Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007

Radar Esportivo: Diferentes Gêneros Jornalísticos em Um Radiojornal Semanal Ao Vivo na Rádio Universidade – 800 AM1 Tiago Aquiles Ribeiro Medeiros2 Ânderson Barcelos Carpes3 Raero Jornada Monteiro4 Viviana Fronza5 Willian Fernandes Araújo 6 Prof. Gilson Luiz Piber da Silva 7 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria-RS Resumo O Radar Esportivo é o programa jornalístico mais antigo no ar na Rádio Universidade – 800 AM. O radiojornal existe desde a década de 1980 e destaca os eventos esportivos ocorridos em Santa Maria-RS e região. É aberto espaço para diversas modalidades esportivas e para os principais destaques nacionais e internacionais. O jornalismo local é prioridade, assim como a divulgação do esporte amador e olímpico, além das iniciativas de inclusão social através do esporte. A produção, edição e apresentação do Radar Esportivo são feitas por alunos de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria, sob coordenação geral do jornalista e professor Gilson Piber. Palavras-chave Radiojornalismo; gêneros jornalísticos; jornalismo local; jornalismo esportivo; valoresnotícia 1. A importância do radiojornalismo esportivo local O programa Radar Esportivo é um radiojornal que destaca os eventos esportivos locais e regionais, também dando espaço a competições estaduais, nacionais e internacionais. A equipe cobre desde o atletismo até o futebol, sem esquecer o automobilismo, o basquete e o futsal, abrangendo todos os esportes individuais e coletivos em destaque na região. O programa apresenta várias ‘modalidades’ de cobertura, incluindo entrevistas, reportagens, debates, comentários e quadros, divididos nos gêneros jornalísticos informativo, interpretativo, opinativo e analítico.

Trabalho submetido ao XIII Expocom Nacional, na categoria Jornalismo, modalidade Rádio-Jornal, como representante da Região Sul. 2 Aluno-líder do grupo, coordenador da equipe de esportes, repórter esportivo e estudante do 5º Semestre do Curso de Jornalismo da UFSM. 3 Repórter e produtor do Radar Esportivo, estudante do 3º Semestre do Curso de Jornalismo da UFSM. 4 Repórter e produtor do Radar Esportivo, estudante do 3º Semestre do Curso de Jornalismo da UFSM. 5 Repórter e produtora do Radar Esportivo, estudante do 5º Semestre do Curso de Jornalismo da UFSM. 6 Repórter e produtor do Radar Esportivo, estudante do 3º Semestre do Curso de Jornalismo da UFSM. 7 Jornalista formado na UFSM, pós-graduado no Centro de Educação Física e Desportos da UFSM, professor do Centro Universitário Franciscano, comentarista e professor-orientador do Radar Esportivo. 1

1

Gilson Piber. o jornalista da Rádio Universidade. o Radar Esportivo tem a participação de acadêmicos de Jornalismo da UFSM. 2000. 1998. Afinal. similaridade ou. comentários. editor e repórter. pág. No fim de 2005. em fluxo. Em 1991. o jornalismo é uma das poucas coisas que distinguem as emissoras locais de todas as outras. 2. A emissora não possui acervo. duas comunitárias FM e uma emissora educativa AM (Universidade 800 AM). A partir daí. "A força do jornalismo numa emissora de rádio local é o instrumento que dá a ela a sensação de ser verdadeiramente local. caracterizando-se assim segundo Ferraretto: “Corresponde a uma versão radiofônica dos periódicos impressos. O programa é o mais antigo no ar na Rádio Universidade – 800 AM. O comando geral é do jornalista e comentarista esportivo da Rádio Universidade e professor de radiojornalismo. Os assuntos são agrupados por editorias. Gilson Piber. cinco emissoras comerciais FM." (CHANTLER. Estações de rádio locais que querem atingir grande audiência e ignoram o jornalismo correm riscos. mercado financeiro.. incluindo a formulação do atual projeto editorial do programa. 22). O que poderia diferenciar o Radar Esportivo dos outros programas do mesmo gênero em Santa Maria? Uma ampla e completa cobertura local. que será apresentado nas próximas páginas. Santa Maria tem quatro emissoras comerciais de rádio AM. pg. Num mercado cada vez mais disputado. editoriais. trânsito. que atuam nas funções de apresentador. como afirma Chantler. reunindo várias formas jornalísticas (boletins. 2 . mais recentemente.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 Atualmente. os estudantes passaram a realizar todo o trabalho jornalístico do Radar Esportivo.. Cândido Otto da Luz assumiu a condução do programa. – e mesmo entrevistas). mais ela será objeto de interesse dos ouvintes santa-marienses. seções fixas – meteorologia. mas os precursores do radiojornal afirmam que ele existe desde o fim da década de 1980.” (FERRARETTO. passou a ser intensa a participação de acadêmicos. Quanto mais perto da audiência estiver a Rádio Universidade. que é a divulgadora oficial da Universidade Federal de Santa Maria. regiões geográficas. produtor. Radar Esportivo – o som do esporte O radiojornal é um programa de cunho informativo. 55). notícias obtidas na esquina são tão ou mais importantes do que as recebidas de outras partes do mundo. passando em seguida o comando para o também jornalista.

