You are on page 1of 39

HEMOGRAMA COMPLETO

INTERPRETAÇÃO CLÍNICA

 
HEMOGRAMA COMPLETO INTERPRETAÇÃO CLÍNICA L U C I O C A P AR E LL I
 

L U C I O

C A P AR E LL I

 

Conceito

Conceito • Trata-se de uma análise quantitativa e qualitativa dos elementos figurados do sangue. • Originalmente
 

Trata-se de uma análise quantitativa e qualitativa dos elementos figurados do sangue.

Originalmente realizado com o auxílio de câmaras de contagem, centrifugação, métodos colorimétrico e

microscopia de esfregaço, atualmente é feito por métodos eletrônicos.

Consiste da análise das séries vermelha e branca, e atualmente da contagem de plaquetas.

 

Câmara de Neubauer

 
 
Câmara de Neubauer Fonte: http://www.infoescola.com
 
Câmara de Neubauer Fonte: http://www.infoescola.com

Fonte: http://www.infoescola.com

 
 
 

Esfregaço sanguíneo

Esfregaço sanguíneo
 
Esfregaço sanguíneo Fonte: http://www.cemitas.com.br Fonte: http://www6.ufrgs.br
Esfregaço sanguíneo Fonte: http://www.cemitas.com.br Fonte: http://www6.ufrgs.br

Fonte: http://www.cemitas.com.br

Fonte: http://www6.ufrgs.br

 

Série vermelha

Série vermelha • Contagem de hemácias (Hm); • Hematócrito (Ht ou Htc); • Dosagem da hemoglobina
 

Contagem de hemácias (Hm); Hematócrito (Ht ou Htc); Dosagem da hemoglobina (Hb); Volume corpuscular médio (VCM); Hemoglobina corpuscular médica (HCM);

Concentração da hemoglobina corpuscular mécia (CHCM);

Índice de anisocitose (RDW).

 

Alterações da série vermelha

Alterações da série vermelha  ANEMIA – É a redução na concentração da hemoglobina no sangue
 
  • ANEMIA É a redução na concentração da hemoglobina no sangue periférico abaixo dos valores normais para a idade e sexo do paciente.

  • POLICITEMIA OU POLIGLOBULIA É o aumento na concentração de hemácias acima do valor normal para a idade e sexo do paciente.

 

Contagem de Hemácias

 
Contagem de Hemácias  Técnica: câmaras de contagem (Neubauer, Thoma e Burker); atualmente realizada de forma
 
  • Técnica: câmaras de contagem (Neubauer, Thoma

e Burker); atualmente realizada de forma

eletrônica

  • Valores normais:

Homens

4.500.000 a 6.500.000/mm³

Mulheres

3.800.000 a 5.800.000/mm³

Recém-natos

4.000.000 a 6.000.000/mm³

Crianças/1 ano 3.600.000 a 5.200.000/mm³

Crianças>1 ano 4.000.000 a 5.400.000/mm³

Fonte: Dacie JV & Lewis SM, Practical Haematology 5th.ed. Ed.Churchill

 

Hematócrito

Hematócrito • Sinonímia na língua inglesa: PCV ( packed cell volume ) • Fundamento: centrifugação do
 

Sinonímia na língua inglesa: PCV (packed cell volume)

Fundamento: centrifugação do sangue incoagulável em um tubo graduado

É dependente do volume globular e do volume plasmático.

Limites Normais: 35 a 45% nas mulheres (média:

40%) e 43 a 49% nos homens (média: 46%); 44 a

64% nos recém-natos (média: 54%); 32 a 44% nas crianças até 3 meses e 37 a 45% nas crianças até 12 anos.

 

Dosagem da Hemoglobina

Dosagem da Hemoglobina • Cada 100 cm3 de sangue contém 14 a 16g de Hb; pode
 

Cada 100 cm3 de sangue contém 14 a 16g de Hb; pode corresponder a 1Kg em um adulto de, aproximadamente, 70Kg

Técnica tradicional: colorimétrica Limites normais:

13,5 a 18g/dl nos homens; 11,5 a 16,5g/dl nas mulheres; 13,5 a 19,5g/dl nos recém-natos; 11 a 13g/dl nas crianças até 1 ano e 11,5 a 14,5g/dl nas crianças >1 até 12 anos.

 

Volume Corpuscular Médio (VCM)

 
 
Volume Corpuscular Médio (VCM) • Fundamento: Devido a morfologia discóide das hemácias, as medições microscópicas são
 

Fundamento: Devido a morfologia discóide das hemácias, as medições microscópicas são inexatas. O volume corpuscular médio é então calculado segundo a fórmula:

 

VCM =

 

valor Hematócrito (ml/1000) hemácias (milhões/mm³)

Limites Normais: 80 a 94 fl (normocitose); >94 = macrocitose; < 80 = microcitose.

Obs: fl = µ³

 
 

HEMOGLOBINA CORPUSCULAR MÉDIA (HCM)

 
 Fundamento: é a proporção real de Hb que corresponde, em termos médios, a cada hemácia,
  • Fundamento: é a proporção real de Hb que

corresponde, em termos médios, a cada hemácia, em termos absolutos. É calculada pela fórmula:

H. C. M. =

Hb (em g/1000)

Hb (em g/1000)

Hemácias (milhões/mm³)

  • Limites Normais: 27 a 32 pg

 

CONCENTRAÇÃO CORPUSCULAR MÉDIA DE HEMOGLOBINA (CCMH)

 
 Fundamento: informa a concentração de Hb por eritrócito em termos de percentagens. C. C. M.
  • Fundamento: informa a concentração de Hb por

eritrócito em termos de percentagens.

 

C. C. M. H. =

Hb (em g/1000)

x 100

Hematócrito (ml/100)

 
  • Limites Normais: 35 a 38 %

 
 

ÍNDICE DE ANISOCITOSE (RDW)

ÍNDICE DE ANISOCITOSE (RDW)  RDW = Red Cell Distribuition Width  É um índice que
 
  • RDW = Red Cell Distribuition Width

  • É um índice que indica a anisocitose (variação de tamanho), sendo o normal de 11 a 14%, representando a percentagem de variação dos

volumes obtidos.

  • O aumento do RDW habitualmente precede o aparecimento da anemia, sobretudo por deficiência de ferro, contudo, este índice não é específico.

 
Anisocitose
Anisocitose
Poiquilocitose
Poiquilocitose

Hematoscopia (série vermelha)

 
Hematoscopia (série vermelha) Hemácias em alvo Hemácias falcêmicas
 
Hematoscopia (série vermelha) Hemácias em alvo Hemácias falcêmicas
Hematoscopia (série vermelha) Hemácias em alvo Hemácias falcêmicas

Hemácias em alvo

Hemácias falcêmicas

 

Hematoscopia (série vermelha)

 
Hematoscopia (série vermelha) Macrocitose com corpúsculos de Esferócitos Howell-Jolly
 
Hematoscopia (série vermelha) Macrocitose com corpúsculos de Esferócitos Howell-Jolly
Hematoscopia (série vermelha) Macrocitose com corpúsculos de Esferócitos Howell-Jolly

Macrocitose com corpúsculos de

Esferócitos

Howell-Jolly

 

Anemias Normocíticas (VCM normal)

Anemias Normocíticas (VCM normal) Habitualmente também são normocrômicas (HCM normal)  Perda aguda de sangue (hemorragias);
 

Habitualmente também são normocrômicas (HCM

normal)

  • Perda aguda de sangue (hemorragias);

  • Anemia das doenças crônicas;

  • Anemias hemolíticas;

  • Insuficiência renal crônica;

  • Hipoplasia e aplasia medular.

 

Anemias Microcíticas (VCM baixo)

 
Anemias Microcíticas (VCM baixo) Geralmente acompanhadas de hipocromia (HCM baixo): 1. Deficiência de ferro (causa mais
 

Geralmente acompanhadas de hipocromia (HCM

 

baixo):

1.

Deficiência de ferro (causa mais comum):

Por carência na ingestão do elemento (sobretudo

nas crianças);

Por perda crônica de sangue, principalmente tubo gastrointestinal (parasitoses, tumores, doença péptica, etc.) ou aparelho genital nas mulheres.

2.

Deficiência na síntese da cadeia da globina:

Talassemias.

 

Anemias Macrocíticas (VCM alto)

Anemias Macrocíticas (VCM alto)  Deficiência de Vitamina B12: anemia perniciosa, pós- gastrectomia total;  Deficiência
 
  • Deficiência de Vitamina B12: anemia perniciosa, pós-

gastrectomia total;

  • Deficiência de ácido fólico: etilismo, uso de

medicamentos, hemólise crônica;

  • Hipotireoidismo;

  • Anemias sideroblásticas;

  • Síndromes mielodisplásicas.

 

Caso clínico nº1

Caso clínico nº1 • Uma mulher de 37 anos procurou o médico devido à fadiga e
 

Uma mulher de 37 anos procurou o médico devido à fadiga e cansaço fácil. Apresentava palidez cutânea evidente com mucosas hipocoradas (+++/4+). Não havia adenomegalias ou hepatoesplenomegalia. A FC era de 108 bpm e havia um sopro cardíaco. Um hemograma realizado na urgência mostrou:

Hm = 2.350.000/mm³; Ht = 21%; Hb = 7,6 g/dl V.C.M = 71 fl; H.C.M. = 21 pg; C.H.C.M. = 32%.

 

Caso clínico nº2

Caso clínico nº2 • Mulher de 32 anos, com hipotireoidismo, em reposição hormonal há três anos,
 

Mulher de 32 anos, com hipotireoidismo, em reposição hormonal há três anos, procurou o médico devido a anemia. Desde há um ano vem apresentando fadiga crescente, tendo já feito tratamento com sulfato ferroso oral, sem sucesso. No exame físico havia palidez cutâneo-mucosa; não havia hepatoesplenomegalia. Um hemograma inicial ofereceu o seguinte resultado:

Hm = 2.750.000/mm³; Ht = 24%; Hb = 8,2g/dl V.C.M. = 109 fl³; H.C.M. = 28pg; C.H.C.M. = 36%

 

Poliglobulia (Policitemia)

Poliglobulia (Policitemia)  Tem de ser diferenciada da hemoconcentração (falsa poliglobulia) típica das desidratações.  Principais
 
  • Tem de ser diferenciada da hemoconcentração (falsa

poliglobulia) típica das desidratações.

  • Principais causas:

  • 1. DPOC e Cor Pulmonale;

  • 2. Grandes altitudes;

  • 3. Tabagismo;

  • 4. Cardiopatias congênitas;

  • 5. Intoxicação por dióxido de carbono;

  • 6. Policitemia vera;

  • 7. Outras causas.

 

Caso Clínico nº3

Caso Clínico nº3 Um homem de 65 anos, tabagista de longa data, procurou a emergência com
 

Um homem de 65 anos, tabagista de longa data, procurou a

emergência com dispnéia e febre. A família relatava três internações anteriores por doença semelhante. Ao exame inicial apresentava-se francamente dispneico, com cianose de extremidades (++/4+); anictérico; face pletórica; temp.axilar = 38,7ºC; tiragens intercostais;

tórax hipersonoro à percussão; presença de roncos e sibilos bilaterais;

jugulares túrgidas; bulhas cardíacas hipofonéticas; PA = 130 x 90 mmHg e PR = 118 bpm com algumas extrasístoles; fígado a 2 cm do RCD; edema de MIS (+/4+). O hemograma realizado no pronto-socorro mostrou:

Hm = 6.950.000/m³ Ht = 61% Hb = 18,5g/dl

V.C.M. = 87fl H.C.M. = 31pg C.H.C.M. = 38%

 

Série Branca (leucócitos)

Série Branca (leucócitos) • Corresponde à contagem total dos leucócitos (absoluta) assim como à relação numérica
 

Corresponde à contagem total dos leucócitos (absoluta) assim como à relação numérica que existe entre as diversas variedades de leucócitos do sangue periférico (relativa ou hemograma de Schilling) . Os elementos presentes correspondem a seis tipos diferentes, facilmente diferenciáveis entre si, e cujas características morfológicas podem ser verificadas

através de colorações tipo May-Grünwald-Giemsa.

 

Leucócitos: valores normais

 
 
Leucócitos: valores normais  Valores Normais: 6.000 a 10.000 leucócitos por mm3 Células Valores Percent Normais
 

Valores Normais: 6.000 a 10.000 leucócitos por

 

mm3

 

Células

Valores

Percent

 
 

Normais

 

ual

Granulócitos

Basófilos

0 a 100

0 a 1%

Eosinófilos

60 a 500

1 a 5%

Neutrófilo

Mielócitos

 

0

 

0

s

Metamielócit

 

0

 

0

os

   

Bastões

120

a 500

2

a 5%

Segmentados

3.600 a 7.500

60 a 75%

Linfócitos

1.200 a 3.000

20 a 30%

Monócitos

180

a 800

3

a 8%

 

Basófilo e Eosinófilo

Basófilo e Eosinófilo
 
Basófilo e Eosinófilo Fonte: http://www.cytochemistry.net Fonte: http://www.phartoonz.com
Basófilo e Eosinófilo Fonte: http://www.cytochemistry.net Fonte: http://www.phartoonz.com

Fonte: http://www.cytochemistry.net

Fonte: http://www.phartoonz.com

 

Mielócito e Metamielócito

Mielócito e Metamielócito
 
Mielócito e Metamielócito Fonte: http://www.wadsworth.org Fonte: http://www.labmed.hallym.ac.kr
Mielócito e Metamielócito Fonte: http://www.wadsworth.org Fonte: http://www.labmed.hallym.ac.kr

Fonte: http://www.wadsworth.org

Fonte: http://www.labmed.hallym.ac.kr

 

Bastão e Segmentado

Bastão e Segmentado
 
Bastão e Segmentado Fonte: http://www. technion.ac.il Fonte: http://www. phasco.ir
Bastão e Segmentado Fonte: http://www. technion.ac.il Fonte: http://www. phasco.ir

Fonte: http://www. technion.ac.il

Fonte: http://www. phasco.ir

 

Linfócito e Monócito

Linfócito e Monócito
 
Linfócito e Monócito Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu
Linfócito e Monócito Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu

Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu

Fonte: http://www. http://biology.clc.uc.edu

 

Linfócitos atípicos

Linfócitos atípicos
  • Alteração da morfologia

dos linfócitos com

dos linfócitos com

aumento de tamanho e

basofilia citoplasmática em decorrência a infecção viral e outros

estímulos imunológicos.

  • Infecções virais (VEB), distúrbios auto-imunes, rejeição a transplantes,

etc.

 
 

Série Branca Alt. Quantitativas

Série Branca – Alt. Quantitativas  Leucocitose – é o aumento da leucometria acima de 10.000/mm³.
 
  • Leucocitose é o aumento da leucometria acima de 10.000/mm³. Pode ser:

  • Leucopenia é a redução da leucometria abaixo de

5.000/mm³.

 

Leucocitose Alt.Qualitativas (I)

Leucocitose – Alt.Qualitativas (I) 1. Fisiológica – nos recém-natos, ao final da gravidez, em situações de
 
  • 1. Fisiológica nos recém-natos, ao final da gravidez, em situações de estresse, após grande esforço muscular, etc.

  • 2. Neutrofilia com desvio para a esquerda Infecções agudas

  • 3. Neutrofilia não infecciosa neoplasias, radioterapia, necroses tissulares assépticas, doenças inflamatórias, doenças metabólicas, intoxicações exógenas, etc.

  • 4. Eosinofilia parasitoses e estados alérgicos, reações de hipersensibilidade, linfoma de Hodgkin, Doença de

Addison, síndromes hipereosinofílicas, pênfigo, LMC, etc.

  • 5. Basofilia LMC, estados de hipersensibilidade, distúrbios mieloproliferativos, etc.

 

Leucocitose Alt.Qualitativas (II)

 
Leucocitose – Alt.Qualitativas (II) 6. Linfocitose – mononucleose infecciosa (VEB), estados virais agudos, tuberculose, brucelose, leucemia
 
  • 6. Linfocitose mononucleose infecciosa (VEB), estados virais agudos, tuberculose, brucelose, leucemia linfocítica, etc.

  • 7. Monocitose tuberculose, calazar, febre maculose, sarcoidose, doença de Crohn, etc.

  • 8. Reações leucemóides - Número total de leucócitos > 50.000/mm³ Aumento do número de células mielóides, desvio até promielócito, eventualmente mieloblasto

Principais causas

  • Infecções piogênicas ( S. aureus, Streptococcus pneumoniae)

  • Tuberculose, brucelose, toxoplasmose

  • Doenças inflamatórias agudas: glomerulonefrite aguda, insuficiência hepatica,artrite reumatóide

  • Acidose diabética, Síndrome de Down

 

Leucopenia Alt.Qualitativas (I)

Leucopenia – Alt.Qualitativas (I) 1. Neutropenia – medicamentos, intoxicações exógenas, doenças profissionais, síndromes mielodisplásicas, hiperesplenismo, síndrome
 
  • 1. Neutropenia medicamentos, intoxicações exógenas, doenças profissionais, síndromes mielodisplásicas, hiperesplenismo, síndrome de Felty, pós-radioterapia, etc ...

  • 2. Linfopenia infecção pelo HIV/AIDS, rubéola, sarampo, doença de Hodgkin, uso de drogas imunossupressoras, etc.

 

Caso Clínico nº3

Caso Clínico nº3 Baso Eos Mie Meta Bast Seg Linf Mono 0 0 0 1 15

Baso

Eos

Mie

Meta

Bast

Seg

Linf

Mono

0

0

0

1

15

64

17

3

0/1

1/5

0

0

2 a 5

60 /75

20/30

3/8

  • hipofonéticas; PA = 130 x 90 mmHg e PR = 118 bpm com algumas extrasístoles; fígado a 2 cm do RCD; edema de MIS (+/4+). O hemograma realizado no pronto-socorro mostrou:
    Leucometria: 15.650/mm³

presença de roncos e sibilos bilaterais; jugulares túrgidas; bulhas cardíacas

com dispnéia e febre. A família relatava três internações anteriores por doença semelhante. Ao exame inicial apresentava-se francamente dispneico, com cianose de extremidades (++/4+); anictérico; face pletórica; temp.axilar = 38,7ºC; tiragens intercostais; tórax hipersonoro à percussão;

  • Um homem de 65 anos, tabagista de longa data, procurou a emergência

Caso Clínico nº3 Baso Eos Mie Meta Bast Seg Linf Mono 0 0 0 1 15

Caso Clínico nº4

Caso Clínico nº4 Baso Eos Mie Meta Bast Seg Linf Mono 2 5 0 0 5

Baso

Eos

Mie

Meta

Bast

Seg

Linf

Mono

2

5

0

0

5

72

12

4

0/1

1/5

0

0

2 a 5

60 /75

20/30

3/8

Ht

Um indivíduo de 28 anos, do sexo masculino, procurou o hospital com história

de febre e diarréia há seis meses. Neste período emagreceu aproximadamente 10 % do peso corporal. Na história pregressa informava blenorragia e cancro duro. No exame físico apresentava dermatite seborreica, placas esbranquiçadas no orofaringe e poliadenomegalias cervicais. A ausculta pulmonar era normal e não havia hepato-esplenomegalia. O hemograma completo realizado na admissão mostrou:

  • Hm = 3.800.000

35 %

Hb = 11,2 g/dl C.H.C.M. = 37 %

=

H.C.M. = 30 pg

86 fl

  • V.C.M. =

  • Leucometria = 3.250 / mm3

Caso Clínico nº4 Baso Eos Mie Meta Bast Seg Linf Mono 2 5 0 0 5

Plaquetas

Plaquetas Plaquetas  Menor componente celular  Fragmentos citoplasmáticos sem núcleo  Valor normal: 150.000 –
 

Plaquetas

  • Menor componente celular

  • Fragmentos citoplasmáticos sem núcleo

  • Valor normal: 150.000 400.000/mm³

  • Trombocitopenia

  • valores inferiores a 150.000/mm³

  • Trombocitose

  • valores superiores a 600.000/mm³