APRENDENDO A PROJETAR 1ª PARTE

PRIMEIRA ETAPA Com o equipamento de desenho a mão, faça um rascunho do que será o projeto num papel qualquer. Lembre-se de prender o papel na prancheta conforme exemplo, antes de iniciar o desenho. Estando o rascunho pronto, inicie o projeto usando lápis ou lapiseira para desenho. Desenhe primeiro a fachada do móvel conforme exemplo 1 abaixo. Use o Escalimetro para definir as medidas. Use sempre a régua da prancheta para apoiar os esquadros conforme exemplo 4. A fachada deve conter os seguintes itens : - Topo ou borda das laterais. - Topo ou borda do tampo. - Topo ou borda do rodapé. - Topo ou borda das prateleiras. PERSPECTIVA Dando continuidade ao projeto, use os esquadros para criar uma perspectiva do objeto em questão, conforme exemplo 2. Observe a posição dos esquadros no exemplo 5. Acrescente todas as medidas possíveis ao desenho conforme exemplo 3. Você pode criar sombreamentos para melhorar o seu projeto exemplo 6 Anote todos os detalhes contidos no projeto em um papel separado.

Exemplo

Exemplo 1

Exemplo 2

Com ele nós podemos criar desenhos de projetos em uma escala menor ou maior. Agora veremos um pouco sobre alguns equipamentos usados em desenho de projeto. dentro das medidas e das .Exemplo 3 Exemplo 4 Exemplo 5 Exemplo 6 Na pagina Projetando 1ª parte. é uma das ferramentas mais importantes no desenvolvimento de um desenho de projeto. tivemos um resumo rápido sobre projeto de móveis. APRENDENDO A PROJETAR 2ª PARTE O Escalimetro ou régua tridimensional.

No Escalimetro podemos observar seis tipos de escala diferentes. Para saber mais sobre o Escalimetro. No Escalimetro mais comumente usado. Ex: 1:100 pode ser usado como 1:1 ou ainda 1:1000. PAGINAS RELACIONADAS: Projetando Trabalhando com Esquadros Trabalhando com Escalimetro Trabalhando com a Régua T Veja abaixo alguns equipamentos para que você possa começar a aprender executar projetos simples. EXEMPLOS DE EQUIPAMENTOS DE DESENHO JOGO DE ESQUADROS EM ACRÍLICO : Quanto mais tipos de formatos e ângulos diferentes. clique no link "Trabalhando com Escalimetro".Um por cinqüenta 1:75 . que podemos aumentar ou diminuir a escala conforme necessário.proporções necessárias.Um por vinte e cinco 1:50 .Um por vinte 1:25 . dependendo do caso.Um por cento e vinte e cinco Observe também.Um por setenta e cinco 1:100 . escala de redução ou escala de ampliação. porém. existem vários tipos de escalimetros. Tudo isso num único instrumento de medição de escalas. Podemos trabalhar com escala natural. JOGO De JOGO DE COMPASSOS: preferência com todos os assessórios DE RÉGUAS EM ACRÍLICO: ESCALIMETRO/RÉGUA TRIDIMENSIONAL RÉGUA "T" PRANCHETA PARA DESENHO . No Escalimetro podemos reduzir ou aumentar o desenho do objeto conforme se torne necessário. pode-se observar as seguintes escalas: • • • • • • 1:20 .Um por cem 1:125 . melhor. com vários tipos de escalas diferentes.

na régua paralela. Se for preciso.6 NANQUIM : . blocos de papel rascunho (para os esboços) e luminária de mesa (para evitar que a sombra da régua atrapalhe a visão). com os esquadros apoiados ou com a régua paralela. 0. Tenha o cuidado de manter os esquadros limpos para não sujar o desenho. Vamos começar vendo algumas posições de manuseio dos esquadros durante a realização de um desenho.4 e 0. Desenhando primeiro as verticais laterais. faça uso do transferidor para ajudar no cálculo dos ângulos. Serão necessários outros equipamentos tais como calculadora. . Agora iniciamos o desenho. régua paralela. Veja abaixo alguns equipamentos para que você possa começar a aprender executar projetos simples. dimensionando o objeto a ser projetado linhas O próximo passo é o de fechar a parte superior. PROJETANDO Com um pouco de prática e habilidade.Caso você queira desenhar em papel vegetal BORRACHA PARA APAGAR GRAFITE TRANSFERIDOR NORMÓGRAFO ( na imagem aparece a aranha do Normógrafo ). Nessa figura. como por exemplo régua T . Isso pode ser feito com uma régua simples. TRABALHANDO COM ESQUADROS Sempre use um apoio para os esquadros. perceba que o esquadro fica apoiado numa régua fixa ou no caso da prancheta de desenho. Use no mínimo dois esquadros de ângulos diferente para realizar os desenhos.2. podemos realizar desenhos de qualidade e com precisão de esquadro e perspectiva.JOGO DE LÁPIS DE DESENHO E LAPISEIRA CANETAS 0. etc.

o uso da régua T foi substituído por um braço mecânico denominado Tencnígrafo. Esta é mais uma ótima ferramenta para desenho. portanto. pode-se usar a régua T para ajudar no manuseio de esquadros e outros equipamentos de medida. que podemos também começar pelas linhas horizontais dependendo do caso. Sua versatilidade possibilita uma grande variedade de trabalhos em desenho de projeto. por isso deixemo-no para os profissionais da área de projeto. Para se conseguir o efeito de perspectiva técnica. As linhas horizontais podem ser desenhadas com os esquadros apoiados ou com a régua paralela. poderá fazer uso desse equipamento em uma mesa de linhas retas. MANUSEANDO A RÉGUA "T" Caso tenha uma prancheta simples. Este é equipamento muito caro e complexo. além de conseguir vários ângulos com régua T regulável . desenhamos primeiro as linhas verticais. basta aprender um pouco sobre as escalas e suas aplicações. dependendo apenas da vontade do desenhista. sem régua paralela. Para se aprender a trabalhar com o Escalimetro. Já nas pranchetas modernas. a régua T é muito útil para se trabalhar com desenhos. pode improvisar usando a régua T como régua paralela apoiando-a nas bordas da prancheta ou de uma mesa de linhas retas (quadrada ou retangular). SOBRE A RÉGUA T Quando se quer realizar desenho de projeto e não quer perder tempo. Vejamos a seguir algumas noções de escala. observe que usamos o esquadro para não termos que ficar horas fazendo cálculos para essa tarefa. ONHECENDO O ESCALIMETRO . Mesmo se você não tiver uma prancheta de desenho. Observe.Nesse exemplo. Não entraremos no assunto do Tencnígrafo. Mesmo para quem não possui uma prancheta de desenho.

ao qual já nos referimos antes. Existe um instrumento. que é o "escalimetro" que é o instrumento recomendado para desenhos em escalas. O recurso. É representada da seguinte forma: Escala 1:2. O que varia é o tamanho do seu desenho no papel. etc. etc.1:4. basta dividir o valor da medida indicada no desenho do objeto. 1:30.Escala 2:1 (lê-se. carros. em seu tamanho real. ESCALA DE REDUÇÃO: Escala de redução é aquela que é utilizada quando o tamanho do desenho do objeto é menor que o tamanho real do mesmo. 1:5. 4:1. ATENÇÃO: Qualquer que seja a escala aplicada. marceneiro alemão do século XIX. ENVERGANDO MADEIRA O INVENTOR DO PROCESSO DE ENVERGAR MADEIRA. casas. As escalas de ampliação mais utilizadas são: 2:1. Seria impossível desenharmos certos objetos tais como... pelo valor numérico da escala. Ele descobriu diversas maneiras de curvar a madeira através da água. 1:20. escala um por um). 5:1. da cola quente e. 1:10. do tamanho que ele vai ser construído. 3:1. mais . a medida real do objeto deve ser escrita normalmente. será reduzir ou ampliar o desenho do objeto em questão. A escala do desenho do objeto deve ser indicada ao lado do mesmo. escala dois por um). Fazendo isso. Resumindo: Para a aplicação da escala de redução. etc. ESCALA DE AMPLIAÇÃO: Escala de ampliação é aquela que é utilizada quando o tamanho do desenho do objeto é maior que o seu tamanho real e é representada da seguinte forma: . 1:100. 10:1. O processo de vergar a madeira foi inventado pelo marceneiro alemão Michel Thonet. Resumindo: Para se trabalhar com esta escala. no início do século XIX. 1:50. É representada da seguinte forma: Escala 1:1 ( lê-se. Resumindo: Do mesmo tamanho que o objeto for construído. ARTIGOS Esta matéria nos conta um pouco sobre a história das técnicas de envergar madeira criadas por Michel Thonet. Como exemplo poderíamos citar o desenho arquitetônico de plantas de construção civil. 1:3..SOBRE AS ESCALAS Escala é a relação que existe entre o tamanho do desenho de um projeto e o seu tamanho real. ESCALA NATURAL: Escala natural é aquela utilizada quando o tamanho do desenho do objeto é igual ao tamanho real do mesmo. pelo valor numérico da escala. 20:1. estaremos empregando o recurso das escalas. 1:40. móveis. será também feito o seu desenho. então. basta multiplicar o valor da medida indicada no desenho do objeto. OBSERVAÇÕES: O valor numérico da medida do objeto permanece invariável em qualquer escala. conservando suas proporções. Os valores numéricos das medidas angulares não se alteram em nenhuma das escalas.

se materializaram na célebre Cadeira 14 (ao lado). Móveis de madeira laminada e moldada. A CRIATIVIDADE E O GÊNIO DE UM DOS MAIORES DESIGN DO SÉCULO . Esse marceneiro alemão já era famoso na corte vienense quando desenvolveu. por volta de 1859. e lançando a primeira cadeira . um móvel fabricado com esta madeira nunca será atacado por esses insetos tão temidos.tarde. A modelo nº 14 foi a primeira cadeira a utilizar essa técnica de curvatura. Uma das particularidades do processo de envergamento da madeira está no fato de que as toras das árvores de açoita ficam de molho em água fluvial de 6 a 8 meses para amolecerem as fibras (curtas) . João Gerdau trouxe esta arte para o Brasil. efetuando a montagem só quando chegassem ao seu destino.em 1936. já havia conquistado admiradores no mundo inteiro.e o desenvolvimento de sua própria rede de distribuição nas principais cidades do globo. Em 1930. e depois de 1865 toda a produção estava sendo feita assim. sendo um método de embalagem revolucionário para o século 18. baratos e elegantes em escala industrial.MICHAEL THONET A cadeira nº 14. ainda hoje. mundialmente conhecida por ser o maior sucesso no que se refere à produção em massa. pureza da execução e eficácia da utilização. Flexível. Quem poderia imaginar. Graças a uma junção parafusada. Trinta e seis cadeiras nº 14 podiam estar dentro de um caixote de apenas 1 metro cúbico. ficando assim conhecido como o precursor do processo de industrialização da arte de curvar madeira. forma que era extremamente prática e que economizava muito espaço. ela se transformou em uma das cadeiras mais vendidas do mundo e na marca registrada de seu autor. aplicada na fabricação de móveis. sua invenção. mais de 50 milhões de cadeiras já haviam sido vendidas (!!!). submergia a madeira a uma pressão de vapor constante. Michael Thonet começou em 1830 a fazer experimentações em curvar lâminas de compensado. a única deste gênero nas Américas. um mecanismo a vapor capaz de curvar e moldar a madeira.produto dessa técnica . no centro da foto acima). sendo conhecida de canto a canto como a típica cadeira vienense das cafeterias espalhadas pela Europa. Métodos eficientes de manufatura . vendidos em países subtropicais com alto nível de umidade. tendo o melhor preço dentre os outros modelos da Thonet.apropriadas para a envergamento. como em uma sauna. essa . Nessa mesma época o preço era correspondente a US$ 42. assim se referia às cadeiras Thonet: "Pela elegância da concepção. Em 1908. nada melhor foi feito até hoje". fizeram com que a Thonet se tornasse rapidamente uma empresa internacional.devido à redução de "partes individuais" de uma cadeira . Tão hábil para antecipar o futuro quanto para forjar a madeira. que utilizava essas peças para equipar seus edifícios. que os móveis Thonet ainda seriam um clássico 150 anos depois? Talvez o próprio Michael Thonet pudesse. durante esse processo a madeira perde toda a sua seiva e como os cupins se alimentam dela. A fábrica é. De encosto curvo e assento de palhinha. em 1842. do vapor. Escritório alemão na África. no século passado. O arquiteto Le Corbusier (1887-1965). quando nasceu a Thonart. agora era possível expedir via navio as cadeiras desmontadas. Thonet produziu móveis leves. Devido a essa pressão. Em poucos anos. fervia tiras de madeira em cola dissolvida e as curvava em moldes de aço. A partir do momento que as junções puderam ser re-apertadas. foi também a maior colaboradora na formação da reputação internacional da Thonet (o senhor de barba branca. começaram a ser motivo de reclamação a partir do momento que a cola começava a se dissolver. Michael Thonet desenvolveu um procedimento de curvatura da madeira no vapor d´agua no qual. indústria de móveis vergados que combina o processo original e artesanal criado por Thonet com avançadas tecnologias. ela ganhava contornos que.

280. écondição adequada para o grão mais fino remover o risco deixado pelo grão mais grosso. o ideal é que o fundo esteja bem seco. 360. Se você iniciou o trabalho usando grana 80. isto é. com lixadeiras de cinta larga com patins setorizados. utilize em linhas U. A grana seguinte não pode exceder mais que 50% do grão usado anteriormente. óxido de alumínio cerâmico. 120. 180. cintas com estearato de zinco e costado mais flexível. Em trabalhos com madeira geralmente se usam lixas de grão 36 a 400. Para um melhor acabamento e menor retrabalho. Então. é a granulometria que determina a capacidade de desbaste. Madeira Maciça: A lixa mais indicada é a de óxido de alumínio zirconado. Lâminas de madeira: Calibre os painéis no máximo uma hora antes da aplicação da cola e colagem das lâminas.50 Mais fino: 320 . A grana final depende do acabamento desejado.V. Diferença entre grãos de lixas: O número pelo qual a lixa é identificada indica a sua granulometria. e reduz a vida útil da lixa. 400 ou 600. para não provocar ranhuras na superfície. . Aglomerado e compensado: Em desbastes pesados e em lixadeiras de cinta larga. é recomendada a utilização de costado de pano e abrasivo carbureto de silício ou zirconado. Nas operações de acabamento. pois isso aumenta o empastamento.400 Fique atento para a seqüência de uso de cada número de lixa. Aplicação de lacas: Prepare a superfície antes de aplicar a laca com a seguinte seqüência: 120. nos grãos 40 a 80."versatilidade" ficou conhecida como sendo mais um benefício desta surpreendente cadeira. 220 ou 280.40 . de 180 a 320. menor é o número da lixa. e de preferência. "vazamento" de cola na lâmina. mas normalmente é de 280. ão. e no acabamento. COMO USAR LIXAS MDF Inicie o lixamento a partir da grana 150 em lixas de papel ou pano.360 . utilize a sequência: 220. Após efetuar a aplicação do fundo ou primer. éo acabamento. nas granas 320. Exemplo: Grão inicial 80 Grão da próxima lixa 120 Cuidados especiais com lixas Cuidados com o Processo: Faça movimentos sempre no sentido do veio da madeira. 180 e 220. utilize lixas de papel. prejudicando o acabamento da peça. Para a aplicação de lacas. Os grãos 60 e 120 combinados são os mais comuns no processo de lixamento de compensados. Utilize a seguinte seqüência de lixas: 120. aguarde a secagem do produto e efetue o lixamento das peças. a próxima lixa deverá ter 50% a mais de 80. Mais grosso: 36 . escolha granas de 80 a 180. pois os póros ficam mais fechados.

a polpa forma colchões de fibra. 3. por ser um processo úmido de fabricação. As chapas de fibra fabricadas têm espessura que varia de 2. sendo que a polpa é misturada à água. Processo de colchão de fibras . melhorar o acabamento. para permitir que as fibras sejam cortadas uniformes. resina natural do eucalipto. 2. Observe se as peças com cola ou com massa estão realmente secas. Fonte: www. prejudicando a qualidade da pintura.0 mm.Retire toda a poeira depois do lixamento. pinus. Em lixadeiras de cinta larga faça a remoção como indicado abaixo.0 a 6. 3. Lixas grossas e pressão excessiva no lixamento ocasionam rugosidades e manchas de queimaduras no tratamento seguinte da superfície. Cuidados com a Umidade: Não deixe passar um dia entre o lixamento e a aplicação de fundos. Produção de cavacos . caixeta. Dentre os painéis de madeira reconstituída é o menos consumido mundialmente e sua tecnologia de fabricação é considerada poluente e obsoleta.com. A umidade do ambiente penetra na madeira fazendo com que sua superfície fique rugosa. são painéis de alta densidade produzidos por processo úmido utilizando-se calor e pressão sem a adição de resina. e o processo produtivo pode ser esquematizado como segue: 1. de construção civil e automobilística. São painéis utilizados pelas indústrias moveleiras. siga as seguintes regras: 1. diminuir o pó no ambiente de trabalho e garantir maior limpeza das peças lixadas.br CHAPA DURA As chapas duras ou chapas de fibra. depois.os cavacos são transformados em polpa através de um processo termodinâmico de desfibração. Problemas mais comuns: Um grande problema no lixamento de madeira é o empastamento pelo pó gerado durante a operação. entre outras. com maior remoção nas granas mais grossas e remoções menores nas mais finas que garantem melhor acabamento e aumentam a vida útil da lixa e da lixadeira. 4. sem a adição de resinas que não a lignina. No Brasil a madeira utilizada para a fabricação desse painel é o eucalipto. que são produzidos em um equipamento denominado máquina formadora. retirado com a ação de calor e pressão. Cuidados com a Pressão: Trabalhe com lixas em bom estado de abrasividade e com uma pressão moderada. Produção de polpa . é transformada em cavacos. evitando o empastamento prematuro Use um sistema adequado de exaustão e aterramento para melhor eficiência da operação Utilize lixas com grão zirconado para operações de calibração. e de óxido de alumínio cerãmico para as operações de acabamento. É um processo termomecânico. Para aumentar o tempo de vida útil da lixa e dos equipamentos. Utilize lixas com efeito antiestático que evitam o "efeito tampão" ou empastamento 2. proveniente de florestas plantadas.akzonobel-ti.a matéria prima. . em caso de peças montadas como cadeiras e mesas. freijó. O processo produtivo das chapas de fibra envolve um elevado volume de água que é adicionado à fibra de madeira de eucalipto e. toras de eucalipto. fazendo com que as fibras do eucalipto fiquem consolidadas em chapas de madeira. para que a superfície possa receber bem a etapa seguinte.

e isto ocasionou uma longa estagnação na evolução. Este produto.após a prensagem. quando os trabalhos artísticos em madeira e a laminação reviveram. respectivamente. Esta só ressurgiu no período da Renascença ( Europa nos séculos XIV. Em 1650 as lâminas ainda eram obtidas por meio de serras verticais.o colchão de fibras é transformado em chapas duras por meio da expulsão mecânica da água do colchão. as chapas são submetidas ao processo de tratamento térmico. Tratamento térmico. Os estudos dessas valiosas peças de madeira. à água e estabilidade dimensional. interesses culturais e atividades artísticas. que reinou de 1361 a 1352 a. Período Obscuro: A Idade Média é conhecida como o período obscuro. certamente. Refilo . mas um forte impulso surgiu a partir da . 7. 5. aproximadamente em 3000 a. Com base nos recentes conhecimentos históricos. 4. entretanto. calibração e beneficiamento das chapas de fibra O Brasil posiciona-se como o 3º produtor e o 4º consumidor mundial. que apresenta algumas características essenciais do moderno painel de compensado em sua cabeceira. tais como: O trono encontrado na tumba de Tutancâmon. e o alisamento da superfície destas através de material abrasivo. resfriamento e umidificação . Nestas condições ocorre a consolidação da chapa de fibra no que se refere à resistência mecânica. também promoveram avanços no uso de laminados e. principalmente durante o reinado de Luiz XV. 6. XV e XVI ). ambos com fábricas localizadas no Estado de São Paulo. FONTE: BNDES COMO SURGIU O COMPENSADO A HISTÓRIA DA ORIGEM DO COMPENSADO LAMINAÇÃO: DA MADEIRA DOS SARCÓFAGOS A INDÚSTRIA MODERNA Atualmente.C. Babilônicas e Romanas. posteriores à Egípcia. uma cama feita em laburno.Durante a formação dos colchões de fibra. sendo que o conjunto formado pela água e pelos fragmentos de fibra é enviado ao decantador. relacionados as TÉCNICAS de produção das lâminas e aos tipos de adesivos empregados. principalmente na produção de compensados e revestimentos.foram atendidos pela redução das quantidades exportadas. as lâminas de madeira são amplamente utilizadas. não surgiu nos atuais tempos modernos. As recentes descobertas arqueológicas revelam a existência de peças em madeira que são verdadeiras obras de arte. com grande influência desta última. obtidas de valiosas e selecionadas madeiras. Pesagem . e sim em tempos remotos da civilização. por causa da opressão política e eclesiástica ao pensamento criativo. A produção nacional de chapa de fibra manteve-se praticamente estável no período 1997/2001. Acredita-se que as lâminas eram obtidas a partir de serras manuais. é possível afirmar que a primeira lâmina de madeira foi produzida no Antigo Egito. ainda provocam especulações. seguida da evaporação da água residual pela ação do calor até a secagem.. Eram pequenas peças. Acabamento . confeccionado em cedro revestido com finas lâminas de marfim e ébano. As civilizações Assírias . é aceita a hipótese de que fossem à base de albumina. resfriamento e umidificação.consiste na operação de refilagem das chapas. Acredita-se que parte da demanda brasileira por esse tipo de painel venha sendo atendida por aglomerado e MDF. de onde volta ao processo produtivo. necessárias em função das irregularidades e danos verificados nas bordas das mesmas. pequena parte das frações finas da polpa é retirada do sistema de água fervida. provavelmente a pedra-pome. que se destinavam a confecção de luxuosas peças de mobiliário pertencentes aos reis e príncipes. Os pequenos acréscimos de demanda .operação de corte. São dois os fabricantes brasileiros: Duratex e Eucatex com capacidades.2. Quanto aos adesivos empregados. de 360 mil m³ ao ano e 250 mil m³ ao ano.3% ao ano .C.

forros. concedida a Garand. ocasionando uma nova revolução industrial. e da serra de fita em 1808.). outra. com o desenvolvimento e automação dos sistemas de produção contínua. sendo seus painéis facilmente substituíveis quando necessário. um renomado fabricante americano de pianos. Diversificação: A presente utilização dos produtos de laminação se encontra bem diversificada. aeronave de ataque inglesa. entretanto. e seu forro formado por um sistema semelhante a um compensado. que muito emprega o compensado. e alguns deles foram bem famosos como o Fokker D. VII. Essas máquinas possuíam um ajuste vertical da lâmina de corte. Com o advento da Primeira Guerra Mundial. com núcleo de madeira maciça. Pioneirismo: As primeiras indústrias a produzirem lâminas de madeira surgiram na Alemanha em meados do século XIX e.. patenteada por charles Picot em 1834 na França. na produção de embalagens especiais resistentes a exposição ao tempo. existe uma patente de torno laminador de 1840 concedida a Dresser e. geravam uma grande quantidade de resíduos. assim como na construção civil. as toras possuíam. nas peças componentes de uma moderna casa de madeira ( pisos. principalmente com o surgimento do torno desfolhador . dispensando reforços adicionais. A primeira máquina a produzir lâminas contínuas. ocorre a tendência da globalização da economia mundial. De 1941 a 1945 foram produzidas 6. nos E. em 1844. a fim que estas se tornem . paredes internas e externas. proporcionando uma gama crescente de produtos de qualidade superior e menores custos. telhados. quando importantes peças de mobiliário foram confeccionadas. normalmente. estas serras.. na fabricação de instrumentos musicais e esportivos.patente da serra circular. a indústria aeronáutica desenvolveu importantes projetos. na França.711 unidades. neste processo. houve um grande avanço na laminação de madeira. 2m de comprimento e a velocidade de laminação situava-se na faixa de 4 a 5 m/min. um Biplano de combate da Primeira Guerra Mundial. compreendendo reestruturações e rápidas modernizações nas indústrias. por William Newberry. sendo um dos mais destacados o De Havilland 98 Mosquito. A construção dos primeiros aviões também utilizou compensado e lâminas de madeira. após 1918. A base do surgimento da indústria de compensados foi o grande progresso na manufatura de lâminas de madeira. sendo que uma versão atingia velocidade máxima de 670 km/h. e a introdução do compensado na feitura de pianos de cauda. principalmente com o advento da primeira patente de uma serra circular específica para laminação. folheada com jacarandá da Bahia. Estas características tornavam a aeronave menos vulnerável aos danos de combate. além do surgimento de novos adesivos. embora cerca de 30 anos tenham sido necessários para que um modelo suficientemente eficaz e seguro surgisse. na confecção de embarcações. que proporcionava um conjunto muito estável. e a barra de pressão já se encontrava em uso.U.A. além de outras possíveis e prováveis aplicações. A partir da introdução da serra circular na indústria inglesa em 1805. Durante o Conflito da Segunda Guerra. que possuía a característica de ter sua estrutura inteiramente confeccionada em madeira. o que ocasionou um grande crescimento na indústria de laminação. Na atualidade. surgiu em 1818. tais como o "Bureau de Campagne" de Napoleão. houve uma acentuada evolução na produção de lâminas e compensados. os maiores consumidores de compensados foram a indústria moveleira e os estaleiros.. por faqueamento de toras em torno desfolhador . por Samuel Miller. devido a utilização destes produtos na área militar. um rápido desenvolvimento e aperfeiçoamento nos tornos laminadores contribuiu para a evolução da indústria de compensados. realizada por Steinway. Com o fim da guerra. concedida a um mecânico francês em 1812. O derradeiro impulso se deu com o advento da Segunda Grande Guerra Mundial. O emprego das lâminas de madeira torna-se mais significativo a partir dos séculos XVIII e XIX. o que levou ao surgimento da primeira máquina laminadora por faqueamento. em 1860. que possibilitou uma produção econômica em massa de lâminas de madeira. e deu seu emprego pela indústria a partir de 1825. em 1777. por exemplo. embora já existissem desde a idade média.. estes últimos voltados para a reconstrução da frota mercante.

U. Os estudos dessas valiosas peças de madeira. As recentes descobertas arqueológicas revelam a existência de peças em madeira que são verdadeiras obras de arte. confeccionado em cedro revestido com finas lâminas de marfim e ébano. Fonte: Revista da Madeira. concedida a um mecânico francês em 1812. A primeira máquina a produzir lâminas contínuas. obtidas de valiosas e selecionadas madeiras. Com base nos recentes conhecimentos históricos. por causa da opressão política e eclesiástica ao pensamento criativo. Eram pequenas peças. que se destinavam a confecção de luxuosas peças de mobiliário pertencentes aos reis e príncipes.. ano 5 . mas um forte impulso surgiu a partir da patente da serra circular. surgiu em 1818. Este produto. capaz de processar toras de até 2 metros de diâmetros com velocidade de 600 giros por minuto. controle computadorizado. é possível afirmar que a primeira lâmina de madeira foi produzida no Antigo Egito. provavelmente a pedra-pome. e da serra de fita em 1808. menores custos e competitividade no mercado internacional ISO9000 e. é aceita a hipótese de que fossem à base de albumina. introduzindo modernas máquinas desenroladoras. as lâminas de madeira são amplamente utilizadas. existe uma patente de torno laminador de 1840 concedida a Dresser e. principalmente durante o reinado de Luiz XV.C.A. e deu seu emprego pela indústria a partir de 1825. uma cama feita em laburno. Esta só ressurgiu no período da Renascença ( Europa nos séculos XIV. além do desenvolvimento de sistemas de medição ótica de toras. por Samuel Miller. embora já existissem desde a idade média. tais como: O trono encontrado na tumba de Tutancâmon. posteriores à Egípcia. nos E. A partir da introdução da serra circular na indústria inglesa em 1805. também promoveram avanços no uso de laminados e. carregamento automático e centradores eletrônicos de toras. Período Obscuro: A Idade Média é conhecida como o período obscuro. por faqueamento de toras em torno desfolhador . Acredita-se que as lâminas eram obtidas a partir de serras manuais. principalmente com o advento da primeira patente de uma serra circular específica para laminação. entretanto. A base do surgimento da indústria de compensados foi o grande progresso na manufatura de lâminas de madeira. ainda provocam especulações. Em 1650 as lâminas ainda eram obtidas por meio de serras verticais. entretanto. patenteada por charles Picot em 1834 na França. certamente. houve um grande avanço na laminação de madeira. que reinou de 1361 a 1352 a. com grande influência desta última.C. relacionados as TÉCNICAS de produção das lâminas e aos tipos de adesivos empregados. e sim em tempos remotos da civilização. XV e XVI ). por William Newberry. Eng. principalmente com o surgimento do torno desfolhador . embora cerca de 30 anos tenham sido necessários para que um modelo suficientemente eficaz e seguro surgisse.aptas a produzir produtos com qualidade superior. e isto ocasionou uma longa estagnação na evolução. principalmente na produção de compensados e revestimentos. interesses culturais e atividades artísticas. em 1777. assim como modernas guilhotinas e de secadores entre outras tantas inovações. logo será intensificada pela Norma ISO 14000.nº 29 por Carlos Eduardo Camargo de Albuquerque. Florestal.. aproximadamente em 3000 a. COMO SURGIU O COMPENSADO A HISTÓRIA DA ORIGEM DO COMPENSADO LAMINAÇÃO: DA MADEIRA DOS SARCÓFAGOS A INDÚSTRIA MODERNA Atualmente. o que levou ao surgimento da primeira máquina laminadora por faqueamento. estas serras. na . Babilônicas e Romanas. quando os trabalhos artísticos em madeira e a laminação reviveram. geravam uma grande quantidade de resíduos. que possibilitou uma produção econômica em massa de lâminas de madeira. A indústria de laminação acompanha esta tendência modernizando seus equipamentos e suas TÉCNICAS. que apresenta algumas características essenciais do moderno painel de compensado em sua cabeceira. Quanto aos adesivos empregados. e o alisamento da superfície destas através de material abrasivo. não surgiu nos atuais tempos modernos. As civilizações Assírias .

De 1941 a 1945 foram produzidas 6. Florestal. as toras possuíam. ocorre a tendência da globalização da economia mundial. VII. devido a utilização destes produtos na área militar. Pioneirismo: As primeiras indústrias a produzirem lâminas de madeira surgiram na Alemanha em meados do século XIX e. ano 5 . a indústria aeronáutica desenvolveu importantes projetos.. em 1844. dispensando reforços adicionais. O emprego das lâminas de madeira torna-se mais significativo a partir dos séculos XVIII e XIX. e a introdução do compensado na feitura de pianos de cauda. ocasionando uma nova revolução industrial. em 1860. e alguns deles foram bem famosos como o Fokker D. Fonte: Revista da Madeira.711 unidades. Essas máquinas possuíam um ajuste vertical da lâmina de corte. a fim que estas se tornem aptas a produzir produtos com qualidade superior. proporcionando uma gama crescente de produtos de qualidade superior e menores custos. por exemplo. sendo um dos mais destacados o De Havilland 98 Mosquito. . após 1918. Diversificação: A presente utilização dos produtos de laminação se encontra bem diversificada. carregamento automático e centradores eletrônicos de toras. quando importantes peças de mobiliário foram confeccionadas. neste processo. Com o fim da guerra. Na atualidade. Durante o Conflito da Segunda Guerra. A indústria de laminação acompanha esta tendência modernizando seus equipamentos e suas TÉCNICAS. com o desenvolvimento e automação dos sistemas de produção contínua. concedida a Garand. que muito emprega o compensado. que proporcionava um conjunto muito estável. folheada com jacarandá da Bahia. houve uma acentuada evolução na produção de lâminas e compensados.França. logo será intensificada pela Norma ISO 14000.. com núcleo de madeira maciça. forros. e seu forro formado por um sistema semelhante a um compensado. menores custos e competitividade no mercado internacional ISO9000 e. controle computadorizado. nas peças componentes de uma moderna casa de madeira ( pisos. além do desenvolvimento de sistemas de medição ótica de toras. assim como na construção civil. aeronave de ataque inglesa. os maiores consumidores de compensados foram a indústria moveleira e os estaleiros. paredes internas e externas. o que ocasionou um grande crescimento na indústria de laminação. compreendendo reestruturações e rápidas modernizações nas indústrias. um Biplano de combate da Primeira Guerra Mundial. e a barra de pressão já se encontrava em uso.). na confecção de embarcações. capaz de processar toras de até 2 metros de diâmetros com velocidade de 600 giros por minuto. um renomado fabricante americano de pianos.. outra. sendo seus painéis facilmente substituíveis quando necessário. na produção de embalagens especiais resistentes a exposição ao tempo. A construção dos primeiros aviões também utilizou compensado e lâminas de madeira. normalmente. O derradeiro impulso se deu com o advento da Segunda Grande Guerra Mundial. introduzindo modernas máquinas desenroladoras. na fabricação de instrumentos musicais e esportivos. realizada por Steinway. além do surgimento de novos adesivos. um rápido desenvolvimento e aperfeiçoamento nos tornos laminadores contribuiu para a evolução da indústria de compensados. assim como modernas guilhotinas e de secadores entre outras tantas inovações. que possuía a característica de ter sua estrutura inteiramente confeccionada em madeira.nº 29 por Carlos Eduardo Camargo de Albuquerque. sendo que uma versão atingia velocidade máxima de 670 km/h. estes últimos voltados para a reconstrução da frota mercante. além de outras possíveis e prováveis aplicações. Eng. tais como o "Bureau de Campagne" de Napoleão. Estas características tornavam a aeronave menos vulnerável aos danos de combate. telhados. 2m de comprimento e a velocidade de laminação situava-se na faixa de 4 a 5 m/min. Com o advento da Primeira Guerra Mundial.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful