You are on page 1of 4

O direito do sócio retirar-se da sociedade limitada

(Eduardo Moreira Lustosa, advogado, especialista em processo civil e direito constitucional)

Questão recorrente no meio empresarial é a dúvida sobre o direito do sócio de sociedade limitada retirar-se da sociedade e sobre as disposições que regem o tema. O direito empresarial brasileiro está regulado, sobretudo, pela Lei n° 10.406 de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), em vigor desde 10 de janeiro de 2003, conforme disposto no art. 2.044 do mesmo, sem prejuízo da legislação esparsa sobre matérias específicas (podemos citar a Lei das S.A. – Lei n° 6.404/76). O Livro II, Título II, Subtítulo II, Capítulo IV, trata da sociedade limitada, a mais tradicional no meio empresarial. Por expressa disposição legal, constante do exposto no art. 1.053, as normas da sociedade simples são aplicadas à sociedade limitada nas omissões do capítulo, como ocorre nos casos, por exemplo, do direito de retirada da sociedade do sócio que dissentir sobre modificação do contrato, fusão ou incorporação (art. 1.077), da dissolução total da sociedade (conf. art. 1.087) e da resolução da sociedade em relação a um sócio, que nos interessa mais de perto, abaixo transcritas:
Lei n° 10.406 de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil) ... Parte Especial ... Livro II – Do Direito de Empresa ... Título II – Da Sociedade ... Subtítulo II – Da Sociedade Personificada ... Capítulo I – Da Sociedade Simples ... Seção V Da Resolução da Sociedade em Relação a um Sócio ... Art. 1.029. Além dos casos previstos na lei ou no contrato, qualquer sócio pode retirar-se da sociedade; se de prazo indeterminado, mediante notificação aos demais sócios, com antecedência mínima de sessenta dias; se de prazo determinado, provando judicialmente justa causa. Parágrafo único. Nos trinta dias subseqüentes à notificação, podem os demais sócios optar pela dissolução da sociedade.

Art. Fábio Ulhoa.. A retirada. Nos casos em que a sociedade se resolver em relação a um sócio. terá ele direito a receber o valor de suas quotas representativas do capital pelo correspondente valor patrimonial real. salvo acordo. seja por retirada voluntária. a “resolução da sociedade em relação a um sócio”) pode ser provocada. § 1°. ou estipulação contratual em contrário.2 E. se a sociedade de que participa é contratada com prazo indeterminado. a partir da liquidação. este é direito que o sócio pode acionar a qualquer tempo. o valor da sua quota. Relembrando. 176. 177. Manual de direito comercial: direito de empresa. verificada em balanço especialmente levantado. p. salvo disposição contratual em contrário. Para tanto. exceto na hipótese de retirada por justa causa de sociedade por prazo determinado. COELHO.1 E mais: A retirada de sócio também é causa de dissolução parcial da sociedade.ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado. A quota liquidada será paga em dinheiro. p. na maioria das vezes. que determina: Art. liquidar-se-á. a sociedade é obrigada a levantar um balanço especial na data da dissolução parcial. c) retirada de sócio. A melhor doutrina assim se manifesta sobre o tema: A dissolução parcial da sociedade (isto é. neste caso. com prazo de 60 dias. ou seja. f) liquidação da quota a pedido de credor de sócio. considerada pelo montante efetivamente realizado. O capital social sofrerá a correspondente redução. para espancar qualquer dúvida: Quando ocorrer a saída de sócio. pelo valor de sua participação no capital acrescido das reservas do patrimônio líquido. XX . em que será necessariamente judicial a dissolução.) Poderá operar-se judicial ou extrajudicialmente.031. e) falência de sócio. (grifei) 2 Ibidem.. no prazo de noventa dias. 20. 1. por: a) vontade dos sócios. ed. 2008. seja por exclusão. d) exclusão de sócio.. SP: Saraiva.. 1 . salvo se os demais sócios suprirem o valor da quota. à data da resolução. para que se providencie a alteração contratual. 5°. com base na situação patrimonial da sociedade. O direito do sócio de se retirar da sociedade encontra fundamento diretamente na Constituição Federal. (. § 2°.. fica condicionada apenas à notificação aos demais sócios. b) morte de sócio.

desenvolvimento nacional (art. e 170. p. DJ 23/04/2007 p. IV. Direito societário. por causas posteriores à sua retirada. caput). proteção da atividade empresarial e industrial (art. e 170. da sócia remanescente. caput. assegurada pelas instâncias ordinárias ao sócio excluído. Pretensão. 3 FIUZA. RETIRADA DE SÓCIOS. o negócio continua. Rel. Min. XXII. Min. arts. (STJ. após a saída do sócio retirante. 3°. 5°.A apuração dos haveres do sócio que se retira da sociedade não pode levar em consideração o sucesso ou o fracasso do empreendimento.3 O que a legislação buscou proteger (primariamente) foi o princípio da continuidade da empresa. Apuração de haveres. 252) RESP. XXII. . DJU 30/06/05) Agravo interno em recurso especial. 1°. II). Retirada do sócio. Agravo a que se nega provimento.221 / PR. 170. . (grifei) . Dissolução parcial de sociedade. de que seus haveres serão apurados e recebidos. tem como corolário o direito à fiscalização dos negócios da sociedade enquanto o respectivo processo não se ultima. 5°. Nancy Andrighi. uma vez a atividade empresarial gera riquezas e garante empregos. III) e que a Constituição assegura ainda outros valores que são melhores atendidos com a continuidade das atividades da empresa. Nancy Andrighi. Novo Código Civil comentado. Momento da apuração dos haveres. Min. AgRg no REsp 995475 / SP. que levaram o empreendimento à ruína. Rel. Não se pode perder de vista que a propriedade privada deve se ater aos conformes da função social (CF. Dissolução parcial de sociedade limitada por tempo indeterminado. 5°. Cesar e outros. (STJ. Rel. livre iniciativa (arts. Ari Pargendler.A data-base para apuração dos haveres coincide com o momento em que o sócio manifestar vontade de se retirar da sociedade limitada estabelecida por tempo indeterminado. direito de propriedade (arts. a que a perícia tome em consideração diversos furtos ocorridos no estabelecimento. DISSOLUÇÃO PARCIAL DE SOCIEDADE. A garantia. Momento. (STJ. dessa forma.com a finalidade de quantificar o valor patrimonial que deve ser reembolsado a crédito do sócio retirante ou excluído. XXIX). SOCIEDADE LIMITADA. Da jurisprudência sobre o tema destacamos: Direito societário. DISSOLUÇÃO PARCIAL. Agravo regimental não provido. 482. 2002. VIII). Resp 646. AgRg na MC 12341 / SP. SP: Saraiva. DJe 25/03/2009) COMERCIAL. Impossibilidade. como a busca do pleno emprego (art. mesmo com saída de um dos sócios. liberdade de associação (em relação aos membros remanescentes – art. XVII). 170. 5°. II). SUBSISTÊNCIA DA SOCIEDADE. Recurso especial.

seja ele majoritário ou minoritário. DJ 01/07/2005 p. REsp 406775 / SP. onde. o perito nomeado pelo juiz atua como vero liquidante. viabilizando a continuidade da atividade econômica. sendo adequada a liquidação por arbitramento.LIQUIDAÇÃO POR ARBITRAMENTO. tem direito líquido e certo a se retirar da sociedade. 1 . do valor de suas cotas. haja consenso. Rel. AUDIÊNCIA. Min. DISPENSA. 2 . 538.O tema relativo a dispensa da audiência determinada pelas instâncias ordinárias. É de se ressaltar que nada impede que os sócios estipulem o negócio de forma diferente. 3 . conforme apurado em balanço realizado especialmente para este fim.Recurso especial não conhecido. por envolver investigação probatória encontra óbice na súmula 7 do Superior Tribunal de Justiça.A simples retirada em decorrência de discórdia entre alguns sócios que. RSTJ vol. no entanto. salvo disposição contratual em contrário. ao fundamento de que os fatos estão demonstrados e a questão a ser apreciada é unicamente de direito. Fernando Gonçalves. 353 ) Conclusão Haja vista o exposto. fazendo jus ao pagamento em dinheiro. sem acarretar sua dissolução total (salvo em relação aos retirantes) não obriga a nomeação de um liquidante para apuração dos haveres e quitação dos retirantes. 198 p. (STJ. pelo valor correspondente ao patrimônio atual da sociedade. no prazo máximo de 90 dias. desde que. . não compromete o objetivo da sociedade. JULGAMENTO ANTECIPADO. em linhas gerais. por expressa disposição legal. o sócio. por óbvio.