You are on page 1of 7

I) Histórico dos Sistemas de Produção

Vamos começar nosso estudo da história do desenvolvimento dos Sistemas de Produção com algumas definições básicas, porém de fundamental importância que sejam compreendidos por todos da mesma maneira: Empresa: Instituição econômica, de caráter permanente que, para satisfazer as necessidades humanas, implanta, desenvolve e coordena a produção e o consumo de riquezas. Como sabemos estas empresas subdividem-se segundo critérios que dependem da área de interesse de quem está analisando. Vejamos os que parecem mais importantes: Setores Agricultura Indústria (*) Serviços Dimensão Pequenas Médias Grandes Comércio Internacional Aberta Fechada

Natureza Pública Privada

Os princípios de Administração da Produção aplicam-se às empresas das diversas subdivisões mostradas acima porém vamos deter-nos nos exemplos gerados na área industrial devido a sua riqueza e a serem totalmente aplicáveis as demais áreas: Lembrando: As indústrias subdividem-se ainda em: de base (primárias) de transformação (secundárias) de beneficiamento (terciárias)
Ainda, as empresas, indústrias inclusive, seguiram ao longo do tempo diferentes estratégias conforme vemos a seguir:

• Orientação para a Produção: Empresa não considera o consumidor. Produz em larga escala a baixos custos. Possui produto sem atrativos e desconsideração pela concorrência. Produtos encalhados Sua visão normalmente é a visão de seu fundador • Orientação para as Vendas: Empresa continua ignorando o consumidor. Considera que um produto bem anunciado e distribuído, vende. Política de vendas agressiva.
1

Desenvolveu as idéias de Adam Smith e levantou questões estimulantes organização e a economia da produção. um pouco de história da Administração da Produção. escreveu a Riqueza das Nações. 1776. Um parênteses para o consumidor: 1 consumidor satisfeito= 5 clientes em potencial. contendo pontos interessantes sobre a divisão do trabalho : Desenvolvimento de aptidão ou habilidade em uma única tarefa realizada de modo repetitivo. 1832. 1 consumidor insatisfeito= 25 clientes em potencial. avalia necessidades dos clientes em potencial. oficial. Criou a "Administração Científica do Trabalho". controle da mão de obra. ingressou na indústria como operário e sempre se recusou a "fazer cera". perdidos. para substituir os velhos métodos empíricos. Inglês. O início digamos. Taylor: (1900) Pensador. 2 . Seus "4 Deveres da Administração". Agora então. sobre a economia de máquinas e manufatura. terminando assim com o "segredo profissional". consumidor e meio ambiente. Conceito de "Empresa cidadã". • Charles Babbage: Matemático. força de vontade indomável. suas técnicas retiraram do operário o poder de escolher que tarefa realizar. instalação racional e controle da produção. autoritário. Economia de tempo na mudança de 1 atividade para outra. • Orientação para o mercado: Empresa não deve produzir aquilo que sabe. dos Sistemas de Produção nos moldes aproximados do que conhecemos hoje está na Revolução Industrial (passagem do sistema artesanal para o sistema industrial). 1) Estabelecimento de uma norma científica para cada elemento de trabalho de um homem. planeja sua produção. • Frederick W. produz os bens solicitados pelo seu "target" . Os homens que expressaram o pensamento da época: • Adam Smith: Economista escocês. onde todas as tarefas poderiam ser determinadas através de investigação científica. Salvaguarda lucro. segundo sua habilidade e experiência anteriores. Invenção de máquinas ou fator que se originavam atividade do homem especializado num trabalho restrito. começo da organização da produção.Funciona até que se descubra que satisfaz apenas as necessidades do vendedor e não as do consumidor. costume da época.mercado ou público alvo. como áreas de estudo e pesquisa.

Automação. treinamento e desenvolvimento dos operários. F.W. Importante! Produção: processo através da qual se criam mercadorias e serviços. Na organização de serviços podemos entender Produção como todo desempenho de uma função que tenha ligada diretamente ao resultado do processo.O + matéria-prima + equipamentos + instalações). em vez da velha prática de permitir ao trabalhador a escolha de suas próprias tarefas e de deixá-lo treinar-se da melhor forma que pudesse. L.2) O uso do método científico na seleção. 3) Estabelecimento de um espírito de cooperação cordial entre o trabalhador e a gerência. Simulação de problemas de produção. Henry Ford: Linha de Montagem Frank e Lilian Gilbreth: Estabelecimento do estudo dos movimentos. Desenvolvimento após a 2ª Guerra Mundial. 4) A divisão de trabalho entre os operários e a administração em partes aproximadamente iguais. Computadores de alta velocidade. Departamentos acessórios: Depto de Finanças Vendas Finanças 3 . Harris: Primeira aplicação de modelos matemáticos ao controle de estoques. em vez da condição anterior. cada grupo se responsabilizando pelo trabalho para o qual esteja mais qualificado. com o máximo lucro permitido nas circunstâncias em que atua (pesquisa de mercado + promoção + distribuição + venda). Toda organização industrial: • Produz algo (M. em que a maioria do trabalho e da responsabilidade caía sobre os ombros dos operários.C.D. Tippet: Estabelecimento da amostragem de trabalho. Uso mais geral de outros modelos matemáticos. Walter Shewhart: Primeira aplicação dos princípios da probabilidade ao controle de qualidade.H. (1950): • • • • • • Programação linear e outros métodos de programação. para assegurar que o trabalho seja levado a cabo de acordo com os procedimentos cientificamente planejados. Engenharia Humana. • Comercializa o que produz.

Prover os estoques de peças compradas com o número necessário de componentes nas datas mais convenientes. de forma racional que permita auferir os primeiros e sustentar os segundos. Minimizar os custos de movimentação de material pela fábrica através da melhoria do Lay-out e dos meios de movimentação. a forma de implanta-la. Neste ponto há um novo cuidado a ser tomado: a decisão pode ser viável. • Como dissemos cabe ao administrador a tomada de decisões a fim de viabilizar da melhor forma possível suas responsabilidades descritas acima. pois o produto geralmente pode ser feito de mais de uma maneira. econômicas. tecnológicas) exigem reprojeto. Porém cabe a ele também implanta-las.Recursos Humanos O Administrador da Produção: Cabe ao Administrador de Produção a tomada de decisões que levem a empresa a atingir seus objetivos primários (lucro) e secundários (dar empregos estáveis. Estratégia: arte de aplicar os meios disponíveis ou condições favoráveis com o objetivo de alcançar determinados fins. Tática: meios postos em prática (ou processo) para sair-se bem em um empreendimento. estabelecer. inserir uma coisa em outra. etc). tornar-se empresa "cidadã". Preocupar-se com a motivação do pessoal envolvido a fim de conseguir melhor produtividade. Kaizen: melhoria contínua. Melhoria Contínua deve ser um desejo contínuo motivado pelo conceito de que sempre há campo para melhorias (Kaizen). Escolher o método de produção mais econômico. determinação. ser inovador. Implantar: introduzir. São suas responsabilidades: • • • • Produzir bens na quantidade exigida e a tempo de satisfazer os prazos estipulados pelo cliente. Não podemos esquecer também que perturbações externas (alterações competitivas. deliberativo. resolução. Áreas de Atuação do Administrador: A atuação do Administrador de Produção pode ser dividida em dois grandes grupos: 4 . Nesse aspecto algumas definições importantes são: • • • • • Decisão: ato ou efeito de decidir. Elaborar um cronograma de usinagem das diversas peças componentes do conjunto final de forma que cheguem todos quando necessário a área de montagem final. errada! Quando houver: • • Dificuldade de decisão: mudar estratégia. Adotar medidas preventivas em relação à Qualidade. Dificuldade de implantação: mudar tática.

num mundo como o nosso tão dependente da abundância de novos produtos.quando o meioambiente ou hábitos de consumo assim o determinaram. rendering. Recebimento. As outras características são: produção em locais pequenos (uma oficina ou sua própria casa) e a baixa produtividade resultante. economia. Engenharia Qualidade) Projeto do Sistema de Controle Operação do Sistema de Produção .(PCP + Estoques) Controle de Estoques Controle de Qualidade Controle de Programação de Produção Controle de Custo e Produtividade Desenvolvimento e Modificação de Políticas Administrador da Produção – Aspectos Comportamentais O administrador de produção portanto. Introdução: Entender o desenvolvimento dos Sistemas de Produção ao longo dos tempos é como entender a História da própria humanidade. pela participação do profissional em todas as fases do processo de produção. Tempos e Movimentos) Lay-out da Fábrica (Células de Produção. Mock-up. o artesão. Minifábricas) Seleção Materiais (Insp. amostra) Projeto do Processo de Fabricação (Conhecimento pequeno de máquinas) Seleção do Equipamento Movimentação de Materiais Análise de Métodos (Ergonomia. Sistema Artesanal de Produção: Durante a maior parte da História registrada. no próprio local de trabalho. Sistema Industrial de Produção: À partir do período que se convencionou chamar de Revolução Industrial. 5 .Projeto de Sistema de Produção Projeto do Produto (Desenhos. respondia por todo o processo de transformação da matéria-prima em produto acabado. um alto grau de satisfação e identificação com o produto. o homem produziu bens através do sistema artesanal. criando os equipamentos e máquinas . (É um misto de comércio.desde o mais rudimentar até o mais sofisticado . o homem mudou radicalmente a forma de produzir bens de consumo. homem sempre idealizou produtos e serviços na medida de suas necessidades. Vale a pena salientar que esse método de produção tem como uma de suas características. ciência e tecnologia). protótipo. O aprendizado das tarefas era transmitido aos novos profissionais de maneira predominantemente prática. cria nosso modo de vida fundamental. o que significa que o responsável pela produção. Na verdade antes da fase de transformação o artesão era responsável pela seleção da matéria-prima a ser utilizada e pelo projeto do produto a ser executado.

Essa mudança radical deveu-se. A Linha de Montagem. numa tentativa de detectar a falha o mais próximo possível de sua fonte. valendo-se dos conceitos de racionalização do trabalho desenvolvidos quase que simultaneamente por Frederick Taylor. 6 . A situação econômica favorável gerou estímulo ao consumo em níveis bastante acima dos conhecidos até então. É inegável que este sistema adaptou-se bastante bem às necessidades da época que eram predominantemente voltadas para a quantidade. decorrente de sua característica principal: os artesãos. entre outros fatores ao progresso político e econômico da época. Posteriormente esses postos foram reproduzidos ao longo do processo de produção. Essa sistema entretanto. à partir da década de 60/70 o país onde os Sistemas de Produção vem apresentando resultados mais significativos. As quantidades de bens produzidas pelo sistema artesanal já não eram suficientes. sendo comuns os locais com pouca ou nenhuma iluminação ou ventilação. É fácil de verificar que os custos de produção aumentaram com essas medidas. Inicialmente um fabricante de produtos baratos e sem qualidade no pós-guerra o Japão veio a tornar-se. O advento da Segunda Guerra Mundial solidificou o conceito de Linha de Montagem e estendeu-o a itens da indústria bélica. viram seu nível de satisfação e portanto de envolvimento com o produto baixar consideravelmente em parte porque a especialização do trabalhador em operações específicas tornou o artesão “dispensável”. principalmente os aviões. Essa forma de produzir foi introduzida no mundo industrial inicialmente nos processos de montadoras de automóveis em função de seu criador e posteriormente copiada por outros ramos da atividade industrial. embora os estoques de matéria-prima e componentes ainda fossem muito altos e o ambiente fabril não tivesse sofrido grandes alterações em termos de segurança e salubridade. produzi-los em locais chamados indústrias. entrecortado por ilhas e sofrendo a ação de terremotos e neve. porém com povo disciplinado. revolucionaria à época. roupas e sapatos. o que inviabiliza a agricultura e a pecuária. A Linha de Montagem criou facilidades ainda maiores no que se refere a quantidades produzidas. desvantagens e dificuldades (algumas das quais perduram até nossos dias). pois introduzia o conceito de que os produtos deveriam mover-se ao longo do processo de fabricação. organizado e predisposto ao trabalho em grupo. homem passou então a industrializa-los. sem dúvida.metais e petróleo). enquanto os trabalhadores permaneciam fixos em seus postos realizando as já conhecidas operações específicas. também apresentou em seu início. vantagem que só nos últimos anos as economias ocidentais vem descobrindo. Esse fato obrigou que os Sistema s de Produção contassem com um posto de trabalho para inspeção dos produtos no final da linha de produção. pobre em recursos naturais . Após o final da guerra e apoiada em um conjunto diversificado de fatores começa a surgir no cenário econômico uma nova potência industrial ao lado dos Estados Unidos e as Européias já conhecidas: o Japão. porém com 67% de montanhas. onde o processo de fabricação tornou-se fragmentado e cada artesão responsável apenas por uma determinada parte da atividade de produção. Entretanto um fato novo viria a trazer modificações consideráveis nessa forma “industrial” de produzir: a invenção da Linha de Montagem pelo americano Henry Ford. Desnecessário dizer que o valor dos salários diminuiu na mesma proporção em que aumentou a oferta de mão-de-obra. Produtos de alta tecnologia e qualidade a preços acessíveis são o carro chefe na economia de um país de reduzida área territorial (área semelhante ao do estado de São Paulo. A mais importante delas foi. Acrescente a esses fatores que o ambiente das indústrias nessa época era de insegurança e insalubridade. acostumados ao domínio de todo o processo de produção. notadamente o de eletrodomésticos. uma vez que o treinamento naquela determinada operação era possível de ser feito em tempo muito menor que o envolvido na formação completa exigida de um artesão.

) e outras.). 7 . Dentro desse panorama o que se espera do Administrador.E.I. o país onde se emitem o maior número de Certificados de I. vem respondendo bem. A qualidade do produto ou serviço produzido em uma determinada região ou país deve satisfazer as exigências do mercado local e as exigências do novo conceito de qualidade em nível mundial.O 9000.). ligado à área de produção.P. No Brasil estas mudanças vem penalizando seriamente alguns setores da economia. Tradicionalmente julgávamos a qualidade de um produto ou serviço apenas pelo seu aspecto funcional. Controle Estatístico de Processo (C. A área de produção seja ela voltada para o setor de produtos ou mais recentemente de serviços é desafiante e normalmente decide o sucesso ou o fracasso de uma empresa. como: Just-in-Time (J. O Brasil. apesar das dificuldades adicionais que se vê obrigado a enfrentar como os encargos sociais na contratação de empregados. é que seja conhecedor do mercado em que está atuando.S. O Futuro dos Sistemas de Produção: A globalização obrigou que se introduzissem diversas mudanças nos Sistemas de Produção. a principal delas está sendo a ampliação do conceito de qualidade de produto ou serviço.T.C. dificuldades na política de exportação. Círculos de Controle de Qualidade (C. proporcionalmente ao seu número de empresas em todo o mundo.Japão utilizou-se de técnicas já conhecidas dos americanos mas que não haviam tido repercussão. Estamos no domínio da competitividade. acostumados à proteção do Estado e ao despreparo do consumidor. do custo mundial e da qualificação profissional. e esteja munido de informações em número suficiente para tomar as constantes decisões que lhe serão solicitadas. prazo de entrega e estrutura de serviços que se coloca a disposição do cliente no pósvenda. por exemplo. os conceitos de preço. tornando-se. Esses conceitos estão desaparecendo rapidamente. Hoje o conceito modificado de qualidade incorpora. estrutura de transportes ultrapassada e cara (fatores que nos acostumamos a chamar genericamente de “Custo Brasil”). se a empresa desejar manter-se em crescimento no mercado.Q. quando pouco. desproporcional carga de tributos. Kanban.