Exibição no shopping.

E não é que ela queria que eu a levasse num shopping para que pudesse realizar uma de suas fantasias, que era exibir-se, não como uma prostituta, mas com classe, levemente. Não sei dizer se aquela fantasia me daria prazer ou não, mas acabei concordando com ela. Peguei-a, como sempre, na rodoviária de São Paulo. Provocante, vestia uma saia um pouco acima do joelho que tinha uma fenda na lateral até metade da coxa, e uma blusa preta transparente com um lindo soutien preto por baixo. Quando entrou no carro beijou-me levemente os lábios e disse-me: - Estou sem calcinha! Não podem imaginar como esta frase mexeu comigo. Foi uma dose extra de adrenalina. Pela proximidade, fomos para o Shopping Center Norte. O trânsito caótico da cidade de São Paulo me deixa sempre nervoso, e ela percebendo isso começou passar a mão na minha perna. Como tudo estava parado, nenhum carro andava, percebi que as pessoas que estavam no ônibus ao nosso lado estavam olhando para baixo, bem para meu carro. Neste momento eu também estava com a mão sobre a sua coxa, e as pessoas viam aquilo. Disse-lhe que já estava sendo observada. Apenas riu e continuamos. Suas coxas são lindas e torneadas e a fenda da saia deixava um bom bocado de fora. Penso que se deliciaram ante aquela visão. Seguimos direto para o shopping. Passeamos pelas várias lojas, ela sempre muito provocante, até que chegamos em uma que vendia lingerie. Pediu para provar várias peças e se meteu no provador. Parecia que estava sozinha, mas a loja estava com pelo menos cinco clientes verificando peças no balcão. Chamou-me para que visse um soutien lindo que acabara de experimentar. Mas, pasmem, saiu do provador e ficou mostrando seu dorso nu para todos que ali estavam. E fez desta mesma forma com as outras peças. De saia, sandália alta, e sem calcinha com o dorso nu. Apenas eu sabia do detalhe dela estar sem calcinha, e talvez isto me provocasse tanto. Deu uma desculpa para a vendedora e saímos sem comprar nada. Entramos depois numa loja de calçados. Não preciso dizer que foi loucura total. Pediu vários modelos de sapatos para experimentar e enquanto o rapaz pegava, me disse que daria um jeito, discreto, dele perceber que ela não usava calcinha. Sentei-me de frente a ela para também apreciar o espetáculo. Depois de alguns momentos ele retornou com varias caixas, e começou a abri-las para que ela experimentasse os calçados. Ela, então, num movimento sutil, abriu um pouquinho as pernas e o vendedor deve ter percebido que ela estava sem a calcinha e se demorava bastante colocando e tirando sapatos e mais sapatos dos pés daquela linda mulher. Ela pediu vários outros modelos e ele foi buscar. Mas o danado deve ter falado para um outro vendedor da visão que tivera e voltaram os dois para atende-la. Eu, do meu ponto de visão, podia ver quando ela deixava ou não o moço ver suas partes mais intimas desnudas. Aquilo foi me excitando muito, e ela às vezes ficava de pé para se olhar no espelho. Pedia-me opinião a respeito e olhava de novo no espelho e então trocava de sapato, sempre com a ajuda do vendedor, até que fomos embora sem nada comprar, apenas rimos bastante das caras que os sujeitos faziam enquanto a atendiam. Escolhemos uma loja de roupas femininas que estava bem cheia de gente e entramos. Ela pegou várias peças de roupa para provar. Por sorte o provador era bem grande. Começou a provar as roupas e me chamava para que eu desse minha opinião. Acabei ficando com a cabeça dentro do provador passando pela cortina. Ela estava completamente nua e eu não consegui me conter, passava minha mão pelo seu corpo. Um vestido bem decotado foi a deixa para eu entrar também e ajudá-la com o fecho nas costas. Olhou-me cara a cara e perguntou se eu teria coragem de transar com ela ali dentro. Falei que não teria esta coragem toda, tinha medo de ser surpreendido por alguma vendedora ou mesmo alguma cliente, mas estava cheio de vontade de realizar também uma das minhas fantasias. Beijou-me e passava a mão sobre meu sexo, pedindo para que eu o pusesse para fora que ela ia chupar. Tremia de medo e excitação, mas acabei concordando e ela, então, realizou ali, a minha fantasia e a dela

também. Acabamos. Ela se vestiu e comprou um vestido que havia gostado. Fomos jantar num restaurante dentro do shopping e acabamos a noite num motel próximo, me agradeceu por acompanhá-la nesta fantasia, e a deixei na rodoviária de novo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful