Módulo Básico - Introdução

Antes de qualquer coisa, vamos a uma pequena introdução à fotografia. A palavra Fotografia vem do Grego "fós"(luz) e "grafis"(pincel), e significa "desenhar com a luz". A fotografia foi inventada a mais de um século e meio, e desde então, muitas inovações aconteceram. Desde a invenção da Fotografia Digital, ela tem sido cada vez mais aprimorada, assim como a informática, em velocidades assustadoramente rápidas. Poucos anos após sua invenção, a qualidade das fotografias digitais já conseguem alcançar uma qualidade quase igual as melhores conseguidas com filmes comuns. No mercado atual, existem centenas de opções de câmeras digitais, desde as mais simples e baratas, até as mais complexas e sofisticadas de preços mais altos. Este é um dos fatores que tem dificultado a sua popularização. A boa notícia é que com o passar dos anos, a tendência é que assim como na informática, os preços fiquem cada vez mais baixos, mesmo para os melhores modelos. Dia após dia os preços caem cada vez mais. Uma câmera digital que a 5 anos atrás você não compraria por menos de R$ 800, hoje em dia talvez você encontre uma do mesmo modelo mais atualizado por menos de R$ 300. Em conjunto com as câmeras digitais, o mercado também conta com inúmeros programas de edição, que tem se tornado cada vez mais populares. Alguns são pagos, outros gratuitos, mas uma coisa que não se pode negar é que cada vez mais, a utilização destes programas tem se tornado mais fácil. Hoje em dia não é preciso ser nenhum especialista para se conseguir fazer simples correções e edições em suas fotos. Muitos dos programas oferecidos já fazem praticamente tudo por você, é só questão de apertar um botão ou deslizar uma barra de ajuste. Uma dúvida comum, com tantas opções no mercado é: que câmera comprar? Temos dezenas de especificações apresentadas pelos vendedores e as vezes ficamos um pouco perdidos em meio a tantas palavras que nem sabemos exatamente o que significam e para que elas servem. Nas próximas aulas, veremos algumas das principais denominações atribuídas a fotografia. Não percam! Postado por Leandro L. Montanari às 02:25 Marcadores: introdução, módulo básico Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no orkut

Módulo Básico - Aula 1 - Os Megapixels
Para entender melhor toda essa salada de frutas de palavras confusas, nas próximas aulas iremos aprender algumas das principais denominações comumente utilizadas na fotografia digital.

Os Megapixels Para entendemos o que é um Megapixel, primeiro precisamos entender o que é o seu elemento menor, o Pixel. Pixel é o menor elemento em um dispositivo de exibição (tal como o monitor de seu computador, ou o visor LCD de sua câmera) ao qual é possível atribuir uma cor. Simplificando, pixels são minúsculos pontinhos de uma determinada cor, que agrupados, formam uma imagem inteira. Vamos a um exemplo. Observe a imagem abaixo:

Observe a imagem como um todo, depois olhe para a estrela marcada com o quadrado vermelho. Agora, observe esta outra imagem:

Esta estrela é a mesma da imagem anterior, ampliada 32 vezes. A olho nu não conseguimos ver estes pontos individualmente. São tão pequenos que só conseguimos ver a imagem como um todo. Por exemplo, quando dizemos que a resolução de determinada imagem é de 640 x 480, estamos querendo dizer que esta imagem é composta por 640 pixels horizontais, multiplicados por 480 pixels verticais. Para saber a quantidade total de pixels de uma imagem,

devemos multiplicar estes valores. Neste mesmo exemplo, multiplicando 640 por 480, temos o resultado de 307.200 pixels. Agora que você já sabe o que é Pixel, vamos entender mais sobre o Megapixel. Um megapixel equivale a 1 milhão de pixels. Se tivermos uma imagem quadrada com resolução 1000 x 1000, podemos dizer que esta imagem tem resolução de 1 megapixel, já que se multiplicarmos 1000 por 1000, teremos o resultado de 1 milhão, o valor exato equivalente a um megapixel. A maioria das imagens não são quadradas, mas mesmo que multipliquemos outros valores de resolução da imagem, se o resultado final for o mesmo, ainda assim podemos dizer que esta mesma imagem tem 1 megapixel. Exemplos: 2000 x 500, 250 x 4000, etc. Valores acima de 1 megapixel funcionam da mesma maneira. Assim como 1 milhão de pixels equivale a 1 megapixel, 2 milhões de pixels equivale a 2 megapixels, 3 milhões de pixels a 3 megapixels e assim por diante. Sabendo disso, você pode imaginar a quantidade de pixels das atuais câmeras na faixa dos 12 megapixels? Isso mesmo, estas câmeras produzem imagens com aproximadamente 12 milhões de pixels, uma quantidade realmente impressionante, capaz de exibir imagens de altíssima qualidade. A quantidade de megapixels de uma câmera está diretamente relacionada a qualidade da imagem que ela pode produzir, porém, este não deve ser o único fator a ser considerado para determinar a qualidade final da imagem. Mais adiante veremos o porquê. Espero que as explicações tenham ficado bem claras e de fácil entendimento. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. Montanari às 03:39

Módulo Básico - Aula 2 - A Exposição
Sejam bem vindos a segunda aula do módulo básico! Como postado anteriormente, seguiremos dando continuidade a algumas denominações comumente utilizadas na fotografia digital. A Exposição Simplificando, a exposição é a quantidade de luz que usamos para formar uma foto. Tudo o que vemos reflete luz. As câmeras fotográficas funcionam de maneira similar ao olho humano. Absorvemos e assimilamos as cores e a luminosidade presente em determinado ambiente, por isso conseguimos distinguir diferentes formas, cores e tamanhos. Foi partindo deste princípio que a fotografia foi inventada. Tons mais escuros como o preto, absorvem mais luz, enquanto que os tons mais claros, como o branco, refletem mais luz. Experimente colocar uma fonte de luz (um abajur, uma lanterna, qualquer fonte de luz) em frente a uma cartolina preta, por exemplo, e depois em frente a uma cartolina branca. Você pode observar que a cartolina branca vai refletir muito mais luz. Este princípio de reflexão de luz é o mesmo usado nos rebatedores, que estudaremos mais tarde.

Para obter um bom resultado. e se ficar escura demais. principalmente para quem está iniciando. Calma! Não se preocupe se você pensou "hã?". o principal objetivo é conseguir fotos com a quantidade de luz bem balanceada. nem de menos. Certas vezes podemos utilizar estes fatores a nosso favor para criar efeitos criativos de iluminação em determinados assuntos. velocidade do obturador e sensibilidade ISO. Para que possamos criar uma fotografia. mas no geral. dependendo da situação. Se ele estiver no meio. Ele mede precisamente a luz necessária em tempo real para criar a exposição correta. ela estará o que chamamos de superexposta. ele não vai acertar a exposição correta em 100% das vezes. por isso. Ao contrário disso. devemos deixar entrar no sensor uma certa quantidade de luz por um determinado tempo. eu vou ter sempre que tirar a foto pra depois verificar?". Cada pedaço de luz carrega um pouco de informação. provavelmente pra não acrescentar detalhes que só confudem a pessoa. podemos usar ele como base para criar uma exposição a nosso gosto. ou seja. Você deve estar se perguntando "mas e como eu vou saber se a foto está bem exposta. Com a experiência. significa que a foto vai ficar subexposta. Varia de câmera para câmera. estará o que chamamos de subexposta. que na maioria das vezes tem todos. No caso de nós humanos. tente imaginar o olho sendo a lente e o cérebro sendo o sensor (ou filme. as câmeras mais avançadas que permitem ajustes manuais. A exposição é baseada em três fatores: abertura do diafragma. absorvemos esta informação pelos olhos e interpretamos pelo cérebro. exibem esta régua. ou seja. . Este retângulo abaixo desta seta que parece um escudo nos mostra como está a exposição. é mais ou menos assim: O fotômetro da câmera é muito preciso. que simplesmente quer tirar uma foto. porém não é perfeito. A resposta é não! Todas as câmeras digitais atuais possuem um mecanismo interno chamado Fotômetro. mas no geral. que a quantidade de luz necessária para criar uma foto está perfeita. no caso das câmeras de filme). Se ele estiver mais para a esquerda. e no caso das câmeras. sem se preocupar com detalhes que só vão dificultar. nem de mais. tente imaginá-lo apenas como o cérebro da câmera. Vamos aprender sobre todos estes fatores nas próximas aulas. por hora. sobre o quanto ela deve ser clara ou escura e qual cor ela deve ter.Imagine a luz se dividindo em vários pedaços minúsculos. essa luz deve ser na medida certa. significa que a exposição está correta. ou quase todos os seus ajustes automáticos. Mais tarde entenderemos melhor o que é e para que serve o sensor. com mais ou menos luz. As câmeras compactas simples. normalmente não exibem na tela a régua de medição do fotômetro. Se a foto ficar clara demais.

a de medição central. é possível dar um tratamento na foto em um programa de edição. Espero que tenham gostado da aula e que tenham entendido. ficou toda escura. O diafragma controla a quantidade de luz que passa pela lente para chegar ao sensor. e quanto mais fechado. o que torna difícil ser recuperado por um programa de edição sem grandes perdas na qualidade. sempre tente fazer a foto na exposição correta. Nas próximas aulas vamos aprender sobre os 3 fatores que se baseiam a exposição mencionados anteriormente. mais luz consegue passar. Quanto mais aberto ele estiver. "Entendi Quase Tudo" ou "Não Entendi". e a pessoa. Provavelmente o método de medição que a sua câmera usou no momento foi o de tela inteira. Não deixem de clicar em um dos botões abaixo de cada post em "Você entendeu?". isto aconteceu pelo motivo mencionado acima. vamos aprender sobre o primeiro dos três fatores em que a exposição é baseada. Montanari às 09:36 Módulo Básico . quase como se fosse uma sombra. Por hoje é só. a abertura do diafragma. entre outros. pois apesar destes programas serem eficientes. certo? Deixa eu adivinhar. São atribuídos diferentes valores numéricos de identificação para cada abertura determinada. que considera a luz vinda de toda a cena para determinar a exposição. mas isto fica para as próximas aulas. acertei? Pois é. significa que vai ficar superexposta. para que eu possa avaliar se minhas explicações estão sendo suficientemente claras. como o de tela inteira. o fundo ficou claro e visível. que leva em consideração principalmente as partes mais claras da cena.A Abertura do Diafragma Na aula de hoje. neste caso. ou seja. Cliquem em "Entendi Tudo". nenhum faz milagre. menos luz. Se nesta hora a medição central tivesse sido usada. Existem vários tipos de medição. ela vai perder informações de cor. que era o assunto importante na foto. É verdade que mesmo após tirada.escura demais. a velocidade do obturador e a sensibilidade ISO. A Abertura do Diafragma O diafragma é o dispositivo que controla a abertura da lente. leia o manual da sua câmera e procure saber como configurar. Ele é composto por um conjunto de lâminas finas que ficam dentro da lente. porém. o sol.Aula 3 . A foto nunca vai ficar tão natural quanto seria se já tivesse conseguido a exposição correta na própria câmera. Descubra se a sua tem esta função. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. pessoal. o resultado seria diferente. que considera a parte do meio da cena. Se necessário. e se estiver mais para a direita. clara demais. . que podem facilitar muito a sua vida. Você com certeza já deve ter tirado foto de uma pessoa com o sol ao fundo. A câmera levaria em consideração a luz refletida pela pessoa no meio da foto e teria feito a exposição correta baseada nela. Algumas câmeras dispõe da configuração do modo de medição da exposição (também chamados de metering mode). Subexpondo ou superexpondo a sua foto. Existem outras maneiras de evitar situações como esta.

Por exemplo. Olhe para a imagem abaixo e observe que os números seguem uma progressão geométrica intercalada. menor será a abertura. 16. o Joãozinho que comeu 1/2 de pizza. só que ao invés de dividir pela metade a quantidade de luz. 4. apenas lembrar o que eles representam. só que ao invés de fracionar a pizza. duas vezes menos do que com f/1. é um valor maior do que 1/4 (um quarto). maior será a passagem de luz pelo diafragma. Com f/2. 2. maior abertura.4. 32. a quantidade de luz que passa pelo diafragma é reduzida pela metade. Se isto for difícil para você lembrar. que por sua vez é maior do que 1/8 (um oitavo). menor abertura. Número menor. 5. 1/2 (um meio). Com f/32. vamos ver uma imagem explicando visualmente o que eu acabei de explicar. e seguem sempre um padrão universal em todas as lentes. e assim por diante. O inverso também funciona da mesma maneira.4. ela se duplica. até f/64. menor será a passagem de luz pelo diafragma. Começando de f/1. então. e assim por diante. Com f/1. eu diria que ele cai perfeitamente para descrever os números f. você vai fracionar a luz. 22.6. 8.4. Lembra daqueles exercícios de matemática que você tinha no ensino fundamental. teremos duas vezes mais luz passando pelo diafragma do que com f/64. se você observar bem. e consequentemente. Esta é a escala padrão de números f: 1. Por exemplo. Você conhece o ditado "mais é menos"? Pois é. duas vezes menos do que com f/2. e consequentemente. 2. Com f/2. ou a Mariazinha que comeu 1/4 de pizza? Agora você usa o mesmo princípio. com f/44. e assim progressivamente. Toda esta informação pode ser um pouco difícil de assimilar somente com exemplos técnicos. Mesmo que agora para você eles pareçam apenas um conjunto de números aleatórios. duas vezes mais do que com f/32. duas vezes mais do que com f/44. Com f/22. Na imagem vemos um diafragma abrindo e fechando.8. 44 e 64.8. maior será a abertura. . Você não precisa necessariamente lembrar de todos os números f da escala. Quanto maior o número f atribuído. Ao contrário. 1. com suas aberturas e números f correspondentes aproximados. e o menor 1/64 (um sessenta e quatro avos). onde você precisava definir quem comeu mais. Número maior. teremos duas vezes menos luz passando pelo diafragma do que com f/1. a cada número f seguinte na escala. eles seguem uma lógica. quanto menor o número f atribuído. você pode tentar imaginar estes números como frações.Estes valores são conhecidos como números f ou f-stop. 11. O maior valor que você pode ter é 1 (um inteiro).

f/ . para que eu possa avaliar se minhas explicações estão sendo suficientemente claras. Aberturas com valores f/ . Na próxima aula aprenderemos sobre o segundo dos três fatores em que a exposição é baseada. f/ .Agora que você aprendeu toda a escala de números f. f/44 e f/ 4 dificilmente são encontrados. também existem valores intermed rios de aberturas que variam i ligeiramente a quantidade de luz que passa pelo diafragma. você deve saber que alguns destes números raramente são usados e que alguns outros não citados também são usados. " ntendi Quase Tudo" ou " ão Entendi". por exemplo f/ . Clique na imagem para visualizar em tamanho maior.4 a f/ . dependendo do tipo da lente. Todos os outros controles de exposição se mantiveram exatamente os mesmos em cada exemplo.8. por hoje j tivemos informaçõe o suficiente para s assimilar. mas isto é assunto para mais adiante. dependendo do número f atribuído na exposi ão. Além de contribuir para o ajuste da exposição. Dentre a escala mais comum. a velocidade do obturador. f/ . Cliquem em " ntendi Tudo". f/36.5. A escala mais comum vai de f/ . Observe que mesmo pequenos valores intermedi rios podem fazer grandes diferenças na quantidade de luz da cena. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. entre outros. f/ . Lembrem-se de clicar em um dos botões abaixo de cada post em " ocê entendeu?". a única coisa alterada fo a abertura do i diafragma. Podemos observar nesta outra imagem as diferentes quantidades de passagem de luz.3. a abertura do diafragma também tem outra função importante.1. Montanari às 14: 5 . As lentes atuais normalmente tem a sua escala de números f mais reduzida.

Observe a imagem abaixo. vamos aprender sobre o segundo dos três fatores em que a exposição é baseada. Clique na imagem para visualizar em tamanho maior. por exemplo 1" significa que a velocidade do obturador é de 1 segundo. Vamos a um exemplo. A velocidade do obturador normalmente vai de 30 segundos a 1/8000 segundos. Dependendo da velocidade que usamos. e quando acionado o disparador. por cerca de meio segundo. menos luz. além de contribuir para equilibrar a exposição. já se você deixar entrar por menos tempo. despeje água por cerca de 1 segundo. e quanto menos tempo. normalmente não exibem. Se você deixar a luz entrar por mais tempo. Em um dos copos. Para velocidade 1/100. no último dos copos. a foto vai ficar mais clara. As câmeras mais comuns. Deixe os copos vazios e encha a jarra de água. a velocidade do obturador. Quanto mais tempo ele se mantém aberto. despeje água rapidamente.A Velocidade do Obturador Na aula de hoje. A Velocidade do Obturador O obturador é um dispositivo mecânico que abre e fecha. a câmera mostra um sinal de aspas após o número. podemos criar efeitos criativos de movimento ou congelamento para determinados assuntos. despeje água por cerca de 3 segundos. dependendo da velocidade usada. tudo isso é ajustado automaticamente pela câmera. . também tem outra função importante. é claro. Com a velocidade do obturador funciona da mesma maneira. Para velocidades de 1 segundo ou mais lentas. ele fica no interior do corpo da câmera. e consequentemente a quantidade de água que veio da jarra para o copo foi maior. e muito menos permitem ajustar a velocidade do obturador. e ao invés de ser um copo. Façamos uma análise: qual dos três copos tem mais água? O último. Por fim. de 2 segundos. Já as câmeras mais avançadas sempre permitem este ajuste. Ele controla por quanto tempo a luz que passa pelo diafragma vai ficar exposta ao sensor. é o obturador que recebe. mais luz passa. um pouco atrás do diafragma da lente. No outro. porque você deixou a água cair da jarra por mais tempo. Assim como a abertura do diafragma. Repare que a mesma foto pode ter diferentes resultados. Pegue 3 copos e uma jarra.Módulo Básico . só que ao invés de ser uma jarra com água. 3" de 3 segundos e assim por diante. 2". vai ficar mais escura.Aula 4 . a câmera normalmente vai exibir apenas o 100. ele se abre. É muito simples de entender. por exemplo. as chamadas compactas. É uma espécie de cortina que protege o sensor da luz. Já que esta aula sobre o obturador é um pouco mais curta. vou aproveitar para explicar esta função nesta mesma aula. para o fotógrafo ter apenas o trabalho de apontar e clicar. é a luz que entra.

com velocidade de 1/3s. O mesmo vale para o contrário.No primeiro exemplo. Altas velocidades podem ser usadas para congelar coisas realmente rápidas. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. No segundo exemplo. A escala ISO mais comum vai de 100 a 3200. Montanari às 10:30 Módulo Básico . Mas muito cuidado. deixamos o valor ISO mais baixo. o sensor é duas vezes menos sensível do que em ISO 1600. como era chamado antigamente nas câmeras de filme. para que a foto não fique escura demais. o sensor é duas vezes mais sensível do que em ISO 200.A Sensibilidade ISO Na aula de hoje. a sensibilidade do sensor a luz dobra. A Sensibilidade ISO A sensibilidade ISO. O movimento da própria câmera pode afetar no efeito de embaçamento. Geralmente. que transmite a sensação de movimento na foto. pessoal. Por hoje é só. só que dividindo a luz pela metade. Sempre que for usar velocidades muito baixas. as coisas que estão em movimento criam um efeito embaçado. em ISO 200. Em ISO 800. o sensor é duas vezes mais sensível a luz do que em ISO 100. opte por usar um tripé. Usando velocidades mais baixas. o sensor é duas vezes menos sensível a luz do que em ISO 3200. A abertura do diafragma e a . o efeito foi completamente diferente. Por exemplo. velocidades muito baixas podem ser uma faca de dois gumes. e assim por diante. ou ainda um carro de fórmula 1 a toda velocidade. mas atualmente já existem câmeras que chegam a valores exorbitantes de ISO 102400. Veja um exemplo de como a sensibilidade ISO afeta a exposição. repare como a foto ganhou uma sensação de movimento. normalmente deixamos o valor ISO mais alto. é a medida de sensibilidade do sensor a luz. e assim por diante. a sensibilidade ISO. o movimento das asas extremamente rápidas de um beijaflor. para que a foto não fique clara demais. Espero que estejam gostando e entendendo bem as aulas. ISO também pode ser referido como ASA. aprenderemos sobre o terceiro e último fator em que a exposição é baseada. com velocidade de 1/200s. quando vamos fotografar em um ambiente bastante iluminado. e isto pode arruinar a foto. Algumas vezes. Podemos congelar por exemplo. Por exemplo. também conhecida por velocidade ISO. Na próxima aula aprenderemos sobre o terceiro e último fator em que a exposição é baseada. Quanto maior o número ISO. Muitas das vezes a idéia é apenas criar uma foto com a sensação de movimento para o assunto fotografado em questão. Em ISO 400. e não criar uma cena toda borrada com todos os assuntos da cena indistinguíveis. em ISO 1600. a água parece estar congelada.Aula 5 . Já em ambientes de pouca luz. A cada valor de ISO que aumentamos. ele pode facilitar muito as coisas. maior será a sensibilidade do sensor a luz.

Este ponto negativo chama-se ruído. Saber conciliar abertura do diafragma. em diferentes sensibilidades ISO podemos ver claramente a perda de cores e nitidez que o ruído causa. Sabe aquela foto que você tira em seu celular à noite em que principalmente as partes pretas da foto aparecem com pontinhos ou pequenas manchas? Isto é o ruído. é um ponto negativo. Clique na imagem para ampliar. velocidade do obturador e sensibilidade ISO para obter o . Observe nesta imagem a parte marcada em vermelho. só que infelizmente. deixando a foto menos nítida. O ruído deixa a imagem com pontinhos de cores e iluminação. a sensibilidade ISO tem outro efeito na foto além de afetar a exposição. somente a sensibilidade ISO foi alterada para efeito de comparação. diferente dos outros dois fatores. Vejamos um exemplo. Aplicando um zoom nesta área. Assim como a abertura do diafragma e a velocidade do obturador. Clique na imagem para visualizar em tamanho maior.velocidade do obturador foram mantidas as mesmas em todos os exemplos.

que tal treinar um pouco? Tire várias fotos e envie o seu melhor resultado para otter. O olho humano é muito versátil. as cores podem ficar um pouco diferentes das que vemos com os nossos olhos. seja sob a luz do sol. que o amarelo é amarelo. e assim por diante. Você com certeza já tirou uma foto sob uma lâmpada de tungstênio(aquelas amarelas) e quando foi . Agora que você já sabe um pouco mais sobre a exposição. Sob a luz do sol. Cada informação que você leu aqui e assimilou vai lhe ser muito útil para criar novas possibilidades. Sob qualquer fonte de iluminação ele vai enxergar sempre as cores reais.O Balanço de Brancos Nesta aula vamos aprender sobre um fator bastante importante que nos permite conseguir as melhores cores nas fotos. Mesmo quando você acha que já sabe tudo. treine mais.Treino". treine. Enviem as suas fotos até ás 23:00 do dia 31/07. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos.efeito que se deseja e ao mesmo conseguir uma exposição equilibrada não é uma tarefa nada fácil. Infelizmente a câmera não tem a mesma inteligência do olho humano para conseguir detectar sempre a fonte de luz exata e aplicar as correções de luminosidade para que a cor seja totalmente fiel a realidade. O Balanço de Brancos O balanço de brancos nos permite obter as cores mais fiéis a realidade o possível. ou ainda com a luz emitida pelo flash. erre. tenho certeza que o seu conhecimento sobre fotografia aumentou muito nos últimos dias. dependendo da fonte de luz da cena. Bons cliques para todos. mesmo as maiores dificuldades vão parecer brincadeira de criança para você. Montanari às 12:00 Módulo Básico . O branco vai ser sempre branco.lontra@hotmail. a fotografia não é nenhum bicho de sete cabeças. releia. que o azul é azul. Isto acontece por causa da temperatura de cor. Cada tipo de luz tem uma temperatura de cor diferente. Com força de vontade para aprender e muito treino. sempre tem algo novo para aprender. Não esqueça de enviar também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos. Precisamos dizer pra câmera que o branco é branco. sob a luz de uma lâmpada ou qualquer outra fonte de luz. Finalmente chegamos ao fim dos fatores em que a exposição é baseada. Leia. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. Conforme a luz que ilumina a nossa cena. Fotos enviadas após este horário poderão ser desconsideradas. Se você acompanhou as aulas anteriores. à noite em nossa casa sob a luz de uma lâmpada de tungstênio ou fluorescente. acerte. e nunca pare de querer aprender. em dias nublados.com com o assunto "Blog CFG . A temperatura de cor é medida em graus Kelvin. com certeza você já tirou muitas fotos. Se você tem ou já teve uma câmera digital. serão publicados no blog em uma postagem especial no dia 01/08. após terminar de ler esta.Aula 6 . Mas não desanime. A fotografia é uma escada com infinitos degraus. Fotografamos nos mais diversos lugares com diferentes fontes de iluminação.

portanto. Por hoje é só. pessoal. no entanto.Aula 7 . parecia que a sua pele tinha sido pintada de amarelo. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. mas que pode ser de grande ajuda em algumas situações. ajuste o balanço de brancos para a luz equivalente. Enviem as suas fotos até ás 23:00 do dia 31/07. sempre prefira fazer ajustes manuais para obter melhores resultados.A Compensação de Exposição Achou que estava livre das aulas que dizem respeito a exposição? Ainda não.lontra@hotmail. Na imagem abaixo. Procure no manual da sua câmera como mudar o balanço de brancos. certo? Isto aconteceu porque a câmera não estava com a configuração certa de temperatura de cor. Continuem tirando muitas fotos e treinando cada vez mais. Ela faz um trabalho satisfatório na maioria das coisas em que opera no modo automático. Envie também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos. Como eu disse. por isso a foto saiu com as cores que não devia. mas a inteligência automática de uma máquina não se compara a de um humano.ver o resultado. Ao invés disso. . Conforme a fonte de luz do lugar em que for fotografar. a câmera não é muito inteligente por si só. As câmeras também dispõem da configuração automática do balanço de brancos.com com o assunto "Blog CFG . Todas as câmeras digitais atuais permitem a regulagem do balanço de brancos. Fotos enviadas após este horário poderão ser desconsideradas. Simplificando.Treino". Na aula de hoje vamos aprender sobre um fator que não afeta diretamente na exposição como os outros três fatores mencionados anteriormente. As fotos foram feitas sob a iluminação de luz fluorescente em todos os exemplos. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos. mesmo as mais simples. mas ainda assim não se compara ao ajuste para luz fluorescente feito manualmente. Montanari às 11:00 Módulo Básico . Observe como as cores ficam 100% fiéis no ajuste equivalente a luz fluorescente. No ajuste automático até que não ficou ruim. é como se a câmera não soubesse que branco é branco e que cor de pele é cor de pele. ela pensou que branco era bege e que cor de pele era amarelo. serão publicados no blog em uma postagem especial no dia 01/08. Não esqueçam de enviar o seu melhor resultado para otter. somente as configurações da câmera foram modificadas. é recomendado usar esta opção somente quando não há muito tempo para fazer a foto. Clique na imagem para ampliar. podemos ver uma comparação dos diferentes tipos de balanço de brancos usados em uma mesma cena.

quando o fotômetro considera a iluminação de toda a cena medida em um assunto principal muito escuro. Clique na imagem para ampliar.A Compensação de Exposição É muito simples. Normalmente as câmeras atuais permitem compensar a exposição entre EV -2 e EV +2. Para saber como alterar a compensação de exposição em sua câmera. A compensação de exposição é abreviada como EV+ para compensação positiva ou EV. como a palavra já diz. Ao compensar a exposição positivamente. Da mesma maneira. Quando uma foto fica escura demais ou clara demais. ou seja. sem nenhuma compensação de exposição positiva ou negativa. A compensação de exposição pode servir como um método alternativo para criar diferentes efeitos de iluminação em suas fotos com câmeras que não permitem os ajustes manuais de exposição mencionados nas aulas anteriores. você vai compensar negativamente. a composição de exposição é bastante útil nestas situações. clareando as áreas escuras demais ou escurecendo as áreas claras demais. Aqui temos uma foto normal com EV 0. o restante da cena pode ficar clara demais. você vai compensar a exposição.para compensação negativa.3. por exemplo. com intervalos de EV 0. deixando somente o assunto com a exposição certa. Em câmeras que permitem ajustes manuais. Ás vezes. mas se este não for o caso. você pode usar a compensação de exposição para equlibrar a exposição como um todo. você pode recorrer a compensação de exposição. todo o restante da cena tende a ficar escura demais. Algumas vezes pode ser este mesmo o objetivo para criar uma composição criativa. teremos resultados como na imagem abaixo. Se ficar escura demais. recomendo que leia o seu manual. e se ficar clara demais. Vejamos um exemplo. você vai compensar positivamente a exposição. . As letras EV vem de Exposure Value(valor de exposição). se o fotômetro fizer a medição em um assunto muito claro.

Aula 8 .Treino". Conhecendo o funcionamento deste efeito. Por hoje é só. Todos sabem que uma parte da foto que está nítida e clara. você precisa saber em primeiro lugar como configurar . pessoal. Já aquela que está borrada e suave. mas nunca conseguiu fazer igual. é aquela que está em desfoque. podemos manipulá-lo para criar resultados criativos a nosso gosto. Envie também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos. podemos chamar de "Bokeh". um termo que vem do japonês. ela também tinha outra função importante.com com o assunto "Blog CFG . Não esqueçam de enviar o seu melhor resultado para otter. Continuem tirando muitas fotos e treinando cada vez mais. A Profundidade de Campo Simplificando. não é? Isto se deve ao fato da manipulação da profundidade de campo. deve se lembrar que na aula sobre a abertura do diafragma eu mencionei que além de contribuir para o ajuste da exposição. teremos resultados como na imagem abaixo.lontra@hotmail. Até a próxima aula! Postado por Leandro L.A Profundidade de Campo Você que acompanhou todas as aulas já postadas aqui no blog. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos.E ao compensar a exposição negativamente. serão publicados no blog em uma postagem especial no dia 01/08. Clique na imagem para ampliar. Sabe aquelas fotos com o primeiro plano(normalmente uma pessoa) em foco e o fundo totalmente desfocado? Aposto que você acha lindo este efeito e sempre quis tirar uma foto igual com a sua câmera compacta automática. que literalmente se traduz como "desfoque". Na aula de hoje vamos aprender sobre ela. Enviem as suas fotos até ás 23:00 do dia 31/07. Fotos enviadas após este horário poderão ser desconsideradas. a profundidade de campo define quais áreas da foto vão estar em foco e quais vão estar em desfoque. é aquela que está em foco. Montanari às 11:00 Módulo Básico . Para manipular este efeito. Este efeito de primeiro plano focado e fundo desfocado.

então quando for usar a abertura do diafragma de forma criativa para manipular a profundidade de campo. . de fato produzem menores profundidades de campo.6 ou f/8. O primeiro deles. Usando aberturas médias. desta vez você pode levar ao pé da letra a relação dos números f com a profundidade de campo. não esqueça de equilibrar as perdas equivalentes com a velocidade do obturador e a sensibilidade ISO. usando o foco automático. teremos uma profundidade de campo um pouco maior. podem confundir você um pouco no começo. queremos dizer que existe somente um. ao definirmos o ponto central de foco mencionado anteriormente. E finalmente. Estas coisas de menor número. Clique nas imagens para ampliar. menor profundidade de campo. Só não esqueça que a abertura do diafragma é um dos fatores que afetam diretamente no equilíbrio da exposição. ou quase todos os elementos da cena em foco. é a abertura do diafragma. Podemos abreviar para "DOF". temos que ter em mente alguns fatores que influenciam este efeito. Em boa parte das vezes. Ao contrário. assim como números f maiores. teremos uma profundidade de campo bem grande. Com a profundidade de campo. Usando grandes aberturas. maior abertura. Para facilitar. isto vai se tornar praticamente automático em sua cabeça. Como eu sempre recomendo. a profundidade de campo também tem uma que se origina do inglês. mas com muito treino. ou todos os elementos contidos na cena estão em foco. que vem de "Depth of Field". queremos dizer que a maioria. ou seja. o foco pode ser automático ou manual. profundidade de campo em inglês. Dependendo do tipo de câmera que se usa.8 pra cima. Como imagens falam mais do que palavras. Para fazer bom uso da profundidade de campo a nosso gosto. Números f menores. além de definir o ponto central de foco. definimos o ponto central de foco com um pequeno retângulo no centro do visor LCD. quando dizemos que uma foto tem uma pequena profundidade de campo. observe alguns exemplos que ilustram como as diferentes aberturas e diferentes pontos centrais de foco influenciam no resultado final da foto. como f/2. Quando dizemos que uma foto tem uma grande profundidade de campo. leia o manual da sua câmera para entender melhor as suas funções e como usá-las. mas não total. usando pequenas aberturas como f/16 pra cima. ou poucos elementos na cena que estão em foco. teremos uma profundidade de campo bastante pequena. deixando todos. no caso das câmeras mais avançadas. produzem maiores profundidades de campo. poucos elementos na cena estarão em foco. ou do visor óptico. Como boa parte das abreviações usadas na fotografia. podemos escolher o quanto as outras partes da cena ao redor deste ponto estarão focadas ou desfocadas. etc.adequadamente o foco da sua câmera. como f/5.

vão ficar levemente desfocados. como a profundidade de campo não é tão grande. como a árvore. mas com a pequena abertura de f/22. Além da abertura do diafragma. que muitas vezes. Com esta abertura temos uma profundidade de campo bastante grande. f/5. é a sua proximidade com o assunto. como o arbusto. . Com esta abertura temos uma profundidade de campo um pouco maior.6 não nos dá uma profundidade de campo tão pequena. Usando aberturas realmente grandes como f/1. mas ainda insuficiente pra cobrir o foco em toda a cena. e quanto mais distante. objetos que estão à frente dela. f/8. tem partes desfocadas em volta do seu ponto central de foco. menor será a profundidade de campo. que normalmente abrange toda. temos novamente o ponto central de foco na mulher. Um deles. ou quase toda a cena em foco.Neste exemplo vemos o ponto central de foco na mulher. formando apenas algumas manchas desfocadas indistinguíveis. Outra coisa que influencia é a distância focal. abertura f/5.6. Quanto mais próximo você estiver dele. a profundidade de campo se torna tão pequena. mesmo assuntos pequenos como o rosto de uma pessoa. No entanto. mas a mulher e o arbusto à frente dela ainda levemente desfocados. Neste outro exemplo. Temos toda a árvore focada. maior será.8. que você provavelmente conhece pelo termo "zoom". Outras coisas mais distantes como a árvore ao fundo e o arbusto à frente se tornarão praticamente invisíveis com esta profundidade de campo. outros dois fatores também influenciam na profundidade de campo. Neste caso. usando uma abertura média. Aqui temos outro exemplo de abertura média. portanto conseguimos manter todo o corpo da mulher em foco. com o ponto central de foco na árvore. e objetos que estão ao fundo.

Espero que tenham gostado da aula de hoje. ótima para dar destaque a um assunto específico. aqui foi usada uma abertura de f/32.lontra@hotmail. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos. maior será. Enviem as suas fotos até ás 23:00 do dia 31/07. que é o assunto principal. resultando em uma pequena profundidade de campo. Continuem tirando muitas fotos e treinando cada vez mais.Treino". por agora você deve saber apenas que quanto mais zoom. e quanto menos zoom. menor será a profundidade de campo.8. com tantas coisas interessantes a se mostrar. Este assunto será abordado mais à frente. Para deixar toda a cena em foco. serão publicados no blog em uma postagem especial no dia 01/08.que é mais comumente usado. e o fundo desfocado.com com o assunto "Blog CFG . Aqui temos a foto de um gato. Fotos enviadas . A abertura usada nesta foto foi f/2. Aqui temos a foto de uma linda paisagem. seria desperdício dar destaque a apenas um assunto. Envie também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos. Clique nas imagens para ampliar. Não esqueçam de enviar o seu melhor resultado para otter. Vamos a mais alguns exemplos de fotos. resultando em uma grande profundidade de campo.

que tem um ângulo de visão bem pequeno. Por exemplo. A quantidade de zoom nos permite apenas determinar a versatilidade disponível que temos entre uma distância focal e outra. que pode ser mais próximo ou mais distante. Algumas também podem ser do tipo Macro. Isso quer dizer que o alcance desta lente com valores maiores é ainda menor do que a que tem 18-55mm? Não! É por isso que o que realmente importa é a distância focal. vou postando aqui no blog em forma de aulas. Não se iluda ao pensar que uma câmera compacta tem um alcance maior do que uma mais avançada . Por exemplo. as chamadas Lentes Prime e lentes com a distância focal variável. Bom. gostaria de agradecer pelos elogios que venho recebendo dos leitores do blog. tem um grande ângulo de visão. Como mencionado na aula anterior. Montanari às 09:00 Módulo Básico . As Grande Angulares(Exemplo: 28mm). Existem três principais classificações de lentes. teremos o resultado aproximado de 2. e não o zoom. que permite a focalização em assuntos muito próximos(algo como menos de 50cm). que como seu próprio nome diz. devemos dividir a máxima distância focal que ela pode alcançar pela mínima. Para calcularmos a taxa de zoom de uma lente.A Distância Focal Antes de mais nada. vamos a nossa aula de hoje! A Distância Focal A distância focal define o campo de visão de uma lente. Estou longe de ser um profissional. estou vendo que está sendo de grande ajuda para muitos fotógrafos entusiastas.Aula 9 . você provavelmente conhece pelo termo "zoom". podendo se focar em assuntos mais distantes. quanto menor o valor. Existem lentes com distância focal fixa. as chamadas Lentes Zoom. uma lente com distância focal de 18-55mm. tem 3x de zoom. mais amplo se torna o ângulo. lembre-se que o que realmente importa é a distância focal. já que possuem uma distância focal variável. como eu. temos o resultado arredondado de 3x. mas todo o conhecimento que eu tiver. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. se pegarmos uma lente 70-200mm e dividirmos 200 por 70. A distância focal é representada em milímetros por ser a distância entre o centro óptico da lente e o sensor da câmera. as Normais(Exemplo: 50mm). Mas cuidado ao avaliar a lente por sua quantidade de zoom.85x. Tudo isso me incentiva a continuar com o meu trabalho. Ao contrário. Quanto maior o valor em milímetros.após este horário poderão ser desconsideradas. que é mais comumente usado. que apesar de simples. Dividindo 55 por 18. As lentes zoom oferecem uma gama de possibilidades. que tem um ângulo de visão similar ao olho humano(as vezes com pequenas variações) e as Tele Objetivas(Exemplo: 200mm). A distância focal é medida em milímetros(mm) e define o quanto você consegue ver através de sua lente. for adquirindo e puder transmitir a vocês. mais reduzido se torna o ângulo de visão de sua lente.

Outra coisa que você deve desconsiderar totalmente é o zoom digital. . Clique nas imagens para ampliar. a única coisa alterada foi a distância focal da lente. Vamos a alguns exemplos de distâncias focais e seus diferentes ângulos de cobertura da cena. Isto não quer dizer necessariamente que ela tem um grande alcance. ele não amplia de verdade a distância focal da lente. Lembrando que em todos os exemplos. algo que você mesmo pode fazer e obter exatamente o mesmo resultado em qualquer programa de edição que permita ajustar as dimensões da imagem. apenas faz uma ampliação artificial que expande grosseiramente os pixels da imagem. o fotógrafo se manteve exatamente no mesmo lugar.com uma boa lente. só porque ela tem zoom óptico de 10x ou mais. apenas que tem uma boa versatilidade para alternar entre ângulos de visão mais abertos e mais fechados. Diferente do zoom óptico.

é utilizado em boa parte das câmeras do mercado. Montanari às 22:45 Módulo Básico . agora vamos aprender um pouco mais a respeito dele. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. cada fotocélula do sensor grava a intensidade da luz que a atinge por meio de uma carga elétrica. Existem dois tipos principais de sensores: o CCD e o CMOS. serão publicados no blog em uma postagem especial no dia 01/08. O Sensor O sensor. Este tipo de sensor normalmente está presente nas câmeras compactas e nas câmeras mais avançadas designadas para uso amador.Espero que tenham gostado da aula de hoje. É menos suscetível a ruído e costuma produzir imagens com melhor resolução. porém consomem cerca de 100 vezes mais energia que o CMOS. Envie também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos. que posteriormente se tornam pixels. Quanto mais luz. Ele é composto por minúsculos diodos sensíveis à luz. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos. assim como o antigo filme fotográfico. Não esqueçam de enviar o seu melhor resultado para otter.com com o assunto "Blog CFG . é a parte da câmera que capta a luz que entra pela lente e converte cada pedacinho dela em cargas elétricas.Treino". Fotos enviadas após este horário poderão ser desconsideradas.lontra@hotmail. Enviem as suas fotos até ás 23:00 do dia 31/07. maior a carga. Continuem tirando muitas fotos e treinando cada vez mais. ou Dispositivo de Carga Acoplado). Quando o obturador é aberto.O Sensor Nas aulas anteriores ele já foi mencionado. . A intensidade de luz gravada é armazenada como uma série de números binários q ue posteriormente podem ser interpretados para reconstruir a cor e o brilho dos pixels no visor LCD da câmera ou na tela do computador. O CCD(Charged Coupled Device.Aula 10 .

Muitos dos fótons que o antigem. já outros dizem que o CMOS é melhor. Fotos enviadas após este horário poderão ser desconsideradas. Existe muita discussão em torno de qual destes tipos de sensor é melhor. podendo manter praticamente a mesma qualidade de imagem produzida pelo CCD. Envie também o seu nome ou apelido para a identificação nas fotos.lontra@hotmail. Enviem as suas fotos até ás 23:00 de hoje. como há vários transistores próximos de cada pixel. chamado Fator de Corte.com com o assunto "Blog CFG . dia 01/08. Os melhores resultados dos visitantes do blog que enviarem as suas fotos. a sensibilidade à luz tende a ser menor. uns afirmam que o CDD possui qualidade superior.Treino". ou Semicondutor Complementar de Metal) exige um espaço menor no interior da câmera. é impossível dizer qual é o melhor e qual é pior. Hoje é o último dia para enviar o melhor resultado dos seus treinos! Envie-o para otter. colidem com os transistores ao invés de atingir o fotodiodo.O CMOS(Complementary Metal Semiconductor. O que é realmente importante a se considerar. O seu tamanho é medido em milímetros(mm). Existe um assunto que será abordado na próxima aula. porém. serão publicados no blog em uma postagem especial amanhã. e seu processo de fabricação é mais barato. ao mesmo tempo que consome muito menos bateria. independentemente do tipo do sensor. é o seu tamanho. Veja como é um sensor na imagem abaixo. podemos dizer apenas que cada um tem as suas vantagens e desvantagens. na qual o tamanho do sensor interfere diretamente no resultado final da imagem. Com a constante evolução da tecnologia. O CMOS tem evoluído muito rapidamente e atualmente é usado na maioria das câmeras profissionais. Montanari às 09:00 . Ele tem a vantagem de consumir muito menos bateria. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. Clique para ampliar. Existem vários tamanhos de sensor.

mais popularmente conhecido como 35mm. Câmeras equipadas com este sensor normalmente tem um preço de fácil acesso a qualquer pessoa. Não é utilizado no meio profissional. como uma foto tirada a uma distância focal de 26mm em um sensor full frame se comporta em outros tipos de sensores menores. . 1/2.Também conhecido por DX nas câmeras Nikon): Utilizado na maioria das câmeras avançadas para uso amador e profissional das marcas Nikon e Canon. estes sensores atualmente só estão presentes em câmeras profissionais de ponta caríssimas.O Fator de Corte Agora que já conhecemos melhor os tipos de sensores e como eles funcionam. APS-H(28mm x 18mm aproximadamente): Utilizado apenas em alguns modelos da Canon e outros poucos modelos de outras marcas. foram criados os sensores menores. Para entender como funciona o fator de corte. Clique na imagem para ampliar. APS-C(24mm x 16mm aproximadamente . Observe no exemplo abaixo. mas costuma ser a escolha mais comum dos fotógrafos. porém estes são raramente usados.Módulo Básico . Existem ainda outros tipos de sensores de diferentes tamanhos. Possui um ótimo custobenefício e produz excelentes resultados. e com isto surgiu o termo Fator de Corte. por isso.Aula 11 . principalmente aqueles que não possuem alta condição financeira. Produz os melhores resultados com altíssima qualidade de imagem. O sensor APS-C das Canon é um pouco menor do que o das Nikon. Nem todos os sensores das câmeras digitais tem o mesmo tamanho. possui um custo de produção muito baixo. vamos conhecer os seus tamanhos e as importantes diferenças entre cada um deles.3(6mm x 4mm aproximadamente): Utilizado na maioria das câmeras compactas. O fator de corte faz com que uma mesma lente utilizada em câmeras com diferentes tamanhos de sensor.Também conhecido por 35mm): Como dito anteriormente. primeiro vamos conhecer os diferentes tamanhos de sensores. por ter o melhor custo-benefício do mercado. Por causa do alto custo de produção. A película do filme fotográfico tinha o tamanho padrão de 36mm x 24mm. Não chega a se comparar ao sensor Full Frame. A fabricação de sensores do mesmo tamanho dos antigos filmes fotográficos é muito cara. mas supre bem as necessidades do dia-a-dia de fotógrafos hobbistas e amadores. se comporte de maneira diferente. este tipo de sensor é utilizado apenas em câmeras profissionais de ponta caríssimas. Full Frame(36mm x 24mm . O Fator de Corte A grande dificuldade da fotografia digital foi reproduzir resultados iguais aos obtidos com as antigas câmeras de filme.

5x. nos APS-C da Canon. O APS-C. tem 24mm de medida horizontal. devemos multiplicar a distância focal da nossa lente pelo fator de corte do sensor da nossa câmera. Clique na imagem para ampliar. Veja abaixo uma tabela de exemplos de como se comporta cada distância focal com seu respectivo fator de corte. Por exemplo. acabamos nos limitando a um campo de visão mais reduzido. Sendo assim. grandes construções ou salas apertadas. devemos tomar como base a medida horizontal do sensor Full Frame. No caso dos sensores com fator de corte. tendo em vista que algumas pessoas consideram o sensor Full Frame como tendo 36mm e outros 35mm. de fato vai ter a distância focal real de 50mm. Por outro lado.3". a distância focal real vai ser de 75mm. de 1. se utilizarmos uma lente com distância focal de 50mm em uma câmera com fator de corte de 1. Para calcular o fator de corte do sensor. cerca de 6x. já não funciona assim.Em sensores APS-H. Olhando por um lado. isto pode ser até um ponto positivo. uma lente com distância focal de 50mm utilizada em uma câmera com sensor Full Frame. Sabendo o que é o fator de corte. poderemos determinar qual vai ser a distância focal real de nossa lente utilizando uma câmera com sensor menor. podemos obter resultados de fotos aparentando estar ainda mais próximas do que nas com sensor Full Frame. nos APS-C da Nikon(DX). Por exemplo.5x. como quando vamos fotografar paisagens. Dividimos o tamanho do sensor Full Frame pelo do sensor em questão. temos o resultado de 75mm. 1. mas o resultado final arredondado é basicamente o mesmo. quando queremos obter resultados mais amplos. concluímos que o fator de corte deste sensor é de 1. Para sabermos qual vai ser a distância focal real.5. . então para calcular o seu fator de corte. dividimos 36 por 24 e obtemos o resultado de 1.5x.3x. Multiplicando 50mm x 1. Alguns cálculos podem apresentar pequenas variações. já que em câmeras com sensores menores. por exemplo. temos o fator de corte de 1.6x e nos 1/2.5.

se nunca teve uma câmera mais avançada do que as compactas tradicionais. os arquivos gerados são muito maiores do que os tradicionais JPEG. que normalmente só produzem arquivos no formato JPEG. O RAW vem do inglês. tanto para fotografias quanto para outros tipos de imagens. Por não possuir nenhum tipo de compactação. desculpem o tempo sem postar novas aulas. Este sem dúvida é o formato mais popular. RAW vs JPEG Todos j devem conhecer um deles. por exemplo. que pode ser literalmente traduzido como "cru" ou "bruto". O outro formato. o mais usado de todos.RAW vs JPEG Ol pessoal. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. o arquivo RAW. talvez não seja tão familiar para você. o nome original do grupo que desenvolveu os algoritmos de compactação dos arquivos deste formato. Montanari às 12: Módul B i . RAW é apenas a denominação que se dá a estes tipos de arquivos. ocupando o cartão de memória da sua câmera muito mais rapidamente. o JPEG. principalment na internet. adotam o formato NEF. E é isto mesmo que ele representa. a extensão dos arquivos variam de fabricante para fabricante. . o RAW. já as câmeras da Canon adotam o CRW ou o CR2.Aul 12 . Nos últimos dias estive bastante ocupado e não tive tempo de postar antes. Este formato é tão popular justamente devido a sua alta tax de compactação sem muitas perdas visíveis a no resultado final. é totalmente livre de compactação ou processamento. por ser um arquivo bruto.Espero que tudo tenha ficado bem claro e que tenham gostado da aula de hoje. e JPEG vem de Joint Photographic Experts Group(Grupo de Especialistas em Fotografia). Na aula de hoje vamos aprender sobre os dois formatos de imagem mais usados na fotografia e conhecer as vantagens e desvantagens de cada um. As câmeras da Ni on.

em que o filme em si não era a foto pronta. o Photoshop com o plugin Camera RAW e o Lightroom. Como imagens falam mais do que palavras. só que ao invés do processamento químico como no filme. Se a sua câmera possui ajustes de exposição manuais. com o RAW conseguimos obter edições posteriores visivelmente superiores. É claro que ela também pode ser editada e receber um retoque de melhoramento. precisa receber o devido processamento antes de estar pronto para a visualização normal. O RAW. . Consulte o seu manual para obter mais informações. muitas. você praticamente pode dizer adeus a ela.O formato RAW também é chamado de negativo digital. mas vai ficar nitidamente visível que ela recebeu uma edição pesada. Na verdade. O resultado não vai ficar nada natural. Por exemplo. os programas mais populares para edições deste tipo são os dois da Adobe. é possível que ela também produza arquivos no formato RAW. exatamente por este motivo. o processamento é feito digitalmente em um programa específico de edição. acredite. Você lembra da época dos filmes. Se você tentar visualizar um arquivo RAW diretamente no visualizador padrão do Windows como se fosse uma imagem qualquer. Todas as câmeras que produzem arquivos no formato RAW acompanham um CD de instalação com o programa de processamento para este formato de arquivo. você não vai conseguir. por ser um arquivo que ainda não está pronto para ser visualizado. sem nenhuma compactação. se você tirar uma foto com a exposição errada em JPEG. Agora você deve estar se perguntando: "mas qual é a vantagem de usar um formato de arquivo que só ocupa mais espaço?". Comparado ao JPEG. mas apenas um esboço que posterioremente seria usado em um processo químico para gerar a verdadeira fotografia em uma determinada ampliação escolhida? O RAW funciona praticamente da mesma maneira. Justamente por se tratar de um arquivo bruto. no entanto. Clique nas imagens para ampliar. vamos a alguns exemplos práticos. assim como o negativo. ele guarda precisamente todos os dados originais obtidos pelo sensor da câmera na hora da foto. Observe como a recuperação de uma foto mal exposta muda completamente de um formato para outro.

com certeza você vai obter resultados ainda melhores do que os ilustrados. Vejamos as suas vantagens e desvantagens. então. Na maioria das vezes.Qualidade: O formato RAW consegue capturar originalmente uma quantidade de tons . Resumidamente. se a exposição de uma foto ficar ruim. não é mesmo? Por isso. assim como o JPEG também tem suas vantagens. fazendo a edição da imagem da melhor maneira possível. você pode concluir com estes exemplos que até uma foto que ficou uma verdadeira "tragédia" pode ser satisfatóriamente recuperada se ela for feita originalmente no formato RAW.As fotos foram propositalmente feitas com a exposição totalmente errada apenas para ilustrar como a recuperação de uma foto no formato RAW é muito superior a uma em formato JPEG. O formato RAW não deve ser sempre considerado como escolha única do formato de imagem. provavelmente ela não vai ficar tão mal exposta como nos exemplos acima. pois ele também tem as suas desvantagens. Seria uma pena ser impossível de recuperar aquela foto tão especial em um evento único que nunca mais vai se repetir. Vantagens . o uso do formato RAW é mais do que recomendado quando você for fazer fotos importantes que não podem ser perdidas de maneira alguma.

especialmente em esportes. do contraste. Desvantagens . Depois da aula de hoje. e como eu gosto de fazer cada aula muito bem explicada e escrita. gosta de fazer edições e preza a qualidade em primeiro lugar. Espero que tenham entendido e gostado da aula de hoje. Do contrário. consegue atingir a incrível quantidade aproximada de 4. se capturada originalmente em RAW não é uma foto perdida. O JPEG.Possibilidade de Edição Superior: Como ilustrado anteriormente.Tamanho: O arquivo RAW é muito maior do que o JPEG. postar na internet ou mesmo imprimir. preciso de bastante tempo livre para elaborar cada aula. O formato RAW de 12 bits consegue atingir uma quantidade aproximada de 68 bilhões de cores diferentes. já o formato de 14 bits. não é uma foto pronta para visualização e uso. do brilho. ultimamente estou meio sem tempo. fotografe em RAW. Montanari às 21:00 . Se você precisa de velocidade. se você tem bastante tempo para fazer a foto. .incrivelmente superior ao JPEG. você precisa antes editar e processar a foto em RAW antes que ela se torne utilizável. . Até a próxima aula! Postado por Leandro L.Necessidade de Processamento: O arquivo RAW. como no final de uma corrida ou no gol decisivo de um jogo de futebol. Além da possibilidade de correção da exposição. Este fator pode fazer toda a diferença em uma situação que se precisa da velocidade máxima que a sua câmera pode oferecer. O mesmo não pode se dizer do JPEG. Para poder enviar a um amigo. com apenas 8 bits.Velocidade: Por ser um arquivo muito maior do que o JPEG. normalmente ocupa cerca de 3 a 4 vezes mais espaço do que o JPEG em qualidade máxima. que consegue resultados pouco satisfatórios nestes casos. como dito anteriormente. tal como o ajuste do balanço de brancos. Isto nos leva a conclusão de que ambos os formatos tem as suas vantagens e desvantagens. a velocidade de gravação do RAW no cartão de memória é muito mais lenta. existe um enorme leque de possibilidades de edição de uma foto no formato RAW sem perda de qualidade no resultado final. uma quantidade praticamente insignificante se comparada aos outros formatos RAW. Como eu disse no início do post. consegue atingir a quantidade aproximada de meras 16 milhões de cores diferentes. fotografe em JPEG. cada um indicado para uso em determinada situação. entre outras coisas.3 trilhões de cores diferentes. Isso exige o uso de vários cartões de memória pequenos ou um de capacidade excepcionalmente grande no caso da necessidade de tirar muitas fotos em um lugar que não haja a possibilidade de descarregá-las no computador ocasionalmente. A quantidade de fotos que podem ser tiradas continuamente fica muito menor. . uma foto mal exposta. vou tentar fazer o possível para manter a atualização média de pelo menos uma nova aula por semana. não quer ter o trabalho de editar foto por foto ou mesmo não se importa tanto com o resultado final. podendo ser mais ou menos tempo do que isso.

Agora. a única função do celular era fazer ligações. Com a constante evolução da tecnologia.Portabilidade: Todos os celulares atuais com câmera são muito leves e compactos. ou se você já tem uma. talvez queira comprar um modelo atual mais avançado. criou-se a necessidade da função câmera. mas levando em consideração a portabilidade e alguns outros fatores.Parte 1 Celular Modelo Exemplo: Apple iPhone 3G Antigamente. praticamente ninguém vive sem o seu celular à mão. eu diria que as primeiras câmeras de celulares foram um verdadeiro fracasso. as câmeras de celular alcançam uma qualidade satisfatória. com mais conhecimento. é hora de conhecer os tipos de câmeras que o mercado oferece. com uma qualidade VGA(640x480) ridiculamente ruim se comparada com câmeras igualmente portáteis. . Hoje em dia. Os Tipos de Câmeras .Parte 1 Agora que você já sabe um pouco mais sobre as principais características da fotografia mostradas nas aulas anteriores. talvez você queira comprar uma câmera nova. mas com qualidade muito superior. podendo levar pra qualquer lugar no bolso com muita facilidade.Os Tipos de Câmeras . Nos tempos de hoje. entre outras. todas no mesmo aparelho. Nesta e na próxima aula vamos aprender sobre as principais características de cada tipo de câmera. Vejamos as vantagens e desvantagens. É verdade que ainda não chegam a se comparar a outras câmeras melhores em muitas coisas. Vantagens . O que seria mais conveniente do que ter a facilidade de um aparelho que está sempre com você que serve para fazer ligações em conjunto com a comodidade de poder registrar os seus momentos? Apesar disso. não deixa de ser uma opção.Aula 13 .Módulo Básico .

. Desvantagens . Hoje em dia isto é coisa do passado.Preço: Com a alta popularidade dos celulares. por exemplo. Nada mais conveniente do que uma câmera tão pequena e leve como um celular. que na verdade mais serve como enfeite luminoso do que como flash..Escuro: Por ter um sensor pequeno e configurações muito limitadas. por causa de sua baixíssima potência. Sensores pequenos costumam reproduzir cores pouco fiéis e altas taxas de ruído. quando se ia para uma balada.Sensor Pequeno: Por ter outras funções além da câmera. principalmente em fotos com pouca iluminação. o espaço interno do celular é ocupado com muitas coisas além do sensor. ou não quer levar outra câmera mas gostaria de registrar um momento mesmo assim. você consegue executar as duas tarefas ao mesmo tempo em um único aparelho.Baixa Resolução: A resolução das câmeras de celular ainda não é o seu forte nos tempos atuais. sobrando pouco espaço para um sensor maior. do seu filho. É difícil encontrar celulares com câmera de resolução superior a 5 megapixels. Compacta Modelo Exemplo: Sony Cyber-Shot DSC-W370 O segundo tipo de câmera mais popular depois do celular. a iluminação nas fotos costuma ser um grande problema. é uma ótima escolha. mas com uma qualidade muito superior. com câmeras um pouco melhores. . Para quem não se preocupa com a qualidade da imagem e deseja ter apenas recordações simples e sem compromisso para si mesmo. . Alguns modelos dispõe de um pequeno flash incorporado. costumava-se levar o celular para ligar e enviar mensagens para os amigos e uma câmera para tirar fotos. sua família e amigos. Conclusão Final: É útil para fotos sem compromisso. Em condições de baixa iluminação é praticamente impossível tirar uma foto sem ficar tremida. Levando apenas o seu celular. os preços estão cada vez mais acessíveis. Possuindo na . tanto dos modelos mais comuns quanto dos modelos mais avançados. ou mesmo quando se esquece. devido a limitada baixa velocidade do obturador.Multifunções: Antes. como do seu gato. da balada com seus amigos.

Ausência do Visor Ocular: Para quem era acostumado com as antigas câmeras de filme. para muitos isto faz uma tremenda falta. com tela LCD móvel. com resistência a impactos.Zoom Óptico: A maioria dos modelos de câmeras compactas costumam ter uma taxa de zoom óptico de 3x a 8x. . mas apenas entre as mãos. é a classica "Point-and-Shot".Versatilidade: Câmeras compactas costumam oferecer as mais diversas opções de modelos. cada um com as suas características diferentes. com duas telas LCD(traseira e frontal). a câmera só registre de verdade a fotografia quando todos já estão no chão.Preço: As primeiras câmeras digitais compactas que surgiram no mercado eram bastante caras. . . justamente por culpa deste atraso. Em situações com menor iluminação do que isso. já que não apoiamos a câmera no rosto. entre outras coisas. Em locais de luminosidade mais baixa. um preço bastante acessível a qualquer pessoa. dependemos totalmente do visor LCD para fotografar. isto pode ser um incômodo. .Controles Manuais Limitados: É verdade que quem compra uma câmera compacta. na maioria das . podendo encontrar câmeras de alta resolução como de 12 a 16 megapixels custando facilmente menos de R$ 400. uma quantidade mais do que perfeita para fazer ampliações de suas fotos sem perda de qualidade. à prova d'água. se você for tentar tirar uma foto dos seus amigos no ar. Desvantagens . ou mesmo quer fotografar um plano mais fechado de um mesmo assunto sem ter que dar alguns passos à frente. dependendo da marca e do modelo. até porque a estabilização diminui consideravelmente ao fotografar desta maneira. . Dificilmente se consegue bons resultados para fotos de momentos rápidos. Felizmente a realidade de hoje é muito diferente. as câmeras compactas também são muito leves e pequenas. Nas câmeras compactas. mas acredite.Resolução: A maioria das compactas atuais não tem menos do que 10 megapixels. facilitando muito a vida de quem gosta de fotografar assuntos mais distantes sem ter que se aproximar muito. Por exemplo.maioria das vezes controles totalmente automáticos. ele continua sendo muito pequeno. é bem provável que mesmo você fazendo o clique no momento exato em que eles estão no meio do ar.Portabilidade: Assim como os celulares.3 megapixels chegar a um preço superior a R$ 500. onde o único trabalho a ser feito é enquadrar e apertar o botão de disparo do obturador.Velocidade: Uma coisa que incomoda bastante nas câmeras compactas é a sua lentidão entre o momento em que se pressiona o botão de disparo do obturador e o momento em que a foto realmente é feita. Para os entusiastas mais novos da fotografia pode ser apenas um ponto positivo fotografar desta maneira. Vantagens . podendo uma câmera de 1. por exemplo dentro de casa a noite sob a iluminação de uma lâmpada fluorescente comum. . . a imagem já tende a ficar com um pouco de ruído. podendo levar pra qualquer lugar no bolso com muita facilidade.Sensor Pequeno: Mesmo tendo um sensor consideravelmente maior do que o de uma câmera de celular. com touch screen. a qualidade da imagem deixa muito a desejar. pulando. Existem modelos com tela LCD maior.

traduzido literalmente como "consumidor profissional". aranhas e texturas.Controles Manuais: Este tipo de câmera oferece o total controle manual sobre as configurações principais de exposição mencionadas nas aulas anteriores.Zoom Óptico: Como o próprio nome já diz.vezes. mas muitos profissionais também não dispensam o uso das compactas como câmera secundária para alguns tipos de trabalhos. De modelos que possuem 20x aos atuais lançamentos das marcas Canon e Nikon. Muito bom para fotografar assuntos extremamente pequenos. Deixar que a câmera escolha tudo por você pode ser ótimo se a sua única finalidade é tirar fotos sem compromisso. Tendo total controle sobre a exposição em sua foto. "ponte" em Inglês. espera apenas ter o trabalho de apertar o botão para tirar a foto.Macro: Costumam produzir excelentes resultados para fotografias macro com distâncias incrivelmente pequenas. junção de professional + consumer. tais como abertura do diafragma. Pode ainda ser chamada de Prosumer. as compactas vão te limitar em muitos aspectos. onde normalmente o consumidor que busca este tipo de câmera é aquele mais avançado e exigente. Deixa um pouco a desejar em fotos com condição de iluminação precária e de movimentos rápidos. como insetos. por ser classificada como uma câmera que faz ponte entre o caminho amador e o profissional. Melhor do que a câmera de celular. . justamente devido a sua característica principal. é uma ótima opção para as fotos do seu dia-a-dia. o zoom. Muito útil para fotografia da natureza. Super Zoom/Ultra Zoom/Bridge/Prosumer Modelo Exemplo: Nikon Coolpix P500 Existem vários nomes para denominar este tipo de câmera. o grande zoom óptico é a principal característica destas câmeras. Conclusão Final: Ótimo tipo de câmera para fotos em geral. podem alcançar distâncias inimagináveis. com maior resolução e ao mesmo tempo com a mesma portabilidade. . que possuem 35x e 36x respectivamente. sendo os mais comuns Super Zoom ou Ultra Zoom. viagens e outras coisas. velocidade do obturador e sensibilidade ISO. Vantagens . Também chamada de Bridge. do céu e outros assuntos muito distantes. Os principais modelos possuem a focagem no modo macro que vão de 0cm a 5cm de distância entre a lente e o assunto. . a sua imaginação é o limite. mas se você pretende obter melhores resultados controlando as configurações a seu gosto. podendo obter diversos efeitos criativos.

este tipo de câmera perde sua portabilidade. são poucos os modelos que dispõe de um ou mais destes fatores citados. a imagem tende a ficar com um pouco de ruído. entre outras coisas. Por ser maior e possuir mais recursos. mas o sensor não. em locais de luminosidade baixa. é coisa mímima. Por hoje é só. não fazendo praticamente nenhuma diferença perceptível. aqueles mais exigentes que buscam total controle sobre a sua câmera. Ótimo também para aqueles que tem como principal objetivo. Aguente a ansiedade e não compre ainda a sua câmera nova. o sensor das câmeras deste tipo são exatamente iguais aos usados em câmeras compactas. Montanari às 15:00 . Não cabendo mais no bolso como os outros tipos. mas diferentemente deles. não havendo a possibilidade de trocar de uma lente pra outra conforme a necessidade. Assim como nas compactas. Conclusão Final: É um excelente tipo de câmera para os amadores avançados.Fatores Extras: Alguns modelos de câmeras deste tipo possuem recursos similares as câmeras mais avançadas. espere até a próxima aula para conhecer todos os tipos de câmeras. Na próxima aula. Com o tamanho e o peso similar aos menores modelos de câmeras de nível mais avançado. pessoal. o preço deste tipo de câmera já não é tão acessível. para quem pretende adquirir uma câmera de nível mais avançado futuramente. fotografar assuntos muito distantes. isto não é regra que vale para todos os modelos de câmeras deste tipo. tais como encaixe para flash externo.Pouca Portabilidade: Por ter o corpo e a lente muito maiores. Mas atenção. . possibilidade de fotografar no formato RAW. então ela vai ter duas partes. este tipo de câmera também usa uma alça de pescoço fornecida junto com a câmera para facilitar a sua movimentação com ela. A maioria dos modelos se encontram na faixa dos R$ 1000 a R$ 2000. . entrada para microfone externo.Lente Fixa: O corpo pode ser similar aos modelos de câmeras de nível mais avançado. Quando são maiores.. Na maioria das vezes. Usar este tipo de câmera é uma ótima maneira de treinar o ajuste dos controles manuais. o preço também sobe correspondentemente. vamos aprender sobre as vantagens e desvantagens das câmeras de nível mais avançado. as DSLR. Até a próxima aula! Postado por Leandro L. é indicado a compra de uma bolsa especial para carregá-la e armazená-la.Sensor Pequeno: O corpo da câmera é maior. que provavelmente vai ser na semana que vem. a lente deste tipo de câmera é fixa. Desvantagens . A aula de hoje já está grande demais. .Preço: Diferente das compactas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful