INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS FORMIGA

TRABALHO DE FÍSICA II – CAMPO MAGNÉTICO E MATERAIS PARAMAGNÉTICOS

FORMIGA 2011 ANDREY GUSTAVO DE SOUZA

TRABALHO DE FÍSICA II – CAMPO MAGNÉTICO E MATERAIS PARAMAGNÉTICOS Trabalho apresentado ao Instituto Federal de Educação. FORMIGA 2011 ANDREY GUSTAVO DE SOUZA 2 . Ciências e Tecnologia de Minas Gerais – Campus Formiga na Disciplina de FÍSICA II.

Ana Flávia de Peixoto Camargos 3 . EXAMINADOR:_______________________________________________ Profª. Formiga.CAMPO MAGNÉTICO E MATERAIS PARAMAGNÉTICOS Trabalho apresentado ao Instituto Federal de Educação. Ciências e Tecnologia de Minas Gerais – Campus Formiga na Disciplina de Física II. 07 de Julho de 2011.

Já o segundo tema envolve uma abordagem das principais características dos materiais paramagnéticos. O segundo método foi a resolução manual. um conceito sobre matérias muito importante na área de engenharia elétrica. o primeiro feito usando recursos de programação e métodos numéricos no programa MATLAB.1. Introdução: O trabalho trata de dois temas. usando seus vários recursos tais como plotagem de gráficos e métodos interativos para a resolução do problema. Em ambos casos foi necessário aplicar os conhecimentos obtidos na disciplina para se obter o sucesso nos resultados. em primeiro lugar a resolução de um problema relacionado a disciplina usando dois métodos. 4 .

50 A passa pelo bastão. para um eixo x no ponto P. Página 240. conecta uma extremidade do bastão a parede vertical. a mola esta estendida ou comprimida? (c) Quanta energia é armazenada na mola. 12ª edição. O bastão está em um campo magnético uniforme B=0.200 m. com massa desprezível e comprimento de 0. Uma corrente I=6. n°27.8 N/m. 01 .2 m. Física III.5 A. 5 .2. está fixa no solo por uma dobradiça desprezível no ponto P (Figura 01). Desenvolvimento: Parte 1: Exercício do livro (Young e Freedman.Figura esquemática do problema. Uma barra delgada uniforme. com constante de força k=4. no sentido indicado. Uma mola horizontal. (b) Quando o bastão está em equilíbrio e forma um ângulo de 53° em relação ao solo.77) Fig. quando o bastão está em equilíbrio? Resolução manual: Dados do problema: • • Comprimento da barra: l=0. Corrente na barra: I=6.430 T orientado para dentro do plano da figura. (a) Calcule o torque em função da força magnética sobre o bastão.

05765 m x= 1 2 Il B = 0 2 F produz um torque no sentido horário.2 ⋅ 0.98 ×10 −3 J U = 6 .0442 N ⋅ m τ =F⋅ Pela regra da mão direita vê-se que o torque está no sentido horário. Na letra a) pede-se para achar o torque causado pelo campo magnético na barra.5 ⋅ 0. ∑τ = 0.80 N/m. logo a mola é esticada. Na letra b) pergunta-se se a mola está estendida ou comprimida.34 T.2 τ = 0. então a força da mola deve produzir um torque antihorário para se respeitar o equilíbrio.• • Campo B no plano: B=0. (kxl / sen (53 °)) − IlB 2ksen 53 ° x = 0. consideraremos que a força magnética atua no centro de massa. Constante de elasticidade da mola: k=4. Na letra c) pede-se a energia armazenada na mola. O torque obtido será: τ = F ⋅l Logo o torque na barra devido o campo magnético será: l N ⋅m 2 0.442 N Fazendo uma analogia à força gravitacional.34 ) N F = 0.442 ⋅ ( )N ⋅m 2 τ = 0. A força da mola para gerar esse torque deve ser para a esquerda. sabe-se que a força magnética e dada pela seguinte equação:   F = Idl × B Logo a força aplicada na barra será: F = (6. que é obtido a partir do seguinte cálculo: 1 kx ² 2 U = 7.

[-10 10]).%valor da estimativa da raiz 7 . end %b) fprintf('\n\n').77 clc clear all %a) comp=input('Entre com o comprimento da barra(m): ').\ncomp é o comprimento da barra e torq é o torque devido o campo B\n\n'). %constante de força da mola %Somotorio dos torques em relaçao a p=0 %o somatorio do torque em função de x torx=@(x)x*k*comp*sin(53*(pi/180))-torq. if dir == 0 disp('Torque no sentido horario'). campob=input('Entre com a magnitude do campo magnetico(T): '). torq=forcamag*(comp/2). k=4. onde consideramos que ela atua no centro de massa fprintf('Valor do torque obtido: %g N*m\n\n'. 240.8. elseif dir == 1 disp('Torque no sentido anti horario'). forcamag=corrente*comp*campob. grid on disp('Vide gráfico e estime uma raiz'). %plotagem do grafico para se obter uma estimativa inicial da raiz fplot(torx. fprintf('Onde x é a dilatação da mola.%Fazendo analogia a força gravitacional. %definido direção do torque dir=input('Direção do campo: 1 para saindo do plano e 0 para entrando no plano :'). k é a contante. else disp('Opcao invalida'). corrente=input('Entre com o valor da corrente(A): '). x1=input('\nEntre com a estimativa da raiz: ').torq). n° 27. disp('Calculo da dilatação da mola (x*k*comp*sin(53*(pi/180))-torq=0)'). pag.Resolução no MATLAB: O seguinte algoritmo foi usado para resolver o problema: %Exercicio.

u). k é a contante.%Formula da energia armazenada na mola fprintf('\nEnergia Potencial Elastica armazenada na mola: %g J\n'. E os resultados obtidos foram esses: Entre com o comprimento da barra(m): 0. end %c) %Energia armazenada na mola U=(k*x^2)/2 u=(k*solux^2)/2.2 Entre com a magnitude do campo magnetico(T): 0. comp é o comprimento da barra e torq é o torque devido o campo B Vide gráfico e estime uma raiz 8 .5 Valor do torque obtido: 0.%definição da raiz por meio da função fzero solux=fzero(torx.solux).34 Entre com o valor da corrente(A): 6. else disp('A mola está comprimida').x1). fprintf('\nValor de x: %g\n'. %Definindo se a mola está em comprimida ou esticada if solux>0 disp('A mola está esticada').0442 N*m Direção do campo: 1 para saindo do plano e 0 para entrando no plano: 0 Torque no sentido horario Calculo da dilatação da mola (x*k*comp*sin(53*(pi/180))-torq=0) Onde x é a dilatação da mola.

x = 0. dilatação da mola obtida manualmente.05765 m.00797657 J Comparação dos resultados: Como o observado nos resultados tanto na resolução manual. foram idênticos aos resultados verdadeiros: Resultados letra a): τ = 0. torque obtido manualmente. 2ksen 53 ° .Fig.0576504 A mola está esticada Energia Potencial Elástica armazenada na mola: 0. x= 9 . Entre com a estimativa da raiz: 0. 02 – Gráfico plotado para se ter uma estimativa da raiz (valor de x).0442 N ⋅ m .2 Valor de x: 0. Valor do torque obtido: 0. como a computacional.0442 N*m. Resultados obtidos na letra b): IlB . torque obtido no MATLAB.

E o gráfico obtido: 10 .%cria o vetor relacionado a corrente [X.Valor de x: 0. Gráficos no MATLAB: Para obter os gráficos.Y]=meshgrid(campo. ylabel('Corrente(A)'). energia obtida na resolução manual. xlabel('Campo Magnetico(T)').Z) title('Torque em função da corrente e campo magnetico numa barra de 0.10.%cria o vetor relacionado ao campo magnetico corrente=linspace(0.50).2m').Y. A seguir o algoritmo usado para se realizar a plotagem do gráfico: clc clear all campo=linspace(0.2*Y*X*0. Energia armazenada na mola: 0. ficando o Torque em função dessas variáveis. Z=0.98 ×10 −3 J .10. corrente). consideremos apenas como variáveis o Campo Magnético e a Corrente.50).1.00797657 J. energia obtida na resolução do MATLAB. dilatação da mola obtida no MATLAB.0576504. zlabel('Torque(N*m)').%Z é o torque obtido mesh(X. Resultados obtidos na letra c) U = 7.

Fig. Uma amostra de substância paramagnética situada em um campo magnético é atraída para a região onde o campo é mais intenso. embora a escala de intensidade possa variar.Gráfico obtido no MATLAB. sendo que se não a campo e/ou corrente não há torque. 03 . Parte 2: Materiais Paramagnéticos As propriedades magnéticas não estão limitadas unicamente às sustâncias ferromagnéticas. entram dois tipos de substâncias: as paramagnéticas e as diamagnéticas. em função do campo e da corrente. Nesta categoria. ao contrário do que ocorre a uma substância diamagnética. que é atraída para a região onde o campo é mais fraco. Observa-se que o torque cresce à medida que o campo magnético e a corrente crescem. elas se apresentam em todas as substâncias. 11 .

foram mais entendidos através da pesquisa efetuada para a realização do trabalho. 4. 16:06:11  https://dspace. Nas substâncias paramagnéticas a suscetibilidade magnética é muito pequena comparada com a unidade. No caso dos materiais paramagnéticos a susceptibilidade apresenta pequenos valores positivos de χ (o campo de magnetização desaparece quando de retira o campo aplicado). Acessado em 07/07/2011. Na parte de materiais paramagnéticos.ist.pt/bitstream/2295/171206/1/Teoric2Maio %28PropMag%29. Bibliografia:  http://www.ita. 16:22:33 12 .mec. 3. tanto como os conceitos aplicados em Física II. Além uso de ferramentas como gráficos.br/~adade/Matlab/Web/graficos. e H é o campo magnético aplicado. os conceitos aprendidos sobre eles na sala de aula. e aplicações dos conhecimentos obtidos em várias disciplinas. funções especificas serviu como um acréscimo de conhecimento.htm#ix.pdf Acessado em 07/07/2011. Conclusão: Este trabalho.utl. serviu como uma aplicação direta dos conhecimentos obtidos tanto na disciplina de Cálculo Numérico.O paramagnetismo se produz quando as moléculas de uma substância tem um momento magnético permanente. A agitação térmica aumenta com a temperatura e tende a compensar o alinhamento do campo magnético.. O campo magnético externo produz um momento que tende a alinhar os dipolos magnéticos na direção do campo. como um todo. É essa susceptibilidade magnética permite classificar os materiais em termos das suas propriedades magnéticas. A susceptibilidade magnética χ é dada por: Onde M é a magnetização.

2009.. São Paulo: Addison Wesley. D. H. R.  MARTINS. 13 . Física III: Eletromagnetismo. Introdução à teoria da eletricidade e do magnetismo. São Paulo: Edgard Blücher. FREEDMAN. A. 1975. YOUNG. NELSON.