Treinatec Cursos

Avançado em Redes
Aula 1

Redes de Computadores
Rede de computadores ou rede de dados é a interligação de dois ou mais computadores possibilitando compartilhar recursos físicos e lógicos. À medida que aumenta a quantidade de computadores da nossa rede aumenta, também, a necessidade de a tornarmos mais robusta e para isso podemos adicionar ativos de rede como: Modem, Roteadores, Impressoras, Hubs, Switches, Servidores (Firewalls, Activy Directory, DHCP, IIS, entre outros), lembrando que cada um destes ativos são ligados entre si e oferecem serviços diferentes, ou seja, cada um deles desempenha uma função específica no funcionamento da rede.

Podemos identificar nessa figura:       Scanner Impressora Notebooks Computadores Desktops Servidores (Firewall, DHCP, Activy Directory) Presença de Rede Cabeada e Wireless

8

Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

Breve Histórico das Redes de Computadores
Entre os anos de 1969 a 1972 foi desenvolvida a Arpanet que iniciou seus trabalhos em dezembro de 1969 ligando apenas 4 computadores. Em 1973 esta rede já contemplava mais de 30 computadores de diversas instituições, incluindo universidade, instituições militares e empresas. Em 1973 também deram início aos trabalhos da Ethernet, nos laboratório da Xerox, em Palo Alto – EUA. A Ethernet ligava seus computadores com cabos coaxiais e tinha uma capacidade máxima de ligar 256 estações de trabalho. No ano de 1974, surgiu o TCP/IP (Trasmition Control Protocol/Internet Protocol) que trata de uma série de protocolos preestabelecidos para o envio e recebimento de dados. Anos depois, em 1983, o TCP/IP se tonou o protocolo oficial da Arpanet; sendo que logo em seguida (1986) foi criado o primeiro Backbone (espinha dorsal da rede) e, logo em seguida, foi criado o primeiro DNS (Domain Name System) usado para conversão de endereços em letras e palavras utilizando endereços IP de 32 bits. A Arpanet e a Ethernet, junta originaram a Internet como temos hoje. A princípio as duas tecnologias tinha objetivos diferenciados, uma vez que, uma se aplicava na interligação de servidores e a outra para criar redes locais, compartilhando arquivos e impressoras entre os computadores. Mais tarde, na década de 1990 a Internet foi aberta ao público e teve grande aceitação dos grandes centros corporativos e acadêmicos, uma vez que foi consolidada a ideia de otimização dos recursos de computadores com o trabalho em rede.

Hardwares de Rede

Cabeamento
Em uma rede de computadores temos que observar uma série de fatores que influenciam e criam pontos chaves no desempenho da rede como a largura de banda, número de usuários, interferências externas e o balanceamento da transmissão. Estes pontos se tornam evidentes quando falamos da taxa de transmissão de dados e do
8 Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

tamanho da rede, (onde temos que prever a localização e consequente distância entre as máquinas). Através de cabos temos a maneira mais utilizada de interligar os computadores para compartilhamento de recursos. Para montarmos um projeto de redes temos à disposição três tipos de cabos: Coaxial, Fibra Óptica e Cabo Par Trançado.

Cabo Coaxial

Temos o fino (10BASE2) e o grosso (10BASE5). A taxa de transmissão é de 10 MBPS e a distância máxima por segmento é de 185 metros para o fino e de 500 metros para o grosso. Um segmento do padrão 10BASE2 suporta 30 computadores já o padrão 10BASE5 suporta 100 computadores. Em ambos os casos é necessário a fixação do resistor de terminação (50 Ohms) nas extremidades do segmento. Sua utilização se dá em circunstâncias específicas onde há fortes interferências de campos magnéticos associadas à exposição do cabo ao tempo. Nestes casos a robustez e blindagem dos cabos coaxiais os tornam mais indicados, em virtude de seu custo-benefício.

Fibra Ótica

O cabo de fibra óptica emprega pequenas partículas de vidro para carregar pulsos de luz com perfeita imunidade a ruídos, a utilização deste material é cada vez mais associada ao uso de aplicações que requerem uma grande largura de banda.
8 Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

Muito embora o investimento para a utilização da fibra ótica seja maior que os demais cabos, a mesma se torna insubstituível nas situações em que pode ocorrer o loop de terra, pois as duas maneiras de evitar o mesmo é interligando as malhas de aterramento ou utilizando fibra ótica e normalmente o uso da fibra ótica é mais barato.

Cabo de Par Trançado

O mais popular e mais utilizado dos cabos de pares trançados é o UTP (Unshielded Twisted Pair), que podem ser facilmente aplicados em ambientes de Telefonia e Ethernet de 10 e 100 Mbps. Os cabos UTP são classificados em cinco categorias diferenciadas em sua utilização e taxa de transmissão. Categoria Utilização 1 Exemplos de alarmes, telefone e

Taxa de transmissão de até 56 Sistemas Kbps

aplicações não críticas; de baixa relação de

2

Taxa de transmissão de até 1 Sistemas Mbps

transferência de dados;

3

Transmissão de até 16MHZ de 10BaseT, Token-Ring de 4Mbps, banda 100BaseT4 entre outros; Token-Ring de 16MBPS 100BASETX, Sonet, OC-3(ATM) 1000BASE-T Gigabit Ethernet,

4 5 5e

Até 20mhz Até 100MHZ Até 125MHZ

recomendado pela norma EIA/TIA 568B 6 6a Até 250MHZ Até 500MHZ Utilizado em redes de 1000MBPS Rede de até 10000MBPS

8

Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

Cabo de Par Trançado Multi-Lan Cat 5 E Cat 5e

Crimpagem

A crimpagem do cabo de rede diz-se da maneira como é configurado o cabo no conector (RJ45, RJ11, RJ 12, etc.).

Padrões

EIA/TIA

T568A

e

T568B

(Aliança

das

Indústrias

Eletrônicas/Associação das Indústrias de Telecomunicações)

O cabo de par trançado quando crimpado no padrão EIA/TIA 568 A pode assumir duas condições: Adapter cable – tamanho variável entre 1,5 e 2 metros, sendo utilizado para interligar o adaptador de rede à tomada de rede. Path Cable – tamanho variável entre 20 e 30 centímetros, sendo utilizado para interligar o path panel ao switch.

8

Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

Quando um cabo é crimpado em uma ponta no padrão 568 A e na outra no padrão 568 B o mesmo recebe o nome de crossover e tem a finalidade de interligar dois microcomputadores sem o uso de ativos ou mesmo cascatear ativos que não possuam porta inversora (é o caso dos equipamentos mais antigos).

Ativos de Rede

Adaptadores de Rede (NIC)

Servem para interligar os microcomputadores aos outros ativos da rede. Temos placas de rede de 10, 100 e 1000 MBTS, todavia a velocidade da rede será compatível com o dispositivo de menor velocidade. Exemplo: Em uma rede que o cabeamento é de 100 MBTS, o switch é de 100 MBTS e a placa de rede é de 1000 MBTS (Giga Lan) a velocidade da mesma será de 10 MBTS.

Hub

O Hub é um dispositivo utilizado para ligar computadores a uma rede. Os modelos mais conhecidos oferecem de 4 a 32 portas de entrada/saída de dados. O Hub trabalha de maneira simples, uma vez que é feita uma requisição por um dos computadores da rede, o mesmo se encarrega de levar a requisição até o destino e trazêla de volta, juntamente com a reposta, porém, quando ele busca as informações em toda a rede, computador por computador, e o mesmo procedimento é realizado no caminho de volta até que encontre o computador que fez a solicitação.

8

Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

A este processo executado pelo Hub damos o nome de Broadcast. Colisões e lentidão são marcantes em redes que utilizam Hub.

Hub Switch O Hub-Switch pode ser chamado de “Hub inteligente” pelo fato de ele corrigir o problema causado pelo Hub, o broadcast de dados na rede, ou seja, ele faz um pequeno roteamento direcionando as informações somente a que as solicitou. Umas das grandes vantagens em comparação a outras tecnologias existentes é que para isso não é necessária nenhuma configuração especial, basta conectá-lo a rede.

Switch

O Switch, tratando de ativo de rede é considerado um dos mais inteligentes recursos disponíveis no mercado, pois, ele fecha uma um canal exclusivo entre os computadores que estão enviando e recebendo dados de maneira que somente quem fez a solicitação recebe a resposta. A tecnologia agregada em um Switch faz com que a rede trabalhe melhor com diversas requisições e sem broadcast, o que torna a rede mais rápida e organizada. Existe switch gerenciável que pode ser configurado (através do firmware) para segmentação da rede, (VLAN).

8

Edir da Silva Porto

Treinatec Cursos

Roteador O roteador é utilizado em redes de grande porte, sendo próprio para interligar redes com IP diferentes. Ele também tem como característica a inteligência na transmissão de dados, pois tem a capacidade de escolher a melhor rota que um determinado pacote de dados deve seguir para chegar a seu destino, evitando congestionamento e colisões na rede.

8

Edir da Silva Porto