You are on page 1of 2

O Castelo do Mal!

Aécio Flávio*

Muito tem se discutido sobre a violência em nosso Município e não é à toa. Valença tem números alarmantes e isso é fato. Nos jornais locais, nas rádios, na conversa do dia a dia, o assunto é esse. Sempre ouvi dizer que Valença era “terra de paz” – o próprio hino diz isso – lugar pacato e interiorano. Meus pais, meus avós, todos relembram com nostalgia desse tempo que parece que não mais retornará. No que tange a segurança pública, Valença tem um “divisor de águas” muito nítido: a implantação da unidade prisional no fim da década de noventa. É quase um consenso quando se pergunta isso. Ora, é evidente que os benefícios que o presídio trouxe não se comparam aos prejuízos a longo prazo. Não houve uma “contrapartida social”. Aqueles que achavam que um presídio traria mais segurança, mais emprego, mais renda, estavam enganados. Muitos políticos daquela época difundiram o discurso de “vai trazer melhorias para Valença” apenas para convencer a opinião pública da Cidade. Naquele tempo, ninguém tinha idéia do que poderia acontecer e por isso deram o voto de confiança ao grupo político que trouxe este “cavalo de tróia” e foi aí que a nossa “Odisséia” do caos começou a estabelecer-se. A era do terror começou a se manifestar. O "castelo do mal" havia chegado. Não é nossa intenção aqui “apontar o dedo” para imputar culpa a ninguém. Não. A intenção é buscar alternativas para resolvermos essa situação tão preocupante, tão desesperadora que se instalou no seio da família valenciana. Tenho absoluta certeza de que se for realizado um referendo nesta Cidade, a maioria esmagadora suplicaria para a imediata desativação dessa unidade prisional. Mas quem ganhou com a vinda do presídio, deixando nas mãos de poucos o futuro de Valença? A pergunta que não quer calar na boca de todo valenciano hoje é uma só: qual o impacto real do presídio não só para o Município de Valença mas também para toda a região do Baixo Sul? Em Valença, existem pessoas que lutam por dignidade e vivem com vontade e necessidade de vê-la segura, iluminada, pavimentada, em paz. Luta-se por uma quadra de esportes, por uma área de lazer, por uma sala de aula, por um posto de saúde, e até por médico. A justificativa do Governo é citar exemplos de outras comunidades que optaram por receber uma unidade prisional em troca de uma contrapartida social. Falou-se em escolas, praças, iluminação pública, e principalmente segurança. Falou-se nos benefícios do impacto social que um presídio traz ao local, por obras de melhoria na comunidade. Se presídio fosse bom, porque não construí-los em bairros de gente mais abastada, em condomínios de ricos?

* Funcionário Público. a qual. Não se considerou as especificações do MEC sobre proteção ao jovem estudante. Promessas essas que sempre elegem políticos que buscam o poder pelo poder.Durante estes anos em que o presídio foi implantado. Um presídio traz em volta de si um bolsão de problemas. Infelizmente. bacharelando em Direito e Cidadão Valenciano Endereço Eletrônico: http://kasamatta. Esperava-se sim que as administrações municipais que se sucederam. sem pensar na sua comunidade. Não houve contraproposta social ao impacto que um presídio traria à nossa comunidade. luta para dignificar o seu espaço. Portanto. Promessas de um progresso que não veio. ao longo de muitos anos. Não houve um estudo de impacto sócio/ambiental. as contrapartidas não passaram de vãs promessas políticas. cobrassem do Governo do Estado o que Valença precisa em troca do risco de se ter um presídio em seus domínios. Porém.blogspot. É essa a função de uma prefeitura: lutar pelos interesses do povo e aproveitar de toda e qualquer chance para tentar atrair investimentos. criou-se uma cadeia de tráfico que se formou em sua volta. graduado em Letras. Seria a grande chance das pessoas que deveriam cuidar dessa Cidade mostrarem a sua preocupação e mostrarem uma articulação clara e precisa em defesa dos menos favorecidos. dia apos dia. Não houve meta de melhoramentos. não houve planejamento. arduamente.com/ . está na hora de pararmos de nos contentarmos com pouco e buscarmos o que Valença realmente merece. estendendo-se até as portas das escolas.

Related Interests