinares desenhar um alfabeto inteiro, melhor ficará o resultado quando passares a escrever palavras e frases.

ekosShop Magazine #4 Pag. 9

Novamente aparecem as linhas de guia, pois assim consegues ver exactamente onde a falha acontece e o que é necessário para a corrigir. Como podes ver na figura “Passo 1 e 2”, foi acrescentada uma terceira linha de guia no meio de cada 2 mais distanciadas, pois ajuda a medição entre letras maiúsculas e minúsculas, como é habitual existir num nome. Sabemos que nem todas as letras vão ficar exactamente em cima das linhas, mas servem como guia para auxílio visual e rectificativo. Tenta escrever alguns nomes (idênticos ao exemplo da figura ou não) para perceber as diferenças entre as diversas letras agora com o objectivo definido pela composição da palavra. Existem alguns passos que podem ajudar neste exercício que indicamos de seguida. Passo 1 Foca os teus esforços e atenção apenas na consistência de três dos elementos que treinaste, nomeadamente: Altura, Largura e Ângulo. Passo 2 Avança depois para o traço descendente largo (regra de ouro!). Passo 3 Junta todos os elementos e escreve um nome, de forma contínua e fluida. E estás pronto para explorar, estilizar e captar o teu próprio estilo Script nos teus futuros desenhos.

A base é esta, agora tens de treinar, adaptar ao teu gosto, enriquecer a tua “bagagem” de fontes e estilos. A internet é sempre uma óptima base de recursos para utilizares neste sentido. Na figura acima encontras um estilo que tem muita aceitação por parte do público das t-shirts personalizadas. É fino, elegante e chamativo. Até à próxima!!!

ekosShop Magazine #4 Pag. 10

ekosShop Magazine #4 Pag. 11

G

aleria do Artista Artistas do Mundo da Aerografia

A Ekosshop Magazine, aposta na busca do talento e convida os Airbrushers lusófonos a partilhar seus trabalhos e experiências com a aerografia. De seguida podem-se ver mais alguns exemplos do que se faz por aí. Todas as imagens foram-nos enviadas pelos artistas que tal como nós procuram a divulgação desta arte. Que estes exemplos sirvam de inspiração para outros trabalhos. As imagens publicadas pertencem aos respectivos artistas e a sua utilização deverá sempre passar pela autorização dos autores.

João Rafael http://www.jrafaeldesigns.com

ekosShop Magazine #4 Pag. 12

Mário Santos http://www.myspace.com/ms_

José Sousa Paços de Ferreira

ekosShop Magazine #4 Pag. 13

EKOSSHOP MAGAZINE
http://ekosshop.com revista@ekosshop.com #4 - Março 2011 © 2010-2011 Fluxnet,Lda