You are on page 1of 3

Laboratório de Física

COMPOSIÇÃO DE FORÇAS
OBJETIVOS
Determinar as condições de equilíbrio de um sistema de corpos, as relações entre os valores das massas suspensas presas por um fio e as respectivas forças de tração. movimento retilíneo e uniforme. Quando o vetor velocidade de um corpo é constante, ou quando um corpo permanece em repouso, dizemos que o corpo está em equilíbrio. A condição de equilíbrio está contida na primeira lei de Newton (Inércia): “Um corpo em repouso permanecerá em repouso, e um corpo em movimento continuará em movimento com velocidade constante (isto é, em movimento retilíneo uniforme), a menos que sobre ele atue uma força externa resultante diferente de zero”. Matematicamente escrevemos:

INTRODUÇÃO TEÓRICA
O termo equilíbrio significa que um corpo ou está em repouso ou que o seu centro de massa se move com velocidade constante. No primeiro caso, dizemos que o corpo está na condição de equilíbrio estático, enquanto que no segundo caso, o corpo está em equilíbrio dinâmico. Nossa atenção será para o caso em que um corpo se encontra em equilíbrio estático. O entendimento básico do conceito de força é obtido a partir da experiência cotidiana quando, por exemplo, se puxa ou empurra um corpo se exerce uma força sobre ele. Há uma força quando se joga uma bola ou se dá um chute. Nesses exemplos, a palavra força está associada ao resultado da atividade muscular de uma pessoa e a certa mudança no estado de um corpo. Nem sempre as forças provocam o movimento de um corpo. Desta forma seria possível afirmar que para um corpo estar em movimento é necessário que atue uma força sobre ele? Imagine a situação em que várias forças atuam simultaneamente sobre um mesmo corpo. O corpo será acelerado somente se houver uma força resultante não nula. Se a força resultante for nula, a velocidade do corpo permanecerá constante. Isto é, o corpo permanecerá em repouso ou em

F  0

(1)

A força de atração gravitacional entre dois corpos é a força que mantém um corpo ligado à Terra e provoca o que denominamos peso do corpo. O peso de um corpo é definido como sendo: (2) P  mg onde m é a massa do corpo g o módulo da aceleração da gravidade (g = 9,8 m/s2). No sistema internacional a unidade de força é o newton (N). 1N = 1kg.1m/s2 Quando um corpo está suspenso por fios, a força que age nos fios é denominada tração.

MATERIAL UTILIZADO
     

2 dinamômetros – 2N 3 bases mesa de força massas aferidas – 50 g 3 hastes para suporte da mesa e dinamômetros fio de algodão

Figura 1: Aparato experimental- Mesa de Força

Rua Cesário Galeno 448/475 - Tatuapé - São Paulo - SP CEP 03071-000 Fone (011) 2178-1212

F2. conforme a figura abaixo. F2 e F3 e medir o ângulo que cada uma das forças forma com o eixo x.Primeira Etapa Rua Cesário Galeno 448/475 . 7) Identificar as forças associadas as massas como F1.SP CEP 03071-000 Fone (011) 2178-1212 . F3 e a direção desta resultante em relação ao eixo x. 8) Construir um diagrama representando a forças e ângulos identificados. 2) Montar o esquema experimental conforme a figura 2. 6) Anotar o valor da força indicada no dinamômetro. 5) Alinhar o eixo de referência zero do transferidor com o fio conectado ao dinamômetro. 3) Colocar massas aferidas nas extremidades dos fios que passam pelas roldanas. Calcule o erro relativo percentual. calcular o módulo da resultante do sistema de forças F1. Adotar esta direção como o eixo x. 9) Pelo processo da decomposição vetorial.São Paulo .Tatuapé . 4) Deslocar as roldanas e o dinamômetro até que o nó dos barbantes fique coincidindo com o centro do transferidor.Laboratório de Física PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL PRIMEIRA ETAPA 1) Ajustar o dinamômetro para indicar zero quando colocado na horizontal. E Fc  Fm Fm  100% Fc  Força calculada Fm  Força medida no dinamômetro Figura 2: Montagem experimental. 10) Comparar o valor e a direção desta Força resultante com a força indicada no dinamômetro.

2) Montar o esquema experimental conforme a figura 3. Adotar esta direção como o eixo y. Identificar como T1 e T2.Mec003 SEGUNDA ETAPA 1) Ajustar os dinamômetros para indicar zero quando colocado na horizontal. calcular os módulos das forças T1.SP CEP 03071-000 Fone (011) 2178-1212 . 4) Deslocar a roldana e os dinamômetros até que o nó dos barbantes fique coincidindo com o centro do transferidor. Figura 3: Montagem experimental. Quais as possíveis fontes de erros? Rua Cesário Galeno 448/475 .São Paulo . 8) Construir um diagrama representando a forças e ângulos identificados. Laboratório de Física 6) Anotar os valores das forças indicadas nos dinamômetros. 5) Alinhar o eixo de referência zero do transferidor com o fio conectado a(s) massa(s). 9) Pelo processo da decomposição vetorial. T2 e comparar os valores calculados com o valor lido no dinamômetro calculando o erro percentual para cada uma das forças calculadas. 7) Identificar as forças associadas a(s) massa(s) como F e medir o ângulo que cada uma das forças forma com o eixo x.Segunda Etapa Na conclusão discuta os valores obtidos em comparação com os valores esperados.Tatuapé . 3) Colocar massa(s) aferida(s) na extremidade do fio que passa pela roldana.