You are on page 1of 3

Brasil pode deixar rival Argentina para trás no Pan de Guadalajara

"Hermanos" têm 19 ouros a mais na história, mas projeção mostra que brasileiros podem assumir quarto lugar no quadro de medalhas iG a Guadalajara | 14/10/2011 07:01

Foto: Getty ImagesAmpliar

Brasileiros do handebol comemoram ouro e argentinos lamentam prata em 2007, no Pan do Rio de Janeiro Mesmo com objetivo mais modesto para números de medalhas do que nos Jogos PanAmericanos de 2007, no Rio de Janeiro, a delegação brasileira que estará em Guadalajara, no México, para a disputa dos Jogos Pan-Americanos a partir desta sexta-feira, poderá finalmente ultrapassar a Argentina em total de ouros nos Pans – critério mais utilizado para ranquear os países no evento poliesportivo. Fenômeno esportivo na metade do século passado, os argentinos têm 19 ouros a mais em Pans, número que pode ser superado pelo Brasil, apesar de o

COB (Comitê Olímpico Brasileiro) fazer uma previsão de ouros para Guadalajara entre os que ganhou em 2003, em Santo Domingo (29), e os obtidos no Pan brasileiro (54), em 2007. Mesmo se o Brasil tiver saldo pior do que há quatro anos, ainda poderá ficar em vantagem graças à atual decadência esportiva da Argentina, muito pela diminuição no investimento no esporte causada pela crise econômica que atinge o vizinho há alguns anos. Se isso ocorrer, o Brasil assumiria o quarto lugar no quadro geral de medalhas, atrás de EUA, Cuba e Canadá. Veja os dez países que mais medalhas ganharam em Pan-Americanos: País 1) Estados Unidos 2) Cuba 3) Canadá 4) Argentina 5) Brasil 6) México 7) Venezuela 8) Colômbia 9) Chile 10) Porto Rico Ouro 1.769 781 347 258 239 155 73 58 36 21 Prata 1.300 531 546 286 284 217 156 109 69 71 Bronze 867 484 684 372 402 410 224 160 109 113 Total 3.936 1.796 1.577 916 925 782 453 327 214 205

"No Rio, o Brasil teve um desempenho top, pelo investimento feito por atuar em casa. Neste ano, a realidade está mais próxima de Santo Domingo e uma disputa bem acirrada pela segunda colocação (do quadro geral) com Cuba, Canadá e até o México, que é o país sede”, avaliou Marcus Vinícius Freire, superintendente de esportes do COB. O COB não faz projeção de medalhas em nenhuma competição que participa, sejam Jogos Sul-Americanos, Pan-Americanos ou Olimpíadas. A previsão mais próxima de uma competição realizada oito anos atrás, e quando o Brasil tinha apenas dois anos de investimento federal via Lei Agnelo/Piva(que transfere renda de loterias diretamente a esportes olímpicos), se explica pelo calendário deste Pan, em outubro, quando muitos esportes, principalmente individuais, já tiveram seus mundiais disputados – casos da natação, atletismo e judô. Em 2007, a competição ocorreu em julho, antes dos mundiais, prioridade das confederações por classificarem para às Olimpíadas. Mano a mano

Foto: Getty Images

"Las Leonas" são favoritas para o ouro no hóquei sobre grama O Brasil já superou, no Rio, a Argentina em número total de medalhas – está agora nove à frente, 925 a 916. Mas em ouros ainda não conseguiu o feito, apesar de ter tido 43 a mais em 2007 (54 a 11). Muito pela atuação dos “hermanos” nos primeiros Pans, principalmente no de 1951, em Buenos Aires, que abriu a trajetória da competição. Com investimento pesado do presidente Juan Domingo Perón, que usou o Pan para fins políticos, a Argentina bateu na ocasião os EUA, com 68 ouros contra 44 dos norte-americanos e só cinco dos brasileiros – os argentinos ganharam 150 medalhas, os EUA 95 e o Brasil 32. Os norteamericanos só perderiam outro Pan na história, o de 1991, em Havana, Cuba, para os donos da casa. O investimento do primeiro Pan fez a Argentina ser segunda colocada nos dois seguintes (Cidade do México, em 1955, e Chicago, 1959) e só perder para o Brasil em 1963, em São Paulo (14 a 8 ouros). Em 1995, em Mar del Plata, os argentinos conseguiram 40 ouros, também com forte investimento do Governo Federal por atuar em casa, mas depois a queda foi grande. Veja gráfico comparando os ouros ganhos por brasileiros e argentinos em todos os Pans: Ouros no Pan Compare o sobe e desce de Brasil e Argentina Em Guadalajara, Brasil e Argentina devem se confrontar por medalhas no futebol masculino (se enfrentam na estreia, pelo Grupo B), no basquete masculino e feminino, no handebol masculino e feminino e até no vôlei masculino, já que os brasileiros irão com time misto. A Argentina não deve dar trabalho em esportes como atletismo, natação ou judô, mas vai melhor do que o Brasil no remo, na canoagem, no ciclismo e, claro, no hóquei sobre a grama feminino, com “Las Leonas”, que são um dos melhores times do mundo. Em Olimpíadas, o Brasil tem três ouros a mais do que a Argentina (20 a 17).