ISS: RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - ATIVIDADES CUJO ISS DEVE SER RETIDO NA FONTE POR TODAS AS PESSOAS JURÍDICAS DO MUNICÍPIO

DE SÃO PAULO - ROTEIRO I - Introdução II - Responsabilidade Tributária III - Regras de Retenção na Fonte III.1 - Serviços Prestados sem emissão de Nota Fiscal - Obrigatoriedade de Retenção III.2 - Regra Geral e Específica III.3 - Regra Geral III.4 - Regra Específica IV - Procedimentos para Recolhimento do Imposto IV.1 - Base de Cálculo IV.2 - Base de Cálculo Construção Civil - Deduções IV.3 - Alíquota e Prazo para Recolhimento do ISS V - Hipóteses em que o Contratante Não Deve Reter o ISS VI - Restituição do ISS I - Introdução No Município de São Paulo as regras para retenção do ISS na fonte estão dispostas na Lei nº 13.701/2003 e a primeira grande alteração ocorreu com a Lei nº 14.042/2005 que trouxe novas obrigações tanto para o prestador quanto para o tomador dos serviços. A Lei nº 14.042/2005 instituiu obrigações direcionadas especificamente para as pessoas jurídicas que contratam prestadores de serviços que emitem Nota Fiscal autorizada por outro Município. Nesta situação o tomador só não fará a retenção do ISS se o prestador promover a sua inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças. A partir do exercício de 2009, com a publicação da Lei nº 14.865/2008, novas regras sobre a Responsabilidade Tributária devem ser obervadas. Neste Roteiro trataremos de cada uma das regras de retenção e de quem está obrigado a cumpri-las. II - Responsabilidade Tributária A Legislação do Município de São Paulo transferiu a responsabilidade pela retenção do ISS ao contratante dos serviços.
As Pessoas Jurídicas do Município de São Paulo que ficam obrigadas ao pagamento do ISS no lugar do prestador dos serviços passam a ser denominadas pela Lei como Responsáveis Tributários.

Existem hipóteses em que a obrigação de reter o ISS é de todas as pessoas jurídicas do Município. É a chamada regra geral que deve ser observada por todos aqueles que contratarem determinados serviços. Nesta regra geral estão incluídas também as novas alterações introduzidas pela Lei nº 14.042/2005. Além desta regra geral, existem casos em que a Lei Municipal cita expressamente o contratante ou a sua atividade, designando-os como Responsáveis Tributários. Somente os citados na Lei é que devem cumpri-la. Como esta regra não atinge a todos, ela pode ser chamada de regra específica.
1) A ausência de recolhimento ou eventuais diferenças apuradas pelo Fisco Municipal serão objeto de lançamento em nome do Responsável Tributário. 2) O responsável tributário fica obrigado a recolher o imposto integral, multa e demais acréscimos legais, na conformidade da legislação, eximida, neste caso, a responsabilidade do prestador de serviços.

A responsabilidade pela retenção do ISS no Município de São Paulo pode ser resumida da seguinte forma: 1

Regras para Retenção na Fonte Regra Geral

Quem está obrigado a cumprir

A partir de 1º de julho de 2007, os serviços prestados pelas ME e EPP, optantes pelo Simples Nacional instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, também estão sujeitos à retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS.

Todas as Pessoas Jurídicas do Município de São Paulo.

1) Instituições Financeiras; 2) Sociedades Seguradoras; 3) Sociedades de Capitalização; 4) Caixa Econômica Federal e o Banco Nossa Caixa; 5) Órgãos da administração pública direta da União, dos Estados e do Município de São Paulo, bem como suas autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, pelos Estados ou pelo Município; Regra Geral e Específica 6) Empresas de aviação; 7) Sociedades que explorem serviços de planos de medicina de grupo ou individual e convênios ou de outros planos de saúde; 8) Empresas administradoras de aeroportos e de terminais rodoviários; 9) Hospitais e prontos-socorros; 10) Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos; 11) Condomínios edilícios residenciais ou comerciais

Os responsáveis tributários não poderão utilizar qualquer tipo de incentivo fiscal previsto na legislação municipal para recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS relativo aos serviços tomados ou intermediados.

III - Regras de Retenção na Fonte Antes de iniciarmos o estudo das regras de retenção (geral e específica), é importante lembramos que também existe a obrigatoriedade de retenção do ISS quando os serviços são prestados sem a emissão da Nota Fiscal. Para esses casos aplica-se a seguinte regra: III.1 - Serviços Prestados sem emissão de Nota Fiscal - Obrigatoriedade de Retenção Sempre que houver contratação de serviços e o prestador não emitir Nota Fiscal ou outro documento autorizado pelo Fisco Municipal, o contratante é responsável pelo ISS e deverá efetuar a sua retenção e o seu recolhimento.
O tomador do serviço deverá exigir Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços, ou outro documento exigido pela Administração, cuja utilização esteja prevista em regulamento ou autorizada por regime especial.

O tomador do serviço é responsável pelo Imposto, devendo reter e recolher o seu montante, quando o prestador:

2

I - obrigado à emissão de Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços, ou outro documento exigido pela Administração, não o fizer; II - desobrigado da emissão de Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços ou outro documento exigido pela Administração, não fornecer recibo de que conste, no mínimo, o nome do contribuinte, o número de sua inscrição no Cadastro de Contribuintes Mobiliários CCM, seu endereço, a descrição do serviço prestado, o nome e número de inscrição no Cadastro de Pessoa Física - CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ do tomador, e o valor do serviço.
Para retenção do Imposto o tomador do serviço utilizará a base de cálculo e a alíquota prevista na Legislação vigente.

III.2 - Regra Geral e Específica Para facilitar a identificação de quem recebeu a responsabilidade pelo pagamento do ISS e quais são os serviços abrangidos efetuamos uma divisão das regras estabelecidas pela Lei. Na Regra Geral estão os serviços cujo Imposto deve ser retido por todas as Pessoas Jurídicas (contratantes) do Município de São Paulo. Já na Regra Específica estão os serviços cuja retenção será efetuada exclusivamente pelas Pessoas Jurídicas (contratantes) mencionadas na Lei. III.3 - Regra Geral Inicialmente constavam da regra geral apenas as hipóteses de retenção previstas na Lei Complementar nº 116/2003 e que foram reproduzidas pela Lei nº 13.701/2003. Posteriormente, com a edição da Lei nº 14.042/2005 houve uma ampliação do número de serviços cujo ISS deve ser retido por todas as pessoas jurídicas do Município de São Paulo. As tabelas abaixo foram elaboradas justamente com base em cada uma das referidas Leis Municipais. Confira o resumo da Regra Geral:
Regra Geral Resumo Tabela 1 Quem deve cumprir Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, incluindo-se as Imunes e as Isentas - Lei nº 13.701/2003. Tabela 2 Quem deve cumprir

A partir de 1º de julho de 2007, os serviços prestados pelas ME e EPP, optantes pelo tratamento diferenciado e favorecido instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, também estão sujeitos à retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS.
Serviços cujo ISS é devido no LOCAL DA EXECUÇÃO.

Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, incluindo-se as Imunes e as Isentas - Lei nº 14.042/2005.

Serviços cujo ISS é devido no local do ESTABELECIMENTO PRESTADOR.

Na Tabela nº 1 estão as regras gerais previstas inicialmente pela Lei nº 13.701/2003. Já na Tabela nº 2 estão as regras da Lei nº 14.042/2005.

Comecemos então a estudar as duas Tabelas da Regra Geral. Primeiramente a Tabela 1. Vejamos: TABELA 1 - Quem Deve Cumprir - Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, incluindo as Imunes e as Isentas - Lei nº 13.701/2003, alterada pela Lei nº 14.865/2008

3

A partir de 1º de julho de 2007, os serviços previstos na Tabela abaixo, prestados pelas ME e EPP optantes pelo Simples Nacional instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, também estão sujeitos à retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS.
Serviços cujo ISS deve ser retido 3.04 - Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário. 7.09 - Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer. 7.10 - Limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres. 7.12 - Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e biológicos. 7.14 - Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres. 11.02 - Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e pessoas. 17.05 - Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter temporário, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos ou temporários, contratados pelo prestador de serviço. 17.09 - Planejamento, organização e administração de feiras, exposições, congressos e congêneres. 7.02 - Execução, por administração, empreitada ou subempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços, escavação, drenagem e irrigação, terraplanagem, pavimentação, concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS). 7.04 - Demolição. 7.05 - Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas, pontes, portos e congêneres (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador dos serviços, fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS). 7.11 - Decoração e jardinagem, inclusive corte e poda de árvores. 7.15 - Escoramento, contenção de encostas e serviços congêneres. 7.17 - Acompanhamento e fiscalização da execução de obras de engenharia, arquitetura e urbanismo. 16.01 - Serviços de transporte de natureza municipal. Nesse caso todos os serviços constantes da Lista, executados no território do Município de São Paulo estão sujeitos a retenção. 1 - Somente reter o ISS dos serviços prestados dentro do território do Município de São Paulo, independente do local onde o prestador dos serviços estiver estabelecido. Observação

Somente haverá retenção do ISS se o prestador dos serviços for de fora de São Paulo. Para os prestadores de serviços de São Paulo não haverá retenção, exceto se: a) o prestador não for inscrito no Cadastro de Contribuintes Mobiliários - CCM de São Paulo; b) o prestador estiver obrigado à emissão de Nota Fiscal e não o fizer.

Serviços provenientes do exterior do País ou cuja prestação se tenha iniciado no exterior do País;

TABELA 2 - Quem Deve Cumprir - Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, incluindo as Imunes e as Isentas - Lei nº 14.042/2005. Na Tabela 2 está a regra de retenção introduzida pela Lei nº 14.042/2005, que também deve ser cumprida por todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, ainda que imunes ou isentas.
Regra a ser cumprida a partir de 1º de Janeiro de 2006, ou seja, somente para Notas Fiscais emitidas a partir desta data.

A obrigatoriedade de retenção por parte do contratante está vinculada diretamente às seguintes circunstâncias: a) o prestador emitir nota fiscal autorizada por outro Município (diferente de São Paulo);

4

b) esses prestadores não promoverem a sua inscrição no cadastro da Secretaria Municipal de Finanças.
1) Existem situações em que prestador está dispensado da Inscrição no Cadastro. Consequentemente, para esses casos, o ISS não deve ser retido. 2) Também estão dispensados do cadastramento as pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo quando prestarem quaisquer serviços necessários à execução da atividade de planejamento, organização e administração de feiras, exposições e congressos, para preposto ou representante, em trânsito, de pessoa jurídica estabelecida no Município de São Paulo que desenvolva essas mesmas atividades. Também neste caso não há retenção do ISS.

Veja, portanto, que antes de promover a retenção do ISS, o tomador deverá consultar a situação do prestador na página oficial da prefeitura. Somente na hipótese do prestador não estar inscrito é que o ISS será retido.
Em tópico específico deste Roteiro trataremos dos procedimentos do Tomador dos serviços ao receber a Nota Fiscal.

1) Quem está Obrigado a Inscrever-se no Cadastro da Secretaria de Finanças Vimos que somente haverá retenção do ISS se o prestador, que utiliza Nota Fiscal autorizada por outro Município, não promover a sua inscrição no cadastro da Secretaria de Finanças. Diante disso, vejamos agora quem está obrigado a se inscrever no referido Cadastro. Na tabela abaixo estão os serviços sujeitos à inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças.
1) Na tabela abaixo atentar para as notas existentes em alguns sub-itens que dispensam o prestador da Inscrição no Cadastro. Consequentemente, para esses casos, o ISS não deve ser retido. 2) Também estão dispensadas do cadastramento as pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo quando prestarem quaisquer serviços necessários à execução da atividade de planejamento, organização e administração de feiras, exposições e congressos, para preposto ou representante, em trânsito, de pessoa jurídica estabelecida no Município de São Paulo que desenvolva essas mesmas atividades. Também neste caso não há retenção do ISS.

5

Descrição dos Serviços 1 - Serviços de informática e congêneres. 1.01 - Análise e desenvolvimento de sistemas. 1.02 - Programação. 1.03 - Processamento de dados e congêneres. 1.04 - Elaboração de programas de computadores, inclusive de jogos eletrônicos. 1.05 - Licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação. 1.06 - Assessoria e consultoria em informática. 1.07 - Suporte técnico em informática, inclusive instalação, configuração e manutenção de programas de computação e bancos de dados. 1.08 Planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas eletrônicas. 2 - Serviços de pesquisas e desenvolvimento de qualquer natureza. 2.01 - Serviços de pesquisas e desenvolvimento de qualquer natureza. 3 - Serviços prestados mediante locação, cessão de direito de uso e congêneres. 3.01 Cessão de direito de uso de marcas e de sinais de propaganda. 3.02 - Exploração de salões de festas, centro de convenções, escritórios virtuais, stands , quadras esportivas, estádios, ginásios, auditórios, casas de espetáculos, parques de diversões, canchas e congêneres, para realização de eventos ou negócios de qualquer natureza. 3.03 - Locação, sublocação, arrendamento, direito de passagem ou permissão de uso, compartilhado ou não, de ferrovia, rodovia, postes, cabos, dutos e condutos de qualquer natureza. 4 - Serviços de saúde, assistência médica e congêneres. 4.01 - Medicina e biomedicina.

a) Quando estes serviços forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo exclusivamente para sociedades que explorem serviços de planos de medicina de grupo ou individual, o prestador dos serviços está dispensado de promover a sua inscrição no Cadastro. Conseqüentemente, para este caso, o ISS não deve ser retido na fonte. b) Quando estes serviços forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo para tomadores estabelecidos no Município de São Paulo, não relacionados na letra anterior, não há dispensa da inscrição no Cadastro. Se o prestador não cumprir, o ISS deve ser retido na fonte.
4.02 - Análises clínicas, patologia, eletricidade médica, radioterapia, quimioterapia, ultra-sonografia, ressonância magnética, radiologia, tomografia e congêneres.

a) Quando estes serviços forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo exclusivamente para sociedades que explorem serviços de planos de medicina de grupo ou individual, o prestador dos serviços está dispensado de promover a sua inscrição no Cadastro. Conseqüentemente, para este caso, o ISS não deve ser retido na fonte. b) Quando estes serviços forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo para tomadores estabelecidos no Município de São Paulo, não relacionados na letra anterior, não há dispensa da inscrição no Cadastro. Se o prestador não cumprir, o ISS deve ser retido na fonte.
4.03 - Clínicas

a) Somente estão obrigadas a inscreverem-se no Cadastro da Secretaria de Finanças as Clínicas não compreendidas na Tabela de Serviços para os quais existe dispensa da Inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças do Município de São Paulo. b) Quando os serviços prestados pelas clínicas enquadradas neste sub-item forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo exclusivamente para as operadoras, inclusive seguradoras, de planos privados de assistência à saúde estabelecidas no Município de São Paulo, o prestador dos serviços está dispensado de promover a sua inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças. Para esses casos foi criado o "Cadastro Simplificado" e quem inscreve o prestador é o próprio tomador dos serviços. c) Quando os serviços prestados pelas clínicas enquadradas neste sub-item forem prestados por pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo para outros tomadores não relacionados na letra anterior, caberá ao próprio prestador dos serviços promover a sua inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças.

6

1) Somente estão sujeitos ao cadastramento prévio os prestadores de serviço que utilizarem Notas Fiscais autorizadas por outro Município. 2) Para os serviços em que existe dispensa de cadastramento (notas na Tabela), o ISS não deve ser retido na fonte.

Alertamos novamente que somente haverá retenção se: a) os serviços forem executados por prestadores não inscritos em cadastro da Secretaria Municipal de Finanças.
Atentar para as notas nos sub-itens da Tabela acima, que dispensam da inscrição no Cadastro. Nestes casos não há retenção na fonte.

b) houver emissão de nota fiscal autorizada por outro Município.
A nova regra vincula a retenção ao fato do contribuinte emitir Nota Fiscal de outro Município e não estar inscrito no Cadastro da Secretaria Municipal de Finanças. Veja que somente deverá ser retido o ISS na hipótese do prestador não cumprir com esta obrigação.

2) Quem está dispensado da Inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças Estão dispensados do cadastramento:
Em todos os casos de dispensa o tomador não deve reter o ISS.

a) os prestadores de serviços provenientes do exterior do País ou cuja prestação tenha se iniciado no exterior do País; b) os prestadores de serviços estabelecidos no Município de São Paulo que emitam Nota Fiscal autorizada pela Prefeitura de São Paulo; c) as pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo quando prestarem quaisquer serviços necessários à execução da atividade de planejamento, organização e administração de feiras, exposições e congressos, para preposto ou representante, em trânsito, de pessoa jurídica estabelecida no Município de São Paulo que desenvolva essas mesmas atividades;
No caso previsto nesta alínea o Tomador deverá promover a inscrição do prestador no Cadastro Simplificado.

d) as pessoas jurídicas estabelecidas fora do Município de São Paulo que prestarem os serviços descritos na Tabela abaixo, para tomadores estabelecidos no Município de São Paulo.
Sub-item 4.03 4.17 5.02 5.03 6.05 8.01 8.02 Descrição Hospitais, clínicas voltadas para o serviço de apoio de diagnóstico e tratamento, laboratórios, sanatórios, manicômios, casas de saúde, prontos-socorros, ambulatórios e congêneres. Casas de repouso e de recuperação, creches, asilos e congêneres. Hospitais, clínicas, ambulatórios, prontos-socorros e congêneres, na área veterinária. Laboratórios de análise na área veterinária. Centros de emagrecimento, "spa" e congêneres. Ensino regular pré-escolar, fundamental, médio e superior. Instrução, treinamento, orientação pedagógica e educacional, avaliação de conhecimentos de qualquer natureza.

7

9.01

Hospedagem de qualquer natureza em hotéis, apart- service condominiais, flats, apart-hotéis, hotéis residência, residence- service, suite service, hotelaria marítima, motéis, pensões e congêneres; ocupação por temporada com fornecimento de serviço.

Também estão dispensados da Inscrição no Cadastro: a) as Pessoas Jurídicas com atividade de locação de bens móveis. b) as Pessoas Jurídicas com atividade de Produção, gravação, edição, legendagem e distribuição de filmes, videotapes, discos, fitas cassete, compact disc, digital video disc e congêneres. c) as Pessoas Jurídicas com atividade de veiculação e divulgação de textos, desenhos e outros materiais de propaganda e publicidade, por qualquer meio. São atividades que não constam mais da Lista de Serviços e consequentemente não são tributadas pelo ISS. Para essas atividades a Pessoa Jurídica não deve nem mesmo emitir Nota Fiscal de Serviços.

e) os prestadores dos serviços cuja regra para definição do local do recolhimento é a do local da execução. Os serviços são os seguintes:
Descrição 03.04 - Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário. 07.02 - Execução por administração, empreitada ou subempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços, escavação, drenagem e irrigação, terraplenagem, pavimentação, concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços, fora do local da prestação de serviços, que fica sujeito ao ICMS). 07.04 - Demolição. 07.05 - Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas, pontes, portos e congêneres (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local da prestação dos serviços que fica sujeito ao ICMS). 07.09 - Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer. 07.10 - Limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres. 07.11 - Decoração e jardinagem, inclusive corte e poda de árvores. 07.12 - Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e congêneres. 07.14 - Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres. 07.15 - Escoramento, contenção de encostas e serviços congêneres. 07.16 - Limpeza e dragagem de rios, portos, canais, baías, lagos, lagoas, represas, açudes e congêneres. 07.17 - Acompanhamento e fiscalização da execução de obras d engenharia, arquitetura e urbanismo. 11.01 - Guarda e estacionamento de veículos terrestres automotores, de aeronaves e de embarcações. 11.02 - Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e pessoas. 11.04 - Armazenamento, depósito, carga, descarga, arrumação e guarda de bens de qualquer espécie. 12.01 - Espetáculos teatrais. 12.02 - Exibições cinematográficas. 12.03 - Espetáculos circenses. 12.04 - Programas de auditório. 12.05 - Parques de diversões, centros de lazer e congêneres. 12.06 - Boates, "taxi-dancing" e congêneres. 12.07 - Shows, ballet, danças, desfiles, bailes, óperas, concertos, recitais, festivais e congêneres. 12.08 - Feiras, exposições, congressos e congêneres. 12.09 - Bilhares, boliches e diversões eletrônicas ou não. 12.10 - Corridas e competições de animais. 12.11 - Competições esportivas ou de destreza física ou intelectual, com ou sem a participação do espectador. 12.12- Execução de música. 12.14 - Fornecimento de música para ambientes fechados ou não, mediante transmissão por qualquer processo. 12.15 - Desfiles de blocos carnavalescos ou folclóricos, trios elétricos e congêneres.

8

12.16 - Exibição de filmes, entrevistas, musicais, espetáculos, shows, concertos, desfiles, óperas, competições esportivas, de destreza intelectual ou congêneres. 12.17 - Recreação e animação, inclusive em festas e eventos de qualquer natureza. 16.01 - Serviços de transporte de natureza estritamente municipal. 17.05 - Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter temporário, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos ou temporários contratados pelo prestador de serviço. 17.09 - Planejamento, organização e administração de feiras, exposições, congressos e congêneres. 20.01 - Serviços portuários, ferroportuários, utilização de porto, movimentação de passageiros, reboque de embarcações, rebocador escoteiro, atracação, desatracação, serviços de praticagem, capatazia, armazenagem de qualquer natureza, serviços acessórios, movimentação de mercadorias, serviços de apoio marítimo, de movimentação ao largo, serviços de armadores, estiva, conferência, logística e congêneres. 20.02 - Serviços aeroportuários, utilização de aeroporto, movimentação de passageiros, armazenagem de qualquer natureza, capatazia, movimentação de aeronaves, serviços de apoio aeroportuários, serviços acessórios, movimentação de mercadorias, logística e congêneres. 20.03 - Serviços de terminais rodoviários, ferroviários, metroviários, movimentação de passageiros, mercadorias, inclusive suas operações, logística e congêneres.

Aqui não importa se o prestador dos serviços é de São Paulo ou de outro Município, isso vale também para a Nota Fiscal, em nenhuma hipótese será necessária a inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças.

3) Procedimentos do Tomador dos Serviços - Consulta pelo CNPJ A Pessoa Jurídica inscrita no Município de São Paulo, ao receber Nota Fiscal autorizada por outro Município, deve consultar se aquele prestador promoveu o seu cadastro na Secretaria de Finanças. A base da consulta é o número do CNPJ do prestador.
Para os casos em que o prestador está dispensado da inscrição no Cadastro, não é necessário consultar e tampouco reter o ISS.

Clique aqui para consultar a situação cadastral do prestador de serviços. Efetuada a consulta com base no CNPJ o sistema retornará uma das seguintes mensagens:
Mensagem 1 "PESSOA JURÍDICA REGULARMENTE CADASTRADA JUNTO À SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS A PARTIR DE dd/mm/aaaa - para as notas fiscais emitidas a partir da data retrocitada, não caberá a retenção na fonte e o pagamento do Imposto exclusivamente para o(s) serviço(s) enquadrado(s) no(s) item(ns) atividades cadastradas pela empresa da lista do "caput" do artigo 1º da Lei nº 13.701, de 24 de dezembro de 2003. Para todos os demais serviços da lista, caberá a retenção na fonte e o pagamento do Imposto." Conseqüência O Tomador não deve reter o ISS incidente sobre os serviços mencionados na resposta. Mensagem 2 "PESSOA JURÍDICA NÃO CADASTRADA JUNTO À SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS - caberá a retenção na fonte e o pagamento do Imposto na conformidade da legislação vigente." Conseqüência O tomador deve reter o ISS incidente sobre os serviços mencionados na Nota Fiscal.

É facultado ao tomador de serviços imprimir a mensagem relativa à situação da inscrição do prestador de serviços no cadastro e anexá-la à primeira via da nota fiscal recebida.

4) Cadastramento do CNPJ dos Prestadores A fim de evitar que o tomador fique constantemente consultando a situação dos seus prestadores de serviços no cadastro da Secretaria de Finanças, ou seja, a cada emissão de Nota Fiscal, a Prefeitura também disponibilizará um sistema que possibilitará ao tomador ser avisado quando ocorrer o cancelamento de ofício da inscrição do prestador no cadastro. Para tanto, basta cadastrar o CNPJ dos prestadores e até 4 (quatro) "e-mails" do tomador diretamente na página da Prefeitura.
Clique aqui para acessar o sistema.

9

Uma vez efetuado o cadastro dos CNPJs e caso o prestador esteja regularmente inscrito, o tomador não necessitará verificar a situação da inscrição a cada nota fiscal emitida. Caso ocorra o cancelamento de ofício da inscrição do prestador, o tomador será informado diretamente no e-mail cadastrado.
Caso a inscrição do prestador de serviços seja cancelada de ofício caberá, ao tomador, a retenção na fonte e o pagamento do Imposto referente às notas fiscais emitidas a partir do dia seguinte ao do envio, pela Secretaria Municipal de Finanças, da comunicação do cancelamento.

5) Procedimentos do Tomador - Prestador Não Inscrito no Cadastro Vimos que na hipótese do prestador dos serviços não providenciar a sua inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças, o tomador, ao consultar a página da Prefeitura, obterá a seguinte mensagem: "PESSOA JURÍDICA NÃO CADASTRADA JUNTO À SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS - caberá a retenção na fonte e o pagamento do Imposto na conformidade da legislação vigente." Ao deparar-se com esta situação, o tomador dos serviços deverá reter na fonte o ISS incidente sobre os serviços descritos naquela Nota Fiscal.
Importante: Somente haverá retenção do ISS se o prestador dos serviços for efetivamente obrigado a se inscrever no cadastro e não o fizer.

Após a retenção o ISS deverá ser recolhido à Prefeitura Paulistana em nome do tomador dos serviços. III.4 - Regra Específica Na regra específica estão os serviços cujo ISS será retido apenas por determinadas Pessoas Jurídicas (tomadores ou intermediários). Nesses casos portanto, não são todas as Pessoas Jurídicas do Município de São Paulo que devem efetuar a retenção, mas apenas aquelas mencionadas pela Lei.
Importante lembrarmos que todas as Pessoas Jurídicas sujeitas à Regra Específica também devem cumprir com a Regra Geral.

Relacionamos abaixo as Pessoas Jurídicas mencionadas pela Lei e quais são os serviços que terão o ISS retido. 1 - Instituições Financeiras
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços de coleta remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores. Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

2 - Sociedades Seguradoras
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços dos quais resultem remunerações ou comissões, pagas a seus agentes, corretores ou Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores

10

intermediários, pelos agenciamentos, corretagens ou intermediações de seguro. c) Serviços de conserto e restauração de bens sinistrados por elas segurados. d) Serviços de regulação de sinistros vinculados a contratos de seguros, de inspeção e avaliação de riscos para cobertura de contratos de seguros e de prevenção e gerência de riscos seguráveis.

estabelecidos no Município de São Paulo. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

3 - Sociedades de Capitalização
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços dos quais resultem remunerações ou comissões, pagas a seus agentes, corretores ou intermediários, pelos agenciamentos, corretagens ou intermediações de planos e títulos de capitalização; Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

4 - Caixa Econômica Federal e Banco Nossa Caixa
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços de coleta remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores. c) Serviços dos quais resultem remunerações ou comissões, pagos à Rede de Casas Lotéricas e de Venda de Bilhetes. Sendo eles: 1) cobrança, recebimento ou pagamento em geral, de títulos quaisquer, de contas ou carnês, de tributos e por conta de terceiros, inclusive os serviços correlatos à cobrança, recebimento ou pagamento; 2) distribuição e venda de bilhetes e demais produtos de loteria, bingos, cartões, pules ou cupons de apostas, sorteios, prêmios, inclusive os decorrentes de títulos de capitalização e congêneres; Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo. Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

5 - Órgãos da administração pública direta da União, dos Estados e do Município de São Paulo, bem como suas autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, pelos Estados ou pelo Município.

Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços de limpeza e dragagem de rios, portos, canais, baías, lagos, lagoas, represas, açudes e congêneres; c) Serviços de coleta, remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores. d) decoração e jardinagem, inclusive corte e poda de árvores. e) transporte de natureza municipal.

Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos serviços prestados dentro do território do Município de São Paulo, independente do local onde o prestador dos serviços estiver estabelecido. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo. Somente reter o ISS dos serviços prestados dentro do território do Município de São Paulo por prestadores de serviços estabelecidos dentro do Município de São Paulo; Somente reter o ISS dos serviços prestados dentro do território do Município de São Paulo por prestadores de serviços estabelecidos dentro do Município de São Paulo;

6 - Empresas de Aviação
Serviços cujo ISS deve ser retido Observação

11

a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) serviços aeroportuários, utilização de aeroporto, movimentação de passageiros, armazenagem de qualquer natureza, capatazia, movimentação de aeronaves, serviços de apoio aeroportuários, serviços acessórios, movimentação de mercadorias, logística e congêneres.

Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos serviços prestados dentro do território do Município de São Paulo.

7- Sociedades que explorem serviços de planos de medicina de grupo ou individual e convênios ou de outros planos de saúde
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços dos quais resultem remunerações ou comissões, por elas pagas a seus agentes, corretores ou intermediários estabelecidos no Município de São Paulo, pelos agenciamentos, corretagens ou intermediações de planos ou convênios; c) Serviços de hospitais, clínicas, laboratórios de análises, de patologia, de eletricidade médica, ambulatórios, pronto-socorros, casas de saúde e de recuperação, bancos de sangue, de pele, de olhos, de sêmen e congêneres, a elas prestados por prestadores de serviços estabelecidos no Município de São Paulo; Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

8 - empresas administradoras de aeroportos e de terminais rodoviários
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços de coleta remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores. Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

9 - hospitais e prontos-socorros
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) Serviços de tinturaria e lavanderia. c) coleta, remessa ou entrega de correspondências, documentos, objetos, bens ou valores. Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

10 - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos
Serviços cujo ISS deve ser retido a) Todos aqueles mencionados na Regra Geral b) serviços prestados por suas agências franqueadas. Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral. Somente reter o ISS dos prestadores estabelecidos no Município de São Paulo.

11 - Condomínios edilícios residenciais ou comerciais
Serviços cujo ISS deve ser retido 3.04 - Cessão de andaimes, palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário. 7.09 - Varrição, coleta, remoção, incineração, tratamento, reciclagem, separação e destinação final de lixo, rejeitos e outros resíduos quaisquer. 7.10 - Limpeza, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, imóveis, chaminés, piscinas, parques, jardins e congêneres. 7.12 - Controle e tratamento de efluentes de qualquer natureza e de agentes físicos, químicos e Observação Aplicam-se as mesmas observações previstas nos serviços mencionados na Regra Geral.

12

biológicos. 7.14 - Florestamento, reflorestamento, semeadura, adubação e congêneres. 11.02 - Vigilância, segurança ou monitoramento de bens e pessoas. 17.05 - Fornecimento de mão-de-obra, mesmo em caráter temporário, inclusive de empregados ou trabalhadores, avulsos ou temporários, contratados pelo prestador de serviço. 17.09 - Planejamento, organização e administração de feiras, exposições, congressos e congêneres.

IV - Procedimentos para Recolhimento do Imposto IV.1 - Base de Cálculo Como regra o ISS a ser retido deve ser calculado sobre o preço do serviço, como tal considerada a receita bruta a ele correspondente, sem nenhuma dedução. Essa é a sua base de cálculo. A exceção a essa regra é Construção Civil. IV.2 - Base de Cálculo Construção Civil - Deduções Exclusivamente no caso dos serviços abaixo relacionados, a Legislação permite que haja algumas deduções. Nesses serviços o ISS será calculado sobre o preço do serviço deduzido das parcelas correspondentes: a) ao valor dos materiais incorporados ao imóvel, fornecidos pelo prestador de serviços; b) ao valor das subempreitadas já tributadas pelo Imposto.
Os valores correspondentes aos serviços prestados por profissional autônomo não podem ser deduzidos da base de cálculo.

As atividades em que se aplicará a dedução são as seguintes:
Serviços 7.02 - Execução, por administração, empreitada ou subempreitada, de obras de construção civil, hidráulica ou elétrica e de outras obras semelhantes, inclusive sondagem, perfuração de poços, escavação, drenagem e irrigação, terraplanagem, pavimentação, concretagem e a instalação e montagem de produtos, peças e equipamentos (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador de serviços fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS). 7.04 - Demolição. 7.05 - Reparação, conservação e reforma de edifícios, estradas, pontes, portos e congêneres (exceto o fornecimento de mercadorias produzidas pelo prestador dos serviços, fora do local da prestação dos serviços, que fica sujeito ao ICMS). 7.15 - Escoramento, contenção de encostas e serviços congêneres. 7.19 - Pesquisa, perfuração, cimentação, mergulho, perfilagem, concretação, testemunhagem, pescaria, estimulação e outros serviços relacionados com a exploração e explotação de petróleo, gás natural e de outros recursos minerais.

1) O prestador de serviços deverá informar ao Responsável Tributário o valor correspondente às deduções da base de cálculo do Imposto. Na hipótese das informações serem prestadas em desacordo com a legislação municipal, não será eximida a responsabilidade do prestador de serviços pelo pagamento do Imposto apurado sobre o valor das deduções indevidas. 2) Caso as informações quanto a dedução não sejam fornecidas pelo prestador de serviços o Responsável Tributário deverá calcular o Imposto sobre o preço do serviço.

IV.3 - Alíquota e Prazo para Recolhimento do ISS 1) Alíquota O Imposto deverá ser calculado mediante a aplicação da alíquota correspondente ao serviço prestado. 2) Prazo para Recolhimento

13

O Responsável Tributário deve recolher até o dia 10 (dez) de cada mês o Imposto correspondente aos serviços tomados ou intermediados no mês anterior. 3) Como Recolher Para recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS retido o responsável Tributário poderá optar por um dos seguintes documentos: a) Documento de Arrecadação do Município de São Paulo - DAMSP. b) Documento de Arrecadação de Tributos Mobiliários - DARM; V - Hipóteses em que o Contratante Não Deve Reter o ISS Conforme prevê o artigo 10 da Lei nº 13.701/2003 existem situações em que os responsáveis tributários ficam desobrigados da retenção e do pagamento do ISS. Não haverá retenção do Imposto quando o prestador dos serviços enquadrar-se em uma das seguintes situações:
Situação do Prestados dos Serviços a) for profissional autônomo estabelecido no Município de São Paulo; Observação Nesse caso o próprio profissional autônomo se encarregará de recolher o ISS com base no Regime Especial de Recolhimento do Imposto instituído pela Lei Municipal.

Todos os serviços previstos na Lista podem ser exercidos por Autônomos.
b) for sociedade de profissionais;

O tratamento especial é destinado somente as Sociedades que atuem nas seguintes áreas: 4.01 - Medicina e biomedicina. 4.02 - Análises clínicas, patologia, eletricidade médica, radioterapia, quimioterapia, ultra-sonografia, ressonância magnética, radiologia, tomografia e congêneres. 4.06 - Enfermagem, inclusive serviços auxiliares. 4.08 - Terapia ocupacional, fisioterapia e fonoaudiologia. 4.11 - Obstetrícia. 4.12 - Odontologia. 4.13 - Ortóptica. 4.14 - Próteses sob encomenda. 4.16 - Psicologia. 5.01 - Medicina veterinária e zootecnia. 7.01 - Engenharia, agronomia, agrimensura, arquitetura, geologia, urbanismo, paisagismo e congêneres. 17.13 - Advocacia. 17.15 - Auditoria. 17.18 - Contabilidade, inclusive serviços técnicos e auxiliares. 17.19 - Consultoria e assessoria econômica ou financeira.
c) gozar de isenção, desde que o prestador seja estabelecido no Município de São Paulo; d) gozar de imunidade;

As sociedades de profissionais também estão sujeitas ao Regime Especial de Recolhimento do Imposto instituído pela Lei Municipal. Não reter o ISS.

Os contribuintes beneficiados por Isenção não recolhem ISS. Os contribuintes Imunes não recolhem ISS. 1) O regime de microempresas do Município de São Paulo vigorou até 30/06/2007. Para detalhes deste regime veja nosso Comentário.

e) for microempresa, assim definida pela legislação municipal em vigência, por ocasião da prestação do serviço e durante o período em que gozar do direito ao incentivo;

2) A partir de 01/07/2007 - Conforme estabelece o artigo 94 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, os regimes especiais de tributação para microempresas próprios dos Municípios cessarão a partir da entrada em vigor do Simples Nacional - Lei Complementar nº 123/2006.

14

f) for microempresa estabelecida no Município de São Paulo e enquadrada no Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições SIMPLES, instituído pela Lei Federal nº 9.317, de 5 de dezembro de 1996, por ocasião da prestação do serviço e enquanto vigente o convênio de adesão celebrado entre a União e a Prefeitura do Município de São Paulo.

O Simples Federal vigorou até 30/06/2007. Portanto, até esta data o tomador dos serviços não deveria reter o ISS se o prestador dos serviços estivesse enquadrado no Simples Federal. A partir de partir de 01/07/2007 entrou em vigor o Simples Nacional - Lei Complementar nº 123/2006 - Os serviços prestados pelas Me e EPP, optantes pelo Simples Nacional instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, estão sujeitos à retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza ISS na fonte.

1) O responsável tributário deverá exigir que o prestador dos serviços comprove seu enquadramento em uma das condições mencionadas; 2) O prestador de serviços responde pelo recolhimento do Imposto integral, multa e demais acréscimos legais nas seguintes situações: a) no período compreendido entre a data em que deixar de se enquadrar em qualquer das condições mencionadas acima e a data da notificação do desenquadramento; b) quando a comprovação efetuada ao Responsável Tributário for prestada em desacordo com a legislação municipal."

VI - Restituição do ISS Nas hipóteses em que houver pagamento de ISS indevido ou maior que o devido (recolhimento relativo a ISS retido na fonte) caberá ao Responsável Tributário requerer a restituição dos valores recolhidos indevidamente. FONTE: Fiscosoft - 28/05/2010. ______________________________Fim de Matéria__________________________________

15

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful