C}

2.Belo Horizonte . Criminologia. Criminologia! Núcleo de Estudos em Segurança Pública e Pesquisa.02 e-mail: biblioteca. Polícia Civil de Minas Gerais. 4.br . Segurança Pública.304 . sala 302 Nova Gameleira .41 Fax: (31) 3379.CEP 30510-210 Fone: (31) 3379. Ano 1 n. no seguinte endereço: Revista Criminologia Academia de Polícia Civil IBiblioteca Paulo Pinheiro Chagas Rua Oscar Negrão de Lima. 3.acadepol@pc.Minas Gerais .50. 1 (ago. I. Direitos Humanos.mg.Belo Horizonte: Sigma.2006) .NESPPI ACADEPOL.50.POLICIA CIVIL DI: IViINASGERAIS Academia de Polícia Civil de Minas Gerais Instituto de Criminologia Núcleo de Estudos em Segurança Pública e Pesquisa Chefe de Polícia Otto Teixeira Filho Diretora-Geral da Academia de Polícia Civil de Minas Gerais Maria de Lurdes Camilli Diretor Adjunto Silvano de Almeida Diretor do Instituto de Criminologia Simeão Lopes Comissão Editorial Simeão Lopes I Paulo Guilherme Santos Chaves (Coordenação)1 Patrícia Luíza Costa! Lola Aniyar de Castrol José Francisco de Almeida Pachecol Serge Desrosier Suely Félix Andruccioli I Alexandre Magno Alves Diniz Projeto Gráfico Noeinstein da Trindade Paula Artigos para publicação podem ser enviados para apreciação da Comissão Editorial. 2007Anual ISSN 1676-0584 1. 200.gov. Educação. CDD 301.

. Portanto.desempenhadas que não as suas funções prescritas legalmente.O aumento vertiginoso da criminalidade é. técnicos e a prática de atividades alheias à sua função específica (COSTA. contabilizou-se aproximadamente 480 Escrivães de Polícia. inerentes a esse fator. estão a falta de recursos humanos.Capital das Minas Gerais . distribuídos nas Unidades Policiais de Belo Horizonte. Neste artigo. a intenção é de fornecer subsídios para uma análise e compreensão aprofundadas da função desses profissionais. buscaram-se hipóteses que comprovariam ou não a questão primordial: investigar a existência do acúmulo de serviço e. um componente que contribui muito para o acúmulo de serviço do Escrivão de Polícia . Sob a . se esse acúmulo realmente compromete no desempenho do Escrivão de Polícia lotado na . contudo. Através de um levantamento de dados junto à Diretoria de Administração e Pagamento de Pessoal .DAPP. dos quais 17 Escrivão de Polícia. que . referentes à problemática do acúmulo de trabalho. sobremaneira. à falta de recursos humanos e técnicos e à prática de outras atividades . o Escrivão de Polícia é o responsável direto pela instauração. a partir desse trabalho.garante a preservação de direitos individuais e coletivos no cenário tipicamente conflituoso que envolve a apuração da ocorrência criminal. . bem como um diagnóstico de como funciona atualmente a área cartorária da Polícia Civil em Belo Horizonte. apresenta-se uma reunião de dados coletados entre os Escrivães de Polícia lotados em Belo Horizonte. formalização e remessa do Inquérito Policial o à Justiça. Pesquisador e professor da Academia de Polícia Civil.direção e supervisão do Delegado de Polícia. Graduado em Filosofia e pós-graduado em Criminologia.52 o ESCRIVÃO DE POLíCIA FATORES QUE INFLUENCIAM O SEU DESEMPENHO Paulo Guilherme Santos Chaves Patrícia Luíza Costa Simeão Lopes Hamilton Rodrigues da Silva 17 INTRODUÇÃO Inquérito Policial é um instrumento jurídico e descritivo da atuação investigativa. 2005). suas atividades formais e suas atividades exercidas de fato. Enfocando a lida diária deum Escrivão de Polícia em seu local de trabalho.

assegura a todos os cidadãos brasileiros. instituído pela Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. sendo exercida para preservar a ordem pública e a incolumidade das pesl)oâs e do patrimônio. Institutos Médico Legal. as atividades finalísticas estratégicas. dever do Estado. abrangendo as unidades subordinadas à Superintendência de Planejamento. estadual e federal. Academia de Polícia Civil. dentre os diversos direitos sociais e individuais. No Estado de Minas Gerais a Polícia Civil é co-responsável pela segurança pública. ano em que foi criado o Sistema Integrado de Defesa Social. Está. Os cargos administrativos já existentes foram transformados em três novas carreiras de apoio logístico. que atuarão nas Delegacias de Polícia: o . inclusive com outras organizações públicas e representações da sociedade. a preservação da ordem pública e a defesa das pessoas e do patrimônio. desde 2003. bem como as carreiras dos servidores policiais. no Estado de Minas há cerca de 1. desempenhadas pela Superintendência de Informações e Inteligência Policial. contempla as carreiras administrativas. A POLíCIA CIVIL DO ESTADO DE MINAS GERAIS Estado Democrático de Direito. conforme último levantamento em janeiro de 2006.53 definiu-se um percentual de 10% como amostra representativa do escrivanato da Polícia Civil na capital mineira.400 Escrivães de Polícia. O quadro de servidores da Polícia Civil. As atividades finalísticastáticas são compostas pela Superintendência de Investigações e Polícia Judiciária que se dividem em Departamentos de Polícia Civil. de Criminalística e de Investigações e Delegacias e. ~ Atividade Finalística referente às funções estratégicas e táticas. a Polícia Militar. direito e obrigação de todGs.a Secretaria de Defesa Social: formada pela Subsecretaria de Administração Penitenciária. Ao todo. A mudança organizacional introduziu também uma nova concepção das atividades da Polícia Civil. É órgão permanente do Poder Público. O SIDS tem como finalidade a articulação das instituições de segurança visando o trabalho integrado. ~ Atividade Logística em que congrega as funções de apoio para execução da atividade policial.SIDS. reunindo as organizações atuantes no campo da segurança pública e defesa do cidadão . Defensoria Pública e a própria Polícia Civil. pelo Conselho Superior de Polícia Civil e pelo Colegiado. divididas em três níveis fundamentais: ~ Administração Superior que é formada pela Chefia da Polícia Civil. dirigido por Delegado de Polícia de Carreira e organizada de acordo com os princípios da hierarquia e da disciplina. Gestão e Finanças. as atividades de segurança são desempenhadas nos três níveis da esfera pública: municipal. Corpo de Bombeiros. reformulado pelo projeto da Nova Lei Orgânica. finalmente. pela ChefiaAdjunta da Polícia Civil. Corregedoria Geral de Polícia Civil e Departamento de Trânsito. singularmente estruturada como um órgão autônomo da administração direta. Para tanto.

Dentre as atribuições dos servidores policiais. para elaboração de laudos periciais. também de nível médio. tão logo ocorra a extinção do cargo.54 . de nível médio. de nível médio. o Médico-Legista tem a seu cargo a realização de exames médico-legais. foi o conselheiro Paulo Fernandes Viana. em 10 de maio de 1808 na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (daí. Médico-Legista. o Perito Criminal atua na interpretação dos indícios materiais e elementos subjetivos das infrações penais.533/97).) BREVE HISTÓRIA A Instituição Polícia Civil é centenária no Brasil. de nível fundamental. Identificador e Vistoriador de Veículos. o Delegado de Polícia é o responsável pela instauração e condução do inquérito policial e pela coordenação das atividades tático-operacionais e administrativas da sua unidade policial.cit. em dia 10 de maio. pois. A carreira de Auxiliar de Necropsia.Auxiliar de Polícia Civil. Existem ainda cargos administrativos indicados pelo Chefe da Polícia Civil e nomeados pelo Governador do Estado.Analista de Polícia Civil. João VI.Técnico Assistente de Polícia Civil. de servidores da instituição. integrado pelasântigas carreiras de Detetive. exclusivos ou não. a instituição do dia do Policial Civil no Estado de Minas Gerais. será extinta após a desocupação dos cargos. e o Agente de Polícia tem a seu cargo a coleta de elementos objetivos e subjetivos para esclarecimento das infrações penais. e . de curso superior de Medicina. o primeiro Intendente-Geral de Polícia com essa denominação foi nomeado por D. Perito Criminal. além do cumprimento de diligências policiais e determinações judiciais. e .área do conhecimento. além de zelar pela guarda de documentos da sua unidade policial. também para construção de laudo pericial. O primeiro ocupante do cargo. Ao mesmo tempo. Escrivão de Polícia. o Escrivão de Polícia realiza o trabalho de elaboração e formalização dos atos em procedimentos legais. conforme preceitua a Lei 12. de curso superior em qualquer. de nível superior. administrativas e disciplinares. bem como a realização de exames em pessoas e cadáveres. (op. sendo que suas funções serão realizadas pelo Agente de Polícia. ao qual estavam subordinadas as atividades de Polícia Política do . de nível fundamental . Agente de Polícia. os servidores policiais foram reorganizados em cinco carreiras: Delegado de Polícia. de curso superior de Direito. Carcereiro.

nec~ssáriO. no trabalho prestado. . também para as questões externas. cuja finalidade. 68 -7 O Escrivão de Polícia é o servidor policial que tem a seu cargo o trabalho de elaboração dos inquéritos policiais e processos sumários . a criminalidade aumentava. e específica desse tema. também se subordinavam as atividades de Polícia propriamente dita. combatendo as idéias liberais surgidas em certos núcleos e voltada. pelo Major-Ajudante Miguel Nunes Vidigal. éa do Escrivão de Polícia. espiões. ocupado então.DE POLíCIA Uma das carreiras componentes do "staff' da instituição Policial. ambiciosos e arrogantes. Uma terceira atividade do Intendente era a administração do município. apesar da melhoria no tocante ao respeito aos direitos individuais. (MINAS GERAIS. que além dos problemas inerentes aos de uma instituição que acabava de ser implantada.. proporcionalmente ao crescimento da população. guarda . 2002). principalmente diante do crescimento populacional e do aumento da criminalidade. etc.~g!llif}cJg.55 Príncipe. da urbanização.. Diante dessa diversidade de atribuições que lhe são conferidas. a chamada Lei Orgânica da polícia Civil de Minas Gerais. e conservação das instalações 1968) e pertences das delegacias". da iluminação. agitadores.cit). Funcionava para vigilância e obserVação interna. Paulo Fernandes Viana. (LIBERAL. era política. o primeiro Intendente-Geral fundador da Polícia Civil Brasileira. foi assim o o ESCRIVÃO . o Escrivão tem grande importância para a instituição policial. Ao intendente-Geral. fato que fez Paulo Fernandes providenciar o cargo de auxiliar do Intendente-Geral de Polícia. bem como ordenou a construção de quartéis e casas populares para os policiais (op.flx~cuçãode tar:lf?fas :_. cuidando das obras públicas. fornecimento de água. a Polícia registrava deficiência no quadro de pessoal. principalmente diante das atividades dos estrangeiros.406 de 16 de dezembro de 1969. como o próprio nome já indica. objetivando uma melhor qualidade.. ainda em vigor: "Art. cujas atribuições encontram-se no artigo Q 68 da Lei n 5. identificandoa como uma instituição protetora e informadora do governo.ªdfJ1iqi~traJjyª~. Percebe-se na passagem descrita no parágrafo anterior que a característica de polícia política acompanha a Polícia Civil desde os seus primórdios. também que já naquela época. da higiene. fato que denota também a necessidade de aperfeiçoamento constante nos domínios de sua matéria e necessidade de valorização profissional. Pode-se constatar. de Polícia. saneamento.

alegando que não têm condições de cumprir o horário prescrito em função do volume e da urgência do serviço. insatisfação em relação ao local de trabalho. PERFIL DO ESCRIVÃO DE POLíCIA EM MINAS GERAIS Conforme pesquisa de campo realizada no ano de 2005 (NESPP/ACADEPOL). algemas. 68% são do sexo feminino e que 86% têm entre 26 e 55 anos de idade. . Uma faixa em torno de 68%. Um percentual de 34% integram a corporação policial civil Polícia Civil entre 12 e 20 anos e. 31% integram-na entre 6 e 11 anos de serviços prestados. existe uma estreita relação entre as atividades exercidas pelos policiais eo nível de bem-estar e de problemas sanitários que apresentam.. "Desde clipes. armamentos. possui curso superior completo ou em curso e 47% são casados.. cit). tanto no campo físico quanto mental". 2003). por exemplo. Destaca-se dentre elas. considerável nível de baixa estima. 50% têm entre 35 e 55 anos. até o reagente. Boa parte. além da grande responsabilidade na organização do Inquérito Policial. de toda a unidade policial. além de defasado. tem-se que a maioria. Não basta que o governo e a sociedade façam exigências sobre os resultados sem proporcionar os requisitos necessários para a consecução de efetividade e de eficiência das atividades (op. Destes. Leva-se em conta que esses profissionais. . ou seja. ainda têm que lidar com outras tantas situações. a saúde do policial comprometida em decorrência de vários fatores inerentes às funções desempenhadas. cartucho de tinta de impressora para emitir um parecer. a responsabilidade para com os bens materiais do cartório e muitas vezes. tendo o escrivão hora de chegar à delegacia.) a falta desses produtos. o fardo parece ainda ser um pouco mais pesado. assim como cita MINAYO et ai (2003): u•. a partir de uma amostra de 11% dos Escrivães de Polícia do Estado. 60% aproximadamente. os quais mais de 80% da classe consideram bem precários. etc. arquivos. o solvente e o éter para realizar a análise que compõem o laudo e o relatório (. assim como a falta de materiais de consumo. considera a carga horária muito pesada. etc). Um percentual de 47% dos entrevistados é unânime nas reclamações em relação à precariedade e insalubridade do local de trabalho. aos instrumentos utilizados.. apresenta sérias dificuldades. Apregoa-se que no caso da carreira dos escrivães. muitas vezes. Exemplificando: o acúmulo de serviço em razão do crescente aumento da criminalidade e escassez de pessoal. impossibilitam a execução de certas tarefas essenciais" (Minayo et ai. Tal fator interfere substancialmente em suas condições de saúde. mas -não tendo hora de sair do expediente. aparelhos telefônicos. à remuneração salarial e muitos outros conflitos. Outro elemento negativo em relação à percepção desses profissionais é a situaçãOde seus equipamentos de trabalho (computadores.56 Já ocorre há algum tempo uma constatação através do senso comum dos próprios membros da corporação de que o material humano componente dos quadros da Polícia Civil de Minas Gerais. papel. a carga horária por demais elástica.

19ª e 24ª DO da Seccional Barreiro e 9ª e 22ª DO da Seccional Venda Nova.OMS mostram que as disfunções e incapacidades causadas pelos transtornos mentais e de comportamentos podem limitar as atividades diárias dos indivíduos. persistência e ritmo de execução das tarefas que precisam realizar. define-se como perfil do Escrivão de Polícia mineiro. fator que acomete 54. Mais duas Delegacias Distritais pertencentes à estrutura organização de uma das Seccionais: 2ª e 3ª DO da Centro. Dados da Organização Mundial da Saúde . com idade entre 30 e 50 anos.29% sentem-se desmotivados e sem esperanças quanto ao futuro. Leste. com curso superior completo ou em curso. como sendo um profissional do sexo feminino. Barreiro e Venda Nova. é o estresse e o sofrimento mental que o Policial Civil pode desenvolver. isto é. 63. METODOLOGIA DA PESQUISA NA CAPITAL MINEIRA Definiu-se por desenvolver um questionário semi-aberto para realizar entrevistas com a amostra escolhida na capital mineira de forma aleatória por meio de sorteio (ANEXO 4). 2003). sua própria realização existencial' (MINAYO et ai. O percentual de 75% dos Escrivães de Polícia entrevistados sentem-se tristes e desanimados em relação ao trabalho.72% já tiveram algum pensamento de morte ou de que não vale a pena viver. "a rotina em uma atividade altamente estressante compromete a qualidade de vida do policial. principalmente em relação ao tempo de serviço prestado na corporação. e 28. Desse modo. 8ª e 20ª DO da Leste. pois não obstante à experiência adquirida. o sofrimento psíquico se refere a um estado de luta do sujeito contra forças que o empurram para a doença mental. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE-OMS). casado e com tempo de serviço prestado na corporação entre 13 e 20 anos. Percebe-se assim.78% dos Escrivães de Polícia no Estado. E um outro dado que pode vincular-se ao aumento do estresse do profissional é a preocupação excessiva com as tarefas a serem desempenhadas. Sul. Noroeste. deteriorando ou descompensando as ações próprias do cotidiano laboral (Brasil.DI: Delegacia de Crimes . também a metade das unidades que compõem a estrutura organizacional do Departamento de Investigações. alterar a concentração. de acordo com o estudo organizado por MINAYO et ai (2003). 1ª e 13ª DO da Sul. Tomaram-se como base as seis Seccionais de Polícia Civil situadas na capital mineira: Centro.57 Um outro ponto preocupante nessa análise e que merece atenção. 14ª e 16ª DO da Noroeste. Segundo MERLO (2002). 2001. afetar o exercício de suas funções sociais (convivência e comunicação com os outros). uma avaliação do Policial Civil mineiro muito proxlma ao Policial Civil carioca e fluminense. Sorteou-se.

Delegacia de Crimes contra a Mulher . cartas precatórias. no ANEXO 1. de acordo com a disponibilidade de cada um. reduziu-se a amostra para 10%.DOPCAD. e que por tal motivo. obtendo-se os resultados. Fevereiro e princípio de Março de 2006.DVTE.DCCM. Interpelados se com todo este acúmulo de serviço. aproximadamente. os Escrivães entrevistados se dividem em dois grupos quase que simétricos. Contudo. não se alcançou o percentual pretendido dentro do cronograma estabelecido devido à indispooibilidade de tempo dos entrevistados. 490 expedientes para cada Escrivão de Polícia. eles conseguem cumprir os prazos. Divisão de Tóxicos e Entorpecentes . perfazendo um total de 48 profi~sionais que foram selecionados nas unidades previamente escolhidas~-porém. 26 deles responderam que sim e os outros 22 responderam que não. Assim.DEPI. Foram listados dez motivos. Quando perguntados se contam com a ajuda de outro Escrivão de Polícia. calculado para o total da amostra apresentou uma média de. Delegacia de Proteção à Qualidade de Vida e Ecologia . em 3 partes.58 contra o Patrimônio . 17 escrivães responderam que "mais ou menos sim" (sic) e 31 disseram que não. principalmente os inquéritos. Delegacia Especializada de Proteção ao Idoso . ou seja. Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente . Igualmente foi questionado aos entrevistados sobre a opinião de cada um quanto aos motivos que poderiam justificar a grande quantidade de serviço acumulado. Esses resultados são apresentados no GRÁF. ofícios e outros expedientes cartorários indicado por cada um dos entrevistados como sua ocupação diária. no decorrer da pesquisa de campo. 24 tomados em cada Delegacia Distrital escolhida (2 para cada uma) e 24 tomados nas Delegacias Especializadas escolhidas no DI (4 para cada uma). O número de inquéritos policiais. permanecem . termos circunstanciados de ocorrências. A amostra de 72 Escrivães de Polícia foi dividida então. os quais os Escrivães de Polícia acreditam ser os principais causadores de acúmulo de serviço. distribuídos de acordo com o grau de ocorrência. de um Escrivão de Polícia ad hoc ou qualquer outro auxiliar. 1. sendo que 24 tomados nas Seccionais (4 para cada uma).DCCP. no ANEXO 2.DEPQVE. RESULTADOS Escolheu-se uma amostragem nos meses de Janeiro.1. Questionado aos entrevistados sobre a concepção de cada participante quanto às funções do Escrivão de Polícia no intuito de avaliar se há uma unicidade TAS.

pois o débito para com os recursos humanos na classe é muito maior. A respeito do estresse dos profissionais do sexo feminino. gostam do tipo de trabalho realizado pelo Escrivão.59 atrasados em decorrência da constante ida e volta à Justiça com pedidos de prazos para conclusão. As questões abordadas no questionário semi-aberto. 40 Escrivães. partem do enfoque às funções mais executadas pelos . uma obteve o diagnóstico no nível normal de estresse. 28 Escrivães (20 do sexo feminino e 8 do sexo masculino) que se prontificaram em preencher o instrumento de pesquisa. passamos agora à análise do rol de informações e percepções reunidas na tentativa de responder à questão primeira dessa investigação: existe um acúmulo de serviço que realmente prejudica o desempenho do Escrivão de Polícia da capital mineira? Acreditamos ter-se constatado. ou seja. através da exposição a que se segue esta análise de que.ivão de Polícia. isto é. o quanto antes. 13 Escrivães se sentem estressados. ale~aram estar satisfeitos com a função em si. no ANEXO 3. de acordo com o GRÁF. Questionados se estão satisfeitos com a profissão. porém rechaçam o fardo acentuado de atribuições. ANÁLISE DOS RESULTADOS ><. Após as constatações supramencionadas. T~I resposta foi espontânea e baseada apenas na percepção individual de cada entrevistado. Perguntados se todos os profissionais que se encontram desviados de função viessem para a área operacional o problema do acúmulo de serviço seria resolvido. bem como a ausência de valorização profissional e financeira. mas que o problema não se resolveria. Já o restante. em sua totalidade. os entrevistados se dividiram em quatro grupos. Porém. um. 25 Escrivãs se sentem estressadas e 8 Escrivãs não. e com relação ao sexo ma~culino. que norteou as . no nível leve e seis deles estão em um grave nível de estresse. quando submetidos a um teste de diagnóstico de estresse. 08 Escrivães responderam que não se sentem realizados profissionalmente e que almejam. conquistarem outros espaços. mesmo se for fora da instituição. apresentaram o segUinte resultado: em meio às vinte profissionais. 2. enquanto apenas 2 disseram que não. os entrevistados responderam que sem dúvida. ajudaria bastante. Ao serem perguntados sobre o "desvio de função" do Escr. Enquanto que com relação aos profissionais do sexo masculino. realmente.9ntrevistas da pesquisa de campo. há um acúmulo de serviço muito grande devido a uma série de fatores. quatro se enquadram em um nível leve e quinze Escrivãs se encontram com elevado grau de estresse. um se encontra no nível normal.

Essa média foi calculada somando-se os expedientes encontrados em andamento nos cartórios visitados e. 1. sem conseguir concluí-Ias. à falta de pessoal para auxiliá-lo e. capas para autuação de inquéritos.:. Tal fato não se dá sempre por falta de organização ou mesmo competência na execução das atividades. os m'otivos que os Escrivães têm em comum para justificarem o acúmulo de serviço. A partir de uma estatística aproximada. bem como a falta de equipamentos como computadores. caberia a responsabilidade sobre quatrocentos e noventa Jlxpedientes. o que realmente é muito pouco diante da grande demanda de serviço. constatando-se o grande volume de serviço em todos os cartórios visitados. cartuchos para impressoras. papel. ou seja. sobre os quais tecemos algumas considerações: em primeiro lugar. em Belo Horizonte. como formulários.' Abarcando também a totalidade dos entrevistados. principalmente devido à imprevisibilidade de ocorrência do fato delituoso. sendo obrigado a começar inúmeras outras que. o Escrivão 8elohorizontino também reclama da precariedade de suas instalações. Concomitantemente à questão da falta de recursos técnicos. dividindo-se o total pelo número de profissionais entrevistados. a todo momento. mencionadas pela lei. Terminado o expediente. etc. o que. impressoras. foram listados no GRÁF. canetas. sem dúvida prejudica. Outra questão pontual é o que se entende como falta de recursos técnicos. Entenda-se por expedientes todas as tarefas listadas na TAB. Os Escrivães da capital que foram. ao passo que 53% dos entrevistados estão muito bem instalados. o problema do acúmulo de atribuições para o profissional cartorário é uma queixa comum. no tocante à simetria percentual dos dois grupos: 47% estão prejddicados em relação às suas instalações. clipes. e muito. Em todo o Estado são aproximadamente mil e quatrocentos apenas e. O Escrivão inicia uma tarefa e não tem condições de encerrá-Ia. 1. realizada durante as entrevistas. entrevistados se dividem em dois grupos quase simétricos percentual mente: 54% estão bem servidos em seus cartórios. excetuando-se a função de Chefe de cartório. concluiuse que para cada escrivão de polícia da capital mineira. . com edificações insalubres e com grande poluição sonora. que são as próprias da função específica do Escrivão de Polícia. Em seguida. Esse fator chamounos a atenção igualmente. um número perto de quatrocentos e oitenta. Durante o trabalho de campo constatou-se por vezes esta situação. ). sem exceção. móveis diversos e utensílios.. grampeadores.60 Escrivães nas Delegacias de Polícia de Belo Horizonte. encontra-se com várias atividades iniciadas e deixadas pelo meio do caminho. lhe são solicitadas. 100% dos Escrivães entrevistados queixam-se sobre o reduzido número de profissionais constante da carreira de Escrivão de Polícia da Secretaria de Estado da Defesa Social. enquanto 46% ainda labutam com toda sorte de improvisações. a falta de materiais de primeira necessidade nos cartórios. mas realmente devido à grande quantidade de atribuições. o desempenho de qualquer profissional.

20% em um nível leve. motivação e incentivo por parte. em um nível grave estão 75% dos Escrivães. ficou claro que mesmo se todos aqueles que se encontram desempenhando atividades totalmente alheias à função específica assumissem o preenchimento das lacunas existentes nos cartórios das Delegacias de Polícia. tendo em vista que estando alheio às atividades específicas de sua classe.. quanto aos Escrivães. a partir de uma concreta socialização. desencadeadores do estresse. constante do GRÁF. após a aplicação de um teste de diagnóstico de estresse em alguns profissionais que se dispuseram a preencher o formulário (em torno de 58%). passar por uma nova aprendizagem na Academia de Polícia Civil de Minas Gerais.. Assim sendo." (sic). vez que. Perguntados a respeito do cansaço. No caso do profissional do sexo masculino. quando saio da delegacia depois de um dia de trabalho. para mais de 80% dos entrevistados é este mais um fator de degradação do trabalho cartorário. apesar do cansaço. para a má qualidade do serviço prestado à sociedade. de tais atividades.. se caso esta situação permaneça inalterada. sem embasamento técnico-científico e deve levar~se em consideração que o número de Escrivãs é maior do que o número de Escrivães. Todos os entrevistados concordam que ajudaria. num curto espaço de tempo a carência de pessoal aumentará ainda mais. é necessário o empenho desses profissionais nesse sentido. e preocupantes 75% encaixam-se no nível grave. "Quase sempre. obtivemos uma resposta desalentadora. devendo antes. não só da instituição. decorrentes do excesso de trabalho. após a constatação de que a maioria dos Escrivães entrevistados se encontram com níveis elevados de estresse.61 Grande parte dos Escrivães concorda que a falta de entrosamento e integração entre os profissionais de unidades policiais diferentes também concorre. No que diz respeito à prática de atividades alheias à função específica. não terá o domínio e a desenvoltura. 2. o chamado "desvio de função". Temos casos em que Escrivães de Delegacias de Polícia vizinhas sequer se conhecem. declaração de um entrevistado durante o trabalho de campo. Por conseguinte. Porém. 87% se dizem estressados. da motivação e do incentivo. não tenho disposição para mais nada na vida . assim que retornar à execução das mesmas. É compartilhada por todos a falta de tempo e disposição para se ocupar. sobremaneira. pode-se inferir que. isto é. os resultados negativos foram ratificados: 5% das Escrivãs se enquadram em um nível normal de estresse. nos níveis normal e leve encontram-se 12. como também da sociedade. pOder-se-á alcançar maior valorização. necessários para o cumprimento das atribuições. desânimo e/ou desinteresse que porventura estariam submetidos. . mas não resolveria.5% em cada um. Aliada a este problema ainda há a questão da recapacitação do profissional desviado. sintomas estes. E abrangendo esse tema da valorização profissional. 76% das Escrivãs entrevistadas crêem que estão estressadas e. e novamente. não seriam capazes de reduzir a carga laboral para um nível aceitável. Essa é uma percepção do senso comum.

mas. do mesmo modo. assim como foi verificado. Não obstante à elaboração do inquérito policial. analogia com a iniciativa privada. ter a almejada "qualidade total". o vemos como peça fundamental para o cumprimento da missão da Polícia Civil. numa análise comparativa com os salários da maioria dos trabalhadores da iniciativa privada. Finalmente. Sendo assim. não obstante. pois. acredito ser um fator muito positivo a grande maioria dos escrivães manifestar satisfação e gosto pelo ofício. Apesar das enormes .62 Ao considerar a satisfação profissional do Escrivão de Polícia da capital mineira. E vale lembrar que. rechaçam insistentemente o acúmulo de atribuições. menciona certo descontentamento em relação à remuneração financeira. E na capital mineira não é diferente . devendo.. dos fatos concretos. o Delegado de Polícia. o Escrivão de Polícia tem uma importância fundamental. cerca de 20%. é um dos pilares que sustenta a prática cartorária na instituição de acordo com a verifica. Um percentual menor. não poderia deixar de mencionar que o aumento exacerbado da criminal idade é muito maior que o crescimento e desenvolvimento dos órgãos de segurança pública do estado brasileiro. o volume excessivo de trabalho e a baixa valorização profissional. portanto. com a excelência desse instituto jurídico a Polícia Civil prima pela colaboração ao justo cumprimento da lei. de maneira que possa ser compreendido com a maior proximidade possível. principalmente para o de Perito Criminal. concluímos referenciando-o. justifica-se o propósito dessa pesquisa: comprovar o acúmulo de serviço e o grau de prejuízo desse acúmulo gerado no desempenho do profissional dos cartórios das Delegacias de Polícia. ao Escrivão de Polícia ainda se atribuem diversas outras responsabilidades que o sobrecarregam. Nesse ponto.. alegam não estar tão decepcionados com esta questão. pois é ele que dará a forma e apresentará o conteúdo do inquérito presidido pela autoridade policial. numa simples.çãô acima. Valeu constatar a vontade e a disposição da maioria em também encontrar alternativas para alcançar melhores condições de trabalho. Essa postura. Apesar de haver constatado junto aos entrevistados. e os órgãos de segurança pública? Acompanham a veloz marcha da criminal idade? CONCLUSÕES E SUGESTÕES Iniciamos esse estudo discorrendo sobre a importância do Inquérito para a instituição policial e. todavia. sem dúvida. que aproximadamente 31 % deles prestaram concurso para o cargo tentando fazer apenas uma "ponte" para outros cargos. Os outros 83% alegam estar satisfeitos e gostarem muito das prerrogativas funcionais do cargo. de Belo Horizonte. apenas 17% demonstraram relativo grau de insatisfação com a profissão.

de conjunto e união em torno do mesmo ideal. pois tudo tem acontecido de modo muito rápido e. aos afastamentos. é preciso acompanhar a marcha da história. consoante reformulação pelo projeto da nova Lei Orgânica da Polícia Civil. as perspectivas de elevação são evidentes. sem contar a interferência na qualidade do serviço. Demonstrou-se que o acúmulo não está relacionado com o desvio de função. O resultado obtido chama a atenção para a necessidade urgente de-reversão deste quadro. apenas de menção a respeito do homem e da mulher constituintes dessa família. . Devemos a cada dia valorizar mais e mais o ser humano que compõem nossas fileiras. Reafirmo a necessidade de preparação. às licenças médicas. E no tocante ao desvio de função. O profissional estressado está muito mais suscet[vêl aos graves problemas de saúde. de integração. acreditamos que a partir da realização de concursos públicos para as carreiras administrativas de apoio logístico. também demonstrar a realidade do árduo trabalho do escrivanato Belo-Horizontino que se evidenciou quando da avaliação do nível de estresse dos entrevistados. senão com o déficit de recursos humanos. de valorização. bem como se colocar à frente da criminalidade. pois 75% dos Escrivães de Polícia entrevistados possuem curso superior completo ou em curso.63 dificuldades. gradualmente. possam. Ao concluir este estudo. A partir dessa pesquisa. E foi possível. sobretudo. sobretudo nesse momento de renovação ainda que lenta. ou mesmo. no que diz respeito à preparação pessoal. surgir novas iniciativas de estudo. mas gradativa. enfatizamos a importância do momento que se vive na Instituição. o problema será extinto.