You are on page 1of 3

FISCOSoft Impresso

Impressão gerada em 23/08/2011

I. Substituição de Partes e Peças em Geral
Publicado em nosso site em 26/09/2008

ICMS/SP - Substituição de Partes e Peças Defeituosas em Virtude de Garantia, Conserto ou Manutenção - Roteiro de Procedimentos Roteiro - Estadual - 2008/3882 Sumário

A legislação prevê procedimentos específicos a serem observados pela assistência técnica, pelo serviço autorizado ou pelas oficinas credenciadas quando recebem o bem de contribuinte do imposto, e de um não contribuinte ou não obrigado à emissão de documento fiscal, ainda que ambos sejam consumidores finais, conforme veremos nos subtópicos a seguir.
I.1 Bem Recebido de Não Contribuinte ou Pessoa Não

Introdução I. Substituição de Partes e Peças em Geral I.1 Bem Recebido de Não Contribuinte ou Pessoa Não obrigada à Emissão de Documento Fiscal I.2 Bem Recebido de Contribuinte I.3 Devolução da Parte ou Peça Defeituosa ao Fabricante ou Importador II. Conserto de Mercadoria com Posterior Comercialização III. Substituição de Placas de Circuito Eletrônico Defeituosas Recuperáveis em Equipamento de Processamento de Dados III.1 Substituição da Placa Defeituosa pelo Técnico III.2 Entradas das Placas Defeituosas no Estabelecimento de Assistência Técnica Introdução Todas as mercadorias e os bens de acordo com a sua utilização podem quebrar, desgastar, ou necessitar de qualquer tipo de conserto ou manutenção. Para tanto, é importante que haja um tratamento tributário próprio para as operações de substituição de partes e peças promovidas por empresa de assistência técnica, serviço autorizado ou oficinas credenciadas em virtude de garantia, conserto ou manutenção. Dessa forma, o fisco paulista publicou a Portaria CAT nº 92/2001 que disciplina quais são as obrigações que o contribuinte deverá observar, relativas às operações supracitadas, e que serão abordadas no presente Roteiro. Importante salientar que em relação às operações de substituição de parte ou peça em garantia realizadas por fabricantes de veículos e seus concessionários, não se aplicam os procedimentos tratados nesse texto, mas aqueles disciplinados no Anexo XII do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 45.490/2000.

obrigada à Emissão de Documento Fiscal

O estabelecimento, contribuinte do ICMS, que receber um bem de consumidor final, pessoa natural ou jurídica, não obrigado à emissão de nota fiscal, para substituição de partes e peças em garantia ou para conserto ou manutenção, deverá: a) emitir Nota Fiscal para documentar a entrada do bem e escriturá-la no livro Registro de Entradas, nas colunas sob os títulos "ICMS - Valores Fiscais" e "Operações sem Crédito do Imposto"; b) emitir Nota Fiscal referente às peças ou partes substituídas, com destaque do imposto devido e escriturá-la no livro Registro de Saídas, nas colunas sob os títulos "ICMS - Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Débito do Imposto"; c) emitir Nota Fiscal referente à saída do bem recebido de consumidor final, mencionando a respectiva Nota Fiscal emitida na entrada e escriturá-la no livro Registro de Saídas, nas colunas sob os títulos "ICMS - Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações sem Débito do Imposto". Observe-se que o contribuinte pode emitir um único documento fiscal, englobando a operação de saída da peça nova, que substituiu a peça defeituosa, e a operação de retorno do bem. No que se refere à entrada do bem para conserto, a Nota Fiscal deve ser emitida com o CFOP 1.915, se a operação for interna, ou 2.915, se a operação for interestadual. No retorno do bem a Nota Fiscal deve ser emitida com CFOP 5.916 (operação interna), ou 6.916 (operação interestadual). Relativamente à saída da peça nova que compõe o bem consertado, não há previsão de um CFOP específico, dessa forma, entendemos que deve ser utilizado o CFOP genérico 5.949 ou 6.949. Fundamentação: art. 2º, e § 2º da Portaria CAT nº 92/2001

FISCOSoft On Line

1

c) 3º: outro valor. a operação deverá ser acompanhada de Nota Fiscal emitida pelo remetente. sem destaque do imposto. nas colunas sob os títulos "ICMS . será aplicado o disposto no art. nas colunas sob os títulos "ICMS . por consumidor final contribuinte do ICMS. Fundamentação: art. salvo quando transformada em outro produto ou em resíduo.3 Devolução da Parte ou Peça Defeituosa ao Fabricante ou Importador Na devolução da parte ou peça defeituosa ao fabricante ou importador. com saída tributada. o estabelecimento que receber o bem para substituição de partes e peças em garantia ou para conserto ou manutenção. além dos demais requisitos: a) a identificação do técnico.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Débito do Imposto". se for inutilizada. quando se tratar de bem enviado para conserto. Neste caso. Em regra. Substituição de Placas de Circuito Eletrônico Defeituosas Recuperáveis em Equipamento de Processamento de Dados É possível que o estabelecimento prestador de assistência técnica em equipamento de processamento de dados mantenha placas novas de circuito eletrônico em poder de seus técnicos. nas colunas "Operações ou Prestações com Crédito do Imposto". e §§ 1º e 2º. Dessa forma. a registrará no livro Registro de Entradas. e escriturá-la no livro Registro de Saídas. com destaque do imposto devido e escriturá-la no livro Registro de Saídas. Essa Nota Fiscal será escriturada no livro Registro de Saídas. contendo.949. para efeito de substituição de placas defeituosas no território paulista. c) emitir Nota Fiscal referente à saída do bem. Conserto de Comercialização Mercadoria com Posterior Quando o contribuinte remeter para conserto. nas colunas sob os títulos "ICMS Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Débito do Imposto". b) 2º: o valor equivalente a 10% do preço da parte ou peça nova. 5º da Portaria CAT nº 92/2001 e Ajuste Sinief nº 7/2001 II.Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações sem Débito do Imposto". contendo. será destacado o imposto utilizando-se a base de cálculo determinada na seguinte ordem: a) 1º: o preço corrente FOB da parte ou peça defeituosa. Contudo. Ressalte-se que o fabricante deverá estornar o crédito apropriado relativo à parte ou peça defeituosa. englobando o retorno do bem e a peça nova. c) o Código Fiscal de Operações e Prestações (CFOP) 5. indicando nesta a expressão: "Portaria CAT92/01". as placas serão entregues aos técnicos mediante emissão de Nota Fiscal. ao invés de aplicar o disposto na Portaria CAT nº 92/2001. Fundamentação: art. b) emitir Nota Fiscal referente às peças ou partes substituídas.949. a remessa para industrialização com a suspensão do ICMS. com destaque do valor do imposto. de acordo com o Ajuste Sinief nº 7/2001.99. Já o fabricante que receber essa nota fiscal. b) o preço das peças ou partes novas. 402 do RICMS/SP. Essa Nota Fiscal será escriturada pelo remetente no livro Registro de Saídas. deverá: a) escriturar a Nota Fiscal recebida no livro Registro de Entradas. nas colunas sob os títulos "Documento Fiscal" e "Observações". assim. Uma vez substituída a parte ou peça defeituosa em garantia. Dessa forma. desde que possa ser comprovado. o código correspondente é FISCOSoft On Line 2 . além dos demais requisitos: a) os dados identificativos da Nota Fiscal emitida quando recebeu o bem de pessoa não obrigada à emissão de nota fiscal ou da Nota Fiscal recebida que acompanhou a remessa do bem promovida por contribuinte do ICMS.2 Bem Recebido de Contribuinte 5. e art. 4º.Valores Fiscais" e "Operações sem Crédito do Imposto". 3º da Portaria CAT nº 92/2001 III. mercadoria que será posteriormente comercializada. nas colunas sob os títulos "ICMS . o estabelecimento que promoveu sua substituição deverá emitir Nota Fiscal para documentar a remessa. o contribuinte poderá emitir uma única Nota Fiscal. Fundamentação: art. se ele for utilizado para determinar a base de cálculo do imposto. Nota: Na redação original da Portaria CAT nº 92/2001 o CFOP a ser informado na nota fiscal é 5. ou seja.FISCOSoft Impresso I. o contribuinte do ICMS está obrigado a emitir Nota Fiscal sempre que dá saída de uma mercadoria do seu estabelecimento. Para tanto. 2º.9. essa mercadoria deverá ser devolvida ao estabelecimento que concedeu a garantia e por conta de quem a substituição foi realizada. com nome e número do RG. b) a expressão "Emitida nos Termos da Portaria CAT92/01". mencionando a respectiva Nota Fiscal que acompanhou a remessa promovida pelo consumidor final contribuinte do ICMS. e §§ 1º e 2º da Portaria CAT nº 92/2001 I. no caso de devolução da parte ou peça defeituosa substituída ao fabricante ou importador. Neste caso. fica caracterizada operação de industrialização.

Se o técnico devolver as placas novas ao estabelecimento prestador de assistência técnica. Nota: Ressalte-se que a base de cálculo do imposto. 8º ao 12 da Portaria CAT nº 92/2001 Na entrada das placas defeituosas recuperáveis no estabelecimento prestador de assistência técnica. Fundamentação: art. contendo. e a primeira via da Nota Fiscal relativa à entrada da placa defeituosa. nas colunas sob os títulos "ICMS Valores Fiscais" e "Operações ou Prestações com Débito do Imposto". neste caso. cópia de todas as Notas Fiscais emitidas no momento da troca. Fundamentação: arts. Para controle fiscal o técnico deverá manter. consignado na correspondente Nota Fiscal. a Nota Fiscal que documentou a remessa das placas ao técnico. em conjunto. além dos demais requisitos.2 Entradas das Placas Defeituosas no Estabelecimento de Assistência Técnica responsabilidade. deverá ser emitida Nota Fiscal.1 Substituição da Placa Defeituosa pelo Técnico Nota: A sistemática indicada no tópico III não se aplica a casos em que. o crédito deverá ser estornado se a placa defeituosa for inutilizada. modelo 1 ou 1-A. 8º da Portaria CAT nº 92/2001 III. FISCOSoft On Line 3 . O estabelecimento prestador de assistência técnica manterá arquivadas. esses documentos fiscais deverão ser restituídos ao estabelecimento prestador de assistência técnica. então. não superior a 80% do preço da placa de circuito eletrônico nova. é o preço atribuído à placa defeituosa. até que se esgotem as placas mantidas em seu poder. referente à placa colocada. com destaque do imposto. juntamente com a Nota Fiscal que acompanhou todas as placas entregues a ele.Valores fiscais" e "Operações e Prestações com Crédito do Imposto". Entretanto. cópia da Nota Fiscal emitida pelo técnico no ato da troca da placa. custo o do próprio seja de equipamento locador sua faz de a processamento manutenção e seu exclusiva Ao efetuar a substituição da placa defeituosa. com destaque do imposto. A nota fiscal emitida pelo técnico no local da troca das placas será escriturada pelo estabelecimento prestador de assistência técnica no livro Registro de Saídas. contendo também os dados identificativos da nota fiscal que acompanhou a entrega da placa a ele. 6º e 7º da Portaria CAT nº 92/2001 III.FISCOSoft Impresso Fundamentação: arts. nas colunas sob os títulos "ICMS . havendo de locação dados. quando. os dados identificativos da Nota Fiscal emitida pelo técnico no momento da troca. com saída tributada. o técnico deverá emitir Nota Fiscal. Essa Nota Fiscal será escriturada no livro Registro de Entradas. Não será necessário o estorno do crédito apropriado quando a placa for transformada em outro produto ou em resíduo. esse fato será por ele consignado no verso da 1ª via da Nota Fiscal que acompanhou a remessa das placas.