You are on page 1of 74

ESQUIZOFRENIA

ESQUIZOFRENIA A esquizofrenia é caracterizada por perturbações no pensamento que extravasam e afetam os processos perceptivos, sociais e emocionais.

ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Pensamento Irracional: Delírios (são crenças falsas, baseada em inferência incorreta sobre a realidade externa, que são sustentadas mesmo que estejam claramente fora da realidade). Afrouxamento nas idéias.

. nas relações sociais e nos cuidados pessoais.ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Deterioração do Comportamento Adaptativo: A esquizofrenia geralmente envolve uma notável deterioração na qualidade das funções sociais de uma pessoa no trabalho.

ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Percepção Distorcida: Alucinações (são percepções sensoriais falsas. a qual é aceita pelo paciente como verídica). não associadas a estímulos reais externos. .

. Exibir respostas emocionais inapropriadas.ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Emoção Perturbada: Pouca sensibilidade emocional.

apatia. recolhimento social. atenção debilitada e pobreza de discurso. . auto-higiene pobre.ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Os sintomas negativos (ou deficitários) incluem déficts comportamentais. como embotamento afetivo.

como delírios. . comportamento bizarro e idéias desordenadas. ilusões. alucinações.ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Os sintomas positivos (ou produtivos) envolvem excessos e peculiaridades comportamentais.

ESQUIZOFRENIA: SINTOMAS GERAIS Os paciente que tendem a ter principalmente sintomas positivos respondem muito bem ao tratamento. .

INÍCIO DA ESQUIZOFRENIA .

DESENVOLVIMENTO DA ESQUIZOFRENIA .

ESTÁGIO FINAL DA ESQUIZOFRENIA .

LOUIS WAIN (1860-1939) A imagem não pode ser exibida. poderá ser necessário excluir a imagem e inseri-la nov amente. . Se ainda assim aparecer o x v ermelho. Talv ez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talv ez ela esteja corrompida. Reinicie o computador e abra o arquiv o nov amente.

Aos 57 anos. cartões-postais. Wain. etc. desde jovem. artista plástico europeu.As figuras desta página são de Louis Wain. costumava pintar retratos de gatos para calendários. albuns. . sua vida e sua arte apresentavam sintomas de psicose.

tomou uma forma ameaçadora. Reveladores de seu estado psicótico são os olhos dos gatos. Os retratos dos gatos que pintava.Passou os últimos 15 anos da vida em instituições psiquiátricas. mesmo num de seus primeiros desenhos desta fase (imagem do gato branco). . que miram fixamente com hostilidade.

Outro sinal é a fragmentação do corpo. .O psicótico geralmente acha que o mundo crava nele olhares hostis. As imagens do corpo sofrem uma estranha transformação na psicose e quase sempre são representadas com distorção.

.

.

.

.

.

.

.

.

. persiste por toda a vida e afeta pessoas de todas as classes sociais. O início da esquizofrenia antes dos 10 anos ou após os 60 anos é extremamente raro.ESQUIZOFRENIA A esquizofrenia inicia-se antes dos 25 anos de idade.

Os homens tem mais sintomas negativos do que as mulheres.ESQUIZOFRENIA A esquizofrenia é igualmente prevalente em homens e mulheres. sendo que o início é mais precoce nos homens (entre os 10 e 25 anos) do que nas mulheres (entre 25 e 35 anos). .

ESQUIZOFRENIA O diagnóstico da esquizofrenia baseia-se fundamentalmente na história psiquiátrica e no exame do estado mental do paciente. Parentes biológicos em primeiro grau tem um risco 10 vezes maior de desenvolver a doença do que a população em geral. .

.ETIOLOGIA Modelo do diátese-estresse uma pessoa pode ter uma vulnerabilidade específica (diátese) que. permite que os sintomas da esquizofrenia se desenvolvam. quando influenciada por um estressor.

o córtex frontal. o cerebelo e os gânglios basais associada a estressores ambientais e sociais.ETIOLOGIA Neurobiologia refere-se a uma lesão neuropatológica no cérebro envolvendo o sistema límbico. .

glutamato e neuropeptídeos. gaba. .ETIOLOGIA Neurobiologia hipótese da dopamina a esquizofrenia resulta do excesso de atividade dopaminérgica. noradrenalina. Neurobiologia outros neurotransmissores serotonina.

NEUROTRANSMISSORES Serotonina Dopamina Noradrenalina GABA Glutamato .LIBERAÇÂO DE NEUROPEPTÍDEOS.

ETIOLOGIA Neurobiologia neuropatologia anormalidades neuropatológicas ou neuroquímicas principalmente no sistema límbico e nos gânglios basais. .

ETIOLOGIA Neurobiologia neuropatologia sistema límbico pacientes esquizofrênicos apresentaram diminuição do tamanho da região. incluindo a amígdala. o hipocampo e o giro para-hipocampal. .

ETIOLOGIA Neurobiologia neuropatologia gânglios basais e cerebelo seriam responsáveis pelos movimentos bizarros exibidos por pacientes esquizofrênicos, como a marcha desajeitada, caretas e estereotipias.

ETIOLOGIA Neurobiologia neuroimagens tomografia computadorizada produziram os primeiros e mais convincentes dados acerca da constatação de que a esquizofrenia é uma doença cerebral.

ETIOLOGIA Estudos com TC demonstraram que o cérebro desses pacientes tem aumentos nos ventrículos laterais e no terceiro ventrículo e alguma redução do volume cortical. Contudo, seu uso no diagnóstico da esquizofrenia é limitado.

.ETIOLOGIA Neurobiologia neuroimagens ressonância magnética estudos mostraram que os volumes do complexo hipocampo-amígdala e do giro para-hipocampal são reduzidos em pacientes com esquizofrenia.

bem como a diminuição do fluxo sanguíneo nos lobos occipitais. .ETIOLOGIA Neurobiologia neuroimagens ressonância magnética funcional estudos mostraram diferenças na ativação do córtex sensório-motor entre pacientes com esquizofrenia e sujeitos normais.

.ETIOLOGIA Fatores genéticos pesquisas sugerem que a influência genética é mais decisiva do que a ambiental no transtorno esquizofrênico.

PREVALÊNCIA DA ESQUIZOFRENIA POPULAÇÃO PREVALÊNCIA (%) População geral Irmão não-gêmeo de um paciente com esquizofrenia Filho com um dos pais esquizofrênico Gêmeo dizigótico de um paciente com esquizofrenia Filho de dois pais com esquizofrenia Gêmeo monozigótico de paciente com esquizofrenia 1 8 12 12 40 47 .

tenha seu curso afetado pelo estresse psicossocial. é provável que assim como outras doenças. .ETIOLOGIA Fatores psicossociais se a esquizofrenia é uma doença do cérebro. mesmo porque a terapia medicamentosa sozinha raramente é suficiente para se obter uma melhora clínica.

ETIOLOGIA Fatores psicossociais teorias psicanalíticas a esquizofrenia é fruto de um defeito no ego que afeta a interpretação da realidade e o controle dos impulsos internos. tais como a sexualidade e a agressividade. . e é resultado de distorções na relação recíproca entre o bebê e a mãe.

Independente do modelo teórico. todas as abordagens psicossociais partem da premissa de que os sintomas psicóticos tem sentido na esquizofrenia. .ETIOLOGIA Fatores psicossociais teorias psicanalíticas a teoria psicanalítica postula que os vários sintomas da doença tem um sentido simbólico para cada paciente.

ETIOLOGIA Fatores psicossociais teorias da aprendizagem pacientes esquizofrênicos aprenderam reações e formas de pensar irracionais na infância imitando pais com problemas emocionais significativos. .

.DIAGNÓSTICO Os critérios de diagnóstico da esquizofrenia estão presentes tanto no DSM-IV-TR quanto na CID-10.

. tipo desorganizado.DIAGNÓSTICO: SUBTIPOS O DSM-IV-TR classifica os subtipos da esquizofrenia em: tipo paranóide. tipo indiferenciado e tipo residual. tipo catatônico.

esquizofrenia catatônica. esquizofrenia indiferenciada. esquizofrenia hebefrênica. esquizofrenia simples. depressão pósesquizofrênica. outra esquizofrenia e esquizofrenia não especificada. esquizofrenia residual. classifica os subtipos da esquizofrenia em: esquizofrenia paranóide.DIAGNÓSTICO: SUBTIPOS JÁ a CID-10. .

TIPO PARANÓIDE A esquizofrenia paranóide é dominada por delírios ou alucinações auditivas de perseguição juntamente com delírios ou alucinações de grandeza. Seu início ocorre em idade mais avançada – no final da segunda ou terceira década de vida. .

TIPO PARANÓIDE Esses pacientes tendem a ser tensos. mas também são capazes de se comportar adequadamente em algumas situações sociais. desconfiados. Sua inteligência nas áreas que não são invadidas pela psicose tende a permanecer intacta. . reservados e às vezes hostis ou agressivos.

caracteriza-se por uma regressão acentuada para um comportamento primitivo. desinibido e desorganizado. Seu início costuma ser precoce. antes dos 25 anos de idade. .anteriormente denominada hebefrenia.TIPO DESORGANIZADO Na esquizofrenia desorganizada.

incoerência freqüente e praticamente total recolhimento social.TIPO DESORGANIZADO Na esquizofrenia desorganizada observa-se uma deterioração particularmente severa do comportamento adaptativo. . Os sintomas mais importantes incluem indiferença emocional.

TIPO DESORGANIZADO Sua aparência pessoal é desleixada e o comportamento social e as respostas emocionais são inadequadas frequentemente explodindo em risos sem qualquer razão aparente.Sorrisos e caretas incongruentes também são comuns nesses pacientes. . cujo comportamento pode ser melhor descrito como tolo ou insensato.

TIPO CATATÔNICO A esquizofrenia catatônica é marcada por perturbações motoras notáveis. . desde rigidez muscular até atividade motora aleatória.

.TIPO INDIFERENCIADO Quando os pacientes são claramente esquizofrênicos. mas não podem ser enquadrados nos subtipos acima.

TIPO RESIDUAL O tipo residual da esquizofrenia caracteriza-se por evidências contínuas de transtorno esquizofrênico na ausência de um conjunto completo de sintomas ativos ou de sintomas suficientes para satisfazer o diagnóstico de um outro tipo de esquizofrenia. .

embora seu significado seja reconhecido apenas retrospectivamente.CURSO Um padrão pré-mórbido de sintomas pode ser a primeira evidência da doença. .

.CURSO Em geral. os sintomas iniciam na adolescência e são seguidos pelo desenvolvimento de sintomas prodrômicos (sintomas que antecedem uma doença. tal como o mal estar que antecede a gripe) dentro de um intervalo de dias a alguns meses.

e a síndrome prodrômica pode durar um ano ou mais antes do início de sintomas psicóticos manifestos. uso de substância ou a morte de um parente podem precipitar sintomas perturbadores. tais como mudar-se para cursar a universidade em outra cidade.CURSO Alterações sociais ou ambientais. .

o paciente se recupera de forma gradual e funciona de modo relativamente normal por um longo tempo. . Após o primeiro episódio psicótico.CURSO O curso clássico da esquizofrenia é de exacerbações e remissões.

Os sintomas positivos tendem a tornar-se menos graves com o tempo. mas os sintomas negativos ou deficitários socialmente debilitantes podem aumentar em intensidade.CURSO As recaídas são comuns. e o padrão da doença durante os primeiros cinco anos após o diagnóstico costuma indicar o curso do paciente. .

PROGNÓSTICO Diversos estudos mostraram que. com hospitalizações repetidas. . episódios de transtornos maiores de humor e tentativas de suicídio. e mais de 50% apresentam resultado pobre. ao longo de um período de 5 a 10 anos após a primeira hospitalização psiquiátrica por esquizofrenia. exacerbação de sintomas. somente cerca de 10 a 20% dos pacientes tem boa evolução.

Cerca de 20 a 30% continuam a apresentar sintomas moderados.PROGNÓSTICO 20 a 30% dos esquizofrênicos são capazes de levar vidas relativamente normais. e entre 40 e 60% permanecem comprometidos de forma significativa pelo transtorno durante toda a vida. .

incluindo a psicoterapia.TRATAMENTO Pacientes esquizofrênicos beneficiam-se com o uso combinado de antipsicóticos e tratamentos psicossociais. .

TRATAMENTO A hospitalização é indicada para fins diagnósticos. . para a estabilização da medicação e para a segurança do paciente em caso de ideação suicida ou homicida.

revolucionaram o tratamento da esquizofrenia. contudo. introduzidos no início da década de 1950.TRATAMENTO Farmacoterapia os medicamentos antipsicóticos. mas não curam a esquizofrenia. . tratam os sintomas do transtorno.

AÇÕES FARMACOLÓGICAS Farmacodinâmica é o campo da farmacologia que estuda os efeitos fisiológicos do medicamento no organismo – seu mecanismo de ação e a relação entre concentração do fármaco e efeito. podemos considerar farmacodinâmica como o estudo do efeito da droga nos tecidos. . De forma simplificada.

. mas sim as etapas que a droga sofre desde a administração até a excreção. Não se trata do estudo do seu mecanismo de ação (farmacodinâmica).AÇÕES FARMACOLÓGICAS Farmacocinética é o caminho que o medicamento faz no organismo.

.FARMACODINÂMICA O receptor para um medicamento é o componente celular ao qual o medicamento se liga e por meio do qual este inicia seus efeitos farmacodinâmicos no organismo.

. que inibe sua atividade biológica.FARMACODINÂMICA Um medicamento pode ser um agonista de um receptor e estimular a atividade biológica específica do receptor ou um antagonista.

.FARMACODINÂMICA O local do receptor para um medicamento psicofarmacologico costuma ser o receptor de um neurotransmissor.

.TRATAMENTO Os fármacos antipsicóticos incluem duas classes principais: antagonistas do receptor da dopamina (clorpromazina e haloperidol) e antagonistas da serotonina-dopamina (risperidona e clozapina).

. a auto-suficiência. as habilidades práticas e a comunicação interpessoal de pacientes esquizofrênicos.TRATAMENTO Terapias Psicossociais as terapias psicossociais incluem uma variedade de métodos para aumentar as habilidades sociais.

centros de saúde mental e hospitaisdia. Esses tratamentos são realizados em hospitais. . clínicas ambulatoriais.TRATAMENTO Terapias Psicossociais a meta é capacitar indivíduos com doença grave a desenvolverem habilidades sociais e vocacionais para uma vida independente.

OBRIGADA PELA ATENÇÃO!!! .