You are on page 1of 11

CONSTITUCIONALISMO

CONCEITO

Teoria que ergue o PRINCÍPIO DO GOVERNO LIMITADO indispensável a garantia dos direitos. Técnica específica garantísticos. de limitação do poder com fins

É uma TEORIA NORMATIVA DA POLÍTICA. ANDRÉ RAMOS TAVARES identifica quatro sentidos para o constitucionalismo: 1. Movimento político ARBITRÁRIO social que LIMITA O PODER

2. Existência de cartas constitucionais escritas 3. Função e posição das constituições nas diversas sociedades 4. Evolução histórico constitucional de um determinado Estado. EVOLUÇÃO HISTÓRICA A História da Europa pode ser dividida em quatro grandes eras. • Idade Antiga – até o século V – tomada do Império Romano do Ocidente pelos povos bárbaros – 476 d.C. • Idade Média – século V até o fim do Império Romano do Oriente, com a queda de Constantinopla no século XV – 1453; • Idade Moderna – 1453-1789 – REVOLUÇÃO FRANCESA

de 1701 Tanto a MAGNA CARTA de 1215. Constitucionalismo norte-americano CONTRATOS DE COLONIZAÇÃO . Constitucionalismo durante a Antiguidade Analisando a ANTIGUIDADE CLÁSSICA. de 1679 Bill of Rights. 2. Constitucionalismo durante a Idade Moderna: • • • • Petition of Rights de 1628 Habeas Corpus Act. São convenções entre o Monarca e os súditos concernentes ao modo de governo e às garantias dos direitos individuais.• Idade Contemporânea – 1789 até os dias atuais. Estabeleceu-se no Estado Teocrático limitações ao poder político ao assegurar os profetas a legitimidade para fiscalizar os atos governamentais. as CIDADES-ESTADO gregas como importante exemplo de democracia constitucional. de 1689 Act os Settlement. 4. 1. Constitucionalismo durante a Idade Média: Magna Carta de 1215.. na medida em que a DEMOCRACIA DIRETA consagrava a distribuição do PODER POLÍTICO. como o PETITION OF RIGHTS. 3. No século V a.C. são exemplos dos denominados PACTOS firmados durante a história constitucional inglesa. Karl Loewestein identificou entre os HEBREUS o surgimento do Constitucionalismo.

5. que é outro dos pilares da idéia de Constituição. fixaram por MÚTUO CONSENSO as regras porque haveriam de governar-se. o célebre COMPACT – 1620.Chegados à América. Constitucionalismo Contemporânea moderno – durante a Idade Destacam-se as CONSTITUIÇÕES ESCRITAS como documentos para conter o arbítrio decorrente do poder. os peregrinos puritanos. não encontrando na nova terra poder estabelecido. Movimento deflagrado durante o Iluminismo e concretizado como uma contraposição ao absolutismo reinante. Transparece aí a idéia de estabelecimento e organização do governo pelos próprios governados. por meio do qual se elegeu o POVO COMO O TITULAR LEGÍTIMO DO PODER. Dois são os marcos históricos: a Constituição norte-americana de 1787 e a francesa de 1791 – que teve como preâmbulo a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO de 1789. Na concepção do CONSTITUCIONALISMO LIBERAL podemos destacar os seguintes valores: • • • • Individualismo Absenteísmo estatal Valorização da propriedade privada Proteção do indivíduo . Desse modo se estabelecem as Fundamental Orders os Connecticut – 1639. imbuídos de igualitarismo. Firma-se assim pelos chefes de família a bordo do Mayflower.

6. Surgimento da idéia de proteção aos direitos de FRATERNIDADE ou SOLIDARIEDADE => DIREITOS DE TERCEIRA GERAÇÃO OU DIMENSÃO. Constitucionalismo contemporâneo TOTALITARISMO CONSTITUCIONAL Idéia de constituição programática. DIRIGISMO ESTATAL (o texto fixa regras para dirigir as ações governamentais) ==> DIRIGISMO COMUNITÁRIO=> CONSTITUCIONALISMO GLOBALIZADO (proteção aos Direitos Humanos). Destaca-se a idéia de Constituição Dirigente defendida por CANOTILHO. estabelecendo NORMAS PROGRAMÁTICAS – metas a serem atingidas pelo Estado. Perspectiva consagrada na CF/88. que tem como exemplo a CONSTITUIÇÃO DE 1988. Os textos sedimentam CONTEÚDO SOCIAL. . O Estado é chamado para evitar abusos. Evidencia-se o que a doutrina chamou de SEGUNDA GERAÇÃO DE DIREITOS que teve como documentos marcantes a Constituição do México de 1917 e a de Weimar de 1919 influenciando diretamente a Constituição brasileira de 1934 – ESTADO SOCIAL DE DIREITO. A concepção LIBERAL gerará concentração de renda e exclusão social. programas de governo.Esta perspectiva influenciou as Constituições brasileiras de 1824 e 1891.

1. Na visão de Carl Schimitt. vida democrática. 3. o que vai importar pra definirmos se uma norma tem caráter constitucional ou não será o seu CONTEÚDO. seria a decisão política do titular do poder constituinte. CLASSIFICAÇÕES. HISTÓRICO CONCEITO Existem várias concepções ou acepções a serem tomadas para definir o termo CONSTITUIÇÃO. Sentido político: Constituição só se refere a decisão política fundamental – estrutura e órgãos do Estado. em seu livro “O que é uma Constituição?”. direitos individuais. Sentido material e formal. 2.CONSTITUIÇÃO: CONCEITO. em razão de ser a CONSTITUIÇÃO produto de uma certa DECISÃO POLÍTICA. defendeu que uma Constituição só seria legítima se representasse o EFETIVO PODER SOCIAL. . Caso isto não ocorresse ela seria apenas uma FOLHA DE PAPEL. Do ponto de vista material. Segundo LASSALE. a Constituição é a somatória dos fatores reais do poder dentro de uma sociedade. Sentido sociológico: FERNDINAND LASSALE. refletindo as forças sociais que constituem o poder. pouco importando a forma que a norma foi introduzida no ordenamento.

política ou fiolosófica. seus órgãos. não mais nos interessa o conteúdo da norma. mas sim a forma como ela foi introduzida no ordenamento jurídico. por meio de um processo legislativo mais dificultoso. 4. constitucional será aquela norma que defina e trate das REGRAS ESTRUTURAIS DA SOCIEDADE. Quanto a origem: distinção entre Constituição e Carta Eles podem ser OUTORGADAS. Quando nos valemos do critério FORMAL. puro dever-ser. sem qualquer pretensão a fundamentação sociológica. diferenciado e mais solene. Nesse sentido. Constituição é considerada norma pura. PROMULGADAS. Outorgadas: São as constituições impostas de maneira unilateral pelo agente revolucionário (grupo ou governante) que não recebeu do povo a legitimidade. CLASSIFICAÇÃO 1. HANS KELSEN é o representante. de seus alicerces fundamentais: formas de Estado. . Caracteriza-a como fruto da vontade racional do homem. Sentido jurídico. Coloca a Constituição no mundo do DEVER SER e não no mundo do SER. CESARISTAS. governo.Assim. as normas constitucionais será aquelas introduzidas pelo poder soberano.

As constituições outorgadas recebem o apelido de CARTAS CONSTITUCIONAIS. VOTADA ou POPULAR.No Brasil as Constituição outorgadas foram as de 1824. 1946. 1891. Quanto à forma: Podem ser escritas ou costumeiras. a brasileira de 1988. 1937 (inspirada em modelo fascista. autoritária). Formada por plebiscito popular sobre um projeto elaborado por um Imperador (plebiscitos napoleônicos) ou um Ditador (plebiscito de Pinochet no Chile). É fruto do trabalho de uma ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE. Promulgada: DEMOCRÁTICA. . para em nome dele atuar. 1988. 2. 1934. Ex. A participação popular não é democrática pois visa ratificar a VONTADE DO DETENTOR DO PODER. eleita diretamente pelo povo. Exs. ESCRITA Constituição formada por um conjunto de regras sistematizadas e organizadas em um único documento. Cesarista: Não é outorgada mas tampouco é democrática. 1967.

Quanto ao conteúdo. motivo pelo qual são mais duradouras. Ex. Não traz as regras em um único texto solene e codificado.: Constituição americana.COSTUMEIRA Não escrita e consuetudinária. longa). breves. jurispurdência. costumes. . reconhecidos pela sociedade como fundamentais. básicas) ou ANALÍTICAS (amplas. 242. §2º. extensas. PAULO BONAVIDES observa que as Constituições concisas resultam numa maior ESTABILIDADE do arcabouço constitucional.: Constituição da Inglaterra. prolixas. Claro que tem emendas e é interpretada pela Suprema Corte. É formada por textos esparsos. Não descem as minúcias. largas. convenções. SINTÉTICAS: Seriam aquelas enxutas. da CF. sumárias. Art. ANALÍTICAS Abordam todos os assuntos que os representantes do povo entendem como importantes. veiculadoras apenas dos princípios fundamentais e estruturais do Estado. Quanto à extensão Podem ser SINTÉTICAS (concisas. Ex. baseia-se nos usos. sucintas. 3. 4.

mas buscar a eficácia da Constituição. servindo de ferramenta para a implementação de um Estado Democrático de Direito. os direitos e garantias fundamentais FORMAL: É aquela Constituição que elege como critério o processo de sua formação e não o conteúdo de suas normas. Qualquer regra nela contida terá o caráter de constitucional. NEOCONSTITUCIONALISMO A doutrina passa a desenvolver a partir do início do século XXI uma nova perspectiva denominada de NEOCONSTITUCIONALISMO. MATERIAL: Materialmente constitucional é aquele texto que contém as normas fundamentais e estruturais do Estado.Material e Formal. o O neoconstitucionalismo tem como uma de suas marcas a concretização das prestações materiais prometidas pela sociedade. . a organização de seus órgãos. Principais características: • • • • • Positivação de um catálogo de direitos fundamentais. A brasileira de 1988 é FORMAL. Ao constitucionalismo social deve ser incorporado constitucionalismo fraternal e de solidariedade. Onipresença dos princípios e das regras Inovações hermenêuticas Densificação da força nomrativa do Estado Desenvolvimento de Justiça Distributiva. Busca-se dentro dessa nova realidade não apenas atrelar o constitucionalismo à idéia de limitação do poder político.

CONSTITUCIONALISMO MODERNO Hierarquia entre as normas Limitação do poder NEOCONSTITUCIONALISMO Hierarquia entre as normas não apenas formal.Constituição como valor em si. marcada por uma intensa CARGA VALORATIVA. com os seus valores. passando a Constituição a ser o centro do sistema. . A lei e os poderes públicos devem estar em consonância com o espírito da Constituição. Concretização de direitos fundamentais. mas axiológica valor Concretização dos direitos fundamentais Pontos marcantes do NEOCONSTITUCIONALISMO: CONSTITUIÇÃO: • Centro do sistema • Norma jurídica – imperatividade e superioridade • Carga valorativa: axiológica – DIGINIDADE DA PESSOA HUMANA E DIREITOS FUNDAMENTAIS • Eficácia irradiante em relação aos poderes e aos particulares • Concretização dos valores constitucionalizados • Garantia de condições dignas mínimas ESTADO CONSTITUCIONAL DE DIREITO Supera-se a idéia de Estado Legislativa de Direito.

sobretudo no que diz respeito à promoção da DIGNIDADE HUMANA e dos DIREITOS FUNDAMENTAIS. e específicas: serviços de educação – arts. Opções políticas gerais: redução de desigualdades sociais – art. III. De que forma a soberania popular se manifesta? . 3º. ORDENAMENTO JURÍDICO E HIERARQUIA DAS LEIS QUESTÃO: 1. 23.CONTEÚDO AXIOLÓGICO DA CONSTITUIÇÃO A incorporação explícita de VALORES e opções políticas nos textos constitucionais. V e 205.