Guia de Dissertação 
 

Mestrado em Sistemas de Informação  Mestrado em Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação  Mestrado em Serviços de Informação 
              Departamento de Sistemas de Informação   
Versão 2010.1 

 

 

Índice 
  1. 2. 3. 4. Introdução ................................................................................................................................................. 1 Eventos Importantes ................................................................................................................................. 1 Resultados de Aprendizagem .................................................................................................................... 2 Proposta de Temas de Dissertação ........................................................................................................... 3 4.1. 4.2. 4.3. 4.4. 5. Âmbito dos Temas de Dissertação................................................................................................... 3 A Dissertação na Perspectiva do Aluno............................................................................................ 4 A Dissertação na Perspectiva do Orientador ................................................................................... 5 A Dissertação na Perspectiva da Organização ................................................................................. 5

Processo de Admissão a Dissertação......................................................................................................... 6 5.1. 5.2. 5.3. Candidatura a Proposta de Tema de Dissertação............................................................................ 7 Selecção de Candidatos a Propostas de Temas de Dissertação....................................................... 7 Pedido de Admissão a Dissertação .................................................................................................. 7

6.

Fases Principais da Dissertação ................................................................................................................. 8 6.1. 6.2. 6.3. 6.4. 6.5. Elaboração do Projecto de Dissertação ........................................................................................... 8 Realização do Projecto de Dissertação ............................................................................................ 9 Escrita do Relatório de Dissertação ................................................................................................. 9 Submissão do Relatório de Dissertação......................................................................................... 10 Avaliação da Dissertação................................................................................................................ 10

7.

Orientação das Dissertações ................................................................................................................... 12

Anexo I – Formulário de Proposta de Tema de Dissertação ........................................................................... 15 Anexo II – Formulário do Plano de Trabalhos ................................................................................................. 16 Anexo III – Ficha de Admissão a Dissertação................................................................................................... 17 Anexo IV – Estrutura Referencial para o Projecto de Dissertação .................................................................. 20 Anexo V – Estrutura Referencial para o Relatório de Dissertação .................................................................. 21 Anexo VI – Recomendações para a Escrita da Dissertação ............................................................................. 23 Anexo VII – Grelha de Avaliação da Prova Pública .......................................................................................... 24    

 

1.
 

Introdução 

Este Guia contém informação de apoio ao processo de Dissertação dos Cursos de Mestrado em Sistemas de  Informação (MSI), Mestrado em Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação (MEGSI) e Mestrado em  Serviços de Informação (MServInf) do Departamento de Sistemas de Informação (DSI) da Universidade do  Minho.  A  intenção  de  criação  deste  documento  é  a  de  disponibilizar  informação  sobre  as  actividades  e  procedimentos que o aluno deverá ter em consideração para o sucesso dos seus trabalhos de Dissertação  de Mestrado.  A  Dissertação  é  estruturada  em  duas  fases  principais,  cada  uma  das  quais  terminando  num  processo  de  avaliação. A primeira fase decorrerá entre a atribuição de uma proposta de tema de dissertação e a entrega  do projecto de dissertação. Se o projecto de dissertação for aprovado, o aluno passará à segunda fase da  dissertação, implementando o trabalho planeado e submetendo o relatório de dissertação para avaliação.  A segunda fase termina com as provas públicas de dissertação.  O aluno planeará o seu trabalho tendo em consideração que semanalmente deverá trabalhar 42 horas. A  adequada gestão de tempo e do stress bem como a realização autónoma de um trabalho complexo pelo  qual  o  aluno  é  totalmente  responsável  são  competências  a  reforçar  neste  processo  de  aprendizagem.  Considera‐se que estas competências serão essenciais para o sucesso da sua carreira profissional.  A  dissertação  poderá  ser  realizada  na  Universidade  do  Minho  ou  em  outra  organização.  No  caso  da  dissertação ser realizada em outra organização, o aluno não ficará dispensado de comparecer às reuniões  periódicas  com  todos  os  alunos  em  dissertação  para  troca  de  experiências,  esclarecimento  de  dúvidas  e  apresentação do trabalho realizado até ao momento, bem como às reuniões com o seu orientador.  O  aluno  poderá  encontrar  neste  Guia  informação  sobre  eventos  importantes  relativos  ao  processo  de  dissertação (cf. Capítulo 2), resultados de aprendizagem da unidade curricular Dissertação (cf. Capítulo 3),  temas  de  dissertação  que  poderão  ser  propostos  aos  alunos  (cf.  Capítulo  4),  processo  de  admissão  a  dissertação  (cf.  Capítulo  5),  fases  principais  do  processo  de  dissertação  (cf.  Capítulo  6)  e  papel  do  orientador (cf. Capítulo 7). Nos Anexos disponibilizam‐se diversos formulários, estruturas referenciais para  documentos, recomendações e uma grelha de avaliação indicativa relativa às provas públicas. 

2.
 

Eventos Importantes 

Os eventos a reter pelos alunos e orientadores ao longo dos trabalhos de dissertação incluem:  1. 2. 3. 4. 5. 6. Disponibilização de Propostas de Temas de Dissertação;  Candidatura a Propostas de Temas de Dissertação;  Selecção de Candidatos a Propostas de Temas de Dissertação;  Entrega do Projecto de Dissertação (Pré‐dissertação);  Entrega do Relatório de Dissertação;  Provas Públicas. 

As datas correspondentes aos eventos anteriores serão indicadas pelas Comissões Directivas dos Cursos de  Mestrado respectivos no início de cada ano lectivo, mediante despacho próprio. 

3.
 

Resultados de Aprendizagem 

Ao  nível  da  União  Europeia  foi  realizado  um  esforço  para  encontrar  descritores  generalizados  de  qualificação  para  cada  um  dos  ciclos  de  estudo,  que  reúnam  a  aprovação  dos  vários  países.  Estes  descritores  devem  (i)  traduzir,  de  forma  sucinta  e  global,  um  programa  de  estudos,  (ii)  salvaguardar  a  diversidade dos planos de estudos nos vários ciclos do ensino superior e (iii) poder ser completados com os  perfis e especificações programáticas dos vários cursos.  Estes descritores têm vindo a ser designados por “Descritores de Dublin” 1 e descrevem quando o grau pode  ser atribuído ao aluno. A Tabela 1 apresenta os descritores para o segundo ciclo de estudos.    Tabela 1 – Descritores de Dublin do Segundo Ciclo de Estudos  Conhecimento e Capacidade de Compreensão  Tenham demonstrado possuir conhecimentos e capacidade de compreensão a um nível que:  • Sustentando‐se nos conhecimentos de nível de primeiro ciclo, os desenvolva e aprofunde;  • Possibilite  e  constitua  a  base  ou  oportunidade  para  originalidade  no  desenvolvimento  e/ou  aplicação de ideias, nomeadamente em contexto de investigação. Aplicação de Conhecimentos e Compreensão  Saibam  aplicar  os  conhecimentos,  a  capacidade  de  compreensão  e  a  resolução  de  problemas  em  situações novas ou não familiares, em contextos alargados e multidisciplinares, ainda que relacionados  com a sua área de estudo.  Realização de Julgamento/Tomada de Decisões  Demonstrem  a  capacidade  para  integrar  conhecimentos,  lidar  com  questões  complexas,  desenvolver  soluções ou emitir juízos em situações de informação limitada ou incompleta, incluindo reflexões sobre  as implicações e responsabilidades éticas e sociais que resultem ou condicionem essas soluções e esses  juízos.  Comunicação  Sejam capazes de comunicar as suas conclusões – e os conhecimentos e os raciocínios a elas subjacentes  – quer a especialistas, quer a não especialistas, de uma forma clara e sem ambiguidades.  Competências de Auto‐aprendizagem  Tenham desenvolvido as competências que lhes permitam uma aprendizagem ao longo da vida, de um  modo fundamentalmente auto‐orientado e autónomo.    No  segundo  ciclo  de  estudos,  uma  grande  parte  das  competências  acima  descritas  são  desenvolvidas  e  aprofundadas  na  unidade  curricular  Dissertação.  Seguidamente,  apresentam‐se  os  resultados  de  aprendizagem a atingir pela realização dessa unidade curricular.  • • • • Demonstrar familiaridade com o tema escolhido;  Demonstrar  uma  compreensão  profunda  de  conceitos,  práticas  e  artefactos  relevantes  desenvolvida a partir da revisão de literatura efectuada;  Formular um plano de trabalho adequado para o estudo/investigação de um tema;  Aplicar métodos e técnicas de investigação de forma rigorosa; 

1

                                                            
 http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/Processo+de+Bolonha/Objectivos/Descritores+Dublin/  2 

• • • •

Demonstrar capacidade analítica e crítica sobre as teorias relevantes e a informação recolhida e  analisada em contextos de investigação;  Obter resultados de investigação coerentes e relevantes;  Comunicar e articular argumentos científicos e técnicos de forma oral e escrita;  Demonstrar  capacidade  para  realizar  um  projecto  com  uma  duração  significativa  bem  como  capacidade para gerir o tempo e atingir objectivos. 

4.
 

Proposta de Temas de Dissertação 

Os  temas  de  dissertação  podem  ser  propostos  por  professores  ou  investigadores  doutorados  da  Universidade do Minho. Os temas devem enquadrar‐se na área de Sistemas de Informação ou de Serviços  de Informação e integrarão sempre um professor ou investigador doutorado da Universidade do Minho na  qualidade de orientador. Os temas serão formalizados sob a forma de propostas de temas de dissertação.  Os  temas  de  dissertação  podem  ainda  ser  propostos  por  empresas,  organizações  do  sector  público  e  organizações  sem  fins  lucrativos.  Estes  trabalhos  serão  sempre  orientados  por  professores  ou  investigadores doutorados da Universidade do Minho. Os temas podem, ainda, ser propostos pelos alunos  que esperam iniciar os seus trabalhos de dissertação de Mestrado no ano lectivo corrente.  Para os temas propostos por organizações ou por alunos, caberá a um professor ou investigador doutorado  da Universidade do Minho, cujos interesses de investigação englobem a temática proposta, a formalização  e adequação do tema sob a forma de uma proposta de tema dissertação.  O  tema  de  dissertação  a  propor  deverá  ser  formulado  de  maneira  a  promover  a  descrição  do  trabalho  a  realizar na dissertação. Neste documento assume‐se que os trabalhos de dissertação possuem as seguintes  características 2:  • • • • • • Objectivos  bem  definidos  e  que  integram,  na  sua  definição,  a  indicação  de  quando  são  atingidos;  Um início e fim bem definidos;  Um conjunto de recursos necessários à sua realização;  Elementos únicos que o distingam de trabalhos similares;  Requisitos de tempo, custo e desempenho;  Um método de trabalho. 

As  propostas  de  temas  de  dissertação  são  analisadas  e  eventualmente  aprovadas  pelas  Comissões  Directivas  dos  Cursos  de  Mestrado  respectivos,  eventualmente  coadjuvadas  por  professores  ou  investigadores doutorados especialistas nas áreas em análise, que verificarão a adequação das propostas  ao  domínio  de  Sistemas  de  Informação  ou  Serviços  de  Informação  e  o  seu  grau  de  exigência  científica  e  técnica, trabalhando com o(s) proponente(s) no sentido de ajustar a proposta de acordo com os requisitos  de um trabalho académico correspondente a 45 créditos ECTS (1260 horas de trabalho). 

4.1.
 

Âmbito dos Temas de Dissertação 

A  dissertação  é  a  actividade  de  aprendizagem  mais  importante  do  curso,  representando  um  terço  do  esforço de aprendizagem, e permite ao aluno aprofundar um tema de sua preferência, integrando assuntos  abordados em várias unidades curriculares frequentadas.  Uma dissertação em Sistemas de Informação ou em Serviços de Informação poderá ter um carácter:  • Teórico: revisão e análise de literatura sobre um tópico emergente em Sistemas de Informação  ou Serviços de Informação com eventual proposta de modelos teóricos; 

 Gray, C. e E. Larson (2002). Project Management: The Complete Guide for Every Manager, McGraw‐Hill, ISBN 978‐ 0071376013.  3 

2

                                                            

• • •

Mapeamento: estudo das práticas ou artefactos numa determinada vertente dos Sistemas de  Informação ou Serviços de Informação;  Metodológico:  Compilação  de  melhores  práticas  em  Sistemas  de  Informação  ou  Serviços  de  Informação bem como proposta de métodos e artefactos tecnológicos para as suportar.  Aplicado: investigação de problemas e oportunidades em Sistemas de Informação ou Serviços  de Informação, bem como propostas concretas de solução de problemas ou aproveitamento de  oportunidades. 

As  dissertações  dos  Cursos  de  Segundo  Ciclo  podem  variar  entre  um  projecto  realizado  em  ambiente  empresarial  para  resolução  de  um  problema  específico  até  à  validação  de  determinada  teoria.  Qualquer  que  seja  a  sua  abrangência,  a  dissertação  deve  ter  um  foco  claro  e  o  trabalho  a  realizar  deve  estar  perfeitamente  delineado.  Os  objectivos  dos  trabalhos  de  dissertação  devem  ser  suficientemente  claros  para ser possível determinar distintamente quando foram atingidos.  O  trabalho  realizado  em  ambiente  académico  deve  ser  original  e  abordar  um  problema  não  trivial  no  domínio dos Sistemas de Informação ou Serviços de Informação. Como exemplos, o trabalho pode conduzir  (i)  a  uma  classificação  crítica  de  literatura  num  dado  tema,  (ii)  à  formulação  de  um  modelo  teórico  ou  método ou (iii) à criação de um protótipo com base numa tecnologia emergente. No caso de dissertações  desenvolvidas  em  ambiente  empresarial,  o  trabalho  realizado  deve  oferecer  um  contributo  claro  para  a  reflexão  sobre  determinado  problema  ou  oportunidade,  representando  um  trabalho  de  investigação  exploratório no sentido de encontrar uma solução ou definir iniciativas na área dos Sistemas de Informação  ou dos Serviços de Informação.  Os  temas  propostos  por  professores  ou  investigadores  doutorados,  organizações  e  alunos  devem  ser  formalizados  em  propostas  de  temas  de  dissertação,  nas  quais  devem  estar  identificados  claramente  os  seguintes aspectos:  1. Problema a resolver ou questões a responder, definidos de forma clara e focada para que seja  possível compreender a abrangência do trabalho a realizar.  2. Lista de objectivos a atingir, que não deve conter mais do que seis objectivos, formulados de  maneira a ser possível determinar quando serão atingidos.  3. Lista  de  resultados  esperados.  Alguns  exemplos  incluem  um  protótipo  de  um  produto  ou  serviço; um método; um  modelo; um  teste de teoria, método ou artefacto;  uma classificação  de literatura, entre outros. Deve ainda incluir as publicações que se espera poderem vir a ser  produzidas em resultado do trabalho a realizar.  4. Tempo para a realização do trabalho, o qual deve ser adequado às 1260 horas de trabalho em  dissertação  correspondentes  aos  45  créditos  ECTS  da  unidade  curricular  Dissertação  (45  créditos × 28 horas = 1260 horas de trabalho).  5. Competências  a  desenvolver.  Devem  ser  indicadas  as  competências  que  o  aluno  deve  apresentar à partida e quais as competências técnicas, pessoais e inter‐pessoais que o aluno irá  desenvolver pela realização da dissertação.  6. Contributo académico ou organizacional do trabalho a realizar. No caso das organizações, deve  ser  indicado  de  que  forma  os  resultados  da  dissertação  irão  contribuir  para  melhorar  as  práticas de trabalho ou acrescentar valor ao negócio. Se a dissertação for académica deve ser  indicado de que forma os resultados irão contribuir para o conhecimento na área a investigar.  Após  a  formalização  das  propostas  de  temas  de  dissertação  e  sua  análise  e  aprovação  pelas  Comissões  Directivas dos Cursos de Mestrado, as Comissões Directivas colocarão as propostas à disposição dos alunos  para consulta e candidatura (cf. processo de candidatura na secção 5.1 e processo de selecção na secção  5.2). 

4.2.
 

A Dissertação na Perspectiva do Aluno 

A Dissertação é uma unidade curricular do plano de estudos dos cursos de segundo ciclo em que o aluno  tem  a  oportunidade  de  realizar  um  trabalho  no  qual  irá  explorar  em  profundidade  um  assunto  de  seu  interesse, dentro dos limites impostos pelos temas e orientadores disponíveis. Ao longo dos trabalhos de  dissertação, o aluno irá desenvolver conhecimentos e competências dentro de uma determinada área em 

Sistemas de Informação ou Serviços de Informação, os quais podem vir a revelar‐se de grande importância  na sua carreira profissional, presente ou futura.  O aluno poderá candidatar‐se a propostas de temas de dissertação a desenvolver em ambiente académico  ou organizacional, de acordo com a oferta de propostas disponíveis.  As  primeiras  são  geralmente  avançadas  por  professores  e  investigadores  doutorados  cujas  áreas  de  interesse se enquadrem no domínio dos Sistemas de Informação ou dos Serviços de Informação. A maioria  destas  propostas  proporcionará  ao  aluno  a  oportunidade  de  integrar  equipas  de  Investigação  e  Desenvolvimento  (I&D)  e  o  contacto  com  teorias,  práticas  e  ferramentas  tecnológicas  e  metodológicas  emergentes e com grande potencial para as organizações ou para a sociedade. Ao desenvolver trabalho no  âmbito de uma dessas propostas, o aluno aprofundará conhecimentos e desenvolverá competências  que  podem contribuir para a criatividade e inovação no contexto organizacional ou social onde desenvolve (ou  irá  iniciar)  o  seu  percurso  profissional.  Estes  conhecimentos  e  competências  podem  ainda  revelar‐se  importantes se optar por uma carreira académica.  As segundas são geralmente avançadas por organizações e formalizadas por professores ou investigadores  doutorados da Universidade do Minho sob a forma de propostas de temas de dissertação. A maioria das  dissertações  em  ambiente  organizacional  focará  problemas  específicos  bem  como  necessidades  de  melhoria e inovação. O aluno que realize um destes trabalhos adquirirá conhecimentos e competências em  contextos  de  trabalho  na  indústria,  serviços  ou  administração  pública,  integrado  em  equipas  focadas  na  resolução de problemas ou aproveitamento de oportunidades com recurso às tecnologias, aos serviços e  aos sistemas de informação. Aliado a um bom desempenho pode estar a integração na equipa como ponto  de partida para um novo percurso profissional. 

4.3.
 

A Dissertação na Perspectiva do Orientador 

Todos  os  trabalhos  de  dissertação  são  orientados  por  professores  ou  investigadores  doutorados  da  Universidade do Minho, podendo haver lugar a co‐orientações externas quando tal se justificar.  Os  orientadores  podem  ser  proponentes  originais  de  temas  de  dissertação  ou  formalizadores  de  temas  avançados  por  organizações  ou  por  alunos,  desde  que  esses  temas  se  enquadrem  na  sua  área  de  investigação  ou  interesse.  Os  orientadores  estarão  disponíveis  para  apoiar  o  aluno  durante  o  período  de  trabalho.  Os professores e investigadores doutorados da Universidade do Minho coordenam e realizam investigação  como parte integrante da carreira académica ou de investigação. Os Cursos de Segundo Ciclo proporcionam  a  oportunidade  de  integrar  alunos  dedicados  a  tempo  inteiro  a  projectos  de  I&D  nas  equipas  de  investigação  e  desenvolvimento.  Estes  alunos  poderão  realizar  projectos  focados  e  integrados  em  investigação ou desenvolvimento mais abrangentes.  A possibilidade de co‐orientar trabalhos de dissertação abre espaço à colaboração entre departamentos da  Universidade  do  Minho,  com  instituições  de  Ensino  Superior  nacionais  e  internacionais  e  com  as  organizações em geral. Esta última possibilidade de colaboração torna‐se particularmente importante para  estreitar  as  relações  com  empresas  e  organismos  públicos,  aproveitar  oportunidades  de  investigação  em  colaboração  com  outras  entidades  e  conhecer  melhor  as  necessidades  de  inovação  das  organizações  nacionais ou mesmo internacionais. Em todos os casos, a efectivação de co‐orientações deve ser justificada  e devidamente fundamentada. 

4.4.
 

 A Dissertação na Perspectiva da Organização 

A  dissertação  em  Sistemas  de  Informação  ou  em  Serviços  de  Informação  representa  uma  oportunidade  para as organizações acederem ao talento e competências multidisciplinares de alunos de Segundo Ciclo,  motivados  para  a  realização  de  um  trabalho  que  lhes  trará  a  experiência  dos  desafios  de  trabalho  e  inovação da chamada economia global.  A natureza dos temas em Sistemas de Informação apresentados pelas organizações pode variar bastante,  mas  todos  eles  devem  referir  as  tecnologias  e  os  sistemas  de  informação,  focando‐se  na  sua  gestão, 

aplicação, desenvolvimento, avaliação, adopção ou implementação, bem como nos condicionantes, riscos e  impactos da sua utilização, entre outros temas do domínio dos Sistemas de Informação.  No  caso  dos  Serviços  de  Informação  a  natureza  dos  temas  deve  centrar‐se  na  aplicação  de  conceitos,  métodos  e  ferramentas  de  Serviços  de  Informação.  Sempre  que  possível,  os  temas  deverão  envolver  inovação,  desde  o  service  design,  modelos  de  negócio  digitais,  gestão  e  engenharia  de  serviços  de  informação,  passando  pela  adequada  aplicação  das  tecnologias  de  informação  na  construção  de  Serviços  de Informação mais eficientes e inovadores, abarcando condicionantes, riscos e impactos da sua utilização,  entre outros temas do domínio dos Serviços de Informação.  Dever‐se‐á ter presente que todas as dissertações são realizadas como parte de um programa educacional,  pelo que os temas propostos, para além dos objectivos definidos pela organização, devem também incluir  objectivos  de  formação  em  Sistemas  de  Informação  ou  em  Serviços  de  Informação.  O  aluno  deverá  desenvolver  competências  instrumentais,  interpessoais  e  sistémicas  no  decurso  do  trabalho  que  vai  realizar. O trabalho a realizar não constitui consultoria profissional, pelo que a organização deverá assumir  uma  postura  de  precaução  relativamente  aos  resultados  e  informação  disponibilizada  em  resultado  da  consecução dos trabalhos de dissertação.  O trabalho realizado pelo aluno, bem como os resultados obtidos, serão mantidos sob reserva se solicitado  pela  organização.  Para  o  efeito,  o  aluno  e  orientador  assinarão  termos  de  confidencialidade,  os  quais  devem  incluir  o  procedimento  a  seguir  relativamente  ao  material  escrito  para  efeitos  de  avaliação  do  trabalho e publicação científica.  Relativamente aos direitos de propriedade intelectual, o modelo geral seguido pela Universidade do Minho  determina  que  os  direitos  relativos  ao  trabalho  do  aluno  e  respectivos  resultados  pertencem  à  Universidade.  O  aluno  será  considerado  co‐inventor  com  direitos  sobre  futuras  receitas.  A  organização  poderá ter licença exclusiva de comercialização dos resultados para Portugal e Europa e direitos de opção  para  outros  territórios,  assumindo  os  custos  com  o  registo  de  patente.  Este  modelo  geral  pode  ser  adaptado a condicionantes específicas de cada projecto, sendo para tal necessário redigir um acordo entre  a Organização e a Universidade do Minho.  A organização deve indicar um colaborador para acompanhar o trabalho do aluno e apoiar a integração do  aluno na organização sempre que tal seja necessário. No caso do trabalho a realizar não implicar a estada  do aluno nas instalações da organização, o elemento de apoio da organização deverá apenas garantir que o  trabalho  se  desenvolve  da  forma  previamente  acordada.  A  organização  deverá  informar  sobre  o  desempenho  do  aluno  durante  o  decurso  dos  trabalhos  de  dissertação,  servindo  esta  informação  como  elemento de avaliação a considerar para cálculo da classificação final na unidade curricular Dissertação.  Todas  as  despesas  em  que  o  aluno  incorrer  como  resultado  da  execução  da  dissertação  devem  ser  suportadas  pela  organização,  pelo  que  é  necessário  que  o  aluno,  o  orientador  e  o  elemento  de  apoio  na  organização façam uma estimativa dessas despesas antes de se iniciarem os trabalhos e redijam um acordo  sobre o tipo de despesas que vão ser pagas, o valor máximo que estas poderão atingir e procedimento de  pagamento. Entretanto, outras formas de remuneração do trabalho poderão ser definidas com o aluno sem  que seja necessário o conhecimento ou aprovação da Comissão Directiva do Curso de Mestrado respectivo.  A organização deve disponibilizar os recursos necessários à execução do trabalho planeado. 

5.
 

Processo de Admissão a Dissertação 

A unidade curricular Dissertação tem por objectivo proporcionar ao aluno uma oportunidade de explorar  em profundidade um assunto particular relacionado com o curso, aplicando os conhecimentos, aptidões e  experiências  adquiridos  na  parte  lectiva  do  curso  e  desenvolvendo  novas  competências  em  resultado  do  trabalho realizado.   

5.1.
 

Candidatura a Proposta de Tema de Dissertação 

No início de cada ano lectivo será colocado à disposição dos alunos um conjunto de propostas de tema de  dissertação  que  formalizam  temas  avançados  por  professores  ou  investigadores  doutorados  da  Universidade do Minho, por organizações ou por alunos. Associado a cada proposta de tema de dissertação  existirá um orientador, que será um professor ou investigador doutorado da Universidade do Minho cujas  áreas de investigação ou interesse incluam o tema versado na proposta de tema de dissertação.  As propostas de tema de dissertação devem incluir uma descrição objectiva e clara dos objectivos a atingir  ou do problema a resolver. Essa descrição deverá indicar explicitamente uma forma de verificar quando o  trabalho  pode  ser  considerado  terminado,  quer  por  terem  sido  atingidos  os  objectivos  quer  por  se  ter  encontrado uma solução para o problema.  Os resultados esperados devem estar claramente definidos. Tipicamente, um trabalho de dissertação terá  como  resultado  um  artefacto  conceptual  (entendimento,  modelo  teórico,  análise  crítica),  metodológico  (método,  processo,  procedimento,  orientações  práticas)  ou  tecnológico  (protótipo  de  uma  aplicação,  algoritmo, arquitectura).  Devem ser ainda indicadas as condicionantes a que o trabalho estará sujeito de maneira a clarificar o que é  razoável  definir  como  projecto  de  trabalho,  o  qual  dependerá  dos  recursos  a  que  o  aluno  possa  aceder,  contextos de trabalho e integração com resultados de trabalhos anteriores.  A  proposta  de  tema  de  dissertação  deve  ainda  indicar  os  requisitos  de  confidencialidade  do  trabalho  a  realizar  bem  como  eventuais  remunerações  e  pagamento  de  despesas  que  terão  lugar  no  âmbito  do  trabalho (cf. Anexo I – Formulário de Proposta de Tema de Dissertação).  As propostas de temas de dissertação serão analisadas pelas Comissões Directivas dos Cursos de Mestrado  que,  se  necessário,  trabalharão  com  os  proponentes  e  com  os  futuros  orientadores  de  forma  a  clarificar  e/ou focar a descrição disponibilizada. A cada proposta de tema de dissertação é associado um orientador.  Este orientador poderá ser o próprio proponente, caso o tema tenha sido proposto por um professor ou  investigador  doutorado  da  Universidade  do  Minho,  ou  o  professor  ou  investigador  doutorado  da  Universidade do Minho que haja formalizado o tema proposto por organização ou aluno.  Após  aprovação  pelas  Comissões  Directivas,  o  conjunto  de  propostas  de  temas  de  dissertação  é  então  colocado à disposição dos alunos para que estes se possam candidatar àquelas que mais lhes interessam.  Todos  os  alunos  em  situação  de  poder  realizar  trabalho  de  dissertação  deverão  candidatar‐se  a  uma  ou  mais propostas de temas de dissertação. 

5.2.
 

Selecção de Candidatos a Propostas de Temas de Dissertação 

A  selecção  do  candidato  que  irá  desenvolver  o  projecto  de  dissertação  será  da  responsabilidade  do  orientador da proposta em causa. No caso de temas avançados por organizações, os orientadores deverão  articular a selecção dos candidatos com as organizações, devendo o resultado de tal articulação ser obtido  em tempo útil.  Em cada ano lectivo haverá um número de propostas de temas de dissertação igual ou superior ao número  de alunos em situação de poder realizar trabalho de dissertação. 

5.3.
 

Pedido de Admissão a Dissertação 

Depois  de  atribuídas  as  propostas  de  temas  de  dissertação  aos  alunos,  estes  detalharão  a  proposta  em  conjunto  com  o  orientador,  da  qual  resultará  o  plano  de  trabalhos.  O  aluno  terá  cerca  de  um  mês  para  elaborar  este  plano,  o  qual  deve  incluir  um  conjunto  de  tarefas  exequíveis  no  período  de  tempo  correspondente aos créditos ECTS atribuídos à Dissertação (1 crédito corresponde a 28 horas de trabalho).  No Anexo II disponibiliza‐se o formulário do plano de trabalhos. Avança‐se com a indicação de três a cinco  páginas para a dimensão do plano de trabalhos. 

Na  elaboração  do  plano  de  trabalhos,  o  aluno  será  auxiliado  pelo  seu  orientador  e  pela  equipa  docente  responsável pela leccionação dos primeiros 15 ECTS da unidade curricular Dissertação, a qual é ministrada  formalmente durante o terceiro semestre do Curso de Mestrado (Dissertação‐Acompanhamento).  O aluno poderá pedir admissão à Dissertação quando satisfizer as condições previstas no Regulamento do  respectivo Curso de Mestrado. Nessa altura, o aluno deverá preencher um formulário próprio (cf. Anexo III  – Ficha de Admissão a Dissertação), o qual deve ser acompanhado pelo plano de trabalhos, bem como de  outros documentos estipulados pelas determinações em vigor. Esta documentação, em suporte electrónico  (formato PDF) e em papel, deve ser entregue na Secretaria do DSI, que a encaminhará para apreciação e  eventual  aprovação,  sucessivamente,  pelos  seguintes  órgãos:  Comissão  Directiva  do  Curso  de  Mestrado  respectivo, Direcção do DSI e Conselho Pedagógico da Escola de Engenharia da Universidade do Minho. 

6.
 

Fases Principais da Dissertação 

Depois de ter sido atribuída uma proposta de tema de dissertação e delineado um plano de trabalhos, e  havendo a expectativa de o aluno obter a aprovação para o seu requerimento de admissão a dissertação, o  aluno  poderá  iniciar  o  seu  trabalho,  o  qual  incluirá  as  actividades  abaixo  indicadas  que  deverão  ser  realizadas no tempo correspondente aos 45 créditos equivalentes a 1260 horas de trabalho a realizar em  três trimestres (30 semanas a 42 horas de trabalho por semana). 

6.1.
 

Elaboração do Projecto de Dissertação 

Seguidamente  à  elaboração  do  plano  de  trabalhos,  o  aluno  deverá  elaborar  o  projecto  de  dissertação  (também conhecido por pré‐dissertação). Este documento clarificará (i) o tema a abordar através de uma  revisão de literatura cuidada, (ii) o problema a resolver, (iii) o método de investigação que irá utilizar para  propor uma solução, (iv) as técnicas de investigação que irá aplicar para recolher e analisar informação e (v)  a calendarização das tarefas e os resultados que espera obter.  Na elaboração do projecto de dissertação, o aluno será auxiliado pelo seu orientador e pela equipa docente  responsável  pela  leccionação  dos  primeiros  15  ECTS  da  unidade  curricular  Dissertação  (Dissertação‐ Acompanhamento).  O  projecto  de  dissertação  será  sujeito  a  uma  avaliação  no  final  do  período  de  tempo  destinado  à  sua  elaboração. Essa avaliação será realizada por um professor ou investigador doutorado da Universidade do  Minho. A avaliação do projecto de dissertação será tomada em conta na avaliação final da dissertação.  A  escrita  do  projecto  de  dissertação  tem  por  principais  objectivos  (i)  clarificar  o  âmbito  e  objectivos  do  trabalho,  (ii)  estruturar  a  informação  recolhida  durante  a  revisão  de  literatura  de  forma  a  clarificar  a  relevância do trabalho a realizar e do método de investigação a usar, (iii) apresentar e justificar o conjunto  de  actividades  a  realizar  para  atingir  os  objectivos  definidos,  (iv)  identificar  os  resultados  esperados  e  (v)  clarificar o contributo que se espera que os resultados possam dar para a teoria e prática em Sistemas de  Informação  ou  em  Serviços  de  Informação.  No  Anexo  IV  apresenta‐se  a  estrutura  referencial  para  o  projecto  de  dissertação.  Avança‐se  com  a  indicação  de  25  a  50  páginas  para  a  dimensão  do  projecto  de  dissertação (não contando índices, referências e bibliografia).  Uma  definição  cuidada  do  projecto  de  dissertação  poupará  muito  tempo  na  escrita  do  relatório  de  dissertação  já  que  apenas  será  necessário  completar  o  texto  com  o  conhecimento  desenvolvido  pela  realização das tarefas planeadas e com a descrição daquilo que efectivamente foi feito e conseguido.  Ao escrever o projecto de dissertação, o aluno está a expressar o seu entendimento do tema e da forma  como  o  estudo  pode  ser  realizado.  Quanto  mais  detalhada  for  essa  descrição,  mais  fácil  será  obter  um  retorno  adequado  sobre  as  falhas  e  enviesamentos  que  esse  entendimento  possa  ter,  bem  como  obter  críticas  construtivas  sobre  o  conjunto  de  tarefas  que  pretende  realizar,  numa  altura  em  que  ainda  é  possível fazer reajustamentos de forma a assegurar o sucesso da dissertação. 

6.2.
 

Realização do Projecto de Dissertação 

Após a avaliação do projecto de dissertação, supondo‐se que o aluno obteve aproveitamento e que o seu  requerimento  de  admissão  a  dissertação  foi  aprovado,  o  aluno  deverá  integrar  os  comentários  e  recomendações  recebidos  de  forma  a  aprofundar  o  seu  entendimento  do  tema  e  a  melhorar  o  plano  de  investigação. A seguir começará a implementar o plano previamente definido.  Durante a realização da sua investigação é natural que o aluno se depare com nova bibliografia relevante,  que estabeleça contactos com outros investigadores que acrescentem ou desafiem os seus pressupostos e  que  sinta  necessidade  de  fazer  pequenos  ajustes  ao  plano  de  maneira  a  fazer  face  a  circunstâncias  inesperadas. O processo de dissertação é dinâmico e requer frequentemente a revisão dos resultados de  fases anteriores em consequência da aprendizagem inerente ao processo.  Nesta  fase,  o  aluno  aplica  conhecimentos  e  competências  desenvolvidos  na  parte  lectiva  do  seu  curso,  aprofundando‐os e estendendo‐os pela experiência na primeira pessoa dos conceitos e práticas abordados  nas  unidades  curriculares  que  frequentou.  Para  além  das  competências  técnicas  e  científicas,  o  aluno  deverá desenvolver autonomia, capacidade de emitir juízos e tomar decisões em situações complexas e de  incerteza,  competências  de  comunicação  e  auto‐aprendizagem.  O  aluno  deve  ainda  procurar  estender  a  sua  rede  de  relacionamentos  nas  comunidades  científica  e  profissional  que  constituem  a  audiência  potencialmente interessada nos resultados dos seus trabalhos de dissertação.  O  aluno  deverá  participar  em  sessões  de  partilha  a  decorrer  regularmente  segundo  um  plano  a  disponibilizar  todos  os  anos.  Nestas  sessões  participarão  os  alunos  em  dissertação  e  respectivos  orientadores,  podendo  ainda  ser  convidados  especialistas  em  Sistemas  de  Informação  ou  em  Serviços  de  Informação e de áreas afins, do meio académico e empresarial nacional e internacional.  A  todos  os  alunos  a  realizar  dissertação  é  pedida  a  publicação  dos  resultados  em  eventos  e  revistas  científicas  nacionais  ou  internacionais  como  forma  de  divulgar  os  resultados  obtidos.  Publicações  conseguidas  antes  da  ocorrência  das  provas  públicas  deverão  ser  tidas  em  consideração  na  classificação  final do aluno na unidade curricular Dissertação. No caso de dissertações em organizações será necessário  incluir no acordo os termos de divulgação no meio científico. 

6.3.
 

Escrita do Relatório de Dissertação 

O relatório de dissertação começa a ser elaborado com a escrita do projecto de dissertação e termina no  final de todo o processo com a entrega da versão final aprovada pelo orientador. Apesar da dimensão deste  relatório  variar  de  dissertação  para  dissertação,  avança‐se  como  indicação  que  o  relatório  não  deve  exceder as 100 páginas. Este limite não inclui o resumo, abstract, índices, referências e bibliografia, anexos  e apêndices.  A estrutura do relatório de dissertação deve ser acordada com o orientador do trabalho. Reconhecendo‐se  que não existem regras aplicáveis a todas as dissertações e que os relatórios de dissertação apresentarão  estruturas adaptáveis à natureza do tema tratado, no Anexo V apresenta‐se uma estrutura referencial para  o relatório de dissertação.  O  aluno  deverá  adoptar  as  “Normas  para  a  Formatação  das  Teses  de  Mestrado  e  de  Doutoramento  da  Universidade  do  Minho”  aprovadas  pelo  Despacho  RT‐32/2005  e  constantes  dos  respectivos  anexos  (http://www.uminho.pt/Default.aspx?tabid=8&pageid=650).  O  processo  de  escrita  da  dissertação  trará  grandes  desafios  ao  aluno  na  medida  em  que  é  um  processo  essencialmente solitário e dependente da capacidade do aluno em transpor para um formato escrito a sua  experiência  de  investigação.  Esta  capacidade  está  largamente  associada  à  disponibilidade  mental  e  emocional do aluno no momento em que decide acrescentar algo ao texto que tem vindo a escrever.  No Anexo VI apresentam‐se recomendações a ter em consideração quando se está a escrever o relatório de  dissertação. 

6.4.
 

Submissão do Relatório de Dissertação 

Tendo escrito o texto final da dissertação e após obter o parecer de aceitação do seu orientador, o aluno  deve  requerer  a  realização  das  provas  de  avaliação  junto  da  Divisão  de  Pós‐Graduação  dos  Serviços  Académicos da Universidade do Minho, seguindo as determinações em vigor.  Os exemplares da dissertação, em versão impressa e digital, devem ser entregues directamente pelo aluno  na Divisão de Pós‐Graduação dos Serviços Académicos da Universidade do Minho, conforme determinações  em vigor.  A entrega atrasada do relatório poderá implicar a não avaliação do mesmo no ano lectivo em curso. Após a  submissão  do  relatório  será  formado  um  júri  para  avaliação  do  trabalho  e  a  data  da  prova  pública  de  natureza oral é definida e comunicada ao aluno. 

6.5.
 

Avaliação da Dissertação 

A  classificação  final  a  atribuir  na  unidade  curricular  Dissertação  será  calculada  por  aplicação  da  seguinte  fórmula:  Classificação  Final  Dissertação  =  10%  Classificação  Dissertação‐Acompanhamento  +  20%  Classificação do Projecto de Dissertação + 70% Classificação na Prova Pública  em que  Classificação  Dissertação‐Acompanhamento  corresponde  à  classificação  atribuída  pelo  regente  da  responsável pela leccionação dos primeiros 15 ECTS da unidade curricular Dissertação (Dissertação‐ Acompanhamento),  sendo  que  esta  classificação  traduz  o  desempenho  demonstrado  pelo  aluno  nesse período;  Classificação  no  Projecto  de  Dissertação  corresponde  à  classificação  atribuída  ao  projecto  de  dissertação entregue pelo aluno;  Classificação  na  Prova  Pública  corresponde  à  classificação  atribuída  pelo  júri  ao  relatório  de  dissertação,  à  apresentação  realizada  na  prova  pública  e  à  defesa  oral  do  trabalho  realizada  pelo  aluno nessa prova pública.  Para  casos  comprovadamente  excepcionais  e  pontuais,  as  Comissões  Directivas  dos  Cursos  de  Mestrado  poderão proceder a ajustes mínimos na fórmula anterior, mediante despacho escrito fundamentado.  O  aluno  deve  estar  consciente  que  a  aprovação  por  parte  do  seu  orientador  do  trabalho  realizado  e  dos  resultados obtidos não garante a aprovação na prova pública e que aquela aprovação não poderá servir de  base a um recurso da classificação que vier a obter naquela prova.  A prova pública nos Cursos de Segundo Ciclo em Sistemas de Informação e em Serviços de Informação tem  a duração máxima de noventa minutos. Nessa prova espera‐se que o aluno faça uma apresentação do seu  trabalho  com  uma  duração  máxima  de  vinte  minutos  e  responda  às  questões  colocadas  pelo  júri,  sendo  proporcionado ao aluno tempo idêntico ao utilizado pelos membros do júri.  O relatório de dissertação será avaliado de acordo com os critérios gerais abaixo apresentados, podendo  acontecer que nem todos sejam relevantes para dissertações específicas:  • • Apresentação clara do tema do trabalho, problema abordado, objectivos a atingir e hipóteses  ou pressupostos orientadores;  Revisão crítica da literatura relevante, a qual estabeleça relações claras entre a teoria de apoio  e estudos similares e a investigação realizada, de forma a estabelecer claramente a relevância  do trabalho realizado e dos resultados obtidos;  Justificação subjacente à investigação realizada;  Apresentação clara do estudo efectuado e da informação recolhida e analisada;  Análise  crítica  dos  resultados  obtidos  com  referência  à  informação  recolhida  e  literatura  consultada  bem  como  apresentação  de  uma  apreciação  crítica  sobre  a  validade  e  valor  da  investigação e resultados obtidos; 
10 

• • •

• • • •

Demonstração de sensibilidade a questões éticas associadas à investigação realizada;  Demonstração  clara  de  um  esforço  de  disseminação  dos  resultados  obtidos  bem  como  colaboração com os seus pares;  Indicação clara dos contributos académicos ou organizacionais dos resultados obtidos;  O texto deve estar escrito em Português ou Inglês claro, fluido e sem erros gramaticais. 

A avaliação do trabalho realizado focará as competências técnicas desenvolvidas pelo aluno, a qualidade da  revisão  de  literatura,  a  capacidade  crítica  que  o  aluno  demonstra  possuir  relativamente  à  informação  recolhida  e  analisada,  a  compreensão  dos  aspectos  teóricos  associados  ao  tema  trabalhado,  a  lucidez  e  coerência  dos  resultados  apresentados  e  a  capacidade  para  definir  e  realizar  projectos  em  Sistemas  de  Informação ou Serviços de Informação de forma autónoma.  No Anexo VII, o aluno poderá encontrar um referencial para o esforço que deverá despender para atingir os  vários patamares de classificação. No entanto, o júri é soberano na sua decisão da classificação a atribuir ao  aluno,  a  qual  incluirá  a  apreciação  do  trabalho  realizado,  do  relatório  e  da  prestação  do  aluno  durante  a  prova.  Na  sua  apresentação  oral,  o  aluno  deve  focar  todos  os  pontos  acima  referidos  de  forma  breve  e  com  o  objectivo de facilitar a compreensão do trabalho realizado e das opções tomadas. A apresentação deve ser  clara  e  segura,  demonstrando  completo  domínio  dos  fundamentos  teóricos,  técnicas  de  investigação  utilizadas e tecnologias aplicadas ou desenvolvidas. Na resposta às questões colocadas pelos elementos do  júri,  o  aluno  deve  demonstrar  dominar  todos  os  detalhes  do  trabalho  que  realizou  e  conhecer  os  contributos  dos  resultados  que  obteve;  deve  ainda  demonstrar  que  fez  uma  reflexão  profunda  sobre  o  trabalho realizado sendo capaz de identificar e justificar eventuais limitações bem como apontar a forma  como poderá ser continuado através de investigação futura.  Seguidamente, indicam‐se situações que consubstanciam casos de insucesso e apontam‐se procedimentos  a adoptar em cada uma dessas situações.    Plágio  Plágio significa utilizar o trabalho de outrem sem o seu consentimento ou reconhecimento explícito dessa  utilização,  apresentando‐o  como  trabalho  próprio.  Este  é  considerado  um  comportamento  grave  e  é  penalizado  com  a  reprovação  do  aluno  na  unidade  curricular  Dissertação,  independentemente  dos  procedimentos  disciplinares  e  criminais  que  possam  vir  a  ser  desencadeados  na  sequência  do  plágio  realizado.  Ao  cometer  plágio,  o  aluno  coloca  em  sério  risco  o  desenvolvimento  das  competências  inerentes  aos  processos de aprendizagem que integram o curso bem como a aprendizagem dos comportamentos sociais  e éticos que devem orientar o profissional em Sistemas de Informação e Serviços de Informação. Para uma  informação  mais  completa  sobre  o  que  é  considerado  plágio  e  como  o  evitar  deve  consultar‐se  http://www.plagiarism.org.    Não submissão dentro do prazo  A  unidade  curricular  Dissertação  tem  a  duração  de  um  semestre  e  meio.  Na  Universidade  do  Minho,  os  semestres lectivos têm a  duração de vinte semanas. A Unidade  Curricular de Dissertação tem assim uma  duração total de trinta semanas, incluindo o período de avaliação. Os relatórios de dissertação deverão ser  entregues  até  à  data  determinada  no  Calendário  Escolar  da  Universidade  do  Minho.  Não  serão  aceites  relatórios entregues após essa data tendo o aluno que se inscrever de novo no segundo ano do curso de  forma a poder entregar o relatório.   

11 

Reformulação recomendada pelo júri  Após a entrega dos exemplares do relatório de dissertação, estes são distribuídos pelos elementos do júri  de avaliação. Este júri fará uma avaliação prévia para determinar se o trabalho tem a qualidade necessária  para ser avaliado em provas públicas, se deverá ser reformulado antes de ser avaliado em provas públicas  ou se deve ser rejeitado por não cumprir os critérios mínimos de qualidade.  No caso de ser necessária a reformulação, o júri indicará o período temporal em que o aluno deverá fazer a  reformulação bem como as reformulações recomendadas. Findo esse período de tempo, o aluno deverá re‐ submeter  o  relatório  revisto.  A  reformulação  da  dissertação  poderá  implicar  a  reinscrição  do  aluno  no  Curso de Mestrado respectivo.  Na  decisão  sobre  a  classificação  na  prova  pública,  o  júri  poderá  ter  em  linha  de  conta  as  razões  que  determinaram o pedido de revisão do relatório.    Reprovação  O aluno reprovará na unidade curricular Dissertação se obtiver uma nota inferior a 9,5 valores em qualquer  uma  das  três  componentes  de  avaliação  indicadas  no  início  desta  secção.  Nestes  casos,  o  aluno  poderá  obter  o  Diploma  de  Especialização,  mas  não  o  de  Mestre.  Para  obter  o  diploma  de  Mestre  terá  que  se  reinscrever no segundo ano do Curso de Mestrado, reformulando o relatório de dissertação ou iniciando  novos trabalhos de dissertação. 

7.
 

Orientação das Dissertações 

Os  professores  e  investigadores  doutorados  da  Universidade  do  Minho  têm  uma  experiência  de  investigação  e  orientação  bem  estabelecida  e  são  vários  os  exemplos  de  trabalhos  de  dissertação  de  elevada qualidade nas áreas dos Sistemas de Informação e dos Serviços de Informação. O objectivo desta  secção  do  Guia  é  o  de  explicitar  as  melhores  práticas  bem  como  informar  os  alunos  sobre  o  que  devem  esperar da sua relação com o orientador.  O orientador da dissertação deve ser um doutorado especialista na área ou tema da dissertação, podendo  ser  o  próprio  proponente  do  tema  da  dissertação  ou  alguém  que  tem  interesse  em  orientar  temas  propostos por alunos ou entidades externas. O orientador estará disponível para apoiar o aluno durante o  período em que este esteja a realizar o seu projecto. Este apoio inclui:  • • • • • • • • • • • Ajudar a focar o estudo, apoiando a definição de um plano de actividades e  a calendarização  dessas actividades;  Aconselhar o aluno sobre a literatura relevante;  Assegurar que o aluno tem acesso aos recursos de que necessita;  Ajudar a definir uma abordagem metodológica adequada ao problema a resolver;  Apoiar a elaboração do projecto de dissertação;  Monitorar a execução dos planos e assegurar o cumprimento das datas definidas;  Ajudar  a  definir  uma  estrutura  para  o  relatório  de  dissertação  e  clarificar  os  aspectos  mais  importantes do processo de escrita do relatório;  Ler  e  comentar  os  textos,  que  o  aluno  deve  submeter  à  sua  apreciação  o  mais  cedo  possível  para que possa integrar os comentários recebidos nos textos subsequentes;  Orientar a escrita de artigos e capítulos de livro;  Informar o aluno sobre a forma como o seu trabalho será avaliado, assegurando que qualquer  tentativa de plágio é prontamente desencorajada;  Definir quando os trabalhos de dissertação e respectivo relatório estão terminados e prontos a  serem avaliados. 

12 

No decurso do processo de dissertação, o orientador estará atento à aprendizagem e desenvolvimento de  competências técnicas, pessoais e interpessoais do aluno:  • • • • • • • • Terá em atenção as normas e expectativas profissionais na área dos Sistemas de Informação ou  dos  Serviços  de  Informação  e  fará  tudo  o  que  for  possível  para  as  transmitir  aos  alunos  cujo  trabalho orienta.  Ajudará  a  desenvolver  a  autonomia  do  aluno  no  que  se  refere  à  procura  de  informação,  desenvolvimento de competências e solução de problemas;  Estará atento ao aperfeiçoamento das capacidades de escrita, análise crítica, emissão de juízos  em situações complexas, apresentação oral do trabalho e aprendizagem autónoma;  Assegurará que o aluno reflecte sobre as implicações éticas e sociais do seu trabalho e das suas  decisões;  Encorajará  a  colaboração  com  colegas  e  outras  pessoas  e  entidades  com  interesse  no  seu  estudo, orientando o aluno nas melhores práticas de colaboração, as quais devem assentar no  respeito mútuo, partilha equilibrada de conhecimento e enriquecimento mútuo;  Definirá as práticas de direitos de autor e atribuição de responsabilidades de investigação que  irão reger a forma como os artigos, capítulos de livro e patentes serão repartidas;  Facilitará  iniciativas  de  networking  apoiando  o  aluno  nas  suas  deslocações  a  eventos  académicos;  Ajudará o aluno a reconhecer e aproveitar oportunidades profissionais. 

A  relação  aluno‐orientador  será  sempre  única,  sempre  dependente  das  características  específicas  das  pessoas  envolvidas  e  das  condicionantes  que  afectam  a  realização  do  trabalho.  Assim,  a  qualidade  da  relação de trabalho depende do esforço e profissionalismo que ambas as partes colocam na sua interacção.  Os  orientadores  têm  a  responsabilidade  de  fornecer  uma  resposta  apropriada  e  em  tempo  útil  às  necessidades  de  orientação  apresentadas  pelo  aluno,  fazendo  comentários  construtivos  ao  material  disponibilizado. Ao aluno cabe a responsabilidade pela qualidade académica da dissertação.     

13 

Anexos 

14 

Anexo I – Formulário de Proposta de Tema de Dissertação    Proposta de Tema de Dissertação de Mestrado 
A proposta de tema destina‐se a apresentar um tema (uma ideia) de dissertação que será disponibilizada  aos alunos, na perspectiva de vir a ser escolhida e materializar‐se numa orientação. 
Mestrado em Organização Proponente Designação, Morada, Telefone, Endereço web (máx 400 chars) Descrição da Organização Sector, Breve história, Número de funcionários (opcional, máx. 400 chars) Pessoa Responsável Sistemas de Informação/Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação/Serviços de Informação

Nome, Cargo, Telefone/Telemóvel, Email (máx. 400 chars) Tema

Título da proposta (máx. 190 chars) Objectivos/Problemas

Descrição dos objectivos do trabalho a desenvolver ou do problema a resolver (máx. 1000 chars) Resultados Esperados e Contributos Competências Requeridas e a Desenvolver Condições Oferecidas para Realização do Trabalho Requisitos de Confidencialidade Restrições de confidencialidade aplicáveis ao trabalho a desenvolver (máx. 200 chars) Conheço e aceito as condições de realização dos projectos de dissertação tal como se encontram descritas no “Guia de Dissertação” do Departamento de Sistemas de Informação Assinatura do Proponente

Principais resultados ou contributos a atingir com o trabalho (máx. 1000 chars)

Competências que o candidato deverá apresentar à partida e competências que desenvolverá no decorrer do trabalho (máx. 400 chars)

Local, Recursos disponíveis, Equipa, Integração com trabalho anterior, Despesas pagas pela Organização, etc. (máx. 400 chars)

 
15 

Anexo II – Formulário do Plano de Trabalhos    Plano de Trabalhos 
O  plano  de  trabalhos  é  elaborado  em  conjunto  com  o  orientador  e  será  submetido  com  o  pedido  de  admissão  a  dissertação.  Este  plano  deve  incluir  um  conjunto  de  tarefas  exequíveis  no  período  de  tempo  correspondente aos 45 créditos ECTS atribuídos à Dissertação (1 crédito ECTS corresponde a 28 horas de  trabalho; cada semana inclui 42 horas de trabalho).  O plano de trabalhos deve apresentar a seguinte estrutura:   
Mestrado em 1) Identificação Aluno: nome do aluno Orientador: nome do orientador Local: local onde serão realizados os trabalhos de dissertação ECTS: 45 2) Tema Tema dos trabalhos de dissertação a realizar 3) Resumo Resumo do trabalho a realizar 4) Enquadramento Enquadramento científico/profissional do trabalho a realizar 5) Objectivos e Resultados Esperados 6) Abordagem Metodológica 7) Calendarização Calendário das actividades a realizar 8) Referências Referências bibliográficas fundamentais à realização do trabalho designação do Curso de Mestrado

Objectivos a satisfazer com a realização do trabalho Resultados esperados da realização do trabalho

Métodos e técnicas de investigação a aplicar

 

16 

Anexo III – Ficha de Admissão a Dissertação    ADMISSÃO A DISSERTAÇÃO/TRABALHO DE PROJECTO 

ADMISSÃO A DISSERTAÇÃO / TRABALHO DE PROJECTO
2º CICLO DE ESTUDOS EM ____________________________

FOTO

(dactilografar ou utilizar letras maiúsculas, bem legível, por favor)

1. ALUNO Nome (Completo)

Nº BI n.º: Morada: CP: Tel.: E-mail: -

ANO LECTIVO: / emitido por

Data de Nascimento: data: /

/ /

/

Telemóvel:

2.DISSERTAÇÃO/TRABALHO DE PROJECTO: Tema:

Objectivos:

17 

3.ORIENTADOR Nome: Categoria: BI n.º: Departamento: emitido por data: / /

4. CO-ORIENTADOR Nome: Categoria: BI n.º: Departamento: emitido por data: / /

5. EMPRESA OU INSTITUIÇÃO Designação: Endereço: CP: Tel: E-mail: Ramo de actividade: NIF: RESPONSÁVEL PELOS RECURSOS HUMANOS (A preencher apenas para Empresas) Nome e título académico ou profissional: Telefone: E-mail: Telemóvel: Fax: Internet: CAE: País:

18 

6. ASSINATURAS Orientador:

Co-Orientador:

Aluno: Director do 2º Ciclo de Estudos: Data Director do Departamento: Data Presidente do Conselho Pedagógico da Escola: Data
Nota: A validade deste documento é de um ano

/

/

/

/

/

/

Observações:

 

19 

Anexo IV – Estrutura Referencial para o Projecto de Dissertação    Estrutura Referencial para o Projecto de Dissertação 
  Seguidamente apresenta‐se uma estrutura referencial para o projecto de dissertação.  Página de Rosto  Indicação  da  designação  do  Curso  de  Mestrado,  título  do  projecto  (poderá  não  ser  final),  identificação do aluno, identificação do orientador e data.    Índices    Enquadramento do Trabalho Proposto  Nesta  parte  do  projecto  deve  ser  explicado  porque  se  considera  que  o  trabalho  planeado  é  relevante. A relevância do trabalho pode ser expressa sob a forma de um problema que precisa ser  resolvido, uma questão de investigação, uma área de desconhecimento que precisa ser preenchida.  O  aluno  deverá  ainda  demonstrar  conhecimento  da  literatura  académica  relevante  e  mostrar  claramente como o seu projecto de dissertação se enquadra na investigação já realizada em torno  do  tema  de  estudo.  Esta  revisão  de  literatura  pode  ainda  não  ser  a  que  será  apresentada  no  relatório de dissertação, mas apenas aquela que é necessária para evidenciar a relevância do tema  e do rigor colocado no método de trabalho definido.    Objectivos da Dissertação e Resultados Esperados  A  partir  do  enquadramento  apresentado  deve  ser  identificado  o  conjunto  de  objectivos  que  orientam o trabalho proposto e que clarificam o que se pretende atingir.  Os objectivos indicados devem ser claros e focados em resultados tangíveis. Os objectivos devem  poder ser atingidos no tempo disponível para realizar o trabalho de dissertação. Não havendo um  número  correcto  de  objectivos  a  apresentar,  o  aluno  pode  adoptar  como  boa  prática  a  definição  entre quatro e seis objectivos claros e precisos.    Abordagem Metodológica  Nesta parte da proposta é descrito o que será feito para atingir os objectivos definidos e justificar  todas as decisões tomadas.  O aluno deve demonstrar que pensou cuidadosamente no método que irá utilizar e nos cuidados  éticos que deverá considerar ao fazer a sua aplicação; deverá ainda identificar os principais riscos  que poderá ter que enfrentar bem como pensa poder minimizá‐los.  A par do método, o aluno deverá apontar as técnicas que pretende aplicar para recolher e analisar  os dados.    Plano de Actividades  O aluno deverá apresentar e descrever  o conjunto de tarefas que irá realizar, definir o tempo de  duração  de  cada  uma  delas,  o  seu  encadeamento  e  os  resultados  a  obter  em  cada  uma  dessas  tarefas.    Referências    Bibliografia (Outros documentos consultados até ao momento da entrega do projecto de dissertação)   
20 

Anexo V – Estrutura Referencial para o Relatório de Dissertação    Estrutura Referencial para o Relatório de Dissertação 
  Capa  Folha de Rosto  Declaração RepositoriUM  Agradecimentos  Resumo  Abstract  Índices  Acrónimos (se aplicável)  Introdução:   • • • • • • • • • • Foco do estudo e sua relevância  Objectivos e enquadramento em Sistemas de Informação/Serviços de Informação  Breve descrição do estudo realizado e métodos/técnicas utilizadas  Estrutura do documento 

Problema Estudado: identifica e formula o problema estudado  Descrição  Quem é afectado e como  Abrangência e impacto do problema  Enquadramento em Sistemas de Informação/Serviços de Informação  Contextualização [social, organizacional, tecnológica] do problema  Soluções propostas anteriormente 

Revisão  de  literatura:  permite  demonstrar  que  o  aluno  conhece  os  estudos  efectuados  por  outros  investigadores na área do  problema estudado; apresenta um sumário e uma crítica  dos contributos mais  relevantes  • • • • • • • • Sinopse da secção e organização dos assuntos  Sumário e crítica dos principais trabalhos na área de estudo  Crítica dos métodos/procedimentos usados nos trabalhos de investigação anteriores  Realce  das  áreas  de  consenso  e  conflito  nas  abordagens  e  resultados  obtidos  na  investigação  anterior  Realce das tendências de investigação nos estudos anteriores  Identificação, a partir da revisão da literatura, das áreas que devem ser investigadas  Relativamente ao problema que se pretende investigar, realçar o que ainda não está resolvido  de acordo com a literatura  Clarificar  de  que  forma  o  problema  que  se  pretende  estudar  irá  cobrir  estas  falhas  de  conhecimento 

Conceptualização do problema a estudar:  nesta parte da dissertação o aluno deve justificar  a necessidade  do  estudo  com  base  no  conhecimento  existente  e  definir  a  questão  de  investigação  e  hipóteses/proposições  associadas.  Devem  ainda  ser  identificados  e  definidos  os  conceitos  principais  a 

21 

utilizar no estudo realizado bem como mostrar como estes conceitos se relacionam entre si e, sempre que  aplicável, explicar a razão dessas relações.  • • • • • • • • Sinopse da secção e organização dos assuntos  Apresentação das teorias que orientam o estudo e das razões da sua selecção  Identificação e discussão dos componentes da teoria  Discussão da aplicação da teoria em estudos semelhantes  Aplicação dos componentes da teoria ao estudo do problema seleccionado  Explicação sobre a forma como a aplicação da teoria ajuda a compreender o problema  Explicação sobre a forma como a teoria permite formular a questão de investigação  Explicação sobre a forma como a teoria ajuda a determinar e justificar o tipo de investigação  empírica e o método que foi utilizado 

Objectivos: Descreve de forma clara os objectivos que se pretendeu atingir.  Descrição do estudo: trata‐se de uma descrição passo‐a‐passo que permite perceber o que foi feito e como  foi feito.  • • • • • • • Sinopse da secção e organização dos assuntos  Paradigma de investigação: positivista/interpretativista/crítico  Justificação do método e técnicas de recolha e análise de dados/materiais empíricos  Selecção de amostra/participantes e respectiva justificação, indicando eventuais limitações  Descrição detalhada dos procedimentos aplicados para cada uma das técnicas usadas  Validações dos instrumentos/técnicas usados  Procedimentos éticos adoptados 

Resultados:  Apresentação  detalhada  dos  resultados  obtidos  e  das  implicações  desses  resultados  de  maneira a apoiar as ideias contidas no capítulo da discussão e conclusões.  • • • • Discussão:  • • • • • • • Apresentar a interpretação dos resultados obtidos  Apresentar uma discussão dos resultados em relação à questão de investigação e resultados de  investigação anterior na mesma área  Contributos científicos e organizacionais do estudo  Usar figuras e tabelas como forma de condensar as ideias descritas no texto  Apresentar  as  análises  quantitativas  e  qualitativas  realizadas  aos  dados/materiais  empíricos  recolhidos  Não apresentar quaisquer ilações a partir dos resultados  Apresentar  apenas  os  resultados  que  são  importantes  para  apoiar  ou  refutar  as  hipóteses/proposições ou objectivos apresentados no início do documento 

Conclusões:  Começar por reiterar os objectivos, resultados obtidos e implicações dos resultados  Apresentar  generalizações  ou  explicações  contextuadas  que  emergem  da  discussão  dos  resultados  Evidenciar a importância do trabalho realizado  Apresentar as limitações do estudo. Nenhum trabalho será alguma vez perfeito ou completo. É,  acima de tudo, importante que apesar dos seus melhores esforços, o aluno reconheça que há  áreas  não  cobertas  pelo  estudo,  generalizações  que  não  foi  possível  fazer,  resultados  não  completos, restrições e condicionamentos das técnicas usadas, etc.  Apresentar recomendações e sugestões para investigação futura ou prática profissional 

Referências e bibliografia 

22 

Anexo VI – Recomendações para a Escrita da Dissertação    Recomendações para a Escrita da Dissertação 
  • Escolher um bom título. O título proporciona um primeiro contacto com o estudo realizado, contém  as palavras mais importantes logo no início, não deve conter palavras ambíguas, pode ser quebrado  em título e subtítulo quando é muito extenso e Inclui palavras‐chave que facilitarão a inclusão do  trabalho numa pesquisa sobre o tema.  Um  dos  maiores  mitos  sobre  escrita  da  dissertação  é  que  ela  começa  no  capítulo  1  e  continua  sequencialmente até ao último capítulo. A abordagem mais produtiva é frequentemente começar  pelas  partes  mais  confortáveis  no  momento  em  que  se  está  a  escrever.  Fazê‐lo  em  todos  os  momentos até completar o texto total. Depois de ter vários capítulos escritos desta forma pode‐se  ter uma visão global do que se foi escrevendo de forma a sequenciar os textos e identificar o que é  ainda necessário incluir no relatório de dissertação.  Ter sempre presente que escrever é essencialmente reescrever.  Ter escrito uma boa proposta de trabalho, assente numa revisão de literatura abrangente, facilita  bastante o processo de escrita da dissertação uma vez que o texto pode ser reutilizado, adaptado e  estendido para reflectir o estudo que foi feito.  Criar as figuras apenas no final da escrita da dissertação. No processo de escrita e revisão poderão  ser  usados  desenhos  feitos  à  mão  ou  desenhados  rapidamente  numa  qualquer  ferramenta  informática fácil de usar. Desta forma poupa‐se tempo quer na inclusão dos pormenores finais quer  nas sucessivas alterações às figuras.  Todas  as  figuras  e  tabelas  devem  ser  seguidas  por  uma  discussão  do  seu  conteúdo.  Se  essa  discussão não parecer necessária, provavelmente a figura ou a tabela também o não é.  A dissertação deve estar escrita de forma clara e coerente. Para facilitar deve preparar‐se uma lista  das  palavras‐chave  mais  importantes  no  contexto  do  estudo  realizado,  a  qual  deve  ser  usada  ao  longo  do  documento.  Nada  é  mais  frustrante  do  que  ler  uma  dissertação  em  que  são  usadas  palavras e expressões diferentes para referir o mesmo conceito.  O  aluno  deverá  consultar  duas  ou  três  dissertações  de  elevada  qualidade  escritas  por  colegas  do  mesmo  curso  de  forma  a  verificar  a  utilização  de  cabeçalhos,  estilo  de  escrita,  tipo  de  letra,  organização  do  texto,  etc.  Desta  forma  poderá  ficar  com  uma  ideia  do  que  se  espera  de  uma  dissertação da área científica no curso.  O  índice  pode  ser  muito  útil  para  ter  uma  primeira  noção  do  que  se  pretende  escrever  na  dissertação.  Por  isso  deve  ser  criado  logo  no  início  do  processo  de  escrita  da  dissertação.  Depois  pode  ser  usado  para  verificar  se  há  algo  importante  que  não  está  ainda  coberto  pelos  vários  capítulos e secções e se a sequenciação dos capítulos e secções é a mais lógica.  Os capítulos destinados a discussão de resultados e conclusões devem esclarecer o significado dos  resultados  obtidos.  Sendo  dos  principais  capítulos  da  dissertação,  é  por  vezes  útil  escrevê‐los  depois  de  alguns  dias  de  afastamento  do  estudo  e  da  escrita  da dissertação.  O  estudo  efectuado  deve ser relacionado com outros referidos na revisão de literatura bem como com a descrição do  problema e objectivos apresentados inicialmente. Devem ser realçadas as implicações científicas e  organizacionais dos resultados obtidos.  Ainda  no  capítulo  das  conclusões,  devem  ser  indicadas  sugestões  para  investigação  futura  numa  secção separada, as quais devem emanar directamente das conclusões do estudo. Estas sugestões  devem  apontar  para  próximos  projectos  e  oferecer  mais  uma  oportunidade  para  o  leitor  compreender a relevância do estudo realizado.  O  aluno  deve  ser  cauteloso  com  a  utilização  de  abreviaturas.  Usar  abreviaturas  apenas  para  expressões  usadas  com  bastante  frequência,  devendo  para  tal  ser  disponibilizada  uma  tabela  de  abreviaturas no início da dissertação. 

• •

• •

23 

Anexo VII – Grelha de Avaliação da Prova Pública    Grelha de Avaliação da Prova Pública 
 
 
Objectivos e  estrutura do  trabalho  Revisão da  Literatura 

[0‐10[ 
Enquadramento e justificação do  trabalho fracos; objectivos  ambíguos; estrutura do relatório  confusa.  A literatura citada é insuficiente  ou irrelevante. 

[10‐13[ 
Enquadra e justifica o trabalho; os  objectivos são claros; a estrutura do  relatório é satisfatória.  A revisão de literatura é adequada;  apresenta alguma visão crítica sobre  os assuntos relevantes para o  trabalho realizado.  Demonstra ter seguido um método  adequado para a realização do  trabalho. 

[13‐16[ 
Bom enquadramento e justificação do  trabalho. Definição de objectivos que  permite identificar quando são atingidos.  Estrutura coerente.  Revisão extensiva da literatura relevante;  crítica adequada da literatura revista. 

[16‐18[ 
Excelente enquadramento e justificação do  trabalho; objectivos focados e definidos de  maneira a permitir identificar quando são  atingidos. Estrutura cuidada.  Revisão extensiva da literatura relevante e  interpretação crítica acrescenta algo ao que se  conhece sobre o tema.  Abordagem metodológica rigorosa, bem  definida e bem justificada tendo em conta os  objectivos e resultados que se pretendiam  atingir. 

[18‐20] 
Excelente enquadramento e justificação do  trabalho; objectivos focados e definidos de  maneira a permitir identificar quando são  atingidos. Estrutura cuidada.  Demonstra domínio da literatura relevante e  apresenta interpretação crítica que acrescenta  algo ao que se conhece sobre o tema.  Metodologia rigorosa e correctamente  definida e justificação assente em literatura  relevante sobre investigação em sistemas de  informação/serviços de informação. 

Abordagem  metodológica 

Não descreve preocupações  metodológicas ou apresenta  falhas graves de compreensão e  aplicação de métodos e técnicas. 

Resultados 

Discussão 

Apresentação incoerente de  resultados (ou falta de  apresentação).  Não apresenta discussão crítica  dos resultados ou não os  relaciona com a revisão de  literatura e objectivos do  trabalho.  Os resultados obtidos são  inconsequentes; não refere  limitações ou trabalho futuro.  Não refere apesar de ser  relevante para o trabalho.  Falta de clareza e coerência dos  textos  Formatação do documento  insuficiente ou desleixada. 

Apresentação adequada dos  resultados obtidos.  Os resultados principais são  discutidos tendo como referência os  objectivos do trabalho e a literatura  relevante. 

Boa definição e justificação da abordagem  usada, com descrição clara dos métodos e  técnicas utilizadas. Demonstra ter algum  conhecimento da literatura sobre  metodologia de investigação em sistemas  de informação/serviços de informação.  Apresentação clara e concisa de  resultados.  Relaciona os resultados com os objectivos  do estudo bem como com entendimentos  e estudos disponíveis na literatura revista. 

Apresentação clara, concisa e esclarecedora  dos resultados.  Relaciona, de forma exaustiva, os resultados  com a literatura revista; apresenta uma  análise crítica da concordância e incoerências  entre o trabalho realizado e entendimentos e  estudos apresentados na literatura.  Contributos académicos e/ou organizacionais  de relevo.  Conhece e integrou as preocupações éticas  relevantes.  Discurso claro e interessante.  Formatação do documento muito boa. 

Excelente apresentação de resultados. 

Conclusões e  contributos  Preocupações  éticas  Estilo de escrita  Forma 

São indicados contributos académicos  e/ou organizacionais.  Conhece as preocupações relevantes  para o trabalho realizado.  Escrita clara e coerente.  Formatação do documento  suficiente. 

Descrição detalhada dos contributos  académicos e/ou organizacionais dos  resultados obtidos.  Conhece e integrou as preocupações  éticas relevantes.  Escrita clara e coerente.  Formatação do documento boa. 

Discussão extensiva e inspiradora dos  resultados tendo em conta os conceitos e  estudos cobertos pela revisão de literatura.  Análise inspiradora sobre as concordâncias  e/ou incoerências com entendimentos e  estudos da literatura revista.  Contributos académicos e/ou organizacionais  inovadores.  Conhece e integrou as preocupações éticas  relevantes.  Discurso seguro, focado e cativante.  Formatação do documento excelente. 

 

24 

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful