OSCAR NIEMEYER A VIDA É UM SOPRO

Roteiro de Fabiano Maciel

1

SEQUÊNCIA 00 LETTERINGS E LOGOMARCAS Sobre fundo preto entram os letterings e logomarcas: projeto realizado através das leis: LEI ROUANET LEI DO AUDIOVISUAL LEI MENDONÇA patrocínio cultural: ACCENTURE BNDES PETROBRAS PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO uma produção: SANTA CLARA em parceria com: FUNDAÇÃO OSCAR NIEMEYER SEQUÊNCIA 01 O SONHO DE CABRAL OSCAR NIEMEYER OFF Uma vez eu tive um sonho, eu sonhei que o Rio de Janeiro não tinha sido ocupado. Que a cidade tinha crescido mais junto aos morros entrando pelo interior. Então que eu tinha chegado na janela e tinha visto o mesmo panorama que o Cabral viu quando chegou, não é? A natureza fantástica, aquilo tudo, os pássaros, os bichos. E a cidade recuada olhando isso de longe. Seria um paraíso assim guardado no tempo né? Por isso é que um dia o Sartre disse: quem sabe que o mundo não seria melhor sem os homens.

2

SEQUÊNCIA 02 ABERTURA lettering sobre fundo preto:

A VIDA É UM SOPRO lettering sobre fundo preto: documentário de Fabiano Maciel e Sacha. SEQUÊNCIA 03 EU GOSTAVA DE DESENHAR OSCAR NIEMEYER ON Eu gostava de desenhar. Eu lembro quando eu era menino, eu começava a desenhar com o dedo assim no ar e minha mãe perguntava: “O que que você tá fazendo?” Eu dizia: Tô desenhando. De modo que foi o desenho que me levou pra arquitetura. SEQUÊNCIA 04 TEXTO EXPLICATIVO - QUANDO SURGE A IDÉIA OSCAR NIEMEYER ON/OFF Um momento importante da arquitetura é quando surge a idéia. Eu por exemplo,trabalho de uma maneira muito particular. Quando eu tenho uma idéia, começo a estudar um problema, primeiro eu verifico quais são as condições locais, a possibilidade econômica. Depois eu começo a desenhar. E quando chego a uma idéia, a uma solução que me agrada, eu passo a escrever, a redigir um texto explicativo.

3

Porque se nesse texto eu não encontro argumentos, eu volto pra prancheta. Uma vez lá em Brasília era noite alta e nós fomos ver a estrutura do Alvorada que estava pronta. E quando chegamos lá de noite, nós ficamos espantados, como era bonita. Parecia uma escultura, uma coisa que não tinha nenhuma finalidade senão da própria beleza. Eu disse pra eles: olha, esse é o momento em que nasce a arquitetura. É a forma nova, diferente , que deve criar surpresas, essa é a arquitetura. SEQUÊNCIA 05 TEM QUE HAVER FANTASIA Entram os seguintes letterings sobre as imagens: -Palácio do Itamaraty Brasília 1962 -Capela do Alvorada Brasília 1958 -Teatro Nacional Brasília 1959 -OCA São Paulo 1951 -Congresso Nacional Brasília 1958 -Memorial JK Brasília 1980 -Palácio da Justiça Brasília 1962 OSCAR NIEMEYER ON/OFF O importante pra nós em todos os sentidos é a liberdade. Tem que haver fantasia, tem que haver uma solução diferente. Isso é que é importante na arquitetura. O que vai ficar da arquitetura, o que ficou, não foram as pequenas casas, muito bem tratadas... Foram as catedrais, foram as "voutes", foram os grandes balanços, né? Beleza é importante. Você vê as pirâmides... uma coisa sem menor sentido, mas são tão bonitas, são tão monumentais que a gente esquece a razão das pirâmides e se admira, né? Se você ficar preocupado só com a função, fica uma merda. SEQUÊNCIA 06 O ARQUITETO TEM QUE SABER DESENHAR 4

coisa espontânea. eu procuro fazer bonito. desembaraçar a mão pra trabalhar.. não consegue mais fazer. ver uma coisa nova. SEQUÊNCIA 08 INFÂNCIA EM LARANJEIRAS . que crie surpresa. diferente.. Eu estudei no Colégio Barnabita. OSCAR NIEMEYER ON Quando me pedem um prédio público por exemplo.FAMÍLIA CATÓLICA OSCAR NIEMEYER ON / OFF Eu morava em Laranjeiras na rua Passos Manoel. SEQUÊNCIA 07 FODIDO NÃO TEM VEZ Depoimento do Oscar. Porque eu sei que os mais pobres não vão usufruir nada.meu lema é esse aí. tá escrito ali. Eu acho que o arquiteto tem que saber desenhar. “Fodido não tem vez”. Por enquanto só usa arquitetura quem tem dinheiro. 3 em Brasília. Foi uma infância tranquila.OSCAR NIEMEYER ON/OFF É comum você ver um desenho de criança colorido. como eu fiz agora. 5 . aí ela vai cumprir seu destino. Depois que ela aprende. Porque é criativo.. O resto quando ela tiver um programa humano. Mas eles podem parar. Os outros estão fudidos aí nas favelas. de surpresa. ter um momento assim de prazer. podia ser um painel de tão bonito. fazer um desenho figurativo. É o lado assim que a arquitetura pode ser útil. Viu o homenzinho lá em cima? Esse negócio vermelho. social . Aqui..

Depois casei. Café Lammas. Uma diretora da Obra do Berço era minha parenta. Ele era honesto. direitinha. fiz de graça. Era uma casa moderna. apenas aquilo. A Obra do Berço foi o meu primeiro projeto. Nós parecíamos que estávamos na vida para se divertir. Fluminense. né ? Eu era de família católica e meu avô. Quando ele morreu ele deixou a casa em que nós morávamos.. Ele foi ministro muitos anos e isso é uma coisa que pesou muito em mim. É um ser humano assim insignificante..que atravessa a vida que é um sopro. Eu me lembro que até isso marcou um pouco a minha posição na arquitetura. a minha vida não tem nada de especial. que era um passeio. que era ministro do Supremo Tribunal e a regalia que ele tinha era missa em casa. De modo que você ainda tem que agradar um sujeito que às vezes é impossível agradar. O sujeito riu muito. eu era estudante.Depois teve um período assim de muita euforia. 6 . Achou impagável a casa. SEQUÊNCIA 09 PRIMEIRA CASA PROJETADA E OBRA DO BERÇO Lettering: Obra do Berço Rio de Janeiro 1937 OSCAR NIEMEYER ON/OFF A primeira casa que eu fiz. meu primeiro projeto. eu tava saindo da escola ela me pediu o projeto. vieram os compromissos. mocidade. Fiz pra um médico que era meu parente. Eu fiz uma proteção com brise-soleil com umas caixas que as verticais eram inclinadas.

1949. desenvolveu-se a margem da Baía de Guanabara. aprendi no escritório do Lucio Costa. que eu queria fazer arquitetura. tava casado e com poucas possibilidades de dinheiro. eu preferi ir trabalhar com o Lucio de graça. Fundada em 1565. possui todos os requisitos de uma cidade moderna. que deviam ser normais a fachada. núcleo inicial da cidade. demolido a 20 anos. a Esplanada do Castelo. E o sol entrava no prédio.. NARRADOR ORIGINAL DO FILME EM OFF "A cidade do Rio de Janeiro. Onde se erguia o histórico Morro do Castelo. Eu me lembro que eu fiz o projeto de graça e ainda paguei a fachada nova com aqueles elementos verticais. Contando hoje com cerca de 2 milhões de habitantes. Naquele período. É um fato sem importância mas que mostra que eu era idealista.. Eu que tava até desempregado. quando a gente estava no meio do curso a idéia. a preocupação era sempre trabalhar numa firma construtora. 7 . que eu me sentia responsável pelo que eu fazia com relação a arquitetura brasileira. mas eles acharam que era engano. estende-se hoje a nova zona central do Rio de Janeiro." SEQUÊNCIA 11 LUCIO COSTA OSCAR NIEMEYER ON Eu aprendi na vida. capital do Brasil. em ruas modernas e construções novas. SEQUÊNCIA 10 "A CIDADE DO RIO DE JANEIRO" DE HUMBERTO MAURO Lettering: "A cidade do Rio de Janeiro" de Humberto Mauro. junto ao Pão de Açúcar.Eu fui pra Europa quando voltei o prédio estava pronto.

renascimento. estilo francês. E fomos. ele gostou do meu projeto.Porque eu queria fazer uma boa arquitetura. Porque eu era procurado por ter uma clientela que queria casas de estilo. LÚCIO COSTA ON/OFF Eu não admitia fazer nada que não estivesse em dia com a renovação. fizemos o projeto. Fiquei lá um ano e tal. estilo inglês. OSCAR NIEMEYER OFF Eu me lembro que uma vez. E foi lá que eu aprendi. Até uma senhora uma vez me disse: eu encomendei a você uma carruagem e você quer me impingir um automóvel? SEQUÊNCIA 13 PAVILHÃO DO BRASIL EM NOVA IORQUE Letterings: -Nova Iorque 1939 -Pavilhão do Brasil na Feira Internacional de Nova Iorque projeto de Lucio Costa e Oscar Niemeyer 1939. Então me convidou pra ir com ele. SEQUÊNCIA 12 LUCIO COSTA NA UNB Lettering: Lucio Costa na Universidade de Brasília 1992. que era a minha clientela anterior. De modo que passei uns cinco anos de quase miséria. SEQUÊNCIA 14 ARQUITETURA MODERNA x ARQUITETURA NEOCOLONIAL Lettering: Entrevista para o documentário “O Risco” de Geraldo Motta Filho 2003 8 . quando ele venceu o concurso do Pavilhão do Brasil em Nova Iorque.

Não tinha o menor sentido. sem nenhuma reserva. às vezes se manifestava…arquitetura mais brasileira. Mas a perfeitamente que ela é mais portuguesa que brasileira. Todo mundo gosta da arquitetura colonial. gente sabe Eu quando vou a Europa e passo por uma cidade antiga eu me sinto melhor. mas modernos. fazer uma arquitetura intermediária. E aí o Rodrigo Mello Franco e o Lucio acharam que não. utilizando a técnica em sua plenitude. Eu fiz o hotel usando os elementos. modernas. não tinha nada com isso. as mesmas janelas. o Leão fez um estudo dando uma idéia da arquitetura antiga. é mais português do que brasileiro. E foi o que eu fiz. 9 . às vezes eles diziam: O passado arquitetônico de vocês é pobre. que não entendia nada de arquitetura. que tinha que ser uma coisa que criasse o contraste. havia duas tendências na arquitetura no Brasil: Uma tendência era fazer uma arquitetura moderna. Gilberto Freyre. SEQUÊNCIA 15 HOTEL DE OURO PRETO Letterings: -Ouro Preto Minas Gerais -Grande Hotel Ouro Preto 1939 OSCAR NIEMEYER ON/OFF De modo que quando surgiu a idéia do hotel de Ouro Preto. A outra era procurar uma solução intermediária. A técnica de defender os monumentos não é copiar. mas com influências. Era fazer um prédio que colocava como enfeite uma janelinha colonial. Passar por Portugal naquelas velhas aldeias portuguesas que a gente parece estar no Brasil né ? Eu me lembro que na Europa. é fazer o contraste.OSCAR NIEMEYER ON/OFF Naquele tempo. Isso era uma babaquice total. uma coisinha.

um grande monumento arquitetônico. documentando a cerimônia do lançamento da pedra fundamental do futuro edifício do Ministério da Educação e Saúde.DISCURSO CAPANEMA Lettering: Rio de Janeiro 1937. Porque ele cuidou do nosso patrimônio histórico. porque vocês vivem circulando entre monumentos. fez o Ministério da Educação. desses estados todos. e nós estamos livres pra fazer hoje o passado de amanhã. Ele chamou o Rodrigo que foi uma pessoa fantástica. 10 .GABINETE CAPANEMA Letterings: -Gustavo Capanema e Rodrigo Melo Franco -Ítalo Campofiorito arquiteto -Carlos Drummond de Andrade e Gustavo Capanema OSCAR NIEMEYER ON O período de Capanema foi como a Semana de Arte Moderna de São Paulo. pertinácia. NARRADOR ORIGINAL DO FILME OFF Instituto Nacional do Cinema Educativo.E eu dizia: isso é muito bom para nós. SEQUÊNCIA 17 MINISTÉRIO . que tem a seu cargo solução de tantos sérios problemas do Brasil. passou a vida cuidando do nosso patrimônio artístico. Porque com a ereção deste edifício daremos o passo final no esforço que vem de longe. Em primeiro lugar. de organização do ministério. cujo projeto se estudou com consciência. porque se vai plantar na bela cidade. SEQUÊNCIA 16 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO . E cuidou da cultura. de Minas. minúcia e esmero. CAPANEMA ON O acontecimento é propício.

E o Lucio Costa. pros governantes o que era a arquitetura contemporânea. Carlos Leão. Uma época privilegiada. e troca o chefe de gabinete.Jorge Moreira.Projeto de Oscar Niemeyer. OSCAR NIEMEYER ON/OFF O importante foi o projeto do Le Corbusier para o Ministério da Educação. do brise-soleil. o Capanema é convencido provavelmente por Carlos Drummond de Andrade. segundo risco original de Le Corbusier Depoimento do Oscar no seu escritório. 11 . Porque ele mostrou pro povo. CHEGADA DE LE CORBUSIER ÍTALO CAMPOFIORITO ON/OFF O projeto do Ministério. Lucio Costa e Ernani Vasconcellos. Afonso Reidy. tudo isso. SEQUÊNCIA 19 HISTÓRIA DO PROJETO. Nós temos Rodrigo no gabinete da educação. e então ele chama Lucio Costa pra fazer o projeto. A razão dos pilotis. SEQUÊNCIA 18 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Letterings: -Ministério da Educação e Saúde Rio de Janeiro 1936. que é que faz? Chama outros concorrentes modernos. que é trocado por Capanema. Nós nunca vamos conhecer chefes de gabinete como estes: Os ministros sabiam escrever e os chefes de gabinete eram revolucionários.ÍTALO CAMPOFIORITO ON/OFF É uma época de ministros jovens e chefes de gabinete geniais. tira Rodrigo e bota Carlos Drummond de Andrade. . da fachada de vidro.

A equipe coordenada pelo Lucio trabalha. ÍTALO CAMPOFIORITO ON/OFF O Corbusier mudou o projeto. É muito pouco. -Primeiro projeto de Le Corbusier ÍTALO CAMPOFIORITO OFF / ON E o Lucio insiste na vinda de Le Corbiusier. que ia ficar prejudicado o projeto. Neste período em que ele esteve aqui. Na véspera de embarcar. nem Cristo em província nenhuma de Jerusalém fez tanto milagre. SEQUÊNCIA 20 CHEGADA DE CORBUSIER . abandonasse o que ele queria. porque aquele outro era num terreno da prefeitura e esse era do Ministério. Não era possível. e o Oscar virou um gênio. que não era.HISTÓRIA DA CARTA letterings: -Projeto de Jorge Moreira para o prédio do Ministério -Le Corbusier -Desenhos de Le Corbusier. o Corbusier. preferiu fazer um outro. E vai embora. um ano e pouco e nesse meio tempo acontece a história do papel.Nenhum deles sabia direito como fazer aquele Ministério realmente moderno. Nessa ocasião o Lucio me botou pra trabalhar com ele. Ele ficou aqui 15 a 20 dias. Fez com má vontade e ainda disse na carta que assim não ia ficar bom. apresentou uma solução. o Lucio aceitou. porque a pressa do Capanema era tão grande e exigiu que ele. tanto que o Lucio não sabia. pra ajudar ele no desenho. porque mudou a arquitetura brasileira. criou o prédio mais importante do mundo. OSCAR NIEMEYER ON / OFF 12 . não mais do que isto. OSCAR NIEMEYER ON “O RISCO” O Corbusier chegou com aquela desenvoltura de chefe. viu o projeto que o Lucio tinha feito. com o gabinete do ministro olhando pro Pão de Açúcar. e fez baixo longo. Le Corbusier fez um croqui do prédio no terreno atual. Todos eles estavam convencidos da modernidade mas não tinham a linguagem.

Não sou eu que digo. Ele pediu pra ver e eu. mas nos últimos trabalhos ele também teve influência da nossa arquitetura. de generosidade. Ele viu achou bom e disse: vamos fazer esse. Quando o Lucio chegou. que foi sócio dele. de correção. SEQUÊNCIA 22 FERREIRA GULLAR . tinha jogado pela janela. assim. E o Leão gostou. mais vazada. que não tinha a menor preocupação. Nós caminhamos para uma arquitetura mais de acordo com o nosso clima. E ele mandou buscar. Peguei o primeiro projeto. 13 . mais leve.CONCLUSÃO Lettering: -Oscar Niemeyer e Le Corbusier OSCAR NIEMEYER ON/OFF Agora a nossa arquitetura é muito diferente do Corbusier. seguindo uma arquitetura que vinha de fora com muito talento. Nós tivemos influência dele. e que num livro de memórias a gente pode ler: Le Corbusier que durante muitos anos. Aí foi a primeira coisa que me impressionou no Lúcio. vencendo o espaço. proclamou as virtudes do ângulo reto. ela nasce da arquitetura do Le Corbusier nos seus elementos básicos.PRÉDIO DA ONU Lettering: -Ferreira Gullar poeta FERREIRA GULLAR ON /OFF E não há dúvida alguma de que a arquitetura do Oscar. SEQUÊNCIA 21 MINISTÉRIO . E um dia não sei porque eu fiz um croqui utilizando o primeiro. quem diz isso é o Ozoenfant. nem pensava em poder influir. fiz a rua passar por baixo. o Leão disse: olha o Oscar fez um projeto aí que eu acho que tá bom. E demos a ele a contribuição que ele nos deu. passou de um momento para o outro pensando diferente. atravessei no terreno.Eu achava que o primeiro era melhor. abri.

Porque ninguém inventa nada de nada. Era um projeto assim: o projeto do Corbusier tinha um bloco aqui. foi o Oscar que ganhou. o meu era o 32 e nós apresentamos o projeto 23-32. não diminui o Le Corbusier. Acabava com a praça. O meu projeto foi o escolhido. Isso mostra o talento criativo do Oscar. que fez no hotel. E todo mundo conhece o caso do prédio da ONU. de zero. A sede do ONU em Nova Iorque. Aí ele foi pro hotel e bolou o projeto. Mas eu senti que ele gostaria de fazer o projeto dele. porque o presidente da comissão que ia julgar os projetos falou: você tem que apresentar um projeto. que não foi com projeto pra lá. Não existe isso. SEQUÊNCIA 23 PRÉDIO DA ONU Lettering: -Sede da ONU em Nova Iorque 1947. Então. é isso que tá lá construído. que na verdade quem ganhou o concurso do prédio da ONU foi ele. mas o Le Corbusier no dia seguinte me procurou e me pediu pra botar esse prédio aqui. eles escolheram o meu projeto. E ele era o mestre. Não me arrependo. No meu projeto. Eu disse: “Está bem”. Houve depois 14 . No livro que eu publiquei tem uma fotografia de todos me abraçando. o projeto dele era o 23. eu botei o bloco aqui. o projeto é do Oscar. O que é extraordinário é que ele aprende a lição do Le Corbusier e em seguida. não foi Le Corbusier. Nós não vamos aceitar que você venha pra cá e não apresente um projeto. Isso não quer dizer nada. Quer dizer. ele já faz uma coisa que é a negação dos dados fundamentais daquela arquitetura. A cultura é herança e transformação. Eu quis criar a praça das Nações Unidas. separei os Conselhos da Grande Assembléia. e dividia o terreno em dois. OSCAR NIEMEYER ON/OFF O edifício da ONU. alto e o prédio era aqui. O prédio. botei os Conselhos aqui e botei a Grande Assembléia aqui.

pequenas modificações. Eu pensei: “esse cara tá se lembrando daquela manhã. eu almocei com ele no apartamento dele e ele ficou me olhando e disse: Você é generoso. 15 . desde um período histórico. fui generoso. com um cassino. eu era jovem. seus mestres contramestres. estamos reunidos em um projeto cuja realização nos permitirá apresentar ao mundo uma solução arquitetônica clara e otimista.O COMEÇO Letterings: -Iate Clube da Pampulha Belo Horizonte 1940 -Cassino da Pampulha Belo Horizonte 1940 -Casa de Baile Belo Horizonte 1940 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Quando eu fui fazer Pampulha. que eu concordei em mudar a posição do bloco. SEQUÊNCIA 26 PAMPULHA . SEQUÊNCIA 24 LE CORBUSIER LE CORBUSIER ON Pela primeira vez. Um bairro com uma igreja. um clube e um restaurante. SEQUÊNCIA 25 PROJETO DA ONU OSCAR NIEMEYER ON/OFF Mas eu olho pra trás e acho que foi bom. Tempos depois. o projeto que eu fiz com a modificação do Corbusier é a solução adotada. eu fui falar com o JK. formam uma conjunção única e excepcional. Os jovens do ateliê de desenho. mas se você olhar a planta. E ele me disse que ia fazer um bairro novo em Belo Horizonte.Temos idades diferentes.

Então eu fiz com que a arquitetura se fizesse mais plástica. mais leve. mais vazada. 16 . Fui pro hotel e fiz. ao contrário sugeria um novo campo de experiências e invenções. Ela era rígida como se fosse feita com estrutura metálica. praticamente era o meu primeiro trabalho.CASA DO BAILE OSCAR NIEMEYER ON/OFF A Casa do Baile. E o concreto. que era uma construção. não é? E por isso fomos juntos.Nós queríamos impor a curva que é a solução natural do concreto. eu preciso do projeto do Cassino pra amanhã. Eu tinha que atender. Eu então procurei introduzir a curva na arquitetura. trabalhei a noite inteira e no dia seguinte compareci. Então eu cobri a igreja de curvas. E a arquitetura se fez diferente. E ele compreendeu que comigo ele podia correr. né? Eu tava começando. uma novidade..IGREJA Lettering: -Igreja São Francisco de Assis Belo Horizonte 1940. Quando você tem um espaço grande assim. eu fiz a marquise em curva também.. Se fez mais ligada ao nosso país. OSCAR NIEMEYER ON/OFF E em Pampulha minha idéia já era fazer uma arquitetura diferente. SEQUÊNCIA 27 PAMPULHA . Pampulha foi o início de Brasília. SEQUÊNCIA 28 PAMPULHA . Então essa arquitetura diferente criou uma série de dúvidas e discussões não é? Mas em pouco tempo eles tinham compreendido que o concreto armado era o material da época e nele nos devíamos deter. Naquele tempo a arquitetura era muito… não compreendia nem representava bem o concreto armado. Mas eu era jovem. a solução natural é a curva não é a linha reta.Quando acabou a conversa ele me disse: olha. uma invenção como dizia Le Corbusier. mais próxima das velhas igrejas de Minas Gerais.

com sua magnífica piscina.. dançar e assistir a shows. SEQUÊNCIA 30 ÍTALO CAMPOFIORITO FALA DA PAMPULHA ÍTALO CAMPOFIORITO ON/OFF O Cassino tem um "que" de Corbusier. Do outro lado da Lagoa. SEQUÊNCIA 31 CHICO BUARQUE – “ A MÚSICA DO TOM É A CASA DO OSCAR” 17 . podem ir a um baile mais popular.Foi no tempo em que um francês muito inteligente. e esse diabo desse prédiozinho é que transformou a imagem da arquitetura brasileira no mundo. um cassino é pra rico. ficou parecendo uma serpentina que você joga no ar. o clube era pra burguesia.FILME AMERICANO NARRADOR AMERICANO OFF Em torno da Lagoa da Pampulha. Porque o Oscar achou de botar no programa do Juscelino. um novo bairro residencial está sendo construído. O Iate Clube já está funcionando. barroco. Conforme o planejado. os mineiros podem jantar. a igreja é igreja e não iam aceitar por muitos anos. jantar e dançar no pavilhão aberto. povo. que trabalhou com o Corbusier disse que "Il faut fair chanter les points d'apui". do centro da cidade. uma ilhazinha. Então ele quis fazer um baile. carnaval. O pequeninho. a alguns minutos de carro. a igreja é completamente brasileira e um pouco barroca e a coisa mais importante do mundo é o pequeno baile popular. E eu dei mais ênfase às estruturas. então ficou brasileiro.que faz assim. SEQUÊNCIA 29 PAMPULHA . eu acho. no Cassino da Pampulha. Se preferirem.. no estilo tradicional "mineiro". Quer dizer: é preciso fazer cantar os pontos de apoio.

Quando a minha música sai boa penso que parece música de Tom Jobim. O que me atrai é a curva livre e sensual. dura. achei pouco. presente do próprio. Decidi-me a ser Oscar eu mesmo. Depois larguei a arquitetura e virei aprendiz de Tom Jobim. porque me pai. havia o ante-projeto. no corpo da mulher preferida. Nem a linha reta. projeto do Oscar. 18 . internaram-me num ginásio em Cataguases. nas nuvens do céu.Lettering: -Chico Buarque compositor CHICO BUARQUE ON A Casa do Oscar era o sonho da família. inflexível criada pelo o homem. Música do Tom na minha cabeça é casa do Oscar. A curva que encontro no curso sinuoso dos nossos rios. Havia o terreno para os lados da Iguatemi. SEQUÊNCIA 32 POEMA DA CURVA letterings: -Escola Milton Campos Belo Horizonte 1954 -Parlamento Latino-Americano São Paulo 1991 -Anexo Supremo Tribunal Brasília 1998 -Ponte Asa Sul Brasília 1967 -Terminal Hidroviário Niterói 2004 OSCAR NIEMEYER OFF Não é o ângulo reto que me atrai. Havia a promessa de que um belo dia iríamos morar na casa do Oscar. Cresci cheio de impaciência. Vivi seis meses naquele casarão do Oscar. Pois bem. nunca juntava dinheiro para construir a casa do Oscar. embora fosse dono do Museu do Ipiranga.

existe a boa e a má pintura. isso que é importante. SEQUÊNCIA 35 ENTRADA PRO PARTIDO COMUNISTA 19 . Porque as coisas se repetem. procurar colaborar e quando ele sentir que a coisa tá ruim demais e a esperança fugiu do coração dos homens. O universo curvo de Einstein. Na arquitetura é a mesma coisa. SEQUÊNCIA 33 CANSADO DE FALAR DE ARQUITETURA . que ele tá ali pra ser útil. OSCAR NIEMEYER ON/OFF A minha arquitetura não é uma solução pra arquitetura. as perguntas são as mesmas. O embaixador da Rússia fez a entrega do prêmio enaltecendo a obra de Niemeyer e o artista recebe as insígnias das mãos de uma representante russa como homenagem a cultura de nosso país. a política é importante. O ideal é cada um procurar o seu caminho e fazer o que gosta. é o sujeito se sentir bem... O sujeito tem que pensar na política. é a minha arquitetura.O IMPORTANTE É PROTESTAR Lettering: -Edifício Niemeyer Belo Horizonte 1954. é própria vida. aí é a revolução. pensar na miséria. a conversa é a mesma.De curvas é feito todo o universo. SEQUÊNCIA 34 PRÊMIO LENIN – FILME ARQUIVO 31 NARRADOR ORIGINAL OFF O arquiteto Oscar Niemeyer recebe em solenidade o prêmio Lênin da paz. Eu confesso a você que eu tô um pouco cansado de falar de arquitetura. Mais importante do que a arquitetura é estar pronto pra protestar e ir na rua. sentir que não é um merda. Assim como na pintura a gente tá de acordo de que não existe a pintura antiga e moderna. que lhe foi conferido pelo governo soviético.

mas não encontro resposta pra isso. o Prestes foi lá pro meu escritório. no tempo do stalinismo e um professor me perguntou: “Dr. problema político. “Então o senhor apresente suas críticas”. aquela luta. a ventilação é ruim. há muitos anos atrás. aquela abnegação pela idéia. Emprestei a casa ao Prestes. mas se vocês perguntam: as colunas aqui são próximas demais. de paz. a circulação é ruim. estou com vocês. fiquei ouvindo aquela conversa. Eu disse: não vim aqui pra criticar. Quando o pessoal saiu da prisão. aquele entusiasmo. SEQUÊNCIA 37 BIENAL E DEPOIMENTO DE EDUARDO GALEANO Letterings: -Marquise do Parque Ibirapuera São Paulo 1951 -Pavilhão da Bienal São Paulo 1951 -Montevidéu Uruguai -Eduardo Galeano escritor EDUARDO GALEANO ON 20 .Lettering: -Luis Carlos Prestes e Oscar Niemeyer OSCAR NIEMEYER ON/OFF Eu entrei pro partido em 45. mas dizer a verdade. alguns companheiros. essa coisa toda. são gordas demais pro espaço que as separam. ele criou lá o Comitê Metropolitano. SEQUÊNCIA 36 ARQUITETURA SOVIÉTICA Lettering: -Bulgária anos 70 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Eu me lembro que quando eu fui a Moscou. Niemeyer o senhor o que que acha da arquitetura soviética”? Eu disse: olha. E foi indo. ajeitei uns quinze lá no meu escritório. De modo que a gente nesse contato com a esquerda a gente tinha que ser fraternal. acho muito ruim.

que ofende o espaço.Fiz os quartos embaixo. Um amigo meu. ele tem feito uma arquitetura leve como as nuvens. simples como a minha maneira de viver. de jantar. desenhadas por Deus no dia em que Deus achou que era Niemeyer. E eu mostrei a casa. sem muito controle. Não fomos nós que inventamos a bobagem. Eu não mexi no terreno. Eu fiz a casa como eu queria. livre. Em cima tem a sala. eu queria uma casa simples. me deu umas mudas de plantas e foram crescendo assim como coisa da natureza. não é? Ela sempre existiu. não é? Quando a casa tava pronta. Eu achei graça. que é muito parecida com a paisagem das montanhas do Rio de Janeiro. não é? Porque não tinha nada a ser multiplicado. porque besteira sempre se disse. E quando ele saiu. Não é só de hoje não. ele me disse: “A casa é bonita. O terreno é diferente. como dizia o Le Corbusier. uma besteira tão grande na boca de um sujeito tão ilustre. a cozinha. Aí. Contra o ângulo reto. que se adaptasse bem na natureza. E ela tá bem integrada no terreno. um dia o Gropius apareceu aqui. O sujeito aprendia a desenhar um aparelho qualquer. SEQUÊNCIA 39 BAUHAUS OSCAR NIEMEYER ON Bauhaus foi o paraíso da mediocridade. se adapta ao terreno. mas não é multiplicável”. SEQUÊNCIA 38 CASA DAS CANOAS Lettering: -Casa das Canoas Rio de Janeiro 1952 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Depois eu fiz essa casa.É sabido que Oscar Niemeyer odeia o capitalismo e odeia o ângulo reto. são montanhas que parecem corpos de mulheres deitadas. pequena. A casa foi feita pro terreno. qualquer 21 . sensual. como ela pode ser multiplicada? Mas eu achei graça. eu procurei um terreno que tivesse vista.

A arquitetura não pode ser vista como uma coisa isolada.coisa. E a arquitetura não é nada disso. Pelo contato que eu tive com o Corbusier o mais importante foi o dia que ele me disse: olha arquitetura é invenção. quando eu li o.. o interior de um prédio ele é belo em si mesmo na sua proporção e na sua funcionalidade. A parede. E nisso.. ele está 22 . e bota mural. é que o povo pare surpreso de ver uma coisa nova… . ele dizia que a invenção. -Painel de Paulo Werneck -Teatro Nacional Brasília trabalho de Athos Bulcão -Azulejos de Portinari Pampulha 1940 -Interior do Itamaraty Brasília 1962 Trabalho de Athos Bulcão -Azulejos de Athos Bulcão -Capela Nossa Senhora de Fátima Brasília 1958 FERREIRA GULLAR ON/OFF Uma das definições básicas da nova arquitetura. o Oscar vem e bota azulejo. o pintor. o escultor. De modo que na minha arquitetura.. do começo do século 20 é exatamente a exclusão das outras artes.. os pintores. Não precisa botar nada ali. a preocupação inicial é que seja diferente. os escultores. Isso depois eu compreendi lendo em diversos livros..Baudelaire. OSCAR NIEMEYER ON No meu trabalho eu sempre convoquei os artistas. o painel. e aquilo se estabelecia com uma série de regras que eles eram obrigados a seguir.o poeta francês o. a arquitetura é invenção. o espanto é a característica principal da obra de arte. não me lembro o nome agora. o que eu faço. o que é uma rebeldia dele também. SEQUÊNCIA 40 ARTES PLÁSTICAS Letterings: -Hospital da Lagoa Rio de Janeiro 1952 -Banco Boavista Rio de Janeiro 1946.. quando ele está traçando uma parede. Mesmo no meu primeiro trabalho de Pampulha eu fiz isso. Então inclui o artista. Porque quando o arquiteto faz um projeto.

. SEQUÊNCIA 41 ESQUECIMENTO Oscar fala. 23 . ÍTALO CAMPOFIORITO ON Aí não pode OSCAR ON Uma vez eu tava fazendo noite de autógrafo. o. se deve ser uma escultura. ÍTALO CAMPOFIORITO ON Passos. né? O artista não vem depois pra colocar o quadro onde ele quer.Não me lembro o nome dele.. porra. OSCAR ON Não. Vou desistir de falar hoje. ÍTALO CAMPOFIORITO ON Ah. da nossa idade. Esquecer o Camões..a influência do.. Oscar e Ítalo Campofiorito conversam no MAC. uma parede de pedra. do nosso tempo. mas isso é normal OSCAR ON Mas eu tô esquecendo até o nome do sujeito que tá ao meu lado. uma caiação. Outro dia falando com eles eu não me lembrava do Mies van der Rohe.já imaginando se ela vai ser uma pintura. Ele disse. OSCAR ON Eu tô esquecendo os nomes.. OSCAR ON Não... Tem o sujeito que escreveu o. fulano de tal.. OSCAR NIEMEYER ON É lógico que há influências... chegou um engenheiro que foi prefeito do Rio. ÍTALO CAMPOFIORITO ON Tamoio. Houve influência até na literatura. Ele ficou puto. E ele veio com o livro e eu disse: esqueci seu nome.

SEQUÊNCIA 44 CARLOS HEITOR CONY FALA SOBRE BRASÍLIA lettering: -Carlos Heitor Cony escritor CARLOS HEITOR CONY ON/OFF Juscelino muitas vezes terminava o expediente dele aqui no Catete. 24 . com inversões superiores a quinhentos milhões de Cruzeiros. a gente mal alojado. É já uma cidade provisória de dez mil habitantes. fazia as inspeções de obras. desconforto. Brasília. estende-se ao lado das grandes obras do governo.ARQUIVO JEAN MANZON NARRADOR ORIGINAL OFF O Homem brasileiro não mais arranha as praias como os caranguejos.” E foi bom. Não quero uma capital provinciana. que mostre a importância do país. quero uma coisa bonita. um pólo magnético em Goiás. E Brasília foi assim uma aventura. Uma capital diferente. construída por iniciativa particular.. chegava por volta da meia noite em Brasília. as dez horas da manhã estava no Catete outra vez. aqui do lado.SEQUÊNCIA 42 BRASÍLIA . cheia de problemas e desencontros. tomava o avião aqui no Santos Dumont. SEQUÊNCIA 43 OSCAR FALA SOBRE O COMEÇO DE BRASÍLIA OSCAR NIEMEYER ON O Juscelino passou por aqui. Eu achei Brasília longe demais. Mas havia determinação do JK. descemos juntos pra cidade e ele me disse: “Olha. e a coisa prosseguiu. eu quero fazer uma capital. mas depois eu me acostumei com a idéia.Que a determinação de Juscelino era tanta que nós passamos a achar que tudo ia correr bem. me chamou. terminava às seis horas. seis horas da manhã voltava. é afinal a resposta a essa prática de dois séculos. começamos a trabalhar..

. não só São Paulo como a do Rio eram contras. ele desce naturalmente com aquela hélice de controle. esse cai mesmo se for preciso. Como este serão todos os demais em construção. DC-3.vai esvaziar o Rio de Janeiro.HELICÓPTERO OSCAR NIEMEYER ON/OFF Às vezes eu ia de avião. Podia parar em qualquer lugar. A imprensa nacional inteira. Porque diziam que o o helicóptero quando tem qualquer problema. você vai viajar comigo de helicóptero para ver as obras.. o outro é muito mais seguro.. embora vivendo cheio grana.” E saímos. SEQUÊNCIA 46 COMEÇO DE BRASÍLIA . Aí levava três horas. o piloto conversando comigo disse: “ah. havia as dobradinhas: funcionário que ia para Brasília ganhava em dobro. Eu peguei o helicóptero com ele.Foi um período muito difícil. não quero deixar Copacabana “. nem eu nem minha família.” SEQUÊNCIA 45 EDÍFICIO DO IAPI NARRADOR ORIGINAL OFF Em um dos edifícios do IAPI já está pronto um apartamento piloto com todos os requisitos do conforto moderno. não só dos funcionários mas de outras pessoas. O Rio de Janeiro vai acabar. Me lembro que um dia eu tava almoçando com ele durante as obras.. Mas depois que eu cheguei em terra.. Brasília não era bem vinda. SEQUÊNCIA 47 LEVEI OS AMIGOS QUE ESTAVAM NA MERDA OSCAR NIEMEYER ON 25 . então o Billy Blanco saiu com essa “. “ Não vou para Brasília. corremos a cidade e eu fiquei muito tranquilo. não é? Ele me disse: “olha. senão eu mando te encanar. Mesmo que seja para viver cheio de grana quero ser pobre sem deixar Copacabana. Porque para incentivar a ida à Brasília. quando acabar o almoço. Vamos para Brasília! Era uma ameaça. para ocupar o espaço de Brasília.

originais. a turma era alegre. o desejo dele. divertida. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Porque eu acho que a vida é assim. mas levei um médico.. A gente tinha até a impressão que a sociedade ia melhorar. Mudar a capital para Brasília. quando inaugurou a cidade.. os outros é agüentar.. com um pensamento estético.. A gente tem que separar as coisas. tudo vestido igual. Poxa então podemos fazer tudo que for preciso para que o Brasil mude. a imposição do dinheiro. um pensamento urbanístico completamente diferente. moderno.. vieram os políticos. que os homens seriam mais iguais né? NELSON PEREIRA DOS SANTOS ON Se o brasileiro fosse capaz de construir a nova capital. eu levei quinze arquitetos. OSCAR NIEMEYER ÁUDIO OFF Mas não. renovador. como ele dizia. era levar o progresso pro interior e isso foi feito. era a mesma merda. que não falasse só de arquitetura.NELSON PEREIRA DOS SANTOS Lettering: Nelson Pereira dos Santos cineasta. levei dois jornalistas. levei um engenheiro. A vida é chorar e rir a vida inteira. freqüentando as boates no meio daqueles operários. A gente se divertia. levei cinco amigos meus que estavam na merda e precisavam trabalhar e que eu senti que era a oportunidade de ajudá-los.Eu me lembro que quando eu fui pra lá. a gente saía em grupo. e uma capital com características especiais. dos negócios. tudo que até hoje anda por aí . mais divertida. OSCAR NIEMEYER OFF Eu me lembro a gente trabalhando lá. que e a vida ficasse mais fácil.. eu. pela obra de Oscar Niemeyer e Lucio Costa. a diferença de classes. Eu queria é que a conversa em Brasília fosse mais variada . A vida é um sopro né? SEQUÊNCIA 48 A SOCIEDADE IRIA MELHORAR . significava mudar o Brasil. E o final com JK. Depois. A gente tinha coisa pra contar. 26 . vieram os homens de negócios. não levava a coisa a sério.

a arquitetura e a estrutura como uma coisa que nascem juntas e juntas devem se enriquecer. a arquitetura já estava lá. Quer dizer. Ele realça o que é preciso realçar. É muito simples. Eu valorizei o trabalho do engenheiro. quer dizer a câmara e o senado. É um projeto que eu gosto muito.Os pequenos detalhes ficaram para plano secundário. 27 . a arquitetura tava presente. Quando o Congresso ficou pronto. às estruturas maior relevo. E lá em Brasília quando uma estrutura se concluía. onde o trabalho é mais importante.ARQUITETURA E ESTRUTURAS Letterings: -Ministérios Brasília 1958 -Congresso Nacional Brasília 1958 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Eu procurei dar à arquitetura. Eu quis fazer o teto no nível das avenidas. a estrutura. E é fácil explicar: eu queria que quando a pessoa chegasse. visse a Praça dos Três Poderes da qual o Congresso faz parte.SEQUÊNCIA 49 INAUGURAÇÃO DE BRASÍLIA Lettering: O Candango da Belacap de Roberto Farias 1961 "alegria de candango é ver Brasília inaugurada presidente no alvorada sorrindo pra candangada eu sou feliz no meio da candangaria me esbaldo me acabo noite e dia" SEQUÊNCIA 50 BRASÍLIA .

. Aqui são 3 metros. tem que valorizar a arquitetura. eu fiz as colunas parecidas. você sente a importância da praça.Supremo Tribunal Federal Brasília 1958.PRAÇA DOS 3 PODERESTANGENTE DA CÂMARA/unidade na arquitetura Letterings: -Praça dos Três Poderes 1958. Mediocridade ativa é uma merda! E discutimos muito apesar do tempo curto. Um pouco mais baixas. que é tão intuitivo… porque ali é uma praça cívica.. E no Brasil às vezes é o lado medíocre das pessoas. mas tinha desaparecido.Palácio do Planalto Brasília 1958 . Então eu procurei fazer os palácios como que apenas tocando o chão. um sujeito muito inteligente. quando você quer realçar a arquitetura numa praça é deixar a praça limpa.. me telefonou:Oscar: encontrei a tangente que vai permitir que a cúpula da Câmara pareça apenas tocando o chão. uma vez uma jornalista de São Paulo perguntou: 28 . que era poeta. é diferente.SEQUÊNCIAS 51/52 BRASÍLIA. Então elas ficaram assim. As colunas finas. sem nada. OSCAR NIEMEYER ON/OFF Porque é comum. ficam reclamando: “mas por que a Praça Três Poderes não tem vegetação?” “por que tanto sol?” E a gente tem que explicar isso. você vê a relação que tem um com o outro. No Palácio do Planalto. . O outro prédio. Tudo tem que dar uma explicação. Eu me lembro que um dia o Cardoso. por exemplo. Imagina você na Praça de São Marcos se enchêssemos ela de árvores? O que acontecia? Tinha mais sombra. Eu me lembro a incompreensão das coisas. E como eu queria que as pessoas passando entre elas e o prédio se sentissem protegidas. eu fiz as colunas assim. eu fiz as colunas sempre assim.. Então você olha e vê os diversos edifícios.. aqui é um metro só. uma coisa de arte.

Você vai em Paris as alturas são as mesmas.Catedral Brasília 1958 OSCAR NIEMEYER ON / OFF O Alvorada. De modo que a pessoa tava ou em cima ou embaixo da coluna.MARECHAL LOTT Lettering: -Quartel General do Exército. eu procurei uma ligação que para os católicos é importante. Um dia eu saía numa praia e quando eu cheguei assim na areia. eu tava tomando banho de mar. eu queria que as colunas fossem seguindo num ritmo diferente. que a pessoa ficasse aqui grudada no peitoril. a Catedral. da terra com o céu. Por exemplo. Quer dizer. Eu não queria uma catedral como as antigas catedrais. o senhor que fala sempre em arquitetura diferente. SEQUÊNCIA 54 BRASÍLIA . as janelas gradeadas são as mesmas. Unidade na arquitetura é quando os elementos que compõem um conjunto se ligam plasticamente. mas sempre deixando um espaço para que a vista pudesse subir. encontrei na Grécia. a ligação da nave. Antigamente nas cidades havia uma relação. E mesmo não sendo católico eu me preocupei que quando a pessoa estivesse na nave visse o espaço infinito. você não fazia essa pergunta. Eu me lembro que veio um representante do Papa e se espantou: que idéia boa! E depois botamos os vitrais que são muito bonitos. por que o senhor fez essas colunas parecidas com aquelas? Eu disse: se você conhecesse o que é unidade. 29 . Eu não queria um peitoril. Eu encontro essa coluna em muito lugar. Niemeyer. Brasília 1968. E a coluna funcionou bem. Difundiu bem a arquitetura brasileira. né? Depois vieram os outros prédios. isso é o que se chama unidade.COLUNAS E CATEDRAL Lettering: -Palácio da Alvorada Brasília 1957 .Eu queria uma catedral que exprimisse o concreto. Eu procurei uma coluna diferente. vi um prédio com as colunas do Alvorada. SEQUÊNCIA 53 BRASÍLIA .Dr.

é a imagem criada pela geração da década de 30. quanto em benefício público a idéia do que o Brasil poderia ser. Que também começa a ter influência na música e na arquitetura. os músicos. a poesia e a literatura.Cenário de Oscar para a peça Orfeu do Carnaval 1956 -Oscar.OSCAR NIEMEYER ON A primeira vez que eu fui à Brasília de avião e a gente foi com os militares. Frenquentava os mesmos lugares. E você vê.E a arquitetura estava nisso também. compuseram a Sinfonia de Brasília. a musica. Que até certo ponto reconstruiu tanto em sua própria mente. Era tudo uma patota só.O Vinicius com o Tom estiveram em Brasília. Lila Bôscoli e Tom Jobim 1956 ERIC HOBSBAWN ON/OFF Acho que Niemeyer pertence a uma geração extramamente importante no Brasil. Vinícius de Moraes. 30 . eu sentei ao lado do Marechal Lott e no caminho ele me perguntou: Niemeyer. né? Eu até disse sorrindo pra ele: o senhor numa guerra o que vai querer? Arma antiga ou moderna? SEQUÊNCIA 55 DEPOIMENTO ERIC HOBSBAWN Letterings: -Eric Hobsbawm historiador . começou como arquiteto e desistiu para se tornar músico. o novo Brasil. Esta geração que é extraodinariamente interessante. por exemplo. o Brasil do futuro. Todas essas coisas se interligavam. SEQUÊNCIA 56 CHICO BUARQUE CHICO BUARQUE ON/OFF A gente se freqüentava. o nosso edifício vai ser clássico.Tudo estava acontecendo na mesma época. na não-ficção e na criação de uma imagem na história do Brasil. os cineastas. o pessoal de teatro. Tom Jobim. Tava tudo junto. a imagem que as pessoas fazem do que seu novo país poderia ser. De certa forma. o Vinícius chamou o Oscar para fazer o cenário do Orfeu. teve grandes influências na literatura.

volumes e espaços a sinfonia de Brasília. mais acolhedora. habitação . LUCIO COSTA ON Brasília nasceu do gesto primário de quem assinala um lugar e dele toma posse. mas criou a parte monumental como uma capital exige. ÁUDIO ORIGINAL DO FILME Um milhão de habitantes. Os dois técnicos e artistas. 31 . no Planalto Central. compõem com linhas. SEQUÊNCIA 59 BYE BYE BRASIL Lettering: -Bye. Ele conseguiu uma coisa muito difícil: é manter na parte habitacional uma arquitetura mais simples. E. O futuro está aqui. Mas o Lúcio fez a coisa com tanto sentimento assim. no entanto.LUCIO COSTA Letterings: -Lucio Costa. justamente admirados em todo o mundo.. Mais de um milhão de habitantes. com aquele eixo.. o próprio sinal da cruz. ÁUDIO FILME JEAN MANZON OFF Os arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Ao primeiro coube projetar e orientar as obras de urbanismo. Ao segundo. do Brasil inteiro. SEQUÊNCIA 58 BRASÍLIA . E é justo. Ou seja. O mesmo sistema de áreas isoladas: trabalho.PLANO PILOTO OSCAR NIEMEYER OFF A cidade de Brasília é baseada na carta de Atenas... que apresenta vantagens e desvantagens. continua a chegar gente como vocês.CINE JORNAL JEAN MANZON . Cabe mais alguém? Não cabe. as obras de arquitetura. Bye Brasil de Cacá Diegues 1979.SEQUÊNCIA 57 BRASÍLIA .

presidente da LBA. nesta noite encantadora...Agora nós da assistência social. sem controle. SEQUÊNCIA 61 CERIMÔNIA NO ITAMARATY . todas com essa idéia de que a coisa não deve crescer indefinidamente. Isso é que é o ponto de vista certo do urbanismo. iam se formando em volta dela. se criarem novos pontos de habitação.Se fizerem esses prédios maiores. nós orientamos vocês. transforma-se também em capital da moda. ela vai entrar nessa degradação de Rio e São Paulo. Nós abrigamos toda a família. Cardin obteve o êxito esperado e afirmou à imprensa que não deseja ser costureiro apenas das elites. chegam convidados para uma festa brilhante. E Brasília. obra monumental de Niemeyer. nós cuidamos. Brasília chegou a um ponto assim de densidade demográfica que não devia se acrescentar mais nada. E depois. não dá pra ser aqui no centro da cidade. o povo aflito sem poder se movimentar. que é o mal da grande cidade. Ela devia ter um cinturão verde em volta. Em Brasília não devia fazer mais nenhum bloco de apartamentos. Ela devia parar. Em mesas ornamentadas por Burle Marx. eles querem aumentar gabarito e vai ser o caos.Elas deviam parar e se multiplicar. 32 . o desemprego. mas criar para o povo e até para os homens. que patrocina o desfile de moda do costureiro francês Pierre Cardin.GOLPE CINEJORNAL OFF Ao Palácio dos Arcos em Brasília. As cidades não deviam crescer espontaneamente. mais de mil convidados cercam dona Yolanda Costa e Silva.E Brasília está nesse ponto. As ruas entupidas de gente. E a pressão imobiliária. SEQUÊNCIA 60 BRASÍLIA DEVIA PARAR DE CRESCER Lettering: -Catetinho 1956 OSCAR NIEMEYER ON Brasília devia parar. Bem. outras cidades que já estão crescendo.

SEQUÊNCIA 62 EXÍLIO OSCAR NIEMEYER ON/OFF Chegou num tempo em que eu tinha que optar. o Boumedienne era o presidente e ele estava naquela euforia da vitória. Argélia . Eles queriam que eu pedisse demissão. eu fiz a biblioteca. Tinha o terreno. Quando eu cheguei na Argélia. E eu resolvi ir embora. fiz a Universidade de Constantine. eu fiz o prédio de ciência. 1968.CHEGADA Letterings: -Argel Argélia -Universidade de Ciências Argel Argélia. fiz um estudo pra Argel.COSTANTINE Letterings: -Constantine. não é? Então. Tinha vindo a revolução. Tinha vinte e três prédios e eu propus sete. SEQUÊNCIA 64 ARGÉLIA . E funciona muito bem. eu fiz o prédio de classes.” E trabalhei lá. porque eu senti que em todo mundo há solidariedade. Eles queriam me calar. eles não tiveram coragem de me demitir. mas com a minha saída. eles começaram a me sacanear. SEQUÊNCIA 63 ARGÉLIA . E fui muito feliz. eu fiz o auditório. OSCAR NIEMEYER OFF Fui trabalhar na Argélia. E foi um favor que eles me fizeram. 33 . você vai ser o meu consultor de arquitetura. não é? Então eu transformei uma universidade de vinte e dois edifícios em seis. Eu procurei fazer a coisa bem radical. era uma universidade. eles me permitiram mostrar no exterior a minha arquitetura. Eu sabia que eu não podia mais trabalhar. Os espaços ficaram mais generosos.Universidade Constantine Argélia 1969 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Constantine. da revolução. por exemplo. O homem é bom em geral. eu fiz o restaurante e eu fiz o prédio da administração que era um prédio alto. ele me disse: “olha.

a gente vai criando uma série de principiozinhos próprios. que nós sabemos das coisas.Esse prédio. Aí eu peguei o projeto. Às vezes. fiz um estudo e apresentamos uma solução para aquele inexequível entre aspas." Aí os argelinos: "Como é que vocês fazem? Vocês falam que é inexequível. é um prédio comprido. O sujeito senta e chega a uma solução. apresenta uma solução e vocês falam que fazem?"Moral da história: o argelino falou: "Quem vai fazer é o brasileiro. De modo que o trabalho é pessoal. E os franceses em reunião disseram: "Isso aí nós fazemos. não é? Eu me lembro que o escritório francês quando examinou o projeto disse: “tá ótimo. que a gente obedece. engenheiro BRUNO CONTARINI ON/OFF Os franceses tinham falado que era inexequível a obra. mas essa parede que tá em cima das colunas vai ter 1 metro e 50” e o engenheiro nosso fez com 30 centímetros. SEQUÊNCIA 66 ARGÉLIA .BRUNO CONTARINI Lettering: -Bruno Contarini. por exemplo. Então essa parede aqui tem que ser mais forte pra agüentar esses vãos. trabalhando." OSCAR NIEMEYER OFF De modo que nós corremos a Europa mostrando que o Brasil sabe. que nós não somos índios. nem precisa pensar muito. 34 . que a América Latina tem que se impor. ele tem trezentos metros e as colunas são afastadas de cinqüenta em cinqüenta metros. a palavra correta foi essa: inexequível. SEQUÊNCIA 65 ARGÉLIA . de repente chega um brasileiro aqui. E a gente pensa sempre diferente dos outros.MESQUITA Lettering: -Mesquita de Argel projeto não realizado 1969 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Com o tempo.

Então aqui pra não parecer o espaço vazio. aqui são os acessos. por exemplo. Prédio do partido. Eu fiz um prédio em curva. um edifício cultural. o prédio é assim. SEQUÊNCIA 68 LE HAVRE Lettering: -Espaço Oscar Niemeyer Le Havre França 1972 OSCAR NIEMEYER ON O Havre é engraçado que é uma praça muito grande.Eu me lembro que eu tinha que fazer a mesquita lá na Argélia e eu tava na cama já pra dormir pensando na mesquita. aparecendo só uma parte dela. foi feita assim quase dormindo. eu quero proteger a praça dos ventos”. uma grande cúpula. Levantei e desenhei. Então eu explicava pra eles uma coisa que eles estavam esquecendo um pouco: que é importante essa relação de volumes . Eles disseram: “rebaixar a praça?” Complicado né? Mas eu expliquei: “eu quero que a pessoa de cima veja a praça. que é fundamental. a mesquita podia ser uma forma circular e fui pensando. 35 . e eu fiz a cúpula embaixo. Mas eu queria estar pronto a responder qualquer pergunta. Então. Tinha o auditório. Comecei a imaginar. Então na praça eu criei uma série de edifícios: é um teatro.espaços livres na arquitetura. Uma praça de quatrocentos por quatrocentos e eu cheguei e disse: “olha eu quero rebaixar a praça”. Eu não queria que a cúpula ocupasse mais o terreno. não é? SEQUÊNCIA 67 PARTIDO COMUNISTA FRANCÊS Letterings: -Paris França -Sede do Partido Comunista Paris França 1965 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Depois nós fomos pra Paris. o terreno tá aqui. E eles compreenderam e o serviço foi feito. E foi isso.

A gente não quer uma arquitetura certinha.Jornal L´Humanité Paris França 1987 OSCAR NIEMEYER ON Depois eu fui pra Itália. Ele fez um palácio. é feito o Rilke que dizia: “quando você vê um arvoredo. E eu queria era não criar uma competição com a arquitetura da cidade que é simples. Quando eu fiz a sede do partido. quase cegos. um pouco musical. que funciona bem. passaram-se dez anos." Então eu fiz aqueles arcos com espaços diferentes. não é só o arco que é importante. trabalhei com George Mondadori. não é? É um palácio e os arcos são diferentes. Esse negócio da razão é inimiga da imaginação. Quando eu fiz a sede de Mondadori.E como são prédios que podem ser fechados. o importante não são apenas as árvores.De modo que. resolveram fazer o jornal Humanité. diferente. mas é importante. isso é fantástico. É o espaço interno do arco. mas o espaço entre as árvores. ele veio me procurar. Funcionar bem toda arquitetura tem que funcionar.HUMANITÉ Letterings: -Editora Mondadori Milão Itália 1968 . Com um vão de 15. assim mais escultural. o outro de 9.. Se a sede não funcionasse bem ele não vinha. quando a gente faz um arco. SEQUÊNCIA 69 MONDADORI . Na arquitetura. Ele quis fazer um prédio no centro de Milão. ficou uma arquitetura diferente. outra figura… Ele queria fazer um prédio bonito. Você acha que se funcionasse mal eles me queriam? Ninguém é cretino né? SEQUÊNCIA 70 POEMA DO EXÍLIO OSCAR NIEMEYER ON 36 . é um palácio.. Era uma coisa assim. não é? Eu me lembro que um engenheiro italiano me disse: “não se pode fazer tudo com 8 metros?” eu disse: não. o outro de 6mts e aí por diante. eles vieram me pedir.

Cada um no seu canto Cada um no seu teto A brincar com os amigos Vendo o tempo correr. Que se foda o trabalho Esse mundo de merda É aí no Brasil 37 . Um dia eu me queimo Largo e isso tudo É aí no Brasil que eu quero viver. Pensava no Brasil. Tava tão revoltado que eu fiz um verso preguei na parede. Estou puto da vida Essa gripe não passa De ouvir tanta besteira Não me posso conter. nos amigos. Quero olhar as estrelas Quero sentir a vida É aí no Brasil que eu quero viver. chateado longe de tudo. na família.Um dia eu tava no exterior. Isso aqui não me serve Não me serve de nada A decisão tá tomada Ninguém vai me deter. assim: Estou longe de tudo De tudo que eu gosto Dessa terra tão linda Que me viu nascer. Um dia eu me queimo Meto o pé na estrada É aí no Brasil que eu quero viver.

Eu me lembro que quando eu era garoto eu andava por ali também. Rua do Ouvidor. passeava. SEQUÊNCIA 72 RIO ANTIGO . um escritório de muita boemia.. 38 . Era diferente. andando pelas ruas. A gente era jovem. Tinha a Lapa. a gente ficava ali tomando um chope. aceita tudo não é? Porque se tivessem feito a Barra em vez de aumentar o centro da cidade. deixar o Rio antigo. você ia sentado no bonde lendo jornal. Achava bom aquele mulherio desenvolto. Mas com o tempo a coisa mudou. SEQUÊNCIA 71 LAPA CASA DA FUNDAÇÃO OSCAR NIEMEYER ON/OFF Tinha uma casa na rua Conde de Lage que tinha uma porção de quartos. você ia lá brincar um pouco. mas era mais humano. Meu escritório foi sempre assim. Durante muito tempo. Tinha o bonde.. A sacanagem é que o poder imobiliário influenciou. aquilo virou uma zona de mulher.Que eu quero viver. não é? E a casa virou um puteiro. O bar da esquina. o sujeito tocando o violão. a casa foi o meu escritório.BARRA Lettering: Barra da Tijuca Rio de Janeiro OSCAR NIEMEYER ON/OFF O Rio foi muito sacrificado. Então os prédios são cheios de varanda que ninguém vai na varanda quase porque venta muito.. a gente ia pra lá.. A natureza é que é rebelde.. O Rio antigo. Gonçalves Dias. Brincava um pouco. Às vezes até a gente fechava o escritório e fazia feito uma Semana de Arte Moderna lá. como tinha que ser. Eu tenho vergonha de ir à Barra. o Rio antigo era melhor. E o centro era agradável. não é passadismo não. quase nuas.. mas que não prejudicava o trabalho.

a gente chega na Barra e ainda vê essa ligação.SEM -TERRA Letterings: . OSCAR NIEMEYER OFF O que hoje nos entusiasma no Brasil é o movimento dos sem-terra e dos sem-teto. deixamos as cicatrizes. SEQUÊNCIA 74 MONUMENTOS DE PROTESTO Letterings . É Miami. no dia da inauguração eles foram lá e explodiram.Monumento aos Operários. Volta Redonda. Depois eu fiz o monumento para os três operários assassinados pelos militares em Volta Redonda. E a gente escuta isso e ninguém protesta. SEQUÊNCIA 73 PROTESTOS . Subúrbio de Miami. SEQUÊNCIA 75 VISTO NOS EUA OSCAR NIEMEYER ON 39 . quadradões enormes. Eu fiz um monumento. todos de protesto né? Primeiro foi pro “Tortura nunca mais”. Disse que podia trocar metade da dívida brasileira pela Amazônia. Quer dizer. refizemos o monumento. essa pressão dos americanos contra a gente. lutando. Voltei lá. uns contra os outros. Fizemos o monumento. correndo pelas estradas defendendo uma terra que há muito tempo lhes devia pertencer.manisfestação dos sem-terra em brasília 1997.Mas pra vender tinha que ter varanda. Esse Bush é um bom filho da puta. os operários ficaram lá três dias tomando conta e ele tá lá. Puseram até uma Estátua da Liberdade. 1989 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Você sabe eu fiz alguns monumentos. Então os prédios são horríveis. com a figura humana presa aqui.

SEQUÊNCIA 77 O OTIMISMO É RIDÍCULO OSCAR NIEMEYER ON/OFF Eu acho o otimismo uma coisa ridícula. tem visto não”. Eu virei e disse: “olha sabe que eu tô contente. e não a táticas.Fui convidado pra fazer um trabalho grande nos Estados Unidos. Eu creio que é uma pessoa que está em paz consigo mesmo. conquista de poder. estratégias de política. Não lhe agradeço porque simplesmente é uma expressão de sua própria humanidade. que ele tinha dinheiro no bolso só pra dar de esmola. 40 .Não felicíto o Oscar por não ter renunciado. se interessava. Então eu fui no consulado e a mulher me disse: “olha. é sinal de que eu não mudei. Nós não queremos o nilismo as queremos uma vida realista. dentro do que existe. E estar em paz consigo mesmo não é fácil. lá em Paris. isso o Oscar conseguiu. uma coisa que não leva a nada. não tem nada que ver com isso. Trata-se de princípios e não podemos renunciar a eles. Mas lutou a favor de Cuba. era um grande escritor. que era o mais pessimista. Oscar Niemeyer não renunciou e eu não o felicíto. É duro. é a vida. JOSÉ SARAMAGO ON/OFF Trata-se de ser fiel a princípios. Então. Porque vivemos num mundo de contradições. mas é o que existe. Dizia que toda a existência é um fracasso. Porque se depois de vinte anos você me nega o visto. Nos dizia. E manter o rumo no meio deste temporal. No fundo vivemos num temporal. de tensões. gostava da vida. é isso.José Saramago escritor. SEQUÊNCIA 76 JOSÉ SARAMAGO Lettering: . -“Por quê? É pessoal?” -“’É pessoal”. Basta lembrar o Sartre. com ventos que sopram de todos os lados.

E o criolinho. Niemeyer .CIEPS Letterings: -Passarela do Samba Rio de Janeiro 1983 . E tudo que Fidel Castro está fazendo é exatamente correto... uma das vezes que eu fui depor. que devia querer ter uma vida melhor virouse pra mim e disse: “vai ser difícil. afinal. mudar a sociedade”. ele disse: “escreve aí. eles me perguntaram: “Dr.” Então.. ao chegar a São Paulo. no aeroporto de Congonhas. o que que vocês querem?” “Eu penso em mudar a sociedade. SARTRE ON -Crê segundo círculos em todo o mundo. SEQUÊNCIA 79 CRIOULINHO OSCAR NIEMEYER ON Uma vez. um material absorvente. um criolinho batendo à máquina..” me puseram numa sala escura. hein!” SEQUÊNCIA 80 SAMBÓDROMO . -Salve a Revolução Cubana! -Palavras de Jean Paul Sartre.ele está muito fatigado. eu fiquei respondendo as perguntas. que Fidel Castro teria desvirtuado a finalidade da revolução cubana? -O Jean Paul Sartre fará uma conferência coletiva hoje para os telespectadores. uma sala fechada. e num certo momento ele me perguntou: “Mas. sendo saudado por membros da intelectualidade bandeirante e ainda por membros da nova geração. Dr. Niemeyer.Centro Integrado de Educação Pública Rio de Janeiro 1984 41 .SEQUÊNCIA 78 SARTRE NO BRASIL Letterings: Sartre em São Paulo 1960. sartre fala em francês -Jean Paul Sartre acha que a revolução cubana segue naturalmente o rumo que deveria seguir e somente esse rumo é que deve ser dado.

OSCAR NIEMEYER ON/OFF O espetáculo do sambódromo é bonito. mesmo no carnaval. Tem que haver momentos de prazer. é formidável. Então aquele pessoal todo elegante. cada um querendo se mostrar mais que o outro. Por exemplo. Achei uma merda e fui embora. dançam. E sentei lá.Mário Soares ex-presidente de Portugal 42 . E isso foi criticado. ótimo. todo mundo fazendo uma onda danada na sala. mulheres bonitas.. vêm para dar alegria à burguesia. e ele viu as escolas debaixo das arquibancada. precisa ser muito calhorda pra criticar. o Darcy fez embaixo das arquibancadas. Ele ficou entusiasmado. os acabamentos são muito simples. cheias de jóias. mas quando eles vêm pra rua. mas fui numa reunião aí de sociedade. que idéia.. de alegria. ele disse: escola embaixo da arquibancada? Nunca vi isso. Essa tendência de ver a vida só pelo lado alegre. ele fez as escolas. também de muita corrida não é? Um projeto que leva o ensino pelo estado inteiro.Quando teve aqui o Jack Lang. Deixei um bilhete pro meu amigo.. Ministro da Cultura da França. Eles estão cagando pro pessoal da favela. daqui a pouco a sala se encheu de gente. rebolam. Aí eu tive que trabalhar com a pré-fabricação. falar alto. Você sabe que aquela obra tinha coisas boas. SEQUÊNCIA 81 REUNIÃO DE SOCIEDADE ESCULTURAS DO LEME Lettering: -Esculturas na praia do Leme Rio de Janeiro 2000 OSCAR NIEMEYER ON Eu não vou a lugar nenhum. SEQUÊNCIA 82 MÁRIO SOARES Lettering: . Mas essa burguesia brasileira é muito ignorante.. E as mulheres são bonitas.

um terreno assim. Que é essa obra-prima que todo mundo conhece como MAC.MÁRIO SOARES ON/OFF Sempre que vou ao Brasil e passo pelo Rio de Janeiro. Em volta é um espetáculo magnífico não é? De modo que daqui o sujeito tá vendo a vista e o museu é aqui. é aqui. Era um morro. E o museu teve sucesso porque nesse museu eu queria evitar que o sujeito visse o quadro preso no painel. é certo que vou jantar com o Aparecido de Oliveira e com o Oscar Niemeyer num restaurante ali perto de Copacabana. Mas eu deixei uma varanda em volta dele. ele ia avançar n’água. Era um lugar bonito. ele é circular. E o prefeito de Niterói disse-me uma coisa extraordinária: Foi o Oscar Niemeyer que escolheu o sítio onde ia plantar esse museu e disse: "Eu quero que o museu fique aqui. pra não perturbar a natureza né? Então eu fiz o museu assim. não se discute mais. Agora. Numa das últimas vezes que eu fui há alguns anos.Museu de Arte Contemporânea." O prefeito ficou hesitante: "mas acha bem que é este sítio?" "Não. é um projeto simples. o prefeito queria uma coisa espetacular. Ele fez aquilo assim: quatro traços SEQUÊNCIA 83 MAC Lettering: . Então. eu fui ao outro lado do Rio. Niterói. a natureza toda por baixo do museu. 1991 OSCAR NIEMEYER ON/OFF Aí eu fiz o museu de Niterói. o mar tava aqui. E o Pão-de-Açúcar. O sujeito aqui e vendo o quadro 43 . ele devia ser uma coisa mais leve. em Niterói. porque o prédio seria aqui. por incrível que pareça." Foram todos para uma churrascaria e no próprio papel que estava em cima da mesa. não é? Assim avançando. é um museu bem pensado. é aqui. ele tirou a caneta e fez ali um desenho rápido que é o museu que está lá.

que adere à ela essa força emblemática que tem certas formas. é isso que ele quer dar as pessoas. mas ela não é bonita por isso. quando é um capítulo que passa no Rio. o que ele quer dar as pessoas é beleza. Porque ele sabe da importância que é a beleza e a maravilha. pela transformação da sociedade.Edifício COPAN São Paulo 1951 FERREIRA GULLAR ON O Oscar que é um homem militante. SEQUÊNCIA 84 INFLUÊNCIAS Letterings: -Centro Cultural Banco do Brasil Brasília 1986 . A Torre Eiffel é bonita. Ele não diz: "Eu quero que as pessoas se espantem" ITALO CAMPOFIORITO ON/OFF Todo mundo vê a estátua da liberdade e diz: "Nova Iorque". mas não é uma obraprima de escultura. vem assim e volta. uma rampa que é feito um passeio na arquitetura. O Cristo Redentor é o Rio. A rampa vem assim. a alegria da forma bela. é o Cristo. o momento. a história com a forma dele.aqui. que adquire. o país. a alma. É a própria parede que se desenvolve de modo que a pintura e a escultura possam ser utilizadas numa maneira inteligente. quando ele faz a sua arquitetura. dá mais importância à pintura não é? De modo que não tem painéis soltos no museu. Depois eu fiz uma rampa. 44 . E eu digo o seguinte: quando a novela da Globo. mas o Oscar consegue fazer uma obra-prima que tem. mas você diz Paris. no entanto ele como arquiteto.Eu queria voltar ao museu antigo. quando é pra mostrar que agora o capítulo é em São Paulo. no tempo que eu via novela. que o quadro é na parede. e aquela forma se transforma em emblema do lugar. De modo que você identifica a cidade. É o Oscar que tem essa capacidade filha da puta de criar uma forma. são formas emblemáticas. engajado a sua vida inteira na luta pela igualdade social. o helicóptero sobrevoa o COPAN.

Museu Oscar Niemeyer Curitiba 2002. que nos leva pra um lado ou pra outro. Eu quero estar ocupado. gosta de se divertir. Eu não sei ficar parado. gosta de chorar. consertar o telhado.. A vida é um sopro. eu sempre digo: é feito uma casa. que tem ser modesto. É um sujeito complicado.MUSEU DE CURITIBA Lettering: . quero saber das coisas. é importante. O meu é esse: ele gosta das coisas. Tudo se entrelaça hoje. um minuto. amarelao. Então o sujeito tem que olhar pro céu e sentir que é pequenino. fica sempre a deficiência. pobre.. De modo que quando eu vejo uma pessoa. 45 . as paredes. mas se o projeto for ruim. se preocupa com a vida.CAMINHO NIEMEYER Lettering: -Caminho Niemeyer Niterói 2000 em construção OSCAR NIEMEYER OFF Eu fico muito aflito de ficar sozinho. SEQUÊNCIA 86 MEDO DE FICAR SOZINHO . Eu acho que a vida é um minuto. SEQUÊNCIA 87 VELHO PESSIMISTA . O ser humano completamente desprezado. Então a gente tem que aceitar as pessoas como elas são. ele gosta de mulher. eu desenho. O sujeito nasce branco. rico. inteligente. nasce e morre.eu vou fazendo qualquer coisa. azul. eu escrevo. uma casa que a gente pode pintar. E sou curioso. que nada é importante. Então não há razão pra esse ódio todo. não é? E nós não somos responsáveis em parte pelas nossas qualidades e defeitos. preto. OSCAR NIEMEYER ON/OFF Eu sou pessoalmente pessimista. Eu tô na linha dos velhos pessimistas.SEQUÊNCIA 85 GENÉTICA Lettering: -Residência Leonel Miranda Rio de Janeiro 1952 OSCAR NIEMEYER ON Todos temos dentro de nós um ser oculto.

diante da vida. O diretor pergunta para Oscar: FABIANO OFF O que dá prazer ao sr hoje? OSCAR NIEMEYER ON O importante é mulher né? O resto é brincadeira. Não é isso? Não acham? ENTRA CARTELA COM FRASE No final de 2006. conversando com os outros seres humanos que estão por essas galáxias aí. É um universo fantástico que nos humilha e a gente não pode usufruir nada. a resposta de tudo isso é isso: nasceu. Tudo nasce e acaba. aos 99 anos de idade. mais tarde o sujeito vai desaparecer também. daqui a pouco está andando pelas estrelas. A gente fica espantado é com a força da inteligência do ser humano. O tempo cósmico é muito curto. mas o ser humano não. Acho que a gente tem que se adaptar ao mundo em que a gente vive. que nasceu feito um animal qualquer. Oscar Niemeyer casou-se pela segunda vez. você olha pro céu e fica espantado. morreu: fudeu-se. a vida se fazer mais decente para todos. Mas no fim. Me perguntaram outro dia: “o senhor não tem prazer em saber que mais tarde o sujeito vai passar e ver o trabalho que você fez”? Ah. e hoje pensa. Acabou a entrevista. SEQUÊNCIA 88 BOM MESMO É MULHER OSCAR NIEMEYER ON/OFF O resto é lutar para o mundo ser melhor. Eu sou otimista que o mundo pode melhorar. Agora. FIM 46 . O tempo que isso vai perdurar é relativo. É a evolução da natureza.Eu acho que tudo vai desaparecer. a preocupação de uma igualdade. Esse é que deve ser o pensamento de uma pessoa normal. É rir e chorar o tempo todo.