Sleuth

De Harold Pinter (original de Anthony Shaffer)

Tradução de Pedro Jorge

Acto I

Página | 1

(Andrew Wyke está sentado no sofá a beber um copo de vodka e tocam à campainha. Andrew abre a porta e é Milo Tindle) Tindle – Andrew Wyke? Wyke – Sim? Tindle – O meu nome é Milo Tindle. Wyke – Ah sim, óptimo! Prazer em conhecê-lo. Que comboio é que apanhou? Tindle – Vim de carro. Wyke – Ah, veio de carro? Tindle – Sim, pus o meu carro à entrada. Wyke – O pequenito? Tindle – Sim, o pequenito. Wyke – E o grande? Tindle – O que é que tem o grande? Wyke – O grande é meu. Que tal o acha? Tindle – É muito bonito… Wyke – Porque está aí fora? Entre! Tindle – Muito obrigado. Wyke – Estava aqui a ver um filme de um dos meus livros na televisão. (Milo está a olhar para o interior da casa, mostrando pouco interesse na conversa de Andrew) Gosta da casa? Tindle – Extraordinária! Wyke – Sabe quem é que desenhou o interior? Tindle – Sim, creio que foi a sua mulher. Wyke – Ah, já sabia?

Página | 2

Tindle – Sabia, sim. Wyke – Depois mostro-lha. O que toma? Eu estou a beber vodka. Tindle – Whisky, se faz favor. Wyke – Whisky. Disse que se chamava Milo? Tindle – Sim, Milo Tindle. Wyke – Milo, que nome interessante. É estrangeiro, presumo? Tindle – O meu pai é Italiano. Wyke – Milo soa-me Húngaro. Tindle – Não, é italiano… Wyke – Aqui tem o seu Whisky. Saúde. Tindle – Saúde. Wyke - O seu pai não será mesmo Húngaro? Tindle – Bom, se o é, esconde-o muitíssimo bem. Wyke – E a sua mãe? Tindle – É inglesa. Wyke – Então você é uma espécie de rafeiro, não é? (Milo passeia pela casa) Tindle – Obrigado por me receber. Wyke – Ora, o prazer é todo meu. Tindle - Não sabia que também escrevia para a televisão. Wyke – Não, eu escrevo policiais, como já deve saber. Mas normalmente o publico aceita tão bem os meus livros que eles são adaptados para a televisão. Sabe o que quer dizer adaptar, não sabe? Tindle – Adaptar? Sim, sei…

Página | 3

Tindle – Eu falo inglês. É um vinho… Página | 4 . a cultura não é o forte deles… Tindle – Mas fazem bom salame. holandês… Tindle – Fala holandês. mas infelizmente não admiro policiais. Wyke – Ah. o salame italiano é o melhor do mundo. Tindle – Vai ser o nosso jantar de hoje.Wyke – Ah. não sabe? Tindle – Sei. Wyke – Trouxe algum consigo? Tindle – Não. deixei em casa. não é? Wyke – Falo. eu sou conhecidíssimo! Está a ver esta prateleira? Tudo traduções dos meus livros: francês. com um copo de Valpolicella. não se preocupe. como é que sabia? Tenho um tio holandês. Wyke – Ah sim? Tindle – Sem dúvida. alemão. Wyke – Pois. Wyke – Você é único no mundo! Tindle – É assim tão invulgar? Wyke – Claro. é que podiam não ter essa palavra em italiano. Wyke – Ah. que pena. Wyke – Magnífico. não. Tindle – Não vejo nada em italiano. suponho que já os tenha lido… Tindle – Por acaso. (Andrew e Milo vão a uma sala onde estão duas estantes) Aqui estão todos os meus policiais. então porquê? Sabe ler. um poliglota… Venha dar uma olhada ao meu escritório. os italianos são um povo muito estranho.

Ah. aqui tem. Wyke – Está a brincar… É mesmo? Tindle – Sim. nenhum… E que mais? É só actor ou faz mais qualquer coisa? Tindle – Não. Wyke – Hum. nada. não é? Tindle – Whisky. o que faz? Tindle – Sou actor.Wyke – Não me diga… O “nosso” jantar? Tindle – Eu e a Maggie. o que é que está a representar neste momento? Tindle – Para já. Wyke . porquê? Qual é o espanto? Wyke – Nenhum. Wyke – Então. Wyke – Coitada. era capaz de jurar que a Marguerite me disse que era cabeleireiro… Tindle – Ela devia estar a falar de outra pessoa. o que é que estava a beber? Água. Tindle – Acredite que eu sou o único amigo dela. está desempregado? Tindle – Sim. Página | 5 . Wyke – Ser actor é uma profissão um pouco instável. Tem o copo vazio. não é? Já agora. deve sentir-se sozinha… Tindle – Garanto-lhe que não. Wyke – De outro amigo dela? Tindle – Outro amigo? Wyke – Sim. ela tende a ter vários amigos. A propósito. Wyke – Sim. neste momento não.

pervertidos e coisas do género… Wyke – Mas você é tão encantador… Tindle – Sim. Tindle – Estamos apaixonados. Tindle – Porque haveria eu de o negar? Wyke – Bom. Tindle – Sim. Wyke – Ah. ninfomaníacos. já. Wyke – Sim. o seu copo já está quase vazio. ela é minha mulher… Tindle – Sim. Wyke – Pensei que o negaria. meu caro.Wyke – Hum… E que género de papéis é que costuma representar? Tindle – Assassinos. ela também o fode a si? Tindle – Sim. é mutuo… Wyke – Tiram à vez. em lados opostos da mesma) Wyke – Anda a foder a minha mulher? Tindle – Sim. eu sei. (Andrew e Milo sentam-se numa mesa. Voltando à Maggie… Wyke – Tudo a seu tempo. Wyke – Certo… Já temos isso esclarecido. estou a ver. Venho comigo. é isso que as pessoas fazem normalmente. é isso? Tindle – Fodemos um com o outro. mas anda a foder-me a mim. Wyke – Refresque a bebida. Página | 6 . Wyke – Apaixonados? Tindle – Exactamente.

fica-lhe bem. Página | 7 . é um processo longo. Tindle – O meu pai chamava-se Tindelini. Wyke – Ah. Mas só queria esclarecer umas coisas.Tindle – Obrigado. Wyke – A sério? Tindle – E muito. Deixeme só ver se eu percebi: quando se casar com a Marguerite. não se pode casar com ela porque ela já o fez comigo. enfadonho e com muita papelada! De qualquer maneira. mais cedo ou mais tarde. que amoroso. nunca ouvi falar de si! Tindle – Mas vai ouvir. correcto? Tindle – Porque não? Wyke – O casamento ainda está na moda hoje em dia? Não é algo antiquado? Tindle – Acha? Wyke – Ah. percebe? A não ser que eu me divorcie dela… Tindle – E vai? Wyke – Vou onde? Tindle – Vai separar-se dela? Wyke – Para ser perfeitamente honesto. não se pode casar com ela. porque não volta para Tindelini. nunca ouvi falar dum italiano cujo nome fosse Tindle. até. ela será Marguerite Tindelini… Acha bem fazer isso à pobre senhora? Qual é o seu nome artístico? Tindle ou Tindelini? Tindle – Tindle. Wyke – Curioso. Wyke – Ouvi por aí uns rumores que dizem que pretende casar com ela… Não pode ser verdade. estou ansioso para que tal dia chegue. Primeiro.

ela gasta dinheiro com se fosse água. como pode deduzir.Wyke – Isso soa-me a uma ameaça. eu tenho uma solução. cabeleireiro. isso é a última coisa que eu quero! Portanto. é pura e simples observação! Não se esqueça que sou escritor. Ela nasceu para gastar! Você. Tindle – O amor fala mais alto. ela vai deixá-lo dez vezes mais. no outro a seguir é desprezo absoluto. Tão depressa o abraça quanto lhe arranca o coração e o esmaga no chão. Wyke – Nunca confie no amor. Tindle – Fala por experiência própria? Wyke – Não meu caro. Andrew. Aposto que não esperava que eu fosse tão «In» … Tindle . portanto ou tem cuidado ou ela arruína-o em três tempos. Wyke – Sabe. toda esta situação será um desastre completo com resultados catastróficos. Tindle – Sou todo ouvidos. começo a ficar encantado com a sua simpatia. não tem dinheiro para sustentar o estilo de vida da Marguerite! Se acha que está falido agora. Tindle – Soa? Wyke – Não soa? Tindle – (Milo levanta-se) E se nos deixássemos de rodeios? Wyke – Muito bem. Num segundo é amor. uma das minhas funções é observar o comportamento do ser humano. E neste momento. Por isso.«Sípido»? Página | 8 . actor desempregado. Como já deve saber. (Andrew levanta-se) Há uns quantos cuidados que tem de ter quando lida com a Marguerite. eu quero que a Marguerite fique consigo mas se não fizer as coisas como deve de ser. Onde eu quero chegar com isto é o seguinte: você não conseguirá dar-lhe o que ela quer portanto ela vai deixá-lo e voltará para mim.

Tindle – (Milo pára. (Andrew e Milo passeiam pela casa. vou fazer-lhe uma proposta. Tindle – Pelo contrário. O que eu quero que faça é que as roube. mas emprestei-lhas para usar em eventos especiais. quer que eu faça parte de um esquema ridículo para defraudar a sua seguradora? Wyke – Perspicaz. ou acha que sou parvo? Wyke – Acho. Tudo bem. já contava com isso. inteligente. vende-as a um comprador e vive feliz para sempre com a Marguerite. não lhas dei. Tindle – Como assim? Wyke – Quero que roube as jóias! Tindle – Quer que roube as jóias? Não percebo… Wyke – É simples: rouba-as. eu comprei-lhe um conjunto de jóias incrivelmente caras. assim já poderá proporcionar-lhe a vida a que foi habituada. Eu livro-me da minha mulher e viverei como um porco no meio da pocilga! Tindle – Portanto. Venha comigo. mas falamos de negócios e não de opiniões. Página | 9 . Elas valem um milhão de libras e costumam estar no banco. sim. as jóias são minhas.Wyke – «Teligente». com passos muito lentos. confuso com a oferta de Andrew) Roubá-las? Wyke – Exacto. meu caro! Tindle – Por quem me toma? Isto é claramente uma armadilha! Wyke – Uma armadilha? Tindle – Sim. cada um a beber a sua bebida muito calmamente) Há uns anos atrás. Wyke – Foi a Marguerite que o avisou? Tindle – Qual é a sua solução? Wyke – Ah. mas hoje encontram-se aqui em casa.

Percebe? Leve o seu tempo… (Andrew senta-se no sofá a beber um copo de vodka) Tindle – Isto é uma cilada. alguém tem de arrombar a casa! Tindle – E porque não o faz você? Wyke – Por amor de Deus. livres de impostos. ficando ele com a posse legal delas obtendo. Wyke – Exacto. o seu valor total. O assalto tem de ser verdadeiro. ao vendê-las. Que interesse tem isso? Acredite que só será proveitoso para si! Tindle – Está a pedir-me que confie em si? Wyke – Não quero nem saber se confia em mim ou não! É simples: tem uma mulher cara nas mãos.Tindle – Há algo que não bate certo. Wyke – Eu já tratei desse pequeno contratempo. você entrega-me a mim e assim vamos os dois parar à prisão.Mas eu só recebo uma porção disso em qualquer comprador. se a quer manter. Se eu fizer isto. não seja idiota. livres de impostos! Tindle – Porque haveria ele de fazer isso? Wyke – Porque você roubará as jóias e os recibos. você chama a policia. Wyke – Não meu amigo. Tenho um amigo meu que lhe dará oitocentas mil libras. eles apanhamme e eu apodreço na prisão. Tindle . Se eu o entregar a si. como posso eu arrombá-la? Página | 10 . Wyke – Então? Tindle – Disse que as jóias valem um milhão de libras. nada disso. Pense nisso por um instante: oitocentas mil libras. roube as jóias! Tindle – Então porque não as rouba você? Wyke – Milo. eu moro cá dentro.

Wyke – Pois recebo. eu sofro de vertigens… Wyke – Você consegue. Sabe que a bolsa não espera por ninguém… quid pro quo. Quando entrar. percebe? Eu faço-lhe um favor. sim? Wyke . Wyke – Um acordo? Tindle – Eu assalto a casa. comporte-se como um homem! Não tem de ser um cabeleireiro para o resto da sua vida! Pode ser livre. mas eu preciso. Depois de lá chegar. Ora aí está outro quid pro quo. independente e sustentar a mulher que ama! Está a prestar atenção? Página | 11 . o Andrew concordaria em divorciar-se da Maggie? Wyke – Porque haveria eu de me divorciar? Já ficam os dois com oitocentas mil libras… (Andrew levanta-se e vai encher o copo com vodka) Tindle – Sim. você faz-me outro e ficamos quites! Tindle – Então façamos um acordo. Wyke – Uma contra-proposta? Tindle – Não. roubo as jóias e o Andrew concede o divórcio.Vá. Se não. o que é que faço? Wyke – Lá fora terá um escadote para subir até ao telhado.Tindle – Muito bem. eu explico-lhe o resto. (Andrew e Milo dão um aperto de mão) Tindle – Fantástico. eu acredito em si! Tindle – Não goze comigo. que se lixe. mas você recebe um milhão do seguro. partirá uma das janelas com este martelo e entrará em casa. se eu concordasse em fazer o que me pede. Então. Tindle – Andrew. tem a minha palavra. Wyke – Muito bem. Mas quero a sua palavra. é mais um ultimato.

eu sou óptimo na cama! Tindle – Imagino… Wyke – Bom. Quem é que no seu perfeito juízo vinha ter aqui? Wyke – Você veio. mas perdoe se estou nervoso com isto tudo! Wyke – Confie em mim. Tindle – Confiar em si?! Wyke – Confie em mim e correrá tudo às mil maravilhas! Só tem de seguir as minhas direcções. (Milo mascara-se com um disfarce totalmente ridículo) Wyke – Perfeito! Está irreconhecível! Tindle – Está a brincar? Página | 12 . Fica no meio do nada. Tindle – Muito bem.. Tindle – A Maggie nunca me disse que você era assim tão manipulador. mas não me disse que era manipulador. vamos ao que interessa. vamos lá então. Wyke – Ela disse-lhe que eu não prestava na cama? Tindle – É verdade. Wyke – Devia estar a brincar. pois não? Tindle – Porquê? Qual é o problema? Wyke – O problema é que se alguém o vir. não veio? Tindle – Então. Tindle – Andrew. será muito mais fácil identificá-lo. o que é que tinha em mente? Wyke – Venha comigo. Wyke – Espere! Não tenciona ir assim vestido.. eu mal consegui encontrar esta casa. Disseme que não prestava na cama.Tindle – Sim.

Wyke – De forma alguma. não seria uma boa ideia?! Wyke – Tenho de admitir que estou deveras impressionado. E agora? Página | 13 . Tindle . o que é que faço agora? Wyke – Abre o cofre. Tindle – E agora. Despache-se. Tindle – A que regras? Wyke – Às minhas regras. Tindle – Pensei que ia morrer! Wyke – E vai. eventualmente. lá para fora e lembre-se: é um ladrão! Concentre-se. Wyke – Claro que é um idiota. Eu não estou aqui lembra-se? Eu estou no meu quarto a dormir.Estou com um pressentimento que estou a ser um idiota em relação a isto tudo. já aqui estou. Vá. como é que se está a sentir? Entusiasmado? Tindle – Bastante. Mas que interessa? Vai ficar um homem rico! Só tem de obedecer às regras. faça as suas respirações especiais de actor e entre na sua personagem! E não perca tempo a cortar cabelos. Wyke – Óptimo! Tindle – Muito bem. Tindle – E onde é que ele está? Wyke – Não sei. (Milo parte a janela e entra em casa) Tindle – E prender o seu cão. sim. faço por isso. por favor… Tindle – Você é hilariante Andrew… Wyke – Obrigado. Mas não acha que deveria começar pelo roupeiro da minha mulher? Então.

Wyke – Pontapeie homem! Destrua! (Milo comporta-se como um animal à procura das jóias) Wyke – Este homem é um bárbaro! Agora. Ouço barulho. de acordo? Eu quero saber onde está o cofre e farei tudo para o conseguir portanto aterrorizo-o com esta faca. Procure! Seja selvagem. Tindle – Você acorda? Wyke – Sim. seja um ladrão! Pontapeie coisas. Tindle – Mas você é que me está a ameaçar a mim… Wyke – Estou só a mostrar-lhe o que fazer. Eu agora faço de si e você faz de mim. (aponta-lhe a faca ao pescoço) E ameaça-me com ela. sabia? Tindle – Peço imensa desculpa… Wyke – E você ameaça-me com a sua faca. venho aqui e encontro-o. procure na gaveta das jóias… Tindle – Não as encontro. Página | 14 . (Dá-lhe um murro) Tindle – Está doido?! (Bate-lhe de volta) Wyke – Magoou-me. você é um homem desesperado! Atire roupas. Tindle – E…? Wyke – Ataco-o. tudo e mais alguma coisa! Tindle – Onde estão a porra das jóias?! Wyke – Procure no armário! Tindle – Está fechado. parta cabides. Wyke – E é precisamente aqui que eu acordo.Wyke – Não sei homem. Tindle – Eu não tenho uma faca… Wyke – Tenho eu.

esse comprador. Wyke – Porquê? Tindle – Porque está apontada para a minha cabeça… Não é muito satisfatório. sou um chanfrado. eu puxo da minha fiel arma. Está com tanto medo que me diz onde está o cofre e logo a seguir diz-me o código. Vá abri-lo. já agora. Tindle . como você não cede. Finalmente. Mas você é forte. Tindle – Eu. eu ainda sou você. Tindle – Ok. Wyke – Que comprador? Tindle – O comprador das jóias que me vai dar o dinheiro. Tindle – Espere. O cofre está ali. Portanto. Foi o dia do nosso casamento. provavelmente um assassino! E sou certamente muito perigoso. o que acha? Tindle – Estas jóias são… Lindas! Ok. você é você… Tindle – Continuo a ser a vitima? Wyke – Calma… Você é você e eu sou eu. E para frisar o facto de eu querer mesmo as jóias.Andrew. ou você? Wyke – Não se esqueça que trocámos de papéis. Trinta e um de Dezembro de 1989. Wyke – Ah. Wyke – Porque não? Página | 15 . ou agora já sou eu? Wyke – Agora. (Milo tira as jóias do cofre) Então. você desiste. dou um tiro na parede. guarde lá a arma. Oito mil libras. não é? Fantástico! Agora só preciso da morada do comprador. sim? Wyke – Consegue ver que eu sou doido.Tindle – Mais calma. (dá um tiro na parede) Ainda estou a fazer de si. Então. qual é o código? Wyke – 311289.

Tindle – O que é o jogo verdadeiro? Wyke – Tu e eu. a arma. É um homem decente. Tindle – Confesso-lhe que começo a não gostar… Wyke – É compreensível. certo? Tindle – Preparou isto tudo? Wyke – Desde o inicio. eu sou um homem decente. E ela está sempre a dizer que admira a sua mente. até. Tu. Tindle – Porque está a fazer isto? Wyke – Por amor de Deus rapaz! Achavas mesmo que eu ia deixar que ficasses com a minha mulher e as minhas jóias? Estás a brincar. Antes de cometer algum erro. Wyke – E o meu corpo? Tindle – O que é que tem? Wyke – O que diz ela do meu corpo? Página | 16 . Este é o fim do… assalto. eu. Que a sua mente a excita. Bastante. sim. Wyke – E tem razão. Ela respeita-o e diz que você é um homem honrado. Levanta-te. Tindle – Oiça. indefeso. Wyke – Excita como. Tindle – O que quer dizer com isso? Wyke – Desfrutei muito deste jogo.Tindle – Isto é algum jogo? Wyke – Isto já é o jogo. Muito decente! Eu sou um homem muito decente! Tindle – Eu acredito. sexualmente? Tindle – Sim. sexualmente. o jogo verdadeiro começou agora. queria só dizer-lhe que a Maggie gosta muito de si. sabes.

Eu estava a chamar-te um caralho! Tindle – Agradecido. Estás pronto? Página | 17 . tu estás morto! Tindle – Vai matar-me? Wyke – O que é que achas? Tindle – Porquê? Wyke – Sempre quis ter uma conversinha com um cabeleireiro. sabes o que fizeste? É simples: tu convidaste-te para assistir à tua própria morte. Wyke – Sabes o que és agora. Wyke – Seu caralho! Tindle – O meu caralho? Onde é que o meu caralho entra no meu disto tudo? Wyke – Posso imaginar onde é que o teu caralho entra no meio disto tudo mas não estava a falar dele. eu não tenho culpa de nada! Foi a Maggie que me seduziu. não sabes? Um alvo a abater. eu nem sabia que ela era casada! Wyke – Recuso-me a ser trocado por um puto! Tindle – Oiça-me durante um segundo… Wyke – A minha mulher é minha! Ela pertence-me e eu sou o marido dela! E tu. ela nunca falou nesse aspecto. Especialmente o cabeleireiro que anda a foder a minha mulher! Tindle – Eu não sou cabeleireiro! Wyke – Cala-te! Tindle – Oiça. tu ameaças-me. roubas-me as jóias e coloca-as no teu bolso. Tens esse tempo para fugir. eis o que vamos fazer: eu vou ficar aqui e vou contar até vinte.Tindle – Sabe. Eu consigo agarrar a arma enquanto tu estás distraído. É assim que a historia se decorre: e encontro-te na minha casa. Mas para que não digas que sou cruel. há uma disputa por ela e há um disparo. e quando dou por mim.

julgo que sim. whisky? Black – Tem cerveja? Wyke – Cerveja? Sim. sou inspector e venho fazer-lhe algumas perguntas. pode ser? Nunca mais me vai ver! Você é maluco! NÃO! Você não é maluco. não me mate! Por favor! Eu saio daqui e vou-me embora. Página | 18 . mas Andrew fechou todas as saídas) Wyke – E… vinte.(Andrew começa a contar e Milo tenta fugir. Então? Não fugiste? Que pena… Tindle – Por favor. Quer alguma bebida? Vodka. Wyke – De que se trata? Black – Posso entrar ou vou ficar à entrada? Wyke – Claro. só percebeu mal as coisas! Por amor de Deus! Acredita em Deus? (Andrew dá-lhe um tiro. O meu nome é Dobbler Black. Arruma as jóias e senta-se no sofá a beber um whisky.) Acto II (Andrew está sentado a ver um filme e a beber um copo de vodka. Tocam à campainha) Wyke – Sim? Black – Muito boa tarde.

A mente humana é fantástica para isso! Black – Vejo que tem aqui uma janela partida… Wyke – Sim. não tem mãe. Wyke – Então não é famoso de todo? Black – Não. assassínio. sim. Eu sou um pouco reservado. Você não é um inspector conhecido? Black – Quem. Como é que sabe tanto do assunto? Wyke – Pura imaginação. Obrigado pelo elogio senhor…? Black – Black. Como é que sabe tanto do assunto? Wyke – Que assunto? Black – Crime. Sou só um tipo que adora apanhar todo o género de assassinos. Wyke – Sim. Wyke – Fantástico. não tem pais que o eduquem a ser um ser melhor! Eu tenho pena dele… Black – Que especulação filosófica interessante senhor Wyke. Por acaso até gostei do que li. Sabe qual é o problema de Deus? Não tem pai.Black – Você é escritor não é? Escreveu aqueles policiais todos… Wyke – Sim. Black – Já li uns quantos. Dobbler Black. Um ramo de árvore partiu-se e entrou disparado pela janela. Wyke – Nunca apareceu nos jornais? Black – Os jornalistas para mim são uma cambada de idiotas. na verdade. horror. É verdade. nem por isso. é? Wyke – Quem? Black – Deus. meu caro. Wyke – Ah. foi uma tempestade tropical. Black – Persegue-o. eu? Não. Um acto de Deus. ninfomaníacos e pervertidos que há para aí… Página | 19 .

Wyke – O que é que lhe faz quando os apanha? Black – Normalmente espanco-os até piarem fininho. sem dúvida. mas afinal em que é que lhe posso ser útil? Black – Sim. Milo Tindle. Gosto de os tratar como o que são: pura e simples escumalha! Wyke – Faz muito bem… Black – Então. Desde então nunca mais foi visto. o que é que estava a fazer? Wyke – Só a ver um filme. Black – Ah! Gosto muito dos italianos. já agora? Wyke – Não conhece. Página | 20 . Desculpe ser rude. acho que me pode ajudar… Wyke – Como? Black – Estou a investigar um desaparecimento de um homem chamado Tindle. Ele disse que vinha ter consigo há três noites atrás. é italiano. são um povo fantástico! Aquela língua parece música! Não gosta de Itália? Wyke – É um país magnífico. Wyke – Que me vinha ver a mim? Black – Foi o que eu disse. lamento mas não. Wyke – Tindle? Nunca ouvi falar… O que é que lhe aconteceu? Black – Quer dizer que nunca o conheceu? Wyke – Não. Black – Curioso… Wyke – O que se passa? Black – Um vizinho falou com ele. Black – Posso saber qual é.

já agora? Wyke – Não. Black – A sua mulher… Ela está por cá. Black – Hum… Então ela é decoradora de interiores? Wyke – Algo do género. Tem algum cinzeiro? Wyke – Sim. você é um tipo famoso e provavelmente ele estava a gabar-se! Wyke – É a sina dos bem sucedidos… Black – Aposto que vive tristíssimo! Sim. sim… Black – Sim senhor. (Dobbler senta-se num sofá a fumar um cigarro) Página | 21 . não se exalte! Wyke – Como eu estava a dizer. nunca vi um sem-abrigo feliz. Black – Não conhece? Você é um brincalhão. não é? Bonita casa… Foi você que a desenhou? Wyke – É do século XVIII… Black – Estava a referir-me ao interior. como há-de um homem ser feliz? Wyke – Sabe que o dinheiro não traz necessariamente felicidade. Aliás.Wyke – Mas porque haveria ele de dizer isso a um vizinho? Black – Bem. de facto com uma casa destas e com uma conta bancária como a sua. Wyke – Ah. não o conheço nem nunca ouvi falar nele. sim. você é um sortudo. Wyke – Podemos voltar ao assunto em questão? Black – Calma homem. não veio cá ninguém chamado Tindle. foi a minha mulher. Black – Engraçado.

Black – Estou pronto para mais uma cerveja. Bom. Wyke – Tindle? Página | 22 . para ser honesto. Black – Então sabe que a sua mulher está a viver em Londres com outro homem? Wyke – Sim. Black – Queria só fazer-lhe mais uma pergunta. É Tindle. (Andrew aproxima-se de Dobbler) Quem é este homem? Tem a certeza que ele existe? Black – (Dobbler deita o fumo para a cara de Andrew) Está a chamar-me mentiroso? Wyke – Não. Wyke – Lamento. sei. Sabe. Wyke – Faça favor. Black – Sabe que a sua mulher está a viver em Londres com outro homem? Wyke – Não vejo onde isso seja da sua conta. estive a falar com um tipo e ele disse-me que há três noites atrás passou por aqui e ouviu tiros a serem disparados. mas o que interessa são os tiros. mas seria dez vezes pior para si se não respondesse… Wyke – Não sei o nome dele. Wyke – Passou por aqui? Como é que isso é possível? Isto é uma propriedade privada… Black – Disse que estava a dar um passeio e veio ter aqui. Black – Sabe o nome do homem? Wyke – Porque haveria eu de responder a estas perguntas? Black – Não tem de o fazer. E depois? Black – Eu posso dizer-lhe o nome dele. mas isso é bastante improvável. Pode trazer quando quiser. de todo. Milo Tindle.

que diz. uma vez que se esqueceu à bocado. Black – Um jogo? Wyke – Sim. O tipo que disse que o vinha visitar a si. um jogo com uma faca e uma arma. Andrew Wyke. O tipo que tinha este bilhete no quarto dele. ele vem de uma família italiana de cabeleireiros.Black – Acredite no que lhe digo. Black – Um jogo mortífero? Página | 23 . e passo a citar: “Meu caro. Black – Lembra-se de escrever este bilhete? Wyke – Como me posso eu esquecer de tal coisa? Black – Bem. Não se atrase. Black – A mentir à polícia? Seu maroto… Wyke – Fiquei confuso porque o conhecia como Tindelini. Disse que não o conhecia! Que nunca o tinha visto. O mesmo tipo que desapareceu. Black – E veio até aqui para lhe cortar o cabelo? Wyke – De todo… Black – Então o que fizeram vocês os dois concretamente? Wyke – Jogámos um jogo. Black – E ele é também um cabeleireiro? Wyke – Julgo que sim. Wyke – Estava a mentir. estou ansioso para o nosso encontro de amanha às 20:00.” Esta é a sua letra? Wyke – Sim. é possível. Black – Tindelini? Wyke – Sim.

Wyke – Ele disse-me que o jogo tinha acabado e que eu era o vencedor. quem quer que ele seja. só para nós. uma palmadinha nas costas. isto tudo para…? Página | 24 . saiu da casa com o. tem razão. Black – Portanto era um tipo com sentido de humor. desculpe a expressão.Wyke – Só nos estávamos a divertir um pouco. certo? Wyke – Absolutamente. Não tenho nada a ver com isso. Quando finalmente acordou eu dei-lhe um whisky. O seu homem. ele desmaiou. jogou ao jogo com a faca e a arma. então… A divertir um pouco. Black – Então. Disparei uma bala de pólvora seca sobre ele e assustei-o que nem uma tartaruga. Black – Deu-lhe uma palmadinha nas costas? Wyke – Metaforicamente. só para esclarecer. Black – Diga-me. Ele ficou assustadíssimo! Quando atirei sobre ele. Black – Como é que ele reagiu? Wyke – Ao quê? Black – À palmadinha. Black – Deu-lhe uma palmadinha metafórica nas costas? Wyke – Sim. Então ele veio cá. três tiros foram disparados e depois desapareceu. Então onde está ele? Wyke – Não sei. Matou-o? Wyke – Digo-lhe precisamente aquilo que lhe fiz. rabinho entre as pernas e nunca mais o vi. Black – Está certo. Eu fingi que o matei. Houve três tiros disparados: os primeiros dois eram verdadeiros e o terceiro era pólvora seca.

cheirou-me a esturro. que poderíamos ser bons amigos. eu até gostei dele. era só um jogo. mas não dessa maneira. se não se importa. na verdade estamos no século XXI. Black – Não me minta! Não vou tolerar esse tipo de tretas! Onde está o corpo?! Está aqui em casa?! Wyke – Não existe nenhum corpo! (Dobbler arrasta Andrew até ao armário da mulher dele) Black – Olhe para isto. Black – Achou-o atraente? Wyke – Sim. não são? Disse que ele saiu da casa depois da sua palmadinha? Página | 25 . é como já lhe expliquei: duas balas verdadeiras e uma… Black – Chega de histórias! Deve pensar que eu sou parvo! E isto é o quê? Esta mancha de sangue é o quê? Wyke – É impossível. Sabe que falei com a sua mulher e ela disse que você tinha um instinto de assassino… Isso deu-me uma comichãozita no nariz… Wyke – No nariz? Black – Sim. dois buracos de bala na parede. Achei que ele era atraente. Portanto estou a olhar para si e estou a pensar: o que é que fez ao corpo? Onde é que ele está? Diga-me. É bom ver o amante da minha mulher a tremer de medo. São do Tindle. Wyke – Sim. Black – Hum… Bom. Aliás. já se aceita esse tipo de… gostos! Mudando de assunto. o caminho mais curto para chegar ao coração de um homem é através da humilhação. presumo.Wyke – Humilhação. eu preciso de saber… Wyke – Não existe nenhum corpo. foi pólvora seca! Black – Vamos ver que mais temos aqui: que roupas ensanguentadas são estas? Isto não é seu. E como sabe.

portanto se o matou. eu digo o que é que não está errado: Está lixado! (dá-lhe um murro) Wyke . meu caro. Black – Nu?! Wyke – Não faço ideia de como as roupas foram aí parar… Black – Então mata-o e depois despiu-o! Parte do plano de humilhação? Não. aqui está a verdade: começou um jogo. apenas um jogo. Diga-me: quem é o alvo a abater agora? Wyke – O quê? (Dobbler desmascara-se e revela que é Milo vestido de detective) Tindle – Você é o alvo a abater! Wyke – Tindle… Tindle – Pode querer que sou eu! Wyke – Seu sacana! Tindle – É só um jogo. temos uma cela prontinha para si! Wyke – Há algo de errado aqui! Black – É. Wyke – Você é um sacana absoluto! Tindle – Eu sei que sou… Página | 26 . saiu. onde está o corpo?! Wyke – Eu não o matei! Ele está vivo! Black – Ui! Você é um brincalhão… um brincalhão dos bons! Vamos embora. mas acabou em desastre! O último tiro foi verdadeiro.Está a magoar-me! Black – Olhe só a pena que tenho de si! Wyke – Está tudo errado! Não está a perceber… Black – Olhe para si… Cheio de medo. Pensei que iria gostar.Wyke – Sim.

Tindle – Engraçado. falei com a Marguerite sobre si. de ter saído de minha casa a chorar. Entrei pela janela partida que se esqueceu de substituir. MATAM! Wyke – Muito bem. Tindle – A sério? Wyke – Absolutamente. a abertura do jogo foi monstruosa! Sabe. são um pouco perigosas porque além de fazerem muito barulho. nós temos sempre a vendetta em mente! Afinal de contas. Dei-lhe alguns arrepios na espinha. Ela adorou. correcto? O que diz? Morte súbita? Tindle – Não. Ah.Wyke – Mas. e especialmente do pormenor de ter desmaiado! Ela até quis confirmar: “Quer dizer que ele desmaiou mesmo?” Ela gostou muito. você vai à frente. Mas você pregou-me o susto da vida. Até o ouvi a ressonar! Wyke – Isto é algum plano com a Marguerite? Tindle – Ela não tem nada a ver com isto. Página | 27 . nunca gostei de armas. não se pode esquecer que eu tenho sangue italiano. é verdade. também é um génio. meu caro. Eu diria que estamos 2-1! Portanto ainda nos falta um pouco até à morte súbita… Wyke – Ah. Sabe o que disse ela sobre si? Ela disse “Fracos de coração nunca foram bons em nada”. Então como está o resultado? Empatados. e disse também que vai voltar para mim. Wyke – Quando é que preparou isto tudo? Tindle – Ontem à noite. Eu brinquei consigo com o meu inspector. Tindle – Adorou o quê? Wyke – O facto de eu o ter assustado. foi tudo engendrado pelo meu cérebro fantástico! Foi a minha jogada no nosso pequeno jogo. Tindle – Está cheio de novidades Andrew.

Tindle – Então vamos até lá! Leve-me até lá ou enfio-lhe uma bala no meio dos olhos! Wyke – O cofre está ali. quero mostrar-lhe uma coisa. Tindle – Vá abrir o cofre. está 3-1. E venho com esta arma na mão. Wyke – Eu mudei o código. olha para a sua janela e sou eu a arrombar a sua casa novamente. Tindle – Então ora muito bem: é de noite.Wyke – Meu caro. Vá para o seu escritório e sentese. Wyke – Vou para o meu escritório? Tindle – E sente-se.Oiça. está a ler um livro… Wyke – O quê? Tindle – Leia um livro! Ouve um barulho. Pensa que esta arma é falsa? (dá um tiro na parede) Onde está o cofre? Wyke – No roupeiro da minha mulher. Quer desistir já ou continuamos? Tindle . paralisado. Vim buscar as jóias! Onde está o cofre? Wyke – Que jóias? Tindle – As jóias! Onde está o cofre? Wyke – Você sabe onde está o cofre… Tindle – Não sei. Wyke – Já aqui estou. não! Wyke – Não sabe? Tindle – Não tente dar cabo do jogo… Levante-se. Você fica a olhar para a arma. Não me consigo lembrar… Página | 28 .

o que está a escrever agora? Wyke – O que é que estou a escrever…? Tindle – Sim. não é uma noção lindíssima: morrer nos braços da amada? Tindle – É fantástico. Wyke – Pois tem… Página | 29 . tenho de admitir… Você é casado. não. Tindle – E ele morre no fim? Wyke – Morre enquanto faz amor. e agora quero-as para mim! Agora lembrese do código e abra o cofre! (dá mais um tiro na parede) Wyke – Está bem. o que está a escrever? Wyke – A historia de um assassino. há 13 anos e ainda continuamos apaixonadíssimos! Tindle – Sabe.Tindle – Lembre-se… Wyke – Não consigo… Tindle – Eu vim até aqui porque sei que tem jóias preciosas… Tenho informações da sua parte. não disse que era escritor? Wyke – Importa-se que eu beba um copo? Tindle – Não. Tindle – Morre a vir-se? Wyke – Sim. de todo! Afinal. (Andrew abre o cofre e dá as jóias a Milo) Tindle – Ora aí está um bom rapazinho! (Milo senta-se numa cadeira) Então. Chamei-lhe “The Smilling Man”. por outras palavras… Pense lá. está em sua casa… (Andrew enche um copo de vodka com muita dificuldade pois as suas mãos tremem muito) Então. alguém me disse que a sua mulher tem um amante. não é? Wyke – Sim. está bem.

pode brincar com as suas jóias. mas com uma cara dessas. os meus avós eram escravos. A minha mãe era uma beleza negra sabe? Acha que lhe devo contar o que planeio fazer com estas jóias? Wyke – Sou todo ouvidos. Descendência espanhola. coitadinho. eu juro que não conto a ninguém! Wyke – Mas eu pensei que as tinha roubado. Chamase Tanduri ou assim… Sabe. Tindle – Não! Era um jogo! Era só um jogo! Não foi divertido? Página | 30 . não acha? Tire-os lá… Wyke – E a pulseira também não faz o meu género… Tindle – Mas o colar fica-lhe a matar. (Milo coloca as jóias em Andrew e puxa-o até um espelho) Tindle – Você está… Não há palavras! Como quer o fio? Assim ou mais curto? Ou ainda mais curto? Wyke – Está a magoar-me! Não me magoe… Tindle – Ah. Você é malvado. é sensível à dor? Wyke – Bastante.Tindle – Conhece-lo? Wyke – Não. nenhum par de brincos vai ficar bem. acho que estes brincos não me ficam bem… Tindle – Realmente. Acho que é italiano ou algo do género. a minha mãe era do Uganda. nunca conheci um ladrão com gosto para a arte. nunca o conheci. Tindle – Oiça. Qual é o seu pais de origem? Tindle – Eu? Irlanda. bastante… Tindle – Desculpe querido. eu acho-o divertido! Wyke – Sabe. Wyke – Não concordo. eu não quero magoá-lo.

lembra-se da do que lhe disse há bocado? Ganhou os primeiros dois. Paranóico. Com tendências criminais e mentalmente nulo. Rancoroso. já conheceu a Marguerite. Claro que sim. É verdade. Invejoso. Página | 31 .Ah. não gosta? Tindle – De alguns. não gosta? Tindle – Oh. Frio. perdeu um ponto de vantagem. eu conheço um indivíduo assim… Tindle – Eu também… Wyke – Sabe uma coisa? Gosto da sua mente. se não me engano… Tindle – Já a conheci. ganhou novamente segurança de dois pontos à frente… Pois agora. sim. nem todos! Wyke – Mas gosta de mandar no jogo. Sem escrúpulos. Wyke – Eu gosto de homens que gostam de mandar. afinal não sou o único malvado… Tindle . chegou finalmente o empate! (Milo bebe o copo de vodka de uma só vez e parte o copo no chão) Wyke – Mas quem é que vai ganhar o ponto final? Tindle – Está para se decidir… Wyke – Gosta de jogos. Tindle – Gosta? Wyke – Sim. gosto. Arrogante. sim senhor! Wyke – Ela disse por acaso que tinha um marido? Tindle – Por acaso disse… Wyke – Como é que ela o descreveu? Tindle – Idiota. Wyke – Curioso. Mau.(Milo vai buscar a garrafa de vodka e vai enchendo o copo) Wyke – Bem.

Tindle – Ai sim? Wyke – Sim. na decoração… Este quarto está desocupado. quero fazer-lhe uma proposta. Este aqui é o quarto de hóspedes. Tindle – E o meu corpo? Wyke – O que tem o seu corpo? Tindle – O que diz do meu corpo? Wyke – Estava apenas a dizer que gosto da sua maneira de raciocinar! Tindle – Quer dizer que gosta do meu estilo? Wyke – Sim. Wyke – Está entusiasmado sobre ela? Tindle – Diria mais intrigado. a sua mente excita-me. Não é fantástico? Repare na vista. que forte e implacável que você é… Tem algum tipo de ideia sobre qual será a minha proposta? Tindle – Não faço a mais menor ideia. Oiça. gosto muito do seu estilo. Tindle – Ah. Milo? Tindle – Não me parece… Wyke – Bem. mas gosto da maneira como pensa. como estou curioso para saber o que vai nessa cabeça agora… Wyke – Não pode baixar a arma. Wyke – Em breve será um homem entusiasmado. Tindle – Sexualmente…? Wyke – Não iria tão longe. Que dizia se lho oferecesse? Tindle – A mim? Página | 32 . Tindle – O quê? Wyke – Quero mostrar-lhe algo.

estou a pedir-lhe para ficar comigo. Cheguei à conclusão que você é o meu tipo de pessoa. Alpes… Aposto que esquia muito bem! Eu ficaria cá em baixo com um whisky na mão para si. Paris. pode escolher as peças e representar os papéis principais! Mas esta seria o seu lar. Wyke – Mas tenho eu. Tindle – Está a pedir-me para viver consigo? Wyke – Sim. Tindle – Não tenho esse privilégio. e há um sitio magnifico na Escócia chamado Balmoral. Wyke – Isso é onde a rainha mora. quando se conhece a rainha. Claro que também viajaremos! Jamaica. São Petersburgo. Tindle – Isso é fenomenal! Veneza. da sua maneira de agir e pensar. Dinamarca… Página | 33 . e este seria o seu quarto.. E neste momento eu preciso de intelectualidade à minha volta.? Wyke – É como já lhe disse: gosto da sua mente. ou um copo de moscatel acabado de abrir… O mundo seria a sua ostra! Tindle – Então e a Maggie? Wyke – Esqueça-a! Deixe-a apodrecer e fique comigo. Tindle – As árvores não lhe chegam? São ambos intelectualmente semelhantes! Wyke – Eu sou um homem de bens ilimitados. claro! Quer um teatro? Você é um actor esplêndido.Wyke – Absolutamente. Tindle – Tenho de lhe dizer que estou bastante tentado! Gosto muito da ideia das viagens! Hollywood. O que quer? Quer abrir uma livraria? Uma galeria de arte? Ah. Tindle – Ai sim. Tindle – Então a estadia está cancelada… Wyke – Não.

Mas é o que dizem. sempre gostei de homens poderosos. Sou particularmente sagaz de manhã. Wyke – Agora começa a sua vida de verdade. a mente é o corpo! Wyke – É o que andam a dizer? Tindle – Alguém disse algo do género. meu caro. portanto aceito a sua proposta. é muito tentador… Ainda bem que gosta da minha mente. ela desaparece! Não deixe que ela o domine.Wyke – Onde quiser. o que quiser. que sabe? Não posso negar que sou um esplêndido companheiro. ainda me quer escravizar e subornar? Sabe o que você é? É um parasita! E é um ignorante! Página | 34 . Gosta de sagacidade matinal? Há quem não goste… No entanto. e além de me pregar um susto de morte. Tindle – Mas então. seja livre! Tindle – Sabe. Vá-se lixar! Deixe-me em paz seu velho asqueroso! Seu… Meu Deus. não precisa? Wyke – Sim. quem quiser! Eu posso apresentar-lhe todas as celebridades que quiser! Tindle – Tenho de dizer que até agora. precisa de alguém que cuide de si. decida-se! Estou a oferecer-lhe algo único! Se aceitar. preciso. um actor desempregado a querer falar consigo sobre a sua mulher. Muita gente gosta do meu corpo mas ninguém gosta da minha mente. e a Maggie? Wyke – Por amor de Deus. seja você mesmo. consigo perceber a sua proposta. Vejo muito bem a sua solidão. Eu venho aqui como um homem inocente e respeitável. Claro que são tretas! De qualquer maneira. Sou um companheiro extremamente sagaz. talvez eu seja mesmo o seu tipo de pessoas. mesmo dos melhores que pode haver. (Andrew dá uma festa na cabeça de Milo) Tindle – Tire a mão de cima de mim.

Wyke – Bem. que charmoso que você é… Tindle – Ela vai adorar esta história. Milo desmaia novamente e Andrew senta-se no sofá. meu querido. Wyke – Para mim? Tindle – Sim. trocando umas mensagens e tal… Fico bem quando estou irritado? Fico giro? Adeus. Game Over. Ela já está a caminho. meu querido. Página | 35 . ela disse-me para te contar que vai voltar para si. (Andrew dá-lhe um tiro. Tindle – Mas comam-se os dois! Vou-me embora. Vamos falando. Enche o copo de vodka e ri-se) Wyke – Adeus. e mais uma coisa. Diz à Maggie que eu vou mandando notícias. para si! Ela adora o seu dinheiro meu amor! Wyke – Eu não a quero para nada. Wyke – Só mais uma coisa. Wyke – Quem? Tindle – A Maggie! Ah.