Capítulo 1

Números Reais, Intervalos e Funções
1.1 Exercícios
1. Resolva as desigualdade em R:
a.
1
r + 7
÷1; b.
2r + 1
2r

r ÷3
r + 2
;
c.
1
2
÷
2
3
(6r ÷9)
r ÷2
2
; d.
1
2

2
3
r + 4

÷
r
3

r
2

6
r
÷1

;
e.
3 ÷r

r ÷1
_ 1; f.
r + 2
r
<
1 ÷r
2 ÷r
g.
2
3 ÷r
< r; h. r
2
<
1
r
;
i.
7
r
<
r
r ÷2
; j.
1
r + 1
_
3
r ÷2
;
k. r
4
<
1
r
; l.
1
2
r ÷3
4 + r
1;
m. 0 <
r ÷1
2r ÷1
< 2; n.
1
3r + 2
_
3
r ÷1
;
o.
÷r
2 + r
_
÷r ÷1
3 ÷2r
; p. c
p
a2
÷1 _ 0;
q.
r + 1
2 ÷r
÷
r
3 + r
< 0; r.
r
2
÷4r + 3
r
2
÷4r
0;
s.
r ÷2
r ÷4

r + 2
r
; t.
r ÷1
r + 4
_
1
r + 2
;
2. Resolva as equações em +:
a. [7r[ = 4 ÷r b. r + 1 ÷[2r ÷4[ +[5 ÷r[ = 0;
c. 2r [3 ÷r[ ÷[4 ÷r
2
[ +[r[ = 54; d. [2r
2
÷3r + 1[ = 28;
e.
ja2j7
ja+5j
= 0; f.

r ÷
1
a

=
8
3
;
g.

a
15a

= 4 h. [[r ÷2[ ÷7[ = 6;
i. [r
2
÷5r + 6[
2
+ 2 [r
2
÷5r + 6[ = 8
3. Resolva as inequações em +:
a. [6 ÷2r[ _ 7; b. [r + 4[ _ [2r ÷6[;
c.

6 ÷5r
3 + r

_
1
2
; d. [9 ÷2r[ _ [4r[;
e.

r + 2
2r ÷3

< 4; f.

r +
1
r

_ 6;
g. 2 < [r ÷1[ +[r[ +[r + 1[ < 9; h. [r[ +
1
r
< 0;
i.
10
3
< [r[ +
1
[r[
<
26
5
; j. 5 < [4 ÷r
2
[ < 12;
k. 9 < [r
2
÷6r[ _ 16; l.
[r[
r ÷1

2 ÷r
[r[
;
m. [r[ +

r < 1; n.
[r + 1[ ÷3
[r[
<
1
[r[
;
o.
[2 + r[
[3 ÷r[
4; p.
1
[r + 1[ [r + 3[
_ ÷
1
5
;
q. 3 [r ÷1[ +[r[ < 1; r. [3 ÷r[ <
1
a1
;
s. 1 ÷[r[ <
1
[r[
; t.
1
[r + 1[ [r + 3[
_
1
5
;
u. 1 +[r[ <
2
[r[
; v.

3 ÷2r
1 + r

_ 4;
w.

1 ÷r
r

_
2a
ja3j
; y.
3

r ÷1 + 2

+ 4 < 0;
4. Em cada caso, escreva a função pedida na forma mais simples e dê o domínio da
função resultante
(a) Se 1 (r) =
1 ÷r
r + 1
, então
i. 1

1
1+a

;
ii. (1 · 1) (r) .
(b) Se 1 (r) =
1 ÷r
2
r
2
+ 1
, então
i. o (r) = 21 (r) ÷1 (2r)
ii. o (r) =
1
2
1 (r) ÷1

a
2

iii. 1 (÷r ÷1)
iv. 1

: + 1
: ÷1

(c) Se 1 (r) = 2r
2
÷3r + 4, então encontre /(r) = 1 (r + /) ÷1 (r).
(d) Se 1 (r) = 4r
2
÷3r + 2, então obtenha o (/) =
1 (c + /) ÷1 (c)
/
.
(e) Se 1 (o) =
01
0+1
, então o (o) =
1 (o) ÷1 (÷o)
1 + 1 (o) 1 (÷o)
.
2
(f) Se 1 (r) = sin
2
(2r), então 1

c +
¬
2

.
(g) Se 1 (r) = ln r e o (r) = r
3
, então
i. (1 · o) (r)
ii. (o · 1) (r)
5. Determine o domínio das funções:
a. 1 (r) = rc
a
+
r ÷1
r
2
+ 1
; b. 1 (r) =
3

r
2
+ 1
(1 ÷c
a
) (r + 1)
;
c. 1 (r) =
arcsen

a
2

ln (r ÷1)
; d. 1 (r) =

[1 ÷r[ ÷[r + 2[ ÷r;
e. 1 (r) =

[r[
r + 1
; f. 1 (r) =
ln (c
a
+ 1) + 3
r
a
;
g. 1 (r) =
1

ln (r
2
+ 1)
; h. 1 (r) =

r
2
+ 1

r
2
+

r
2
+ 1
;
i. 1 (r) = c
p
1a
2
ln(sen a).
j. 1 (r) =

cosh

1 ÷
a
2
3a+5
ja5j

;
k. 1 (r) = (r ÷1 ÷[3 ÷r[)
a
; l. 1 (r) =

a
2
3a+5
ja5j
÷1

senh(1 ÷2
a
);
m. 1 (r) =

ln

2 +[r[ ÷
1
r ÷1

; n. 1 (r) =
c

a1j3aj
senh(1 ÷2
a
)
.
6. Use a de…nição de módulo para rede…nir as funções abaixo. A seguir, esboce o
grá…co de 1.
(a) 1 (r) = [r[ +[2r ÷1[ +[r ÷1[
(b) 1 (r) = [9 ÷r
2
[
7. A função 1 (r) é uma função do 1
c
grau. Escreva a função sabendo que 1 (÷1) = 2
e 1 (2) = 3.
8. Determine, nas …guras abaixo, se o grá…co é simétrico em relação ao eixo r, ao
eixo n, à origem ou nenhum dos procedentes.
x x x x
y
y y y
x x x x
y
y y y
x x x x
y
y y y
9. A …gura em anexo mostra a parte de um grá…co. Complete o grá…co de forma que
ele seja simétrico com relação:
(a) ao eixo r; (b) ao eixo n; (c) à origem.
3
x
y
x
y
10. A …gura em anexo mostra a parte de um grá…co. Complete os grá…cos supondo
que:
(a) 1 é uma função par; (b) 1 é uma função ímpar.
x
y
x
y
11. Classi…que as funções cujos grá…cos estão na …gura abaixo em anexo, como pares,
ímpares ou nenhum dos dois casos.
-4 -2 2 4
-2
-1
1
2
x
y
-4 -2 2 4
5
x
y
-4 -2 0 2 4
10
20
x
y
-4 -2 2 4
-100
100
x
y
12. Determine quais das funções são pares ou ímpares.
(a) 1 (r) = 5r
3
÷2r; (b) 1 (:) = :
2
+ 2: + 2;
(c) 1 (t) = [t[ ; (d) 1 (·) =
o
v
+o
v
2
;
(e) 1 (r) = ln

r +

1 + r
2

; (f) 1 (n) = ln
1+&
1&
.
13. Mostre que se 1 e o são funções ímpares, então (1 + o) e (1 ÷o) são também
funções ímpares.
14. Mostre que se 1 e o são funções ímpares, então
;
j
é uma função par.
15. Mostre que a função
1
2
[1 (r) + 1 (÷r)] é par e que a função
1
2
[1 (r) ÷1 (÷r)] é
ímpar.
4
16. Demostre que qualquer função 1 : 1 ÷1 pode ser expressa como a soma de uma
função par com uma função ímpar.
17. Mostre que a função 1 (r) = c
a
pode ser escrita como a soma de uma função par
com uma função ímpar.
18. Determine a fórmula da função inversa. Faça os grá…cos da função dada e de sua
inversa.
(a) 1 (r) =
a+o
ao
; (b) 1 (r) =

r ÷1. r _ 1;
(c) 1 (r) =
a
2
a
2
+1
. r _ 0; (d) 1 (r) =
5

4r + 2;
(e) 1 (r) =
5
a
2
+1
. r _ 0;
19. Em cada parte, combine a equação e um dos grá…cos em anexo.
(a) n =
5

r; (b) n = 2r
5
(c) n = ÷
1
a
8
(d) n = 8
a
;
(e) n =
4

r ÷2 (f) n =
1
8
x
0 2 4 6 8
0
1
x
y
-4 -2 2 4
-5
5
x
y
-4 -2 2 4
-2
-1
x
y
-5 5
-1
1
x
y
-2 0 2 4
5
10
x
y
-4 -2 0 2
5
10
x
y
20. Mostre que a função 1 (r) =
a+2
2a1
coincide com a sua inversa.
21. Seja a função de…nida por 1 (r) = [r
2
÷4[ + 2 [r[ .
(a) A função 1 é par ou ímpar? Use a de…nição de função par ou ímpar para
justi…car sua resposta.
(b) Use a de…nição de módulo para reescrever 1 como uma função de…nida por
partes.
(c) Construa o grá…co da função
_
1.
5
1.2 Respostas
Exercício 1
(a) (÷7. +·) ' (÷·. ÷8) (b)

÷2. ÷
2
11

' (0. +·)
(c)

÷·.
5
3

(d) (2. +·)
(e) [2. +·) (f) (÷·. 0) ' (2. 4)
(g) (1. 2) ' (3. +·) (h) (0. 1)
(i) (÷·. 0) ' (2. +·) (j)

÷·. ÷
5
2

' (÷1. 2)
(k) (0. 1) (l) (÷14. ÷4)
(m)

÷·.
1
3

' (1. +·) (n)

÷
7
8
. ÷
2
3

' (1. ·)
(o) (÷·. ÷2) '

3
2
. +·

(p) [2. +·)
(q) (÷·. ÷3) ' (2. +·) (r) (÷·. 0) ' (1. 3) ' (4. +·)
(s) (÷·. 0) ' (4. +·) (t) (÷·. ÷4) '

÷

6. ÷2

'

6. ·

Exercício 2
(a)
¸
÷
2
3
.
1
2

(b) ¦÷1¦ ' [5. +·)
(c) ¦10¦ (d)
¸
÷3.
9
2

(e) ¦9¦ (f)
¸
÷3. ÷
1
3
.
1
3
. 3

(g)
¸
4
19
.
4
21

(h) ¦÷11. 1. 3. 15¦
(i) ¦1. 4¦
Exercício 3
a.

÷·. ÷
1
2

'

13
2
. ·

b.

÷·.
2
3

' [10. +·)
c.

9
11
.
5
3

d.

÷
9
2
.
3
2

e.

÷·.
10
9

' [2. +·)
f.

÷·. ÷2

2 ÷3

'

÷3 + 2

2. 3 ÷2

2

'

2

2 + 3. ·

÷¦0¦
g. (÷3. 3) ÷¦0¦ h. (÷1. 0)
i. (÷5. ÷3) '

÷
1
3
. ÷
1
5

'

1
5
.
1
3

' (3. 5) j. (÷4. ÷3] ' (3. 4)
k.

÷2. 3 ÷3

2

'

3 + 3

2. 8

l. (1. +·)
m.

÷·. ÷
1
2

5 +
3
2

n. (÷5. 0) ' (0. 3)
o. (2. 3) '

3.
14
3

p. (÷·. ÷3) ' (÷3. ÷1) ' (÷1. +·)
q. ¦¦ r. (1. 2) '

2.

2 + 2

s. R

t.

÷

6 ÷2. ÷2 +

6

' (÷3. ÷1)
u. (÷1. 1) ÷¦0¦ v.

÷·. ÷
7
2

'

÷
1
6
. +·

w.

÷·.
3
p
3
2

'

3
2
. +·

÷¦0. 3¦ y. ¦¦
Exercício 4
(a) (i)
a
2+a
; (ii) r
(b) (i) ÷
4a
4
9a
2
1
(a
2
+1)(4a
2
+1)
; (ii)
4a
4
9a
2
4
2(a
2
+1)
2
; (iii) ÷
a(2+a)
a
2
+2a+2
; (iv) ÷
2a
a
2
+1
(c) 4r/ + 2/
2
÷3/
(d) 8c + 4/ ÷3
(e) ÷
20
0
2
1
(f) sen
2
(2c)
(g) (i) 3 ln r; (ii) ln
3
r
Exercício 5
6
(a) R (b) R ÷¦÷1. 0¦
(c) (1. 2) (d)

÷·. ÷
1
3

(e) (÷1. +·) (f) (0. +·)
(g) R ÷¦0¦ (h) R
(i) (0. 1] (j) R ÷¦5¦
(k) (2. +·) ÷
¸
5
2

(l) ¦0¦ ' [2. +·) ÷¦5¦
(m)

2. ·

' (÷·. 1) (n) [2. +·)
Exercício 7: 1 (r) =
a+7
3
Exercício 8: origem; eixo r; eixo n; não há simetria.
Exercício 9:
(a) ímpar (b) nem par nem ímpar (c) par
(d) par (e) nem par nem ímpar (f) ímpar
Exercício 16: Sugestão: 1 (r) =
1 (r) + 1 (÷r)
2
+
1 (r) ÷1 (÷r)
2
.
Exercício 17: Sugestão: escreva c
a
como c
a
= cosh (r) +sinh(r) .
Exercício 18:
(a) 1
1
(r) =
c (r + 1)
r ÷1
(b) 1
1
(r) = r
2
+ 1, para r ÷ R
+
.
(c) 1
1
(r) =

r
1 ÷r
; 1
1
: [0. 1) ÷R
+
(d) n =
r
5
÷2
4
(e) 1
1
(r) =

5 ÷r
r
; para r ÷ (0. 5]
Exercício 19: e; b; c; a; f; d.
Exercício 21:
(a) par; (b) 1 (r) =

r
2
÷2r ÷4, se r _ ÷2
÷r
2
÷2r + 4, se ÷2 < r < 0
÷r
2
+ 2r + 4, se 0 _ r < 2
r
2
+ 2r ÷4, se r _ 2
(c)
-2 0 2
6
x
y
7
Capítulo 2
Limite e Continuidade de uma
Função
2.1 Exercícios
1. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!3

1 (r) (b) lim
a!3
+
1 (r) (c) lim
a!3
1 (r)
(d) 1(3) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-5 5 10
-1
1
2
3
x
y
2. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!2

1 (r) (b) lim
a!2
+
1 (r) (c) lim
a!2
1 (r)
(d) 1(2) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-10 10
1
2
x
y
3. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!4

1 (r) (b) lim
a!4
+
1 (r) (c) lim
a!4
1 (r)
(d) 1(4) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
2 4 6 8
-2
0
2
4
x
y
4. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!0

1 (r) (b) lim
a!0
+
1 (r) (c) lim
a!0
1 (r)
(d) 1(0) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-4 -2 2 4
5
10
x
y
5. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!2

1 (r) (b) lim
a!2
+
1 (r) (c) lim
a!2
1 (r)
(d) 1(÷2) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-4 -2 0 2
3
x
y
6. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!3

1 (r) (b) lim
a!3
+
1 (r) (c) lim
a!3
1 (r)
(d) 1(3) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-4 -2 2 4
-2
2
x
y
7. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!2

1 (r) (b) lim
a!2
+
1 (r) (c) lim
a!2
1 (r)
(d) 1(÷2) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
9
-8 -6 -4 -2 2 4
-4
-2
2
4
x
y
8. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!4

1 (r) (b) lim
a!4
+
1 (r) (c) lim
a!4
1 (r)
(d) 1(4) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-2 2 4 6 8 10
5
10
x
y
9. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!3

1 (r) (b) lim
a!3
+
1 (r) (c) lim
a!3
1 (r)
(d) 1(3) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-6 -4 -2 2 4 6 8
-4
-2
2
4
x
y
10. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!0

1 (r) (b) lim
a!0
+
1 (r) (c) lim
a!0
1 (r)
(d) 1(0) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-4 -2 2 4
-10
10
x
y
11. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!0

1 (r) (b) lim
a!0
+
1 (r) (c) lim
a!0
1 (r)
(d) 1(0) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
10
-10 10
-2
-1
1
2
x
y
12. Para a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo, determine
(a) lim
a!0

1 (r) (b) lim
a!0
+
1 (r) (c) lim
a!0
1 (r)
(d) 1(0) (e) lim
a!+1
1 (r) (f) lim
a!1
1 (r)
-4 -2 2 4
-1.0
-0.5
0.5
1.0
x
y
13. Considere a função o (r) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para que valores
de r
0
existe lim
a!a
0
o (r)?
-4 -2 0 2 4
2
4
6
x
y
14. Considere a função 1 (r) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para que valores
de r
0
existe lim
a!a
0
1 (r)?
-6 -4 -2 2 4
-5
5
x
y
15. Use a de…nição de limite para mostrar que:
(a) lim
a!2
2r
2
÷3r ÷2
r ÷2
= 5
(b) lim
a!2
(r
2
÷r ÷6) = ÷4
(c) lim
a!1
1
2 ÷r
= 0
11
(d) lim
a!1
r ÷1
r
2
÷3r + 2
= 0
(e) lim
a!5
+
1

r ÷1
=
1
2
(f) lim
a!1
+
1
r ÷1
= +·.
(g) lim
a!2
+

r ÷1 = 1.
(h) lim
a!1
(r + 3) = ÷·.
(i) lim
a!+1
c
a
= 0.
(j) lim
a!1
c
a
= +·.
(k) lim
a!0
+
(ln r) = ÷·.
(l) lim
a!+1
(ln r) = +·
16. Dados
lim
a!o
1 (r) = 2, lim
a!o
o (r) = ÷4 e lim
a!o
/(r) = 0.
Obtenha os limites abaixo. Justi…que seu raciocínio usando as propriedades de
limites.
(a) lim
a!o
[1 (r) + 2o (r)] (b) lim
a!o
[/(r) ÷3o (r) + 1] (c) lim
a!o
[o (r)]
2
(d) lim
a!o
3

6 + 1 (r) (e) lim
a!o
7o (r)
21 (r) + o (r)
(f) lim
a!o
31 (r) ÷8o (r)
/(r)
17. Use os grá…cos de 1(r) e o (r) na …gura abaixo para determinar os seguintes limites:
(a) lim
a!2
[1 (r) + o (r)] (b) lim
a!0
[1 (r) + o (r)] (c) lim
a!0
+
[1 (r) + o (r)]
(d) lim
a!0

[1 (r) + o (r)] (e) lim
a!2
;(a)
1+j(a)
(f) lim
a!1
1+j(a)
;(a)
(g) lim
a!0
+

1 (r) (h) lim
a!0

1 (r)
-4 -2 2 4
-2
2
4
6
x
y
-4 -2 2
-2
-1
1
2
x
y
n = 1 (r) n = o (r)
18. Determine os limites:
12
1. lim
a!3
r
2
÷5r + 6
r ÷3
; 2. lim
a!2
r
4
÷16
r ÷2
3. lim
t!2
t
3
+ 8
t + 2
4. lim
a!1
r
2
+ 6r + 5
r
2
÷3r ÷4
5. lim
a!2
r
2
÷4r + 4
r
2
+ r ÷6
6. lim
c!1
:
6
÷2:
3
÷5: + 1
4:
4
÷3:
7. lim
a!+1
[ln (1 + r) ÷ln r] 8. lim
&!1
n ÷2
n
2
+ 2n + 1
9. lim
&!+1
3

3n
2
÷4n
5
2n
7
+ 1
10. lim
&!1

5n
2
÷2
n + 3
11. lim
&!1
n
2
÷8

3n
4
+ n
12. lim
a!3
2r + 8
r + 3
13. lim
c!6
: ÷6
:
2
÷36
14. lim
a!4
4 ÷r
r
2
÷2r ÷8
15. lim
a!0

r + 4 ÷2
r
16. lim
a!0
10r

r
2
+ 3 ÷

r + 3
17. lim
a!4
3r
2
÷17r + 20
4r
2
÷25r + 36
18. lim
I!0
(2 + /)
4
÷16
/
19. lim
t!0

c
2
+ /t ÷c
t
, c 0 20. lim
a!o

r
2
+ c
2
÷c

r
2
+ /
2
÷/
, c, / 0
21. lim
I!0
3

8 + / ÷2
/
22. lim
a!1
3

r ÷1
4

r ÷1
23. lim
a!1
3

r
2
÷2
3

r + 1
(r ÷1)
2
24. lim
a!4
3 ÷

5 + r
1 ÷

5 ÷r
25. lim
a!+1

r
2
+ 1 ÷

r
2
÷1

26. lim
a!+1
r

r + 3r ÷10
r
3
27. lim
a!+1

r
2
+ 1
r + 1
28. lim
a!1

r
2
+ 1
r + 1
29. lim
a!+1

3r
2
+ 2r + 1 ÷

2r

30. lim
&!+1
3 ÷n

5 + 4n
2
31. lim
&!1
3&

5+4&
2
32. lim
a!1
5r
3
÷r
2
+ r ÷1
r
4
+ r ÷r + 1
33. lim
a!1
3

3r + 5 ÷2
r
2
÷1
34. lim
a!4
[2a
2
11a+12[
a
2
16
19. Esboce o grá…co da função 1(r) de…nida por partes e, para o valor c indicado,
determine cada limite, se existir. Justi…que sua resposta.
(a) 1 (r) =

r
3
, se r _ 2
4 ÷2r, se r 2
. c = 2;
(b) 1 (r) =

5
23a
, se r _ ÷2
1 +

r + 2, se r ÷2
. c = ÷2;
(c) 1 (r) =

r
2
+ 2 , se r _ 0
2 ÷r, se 0 < r _ 1
4 ÷r
2
, se r 1
. c = 0 e 1;
13
(d) 1 (r) =

[r
2
÷27[
2r ÷6
, se r = 3
÷1, se r = 3
. c = 3.
20. Calcule os limites, usando os limites notáveis sempre que for possível.
1. lim
a!1
[r (
x

c ÷1)]; 2. lim
a!1

2r + 3
2r + 1

a+1
3. lim
a!0
r

1 ÷cos r
; 4. lim
a!

3
1 ÷2 cos r
sen

r ÷
¬
3
;
5. lim
a!1

r

r
2
+ 1 ÷r

; 6. lim
a!1

(1 ÷r) tg

¬a
2

;
7. lim
a!0
sen(c + r) ÷sen(c ÷r)
r
; 8. lim
a!0
tg (r) ÷sen r
r
3
;
9. lim
a!0
ln (1 + cr)
r
; 10. lim
a!0
c
oa
÷c
ba
r
;
11. lim
a!3
ln r ÷ln 3
r ÷3
; 12. lim
a!0
(1 + 3tg
2
(r))
cotg
2
(a)
;
13. lim
a!2
sin r ÷sin 2
r ÷2
14. lim
a!1
ln (2 ÷r)
r ÷1
;
15. lim
a!1

r
1 + r

a
16. lim
a!0
sin
2
r.cotg (r)
r
17. lim
a!2
3
x+2
7
÷1
r + 2
; 18. lim
a!1
¸
rtg

1
r

;
19. lim
a!0
x

1 ÷2r; 20. lim
a!4
x+4

(r + 5)
2
;
21. lim
a!+1
¸
5 +

1 +
1
r

a

2
; 22. lim
a!1

c
a1
÷c
a1
r
2
÷1

;
23. lim
a!1
c
(2a2)
÷1
c
(5a5)
÷1
; 24. lim
a!¬
sen r
r ÷:
;
25. lim
a!0

2
sen
2
r
÷
1
1 ÷cos r

; 26. lim
a!0
sen r ÷1
r
2
sec r
;
27. lim
a!+1

r +

r ÷

r

; 28. lim
a!+1
[r (ln (r ÷1) ÷ln r)];
29. lim
a!1
¸
10 +

1 +
1
r

a+5
¸
; 30. lim
a!0
r
2
÷3sen r
r
;
31. lim
a!0
1 ÷2 cos r + cos (2r)
r
2
; 32. lim
a!1
+
ln r

r ÷1
;
33. lim
a!0
c
sen a
÷1
sin (2r)
; 34. lim
a!0
sen
2
r
2tg
3
(r) cos r
;
35. lim
a!1
3
x1
4
÷1
sin [5 (r ÷1)]
; 36. lim
a!

4
1tg(a)
cos asin a
;
14
37. lim
a!0
ln c
1cos a
. ln
x

1 + r
r
; 38. lim
a!1

r
2
+ 1
r
2
÷3

a
2
;
39. lim
a!0
3

r + 1
c
a
÷1
; 40. lim
a!

2
(sen
2
r + 2 cos
2
r)
sec
2
a
;
41. lim
a!0
c
2a
÷c
a
sen(2r) ÷senr
; 42. lim
a!0
c
a
+ senr ÷1
ln (r + 1)
;
43. lim
a!

2
+

r ÷
:
2
.tg (r)

; 44. lim
a!0
2
a
÷5
a
sen2r ÷senr
45. lim
a!0

ln
x

c. ln 2
sen
2
a

; 46. lim
a!1
sen(r
2
÷1)
r
3
÷3r
2
÷r + 3
;
47. lim
a!0
+
[7r (1 + cotg
2
r)]
1
; 48. lim
a!3
c
a
÷c
3
r ÷3
49. lim
a!0
r
2
senh(r)
r
2
+ 4
50. lim
a!0
sen(5r)
tgh(r)
21. Estude a continuidade das funções:
1. 1 (r) =

5
a4
, se r = 4
1 , se r = 4
; 2. 1 (r) =

1 + r , se r _ ÷2
2 ÷r , se ÷2 < r < 2
2r ÷1 , se r _ 2
;
3. 1 (r) =

÷1 , se r < 0
0 , se r = 0
r , se r 0
; 4. 1 (r) =

r
2
+ r ÷6
r + 3
, se r = ÷3
1 , se r = ÷3
;
5. 1 (r) =
2r ÷1
r
2
÷r
3
; 6. 1 (r) =
[3r
2
+ 2r[
r
;
22. Determine, se possível, o(s) valor(es) da constante / para que a função 1
1 (r) =

2/r , se r _ 1
r + /, se 1 < r < 2
2
Ia
, se r _ 2
,
seja contínua em R.
23. Considere a função 1, de…nida por 1 (r) =

r
2
+ 2cr + / + 15, se r < ÷1
5, se r = ÷1
/r
3
÷cr
2
, se r ÷1
.
Encontre os valores de c e / de tal forma que a função 1 (r) seja contínua.
24. Represente geometricamente o grá…co de uma função 1 que satisfaz as seguintes
condições: 1 é uma função ímpar; lim
a!0

1 (r) = 1; lim
a!4
+
1 (r) = 5 e lim
a!4

1 (r) =
+·; e, lim
a!1
1 (r) = ÷2.
15
2.2 Exercícios de Revisão dos Capítulos 1 e 2
1. Sejam 1 (r) = cos r e o (r) =

r + 1.
(a) Mostre que a função 1 é uma função periódica e de período 2:.
(b) A função /(r) = o
1
(r) .o (1 (r)) é uma função par, ímpar ou nem par nem
ímpar? Justi…que.
2. Sejam1 e o duas funções de…nidas por o (r) = r÷2 e 1 (r) =
(r ÷4)
2
c
a
÷c
4
cosec(r ÷4) .
Determine lim
a!6
/(r), onde /(r) = (1 · o) (r).
3. Sejam 1 e o duas funções de…nidas por o (r) =
2x

r + 1 e 1 (r) = ln (r + 1) .
Determine lim
a!0
/(r), onde /(r) = (o · 1
1
) (r).
4. Sejam 1 e o duas funções de…nidas por o (r) =
2x

r + 1 e 1
1
(r) = c
a
÷ 1.
Determine lim
a!0
/(r), onde /(r) = (o · 1) (r).
5. Sejam 1 (r) = ln

2 ÷2r, \r < 1, e / = lim
a!+1

r + c
r ÷c

a
. Encontre, se possível,
o valor da constante c a …m de que 1
1
(0) = /.
6. Considere a função 1 (r) de…nida por 1 (r) =

c
r
sin (2r) + (r + 1) /, se r < 0
c (r
2
+ 1) + 3/, se r _ 0
.
Encontre, se possível, uma relação entre as constantes c e / de tal forma que a
função 1 (r) seja contínua em 0.
7. Obtenha lim
a!1
1 (r), sabendo que 1 (r) = /(1 (o
1
(r))), onde
1 (r) = c
a
, o (r) = c
a
÷2 e /(r) =
1 ÷cos (r ÷1)
r ÷1
8. Sejam 1 (r) =
3

ln (2r ÷1 +[1 ÷r[) e o (r) = c
a
3
.
(a) Determine o domínio da função 1.
(b) Estude a continuidade da função /(r), sabendo que
/(r) =

o (1 (r)) , se r ÷ 11
0, se r = 0
sin (2r)
r
÷2, se r ÷ R

÷¦11¦
.
Caso a função / não seja contínua em todos os pontos, classi…que a(s) de-
scontinuidade(s).
16
9. A desigualdade r ÷
a
3
6
_ sin r _ r ÷
a
3
6
+
a
5
120
é válida para todo r _ 0. Usando a
desigualdade, determine lim
a!0
+
sin r ÷r
r
3
. Justi…que sua resposta.
10. Considere as funções o e / de…nidas por o (r) = r
2
÷ 2, \r ÷ R, e /(r) =

2r
2
[r[
, se r = 0
c + 1, se r = 0
.
(a) Determine 1 (r) = o (/(r));
(b) Encontre o valor de c para que a função 1 (r) seja contínua em r = 0.
11. Use a de…nição de continuidade para decidir se a função
1 (r) =

1 ÷c
3 sin a
sin (2r)
, se r 0
r ÷ lim
a!+1

r +

r ÷

r + 1

, se r _ 0
é contínua em r = 0. Caso conclua que a função não é contínua em 0 classi…que
essa descontinuidade.
12. Sejam 1 (r) = sin 5r, o (r) = r
2
÷ 1 e /(r) = ln (r ÷1) . Determine lim
a!1
1 (r),
sabendo que 1 (r) =
1 (o (r))
o (r) ./(/
1
(r ÷3))
.
13. Considere a função 1, de…nida por 1 (r) =

2

c
ba
2
÷1

5 ÷5 cos
2
r
, se r < 0
c, se r = 0
(r + 1)
(ln 5)/a
, se r 0
.
Encontre, se possível, o valor das constante c e / para que a função 1 (r) seja
contínua em 0.
14. Um tanque contém 5000 litros de água pura. Para dentro deste tanque de água
está sendo bombeada uma salmoura de 30 gramas de sal por litro a uma taxa
de 25 litros por minuto. Sabendo que a concentração de sal após t minutos é
( (t) =
30t
200 + t
, use a de…nição de limite para mostrar que lim
t!+1
( (t) = 30.
15. Considere as funções 1 e 1 · o de…nidas por 1 (r) = ln (r
3
) ÷ 2 e (1 · o) (r) =

r + 1. Determine as funções o e o
1
. A seguir, dê o domínio e a imagem da
função o
1
.
17
2.3 Respostas
2.3.1 Respostas do Capítulo 2
1. (a) ÷1 (b) 3 (c) @ (d) 1 (e) 3 (f) ÷1
2. (a) 1 (b) 0 (c) @ (d) 1 (e) 2 (f) 0
3. (a) 1 (b) 1 (c) 1 (d) 1 (e) +· (f) -·
4. (a) 8 (b) 8 (c) 8 (d) 8 (e) +· (f) +·
5. (a) 0 (b) 0 (c) 0 (d) 2 (e) +· (f) +·
6. (a) 2 (b) 2 (c) 2 (d) 3 (e) +· (f) -·
7. (a) -· (b) +· (c) @ (d) @ (e) 0 (f) 2
8. (a) +· (b) +· (c) +· (d) @ (e) 0 (f) 0
9. (a) -· (b) -· (c) -· (d) 1 (e) 2 (f) 1
10. (a) 1 (b) -· (c) @ (d) -1 (e) +· (f) +·
11. (a) 0 (b) 0 (c) 0 (d) 0 (e) @ (f) @
12. (a) ÷
1
2
(b) ÷
1
2
(c) ÷
1
2
(d) ÷
1
2
(e) 1 (f) @
13. \r
0
= ÷4
14. r
0
÷ R ÷¦÷2¦
15.
(a) o =
.
2
; (b) o = min

1.

4
¸
;
(c) ` = ÷
1

+ 2, \ ÷

0.
1
2

; (d) ` = ÷
1

+ 2, \ ÷

0.
1
2

;
(e) o = min

1.

2

6

2 +

6

¸
; (f) o =
1
`
;
(g) o = min ¦1. 2¦ ; (h) ` = ` ÷3;
(i) ` = ÷ln , \ ÷ (0. 1) ; (j) ` = ÷ln `;
(k) o = c
.
; (l) ` = c
A
.
16. (a) ÷6 (b) 13 (c) 16 (d) 2 (e) ±· (f) ±·
17. (a) ÷2 (b) @ (c) 0 (d) 3 (e) 0 (f)
÷·

(g) @ (h) 1
18.
18
1. 1 2. 32
3. 12 4.÷
4
5
5. 0 6. +·
7. 0 8. 0
9. 0 10. ÷

5
11.
p
3
3
12. ±·
13.
1
12
14. ÷
1
6
15.
1
4
16. ÷20

3
17. 1 18. 32
19.
b
2o
20.
o(1
p
2)
b
p
o
2
+b
2
21.
1
12
22.
4
3
23.
1
9
24. ÷
1
3
25. 0 26. 0
27. 1 28. ÷1
29. +· 30.÷
1
2
31.
1
2
32. 0
33.
1
8
34. ÷
11
8
, se r ÷4

e
11
8
, se r ÷4
+
19.
(a) lim
a!2
1 (r) não existe; (b) lim
a!2
1 (r) não existe;
-2 2 4
-4
-2
2
4
x
y
-4 -2 0 2 4
1
3
x
y
(c) lim
a!0
1 (r) = 2; lim
a!1
1 (r) não existe (d) lim
a!3
1 (r) não existe;
-2 2
-4
-2
2
4
x
y
-20 -10 10 20
-20
20
x
y
20.
1. 1 2. c
3.

2, se r ÷0
+
; ÷

2, se r ÷0

4.

3
5. +· 6.
2
¬
7. 2 cos c 8.
1
2
;
9. c 10. c ÷/
11.
1
3
12. c
3
13. cos 2 14. ÷1
15. c
1
16. 1
17.
1
7
ln 3 18. 1
19. c
2
20. c
2
19
21. (c + 5)
2
22.
1
2
÷
1
2
ln c
23.
2
5
24. ÷1
25.
1
2
26. ÷·
27.
1
2
28. ÷1
29. c + 10 30. ÷3
31. ÷1 32. 0
33.
1
2
34. ±·
35.
1
20
ln 3 36.

2
37. 0 38. c
4
39. ±· 40. c
41. 1 42. 2
43. ÷· 44. ln
2
5
45. 0 46. ÷
1
2
47. 0 48. c
3
49. 0 50. 5
21.
1. 1 é contínua \r = 4 ;
2. 1 é contínua \r = ±2;
3. 1 é contínua \r = 0;
4. 1 é contínua \r = 3;
5. 1 é contínua \r = 0 e 1;
6. 1 é contínua \r = 0.
22. Não existe valor de / para que 1 seja contínua.
23. c = 2 e / = ÷7
24. Uma das possíveis soluções é:
2.3.2 Resposta dos exercícios de revisão
1. (b) função par.
2. c
4
3.

c
4.

c
5. c = ÷ln

2
6. c = 2/
7. 0
8. (a) (0. +·); (b) contínua \ = 0.
20
9. ÷
1
6
10. c = ÷1
11. lim
a!0
+
1 (r) = ÷
3
2
; lim
a!0
+
1 (r) = ÷
1
2
; descontinuidade essencial em r = 0.
12. ÷
5
2
13. c = 5 e / =
25
2
.
14. ` =
6000
.
÷200, para 0 < < 30.
15. o (r) = c
p
x+1+2
3
; o
1
(r) = (3 ln r ÷2)
2
÷1; o
1
:

c
2
3
. +·

÷[÷1. +·) .
21
Capítulo 3
Derivada e Diferencial
3.1 Exercícios
1. Use a de…nição de derivada para encontrar a primeira derivada de cada uma das
funções abaixo:
(a) 1 (r) =
r ÷1
2r + 3
(b) 1 (r) =
3

r + 1
(c) 1 (r) = c
2a
(d) 1 (r) = ln (r + 1)
(e) 1 (r) =senh(cr), para c ÷ R
Use a de…nição de derivada para encontrar o coe…ciente angular da reta
tangente nos exercícios a seguir.
2. Seja 1 (r) =
1
p
a
uma curva.
(a) Determine o coe…ciente angular da reta tangente a curva dada, no ponto da
abscissa r = 1.
(b) Dê a equação da reta tangente no ponto mencionado.
(c) Dê os pontos da curva onde a tangente a curva tem inclinação de 60

.
3. Considere a curva dada por 1 (r) = ÷

4r ÷3. Caso exista, escreva a equação da
reta tangente a curva, tal que seja paralela a reta : : r + n = 0.
4. Seja 1 (r) =
1
a
2
1
uma curva. Caso exista, escreva a equação da reta normal a
curva, tal que seja paralela a reta : : n = 0.
5. Seja 1 (r) =
a
a1
uma curva. Se possível, determine, tanto a equação da reta
tangente quanto a equação da reta normal a curva no ponto 1

÷2.
2
3

.
6. Seja 1 (r) = r
3
÷r
2
+2r uma curva. Dê as coordenadas dos pontos da curva onde
a direção desta curva é paralela ao eixo r.
7. Mostre que as tangentes à curva 1 (r) =
¬ sin a
a
em r = : e r = ÷:, se cortam
formando ângulos retos.
8. Seja 1 (r) = r
2
+ ln (r + 1) uma curva. Caso exista, determine a(s) equação(ões)
da(s) reta(s) tangente(s) a esta curva, tal que seja(m) perpendicular(es) a reta
: : 3n + 3r = 6.
9. Seja 1 (r) =
a
1+a
uma curva. Se existir escreva a equação da reta normal a esta
curva que seja paralela a reta : : n + r + 3 = 0.
10. Dada a curva 1 (r) =

2r ÷1, se existir, determine a equação da reta normal a
curva onde a reta tangente é paralela a reta : : r + 3n ÷7 = 0.
Nos próximos exercícios não é necessário obter o coe…ciente angular
através da de…nição de derivadas.
11. Seja 1 (r) =
1
c
x
2
uma curva, se existirem determine tanto a equação da reta tan-
gente, quanto a equação da reta normal a esta curva no ponto cuja abcissa é
r = 1.
12. Seja r
2
+rn+n
2
= 3 uma curva, se existir dertermine a(s) equação(s) da(s) reta(s)
tangente(s) a esta curva e que seja(m) paralela(s) a reta(s) : : r + n = 1.
13. Se existe, determine as abscissas dos pontos do grá…co de n = 3r ÷ cos (2r), nos
quais a reta tangente a curva é perpendicular a reta : : 2r + 4n = 5.
14. Se existir, escreva a equação da reta normal a curva (r
2
+ 4) n = 4r ÷ r
3
e que
passe na origem do sistema cartesiano.
15. Dada a curva 1 (r) = ÷

r ÷1. Se possível determine a equação da reta normal
a curva no ponto em que a reta tangente é paralela à reta : : r + 2n ÷5 = 0.
16. Dada a curva 1 (r) =
3

3r + 2, determine, se possível:
(a) o(s) ponto(s) da curva onde a direção é paralela a reta n = 2;
(b) a equação da reta tangente a curva no(s) ponto(s) onde a inclinação é 45

.
17. Dada a curva 1 (r) =

4r ÷3 ÷1. Caso seja possível determine:
23
(a) a direção da curva no(s) ponto(s) em que esta intercepta o eixo das ordenadas;
(b) a equação da reta normal a curva no(s) ponto(s) em que esta reta seja paralela
a reta : : 3r + 6n ÷2 = 0.
18. Seja 1 (r) =
1
5
p
5a1
uma curva. Se existir, determine a equação da reta tangente
a curva que também seja perpendicular a reta : : ÷2r ÷2n + 3 = 0.
19. Se existir, escreva a equação da reta normal a curva 1 (r) =
a
a+7
que seja paralela
a reta : : n + 7r = 0.
20. Mostre que as retas tangentes às curvas 4n
3
÷r
2
n÷r+5n = 0 e r
4
÷4n
3
+5r+n = 0,
na origem, são perpendiculares.
21. A reta r = c intercepta a curva n =
a
3
3
+4r+3 num ponto 1 e a curva n = 2r
2
+r
num ponto (. Para que valor(es) de c as retas tangentes a essas curvas são
paralelas? Encontre a(s) equação(ões) da(s) referida(s) reta(s).
22. Determine a equação da reta normal à curva ( : rn
2
+n
3
= 2r ÷2n + 2 no ponto
em que abcissa e ordenada tem o mesmo valor.
23. Seja 1 o ponto de interseção das curvas (
1
: 2r
2
+3n
2
= 5 e (
1
: n
2
= r
3
. Mostre
que as retas tangentes às curvas (
1
e (
2
são perpendiculares no ponto 1.
24. Caso exista, escreva na forma mais simples a derivada das seguintes funções:
a.

r = c sin t
n = 3c cos t
; b.

r = c (cos t + t sin t)
n = c (sin t ÷t cos t)
;
c.

r = c (t ÷sin t)
n = c (1 ÷cos t)
; d.

r =
cos
3
t
p
cos 2t
n =
sin
3
t
p
cos 2t
;
e.

r =
1
1+t
n =

2t
t+1

2 ; f.

r = arccos

1
p
1+t
2

n = arcsin

1
p
1+t
2

;
g.

r =
3
2
ct
n =
o(1t
2
)
1+t
2
;
25. Veri…que se a função de…nida parametricamente por

r = sec t
n = ln (cos t)
, para todo
t ÷

÷
¬
2
.
¬
2

, satisfaz a equação
o
2
&
oa
2
+ c
& o&
oa
= 0.
26. As equações paramétricas

r = 2 (t ÷sen t)
n = 2 (1 ÷cos t)
, para t ÷ [0. :], representam uma
curva chamada de ciclóide. Determine a equação da reta normal a essa ciclóide
que seja paralela a reta : : 2r + 2n ÷1 = 0.
24
27. Em cada caso, veri…que se a função dada é derivável nos pontos referidos:
a. 1 (r) =

r + 2, se r _ ÷4
÷r ÷2, se r ÷4
, em r = ÷4; b. 1 (r) =

3 ÷2r, se r < 2
3r ÷7, se r _ 2
, em r = 2;
c. 1 (r) = [r ÷3[, em r = 3; d. 1 (r) = 1 ÷

3
2
r ÷
1
3

, em r =
2
9
;
e. 1 (r) =


1 ÷r, se r < 1
1 ÷r
2
, se r _ 1
, em r = 1.
28. Seja 1 a função de…nida por 1 (r) =

3r
2
, se r _ 2
cr + /, se r 2
. Determine, se possível,
os valores das constantes c e / para que 1 seja uma função derivável em r = 2.
Obs: Lembre que se 1 é derivável em um ponto então 1 também deve ser contínua
neste ponto.
29. Escreva, caso seja possível, a derivada na forma mais simples:
1. 1 (r) =
(a+1)
3
a
3
2
; 2. 1 (r) = (1 +
3

r)
3
;
3. 1 (r) = ln (sen
2
r); 4. 1 (r) = 3
tg(aa)
, : ÷ R;
5. 1 (r) = c
a
x
; 6. 1 (r) = c
aln a
;
7. 1 (r) = r
a
2
; 8. 1 (r) =
sin a
2 cos
2
a
÷
1
2
ln

tg

¬
4
÷
a
2

;
9. 1 (r) =arcsen

1 ÷r
2

; 10. 1 (r) =
1
p
o
2
b
2
arctg

ob
o+b
tg
a
2

; c. / ÷ R

+
;
11. 1 (r) = (1 + 4r)
3
(1 + 2r)
4
; 12. 1 (r) = r
1
3
(2r ÷1)
4
3
(3r + 1)
1
3
;
13. 1 (r) =
a
3
p
1a
; 14. 1 (r) =
3

a(a
2
+1)
(a1)
2
;
15. 1 (r) =
(a+1)
3 4

(a+2)
3
3

(a1)
2
; 16. 1 (r) =
(a1)
2
(a+2)
3
(a+3)
4
;
17. 1 (r) =
5

(a1)
2
4

(a2)
3 3

(a3)
7
; 18. 1 (r) =
a(a
2
1)
p
1a
2
;
19. 1 (r) = (arcsen r)
2
; 20. 1 (r) =

c
2
÷r
2
+arcsen
a
2
;
21. 1 (r) =arctg
o
a
+ ln

ao
a+o
; 22. 1 (r) = r
5
(c + 3r)
3
(c ÷2r)
2
; c ÷ R
23. 1 (r) =
a
p
a
m
o
m
; 24. /
2
r
2
+ c
2
n
2
÷c
2
/
2
= 1; c. / ÷ R
25.
3

&
a
= r; 26.
cn ÷r
2
n
2
÷cr
= n ÷r; c ÷ R
27. r
3
÷n
3
÷3crn = 1; c ÷ R 28. n = cos (r + n);
29. cos (rn) = r; 30.
sin (r + n)
1 ÷sin (r + n)
= 1;
31.
b
2
a
o
2
&
= 2r, c. / ÷ R

; 32.
2o
3(1&
2
)
= nr;
33. 1 (r) =
1
p
3
arctg

p
3a
1a
2

; 34. 1 (r) =
cos
3
a
3
÷cos r;
35. 1 (r) =
2ba
2
o
a
3
, c. / ÷ R; 36. 1 (r) =

6b
2
a
2
8oba+16o
2
15

c + /r, c. / ÷ R;
25
37. ln(rn
2
) ÷2rn + ln r = 1; 38. 1 (r) = 2
4a
.c
cos a
;
39. r
2
n = 4c (2c ÷rn), c ÷ R; 40. 1 (r) =
a
3
(argtg a) ln(a
2
+1)
2
;
41. 1 (r) = rc
a
÷c
a
; 42. ÷nc
arctg a
= 2;
43. 1 (r) = r
ln a
+ ln (ln r); 44. r arcsin n = 1 + r
2
;
45. 1 (r) = ln

p
c
x
1
p
c
x
+1

c
p
x
; 46. 1 (r) =arctg r ÷
1
3
arctg

3r

;
47. r

1 + 2n + n = r
2
; 48. 1 (r) =

1 + tg
4

a
12

3
;
49. 1 (r) = c
ln
3

sin(3a)
; 50. ln n ÷c
a&
= r;
51. 1 (r) =

arcsin

1
a
3

3
; 52. 1 (r) = r

r
2
÷3 ÷3 ln

r ÷3 +

r
2

;
53.

rn + 2n =

r; 54. 1 (r) = c

1 ÷cos
2

a
2

2
;
55. n
2
cos

1
&

= 2r + 2n; 56.1 (r) = ln

a+1
p
a
2
+a+1
1
3
+
1
p
3
arctg

2a1
p
3

;
57. 1 (r) =
o
ln(x1)
p
Iao
, c. / ÷ R; 58. 1 (r) =

1+tg a
1tga
1
4
;
30. Determine a expressão da derivada n-ésima em cada caso:
a. 1 (r) = c
oa
; b. 1 (r) = cos r;
c. 1 (r) = (c + /r)
n
, com : ÷ Z; d. 1 (r) =
a
1+a
.
31. Sejam 1 : R ÷ R uma função diferenciável (derivável) duas vezes e o : R ÷ R
dada por o (r) = 1 (r + 2 cos (3r)).
(a) Calcule o
00
(r).
(b) Supondo 1
0
(2) = 1 e 1
00
(2) = 8, calcule o
00
(0).
32. Considere a função o (r) = cos r. [1 (r)]
2
, onde 1 : R ÷ R é duas vezes diferen-
ciável (derivável), 1 (0) = ÷1, 1
0
(0) = 1" (0) = 2. Calcule o
00
(0).
33. Determine:
(a) 1
0
(0) sabendo que 1

sin r ÷
p
3
2

= 1 (3r ÷:) + 3r ÷:;
(b) a função o sabendo que (1 · o)
0
(r) = 24r+34, 1 (r) = 3r
2
÷r÷1 e o
0
(r) = 2;
(c) (o · 1 · /)
0
(2), sabendo que 1 (0) = 1, /(2) = 0, o
0
(1) = 5 e 1
0
(0) = /
0
(2) =
2.
34. Calcule aproximadamente o valor de:
(a)
4

17
(b)
1
3
p
30
(c) arctg(1. 02)
(d) log (200. 2), sabendo que log (200) = 2. 30103 . . .
(e) sin (60

3
0
)
(f) c
0.13
26
(g) c
tan(44

)
, sabendo que c: - 8. 5
(h) cotg(31
c
15
0
)
(i)
3

ln (2. 8)
(j) :
cos(30
0
15
00
)
35. Uma janela tem o formato de um quadrado com um semicírculo em cima. A base
da janela mede 60 c: com um possível erro na medida de 1 ::.Use diferenciais
para estimar o maior erro possível no cálculo da área dessa janela.
36. Ao medir o raio de uma esfera, obtém-se a medida de 12c:. Sabendo que o
erro dessa medida pode ser 0. 6:: para mais ou para menos, calcule, usando
diferenciais, um valor aproximado para o erro máximo no cálculo do volume dessa
esfera causado pelo erro de medida do raio.
37. Um material está sendo escoado de um recipiente, formando um monte cônico
cuja altura é sempre igual ao raio. Se em dado instante o diâmetro é 24 c:, use
diferenciais para obter a variação do raio que origina um aumento de 2 c:
3
no
volume do monte cônico.
38. Dê os pontos onde a função 1 (r) = [r[ +[r + 1[ não é derivável.
39. Um ponto desloca-se sobre a hipérbole rn = 4 de tal modo que a velocidade é
o&
ot
=
, onde é uma constante. Mostre que a aceleração da abscissa é
o
2
a
ot
2
=
1
8
(
2
r
3
).
40. Seja n =
3

3r + 2 a equação do movimento de uma particula, determine:
(a) a velocidade da partícula quando trancorridos 2:;
(b) a aceleração da partícula quando transcorrido 2:.
41. Na terra você pode facilmente atirar um clipe a 64 c: de altura usando um elástico.
Em t segundos depois do disparo, o clipe estará : = 64t ÷16t
2
acima de sua mão.
Quanto tempo o clipe leva para atingir a altura máxima? A que velocidade ele sai
de sua mão?
42. Um carro está a : =

16t
3
2
÷24t + 16

/: a leste de uma parada no instante t
horas. Pergunta-se:
(a) Qual é a velocidade no instante t =
1
4
/ e qual é o sentido que ele se move?
(b) Onde está o carro quando sua velocidade é nula.
43. Dois corpos têm movimento em uma mesma reta segundo as equações :
1
= t
3
+
4t
2
+t ÷1 e :
2
= 2t
3
÷5t
2
+t + 2. Determine as velocidades e as posições desses
dois corpos no instante em que as suas acelerações são iguais. Considere como
unidades de :
1
e :
2
o metro e como unidade do tempo t o segundo.
27
44. Dois pontos partem da origem do eixo r no instante t = 0 e se movem ao longo
desse eixo de acordo com as equações r
1
= t
2
÷ 2t e r
2
= 8t ÷ t
2
, r
1
e r
2
onde
são medidos em metros e t é medido em segundos, pregunta-se:
(a) em que instante os dois têm mesma velocidade?
(b) quais são as velocidades desses dois pontos nos instante em que eles têm a
mesma posição.
45. A posição de uma partícula que se desloca ao longo do eixo n varia com o tempo r
segundo a equação n =
·
0
c
(1 ÷c
ca
), r _ 0, onde ·
0
e c são constantes positivas.
Use a DEFINIÇÃO de derivadas para determinar a velocidade da partícula no
instante r.
46. Uma esfera aumenta de modo que seu raio cresce a razão de 12. 5 c::. Qual a
variação do volume no instante em que o raio é de 15. 2 c:?
47. Um ponto se move sobre a parte superior da parábola semicúbica n
2
= r
3
de tal
maneira que sua abscissa cresce a razão de 5 unidades por segundo. Quando r = 4,
com que rapidez varia a ordenada?
48. Um corpo é lançado no espaço formando com a horizontal um ângulo c, descreve
no ar, por ação da gravidade uma curva cujas equações são r = ·
0
t cos c e n =
·
0
t sin c ÷
1
2
ot
2
. Sabendo que c = 60

e ·
0
= 50 ::, determine a velocidade do
corpo quando t = 2:?
49. Dois carros, um dirigindo-se para leste com velocidade de 77 /:/, o outro
dirigindo-se para sul com velocidade de 57 /:/, estão viajando em direção ao en-
contro das duas rodovias. A que velocidade os carros se aproximam um do outro,
no momento em que o primeiro carro estiver à 477 : e o segundo carro estiver à
277 : da intersecção das rodovias?
50. Um tanque de forma cônica invertido tem altura de 8 :, raio da base 2 :. O
mesmo se enche de água à razão de 7 :
3
min. Com que velocidade sobe o nível
da água quando este se encontra a 4 : de profundidade?
51. Uma piscina tem 18 : de largura, 28 : de comprimento, 2 : de profundidade em
um extremo e 8 : no outro, o fundo tem forma de um plano inclinado. Se a água
está sendo bombeada para a piscina à razão de 0. 8 :
3
min, com que velocidade
se eleva o nível da água no instante em que ele esta a 1. 8 : na extremidade mais
profunda?
52. Um triângulo retângulo inscrito no círculo r
2
+ n
2
= 25, tem as extremidades da
hipotenusa situadas nos pontos ¹(5. 0) e 1(÷5. 0), enquanto que, o terceiro vér-
tice, situado no ponto 1 (r. n), se move sobre a circunferência com uma velocidade
oa
ot
=
1
2
::. Calcule a velocidade com que a área deste triângulo está variando
quando r = 4 :.
28
53. Em que pontos da parábola n
2
÷ 18r = 0 a ordenada n cresce duas vezes mais
depressa que a abscissa r?
54. Uma criança esta empinando uma pipa e movendo-se horizontalmente a 4 ::.
Supondo que a pipa permaneça sempre a 80 : de altura, sobre o nível do solo,
qual é a velocidade com que a criança está soltando a corda da pipa quando esta
corda medir 100 :?
Obs: Despreze a altura da criança.
55. Um tanque tem a forma de um cilindro circular reto de 5 : de raio da base a 10
: de altura. No tempo t = 0:, a água começa a ‡uir no tanque à razão de 25
:
3
/. Então:
(a) com que velocidade sobe o nível da água?
(b) quanto tempo levará para o tanque …car cheio?
56. Um balão está subindo verticamente acima de uma estrada a uma velocidade
constante de
1
3
::. Quando ele está a 17: acima do solo, uma bicicleta que se
desloca a uma velocidade constante de 5:: passa por baixo dele. A que taxa a
distância entre a bicicleta e o balão aumentará 3: depois?
57. Uma usina de britagem produz pó de pedra, que ao ser depositado no solo, forma
uma pilha cônica onde a altura é aproximadamente igual a
4
3
do raio da base.
(a) Determine a razão de variação do volume em relação ao raio da base;
(b) Se a raio da base varia a uma taxa de 20c::, qual a razão de variação do
volume, quando a raio mede 2:?
58. O nível de café que escoa de um …ltro cônico para uma cafeteira cilíndrica varia a
uma taxa de 2.10
4
c: min. A que taxa o nível do café, na cafeteira, aumentará
quando a altura de café no …ltro for a 5c:?
cm 15
cm 15
cm 15
cm 15
cm 15
cm 15
cm 15
cm 15
59. Uma lâmpada colocada num poste está a 4: de altura. Se uma criança de 90c:
de altura caminha afastando-se do poste à razão de 5::, com que rapidez se
alonga sua sombra?
29
60. Um cabo de cobre tem diâmetro de 1c: à 0

(. Digamos que seu comprimento seja
de 1: e não se altera com a variação da temperatura. Sabe-se que seu diâmetro
aumenta a uma velocidade de 0. 02c:

(. Calcule a taxa de variação do volume
desse cabo quando a temperatura está a 20

(.
61. Numa granja de frangos, o abastecimento de ração é automático. A ração está
num reservatório que tem a forma de uma pirâmide de base quadrada de 2: de
lado e altura de 6:, cujo vértice está voltado para baixo. Se o consumo de ração
é de 0. 05 :
3
/, com que velocidade desce o nível de ração quando este está a 2:
do vértice?
62. A altura de um triângulo cresce a razão de 1c: min e sua área aumenta a razão
de 2c:
2
min. Qual a taxa de variação da base do triângulo quando sua altura
for 10c: e sua área 100c:
2
.
63. Uma partícula move-se ao longo da curva n = r ln r. Encontre todos os valores de
r nos quais a taxa de variação de n é 5 vezes a de r. (Suponha que
oa
ot
nunca é
nula.)
64. Uma piscina tem 24: de comprimento e seus extremos são trapézios isósceles com
altura de 6:, uma base menor 6: e uma base maior de 8:. A água está sendo
bombeada para a piscina à razão de 10:
3
:i:. Com que velocidade o nível de
água está subindo quando a profundidade da água é de 2:?
65. A altura de um cone é sempre igual ao dobro do raio da base. Determinar a taxa
de variação da área da base em relação ao volume do cone.
66. Um avião (A) voa a 124 ::, paralelamente ao solo, a uma altitude de 1220 :
no sentido oeste, tomando como referência um holofote (H), …xado no solo, que
o focaliza e que se encontra à esquerda da projeção vertical (P) do avião (ver
…gura abaixo). Sabendo-se que a luz do holofote deverá permanecer iluminando o
avião, qual será a velocidade com que o estará variando quando a distância entre
o holofote e a projeção vertical do avião for de 610 :?


H
A

P
θ


H
A

P
θ
N
S
L O
N
S
L O
67. Às 7 : 00 /: dois navios partem de um ponto ( em rotas que formam um ângulo
de 120

. Os navios ¹ e 1 deslocam-se a 20 /:/ e 25/:/, respectivamente.
Determine qual é a velocidade de afastamento desses navios às 9 : 00 /:.
68. Um reservatório tem a forma de uma pirâmide (invertida) de base quadrada. O
nível de areia deste reservatório diminui com uma velocidade de 40c::i:. Esta
areia forma, no chão, um monte cônico. O volume total de areia no reservatório
inicialmente era 128 c:
3
. Calcule a velocidade com que aumenta a altura do cone
30
quando um terço da areia já caiu do reservatório. Use os dados fornecidos na
seção transversal abaixo ilustrada.
Obs: Desconsidere a abertura do reservatório.
90°
60°
90°
60°
69. Considere uma piscina de 20 : de largura, 40 : de comprimento e profundidade
máxima de 9 :, cuja seção transversal está exibida na …gura abaixo. Supondo que
esta piscina esteja sendo enchida a uma taxa de 0. 8 :
3
min, qual é a velocidade
com que o nível da água está subindo quando este for igual a 5 :?
70. Um corredor corre em uma trajetória circular de raio 100 : a uma velocidade
constante de 7 ::. Um outro indivíduo está parado a uma distância de 200 :
do centro da pista. Qual a taxa de variação da distância entre os dois quando esta
distância era 200 :?
71. Esta vazando água de um tanque cônico invertido a uma taxa de 10.000 c:
3
min.
Ao mesmo tempo está sendo bombeada a água para dentro do tanque a uma taxa
constante. O tanque tem 6 : de altura e o diâmetro do topo é de 4 :. Se o nível
da água estiver subindo a uma taxa de 20 c: min quando a altura da água for
2:, encontre a taxa segundo a qual a água está sendo bombeada para dentro do
tanque.
72. Uma escada de 5 : de comprimento está apoiada em uma parede e sobre um plano
inclinado que faz um ângulo de 30

com a horizontal, como ilustrado na …gura
abaixo. Sabendo que o "pé"da escada é arrastado com uma velocidade de 2 ::,
encontre a velocidade do topo da escada quando esta estiver a 4 : de distância
da parede.
º 30
m 4
º 30
m 4
31
3.2 Respostas
Exercícios:
1. (a) 1
0
(r) =
5
(2a+3)
2
; (b) 1
0
(r) =
1
3(a+1)
2
3
; (c) 1
0
(r) = 2c
2a
; (d)
1
0
(r) =
1
a+1
; (e) 1
0
(r) = c cosh cr
2. (c) -
1
2
; (/) 2n + r = 3; (c) não existe.
3. n = ÷r ÷
1
4
.
4. Não existe.
5. Tangente: n = ÷
a4
9
; normal: n = 9r +
56
3
.
6. Não existem.
7. Deve-se mostrar que o produto dos coe…cientes angulares é igual a -1.
8. n = r e n = r +
3
4
+ ln 2.
9. n = ÷r e n = ÷r.
10. Não existe.
11. Tangente: n = c
1
(÷2r + 3); normal: n =
c
2
r ÷
c
2
+
1
c
.
12. n = r e n = ÷r + 2.
13. r =

12
+ /: ou r =
11¬
12
+ /:, com / ÷ Z.
14. n = r;.
15. Tangente: n = ÷
a
2
; normal: n = 2r ÷5.
16. (c) não existe; (/) n = r +
4
9
e n = r.
17. (c) 2; (/) não existe; (c) n = ÷
1
2
(r ÷1).
19. n = ÷7r + 100.
21. Para c = 1 : n = 5r +
7
3
e n = 5r ÷ 3; para c = 3 : n = 13r ÷ 5 e
n = 13r ÷18.
22. n = ÷7r + 8.
28. c = 12 e / = ÷12.
29. ATENÇÃO!!!
Você poderá obter resultados analogos a estes abaixo apresenta-
dos, pois para obter a derivada de uma função através de regras de derivação,
o caminho não é único.
1.
3
2a
5
2
(r ÷1) (r + 1)
2
2.
1
a
(
3

r + 1)
2
3

r
32
3. 2 cotg(r)
4. 3
tan aa
:(ln 3) (tan
2
:r + 1)
5. r
a
c
a
x
(ln r + 1)
6. r
a
(ln r + 1)
7. r
a
2
+1
(2 ln r + 1)
8. ÷
1
4 cos
3
a
(cos 2r ÷3) +
1
4 cot(
1
4
¬+
1
2
a)

cot
2

1
4
: +
1
2
r

+ 1

9. ÷
a
p
1a
2
p
a
2
10.
1
p
o
2
b
2

1
2
tan
2 1
2
r +
1
2

ob
o+b
o+b
o+b+o tan
2 1
2
ab tan
2 1
2
a
11. 4 (2r + 1)
3
(4r + 1)
2
(14r + 5)
12.
1
3a
2
3
3
p
2a1
(3a+1)
2
3
(36r
2
+ 4r ÷1)
13. ÷
1
2
r
2 5a6
(1a)
3
2
14. ÷
1
3a
3
r
a
x
2
+1
(x1)
2
(a
2
+1)(a1)
(÷r
3
+ 3r
2
+ r + 1)
15.
1
12
3

(a1)
2
4

(r + 2)
3
(r + 1)
2

37a
2
+12a97
a
2
+a2

16.
1
(a+2)
4
(a+3)
5
(÷5r
3
+ 5r
2
+ 29r ÷29)
17.
1
60
5

(a1)
2
4

(a2)
3 3

(a3)
7

161a
2
480a+271
a
3
+6a
2
11a+6

18.
1
p
1a
2
(2r
2
÷1)
19. 2
arcsin a
p
1a
2
20. ÷
1
p
o
2
a
2
p
4a
2

r

4 ÷r
2
÷

c
2
÷r
2

21.
1
2
p
4a
2
((o)
2
a
2
)
3
2
(2r ÷2cc
0
)

(c)
2
÷r
2
÷r

4 ÷r
2

22. ÷2
o
3
o
4
a
4
23. 5r
4
(c + 3r)
2
(c
3
÷16cr
2
+ 24r
3
)
24. ÷
a
p1
(o
m
a
m
)
2
(c
n
j + :r
n
÷jr
n
)
25.
o&
oa
= ÷
ab
2
o
2
&
26. n
0
=
1
a
n
3

a
&

3r +
3

1
a
n

33
27. n
0
=
2
x
axy
2
+o
x
2
a
2
x
2
2axy
2
+y
4
o
2 y
a
2
x
2
2axy
2
+y
4
1

1
a
axy
2
2o&
2 1
0
a
2
x
2
2axy
2
+y
4
+2a
2
&
1
a
2
x
2
2axy
2
+y
4

28. n
0
=
3a
2
3o&
(3&
2
+3ao)
29. n
0
= ÷
1+& sin(a&)
asin(a&)
30. n
0
= ÷1, se cos (r + n) = 0
31. n
0
=
b
2
2o
2
&
2ao
2
32. r
0
=
2
3
o
&
2
(&
2
1)
2
(3n
2
÷1)
33.
a
2
+1
a
4
+a
2
+1
34. sin
3
r
35.
1
a
4
(3c ÷2/r
2
)
36. /
3 a
2
p
o+ba
37. n
0
= n
a&1
&a
2
+a
38. ÷2
4a
c
cos a
(sin r ÷4 ln 2)
39. n
0
= ÷
4o&+2a&
a
2
+4oa
40. 0
41. rc
a
42. 2
c
arctan x
a
2
+1
43.
1
aln a

2r
ln a
ln
2
r + 1

44. n
0
=

1&
2
a
(2r ÷arcsin (n))
45. ÷
c
p
x
4
p
a4
p
ac
2x

ln

c
x
+1
c
x
1

+ 4

rc
a
+ c
2a
ln

c
x
1
c
x
+1

46.
1
9a
4
+12a
2
+3

9r
2
÷

3r
2
÷

3 + 3

47. n
0
=
2a
p
2&+1
1+
x
p
2y+1
48.

tan
4 1
12
r + 1

2

tan
3 1
12
r

tan
2 1
12
r + 1

49. cot (3r)
3

sin 3r
50. n
0
= ÷
&+&
2
c
xy
a&c
xy
1
51. ÷
9
a
4
arcsin
2 1
x
3
q
1
x
6
(a
6
1)
34
52.
1
p
a
2
3
(2r
2
÷3) ÷3
a+
p
a
2
p
a
2
(a+
p
a
2
3)
53. n
0
= ÷

r

rn ÷

rn

p
a&4&
(a
2
16a&)
p
a&
54. ÷c sin r

1
2
cos r ÷
1
2

55. r
0
=
1
2
sin
1
&
+ n cos
1
&
÷1
56. ÷
1
3
2a+1
a
3
+2a
2
+2a+1
57.
1
2
o
ln(x1)
(Iao)
3
2 (a1)
(/ ÷/r ÷2c ln c + 2/rln c)
58.
1
2(
1
tan x1
(tan a+1))
3
4
tan
2
a+1
(tan a1)
2
31. o
00
(0) = ÷10.
32. o
00
(0) = 3.
33. (c) 1
0
(0) = ÷
6
5
; (/) o (r) = 2r + 3; (c) 20.
35. d¹ = 16. 7263 c:
2
.
36. d\ = 108. 5184 c:
3
.
40. (c)
1
4
n.c.:; (/) ÷
1
16
n.c.:
2
41. 2:; 64 c::.
42. (c) ÷12 /:/; (/) 8/:.
43. 3:; :
1
= 65: e :
2
= 14:; ·
1
= 52:: e ·
2
= 25::
44. 2. 5:;
t = 0: ÷·
1
= ÷2c:: e ·
2
= 8c::;
t = 5: ÷·
1
= 8c:: e ·
2
= ÷2c::.
45. ·
c
c
ca
u.c./u.t.
46. 11552: c:
3
:.
47. 15 n.c.:.
48.

3 ÷
4
5

::.
49. 95. 48 /:/.
50.
7
¬
::i:.
51. 5. 29.10
3
: min ou 0. 025: min.
Obs: A resposta depende da sua interpretação ao montar a piscina.
52. ÷
10
3
:
2
:.
53.

9
8
.
9
2

54. 2. 4 ::.
55. (c)
1
¬
:/; (/) 31. 4/
56.
27
p
61
::.
57. (c)
4
3
::
2
; (/) 3. 349c:
3
:.
58.
2
9
.10
4
c::i:.
35
59. 1. 45::.
60. 20. 4: c:
3
:i:.
61. ÷0. 1125:/.
62. ÷
8
5
c::i:.
63. c
4
.
64.
5
68
::i:.
67.
305
p
61
61
/:/.
68.
480
3
p
36¬
c::i:.
69. 1. 3187 10
3
: min
70.
7
p
3
4
::
71. 2. 8925 10
5
:
3
min
72. ÷3. 3::
36
Capítulo 4
Regra de L’Hôpital
4.1 Exercícios
1. Calcule os limites, aplicando a regra de L’Hôpital, quando possível:
1. lim
a!0
r ÷arcsen r
r
; 2. lim
a!&
sen r ÷sen n
r ÷n
;
3. lim
a!0
c
a
÷senr ÷1
ln (1 + r)
; 4. lim
a!

2
sec
2
r
sec
2
(3r)
;
5. lim
a!0
ln r
cossec r
; 6. lim
a!1
r
a
c
2a
, para : ÷ N;
7. lim
a!

2
tg (r)
tg (3r)
; 8. lim
a!+1
ln r
r
a
, para : ÷ N;
9. lim
a!0
cotg (r)
cotg (2r)
; 10. lim
a!1
(1 ÷r)
cos(
x
2
)
;
11. lim
a!0
+
c
1
x
+ ln r
cotg (r)
; 12. lim
a!0
+
ln (sen2r)
ln (sen r)
;
13. lim
a!0
+
[r ln (sin r
2
)]; 14. lim
a!0

:
r
tg (:r)
2

;
15. lim
a!1

r sin

c
r

; 16. lim
a!

2
[(: ÷2r) tg (r)];
17. lim
a!

4
[(1 ÷tgr) sec (2r)]; 18. lim
a!o

(c
2
÷r
2
) tg

:r
2c

;
19. lim
a!+1

r ÷
3

r
3
÷r

; 20. lim
a!2

r
3
÷
a2
tg(a2)
÷cos (r ÷2)

;
21. lim
a!0

2
sen
2
r
÷
1
1 ÷cos r

; 22. lim
a!1

1
r ÷1
÷
1
ln r

;
23. lim
a!0

1
sen
2
r
÷
1
r
2

; 24. lim
a!0

1
r
2
÷
1
rtg (r)

;
25. lim
a!0

:
4r
÷
:
2r (c
¬a
+ 1)

; 26. lim
a!0

r
2
÷4
r
2
÷tg

:r
4

;
27. lim
a!1
¸
c
a

1 +
1
c
a

a
1
; 28. lim
a!1

cos

2
r

a
2
;
29. lim
a!1

2
r
+ 1

a
; 30. lim
a!1
r
1
1x
;
31. lim
a!0
(1 + sen r)
cotg(a)
; 32. lim
a!0
(c
a
+ r)
1
x
;
33. lim
a!0
(c
2a
+ 2r)
4a
; 34. lim
a!0
+
(1 + r)
ln a
;
35. lim
a!0

1
r

sen a
; 36. lim
a!1

tg

¬a
4

tg(
x
2
)

;
37. lim
a!

4
1 ÷tg r
1 ÷

2sen r
38. lim
a!0
+
(c
a
+ r)
ln a
;
39. lim
a!0
rsen
2
r
3tg
3
r cos r
40. lim
a!0
sen
2
r ÷cotg (r)
r
2
;
41. lim
a!1

r ÷r
2
ln

1 +
1
r

; 42. lim
a!0
r
1
ln(e
x
1)
;
43. lim
a!o

2 ÷
a
o

tg(
x
2a
)
; 44. lim
a!0

ln (cotg (r))
tg a

;
45. lim
a!1
c
a
2
÷1
2arctg (r
2
) ÷:
; 46.lim
a!0
1 ÷

1 ÷r

1 + r ÷

1 ÷r
2
;
47. lim
a!0
(c
a
+ 1)
a
2
; 48. lim
a!1

(r + 1)
1
4
÷r
1
4

;
49. lim
a!1

3r ÷

r
2
÷1

; 50. lim
a!4
(r ÷3)
2x
x4
;
51. lim
a!1

arccos r

1 ÷r
; 52. lim
a!0
3r
2
2c
a
÷2
;
53. lim
a!1
¸
ln (c
a
+ 1)
1
x
2

; 54. lim
a!1

2r ÷1
r

2x
1x
2
;
2. Determine o valor da constante c para que lim
a!+1

r + c
r ÷c

a
= 4.
3. Determine todos os valores das constantes c e / para que lim
a!0
r
2
c + cos (/r)
= ÷8.
4. Determine o valor da constante c para que lim
a!+1

1 + c
2a
2

o/a
=

c.
5. Determine, se possível, o valor da constante c para que
lim
a!0
+
ln(x+1)

1 + c ln (r + 1) = lim
a!0
rsen
2
(r)
3tg
3
(r) cos (r)
.
38
4.2 Respostas
Exercícios
1.
1. 0 2. cos n
3. 0 4. 9
5. 0 6.

·, para r ÷÷·
0, para r ÷+·
7. 3 8. 0
9. 2 10. 1
11. +· 12. 1
13. 0 14.
1
2
:
2
15. c 16. 2
17. 1 18.
4
¬
c
2
19. 0 20. 6
21.
1
2
22. ÷
1
2
23.
1
3
24.
1
3
25.
1
8
:
2
26. ÷·
27. c 28. c
2
29. c
2
30. c
1
31. c 32. c
2
33. 1 34. 1
35. 1 36.
37. 2 38. 1
39.
1
3
40. ·
41.
1
2
42.
43. c
2

44. 0
45. ÷
1
2
46. 1
47. · 48. 0
49. · 50. c
8
51.

2 52. 0
53. 0 54. c
1
2. c = ln 2
3. c = ÷1 e / = ±
1
2
.
4. c =
1
4
.
5. c = ÷ln 3.
39
Capítulo 5
Análise da Variação das Funções
5.1 Exercícios
1. Em cada caso, examine se as funções satisfazem as condições e veri…cam o Teorema
de Rolle.
(a) 1 (r) = 2r
2
+ r sobre o intervalo

1
2
. 1

;
(b) 1 (r) = 1 ÷
3

r
2
sobre o intervalo [÷1. 1];
(c) 1 (r) =tg(r) sobre o intervalo [0. :];
(d) 1 (r) = (r ÷1) (r ÷2) (r ÷3) sobre o intervalo [1. 3];
(e) 1 (r) = sin
2
(r) sobre o intervalo [0. :].
2. Sabendo que 1 (r) = 4r
3
÷4r + r
2
÷1 tem raízes ÷1 e 1, pelo teorema de Rolle
para veri…car é possível a…rmar que a derivada tem alguma raiz entre ÷1 e 1?
Justi…que.
3. Em cada caso, examine se as funções satisfazem as condições e veri…cam o Teorema
deo Valor Médio (de Lagrange).
(a) 1 (r) =
3

r
2
÷5r + 6 sobre o intervalo [÷3. 4];
(b) 1 (r) = 1 ÷
5

r
4
sobre o intervalo [0. 2];
(c) 1 (r) = r
4
3
sobre o intervalo [÷1. 1];
(d) 1 (r) = sin

¬a
2

sobre o intervalo [0. 1];
(e) 1 (r) =
1
a
sobre o intervalo [÷1. 1];
(f) 1 (r) =
1
(a2)
2
sobre o intervalo [0. 1].
4. Através do teorema de Rolle é possível a…rmar que a função 1 (r) = 2 ÷ [3 ÷r[
possui um ponto crítico no intervalo [1. 5]? Justi…que.
5. Use algum dos teoremas estudados para determinar em que ponto da curva 1 (r) =
r
3
÷ 2r
2
÷ 1 a reta normal a esta curva é perpendicular a reta que passa pelos
pontos ¹(1. ÷2) e 1(0. ÷1).
6. Utilize o Teorema de Lagrange para demonstrar as desigualdades:
(a) c
a
_ 1 + r, para r _ 0;
(b) arctg(r) < r, para r 0;
(c) /
a
÷c
a
< :/
a1
(/ ÷c), para / c, : ÷ N;
(d) [sin o ÷sin c[ _ [o ÷c[, para c e o ÷ R.
7. Para que valores de c, : e / a função 1 (r) =

3, se r = 0
÷r
2
+ 3r + c, 0 < r < 1
:r + /, se 1 _ r _ 2
satisfaz
o teorema do Malor Médio no intervalo [0. 2]?
8. Em que ponto da curva 1 (r) = r
a
a tangente a curva é paralela a corda que une
os pontos ¹(0. 0) e 1(c. c
a
)?
9. Seja o a função de…nida por o (r) =

4 ÷r
2
.
(a) Usando um dos teoremas estudados, determine o ponto em que a reta normal
à curva n = o (r) também é normal a reta que passa pelos pontos ¹(÷2. 0)
e 1(0. 2).
(b) A função n = 1 (r) =

16 ÷r
4
.o
0
(r), veri…ca o teorema de Rolle entre as
raízes da função o? Justi…que.
10. Seja j (r) = ¹r
2
+ 1r + (, onde ¹, 1 e ( são constante reais e ¹ = 0. Mostre
que para qualquer intervalo [c. /], o valor de c cuja existência é garantida pelo
Teorema de Lagrange, é o ponto médio do intervalo.
11. A…rma-se que 1 (0) = ÷3 e 1
0
(r) _ 5, para todo r real, então pelo Teorema do
Valor Médio (ou de Lagrange) o maior valor possível para 1 (2) é 7. Pergunta-se:
é verdade? Justi…que.
12. Em cada caso, determine os intervalos onde 1 (r) é crescente e decrescente bem
como todos os pontos de valor máximo e mínimo:
1. 1 (r) =
a
(a8)(a+2)
; 2. 1 (r) =
a
2
2a+2
a1
;
3. 1 (r) = r + sin r; 4. 1 (r) = r ln r;
5. 1 (r) = arcsin (1 + r); 6. 1 (r) = 2c
1+a
;
7. 1 (r) = rc
a
; 8. 1 (r) =
16
a(4a
2
)
;
9. 1 (r) =
a
3
a
2
+3
; 10. 1 (r) = 2 sin r + cos (2r);
11. 1 (r) =
(a2)(8a)
a
2
; 12. 1 (r) = cos r;
13. 1 (r) =
a
2
p
a
2
1
.
41
13. Em cada caso, determine todos os intervalos de concavidade e convexidade bem
como os pontos de in‡exão.
a. 1 (r) = cos r; b. 1 (r) = r ÷sin r;
c. 1 (r) = (r + 1)
4
; d. 1 (r) =
3

2cr
2
÷r
3
;
e. 1 (r) = c
a
2
.
14. Em cada caso, determine a equação de todas as assíntotas:
a. 1 (r) =
a
2
p
a
2
1
; b. 1 (r) =
1
(a2)
2
;
c. 1 (r) =
a
a
2
4a+3
; d. 1 (r) = r ÷2 +
a
2
p
a
2
+9
;
e. 1 (r) = 2 + c
a
2
; f. 1 (r) = ln (1 + r);
g. 1 (r) = c
1
x
; h. 1 (r) =
sin a
a
.
15. Faça a análise e construa o grá…co de cada uma das funções:
1. 1 (r) =
ln r
r
; 2. 1 (r) =
6r
2
÷r
4
9
;
3. 1 (r) =
r
4
÷3
r
; 4. 1 (r) =
r
r
4
÷4
;
5. 1 (r) =
3

2r ÷r
3
; 6. 1 (r) =
1
1 ÷c
a
;
7. 1 (r) = c
a
2
+ 2; 8. 1 (r) = c
1
x
;
9. 1 (r) =sen(r); 10. 1 (r) =
1
(r ÷2)
2
;
11. 1 (r) = rc
a
2
; 12. 1 (r) = r +
1
r
;
13. 1 (r) = cosh (r); 14. 1 (r) = 2r + 1 + c
a
;
15. 1 (r) = r
2
c
1a
; 16. 1 (r) = 2r +
1
r
2
;
17. 1 (r) = 2

r ÷r; 18. 1 (r) =
r
2
÷1
r
2
+ 1
;
19. 1 (r) =
16
3
r
3
+
1
a
; 20. 1 (r) = (r ÷1) c
a
;
21. 1 (r) =

r +
2

r
÷2

2; 22. 1 (r) = r ÷
1
r
;
23. 1 (r) =
3

c
a
2
; 24. 1 (r) = 3r + (r + 2)
3
5
;
25. 1 (r) = rc
a
; 26. 1 (r) = c
a
+ rc
a
;
27. 1 (r) = r + ln r; 28. 1 (r) =cotg(r), \r ÷ (÷:. :)
29. 1 (r) = sec (r), \r ÷ (÷2:. 2:); 30. 1 (r) =arctg(r);
31. 1 (r) = ln (cos (2r)), \r ÷ (0. 2:) 31.
16. Dada a função 1 (r) = ln (r
2
+ 1), explique, usando o Teorema de Rolle, porque
é possível a…rmar que existe um possível ponto de in‡exão no grá…co da curva de
n = 1 (r), no intervalo

1
2
. 2

.
17. Seja 1 (r) = 2cr
3
+ /r
2
÷cr + d uma função.
(a) Determine uma relação entre as constantes c, /, c e d para que 1 (r) tenha
pontos críticos em r = 0 e r = 1.
42
(b) Se c 0 em qual dos pontos críticos a função terá máximo e/ou mínimo?
18. Considere a função 1 (r) = r
8
+ 2r
7
÷8r
6
+r
5
÷2r
4
+ 2r
3
+ 4r
2
. A…rma-se que
no intervalo (0. 1) esta função tem pelo menos um ponto crítico. Pergunta-se: é
verdade ? Justi…que sua resposta.
19. Determinar os coe…cientes c e / de forma que a função 1 (r) = r
3
+cr
2
+/ tenha
um extremo relativo no ponto (÷2. 1).
20. Esboce o grá…co da função 1 (r) que satisfaz as seguintes condições:
i. 1 (0) = 1;
ii. n = 1 é uma assíntota horizontal de 1;
iii. 1 não possui assíntota vertical.
iv. 1
0
(r) 0 para todo r ÷ (÷·. ÷1) ' (1. +·) ;
v. 1
0
(r) < 0 para todo r ÷ (÷1. 1) ;
vi. 1
00
(r) 0 para todo r ÷

÷·. ÷

3

'

0.

3

;
vii. 1
00
(r) < 0 para todo r ÷

÷

3. 0

'

3. +·

.
Determine os pontos de máximo(s) e/ou mínimo(s) e o(s) ponto(s) de in‡exão.
Justi…que cada um desses itens.
21. Construa o grá…co de uma função que satisfaz as seguintes condições: 1
0
(÷1) =
1
0
(1) = 0; 1
0
(r) < 0 se [r[ < 1; 1
0
(r) 0 se 1 < [r[ < 2; 1
0
(r) = ÷1 se [r[ 2;
1
00
(r) < 0 se ÷2 < r < 0; o ponto 1 (0. 1) é um ponto de in‡exão.
22. Considere o grá…co da função abaixo:
-6 -4 -2 2 4 6
-4
-2
2
4
x
y
Faça a análise grá…ca de 1, observando, se existir(em), assíntota(s) vertical(is), as-
síntota(s) horizontal(is), os intervalos em que 1
0
(r) 0 e 1
0
(r) < 0 , os intervalos
em que 1
00
(r) 0 e 1
00
(r) < 0 , pontos de máximo(s) e/ ou mínimo(s) relativos e
o(s) ponto(s) de in‡exão. Justi…que cada item.
23. Sabe-se que 1 é uma função contínua em R. Construa o grá…co de 1 de tal forma
que sua primeira e sua segunda derivada apresentem o comportamento abaixo
ilustrado
43
-6 -4 -2 2 4 6
-1
1
x
y
-4 -2 2 4
1
2
x
y
n = 1
0
(r) n = 1
00
(r)
24. Construa o grá…co de uma função contínua emR que satisfaz as seguintes condições:
i. 1
0
(r) 0 se [r[ < 2; 1
0
(r) < 0 se [r[ 2; 1
0
(2) = 0;
ii. lim
a!+1
1 (r) = 1 e 1 (÷r) = ÷1 (r) ;
iii. 1
00
(r) < 0 se 0 < r < 3;
iv. 1 (3. 1 (3)) é ponto de in‡exão.
25. Esboce o grá…co de função 1, contínua em R, sabendo que grá…co da primeira
derivada de 1 está abaixo ilustrado.
x
y
-3 -3/2 1 4 6
( ) x f y ' =
x
y
-3 -3/2 1 4 6
( ) x f y ' =
26. A resistência de uma viga retangular é diretamente proporcional ao produto de
sua largura pelo quadrado de sua altura da secção transversal. Determine as
dimensões da viga mais resistente que pode ser cortada de um toro cilíndrico de
raio c.
a
b
h
seção transversal
aa
b
h
b
h
seção transversal
27. Quer-se construir uma residência retangular que tenha 236 :
2
de área. Quais
devem ser as dimensões para que seu perímetro seja o menor possível?
28. Tem-se um terreno retangular de 4328 :
2
de área. Pretende-se murá-lo e sabe-se
que o vizinho de um dos lados paga a metade do muro que faz limite com sua
propriedade. Para tanto, quais devem ser as dimensões deste terreno para que se
gaste o mínimo possível ao murá-lo?
44
29. Dentre todos os retângulos de área 49 c:
2
, qual tem perímetro mínimo?
30. Um fazendeiro tem 24 : de cerca para construir três chiqueiros retangulares ad-
jacentes (de mesma área), conforme …gura. Quais devem ser as dimensões totais
dos chiqueiros de modo a maximizar sua área total ?
31. Num sólido será construído acoplando-se a um cilindro circular reto de altura / e
raio : uma semi-esfera também de raio :. Deseja-se que a área da superfície do
sólido seja de 5:. Determine os valores de : e / para que o sólido tenha volume
máximo.
32. Num arame de comprimento 1 é cortado em dois pedaços, sendo que um pedaço
é dobrado em forma de quadadro cujo lado é /, e o outro pedaço é dobrado em
forma de circulo cujo raio é 1. Como devemos cortar o arame para que a soma
das áreas englobadas pelos dois pedaços seja máxima? (Considere 1 = 12 :.)
33. Há várias semanas, o Departamento de Estradas vem registrando velocidade do
tráfego ‡uindo numa rodovia após uma saída. Os dados sugerem que a velocidade
do tráfego na saída é aproximadamente 1 (t) = t
3
÷10. 5t
2
+30t +20 /:/, onde
t é o número de horas após o meio dia. A que horas entre 15 : 00 e 18 : 00 /:, o
tráfego se move mais rápido, e a que horas ele se move mais lentamente?
34. Considere três números positivos tais que sua soma é 15. Sabendo-se que o dobro
do primeiro mais três vezes o segundo, mais quatro vezes o terceiro é 45, determine
então esses números de modo que o produto dos três seja o maior possível.
35. Determine o comprimento da maior “vara” que pode ser transportada horizontal-
mente, através das quina de um corredor de 2 : de largura, para outro de 4 : de
largura.
m 2
m 4
m 2
m 4
36. Considere o retângulo, da …gura, cujo perímetro é 16. Determine os lados do
retângulo para que a área do trângulo ¹1( seja a maior possível.
A
B
C
a
b
A
B
C
a
b
45
37. Determine, se existir, um número positivo tal que a soma de seu cubo com 4 vezes
o inverso de seu quadrado seja o menor possível.
38. Considere um semi-círculo de raio 2. Determine:
(a) as dimensões do retângulo com máxima área que seja inscrito neste semi-
circulo;
(b) a área deste retângulo.
39. Quer-se contruir um galpão retangular com área de 12.100 :
2
. Exige-se que exista
um espaço livre de 25 :na frente, 20 :nos fundos e 12 :em cada lado. Determine
as dimensões do terreno que tenha área mínima, na qual possa ser contruído este
galpão.
40. Quer se pendurar um peso mediante um …o em forma da …gura a abaixo ilustrada,
a 16 metros abaixo de uma viga ¹1. Sabe-se que a distância entre os pontos ¹ e
1 é de 8 :. Calcular o comprimento mínimo do …o a ser empregado.
A B A B
41. Um recipiente com a forma de um paralelepípedo de base quadrada tem um volume
de 2.000 c:
3
. Sabendo-se que o custo da base e da tampa é o triplo do custo dos
lados, determine as dimensões do recipiente de menor custo possível.
42. Duas cidades estão localizadas ao sul de um rio, distantes 10 /:, conforme a …gura.
Uma estação bombeadora de água será instalada para servir as duas cidades. A
tubulação seguirá as retas que ligam cada cidade à estação. De…na o ponto onde
a estação bombeadora deve ser instalada para minimizar o custo da tubulação.
A
B
N S
estação
km 2
km 5
km 10
A
B
N S
estação
km 2
km 5
km 10
43. Determine as dimensões de um cilindro reto inscrito em uma esfera de raio 1 a…m
de que tenha seu volume o maior possível.
44. Um campo retangular está limitado por uma cerca em três de seus lados e por um
córrego reto no quarto lado. Determine as dimensões do campo com área máxima
que pode ser cercado com 1.000 : de cerca.
46
45. Uma pista de atletismo com comprimento total 400:, consiste em 2 semi-círculos
e dois segmentos retos, conforme a …gura abaixo. Determine as dimensões da pista
de tal forma que a área retangular, demarcada na …gura, seja máxima.
rr
46. Uma folha de papelão quadrada com 16 c:
2
é usada para fazer uma caixa aberta,
retirando quadrados do mesmo tamanho dos quatro cantos e dobrando-se os lados.
Qual é o tamanho dos quadrados que resulta na caixa com o maior volume possível?
47. Pretende-se estender um cabo de uma usina de força à margem de um rio, de 900:
de largura, até uma fábrica situada do outro lado do rio, 3000: rio abaixo. O
custo para estender um cabo pelo rio é de 1$5. 00 por metro, enquanto que para
estendê-lo por terra custa 1$4. 00 o metro. Qual é o percurso mais econômico
para o cabo?
48. Quando um pessoa tosse, o raio da traquéia diminui, afetando a velocidade do ar
na traquéia. Se :
0
é o raio normal da traquéia, a relação entre a velocidade · do
ar e o raio : da traquéia é dada por uma função da forma · (:) = c:
2
(:
0
÷:),
onde c é uma constante positiva. Determine o raio para o qual a velocidade do ar
é máxima.
49. Uma pesquisa de opinião revela que r meses após anunciar sua candidatura, certo
político terá o apoio de o (r) =
1
29
(÷r
3
+ 6r
2
+ 63r + 1080) % de eleitores, sendo
0 _ r _ 12. Se a eleição estiver marcada para novembro, qual o melhor mês para
anunciar a candidatura? Se o político necessita de pelo menos 50% dos votos para
vencer, quais são as chances de ser eleito?
50. Considere um trapézio isósceles de área ¹. Sabendo que c é com um ângulo da
base, determine a medida da lateral | para que o perímetro seja mínimo.
α
l
α
l
51. Determine o volume máximo de um cilindro circular reto que pode ser inscrito em
um cone de altura H e raio da base 1, sabendo que a base do cilindro esta contida
na base do cone.
47
5.2 Respostas
1. (a) não; (b) não; (c) não; (d) sim; (e) sim.
2. Sim.
3. (a) não; (b) sim; (c) sim; (d) sim; (e) não; (f) sim.
4. Não. 1
0
não existe em r = 3.
5.

1
3
. ÷
32
27

7. c = 3, / = 4 e : = 1.
8.

c
n1

:
.
c
a
n1

:
a

9. (a)

÷

2.

2

; (b) não.
11. A…rmação verdadeira.
15.
1. 1 (r) =
ln a
a
2. 1 (r) =
6a
2
a
4
9
2 4 6
-1
0
x
y
-4 -2 2 4
-2 x
y
3. 1 (r) =
a
4
3
a
4. 1 (r) =
a
a
4
4
-4 -2 2 4
-100
100
x
y
-4 -2 2 4
-0.2
0.2
x
y
5. 1 (r) =
3

2r ÷r
3
6. 1 (r) =
1
1c
x
-2 2
-2
2
x
y
-4 -2 2 4
-2
2
x
y
7. 1 (r) = c
a
2
+ 2 8. 1 (r) = c
1
x
-4 -2 0 2 4
x
y
-4 -2 0 2 4
10
x
y
48
9. 1 (r) = sin r 10. 1 (r) =
1
(a2)
2
-4 -2 2 4
-1
1
x
y
-5 0 5
x
y
11. 1 (r) = rc
a
2
12. 1 (r) = r +
1
a
-4 -2 2 4
-20
20
x
y
-4 -2 2 4
-5
5
x
y
13. 1 (r) = cosh r 14. 1 (r) = 2r + 1 + c
a
-4 -2 0 2 4
5
x
y
-4 -2 0 2 4
10
x
y
15. 1 (r) = r
2
c
1a
16. 1 (r) = 2r +
1
a
2
-2 0 2 4 6
10
x
y
-4 -2 2 4
-10
10
x
y
17. 1 (r) = 2

r ÷r 18. 1 (r) =
a
2
1
a
2
+1
2 4
0
1
x
y
-5 5
-1
1
x
y
19. 1 (r) =
16
3
r
3
+
1
a
20. 1 (r) = (r ÷1) c
a
-2 -1 1 2
-20
20
x
y
-4 -2 0 2
6
x
y
49
21. 1 (r) =

r +
2
p
a
÷2

2 22. 1 (r) = r ÷
1
a
0 2 4
0.0
0.2
0.4
x
y
-4 -2 2 4
-5
5
x
y
23. 1 (r) =
3

c
a
2
24. 1 (r) = 3r + (r + 2)
3
5
-4 -2 0 2 4
10
x
y
-2 2 4
10
x
y
25. 1 (r) = rc
a
26. 1 (r) = r + ln r
-4 -2 2 4
-2
x
y
2 4
-5
0
5
x
y
27. 1 (r) = r ÷ln r 28. 1 (r) =cotg(r)
0 2 4
0
10
x
y
-2 2
-5
5
x
y
29. 1 (r) = sec (r) 30. 1 (r) =arctg(r)
-5 5
-5
5
x
y
-4 -2 2 4
-1
1
x
y
31. 1 (r) = ln (cos (2r))
0 2 4 6
-8
0
x
y
16. Sugestão: Aplique o Teorema de Rolle para a função o (r) = 1
0
(r) .
17. (a) / = ÷3c, c = 0 e d ÷ R.
(b) 1
1
(0. 1 (0)) e 1
2
(1. 1 (1)) são pontos de máximo e mínimo relativo,
respectivamente;
18. A…rmação verdadeira.
19. c = 3 e / = ÷3.
26. / =
2
p
3
3
c n.c. e / =
2
p
6
3
c n.c.
27. 2

59 e 2

59
28. 75. 96 : e 56. 97 :.
29. O retângulo que tem perímetro mínimo é o quadrado. Dimensão: 7c:.
50
30. 2 : e 3 :.
31.: = / = 1 n.c.
32.
6
4+¬
= 0.840 15 : e

3 ÷3
¬
¬+4

= 1. 680 3 :.
33. Velocidade máxima: 15 /:; velocidade mínima: 17 /:.
34. 5, 5 e 5.
35. 8. 3:
36. 4 n.c. e 4 n.c.
37.
5

8
3
.
38. (c)

2 n.c. e 2

2 n.c.; (/) 4 n.c.
39. 80. 33 : e 150. 62 :.
41. 5
3

144 c: e
20
3
p
12
c:.
42. 2. 8 /: após o ponto `.
43.

2
3
1 e
2
p
3
3
1.
44. 250 : e 500 :.
45. 100 : e
100
¬
:.
46.
2
3
c:
47. 982 : pelo rio e 2607 : por terra.
48.
2
3
:
c
.
50.

¹
sen c
.
51
Capítulo 6
Integral Inde…nida
6.1 Exercícios
1. Calcule as integrais inde…nidas abaixo usando integração imediata ou o método
da substituição.
(a)

1 +
1
a

3
dr (b)

oa
(a+2)
3
(c)

r

r ÷1dr (d)

r
3

r
2
+ 3dr
(e)

ln
3
r
r
dr (f)

x

:
r
2
dr
(g)

sin r cos rdr (h)
sin

a
3

2 + cos

a
3
dr
(i)


r
7
÷
3

r
6
4

r
dr (i)


c
p
a

r
+
1
p
ac
p
x

dr
(k)

c
1
x
+ 1
r
2
dr (l)

arctg

r
(1 + r)

r
dr
(m)

sec

r tg

r
2

r
dr (n)

c
4a
(1 + 3c
4a
)
2
dr
(o)

dr
1 + cos r
(p)

ln r
r + 4r ln
2
r
dr
(q)

senh(3r) dr (r)

tgh(ln (cos r)) tg r dr
2. Use o método de integração por partes para calcular as integrais inde…nidas abaixo:
(a)

r
2
cos rdr (b)

r
3
c
2a
dr
(c)

c
oa
cos (/r) dr, onde c e / ÷ R

(d)

ln

r +

1 + r
2

dr
(e)

r sen(3r ÷2) dr (f)

r sec
2
rdr
(g)

r
a
ln (2r
3
) dr, : ÷ N (h)

arcsen(2r) dr
(i)

arctg

r

1 ÷r
2

dr (j)

cos (ln r) dr
3. Resolva as integrais de funções trigonométricas abaixo:
(a)

sin
4
(cr) dr, c ÷ R

(b)

sen
2
r cos
5
rdr
(c)

sen
2 a
2
cos
2 a
2
dr (d)

(sen
2
3r + cos 3r)
2
dr
(e)

sen(3r)sen(2r) dr (f)

(2 ÷sen(r))
2
dr
(g)

cotg
3
(2r)cossec(2r) dr (h)

tg
3
(r) sec
4
(r) dr
(i)

cotg
3
(2r) dr (j)

tg
2
r sec
3
rdr
4. Calcule as integrais inde…nidas, a seguir, pelo método da substituição trigonométrica.
(a)

r
1 + r
4
dr (b)


9 ÷r
2
r
3
dr
(c)

r
2
÷c
2
dr, c ÷ R

(d)

dr

r
2
÷25
(g)

dr
r

4 + ln
2
r
(h)

r + 4
4r
2
+ 5
dr
(i)

dr
c
2
sin
2
r + /
2
cos
2
r
(j)

dr
(1 +

r)
3
2
(k)

dr
r
3

r
2
÷4
5. Resolva as integrais inde…nidas elementares, que contém um trinômio quadrado,
abaixo:
(a)

r + 3
r
2
÷2r ÷5
dr (b)

(r ÷1)
2
r
2
+ 3r + 4
dr
(c)

5r + 3

r
2
+ 4r + 10
dr (d)

r ÷1
(r
2
+ 2r + 3)
2
dr
(e)

2r ÷1
(2r + r
2
)

2r + r
2
dr (f)

dr
r
2

r
2
+ r + 2
(g)

2c
a
+ 1
c
a
+ 2 ÷
5
c
x
dr (h)

r

6r ÷r
2
dr
(i)

cos r
sen
2
r ÷6sen r + 12
dr
6. Use o método da decomposição em frações parciais para resolver as integrais in-
de…nidas abaixo:
(a)

5r ÷2
r
2
÷4
dr (b)

r
2
r
2
+ r ÷6
dr
(c)

4r ÷2
r
3
÷r
2
÷2r
dr (d)

dr
r
3
+ 3r
2
(e)

r
2
÷r ÷4
(r
2
+ 4) (2r ÷1)
dr (f)

r
2
+ 2r ÷1
(r ÷1)
2
(r
2
+ 1)
dr
(g)

3r
2
÷r + 4
r (r
3
+ 2r
2
+ 2r)
dr (h)

r
5
+ 9r
3
+ 1
r
3
+ 9r
dr
(i)

3c
2a
+ 2c
a
÷2
c
3a
÷1
dr (j)

2a
3
a+1
a(a
2
+1)
2
dr
(l)

r
3
+ 3r ÷1
(r ÷1) (r
4
+ r
2
)
dr
53
7. Use alguma das técnicas de integração estudadas para provar que:
(a)

dn
n
2
+ c
2
=
1
o
arctg

&
o

+ /
(b)

dn

n
2
÷c
2
= ln

n +

n
2
÷c
2

+ /
(c)

sec n dn = ln [sec n + tg u[ + /
8. Resolva as integrais inde…nifas abaixo pelo método que julgar conveniente:
(a)

ln r
r

1 + ln
2
r
dr (b)


sen r
cos
3
r
+
r
2

1 + r
2

dr
(c)

c
2a
÷1
c
2a
+ 1
dr (d)


2 ÷
3

r
3

r
dr
(e)

sec
2
r
(tg
2
r + 9)
3
2
dr (f)

cos r sen r

1 ÷sen
4
r dr
(g)

1 + c
a
dr (h)


ln
2
r
r
+

r ln r

dr
(i)


r
1 + r
dr (j)

dr

r ÷1
(k)

dr

1 + c
a
(l)

r (ln r)
2
dr
(m)

ln (ln r)
r ln r
dr (n)

dr
1 + c
a
(o)

r
2
ln
3
(1 + r
3
)
1 + r
3
dr (p)

ln r

r
dr
(q)

sin
4
(c
2a
) cos (c
2a
) c
2a
dr (r)

(

r + 1)
1
3

r
dr
(s)

(ln (cos r))
2
tg rdr (t)

dr
3 +

1 + 2r
(u)

ln (r
2
+ 1) dr (v)

c
sec
2
a
tan r
cos
2
r
dr
(w)

c
a

c
2a
+ 1
dr (x)

r arcsen r

1 ÷r
2
dr
(y)

ln [ln (ln r)]
r ln r
dr (z)

rtg
3

r
2
÷1

r
2
÷1
dr
54
(aa)

r

1 + r ÷
4

1 + r
dr (bb)

ln (r + 3)

r + 3
dr
(cc)


cotg(4a)
3

cotg(4a)

cotg(4a)
cossec
2
(4r) dr (dd)

dr
r
2
cossec
8

2
a

sec
3

2
a

(ee)

tg (r) sec r
cos
2
r + 9
dr (¤)


ln
2
r ÷2 ln r + 10
r
dr
(gg)

sin (4r) c
cos
2
a
dr (hh)

(3 cos
2
r ÷2) sin r
cos
3
r ÷cos
2
r + cos r ÷1
dr
(ii)

c
2a
cos
2
(3c
a
) dr (jj)

:
5a
+ 9:
3a
+ 1
:
3a
+ 9:
a
dr
(kk)

3
a
(sin (3
a
) + cos (3
a
))
2
dr (ll)

e
a

1 + c
a
ln (1 + c
a
) dx
(mm)

3
p
a4
a(2
3
p
a
2
+1)
dr (nn)

tg
3
r
cos
2
r
c
1+sec
2
a
dr
55
6.2 Respostas
OBS: Ao resolver essas questões você poderá obter resultados equivalentes.
Exercício 1:
(a)
1
2a
2
(6r
2
ln r ÷6r + 2r
3
÷1) + /
(b) ÷
1
2(a+2)
2
+ /
(c)
2
15
(3r + 2) (r ÷1)
3
2
+ /
(d)
1
5
(r
2
÷2) (r
2
+ 3)
3
2
+ /
(e)
1
4
ln
4
r + /
(f) ÷
¬
1
x
ln ¬
+ /
(g)
2
3
sin
3
2
r + /
(h) ÷3 ln

cos
1
3
r + 2

+ /
(i)
2
51
r
3
4

r
7
÷
2
13
r
13
12
+ /
(j)
1
c
p
x

2c
2
p
a
÷2

+ /
(k) ÷
1
a

rc
1
x
+ 1

+ /
(l) arctan
2

r + /
(n) ÷
1
36c
4x
+12
+ /
(p)
1
8
ln

ln
2
r +
1
4

+ /
(q)
1
3
cosh (3r) + /
(r) ÷ln [cosh (ln (cos r))[ + /
Exercício 2:
(a) r
2
sin r ÷2 sin r + 2r cos r + /
(b) ÷
1
8
c
2a
(4r
3
+ 6r
2
+ 6r + 3) + /
(c)
c (cos /r) c
oa
+ /c
oa
sin /r
c
2
+ /
2
+ /
(d) r ln

r +

r
2
+ 1

÷

r
2
+ 1 + /
(e)
1
9
sin (3r ÷2) ÷
1
3
r cos (3r ÷2) + /
(f)
1
2 cos a
(cos r ln (2 cos 2r + 2) + 2r sin r) + /
(g)
a
n+1
(a+1)
2
(ln 2 + 3 ln r + :ln 2 + 3:ln r ÷3) + /
(h)
1
2

1 ÷4r
2
+ r arcsin 2r + /
(j)
1
2
r (cos (ln r) + sin (ln r)) + /
Exercício 3
(a)
1
32o
(sin 4cr ÷8 sin 2cr + 12cr)
(b)
5
64
sin r ÷
1
192
sin 3r ÷
3
320
sin 5r ÷
1
448
sin 7r + /
(c)
1
8
r ÷
1
16
sin 2r + /
(d)
7
8
r +
1
6
sin 3r ÷
1
18
sin 9r +
1
96
sin 12r + /
(e)
1
2
sin r ÷
1
10
sin 5r + /
(f)
9
2
r + 4 cos r ÷
1
4
sin 2r + /
56
(g)
1
8(tan
1
2
a)(tan
2 1
2
a1)

tan
2 1
2
r + 1

2
+ /
(i)
1
4
ln (2 ÷2 cos 4r) + /
Exercício 4
(a)
1
2
arctan r
2
+ /
(b) ÷
r
2

9 ÷r
2
÷3r
2
arctanh
3
p
9a
2
+ (9 ÷r
2
)
3
2
18r
2
+ /
(c)
1
2
r

r
2
÷c
2
÷
1
2
c
2
ln

r +

r
2
÷c
2

+ /
(d) ln

2r + 2

r
2
÷25

+ /
(e)
1
6
a
p
6a
2
+ /
(f) arcsin

1
2

2 sin r

+ /
(g)
1
2
arctan

1
2
ln r

+ /
(h)
1
8
ln

r
2
+
5
4

+
2
5

5 arctan
2
5

5r + /
Exercício 5
(a)
1
2
ln (r
2
÷2r ÷5) +
1
3

2

3 ln

÷
1
a
2
+2a+5

6 ÷r + 1

2

+ /
(b) r ÷
5
2
ln (r
2
+ 3r + 4) +
9
7

7 arctan

7

2
7
r +
3
7

+ /
(c) 5

r
2
+ 4r + 10 ÷7 ln

1
6

6

r
2
+ 4r + 10 +
1
6

6r +
1
3

2

3

+ /
(g) ln (c
2a
+ 2c
a
÷5) +
1
12

6 ln
c
a
+

6 + 1
c
a
÷

6 + 1
+ /
(h) ÷3 arcsin

1 ÷
1
3
r

÷

÷r (r ÷6) + /
(i)
1
3

3 arctan

1
3

3 sin r ÷

3

+ /
Exercício 6
(a) 2 ln (r ÷2) + 3 ln (r + 2) + /
(b) r +
4
5
ln (r ÷2) ÷
9
5
ln (r + 3) + /
(c) ln r (r ÷2) ÷2 ln (r + 1) + /
(d) ÷
1
9a
(r ln r ÷r ln (r + 3) + 3) + /
(e)
1
2
ln (r
2
+ 4) ÷
1
2
ln

r ÷
1
2

+ /
(f)
ln(a
2
+1)2 arctan a+2 ln(a1)+2aarctan a2aln(a1)+aln(a
2
+1)+2
2(1a)
+ /
(g) ÷
1
4a
(7:r ÷14r arctan (r + 1) ÷5r ln (r
2
+ 2r + 2) + 10r ln r + 8) + /
(h)
1
9
ln r ÷
1
18
ln (r
2
+ 9) +
1
3
r
3
+ /
(i)
3
2
ln (c
2a
+ c
a
+ 1) ÷ln (c
a
÷1) +
1
3

3 arctan

2
3

3c
a
+
1
3

3

+ /
(j)
4 ln a6a2 ln(a
2
+1)+2 arctan a2a
2
ln(a
2
+1)¬a
2
+4a
2
ln a+2a
2
arctan a
4(a
2
+1)
+ /
(l)
1
4a
(6r ln (r ÷1) ÷6r arctan r + r ln (r
2
+ 1) ÷8r ln r ÷4) + /
Exercício 8
57
(a)
1
2
ln

ln
2
r + 1

+ /
(b)
a
p
a
2
+1ln(a+
p
a
2
+1) cos 2aln(a+
p
a
2
+1)+a(cos 2a)
p
a
2
+1+2
4 cos
2
a
+ /
(c) ln (c
2a
+ 1) ÷ln (c
a
) + /
(h)
2
3
r
3
2
ln r +
1
3
ln
3
r ÷
4
9
r
3
2
+ /
(l)
1
4
r
2

2 ln
2
r ÷2 ln r + 1

+ /
(m)
1
2
ln
2
(ln r) + /
(n) r + ln (c
a
+ 1) + /
(o)
1
12
ln
4
(r
3
+ 1) + /
(p) 2

r (ln r ÷2) + /
(q)
1
160
sin (5c
2a
) ÷
1
32
sin (3c
2a
) +
1
16
sin (c
2a
) + /
(u) 2 arctan r ÷2r + r ln (r
2
+ 1) + /
(v)
1
2
c
1
cos
2
x
+ /
(y) (ln (ln r)) (ln (ln (ln r)) ÷1) + /
(bb) 2 (ln (r + 3) ÷2)

r + 3 + /
(gg) ÷c
1
2
cos 2a+
1
2
(2 cos 2r ÷4) + /
(hh) ÷
5
4
ln

1
2
cos 2r +
3
2

÷
5
2
arctan (cos r) ÷
1
2
ln (cos r ÷1) + /
(ii) ÷
1
72
c
2a
( ( cos ( 6c
a
) ) c
2a
+ 6 ( sin ( 6c
a
) ) c
a
+ 18) + /
(kk) ÷
1
2 ln 3
(cos (2 3
a
) ÷(2 3
a
)) + /
(ll)
2
9
(3 ln (c
a
+ 1) ÷2) (c
a
+ 1)
3
2
+ /
58

3. Resolva as inequações em <: a. j6 2xj 7; 6 5x 1 ; c. 2 3+x x+2 e. < 4; 2x 3 g. 2 < jx i.
10 3

b. jx + 4j d. j9 f. x + 2xj

j2x j4xj;

6j;

k. 9 < jx2 m. jxj + o.

1j + jxj + jx + 1j < 9; 1 < 26 ; < jxj + 5 jxj 6xj x < 1; 16; n. p

1 6; x 1 h. jxj + < 0; x j. 5 < j4 x2 j < 12; x 1 1 3 < ; jxj l. jxj > 2 jxj x ;

j2 + xj > 4; j3 xj q. 3 jx 1j + jxj < 1; 1 s. 1 jxj < ; jxj 2 ; u. 1 + jxj < jxj 1 x 2 x w. ; jx 3j x

jx + 1j jxj 1 1 ; p. 5 jx + 1j jx + 3j r. j3 xj < x 1 1 ; 1 1 t. ; 5 jx + 1j jx + 3j 3 2x v. 4; 1+x 3 y. p + 4 < 0; x 1+2

4. Em cada caso, escreva a função pedida na forma mais simples e dê o domínio da função resultante (a) Se f (x) = 1 x , então x+1 1 i. f 1+x ; ii. (f f ) (x) :

1 x2 (b) Se f (x) = 2 , então x +1 i. g (x) = 2f (x) f (2x) ii. g (x) = 1 f (x) f x 2 2 iii. f ( x 1) n+1 iv. f n 1 (c) Se f (x) = 2x2 (d) Se f (x) = 4x2 (e) Se f ( ) =
1 , +1

3x + 4, então encontre h(x) = f (x + h) 3x + 2, então obtenha g (h) = então g ( ) = f( ) f( ) . 1 + f ( )f ( ) 2 f (a + h) h

f (x). f (a) .

(f) Se f (x) = sin2 (2x), então f

+

2

.

(g) Se f (x) = ln x e g (x) = x3 , então i. (f g) (x) ii. (g f ) (x) 5. Determine o domínio das funções: a. c. e. x 1 ; f (x) = xe + 2 x +1 arcsen x 2 f (x) = ; ln r (x 1) jxj f (x) = ; x+1 1 ; f (x) = p ln (x2 + 1)
x

b. f (x) = d. f (x) = f. f (x) =

p 3 (1 p j1

x2 + 1 ; ex ) (x + 1) xj jx + 2j x;

ln (ex + 1) + 3 ; x px x2 + 1 h. f (x) = p g. ; p x2 + x2 + 1 r p 2 1 x2 ln(sen x). i. f (x) = e j. f (x) = cosh 1 x jx 3x+5 ; 5j r x2 3x+5 1 senh (1 k. f (x) = (x 1 j3 xj)x ; l. f (x) = jx 5j s p 1 e x 1 j3 xj m. f (x) = ln 2 + jxj : ; n. f (x) = x 1 senh (1 2x )

2 x );

6. Use a de…nição de módulo para rede…nir as funções abaixo. A seguir, esboce o grá…co de f . (a) f (x) = jxj + j2x x2 j 1j + jx 1j

(b) f (x) = j9

7. A função f (x) é uma função do 1o grau. Escreva a função sabendo que f ( 1) = 2 e f (2) = 3: 8. Determine, nas …guras abaixo, se o grá…co é simétrico em relação ao eixo x, ao eixo y, à origem ou nenhum dos procedentes.
y y y y

x

x

x

x

9. A …gura em anexo mostra a parte de um grá…co. Complete o grá…co de forma que ele seja simétrico com relação: (a) ao eixo x; (b) ao eixo y; (c) à origem. 3

y

x

10. A …gura em anexo mostra a parte de um grá…co. Complete os grá…cos supondo que: (a) f é uma função par; (b) f é uma função ímpar.

y

x
11. Classi…que as funções cujos grá…cos estão na …gura abaixo em anexo, como pares, ímpares ou nenhum dos dois casos.

y

2 1 2 4

y
5

y
20 10

y
100

-4 -2 -1 -2

x

-4 -2

2 4

x

-4 -2 0 2 4

-4 -2

2 4

x

-100

x

12. Determine quais das funções são pares ou ímpares. (a) f (x) = 5x3 2x; (b) f (s) = s2 + 2s + 2; v v (c) f (t) = jtj ; (d) f (v) = a +a ; 2 p (e) f (x) = ln x + 1 + x2 ; (f) f (u) = ln 1+u : 1 u 13. Mostre que se f e g são funções ímpares, então (f + g) e (f funções ímpares. 14. Mostre que se f e g são funções ímpares, então 15. Mostre que a função ímpar.
1 2 f g

g) são também

é uma função par.
1 2

[f (x) + f ( x)] é par e que a função

[f (x)

f ( x)] é

4

16. Demostre que qualquer função f : R ! R pode ser expressa como a soma de uma função par com uma função ímpar. 17. Mostre que a função f (x) = ex pode ser escrita como a soma de uma função par com uma função ímpar. 18. Determine a fórmula da função inversa. Faça os grá…cos da função dada e de sua inversa. p (b) f (x) = x 1; x 1; (a) f (x) = x+a ; x a p x2 (d) f (x) = 5 4x + 2; (c) f (x) = x2 +1 ; x 0; (e) f (x) = x25 ; x 0; +1 19. Em cada parte, combine a equação e um dos grá…cos em anexo. p (a) y = 5 x; (b) y = 2x5 1 (c) y = px8 (d) y = 8x ; (f) y = 81x (e) y = 4 x 2

y
1 0 0 2 4 6 8 -4

y
5 -2 -5 2 4 -4

y
-2 -1 2 4

x

x

x
-2

y
1 -5 -1 5

y 10
5

y 10
5 0 2 4 -4 -2 0 2

x

-2

x

x

20. Mostre que a função f (x) =

x+2 2x 1

coincide com a sua inversa. 4j + 2 jxj :

21. Seja a função de…nida por f (x) = jx2

(a) A função f é par ou ímpar? Use a de…nição de função par ou ímpar para justi…car sua resposta. (b) Use a de…nição de módulo para reescrever f como uma função de…nida por partes. (c) Construa o grá…co da função f_:

5

1 g. 1) f0g v.1. 2. 4g 2 (b) 2. 5) j. R t. +1) 9 p p p p f0g f. 1. 0) [ (1. 3 . 5 3 (e) [2. p [ 2. +1) (f) ( 1. 11 . 2 + 6 [ ( 3. 14 p. ( 5. 2(x2 +1)2 (iii) x(2+x) . 0) [ (4. 0) [ (2. 2 [ 6. ( 1. ( 3. 3 2 (c) f10g (e) f9g 4 4 (g) 19 . (1. 3) [p 3 . +1) [ ( 1. 11 [ (0. +1 (q) ( 1. +1) Exercício 2 2 1 (a) . (ii) ln3 x Exercício 5 Exercício 3 1 a. 2) [ (3. +1) (i) ( 1. 1 (b) f 1g [ [5. 3 3 (h) f 11. 4) [ 6. +1) (s) ( 1. 0) [ (2. fg 4x4 9x2 4 . 2 e. +1) (g) (1. +1) 1 3 m. 1 [ (3. 1) [ ( 1. +1) 9 (d) 3. +1 2 f0. 3) [ 3. 2 2 3 [ 3 + 2 2. 1. 3) [ (4. (2. +1) 3 3 (o) ( 1. ( 1. 3 2 2 [ 2 2 + 3. 4) 5 5 3 k. 3. 6 2. 1. 4) (h) (0. +1) 2 3 9 5 9 3 c. 3) f0g h.2 Respostas Exercício 1 (a) ( 7. 3 p 3 2 [ 3 . (1. 1 [ p . 3) o.2 d. 3) [ (2. (ii) 2 +1)(4x (c) 4xh + 2h2 3h (d) 8a + 4h 3 2 (e) 2 1 (f) sen2 (2 ) (g) (i) 3 ln x. ( 1. 2 [ [10. x2 +2x+2 (iv) 2n n2 +1 6 . +1) 3 p q. 1 [ (1. 8) (c) 1. 2 5 + 2 n. 1. +1) (r) ( 1. 0) 1 1 i. 21 (i) f1. 3 . 0) [ (0. 8 l. 4) 7 2 (n) . +1 2 6 i w. +1) (k) (0. 2) (l) ( 14. 3g y. 3) [ ( 3. 2 [ ( 1. 1. 2 1 (f) 3. 1) 8 (p) [2. 1. 1 b. 1. ( 4. 3 [ (1. 3 3p2 [ 3 + 3 2. (ii) x 4 2 1 (b) (i) (x4x 9x 2 +1) . 2) [ 2 . 1. 7 [ . 2 + p 2) 2 s. 1) 5 (j) 1. ( 5. 1) (m) 1. +1) (d) (2. 15g Exercício 4 x (a) (i) 2+x . 3] [ (3. fg r. +1) p p (t) ( 1. 10 [ [2. 1 . 1) 1 u. 2 [ 13 .

1) ! R+ (d) y = (c) f (x) = 4 r1 x 5 x (e) f 1 (x) = . não há simetria. (b) f (x) = > x2 + 2x + 4. a. eixo x. +1) (f) (0. f. se x 2 y6 (c) -2 0 2 x 7 . para x 2 R+ : rx 1 x5 2 x 1 . 1] (j) R f5g 5 (k) (2. 1 [ ( 1. eixo y. b. Exercício 9: (a) ímpar (b) nem par nem ímpar (c) par (d) par (e) nem par nem ímpar (f) ímpar f (x) + f ( x) f (x) f ( x) + : Exercício 16: Sugestão: f (x) = 2 x 2 Exercício 17: Sugestão: escreva ex como e = cosh (x) +sinh(x) : Exercício 18: a (x + 1) (a) f 1 (x) = (b) f 1 (x) = x2 + 1. +1) x+7 Exercício 7: f (x) = 3 Exercício 8: origem. +1) f5g 2 p (m) 2. f 1 : [0. 3 (e) ( 1. 1) (n) [2. 2) (d) 1. c. para x 2 (0. 5] x Exercício 19: e.(a) R (b) R f 1. +1) (l) f0g [ [2. 0g 1 (c) (1. d. Exercício 21: 8 2 2x 4. se 2<x<0 (a) par. se x 2 > x < x2 2x + 4. +1) (g) R f0g (h) R (i) (0. se 0 x < 2 : 2 x + 2x 4.

Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.Capítulo 2 Limite e Continuidade de uma Função 2. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. determine (a) lim f (x) x!3 (b) lim f (x) + x!3 (c) lim f (x) x!3 (d) f (3) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 3 2 1 -5 -1 5 10 x 2. determine (a) lim f (x) x!2 (b) lim f (x) + x!2 (c) lim f (x) x!2 (d) f (2) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y2 1 -10 10 x 3. determine (a) lim f (x) x!4 (b) lim f (x) + x!4 (c) lim f (x) x!4 (d) f (4) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 . Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.1 Exercícios 1.

determine (a) lim f (x) x!0 (b) lim f (x) + x!0 (c) lim f (x) x!0 (d) f (0) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 10 5 -4 -2 2 4 x 5. determine (a) lim f (x) x! 2 (b) lim + f (x) x! 2 (c) lim f (x) x! 2 (d) f ( 2) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y3 -4 -2 0 2 x 6. determine (a) lim f (x) x!3 (b) lim f (x) + x!3 (c) lim f (x) x!3 (d) f (3) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 2 -4 -2 -2 2 4 x 7.y 4 2 0 -2 2 4 6 8 x 4. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. determine (a) lim f (x) x! 2 (b) lim + f (x) x! 2 (c) lim f (x) x! 2 (d) f ( 2) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 9 . Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.

determine (a) lim f (x) x!0 (b) lim f (x) + x!0 (c) lim f (x) x!0 (d) f (0) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y -4 -2 10 2 4 x -10 11. determine (a) lim f (x) x!3 (b) lim f (x) + x!3 (c) lim f (x) x!3 (d) f (3) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 4 2 2 4 6 8 -6 -4 -2 -2 -4 x 10. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.y 4 2 -8 -6 -4 -2-2 -4 2 4 x 8. determine (a) lim f (x) x!4 (b) lim f (x) + x!4 (c) lim f (x) x!4 (d) f (4) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 10 5 -2 2 4 6 8 10 x 9. determine (a) lim f (x) x!0 (b) lim f (x) + x!0 (c) lim f (x) x!0 (d) f (0) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 10 . Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.

5 -4 -2 -0.y -10 2 1 -1 -2 10 x 12. determine (a) lim f (x) (b) lim f (x) (c) lim f (x) + x!0 x!0 x!0 (d) f (0) (e) lim f (x) x!+1 (f) lim f (x) x! 1 y 1. Para a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Considere a função f (x) cujo grá…co está na …gura em anexo. Use a de…nição de limite para mostrar que: 3x 2 =5 x!2 x 2 (b) lim (x2 x 6) = 4 (a) lim x!2 2x2 (c) lim 1 x x! 1 2 =0 11 . Considere a função g (x) cujo grá…co está na …gura em anexo.0 2 4 x 13. Para que valores de x0 existe lim f (x)? x!x0 y 5 -6 -4 -2 -5 2 4 x 15.0 0. Para que valores de x0 existe lim g (x)? x!x0 y 6 4 2 -4 -2 0 2 4 x 14.5 -1.

Use os grá…cos de f (x) e g (x) na …gura abaixo para determinar os seguintes limites: (a) lim [f (x) + g (x)] x!2 (b) lim [f (x) + g (x)] x!0 (c) lim [f (x) + g (x)] + (f) lim 1+g(x) x! 1 f (x) x!0 (d) lim [f (x) + g (x)] x!0 p (g) lim f (x) + x!0 (e) f (x) lim 1+g(x) x!2 x!0 (h) lim p f (x) y 6 4 2 -4 -2 y 2 1 2 -4 -2 -2 2 4 -1 -2 x x y = f (x) 18. Dados x!a lim f (x) = 2.(d) lim x 1 =1 2 x!5 x 1 1 = +1. (f) lim +x x!1 1 p (g) lim x 1 = 1. + (e) lim p + x!2 x! 1 x2 1 =0 3x + 2 (h) lim (x + 3) = x! 1 1. Justi…que seu raciocínio usando as propriedades de limites. 1. Determine os limites: y = g (x) 12 . (a) lim [f (x) + 2g (x)] x!a p (d) lim 3 6 + f (x) x!a (b) lim [h (x) 3g (x) + 1] x!a 7g (x) (e) lim x!a 2f (x) + g (x) (c) lim [g (x)] 2 x!a 3f (x) 8g (x) (f) lim x!a h(x) 17. = +1. x!a lim g (x) = 4 e x!a lim h (x) = 0: Obtenha os limites abaixo. (j) lim e x! 1 x!0 (k) lim (ln x) = + x!+1 (l) lim (ln x) = +1 16. (i) lim e x!+1 x x = 0.

determine cada limite. (b) f (x) = ( 1+ . lim x!+1 x2 31. lim x!1 (x 1)2 p p x2 + 1 x2 1 25. lim 2 x!4 x 2x 8 10x 16. se x 2 . lim x!+1 p x2 + 1 27.a>0 t!0 t p 3 8+h 2 21. (c) f (x) = x2 + 2 . lim x!+1 x + 1 p p 3x2 + 2x + 1 2x 29. lim x! 1 x4 + x x+1 2x2 11x+12j j 34. lim p y!+1 5 + 4y 2 5x3 x2 + x 1 32. lim x!3 x 3 3 t +8 3. se x > 2 5 2p 3x a = 2. x + 2. para o valor a indicado. lim x!2 x 2 x2 + 6x + 5 4. lim x!1 x2 1 x4 16 2. se x 2 . b > 0 x!a x 2 + b2 b p 3 x 1 22. se x 0 2 x. lim 2 s!6 s p 36 x+4 2 15. lim 2 x! 1 x 3x 4 s6 2s3 5s + 1 6.5x + 6 . lim x!4 1 p5 x x x + 3x 10 26. se x > 1 a = 0 e 1. lim 2 x!2 x + x 6 7. Justi…que sua resposta. 1. lim x! 3 x + 3 4 x 14. lim y! 1 y+3 2x + 8 12. lim h!0 h p p 3 2 x 23x+1 23. lim p 4 x!1 x p1 3 5+x p 24. lim 2 x!4p 4x 25x + 36 a2 + bt a 19. lim t! 2 t + 2 x2 4x + 4 5. 13 . lim p . se existir. lim u!+1 2u7 + 1 u2 8 11. se x > 2 a= 2. lim . se 0 < x 1 . (a) f (x) = x3 . lim s! 1 4s4 3s y 2 8. lim x! 1 x + 1 3 y 30. 4 2x. a. Esboce o grá…co da função f (x) de…nida por partes e. lim x!0 x 2 3x 17x + 20 17. limx!4 x2 16 19. lim p p x!0 x2 + 3 x+3 (2 + h)4 16 18. 4 x2 . lim x!+1 p x3 2+1 x 28. lim p3 y 2 y! 1 5+4y p 3 3x + 5 2 33. lim [ln (1 + x) ln x] x!+1 r 2 4u5 3 3u 9. lim h!0 p h x 2 + a2 a 20. lim p u! 1 3u4 + u s 6 13. lim 2 y! 1 y + 2y + 1 p 5y 2 2 10.

lim . 17. 9. x!0 x sec x 28. lim [x (ln (x x!1 x!+1 2 22. 1 x2 sen x 24. lim . x!1 x 1 2 cos x + cos (2x) 31. Calcule os limites. lim 23. 21. lim p x!0 2x + 3 x!1 2x + 1 1 2 cos x 4. lim 2 . lim xtg . x!1 x 1 sin2 x:cotg (x) 16. lim x!0 x 1 18. x!0 2tg3 (x) cos x 30. lim x!0 x+1 20. x!0 x ln x 32. lim . lim (1 x) tg 2x . lim cos xtg(x) x .(d) f (x) = ( jx2 27j 2x 6 1. sin x! 4 x 14 . lim [x ( x e x!1 1)]. lim x! 4 lim x+4 (x + 5)2 . se x = 3 a = 3: 20. lim (1 + 3tg2 (x)) . 3. lim x x2 + 1 x . lim x!0 x ln (1 + ax) . usando os limites notáveis sempre que for possível. x!1 x q 14. x!1 sin [5 (x 1)] 25. 2. ax 1 1 ex 1 . x!0 x3 bx eax e 10. x!1 x) tg (x) sen x . x!1 sen (a + x) sen (a 7. lim 10 + 1 + . x!0 x2 esen x 1 33. lim . lim . x!0 x cotg 2 (x) 12. 8. 2x sen 1 cos x p p p 27. lim 1 36. . x!0 1 cos x p 5. x! 3 sen x 3 6. x!3 x 3 sin x sin 2 13. lim x! 1 1+x x+2 7 3 1 . lim . x . p 1. lim . lim x!0 x ln x ln 3 11. 1) ln x)]. lim x!+1 (2x 2) 5+ 1+ 5) 1 x x 2 2 1 . lim x+ x x . lim . lim . x!1+ x 1 sen 2 x 34. lim x!0 e x!1 e(5x 1 . lim x! 2 x + 2 p 19. x!0 sin (2x) x 1 3 4 1 35. lim ln (2 x) . lim x 1 2x. lim p . . x!+1 # " x+5 1 29. lim x!2 x 2 x x 15. se x 6= 3 . x! x sen x 1 26. 3sen x .

lim x!0 sen2x senx 46. lim ex + senx 1 . lim ln e1 p 3 cos x x!0 : ln x p x 1+x . se x 2 2 x . lim f (x) = x! 1 2: 15 .37. x!1 x3 3x2 x + 3 x 3 e e 48. 4. se x 6= 3 . x!0 ln (x + 1) 2x 5x 44. f (x) = 1 . se x = 1 23. 41. f (x) = : 2 . lim ln x!0 x!0 p x e: ln 2sen . 2x 1 . x 2 :tg (x) . se x 2 ( 2 x +x 6 . se x < 5. se possível. lim x!3 x 3 sen (5x) 50. f (x) = . ( 1 : 24. x . Represente geometricamente o grá…co de uma função f que satisfaz as seguintes condições: f é uma função ímpar. 1 . 38. Considere a função f . lim x!0 sen (2x) senx r x!0 ex 40. x ( 22. de…nida por f (x) = 3 bx ax2 . lim x2 senh (x) x!0 x2 + 4 sen (x2 1) . se x = 4 5 2. lim x!0 tgh (x) 21. o(s) valor(es) da constante k para que a função f 8 < 2kx . 2x 45. lim + f (x) = 5 e lim f (x) = x!0 x! 4 x! 4 +1. lim x! 2 x!1 x2 + 1 x2 3 x2 . se x 2 kx seja contínua em R: x2 + 2ax + b + 15. se x < 0 3. f (x) = ( . lim+ x! 2 x+1 . se 1 < x < 2 . Estude a continuidade das funções: 1. + 49. lim (sen2 x + 2 cos2 x) 42. lim 39. se x 1 x + k. f (x) = 0 . se x > 1 Encontre os valores de a e b de tal forma que a função f (x) seja contínua. x x3 1 + x . lim 1 . sec2 x 43. e. se x = 3 j3x2 + 2xj 6. f (x) = x+3 1 . 1 e2x ex . se x > 0 2x 1 5. se 2<x<2 . f (x) = 2 . lim [7x (1 + cotg2 x)] . se x 6= 4 x 4 . lim f (x) = 1. se x = 0 . 47. Determine.

se possível. (a) Determine o domínio da função f . (x ex 4)2 cosec(x e4 2. se x 2 Df < 0. se x = 0 h (x) = : > sin (2x) : 2. uma relação entre as constantes a e b de tal forma que a função f (x) seja contínua em 0. o valor da constante c a …m de que f (0) = k. onde h (x) = (f x!6 4) : g) (x). sabendo que F (x) = h (f (g x! 1 1 (x))). ímpar ou nem par nem ímpar? Justi…que.2 Exercícios de Revisão dos Capítulos 1 e 2 p x + 1. (b) Estude a continuidade da função h (x). se possível. 8. classi…que a(s) descontinuidade(s). Sejam f e g duas funções de…nidas por g (x) = Determine lim h (x). 7. se x 2 R fDf g x Caso a função h não seja contínua em todos os pontos. Encontre. se x 0 Encontre. se x < 0 6.2. onde h (x) = (g f ) (x). (b) A função h (x) = g 1 (x) :g (f (x)) é uma função par. Obtenha lim F (x). sabendo que 8 > g (f (x)) . onde h (x) = (g f 1 ) (x). Sejam f e g duas funções de…nidas por g (x) = x 2 e f (x) = Determine lim h (x). x!0 2x p x+1 e f 1 (x) = ex 1: 5. ( a sin (2x) + (x + 1) b. Sejam f (x) = p 3 ln (2x g (x) = ex 1 + j1 2 e 3 xj) e g (x) = ex . Sejam f (x) = ln p 2 2x. onde h (x) = 1 cos (x x 1 1) f (x) = ex . 8x < 1. x!0 p x + 1 e f (x) = ln (x + 1) : 4. Sejam f (x) = cos x e g (x) = (a) Mostre que a função f é uma função periódica e de período 2 . 2x 3. Considere a função f (x) de…nida por f (x) = : x a (x2 + 1) + 3b. 1. e k = lim 1 x!+1 x+c x c x . Sejam f e g duas funções de…nidas por g (x) = Determine lim h (x). 16 .

e h (x) = (a) Determine f (x) = g (h (x)). determine lim . Considere a função f . se possível. o valor das constante a e b para que a função f (x) seja contínua em 0. Um tanque contém 5000 litros de água pura. de…nida por f (x) = > a. t!+1 200 + t 15. Use a de…nição de continuidade para decidir se a função 8 > 1 e3 sin x > se x > 0 > < sin (2x) . 8x 2 R. Usando a 10. x!1 12. 1) : Determine lim F (x). se x 6= 0 . (b) Encontre o valor de a para que a função f (x) seja contínua em x = 0. f (x) = > p p > p > x : lim x+ x x + 1 . : jxj a + 1. Considere as funções g e h de…nidas por g (x) = x2 8 < 2x2 . A desigualdade x x sin x x x + 120 é válida para todo x 6 sin x x desigualdade. dê o domínio e a imagem da função g 1 : 17 . Sejam f (x) = sin 5x. use a de…nição de limite para mostrar que lim C (t) = 30. Caso conclua que a função não é contínua em 0 classi…que essa descontinuidade.9. Considere as funções f e f g de…nidas por f (x) = ln (x3 ) 2 e (f g) (x) = p x + 1: Determine as funções g e g 1 . 11. se x > 0 Encontre. Justi…que sua resposta. se x = 0 > > : (x + 1)(ln 5)=x . g (x) = x2 f (g (x)) sabendo que F (x) = g (x) :h (h 1 (x 8 > 2 ebx2 1 > > < . se x = 0 2. x!0+ x3 x3 6 3 5 0. 14. Para dentro deste tanque de água está sendo bombeada uma salmoura de 30 gramas de sal por litro a uma taxa de 25 litros por minuto. A seguir. Sabendo que a concentração de sal após t minutos é 30t C (t) = . se x < 0 5 5 cos2 x : 13. se x x!+1 0 é contínua em x = 0. 1 e h (x) = ln (x 3)) .

x0 2 R 15. p . 1 . (a) 8 (b) 8 (c) 8 (d) 8 (e) +1 5. M (h) N = M 3. 8" 2 (0. (a) 1 (b) 3 (c) @ (d) 1 (e) 3 (f) 1 2. (i) N = ln ". (a) 1 (b) 1 (c) 1 (d) 1 (e) +1 4. (c) N = 16. (a) -1 (f) -1 (f) +1 (f) +1 (f) -1 (b) +1 (c) @ (d) @ (e) 0 (f) 2 (c) +1 (c) -1 (d) @ (e) 0 (f) 0 (f) +1 (b) -1 (d) 1 (e) 2 (f) 1 8. 2 "( ) " p (e) = min 1. 8" 2 0. (a) 18.1 Respostas Respostas do Capítulo 2 1. (j) N = ln M .3 2. = min 1. 2 6 2+ 6 (g) = min f1. (a) 2 (b) 2 (c) 2 (d) 3 (e) +1 7. (a) -1 10. (a) 1 (b) -1 (c) @ (d) -1 (e) +1 1 2 1 2 1 2 11.3. (a) 17. (a) 13. (a) 1 (b) 0 (c) @ (d) 1 (e) 2 (f) 0 3. (a) " = 2. 8" 2 0. 8x0 6= 14. (a) +1 (b) +1 9. 1) . (l) N = eM : (b) 1 (f) 1 +1 1 (g) @ (h) 1 6 (b) 13 (c) 16 (d) 2 (e) 2 (b) @ (c) 0 (d) 3 (e) 0 (f) 18 . " 1 (f) = . (k) = eN . 4 1 1 (d) N = + 2. 2"g . 1 2 (b) 4 f 2g (c) (d) (e) 1 (f) @ 1 + 2. n "o . 2 . (a) 0 (b) 0 (c) 0 (d) 0 (e) @ (f) @ 12. (a) 0 (b) 0 (c) 0 (d) 2 (e) +1 6.2.

8 se x ! 4+ 19. x!2 (b) lim f (x) não existe. 2 32. +1 7. 2 1 8. (a) lim f (x) não existe. 1 16. +1 8. 2. x!3 y 4 2 -2 -2 -4 2 -20 y -10 20 x 10 20 -20 x 20. +1 31. 32 4. 7 ln 3 19. se x ! 0 2. 6 p 16. 2 cos a 9. 3 13. 8 2. 1 2 1 33. 1 p 3. 1 3. 3 26. 11 . 0 p 11. 1. 0 7. e3 14. 1 1 30. 1 4 17. 33 1 13. 20 3 18. 12 1 23. 12. a 1 11. 32 p a(1 2) 20. 4 5 6. 4 3 1 24. e2 19 . 3 6. 0 28. lim f (x) não existe x!0 x!1 (d) lim f (x) não existe. 2a 1 21. 0 34. 0 p 5 10. 9 25. 1 b 19. x! 2 y 4 2 -2 -2 -4 2 4 y 3 1 -4 -2 0 2 4 x x (c) lim f (x) = 2. e p 4. 0 27. se x ! 4 e 8 11 . 1 20. 2 . 0 9. 12 5. cos 2 15. a b 12. 10. se x ! 0+ . 1 29. 12 15. b pa2 +b2 22. e 1 1 17. 5. 1 1 14.1. 1 18. e 2 p 2.

2 38. 2 48. ln 2 5 1 46. 0 8. f 3. p1 36. f 2. 8x 6= 3. f 4. e 5. 47. 37. f é é é é é é contínua contínua contínua contínua contínua contínua 22. 8x 6= 0: 7 21. +1). a = 2 e b = 24. 29. 8x 6= 2. Uma das possíveis soluções é: 2. (e + 5)2 2 5 1 2 1 2 e + 10 1 1 2 1 20 ln 3 0 1 0 0 0 1 1 22. 8x 6= 0 e 1. 41. 39. 0 34. 1 28. f 5. 1 1 ln a 2 2 24. 1. e4 40.21. 1 30. 25. 3 32. 35. e p 4. 1 26. 2 44. 23. 27. 49. (a) (0.3. 8x 6= 0. Não existe valor de k para que f seja contínua. 43. c = 6. e 42. e3 50. 20 p ln 2 . 33. 5 8x 6= 4 . 31. 2. e 4 p 3.2 Resposta dos exercícios de revisão 1. (b) função par. (b) contínua 8 6= 0. a = 2b 7. 23. 45. f 6.

g (x) = e . (x) = 1 . a = 5 e b = 14. 13.g 1 (x) = (3 ln x 2)2 1. +1 ! [ 1. lim f (x) = + 12. 1 6 10.9. M = 6000 " p 25 . g 1 h 2 : e 3 . +1) : 21 . 2 descontinuidade essencial em x = 0. para 0 < " < 30. a = x!0 5 2 1 3 . 2 200. lim f 2 x!0+ 11. x+1+2 3 15.

tal que seja paralela a reta r : x + y = 0: 4. Seja f (x) = x21 1 uma curva. . tal que seja paralela a reta r : y = 0. escreva a equação da reta tangente a curva. no ponto da abscissa x = 1. Considere a curva dada por f (x) = 4x 3. para a 2 R Use a de…nição de derivada para encontrar o coe…ciente angular da reta tangente nos exercícios a seguir. (a) Determine o coe…ciente angular da reta tangente a curva dada. (c) Dê os pontos da curva onde a tangente a curva tem inclinação de 60 . (b) Dê a equação da reta tangente no ponto mencionado. Use a de…nição de derivada para encontrar a primeira derivada de cada uma das funções abaixo: x 1 2x + 3 p (b) f (x) = 3 x + 1 (a) f (x) = (c) f (x) = e2x (d) f (x) = ln (x + 1) (e) f (x) =senh(ax). p 3. Caso exista.Capítulo 3 Derivada e Diferencial 3. 2. Seja f (x) = 1 p x uma curva.1 Exercícios 1. Caso exista. escreva a equação da reta normal a curva.

se existirem determine tanto a equação da reta tangente. Seja x2 +xy +y 2 = 3 uma curva. Se existir escreva a equação da reta normal a esta curva que seja paralela a reta r : y + x + 3 = 0.5. Dê as coordenadas dos pontos da curva onde a direção desta curva é paralela ao eixo x. tal que seja(m) perpendicular(es) a reta r : 3y + 3x = 6. (b) a equação da reta tangente a curva no(s) ponto(s) onde a inclinação é 45 . 7. Se possível determine a equação da reta normal a curva no ponto em que a reta tangente é paralela à reta r : x + 2y 5 = 0. Se existe. determine as abscissas dos pontos do grá…co de y = 3x cos (2x). Seja f (x) = x3 x2 + 2x uma curva. sin x x em x = ex = . 3 6. Nos próximos exercícios não é necessário obter o coe…ciente angular através da de…nição de derivadas. 12. Dada a curva f (x) = 4x 3 1. nos quais a reta tangente a curva é perpendicular a reta r : 2x + 4y = 5. Dada a curva f (x) = x 1. 14. Seja f (x) = x x 1 uma curva. se existir. quanto a equação da reta normal a esta curva no ponto cuja abcissa é x = 1. Caso seja possível determine: 23 . p 10. Se existir. Seja f (x) = ex2 uma curva. Mostre que as tangentes à curva f (x) = formando ângulos retos. p 17. Dada a curva f (x) = p 3 3x + 2. Dada a curva f (x) = 2x 1. se existir dertermine a(s) equação(s) da(s) reta(s) tangente(s) a esta curva e que seja(m) paralela(s) a reta(s) r : x + y = 1. determine a equação da reta normal a curva onde a reta tangente é paralela a reta r : x + 3y 7 = 0. x 9. 16. 1 11. se possível: (a) o(s) ponto(s) da curva onde a direção é paralela a reta y = 2. se cortam 8. determine. Caso exista. Se possível. 2 . 13. Seja f (x) = x2 + ln (x + 1) uma curva. escreva a equação da reta normal a curva (x2 + 4) y = 4x passe na origem do sistema cartesiano. determine a(s) equação(ões) da(s) reta(s) tangente(s) a esta curva. determine. x3 e que p 15. tanto a equação da reta tangente quanto a equação da reta normal a curva no ponto P 2. Seja f (x) = 1+x uma curva.

Se existir. Se existir. Seja f (x) = 5p5x 1 uma curva. 24 . Caso exista. 26. são perpendiculares. : y = arcsin p 1 2 1+t ( 1 1+t 2t 2 t+1 x = 3 at 2 a(1 t2 ) . (b) a equação da reta normal a curva no(s) ponto(s) em que esta reta seja paralela a reta r : 3x + 6y 2 = 0. cos t) . y = 3a cos t x = a (t y = a (1 x= y= sin t) . sin3 t . x x+7 que seja paralela 20.(a) a direção da curva no(s) ponto(s) em que esta intercepta o eixo das ordenadas. Determine a equação da reta normal à curva C : xy 2 + y 3 = 2x em que abcissa e ordenada tem o mesmo valor. y = pcos 2t 8 < x = arccos p 1 2 1+t f. Mostre que as retas tangentes às curvas 4y 3 x2 y x+5y = 0 e x4 4y 3 +5x+y = 0. satisfaz a equação d2 y dx2 dy + ey dx = 0. escreva a equação da reta normal a curva f (x) = a reta r : y + 7x = 0. na origem. As equações paramétricas x = 2 (t sen t) . ( y = a (sin t t cos t) cos3 t x = pcos 2t d. c. e. y = 1+t2 25. ( x = a sin t . Determine a equação da reta normal a essa ciclóide que seja paralela a reta r : 2x + 2y 1 = 0. para t 2 [0. ]. A reta x = a intercepta a curva y = x + 4x + 3 num ponto P e a curva y = 2x2 + x 3 num ponto Q. g. b. . Mostre que as retas tangentes às curvas C1 e C2 são perpendiculares no ponto P . 2 . representam uma y = 2 (1 cos t) curva chamada de ciclóide. 24. 22. 19. para todo y = ln (cos t) . Veri…que se a função de…nida parametricamente por t2 2 x = sec t . Seja P o ponto de interseção das curvas C1 : 2x2 + 3y 2 = 5 e C1 : y 2 = x3 . escreva na forma mais simples a derivada das seguintes funções: a. determine a equação da reta tangente a curva que também seja perpendicular a reta r : 2x 2y + 3 = 0. x = a (cos t + t sin t) . Para que valor(es) de a as retas tangentes a essas curvas são paralelas? Encontre a(s) equação(ões) da(s) referida(s) reta(s). 1 18. 21. 2y + 2 no ponto 3 23.

4. f (x) = 1 2 3 1 x. f (x) = . x 2. y = cos (x + y). 1 x2 (x 1)2 (x 2) p 3 3 19. f (x) = 6b2 x2 8abx+16a2 15 25 . Escreva. se x < 2 . se x > 2 os valores das constantes a e b para que f seja uma função derivável em x = 2. f (x) = 3x2 . 34. em x = 3. f (x) = (x+1) . veri…que se a função dada é derivável nos pontos referidos: x + 2. f (x) = xx . a. f (x) = . se x > 4 3x 7. (x 1)2 (x 1)2 . a 2 R y ax 28. se x 2 2 3 x 1 . f (x) = xmx am . f (x) = 3 px . f (x) =arctg x + ln x a . a. cos x. f (x) = (arcsen x) . f (x) = cos3 x 3 33. = 1. 29. 6. a+b 2 11. 3(12ay2 ) = yx. 1 sin (x + y) 32. em x = 1: 1 x2 . 35. Obs: Lembre que se f é derivável em um ponto então f também deve ser contínua neste ponto. b. Seja f a função de…nida por f (x) = (x+1)3 17. 1 x 28. x3 23. f (x) = 36. b 2 R ay x2 26.q a 21. f (x) = ex . 2 = y x. Em cada caso. a 2 R 22. 7 12. f (x) = x 3 (2x q 14. b 2 R. . f (x) = 15. b2 x a2 y p (x 3) 2 p a2 x2 +arcsen x . a 2 R 29. 4 1 x(x2 +1) . b 2 R+ . 13. a. py 25. f (x) = (1 + 3 x) . x+a 27. f (x) = 16. cos (xy) = x. sin (x + y) 30. n 2 R. f (x) = 2 sin 2 x 1 ln tg 4 x . cos 2 2 q p a b 10. a. f (x) = pa21 b2 arctg tg x . R. 8. f (x) = p 4 p 3 (x p 5 p 4 (x+2)3 1) 2 . caso seja possível. 3 x2 3. c. a. (x+2)3 (x+3)4 x(x2 1) p . 2 2x)2 . f (x) = x5 (a + 3x)3 (a 3axy = 1. f (x) = 3tg(nx) . 3 x = x. y3 31. se x 4 3 2x. 9. 2. em x = 2. d. f (x) = jx p 3j. f (x) = ln (sen2 x). em x = 4.27. f (x) = . se x 2 . se x < 1 e. f (x) = 18. p 3x 1 p arctg 1 x2 3 2bx2 a . f (x) = (1 + 4x)3 (1 + 2x)4 . f (x) =arcsen 1 x2 . x 5. se x 1 a. se possível. = 2x. 2 x 7. ax + b. b 2 x3 24. a derivada na forma mais simples: 3 p 3 1. f (x) = 20. b2 x2 + a2 y 2 a2 b2 = 1. Determine. b 2 R . f (x) = 3 1 1) 3 (3x + 1) 3 . f (x) = ex ln x . em x = 9 . p a + bx.

33. g)0 (x) = 24x+34. Calcule aproximadamente o valor de: p (a) 4 17 (b) 1 p 3 30 (c) arctg(1. p x+1 x2 +x+1 1+tg x 1 tgx + 1 p arctg 3 . 2). sabendo que f (0) = 1. x2 y = 4a (2a xy). f (x) = (a + bx)m . f (x) = xln x + ln (lnpx). f (x) = ln . f (x) =arctg x 48. (a) Calcule g 00 (x).37. 38. f (x) = 3x2 x 1 e g 0 (x) = 2. cos2 1 4 2 . x 1 + 2y + y = x2 . f (x) = . p p 53. p 3 49. f (x) = 1 + tg4 50. calcule g 00 (0). h (2) = 0. f (x) = x x2 3 54. p 47. x arcsin y = 1 + x2 . f (x) = a 1 56. f (x) = xex ex . 3 ln x x 2 1 3 3+ p x2 . sabendo que log (200) = 2. 02) (d) log (200. 43. a.13 26 . 55. x3 (argtg x) ln(x2 +1) 40. b. 30. g 0 (1) = 5 e f 0 (0) = h0 (2) = 34. 30103 : : : (e) sin (60 30 ) (f) e 0. 39. y 2 cos 57. Determine: (a) f 0 (0) sabendo que f sin x (b) a função g sabendo que (f (c) (g f 2: p 3 2 = f (3x ) + 3x . ln(xy 2 ) 2xy + ln x = 1.f (x) = ln 58. (b) Supondo f 0 (2) = 1 e f 00 (2) = 8. f (x) = eln sin(3x) . ye = 2. 2x 1 p 3 = 2x + 2y. 12 p 3x . f (0) = 1. com m 2 Z. k 2 R. Determine a expressão da derivada n-ésima em cada caso: a. 45. 41. h)0 (2). p 52. kx a . Sejam f : R ! R uma função diferenciável (derivável) duas vezes e g : R ! R dada por g (x) = f (x + 2 cos (3x)). 32. 2 arctg x 42. 31. f (x) = eax . Calcule g 00 (0). f (x) = 24x :ecos x . f (x) = 1 arctg 3 3 x . aln(x 1) p . Considere a função g (x) = cos x: [f (x)]2 . 3 1 51. x c. a 2 R. f 0 (0) = f " (0) = 2. f (x) = 1 y p x pex 1 e +1 e x 46. onde f : R ! R é duas vezes diferenciável (derivável). ln y exy = x. d. 44. f (x) = cos x. f (x) = arcsin x3 . f (x) = 1+x . xy + 2y = x.

sabendo que e (h) cotg(31o 150 ) p (i) 3 ln (2. Mostre que a aceleração da abscissa é dt2 = 8 ( x ). Pergunta-se: 3 24t + 16 km a leste de uma parada no instante t (a) Qual é a velocidade no instante t = 1 h e qual é o sentido que ele se move? 4 (b) Onde está o carro quando sua velocidade é nula. formando um monte cônico cuja altura é sempre igual ao raio. use diferenciais para obter a variação do raio que origina um aumento de 2 cm3 no volume do monte cônico. 8) (j) cos(300 1500 ) 8. A base da janela mede 60 cm com um possível erro na medida de 1 mm:Use diferenciais para estimar o maior erro possível no cálculo da área dessa janela. onde é uma constante. Determine as velocidades e as posições desses dois corpos no instante em que as suas acelerações são iguais. usando diferenciais. Ao medir o raio de uma esfera. o clipe estará s = 64t 16t2 acima de sua mão. Na terra você pode facilmente atirar um clipe a 64 cm de altura usando um elástico. 36. Um carro está a s = 16t 2 horas. Sabendo que o erro dessa medida pode ser 0. Seja y = p 3 3x + 2 a equação do movimento de uma particula. determine: (a) a velocidade da partícula quando trancorridos 2s.(g) etan(44 ) . Em t segundos depois do disparo. Quanto tempo o clipe leva para atingir a altura máxima? A que velocidade ele sai de sua mão? 42. Um ponto desloca-se sobre a hipérbole xy = 4 de tal modo que a velocidade é dy = dt d2 x 1 2 3 . Um material está sendo escoado de um recipiente. 6mm para mais ou para menos. 5 35. Dê os pontos onde a função f (x) = jxj + jx + 1j não é derivável. Se em dado instante o diâmetro é 24 cm. um valor aproximado para o erro máximo no cálculo do volume dessa esfera causado pelo erro de medida do raio. calcule. obtém-se a medida de 12cm. 37. Considere como unidades de s1 e s2 o metro e como unidade do tempo t o segundo. 38. 27 . 39. Dois corpos têm movimento em uma mesma reta segundo as equações s1 = t3 + 4t2 + t 1 e s2 = 2t3 5t2 + t + 2. 40. Uma janela tem o formato de um quadrado com um semicírculo em cima. (b) a aceleração da partícula quando transcorrido 2s: 41. 43.

um dirigindo-se para leste com velocidade de 77 km=h. no momento em que o primeiro carro estiver à 477 m e o segundo carro estiver à 277 m da intersecção das rodovias? 50. Qual a variação do volume no instante em que o raio é de 15. raio da base 2 m. 5 cm=s. A posição de uma partícula que se desloca ao longo do eixo y varia com o tempo x segundo a equação y = vc0 (1 e cx ). o fundo tem forma de um plano inclinado. estão viajando em direção ao encontro das duas rodovias. 28 m de comprimento. com que rapidez varia a ordenada? 48.44. Uma esfera aumenta de modo que seu raio cresce a razão de 12. o outro dirigindo-se para sul com velocidade de 57 km=h. x 0. O mesmo se enche de água à razão de 7 m3 = min. 2 m de profundidade em um extremo e 8 m no outro. com que velocidade se eleva o nível da água no instante em que ele esta a 1. 45. Um tanque de forma cônica invertido tem altura de 8 m. determine a velocidade do 2 corpo quando t = 2s? 49. o terceiro vértice. 8 m3 = min. Um ponto se move sobre a parte superior da parábola semicúbica y 2 = x3 de tal maneira que sua abscissa cresce a razão de 5 unidades por segundo. Se a água está sendo bombeada para a piscina à razão de 0. se move sobre a circunferência com uma velocidade dx = 1 m=s. y). descreve no ar. 8 m na extremidade mais profunda? 52. Com que velocidade sobe o nível da água quando este se encontra a 4 m de profundidade? 51. Use a DEFINIÇÃO de derivadas para determinar a velocidade da partícula no instante x. x1 e x2 onde são medidos em metros e t é medido em segundos. Um corpo é lançado no espaço formando com a horizontal um ângulo . 28 . 46. Dois pontos partem da origem do eixo x no instante t = 0 e se movem ao longo desse eixo de acordo com as equações x1 = t2 2t e x2 = 8t t2 . Calcule a velocidade com que a área deste triângulo está variando dt 2 quando x = 4 m. 2 cm? 47. Uma piscina tem 18 m de largura. 0) e B ( 5. A que velocidade os carros se aproximam um do outro. Quando x = 4. Um triângulo retângulo inscrito no círculo x2 + y 2 = 25. por ação da gravidade uma curva cujas equações são x = v0 t cos e y = 1 2 v0 t sin gt . pregunta-se: (a) em que instante os dois têm mesma velocidade? (b) quais são as velocidades desses dois pontos nos instante em que eles têm a mesma posição. Sabendo que = 60 e v0 = 50 m=s. tem as extremidades da hipotenusa situadas nos pontos A (5. enquanto que. 0). situado no ponto P (x. onde v0 e c são constantes positivas. Dois carros.

Então: (a) com que velocidade sobe o nível da água? (b) quanto tempo levará para o tanque …car cheio? 56. Quando ele está a 17m acima do solo. a água começa a ‡ no tanque à razão de 25 uir 3 m =h. Uma lâmpada colocada num poste está a 4m de altura. 55. forma 4 uma pilha cônica onde a altura é aproximadamente igual a 3 do raio da base. qual é a velocidade com que a criança está soltando a corda da pipa quando esta corda medir 100 m? Obs: Despreze a altura da criança. qual a razão de variação do volume. sobre o nível do solo. quando a raio mede 2m? 58. que ao ser depositado no solo. na cafeteira. A que taxa a distância entre a bicicleta e o balão aumentará 3s depois? 57. Um tanque tem a forma de um cilindro circular reto de 5 m de raio da base a 10 m de altura. Uma criança esta empinando uma pipa e movendo-se horizontalmente a 4 m=s. Se uma criança de 90cm de altura caminha afastando-se do poste à razão de 5m=s. Supondo que a pipa permaneça sempre a 80 m de altura. (b) Se a raio da base varia a uma taxa de 20cm=s. A que taxa o nível do café. (a) Determine a razão de variação do volume em relação ao raio da base. O nível de café que escoa de um …ltro cônico para uma cafeteira cilíndrica varia a uma taxa de 2:10 4 cm= min. Um balão está subindo verticamente acima de uma estrada a uma velocidade 1 constante de 3 m=s.53. Em que pontos da parábola y 2 depressa que a abscissa x? 18x = 0 a ordenada y cresce duas vezes mais 54. com que rapidez se alonga sua sombra? 29 . uma bicicleta que se desloca a uma velocidade constante de 5m=s passa por baixo dele. aumentará quando a altura de café no …ltro for a 5cm? 15cm 15cm 15cm 15cm 59. No tempo t = 0s. Uma usina de britagem produz pó de pedra.

Sabendo-se que a luz do holofote deverá permanecer iluminando o avião. Qual a taxa de variação da base do triângulo quando sua altura for 10cm e sua área 100cm2 . 05 m3 =h. A altura de um triângulo cresce a razão de 1cm= min e sua área aumenta a razão de 2cm2 = min. Se o consumo de ração é de 0. cujo vértice está voltado para baixo. Determine qual é a velocidade de afastamento desses navios às 9 : 00 hs: 68. 63. que o focaliza e que se encontra à esquerda da projeção vertical (P) do avião (ver …gura abaixo). Um avião (A) voa a 124 m=s. paralelamente ao solo. o abastecimento de ração é automático. Determinar a taxa de variação da área da base em relação ao volume do cone. Uma partícula move-se ao longo da curva y = x ln x. tomando como referência um holofote (H). com que velocidade desce o nível de ração quando este está a 2m do vértice? 62. qual será a velocidade com que estará variando quando a distância entre o holofote e a projeção vertical do avião for de 610 m? A • N O L S • H θ • P 67. (Suponha que dx nunca é dt nula. Sabe-se que seu diâmetro aumenta a uma velocidade de 0. Calcule a velocidade com que aumenta a altura do cone 30 . um monte cônico. uma base menor 6m e uma base maior de 8m. 61. O volume total de areia no reservatório inicialmente era 128 cm3 . Às 7 : 00 hs dois navios partem de um ponto O em rotas que formam um ângulo de 120 . Esta areia forma. O nível de areia deste reservatório diminui com uma velocidade de 40cm=min. 66. a uma altitude de 1220 m no sentido oeste. Encontre todos os valores de x nos quais a taxa de variação de y é 5 vezes a de x. A altura de um cone é sempre igual ao dobro do raio da base. A ração está num reservatório que tem a forma de uma pirâmide de base quadrada de 2m de lado e altura de 6m. no chão. Numa granja de frangos. Com que velocidade o nível de água está subindo quando a profundidade da água é de 2m? 65. …xado no solo.60. Um reservatório tem a forma de uma pirâmide (invertida) de base quadrada. Uma piscina tem 24m de comprimento e seus extremos são trapézios isósceles com altura de 6m. 02cm= C. A água está sendo bombeada para a piscina à razão de 10m3 =mim. Um cabo de cobre tem diâmetro de 1cm à 0 C. Digamos que seu comprimento seja de 1m e não se altera com a variação da temperatura. respectivamente. Calcule a taxa de variação do volume desse cabo quando a temperatura está a 20 C. Os navios A e B deslocam-se a 20 km=h e 25km=h.) 64.

encontre a velocidade do topo da escada quando esta estiver a 4 m de distância da parede. 8 m3 = min. Considere uma piscina de 20 m de largura. Um outro indivíduo está parado a uma distância de 200 m do centro da pista. 30º 4m 31 . Obs: Desconsidere a abertura do reservatório. Um corredor corre em uma trajetória circular de raio 100 m a uma velocidade constante de 7 m=s. Use os dados fornecidos na seção transversal abaixo ilustrada. Uma escada de 5 m de comprimento está apoiada em uma parede e sobre um plano inclinado que faz um ângulo de 30 com a horizontal. 90° 60° 69. cuja seção transversal está exibida na …gura abaixo. encontre a taxa segundo a qual a água está sendo bombeada para dentro do tanque. Sabendo que o "pé"da escada é arrastado com uma velocidade de 2 m=s.quando um terço da areia já caiu do reservatório. Supondo que esta piscina esteja sendo enchida a uma taxa de 0. Esta vazando água de um tanque cônico invertido a uma taxa de 10:000 cm3 = min. Qual a taxa de variação da distância entre os dois quando esta distância era 200 m? 71. qual é a velocidade com que o nível da água está subindo quando este for igual a 5 m? 70. Ao mesmo tempo está sendo bombeada a água para dentro do tanque a uma taxa constante. O tanque tem 6 m de altura e o diâmetro do topo é de 4 m: Se o nível da água estiver subindo a uma taxa de 20 cm= min quando a altura da água for 2m. 40 m de comprimento e profundidade máxima de 9 m. 72. como ilustrado na …gura abaixo.

19. 1. y = 7x + 8. 4 2. o caminho não é único. 7. (2x+3)2 (b) f 0 (x) = 1 3(x+1) 3 2 . 10. 13. 7 3 (c) y = (x 1).1 . 3 5 2x 2 (x 1) (x + 1)2 1 x p 2p ( 3 x + 1) 3 x 32 . 5. y = x e y = x. (a) .3. normal: y = 2x 5. e 12. x+1 (e) f 0 (x) = a cosh ax (b) 2y + x = 3. (c) f 0 (x) = 2e2x . Não existem. para a = 3 : y = 13x 29. x 1 . Não existe. 3 6. y = (c) não existe. normal: y = 9x + 56 . Tangente: y = x . (a) não existe. y = x e y = x + 2. 4. (b) y = x + 4 9 e y = x. com k 2 Z: 12 12 14. (b) não existe. x = 7 + k ou x = 11 + k . pois para obter a derivada de uma função através de regras de derivação. 15. 8. Tangente: y = x 9 4 . Deve-se mostrar que o produto dos coe…cientes angulares é igual a -1. ATENÇÃO!!! Você poderá obter resultados analogos a estes abaixo apresentados. (a) 2. 28. Para a = 1 : y = 5x + 18: 22.2 Respostas Exercícios: 1. 2. (d) f 0 (x) = 1 . Tangente: y = e 1 ( 2x + 3). Não existe. y = 7x + 100. 5e e y = 5x 3. 2 16. y = x. 4 9. (a) f 0 (x) = 5 . normal: y = 2 x 2 + 1 . a = 12 e b = 12. y = 13x 21. 1 2 17. e e 11. 2 3.. y = x e y = x + 3 + ln 2.

p a2 1p x2 4 x2 1 p x 4 3 2 x2 2aa ) 0 p a2 x2 (a)2 x2 p x 4 x2 p 2 4 x2 ((a)2 x2 ) (2x q 2 a4a x4 16ax2 + 24x3 ) pxm ) 3 23. (x 1) 1 3x (x2 +1)(x 1) ( x3 + 3x2 + x + 1) 37x2 +12x 97 x2 +x 2 12 p1 3 (x 1) 2 1 (x+2)4 (x+3)5 1 60 q 4 (x + 2)3 (x + 1)2 ( 5x3 + 5x2 + 29x 161x2 480x+271 x3 +6x2 11x+6 29) p 4 p 5 (x 1)2 3 3 (x 2) p (x 3) 7 p 1 1 x2 (2x2 1) p 19. xx 8. 9. 10. y 0 = x y q 3 x y 3x + q 3 1 y x 33 .3. 2 arcsin x 1 x2 20. 16. dy dx xp 1 (am xm )2 (am p + mxm = xb2 a2 y 1 26. 13. 25. 2 +1 x (2 ln x + 1) (cos 2x 3) + 1 1 4 cot( 4 + 1 x) 2 1 4 cos3 x p cot2 1 4 + 1x + 1 2 xp 1 x2 x2 1 2 1 tan2 2 x + 1 2 p 1 a2 b2 11. xx (ln x + 1) 7. xx ex (ln x + 1) 6. 21. 3tan nx n (ln 3) (tan2 nx + 1) 5. 15. 22. 2 cotg(x) 4. 17. 5x4 (a + 3x)2 (a3 24. 1 2 3x 3 q a b a+b a+b a+b+a tan2 1 x b tan2 1 x 2 2 p 3 2x 1 2 (3x+1) 3 (36x2 + 4x 1) 1 2 5x 6 x 3 2 (1 x) 2 r 3 x x2 +1 2 14. 18. 4 (2x + 1)3 (4x + 1)2 (14x + 5) 12.

arcsin2 1 9 q x3 4 1 x 6 1) 6 (x x 34 .27. y 0 = p 2x 2y+1 x 1+ p2y+1 1 x 12 2 1 x 12 48. se cos (x + y) 6= 0 b2 2a2 y 2xa2 2 a 3 y 2 (y 2 1)2 (3y 2 1) x2 +1 x4 +x2 +1 34. y 0 = 31. 0 41. x p e p 4 x 4 xe2x p ln ex +1 ex 1 p + 4 xex + e2x ln p 3+3 ex 1 ex +1 1 9x4 +12x2 +3 9x2 p 3x2 47. y = x (2x arcsin (y)) 1 x ln x 45. 0 2 1 2 x +a 2 2 x 2 4 a2 2 2 y 2 4 1 ax y 2 a x 2axy +y a x 2axy +y 10 1 a 2 2 2 2ay a2 x2 2axy 2 +y 4 +2x y a2 x2 2axy 2 +y 4 ax y 3x2 3ay (3y 2 +3xa) 1+y sin(xy) x sin(xy) 1. b3 pa+bx xy 1 37. tan4 + 1 tan3 p 49. 1 x4 (3a 2 2bx2 ) x 36. x0 = 33. arctan x x2 +1 2xln x ln2 x + 1 p 1 y2 0 44. xex 42. y = 28. 2 e 43. cot (3x) 3 sin 3x y+y 2 exy xyexy 1 tan2 1 x 12 +1 50. sin3 x 35. y 0 = 29. 46. y 0 = 32. 24x ecos x (sin x 4ay+2xy x2 +4ax 4 ln 2) 39. y 0 = 51. y 0 = y yx2 +x 38. y 0 = 40. y 0 = 30.

52. s1 = 65m e s2 = 14m. (a) 1 m=h. y 0 = 54. 56. 55. 47. vo e cx u. 29:10 3 m= min ou 0. 6 33: (a) f 0 (0) = 5 . p 1 2 xy xy 4y p (x2 16xy) xy p a sin x cos x 1 1 55. 48 km=h. 2 :10 4 cm=mim: 9 35 . Obs: A resposta depende da sua interpretação ao montar a piscina. 5. 5184 cm3 . dV = 108. 35. 15 u:c:=s: p 48. 43. 4 m=s. 95. 10 m2 =s. dA = 16. 7263 cm2 . (b) 31. 64 cm=s. p 1 x2 3 (2x2 p x 1 2 3) p xy x 3 px2 x+ px2 3 (x+ ) p 2 53. (a) 12 km=h. 9 9 .t. 3 4 m=s. 5 49. 025m= min. v1 = 52m=s e v2 = 25m=s 2.c. 5s. x0 = 1 sin y + y cos y 2 1 56. (b) g (x) = 2x + 3. 2. 349cm3 =s. 2x+1 1 3 x3 +2x2 +2x+1 aln(x 1) 1 2 (kx a) 3 (x 1) 2 1 2( 3 1 (tan x+1) 4 tan x 1 (k kx 2a ln a + 2kx ln a) ) tan2 x+1 (tan x 1)2 31. 58. 42. t = 0s ! v1 = 2cm=s e v2 = 8cm=s. 46. t = 5s ! v1 = 8cm=s e v2 = 2cm=s: 45. 8 2 54. 44. 32. 58. 50. 57. g 00 (0) = 3. 36. (a) 4 u:c:=s. 3 53. 52./u. 2s. (b) 16 u:c:=s2 41. (b) 8km: 3s. 57. 4h 27 p m=s: 61 4 (a) 3 r2 . (c) 20. 11552 cm3 =s. g 00 (0) = 10. 1 1 40. 7 m=mim: 51. (b) 3.

e4 : 5 64. 2. 68. 68 m=mim: 67. p 305 61 km=h: 61 480 p cm=mim: 3 36 69. 8 62. 4 cm3 =mim: 61. 3m=s 105 m3 = min 36 . 8925 72. 1125m=h. 3. 1. 20.59. 3187 70. p 7 3 m=s 4 10 3 m= min 71. 60. 45m=s. 1. 0. 5 cm=mim: 63.

x!1 x 22. x!1 x! 2 x h x i . lim [x ln (sin x2 )].Capítulo 4 Regra de L’ Hôpital 4. 1. 4. x2 x 1 . + x!0 x!0 x 2 a . lim n . 8. . x!+1 x x! 2 tg (3x) x cotg (x) 9. 3. 14. lim cos . cos x x!0 27. 17. 21. lim . aplicando a regra de L’ Hôpital. lim (a2 x2 ) tg x!a x! 4 2a p 3 x 19. 2. 6. lim . lim x x3 x . x!0 cotg (2x) x!1 1 x e + ln x ln (sen2x) 11. lim . lim 23. lim e x!1 2x (e 1 1+ x e + 1) x 1 . lim . lim . para n 2 N. 16. lim . 20. lim [( 15. lim 25. 1 . lim x!y x!0 x x y sec2 x ex senx 1 . 2 x!0 x xtg (x) x2 4 x 26.1 Exercícios 1. lim x sin 2x) tg (x)]. lim (1 x)cos( 2 ) . Calcule os limites. para n 2 N. + cotg (x) + ln (sen x) x!0 x!0 tg ( x) 13. lim [(1 tgx) sec (2x)]. lim . quando possível: sen x sen y x arcsen x . lim x!0 2 sen2 x 1 sen2 x 4x x 1 1 . x!1 x 1 ln x 1 1 24. 12. lim . lim x!0 x! 2 sec2 (3x) ln (1 + x) ln x xn 5. lim tg x!0 x2 4 x2 2 28. lim 1 . 18. lim 2x . lim x3 tg(x 22) cos (x x!+1 x!0 x!2 2) . . lim . x!0 cossec x x!1 e tg (x) ln x 7. 10.

lim (e x!0 x!0 2x + 2x) . x!0 1 + x 1 x2 1 1 48. x!1 1 32. lim (ex + 1)x . 29. lim 2 x!a e 1 . Determine o valor da constante a para que lim x!+1 = 4. x!1 1 x 45. x!1 2arctg (x2 ) 2 47. lim x!0 3tg3 x cos x 37. lim x!1 x 31. lim x x!0 43.2 +1 . lim (ex + x) x . Determine o valor da constante a para que lim x!+1 1 + e2x 2 = p e: 5. 1 2x 1 x2 . x!0 p 49. x!0 x 30. 34. lim x 1 x . lim ln (cotg (x))tg x . lim ln (ex + 1) x!1 1 x2 44. lim (1 + sen x)cotg(x) . lim x . lim tg x x! 4 1 2sen x xsen2 x 39. sen x 4x 35. lim p . 38. x!0 p 1 1 x p 46. lim tg x!1 x!0 ) . a x 2 . + x!0 x!0 x tg ( 4 x 2 1 33. x 2. lim 1 x sen2 x 1 ln(ex 1) cotg (x) x2 .lim p . lim (ex + x)ln x . . Determine todos os valores das constantes a e b para que lim 8: 4. 42. o valor da constante a para que lim + ln(x+1) x!0 p 1 + a ln (x + 1) = lim xsen2 (x) : x!0 3tg3 (x) cos (x) 38 . x x2 ln 1 + x x tg ( 2a ) . lim x!1 1 x 1 . lim (1 + x)ln x . 36. lim 53. lim (x + 1) 4 x 4 . x!1 50. lim 2x x x+a x a x!1 2x x 4 . lim 3x x2 1 . se possível. x!1 arccos x 51. x!0 2e 2 54. lim p 41. + 40. x2 = x!0 a + cos (bx) a=x 3. x!0 . lim (x 3) x!4 3x2 52. Determine.

1 p 51. 0 15. cos y 4. e2 34. 0 10. 6 22. 3 1 41. 2 2 16. +1 13. 0. 0 2. 3 9. e 1 32. 1. 1 2 47. 9 1. 3 26. 1 2 8 27. 0 54. 1 19. a 17. 0 7. 38. 1 36. 0 46. e2 31. 0 5. 0 21. 1 35. e 1 1 4. para x ! +1 8. e 29. 2 53. 1 2 1 24. e8 52. 1 3 25. 1 28. 0 3. a = ln 3: 39 . 1 12. a = 4 : 5. 1 2 23. e 2 30. 1 48. 1 42. 1 1 14. 44. 1 37. e 33. 2 2 43. 2 11. 1 40.2 Respostas Exercícios 1. para x ! 1 6. 2 1 39. c = ln 2 3. 4 a2 20. a = 1eb= 1 . 1 49. 0 50. e 45.4. 2 2. 2 18.

Sabendo que f (x) = 4x3 4x + x2 1 tem raízes 1 e 1. (d) f (x) = sin (e) f (x) = (f) f (x) = 1 x x 2 4 sobre o intervalo [0. 1]. 2 p 3 2 sobre o intervalo [ 1. examine se as funções satisfazem as condições e veri…cam o Teorema deo Valor Médio (de Lagrange). p (a) f (x) = 3 x2 5x + 6 sobre o intervalo [ 3. 1]. 3]. 1]. 1 (x 2)2 4. Através do teorema de Rolle é possível a…rmar que a função f (x) = 2 possui um ponto crítico no intervalo [1. sobre o intervalo [ 1. 4]. pelo teorema de Rolle para veri…car é possível a…rmar que a derivada tem alguma raiz entre 1 e 1? Justi…que. 1].Capítulo 5 Análise da Variação das Funções 5. ]. (d) f (x) = (x 1) (x 2) (x 3) sobre o intervalo [1. 3. 2]. (e) f (x) = sin2 (x) sobre o intervalo [0. Em cada caso. 1]. (a) f (x) = 2x2 + x sobre o intervalo 1 . ]. 1 . (c) f (x) = x 3 sobre o intervalo [ 1. p 5 (b) f (x) = 1 x4 sobre o intervalo [0. (b) f (x) = 1 x (c) f (x) =tg(x) sobre o intervalo [0. examine se as funções satisfazem as condições e veri…cam o Teorema de Rolle. Em cada caso. 5]? Justi…que. sobre o intervalo [0. j3 xj . 2.1 Exercícios 1.

o valor de c cuja existência é garantida pelo Teorema de Lagrange. 11. veri…ca o teorema de Rolle entre as raízes da função g? Justi…que. f (x) = x + sin x. 8. se 1 x 2 7. ( 3. Para que valores de a. B e C são constante reais e A 6= 0. bn an < nbn 1 (b a). 7. 10. f (x) = cos x. m e b a função f (x) = o teorema do Malor Médio no intervalo [0. 2]? 8. f (x) = arcsin (1 + x). 0) e B (0. f (x) = x(416x2 ) . b]. Pergunta-se: é verdade? Justi…que. 12. f (x) = x x 2x+2 . an )? 9. p (b) A função y = f (x) = 16 x4 :g 0 (x).5. f (x) = xe x . se x = 0 x2 + 3x + a. Seja g a função de…nida por g (x) = p 4 x2 . 0 < x < 1 satisfaz mx + b. f (x) = px2 1 . x2 x2 13. x3 9. Mostre que para qualquer intervalo [a. 1 4. para todo x real. Em que ponto da curva f (x) = xn a tangente a curva é paralela a corda que une os pontos A (0. 10. é o ponto médio do intervalo. 2) e B (0. 1). 2). Seja p (x) = Ax2 + Bx + C. onde A. para e 2 R. jsin sin j j j. 11. 5. f (x) = 2 sin x + cos (2x). 6. 6. 12. para x > 0. f (x) = (x 2)(8 x) . f (x) = (x 8)(x+2) . Em cada caso. determine os intervalos onde f (x) é crescente e decrescente bem como todos os pontos de valor máximo e mínimo: x 1. f (x) = 2e1+x . 0) e B (a. determine o ponto em que a reta normal à curva y = g (x) também é normal a reta que passa pelos pontos A ( 2. 3. f (x) = x ln x. para x 0. arctg(x) < x. f (x) = x2 +3 . Utilize o Teorema de Lagrange para demonstrar as desigualdades: (a) (b) (c) (d) ex 1 + x. A…rma-se que f (0) = 3 e f 0 (x) 5. 2 41 . n 2 N. 2. para b > a. então pelo Teorema do Valor Médio (ou de Lagrange) o maior valor possível para f (2) é 7. (a) Usando um dos teoremas estudados. Use algum dos teoremas estudados para determinar em que ponto da curva f (x) = x3 2x2 1 a reta normal a esta curva é perpendicular a reta que passa pelos pontos A (1.

f (x) = 3x + (x + 2) 5 . f (x) =arctg(x). f (x) = x + . 20. ) 16. Faça a análise e construa o grá…co de cada uma das funções: ln x 6x2 x4 1. 4. f (x) = x + ln x. 10. f (x) = 2x + 2 . f (x) = cos x. b. . f (x) = (x 1) ex .13. Em cada caso. 2 ) 31. f (x) = c. f (x) = e x + 2. c e d para que f (x) tenha pontos críticos em x = 0 e x = 1. f (x) = x sin x. f (x) = 3 2ax2 x3 . 14. determine todos os intervalos de concavidade e convexidade bem como os pontos de in‡ exão. f (x) = . 8x 2 (0. 8x 2 ( 2 . 2 17. 26. 16. f (x) = 11 ex 2 7. 1 15. f (x) = ln (cos (2x)). f (x) = x + p 2 2. f (x) = 4 . f (x) = xe x . f (x) = . f (x) = cosh (x). 2 e. 2 ). f (x) = e x . 31. 42 . f (x) = . f (x) = ex2 . f (x) = 2 . b. f (x) = e x . . (x 2)2 x d. Dada a função f (x) = ln (x2 + 1). 30. 1 . h. f (x) =sen(x). f (x) = xex . x 9 4 x 3 x 3. f (x) = (x + 1)4 . 2. porque é possível a…rmar que existe um possível ponto de in‡ exão no grá…co da curva de y = f (x). f (x) = sin x . 25. f (x) = 2x + 1 + e x . f (x) = . f (x) = 3 x + x . f (x) =cotg(x). x +1 16 3 1 19. f (x) = x 2 + px2 +9 . 8. usando o Teorema de Rolle. a. Em cada caso. 14. f (x) = x2 e1 x . 28. (a) Determine uma relação entre as constantes a. no intervalo 1 . (x 2)2 1 2 11. explique. Seja f (x) = 2ax3 + bx2 cx + d uma função. d. px . 12. 2 . f (x) = e. 6. 1 9. x 13. determine a equação de todas as assíntotas: a. 27. f. f (x) = ln (1 + x). x p x2 1 17. f (x) = sec (x). x x p 3 3 23. 24. f (x) = ex + xex . f (x) = 2 x x. x x 4 p 1 5. 8x 2 ( 29. 22. p p 2 1 21. f (x) = . f (x) = ex . 18. x 2 15. x2 4x+3 x2 2 b. f (x) = 2 + e 1 g. f (x) = x . p c. x2 1 x . f (x) = 3 2x x3 .

y = 1 é uma assíntota horizontal de f . 1) esta função tem pelo menos um ponto crítico. Considere a função f (x) = x8 + 2x7 8x6 + x5 2x4 + 2x3 + 4x2 . 19. observando.(b) Se a > 0 em qual dos pontos críticos a função terá máximo e/ou mínimo? 18. Esboce o grá…co da função f (x) que satisfaz as seguintes condições: i. 0 [ 3. f 00 (x) > 0 para todo x 2 v. A…rma-se que no intervalo (0. 22. f 0 (x) = 1 se jxj > 2. Justi…que cada item. 20. Construa o grá…co de uma função que satisfaz as seguintes condições: f 0 ( 1) = f 0 (1) = 0. pontos de máximo(s) e/ ou mínimo(s) relativos e o(s) ponto(s) de in‡ exão. f 0 (x) > 0 se 1 < jxj < 2. se existir(em). iv. vi. f não possui assíntota vertical. 21. 1) . Pergunta-se: é verdade ? Justi…que sua resposta. Justi…que cada um desses itens. f 00 (x) < 0 se 2 < x < 0. f 0 (x) < 0 se jxj < 1. 23. Considere o grá…co da função abaixo: y 4 2 -6 -4 -2 -2 -4 2 4 6 x Faça a análise grá…ca de f . Sabe-se que f é uma função contínua em R. o ponto P (0. Determinar os coe…cientes a e b de forma que a função f (x) = x3 + ax2 + b tenha um extremo relativo no ponto ( 2. 1) é um ponto de in‡ exão. f 00 (x) < 0 para todo x 2 Determine os pontos de máximo(s) e/ou mínimo(s) e o(s) ponto(s) de in‡ exão. 3 [ 0. p p 3. os intervalos em que f 00 (x) > 0 e f 00 (x) < 0 . +1 : vii. ii. os intervalos em que f 0 (x) > 0 e f 0 (x) < 0 . assíntota(s) horizontal(is). f (0) = 1. 1). f 0 (x) < 0 para todo x 2 ( 1. p p 1. assíntota(s) vertical(is). +1) . 3 . 1) [ (1. f 0 (x) > 0 para todo x 2 ( 1. iii. Construa o grá…co de f de tal forma que sua primeira e sua segunda derivada apresentem o comportamento abaixo ilustrado 43 .

y y = f ' (x ) -3 -3/2 1 4 6 x 26. f 0 (x) > 0 se jxj < 2. sabendo que grá…co da primeira derivada de f está abaixo ilustrado. f 0 (x) < 0 se jxj > 2. f 00 (x) < 0 se 0 < x < 3. 25. Tem-se um terreno retangular de 4328 m2 de área. Para tanto. Quais devem ser as dimensões para que seu perímetro seja o menor possível? 28. P (3. f (3)) é ponto de in‡ exão. Determine as dimensões da viga mais resistente que pode ser cortada de um toro cilíndrico de raio a. iv. contínua em R. Pretende-se murá-lo e sabe-se que o vizinho de um dos lados paga a metade do muro que faz limite com sua propriedade. Esboce o grá…co de função f . h b seção transversal a 27. Quer-se construir uma residência retangular que tenha 236 m2 de área. f (x) . x!+1 ii. Construa o grá…co de uma função contínua em R que satisfaz as seguintes condições: i. quais devem ser as dimensões deste terreno para que se gaste o mínimo possível ao murá-lo? 44 . lim f (x) = 1 e f ( x) = iii. A resistência de uma viga retangular é diretamente proporcional ao produto de sua largura pelo quadrado de sua altura da secção transversal. f 0 (2) = 0.y 1 y2 1 -6 -4 -2 -1 2 4 6 x -4 -2 2 4 x y = f 0 (x) y = f 00 (x) 24.

o Departamento de Estradas vem registrando velocidade do tráfego ‡ uindo numa rodovia após uma saída. e o outro pedaço é dobrado em forma de circulo cujo raio é R. o tráfego se move mais rápido. Considere três números positivos tais que sua soma é 15. Quais devem ser as dimensões totais dos chiqueiros de modo a maximizar sua área total ? 31. Há várias semanas. Um fazendeiro tem 24 m de cerca para construir três chiqueiros retangulares adjacentes (de mesma área). Os dados sugerem que a velocidade do tráfego na saída é aproximadamente f (t) = t3 10. cujo perímetro é 16. Sabendo-se que o dobro do primeiro mais três vezes o segundo. Como devemos cortar o arame para que a soma das áreas englobadas pelos dois pedaços seja máxima? (Considere L = 12 m:) 33. para outro de 4 m de largura. da …gura. 32. Num sólido será construído acoplando-se a um cilindro circular reto de altura h e raio r uma semi-esfera também de raio r. A que horas entre 15 : 00 e 18 : 00 hs. B A C a b 45 . Determine os valores de r e h para que o sólido tenha volume máximo. através das quina de um corredor de 2 m de largura. determine então esses números de modo que o produto dos três seja o maior possível. Num arame de comprimento L é cortado em dois pedaços. Determine os lados do retângulo para que a área do trângulo ABC seja a maior possível. e a que horas ele se move mais lentamente? 34. conforme …gura. 2m 4m 36. onde t é o número de horas após o meio dia. qual tem perímetro mínimo? 30. mais quatro vezes o terceiro é 45. 5t2 + 30t + 20 km=h. Determine o comprimento da maior “vara”que pode ser transportada horizontalmente. 35. Dentre todos os retângulos de área 49 cm2 . sendo que um pedaço é dobrado em forma de quadadro cujo lado é `. Deseja-se que a área da superfície do sólido seja de 5 .29. Considere o retângulo.

Considere um semi-círculo de raio 2. se existir. A B 41. na qual possa ser contruído este galpão. N 2 km 10 km S A estação 5 km B 43. 39. Determine as dimensões de um cilindro reto inscrito em uma esfera de raio R a…m de que tenha seu volume o maior possível. Determine: (a) as dimensões do retângulo com máxima área que seja inscrito neste semicirculo. Sabe-se que a distância entre os pontos A e B é de 8 m. 46 . 20 m nos fundos e 12 m em cada lado. 44. Quer-se contruir um galpão retangular com área de 12:100 m2 . Duas cidades estão localizadas ao sul de um rio. 40. Uma estação bombeadora de água será instalada para servir as duas cidades. Calcular o comprimento mínimo do …o a ser empregado. De…na o ponto onde a estação bombeadora deve ser instalada para minimizar o custo da tubulação. 42. Sabendo-se que o custo da base e da tampa é o triplo do custo dos lados. Determine as dimensões do terreno que tenha área mínima. um número positivo tal que a soma de seu cubo com 4 vezes o inverso de seu quadrado seja o menor possível. Determine. Um recipiente com a forma de um paralelepípedo de base quadrada tem um volume de 2:000 cm3 . Determine as dimensões do campo com área máxima que pode ser cercado com 1:000 m de cerca.37. 38. Exige-se que exista um espaço livre de 25 m na frente. distantes 10 km. Quer se pendurar um peso mediante um …o em forma da …gura a abaixo ilustrada. (b) a área deste retângulo. determine as dimensões do recipiente de menor custo possível. Um campo retangular está limitado por uma cerca em três de seus lados e por um córrego reto no quarto lado. conforme a …gura. a 16 metros abaixo de uma viga AB. A tubulação seguirá as retas que ligam cada cidade à estação.

Considere um trapézio isósceles de área A. sabendo que a base do cilindro esta contida na base do cone. 3000m rio abaixo. afetando a velocidade do ar na traquéia. certo 1 político terá o apoio de S (x) = 29 ( x3 + 6x2 + 63x + 1080) % de eleitores. Determine as dimensões da pista de tal forma que a área retangular. 00 o metro. Qual é o tamanho dos quadrados que resulta na caixa com o maior volume possível? 47. Se r0 é o raio normal da traquéia. Sabendo que é com um ângulo da base. de 900m de largura. 00 por metro. 47 . até uma fábrica situada do outro lado do rio. retirando quadrados do mesmo tamanho dos quatro cantos e dobrando-se os lados. Determine o volume máximo de um cilindro circular reto que pode ser inscrito em um cone de altura H e raio da base R. seja máxima. Uma pista de atletismo com comprimento total 400m. r 46. qual o melhor mês para anunciar a candidatura? Se o político necessita de pelo menos 50% dos votos para vencer. 49. α l 51. sendo 0 x 12. Uma folha de papelão quadrada com 16 cm2 é usada para fazer uma caixa aberta.45. determine a medida da lateral l para que o perímetro seja mínimo. enquanto que para estendê-lo por terra custa R$4. Uma pesquisa de opinião revela que x meses após anunciar sua candidatura. Pretende-se estender um cabo de uma usina de força à margem de um rio. Se a eleição estiver marcada para novembro. conforme a …gura abaixo. onde a é uma constante positiva. a relação entre a velocidade v do ar e o raio r da traquéia é dada por uma função da forma v (r) = ar2 (r0 r). Determine o raio para o qual a velocidade do ar é máxima. o raio da traquéia diminui. quais são as chances de ser eleito? 50. Qual é o percurso mais econômico para o cabo? 48. demarcada na …gura. consiste em 2 semi-círculos e dois segmentos retos. O custo para estender um cabo pelo rio é de R$5. Quando um pessoa tosse.

Sim. f (x) = 4. 1. 3. (c) não. 4. a = 3. Não. f (x) = 6x2 x4 9 y 0 2 4 6 -1 x4 3 x y x -4 -2 -2 2 4 x 3. (b) não. np 1 n 1 n nn p p 2. (a) não. (b) sim. (d) sim. f (x) = p 3 2x 6. (b) não. 9. f (x) = 1 1 ex y 2 -2 -2 2 y 2 2 4 x x2 -4 -2 -2 x 7. 1 . 2. 5.2 Respostas 1. f (x) = e x 1 y -4 -2 0 2 4 y 10 x -4 -2 0 2 4 x 48 . 15. f 0 não existe em x = 3. 2 . (e) sim. (d) sim. (a) 11. b=4 e m = 1. f (x) = ln x x 2.2 -2 2 4 x 5.5.2 -4 -2 -100 x x3 -4 -0. (f) sim. f (x) = e +2 8. 3 32 27 7. a an p . f (x) = x x4 4 y 100 2 4 y 0. (c) sim. (e) não. A…rmação verdadeira. 8. (a) não.

f (x) = (x y -2 20 1 2 y x -4 -2 6 0 2 -1 -20 x 49 . f (x) = xex 12. f (x) = 16 3 x 3 20. f (x) = 1 (x 2)2 y 1 2 4 -5 y 0 5 -4 -2 -1 x 2 x 1 x 11. f (x) = x + y 20 2 4 y x 5 2 4 -4 -2 -20 -4 -2 -5 x x 13.9. f (x) = x2 e1 16. f (x) = 2x + 1 + e y 5 -4 -2 0 2 4 y x x 10 2 4 -4 -2 0 x 1 x2 15. f (x) = 2x + y 10 -2 0 2 4 6 y x x 10 2 4 -4 -2 -10 x p 17. f (x) = 2 x 18. f (x) = x2 1 x2 +1 y1 0 2 4 y -5 1 5 -1 x + 1 x x 1) ex 19. f (x) = cosh x 14. f (x) = sin x 10.

0 0 2 4 y x ex2 5 2 4 23. f (x) = x 1 x y 0. 26. f (1)) são pontos de máximo e mínimo relativo. 19. f (x) = x 28. Sugestão: Aplique o Teorema de Rolle para a função g (x) = f 0 (x) : 17. f (x) = ln (cos (2x)) y 02 0 -8 4 6 -5 -5 5 -4 -2 -1 2 4 x x 16. O retângulo que tem perímetro mínimo é o quadrado. respectivamente. 18. Dimensão: 7cm. f (x) = sec (x) 30. A…rmação verdadeira. 50 p p .4 0. (b) P1 (0. 75. f (x) = p x+ 2 p x p 2 2 22. f (x) = x + ln x -2 2 4 y -4 -2 -2 2 4 y x ln x 5 0 -5 2 4 x 27. 96 m e 56.21. 97 m. f (x) = p 3 -4 -2 -5 x 3 24. (a) b = 3a. c = 0 e d 2 R. 29. f (0)) e P2 (1. 2 59 e 2 59 28. f (x) =cotg(x) y 10 0 0 2 4 y x 5 2 -2 -5 x 29. f (x) = xe x 26. a = 3 e b = 3. b = 2 3 3 a u:c: e h = 2 3 6 a u:c: p p 27. f (x) =arctg(x) y 5 y 1 x 31.2 0. f (x) = 3x + (x + 2) 5 y 10 2 4 y 10 -4 -2 0 x x 25.

3 42. 8 km após o ponto N . 982 m pelo rio e 2607 m por terra. 3 p p 38. 2. 51 .30. 250 m e 500 m. 2 m e 3 m. 34. 45. 80. 3 (b) 4 u:a: 44. 2 48. 33 m e 150. 35. q p 2 43. 4+ = 0:840 15 m e 3 3 +4 = 1: 680 3 m: 33. R e 2 3 3 R. (a) 2 u:c: e 2 2 u:c:. q A 50: sen . 5. 8. p 20 41. 5 e 5. 3 ro . 100 m e 100 m: 46. 62 m. 3m 36. 4 u:c: e 4 u:c: q 37. 5 3 144 cm e p12 cm. Velocidade máxima: 15 hs. 2 cm 3 47. 39. 31:r = h = 1 u:c: 6 32. 5 8 . velocidade mínima: 17 hs.

R dx R 1 3 (b) (x+2)3 (a) 1 + x dx R p R 3p (c) x x 1dx (d) p x2 + 3dx x 3 R x R ln x dx (f) dx (e) x x2 Rp R sin x 3 (g) dx sin x cos xdx (h) 2 + cos x 3 p p p 3 R x7 R e x x 1 p p + pxepx dx (i) dx (i) 64x x p 1 R arctg x R ex + 1 p dx dx (l) (k) x2p (1 + x) x p R sec x tg x R e4x p (m) dx (n) dx 2 x (1 + 3e4x )2 R R dx ln x (o) (p) 2 dx R 1 + cos x R x + 4x ln x (q) senh(3x) dx (r) tgh(ln (cos x)) tg x dx 2.Capítulo 6 Integral Inde…nida 6. n 2 N (h) arcsen(2x) dx R R x (i) arctg p dx (j) cos (ln x) dx 1 x2 3. Resolva as integrais de funções trigonométricas abaixo: . onde a e b 2 R (d) R ln x + 1 + x2 dx (e) R x sen(3x 2) dx (f) R x sec2 xdx n 3 (g) x ln (2x ) dx. Calcule as integrais inde…nidas abaixo usando integração imediata ou o método da substituição.1 Exercícios 1. Use o método de integração por partes para calcular as integrais inde…nidas abaixo: R R x3 (a) x2 cos xdx (b) dx p R ax R e2x (c) R e cos (bx) dx.

pelo método da substituição trigonométrica. a seguir. que contém um trinômio quadrado. Use o método da decomposição em frações parciais para resolver as integrais inde…nidas abaixo: R 5x 2 R x2 (a) dx (b) dx x2 4 x2 + x 6 R R 4x 2 dx (c) dx (d) 3 2 3 + 3x2 x x 2x x R R x2 x 4 x2 + 2x 1 (e) dx (f) dx (x2 + 4) (2x 1) (x 1)2 (x2 + 1) R R x5 + 9x3 + 1 3x2 x + 4 (g) dx (h) dx x (x3 + 2x2 + 2x) x3 + 9x R 3e 2x + 2e x 2 R 3 x+1 dx (j) 2x 2 +1)2 dx (i) 3x x(x e 1 3 R x + 3x 1 (l) dx (x 1) (x4 + x2 ) 53 . p R R 9 x2 x (a) dx (b) dx 1 + x4 x3 R Rp dx x2 a2 dx. a 2 R (d) p (c) 2 x 25 R R x+4 dx (g) dx (h) 2 4x2 + 5 x 4 + ln x R R dx dx (j) (i) p 3 2 sin2 x + b2 cos2 x a (1 + x) 2 R dx p (k) x3 x2 4 5.R (a) R sin4 (ax) dx. Resolva as integrais inde…nidas abaixo: R x+3 (a) dx 2 x 2x 5 R 5x + 3 (c) p dx x2 + 4x + 10 R 2x 1 p (e) dx (2x + x2 ) 2x + x2 x R 2e + 1 dx (g) ex + 2 e5 x R cos x (i) dx 2x sen 6sen x + 12 elementares. (x 1)2 dx x2 + 3x + 4 R x 1 dx (d) (x2 + 2x + 3)2 R dx p (f) x2 x2 + x + 2 R x (h) p dx 6x x2 (b) R 6. a 2 R (c) R sen2 x cos2 x dx 2 2 (e) R sen(3x)sen(2x) dx (g) R cotg3 (2x)cossec(2x) dx (i) cotg3 (2x) dx R (b) R sen2 x cos5 xdx 2 (d) R (sen2 3x + cos 3x) dx (f) R (2 sen (x))2 dx (h) R tg3 (x) sec4 (x) dx (j) tg2 x sec3 xdx 4. Calcule as integrais inde…nidas.

7. Use alguma das técnicas de integração estudadas para provar que: Z du 1 (a) = a arctg u + k a 2 + a2 u Z p du p (b) = ln u + u2 a2 + k u 2 a2 R (c) sec u du = ln jsec u + tg uj + k 8. Resolva as integrais inde…nifas abaixo pelo método que julgar conveniente: R sen x R ln x x2 dx (b) (a) +p dx cos3 x x 1 + ln2 x 1 + x2 p p R e2x 1 R 2 3x p (c) dx (d) dx 3 e2x + 1 x p R R sec2 x (f) cos x sen x 1 sen4 x dx (e) 3 dx (tg2 x + 9) 2 Rp R ln2 x p (g) 1 + ex dx (h) + x ln x dx x p R R dx x (i) dx (j) p 1+x x 1 R R dx (k) p (l) x (ln x)2 dx x 1+e R dx R ln (ln x) dx (n) (m) x ln x 1+e x R x2 ln3 (1 + x3 ) R ln x (o) dx (p) p dx 1 + x3 x 1 p R R ( x + 1) 3 4 p (q) sin (e2x ) cos (e2x ) e2x dx (r) dx x R R dx p (s) (ln (cos x))2 tg xdx (t) 3 + 1 + 2x R R esec2 x tan x dx (u) ln (x2 + 1) dx (v) cos2 x x R R x arcsen x e p (w) p dx (x) dx 1p x2 e2x + 1 R ln [ln (ln x)] R xtg3 x2 1 p (y) dx (z) dx x ln x x2 1 54 .

x p p dx 4 1 1 p+x p +x Z cotg(4x) 3 cotg(4x) p (cc) cossec2 (4x) dx cotg(4x) Z tg (x) sec x (ee) dx 2 Z cos x + 9 2 (gg) sin (4x) ecos x dx Z (ii) e 2x cos2 (3e x ) dx R (kk) Z x (sin (3x ) + cos (3x ))2 dx 3 p 3x 4 (mm) x 2 px2 +1 dx ( 3 ) (aa) R R ln (x + 3) p dx x+3 Z dx (dd) 2 cossec8 2 sec3 2 x x x Z p 2 ln x 2 ln x + 10 (¤) dx x Z (3 cos2 x 2) sin x (hh) cos3 x cos2 x + cos x 5x R + 9 3x + 1 (jj) dx 3x x R xp + 9 (ll) e 1 + ex ln (1 + ex ) dx R tg3 x 1+sec2 x (nn) e dx cos2 x (bb) 1 dx 55 .

Exercício 1: (a) (b) (c) (d) (e) 1 2x2 (6x2 ln x 6x + 2x3 1 +k 2(x+2)2 1) 2 + k + 3) 2 + k 3 3 1) + k 2 (3x + 2) (x 15 1 (x2 2) (x2 5 1 ln4 x + k 4 1 (f) lnx + k 3 (g) 2 sin 2 x + k 3 (h) 3 ln cos 1 x + 2 + k 3 p 2 3 2 13 7 (i) 51 x 4 xp 13 x 12 + k 1 (j) epx 2e2 x 2 + k xe x + 1 + k p (l) arctan2 x + k 1 (n) 36e4x +12 + k (p) 1 ln ln2 x + 1 + k 8 4 (q) 1 cosh (3x) + k 3 (r) ln jcosh (ln (cos x))j + k Exercício 2: (a) x2 sin x 2 sin x + 2x cos x + k (b) 1 e 2x (4x3 + 6x2 + 6x + 3) + k 8 a (cos bx) eax + beax sin bx +k (c) a2 + b 2 p p (d) x ln x + x2 + 1 x2 + 1 + k 1 (e) 1 sin (3x 2) 3 x cos (3x 2) + k 9 1 (f) 2 cos x (cos x ln (2 cos 2x + 2) + 2x sin x) + k xn+1 (g) (n+1)2 (ln 2 + 3 ln x + n ln 2 + 3n ln x 3) + k p 1 (h) 2 1 4x2 + x arcsin 2x + k 1 (j) 2 x (cos (ln x) + sin (ln x)) + k Exercício 3 1 (a) 32a (sin 4ax 8 sin 2ax + 12ax) 5 1 3 1 (b) 64 sin x 192 sin 3x 320 sin 5x 448 sin 7x + k 1 1 (c) 8 x 16 sin 2x + k 1 1 (d) 7 x + 1 sin 3x 18 sin 9x + 96 sin 12x + k 8 6 1 (e) 1 sin x 10 sin 5x + k 2 9 (f) 2 x + 4 cos x 1 sin 2x + k 4 (k) 1 x 1 56 .2 Respostas OBS: Ao resolver essas questões você poderá obter resultados equivalentes.6.

(g) (i) 8(tan 1 ln (2 4 1 x 2 1 )(tan2 1 x 1) 2 1 tan2 2 x + 1 2 +k 2 cos 4x) + k Exercício 4 (a) (b) 1 2 arctan x2 + k p x2 9 x2 3x2 arctanh p93 x2 + (9 p x2 ) 2 3 18x2p 1 1 2 2 2 (c) 2 x x a a ln x + x2 a2 + k p 2 (d) ln 2x + 2 x2 25 + k (e) 1 p6x x2 + k 6 p (f) arcsin 1 2 sin x + k 2 (g) 1 arctan 1 ln x + k 2 2 p p 5 (h) 1 ln x2 + 4 + 2 5 arctan 2 5x + k 8 5 5 Exercício 5 +k p p p 2 1 2 3 ln 6 x+1 +k x2 +2x+5 p p 2 5 3 (b) x 2 ln (x2 + 3x + 4) + 9 7 arctan 7 7 x + 7 + k 7 p p p p p p 1 1 1 (c) 5 x2 + 4x + 10 7 ln 6 6 x2 + 4x + 10 + 6 6x + 3 2 3 + k p p ex + 6 + 1 1 2x x p +k (g) ln (e + 2e 5) + 12 6 ln ex 6+1 p 1 (h) 3 arcsin 1 3 x x (x 6) + k p p p 1 1 (i) 3 3 arctan 3 3 sin x 3 +k (a) 1 2 ln (x2 2x 5) + 1 3 Exercício 6 (a) 2 ln (x 2) + 3 ln (x + 2) + k 4 (b) x + 5 ln (x 2) 9 ln (x + 3) + k 5 (c) ln x (x 2) 2 ln (x + 1) + k 1 (d) 9x (x ln x x ln (x + 3) + 3) + k 1 1 (e) 2 ln (x2 + 4) 2 ln x 1 + k 2 ln(x2 +1) 2 arctan x+2 ln(x 1)+2x arctan x 2x ln(x 1)+x ln(x2 +1)+2 (f) +k 2(1 x) 1 2 (g) 4x (7 x 14x arctan (x + 1) 5x ln (x + 2x + 2) + 10x ln x + 8) + k 1 (h) 1 ln x 18 ln (x2 + 9) + 1 x3 + k 9 3 p p p 1 2 1 (i) 3 ln (e2x + ex + 1) ln (ex 1) + 3 3 arctan 3 3ex + 3 3 + k 2 4 ln x 6x 2 ln(x2 +1)+2 arctan x 2x2 ln(x2 +1) x2 +4x2 ln x+2x2 arctan x (j) +k 4(x2 +1) 1 2 (l) 4x (6x ln (x 1) 6x arctan x + x ln (x + 1) 8x ln x 4) + k Exercício 8 57 .

(a) (b) +k (c) ln (e + 1) ln (e ) + k 3 3 (h) 2 x 2 ln x + 1 ln3 x 4 x 2 + k 3 3 9 (l) 1 x2 2 ln2 x 2 ln x + 1 + k 4 1 (m) 2 ln2 (ln x) + k (n) x + ln (e x + 1) + k 1 (o) 12 ln4 (x3 + 1) + k p (p) 2 x (ln x 2) + k 1 1 1 (q) 160 sin (5e2x ) 32 sin (3e2x ) + 16 sin (e2x ) + k (u) 2 arctan x 2x + x ln (x2 + 1) + k 1 (v) 1 e cos2 x + k 2 (y) (ln (ln x)) (ln (ln (ln x)) 1) + k p (bb) 2 (ln (x + 3) 2) x + 3 + k 1 1 (gg) e 2 cos 2x+ 2 (2 cos 2x 4) + k 1 5 (hh) 5 ln 1 cos 2x + 3 arctan (cos x) 2 ln (cos x 1) + k 4 2 2 2 1 (ii) 72 e 2x ( ( cos ( 6e x ) ) e2x + 6 ( sin ( 6e x ) ) ex + 18) + k 1 (kk) 2 ln 3 (cos (2 3x ) (2 3x )) + k (ll) 2 9 1 ln ln2 x + 1 + k 2p p p p x x2 +1 ln(x+ x2 +1) cos 2x ln(x+ x2 +1)+x(cos 2x) x2 +1+2 4 cos2 x 2x x (3 ln (ex + 1) 2) (ex + 1) 2 + k 3 58 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful