You are on page 1of 4

ESTRUTURA DAS PALAVRAS

As palavras possuem, via de regra, elementos significativos, que chamaremos de MORFEMAS

Poderíamos dividir, por exemplo, a palavra VENDÊSSEMOS da seguinte forma: VEND-Ê-SSE-


MOS. Portanto, a palavra possui quatro morfemas. Sabemos que é uma flexão do verbo
vender, pois possui o seu radical: vend; é da segunda conjugação, porque tem a vogal
temática e; trata-se do imperfeito do subjuntivo, pois apresenta a desinência modo-temporal
sse; finalmente, sabemos que está na primeira pessoa do plural, porque traz a desinência
número-pessoal correspondente: mos.

Assim explicado, estudemos todos os morfemas possíveis.

Radical
É o elemento que encerra a significação básica da família de palavras. E, portanto, o que se
repete nas palavras de um mesmo grupo lingüístico.
Ex.:
pedr a
pedr eira
pedr ada
em pedr ar
petr ificar
O elemento pedr é o radical de todas essas palavras. Elas constituem uma família de palavras,
ou palavras cognatas.

Às vezes, o radical (ou outro morfema qualquer) apresenta variantes, que recebem o nome de
alomorfes. É o que ocorre na última palavra: petr, ou seja, um alomorfe do radical.

Afixos
São elementos que se unem ao radical para criar novas palavras. Podem ser:
1) Prefïxos: antes do radical.
Ex.: infeliz, descrer, bisneto, refazer.

2) Sufixos: depois do radical.


Ex.: beleza, pedrada, amor, cheiroso, casinha, laranjal, cozinheiro.

Vogal temática
E a vogal que se une ao radical, constituindo com ele o tema da palavra
Ex.: casar
vogal temática: a
tema: casa

A vogal temática pode ser:


1) Nominal: quando se liga ao nome. Há três vogais temáticas nominais: A. E, O, quando
átonas e no final da palavra.
Ex.: folha, ponte, bolo.

Obs.: Se forem tônicas, farão parte do radical; da mesma forma, se se trata das vogais I e U.
Ex.: café, cajá, cipó, táxi, bônus.
R R R R R
2) Verbal: quando se liga ao radical de um verbo. Caracteriza as conjugações verbais.
Portanto, são três: A, E, I.
Ex.: cantar, beber, partir.

Quando conjugamos o verbo, a vogal temática geralmente se mantém.


Ex.: cantamos, beberei, partiam.
Também podem conservar-se em nomes derivados de verbos.
Ex.: salvação (de salvar), casamento (de casar).

Há casos em que a vogal temática aparece alterada (alomorfe da vogal temática). São eles:
1) No pretérito perfeito, 1ª conjugação, 1ª e 3ª pessoas do singular:
A passa para E; A passa para O.
Ex.: amei, amou.

2) No pretérito imperfeito, 2ª conjugação, todas as pessoas: E passa para I.


Ex.: vendia, vendias, vendia, vendíamos, vendíeis, vendiam.

3) No presente do indicativo, 3ª conjugação, 2ª e 3ª pessoas do singular e 3ª pessoa do plural: I


passa para E.
Ex.: partes, parte, partem.

4) No particípio, 2ª conjugação: E passa para I.


Ex.: vendido.

Importante
Alterada ou não, a vogal que aparece depois do radical é a vogal temática.
Isso não ocorre em dois casos:
1) Na primeira pessoa do singular do presente do indicativo: O (desinência número-
pessoal).
Ex.: ando, falo, brinco, ponho.

2) Em todo o presente do subjuntivo: A ou E (desinência modo-temporal)


Ex.: beba, queira, volte, estude.

Por isso se diz que o presente do subjuntivo é atemático, ou seja, não tem vogal temática.

Desinências
São elementos que indicam a flexão da palavra. Podem ser:
1) Nominais: quando se unem aos nomes, flexionando-os em gênero e número. São as
letras A (para o gênero) e S (para o número).
Ex.: menina (A - desinência nominal de gênero).

Livros (S - desinência nominal de número).

Obs.: Para alguns autores, o O do substantivo ou adjetivo também é desinência de gênero,


desde que haja oposição entre masculino e feminino. No entanto, há uma tendência maior, hoje
em dia, a classificar aquele O como vogal temática.

Ex.: lobo - loba.

O - vogal temática (ou desinência de gênero) A - desinência de gênero.


Nota: Em palavras como mares, flores etc., a letra E pode ser classificada como vogal
temática, e o S desinência de número. Para alguns, no entanto, ES é a desinência de número.

2) Verbais: unem-se aos verbos, flexionando-os em número, pessoa, tempo e modo. Assim
temos:
a) Desinências número-pessoais: as que aparecem depois das desinências modo-temporais
(quando estas existem) e indicam o número e a pessoa do verbo. São as seguintes:

1ª pessoa do singular: o, i (canto, amei)


2ª pessoa do singular: s, ste, es (andas, partiste, cantares)
3ª pessoa do singular: u (chorou)
1ª pessoa do plural: mos (louvamos)
2ª pessoa do plural: is, stes, des (falais, voltastes, olhardes)
3ª pessoa do plural: m, ram, em, o (vendem, compraram, gritarem, pedirão).

Obs.: Na primeira e na terceira pessoas do singular~ geralmente a desinência é zero (ø).

b) Desinências modo-temporais: as que aparecem depois da vogal temática, quando esta


existe, e se repetem em todas as pessoas, salvo os casos de alomorfia.
São as seguintes:
Presente do indicativo: não há. (ø).
Pretérito perfeito: não há. (ø).
Pretérito imperfeito: VA, VE (lª conj.); A, E (2ª e 3ª conjugações)
Pretérito mais-que-perfeito: RA, RE (átonas)
Futuro do presente: RA, RE (tônicas)
Futuro do pretérito: RIA, RIE
Presente do subjuntivo: E (1ª conj.); A (2ª e 3ª conjugações)
Imperfeito do subjuntivo: SSE
Futuro do subjuntivo: R
Infinitivo: R
Gerúndio: NDO
Particípio: D, S, T.

Exemplos
fal-o volt-a-va cheg-a-r
fal-a-s volt-a-va-s cheg-a-r-es
fal-a volt-a-va cheg-a-r
fal-a-mos volt-á-va-mos cheg-a-r-mos
fal-a-is volt-á-ve-is cheg-a-r-des
fal-a-m volt-a-va-m cheg-a-r-em

Observe que, no primeiro exemplo, não há desinência modo-temporal (presente do indicativo).


No segundo e no terceiro, o elemento que se repete depois da vogal temática é a desinência
modo-temporal (VA, VE e R). No final, alternando-se, aparecem as desinências número-
pessoais.

Finalmente, cabe aqui lembrar que as desinências do pretérito perfeito (i, ste, u, mos, stes,
ram) são número-pessoais. Alguns autores as consideram acumulativas, isto é, ao mesmo
tempo número-pessoais e modo-temporais. Errado é classificá-las somente como modo-
temporais.

Vogal e consoante de ligação


São elementos sem valor significativo que ligam dois outros morfemas, facilitando a pronúncia.
Ex.: gasômetro, alvinegro, pontiagudo, cafezinho, paulada, cafeteira.
Vistos, dessa forma, os morfemas, relacionamos abaixo os principais prefixos gregos e latinos
que possuem significação idêntica. Eis o quadro, que convém memorizar:

Gregos Latinos Significação Exemplos


a, an des, in negação anemia, descrer
anfi ambi duplicidade anfíbio, ambidestro
anti contra posição contrária antiaéreo, contrapor
apó ab, abs afastamento apogeu, abdicar
cata de para baixo catacumba, depenar
di bi, bis duas vezes digrama, biforme
diá, meta trans através; mudança diâmetro, metamorfose,
transformação
endo intra interno; para dentro endovenoso, intramuros
epi super, sobre posição acima epígrafe, superfície
eu bene bem, bom eufonia, benefício
hemi semi metade hemisfério, semideus
hiper super, sobre excesso hipertenso, superfino
hipo sub posição abaixo hipótese, subterrâneo
para ad proximidade paralela, adnominal
peri, anfi circum em torno de perímetro, circunver
poli multi, pluri multiplicidade polícromo, multiforme
pro ante, pre posição anterior prólogo, prefácio
sin cum reunião sinfonia, condomínio

Principais sufixos

GREGOS

• IA: ciência, técnica. (Geometria, Geologia, Astronomia)


• ISMO, ISTA: seita, doutrina. (socialismo, socialista)
• ISTA: profissão. (dentista, pianista)
• ITE: inflamação. (otite, pleurite)
• IZ(AR): ação causadora. (formalizar, realizar)
• OSE: doença. (esclerose, tuberculose)
• TÉRIO: lugar. (necrotério, batistério)

LATINOS

• ADA: ação ou resultado de ação. (paulada, facada)


• ADA: coleção. (boiada, papelada)
• AGEM: coleção. (folhagem, ramagem)
• AL: coleção. (bananal, laranjal)
• ANO, ÃO: naturalidade. (americano, romano, serrano, vilão)
• ÃO, ARÃO, ALHÃO: aumentativo (caldeirão, casarão, grandalhão)
• DADE: qualidade, estado. (lealdade, raridade)
• DOURO: lugar. (bebedouro, babadouro)
• EC(ER): ação que principia. (anoitecer, escurecer)
• EJ(AR): ação que se repete. (gotejar, apedrejar)
• ENSE, ÊS: naturalidade. (cearense, português)
• EZ, EZA: qualidade, estado. (nobreza, palidez)
• MENTE: modo. (facilmente, corajosamente)
• OR: agente. (pintor, cantor)
• UDO: cheio de. (peludo, barbudo)