Tutorial para uso do PS3 Media Server (incompleto

)

AVISO IMPORTANTE ESTE TUTORIAL SE ENCONTRA INCOMPLETO, FALTANDO ALÉM DE SCREENSHOTS, A TERCEIRA PARTE, QUE ABORDA “AJUSTES FINOS”. SEJA ESSA PARTE OU O TUTORIAL COMPLETO, QUANDO ESTIVER PRONTO, FICA LIVRE A PUBLICAÇÃO EM OUTROS SITES E BLOGS, DESDE QUE A FONTE SEJA CITADA. ATÉ ONDE ESSA VERSÃO ACABA, HÁ POSSIBILIDADE DE RESOLVER A MAIORIA DOS PROBLEMAS MAIS GROSSEIROS E FAZER COM QUE O PS3 MEDIA SERVER RODE SEM GRANDES PROBLEMAS. FICA A SEU CRITÉRIO LER E SEGUIR ESSE TUTORIAL INCOMPLETO. Atualizações ● 11/05/2011: Adicionado o link para a mais nova versão do PS3 Media Server (1.21.1) em “Recomendações” Sempre que entro em alguns fóruns e sites, sejam específicos sobre consoles ou sobre eletrônicos num geral, sempre leio algo em comum: os consoles de hoje são media centers. E são mesmo. Há como ver fotos, ouvir músicas, ver filmes em DVD, Blu-Ray ou em formato digital e jogar. Além do que já são preparados para serem ligados nos melhores sistemas de som e vídeo utilizando as melhores conexões da atualidade. O que também vejo ser algo comum nesses fóruns e sites é que poucos sabem como utilizar o console dessa forma. Muita gente tem alguma ideia, sabendo que dá pra ver filmes em mídias físicas (DVD, Blu-Ray) e que há, na Xbox Live e na Playstation Network, uma seção da Store que é destinada a músicas e filmes. O chato é que quase 100% do conteúdo disponível nessas seções são bloqueadas para IPs brasileiros: você pode até entrar na loja, mas sempre que você tenta comprar um filme, música ou clipe de música, há a mensagem que “o conteúdo não está disponível na sua região”. Isso promete ser mudado com as versões brasileiras da Live e PSN, mas fica numa promessa por enquanto. Puxado pelo fato de que a maioria das pessoas baixa filmes e jogos pelo computador e com o advento do DLNA em consoles e, atualmente, até em TVs, há uma maneira mais amigável de conseguir usar todo o potencial do seu console e/ou TVs como media centers: os media servers. Há alguns media servers pela internet, sendo a maioria distribuídos como freewares, sendo um ou outro que obrigue você a pagar para ter uma versão “PRO”, com direito a mais funções e compatível com outros eletrônicos como o iPod, iPhone, iPad, celulares com Android e por aí vai. O funcionamento de um Media Server, bem a grosso modo, é ler um arquivo de áudio ou vídeo do seu PC e transformá-lo em um formato que seu console, gadget ou TV aceite pelo modo on the fly, ou seja, enquanto o filme/música estiver rodando. Isso é bom, pois nem todos os formatos de vídeo e áudio são aceitos pelos consoles, gadgets ou tvs. E pra complementar, mesmo que um formato seja aceito pelo seu console/gadget/tv, dificilmente ele aceitará rodar o filme com a legenda, seja formato .srt ou .sub, quando você os baixa de forma separada. Ele possibilita que você veja o filme da mesma forma que você os vê no PC, mas com a comodidade de ver na sala e numa TV grande (pelo menos uma boa parcela de pessoas que tem um PS3 ou 360 tem uma tv grande na sala). E isso aproveitando a boa definição que essas TVs de hoje conseguem exibir. Por que o “PS3 Media Server” e não o Tvsersity ou VLC? Porque apesar de feio, acho um dos Media Server mais completos que pode-se usar. Ele é gratuito, altamente modificável, compatível com a maioria dos eletrônicos com suporte a DLNA disponível no mercado e faz muito bem o seu trabalho, desde que bem configurado. E esse tutorial tem exatamente esse objetivo: ajudar você a configurá-lo da melhor forma possível. Espero que gostem do tutorial e, se for copiar, nunca se esqueçam de dar os

devidos créditos, já que fiz isso aqui de pura boa vontade. Vamos aos primeiros avisos do tutorial. Ah, e não se esqueçam de clicar nos links aqui desse tutorial. Leiam com atenção e vejam as imagens e links que coloquei aqui, pois tudo foi feito para deixar o mais mastigado possível.

Avisos – LEITURA OBRIGATÓRIA 1. Há várias configurações de PCs, sistemas, infraestrutura de rede e pode ser que o que eu fale aqui não dê 100% certo aí. Algum ajuste fino poderá ser necessário; 2. Alguns problemas podem ser relacionados com a má configuração da rede entre seu PC e o console que for usar e, para resolver isso, pode ser que seja necessário mudar alguma configuração do seu roteador ou do seu PC em relação a isso. Se não sabe configurar seu roteador ou a rede, no geral, não fuçe; 3. Como sempre e, por consequência, está fazendo isso por sua conta e risco. Vou dar “n” avisos aqui sobre partes críticas pra tentar ajudar, mas se está fazendo isso com pouco conhecimento e mexendo onde não deve, pode acabar ferrando alguma parte do sistema (apesar de que não há necessidade de mexer em áreas críticas, como o registro); 4. Há versões para Linux e Mac OSX, mas como não tenho experiência com elas, só vou falar aqui da versão Windows; 5. Pergunte e pesquise. Use os comentários e/ou procure no Google caso aconteça algum fato que não esteja relacionado aqui; 6. Apesar do nome “PS3 Media Server”, o software consegue ser utilizado no 360 e outros eletrônicos, como TV e celulares compatíveis com DLNA; 7. Estou falando aqui pensando que um você sabe mexer no básico do seu sistema: atribuir IPs manualmente, mexer no seu roteador, nas configurações de rede do seu console e tudo mais. Não tenho o propósito aqui de ensinar esse básico, até porque o tutorial ficaria mais longo do que o necessário. Apesar disso, vou tentar esmiuçar certos pontos, mesmos que básicos, só para que os passos que eu quero que você execute fiquem claros. Recomendações ● Básico: é necessário ter a última versão do Java, que pode ser encontrada aqui. ● Versão do PS3 Media Server: 1.20.409 (beta). Há a versão estável, mas a beta já contem algumas melhoras em relação a estável e conta também com alguns upgrades bem vindos. Baixe aqui a versão beta ou, caso encontre algum problema, baixe aqui a versão estável (versão 1.10.51). A versão mais atual no momento é a 1.21.1. Altamente recomendada por conter várias melhorias e ser uma versão estável e não beta. Baixe aqui a última versão. ● Codecs: de acordo com o próprio site, não é necessário um pacote de codecs, mas sempre recomendo que se use. Aqui uso o K-Lite Codec Pack versão 64bits. Se quiser, recomendo a versão Standard, caso use Windows 32bits ou a minha versão, caso use Windows 64 bits. Baixe aqui ou veja outras versões mais completas, como a Mega. Lembre-se de desinstalar qualquer versão anterior de outros codecs que estejam instalados. Se você já tem um bom pacote de codecs ou codecs bons que foram instalados de forma separada uns dos outros, então não há a necessidade de instalar esses pacotes. Mas fica, ainda assim, a recomendação deles, já que os considero os melhores para Windows na atualidade. ● Hardware e SO: o programa não faz milagres. Não tem como rodar um filme em 1080p ou 720p num Pentium IV sem que se faça a diminuição da qualidade do vídeo. No entanto, também não será preciso um Alienware para usá-lo. O principal aqui é ter um sistema que funcione bem, um bom processador e boa quantidade de memória, o que para a plataforma Windows, sendo um Core 2 Duo (ou algum AMD equivalente), a partir de 3GB de ram e o Windows 7 (de preferência o 64bits). Se quiser, pode usar o XP ou Vista, já que ele é compatível com eles também. Não é

necessário que tenha uma VGA pra rodar o programa, já que ele não usa processamento nenhum da GPU pra fazer o que faz. ● Rede: tenha preferência pela rede por cabos. Da mesma forma, o software não faz milagres. Mesmo um PC com um ótimo hardware não consegue fazer um streaming bom em uma rede WiFi G. Uma rede WiFi N pode ajudar bastante, já que o pico da velocidade de transferência pode se igualar a uma rede cabeada de 100Mbit, mas WiFi, na sua naturalidade, tem problemas com barreiras físicas como paredes, canos d’água, distância entre roteador e cliente e coisas assim. Isso acarreta perda de pacotes, de velocidade de transferência e compromete a qualidade da transmissão. Se não houver como ter uma rede cabeada, vou dar algumas dicas de como configurar o programa para a rede. Com os avisos e recomendações dadas, vamos ao que interessa. Passo 1 – Rede Antes de começar esse passo, uma dica importante: o PS3 Media Server é muito tranquilo de ser usado. Se você não tem problemas com a sua rede ou sabe que ela está bem configurada num geral, então esse passo é facultativo. Caso tenha problemas básicos, como o console não achar o Media Server ou caminho inverso, ter baixa performance de rede, seu PS3 ou 360 estar em NAT 3/NAT restrito ou fechado e coisas do tipo, então recomendo que tente solucionar seus problemas de rede vendo alguns pontos desse primeiro passo, principalmente a seção de problemas comuns. Como disse há pouco, o melhor é que se tenha uma rede cabeada à uma rede WiFi. O ideal seria que o PC/Notebook estivesse ligado diretamente no PS3, sem um roteador ou qualquer outra coisa em seu caminho, mas como isso é impossível em alguns casos, temos que deixa-la preparada para receber isso. Os roteadores aqui de casa são Linksys modificados com o firmware DD-WRT, o que deixa-os mais estáveis, com mais funções e funcionando melhor do que com o firmware original. Há duas maneiras de você preparar a sua rede: ou você deixa que as coisas funcionem do modo automático, usando o UPnP (recomendo, por ser mais fácil), ou, caso haja algum problema, que se atribua um IP estático de rede. Cada roteador tem menus diferentes, mas a função de cada coisa é praticamente a mesma. Portanto: ● Para o modo automático: ○ Deixe seu PC e seu PS3 setados para que ambos consigam IPs automáticos¹; ○ No roteador, certifique-se que a função DHCP Server/Servidor DHCP esteja habilitada; ○ Ainda no roteador, certifique-se que a função UPnP esteja habilitada, para que o “port forwarding” seja feito de modo automático; ○ No Windows, o compartilhamento de arquivos/file sharing e a descoberta de rede/network discovery devemestar habilitados. Observações: ¹: alguns roteadores são mais chatos no modo automático, fazendo com que sempre o PS3 esteja dentro de um NAT restrito (NAT 3). Isso pode ser visto no teste de conexão do PS3, onde em NAT type, ele poderá exibir NAT 1, NAT 2 ou NAT 3. O NAT 1 só acontece quando o PS3 está ligado diretamente na internet, sem intermédio de um roteador ou PC e mostra o sucesso na abertura da conexão. NAT 2 mostra o sucesso da conexão, mas sob o intermédio de um roteador ou PC. NAT 3 é o tal do NAT restrito ou fechado, quando não há sucesso na abertura da conexão, causando maior lentidão, dificuldade de se conectar e manter-se conectado na rede e em jogos multiplayer. Se acontecer de ficar em NAT 3, terá de configurar o roteador, PS3 e PC do modo manual, que pode precisar de mais conhecimento e paciência, já que nem toda vez a configuração dá resultado positivo. No Xbox 360, esse NAT é mostrado como aberto, restrito ou fechado, indo nas configurações de rede e teste de conexão.

● Para o modo manual: ○ Sem DMZ: ■ Atribua um IP para seu PC, indo nas configurações de rede. Como exemplo, 192.168.1.10; ■ Em Máscara de Subnet/Subnet Mask, 255.255.255.0; ■ Em Gateway Padrão/Default Gateway, o IP do seu roteador. Ex: 192.168.1.1; ■ Em DNS Server, também o IP do seu roteador; ■ Atribua um IP manualmente para seu PS3, atribuindo os mesmos valores para Gateway, DNS, Máscara de Subnet, mudando somente o IP para algo diferente do que você colocou no seu PC. Ex: se colocou 192.168.1.10 para o PC, coloque 192.168.1.11 para o PS3; ■ Opcional: entre no seu roteador e desabilite o DHCP server; ■ Entre no seu roteador e vá à seção de Port Forwarding/Redirecionamento de portas; ■ Insira o IP que atribuiu ao PS3 e redirecione para as seguintes portas: TCP: 80, 443, 5223; UDP: 3478, 3479, 3658; Ambos/Both (UDP/TCP): 5001; ■ Insira o IP que atribuiu ao PC e redirecione somente a 5001, tanto para UDP como pra TCP (both/ambas). ■ Desabilite a função UPnP do roteador;

● Com DMZ: ○ Como o anterior, atribua IPs manualmente para o seu PC e seu PS3; ○ No seu roteador, desabilite a função DHCP server; ○ No roteador, desabilite a função UPnP; ○ Ainda no roteador, procure pela função DMZ. Alguns roteadores pedem uma faixa de IPs (para os que permitem o DMZ também com DHCP ligado e com ips dinâmicos). Outros pedem que se determine um único IP. Caso o seu permita colocar uma faixa de IPs (“de X a Y”), determine que seja o IP que atribuiu ao seu PC até o que atribuiu para o PS3. Se for somente um, faça o port forwarding para o PC, como mostrado acima, e atribua o IP do PS3 no DMZ. Atenção: o DMZ expõe/abre todas as portas do IP que foi selecionado, o que pode, para alguns, ser um problema grave de segurança. Apesar disso, é um passo que na maioria das vezes funciona para quem tem problemas de NAT com o PS3. Todos esses passos servem também para o Xbox 360, já que se pode configurar a rede dessa forma em ambos. Acredito em em TVs e outros gadgets também haja essa possibilidade. No final de todos esses processos, seja pelo modo automático ou pelo modo manual, os objetivos são os seguintes: 1. Que você veja, pelo PS3 Media Server, que ele achou seu PS3, 360 ou outro gadget (veja a imagem da confirmação); 2. Que seu PS3, Xbox 360 ou outro gadget te confirme que está enxergando o PS3 Media Server pela rede (veja como ele aparece no PS3 e no Xbox 360); 3. Você consiga navegar nos arquivos do seu PC pelo seu PS3, Xbox 360, TV ou gadget qualquer utilizando a entrada do PS3 Media Server que aparece no seu aparelho (veja aqui alguns exemplos).

Problemas que podem ocorrer nesse passo a) O PS3/360/TV/gadget não acha o PC e/ou PS3 Media Server: as opções de compartilhamento de arquivo e descoberta de rede no Windows devem estar habilitados, tanto para a configuração automática quanto pra manual. É o mais básico para que o aparelho enxergue seu PC e principalmente o PS3 Media Server. Caso isso esteja feito e mesmo assim o problema persiste, verifique esses pontos:

● Desligue o servidor DHCP/DHCP server do roteador, caso tenha feito o passo sem DMZ ligado; ● Veja se não esqueceu de atribuir alguma porta ou IP no port forwarding; ● Tente desligar o firewall do Windows ou outro que tiver; ● Desligue o antivírus que tiver enquanto estiver rodando o PS3 Media Server¹; ● Atribua permissões no firewall, antivírus ou security suíte que estiver usando, caso não queira desabilitá-los; ● Desabilite o firewall e outras proteções que estiverem habilitadas no roteador; ● Troque a porta padrão do PS3 Media Server e/ou force a conexão em alguma interface de rede². Observações: ¹: Alguns antivírus como o Kaspersky e McAfee tendem a monitorar portas como forma de proteção, mais ou menos como fazem as security suítes e firewalls, impedindo certas conexões de serem ativadas. Pode ser que somente liberando o executável do PS3 Media Server para que seja permitida a sua conexão com a rede/internet, o problema seja sanado, mas há alguns casos até mesmo no fórum oficial onde foi necessário desinstalar o antivírus e instalar um outro para que a conexão fosse liberada. Isso pode acontecer tanto no modo automático quanto manual e independe de qualquer configuração feita no roteador, consoles e PC. ²: Como podem ver nessa imagem, o PS3 Media Server possibilita que se forcem alguns atributos da conexão como interface, IP e porta. Talvez você esteja usando a internet via WiFi, mas fará a conexão entre o console e o PC diretamente via cabo ou vice-versa. O PS3 Media Server não entende essa preferência na maioria das vezes, então é necessário que se faça a escolha da conexão em “force networking on interface”, fazendo com que o software só faça conexão por aquela interface selecionada, seja usando a placa de rede ethernet ou a WiFi. Pode-se também forçar que seja executado num IP específico, já que o IP entre uma interface e outra é diferente, caso ambas estejam funcionando ao mesmo tempo. Isso reforça a mudança da interface, feita logo acima. A próxima é a modificação da porta, passando de 5001 (padrão) para outra de sua escolha. Pode ser que algum outro programa esteja usando a 5001 e isso crie conflitos. Mudando para 6001 ou outra que esteja livre à sua escolha pode resolver esse problema. Só que se mudar a porta aqui e tiver configurado a rede no modo manual, terá que mudar o valor da porta que colocou para port forwarding para o mesmo valor que atribuiu ao PS3 Media Server. A próxima e final possibilidade seria atribuir o IP do PS3, 360, TV ou gadget no quarto campo, onde só esse aparelho poderia enxergar e se conectar ao PS3 Media Server. b) Console/TV/Gadget enxerga o PS3 Media Server, mas não consigo navegar nas pastas do meu PC por ele: há algumas saídas, sendo que você pode ter esquecido, novamente, de habilitar a descoberta de rede/network discovery e o compartilhamento de arquivos/file sharing nas configurações de rede do Windows. Caso isso esteja habilitado: ● Verifique se no PS3 Media Server, em Navigation/Sharing Settings (veja imagem), se a pasta que deseja navegar está habilitada ali; ● Tente fazer o compartilhamento manual no Windows, além de setar a pasta nas configurações do PS3 Media Server, clicando em cima da pasta com o botão direito do mouse, clicando em Propriedades/Properties, depois Compartilhamento/Sharing e então em Compartilhar…/Share… e adicionar Todos/Everyone; logo depois, clicar em Compartilhamento Avançado/Advanced Sharing e então clicar em Compartilhar essa pasta/Share this folder; ● Verifique as configurações do antivírus/firewall/suíte de segurança em relação às permissões de acesso; ● Desabilite as proteções do roteador; ● Verifique portas atribuídas em port forwarding caso tenha feito pelo modo manual. c) Console/TV/Gadget demora para achar o PS3 Media Server/não acha após desligar e religar o console/tv/gadget: isso pode acontecer e ainda não há um consenso sobre a solução. Algumas delas podem dar certo, sendo elas:

● Caso use um firewall além de o do próprio Windows, atribua a permissão tanto para a porta do PS3 Media Server de entrada e saída (UDP, TCP); ● Force a conexão por uma interface, IP e/ou porta, como explicado anteriormente; ● Faça um reset do PS3 Media Server quando for ligar o aparelho novamente (clique em quit e volte a liga-lo. Clicar em “x” para fechá-lo pode somente fechar a janela e deixa-lo minimizado perto do relógio no Windows); ● Se sua rede está setada no Windows como Pública/Public, mude para Home/Casa; ● Se já tem o Java instalado, verifique se não há um update para ele. Se há, faça; Encerra-se aqui o básico das configurações de rede. Quaisquer problemas, use o sistema de comentários do blog ou dê um Google no problema. Passo 2 – Configurando o PS3 Media Server Introdução O PS3 Media Server, como mencionei acima, é um programa feio, porém bom no que faz e muito customizável. Vamos estudá-lo um pouco antes de começar a fuçar nas suas funções. Ao executá-lo, você verá essa tela. Acima, os botões Save, Restart HTTP Server e Quit: ● Save: Toda vez que você mudar alguma configuração, clique nele para que ele salve essa modificação. ● Restart HTTP Server: Algumas configurações, além de necessitarem serem salvas pelo programa para serem executadas quando for usá-lo futuramente, precisam que o servidor HTTP do PS3 Media Server seja reiniciado. Geralmente esse botão está apagado, como na foto, mas algumas funções o deixam ativo. Quando não houver discriminação de que tal função necessita de um reset no servidor HTTP, ver esse botão ativo é um sinal de que isso é necessário. ● Quit: como já falei anteriormente, clicar em “X” na janela do PS3 Media Server pode somente minimizá-lo entre os ícones que ficam ao lado do relógio do Windows. Para realmente fechar o programa é necessário apertar esse botão. Vamos usá-lo muito, já que eu prefiro sair e reiniciar o programa após certos ajustes finos feitos. Logo abaixo temos algumas abas, que nos dão acesso a outras opções do software: ● Status: é a principal. Mostra-te um resumo, em gráfico, do qual dispositivo o programa achou na rede, quais estão conectados, a memória de buffer que está sendo utilizada no momento, a velocidade de transferência atual e o pico dessa velocidade até o momento. ● Traces: é o log do PS3 Media Server. Tudo o que ele executa ou deixa de executar, os motores de transcoding que ligou, a versão do Java que está utilizando, em qual interface ele se ligou e em qual IP e porta está disponível na rede, os arquivos que ele tentou renderizar com sucesso ou não… tudo está discriminado nesse log e é importante, caso tenha algum problema, ver esse log antes, durante e depois da tentativa de execução de algum arquivo pelo PS3 Media Server. ● General Configuration: configurações gerais, como o próprio nome diz. Aqui você define o idioma do programa (há como usá-lo em português de Portugal), setar para iniciar já minimizado, instalá-lo como um serviço do Windows (veremos um pouco disso mais pra frente), além de dar as opções que já vimos anteriormente sobre forçar o funcionamento em uma interface, IP e/ou porta específicas e a filtragem de IPs. Além disso há a opção de habilitar a engine HTTP V2 (também veremos isso mais pra frente) e de prevenir que o sistema “durma” enquanto você faz o streaming. Se seu notebook/PC está configurado para entrar em stand-by após passados alguns minutos ou horas sem atividade, habilite essa opção para que o PS3 Media Server dê um sinal de atividade pro sistema regularmente, impedindo que o sistema “durma”, interrompendo si próprio e o streaming que estiver fazendo. Por fim, essa aba também mostra os plug-ins ativos, já que o software os suporta (há, por exemplo, plug-ins para habilitar a exibição de conteúdo online, como do Youtube). ● Navigation/Share Settings: aqui vemos as opções sobre a geração de thumbnails, sobre as opções de navegação pelos arquivos e quais pastas estarão compartilhadas/disponíveis para o programa e para quem se conecte por ele. Deixando claro que as opções de geração de

thumbnails têm mais relação com aparelhos da Sony, ou seja, PS3 e TVs Bravia. No 360 isso não é mostrado. ● Transcoding Settings: é o menu mais importante para o ajuste fino do programa. Aqui temos um resumo dos motores de transcoding de áudio e vídeo e também seus ajustes, além das configurações gerais/comuns a todos os motores de transcoding e do próprio software. ● Readme e FAQ/Help: São explicações gerais do programa e, em FAQ/Help estão explicados alguns problemas comuns que podem acontecer em certas configurações. Tudo está em inglês, mesmo que mude o idioma do programa para Português de Portugal ou outro idioma de sua escolha. ● About: sobre o programa. A versão que está sendo executada e links dos principais motores de transcoding utilizados pelo programa. ● Configurações Básicas Essa é só a parte básica dele. É pra você conseguir usá-lo e conseguir ver um filme rodando no seu console/TV/gadget, que é o principal, esteja o filme rodando com problemas ou não. Se ele rodar, mesmo que travando, com baixa qualidade ou não, então você conseguiu passar desse segundo passo e aí entramos no terceiro, que serão os ajustes finos. Aqui, resumindo, é conseguir ver um arquivo de filme, do modo que seja exibido: ● Som; ● Imagem; ● Legenda. Só que, para que isso aconteça, os objetivos do passo anterior já devem ter sido alcançados, sendo eles você ter conseguido fazer com que seu aparelho enxergasse o Media Server e vice-versa, além de ter conseguido navegar entre as pastas disponíveis no seu PC através do Media Server no seu console/tv/gadget. Geralmente o próprio Media Server já vem com uma configuração básica pronta pra ser usado, então se você já consegue acessar os arquivos, já pode tentar rodar algum filme indo na pasta em que ele se encontra. Só tomar o cuidado básico de que no PS3 e no 360, as seções de vídeo, imagem e audio estão separadas e, se o PS3 Media Server for acessado em uma dessas três categorias distintas, ele só vai enxergar esse tipo de arquivo da categoria. Nunca vai conseguir ver um arquivo de vídeo ou áudio na categoria de imagens/fotos e assim sucessivamente. Então, entre na categoria Video (PS3) ou Biblioteca de Vídeos/Video Library (360) e procure por um filme que já tenha legenda. Se ele rodar, tendo som, imagem e legenda, ótimo. Não vamos discutir qualidade de som, imagem ou mesmo da legenda aqui. Caso não houve sucesso, então vamos aos problemas mais comuns desse passo. Problemas que podem ocorrer nesse passo a) A imagem do filme não aparece, há som e não há mensagem alguma de erro: é um erro incomum, já que o próprio PS3 Media Server já vem com os motores básicos de transcoding. Se isso acontecer, tente reinstalar os codecs que você baixou. Se isso persistir, veja se há uma pasta chamada #Transcode# na mesma pasta em que você acessou seu filme. Essa pasta é importante porque ela te dará opções de outros motores de transcoding caso o padrão (MEncoder) não funcione corretamente. Se essa pasta não estiver habilitada, siga esses passos para habilitá-la: ● Abra o PS3 Media Server; ● Clique na aba Navigation/Share Settings; ● Caso esteja ativada, desative a opção Hide #Transcode# Folder; ● Clique em Save; ● Clique em Restart HTTP Server.

Isso deve ter habilitado a pasta. Com ela habilitada, entre nessa pasta e procure por TsMuxer ou o nome do arquivo do filme seguido por TsMuxer. É um motor de transcoding que serve de opção ao MEncoder. Se o filme funcionar dessa maneira, legal. Mas antes, veja se outros estão sofrendo do mesmo problema, pois aí a coisa deixa de ser normal e teremos que apelar pra reinstalação/upgrade da versão do MEnconder. Para que não digam que isso não foi falado, algumas TVs podem ter uns probleminhas ao trocar da imagem do console para vídeo (PS3 e 360 podem utilizar formatos de cores diferentes do RGB para exibição de vídeos). Se isso acontecer, ou você pode forçar um formato (RGB ou outro compatível) para que não haja a troca, ou tentar desligar e ligar a TV, já que isso faria o sistema da TV reiniciar e você ver a imagem sem problemas. b) Há imagem e legenda, mas não há som/poucos sons audíveis: isso pode acontecer, apesar de também ser um tanto incomum, mas geralmente há problemas em quem possui um home theater que tenha ou não as funções de DTS. Como fazer com que seu home theater detecte o DTS ou outras caixas de som, vou deixar para o próximo passo, pois mexer nisso significa aumentar a qualidade de uma característica e pode comprometer o streamings do vídeo, portanto veja a seguir, em Configurações Avançadas/Ajustes Finos. Faça as seguintes verificações, mesmo que básicas, caso o som não esteja funcionando: ● Verifique o volume da TV; ● No PS3 e no 360, cheque as configurações de áudio. No PS3, caso tenha ligado em outra TV, mesmo que utilize a mesma resolução, pode acontecer de não haver áudio em certos momentos, apesar de haver som na XMB. Se isso acontecer, faça uma redetecção do áudio do PS3 em Audio Settings, deixando tudo em automático, para que ele detecte quais os formatos compatíveis com o televisor ou mesmo com o home theater em que estiver ligado. No 360, escolha a opção mais básica de som nas configurações de sistema e depois áudio, sendo ela a Stereo/Estéreo. Feito isso, seja em qualquer console, reinicie o console e verifique se há som no filme; ● Verifique se os cabos do console ou do aparelho que estiver usando estão conectados apropriadamente; ● Se necessário, reinstale os codecs. c) Há imagem, há som, mas não há legendas: por padrão, o MEncoder e o PS3 Media Server estão setados para achar automaticamente as legendas, mas para que isso aconteça é necessário que a legenda esteja com o exato mesmo nome do arquivo de vídeo e na mesma pasta. Por exemplo: se o arquivo de vídeo está com o nome “Discovery-2010.720p.mkv”, então a legenda deve estar com o nome “Discovery-2010.720p.srt (ou .sub)”. A extensão da legenda na verdade não importa para o PS3 Media Server, mas sim estar obrigatoriamente com o mesmo nome do arquivo de vídeo e ambos na mesma pasta. Caso ainda assim a reprodução do vídeo não ocorra junto com a legenda, tente os seguintes passos: ● Com o PS3 Media Server aberto, vá em Transcoding Settings e vá até a parte onde está Misc Options. Verifique, antes, se a opção Definitely Disable Subtitles está ativada. Se estiver, desative-a. Se estiver desativada, deixa-a assim. Logo depois, no segundo campo, onde está escrito Force transcode for the following extensions (coma separated), insira as seguintes extensões (se quiser, copie e cole daqui:avi,mpg,vob,wmv,asf,divx,mkv,mpeg,flv,mov Dessa forma forçaremos que todo e qualquer vídeo em todas essas extensões citadas sejam transcodificados quando pedirmos para que sejam executados. Geralmente eles sofrem transcode e ficam em formato mpeg2. Isso pode ocorrer com frequência no Xbox 360 e quase sempre forçar o transcode para ele dá certo.

● Ainda em Transcoding Settings, na lista da direita, onde aparecem cada motor de transcode que está ou não ativado, clique em MEncoder. Logo em seguida, em Subtitles Settings, desabilite o campo ASS/SSA Subtitles¹ e verifique se o campo Autoload *.srt/*.sub subtitles with the same file name está ativado. Se não estiver, ative-o. ● Feito esses passos, em conjunto ou não, salve as configurações, dê quit e execute novamente o PS3 Media Server para testar se já está exibindo ou não as legendas. Observações: ¹: Alguns já devem ter visto alguma vez legendas com alguns efeitos. Legenda de cor amarela, com sombreamento, com itálico, mostrando caracteres especiais de forma normal, com bordas azuis e por aí vai. A opção ASS/SSA Subtitles é quem controla isso. Vamos ver um pouco disso no terceiro passo, mas para adiantar, isso pode comprometer o streaming algumas vezes, por usar um pouco mais de processamento e bitrate (vou explicar isso mais pra frente). Em hardware não muito bom e/ou numa rede wireless que não seja muito veloz, pode ser que o vídeo fique dando travadinhas (stuttering, como gostam de nomear esse problema) ou até mesmo perca o sincronismo (áudio atrasado ou adiantado em relação ao vídeo). Algumas vezes as legendas podem deixar de aparecer quando essa opção está ativada, seja no PS3 ou no 360 e geralmente ela já está ativada por padrão. Não é sempre que vemos legendas trabalhadas de forma exemplar em seus efeitos, então deixar essa opção desativada acaba melhorando a performance em qualquer situação, exceto se o streaming estiver ocorrendo em um bom hardware através de uma boa rede. Mais detalhes sobre o que fazer ou deixar de fazer com isso veremos adiante. d) O PS3 dá um aviso de que o arquivo está corrompido: não é tão grave, mas em quase todas as vezes isso é proveniente do próprio arquivo de vídeo. Se isso ocorrer, tente rodar o vídeo indo pela pasta #Transcode# e executando-o usando o TsMuxer. Se ainda assim houver algum erro, é melhor que baixe o vídeo de outra fonte. e) O Xbox 360 dá uma mensagem de que o formato não é compatível: o X360 pode pedir alguma atualização de mídia para que alguns formatos de arquivos sejam lidos, mesmo que via PS3 Media Server. Quando for necessário, o sistema irá avisar claramente que é necessário um update para isso. Faça esse update, caso dê essa mensagem. Se ainda assim o vídeo não estiver funcionando, force o transcoding indo em Transcoding Settings, depois Misc Options e no campo Force transcode for the following extensions (coma separated) insira as seguinte extensões: avi,mpg,vob,wmv,asf,divx,mkv,mpeg,flv,mov (copie e cole daqui, caso ache mais fácil). Isso deve resolver o problema, já que, como dito, forçar o transcode para essas extensões faz o MEncoder transcodificar o vídeo para o formato mpeg2, que é compatível com os formatos que o Xbox 360 pode ler. Se ainda assim não houver sucesso, tente rodar o vídeo usando o TsMuxer pela pasta #Transcode#. Isso conclui o passo 2. Em caso de maiores dúvidas e/ou problemas não relacionados aqui, use o sistema de comentários.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful