Notas do Editor

Ficha Técnica
Editor : Chegou a altura de mais uma publicação da online da Ekosshop Magazine. O nosso esforço em divulgar a Aerografia tem vindo a conquistar objectivos que estavam fora do nosso imaginário. O apoio dos nossos leitores tem sido vital para assegurar a continuidade do projecto e o avanço para etapas cada vez mais ambiciosas. Nesta edição temos a primeira oportunidade para a divulgação de um artista português, que partilhou connosco a sua história e seus trabalhos. Luís Ferereira, mais conhecido neste meio como Incógnito. A capa desta revista é uma de suas fantásticas criações. Como vai sendo habitual, o nosso Guia do Iniciante revela mais alguns passos e técnicas para os mais inexperientes. Desta vez, num artigo que se prevê em três partes, mostramos os primeiros passos para se usar o aerógrafo e a perceber as primeiras técnicas. Esperamos que a informação vos seja útil. Web Site : http://ekosshop.com Publicação Online ( ISSN 1647-8533 ) Aproveitamos a Galeria do Artista para vos mostrar alguns exemplos do que se vai fazendo por cá. Voltamos a desafiar os artistas de origem lusófona (Portugal e Brasil), a avançar com exemplares de sua autoria, pois gostaríamos muito de passar a ter capas exclusivas de autoria lusófona. Leitores de Portugal e do Brasil, ficamos à espera de vossos contributos! Boas Pinturas!!!

Número 5 - Julho 2011 EkosShop Apartado 245 8126-903 Quarteira Portugal

Direcção Editorial : Anabela Francisco Direcção Gráfica : Luís Almeida Publicidade : Contacto : revista@ekosshop.com

Isento de Registo na ERC Lei de imprensa 2/99 -13 Jan, Art.º 9º, n.º2

Os nossos agradecimentos ao Luís Ferreira pela autorização para utilizar uma das suas imagens como capa deste número.

Convidamos todos os profissionais e amadores desta arte a fazerem parte do nosso projecto de divulgação da aerografia ainda tão pouco desenvolvida em Portugal. Solicitamos a todos os artistas (portugueses e brasileiros) que partilhem algumas de suas experiências enviando-nos fotos de trabalhos realizados acompanhadas de informação sobre as mesmas. Também se agradece o envio de dicas e truques. Todas as fotos serão redimensionadas e os textos serão editados para adaptação ao espaço na revista. Todos os direitos de autor serão garantidos na nossa divulgação e publicação dos textos e fotos.

Equipa Ekosshop

G

uia do Iniciante Como Começar a Pintar com Aerógrafo (I)
aerógrafo, que pode vir a ser uma ferramenta muito útil e com diversas aplicações.

Para começar a pintar com aerógrafo, existem regras e técnicas comuns para qualquer pintura em Aerografia, seja para pintar em depósitos de motas, fazer ilustrações, desenhar e retocar retratos, fazer “Body ou Nail Art”, entre outras aplicações possíveis. As técnicas básicas da Aerografia que se têm que aprender, praticar e dominar, são as mesmas. Os exercícios seguintes vão ajudar-te a obter bons resultados ao mostrar como e quando aplicar a tinta onde pretendes. Se dedicares cerca de duas horas por dia durante uma semana à prática destas técnicas, num instante estarás a pintar como um profissional. O que precisas em primeiro lugar? Um bom aerógrafo de dupla acção (gravidade ou sucção), uma mangueira, um compressor (com regulador de pressão), blocos de papel de desenho (tenta obter o maior tamanho possível, para melhor aproveitamento), tinta para aerógrafo de cor preta (Createx Classica Opaca ou Transparente, Comart (IWATA), ou outra similar), um cavalete (ou algo semelhante para apoiar o bloco de papel), uma vez que a pintura em aerografia é sempre mais fácil se for feita em pé.

Figura 1 Como podes ver na foto, segura-se o aerógrafo como se fosse uma caneta, com a mão relaxada e solta. Para esta fase inicial, aconselha-se a usar sempre tintas prontas para Aerografia, pois aprendes mais depressa e diverteste mais se não tiveres que te preocupar em diluir as tintas. As que indicámos antes são bons exemplos, usa-as e facilita a tua vida. Relaxa e diverte-te com os exercícios, pois ao praticar treinas a mente e a mão para controlar o

Segura o aerógrafo como se fosse uma caneta, com o dedo indicador em cima do gatilho como mostra a figura acima. O aerógrafo deve ficar confortável na tua mão, por isso não apertes demasiado. Mantém o tronco relaxado. Para já mantém o aerógrafo perpendicular à superfície a pintar. Ao pressionares o gatilho levemente para baixo deverás sentir apenas ar a sair do aerógrafo. Cria o hábito de manter o ar a sair enquanto pintas, mesmo entre traços e
ekosShop Magazine #5 Pag. 1

aplicações de tinta. Para sair a tinta, deves manter o gatilho pressionado para baixo e ir puxando para trás. Com os aerógrafos de dupla acção, quanto mais para trás se puxa o gatilho, mais tinta sai e mais aberto é o leque de aplicação. Enquanto não tens mais treino, a pressão de ar deve ser regulada no compressor e não no gatilho do aerógrafo. Assim o gatilho pode ser mantido pressionado para baixo pelo dedo indicador Em resumo: Com o aerógrafo de dupla acção, pressionar o gatilho para baixo dá-te ar, puxar o gatilho para trás, dá-te tinta. Ao manter o gatilho pressionado para baixo e puxado para trás, dá-te ar e tinta. Enquanto pintas, mantém o ar sempre a sair, mantendo o gatilho pressionado para baixo. FIM DE PARTE UM

ekosShop Magazine #5 Pag. 2

ekosShop Magazine #5 Pag. 3

Luis Ferreira , Incognito Extreme Customs Nascido em Outubro de 1976, Luis Ferreira já desde criança que gostava de desenhar e sempre foi um bom aluno de desenho e artes. Descobriu o aerógrafo á apenas 3 anos atrás e foi amor á primeira vista. Começou por pintar as paredes da varanda, alguns telemóveis e carroçarias RC para os amigos. Agora faz pinturas para a On Wheels Motorcycles com quem tem exclusividade na marca Harley Davidson e personaliza roupa de marca para a Evil Ink Tattoo Studio, ambas situadas no Montijo. Personaliza também qualquer outro tipo de superfícies . Localização actual Baixa da Banheira. www.incognitoec.blogspot.com

ekosShop Magazine #5 Pag. 4 ekosShop Magazine #5 Pag. 4

Quais os Estilo(s) e/ou Técnica(s) de Pintura Preferidos ou mais Usados nos seus Trabalhos? Os trabalhos que mais gosto de fazer são retratos, adoro o acabamento final com os brilhos nos olhos, lábios e a volta do rosto, já para não falar na satisfação de ver a reação da pessoa quando vê o resultado final. A técnica que mais uso é a de mão livre (“freehand”) com a ajuda de um conjunto de “stencils” da Artool “Bird” e “Pharaoh”, (não se vendem em separado) para os meus retratos. Basicamente o meu estilo ou técnica preferida é a mencionada acima, mão livre, para qualquer trabalho, em último caso, se o trabalho em si o exigir uso as máscaras recorrendo a fita isoladora (masking tape), que nos dá um acabamento mais limpo e definido. No entanto cada trabalho exige a sua técnica.

-Daniel Power (Austrália) - aprendi muito com este artista. -Ýrr Baldursdóttir (Islândia) - esta artista tem uma qualidade e estilo únicos em mão livre e foi uma grande influência. -Martin Bouchard (Montreal-Quebeq) - o meu limite, a luz ao fundo do túnel, sou fã deste artista a 100%, espero um dia conseguir desenvolver metade da técnica que ele tem. Qual tem sido percurso artístico e/ou profissional até à data? O meu percurso tem sido de hobby, porque nos dias de hoje não nos podemos dar ao luxo de fazer vida da aerografia. Espero um dia vir a concretizar o meu sonho que ja esteve bem mais longe. Que projectos para os tempos mais próximos? Projectos para o futuro, bem... para além das pinturas que possam vir , tenho em mente organizar uns “Workshops” para divulgar e ensinar aquilo que aprendi ao longo deste tempo e que teve bons resultados de evolução. O pouco que aprendi e que

O que o fez interessar-se pela aerografia? Um certo dia procurava uns vídeos de desenho e pintura no “youtube” e deparei-me com uns vídeos de aerografia e fiquei fascinado com o que aqueles artistas faziam com um aérografo e decidi tentar. Não aconteceu de um dia para o outro, ainda levou quase um ano a aprender com os erros e várias pesquisas. Gostaria de frisar que com o que aprendi até agora vi que não é preciso saber desenhar bem ou nascer com um “Dom” como alguns dizem. Existem várias maneiras de poder contornar os obstáculos, está tudo no pulso e controlo de gatilho. Com treino qualquer um consegue! O artista Dru Blair é mestre a fazer isso acontecer. Que artistas mais o influenciaram? -Craig Fraser (Califórnia) - a minha inspiração para o “freehand” (mão livre), aprendi muito com ele.

pretendo partilhar, poderá ser muito para outras pessoas que queiram aprender. A aerografia é uma arte que ainda vive no escuro aqui em Portugal e é de louvar o esforço que pessoas como vocês aqui na Ekosshop fazem para poder dar a entender e conhecer o que realmente é aerografia. Parabéns!

ekosShop Magazine #5 Pag. 5 ekosShop Magazine #5 Pag. 5

ekosShop Magazine #5 Pag. 6

T

écnicas Básicas Relâmpagos
Depois de aplicares o Branco e deixares secar bem, podes começar com a tonalidade azul. Pode-se usar qualquer tom azul claro, desde o Azul Caraíbas ao Maui ou Azul Céu, dependendo do gosto de cada um. Uma outra opção pode passar pelo uso de tons Violeta ou Roxo. O efeito é bastante positivo e é uma variável possível caso se trate de uma pintura para uma T-shirt ou capacete femininos por exemplo. Assegura-te que fazes uma boa cobertura com a cor que escolheres para trabalhar. Se for preciso, põe mais do que uma camada. Cada camada por si deve ser fina, o reforço da cor deverá ser feito com mais passagens ao contrário de uma vez só. O efeito final será bem mais agradável ao olhar e ao tacto.

Desenhar relâmpagos em superfícies escuras é um efeito muito agradável e eficaz e nem é muito difícil de se conseguir. Podes tentar em t-shirts escuras (com tintas Createx Classic) ou em Metal ou Plástico escuros (com tintas Createx Wicked Colors). Em qualquer dos casos, devem-se preparar as superfícies de forma adequada. No caso das T-Shirts, deve ser usado o Branco Opaco para o traço base para clarear bem a superfíce e tapar o preto do tecido facilitando o efeito das cores posteriores. No Metal ou Plástico há que alisar bem a superfície e aplicar um Base Coat ou Sealer Escuro para que as tintas seguintes consigam aderir correctamente. Para começar, desenha-se o traço base em Branco. Quanto mais tremida for a mão, tanto melhor. Podes desenhar o relâmpago nos sentidos e direcções que preferires. Os relâmpagos são aleatórios, sem padrão pré-definido.

Foto 2

Foto 1

De seguida volta a aplicar o Branco. Faz uma linha mais fina no centro do Azul (ou Violeta ou Roxo). Não precisa de ficar perfeitamente direito, apenas bem no centro do traço anterior.

ekosShop Magazine #5 Pag. 7

Foto 3

Foto 4

O último passo é fazer os destaques ou “Highlights”. Com o Branco leva o aerógrafo aos pontos de intersecção entre os relâmpagos e mantendo-o um pouco afastado da superfície, pinta apenas um pouco a partir dos pontos em que os raios se separam para conseguires o efeito de descarga mais forte e pulsação de corrente eléctrica.

Este efeito pode ser usado por exemplo em capacetes de ciclismo, patinadores ou “Skaters”. É um toque um pouco mais radical e normalmente bastante apreciado. O melhor é que não é preciso um mão muito precisa para conseguir resultados bastante satisfatórios. Divirtam-se a experimentar.

ekosShop Magazine #5 Pag. 8

ekosShop Magazine #5 Pag. 9

G

aleria do Artista Artistas do Mundo da Aerografia

A Ekosshop Magazine, aposta na busca do talento e convida os Airbrushers lusófonos a partilhar seus trabalhos e experiências com a aerografia. De seguida podem-se ver mais alguns exemplos do que se faz por aí. Todas as imagens foram-nos enviadas pelos artistas que tal como nós procuram a divulgação desta arte. Que estes exemplos sirvam de inspiração para outros trabalhos. As imagens publicadas pertencem aos respectivos artistas e a sua utilização deverá sempre passar pela autorização dos criadores.

Luís Cabrita

ekosShop Magazine #5 Pag. 10

Luis Ferreira , Incognito Extreme Customs http://www.incognitoec.blogspot.com

Deep Kustom http://www.deepkustom.com

ekosShop Magazine #5 Pag. 11

EKOSSHOP MAGAZINE
http://ekosshop.com revista@ekosshop.com #5 - Julho 2011 © 2010-2011 EKOSSHOP

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful