You are on page 1of 5

FUNDAÇÃO FRANCISCO MASCARENHAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE PATOS

F U

N

D

A

Ç

Ã

O

F R

A

N

C

I S

C

O

M

A

S

C

A

R

E

N

H

A

S

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO, CURRÍCULO E ENSINO JOÃO PESSOA - PARAÍBA COORDENAÇÃO EDUCAR – CURSOS E CONSULTORIA
Componente Curricular: Currículo e Transversalidade da Educação Ambiental Carga horária: 45h/aula Professora responsável: Msc. Juliana Tavares AULA 1 – PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS E TRANSVERSALIDADE O que é  Parâmetros Curriculares Nacionais: origem de uma transformação positiva no sistema educativo brasileiro. Publicação: 1998, MEC-SEF.  PCN Ensino Médio: 2002, MEC/SEMTEC.  Anseio por construir referências nacionais comuns ao processo educativo em todas as regiões brasileiras, respeitando suas diversidades regionais, culturais e políticas. Elaborado por especialistas da educação e de outras áreas, instituições governamentais e não-governamentais.  Fundamentos: formação de cidadãos, imersão nos progressos científicos e avanços tecnológicos. Construção de referências nacionais que possam dizer quais os “pontos comuns” que caracterizam o fenômeno educativo em todas as regiões brasileiras.  Os PCNs propõem conhecimentos em função de  Sua importância social  Seu significado para os alunos  Sua relevância científico-tecnológica PCN - Ensino Fundamental – Introdução, pág.49  O termo “currículo”, por sua vez, assume vários significados em diferentes contextos da pedagogia. Currículo pode significar, por exemplo, as matérias constantes de um curso. Essa definição é a que foi adotada historicamente pelo

superando as limitações do ensino passivo. o debate. avaliar situações  Tomar decisões. Mas. Há planejamento integrado das experiências de aprendizagens ou interseções próprias entre campos que compartilham um mesmo objeto de estudo  Multidisciplinaridade: reune resultados obtidos mediante enfoque disciplinar  Transdisciplinaridade: enfoque holístico do conhecimento. visando o entendimento da ciência como construção histórica e como saber prático. Essa foi a concepção adotada nestes Parâmetros Curriculares Nacionais. pois é o professor que traduz os princípios elencados em prática didática. mas já é cidadão hoje e. atravessar transversalmente os conteúdos de todas as áreas ou disciplinas  Temas Transversais não são disciplinas. Currículo é um termo muitas vezes utilizado para se referir a programas de conteúdos de cada disciplina. assim. ter atuação positiva e crítica em seu meio social  Desenvolver atitudes e valores é tão essencial quanto o aprendizado de conceitos e procedimentos  É responsabilidade da escola e do profess@r promover o questionamento. viabilizar sua capacidade plena de exercício da cidadania Conceitos Importantes  Interdisciplinaridade: transfere métodos de algumas disciplinas para outras.Ministério da Educação e do Desporto quando indicava quais as disciplinas que deveriam constituir o ensino fundamental ou de diferentes cursos do ensino médio. identificando novos objetos de estudo. currículo pode significar também a expressão de princípios e metas do projeto educativo. conhecer as ciências é ampliar a sua possibilidade presente de participação social e desenvolvimento mental para. neste sentido. a investigação. mas devem perpassar todas as disciplinas em fun”cão de sua importância social  Os temas transversais serão introduzidos sempre que a lógica disciplinar permitir:  Tema: cultivo de plantas  Ambiente: como a planta relaciona o solo e a luz?  Ser Humano e Saúde: Existem plantas medicinais em nossa região?  Recursos Tecnológicos: Como fazer uma horta? . que precisam ser flexíveis para promover discussões e reelaborações quando realizado em sala de aula. Aplicabilidade  O aprendizado é proposto de forma a:  Propiciar aos alunos o desenvolvimento de uma compreensão do mundo que lhes dê condições de continuamente colher e processar informações  Desenvolver sua comunicação. perpassar. fundado na memorização de definições e de classificações sem qualquer sentido para o aluno  O estudante não é apenas o cidadão do futuro. que recupera as dimensões para a compreensão na integralidade  Transversalidade: capacidade de transitar.

1o Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais. atitudes e competências voltadas para a conservação do meio .Transversalidade: temas que integram as áreas convencionais de forma a estarem presentes em todas elas. saúde e orientação sexual passam a ser trabalhados na escola transversalmente aos conteúdos tradicionais  Mas. possibilitando aos alun@s o uso dos conhecimentos escolares em sua vida extra-escolar. conhecimentos. Temas Transversais: contextualização com o processo de ensino-aprendizagem em Ciências Naturais:  O currículo ganha flexibilidade. mas sim de que explicitem as relações entre ambas e as incluam como conteúdos de sua área. pluralidade cultural.  CAPÍTULO I  DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL  Art. Critérios para eleição dos temas transversais:  Urgência Social  Abrangência Nacional  Possibilidade de Ensino-Aprendizagem no Ensino Fundamental  Favorecimento à compreensão da realidade e a participação social Temas Transversais:  MEIO AMBIENTE  SAÚDE  ORIENTAÇÃO SEXUAL Tema Meio Ambiente:  Especificamente o tema Meio Ambiente busca  Desenvolver a percepção dos conhecimentos científicos como essenciais para o entendimento das dinâmicas da natureza – Educação Ambiental  Reconhecer o ser humano como parte integrante da natureza  O papel humano e sua ação frente às mudanças nas relações entre os seres vivos e a alteração dos recursos e ciclos naturais  Da compreensão dos desgastes ambientais como consequência do desenvolvimento econômico – discussão de bases para o desenvolvimento sustentável Lei 9795/99:  Dispõe sobre a educação ambiental. articulando a finalidade do conteúdo escolar com as questões sociais. pois os temas podem ser priorizados e contextualizados de acordo com as diferentes realidades locais e regionais  A inclusão de um núcleo de conteúdos reunidos sob a denominação geral de “Convívio Social e Ética”. relacionando-as às questões da atualidade. veja bem!!!  Não se trata de que professor@s das diferentes áreas devam parar sua programação para trabalhar os temas. institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. em que ética. habilidades. meio ambiente.

a abordagem articulada das questões ambientais locais.               . quando se fizer necessário.educação especial. em caráter formal e não-formal. em todos os níveis e em todas as disciplinas. é facultada a criação de disciplina específica. CAPÍTULO II DA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Seção II Da Educação Ambiental no Ensino Formal Art. considerando a interdependência entre o meio natural. em todos os níveis e modalidades do processo educativo. regionais. nacionais e globais. 2o A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional.a garantia de continuidade e permanência do processo educativo. VII . essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade. II .o pluralismo de idéias e concepções pedagógicas. democrático e participativo. b. V . ensino fundamental e c) ensino médio. devendo estar presente.          ambiente.educação superior. sob o enfoque da sustentabilidade. A educação ambiental será desenvolvida como uma prática educativa integrada. VIII .o enfoque humanista. de forma articulada. II . 10. educação infantil. VI . 9o Entende-se por educação ambiental na educação escolar a desenvolvida no âmbito dos currículos das instituições de ensino públicas e privadas.educação básica: a. Parágrafo único. englobando: I . § 1o A educação ambiental não deve ser implantada como disciplina específica no currículo de ensino. IV . extensão e nas áreas voltadas ao aspecto metodológico da educação ambiental. holístico.educação de jovens e adultos.educação profissional. 4o São princípios básicos da educação ambiental: I . Art. com o propósito de atender adequadamente ao cumprimento dos princípios e objetivos da Política Nacional de Educação Ambiental. Art. o sócio-econômico e o cultural. IV . multi e transdisciplinaridade. V .a permanente avaliação crítica do processo educativo. Os professores em atividade devem receber formação complementar em suas áreas de atuação.o reconhecimento e o respeito à pluralidade e à diversidade individual e cultural. Art. contínua e permanente em todos os níveis e modalidades do ensino formal. bem de uso comum do povo. o trabalho e as práticas sociais. na perspectiva da inter.a concepção do meio ambiente em sua totalidade. III . deve ser incorporado conteúdo que trate da ética ambiental das atividades profissionais a serem desenvolvidas. Art. 11. A dimensão ambiental deve constar dos currículos de formação de professores. § 3o Nos cursos de formação e especialização técnico-profissional. em todos os níveis. III . a educação. § 2o Nos cursos de pós-graduação.a vinculação entre a ética.

VII .a participação de empresas públicas e privadas no desenvolvimento de programas de educação ambiental em parceria com a escola. incentivará:  I . observarão o cumprimento do disposto nos arts.  VI . O Poder Público. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio Ambiente e Saúde: temas transversais. Entendem-se por educação ambiental não-formal as ações e práticas educativas voltadas à sensibilização da coletividade sobre as questões ambientais e à sua organização e participação na defesa da qualidade do meio ambiente.o ecoturismo.  III .  Seção III  Da Educação Ambiental Não-Formal  Art. 13. de programas e campanhas educativas.a sensibilização da sociedade para a importância das unidades de conservação. elaborada pelos professores Doutor Francisco José Pegado Abílio e Mestre Rafael Angel Torquemada Guerra. nas redes pública e privada. Lei 9. Referências  Apostila da disciplina Educação Ambiental.795 de 27 de abril de 1999. da universidade e de organizações nãogovernamentais na formulação e execução de programas e atividades vinculadas à educação ambiental não-formal.a difusão.  IV . 12. . 10 e 11 desta Lei.a sensibilização ambiental dos agricultores. a universidade e as organizações não-governamentais.  Brasil.a ampla participação da escola.  II . Secretaria de Educação Fundamental – Brasília. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. 1998. Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. PRODEMA-UFPB.  Diário Oficial.  V . em espaços nobres. Art. por intermédio dos meios de comunicação de massa.a sensibilização ambiental das populações tradicionais ligadas às unidades de conservação.  Brasil. e de informações acerca de temas relacionados ao meio ambiente. 1998. em níveis federal.  Parágrafo único. A autorização e supervisão do funcionamento de instituições de ensino e de seus cursos. Secretaria de Educação Fundamental – Brasília. estadual e municipal.