You are on page 1of 4

LEI ESTADUAL DE INCENTIVO À CULTURA

Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, nos termos do inciso


XXIV do Artigo 99 da Constituição Estadual, promulga a Lei no 1954, de 26 de Janeiro
de 1992, oriunda do Projeto de Lei no 324, de 1991.

Lei no 1954, de 26 de Janeiro de 1992

Dispõe sobre a Concessão de Incentivos Fiscais para a realização de projetos Culturais e


dá outras providências.

Art. 1o - Fica concedido incentivo fiscal à empresa, com estabelecimento situado no


Estado do Rio de Janeiro, que intensifique a produção cultural, através de doação
ou patrocínio.

§ 1o O incentivo fiscal de que trata o caput deste artigo corresponde a 2% (dois por
cento) do ICMS a recolher em cada período para doação ou patrocínio de produções
culturais de autores e intérpretes nacionais, e 1% (um por cento) para patrocínio de
produções culturais estrangeiras.

§ 2o O desconto só terá início após o segundo mês da data da realização do pagamento


dos recursos empregados no projeto cultural pela empresa incentivada e findará quando
o total dos abatimentos corresponder ao total investido.

Art. 2o São abrangidas por esta Lei as seguintes áreas:

I - Música e Dança;

II - Teatro e Circo;

III - Artes plásticas e artesanais;

IV - Folclore e Ecologia;

V - Cinema, Vídeo e Fotografia;

VI - Informação e Documentação;

VII - Acervo e Patrimônio histórico-cultural;

VIII - Literatura;

IX - Esportes profissionais e amadores, desde que federados

Art.3o - O pedido de concessão do crédito presumido será apresentado pela


empresa patrocinadora na Secretaria de Estado de Economia e Finanças que
regulamentará a presente Lei no prazo de 60 (sessenta) dias, contados a partir de
sua publicação.
§ 1o O perdido será indeferido de plano se o contribuinte estiver em débito com o
Estado.

§ 2o Fica vedada a utilização do incentivo fiscal em relação a projetos de que sejam


beneficiários a própria empresa incentivada, seus sócios ou titulares e suas coligadas ou
controladas.

§ 3o A vedação prevista no parágrafo anterior se estende a ascendente, descendente em


primeiro grau, o cônjuges e companheiros dos titulares e sócios.

§ 4o Para poder utilizar os benefícios desta Lei, a empresa patrocinadora deverá


contribuir com parcelas equivalentes a no mínimo 50% (cinqüenta por cento) do
desconto que pretende realizar, na forma que for definida pelo Poder Executivo.

§ 5o Após o deferimento ser concedido pela Secretaria de Estado de Economia e


Finanças, será o projeto encaminhado ao órgão competente da Secretaria de Estado e
Cultura, Secretaria de Estado e Meio Ambiente e projetos Especiais ou da Secretaria de
Estado de Esportes e Lazer, de acordo com a área pertinente, para que se manifestem
com relação à adequação do projeto às áreas de abrangência definidas no artigo 2o desta
Lei e sobre os custos de cada item face aos padrões correntes do mercado.

Art.4o - Fica obrigatória a apresentação do projeto cultural no Estado do Rio de


Janeiro.

Art.5o - A empresa que se aproveitar indevidamente do benefício de que se trata


esta Lei, por concluio ou dolo, estará sujeita a multa correspondente a 2 (duas)
vezes o valor do crédito presumido.

Art.6o - esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as


disposições em contrário, especialmente a Lei no 1708 de 1990.

Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, 12 de Janeiro de 1992

DECRETO DE REGULAMENTAÇÃO DA LEI 1954

Este é um resumo. Mais informações referentes a Lei 1954, sua Regulamentação e


entrega de formulários na Secretaria de Estado de Cultura e Esporte, na Av. Nilo
Peçanha, No11 - Castelo ou na FUNARJ na Rua da Assembléia, No10, 7oandar

DECRETO No20074 DE 15 DE JUNHO DE 1994

Regulamente a concessão de incentivos fiscais para realização de projetos culturais a


que se refere a Lei 1954, de 26/01/92.

GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de minhas atribuições


legais e tendo em vista o que consta do Processo No E - 12/2379/94, DECRETA :

Art.1o - O incentivo fiscal concedido pela Lei no 1954, de 26 de Janeiro de 1992,


tem por objetivo o patrocínio ou mecenato da produção cultural.
§ 1o Considera-se produção cultural o ato e o efeito de produzir, criar, gerar, elaborar e
realizar eventos de natureza artística; as edições; os seminários e pesquisas; e, ainda as
bolsas de estudo e as modalidades de acesso da população à cultura.

§ 2o Incluem-se nos benefícios deste decreto as produções independentes, desde que o


produtor não seja empresa concessionária de serviço de radiodifusão e cabodifusão de
som ou imagem, para qualquer tipo de transmissão ou entidade a esta vinculada, nas
áreas de produção audiovisual, fonográfica ou fotográfica, nem detenha,
cumulativamente, as funções de distribuição ou comercialização da obra ou fabricação
de qualquer material destinado à sua produção.

§ 3o O incentivo fiscal de que trata o caput corresponde a 2% (dois por cento) do ICMS
a recolher em cada período para doação ou patrocínio de produção cultural de autor e
intérprete nacionais e a 1% (um por cento) para a de produção cultural estrangeira.

§ 4o Para poder utilizar o benefício a que alude o caput deste artigo, a empresa
patrocinadora ou doadora deverá contribuir com parcela equivalente a, no mínimo 50%
(cinqüenta por cento) do desconto que pretende realizar.

Art. 2o - Os agentes culturais deverão encaminhar seus projetos à secretaria de


Estado de Cultura para a Obtenção do Certificado de Aprovação de Projeto, cujo
modelo será instituído por ato do titular da Pasta.

Parágrafo único - Os agentes culturais de outros Municípios poderão encaminhá-los


através das Secretarias Municipais de Cultura ou de suas Prefeituras Municipais.

Art. 4o - O incentivo fiscal será requerido pela empresa doadora ou patrocinadora


à Inspetoria Seccional de Fiscalização da Secretaria de Estado de Economia e
Finanças de sua jurisdição.

§ 1o O processo de Aprovação do Projeto emitido pela Secretária de Estado de Cultura;

I - Certificado de Aprovação do Projeto emitido pela Secretaria de Estado de Cultura;

II - Valor da doação ou patrocínio;

III - Identificação do contribuinte beneficiário;

IV - Identificação do beneficiário;

V - Autorização expressa do autor da obra;

VI - Especificação da área cultural beneficiária; e

VII - Declaração de que o incentivo fiscal pleitado será proporcional à doação ou


contribuição a que se refere o parágrafo do Art.1o deste decreto.

§ 2o Estando o beneficiário em débito com o Estado, seu pedido será indeferido de


plano pelo Inspetor Seccional de Fiscalização.
Art. 5o - Preenchidos os requisitos legais, o processo será remetido, no prazo de 10
(dez) dias, ao Gabinete do Secretário de Estado de Economia e Finanças para decisão da
utilização do incentivo.