Módulo 2 - Introdução à Informática Acessível ______________________________________________ ___

.

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACESSÍVEIS

Professor-cursista: Cristiane Marcelino Sant´Anna Formador: Simone Tutor: Kátia 1. Aluno: [Perfil do aluno: quem é; tipo de necessidade especial; nível de escolaridade; dificuldades e/ou facilidades;...] Aluno do curso de pedagogia (licenciatura) do Consórsio CEDERJ, surdo (surdez adquirida por doença aos 18 anos) com mais ou menos 32 anos. Usa aparelho auditivo. E por conta da doença está perdendo a visão. Lê lábios, comunicando-se bem com que fala de forma articulada com ele. Sabe a língua dos sinais, mas não costuma utilizar em sala. Usa muito bem a plataforma do curso, comunicando-se com seu tutor presencial (que era eu na disciplina informática na educação) ou com seu tutor a distancia. Não costuma pedir tratamento diferenciado no que diz respeito a provas e atividades propostas. A coordenadora do curso é que sempre faz questão de, a cada semestre, avisar a todos para que tenham cuidado especial com ele. 2. Descrição da atividade planejada pelo professor [proposta, intenção, dinâmica...] Devo destacar que não trabalho com alunos portadores de necessidades especiais. Este relato ocorreu no semestre passado na disciplina no qual sou tutora. As atividades já haviam sido planejadas para outras turmas na disciplina isolada intitulada Educação on line – mestrado UERJ e podem ser vistas no endereço: http://docenciaonline.pro.br/moodle/course/view.php? id=38. Buscar atividade 5 sobre Web 2.0. As atividades foram planejadas afim de potencializar o aprendizado da disciplina de forma mais contextualizada: os alunos vivenciariam a Web 2.0 com propostas por mim

sempre olhando em sua direção e próximo já que consegue ouvir um pouco. As tecnologias disponíveis e propostas foram adaptadas para que se tornassem assistivas. Foi maravilhoso. As atividades e a proposta foram descritas em uma monografia que se encontra no link : http://www. Eram palmas e musiquinhas. Fica então a proposta para inclusão das que foram apresentadas nesse curso em minhas oficinas futuras.4shared. E ele me fez pensar que uma criança surda não teria nenhum benefício. Com a chegada do Júlio (o aluno surdo) tive que estar mais atenta a minha postura: falar mais devagar. . Propostas estas que já foram usadas em minha prática pedagógica. não se sentiria motivada já que não houve. Todos em vídeo elaborados através no software Wink. Outras atividades que deveriam ser elaborados pelos alunos (criação de um avatar no site Voki também foram alteradas). Mas seus lábios não se movem como os nossos. por exemplo..elaboradas. Ao iniciarmos as atividades sobre sites educativos e suas potencialidades ele me chamou atenção quanto as “recompensas” que um dos sites que observamos dava as crianças que acertavam algo. O Voki possibilita a criação de um personagem que fala com quem visita seu blog. Tive refazê-los só por causa do Júlio. E como fica o surdo? Tive que repensar todo o curso.html Não houve então uma tecnologia assistivas escolhida.com/document/ToT5wbO/cris_marcelino_3. Fiquei pensando em todos os tutoriais que havia preparado. com alunos do ensino médio (matemática) e/ou formação de professores..

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful