You are on page 1of 85

MANUAL DO DIRETOR

GI-MICRO
Jogo de Empresas
Simulação Empresarial

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS

LABORATÓRIO DE JOGOS DE EMPRESAS

Manual do Diretor Coordenador: Equipe LJE: Bruno Hartmut Kopittke Dr. Armando Luiz Dettmer Dr. Jorge Luiz Silva Hermenegildo Dr. Juliano Zaffalon Gerber M.eng. Pedro José von Mecheln M.eng.

v.20030331

CONVITE
A sua empresa desenvolveu um novo eletrodoméstico, que foi lançado há meio ano no mercado e obteve boa aceitação. Para dinamizar as vendas e descentralizar a produção, foram criadas várias unidades regionais iguais que vão fabricar o produto para os mercados nacional e internacional e concorrerem entre si. O seu grupo foi escolhido para compor a equipe dirigente de uma dessas unidades, devendo tomar decisões que envolvem empréstimos, mão-de-obra, compra de equipamentos, etc. Os preços e a propaganda, equivalentes para todas as unidades até o presente momento, passarão a ser de responsabilidade do grupo. A qualidade do produto fabricado é idêntica em todas as unidades e depende, exclusivamente, das regras estabelecidas pela matriz. O desafio está posto. A capacidade de tomar decisões, de definir estratégias, de planejar e controlar a utilização dos recursos disponíveis será o diferencial competitivo que sua unidade terá para perpetuar-se no mercado. Boa Sorte!

"...o homem não joga senão quando, na plena acepção da palavra, é homem, e não é totalmente homem senão quando joga”. Schiller

INTRODUÇÃO
Bem vindo ao mundo do GI-MICRO! O GI-MICRO é um jogo que simula a vida empresarial através de um modelo que considera as principais variáveis do ambiente industrial. Para explicar o funcionamento do jogo, este manual está organizado em sete capítulos: A primeira delas explica as características do jogo, qual é sua dinâmica e quantas pessoas participam. O segundo mostra quais são as funções que os diretores podem assumir na empresa. As regras do jogo são descritas no terceiro capítulo. E junto com as regras, o manual apresenta explicações de como funcionam as variáveis que estão em jogo. Além disso, foram relacionadas algumas dicas para uma boa administração da empresa. No capítulo 4, o leitor poderá saber se já está em condições de iniciar o jogo, respondendo aos testes ou questionários de avaliação. Os questionários Contem perguntas sobre as diversas áreas da empresa. Além disso, detalha-se melhor o ambiente do mundo GI-MICRO. O capítulo 5 explica, passo a passo, como colocar em prática as decisões tomadas pelo grupo. Na dinâmica do jogo, trata-se da folha de decisões, a entrada de dados no sistema. As fontes de informação de que dispõe o diretor estarão explicadas na capitulo 6. Trata-se da saída de dados do sistema, ou seja, as diversas formas de avaliar a empresa e o ambiente para a tomada de decisões sobre as próximas jogadas. No capítulo 7 encontra-se um guia para consulta rápida das regras do jogo e fórmulas mais usadas. As informações desta parte foram compiladas do manual, visando facilitar a tomada de decisões. Por fim existem os apêndices, de A a D, que visam fornecer informações adicionais sobre o modelo e o sistema de informações gerenciais para aqueles que já estiverem familiarizados com os fundamentos do modelo. Prepare-se então para entrar no mundo do GI-MICRO, escolha um papel e bom trabalho!

.....4 Princípios da Boa Administração.........................22 2..........1 Objetivo .................................................SUMÁRIO 1......................1.........6 Assembléia Geral .......................35 3.........................6 Adequação da política de preços ....................................................................................................................................................................................................................2....................................................................1...................2....................................................3 Como calcular os custos .........2 A Dinâmica do Jogo ..................37 3....................3........................... 35 3......................................4 Responsabilidades do diretor de PRODUÇÃO.............. 38 3.................................................2 Responsabilidades do diretor de MARKETING ...........36 3.............................2...................................................................6 Horas-extras:..................................................................24 2.........................................................................5 As fontes de informação ...............3 Fatores Incontroláveis....3.................................1....2 Fatores Controláveis ............................................................2 Capacidade de produção da empresa........................................................... 26 3..3........15 1...........................................................................................................................4 O software GI-MICRO....................... 11 1..........................8 1.....3.................................................4 Administração de Compras .................................2 O sistema financeiro da GI-LAND...........................3 Administração da produção ............................3 O Animador.............................................38 ...................2 Aplicações e Consultoria...............................................................4... Demanda ...............................................................................................2..................................................................................1 Responsabilidades do diretor GERAL.....4 Elaboração de orçamentos........................................................28 3..11 1............... 19 2................................................9 1........1 Empréstimos ...........................1................ O que é demanda ..5 Efetividade da propaganda.......................................2.................................5 Produtividade hora da mão-de-obra ...................23 2........................................2...........34 3..................................38 3.........................................4 Estoques................3......................................................................................................................................................................................................37 3..................... 19 2.........................................27 3... O que está em jogo na empresa.................................................29 3....3...........3 Como as equipes trabalham ..................3 O Mundo GI-MICRO..1......................................32 3.......................................................................2 Administração Financeira.....................................3.............3...................................................................................................1 Insumos ........... O Jogo e micro mundo simulado .....................3.......................3............................................10 1.................................................................1 Participação é fundamental .................................................................................................3 Responsabilidades do diretor FINANCEIRO ..2..2 Escolha o seu papel........37 3......4........... 8 1........................ 26 3.................................................................................................3. 8 1................26 3....17 2.......................................1 Os Diretores ....................2.......... Os diretores e suas funções ........................................ Estimativa da Demanda........................................................................................... 24 3................................2 Os elementos do jogo ..................3......................1...................................................................4...3 Os insumos utilizados na produção ................................................................................30 3.............................................................. 32 3....................................................................................37 3..................1...........................................................................................9 1........................................................................................................................................................................................24 2................1 Administrando a produção.....................33 3...................................1.... 8 1........................................................................7 Depreciação do Imobilizado....................3...3.2.....................31 3............................................33 3..............................1 A distribuição da demanda para uma empresa............................................................................3....................................................................................2.. 19 2........................................ 21 2.................................................................................................................2 Fornecedores.............................23 2.3 Otimização da produção ...............................................................36 3.........................................................................................10 1...........................5 Responsabilidades dos OBSERVADORES.......................................................................14 1.......................................................

....... 46 6........64 7............................3 As decisões............................................................................................1........................................................................................................................1 Descrição dos Campos da Folha de Decisões............................7 Financeiro .....................................................4........52 6.....................62 7........................................................................3 Depreciação .......................................................... TESTE: Estou pronto para administrar ?.........54 6.......5..3 Demanda & Vendas (em unidades ..................60 6.......................UM)............54 6..........................................5 Demonstrativo de resultados (em valores – unidades monetárias .........................................3 Venda/Demanda (índice) .......................................................................2 Produtividade (produtividade da mão-de-obra) ......................58 6...1 Lucro Total ...................................................................................................................UM) .61 6.........3 Dados Gerais da Conjuntura e Economia ......... 45 5..2.....................3..................3.............6 Fator de insolvência de Kanitz............57 6.......65 7...................................................................66 ...65 7................................................62 6............................................1...............................4......................................................................................... 59 6................................5 Equipes......................................................... 43 5.........62 6...................................................9 Fornecedor 1................. 51 6.................................................39 3..............54 6.........................................65 7......................................................................................5......................2 Relatório Geral.........54 6.....1........................................................ 39 3.....1................UM) ...3..................................3 Movimento Sindical ............1.................................................. 55 6....................64 7...................................52 6...................................................61 6..................64 7....................................4...............................................1 Regras.............2 Contabilidade ........65 7................ 41 5......1 Liquidez Corrente ..................1......... 64 7..........1.............................................................................5........4...................................................................61 6.............................................................................................................................................................................................................................................1........... 43 5......................................1............................................................................ FONTES DE INFORMAÇÃO...57 6...........................................2 Produtos Acabados (em unidades) ....totais por região) ..................61 6.........................................2 Horas-extras.......................................8 Folha de Decisões.....4 Projetando o período 2...5 Rentabilidade para o proprietário (%) ................4 Relatório de Índices Econômicos e Financeiros.57 6....................................................................1............1.......................65 7...........................................................3 Liquidez geral.........................3 Relatório de desempenho...................................64 7..........................6 Estocagem ................................................................................57 6..........................unidades monetárias – um) .......................... como tomá-las ...1...............2.......................57 6.......................................................4..........6 Demonstrativo de caixa (em valores – unidades monetárias ..............................................................................................................................1...3 Formas de Pagamento ....................................................................................................................................4.......................................................................... as primeiras decisões .....5 Empréstimos & Fornecedores (em valores ........4 Custo Total.........................................................1.......................................55 6..4 Demanda e Vendas por Região (em unidades)........................2 Liquidez Seca ...........4 Rentabilidade para empresa (%)................................ 52 6..2.............................3.................................................5 Administração de pessoal .............40 3.........................................40 4.......4 Controle de Aquisição ......................................................1 Balanços Patrimoniais (em valores – unidades monetárias ............................7 Participação de capital de terceiros nos recursos totais (%) .......1.................................................1 Insumo (em unidades)...................................1.................................4...........3 Dinâmica do Jogo ............................................................ GUIA PARA CONSULTA RÁPIDA.............................................................................. 57 6....................53 6....................................................................................1 Contratação e Demissão ...........................1........3 Pessoal (em unidades) ................................................................................1 Compras ........................1 Relatório Confidencial...................................................................................................................39 3...........................................4..........................................3............................................ Decisões na Prática ....................................7 Garantia do capital próprio ao capital de terceiros......................................................................39 3............................4............ 64 7.........4 Empregados..........4............................................

..........................................................................................................................................................2 Responsabilidades do diretor de MARKETING...........................................................................2.........73 B.........68 Apêndice A Como as equipes trabalham ..........................67 7...Gráfico: ...2........................................................... 81 E......................................82 E........................1. 83 DISSERTAÇÕES E TESES.........................................................................................................................2..1...........................................................................74 APÊNDICE C: Detalhes da administração da mão-de-obra...............................................................5 Estoque de Insumo: .......................................................................................................................................................................................... 67 7..... 73 B..............................................................66 7...............4 Responsabilidades do diretor de PRODUÇÃO .... Decisões na Prática ......13 Produto/Produção.......................71 A....................................72 APÊNDICE B: Custos no GI-MICRO....................................2....................................................................... 83 LIVROS E ARTIGOS.....................................................10 Fornecedor 2.......1..........77 C..................................................66 7..............2................14 Venda .7............................................................1 Responsabilidades do diretor GERAL ......................................... 83 ............................................................71 A....Custos por Região:..................................................................................................................... 79 Apêndice E...............................2......................................................2 ..........................................66 7...67 7........................3 ............................................................... 69 A.............70 A.................4 Demanda – Previsão: .......................................................... .........................70 A............2 FÓRMULAS .........................1................................................................1 .........1 Capacidade de produção da empresa:.................................. 77 C.......................................................................................1 Calculando o aumento da produtividade ........................................5 Responsabilidades dos OBSERVADORES ......................................68 7..........................................82 E.....................................................................2 Cálculo dos Custos nos Demonstrativos Contábeis............................................12 Mercado......82 BIBLIOGRAFIA ..................2 Capacidade de produção da mão-de-obra: .11 Marketing ....................................................................................................................................68 7..................2 Mão-de-obra ociosa e seu custo .....................................................................................6 Estoque de produto acabado: .1.....................67 7............................77 Apêndice D..Relatório de custos: ..................................................................................66 7............1 Cálculo do Custo Total do Produto ................................................................... Relatório de Custos .........67 7.........................................................................................................................................................................3 Responsabilidades do diretor FINANCEIRO...................3 Custo de estocagem: ...........................................................................................

entre outras. que lançou um produto que é um sucesso – tanto. com uma empresa em suas mãos. Este será medido principalmente pelo lucro acumulado e pelo desempenho na Assembléia Geral a ser realizada ao final do jogo. jogo que simula a vida de uma empresa. ii) o animador. resolver problemas relacionados ao mercado. iv) as fontes de informação.1 Objetivo O objetivo das empresas é obter o melhor desempenho. 1. O Jogo e micro mundo simulado Pense numa grande empresa. reagir às mudanças do ambiente. A Assembléia Geral serve para simular a divulgação da imagem da empresa e pode ser realizada uma ou mais vezes durante o jogo. iii) o software GI-MICRO e.1 que ilustra a dinâmica de aplicação do jogo. 1. como mostrado na figura 1. Pense em você como um dos responsáveis por essa nova unidade.2. Elas deverão se estruturar de maneira que cada participante tenha uma função na empresa. As equipes correspondem a unidades da empresa e no jogo estarão competindo entre si. você estará no papel de um administrador. a função de moderador dos debates. 1. Você terá que tomar decisões para produzir mais.1 Os Diretores A primeira tarefa do jogo é organizar equipes de até quatro participantes. Poderão existir no máximo 10 equipes.2 Os elementos do jogo O GI-MICRO é um jogo interativo e envolve quatro fatores principais: i) as equipes e/os observadores. . investir. As equipes poderão ser analisadas por um observador que tem. Ou seja.1. que a empresa está abrindo novas unidades para fabricar esse produto. Na Parte 2 estão explicadas as funções que as pessoas podem exercer na empresa. Esse é o fundamento do GI-MICRO.

descreve ainda os relatórios que as empresas receberão do animador. da pertinência ou não de determinada projeção. que é fornecido para as empresas juntamente com os relatórios do período. JOGADORES As decisões do animador são informadas para as empresas através de um jornal. o GIInformações. Banco Central.3 O Animador Governo. Além disso. custos de marketing. A folha de decisões é o instrumento utilizado pelas empresas para comunicar ao animador como a empresa irá trabalhar no próximo período e é necessário que todas as empresas entreguem suas decisões no prazo combinado para que o animador possa processar a simulação. Os relatórios são gerados após o processamento das decisões do animador e das empresas. Na entrega dos resultados o animador comenta fatos relevantes relativos ao que ocorreu e participa como um consultor de pelo menos uma parte das discussões referentes as decisões do período seguinte. O processo de tomada de decisão demanda tempo assim como a entrada de dados. Estas decisões darão origem aos resultados do período que serão informados através de relatórios contábeis. e a necessidade deles estarem orientados por questões estratégicas da organização. são simulados diversos períodos nos quais deverão ser tomadas múltiplas decisões que deverão ser determinadas em função RESULTADOS das regras e dos modelos matemáticos Figura 1. financeiros e de avaliação. entre outros. ANIMADOR A familiarização prévia dos participantes com este material é indispensável pois ao longo da aplicação do modelo. e as informações dos relatórios são então utilizados como ponto de partida para a tomada de decisões para o período seguinte. impostos. imprensa: por trás de todas essas funções está o Animador. do erro ou acerto cometido.Simulação Empresarial Capítulo 1 1. salário dos empregados. sindicato de empregados. ele edita o jornal GI-Informações. o como e o porque. As decisões das empresas são informadas para o animador em um formulário específico denominado folha de decisões. É ele quem determina as taxas de juros.2. processamento e impressão dos resultados obtidos. Em geral observa-se no mínimo uma hora de espera entre a entrega de um conjunto (folha) de decisões e a devolução dos relatórios contendo os resultados da simulação. agência de publicidade. as regras e modelos que constituem o corpo do jogo. que apresenta notícias como restrições ou liberação de algumas 9 . Além de apresentar todas as regras do jogo. O objetivo é mostrar as implicações dos atos.2. Sua principal função é conduzir o jogo. definindo e alterando as variáveis do mercado.2 A Dinâmica do Jogo Manual do jogador Jornal GI-INFORMAÇÕES GI-Micro Decisões Decisões Inicialmente os participantes do jogo recebem o manual do diretor (este documento) que contém uma descrição do modelo tanto a nível teórico quanto a nível dos modelos matemáticos. Estas decisões. 1.1: Dinâmica do Jogo GI-MICRO que foram implementados. Nestas intervenções o animador pode ajudar as empresas localmente buscando sempre mostrar o mecanismo.

Uma última recomendação: mantenha-se informado. um trimestre. isto é. o software simula as mudanças que ocorrem no mercado e emite os relatórios para a empresa saber como está no mercado e decidir as próximas jogadas em fim. variação das taxas de juros. Podem ocorrer. Os Relatórios são emitidos pelo software GI-MICRO e são a base para tomada de decisões. por exemplo. aumento no preço dos insumos. O Animador será auxiliado em algumas das funções acima por alguns dos colegas que desempenharão o papel de observadores-consultores. aqui você irá encontrar as principais variáveis em jogo na empresa. greves dos empregados. Uma leitura atenta do GI-Informações e a discussão dessas notícias permitirão extrair fatos dos dados do jornal.4 O software GI-MICRO O software GI-MICRO tem como função processar e gerenciar as decisões tomadas pela equipe e pelo Animador. Cada período corresponde a 3 meses. As equipes que entregarem com as decisões com atraso serão penalizadas com multa. O professor/animador poderá definir outros critérios para determinar o ganhador do jogo.Simulação Empresarial Capítulo 1 decisões que a equipes podem tomar. A equipe ganhadora é a que tiver maior lucro acumulado. Eles mostram como está o desempenho da empresa nos vários aspectos de atuação. as regras e dicas. entre outros fatos. A duração do jogo é determinada pelo Animador. Com essas informações. Relatórios Contábeis e de Avaliação e O jornal “GI-Informações”. Outra responsabilidade dele é trabalhar com o software de simulação GI-MICRO. ele é. E quem decide isso também é o Animador. 1. Além disso.2. 2. 3.5 As fontes de informação As equipes têm que tomar decisões na empresa e para isso elas contam com três fontes de informação: Este manual. O jornal “GI-Informações” apresenta as principais mudanças no ambiente em que a empresa atua. Durante todo o período existe uma ou mais novidades importantes. 10 . Conforme a introdução deste Manual. limitações ou incentivo ao crédito. 1. além de registrarem os compromissos marcados para os próximos períodos. o Animador pode usar o jornal para comentar o desempenho das equipes.2. uma ou mais oportunidades de gerir melhor os seus negócios. Deve-se estar atento para os seguintes detalhes: 1. Pode-se também determinar o ganhador individual utilizando a pontuação do desempenho do diretor como diretor na empresa. ou melhor. antes de mais nada um meio para se alcançar um fim.

mas isto não significa que a exposição da direção deva se concentrar neste ponto. falar de qualidade. É importante se concentrar nos pontos fortes da empresa e não em justificar os erros. evolução dos lucros. 1. É muito importante considerar este fluxo de forma global pois isto permite contextualizar a análise individual de cada fator participante.6 Assembléia Geral Para a Assembléia Geral é interessante preparar transparências contendo: a política da empresa. Para compreender o fluxo de recursos financeiros sugere-se consultar a figura 1.Simulação Empresarial Capítulo 1 1. A conclusão deverá ser: apesar das dificuldades a empresa está pronta para crescer e dar muitos lucros.2. O mercado começa por impor à empresa uma demanda. enfatizando as boas decisões. Outro serviço oferecido 11 . compatibilidade entre as capacidades de produção da mão-de-obra e do imobilizado. Para satisfazer esta demanda a empresa oferecerá um determinado número de produtos a determinado preço e prazo. Aqui a empresa coloca produto no mercado e recolhe a receita relativa a venda destes produtos.3 O Mundo GI-MICRO O meio ambiente no qual as empresas GI-MICRO se encontram inseridas.2. talvez todos. Todas as empresas vendem o mesmo produto. os quais devem ser devolvidos pagando juros. não existem diferenças entre os produtos além da empresa de origem. serão adquiridos pelos clientes. consiste de um conjunto de empresas dividindo um mercado conforme forças parcialmente controladas. por exemplo. É claro que a direção deve ter uma boa justificativa para seus erros. Esta figura mostra de forma descriminada os vários atores que participam do fluxo financeiro do jogo e como a relação ocorre (bi ou unilateralmente). Não existem variações na qualidade do produto sendo que todas as empresas compartilham os mesmos fornecedores de insumos. onde é enfatizada a estratégia da empresa em termos realistas (não tem sentido. quando o jogo não simulou a qualidade do produto). Um certo número destes produtos. Os bancos emprestam dinheiro para investimentos e para capital de giro. O governo cobra imposto de renda. Convém não esquecer que a Assembléia Geral exige segurança por parte da equipe dirigente.

também 12 Figura 1 2. A determinação da demanda futura da empresa é um desafio. Estas n primeiras regiões possuem o mesmo tamanho. No parágrafo anterior foi dito que o governo cobra o imposto de renda.3 mostra como se dão as interações entre o mercado e as empresas. isto é.2 . Se existem n empresas existirão n+1 regiões e as empresas estarão instalas uma em cada região de 1 a n.Simulação Empresarial Capítulo 1 pelos bancos são as oportunidades de investimentos em ativos financeiros que são devolvidos acrescidos de juros de mercado. A demanda que a empresa obtém em determinado período do jogo é determinada a nível de mercado. o que é verdade. Por fim os funcionários sustentam com seu trabalho as várias atividades da empresa e devem ser remunerados. O mercado propriamente dito está dividido em várias regiões. a demanda da empresa poderá ser afetada pelas decisões das demais empresas. O governo estipula a taxa de juros básica que serve de referência para todas as operações financeiras. No mundo real é difícil. ou seja.Fluxo de recursos entre a empresa e seu meio ambiente . se não impossível. Enquanto que a falta de acesso as decisões dos concorrentes é uma conseqüência natural da competição. sendo assim estaria sendo criada uma distorção considerável e imprópria em relação a realidade se estes modelos fossem disponibilizados. O que se sabe sobre o mercado como um todo são estimativas e estas estimativas podem ser afetadas pelo conjunto de decisões de todas as empresas mas não se tem acesso a estas decisões nem a um modelo que permita determinar o resultado desta iteração de decisões. modelar com exatidão a preferência do consumidor. Mas não foi dito que o governo interfere de outras formas no fluxo de recursos. determina limites para preços de venda e para valores a serem investidos. estimativas e suposições com graus variados de precisão podem ser feitas mas nada exato. Neste nível são consideradas as influências das empresas entre si. As empresas possuem um potencial que é estimulado pela sua política de marketing e inibido pelas demais empresas. prazo ou propaganda tem na demanda não pode ser determinado porque não existe um modelo preciso do comportamento do consumidor a disposição. Os fornecedores suprem as necessidades de insumos e de equipamentos mas a empresa deve pagar por estes recursos. a ausência de dados sobre os modelos matemáticos que o jogo utiliza para simular o comportamento do consumidor é proposital. Todos estes fatores são fundamentais em todas as relações representadas na figura 1. possuem populações idênticas o que implicará que todas tem o mesmo potencial de demanda. pois são segredos de uma batalha acirrada pelo consumidor. isto é. Funcionários Governo Mercado consumidor Fornecedor de máquinas Bancos Fornecedores de insumos Transportadora A figura 1. O efeito exato que um aumento ou diminuição de preço. Na região n+1. determina quais as linhas de crédito disponíveis e qual a política cambial. pois existem várias incertezas envolvidas: As decisões dos concorrentes que são desconhecidas e não podem ser controladas pela empresa.

a população é maior e.4 representada pela região 5. farão com que o consumidor externo veja preços maiores do que aqueles praticados. não havendo Produto e nenhuma despesa extra. o consumidor.Relações empresa x mercado.3 . compra uma unidade do produto a cada período e pode ser considerado Mercado Externo totalmente racional. na realidade. Todas as empresas vendem para todas as regiões e cada empresa está localizada em uma região.5 unidade monetária por unidade de produto vendida. Desta forma o consumidor tende a rejeitar empresas que tenham praticado aumentos 13 . Quando as Marketing vendas se efetuam fora da região de Produto e origem do produto a entrega tem que Marketing ser feita através de transportadoras contratadas. Faz parte de seu comportamento o hábito de comparar os preços de um dado período com os respectivos preços do período imediatamente anterior de forma a não se deixar explorar. prazos longos e por mais propaganda. significa um valor médio adotado como forma de simplificar o modelo. E1 E2 E3 E4 Região 5 (n+1) Mercados Internos Independente da região de residência. A contratação destas entregas aumenta Figura 1. se houver uma desvalorização da moeda interna o consumidor externo verá um preço menor do que aquele praticado no mercado interno. o potencial de demanda nesta região também é maior. ou mais provável.4 . região n+1. a propaganda tem efeito até um determinado nível de exposição além do qual ocorre uma saturação por parte do consumidor. Demanda A região externa. não existe empresa instalada. os impostos sobre produtos importados. conseqüentemente.Geografia do mundo GI-EPS atraído por preços baixos. Este valor é uma composição das diferentes taxas que dependeriam das distâncias entre as regiões. Entretanto. poderá ser afetada pelas decisões de política cambial de ambos os lados. isto é. No mercado externo. o custo do produto entregue nestas regiões em função do frete que custa 1. Sendo racional o consumidor sente-se Figura 1. a empresa não possui Demanda uma frota de veículos que comporte o volume total de entrega. na figura 1. Uma valorização da moeda. A entrega do produto é feito pela própria frota da empresa quando as vendas se efetuaram dentro da região aonde a empresa está instalada.Simulação Empresarial Capítulo 1 denominada de mercado externo.

e esta é uma regra que vale quando a política de marketing das empresas concorrentes são semelhantes. se todas as empresas. Na realidade ele pode ser maior ou menor e. Outra característica básica do mercado relacionada com o tipo de produto é o pico de demanda sazonal que ocorre sempre no último período de cada ano. 8. Como o jogo começa no período 1 no início de um ano. A linha r e a l e a l inha é a d e ma nd a a te nd ê nc ia . uma vez que cada período corresponde a um trimestre. Estes consumidores estarão distribuídos entre as várias regiões nas quais a empresa está atuando.Linhas de tendência de demanda real. Esta rejeição é tão marcante que empresas com preços em torno de 20 % acima da média praticamente não obtém demanda. ii) não se pode afirmar nada sobre quais serão as decisões dos concorrentes. Em geral este pico corresponde a um acréscimo de 60 % a demanda normal. DEM ANDA TOTAL picos de demanda Co mp o r ta me nto d a d e ma nd a ilustr a nd o a te nd ê nc ia g e r a l d e c r e sc ime nto e o s p ic o s d e sa zo na lid a d e no s p e r io d o s 4 e 8.5 . O mercado tem um tendência natural de expansão.5 mostra as linhas de tendência correspondentes aos mercados EPS. PERÍODO 1 4 8 Figura 1. Ainda deve ser dito que o consumidor evita empresas que tenham seus preços muito acima da média do mercado em determinado período. mantendo prazos e propaganda constantes. seguindo algumas regras específicas: Primeiro a demanda da região aonde a empresa está instalada será satisfeita. 12. ii) todas as empresas mantiverem as mesmas decisões de preço prazo e propaganda ao longo do jogo. Estes valores (6% e 60%) serão válidos apenas nas seguintes condições: i) lembrar que o crescimento trimestral (período a período) é um valor médio. 1.Simulação Empresarial Capítulo 1 demasiados entre dois períodos. Aqui estão dois pontos que adicionam ainda mais incerteza ao modelo: i) não se sabe exatamente qual será o crescimento natural do mercado. Assim. de um período para outro.. os finais de ano sempre serão os períodos múltiplos de 4: 4.3.. só se sabe a média e. Caso a empresa não possua produtos em quantidade para 14 .. entretanto as decisões de preço/prazo/propaganda de todas as empresas influem na demanda total do período. Havendo produtos eles serão distribuídos proporcionalmente entre as demais regiões. A figura 1. Na verdade. 16 . é de se esperar um crescimento abaixo de 6%.1 A distribuição da demanda para uma empresa O conjunto de consumidores que desejarem adquirir o produto de uma determinada empresa é denominado demanda do período. dependendo das variações envolvidas pode inclusive ocorrer uma retração no mercado. Se a empresa possuir produto suficiente poderá suprir toda a demanda porém produtos em excesso ficarão em estoque. aumentarem os seus preços. Em função do produto fabricado a demanda do mercado tem uma tendência natural de crescer em média entre 5% e 6% ao período.

Diagrama do sistema financeiro da GI-LAND este o órgão regulador das políticas de câmbio.A. a medida que mais informações vão sendo agregadas. Juro Subsidiado Capital de giro e Aplicações Banco de Desenvolvimento da EPS-LAND Empresa Virtual Na GI-LAND existem três bancos que operam no mercado.Simulação Empresarial Capítulo 1 atender a demanda perderá oportunidades de venda e poderá estar beneficiando seus concorrentes. Para compreender como isto ocorre deve-se esclarecer que o consumidor é fiel ao seu fornecedor mas tende a abandoná-lo se é mal atendido. preços abusivos.3. O diretor começa o jogo com pouco conhecimento e vai evoluindo ao longo do jogo. que acabou por não conseguir atendê-los. 1. (BICASA). As regras que regem o funcionamento dos bancos BADEL e BICASA. Procurar produto e não encontrar é considerado mau atendimento. Os bancos estatais são: i) o Banco Central (BC) e. tanto quanto abuso de preço. taxas de juros e aplicações além de créditos para investimentos internos. ainda mais se o prazo for pequeno e o estímulo com propaganda insuficiente. dois são estatais e um é privado. Para a empresa estas pessoas são clientes extras que poderão ajudar na venda de um estoque que normalmente não seria vendido. As funções e responsabilidades destas instituições financeiras são representadas na figura abaixo e estão detalhadas logo depois. Uma parte dos clientes que procura produtos de um fabricante e não encontra desiste da compra. Tanto a determinação da demanda total quanto a distribuição desta demanda entre as empresas e regiões é feita através de estimativas.2 O sistema financeiro da GI-LAND BANCO CENTRAL Regulamenta aplicações. que deverão ser feitas com base no conhecimento do comportamento geral do consumidor e das decisões passadas da empresa e dos concorrentes e das reações reais apresentadas pelos consumidores a estas decisões. ii) o Banco de Desenvolvimento da GI-LAND (BADEL). 15 . a desistência da compra é um fator de incerteza pois ele não pode ser determinado exatamente. Comércio e Agricultura S. juros e crédito disponível Banco da Indústria Comércio & Agricultura S. Nestas situações a empresa vende mais do que sua demanda e os clientes não custam nada pois o esforço de cativá-los foi feito por outra empresa. Outra parte. O banco privado chamase Banco da Indústria. menor.6 . Banco Central nunca irá atuar diretamente junto aos empresários. Como já mencionado. Em função de todas estas características do comportamento do cliente não raro poderá acontecer que as empresas fiquem com produto estocado e mesmo assim nem toda a demanda seja atendida. Apesar disto. suas Recursos para investir em capacidade de produção ações sempre se farão sentir pois é Figura 1.A. vai procurar produto nos concorrentes. muito acima da média fazem com que o cliente desista da compra.

se a taxa do banco central é igual a 3% a taxa a ser paga no empréstimo P será de 9%. 16 . médio ou longo prazo. Modalidades de empréstimos: Existe uma taxa de juros referencial. os quais costumam solicitar demonstrações financeiras sobre o desempenho da empresa. normalmente estável. e/ou de sobre taxas erguidas como barreiras de entrada ou incentivos para exportação. Também é o BICASA que oferece a possibilidade de aplicação para os eventuais superávites de caixa que afortunadamente ocorrerão. Em resumo. o qual informará também o valor da taxa de juros referencial. além disto a sua obtenção pode estar sujeita a negociações com os banqueiros. Para empréstimos de curto e médio prazo a taxa de juros cobrada será 30% maior que a taxa estabelecida pelo BC.000 UM. isto é. O montante deve ser devolvido no próximo período juntamente com os juros. Sendo na realidade uma interface do BC com o mercado as taxas de juros praticadas são subsidiadas. Outro imposto que poderá afetar as finanças da empresa virtual são os impostos aduaneiros que refletem a flutuação do câmbio. A aplicação feita no período t será resgatada no período t+1. Por determinação do BC toda aplicação realizada tem resgate bloqueado pelo período da aplicação. o BICASA está sujeito as regras de mercado tanto no que diz respeito aos empréstimos oferecidos quanto na remuneração oferecida nas aplicações financeiras. O BICASA oferece como remuneração para estas aplicações a taxa referencial do BC. O montante será pago pelo SAC em cinco parcelas. Longo Prazo: Concedido apenas pelo BADEL destina-se a financiar investimentos em capacidade produtiva. Normalmente o BADEL financia até 90% do montante total.Simulação Empresarial Capítulo 1 Banco BADEL é responsável por financiar os investimentos necessários para manter e aumentar a capacidade de produção das do parque fabril das empresas. O fisco na GI-LAND é rigoroso e o imposto é pago na fonte trimestralmente. as três modalidades de pagamento de empréstimos são: Curto Prazo: Concedido pelo BICASA e destina-se para as necessidades de capital de giro. Sobre o empréstimo P incide uma taxa 200% superior à taxa do BC. A abertura de novas linhas de crédito será informada pelo GI-INFORMAÇÕES. Nesta modalidade o montante será pago pelo SAC (Sistema de Amortizações Constantes) em três parcelas sem carência. Sobre o resultado líquido da empresa incide uma alíquota de 35% referente ao imposto de renda. Sendo um banco comercial. Quando o caixa da empresa se torna inferior a 5. Neste caso a taxa de juros será igual à taxa do BC. As aplicações financeiras e impostos: Existe a possibilidade de se fazer aplicação no mercado financeiro. a qual todas as demais taxas estão vinculadas. Existe a possibilidade de obtenção de empréstimos a curto. O jornal GI-Informações é responsável por atualizar os diretores a respeito clima financeiro internacional.000 UM a empresa contrai um empréstimo PAPAGAIO (P) para ficar com um caixa mínimo de 10. Banco BICASA é o banco ao qual os empresários deverão se dirigir para satisfazer suas necessidades de capital de giro de curto e médio prazo. Estes últimos se destinam ao investimento em equipamentos. Médio Prazo: Também concedido pelo BICASA com propósito de satisfazer necessidades de capital de giro. com carência de quatro períodos. mais 25%. estipulada pelo Banco Central. Não existe aprovisionamento. mas o cenário pode se alterar.

Empório da Indústria (F2): Trabalha por encomenda e vende pelo preço de mercado. O prazo de entrega na GI-LAND é importante para garantir menores custos de fabricação uma vez que as empresas nunca param de produzir face a existência da MEGA Insumos. Considerando inicialmente o funcionamento do Empório da Indústria.Simulação Empresarial Capítulo 1 1. As empresas. Ele é padronizado pela holding tanto no seu conteúdo quanto na sua qualidade e. Não tem estoques e todos os pedidos demoram um período. Aspectos contábeis e logísticos dos insumos: Os aspectos mais importantes das compras no processo administrativo da empresa são dois: i) prazo de entrega e. O ministério da indústria. De fato adquirir insumos na MEGA é um desperdício de recursos financeiros.3. Todos os pedidos entregues na forma de decisões são encaminhados para a Empório da Indústria. Também mostra que o sistema de encomendas adotado pela Empório leva a uma espera de um período entre a emissão do pedido e a chegada do insumo comprado. para baixo. Cada um destes fornecedores atua de forma distinta no mercado sendo caracterizados como segue: MEGA Insumo LTDA (F1): É um fornecedor que possui estoques para pronta entrega.7 mostra um esquema aonde as setas para cima significam saídas da empresa e. seis meses. Adquire-se os insumos em termos do número de unidades necessárias para a produção projetada mais uma margem de segurança. entradas.Esquema do mercado de insumo. Nas compras a prazo é cobrado juro correspondente a taxa de referência do banco central mais 30 % ao período. três meses.7 . Entretanto quem conseguir se programar corretamente poderá obter vantagens de custo significativa.ii) prazo de pagamento. em 90 dias (T+1): o insumo é pago no próximo período e. Este intervalo de tempo deve ser considerado na hora de programar a compra dos insumos com um e as vezes até dois períodos de antecedência. em função da total falta destas matérias-primas na GI-LAND. PEDIDO ENTREGA PAGAMENTO T T+1 T+90 dias T+2 tempo T+180 dias PERÍODO DE DECISÃO Figura 1.3 Os insumos utilizados na produção O insumo utilizado pelas empresas virtuais na produção consiste de um agregado de todas as matérias-primas utilizadas pelo processo fabril. todo o suprimento de insumos é importado por via marítima. A figura 1. comércio e agricultura licenciou dois fornecedores para operarem como fornecedores de insumos em toda a GI-LAND. 17 . para serem entregues. o esquema mostra que existem três opções da pagamento: à vista (T): o insumo é pago no período de decisão. em 180 dias (T+2): os insumos somente serão pagos daqui a dois períodos. Nos relatórios aparece como F2. voluntariamente nunca compram da MEGA Insumos. É identificada nos relatórios como fornecedor F1. Por esta comodidade a MEGA cobra 25% acima do preço de mercado.

só vende à vista. Se faltarem 100. Para entregar na hora tudo aquilo que empresa estiver necessitando no momento cobra 25% acima do preço de mercado e. as flutuações do mercado internacional. Ela intercede na medida exata das necessidades da empresa. 3 serão fornecidas pela MEGA. não menos importante. Ela é acionada automaticamente e para que isto ocorra basta ficar de braços cruzados. em parte. é esta a quantidade que a MEGA irá vender. NEGOCIAR COM CAUTELA. se 3 unidades faltarem. As condições de suprimento podem ser afetadas pelos portuários que são representados por um sindicato atuante e que conta com amplo respaldo dentro da classe. A GI-LAND faz parte de um mundo globalizado e como tal está sujeita.Simulação Empresarial Capítulo 1 A MEGA Insumos funciona como um fornecedor "automático" e just-in-time.001 unidades. 18 .

Estão previstas quatro diretorias: i) diretoria geral. Na figura 2. Lembre-se: se você ficar distante. O capítulo termina com a apresentação dos Princípios da Boa Administração. não fique alheio. Se. 19 . iv) de marketing. ii) de produção e pessoal. por outro lado. 2. fique com esta opinião para si e lembre-se de que a sua liderança será eficaz se o grupo chegar à conclusão de que todos estão contribuindo. 2.Simulação Empresarial Capítulo 2 2. você acha que é a pessoa mais importante do grupo. Caso você se julgue sem base para discutir com os demais membros do grupo. Os diretores e suas funções Nesta capítulo você encontrará as principais características de cada diretoria da empresa.1 Participação é fundamental Para o bom desempenho do jogo é muito importante que as equipes se organizem e que todos participem ativamente das tarefas. Em seguida são apresentados elementos básicos do modelo mostrando o que está em jogo na administração das empresas virtuais. a moral do grupo cai. iii) financeira e. Com exceção do diretor geral as áreas de atuação dos demais são evidentes.1 mostra-se as decisões que cada diretor tem sob sua responsabilidade. São informações que ajudarão você a encarar os desafios do jogo.2 Escolha o seu papel O modelo de jogo de empresa adotado no GI-EPS prevê a divisão das tarefas de gestão da empresa entre uma equipe de quatro pessoas. Também encontrará detalhadas as funções dos observadores que poderão ou não participar da simulação a critério do animador. Talvez o que os outros mais precisem e o recurso mais importante para o grupo seja alguém que os escute com empatia. Ao diretor geral cabe a coordenação das atividades dos demais diretores. A cada um destes indivíduos cabe um conjunto de tarefas específicas relacionadas com uma diretoria da empresa.

Simulação Empresarial Capítulo 2 Geral coordena os trabalhos dos demais diretores cuida dos rumos da empresa. insumos. No momento em que uma empresa se apresenta. Ao final do jogo os observadores apresentarão um relatório sobre as equipes. algumas pessoas irão participar da simulação sem entretanto fazer parte das empresas. Um problema mal diagnosticado pode levar a conseqüências inesperadas. O desenvolvimento de instrumentos gerenciais pessoais é um dos objetivos do jogo e a distribuição das tarefas entre vários indivíduos visa exacerbar o senso de responsabilidade do diretor além de simular a separação de cargos/funções observada em organizações industriais. Explica-se: para um bom 20 . literalmente de vender o seu peixe. aplicações. é ele que se responsabiliza pelo cumprimento das metas Produção e Pessoal admissões. Em fim a assembléia geral permite a troca de experiências ao mesmo tempo em que contribui para as empresas trabalharem de forma organizada. os demais concorrentes atuam como os acionistas que irão questionar os diretores quanto ao conteúdo de sua exposição. Os diretores desenvolvem habilidades de expor a suas idéias dentro deste contexto administrativo. A identificação de problemas ou de pontos fortes da empresa é facilitada uma vez que cada diretoria tem seus limites definidos. são questões do dia-a-dia Marketing prever a demanda. atividade que. mesmo quando se tem certeza de estar aplicando soluções aparentemente corretas.Diretorias sugeridas para o GI-EPS Como já foi dito. avaliar os efeitos da sua política e determinar os volumes futuros de propaganda.1 . horas de trabalho e equipamentos são itens que são de sua responsabilidade Financeiro necessidades de caixa. empréstimos. Elas desempenharão o papel de Observadores e irão auxiliar o professor na tarefa de dar feedback aos alunos sobre questões de trabalho em equipe. prazo e preço Figura 2. Na assembléia geral todas as equipes apresentam seus objetivos para empresa e as estratégias de ação adotadas para atingir estes objetivos em cada uma das diretorias. deverá ser previamente organizada. A separação das tarefas facilita o desenvolvimento do trabalho de previsão e planejamento que é inerente ao processo de tomada de decisões. nos aspectos de relacionamento. Apesar desta recomendação de número de integrantes e divisão de atividades não existe nenhuma obrigação por parte das empresas em segui-las. o objetivo é discorrer sobre os planos futuros da empresa. pois os acionistas/ diretores poderão saber como e porque uma empresa obteve determinado resultado e se o resultado esperado era realmente aquele observado. A assembléia geral é realizada uma ou mais vezes durante o jogo. A responsabilidade pelas conseqüências (êxito ou fracasso) destas decisões é da equipe e ela deverá prestar contas de suas atividade para os acionistas da empresa durante a assembléia geral. Nos debates que acontecem durante uma assembléia ocorrerão: Um feedback interno (entre as equipes). custeio dos investimentos. demissões. comportamento e do desempenho das atividades em grupo. para ser realizada com efetividade. Os diretores deverão ainda avaliar seu posicionamento em relação a estas metas. Quando é realizada apenas uma vez ela ocorre ao final do jogo.

pro paganda. isto é. a resposta será positiva caso os participantes percebam e entendam 21 .1 mostra as tarefas individuais que cada diretor tem sob sua responsabilidade. todas as atividades relativas ao animador estão compreendidas pelo bloco denominado SIMULAÇÃO. Entre os vários itens que fazem parte desta dinâmica estão as equipes e as decisões que elas devem tomar a cada período. Isto somente pode ser obtido se as equipes forem organizadas internamente.. Nesta ilustração procura-se dar uma visão da dinâmica do jogo GI-EPS sob o ponto de vista da empresa virtual. mostra uma representação da dinâmica de funcionamento do jogo de empresas GI-EPS. A base disto está no acesso ágil as informações sobre o processo decisório e desenvolvimento do jogo. Troca de informações com outros diretores sobre eficiência de políticas MARKETING FINANCEIRO Negociações com fornecedores e com bancos. Tanto que. como o animador conduz. A figura 2.1. de seus administradores virtuais. No centro da figura 2.2 ilustra a forma de trabalho que o animador buscará desenvolver junto as equipes de participantes do jogo. Como pode ser percebido o processo de trabalho. . via de regra. Descobrir dinheiro barato. No momento em que os administradores virtuais questionam-se a respeito da adequação ou não dos resultados da tomada de decisão. Estas decisões acabam de ser apresentadas no item anterior mas é necessário mostrar como se desenvolve. Descobrir a sensibilidade dos consumidores a fatores como: preço.Simulação Empresarial Capítulo 2 desempenho na assembléia geral as empresas precisam estar prontas para responder a quaisquer questionamentos seja para explicar como ou porque algo foi feito. Desenvolver uma política de custos.Tarefas dos diretores dentro de uma visão abrangente. A tabela 1 mostra as atividades internas e externas a empresa que os diretores devem desenvolver. As tarefas internas dizem respeito as responsabilidades dentro da empresa e as externas dizem respeito aos contatos com o animador e com os componentes das outras equipes. Tabela 1 . seja para documentar alguma declaração. todas as demais atividades apresentadas dizem respeito única e exclusivamente às equipes. ou melhor. INTERNAS GERAL Assegurar que os demais diretores cumpram suas tarefas e coordenar as ativi dades Assegurar produção suficiente para atender a demanda e política para a sazona lidade. A figura 2. aplicá-lo e investi-lo da melhor maneira. 2. ou de tomada de decisão. já apresentada. no entanto ela não dá uma visão mais abrangente dentro de um contexto de mercado das tarefas de cada diretoria.2 aparece a tríade Missão/Metas/Estratégias que deverão servir de referência nas análises e de base para o planejamento dos passos futuros da empresa.3 Como as equipes trabalham A figura 1. este questionamento deverá estar sendo feito com base nas estratégias estabelecidas. prazo. o processo de tomada de decisão das equipes. com o banco central. ou melhor. EXTERNAS Manter-se informado e/ou participar dos contatos dos demais diretores PRODUÇÃO Estruturar propostas para as negociações trabalhistas com foco na produtividade. na figura. é desenvolvido como uma seqüência de etapas sucessivas que se completam.

1 Responsabilidades do diretor GERAL O trabalho do Diretor Geral é o mais sutil e depende do grau de maturidade (vontade de fazer somado a conhecimentos) de cada um dos outros diretores. na figura 2. da capacidade de buscar formas e meios de implementá-las é um dos objetivos deste jogo. sua organização e embasamento em metas e estratégias bem determinadas. Para acompanhar o trabalho dos demais diretores. Dentro do contexto do jogo a implementação corresponde a entrega da folha de decisões para o animador o qual não devolverá esta folha. Deverá compreender como as diretorias se relacionam e como uma decisão individual reflete no todo. Esta regra vale desde o início do jogo mas a seqüência de trabalho. o Diretor Geral deverá ter uma visão global sobre o funcionamento da empresa. como será a cobrança das tarefas e qual o apoio que cada um deles precisa. O Diretor Geral deverá estabelecer um contrato com cada diretor. Quando isto não ocorre. a equipe deverá retornar a etapa ou etapa(s) responsável(is) pelo desvio de rota executando então os devidos reajustes. SIMULAÇÃO Implementa as Decisões Recebe os Resultados SIM NÃO Satisfeito ? MISSÃO Analisa os METAS ESTRATÉGIAS Relatórios Analisa a Empresa e o Mercado Executa a Tomada de Decisões Realisa Proj eções e Prev isões Figura 2. Este contrato consiste em combinar com cada diretor como as suas tarefas serão cumpridas.2. A leitura do livro “Liderança e o Gerente Minuto” (Record) o ajudará a conduzir a empresa. o 22 .3. 2. em hipótese alguma. Isto é responsabilidade da empresa pois a implementação das decisões que consta. aproveitando ao máximo as habilidades de sua equipe. O desenvolvimento das habilidades necessárias para a escolha da missão/metas/estratégias e. incertezas ou erros no processo decisório.Ciclo de trabalho das equipes Esta seqüência de atividades pode e deve ser repetida e corrigida tantas vezes quantas forem necessárias até que a equipe se dê por satisfeita em relação a adequação dos resultados para com os objetivos da empresa. como passo seguinte à aprovação das decisões é irreversível.2. seja por dúvidas.Simulação Empresarial Capítulo 2 que as decisões escolhidas contribuirão para o cumprimento das metas definidas. para correções ou alterações. Além de uma visão global. leva algum tempo para se consolidar.

Tarefas: Elaborar os orçamentos de caixa e de resultados a partir das estimativas dos diretores de marketing e produção. buscando reduzir custos para aumentar a margem de contribuição dos produtos fabricados.2 Responsabilidades do diretor de MARKETING O Diretor de Marketing não decide só sobre o investimento em propaganda. ii) balancear o fluxo financeiro. 2. envolvendo aspectos relacionados com a demanda. Objetivos Gerais: Coordenar o trabalho dos demais diretores Lucro Acumulado Assembléia Geral. Verificar o que está acontecendo no mercado e descobrir oportunidades para aumentar a demanda. A seguir. Equilíbrio de caixa Manutenção das contas em dia. A saúde financeira da empresa dependerá. Objetivos Gerais Demanda e Vendas Tarefas: Diferenciar os preços e a propaganda no início do jogo. aproveitando as condições mais atrativas apresentadas pelo mercado. conquista dos consumidores. Fazer previsões de demanda com base no item anterior.500 UM (Unidade Monetária.Simulação Empresarial Capítulo 2 Diretor Geral deverá conhecer os procedimentos adotados na realização das tarefas específicas. e iii) promover a racionalização na utilização dos recursos.3 Responsabilidades do diretor FINANCEIRO O Diretor Financeiro deverá zelar pelos recursos financeiros da empresa. Sua função vai mais além. estão enumeradas algumas tarefas básicas do Diretor de Marketing. permitirão ao diretor assumir ou mesmo delegar funções quando um membro de sua equipe estiver ausente.3. canais de penetração do produto nos diversos mercados. da capacidade de: i) buscar recursos financeiros condizentes com as necessidades do empreendimento. Tais conhecimentos serão valiosos para o Diretor coordenar esforços na busca da eficiência e eficácia da organização. Descobrir a sensibilidade dos consumidores ao preço e à propaganda. Administrar o capital de giro obtendo empréstimos baratos e fazendo aplicações dos excedentes de caixa. 2. Além disso.3. Ele é o responsável por traçar estratégias de marketing adequadas à realidade do mercado. META Caixa = 7. dentre outras coisas. buscando um controle efetivo dos recursos. Garantir o atendimento da demanda. Objetivos Gerais Custo de Produção. a moeda do jogo) 23 .

Cabe aos observadores verificar se existe uma real divisão de tarefas entre os diretores e principalmente ver se o Diretor Geral (vide descrição de tarefas correspondentes) está assumindo o seu papel de coordenação. 2. 216) os observadores terão um papel semelhante ao de um consultor que está investigando uma empresa e evita responder perguntas. Solicite ao animador o manual dos observadores. mão-de-obra. 2.3. Abaixo. insumos. são enumeradas algumas tarefas típicas do Diretor de Produção. Não convém deixar nada ao acaso ou 24 . em conseqüência. responder as eventuais perguntas com outras perguntas. uma capacidade maior de atender as necessidades dos clientes. Tarefas: Manter balanceada a capacidade de produção. Elaborar previsões de produção. facilitando as atividades dos diretores de Marketing e Financeiro. Estruturar uma boa argumentação para convencer a Diretoria a aumentar a produção. lembre-se da importância de assegurar o controle de todas as atividades necessárias à implantação de boas decisões. Os aspectos críticos para um bom desempenho são: Controle – Em relação a (1). Espera-se que os observadores tenham afinidade com a área comportamental. Uma gestão eficaz dos recursos do chão de fábrica certamente trará ganhos de produtividade e.4 Princípios da Boa Administração No GI-MICRO são enfatizadas as principais variáveis do ambiente de uma empresa industrial.Simulação Empresarial Capítulo 2 Gestão de Custos custos mais baixos Preparar a Assembléia Geral. Utilizar adequadamente as opções de trabalho. adequando-a ao turno de trabalho disponível ou definido. Essa gestão pode ser feita através da efetiva utilização dos equipamentos. O domínio sobre o processo de produção permitirá a elaboração de planejamentos reais. 2. Objetivos gerais: Volume adequado a demanda Equilíbrio entre capacidade de equipamento e mão-de-obra Capacidade de produção.4 Responsabilidades do diretor de PRODUÇÃO O planejamento e controle da utilização da capacidade de produção da empresa são de responsabilidade do Diretor de Produção. Aliás sugere-se. se for o caso.3.5 Responsabilidades dos OBSERVADORES Durante as discussões/diálogos (vide Senge pg. Verificar as melhores maneiras de aumentar a produção.

. É interessante relembrar que os mesmos princípios que regem a boa administração ajudam a obter um bom desempenho no jogo.. Não é por coincidência que todos os bons empresários são otimistas. Otimismo – O otimismo (3) não é apenas uma boa estratégia de vida mas também de gestão.Simulação Empresarial Capítulo 2 fazer considerações do tipo: “não haverá problemas caso a leitura do jornal não for atenta” (ver Senge: modelos mentais). o autor relata que. antes disto. Esta depende da criatividade e de uma postura aberta para o mundo. mas infelizmente não existem regras precisas e simples que nos permitam obter uma boa gestão dos negócios. discuta. Esta postura em relação ao jogo implica em fazer orçamentos cada vez melhores — manualmente ou com auxílio de uma planilha eletrônica —. Ou seja. mas. não desista.. do mercado. Se a sua empresa não está bem colocada. procurar oportunidades. Você pode achar estes princípios um tanto vagos. Ou seja. “O fator renovação”. Assim não é de estranhar que os melhores resultados no jogo são obtidos por pessoas que têm facilidade de trabalhar em equipe. As habilidades de um bom administrador são necessárias para o bom desempenho no jogo. Esta é a idéia do Princípio do Bodegueiro.. atenção.. das tecnologias e procurando interpretar o que está acontecendo com a empresa e o seu meio ambiente.). Ao conduzir uma reunião.. Dificilmente a empresa que está em primeiro lugar conseguirá permanecer nesta posição. são irreversíveis e as conseqüências de um erro irão pesar no desempenho da empresa.. ou “o responsável por determinada tarefa deve ser Fulano e ele certamente a fez”. o qual juntamente com mais três outros foram escolhidos como sendo os príncípios básicos do administrador das empresas GI-MICRO: 1) lembre-se de Murphy (se algo pode dar errado.. uma boa capacidade de negociação e bastante entusiasmo. nas empresas mais bem geridas do mundo. 25 .). como na vida real. o Diretor Geral deverá desqualificar o “achismo”. os executivos consideram os fatos amigáveis e estão sempre analisando a situação da empresa. entusiasmo. você poderá utilizar os métodos e as técnicas mais sofisticadas para otimizar a sua gestão. assegure-se de que você está sendo eficaz e fazendo as coisas mais importantes. Nesse livro. não podendo ser corrigidas. As decisões no jogo.. a sua empresa tem tudo para ter o melhor desempenho e ficar em primeiro lugar. 3) seja otimista (autoconfiança. reinterprete. isto é. É preciso criar um contexto que tire a tomada de decisões dos domínios da mera opinião.). faça comparações. as opiniões vagas na base do “eu acho que. entender cada vez mais o que está acontecendo. Análise – O princípio (2) foi inspirado pelo livro de Waterman. Um dos aspectos básicos na gestão de uma empresa é descobrir quais são as tarefas mais importantes a serem feitas.”. 2) procure extrair fatos de dados (interprete os dados disponíveis..

Junto com as variáveis. ii) fatores controláveis que influenciam a demanda. Esta parte do Manual traz os aspectos que os diretores deverão levar em conta na administração da empresa. 3. vi) adequação da política de preços 3.3. E o bom desempenho da sua empresa depende de uma boa gestão da demanda. que está relacionada com fatores controláveis e incontroláveis que serão abordados na seqüência deste item. v_ administração de pessoal. a procura pelos seus produtos.1. O que está em jogo na empresa Agora que você já conhece a dinâmica do GI-MICRO e o papel que irá desempenhar.1. ii) administração financeira. iv) como estimar a demanda. . saiba o que está em jogo na empresa. Nestas apresentações o leitor irá encontrar um certo nível de redundância em relação a alguns dos fatos apresentados no capítulo 1 quando se descreveu o micro mundo simulado. Deve estar claro que neste capítulo a preocupação é apresentar uma síntese dos aspectos chave que caracterizam o micro mundo e prover o leitor com exemplos de aplicação dos modelos. O capítulo irá apresentar definições. iv) administração de compras e.1. iii) administração da produção. O que é demanda A capacidade de uma empresa de gerar lucros depende da demanda. Demanda Neste item você vai saber informações sobre: i) o que é demanda. variáveis e regras referentes a: i) demanda. estão as regras que as comandam. ou seja. iii) fatores incontroláveis que afetam a demanda. v) efetividade da propaganda e.

t+2. Regra – A partir do momento que um determinado prazo é concedido. A demanda da empresa diminui à medida que seu preço de venda aumenta. O preço do módulo está impresso no final do Relatório Geral (mostrado mais adiante) e as previsões de alteração deste valor são divulgadas no GIINFORMAÇÕES sempre que ocorrer alteração.Simulação Empresarial Capítulo 3 3. a empresa pode fornecer um desconto para que parte da demanda a prazo compre à vista. Quem praticar um preço 20% acima da média não terá quase nenhuma demanda. se o preço da empresa for maior do que a média das empresas. Caso o preço de uma empresa seja mais baixo que a média. haverá um efeito de saturação. ao contrário. Vendas com prejuízo não asseguram a fidelidade dos consumidores. A aplicação é feita em módulos. o efeito será insuficiente para influenciar os consumidores. aumentando assim os recursos disponíveis no mesmo período. a propaganda ultrapassar o patamar ótimo.2 Fatores Controláveis No universo aonde estão inseridas as empresas existem quatro fatores que afetam a demanda diretamente e que podem ser controlados: i) volume de propaganda. todos os clientes comprarão a prazo. Veja as dicas sobre a efetividade do esforço de propaganda. Preço de Venda O preço de venda tem uma grande influência na demanda. Prazo de Pagamento A demanda da empresa tende a aumentar quando é fornecido um prazo maior de pagamento aos clientes. 2/3 do valor das vendas entrarão em caixa e 1/3 ficará para o próximo trimestre na conta Clientes. Como o trimestre tem 90 dias. Este desconto. deve ser considerado o preço da concorrência. ser considerados os seguintes aspectos: a efetividade da propaganda no período. Deverão. Todos estes fatores podem ser controlados diretamente pelas empresas sendo que os três primeiros são decisões que as empresas tomam a cada trimestre. t+1. As decisões sobre preços devem levar em conta os custos de produção e distribuição. não tem nenhuma influência sobre a demanda. Da mesma maneira. iv) o atendimento a demanda. Exemplo: Caso sua empresa conceda um prazo de 30 dias e nenhum desconto para pagamento à vista. Entretanto. a demanda será menor. 27 . Além disso. Regras – As equipes devem decidir quanto aplicar em propaganda em cada região. ela obterá uma demanda acima da média (mantendo-se constantes os outros fatores). ii) o preço de venda. Se. e as compras são uniformemente distribuídas. a propaganda feita no período t. Propaganda As empresas poderão se comunicar com os consumidores e aumentar a demanda investindo em propaganda.1. O prazo é representado em número de dias. entretanto. parte dos pagamentos desta modalidade somente serão realizados no período seguinte. Se a propaganda for muito baixa. o efeito da propaganda é maior no início do jogo (primeiros 4 a 5 períodos) quando o produto está sendo lançado. tem efeito decrescente nos períodos t. porém. iii) o prazo de pagamento e.

1. Cada empresa terá um mercado na região onde ela está implantada. Existem três tipos de mercado: o mercado situado na região da empresa. isto é. 28 . com uma demanda maior do que a das outras regiões.concorrentes. informados no decorrer do jogo e.1: Variação da demanda em função da conjuntura Para se prevenir contra os efeitos negativos dos períodos de recessão. Existe ainda um outro mercado. pois. a empresa atua também no mercado das outras empresas . ii) tipo de mercado. Além deste mercado. Para se assegurar da fidelidade dos clientes é.000 900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 1 2 3 4 5 6 7 Demanda Total real tendência projetada 8 9 10 recessiva normal Figura 3. A Conjuntura Econômica As empresas não podem influir no Índice de Conjuntura Econômica. os diretores não podem interferir nestes fatores. de número n+1 [sendo ‘n’ o número de empresas]. Essa é. 3. Possui o mesmo tamanho (demanda) do mercado situado na região da empresa. que prevê a variação do Índice de Conjuntura Econômica. situado numa região onde não há produção local.Simulação Empresarial Capítulo 3 Atendimento da Demanda Uma boa parte dos consumidores que não conseguirem adquirir os produtos de determinada empresa tendem a adquiri-los na concorrência. Nesta região não existe custo de transporte para os produtos vendidos. mas podem se adaptar a ele. a maneira mais barata de aumentar a demanda da sua empresa. os mercados situados fora da região da empresa. iii) período do ano (sazonalidade). importante adequar a oferta de produtos à sua demanda. Os Diferentes Tipos de Mercado Regras – O número de mercados será igual ao número de empresas participantes do jogo mais um. observa-se o comportamento geral da demanda sob duas conjunturas econômicas distintas: normal e recessiva: 1. aliás. v) fatores casuais. iv) taxa de crescimento do consumo.3 Fatores Incontroláveis Os fatores incontroláveis não podem ser afetados pela empresa.1. obtida com dados de um jogo concluído. Trata-se do mercado externo. Desta forma a empresa deve se adaptar aos desafios impostos por estes fatores que são: i) conjuntura econômica. Na figura 3. vi) o mix de marketing dos concorrentes. os diretores deverão estar atentos ao jornal. onde as concorrentes estão instaladas.

8. Nos períodos 4 e 8. A figura 3.). a linha denominada “simulada” apresenta os resultados que seriam obtidos para uma conjuntura normal. A responsabilidade pelo cálculo é do diretor de marketing.. planejar a produção de maneira a obter o melhor retorno na sazonalidade.1.50 UM para cada produto vendido fora da sua região. normalmente com aumento de 60%. que é maior que os mercados anteriormente citados e não tem empresas instaladas. Numa dessas estações [verão] (quarto período de cada ano: 4. De uma maneira geral pode-se afirmar que: Demanda(t) = Demanda(t-1) x Efeito da política de marketing x Índice de conjuntura econômica x Taxa de aumento de consumo x Efeito da sazonalidade x Outros efeitos Exemplo: uma empresa estima que a demanda numa região: 29 . Taxa de Crescimento do Consumo Devido ao crescimento da população e à modernização dos hábitos de consumo. existe no jogo uma perspectiva de aumento de demanda ao longo do tempo. 12 . é difícil prever com certeza este valor. a demanda fica mais aquecida. obtida com dados de um jogo concluído. Estimativa da Demanda O cálculo da estimativa da demanda será útil para a equipe definir estratégias para as próximas jogadas. No período 5. Para complementar.2. levando à queda no consumo. referente ao custo de transporte. mostra como a variação da sazonalidade pode ocorrer: 1000 unidad es x 10 00 Sa zon ali dad e DEMANDA rea l sim ulada cres ciment o 7 50 5 00 ten dência de crescim ent o do co nsumo 2 50 0 1 3 5 7 9 periodo s Figura 3. Dependendo da demanda. Regra: A empresa terá de pagar 1. a demanda total esteve muito superior àquela projetada pela linha de tendência. portanto. Os analistas de mercado estimam o crescimento da demanda em 5% a 6%. a produção e as vendas da empresa. Entretanto. Convém. a equipe decide como serão as finanças.2: Variação da demanda em função da sazonalidade A linha de referência indica a tendência de crescimento. Sazonalidade A demanda varia de acordo com a estação do ano. por período. mas no jogo acima a conjuntura tornou-se recessiva nos períodos 9 e 10. O mesmo teria ocorrido no período 9.Simulação Empresarial Capítulo 3 o mercado externo.4. De forma geral o comportamento é representado pela Figura 4: 3. a demanda retornou aos valores projetados pela reta de tendência..

propaganda para a concorrência. aumentará 5% por causa da conjuntura econômica1 favorável.979 Ou seja.1.1 x 0.06 x 1 = D(t–1) x 0. 30 . • o prazo de pagamento ficará inalterado.05 x 1. A efetividade da propaganda nos primeiros períodos (lançamento do produto) segue uma curva como a figura 3. Para verificar os efeitos da propaganda e do preço sobre a demanda.Simulação Empresarial Capítulo 3 efeito da política de marketing: • aumentará 10% por causa do preço. Ela só terá índice de 1. GASTOS Figura 3. É. índice 1. 3.05. não é período de sazonalidade nem há outros efeitos.3: EFEITO efeito da saturação Efeitos dos gastos com propaganda no propaganda insuficiente início do jogo. a taxa de aumento do consumo será de 6%. então: D(t) = D(t–1) x 1.5 Efetividade da propaganda A decisão sobre o orçamento de propaganda tem longo alcance e é estratégica. os efeitos da propaganda se tornam mais modestos pois não existem inovações no produto que exijam uma comunicação mais intensa com os consumidores: 1 A conjuntura econômica usualmente é normal.8 x 1 x 1. principalmente em um mercado competitivo de produtos quase idênticos. caso haja uma notícia no jornal sobre o assunto. A sua empresa provavelmente está fazendo. preferível no início do jogo estabelecer diferentes valores de preços e de propaganda nas diversas regiões. Uma demanda muito maior do que a capacidade produtiva é um indicativo de má administração. convém diferenciar as decisões nas diversas regiões. Poderia praticar preços mais elevados e obter um lucro muito maior para investir em equipamentos e aumentar as vendas.3 – Curva de Efetividade da Propaganda no lançamento do produto Mais tarde. a demanda na região diminuirá aproximadamente 2% em relação ao período anterior. indiretamente. pois. • diminuirá 20% por causa da propaganda.

1. Preços muito altos afugentam os consumidores e preços muito baixos matam as margens de lucro. O gráfico da figura 3.5 dividida em três estados ou regiões. em vez de aplicar o excesso de caixa.5 – Relação entre o preço do produto e o lucro obtido. GASTOS Figura 3.6 Adequação da política de preços Determinar o preço do produto é uma decisão de suma importância. delimitam-se situações diferentes em relação a política de preços da empresa.6. que simplesmente repete a figura 3. Uma demanda maior do que as vendas mostra que a empresa perdeu uma boa oportunidade de aumentar o seu lucro vendendo a um preço mais alto. LUCRO 2 1 3 PREÇO DE VENDA Figura 3.6 – Curva de SIMON e os estados possíveis no GI-MICRO. Uma demanda muito baixa diminuirá a liquidez da empresa que. LUCRO PREÇO DE VENDA Figura 3.5 dá uma noção da margem de manobra em relação ao preço. É recomendável diferenciar os preços nas diversas regiões mesmo quando se presume conhecer o valor ideal. nunca fazendo alterações muito bruscas para cima ou para baixo. Na figura 3.4 – Curva de sensibilidade ao esforço com propaganda 3.Simulação Empresarial EFEITO Capítulo 3 Sensibilidade ao esforço com propaganda no: início do jogo e após passado algum tempo. 31 . contrairá empréstimos para cobrir os déficits de caixa. É necessário ser cauteloso.

Financiamento: O montante será pago pelo SAC em cinco parcelas. Tal estado pode ser diagnosticado e “curado”. Por fim. a empresa pode ser considerada como equilibrada no que diz respeito à política de preços.1 Empréstimos Existem duas opções para captação de recursos financeiros: Empréstimo de Giro: Que podem ser pagos em um ou em três parcelas. os itens listados não se excluem entre si. o estoque de produto acabado é pequeno (algumas dezenas de unidades) ou a demanda não atendida restringe-se também a poucos clientes (também algumas dezenas). • Aumentar a propaganda. 3. Uma boa gestão financeira necessita de planilhas (manuais ou eletrônicas) de controle de empréstimos.Simulação Empresarial Capítulo 3 Na região 1. ii) decisões sobre aplicações e compra de consultorias e. • Demanda equivalente ou inferior a capacidade de produção. a capacidade de produção. com carência de quatro períodos. Pagando em uma parcela o montante deve ser devolvido no próximo período. iii) gestão de custos. Nestas situações. Tanto no que diz respeito ao diagnóstico quanto no que diz respeito ao tratamento. como segue na tabela a seguir: Diagnóstico Tratamento • Nenhum estoque de produto acabado. Na região 2.2 Administração Financeira A gestão financeira envolve as seguintes tarefas: i) captação de empréstimos para financiamento de capital de giro e para investimento em capacidade de produção. • Aumentar o prazo e/ou. geral. • Mercado próximo da saturação Tratamento • Reduzir o preço e/ou. a empresa começa a perder lucros pois deixa de vender em função do alto preço. • Baixo nível de estoque no mercado em • Reduzir o prazo de forma a gerar maior receita à vista. a empresa está perdendo chances de maiores lucros. • Aumentar o preço para aproveitar as possibilidades de obtenção de maiores • Demanda maior ou muito maior do que lucros. Aqui o diagnóstico e tratamento são os seguintes: Diagnóstico • Formação de estoques de produto acabado tanto na empresa quanto em nível de mercado. 3. Pagando em três parcelas o montante será pago pelo SAC (Sistema de Amortizações Constantes) em três parcelas sem carência. que são muito caros e levam a aumentos de custos. 32 .2. na região 3. Nesta situação a única recomendação é: “continuem assim”. Existe o risco de um descontrole financeiro que leva a situações de empréstimos de emergência.

Para empréstimos de giro. Sobre este empréstimo incidirá um juro de 13. 3.080 = 9. Sobre o empréstimo P incide uma taxa 200% superior à taxa do BC (ou taxa do BC vezes três).Simulação Empresarial Capítulo 3 Períodos – Para efeitos contábeis (Balanço). Condições – Para obter empréstimos de giro. a taxa de juros cobrada será 30% maior que a taxa estabelecida pelo BC.2. a empresa contrai um empréstimo P para ficar com um caixa mínimo de 10. a taxa de juros será igual à taxa do BC. O jornal GI-INFORMAÇÕES noticiará os detalhes destas operações. Regra – Quando o caixa da empresa se torna inferior a 5. será feito automaticamente um empréstimo P no valor de 8. à qual todas as demais taxas estão vinculadas. Teria sido mais interessante solicitar um empréstimo de giro sobre o qual a empresa pagaria apenas 5.3 Como calcular os custos O sistema de contabilização dos custos utilizado no jogo é o do custeio direto. 33 . basta anotar na Folha de Decisões (explicação na Parte 5 deste manual). Taxa de Juros – O Banco Central (BC – Animador) estipula uma taxa de juros referencial.000 UM. Já para obter Financiamentos. Este valor é debitado em caixa no mesmo período. Exemplo: Se a taxa do Banco Central for 4.5% ao trimestre e a sua empresa tiver só 2. que costumam solicitar demonstrações financeiras do desempenho da empresa. poderá ser exigida uma solicitação especial ao Animador. A aplicação feita no período t será resgatada no período t+1.2 Aplicações e Consultoria O jogo possibilita fazer aplicações no mercado financeiro.5% o que significa que no próximo período lhe será debitada a quantia de 8. No decorrer do jogo. As despesas correspondentes serão debitadas às empresas na rubrica Diversos.000. pesquisas de mercado.000 UM (Unidade Monetária). Nos Financiamentos. Períodos superiores a um ano são considerados longo prazo. 3. etc. Em razão da propaganda e do transporte.000 UM em caixa. a obtenção está sujeita a negociações com os banqueiros. O custeio direto parte do pressuposto de que é possível a divisão dos custos em fixos e variáveis.2. poderão surgir necessidades de consultoria. Nessas ocasiões.080. Sobre o resultado líquido da empresa incide uma alíquota de 35% referente ao imposto de renda. A taxa de juros será 25% maior do que a taxa referencial do BC.000 + 1.85% de juros. períodos inferiores a um ano são considerados curto prazo. o custo do produto não é o mesmo para todas as regiões.

Custo de Estocagem No GI-MICRO. A elaboração de um orçamento é tarefa do diretor financeiro. Este dinheiro é utilizado para pagar as contas da empresa ao longo do período. estratégias principalmente de marketing e de finanças para garantir um fluxo positivo. levantando hipóteses. os diretores irão escolher a melhor estratégia para o próximo período. Para o bom desempenho da empresa é bom dispor de um certo volume de estoques. No caso de lucro (operacional). a estrutura de custos irá se tornando mais complexa. pode-se prever a receita. O ponto de partida de um orçamento é a Previsão de Demanda. políticas de venda. indicando se houve lucro ou prejuízo. O lucro operacional menos o valor do imposto resulta no lucro líquido do período. em conseqüência.4 Elaboração de orçamentos A elaboração de orçamento corresponde ao resultado do processo de decisão da equipe. 4% sobre o valor contábil do estoque de produtos acabados no início do período. Existem dois tipos de orçamentos: i) de caixa. definindo as estratégias de atuação.Simulação Empresarial Capítulo 3 Esta análise permitirá determinar a margem de contribuição por região e dará subsídios para a determinação dos preços (veja o item Política de Preços). um dos itens de comparação é o preço de custo. A partir das hipóteses. antes estimar se as vendas serão superiores à demanda ou não. Convém. Orçamento do Demonstrativo de Resultados do Exercício – DRE – Apura os resultados das operações da empresa. Além disso pode-se justificar estoques tendo em vista os descontos oferecidos pelo fornecedor para as compras em maior volume. Conhecendo-se a demanda e o preço. também se determina o valor do Imposto de Renda que será descontado diretamente do caixa. compra de insumos. mas todos os diretores devem estar envolvidos na discussão. a equipe conta com as seguintes fontes de informação: Jornal – traz informações sobre a conjuntura econômica. testando diversas variáveis em jogo. ii) do demonstrativo de resultados do Exercício – DRE. Relatórios – apresenta os compromissos assumidos pela empresa. No orçamento de caixa está em jogo o fluxo financeiro da empresa e. Ocasionalmente é publicada uma comparação dos desempenhos das empresas.2. a equipe poderá visualizar as conseqüências das decisões sobre empréstimos. Ao fazer os orçamentos a equipe estará. entretanto. Com eles. à vista. À medida que os períodos vão passando. 34 . entre outras. 3. pois assim sua empresa não necessitará fazer compras de insumos na última hora e seus clientes não procurarão a concorrência por falta de produto acabado. o custo de estocagem é diretamente proporcional à quantidade estocada e é calculado da seguinte maneira: 2% sobre o valor contábil do estoque de insumos no início do período. ou seja. dinheiro em caixa. Orçamento de Caixa – Determina a disponibilidade de recursos. Para isso. na realidade. Previsão de Demanda – é um cálculo a ser feito pelo Diretor de Marketing. enfim.

Com base nestas duas. como a mudança de ritmo de operação. O número de unidades físicas que a empresa poderá produzir em um determinado período depende de três fatores que estão intimamente relacionados: o valor do imobilizado. Mas podem fazer greves e nem sempre se encontra toda a mãode-obra que se necessita. O único que está sempre disponível é o ritmo normal. a capacidade de produção inicial de sua empresa não é suficiente para atender à demanda crescente do produto e muito menos para atender à sazonalidade. estão relacionadas as fórmulas para calcular a capacidade de produção dos equipamentos e a capacidade de produção da mão-de-obra. porém não é sempre que todos estão disponíveis. a maior e mais importante fonte de receita da empresa. Existem várias maneiras de aumentar a produção. salário e depreciação. como para repor os efeitos da depreciação. A seguir. Não tem sentido. você saberá o que é produtividade. Ritmos diferentes tem número de horas trabalhadas diferentes. conseguir uma demanda elevada se a capacidade de produção da empresa for insuficiente para atendê-la. significando diferentes capacidades de produção. 35 . Existem outros fatores e os citados acima não são os únicos nem tampouco os mais importantes. do parque fabril da empresa. Lembre-se de que sua empresa deverá ter uma política de produção coerente com a política de marketing. Turno de operação: o jogo possibilita até 3 turnos (ritmos) de operação. outras mais versáteis. irá conhecer os efeitos dos ritmos de trabalho na produção e aprender a calcular a depreciação do imobilizado. Além disso. recomenda-se determinar a rentabilidade das diferentes alternativas de aumento de produção. sendo algumas mais econômicas. Mão-de-obra: os empregados contribuem com seu número e sua capacidade produtiva quando querem produzir.1 Administrando a produção Qual a melhor maneira de aumentar a produção ? Como você já deve ter notado.3. Para que a empresa possa estabelecer uma estratégia de crescimento. por exemplo.3 Administração da produção A venda dos produtos fabricados é. é obtida a capacidade de produção da empresa. a mãode-obra e o ritmo de trabalho. valor contábil do imobilizado (valor residual) nas diferentes estratégias de crescimento a serem estudadas. Este cálculo é feito através dos orçamentos e devem ser considerados os seguintes fatores: qual a faixa de aumento de produção desejável. a depreciação e o custo de mão-de-obra.Simulação Empresarial Capítulo 3 3. qual a tática para a sazonalidade. 3. com 500 horas. taxa mínima paga pelo mercado nas aplicações financeiras (atratividade). Os investimentos em imobilizado são feitos tanto para aumentar a capacidade de produção. Os rendimentos de aplicações financeiras são pequenos se comparados com a lucratividade que uma administração bem feita proporciona. Valor do imobilizado: capacidade de produção do maquinário.

3 Otimização da produção Para otimizar a produção é necessário que haja uma adequação do imobilizado com a mãode-obra. a capacidade de produção da empresa está limitada pela capacidade de mão-de-obra.000 De acordo com os dois exemplos acima (a e b). O tipo de ajustamento a ser feito depende das perspectivas da demanda: se as perspectivas forem boas (em geral este é o caso). A menor das duas será a capacidade da empresa. A capacidade de produção da mão-de-obra é calculada da seguinte maneira: CMO = NE x HT x PMO x IT onde: CMO NE HT PMO IT = capacidade mão-de-obra = n.º de empregados = horas trabalhadas em turno normal = produtividade hora da mão-de-obra = ritmo de operação Exemplo b: capacidade produtiva inicial da mão-de-obra Capacidade de mão-de-obra = 10 x 500 x 1 x 1 = 5. Isto implica que nem todo o equipamento está sendo usado porque faltam funcionários. a. Equipamentos – A capacidade de produção dos equipamentos pode ser calculada da seguinte maneira: CPM = VIm.2 Capacidade de produção da empresa O volume de produção da empresa será determinado ou pela capacidade do equipamento (imobilizado) ou pela capacidade da mão-de-obra. em ritmo normal. pode-se deixar depreciar o imobilizado.Simulação Empresarial Capítulo 3 3. Esta é uma regra para o início do jogo.250 Isto significa que para cada 80 UM na conta imobilizado é possível produzir uma unidade de produto acabado.3. Mão-de-obra – Cada empregado trabalha. convém contratar mais mão-deobra. 3. que é a menor das duas. caso as perspectivas não forem boas. quando cada empresa começa com 10 empregados. sem horas-extras (Ritmo =1): (500. No período 1.3. x IT/80 onde: CPM VIm IT 80 = capacidade produtiva da máquina = valor imobilizado no final do período (t–1) = rit de operação = constante Exemplo a: capacidade produtiva para ritmo normal. b. 500 horas por período e produz uma peça por hora. 36 .000x1)/80 = 6. normalmente existe um excesso de imobilizado em relação a mão-deobra.

Simulação Empresarial

Capítulo 3

À medida que o imobilizado se deprecia, as necessidades de mão-de-obra diminuem. Para manter o equilíbrio, é necessário investir o mesmo valor que será depreciado, caso contrário a capacidade de produção da empresa diminui. É importante lembrar que a produtividade da mão-de-obra aumenta entre 1 e 2% ao trimestre e em conseqüência o número de empregados necessários para um determinado valor de imobilizado diminui. Resumindo, o Diretor de Produção deve a todo o momento saber qual a capacidade de produção dos equipamentos e qual a capacidade de produção da mão-de-obra. 3.3.4 Estoques Estoques excessivos custam caro; falta de estoques custa mais caro ainda. Uma boa política de estoques consiste em manter o seu nível exatamente no necessário mais uma pequena margem de segurança. 3.3.5 Produtividade hora da mão-de-obra À medida que o tempo passa, os funcionários da empresa vão aprimorando seus conhecimentos de operação das máquinas e execução das tarefas. Tornando-se mais eficientes, produzem mais em menos tempo. O índice de produtividade hora da mão-de-obra mede essa eficiência.

Para aprender como calcular o aumento periódico da produtividade da mão-de-obra bem como determinar o número de empregados ociosos indica-se o apêndice C. 3.3.6 Horas-extras: A empresa pode convocar horas-extras, dependendo das regras que serão divulgadas no jornal GI-Informações. Os efeitos sobre a produção são os seguintes: opção 1 – ritmo normal (ritmo de operação = 1) opção 2 – aumento de 10% (ritmo de operação = 1.1) opção 3 – aumento de 20% (ritmo de operação = 1.2) 3.3.7 Depreciação do Imobilizado A depreciação representa a perda da capacidade produtiva dos equipamentos face ao seu uso e conseqüente desgaste.

37

Simulação Empresarial

Capítulo 3

Regras – Por período, a taxa de depreciação do imobilizado corresponde à: 2.5%, utilizando o turno normal de trabalho (opção 1). 2.75%, na produção com horas-extras – opção 2 e 3%, na produção com horas-extras – opção 3. A empresa pode fazer investimentos para manter ou aumentar a capacidade produtiva. No entanto, o valor investido leva um período para ser incorporado ao imobilizado. Assim, para manter a capacidade produtiva inicial dos equipamentos é necessário investir: 2,5% (ou mais) x 500.000 = 12.500 (ou mais, no caso de horas extras) Somente investimentos superiores à depreciação possibilitam um aumento da capacidade produtiva dos equipamentos

3.4 Administração de Compras
Administrar compras exige conhecimento sobre: i) os insumos necessários para fabricar os produtos, ii) os fornecedores de insumos, preços e condições de pagamento e, iii) controle para a aquisição.

3.4.1 Insumos São necessárias cinco unidades de insumos para produzir uma unidade de produto acabado. A compra mínima é de cinco mil unidades. A aquisição dos insumos deverá ser requerida com bastante antecedência, pois há itens que são importados. A produção nunca pára por falta de insumos pois é possível adquiri-los na última hora. Porém o preço é mais elevado e as condições de pagamento não são flexíveis. Caso haja alteração de preços dos fornecedores, elas são divulgadas no jornal GI-Informações. 3.4.2 Fornecedores A empresa conta com dois fornecedores de insumos. Cada um possui uma condição de venda. Veja abaixo as regras exatas dos fornecedores:
38

Simulação Empresarial

Capítulo 3

Fornecedor 1: a entrega dos insumos é imediata, ou seja, a compra incorpora-se imediatamente ao estoque da empresa. Conseqüentemente, os insumos adquiridos no período t poderão ser utilizados na produção do período t. Devido ao serviço oferecido, o preço cobrado será 25% acima do preço do mercado internacional e o pagamento será à vista e sem descontos. A compra de insumos deste fornecedor será automática, ou seja, quando faltarem insumos para suprir a produção de um período qualquer. Somente será adquirida a quantidade necessária para concluir a produção do período. Fornecedor 2: a entrega é feita no período seguinte ao do pedido, ou seja, a compra decidida para o período t estará disponível no período t+1. Será cobrado o preço em vigor no mercado internacional. Para compras em grandes quantidades, são concedidos descontos. As condições são divulgadas nos Jornais GI-Informações. 3.4.3 Formas de Pagamento Para o fornecedor 1, o pagamento é à vista e sem desconto. Já o fornecedor 2 oferece três formas de pagamento: modo 0: pagamento à vista; modo 1: pagamento no período seguinte – 90 dias; modo 2: pagamento no período seguinte ao próximo – 180 dias. Para compras a prazo, a taxa de juros cobrada será 30% maior que a taxa estabelecida pelo BC. Exemplo: se o preço médio dos insumos for 1,00 UM para compras à vista, nas compras feitas a prazo no modo 1, com a taxa do BC de 4%, o preço a prazo será: 1,00 + 0,04 x (1 + 0,3) = 1,052. Eventuais limitações no crédito de insumos serão informadas no GI-Informações. 3.4.4 Controle de Aquisição Os pedidos de compra das equipes só podem ser feitos ao fornecedor 2. A compra com o fornecedor 1 é automática, quando faltarem insumos para a produção do período. Por isso, a empresa que quiser economizar na compra de insumos deverá considerar o consumo do período seguinte ao próximo (t+2). Isso é necessário porque quando se está tomando as decisões para (t+1) não há mais possibilidade de entregar os insumos em tempo de utilizá-lo ainda no período (t+1).

3.5 Administração de pessoal
Neste capítulo, você aprenderá como funciona o sistema de contratação, demissão, pagamento de horas-extras e saber qual a influência do movimento sindical na empresa. 3.5.1 Contratação e Demissão Ao assumir a empresa, você já contará com 10 empregados trabalhando. A empresa pode contratar ou demitir empregados, conforme lhe convier. Contudo, deve-se observar sempre as notícias do jornal GI-Informações. As condições são as seguintes: Contratação: os empregados são contratados no início do período.

39

Simulação Empresarial

Capítulo 3

Demissão: a empresa deverá pagar uma indenização correspondente ao salário de meio período a cada empregado demitido. No primeiro dia do período eles são pagos e não trabalham mais. O débito é automático, e os empregados já não estarão mais disponíveis no período. Não ocorrem demissões espontâneas. Caso a sua empresa tenha excesso de mão-de-obra, o valor pago pela mão-de-obra ociosa será lançado na conta despesa de produtividade. 3.5.2 Horas-extras A convocação de horas extras tem as seguintes conseqüências na folha de pagamento: opção 1: ritmo normal – pagamento normal. opção 2: aumento de 10% no ritmo de operação – aumento de 14% no salário. opção 3: aumento de 20% no ritmo de operação – aumento de 30% no salário. 3.5.3 Movimento Sindical As informações sobre o movimento sindical e salário dos empregados são divulgadas no jornal GI-INFORMAÇÕES. Os salários são calculados com base no período, ou seja, para o trimestre. Os sindicatos têm interesse fundamentalmente nos aumentos salariais. Estes são decididos através de acordos dos empresários com o representante sindical. Na falta de um acordo, a decisão fica por conta do governo. Os operários podem também lançar mão de operações tartaruga (Índice de Ociosidade), que consistem numa diminuição do ritmo de trabalho. Consequentemente, a capacidade de produção da mão-de-obra diminui e são geradas despesas de produtividade. As negociações entre o sindicato patronal e o sindicato dos operários exigem que as empresas escolham um representante único, que discutirá com o Animador, o qual desempenhará o papel de líder sindical. O Animador poderá, a seu critério, convocar assembléia dos diretores para discutir e negociar reajustes de salário.

40

considerando-se apenas a mão-de-obra vale . A capacidade de produção no período 1. ao mesmo tempo.. considerando-se apenas os equipamentos vale ..... 1. O que poderá ser feito? 2.......... expressa em unidades de produto acabado. Foi considerado o custo financeiro na questão 3? 5.. É viável fazer um financiamento e........000 unidades de insumos? 4..... ............ confidencial e geral (capítulo 6). 5....... Qual a influência do desconto para pagamento à vista sobre a demanda? .... 9 e 10.. basta responder as questões abaixo.. Quando deverá ser feita a próxima compra de insumos? 6.. a Consulta aos relatórios...... Existem diferenças de custos nas diversas regiões? Quais? 7. Qual o custo de estocagem de 100.......... após ter lido este manual até este ponto... Entretanto.... é recomendada para as questões 1... TESTE: Estou pronto para administrar ? Para saber.4...... fazer uma aplicação financeira? 3...

56.8.1) 11. Os valores da demanda e da venda em uma região podem não coincidir! Por quê? 9. Qual seria o lucro da empresa caso ela rendesse tanto quanto o mercado financeiro. quais as taxas. ou seja.5% ao período? (Veja Balanço pg.Qual deverá ser a margem de lucro sobre o preço de venda para assegurar a rentabilidade calculada na questão anterior? (Veja Relatório Confidencial pg. figura 6.Se a taxa de juros do BC for de 3% ao período.2) 10. conheça na próxima parte a forma como as suas decisões serão levadas adiante. figura 6. da aplicação financeira e dos diversos tipos de empréstimos? Agora que você já está preparado para ser um diretor da empresa. 53. em torno de 3. 42 .

recomenda-se utilizar valores apenas um pouco superiores à taxa de juros do mercado. para empréstimo a ser devolvido em uma única parcela e 2. (ver Administração Financeira). deverá ser indicado o prazo.89. 5. Giro: Neste campo. deverá ser indicada a quantia. será assumido o valor 0 (zero). em dias. Propaganda: Neste campo. oferecido pela empresa aos clientes que adquirem seu produto. deverá ser indicado o desconto. quando a opção anterior estiver preenchida. (ver Administração Financeira). as decisões para o período 2 são mais simples pois a margem de manobra das empresas é limitada. Valores aceitos: 0 a 90. será assumido o valor 0 (zero). a moeda do jogo). dos produtos nas regiões respectivas. mesmo concedendo prazo. Grupo Marketing: Prazo (dias): Neste campo. Caso não haja aplicação. Os códigos são: 1. mesmo concedendo prazo. no GI-MICRO. Desconto a vista (%): Neste campo. Grupo Finanças Desconto (%): Neste campo. Aplicação: Neste campo. .5. que a empresa deseja tomar emprestada junto aos banqueiros. deverá ser indicado o desconto.1 pode ser observada uma reprodução da folha de decisões cujos campos se inicia a descrever a seguir. Se este campo não for preenchido. deverá ser preenchido o valor 0 (zero). será assumido o valor 0 (zero). este campo deverá ser assinalado valor 0 (zero). Caso a empresa queira antecipar suas receitas. em percentagem. Prazo: Neste campo. em UM (Unidade Monetária. será assumido o valor 0 (zero). Para as decisões dos períodos seguintes é conveniente ler as recomendações do apêndice D. deverá ser indicada a quantia. (ver Administração Financeira). Preço de venda: Nestes campos deverão ser indicados os preços de venda. Caso não seja preenchido.1 Descrição dos Campos da Folha de Decisões Na figura 5. deve ser anotado com o tipo do empréstimo. não são sensíveis a preços do tipo 19. deverá ser indicado o número (inteiro) de módulos de propaganda aplicados nas regiões indicadas. Caso não haja necessidade de empréstimo de giro. para empréstimo a ser devolvido em três parcelas. fornecido aos consumidores que adquirirem o produto à vista. Decisões na Prática As primeiras decisões. Este valor será assumido se este campo estiver em branco. Caso não seja preenchido. que a empresa deseja aplicar no mercado financeiro. recomenda-se utilizar valores apenas em pouco superiores à taxa de juros do mercado. pois os consumidores. fornecido aos consumidores que adquirirem o produto à vista. em UM. Caso o campo não seja preenchido. ou seja. Recomenda-se utilizar apenas um algarismo significativo após a vírgula. será assumido um valor aleatório. em UM. Caso a empresa queira antecipar suas receitas. Se este campo não for preenchido.

Você é responsável exclusivo por esta exatidão. Estas folhas são o equivalente do seu sistema administrativo de execução de suas decisões. Número de empregados. GI-MICRO 6. Figura 5. A efetividade administrativa inclui a habilidade de assegurar implementação exata das decisões tomadas. Use no máximo uma casa após a vírgula. 44 . Investimento na aquisição de equipamentos. onde há uma seção explicando as decisões campo a campo.1 – Folha de decisões da empresa. Opção de horas extras.Simulação Empresarial Capítulo 5 Financiamento: Neste campo.00 FOLHA DE DECISÕES EMPRESA: ___________ MARKETING Prazo (dias): REGIÃO PREÇO PROPAGANDA PERÍODO: ___________ FINANÇAS Desconto (%): Aplicação: EMPRÉSTIMOS Giro: Financiamento: IMOBILIZADO Investimento: PESSOAL Contratados: Turno de operação: COMPRAS (insumos) Volume: Pagamento: Demitidos: Prazo: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Diversos: ______________________ DIRETOR GERAL NOTA: Cada empresa deverá ter o maior cuidado para assegurar a exatidão das folhas de decisão. deverá ser indicado se a empresa quer (sim) ou não (não) quer um financiamento para o investimento feito. Em caso de dúvida consulte o manual. exemplo mostra a folha do período 2.

deverá ser indicada a forma de pagamento dos insumos registrados no campo anterior. 3.). deverão ser indicados valores. O diretor deve estar ciente de que esta seqüência de atividades não é a única que pode ser sugerida. etc. deverá ser indicada a opção de trabalho na qual a empresa operará durante o período. Valores aceitos: 1. Este valor será assumido caso o campo não esteja preenchido. de gastos eventuais (pesquisas. 5. em UM. Caso não haja contratação.3 As decisões. será assumido opção 1 (um).2 procura-se uma sugestão para condução do fluxo de trabalho ao longo do processo de tomada de decisão do jogo. 45 . Outro ponto que deve ficar destacado é a interligação das atividades na seqüência. Demitidos: Neste campo. deverá ser indicada a quantidade (em unidades) de insumos que a empresa comprará do fornecedor 2 (ver Administração de Compras). em UM. Normalmente apenas o Animador preenche este campo. Diversos: Neste campo. É desnecessário dizer que existem atividades que cada diretor pode executar antes de receber as informações que necessita para terminar o seu trabalho. (ver Administração da Produção). onde os resultados do trabalho de um diretor servem como dados para o trabalho de outro. consultorias. deverá ser indicado o número de empregados que a empresa deseja contratar. Caso não haja demissões. deverá ser preenchido com 0 (zero). Os valores aceitos são 0 para compras à vista. Grupo Compras (insumos): Volume: Neste campo. 1 para compras com prazo de 1 período e 2 para compras com prazo de 2 períodos. tarefa que o diretor de produção executa. deverá ser preenchido com 0 (zero). Pagamento: Neste campo. que será utilizado na manutenção/aquisição de máquinas. Como exemplo pode-se mencionar a necessidade de determinar a capacidade de produção para os diversos turnos disponíveis. deverá ser indicado o número de empregados que a empresa deseja demitir. Caso o campo não esteja preenchido. deverá ser indicado valor. esta busca apenas mostrar uma das possibilidades.Simulação Empresarial Capítulo 5 Grupo Imobilizado Investimento: Neste campo. (ver Administração Financeira). Este valor será assumido caso o campo não esteja preenchido. a equipe ganha tempo que pode ser utilizado para discutir e refinar as decisões tomadas. Turno de operação: Neste campo. Grupo Pessoal: Admitidos: Neste campo. Com a execução das tarefas de forma separada. (ver Administração da Produção). como tomá-las Na figura 5. divididas por diretoria. 2. Preencha com 0 (zero) caso a empresa não queira comprar deste fornecedor. ou a determinação de todos os gastos com fornecedores e empréstimos e receitas de vendas a prazo e resgates de eventuais aplicações por parte do diretor financeiro.

as primeiras decisões Com o objetivo de auxiliar e orientar ainda mais a organização dos dados e informações necessários e gerados no processo de tomada de decisão.2 . especificados passo a passo. O relacionamento e cruzamento de informações será sempre conforme está apresentado.3 mostra-se uma projeção do 46 . alguns dados não coincidem exatamente com os seus. não necessitam necessariamente seguir a ordem apresentada. O uso deste roteiro para qualquer outro período (o que é recomendado) requer adaptações para a situação de cada período em particular. 5. Não existe necessidade de repetir todos os passos. O quadro é composto por quatro colunas: i) número do item. ii) a informação que está sendo determinada.4 Projetando o período 2. que sugere uma seqüência de procedimentos. Estes passos baseiam-se no fluxo de trabalho sugerido na figura 5. foi elaborado o quadro 1. por ser um exemplo. O levantamento de dados e a seqüência de decisões. visando estimar o resultado para o período 2. e iv) o valor numérico desta informação no exemplo em questão. Considerando isto. como já observado. pode-se retrabalhar as decisões na ordem que se fizer necessária.3. P ra z o & D esc onto C o n ta b ilid a d e & C u s to s C a ix a & F in a n c e iro NÃO Satisfeito ? SIM Figura 5. Um outro ponto importante que deve ser ressaltado é que os cálculos e decisões referem-se às regras e restrições para o período 2. na figura 5.Fluxo de trabalho na tomada de decisões Os cálculos e projeções podem e devem ser refeitos tantas vezes quantas se fizerem necessárias. iii) uma indicação de onde ou como esta informação está sendo obtida. Os diretores devem utilizar as fontes de informação do jogo para determinar estas situações. Observe que. pois cada jogo inicia de uma forma diferente. Entretanto é necessário seguir as relações de dependência existentes. Este quadro sintetiza todo um processo de tomada de decisão porém a sua organização não corresponde a nenhum dos relatórios gerados no jogo.Simulação Empresarial Capítulo 5 P re v ê D e m a n d a P rodu ção P ro p a g a n d a P re ç o .

500 Procurar no jornal.prazo de pagamento) / 90 Receita de vendas . pois ainda não se sabe se haverão recursos para investir Excepcionalmente é o valor dos juros no bloco Empréstimos & Fornecedores do confidencial atual [37]-[29]-[43]-[15]-[32]-[49]-[19]-[18]-[35] Valor da aplicação do período anterior acrescido dos juros.1. se os valores recebidos no período são menores que os pagamentos efetuados.consumo + compras F2 Calculado conforme descrição no manual do diretor Deve-se decidir por um preço entre o custo de produção atual (17. exemplo para o período 2. (Compras F1 * ágio + compras à vista de F2) * preço + fornecedores do balanço Consumo de insumos * custo médio do insumo (Valor [buscar no Balanço]/Quantidade de insumos em estoque [confidencial]) . Soma do empréstimo de giro e do financiamento Deve ser zero. deve ser considerado o fluxo de caixa. É DECISÃO. escolher o tipo de empréstimo (quando existir) É DECISÃO. Cada item no relatório projetado é precedido pelo número correspondente a sua posição neste quadro. mas no período 2 não são permitidas demissões Calculado = funcionários atual (está no confidencial) + admissões – demissões É DECISÃO. Juros das aplicações realizadas no período anterior Soma o lucro operacional e a receita financeira líquida 35 % do resultado antes do imposto de renda Resultado antes do imposto menos o imposto de renda O caixa inicial do próximo período é o caixa final do período atual no confidencial No momento.receita à vista Receita à vista + clientes no ativo do balanço do relatório geral Procurar no jornal. espera-se vender todos os produtos acabados.máximo de 19. se não existirem notícias. calcular a necessidade de insumos para o próximo período. entre 0 e 90 dias. (está no confidencial) x Aumento esperado (1 %) Calculado como definido no manual do diretor Calculado como definido no manual do diretor É o menor dos valores calculados acima Está no relatório confidencial.O. Entrega compulsória.Simulação Empresarial Capítulo 5 relatório confidencial montada com as informações obtidas no quadro 5. Se existem n regiões. Não sendo encontrado.30 UM) e limite tabelado .1 . No início o custo unitário é 1. dividem-se as vendas por n e multiplica-se por (n – 1) Vendas previstas fora da região x Custo de transporte unitário (1. 47 . É DECISÃO. Calculado = Estoque PA inicial [Balanço]+ Custo de Produção no período – Estoque Final PA ⇒ calcular o custo de produção [insumo + salário – despesa de produtividade] É uma estimativa.00 UM. É o estoque final do período 1 Soma a capacidade de produção da empresa com o estoque de produto Imobilizado inicial x taxa de depreciação relativa ao turno adotado É DECISÃO. a empresa tem um único financiamento e ele ainda está na carência [56]+[51]+[47]+[41]-[48]-[21]-[27]-[43]-[35]-[49]-[57]-[54]-[32]-[16] 28 Custo dos insumos consumidos 29 Custo do produto vendido 30 Estimativa de vendas total em unidades 31 32 33 34 35 37 38 39 40 41 42 43 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 Vendas estimadas fora da sua região Despesa de transporte estimada Estoque final de Produto Acabado Estoque final de insumos Custo de estocagem Receita de vendas Prazo de pagamento Receita à vista Clientes (receita à prazo) Pagamentos recebidos Preço do módulo de marketing Despesas Administrativas e de Vendas Tipo de Empréstimo Financiamento Empréstimos Aplicação Despesa Financeira Líquida Lucro Operacional Resgate da Aplicação Receita Financeira Líquida Resultado antes do Imposto de Renda Imposto de Renda Resultado Líquido Caixa Inicial Amortização de Empréstimos Caixa Final 36 Decisão inicial de preço de venda – estimar receita 44 Empréstimo de Giro Quadro 5. mas agora se usa o turno informado no confidencial Calculado – Produtividade da M. É DECISÃO.Roteiro de tomada de decisões. usar o valor do salário do relatório geral Calculado como descrito no texto deste manual Número de demitidos * salário / 2 (conforme o manual do diretor) Empregados * salário * adicional de turno. Como a demanda é maior que a produção disponível.00. deve-se solicitar este tipo de empréstimo É DECISÃO. (Previsão de venda de cada região * preço de venda de cada região) – o desconto. 6 % Demanda atual x Crescimento esperado Está no ativo do balanço publicado no relatório geral do período atual É DECISÃO. Nome 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Demanda do período anterior Crescimento esperado Demanda prevista para o próximo período Imobilizado no início do próximo período Funcionários a contratar Funcionários a demitir Funcionários No Início Do Próximo Período Turno de operação no início do próximo período Produtividade da mão-de-obra do próximo período Capacidade de produção do imobilizado Capacidade de produção da mão-de-obra Capacidade de produção da empresa Estoque inicial de produto acabado em unidades Produto disponível no período Depreciação Investimento Salário no próximo período Despesa de produtividade Indenização Salários Folha de Pagamento Consumo de insumos Preço unitário do insumo Compras do Fornecedor 1 Compras do Fornecedor 2 Modo de pagamento de insumos Compras Onde/Como Encontrar Soma da demanda obtida em cada região como informado no confidencial Usar o valor informado como regra no manual do diretor. como no manual do diretor Salários + indenização Produção * unidades de insumo usadas para fazer um produto Procurar primeiro no jornal. Receita de vendas * (90 . se não existirem notícias usar o valor custo módulo do relatório geral Valor total dos módulos de propaganda investidos no período É DECISÃO. quando faltar insumos para a produção do período. pegue no relatório geral. mas no período é necessário investir um mínimo de 12.50 UM) Total de produto disponível – Estoque Inicial PA + Produção PA – Vendas PA Estoque Inicial + compras F1 . mas no período 2 deve ser contratado no mínimo 1 É DECISÃO.

500 50.000 8 3. Produção & Mão-de-Obra I N S U M O Início do período [22](-) Consumo [24](+) Compras (F1) [25](+) Compras (F2) [34](=) Final do período Consumo Unitário P R O D U 27.0000 1.000 9 1.837[03] 5. 48 . [55](=) RESULTADO LÍQUIDO 99.R.275 8.000 50.500 0 2.991 12. indenização D [18](-) Desp.555 5.225 T O 5.500 0 5 7. admin.256 4.220 4.Simulação Empresarial Capítulo 5 Jogo de Empresas GI-MICRO 6.217 2.000 50.775 0 0 [13]Início do período [12](+) Produção [30](-) Vendas [33](=) Final do período [11]Cap.000 A 6.000 6 6.691 4.500 0 2.0000 55.450 L 0 5. produtividade O S [35](-) Custo de estocagem (-) Diversos [50](=) RESULTADO OPERACIONAL [52](+) Receita financeira (-) Desp.990 55. A [19](-) Desp. A organização dos resultados da avaliação inicial na forma de um relatório confidencial ajudará no recalculo das projeções que se fará necessário no refinamento das decisões que é o próximo passo a ser seguido no processo. financeira líq.500 7.Projeção do relatório confidencial (simplificado) para o período 2.00 3 0. não operacional [53](=) Resultado antes I.407 12.256 7. e vendas [35](-) Custo de estocagem [48](-) Juros [57](-) Amortização [53](-) Imposto de renda [32](-) Despesa de transporte [16](-) Investimento (-) Diversos [58](=) CAIXA FINAL 24. e vendas U [15](-) Depreciação L [32](-) Desp.100 0 7. Adm.R. vendido S [43](-) Desp.Período 2 Relatório CONFIDENCIAL PROJETADO Estoques.691 C [56]CAIXA INICIAL A [51](+) Resgate da aplicação I [47](+) Empréstimos X [41](+) Pgtos recebidos A (+) Receita não operacional [48](-) Aplicação [21](-) Folha de pagamento [27](-) Compras [43](-) Desp.500 50.555 0 EMPREGADOS INICIAL [06](-) Demitidos [05](+) Admitidos [07](=) Empregados efetivos Admissões pendentes Ociosos [09]Produtividade atual 10 0 1 11 0 0.371 Decisões da Empresa Valor Médio Preço Propaganda Desconto (%) Prazo Turno 18. Operários [10]Cap.000 10 0 0 11 0 0 Fornecedores próximo período Demonstrativos R [37]RECEITA DE VENDAS E [29](-) Custo prod.827 0 0 27.555[30] Empréstimos & Fornecedores PERÍODO Juro Amortização 3 7.000 27.500 50. [54](-) Imposto de renda [55](=) Resultado após I.407 7.991 1.100 7.010000 Demanda & Vendas REGIÃO Demanda Vendas Própria 617 617 Outras 5.068 0 0 95.000 7 4.938[31] Total 5.00 .000 8.500 0 4 7. transporte T [48](-) Desp.217 0 0 7. Imobilizado P E S S O 5.500 50.000 50.00 30 normal Empréstimo de giro Prazo de pagamento Financiamento 0 uma parcela 0 Figura 5.3 .500 0 0 1.

praticamente todas as compras serão à vista. as empresas estão obrigadas a investir um mínimo de 12. ou ajustes finos. as decisões de tomar financiamento para aquisição de equipamentos e empréstimos de giro para financiar o capital de giro são tomadas tão logo a equipe possua uma projeção do caixa final da empresa. o que dependerá da capacidade de produção da empresa no período 3. Compra de Insumos Preço/Prazo /Propaganda Desconto Aplicação Na realidade. nem sempre é recomendável aplicar.500 UM. é possível mudar o perfil da distribuição do pagamento das compras com o desconto. O potencial de demanda da empresa. todas as decisões da empresa poderão ser modificadas durante o refinamento. é verdade. O investimento é uma decisão que deve ser planejada antecipadamente pois os investimentos decididos em um período somente estarão disponíveis na forma de máquinas no período seguinte. consideram-se descontos de zero porcento. se a empresa pode atender no máximo 40%. recomenda-se deixar as decisões relacionadas acima para serem tratadas apenas no refinamento. o imposto e o caixa final. então será permitido financiar até 11. é alto. serão afetadas diretamente e. O prazo afeta a demanda. se basear nas estratégias de produção da empresa. pois as decisões de compra da empresa sempre são atendidas pelo fornecedor 2 que leva um período para entregar. e assim sucessivamente. mas a lucratividade poderá estar comprometida. Ressalta-se que o controle dos empréstimos tomados deverá ser feito pelo Diretor Financeiro. mas também afeta diretamente o caixa da empresa pois é responsável direto pelos pagamentos recebidos e pode se revelar um auxiliar na hora de alavancar capital de giro. indiretamente. A aplicação é uma decisão que deverá ser tomada apenas ao final do processo. a decisão de compra afetará a disponibilidade de insumo no período 3. Assim. pois sempre é preferível tomar menos empréstimos de giro. Quando decidir o volume de insumos a adquirir a empresa deverá ser capaz de projetar as suas necessidades de insumos com facilidade se souber quanto produzirá no período seguinte. do que aplicar este superávit decorrente do empréstimo. De nada adianta conquistar 50% do mercado. No exemplo. O desconto deve ser usado em conjunto com o prazo pois. do demonstrativo de caixa.Simulação Empresarial Capítulo 5 O processo de refinamento deverá considerar os seguintes pontos: Empréstimos Investimento Normalmente. mas ela poderá estar perdendo ótimas oportunidades de melhorar sua lucratividade. os valores investidos no 3 estarão disponíveis no 4. Porém. a conta empréstimos e juros. No exemplo desenvolvido. O mix de marketing da empresa pode e deve ser ajustado de forma a compatibilizar a demanda com a disponibilidade de produtos (estoques + produção) e/ou com as necessidades de caixa. a empresa não pode alterar a disponibilidade de insumos no período para o qual está tomando decisões. Considerando o exemplo o valor investido no período 2 somente estará disponível no período 3. principalmente quanto às vendas a vista. na realidade. maior o volume de compras à vista. Caso falte insumo no período 2. ele só decide pela forma de pagamento após comparar o desconto com a taxa de juro do banco central. se houver uma projeção de ocorrência de superávit de caixa apreciável e se a empresa estiver segura de suas estimativas para o futuro. Com descontos iguais ou maiores do que a taxa do banco central. Porém. como mostrado no item 39 do quadro 1. Esta é outra decisão que implica o planejamento antecipado das ações da empresa. utilizar as seguintes decisões (optativo): Solicitar um financiamento. sem dúvida. seja porque se necessita de informações que não estão disponíveis. Quando os pagamentos são distribuídos [parte à vista e parte a prazo].500 UM no período 2. Para finalizar a apresentação e exercitar a tomada de decisões em relação a estas variáveis. ou porque o planejamento destas decisões deve ser cuidadoso e demanda mais tempo na avaliação dos prós e contras envolvidos.250 UM. enquanto o cliente é atraído por um prazo maior. 49 . Com este valor. este limite é de 90% do valor do investimento em equipamentos. No período 2. Quanto maior o desconto. do demonstrativo de resultados. Se o investimento for de 12. o lucro. O limite do financiamento é divulgado no GI-Informações. pois assim estará mais bem informado para controlar o fluxo financeiro da empresa. esta decisão deverá. Mesmo com superávits de caixa. o fornecedor 1 entrará automaticamente em cena. e a conta despesas financeiras.

no momento se estará mantendo. para as decisões que afetam a produção. por isto recomenda-se uma compra de 30. no período 3. 50 . Em função do que foi dito. As demais decisões são deixadas para os diretores. pois estarão diretamente relacionadas com os objetivos das respectivas empresas e/ou com as restrições orais. mais uma margem de segurança. pois estas são decisões estratégicas as quais não estão em discussão no momento. aproximadamente2 a mesma capacidade de produção do período 2. pois este valor corresponderá a expectativa de consumo de um período.000 unidades de insumo para pagamento em 90 dias. 2 Na realidade. a capacidade poderá aumentar se ela estiver limitada pela capacidade da mão-de-obra pois a produtividade aumenta de um período para outro.Simulação Empresarial Capítulo 5 Não são propostas alterações nas decisões de investimentos ou de contratações.

que são as previsões que você e sua equipe fazem para a empresa no próximo período. O Animador poderá restringir ou liberar algum tipo de decisão das empresas. algumas regras do jogo serão apresentadas através do jornal. Mantenha-se informado. enfim. a liberação de empréstimos. é possível elaborar os orçamentos. Além disso. na vida real. elas exigirão de você uma atitude. sindicatos. e muitas outras notícias. Quanto antes todos compreenderem. Durante todo o período.Simulação Empresarial Apêndice E 6. O desempenho de sua empresa certamente será prejudicado caso algum membro de sua equipe não compreenda perfeitamente os relatórios. melhor para a equipe. todos aqueles que estão em contato com a empresa. do preço dos insumos. o preço do módulo de publicidade. Essas transformações influenciam a empresa e poderão ser boas (se a empresa for pró-ativa) ou não (em caso contrário). ou melhor. Entre as informações que o jornal costuma trazer estão: Situação Econômica Taxas de Juros Marketing Política de Preços Mão-de-obra Sindicato Patronal Assembléia Geral Relatórios O jogo possui uma série de Relatórios com os mais variados fins. agências de propaganda. Com base nas fontes de informação. O jornal GI-Informações irá mostrar a você todas as mudanças que ocorrem no mercado e na sociedade onde sua empresa está inserida. De toda a forma. como anda a concorrência. você dispõe de três fontes principais: i) este manual. dos salários de seus empregados. bancos. As explicações sobre o jornal serão detalhadas a seguir. Mercado Financeiro Mercado Interno Preço de Insumos Despesas Administrativas Política Salarial Publicação de Balanços Eventuais concursos Investimentos Linhas de Crédito Sazonalidade Transporte Turnos de Trabalho FOLHA DE DECISÕES OUTRAS NOTÍCIAS . simulando as transformações que acontecem no mercado a todo o momento. Jornal GI-Informações O GI-Informações é um jornal que irá mostrar as mudanças do ambiente. e tomar decisões sobre as futuras jogadas. Os principais relatórios serão explicados detalhadamente. são promovidas pelo governo. concorrência. A leitura atenta e a discussão das notícias permitirão extrair fatos dos dados. uma ou mais oportunidades de gerir melhor os seus negócios. Ele simula as ações que. ii) o jornal GI-Informações e. É através do jornal que você ficará sabendo. iii) os diversosrelatórios. Para isso. FONTES DE INFORMAÇÃO As informações são fundamentais para que você possa avaliar a empresa e o ambiente. o GI-Informações apresenta uma ou mais novidades importantes. por exemplo.

Consumo: Quantidade de insumos utilizada pela empresa no decorrer do período para fabricação de produtos acabados. Relatório Confidencial – Resultado. Este valor é a base de cálculo para obtenção do custo de estoques. Operários: Capacidade de produção dos operários neste período em unidades de produto acabado. demanda. Esta é a quantidade disponível para a produção no próximo período. e registram os compromissos assumidos pela empresa para os próximos períodos. 4. mercado. Eles permitem avaliar o desempenho da empresa nos vários aspectos de atuação. pois eles trazem informações relativas às decisões que a equipe tomou. Relatório Geral – Balanços das empresas. produção.1 Relatório Confidencial O confidencial contém informações específicas sobre estoques. Nas próximas páginas você encontrará a explicação detalhada sobre o relatório de desempenho e sobre o relatório de índices econômico-financeiros. Compras (F1): Quantidade de insumos adquirida pela empresa junto ao fornecedor 1 (ver Administração de Compras). Os principais relatórios são: 1. Produção: Quantidade de produtos acabados que foram produzidos pela empresa durante o período. Controles físicos e financeiros. vendas do período e o demonstrativos de resultado do período e de caixa. 6.1. Caixa. Final do período: Quantidade de produtos acabados em estoque no final do período. Vendas: Quantidade de produtos acabados que a empresa vendeu aos seus clientes no decorrer do período. Final do período: Quantidade de insumos em estoque no final do período. Imobilizado: Capacidade de produção do imobilizado no período em unidades de produto acabado. 5. Este valor é a base de cálculo para obtenção do custo de estoques. É fundamental que todas as pessoas de sua equipe conheçam os relatórios.1. Cap. 6. Esta compra é feita automaticamente pelo sistema computacional. 6.2 Produtos Acabados (em unidades) Início do período: Quantidade de produtos acabados que a empresa tinha em estoque no início do período. A emissão dos relatórios (3). Relatório de Desempenho Relatório de Indicadores Econômico-Financeiros Relatório de Custos Os relatórios (1) e (2) são emitidos a cada período. cenário e conjuntura. Compras (F2): Quantidade de insumos adquirida pela empresa junto ao fornecedor 2 (ver Administração de Compras).1 Insumo (em unidades) Início do período: Quantidade de insumos que a empresa tinha em estoque no início do período. Cada equipe recebe o relatório de sua respectiva empresa e a divulgação das informações não é prática recomendável. 2. 3.Simulação Empresarial Capítulo 6 Os relatórios que o software GI-MICRO emite são a base para tomada de decisões. (4) e (5) ficam a critério do Animador. 52 . Cap.

6.50 3 11 17.500 0 0 1.R.50 3 5 17.000 7 4.500 50.000 1.50 3 2 17.000 9.500 0 5 7. Ociosos: Número de empregados que ficaram sem equipamento para trabalhar. Admitidos: Número de empregados admitidos no período. Produção & Mão-de-Obra I N S U M O Início do período (-) Consumo (+) Compras (F1) (+) Compras (F2) (=) Final do período Consumo Unitário 50.000 0 0 58.000 25.50 3 8 17.Período 1 Aplicação: Testando Relatório CONFIDENCIAL .Simulação Empresarial Capítulo 6 Simulador GI-MICRO 6.1.Relatório Confidencial. vendido (-) Desp.000 50.000 50.000 12.731 7.500 50. indenização (-) Desp.R.000 6 6.50 3 3 17.500 0 16. Operários Cap.000 30.000 6.000 5.000 7. transporte (-) Desp.50 3 0 0 0 normal 10 17.50 3 7 17.000 9.00 30 30.250 P E S S O A L EMPREGADOS INICIAL (-) Demitidos (+) Admitidos (=) Empregados efetivos Admissões pendentes Ociosos Produtividade atual 10 0 0 10 0 0.500 0 269 6.3 Pessoal (em unidades) Empregados inicial: Número de empregados no início do período.000 55.500 0 4 7. (-) Imposto de renda (=) Resultado após I.000 9 1.000 0 30.1 .731 12. Produtividade atual: É o aumento da produtividade da mão-de-obra em relação ao período 1. Empregados efetivos: Representa o número de empregados da folha de pagamentos do período.500 0 6 17.0000 P R O D U T O Início do período (+) Produção (-) Vendas (=) Final do período Cap.500 50. Imobilizado 0 5.50 3 9 17.000 8 3. Adm.00 .333 0 0 25.000000 Demanda e Vendas (individual) REGIÃO Demanda Vendas 1 513 513 2 513 433 3 513 431 4 513 431 5 513 431 6 513 431 7 513 431 8 513 431 9 513 431 10 513 431 11 722 606 Empréstimos & Fornecedores PERÍODO Juro Amortização Empréstimo caixa descoberto 2 7.000 0 770 0 0 770 269 500 500 C A I X A CAIXA INICIAL (+) Resgate da aplicação (+) Empréstimos (+) Pgtos recebidos (+) Receita não operacional (-) Aplicação (-) Folha de pagamento (-) Compras (-) Desp.000 à vista Empréstimo de giro Pagamento Investimento Financiamento Aplicação Admitidos Demitidos Turno Figura 6. não operacional (=) Resultado antes I. e vendas (-) Custo de estocagem (-) Juros (-) Amortização (-) Imposto de renda (-) Despesa de transporte (-) Investimento (-) Diversos (=) CAIXA FINAL 50. Admissões pendentes: Quando não há oferta de mão-de-obra uma parte das contratações somente se realiza no próximo período.500 6. e vendas (-) Depreciação (-) Desp.000000 1.000 5.50 3 0 uma parcela 12.000 0 5.Empresa 1 Estoques. 53 . produtividade (-) Custo de estocagem (-) Diversos (=) RESULTADO OPERACIONAL (+) Receita financeira (-) Desp.50 3 4 17.000 50.500 50.500 0 0 3 7. admin. financeira (-) Desp. Demitidos: Número de empregados demitidos no período.334 Decisões da Empresa REGIÃO Preço Propaganda Desconto (%) Prazo Qtde Compras F2 Pgto Compras F2 1 17.50 3 0. (=) RESULTADO LÍQUIDO 87.000 10 0 0 Fornecedores próximo período Demonstrativos R E S U L T A D O S RECEITA DE VENDAS (-) Custo prod.

(ver Demanda) Despesa financeira líquida: Representa os Juros pagos por empréstimos e financiamentos. Deverá ser pago no próximo período acrescido de juros. Imposto de renda: Quantia referente ao pagamento do imposto de renda. Custo de estocagem: Quantia referente ao custo de manutenção dos estoques de insumos e produtos acabados. considerando que cada pessoa compra somente um produto.1. Depreciação: Quantia depreciada do imobilizado.UM) Receita de vendas: Apresenta o valor total de vendas à vista e a prazo que a empresa efetuou no período. Quando a venda de uma região for maior que a demanda. apesar de regularmente contratados. é fornecido o número de pessoas que desejam comprar o produto da empresa nas referidas regiões. Empréstimo descoberto de caixa: Representa o valor do empréstimo concedido para cobrir o caixa a descoberto. não puderam trabalhar por falta de equipamentos (máquinas).UM) Caixa início período: Quantia existente no caixa da empresa no início do período.6 Demonstrativo de caixa (em valores – unidades monetárias .1.5 Empréstimos & Fornecedores (em valores . (ver Administração Financeira) 54 . Despesas administrativas e de vendas: Quantia referente ao pagamento de agências publicitárias e das despesas administrativas fixas a partir do 4º período. esta diferença trata-se de clientes de outras empresas que não conseguiram comprar o seu produto [demanda reprimida]. Resgate da aplicação: Quantia referente ao Principal + Juros da aplicação no início do período. 6.1. consultorias. Vendas: Neste item. Receita financeira: Representa os juros recebidos por aplicações financeiras. (ver Administração Financeira) Lucro operacional: Valor referente ao lucro operacional obtido no período. é fornecida a quantidade de produtos que foi vendida nas referidas regiões.unidades monetárias – um) Amortizações e juros: Apresentam o valor. quando houver.5 Demonstrativo de resultados (em valores – unidades monetárias . Resultado líquido: É o lucro operacional acrescido da receita financeira.4 Demanda e Vendas por Região (em unidades) Demanda: Neste item. (ver Administração Financeira) Resultado líquido: Quantia referente ao resultado líquido obtido pela empresa. referente a amortizações e juros que serão pagos no período subseqüente.Simulação Empresarial Capítulo 6 6. Custo dos produtos vendidos: Representa o quanto foi gasto com mão-de-obra e matéria-prima de todos os produtos vendidos – considera o estoque médio. (ver Administração de Pessoal) Despesa de produtividade: Quantia paga pela empresa aos funcionários que. o valor do Estoque PA Inicial [+] o Custo da Produção PA do Período [–] o valor do Estoque Final PA. Fornecedores próximo período: Valor a ser considerado no orçamento de caixa para o próximo período. 6. (ver Administração Financeira) Diversos: Quantia referente a gastos eventuais em pesquisas. 6.1. (ver Administração de Produção) Despesa de transporte: Quantia gasta em transporte de produtos acabados para mercados fora da região da empresa. ou seja. etc. Despesa de Indenização: Quantia gasta pela empresa em indenizações (obrigações legais) para com os funcionários demitidos. em UM.

(Estes valores. consultoria. Por se tratar de um relatório público. 6. Compras: Quantia paga aos fornecedores de matéria-prima + as compras de insumos à vista.Simulação Empresarial Capítulo 6 Empréstimos: Quantia obtida a título de empréstimos e financiamentos junto a entidades financeiras. Estoques PA: Valor contábil do estoque de produtos acabados. serão creditados na conta Resgate de Aplicações – Demonstrativo de Caixa – do próximo período). Ele contém um balancete de todas elas. encargos sociais e indenizações pagas aos funcionários. além de informações globais de demanda e preço discriminados por região. multas. Estoques IS: Valor contábil do estoque de insumos. Despesas administrativas e de vendas: Quantia referente ao pagamento de agências publicitárias e das despesas administrativas fixas a partir do 4º período. (ver Administração Financeira) Amortização: Quantia referente a amortização de financiamentos. (ver Administração Financeira) Pagamentos recebidos: Quantia referente aos pagamentos da conta CLIENTES e de vendas à vista neste período.UM) Caixa: Valor em caixa e em conta corrente. (ver Administração Financeira) Despesa transporte: Quantia gasta em transporte de produtos acabados para mercados fora da região da empresa. Aplicações: Valores aplicados no mercado financeiro. Custo de estocagem: Quantia referente ao custo de manutenção dos estoques de insumos e produto acabado. É recomendável verificar se os dados impressos correspondem efetivamente às decisões tomadas pela empresa. juntamente com os juros. (ver Administração Financeira) Caixa final período: Quantia existente no caixa da empresa no final do período. (ver Administração Financeira) Folha de pagamento: Quantia referente aos salários. Clientes: Valores a serem recebidos no período seguinte. (ver Demanda) Investimento: Quantia gasta na manutenção/aquisição de máquinas (imobilizado).1 Balanços Patrimoniais (em valores – unidades monetárias . que será resgatada no período seguinte.2 Relatório Geral O relatório geral é entregue para todas as empresas e todas as empresas recebem a uma cópia igual. Este valor engloba apenas a mão-de-obra e insumos.2. 6. (Este valor coincide com o caixa final do período do demonstrativo de caixa). (ver Administração Financeira) Juros: Quantia referente a juros pagos de empréstimos anteriormente contraídos. bonificações. Se este valor for 10. Decisões da empresa: Decisões tomadas pela equipe para o período corrente. então a sua empresa ficou com um descoberto de caixa e o banco lhe concedeu um empréstimo do tipo “P” com taxa do BC vezes 3. 55 . (ver Administração da Produção) Diversos: Quantia referente a gastos eventuais com pesquisa. Aplicação: Quantia aplicada em mercado financeiro. permite a comparação direta de várias características das empresas.000. (ver Administração Financeira) Imposto de renda: Quantia referente ao pagamento do imposto de renda. etc. referentes às vendas a prazo efetuadas no período corrente.

50 17.000 600.00 17.00 17.50 17.392 10.00 10.00 10.50 17.334 29.000 500 600.000 300.00 10.000 500 600.000 500.000 50.50 17.00 10.00 10.392 10.00 10.50 17.00 10.500 50.50 17.50 17.000 500 600.50 17.334 29.130 4.00 3.000 500 600.00 10.50 17.50 17.Período 1 Aplicação: Testando Relatório GERAL Balanços Patrimoniais das Empresas EMPRESA A T I V O Caixa Clientes Aplicações Estoques PA Estoques IS Imobilizado TOTAL Fornecedores Emprest.00 10.50 2 5.00 10.00 10.130 4.50 17.410 10.000 500.00 10.167 0 0 55.00 10.50 6 5.00 10.50 11 7.167 0 0 55.50 17.00 17.50 17.50 17.50 17. referente a compras a prazo.50 17.00 10. CP Emprest.00 10.500 50.000 600.00 10.000 200.50 17.50 17.500 5 16.00 10.00 10.50 17.334 29.50 17.000 600.00 10.50 17.000 200.00 10.130 4. Este valor é a base para o cálculo da capacidade produtiva dos equipamentos.50 17.00 10.50 17.50 17.50 8 5.50 17.50 17.500 2 16.50 17.00 10.00 10.500 9 16.000 50.50 17.50 17.000 300.130 4.00 10.50 17.50 7 5.50 17.500 50.50 17.500 7 16.00 10.000 200.392 10.50 17.00 10.00 10.00 10.00 Figura 6.500 10 16.00 10.000 500.000 50.50 3 5.50 17.060 10.50 17.000 300.00 17.167 0 0 55.000 50.334 29.00 10.50 17.50 17.130 4.50 17.00 10.50 17.00 10.00 10.00 10.50 17.50 17.00 10.50 17.00 10.50 17.00 10.50 17.500 50.00 10.167 0 0 55.000 50.000 50.Simulação Empresarial Capítulo 6 Imobilizado: Valor do imobilizado.000 200.000 600.00 17.Relatório Geral 56 .00 10.500 P A S S I V O Demanda & Vendas (totais por região) REGIÃO Demanda Vendas empresa 1 empresa 2 empresa 3 empresa 4 empresa 5 empresa 6 empresa 7 empresa 8 empresa 9 empresa 10 empresa 1 empresa 2 empresa 3 empresa 4 empresa 5 empresa 6 empresa 7 empresa 8 empresa 9 empresa 10 1 5.000 50.00 10. salvo pequenos erros de arredondamento.000 300.000 600.00 10.000 300.00 10.000 500 600.00 10.00 10. LP Patrimônio Liq Capital Resultado Ac TOTAL 1 16.00 10.00 17.50 17.50 17.000 300.00 10.334 29.00 10.500 8 16. Empréstimos: Quantia devida a bancos.000 500 600.000 50.00 10.00 10.00 10.00 17. referente a empréstimos obtidos.50 17.00 Disponibilidade de Mão-de-Obra Descontos na compra de Insumos (%): 50.00 10.50 17.50 17.50 17.000 300.00 10.00 17.00 10.00 10.000 600.50 17.167 0 0 55.500 1.50 17.00 10.392 10.00 10.50 17.00 17.00 10.334 29.50 17.00 10. Total: Total do Passivo.000 300.50 17.130 4.00 10.00 10. Resultado AC: Lucro líquido acumulado ao longo dos períodos.50 17.00 10.000 200.00 10.00 .000 500.50 5.00 10.000 200.500 6 16.00 10.00 10.50 17.50 17.000 200.500 50.50 17.50 17.00 10.50 17.167 0 0 55.00 10.00 10.50 17.167 0 0 55.00 10.50 17.00 17.220 6.00 10.00 10.50 17.00 10.50 17.394 10.50 P A R C E L A % P R E Ç O S Dados Gerais da Conjuntura e Economia Propaganda (módulo) Salário (período) Insumo (unitário) Greve (%) Juro referencial (%) 272.392 10. Capital: Capital social da empresa.50 17.00 10.50 17.334 29.392 10.50 17.000 50.334 29.000 unidades ou mais 100.00 10.00 10. Simulador GI-MICRO 6.000 200.00 10.00 10.50 17.50 17.500 50.500 50.50 17.50 5 5.50 17.000 50.00 4.50 17.50 17.00 10.50 17.000 500.00 10.50 17.50 17.50 17.50 17.50 17.50 17.000 unidades ou mais 3.167 0 0 55.50 17.000 500.500 50.00 10.000 600.000 600.000 500 600.130 4.130 4.167 0 0 55.50 17.50 4 5.00 10.000 200.50 17.167 0 0 55.50 17.500 50.50 17.392 10.00 10.000 600.2 .000 500 600.50 17.000 600.00 10. Total: Total do Ativo.00 17.50 17.00 10.50 17.00 10. Normalmente o total do ativo é igual ao total do passivo.334 29.500 3 16.000 500.00 10.50 17.00 0.000 500.50 17.00 10.50 17.00 10.130 4.000 500 600.130 4.50 17.00 10.392 10.00 10.000 500.00 10.500 50.00 10.50 9 10 5.50 17.50 17.00 10.500 4 16.00 10.000 500.50 17.000 300.000 200.00 10.50 17.00 10.00 10.00 10.000 500 600. Fornecedores: Quantia devida a fornecedores de insumos.334 29.50 17.000 300.50 17.73 2.00 8.

como o valor do módulo de propaganda. O número de vezes que este relatório é emitido durante uma aplicação do jogo dependerá do Animador mas.2. como medida de desemprenho geral da empresa. Note-se que o imobilizado. também influi na produtividade da mãode-obra.3 Relatório de desempenho O relatório de desempenho tem como objetivo permitir a avaliação da cada um dos diretores das empresas. 6.3. em unidades. ocorrerá uma emissão junto com os resultados dos períodos de sazonalidade e no final da aplicação.3 Demanda & Vendas (em unidades . 6.2 Produtividade (produtividade da mão-de-obra) Este valor é o mesmo que aparece.2. o percentual de participação dos funcionários em greve ou operação tartaruga e a taxa básica de juros do Banco Central. Servem para avaliar o desempenho do diretor geral.3 Dados Gerais da Conjuntura e Economia Indica valores e índices de alguns componentes do cenário atual. Mostra o resultado da divisão do total de vendas efetuadas (em unidades) pela empresa. 57 . Estes totais acumulam valores do início do jogo até o período de emissão do relatório.totais por região) Demanda: Total de demanda agregada (todas as empresas) na região indicada. Vendas: Total de vendas. Parcela %: Porcentagem da demanda conquistada pela empresa “x“ na região indicada.3 Venda/Demanda (índice) Utilizado para avaliar o desempenho do diretor de marketing. 6. O índice no período considera apenas valores do período atual. no mínimo. como fonte de informação para a assembléia geral. sendo que o relatório é o mesmo para todas as empresas. o valor unitário de insumos. Ele corresponde a produtividade da mão-de-obra no período seguinte ao da emissão do relatório e permite avaliar o desempenho do diretor de produção na administração da capacidade de produção do imobilizado e da mão-de-obra. buscando o crescimento da empresa. no relatório confidencial (produtividade da mão-de-obra) ou valores calculados especificamente (índice vendas/demanda e custo de produção).1 Lucro Total As informações relacionadas com o lucro total são retiradas diretamente do balanço da empresa.3. os resultados são apresentados em ordem decrescente de desempenho. pelo total da demanda que a empresa conseguir conquistar no mesmo intervalo de tempo. Para facilitar a avaliação. 6. na região indicada. resultado do trabalho em equipe e coordenação dos demais diretores. entre outros.Simulação Empresarial Capítulo 6 6. o valor do salário. quando utilizado de forma eficiente. 6. Preço: Preço de venda praticado pela empresa “x“ na região indicada.3. através de valores que podem ser encontrados no relatório geral (resultado acumulado). no relatório confidencial das empresas no período t–1. individualmente.

51 9.643 -411.735709 5.733919 4.35 6.57 8.889771 0.74 12.14 3.64 21.000000 4.40 12.51 11.00 Avaliação da PRODUÇÃO COLOCAÇÃO EMPRESA Produtividade No período Renovação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 1 8 2 7 9 4 3 10 5 6 1.957590 0.013482 1.54 -7.68 9.016852 1.558394 10.40 10.30 11.6511 7 8 18.05 .667 23.20 11.823433 4.969262 0.091065 1.013882 1.75 1.9256 Figura 6.906016 0.24 18.95 11. além da mão-de-obra e insumos.0821 4 5 18.79 9.46 16.99 9.51 20. despesa de produtividade.37 8 8 -14.Simulação Empresarial Capítulo 6 Sim ulador GI-MICRO 6.996 24.22 6.772 0.028 -6.094135 1.11 7.076 -59.186367 1.402 29.696 6.64 10.16 12.781983 0.787669 0.39 13.787 98.09 18.902404 0.828051 4.7856 6 9 18.090568 1.42 15.011848 1. período a período.11 8.09 11.093124 1.28 12.555 106.2790 9 10 19.091289 1. de unidades vendidas até o momento de emissão do relatório.34 18.015394 1.16 7 10 -5.012918 1.Período 7 Aplicação: Testando Informe de DESEMPENHO Avaliação GERAL COLOCAÇÃO EMPRESA Lucro total No período Crescimento (%) 1 5 72.012890 4.47 18.4 Custo Total Avalia o desempenho do diretor financeiro. despesa de transporte.845 4. de todos os custos incorridos até o período de emissão do relatório. Na tabela 6.19 8.198578 0.537 -6.810016 1.909222 0.577527 0.046026 1.65 2 1 49.4986 2 7 18.27 11.351 17.980828 0.544 55.25 19.8687 3 1 18.89 12. Este valor de custo considera.000000 4.016650 1.11 2.00 9 10 3 6 -26. e os custos debitados na conta diversos.838803 5.275 10.83 5 2 35.6119 8 3 18.30 0. Utiliza-se o valor médio para se minimizar variações bruscas que podem ocorrer em períodos isolados e ter uma visão de como o diretor desempenhou suas funções ao longo de todo o jogo até aquele período.094177 1.959 -3.16 19. É o custo unitário de produção da empresa calculado através da acumulação.09 -0.906066 0.088579 1.46 17.834768 5.084 8.30 -0.45 8.43 Avaliação do FINANCEIRO COLOCAÇÃO EMPRESA Custo total No período % do Custo Lucro/Unidade 1 4 18.064 35.013990 1.091337 1. despesas administrativas e de vendas.34 -0.94 17.098565 1.807 0.6564 10 6 23. os seguintes itens: depreciação.3 a seguir apresentam-se comentários sobre como são obtidos estes índices e sobre o seu objetivo/finalidade.3: Relatório de Desempenho e Avaliação 6.92 9.63 10.850632 Avaliação do MARKETING COLOCAÇÃO EMPRESA Venda/Demanda No período Market Share Dem % do Merc Prop % do Custo 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 6 5 7 1 4 3 2 10 8 9 1.089943 1.39 8.69 12.004288 0.1250 5 2 18.733034 0. despesa financeira.31 5.62 10.16 3 7 46. 58 .38 6 9 8.68 9.00 0. período a período.16 4 4 45.89 18.57 0.014026 1.3.49 10.97 7.71 11. O valor total de custos acumulados é dividido pelo total.61 6.73 0.248924 1.000000 4.106 -147.832262 0.

de . Para detalhes sobre a obtenção deste e dos demais Percentual de contribuição desta diretoria de custo favor consultar a descrição do para os custos do período. 000 Mostra o quanto variou a produtividade da mão no período. Idem % de custo da marketing.2 100 . permite comparar o período e vendas do período.Obra Capacidade de Produção do Imobilizado Mostra a renovação dos equipamentos Apresenta o consumo de unidades de insumo consumidas para produzir uma unidade de produto. Obtido da divisão entre o total vendido ao longo de Permite determinar se a demanda está todo o jogo e o total de demanda obtido ao longo de sendo explorada de forma eficiente.Resultado do Período Comentário Geral No Período Crescimento (%) Produtividade Permite avaliar o impacto do resultado do período no respectivo índice global. 6.4 Relatório de Índices Econômicos e Financeiros Este relatório contém uma variedade de índices que permitem avaliar o desempenho das empresas com um enfoque contábil/financeiro. 59 . o custo total resulta da divisão do primeiro pelo segundo total. Produção No Período CMO/IMOB Renovação 1+ Produção Período × 0. relativamente ao resto do jogo. Comporta-se como um custo médio de todo o jogo. Ao longo do jogo os custos de produtos vendidos de cada período são acumulados e também o número de unidades vendidas.Simulação Empresarial Capítulo 6 Nome Lucro Total Obtenção/Cálculo Vem do relatório geral. Foram escolhidos indicadores de uso comum dentro do universo empresarial (Para maiores informações consulte a bibliografia: Manual de Contabilidade para não Contadores). apenas é Sua interpretação é análoga ao que é feito calculada utilizando os totais do respectivo período. Serve como uma medida de eficiência no aproveitamento financeiro da demanda. todo o jogo. entre outras coisas.3 – Índices de avaliação do desempenho dos diretores. demonstrativo de custos. Permite avaliar rapidamente o equilíbrio entre as capacidades de produção. É o resultado do trimestre que está no relatório confidencial. quando se utiliza a animação de equipamentos mais econômicos. Corresponde produtividade da mão de obra no período seguinte e é calculada com as fórmulas do modelo. Tabela 6. Lucro Total × 100 Lucro Total . Marketing Financeiro Venda/Demanda No Período % do Custo Custo Total No Período % do Custo Lucro/Unidade É idêntico ao valor global mas utiliza apenas os custo O custo do próprio período. é o resultado acumulado do balanço. É uma razão como o valor global. para a razão global. Idem % de custo de marketing. Capacidade de Produção da Mão . Pega-se o lucro do período que faz parte da avaliação do diretor financeiro e divide-se pelo número de unidades vendidas e pronto.

33 3 49.34 2 1.34 3 1.4.34 9 1.33 5 49.08 0.00 33.11 7 0.46 0.01 0.33 7 49.01 0.4: Relatório de Índices Econômicos e Financeiros Esses índices podem ser utilizados para compor a imagem da empresa na(s) assembléia(s) e para demonstrar a capacidade da diretoria na gestão da empresa.46 0.11 9 0.01 0.46 0.00 .34 6 1.33 ¹ Participação (%) do capital de terceiros no capital total ² Garantia do capital próprio para o capital de terceiros ³ Parcela (%) do total de empréstimos que vence a curto prazo Figura 6.11 8 0.00 33. É calculada pela seguinte fórmula: Elas foram incluídas para esclarecer eventuais duvidas.17 9 0.08 0.00 33.1 Liquidez Corrente Indica o montante de recursos que a empresa dispõe em seu ativo circulante para fazer frente às suas obrigações a curto prazo.00 33.01 0.00 33.00 33.33 2 49.96 1.08 0.34 10 1.11 10 0.96 1.11 3 0.46 0.17 10 0.34 4 1.Simulação Empresarial Capítulo 6 Simulador GI-MICRO 6.96 1.96 1.01 0.33 10 49.96 1.34 7 1.46 0.11 Índices de Endividamento EMPRESA Terceiros ¹ Garantias ² Composição ³ 1 49.96 1.17 5 0.33 4 49.01 0.08 0.01 0.08 0.08 0.00 33.46 0.Período 1 Aplicação: Testando ÍNDICES ECONÔMICOS E FINANCEIROS Índices de Liquidez EMPRESA Corrente Seca Geral 1 1.08 0.17 8 0.01 0.34 8 1.00 33.33 6 49.11 4 0.96 1.17 4 0.96 1.96 1.11 5 0.01 0.46 0.11 2 0.08 0.17 3 0.17 2 0.11 6 0.46 0.17 6 0.01 0.00 33.96 1. Liquidez corrente = Ativo Circulante Passivo Circulante onde: Ativo Circulante = Caixa + Clientes + Aplicações + Estoques de Insumos + Estoques de Produto Acabado Passivo Circulante = Fornecedores + Empréstimos a Curto Prazo 60 . constantes do seu passivo circulante.34 Índices de Rentabilidade EMPRESA Empresa Proprietário 1 0.08 0.46 0.08 0.17 Índice de Insolvência EMPRESA Fator de KANITZ 1 0.00 33.33 8 49.34 5 1. Acompanhe a explicação sobre cada um dos índices: 6.33 9 49. O conhecimento das suas fórmulas não é imprescindível para um bom desempenho no jogo.17 7 0.46 0.

Entretanto. em geral.Simulação Empresarial Capítulo 6 6.4.5 Rentabilidade para o proprietário (%) Taxa de rentabilidade obtida tomando como referência o capital da empresa e é calculada pela expressão abaixo: Rentabilid ade para o proprietár = io Resultado Acumulado x 100 Capital 61 . sejam de curto ou de longo prazo. 6.3 Liquidez geral Representa a capacidade da empresa em fazer frente a todas as suas obrigações. 6.4. como calculado na expressão abaixo: Rentabilidade para a empresa = Resultado Acumulado Ativo Total x 100 Tanto o resultado acumulado quanto o ativo total são obtidos no balanço da empresa. revela a capacidade da empresa para fazer frente às suas obrigações de curto prazo. É calculada através da seguinte expressão: Liquidez Seca = Disponível + Realizável a curto prazo Passivo Circulante onde: Disponível = Caixa Realizável a Curto Prazo = Clientes Passivo Circulante = Fornecedores + Empréstimos a Curto Prazo A liquidez seca não considera os estoques na formação da capacidade de pagamento porque estes itens. são mais difíceis de converter em dinheiro.2 Liquidez Seca Também chamada de teste ácido ou liquidez rápida. 6. utilizando apenas o seu disponível e realizável a curto prazo.4.4 Rentabilidade para empresa (%) É a taxa de renda obtida tomando como referência o ativo da empresa. tais ativos (ou direitos) não existem no modelo adotado pelo GI-MICRO.4. É determinada através da seguinte expressão: Liquidez Geral = onde: Ativo Circulante Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo Ativo Circulante = Caixa + Clientes + Aplicações + Estoques de Insumos + Estoques de Produto Acabado Passivo Circulante = Fornecedores + Empréstimos a Curto Prazo Exigível a Longo Prazo = Empréstimos a Longo Prazo Deve-se observar que na determinação da liquidez geral comumente soma-se ao ativo circulante os ativos (ou direitos) realizáveis a longo prazo.

Se o fator estiver entre -3 e -7 a empresa está na área de insolvência. com grandes possibilidades de abrir falência.4.4.Simulação Empresarial Capítulo 6 Tanto o resultado acumulado quanto o capital são obtidos no balanço da empresa. 6. Esta relação é determinada segundo a expressão abaixo: Garantia de capital = onde: Capital + Resultado Acumulado Fornecedores + Empréstimos Empréstimos = Empréstimos de Curto Prazo + Empréstimos de Longo Prazo As demais variáveis correspondem aos respectivos valores encontrados no balanço da empresa. 6. Quanto mais seu índice aproximar a sete melhor estará a empresa. 6. 6. Este percentual é determinado pela seguinte fórmula: 62 . Caso o fator esteja entre 0 e -3 a empresa se encontra em uma situação instável e perigosa sendo que se torna mais adversa à medida que aproxima a -3. O trabalho original prevê três categorias como segue: Insolvente Penumbra Solvência -7 -3 0 7 Caso o fator de insolvência se situe entre 0 e 7 a empresa está numa situação de solvência.4.6 Fator de insolvência de Kanitz Calcular um fator de insolvência da empresa que permite classificar/diagnosticar o seu estado. Este valor é determinado pela seguinte expressão: Capital de terceiros = onde: ×100 Fornecedor + Empréstimo + Capital + Re sultado Acumulado es s Fornecedor + Empréstimo es s Empréstimos = Empréstimos de Curto Prazo + Empréstimos de Longo Prazo As demais variáveis correspondem aos respectivos valores encontrados no balanço da empresa.4.7 Garantia do capital próprio ao capital de terceiros É a relação existente entre os recursos próprios de empresa e os recursos de terceiros que compõem o capital total da empresa.7 Participação de capital de terceiros nos recursos totais (%) Mostra o percentual do capital disponível na empresa que são obrigações de curto e longo prazo a serem honradas.8 Composição do endividamento (%) Indica o percentual das obrigações totais da empresa que são exigíveis a curto prazo.

Simulação Empresarial Capítulo 6 Composição do endividamento = onde: Passivo circulante × 100 PassivoCirculante + Exigível a longo prazo Passivo Circulante = Fornecedores + Empréstimos a Curto Prazo Exigível a Longo Prazo = Empréstimos a Longo Prazo 63 .

1. Venda . Os balanços são feitos trimestralmente O imposto de renda é pago imediatamente. Fornecedores. O atraso na entrega das decisões ao Animador será penalizada com multa.3 Depreciação A depreciação representa a perda da capacidade produtiva dos equipamentos. A Assembléia Geral simula a imagem da empresa e pode ser realizada uma ou mais vezes durante a simulação. no trabalho com horas-extras – opção 2 e • 3. Após cada período as equipes entregam simultaneamente suas decisões ao Animador. • 2. Folha de Decisões. Estocagem.75%. são necessárias 5 unidades de insumos para fabricar uma unidade de produto. as informações estão englobadas nos tópicos principais.1. Mercado. no trabalho com horas-extras – opção 3.1 Compras As equipes só podem enviar pedidos de compras. 7.1 Regras Compras Contabilidade Dinâmica do Jogo Empregados Equipes. 7. As decisões no jogo não podem ser corrigidas.2 Contabilidade O sistema de contabilização dos custos utilizado no jogo é o do custeio direto. utilizando o ritmo normal – opção 1. 7. ou seja. O pedido mínimo de insumos é de 5. Na parte de regras. corresponde a: • 2.00%.Simulação Empresarial Apêndice E 7. Inicialmente.3 Dinâmica do Jogo Um período corresponde a 1 trimestre.50%. Produto/Produção. 7. decidir comprar do Fornecedor 2 (ver Fornecedor).000 unidades.1. Por período. Financeiro. organizados em ordem alfabética. 7. As jogadas são feitas por período. GUIA PARA CONSULTA RÁPIDA Esta capítulo apresenta uma compilação das regras e fórmulas apresentadas no manual.1. Marketing.

Demissão: a empresa deverá pagar uma indenização correspondente ao salário de meio período a cada empregado demitido. o valor pago pela mão-de-obra ociosa será lançado na conta despesa de produtividade. O débito é automático e os empregados já não estarão mais disponíveis no início do período. • 4% sobre o valor contábil do estoque de produtos acabados no início do período. que corresponde a um período do jogo.Simulação Empresarial Capítulo 7 7.1.000 UM.5 Equipes As equipes devem ser compostas. no Relatório Confidencial. Empréstimos – para efeitos contábeis (Balanço).7 Financeiro O Banco Central divulga a taxa de juros referencial. Não ocorrem demissões espontâneas. Quando o caixa da empresa se torna inferior a 5.6 Estocagem No GI-MICRO. de preferência. A taxa de juros da aplicação é 25% maior que a taxa referencial do BC. exceto quando houver restrições noticiadas. por 04 (quatro) participantes. Sobre o resultado líquido da empresa incide uma alíquota de 35% referente ao imposto de renda. Caso a empresa tenha excesso de mão-de-obra. Quem toma essas decisões é o Animador.1. Períodos superiores a um ano são considerados longo prazo. períodos inferiores a um ano são considerados curto prazo. As equipes deverão se estruturar de maneira que cada participante tenha uma função na empresa. A empresa pode contratar ou demitir empregados. em ritmo normal. O jogo possibilita fazer aplicações no mercado financeiro. 7. • opção 3 – aumento de 20% em horas trabalhadas – aumento de 30% no salário. o custo de estocagem é diretamente proporcional ao valor estocado e é calculado da seguinte maneira: • 2% sobre o valor contábil do estoque de insumos no início do período. A aplicação feita no período t será resgatada no período t+1.1. 7. conforme lhe convier. Contratação: os empregados são contratados no início do período. gerida pelo programa GI-MICRO.8 Folha de Decisões Deve-se preencher uma folha de decisões para cada jogada. As opções de ritmo de trabalho correspondem aos seguintes aumentos de salário: • opção 1 – ritmo normal – pagamento normal • opção 2 – aumento de 10% em horas trabalhadas – aumento de 14% no salário. Este valor é debitado em caixa no mesmo período. 500 horas por período e produz inicialmente uma unidade de produto acabado por hora.1.000 UM.1. Os salários dos empregados são calculados para o período e são divulgados no GIInformações. Cada empregado trabalha.4 Empregados Todas as equipes começam o jogo com 10 empregados já contratados. a empresa contrai um empréstimo do tipo “P” para ficar com um caixa mínimo de 10. 7. Poderá haver uma equipe automática. 65 . Sobre o empréstimo “P” incide uma taxa 200% superior à taxa do BC. 7.

O sistema oferece serviços de consultoria e pesquisas de mercado. que foi lançado no mercado há 6 meses. Cobra o preço em vigor no mercado internacional.Simulação Empresarial Capítulo 7 A responsabilidade pela exatidão das informações da folha é da equipe. 7.1. 66 . 7. A empresa pode fazer investimentos para manter ou aumentar a capacidade produtiva. Cobra 25% acima do preço do mercado e o pagamento é à vista e sem descontos. Em caso de erro no preenchimento. Inicialmente são necessárias cinco unidades de insumos para produzir uma unidade de produto acabado. 7. o Animador é quem determina se e como será feita a correção.5% ao período.1. 7. O preço do módulo é definido a cada período e divulgado no GI-INFORMAÇÕES. A aplicação é feita em módulos. o valor investido leva um período para ser incorporado ao imobilizado.2) A depreciação do imobilizado representa a perda da capacidade produtiva dos equipamentos e corresponde a 2. A empresa pode convocar horas-extras. ou seja. Existem períodos específicos onde a propaganda tem maior ou menor efeito sobre a demanda.9 Fornecedor 1 Entrega os insumos imediatamente. ou seja. Haverá uma previsão de variação do índice no jornal GI-INFORMAÇÕES.10 Fornecedor 2 Entrega os insumos no período seguinte ao do pedido. Oferece descontos para compras em grandes quantidades. a equipe poderá pedir o reprocessamento da folha. A qualidade é igual para todas as filiais.75% e 3%.1.11 Marketing O diretor deve decidir quantos módulos de propaganda deve aplicar em cada região. 7.1. a depreciação é de 2.1) opção 3 – aumento de 20% (ritmo de operação = 1. As empresas não podem influir no índice de conjuntura econômica. A compra de insumos deste fornecedor é automática. Oferece prazo de pagamento.1. No caso de haver horas-extras.12 Mercado A moeda corrente é a UM – Unidade Monetária. As despesas correspondentes são debitadas às empresas na rubrica Diversos. O número de mercados será igual ao número de empresas participantes do jogo mais um (n+1). Os efeitos sobre a produção são os seguintes: opção 1 – ritmo normal (ritmo de operação = 1) opção 2 – aumento de 10% (ritmo de operação = 1. Somente será adquirida a quantidade necessária para concluir a produção do período. quando faltar insumos para suprir a produção de um período qualquer. a compra feita no período t estará disponível no período t+1.13 Produto/Produção O produto que a empresa fabrica é um eletrodoméstico. Se houver erro de digitação. No entanto. Os pedidos de compra das equipes só podem ser feitos ao fornecedor 2.

2 FÓRMULAS Nesta parte.1. Quando um prazo para venda é concedido. 5. 7. Com um prazo de 30 dias. Para obter informações mais detalhadas a respeito de cada uma.2 Capacidade de produção da mão-de-obra: CMO = NE x HT x PMO x IT onde: CMO NE HT PMO IT = capacidade mão-de-obra = n.3 Custo de estocagem: (Estoque de Produto Acabado x 0. referente ao custo de transporte.02) 67 . Custo de estocagem – página 18.04) + (Estoque de Insumo x 0.Simulação Empresarial Capítulo 7 A produção nunca pára por falta de insumos.50 UM para cada produto vendido fora da sua região. as compras serão uniformemente distribuídas no trimestre: 2/3 do valor entrarão em caixa e 1/3 ficará para o próximo trimestre na conta Clientes. sugerimos consultar as explicações contidas nas páginas indicadas ao lado de cada uma.1 Capacidade de produção da empresa: CPM = VIm. Capacidade de produção da mão-de-obra – páginas 20. Estoque de Insumo – página 64. Produtividade da mão-de-obra – página 20 e 21. x IT/80 onde: CPM = capacidade produtiva da máquina VIm = valor imobilizado no final do período (t–1) IT = ritmo de operação 7. parte dos pagamentos desta modalidade somente será realizada no período seguinte. estão relacionadas diversas fórmulas para você consultar rapidamente. 7.14 Venda A empresa terá de pagar 1. 7. Estoque de produto acabado – página 64.º de empregados = horas trabalhadas em turno normal = produtividade hora da mão-de-obra = ritmo de operação 7. 7. pois sempre é possível adquiri-los na última hora. O desconto. Capacidade de produção do imobilizado – páginas 19 e 20. estimula parte ou toda a clientela pela compra à vista.2.2. 3. Demanda – Previsão – página 16. 6. 1. 2.2. dependendo o percentual. 4.

6 Estoque de produto acabado: Unidades de Produto em Estoque x Valor Contábil do Produto *********************** 68 .5 Estoque de Insumo: Unidades de Insumo em Estoque x Valor Contábil do Insumo 7. 7.2.Simulação Empresarial Capítulo 7 Nota: usar valores monetários dos estoques.4 Demanda – Previsão: Demanda (t) = Demanda (t-1) x Efeito da política de marketing x Índice de conjuntura econômica x Taxa de aumento de consumo x Efeito da sazonalidade x Outros efeitos 7.2.2.

No centro da figura 2.1. todas as atividades relativas ao animador estão compreendidas pelo bloco denominado SIMULAÇÃO. como o animador conduz. já apresentada.Ciclo de trabalho das equipes Esta seqüência de atividades pode e deve ser repetida e corrigida tantas vezes quantas forem necessárias até que a equipe se dê por satisfeita em relação a adequação dos resultados para com os objetivos da empresa. Tanto que. ou de tomada de decisão.2. é desenvolvido como uma seqüência de etapas sucessivas que se completam. ou melhor.1 ilustra a forma de trabalho que o animador buscará desenvolver junto as equipes de participantes do jogo. de seus administradores virtuais. todas as demais atividades apresentadas dizem respeito única e exclusivamente às equipes. o processo de tomada de decisão das equipes. na figura. a equipe deverá retornar a etapa ou etapa(s) responsável(is) pelo desvio de rota executando então os devidos reajustes. a resposta será positiva caso os participantes percebam e entendam que as decisões escolhidas contribuirão para o cumprimento das metas definidas.2 aparece a tríade Missão/Metas/Estratégias que deverão servir de referência nas análises e de base para o planejamento dos passos futuros da empresa. ou melhor.1. Entre os vários itens que fazem parte desta dinâmica estão as equipes e as decisões que elas devem tomar a cada período. Isto é responsabilidade da empresa pois a implementação das decisões que consta. incertezas ou erros no processo decisório. Nesta ilustração procura-se dar uma visão da dinâmica do jogo GI-MICRO sob o ponto de vista da empresa virtual. A figura A. No momento em que os administradores virtuais questionam-se a respeito da adequação ou não dos resultados da tomada de decisão. Como pode ser percebido o processo de trabalho. Quando isto não ocorre. na figura 2. mostra uma representação da dinâmica de funcionamento do jogo de empresas GI-MICRO. Estas decisões acabam de ser apresentadas no item anterior mas é necessário mostrar como se desenvolve. isto é. seja por dúvidas.Simulação Empresarial Apêndice A Apêndice A Como as equipes trabalham A figura 1. este questionamento deverá estar sendo feito com base nas estratégias estabelecidas. como passo seguinte à aprovação das 69 . SIMULAÇÃO Implementa as Decisões Recebe os Resultados SIM NÃO Satisfeito ? MISSÃO Analisa os METAS ESTRATÉGIAS Relatórios Analisa a Empresa e o Mercado Executa a Tomada de Decisões Realisa Proj eções e Prev isões Figura A.

Tais conhecimentos serão valiosos para o Diretor coordenar esforços na busca da eficiência e eficácia da organização. leva algum tempo para se consolidar. Além de uma visão global. como será a cobrança das tarefas e qual o apoio que cada um deles precisa. Este contrato consiste em combinar com cada diretor como as suas tarefas serão cumpridas. A. Sua função vai mais além. A seguir. Além disso. Para acompanhar o trabalho dos demais diretores. da capacidade de buscar formas e meios de implementá-las é um dos objetivos deste jogo. sua organização e embasamento em metas e estratégias bem determinadas.1 Responsabilidades do diretor GERAL O trabalho do Diretor Geral é o mais sutil e depende do grau de maturidade (vontade de fazer somado a conhecimentos) de cada um dos outros diretores. aproveitando ao máximo as habilidades de sua equipe. Objetivos Gerais: Coordenar o trabalho dos demais diretores Lucro Acumulado Assembléia Geral. conquista dos consumidores. Descobrir a sensibilidade dos consumidores ao preço e à propaganda. em hipótese alguma. o Diretor Geral deverá conhecer os procedimentos adotados na realização das tarefas específicas. A leitura do livro “Liderança e o Gerente Minuto” (Record) o ajudará a conduzir a empresa. o Diretor Geral deverá ter uma visão global sobre o funcionamento da empresa. Dentro do contexto do jogo a implementação corresponde a entrega da folha de decisões para o animador o qual não devolverá esta folha.Simulação Empresarial Apêndice A decisões é irreversível. A. O desenvolvimento das habilidades necessárias para a escolha da missão/metas/estratégias e. envolvendo aspectos relacionados com a demanda. Fazer previsões de demanda com base no item anterior. canais de penetração do produto nos diversos mercados. O Diretor Geral deverá estabelecer um contrato com cada diretor. Ele é o responsável por traçar estratégias de marketing adequadas à realidade do mercado. 70 .2 Responsabilidades do diretor de MARKETING O Diretor de Marketing não decide só sobre o investimento em propaganda. Deverá compreender como as diretorias se relacionam e como uma decisão individual reflete no todo. estão enumeradas algumas tarefas básicas do Diretor de Marketing. Esta regra vale desde o início do jogo mas a seqüência de trabalho. para correções ou alterações. Objetivos Gerais Demanda e Vendas Tarefas: Diferenciar os preços e a propaganda no início do jogo. permitirão ao diretor assumir ou mesmo delegar funções quando um membro de sua equipe estiver ausente.

dentre outras coisas. Tarefas: Elaborar os orçamentos de caixa e de resultados a partir das estimativas dos diretores de marketing e produção. A. Abaixo. aproveitando as condições mais atrativas apresentadas pelo mercado. 71 .3 Responsabilidades do diretor FINANCEIRO O Diretor Financeiro deverá zelar pelos recursos financeiros da empresa. A saúde financeira da empresa dependerá. buscando um controle efetivo dos recursos. em conseqüência. facilitando as atividades dos diretores de Marketing e Financeiro. Objetivos Gerais Custo de Produção. adequando-a ao turno de trabalho disponível ou definido. Essa gestão pode ser feita através da efetiva utilização dos equipamentos. Uma gestão eficaz dos recursos do chão de fábrica certamente trará ganhos de produtividade e.500 UM (Unidade Monetária. uma capacidade maior de atender as necessidades dos clientes. e iii) promover a racionalização na utilização dos recursos. META Caixa = 7. A. a moeda do jogo) custos mais baixos Gestão de Custos Preparar a Assembléia Geral. Garantir o atendimento da demanda. O domínio sobre o processo de produção permitirá a elaboração de planejamentos reais. ii) balancear o fluxo financeiro. mão-de-obra. Administrar o capital de giro obtendo empréstimos baratos e fazendo aplicações dos excedentes de caixa. são enumeradas algumas tarefas típicas do Diretor de Produção. Objetivos gerais: Volume adequado a demanda Equilíbrio entre capacidade de equipamento e mão-de-obra Capacidade de produção. buscando reduzir custos para aumentar a margem de contribuição dos produtos fabricados. da capacidade de: i) buscar recursos financeiros condizentes com as necessidades do empreendimento. insumos.4 Responsabilidades do diretor de PRODUÇÃO O planejamento e controle da utilização da capacidade de produção da empresa são de responsabilidade do Diretor de Produção.Simulação Empresarial Apêndice A Verificar o que está acontecendo no mercado e descobrir oportunidades para aumentar a demanda. Equilíbrio de caixa Manutenção das contas em dia.

Solicite ao animador o manual dos observadores. A. Espera-se que os observadores tenham afinidade com a área comportamental. Estruturar uma boa argumentação para convencer a Diretoria a aumentar a produção. 216) os observadores terão um papel semelhante ao de um consultor que está investigando uma empresa e evita responder perguntas. 72 . responder as eventuais perguntas com outras perguntas.5 Responsabilidades dos OBSERVADORES Durante as discussões/diálogos (vide Senge pg. se for o caso. Elaborar previsões de produção. Aliás sugere-se. Cabe aos observadores verificar se existe uma real divisão de tarefas entre os diretores e principalmente ver se o Diretor Geral (vide descrição de tarefas correspondentes) está assumindo o seu papel de coordenação. Verificar as melhores maneiras de aumentar a produção.Simulação Empresarial Apêndice A Tarefas: Manter balanceada a capacidade de produção. Utilizar adequadamente as opções de trabalho.

50 1. pois o que interessa é utilizar as informações sobre custos na tomada de decisão.20 0 11. isto é. mas originam-se nas necessidades operacionais (vigias. são considerados como custos variáveis. [5] total CF ([2]+[3]+[4]) Total 12.adm. No período 1.80 Custos Variáveis: (CV) [6] custo PV [7] despesa transporte [8] indenização [9] desp.33 0 0 0. No modelo GI-MICRO os custos de mão-deobra produtiva e de insumos são incorporados ao custo dos produtos vendidos. serviços de limpeza.625 86. Custos Variáveis: São aqueles que estão diretamente relacionados com os produtos e dependem do volume de produtos fabricados.53 5.00 1. são custos de subsistência da própria empresa. B. por exemplo.50 5.500 8.5 UM Custo Fixo: Os custos fixos e as despesas indiretas fixas são considerados despesas do período. deve-se procurar os dados no Relatório Confidencial. aluguéis.624 50. Para calculá-lo..999 7. Vejamos a seguir um exemplo: [1] Produção: 5. 73 .999 Unitário 2.fin. apresentamos um demonstrativo de cálculo de custos.vendas [4] desp. O custo nos demosntrativos contábeis. depreciação dos equipamentos). IPTU. temos o seguinte custo unitário de depreciação: 12.80 11.500 5.000 = 2.500 28. A contabilização é feita diretamente no Demonstrativo de Resultados. no qual é feita a separação em custos fixos e custos variáveis.999 57.Simulação Empresarial Apêndice B APÊNDICE B: Custos no GI-MICRO Vamos agora nos aprofundar nesta área enfocando dois aspectos: O custo total do produto.000 Custos Fixos: (CF) [2] depreciação [3] desp. Valores referentes as despesas com transporte.33 Custo De Produção: (CP) Total 28. Não fazem parte do custo de fabricação do produto em si.53 17.produtividade [10] custo de estocagem [11] diversos [13] total CV ([6]+[7]+[8]+[9]+[10]+[11]) [14] total CF [15] total CV [16] total [14]+[15]) Total Unitário 10. que utiliza as mesmas Definições do Demonstrativo: Valores Unitários: São obtidos dividindo-se o valor do custo (ou despesa) pela produção do período.000 6.625 Unitário Neste exemplo.000 0 57.80 1.625 0 0 1.liq. qualquer que seja o volume de atividade da empresa.1 Cálculo do Custo Total do Produto O custo total do produto envolve não apenas os custos propriamente ditos mas também as despesas. A seguir. isto é.

Custo Total: É o total do custo. ou compras automáticas feitas do fornecedor 1.2 Cálculo dos Custos nos Demonstrativos Contábeis A seguir. B. indenizações. 3. e que não foram feitas compras à vista com o fornecedor 2. valor dos estoques de produtos acabados.00 (como ocorre no primeiro período). é preciso determinar o quanto se gastou para produzir uma unidade de produto no período. a) O valor contábil unitário do estoque de insumos É determinado. serão detalhados os seguintes cálculos que aparecem nos relatórios. considerando uma média entre a soma do valor do estoque no início do período com o total de compras feitas à vista junto ao fornecedor 2. É quanto custa para a empresa fabricar seus produtos. estoque e outros custos eventuais não são considerados como custos variáveis. consumo de insumos × valor contabil unitario do insumo + salario × Adicional de turno 500 × Produtividade × Indice de turno Onde: Consumo de Insumos – média que pode ser considerada igual a 5 até o aparecimento de novas máquinas mais eficientes. 74 . Para encontrar os valores totais divulgados nos relatórios contábeis.0833 10. 2. valor dos estoques de insumos. publicado no ativo do balanço no Relatório Geral e.000 x 1. no exemplo a seguir é o campo [16].00 mais os 25% de ágio cobrados por este fornecedor. e depois qual é o valor contábil unitário do produto acabado. Exemplo: Supondo que uma empresa iniciou o período com 10. o valor contábil unitário do estoque no final do período será: (10. Soma-se os custos variáveis e fixos. Gasto de produção unitário: Este valor é composto pelo custo dos insumos utilizados para produzir uma unidade de produto e custo de mão-de-obra necessária para produzir esta mesma unidade.00) + (5.000 x 1. necessitou adquirir 5.000 unidades do fornecedor 1 ao custo unitário de 1. publicado no demonstrativo de resultados do Relatório Confidencial. com um valor contábil unitário de 1. custo de estocagem. consta também do Relatório Geral. depois.00 x 1.000 + 5. publicados no demonstrativo de resultados dos Relatórios Contábeis: 1. custo de estocagem.25) = 1. é necessário primeiro calcular: a) valor contábil unitário dos insumos.000 b) O valor contábil dos estoques de produto acabado Para chegar a esse valor são necessários dois cálculos: primeiro. Esse fato será noticiado no jornal.Simulação Empresarial Apêndice B ociosidade. b) valor contábil unitário do produto acabado.000 unidades em estoque.

Recomenda-se aos diretores fazerem um registro criterioso dos dados da empresa. Ritmo de operação – valor que multiplica a capacidade de produção em função do tipo de ritmo (horas extras) adotado. 3. valor dos estoques de produtos acabados. Depois de calculados os valores contábeis acima. Estoque de Insumo: Unidade de Insumo em Estoque x Valor Contábil do Insumo = 55. ou de ambos.79 UM 2.500 e que a produtividade no período era 1.02) = (2. Produtividade – valor da produtividade da mão-de-obra. Todos os valores acima serão diferentes de zero. Porém. que o salário era igual 2.50 UM 3.000 unidades de insumo e 250 unidades de produto acabado: 1.01 x 1. é possível determinar os seguintes valores: 1. Exemplo: Supondo que a empresa trabalhou com ritmo normal.00 Valor contábil unitário – Para chegar a esse valor. é feita uma média entre os gastos de produção no período e o valor contábil unitário dos estoques no início do período.30 UM O custo de estocagem é calculado antes de se iniciar a produção e as vendas do período.79 x 0. item 2-a. o gasto unitário de produção é: 5 x 1.500 x 1. apenas quando existirem estoques de insumos ou produtos acabados. no final do período. Os valores contábeis unitários de um período a outro não precisam ser guardados. pois o 75 .591.0833 + 2. Nesse caso. Note-se que o valor do custo de estocagem do período B é calculado a partir dos valores contábeis unitários do período anterior.295.0833 = 59581. Os valores contábeis são calculados após o final da produção e das vendas.00 = 10. mesmo que não existam estoques.50 x 0.04) + (59. o valor contábil do produto acabado em estoque neste período é igual ao gasto com produção.02) = 1. Custo de estocagem: (Estoque de Produto Acabado x 0. que inicia com um estoque inicial de produto acabado igual a zero.581. Esse cálculo é feito através da seguinte expressão: (Estoque de Produto Acabado Inicial × Valor Contabil Inicial) + (Quantidade Produzida × Gasto Com Producao) Estoque de Produto Acabado Inicial + Quantidade Produzida Exemplo: Supondo que se está calculando as projeções referentes ao segundo período. Custo de produto acabado: Unidades de Produto em Estoque x Valor Contábil do Produto = 250 x 10. Os itens a seguir estão calculados supondo um estoque de 55.3672 = 2.591. o valor contábil unitário é necessário internamente.Simulação Empresarial Apêndice B Valor contábil unitário – está descrito neste capítulo. custo de estocagem 2.3672 500 x 1. valor dos estoques de insumos e.000 x 1.04) + (Estoque de Insumo x 0.01. Constante 500 – número de horas trabalhadas em um turno normal.

Mas se a empresa deseja controlar minuciosamente os seus custos. 76 . então será indispensável guardar estes valores pois eles compõem o custo total do produto.Simulação Empresarial Apêndice B cálculo do custo de estocagem pode ser feito a partir dos valores de estoque publicados no balanço do período anterior.

Supondo que a empresa esteja optando por trabalhar em turno normal e que a produtividade da mão-de-obra (PMO) é igual 1. Exemplo: Suponha que o diretor de produção determinou que a capacidade de produção do imobilizado é de 6.00:  5. utiliza-se a fórmula abaixo: Produçãot x0. O primeiro passo consiste em determinar o número de operários ociosos no período.000 unidades.000 unidades na capacidade produtiva da mão-de-obra. vamos determinar o valor do salário correspondente a este excesso/ociosidade.00 × 1 +  100. existe um excesso de 1.02.Simulação Empresarial Apêndice C APÊNDICE C: Detalhes da administração da mão-de-obra.01.000 unidades e a capacidade da mão-de-obra é igual a 7.000 × 0.000 unidades e a produtividade é igual a 1.000   Então.000   Onde: PMO t+1 = produtividade hora da mão-de-obra no período (t+1) PMO t = produtividade hora da mão-de-obra no período atual Produção t = produção em unidades no período atual (PMOt e Produçãot constam do Relatório Confidencial) Exemplo: Supondo que a produção do primeiro período foi de 5.2 Mão-de-obra ociosa e seu custo Quando a capacidade de produção dos operários supera a capacidade dos equipamentos instalados configura-se um cenário de ociosidade de mão-de-obra. isto é. Como esta mão-de-obra ociosa não produz nada o salário pago a estes operários é considerado a parte do custo de produto vendido no demonstrativo de resultados. na determinação da capacidade de produção da mão-de-obra para o período 2 deverá ser utilizado o índice de mão-de-obra de 1. C.2  PMO2 = 1.1 Calculando o aumento da produtividade Para determinar a produtividade do período seguinte.2   PMOt +1 = PMOt x 1 +  100. C. Note-se que este valor normalmente é um valor fracionário e ele corresponde ao número de operários necessário para produzir o excesso de capacidade sendo assim iniciamos com a fórmula: CMO = NE x HT x PMO x IT Apresentada anteriormente aonde a incógnita é o valor NE que corresponde ao número de empregados e a CMO é exatamente o volume de capacidade de produção em excesso. Fazendo as devidas substituições obtemos: 77 .

000 = 1.9608 × 2.02 × 1.02 × 1.0 ⇒ NE = 1.9608 funcionári os ociosos 500 × 1.500.00 UM 78 .00 = 4.00 UM e lembrando que a empresa está trabalhando em turno normal: Despesa de ociosidade = 1. considerando um salário base de 2.902.0 Ou seja existem praticamente dois funcionários ociosos na empresa.000 = NE × 500 × 1.Simulação Empresarial Apêndice C 1. Para se obter o valor da despesa de ociosidade basta multiplicar o número de funcionários ociosos pelo salário pago no período em questão então.500.

capacidade produtiva e outros dados que permitem avaliar o concorrente. Administração Financeira. Deve-se preencher uma folha de decisões para cada jogada. A concorrência. Analisar os relatórios logo que são disponibilizados é a primeira coisa que se faz. tabelamento de preços. Com um pouco de álgebra pode-se descobrir dados extras sobre a concorrência. Supõe-se que organização incorpore atenção aos modelos que descrevem o comportamento do GI-MICRO. Este tipo de informação pode ser obtido nos jornais (não obrigatoriamente apenas na ultima edição). A responsabilidade pela exatidão das informações da folha é da sua equipe. Uma prática comum que tem sido observada é a falta da análise da própria empresa como primeira atividade quando de posse de novos relatórios. prazo. Estas metas deverão ser atingidas através de estratégias as quais são adotadas pelos diretores com objetivo de guiar o desenvolvimento da empresa na busca da satisfação das metas. Informações sobre volumes em estoque. Nesta etapa a empresa pode utilizar todos recursos que desejar para responder as perguntas como: Qual será a demanda ? Quanto posso produzir ? E as compras ? Contabilidade ? Marketing ? Preço \ Prazo \ Propaganda ? Fechar caixa ? Preciso de empréstimos ? Financiamentos ? Posso aplicar ? Estas são algumas das perguntas respondidas aqui. saber onde anda. Para levar a bom termo a realização destas tarefas. de Pessoal e da Produção. etc. flutuação cambial. Aconselha-se atribuir ao Diretor Geral a responsabilidade de conferir se as decisões foram registradas corretamente e de verificar se todos os campos estão preenchidos. o Animador é quem determina se e como será feita a correção. Estas decisões devem se fundamentar na própria empresa e para isto é necessário analisar muito mais a fundo os relatórios. 79 . numa leitura rápida. Eles apresentam várias visões do universo simulado. dentro do universo no qual ela está inserida. que equivale à execução do que você determinar. de Compras. tipos de empréstimos disponíveis. sempre é boa política. a equipe prejudicada poderá solicitar um reprocessamento da jogada ou uma indenização. relembrar de fatos que estão no manual. taxa de juros. A análise mais comum que se faz é olhar o lucro e tentar posicionar a empresa frente aos concorrentes. junto ao animador ou no manual. É muito importante aprender a ler as informações que não estão evidentes. Essa folha é um documento no qual deverão ser anotadas as estratégias nas áreas de Demanda. Coletados os dados. Ler o jornal com calma permite fixar atenção em detalhes que podem passar desapercebidos. aumentos de salário. estudado o cenário atual. greves. que corresponde a um período do jogo. por parte dos responsáveis pelo processamento do jogo (equipe de animação). mas são as decisões da empresa que definem seus resultados. interno e externo chega-se a hora do trabalho duro. inclusive os passados. Decisões na Prática O GI-MICRO possui a folha de decisões. Prever o cenário futuro. encontrar uma direção e seguir.Simulação Empresarial Apêndice D Apêndice D. Conferir: preço de insumos. para identificar falhas e pontos fortes das empresas. Em caso de erro de digitação grave. Para tornar o processo de tomada de decisão eficiente é necessário antes de tudo organização. Os processo de tomada de decisão para o GI-MICRO pode ser dividido nos seguintes passos: Buscar informações sobre as decisões do animador. os diretores são orientados a escolher para a empresa uma ou mais metas que estejam de acordo com a missão da empresa. Se houver erro no preenchimento.

Em caso de erro de digitação grave.1 .Simulação Empresarial Apêndice D MISSÃO METAS ESTRATÉGIAS Conjunto de Decisões Operacionais Figura D. por parte dos responsáveis pelo processamento do jogo (equipe de animação). Se houver erro no preenchimento. o Animador é quem determina se e como será feita a correção.As decisões no relacionamento da empresa com o universo. 80 . a equipe prejudicada poderá solicitar um reprocessamento da jogada ou uma indenização.

370 1.584 2.0064 0.906 0 0 1.146 2.50 9.1742 1.507 11 10.922 2.00 0.910 15. administrativas Desp.331 2.542 2. de demissão Custo de estocagem Produto Acabado Insumos 12.1742 9.7802 1.709 2.076 1.332 683 15.398 1.475 2. produtividade Custo de estocagem Diversos CUSTO TOTAL Vendas (unidades) Receita de vendas RES. vendido Desp.OPERACIONA L 11.106 1.586 8.512 1.638 Figura E.846 711 16.997 2.918 0 1.031 2. administrativas Desp.11 6.067 835 0 0 111 -253 13.599 1.000 11.046 818 0 0 109 -248 13.664 2.051 1.81 Marketing Propaganda Desp.025 802 0 0 107 -243 13.0732 5.26 32.922 2.11 Outros TOTAL -0.319 0 1.423 1.622 2.000 161. de ociosidade Desp.92 Financeiro Desp.891 768 17.1565 0.05 .26 6.8165 6.152 902 0 0 120 -273 14.196 936 0 0 125 -284 15.123 0 0 150 -340 16.415 2.177 1.359 739 16.483 1.359 739 16.894 6.060 1.789 2.997 2.744 2.638 8.904 956 21.109 7 8 8.115 8. de transporte Desp. admin.092 855 0 0 114 -259 14.68 5.421 906 20.EMPRESA Custo Unitário Total Participação % 1 Produção e Mão de Obra 14.1565 101. Simulador GI-MICRO 6.773 5 9.2361 119.2567 2.0000 0.442 10 8. financeira Desp.00 Demonstrativo de custos por região REGIÃO Custo prod.3298 35.00 0.962 -1.0000 0.417 824 0 0 110 -250 13.272 2.126 1.541 1.126 1.0000 0.359 1. financeira -3.589 697 16.938 2. Relatório de Custos É um relatório confidencial que detalha a alocação dos custos e despesas da empresa permitindo identificar quais o maiores responsáveis por custo tanto em termos das contas do demonstrativo de resultados quando em termos das várias regiões aonde a empresa atua.3560 19.205 21.1675 1.0574 1.377 9 8.818 1.44 0.81 30.Relatório de custos .229 1.246 2.158 728 16.55 10.465 868 0 0 116 -263 14.Período 7 Aplicação: Testando RELATÓRIO DE CUSTOS .00 0.461 1.1 .06 Custo do produto vendido Mão-de-obra Insumos Depreciação Desp.953 74.838 3.423 797 18.Simulação Empresarial Apêndice E Apêndice E.026 1.2217 Custo do produto ve ndido Depreciação Custo de estocagem Propaganda Desp. financeira 1.353 2.084 1 2 8.85 100.064 0 0 142 -323 17.319 62. indenização Desp.053 3 4 9.729 49. transporte Desp.988 5.109 868 0 0 116 -263 14. e vendas Depreciação Desp.894 9. de transporte 4.681 702 16.483 1.409 1.719 16.010 52.81 0.908 6 8.427 1.

também do relatório confidencial.1 .Relatório de custos: As linhas que compõem a tabela provém do demonstrativo de resultados do exercício contido no relatório confidencial. A vendas individuais são obtidas no relatório confidencial e os totais de receita de venda e receita operacional vendo demonstrativo de resultados. A primeira tabela está diretamente relacionada com o gráfico de pizza mas primeiramente vamos descrever a tabela de custos que encabeça o relatório. Nesta tabela existirão tantas colunas quantas forem as regiões aonde atua a empresa. Total: Resulta do uma simples operação: multiplica-se o custo unitário pelo total do produto vendido.2 . E.3 . 82 . Para cada conta prevista. para a escala deste gráfico. Os valores totais que estão rateados nesta tabela provém da coluna dos totais contida na primeira tabela. Percentual: Permite avaliar de uma forma relativa a participação de cada conta no total. existem três valores que definem as colunas da tabela: Unitário: Coluna que apresenta quanto cada conta contribuiu individualmente para o custo unitário total. Para cada diretoria existe um sub total correspondente. E. sub total e também. seja ele o total unitário. dispondo-as de forma mais simples e adicionando componentes de receita de vendas e resultado operacional. Os valores apresentados nestas colunas corresponde a participação percentual de cada região em cada conta. É importante notar que se uma determinada conta não aparece na legenda e.Simulação Empresarial Bibliografia Este relatório contém duas tabelas separadas por um gráfico de pizza com fica claro ao se observara a figura E. conseqüentemente também não no gráfico. portanto ele apresenta as mesmas relações de entre os custos totais e unitário do produto vendido.Gráfico: A ligação entre os percentuais mencionados ao final do item anterior são utilizados para construir este gráfico. para o total final.Custos por Região: Novamente a matriz parte das mesmas contas do demonstrativo de resultados do exercício. ou seja acumula valor de todas as unidades vendidas para a respectiva conta. ela não é apresentada.1. significa que a magnitude da sua participação no custo total é tão pequena que. E. As contas foram reagrupadas para permitir a agregação dos custos e despesas dentro de grupos relacionados com as diretorias. seja ele o total global.

DUFLO. 2000. Sloan Management Review. et A. Negociação.J. Winter 1992. B. Atlas. MIRANDA.J. (Organizador): Custos Industriais. SP. & SIMON H. C. -------------: A Quinta Disciplina. 1986.. R.. S.Y. RODDER. F. 1999. de EPS da UFSC. Edição Revisada e Ampliada.Simulação Empresarial Bibliografia BIBLIOGRAFIA LIVROS E ARTIGOS BLANCHARD. R. S. N. Peter C. Fern Universitat. KOPITTKE. Texto para o ensino à Distância. 1997. Editora. Manual de Contabilidade para não Contadores. COSTACURTA. Florianópolis.: A Quinta Disciplina. Best Seller. Bruno. DOLAN. VINAGRE BRASIL: Gestão Financeira das Empresas – Um Modelo Dinâmico. KULMANN. Futura. John Wiley & Sons.: Análise de Investimentos.K. SCHOLES..: Avaliação de Empresas “Valuation”.. Apostila editada no Dpto. 1990. Makron Books. Artes Médicas.P.: Soft Systems Methodology in Action. SIMON.. Peter. Colas. SENGE. 1997. K. CASAROTTO. 1997. S..P.. Qualitymarkt. Tom C. Qualitymarkt.J. N. KOPITTKE.. 1998. Com. S.. : “O Poder dos Preços.: Análise dinâmica de Capital de Giro e outros assuntos na área. W. JUNQUEIRA L. Tecnologia e Comportamento. Campus.: Uma Proposta de Metodologia para o Gerenciamento Eficiente da Informação Suportada pelo Sistema Especialista Probabilístico SPIRIT. MURRIN. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. A. Caderno de Campo. RJ. KOPITTKE B. 83 .UFSC.T. 1990. Universidade Federal de Santa Catarina. Rio de Janeiro.: Sistema inteligente de apoio à decisão baseadas na Shell. R.. F.. Atlas.L.J. Spirit. O Jogo De Pascal a Schiller.H.. R. MARION J.P. 1996. 1998. IUDÍCIBUS.”. 1995. Alcides J. Hermann: Pricing Opportunities – And How to Exploit Them. Record.: Além da inteligência emocional. 1999. DISSERTAÇÕES E TESES ANDUJAR. Cop.: “Liderança e o Gerente Minuto“.J.. 1990.

Universidade Federal de Santa Catarina.: SAP1. Maria de L. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. MARQUES. COUDRAY. Cláudio: Proposta de um Software Hipermídia sobre Contabilidade para o Jogo de Empresas GI – EPS. 1997. Florianópolis.: A Efetiva Formação de Equipes de Trabalho Uma Abordagem a Luz das Mudanças Organizacionais. MARQUES. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Pedro J. MECHELN. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. 84 . Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. 1999. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção. 2000.: Um Modelo para o Aprendizado do Trabalho em Equipe Utilizado. Universidade Federal de Santa Catarina. S. Florianópolis. Florianópolis. Florianópolis. 1998.: Modelagem da Proposta da Propaganda para Incorporar em Jogos de Empresas. 2001. Vitor H. Florianópolis. DETTMER. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. P.Simulação Empresarial Bibliografia BORNIA. Universidade Federal de Santa Catarina. 1996.Formação de Administradores: Uma Abordagem Estrutural e Técnico-Didática.GI: Sistema de Apoio ao Planejamento do Processo de Tomada de Decisão do Jogo de Empresas GI-MICRO. Caso: Coordenadoria de Recursos Humanos Universidade Estadual de Londrina. Florianópolis.: O Modelo GS-RH: Uma Integração de Jogos de Empresas para o Treinamento e Desenvolvimento Gerencial. Valerie A. Kelly C. Paulo da C. Universidade Federal de Santa Catarina. Um Jogo de Empresas como Suporte de Treinamento. LOPES. MENDES. Jorge L. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Florianópolis. Luciano.: Abordagens Metodológicas sobre o Desenvolvimento de um Software Aplicado ao Ensino de Contabilidade. 1997. Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina. Armando L. HERMENEGILDO. Universidade Federal de Santa Catarina. 1997.: A Utilização da Padronização como Ferramenta da Qualidade Total para o Desenvolvimento de Jogos de Empresas.:O uso da abordagem por competências no desenvolvimento de jogos de empresas para a formação de empreendedores. S. 1998. Florianópolis. José C.: Proposta de Metodologia para o Desenvolvimento de Recursos à Aplicação de Jogos de Empresas Via Internet – Modelo para o Jogo de Empresas GI – EPS. Florianópolis. V. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.: O Uso do Jogo de Empresas GI-MICRO no Treinamento de Decisões Relativas a Preços. HERMENEGILDO. 1997. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. M. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. MUNCK. MEDEIROS. . Florianópolis. S. Jorge L. Juliano Z. S. 1997. GERBER. Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção e Sistema. Teses de Doutorado em Engenharia de Produção. M. Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. 2001. Universidade Federal de Santa Catarina. 2002.: Concebendo um laboratório de engenharia de produção utilizando um jogo de empresas.

2002.: Jogos de gestão da produção: Desenvolvimento e Validação. Florianópolis. Pedro P. THEISS Junior. Blumenau. Florianópolis. 1998. Universidade Federal de Santa Catarina. a bibliografia do programa da disciplina. 1997. 1997. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção. WILHELM.: O Protótipo SGPCP-1: Jogo do Planejamento e Controle da Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. SCHAFRANSKI. Florianópolis. 85 .: Uma Perspectiva de Aproveitamento e Uso dos Jogos de Empresas. também. Florianópolis. 1999.: Analise do Capital de Giro: Modelo dinâmica Versus Modelo Tradicional. Nota: Veja. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Tese de Doutorado em Engenharia de Produção.. Edgar V. SERRA. Dissertação de Mestrado em Administração do Centro de Ciências Sociais. Universidade Federal de Santa Catarina. Felix C.: Uma Proposta para o ensino de Mercado de Capitais na Abordagem de Jogos de Empresas.Simulação Empresarial Bibliografia SCHAFRANSKI. FURB. Luiz E. H. Luiz E. M.