UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL

GABRIEL BARONI COSTA SOUZA

FOTOSSÍNTESE DE PLANTAS C3 E C4

JABOTICABAL ± S.P. 2010

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.GABRIEL BARONI COSTA SOUZA FOTOSSÍNTESE DE PLANTAS C3 E C4 Monografia apresentada no curso de graduação a Universidade Estadual Paulista. JABOTICABAL ± S.P. 2010 . Curso de Agronomia para nota semestral.

...... 7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................ ..... .... ........................ .................... ......................................................................................... CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................... ....................... 3 2.................... INTRODUÇÃO ......1.............1 Plantas C3 ..............2................................. ............................................................. Plantas C4 .............. 6 3.... ..................................2.....................................2.... 4 2............ ... .... 6 2..... .......................................................................................... ...... .................... ................................ ............................. ......... .......... ...................... 6 2.2... .................................................................................... .......... 5 2.........................2 Plantas C4 .............1...... Fase Luminosa ......................... .................... Fase No Escuro ................. ....................... ......................... . 3 2.................1......................1.... FOTOSSÍNTESE ............. 8 ........ .. 4 2................ ............................................ . Plantas C3 ... ..................SUMÁRIO 1..

Na fase de escuro encontra-se o Ciclo de Calvin. levando uma a ter melhor eficiência quando comparada com o outro grupo. e assim ocorre a transmissão de energia entre as células através de ressonância. com utilização de água e dióxido de carbono (CO2 ). pigmento verde responsável pela absorção da luz azul e da luz vermelha. Diferença entre clorofila A e clorofila B dois tipos de clorofila: clorofila A e clorofila B (na molécula de clorofila A o radical de um dos anéis de carbono é CH3. A absorção de luz causa a excitação das moléculas de clorofila associadas a uma proteína. enquanto na clorofila B. 2. organela contida nas células das folhas da planta. Neste trabalho será discutida a diferença entre plantas que tem um processo de descarboxilação de um ácido com quatro moléculas de carbono antes de seu produto entrar no Ciclo de Calvin (plantas C4). No processo da fotossíntese a energia solar (fonte de energia para esse processo) é utilizada para transformar o dióxido de carbono e a água em compostos orgânicos (como exemplo a redução do CO2 em carboidratos) e oxigênio gasoso. INTRODUÇÃO A fotossíntese. Esse processo é dividido em duas fases: fase no escuro e fase luminosa. Há Figura 1. provenientes da luz solar. No cloroplasto encontramos a clorofila. é CHO). processo pelo qual a energia solar é convertida em energia química.1. Veremos também que outras características marcam a diferença entre os dois grupos. FOTOSSÍNTESE Um dos processos mais importantes para a sobrevivência das plantas é a fotossíntese. processo físico-químico pelo qual as plantas obtêm sua energia para crescer. e plantas que não necessitam desse processo por não armazenar ácidos com quatro moléculas de carbono (plantas C3). Por isso chamamos as plantas de seres autótrofos. . A fotossíntese é um processo físico-químico de ocorrência no cloroplasto.

1. perdendo o equivalente a uma molécula de CO2. que sofrem uma fosforilação por uma molécula de ATP cada uma e logo em seguida sofrendo uma desidrogenase por ação da redução do NADPH cada uma. 2. já a fase no escuro recebe esse nome (incorretamente) por não depender da presença de luz. Portanto a via C3 é direta. e 12 ATP e NADPH. sem necessidade de passar por outras reações. bioquímicas que independem da presença de luz ereduzem o carbono e reorganizam as moléculas para produzir carboidratos a partir do CO2. para a síntese de uma molécula de glicose são necessárias seis voltas. São formadas então duas moléculas de triose fosfato (uma molécula de 3PGA mais uma molécula de diidroxicetona fosfato). Assim. O início do ciclo consiste na adição de uma molécula de CO2 em uma molécula de Ribulose 1. A fase luminosa recebe esse nome pela dependência da presença de luz. é evidenciado que as reações que não dependem da luz tornam-se reações limitantes para o processo. Portanto para sua formação são necessários seis moléculas de CO2 e RuBP. As moléculas de triose fosfato podem ter dois destinos: a síntese de glicose ou a descarboxilação. 2.5bisfosfato carboxilase (Rubisco).1. Essa nova molécula é quebrada em duas. que irá voltar para o ciclo e reiniciá-lo. divide-se a fotossíntese em duas fases: fase luminosa e fase no escuro. ocorrendo tanto em sua presença como em sua ausência.A velocidade da fotossíntese aumenta com o aumento da quantidade de luz absorvida até um determinado ponto. com cinco carbonos.5-bisfosfatada (RuBP). cada uma com três carbonos. Fase No Escuro O principal processo da fase no escuro da planta é o Ciclo de Calv ciclo de reações in. dando origem a uma molécula com seis carbonos. Ou seja. podendo dizer que o primeiro produto da fotossíntese é duas moléculas de 3-fosfoglicerato. Como a cada volta do ciclo há a fixação de um carbono. Plantas C3 Nas plantas C3 o CO2 vai direto para o Ciclo de Calvin. .1. onde a velocidade passa a ser constante. através da enzima Ribulose 1. o 3-fosfoglicerato (3PGA).

Via C3 e via C4 tem o mesmo objetivo Ciclo de Calvin. A molécula de CO2 liberada da descarboxilação do ácido na bainha vascular é depois adicionada a uma molécula de RuBP. dando origem a uma molécula de PEP. e lá é descarboxilado. e quando sofre a adição de amônia origina ao asparato. Na via C4 o CO2 é captado nas células do mesófilo pela enzima Fosfo Enol Piruvato carboxilase (PEPc) e é adicionado a uma molécula de Fosfo Enol Piruvato (PEP).2. denominado via C4. Estas plantas apresentam novidades evolutivas como a presença de uma bainha vascular. Este ácido no cloroplasto do mesófilo. Portanto o primeiro produto da fotossíntese na via C4 é o oxaloacetato. aumentando a pressão também (a pressão parcial de CO2 na bainha chega a ser dez vezes maior que no mesófilo). O sistema. quando sofre uma desidrogenase málicaorigina o malato. perdendo uma molécula de CO2 e formando como produto uma molécula de piruvato. formando um ácido constituído de quatro carbonos. presença de dois tipos de cloroplastos (os das células do mesófilo são diferentes dos cloroplastos das células da bainha). permite que a planta armazene ácidos de quatro moléculas de carbono antes de serem captados pela Rubisco. O processo seguinte nos dois tem o mesmo princípio: o ácido originado é transportado para a bainha vascular. Essas novidades evolutivas fazem parte da Anatomia de Krans. Embora existam diferenças no processo que antecede o um carboidrato utilizado no crescimento da planta. Plantas C4 Algumas plantas desenvolveram um sistema complementar à via C3. Esta molécula de piruvato será fosforilada no cloroplasto do mesófilo. originando uma molécula de 3-fosfoglicerato que será utilizado no Ciclo de Calvin na formação de glicose.1. canais ligando as células do mesófilo às células da bainha (plasmodesmatas) e uma camada adicional de células que envolve os feixes vasculares. o oxaloacetato. que produzirá .2. o que aumenta a concentração dessa molécula na região da bainha vascular da planta em relação ao mesófilo. Figura 2. as duas vias levam uma molécula de CO2 ao Ciclo de Calvin. Na via C4 há a liberação de duas moléculas de CO2.

Pela presença da bainha vascular. havendo maior necessidade de manter os estômatos abertos por mais tempo para captar maior quantidade de CO2 e tendo como consequência o aumento da perda de água pela transpiração foliar e de seu consumo. Portanto. resultando como produtos finais 3PGA e CO2. irá liberar maior quantidade de CO2 na respiração. Como a planta C3 necessita da fotorrespiração. 2. melhor para a planta realizar a fotossíntese. diminuindo a taxa de transpiração. aumentando o ponto de compensação de CO2 (ponto em que a produção de CO2 é igual ao de O2).2. Uma planta com maior concentração de CO2. 2. as plantas C3 são muito vulneráveis a fotorrespiração.2 Plantas C4 Como a concentração de CO2 nas plantas C4 é muito alta. praticamente não há fotorrespiração.2. que tem taxas de absorção de CO2 muito mais altas. quando maior a concentração de CO2.5-bisfosfato pela ação da Rubisco. portanto. Maior concentração de O2 na planta implica em uma taxa de respiração elevada. Portanto a fotorrespiração é prejudicial à fotossíntese. diminuindo a eficiência da fotossíntese da planta. Fase Luminosa O processo mais importante na fase luminosa da fotossíntese é a fotorrespiração.2. já que se abrem para a entrada de CO2. a planta não necessita abrir seus estômatos por muito tempo para captar CO2 (abrindo-se no período da noite apenas). mas também irá determinar a quantidade de perda de água pelos estômatos. processo dependendo de luz onde uma molécula de oxigênio do ar (O2 ) é fixado a uma molécula de Ribulose 1.1 Plantas C3 Pelo fato de terem menor concentração de CO2. terá maior rendimento na fotossíntese e terá menor perda de água. Se a molécula de O2 também se fixa a uma molécula de RuBP.2. e pela capacidade de armazenar moléculas formadas por quatro carbonos. A concentração de CO2 é muito importante não apenas para a fotossíntese. já que a concentração de O2 será muito pequena. podendo até inibir 40% da produção de toda a fotossíntesea uma determinada concentração de O2 (21% de O2 no ambiente). o que diminui a quantidade de água perdida na transpiração foliar e o seu consumo. . podemos dizer que essa molécula ³compete´ com a molécula de CO2.

dando ampla vantagem à fixação do CO2. 3. tem menor eficiência fotossintética e tem grande variação de absorção de CO2 com a mudança de temperatura. enquanto plantas C4 tem rendimento constante sob diferentes temperaturas.inibe a competição entre CO2 e O2 na fixação na molécula de RuBP. . CONSIDERAÇÕES FINAIS Observamos que plantas C4 levam grande vantagem sobre plantas C3 por terem a capacidade de armazenar ácidos constituídos por quatro carbonos. o ponto de compensação de CO2 é extremamente baixo. Uma planta C3 necessita de maior quantidade de água para manter a fotossíntese estável sob uma mesma temperatura. sendo maior. liberando mais O2 do que consumindo.A pressão parcial de CO2. Uma maior concentração de CO2 permite à planta ter maior rendimento na fotossíntese. Como a planta tem fotorrespiração praticamente nula. o faz com que a fotossíntese em plantas C4 seja mais eficiente.

br/pessoal/marcos/minhaweb3/PDFs/Pratica%20fotossintese.illinois. WHITMARSH. BUCKERIDGE.The World & I. Aula 15 e Aula 17. Acessado em 6 nov.edu/photosyn/education/photointro. Disponível em http://bioenergy. W. . R. Comparação entre os sistemas fotossintéticos C3 e C4.html. The Photosynthetic Process.asu. Acessado em 6 nov. Photosynthetic Antennas and Reaction Centers: Current Understanding and Prospect for Improvement. 2010. W. Março 1998.html. S. 2010. M. Disponível em http://www. An Introduction to Photosynthesis and Its Applications.usp.ambientenet. 2010. 2010.Bioquímica II. Disponível em:http://felix. p. VERMAAS.eng. Arizona.br/EGRAD. Acessado em 6 nov.edu/govindjee/paper/gov.html.ib. GOVINDJEE. E.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BLANKENSHIP. Acessado em 9 out. 158-165. MELO.edu/photosyn/education/antenna. J.pdf Acessado em 8 out.life.HTML. 2010. J.Disponível em http://www.asu. E disponível em http://bioenergy.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful