ERGONOMIA EM ODONTOLOGIA Muitos dentistas se queixam de dores e outros distúrbios de saúde relacionados ao exercício de sua profissão.

Horas e horas de trabalho em posições inadequadas produzem efeitos que, com o decorrer do tempo, podem levar a alterações no sistema músculo-esquelético, gerando fadiga e lesões. Para garantir saúde e produtividade no consultório, os dentistas podem contar hoje com a Ergonomia Odontológica, que visa adequar o trabalho odontológico às características do ser humano. Mas a verdade é que poucos são os dentistas que levam a sério as recomendações ditadas por essa nova área de estudos. As pressões por produtividade fazem com que alguns considerem os cuidados com a saúde como “perda de tempo”. Segundo alguns autores, os dentistas vêm desenvolvendo suas atividades com sofrimento físico e psíquico. Essa afirmativa é baseada numa pesquisa realizada através da empresa Senso Consultoria em Saúde, entre os anos de 1999 e 2000, com 450 dentistas que atuam em Belo Horizonte. A pesquisa revelou que a maioria dos entrevistados (92,12%) sentem dor ou incomoda físico relacionado ao exercício da profissão e quase todos (96,85%) consideram a sua atividade estressante. Outro dado levantado aborda a questão do lazer, fundamental para qualquer indivíduo. Segundo a pesquisa, 69,30% dos entrevistados não praticavam nenhuma atividade de lazer ou relaxamento. “Acrescente-se a esses dados um contexto macro-social de alta competitividade, busca acirrada por resultados, aumento de produtividade e redução de custos. O estresse derivado deste contexto tem sido muito significativo”. São muitos os “pontos vulneráveis” dos profissionais de odontologia. Além da fadiga psíquica, eles podem desenvolver fadiga visual, como resposta à visualização prolongada de pequenos detalhes em condições de iluminação inadequada. Mais importante ainda é a fadiga muscular e as doenças do sistema músculo-esquelético, que acontecem como resposta às posturas inadequadas no consultório. Há ainda as varizes dos membros inferiores, que podem surgir quando há fatores hereditários associados.

aplicando os conceitos do trabalho sentado junto à cadeira odontológica e da Odontologia a quatro mãos. Engenharia do Trabalho e as áreas de qualidade. trabalho em equipe. Psicologia.O QUE É ERGONOMIA A ergonomia é o conjunto de ciências que procura o ajuste confortável e produtivo entre o ser humano e o seu ambiente de trabalho. Nas últimas décadas. a adequação consiste num arranjo equilibrado dos componentes do consultório. a sociedade vem passando por um processo de mudanças de comportamento no que diz respeito à qualidade dos cuidados com saúde física e mental. delegação de . acarretando o mínimo de perda de tempo e energia. com a instituição dos princípios ergonômicos. Em relação ao local de trabalho. Fazer alongamentos antes e depois da jornada de trabalho também ajuda. Em decorrência desse processo. os dentistas passaram a aplicar princípios industriais de trabalho e gerenciamento do tempo no consultório odontológico. produzindo melhor e oferecendo mais conforto e segurança ao seu paciente. Reumatologia. Terapia Ocupacional. A ergonomia odontológica aplica os conceitos de ergonomia a prática odontológica. O próprio dentista deve planejar suas ações para alternar esforço e repouso. Com isso. desde que obedeça um ritmo predeterminado dentro de uma mesma seqüência. ou seja. buscando adaptar as condições de trabalho às características do ser humano. o trabalho simplificado que aumenta a produtividade diminui a fadiga do trabalhador e reduz o estresse. Com o aumento da expectativa em relação ao aprimoramento do serviço odontológico de forma geral. para que o profissional evite posturas e movimentos não produtivos e antianatômicos. a implementação dos avanços técnico-científicos vem ocorrendo de forma gradativa. tornando-o ordenado e preciso. Isto so foi possível aplicando a filosofia do trabalho em equipe. o que torna necessário que os profissionais da área aumentem a sua eficiência na produção de seu trabalho para que este seja efetivo e consiga manter o estresse físico e psicológico em níveis mínimos. o dentista evita a fadiga e o desgaste desnecessário. que objetiva uma forma de trabalho inteligente através da distribuição e realização de tarefas definidas (delegação de funções). São várias as disciplinas e ciências que fornecem subsídios para a ergonomia: Medicina do Trabalho. entre outras. Fisiatria. aproveitar os tempos de espera no consultório (o tempo para efeito do anestésico. Ortopedia. os procedimentos odontológicos podem apresentar uma performance mais eficiente. São várias as adequações que a ergonomia odontológica recomenda ao dentista. Através da delegação de funções para a equipe odontológica. por exemplo). lazer e ginástica. A organização do trabalho também deve receber uma adequação em nome de mais qualidade de vida no consultório. É importante lembrar que o sedentarismo é um dos principais fatores de risco para os problemas músculo-esquelético que podem acometer os dentistas. Portanto. A Internacional Standard Organization (ISSO) e a Federação Dentária Internacional (FDI) estabeleceram um gráfico em forma de relógio que sistematiza as principais posições que o dentista pode adotar em relação ao paciente.

minimização da fadiga física e mental.funções. trabalho a quatro mãos. . a otimização da qualidade da qualidade do trabalho realizado é imprescindível. aumento da produtividade.

unidade suctora. É necessário que haja uma grande adequação dos movimentos executados durante o trabalho clínico no intuito de aumentar a produtividade. armários. Dentre esses elementos constituintes.PRODUTIVIDADE DO TRABALHO SIMPLIFICAÇÃO DO TRABALHO TEMPOS E MOVIMENTOS NA ODONTOLOGIA TEMPOS TEMPO – TEMPO PROFISSIONAL – TEMPO OPERATÓRIO – ações diretas.movimento 1 (“dedos”) .movimento 4 (“braço”) . . Objetivando facilitar o processo de adequação dos movimentos. pode-se destacar: cadeira odontológica. mesa auxiliar. ações indiretas (ações preparatórias.movimento 2 (“punhos e dedos”) . MOVIMENTOS – Para que se execute qualquer tipo de trabalho. é inevitável que ocorram movimentos corpóreos. mocho. exigindo uma variação no grau de esforço físico e intelectual por parte do operador. pia e aparelho de raios x. equipo. Classificação dos movimentos: . ações concomitantes e ações subseqüentes) e tempos de espera. A área normal de trabalho varia de no máximo.movimento 5 (“deslocamento e torções do corpo”) DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO ERGONÔMICO Foi necessário fazer uma divisão entre os principais elementos constituintes do consultório odontológico para que fosse possível produzir uma atividade clínica dentro dos princípios do trabalho ergonômico. enquanto há o declínio da fadiga. mais ou menos intensos. que devem estar adequadamente dispostos de maneira tal que possibilite a execução de uma rotina de trabalho harmoniosa e ergonicamente orientada.movimento 3 (“antebraço”) . 50 cm de alcance (espaço ideal de pega) e até 1m (espaço máximo de pega).

estruturar uma boa organização do trabalho.sentar-se no mocho com as coxas paralelas ao chão. mesa auxiliar. evitando movimentos bruscos de arranque. além da prevenção e controle do estresse psicossocial. planejando a agenda. preferencialmente de alongamentos e aeróbicas.CÍRCULO FUNCIONAL DE TRABALHO É a área que contém o espaço ideal de pega e o espaço máximo de pega. para prevenir o aparecimento de varizes. enquanto maximiza a visibilidade do operador e do assistente. um condicionamento físico básico e práticas de atividades de relaxamento muscular. formando um ângulo coxa-perna de 90 a 110 graus.fazer movimentos anatomicamente harmônicos. . . refletor. O benefício deste posicionamento correto inclui a minimização do estresse físico da equipe. . aparelho de raios x.Cadeira odontológica. zona do assistente. materiais e instrumentais necessários para efetuar o trabalho clínico planejado.praticar atividades físicas. . Divisão da sala de atendimento clínico em áreas distintas: zona do operador. ZONAS DE ATIVIDADE OPERATÓRIA Um princípio básico do trabalho sentado a 4 mãos é o exato posicionamento do operador. mocho da assistente.manter um peso adequado.elevar as pernas. . . inclusive durante o trabalho. .evitar a permanência em posturas estáticas por tempo prolongado (acima de 20 segundos). visando à prevenção de lesões agudas do sistema músculo-esquelético. mocho de operador. .todos os instrumentos de uso freqüente devem estar dentro da área de alcance ideal. zona de transferência e zona estática. além do conforto do paciente. compressor de ar. EQUIPAMENTOS ODONTOLÓGICOS BÁSICOS . COMO TER MAIS PRODUTIVIDADE SEM ABRIR MÃO DO CONFORTO . durante alguns minutos por dia. Devendo estar disponíveis dentro dessa área todos os equipamentos. estufa e autoclave. do paciente e do equipamento. com o intuito de alternar procedimentos com exigências posturais diferentes. . da assistente. unidade auxiliar. estando na posição sentada ou deitada.adotar como hábito diário exercícios de alongamento. adotando transições adequadas de uma postura para outra. ficando os pés apoiados no chão. equipo.