quadros. contemplando diversas formas de expressão jornalística. O mesmo autor afirma que. da explicação de conjuntura. seria ainda mais correto afirmar que se trata de um Informativo Especializado. entrevistas. de acordo com Ferraretto (2000). para leitura de mais de um apresentador). O jornalismo analítico é o exercício da crítica. Há. podendo estar presente em diferentes expressões jornalísticas. O gênero opinativo é mais abrangente. entretanto. analítico e opinativo. podem-se dividir os gêneros jornalísticos em três: informativo. a charge e o boletim: 3 . o qual. comentários e debates estão presentes com maior ou menor freqüência no programa. recursos de sonoplastia ou um boletim sendo aberto com o som de torcida. retrata as informações essenciais da notícia (lead). estão inseridos nessa área qualquer assunto esportivo. a crônica. nacional ou internacional.1 A utilização dos gêneros jornalísticos De acordo com a conceituação de Alves (2005). A notícia manchetada. Notícias manchetadas (dividida em manchetes. Avançando na conceituação do programa Radar Esportivo. para fins de uma análise simplificada. permitem o uso de recursos interpretativos e mantém a atenção do ouvinte.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 Adotando-se esse conceito. 2. por exemplo. sem apresentar um panorama anterior e posterior ao fato. o programa Radar Esportivo é classificado como um radiojornal. assim adequando-se à concisão característica de grande parte dos noticiários radiofônicos. que tenha um poder de análise considerável sobre determinado assunto. “gênero é uma regularidade enunciativa que se estabelece em meio à heterogeneidade da prática lingüística”. Ferraretto (2000) também apresenta o jornalismo interpretativo como um gênero que representa uma ampliação qualitativa das informações a serem repassadas ao público no rádio. como o debate. No caso do programa Radar Esportivo. o qual permite o uso de diferentes abordagens devido a sua restrição quanto ao tema e duração de duas horas. pode adotar a forma de um radiojornal que se concentra numa área de cobertura bem determinada. por um profissional especializado. uma linha-editorial que estabelece como prioritários os assuntos esportivos de natureza regional (Região Central do Estado do Rio Grande do Sul). reportagens. boletins. no entendimento mais básico. O gênero informativo.

também se enquadrando no gênero informativo (se fosse possível uma divisão concreta).6 – Quadros e Comentários 4 . por gravações previamente elaboradas. No último caso. objetivando a narrativa de um fato. a entrevista. 8 Ver mais no item 3. comentário de Gilson Piber. O programa Radar Esportivo tem uma estrutura planejada. quando utilizados. A entrevista de opinião também é utilizada. Importa. em se tratando de rádio. dados. Os elementos mais usados no programa são a notícia manchetada. principalmente nos assuntos locais em que uma contextualização e inter-relação mais elaborada dos fatos são feitas. O caráter dinâmico do programa permite intervenções dos apresentadores. apresentar notícias de última hora (plantão) ou relatar de forma mais completa assuntos importantes.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 “No gênero analítico. mas permite expressões diferenciadas. esporadicamente. A entrevista do programa tem.” (ALVES. via de regra. Os boletins do Radar são utilizados para acompanhar os desdobramentos de um fato (evento. É dada liberdade para os analistas definirem as pautas que adotarão e um tempo considerável. para que formulem seus raciocínios. sendo esta a entrevista que colhe o ponto de vista do entrevistado sobre um assunto. documentos e depoimentos. competição). a reportagem. O debate (de caráter opinativo). Os quadros de opinião especializada8 (comentário sobre automobilismo. possibilitar a descrição do que aconteceu”. No gênero opinativo. o boletim e a opinião especializada. Os quatro gêneros jornalísticos estão presentes no programa Radar Esportivo. mas considerações iniciais já podem ser formuladas. portanto. estão a serviço da força retórica que o autor quer imprimir ao texto. Seguindo a conceituação de Ferraretto (2000). delegando-se ao repórter uma apuração abrangente sobre o assunto. com uma série de elementos fixos. Nos diferentes boletins podem ser exercidos tanto o gênero informativo quanto o interpretativo. é o cabedal argumentativo que sustenta o seu objetivo de convencimento e persuasão. 2005). o que mais conta é a expertise. a palavra do especialista. e é isso que o legitima. A notícia manchetada utilizada no Radar Esportivo se enquadra no gênero informativo. ‘A Regra do Jogo’ e ‘Histórias do Futebol’) são exemplos claros do gênero analítico. O tipo de boletim utilizado no programa é o ‘ao vivo’ combinado. a entrevista noticiosa “é aquela que procura extrair informações do entrevistado. Adiante serão explicadas as diferentes partes do programa. um caráter noticioso. obtendo por vezes uma carga interpretativa maior.

5 . A redação e a edição das notícias no estilo manchetado são tarefas que todos os integrantes do programa desenvolvem. No roteiro está contido o nome. Dessa forma.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 a grande reportagem. a série de reportagens. plantonista e produtor. Escolhemos. A importância se dá nessa seqüência: local>regional>estadual>nacional> internacional. que vai ao ar todos os sábados. no mínimo. sua produção começa no início da semana. entrevistas sobre os fatos mais importantes na semana de abrangência local. seja por telefone ou pessoalmente. preferencialmente. com a presença do apresentador no evento ou ação noticiada. há uma organização em torno de elementos fixos com a possibilidade de variar o programa com outros elementos. principalmente. Isso é feito através de releases divulgados à imprensa ou informações veiculadas pela própria mídia ou. além dos quadros fixos do programa. A cada edição é feito um rodízio e assim distribuídas as funções de cada um: editor. são pensadas na reunião semanal. O estabelecimento desses critérios se dá por três fatores principais: valorização do ‘local’. particularidades da pessoa e os motivos que o levaram a participar do programa. A realização do programa 3. dificuldade de obtenção de material dos grandes centros (a não ser através de reprodução de sites de notícias da Internet) e. a crônica. Tendo como referência os principais eventos esportivos que acontecerão em Santa Maria. elaboramos as pautas. três entrevistados para participar ao vivo do programa. É imprescindível que os apresentadores do programa conheçam os entrevistados e a pauta antecipadamente. o radioteatro e o humor são outras modalidades que se fazem presentes no programa de forma não-periódica.1 A elaboração da pauta Como o Radar Esportivo é um programa semanal. As pautas têm níveis de importância de acordo com sua abrangência. apresentador (dois por programa). 3. pela proximidade geográfica e cultural da Rádio Universidade com o município de Santa Maria. Dentro da estrutura do programa. uma breve apresentação de cada entrevistado. duas reportagens sobre assuntos factuais ou contemporâneos e a cobertura de eventos que aconteçam no mesmo horário do programa através de boletins ‘ao vivo’.

Através dele. regional. em forma de ‘locutor 1’ e ‘locutor 2’. as notícias produzidas pela equipe do Radar Esportivo procuram transmitir ao público assuntos relacionados ao esporte de forma concisa.2 A edição do roteiro A cada edição do programa um integrante assume a função de editor. as notícias são elaboradas contendo sempre uma idéia em cada frase. as informações são transmitidas com mais rapidez e com o objetivo de serem entendidas por um público diversificado. o e-mail do programa. 3. a chamada para as entrevistas. e as trilhas ou músicas que devem entrar no ar. Nesse sentido. o nome dos integrantes. As notícias manchetadas proporcionam maior clareza e objetividade aos assuntos que serão 6 . Na seqüência. A cada edição são impressas quatro cópias do script – duas para os apresentadores. a chamada para os comentaristas do dia. e os telefones para contato com a equipe. em forma de manchetes. nacional e internacional. Cada apresentador lê uma frase da notícia. Cabe a ele redigir o script com as notícias e informações que deverão ir ao ar. O script tem a função de nortear o trabalho que será desenvolvido ao longo do programa e torna-se fundamental para o bom andamento das atividades. o endereço na internet da Rádio Universidade onde o ouvinte pode acompanhar o Radar Esportivo também ao vivo. constam a abertura. O editor de cada programa também acrescenta ao script as entrevistas e os quadros que devem ir ao ar. Todas elas contribuem para fazer do veículo o melhor e o mais eficaz meio de transmissão de fatos atuais.3 Redação e edição das notícias no Radar Esportivo O rádio possui como características a instantaneidade. são destacados os principais assuntos a serem abordados no dia. uma para o editor e uma para o operador de áudio. A opção por esse tipo de script proporciona maior dinamismo ao programa e objetiva a melhor compreensão dos fatos por parte dos ouvintes. a simultaneidade e a rapidez. bem como o horário de cada entrada. Nele. o que sugere que a linguagem utilizada deva ser clara e objetiva.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 3. a temperatura. a hora. estadual. O script é redigido de forma que os dois apresentadores possam intercalar as falas. bem como as notícias relativas ao esporte local. por isso.

2001) Ainda para diferenciar o gênero interpretativo do gênero informativo.depende. tanto 7 . A investigação jornalística muitas vezes torna-se um desafio. A este respeito. seu formato. Noticiar. exclusivamente. o objetivo é mostrar ao ouvinte as várias conseqüências que um fato pode gerar. Para Medina (1988). Questionar essa contratação é opinativo. concedendo à fonte o direito de ser como é e ao público o direito de escolher de que lado ficar”. tipo de texto ou seu conteúdo. a música. A escolha de quais e quantos destes elementos vão integrar a comunicação radiofônica . no gênero informativo trata-se apenas de relatar os fatos. suas significações indiretas e seu contexto. (LAGE. por exemplo. Dessa não-militância é que resulta sua competência moral para o desafio.e também o momento em que devem aparecer . compromissos de classe e de cultura – possam registrar os fatos e as idéias do nosso tempo com honestidade. não podemos esquecer as influências que os jornalistas sofrem ao longo da formação escolar e da própria vida. do resultado que se pretende. Estes elementos podem ser utilizados em qualquer comunicação radiofônica. A capacidade de desenvolver espírito crítico e de ter idéias próprias a respeito dos fatos do mundo é que determinará o potencial do texto interpretativo. Nilson Lage (2001) afirma: “Jornalistas não são sacerdotes nem se espera que sejam militantes de causa alguma. Essas notícias compõem dois gêneros jornalísticos que fazem parte do Radar Esportivo: informativo e interpretativo. No gênero interpretativo. estudando suas origens. Analisar os ganhos e as perdas do clube com essa contratação e a aceitação da torcida. É um texto que se diferencia do meramente informativo e mesmo do simplesmente opinativo. Devem desenvolver uma persona profissional tal que – a despeito de crenças e valores pessoais. muito além do mero informativo. independente do seu tempo de duração. é informativo. No texto opinativo trata-se de mostrar claramente o pensamento do veículo de comunicação (Editorial) ou do articulista (matéria assinada). o gênero interpretativo vê exatamente essa investigação sobre os antecedentes do fato. embora alguns autores não vejam tanta diferença entre interpretativo e opinativo.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 abordados pelo programa. os efeitos sonoros e o silêncio. O gênero interpretativo está relacionado com o jornalismo investigativo. analisando suas implicações. Para se fazer um rádio de qualidade. A linguagem do rádio tem suas bases em quatro elementos: a palavra. é interpretativo. a contratação de um jogador por um clube de futebol. De forma sucinta.

a escolha dos elementos se dá justamente em cima deste objetivo: fazer-se entender pelo ouvinte. temas de caráter local-prático e imprevisibilidade contribuem para uma melhor compreensão das motivações que levam os jornalistas à inclusão de determinadas pautas em seu veículo. 8 . quanto de entretenimento. 2001) 3. .2. Nesse sentido. é preciso passar ao ouvinte uma mensagem clara. ou seja. Interesse . “dito de outro modo o conjunto de requisitos que se exige de um acontecimento para que ele adquira existência enquanto notícia”. captar. Aspectos como notoriedade. Segundo Hohlfeldt (2001). o Radar Esportivo utiliza-se de valores-notícia para fazer a cobertura dos esportes em nível local e regional. por sua vez. Estes valores são praticamente infinitos. mas segundo Hohlfeldt (2001) são comumente agrupados em cinco grandes categorias. . se transformando em notícia”. A noticiabilidade está regrada por valores-notícia.grau e nível hierárquico dos indivíduos envolvidos no acontecimento. a aptidão potencial de um fato para se tornar notícia ou. críticos e descrentes). subdivididas em outras tantas. No caso do programa Radar Esportivo podemos destacar alguns valoresnotícia utilizados para a divulgação das notícias relacionadas ao esporte local e regional: Categorias Substantivas – Ligam-se ao acontecimento em si e seus personagens e subdividem-se nos quesitos: importância e interesse.interesse humano – porém não para o lado sensacionalista dos fatos que ocorrem no mundo esportivo. de serviço. . o processo produtivo e a legitimação das notícias determinam o conceito de noticiabilidade.capacidade de entretenimento. “conjunto de elementos e princípios através dos quais os elementos são avaliados pelos meios de comunicação de massa e seus profissionais em sua potencialidade de produção de resultados e novos eventos. interesse público.quantidade de pessoas envolvidas no acontecimento. Então. O ouvinte deve entender.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 informativo. (HOHLFELDT. Importância .relevância e significação do acontecimento quanto à sua potencial evolução e conseqüência.1 Critérios para a cobertura jornalística no Radar Esportivo Os valores-notícia (news values) sempre se mostraram um critério de análise interessante e eficiente dentro da Teoria do Jornalismo (que ainda encontra não poucos antipatizantes.

4 Produção O trabalho de produção do Radar Esportivo é comum à maioria dos radiojornais ao vivo: gerenciamento de tempo. concisão e objetividade. recepção de convidados que participam do estúdio. São elas: A) brevidade B) atualidade C) qualidade D) equilíbrio Categorias relativas aos meios de informação – referem-se à quantidade de tempo usado para a veiculação da informação. Os produtores acabam por fazer com que todo o trabalho realizado durante a semana se 9 Usa-se o termo “concorrente” apenas no sentido de serem todas as rádios candidatas à audição de quem está em casa ou no estádio acompanhando a partida. as notícias esportivas locais e regionais obedecem ao critério da relevância. 9 . A) estrutura narrativa – clareza. que é o que determina o tempo do programa que será destinado a elas. Porém. A produção é fundamental para que o programa tenha um bom andamento.composição equilibrada do programa – notícias locais e regionais são divulgadas procurando abordar tanto acontecimentos que contenham informações alegres quanto àqueles que tristes. a exclusividade ou primazia na divulgação. impressão do script e o apoio ao técnico de áudio para selecionar a ordem de veiculação do material gravado. que faz parte dessa categorização.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 . 3. A) freqüência B) formato Categorias relativas ao público – referem-se à imagem que o profissional ou veículo possuem de seus receptores e o modo pelo qual se preocupam em atendê-lo. contato com os entrevistados que entram por telefone. Categorias relativas à concorrência – como o Radar Esportivo é um programa desenvolvido por acadêmicos e veiculado na Rádio da Instituição não há essa preocupação direta com a concorrência9. é buscada pelo programa.Dizem respeito à disponibilidade de materiais e características específicas do produto jornalístico. Categorias relativas ao produto (notícia) . No caso do Radar Esportivo. A Rádio Universidade não visa a briga voraz pela audiência ou por publicidade.

2 Boletim ao vivo Uma forma de dar credibilidade ao programa é fazer boletins. Em cada boletim. o repórter poderá ainda. As pautas sempre têm relação com Santa Maria e região central do Rio Grande do Sul. a equipe de reportagem realiza matérias (ou uma série) contemporâneas sobre a realidade esportiva da cidade. Isso dá ao ouvinte o efeito de referencialidade dos fatos divulgados no boletim. Isso possibilita a realização reportagens sobre os eventos. Nossos repórteres acompanham o que de mais importante ocorre em diversas modalidades.5 O trabalho da reportagem 3. hinos ou músicas que sirvam para contextualizar o fato e situar o ouvinte dentro do acontecimento. fazer uso da mobilidade do rádio para descrever o ambiente. Recursos de sonoplastia são comumente usados na cobertura local. reduzindo muito as surpresas reservadas para um radiojornal ao vivo. de eventos esportivos que estejam acontecendo paralelamente ao programa. As reportagens gravadas no Radar Esportivo apresentam dois tipos de pautas factuais: eventos que se realizam durante a semana com repercussão na cidade e atos que ainda irão acontecer nos próximos dias. Por vezes. bom ritmo e dinamismo. além da edição final com trilhas. Num boletim.5. captar sons ou até mesmo o que sentem as pessoas entrevistadas. Ao finalizar o repórter não 10 . A utilização de áudios da internet acaba sendo a única saída para se fazer algo diferente sobre eventos que ocorrem fora de Santa Maria. utilizando depoimento dos envolvidos e (ou) sons da competição e da torcida. através do som ambiente captado no próprio evento e entrevistas. clareza.5. Esses áudios são retirados de outros meios de comunicação. alguma data histórica importante ou.1 Reportagem gravada Os eventos esportivos que acontecem em Santa Maria têm cobertura do Radar Esportivo. É importante certificar com antecedência o tempo disponível de cada boletim.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 concatene com o feito durante o programa. que disponibilizam suas transmissões na Internet. relacionando assuntos ligados à atividade física e ao incentivo público dado ao esporte. é necessário ter objetividade. Essas gravações amadoras são disponibilizadas em sites como o “Youtube”. até mesmo. 3. 3. ou de gravações feitas por expectadores desses eventos. ao vivo.

buscando descobrir através desses profissionais (que detêm informação) aspectos pouco divulgados do esporte local. tem um papel de manter o ouvinte informado com as últimas notícias do esporte. influi no andamento da outra. como o exemplo a seguir: “Direto do Centro Desportivo Municipal. é usada a assinatura padrão do Radar Esportivo para encerramento da participação do repórter.1 Testemunhos do Esporte: entrevistas com cronistas esportivos de fora de Santa Maria O desenvolvimento da internet fez com que uma grande quantidade de informações esteja à disposição do usuário. e faz intervenções no programa dando parciais de resultado. Outro atrativo do quadro é a possibilidade de relação.6. 10 No caso do boletim ao vivo. entre o esporte da região do entrevistado e a região central do RS. rádio ou internet.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 pode esquecer as ‘deixas’10 e ‘ganchos’ com o apresentador no estúdio. tornando a leitura de notícias da Internet uma prática usual no meio radiofônico. de comparação. Entretanto. na Internet? E qual a relevância dessas informações para os ouvintes de cidades deslocadas dos grandes centros esportivos.6 Quadros e Comentários 3.3 Repórter de plantão Para um dos repórteres do Radar Esportivo é delegada a função de fazer o acompanhamento dos eventos esportivos que ocorram simultaneamente. evitando possíveis ‘buracos’ ou espaços desnecessários entre as passagens dentro do programa. como as da região central do Rio Grande do Sul? Essas são questões difíceis de serem respondidas. A idéia principal do quadro é de conversar com comunicadores de diferentes partes do país ou até do mundo. Essa função é amplamente utilizada na transmissão de jogos de futebol. 3. ou resultado final. As notícias esportivas aos níveis nacional e internacional estão agora muito mais próximas do radialista. O repórter fica acompanhando na televisão. e foi na busca por soluções para esses problemas que a equipe do Radar Esportivo criou o quadro ‘Testemunhos do Esporte’. qual o interesse do ouvinte em saber notícias que ele mesmo poderia acessar. Novos atletas. 3. quando duas ou mais partidas ocorrem no mesmo horário e o resultado de uma. gratuitamente. Nos radiojornais. repórter Tiago Medeiros.5. para o Radar Esportivo. incentivo ao esporte e análise de equipes são temas centrais do quadro. 11 .

comentando também fatos inusitados e engraçados que ocorrem durante a semana. dentro do Radar Esportivo. combinado com trilhas que caracterize o humor. 3.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 3. Devido ao amplo conhecimento das regras desses dois esportes. sim. Além da opinião especializada. nomeado Johann Kingston. Para fazer o quadro utilizamos o registro em áudio. descontraído. O árbitro da Federação Gaúcha de Futebol.6. principalmente. intitulado como historiador dinamarquês. Síndio Machado.2 Mancadas do Futebol: a charge presente no rádio esportivo ‘Mancadas do Futebol’ é um quadro humorístico baseado em fatos da semana. na Dinamarca. 3. Síndio Machado também traz curiosidades 12 . especialmente futebol. interativo e. Kingston faz previsões relacionadas ao esporte nacional e internacional. buscando diminuir a formalidade do radiojornal.3 Profecias do Esporte: humor e jornalismo opinativo juntos O radiojornalismo esportivo sempre se caracterizou por ser objetivo. A aceitação do público foi positiva e o quadro ganha cada vez mais credibilidade com o ouvinte.6. Com base no bom humor. fazendo a contextualização. que acabam tendo repercussão.6. esse comentário ao vivo se enquadra no gênero analítico. O quadro ‘Profecias do Esporte’ traz previsões feitas por um personagem fictício. É colocado após um bloco de notícias. Ao acertar o placar. tem o mesmo papel que as charges no jornalismo impresso. O ‘Mancadas de Futebol’. informal. na segunda hora do programa. Após alguns programas. uma análise de um especialista em arbitragem.4 A regra do jogo: o Radar Esportivo ‘de olho no apito’ O quadro ‘A regra do jogo’ abre a segunda hora do Radar Esportivo. inclusive o nome do jogador que marcou o gol num clássico da cidade. foi avaliado o comportamento do público. Residente em Odense. O quadro é precedido de uma notícia sobre o fato. comenta fatos importantes da semana envolvendo a arbitragem de futebol e futsal. Também é incluído um texto introduzindo o áudio. O objetivo é fazer uma sátira com algumas gafes cometidas por pessoas do meio esportivo. Kingston ganhou destaque na programação. já que não é apenas uma opinião e. O ouvinte se identificou com o quadro e passou a elogiá-lo através de telefonemas e e-mails. Geralmente essas ‘mancadas’ vêm de frases engraçadas. surgiu a idéia de criar um quadro no qual o Radar pudesse descontrair o ouvinte. ou de colocações polêmicas.

5 Histórias do Futebol: o interior gaúcho em destaque no Radar O veterinário e pesquisador de futebol.6. Engel tem um dos maiores acervos de dados sobre o futebol no interior do Rio Grande do Sul. Indy.7 Comentário de Gilson Piber A análise dos fatos mais importantes do esporte local está no comentário de Gilson Piber. Sérgio Cláudio Engel mora em Cachoeira do Sul e participa do Radar logo depois do quadro ‘A regra do jogo’. ao lado de Antonio Augusto Pena. 3. transmitida pela Rádio Universidade. fardamento. A cidade tem uma pista de veloterra e um autódromo. pela agência júnior “Jornadas Esportivas” e eventos esportivos de destaque na cidade. apaixonado por esporte de motor e provas de velocidade. operador de áudio. sempre envolvendo algum lance polêmico da semana. desde a criação do primeiro clube do Brasil.6 Comentário de Renato Molina sobre automobilismo Na primeira hora do Radar Esportivo. O comentarista ainda atua em partidas do campeonato gaúcho de futebol. O comentarista oficial das transmissões esportivas da Rádio Universidade e professor orientador do Radar Esportivo é formado em Jornalismo e pós-graduado no Centro de Educação Física e Desportos da UFSM. Sérgio Cláudio Engel.6. a participação dos times de Santa Maria no Campeonato Gaúcho de Futebol. Gilson Piber enfatiza. Renato Molina faz um comentário ao vivo no estúdio. 3. único especializado na divulgação do automobilismo na região central do Rio Grande do Sul.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 da regra do futebol. bola. clássicos do interior do Estado. o Sport Club Rio Grande. Ele apresentou. Esse quadro antecede o debate da reportagem que encerra o Radar Esportivo. realizando eventos periódicos. é colaborador do Radar Esportivo com um comentário ao vivo semanal no quadro ‘Histórias do Futebol’. estádios e principais jogadores das equipes do RS. 13 . 3. Renato Molina é radialista.6. sempre assuntos como história dos clubes. detalhes sobre a evolução do transporte. fundado em 19 de julho de 1900. o programa “Fórmula Uni”. Renato Molina comenta sobre provas de Fórmula 1. Na sua pauta. Moto GP e sobre competições locais e regionais desenvolvidas em Santa Maria. A pauta é automobilismo. em sua análise semanal.

4. Fato importante que mereceu destaque neste programa especial de fim de ano. Porém. Em entrevista gravada. aconteceu a primeira jornada esportiva de futebol. No dia 28 de maio. Em entrevista gravada. A mesa-redonda do Radar Esportivo.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 3. Carlos Garibaldi Scherer. comentou que 14 . e ele por vezes ocorre. porém não há constrangimentos em relação ao embate de idéias. Com isso a Rádio Universidade se credenciava como a primeira rádio jovem a transmitir uma partida de futebol profissional. O basquete de Santa Maria trabalhava de forma intensa para colocar uma equipe na disputa do estadual masculino de basquete em 2007. O ano de 2006 teve também uma novidade na programação da Rádio Universidade. na Itália. o presidente da liga santa-mariense de basquete. o atleta ainda não havia atingido seu objetivo principal: o índice para os Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro. na maioria das vezes. O maratonista santa-mariense. O programa fez um balanço dos principais acontecimentos no esporte amador e profissional em Santa Maria e no estado do Rio Grande do Sul. se configura como um painel. Claudir Rodrigues. teve um excelente ano em 2006. entre elas o primeiro lugar na Maratona Internacional de Porto Alegre e também o primeiro lugar na Maratona Internacional de Blumenau em Santa Catarina. podendo haver eventuais discordâncias. Claudir contou as principais conquistas. Avaliação do programa de 23/12/2006 O Radar Esportivo do dia 23 de dezembro de 2006 foi um programa especial de fim de ano. Ele ainda teria a oportunidade na Maratona Internacional de Roma. Ferraretto (2000) subdivide a categoria mesa-redonda em painel e debate. repórteres e editor do dia se reúnem e ampliam os fatos que julgam mais importantes (principalmente os locais). O painel é uma série de opiniões que vão se complementando com o intuito de fornecer uma visão abrangente sobre determinado tema. O Radar Esportivo contou como surgiu a idéia de mesclar a juventude dos acadêmicos de Comunicação Social com a experiência dos funcionários mais antigos.7 Esportivo Mesa-redonda da reportagem: o gênero opinativo no Radar O final do Radar Esportivo é um resumo do que foi a edição através de uma mesa-redonda em que os apresentadores. O debate acontece quando pessoas com opiniões opostas sobre determinado assunto confrontam seus posicionamentos. bem como as perspectivas para o ano de 2007.

Cremilda.ig. e França.. 2000. levando o nome de Santa Maria no cenário estadual. O presidente eleito no final do ano. Foi lançado também. UFSM. 1998. Petrópolis: Vozes. O Riograndense. FERRARETTO. MEDINA. HERATH. HARRIS. L. V. Marlon. Jornalismo Local no Rádio: Um estudo junto às emissoras de rádio de Santos – SP. tratou de investir em seu patrimônio. Disponível em <http://www. Em entrevista ao vivo.Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Santos – 29 de agosto a 2 de setembro de 2007 a falta de patrocínio é a maior dificuldade encontrada para manter uma equipe na divisão principal. que foi a recuperação do gramado do Estádio dos Eucaliptos. Paul. Radiojornalismo. Luiz Artur. Porto Alegre. 15 . VASQUES. Martino. o colorado vacilou nas últimas rodadas e adiou em mais um ano a volta à série A. No futebol. Rádio: o veículo. set. Abrangência. Acesso em: 20 de julho de 2007. Site da Rádio Universidade de Santa Maria – 800 AM. a história e a técnica. após ser eliminado do Gauchão.br/artigos. Estrutura da Notícia. São Paulo: Ática. Rubia. RS. Já o Internacional de Santa Maria tenta voltar à divisão principal do futebol gaúcho. São Paulo: Summus. a presidenta do clube. Wedencley. Teorias da comunicação. Programação. relatou a grande obra de 2006. Notícia. CHANTLER. 2002. 1998. o ano de 2007 promete. Apresentado durante o XXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação / INTERCOM. HOHLFELDT. 2007. Acesso em: 20 jul. Esporte no rádio sem futebol.com. In: Hohlfeldt. 2005. São Paulo: Summus. Um novo papel para os impressos. O fato positivo são as categorias de base do Corinthians.ultimosegundo. LAGE. que chegaram à final de todos os campeonatos que disputaram. Em 2006. 5. Disponível em: <http://observatorio. Histórico. Hipóteses Contemporâneas de pesquisa em comunicação. 2004. É possível? Santa Maria: Monografia de graduação. Seções: Informações Gerais. um produto à venda. 1988. 2001.ufsm. Referências bibliográficas ALVES. A.br/radio>. o site oficial do clube. falou ao vivo no Radar Esportivo suas perspectivas para 2007 e afirmou que a nova diretoria vai trabalhar intensamente com o intuito conquistar o título do Gauchão.asp?cod=355SAI003>. Porto Alegre: Sagra-Luzzatto. Sim. Nilson. Norma Rolim. Antonio. Marineu Ziani.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful