Centro de ciências exatas e tecnológicas Departamento de automatização industrial Disciplina de instrumentação

Instrumentos de medição de intensidade sonora Decibelímetro

Alunos: Carlos Maurício Gallina Gustavo Rossa Marcos Tonietto Régis Schneider Samuel Griffante

Data de entrega: 15/06/2005

Ass. Prof:

.................. 8 Precauções durante as medições .............. 4 Decibel. 14 Medição de som de impacto ........................................................................... 15 Montagem do Experimento.............................6 Efeito dos ruídos na saúde .................................11 Dose de Ruído .................... 4 Origem dos sons......................................................................................7 Decibelímetro ...............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................Índice Introdução..........................................................................................18 Bibliografia...................................................................................................................................................... 3 Som .................................................. 4 Qualidade do som....................................................................................................................................... 19 2 ............................................................................17 Conclusão ............................................16 Resultados Obtidos no Experimento........... 5 Ruído................................................................................. 5 Tipos de ruído .............................11 Métodos de medição de ruído ...........................................................................................

vias férreas. bem como possibilitar um maior controle sobre as fontes emissoras de ruído. bares. casas noturnas. Desta forma a legislação pode evitar abusos por parte de alguns patrões quanto à saúde de seus funcionários e evitar assim gastos posteriores com o sistema de saúde. o ruído tem se constituído na principal forma de poluição do mundo moderno. a principal fonte de ruído são os veículos automotores. Foi montado um decibelímetro de forma simples onde uma variação da pressão sonora ocasiona uma saída com tensão elétrica. além das regiões próximas a aeroportos. 3 . A preocupação com a qualidade de vida da população tem motivado as autoridades a incrementar leis contra poluição sonora.Introdução Atualmente. em residências. etc. o ruído do tráfego urbano e os eletrodomésticos. como centros comerciais. Com esta preocupação foram desenvolvidos instrumentos que medem a pressão que o som provoca no tímpano do ouvido humano. Em regiões urbanas.

Som Som é o resultado audível de uma vibração. o som que se ouve quando se puxa a corda de uma guitarra é devido à vibração da corda. uma diminuição da pressão. afastando-se em seguida: sucedem-se no ar uma série de compressões e rarefações a que se chama ondas sonoras. em forma de ondas. empurrarão outras moléculas. Entende-se por duração de um som o intervalo de tempo durante o qual esse som é audível para o homem. Assim. sendo esta usada como padrão de altura. A altura de um som está relacionada com a freqüência da onda sonora. um som grave corresponde a uma baixa freqüência. a vibração destas origina a vibração das partículas do ar que se situam a seguir e o processo vai-se repetindo. Por exemplo. Na zona de rarefação do ar ocorre. o ouvido humano não capta o som. ou como colocamos acima. Contudo. Intensidade: De acordo com a intensidade que percepcionamos. Quando a intensidade é 4 . pelo contrário. por sua vez. há um aumento de pressão na zona de compressão. importante ter em conta a duração do som. Assim. Altura: A altura é a qualidade que nos permite classificar os sons em agudos e graves. Essa intensidade mínima é denominada nível mínimo de audição. A propagação das ondas sonoras no ar corresponde justamente a esta sucessão de variações de pressão de ar. o homem só ouve vibrações sonoras se entre a fonte produtora do som e os ouvidos existir um material que propague essas vibrações (materiais sólidos. Origem dos sons Todos os sons resultam de vibrações dos objetos. e que vibram também. Deste modo. liquido ou gasoso). Nós vivemos em um mundo de vibrações. Quando o som tem uma determinada intensidade mínima. Mesmo o menor movimento provoca vibrações e. a intensidade e o timbre. Quando as partículas do ar próximas de. Qualidades do som O ouvido humano distingue os sons de acordo com três atributos: a altura. A intensidade do som captada pelo ouvido corresponde à sensação do que se denomina popularmente. está transferindo ondas em movimento para as moléculas do móvel. Quando alguém bate um lápis em uma mesa. a vibração que se produz (por exemplo. limiar de audição e esse mínimo difere segundo a freqüência dos sons. O ar a nossa volta está habitualmente a uma certa pressão atmosférica: a essa pressão corresponde um certo afastamento das partículas que constituem o ar. Além deste três atributos é. Essas vibrações transmitem-se por meios materiais (sólidos. quando se dedilha uma guitarra) atua sob a forma de impulso nas partículas que constituem o ar que estão mais próximas da fonte sonora. todas se propagam. O som é uma forma de energia provocada por esse ir e vir de vibrações. Por sua vez. Esse movimento empurra as moléculas de ar vizinhas que. um alto-falante são comprimidas. à medida que o som se propaga. líquidos ou gasosos). um som agudo corresponde a uma freqüência elevada. O lá normal tem a freqüência de 440 Hz. dizemos que um certo som é "forte" ou "fraco". O movimento vibratório do ar atinge o ouvido e faz com que o tímpano (uma espécie de tambor) também vibre. por exemplo. como as ondas do mar. de volume do som. por vezes. as partículas do ar aproximam-se.

Timbre. Timbre: Pelo timbre.Conversa normal: 60 dB(A) . Fisicamente.Carro em movimento (a 5 metros):70 dB(A) . a uma combinação de várias ondas. Desta forma. produzida por um instrumento. uma nota musical. Como a audição registra com mais facilidade as freqüências médias e agudas. formando uma onda complexa. O timbre está relacionado com o fato de que os sons que ouvimos correspondem. na sua maioria. Esse sistema de correção chama-se "filtro de ponderação". resultante da superposição desarmônica de sons provenientes de várias fontes. O timbre varia com o número. preferindo-se a densidade espectral. chamados harmônicos.Show de rock (alto-falantes perto): 110 dB(A) . Exemplos em escala gradativa de medição por decibéis: . sendo comum aparecer uma maior predominância de uma faixa de freqüências (graves. também designado por qualidade de som.Aspirador de pó: 80 dB(A) . a freqüência e a intensidade dos sons que se sobrepõem ao fundamental Decibel O decibel é uma unidade de medida da intensidade do som. Normalmente seu espectro é de banda larga (de freqüências).Britadeira ou perfuratriz: 120 dB(A) . estabelecem-se diferenças entre sons da mesma altura e com a mesma intensidade. o som é audível para o ser humano. O timbre depende justamente das ondas que constituem uma onda complexa. O timbre distingue sons da mesma intensidade e da mesma altura. médias ou agudas). o nível sonoro expresso em dB é corrigido por aparelhos de medição de ruído. intensidade e altura podem ser explicados através das grandezas físicas que caracterizam as ondas sonoras. emitidos por instrumentos diferentes. o ruído é um som de grande complexibilidade. resulta da sobreposição de um som fundamental (o de menor freqüência) com sons de freqüências múltiplas. o som provoca uma sensação dolorosa. 5 . Se a freqüência da onda sonora pertence ao intervalo de 16Hz -----. O espectro de freqüências de um ruído tem um difícil interpretação. "curva de ponderação "ou escala de compensação".Sussurro leve:30 dB(A) Ruído Ruído é todo fenômeno acústico não periódico.20000 Hz.elevada. o mais comumente utilizado é a Escala de Compensação A – de nível sonoro expresso em dB(A) – e que representa a sensação de ruído efetivamente percebida pelo ouvido. A intensidade mínima a que um som ainda provoca sensação dolorosa tem o nome de limiar da sensação dolorosa.Metrô (dentro do vagão): 95 dB(A) .Decolagem de avião a jato (a 33 metros): 130 dB(A) . Existem diversos sistemas mas. sem componentes harmônicos definidos. compacto e uniforme. Seu espectro sempre será uma confusa composição de harmônicas sem qualquer classificação ou ordem de composição. O ouvido humano é capaz de perceber pressões sonoras (intensidades) desde cerca de 0 dB (limiar da audição) até algo acima de 130 dB (limiar da dor).

etc.Tipos de ruído: Ruídos contínuos : são aqueles cuja variação de nível de intensidade sonora é muito pequena em função do tempo. dB 90 80 70 60 Ruído Contínuo Tempo Ruídos flutuantes : são aqueles que apresentam grandes variações de nível em função do tempo. ventiladores. ou de impacto : apresentam altos níveis de intensidade sonora. engrenagens. afiação de ferramentas. motores elétricos. São geradores desse tipo de ruído os trabalhos manuais.3). São ruídos característicos de bombas de líquidos. etc. impressoras automáticas. dB 90 80 70 60 Ruído Flutuante Tempo Ruídos impulsivos. prensas. o trânsito de veículos. compressores. São os ruídos provenientes de explosões e impactos. britadeiras. São ruídos característicos de rebitadeiras. 8. soldagem. São os ruídos mais comuns nos sons diários. etc. Exemplos : chuva. num intervalo de tempo muito pequeno. 6 . (Fig. geladeiras.

Medidor de nível de pressão sonora: decibelímetro O Decibelímetro é um aparelho que mede precisamente áreas de ruídos e outros níveis de som. ou seja. possuindo gráfico de barras e outros dados de gravação.dB 90 80 70 60 Tempo Ruído Impulsivo Efeitos dos ruídos na saúde Recomenda-se que um trabalhador não deverá estar exposto a ruído contínuo equivalente superior a 85dB(A) durante 8h/dia de trabalho e é proibido estar sujeito a mais de 90 dB(A). A medição dos níveis de som é a principal atividade para avaliação dos problemas do ruído em um ambiente. munir os trabalhadores de meios de proteção individual (auscultadores ou tampões) e trazer informação aos trabalhadores. Além da surdez. alguns inerentes à própria incomodidade do ruído (depressão. outros como conseqüência da impossibilidade de comunicação social (incapacidade de aprendizagem da linguagem por parte da criança) e outros ainda por mecanismos mal conhecidos (por ex. ansiedade. Podemos fazer desde uma simples avaliação 7 . entre o nível do ruído perturbador provocado pela empresa (por ex. não é permitido no exterior das empresas a existência em 95% do tempo de um diferencial superior a 10dB(A) . O decibelímetro digital designa e mede características especiais. Estes efeitos são mais graves em pessoas já com debilidades psicológicas. A partir dos 90 dB(A) tanto os controles do ruído como os controlos audiométricos passam a ser anuais e é obrigatório utilizar os meios de proteção individual e ter os locais devidamente sinalizados e com acesso limitado. Quando a agressão não é demasiado intensa. uma discoteca) e o nível do ruído de fundo. definindo com precisão qualquer ambiente acústico. para proteção da comunidade. existem ainda os conhecidos efeitos psicológicos. o ruído existente no local e que não é imputável à empresa em causa. um controlo audiométrico de 3 em 3 anos. Por ex. agitação e irritabilidade). Por outro lado. a audição de um som de 90 dB durante 7 dias provoca surdez reversível durante cerca de uma semana e a audição de um som de 100 dB durante uma hora e meia provoca surdez reversível que leva cerca de oito horas a recuperar. A partir dos 85 dB(A) também é obrigatório fazer controle de ruído anuais.: o ruído diurno altera a qualidade do sono noturno). Já a audição dos mesmos 100 dB durante 7 dias provoca uma pequena surdez permanente (pouco mais de 10 dB do zero audiométrico) correspondente a lesão orgânica das células ciliadas da cóclea. O medidor é leve e fácil de operar.. O risco de surdez permanente obviamente varia de acordo com a intensidade e a duração da exposição. a surdez corresponde apenas a perturbação funcional e é reversível.

É importante que o medidor não seja do tipo hobby.4 0 1 2 Não existe APLICAÇÃO Referência padrão de Laboratório Uso em Laboratório ou campo em condições controladas Uso geral em campo Inspeções Rotineiras.local.Integrating-Averaging Sound Level Meters . Os aparelhos de boa procedência atendem os padrões da IEC (International Electrotechnical Commission) e do ANSI (Americam Standards Institute). Assim.(1986) .ANSI S1.IEC 804 (1985) . os medidores são classificados pela ANSI em três padrões. Em função de sua precisão nas medições (tolerâncias).ANSI S1.(1983) . tipo "varredura". Os medidores de pressão sonora constam. Amplificador: tem como finalidade aumentar o sinal elétrico do microfone já que o mês mo possui sinal elétrico muito pequeno (milivolts). facilmente importado e encontrado no mercado por contrabando. A instrumentação para medição de ruído é a única que tem regulamentação internacional e a que apresenta a maior versatilidade e opção de modelos.Specification for Sound Level Meters . Portanto ao comprar ou usar um equipamento de medida de som. desde simples até complexas análises de níveis sonoros. Os medidores possuem vários filtros padronizados pela norma ISO.ANSI S1. com diferentes graus de exatidão.11 . bem como as leis em vigor. atenuando ou amplificando cada uma.IEC 651 (1979) . verifique se ele atende a uma dessas normas : .Specification for Oitave Filters. os métodos de medição e análise dos resultados devem ser escolhidos por pessoas que tenham um conhecimento sobre acústica e devem conhecer as normas nacionais e internacionais. e pela IEC em quatro. normalmente de : • • • Microfone: tem com função neste sistema de captar o sinal acústico e o transformar em sinal elétrico. Essas medições devem ser realizadas por medidores de nível de pressão de som.Specification for Personal Noise Dosimeters . como mostra a tabela a seguir. temos que a intensidade da corrente elétrica é proporcional a intensidade da onda sonora.25 . Por outro lado. passando por um levantamento mais minucioso.(1991) . até uma análise de alta precisão usando analisadores de freqüência.Sound Level Meters . Padrões dos medidores de ruído conforme a aplicação Padrão IEC 651 0 1 2 3 Padrão ANSI S1.4 . que estejam de acordo com as normas internacionais. Filtros de freqüências: separam o sinal elétrico em bandas de freqüências. 8 . para constatar se os níveis de ruído estão substancialmente acima dos limites de tolerância.

. percebemos que a "Curva A" faz com que o medidor perceba o som como nós ouvimos.• • Integrador: tem como função obter a média da intensidade sonora em um tempo.2 curvas de ponderação . 2 constantes de tempo : lenta (slow) ou rápida (fast). As curvas de ponderação (ou equalização) dos medidores são usadas para que o aparelho efetue as medições do ruído de acordo com a sensibilidade do ouvido humano.Faixa de medida de 30 a 140 dB. ou para avaliar a presença de sons de baixas freqüências. Portanto. 9 . Alguns aparelhos contém as curvas B e D .125 segundos e a resposta impulso o T é 1/20 ou 0.Calibrador. Essa equalização é dada pela curva "A" que atenua os sons graves. . Comparando as curvas.os circuitos de equalização devem fornecer ao usuário a opção de escolha para as curvas A ou C. constatarmos uma grande diferença entre os valores medidos na escala "A" e "C". Mostrador: apresenta os níveis medidos. Obrigatoriamente os equipamentos devem conter : .050 segundos. Como se vê na figura 2 a grande diferença entre as Curvas "A" e "C" está na atenuação para baixas freqüências.No mínimo. resposta rápida T igual a 1/8 ou 0. e volta a atenuar levemente os sons agudos : é exatamente essa a curva de sensibilidade do ouvido. O tempo de resposta se divide em três grupos: resposta lenta o ponteiro indica a média do nível sonoro a cada 1 segundo. se durante uma medição de ruído. Alguns aparelhos possuem as constantes ‘impulso’ e ‘pico’. 20 10 00 dB C -10 -20 -30 40 -50 A 20 50 100 500 1k 5k 10k 20k freq Figura 2: mostra as curvas de equalização A e C normalizadas pela Norma ISO. dá maior ganho para a banda de 2 a 5 kHz. A curva de ponderação "C" é quase plana e foi incorporada aos medidores caso haja necessidade de medir todo o som do ambiente (sem filtros). isto significa que grande parte do ruído encontra-se na faixa de baixas freqüências. Pode ser analógico (ponteiro) ou digital (dígitos).

usar adequadamente o fundo de escala em dB do aparelho. aceitas internacionalmente. • recomenda-se fazer pelo menos 5 medições em cada local.verificar a bateria antes de cada medição.Os medidores de nível de pressão sonora usam duas constantes de tempo. Como nós sabemos. possuem a constante de tempo de 35 ms (0. deve-se evitar que o corpo da pessoa que faz a medição não interfira nas medidas. que não faz parte do ruído daquele local. é muito sensível à temperatura. • deve ser evitada a interferência do vento no microfone do medidor. É escolhida o valor RMS da pressão sonora porque ela relata fielmente a energia contida na onda sonora. No primeiro caso é medido o ruído total (ruído da máquina + ruído de fundo). umidade. de um segundo e. . Alguns aparelhos. Para anular esse efeito. São os tempos correspondentes às respostas lenta (slow). Precauções durante as medições Alguns cuidados devem ser tomados quando medimos os níveis de ruído de um ambiente: Os principais são : • medidor deve ser colocado na posição de trabalho dos operários e na altura do ouvido dos mesmos. . • devem ser evitadas superfícies refletoras. indica um ruído 10 . mede-se o nível de ruído de uma máquina em funcionamento e. em seguida. quanto a limites de temperatura. a resposta do ouvido é proporcional à energia das variações da pressão. mais sofisticados.125 segundos. ISO 1966/1 e as recomendações ISO R 131. existe um dispositivo denominado "windscreen" que evita o "sopro" sobre o microfone. etc. que não sejam comuns ao ambiente. Devemos tomar as seguintes precauções com o medidor de nível de pressão sonora: .fazer as devidas correções.usar de maneira adequada a constante de tempo. desligada.respeitar as características do microfone. e no segundo caso apenas o ruído de fundo.usar corretamente as curvas de ponderação "A". correspondente à operação "impulso". • o principal causador de erros nas medições de ruído é o Ruído de Fundo. .Verificar a calibração sempre que for usar o aparelho: O medidor. Assim. R 266 e R 495. Trata-se do ruído do ambiente. • a distância do medidor à fonte de ruído deve estar de acordo com as Normas ISO 1999. quando utilizar o cabo de extensão. . O medidor apresenta em seu mostrador a média quadrática (RMS = Root Mean Square) das variações da pressão do som dentro do tempo especificado pela constante de tempo. .. Se a diferença do nível for menor que 3 dB. Essa constante existe em normas de alguns países sendo usadas para sons de grande intensidade e tempo de duração muito pequeno. . ângulo de colocação. rápida (fast).035 s). de 0. Para comprovar a sua influência. por ter um circuito eletrônico. e o seu microfone tem alta sensibilidade à umidade e pressão atmosférica. para obter maior precisão. "B" ou "C".

Deve-se portanto. Nesse método de medição obtemos um nível de ruído contínuo que possui a mesma energia acústica que os níveis flutuantes originais. as variações de pressão sonora do som. . O princípio da mesma energia 11 . O medidor deve estar regulado na curva de ponderação "A" e com a constante de tempo em lenta (Slow = RMS da pressão sonora em 1 segundo).de fundo bastante intenso. fixados pelas Normas Brasileiras e pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Aproximamos o aparelho da fonte. Caso haja dificuldade de comunicação. Métodos de medição de ruído A seguir. Medição de Ruídos Contínuos A avaliação dos níveis de ruído contínuos é feita diretamente com o medidor de nível de pressão sonora. Medição de Ruídos Flutuantes Existem muitos métodos de medição para ruído flutuantes. em decibels. Essa contração permanece por algum tempo. mesmo depois de cessado o ruído. ou necessidade de gritar. vamos apresentar uma série de métodos de avaliação do ruído em ambientes. sem o uso do medidor: . causando uma diminuição da acuidade auditiva. que deve ser levado em consideração nas medições. Todos eles têm por objetivo encontrar um valor que represente de forma significativa. ou falar mais próximo da outra pessoa. apresentaremos os métodos usados no Brasil. durante um período de tempo. As variações de nível de um ruído flutuante podem ser representadas pelo Nível de Som Contínuo Equivalente.A segunda maneira é constatar se as pessoas. Percepção Subjetiva do Ruído (sem o medidor) Nós percebemos claramente quando estamos num ambiente com ruído pois o nosso aparelho auditivo tem grande sensibilidade para detectar a intensidade do som. na posição de trabalho do operário e lemos diretamente no aparelho o nível de ruído do local. Existem duas maneiras fáceis para constatarmos se os níveis de ruído estão se tornando elevados demais. Caso um desses dois testes releve resultados positivos. Essa dificuldade é constatada ao se tentar conversar com outras pessoas a um metro de distância com nível normal de voz. Por ser um ruído do tipo contínuo. No final. existe grande possibilidade dos níveis estarem acima do recomendável. indicará que o nível de ruído do ambiente está acima do nível da voz (que pode ser tomado próximo de 70 dB). deverá haver pouca variação nos valores marcados pelo mostrador. sofrem uma diminuição da sensibilidade auditiva (também chamada de sensação de campainha nos ouvidos).A primeira é verificar se existe dificuldade de comunicação oral dentro do ambiente. A diminuição da sensibilidade auditiva e o zumbido nos ouvidos são causados por uma proteção natural que contrai os músculos do ouvido médio. com crescente grau de sofisticação. após permanência prolongada no local. proporcionando um amortecimento nas vibrações dos três ossículos. providenciar a imediata avaliação da situação acústica do ambiente.

podendo ler. Esse método é muito preciso para avaliar o risco auditivo. indicando-se por La eq . etc. e muitas normas nacionais..1 dB • Frequência:31. de 60 segundos.assegura a precisão do método para avaliação dos efeitos do ruído sobre o aparelho auditivo. • Display LCD: 4 dig. mas necessita de um medidor que possua a escala equivalente. O tempo usado no método pode ser escolhido conforme a indústria ou o tipo de ruído. por exemplo. Decibelímetro digital DL. • Resolução: 0. Nível flutuante de Som dB 90 80 70 60 Nível de Som equivalente contínuo Tempo Figura 3 – Nível de som equivalente contínuo Nesse método devemos usar a constante de tempo em "lento" e a ponderação na curva "A".. 30 minutos.4090 Características Gerais . sendo adotado pela Norma ISO.5 8KHz • Peso 250g 12 . 1 hora. A figura 3 mostra o Leq graficamente.

B e C.Tipo 2.4 .1983 Tipo 2 e IEC-651. Resposta: Rápida e lenta Saída compatível com filtro de oitava Saída para registrador Função de teste de bateria Temperatura de operação: -10ºC a 50ºC Umidade de operação: Máxima 90% RH Alimentação: 1 bateria de 9V Freqüência: 1000 Hz ± 1% Precisão: ± 0. Escala: 40 a 140dB (referência de zero: 20mPascals). Ponderação: A. Precisão: Conforme ANSI S1.4 .• • • • • • • • • • Norma IEC-651 Tipo 2 Sinal de saída Calibração interna Microfone capacitivo ½ Resposta rápida e lenta 30 a 130 dB(3 escalas) Memória e máximo Dimensão: 275 x 65x 30mm Peso300g Interface rs-232-c/ auto power off Decibelímetro analógico: MOD.5 dB Distorção: Menor que 1% Temperatura de operação: 0ºC a 50ºC Umidade de operação: Máxima 90% RH Alimentação: 1 bateria de 9V Função de teste de bateria 13 . 886-2/890-2 • • • • • • • • • • • • • • • • • • Fabricado conforme a norma ANSI S1.

- 14 . 10% ~ 90% RH • Ambiente de Armazenamento: -10ºC ~ 50ºC (14°F ~ 122ºF). Caso esse limite seja fixado em 90 dB (A) (em alguns países 85 dB(A)). chamado de dosímetro.40 • Saída de Níveis de Pressão Sonora: 114dB e 94dB • Freqüência de Saída: 1000Hz ± 2% • Condições de Referência: Temperatura: 23ºC (74ºF) RH: 50% • Pressão Atmosférica: 1013hPa Pressão Sonora Referência: 20µPa • Coeficiente de Temperatura: ± 0. Existem duas diferenças entre o Leq e a Dose de Ruído: o medidor de Dose de Ruído.005dB/ºC • Coeficiente de Umidade: ± 0. 006P) • Duração da Bateria: Aproximadamente 40 horas (alcalina) • Teste da Bateria: Um circuito interno checa continuamente as condições da bateria.Calibrador Características técnicas • Níveis de Calibração de 94dB e 114dB • Ajustável a microfones de 1" e 1/2" de diâmetro • Alimentação: Bateria de 9V (NEDA 1604. medido para toda a jornada de trabalho.005dB/%RH • Distorção Total de Harmônica: < 3% • Precisão de Níveis de Pressão Sonora: ± 0. enquanto o Leq expressa o ruído em dB. é um pequeno aparelho que o trabalhador transporta (no bolso da camisa ou preso na cintura) durante toda a jornada de trabalho. é calculado o Leq para 8 horas e o medidor acusa a porcentagem da exposição a que foi submetido o operário : se 100 %. com o microfone instalado no abafador de ouvido.5dB (Condições de Referência) • Bateria 9V e adaptador para microfone de 1/2" Dose de Ruído O método de Dose de Ruído é uma variação do Nível de Som Contínuo Equivalente. o dosímetro apresenta a medida como uma porcentagem da exposição diária permitida. equivale que o nível de ruído do ambiente está no limite permitido. 0% ~ 70% RH • Altitude: 2000m • Normas: Este equipamento está em conformidade com as normas IEC 60942 Classe 2 e ANSI S1. IEC 6F22. O calibrador não funciona se a tensão da bateria cair abaixo da tensão de operação (LED vermelho) • Ambiente de Operação: 0ºC ~ 40ºC (32°F ~ 104ºF).

Medição de Sons de Impacto Os critérios de risco auditivo devido a sons de impacto ainda não estão totalmente definidos.Dessa maneira. britadeiras. o valor médio. acrescido de 10 dB. Esse critério não é preciso. com resposta lenta. Os medidores de nível de ruído mais sofisticados do mercado já possuem a escala impulso. Tabela de diferentes formas de medição do ruído de impacto Constante de Tempo Rápida [0. Algumas Normas Nacionais já estão adotando os limites de ruído de impacto em termos da constante de tempo para "impulso" (0. o aparelho mede a verdadeira exposição do operário. etc. mas sim o valor máximo atingido pela pressão sonora durante a medição. A Tabela a seguir mostra os ruídos medidos com diversas constantes de tempo. fazendo com que outros métodos sejam aplicados em muitos países. As Normas Internacionais ISO sugerem com aproximação para medição de sons gerados por martelos e rebitadeiras. no final do dia. prensas hidráulicas.125 s] Impulso [0. fornecendo. o nível medido em dB na curva "A". Muitas normas nacionais (como a ABNT) adotam a resposta rápida "fast" com a curva "A" ou "C". Por isso. principalmente para impactos maiores como martelos pneumáticos. pois ele acompanha continuamente todos os ruídos que atingiram o operário durante a jornada. Outra maneira de medirmos o som de impacto é usar a escala "valor de pico": trata-se não mais da medição da pressão média quadrática RMS em um determinado tempo.035 s] Pico Fonte de Ruído Martelo manual 105 dB(A) 112 dB(A) 131 SPL Martelete pneumático 112 dB(A) 113 dB(A) 128 SPL Prensa excêntrica 93 dB(A) 97 dB(A) 121 SPL 15 . a medição do ruído através da dose de ruído é considerada a forma mais precisa de se avaliar o risco do trabalhador. Ensaios mostram que o ouvido humano não pode suportar níveis de impacto superiores a 140 dB(pico).035 s)..

Osciloscópio ICEL OS – 21. 10 e 12 Vcc.Montagem do circuito: • • • • • Fonte de alimentação com 2 canais com chave seletora 6. Gerador de função Dawer. Multímetro ICEL AD –7000 G. Circuito: esquema fornecido pelo professor 16 .

36 2 4 6 7.21 0.11 0.26 0.29 0.2 8 9 9.2 entrada 0.Resultados obtidos no Experimento: saida 0 1.26 0.33 0.29 0.2 8 9 9.36 Gráfico de amplificação 10 9 8 7 saída (V) 6 5 4 3 2 1 0 0 0.2 0.2 2 4 6 7.11 0.2 entrada (V) 17 .08 0.21 0.33 0.16 0.08 0.16 0.03 0.03 1.

18 .Conclusão Neste trabalho foi apresentado os danos que o ruído em excesso traz a saúde. Devido as más condições de medição acredita-se que deve haver diferenças exageradas nos valores expressos. utilizando preferencialmente aparelhos que atendem as normas internacionais. Utilizando o gerador de função juntamente com um alto-falante na entrada de sinal nota-se que o som produzido varia de grave à agudo com o aumento da freqüência. disponíveis no mercado. devem ser observado a qualidade dos aparelhos. Existem várias modelos de medidores de pressão sonora. Sabe-se através da teoria que o som também varia sua intensidade de acordo com os aparelhos utilizados. Isso pois não foi feita a medição em um laboratório de acústica e vibrações no qual diminui-se significativamente os fatores externos no qual não pode-se controlar. montando um experimento simples temos a finalidade em medir a voltagem e a freqüência. Através do mesmo verifica-se que existe diferentes amplitudes para as variadas faixas de freqüência sonora. Desde uma batida na mesa até a própria conversação entre os elementos do grupo. produzindo um sinal mais forte ou mais fraco. Com o microfone montado no circuito percebe-se que o circuito é muito sensível a qualquer tipo de som. como decibelímetros e dosímetros. Devido a importância desses aparelhos. mas pode-se minimizar a sua atuação.

br/sala10/10_T01.feiradeciencias.br/in-decibelimetros.web.htm.saudepublica. www. 19 .htm.html.unesp.br/prod_decibel.4090.com.pt/cienciaj/n23/avulso8.ufsc. www.feb. www.asp .com.multitecmed.php.htm.ajc.fsc. www.com.acital.pt/Educação/ruído.cardiotocografo.Bibliografia www. www.br/jcandido.com. wwwp.br/~inspb/transp1.html.br/Instrumentos/ICEL/DL_. wwwserver.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful