You are on page 1of 24

ESTRUTURA DE AMINOÁCIDOS E PROTEÍNAS

• Objetivo Geral: • Conhecer a estrutura de um aminoácido, especialmente dos 20 aminoácidos proteicos e a i l t d i á id t i construção de estruturas complexas para o entendimento das proteínas

GRANDES CLASSES DE COMPOSTOS BIOLÓGICOS (Aspectos gerais)
UNIDADES ESTRUTURAIS
AÇÚCARES (Glicose) LIPÍDIOS (Ácidos graxos) PROTEÍNAS (AMINOÁCIDOS) ÁCIDOS NUCLEICOS (Bases Nitrogenadas) C5H5N5 (Adenina/Guanin a/Citosina/Timina /Uracila)

Fórmula Geral

CnH2nOn g C6H12O6 - glicose

CnH2nO2 C18H36O2 (esteárico) ( )

C3H7O2N ( (Alanina) )

Composição centesimal

C = 40% 0% H = 7% O = 53%

Alta ta Oxidação

C = 76% Alta 6% ta H = 13% Redução O = 11%

C = 40% 0% H = 8% O= 36% N = 16% (média)

C C= 44% % H = 4% N > 50% P

Funções

ENERGÉTICA Valor calórico= 4kcal/g Estrutural Reconhecimento imunológico

ENERGÉTICA Valor calórico= 9kcal/g Estrutural, proteção mecânica, isolante térmico e elétrico

ESTRUTURAL 2/3 do peso seco Catalítico C t líti – enzimas i Defesa – iumoglobulinas Transporte – Albumina Regulatória – Hormônios Valor calórico= 4kcal/g

INFORMACIONA L Estrutural

) Aldeídos e cetonas Não ionizáveis PM entre 102 e 103 Insolúveis em água Solúveis em solv. Secundário Térciário e Quaternário) SIMPLES (aminoácidos) CONJUGADAS (Nucleoproteínas. Glicoproteínas. exceto para polissacarídeos (106) Solúveis em água Sabor doce (polihidrox. Fosfoproteínas. Metaloproteínas. Secundário. Cromoproteínas.GRANDES CLASSES DE COMPOSTOS BIOLÓGICOS (Aspectos gerais) UNIDADES ESTRUTURAIS AÇÚCARES LIPÍDIOS PROTEÍNAS (AMINOÁCIDOS) Solubilidade variável Alto PM (104 a 106) Ionizáveis em função do pH Níveis estruturais (Primário. Orgânicos Untuosos ao tato Baixos valor de PF B i l d Eletricam/ neutros Ácidos graxos Lipídios simples Lipídios complexos Altos valores de PM Níveis estruturais complexos (Primário a Quaternário) Ionizáveis Classificação Monossacarídeos Dissacarídeos Polissacarídeos(homo e heteropolissacarídeos) RNA DNA . Lipoproteínas) DERIVADAS (produtos de hidrólise) ÁCIDOS NUCLEICOS Propriedades gerais PM < 500.

Aminoácidos da série D – não naturais. obtidos por síntese laboratorial .CONFIGURAÇÃO DE AMINOÁCIDOS Aminoácidos da série L – naturais.

OS AMINOÁCIDOS NATURAIS PERTENCEM À SÉRIE L .

Gln.CLASSIFICAÇÃO DOS AMINOÁCIDOS PROTEICOS (Classificação quanto à polaridade do grupo R) APOLARES (Hidrófobos) Gly Ala Val Leu Ile Met Pro Phe Trp O radical (grupo R) não apresenta grupos tituláveis POLARES (Hidrófilos). entretanto não tituláveis (Tituláveis apenas em condições extremas de pH. longe do pH celular POLARES COM CARGA POSITIVA Lys. Arg Lys Arg. Glu Asp O radical apresenta um grupo ácido adicional titulável . Cys Asn. Thr Cys. Asn Gln Ser Thr. Tyr O radical apresenta grupos OH ou SH. His O radical apresenta um grupo amino adicional titulável POLARES COM CARGA NEGATIVA Asp. sem carga Ser.

sem carga (Aminoácidos neutros – monoamino-monoácidos) .AMINOÁCIDOS APOLARES –Hidrófobos.

AMINOÁCIDOS APOLARES Aminoácidos neutros (monoamino-monoácidos) • IMINOÁCIDO .

ESTRUTURA DE AMINOÁCIDOS POLARES Aminoácidos hidrófilos. sem carga g • AMIDAS .

POLARES COM CARGA POSITIVA –Básicos (monoácidos diaminos (monoácidos-diaminos – com grupo adicional NH2 em R) .

com grupo ácido adicional em R) .AMINOÁCIDOS POLARES COM CARGA NEGATIVA – ÁCIDOS ( (Diácidos-monoamino. g p ) .

exceto para a prolina e a hidroxiprolina. a quente. entretanto com coloração amarela. Fundamentos da reação: A ninidrina reage. também positiva.REAÇÃO GERAL PARA AMINOÁCIDOS Reação de Ninidrina • • • • • Procedimento do teste: -Em um tubo de ensaio adicionar 1. A amônia formada complexa-se com 2 moles de ninidrina com formação de um complexo azul-violeta (púrpura de Ruhemann). com o aminoácido com liberação de amônia. • • • • Aplicação do teste: Identificar a presença de aminoácidos em uma amostra. .0 ml da amostra a ser testada -Adicionar 8 a 10 gotas da solução de ninidrina -Mergulhar o tubo em banho fervente durante 2 minutos A reação positiva se caracteriza por coloração azul violeta para todos os aminoácidos.

por exemplo. afetando pontes de hidrogênio internas e outras forças de estabilização. principalmente. 7. Adicionar. lentamente pelas paredes do tubo. Os sais usados rotineiramente são ácido nítrico.REAÇÃO DE CARACTERIZAÇÃO DE PROTEÍNAS PRECIPITAÇÃO POR ÁCIDOS FORTES Ç CONCENTRADOS • • • • • Procedimento do teste: Em um tubo de ensaio adicionar 1. ácido perclórico ou ácido tricloroacético. da proteína (afetando a solvatação) mas.0).0 ml da solução aquosa de proteína a ser analisada. levando a uma precipitação com desnaturação (irreversível). O único nível de organização não afetado será nível primário.5 ml de ácido nítrico concentrado (cuidado!) A reação positiva se caracteriza pela f ã iti t i l formação d precipitado proteico d coloração ã de i it d t i de l ã branca ou ligeiramente amarelada. • • • . tricloroacético Fundamento do teste: A adição de um ácido forte e concentrado a uma solução aquosa de proteínas (pH aprox 7 0) provocará a alteração de todas as cargas externas aprox. á Aplicações do teste: Identificar a presença de proteínas em um meio como. OBS. a albuminúria. 0.

REAÇÕES DE CARACTERIZAÇÃO DE PROTEÍNAS Influência da temperatura na estabilidade estrutural proteica • • • • • • Procedimento do teste: P di t d t t Em um tubo de ensaio adicionar 1. em função da temperatura. Fundamento do teste: O aumento da cinética molecular proteica . O rompimento dessas forças resulta na desespiralização da molécula com exposição de radicais laterais que reagem entre sí (ao acaso) resultando em acaso). resulta no rompimento de ligações ou forças de estabilização de estruturas superiores. macro-estruturas e aglomerados insolúveis (precipitação e coagulação). Aplicação do teste: Princípio da esterilização proteica pelo calor. Manter o tubo de ensaio mergulhado em água fervente por cêrca de 2 minutos.0 ml de solução aquosa da proteína a ser analisada. exceto a estrutura primária. A formação de precipitado ou coagulado proteico caracteriza a desnaturação proteica. • • .

A LIGAÇÃO PEPTÍDICA Ç .

SEQUÊNCIA POLIPEPTÍDICA (Heptapepídeo mostrando a sequência de ligações peptídicas e os radicas de cada aminoácido) .

SEQUÊNCIA PRIMÁRIA PROTEICA (Ribonuclease bovina) .

Asp-Arg 2 aác.ALGUNS PEPTÍDEOS ATIVOS (De 02 a 100 aminoácidos) Peptídeo Targiford® Aspartame® p Glutationa Encefalina Oxitocina Vasopressina (ADH) Gramicidina S Bradicinina Calidina Tirocidina Calcitonina ß-MSH ß MSH Glucagon Insulina Paratormônio Citocromo c humano Dados sobre estrutura 2 aác. .Asp-Gli-CH3 p 3 aác.y-Glu-Cis-Gli 5 aminoácidos 9 aminoácidos Cys-Tyr-Ile-Gln-Asn-Cys-Pro-Leu-Gly 9 aminoácidos 10 aminoácidos 9 aminoácidos 10 aminoácidos (Lys-Bradicinina) ( y ) 10 aminoácidos (cíclico) 32 aminoácidos 22 aminoácidos 29 aminoácidos 51 aminoácidos(2 cadeias= A(21) e B(30) 84 aminoácidos 104 aminoácidos Ação Principal Estimulante do apetite (orexígeno) Adoçante ç Ação enzimática/insulina/antioxidação/Absorção aminoácidos Analgesia Contração uterina/musculatura lisa/lactação Reabsorção de água Antibiótico Hipotensão e outras Hipotensão e outras p Antibiótico Metabolismo ósseo Produção de melanina Hiperglicemiante Hipoglicemiante Metab. Cálcio e Fósforo Transporte de elétrons . . .

600 22.500 68.930 16. coli) Apolipoproteína B (humana) Glutamato desidrogenase (fígado bovino) 3.000 13.233 13.000 64.890 21.300 .100 4536 ~8.CARACTERÍSTICAS MOLECULARES DE ALGUMAS PROTEÍNAS PROTEÍNA PESO MOLECULAR NÚMERO DE RESÍDUOS NÚMERO DE CADEIAS POLIPEPTÍDICAS O Í C S 2 1 1 1 1 3 1 4 1 2 4 5 1 ~40 Insulina (bovina) Citocromo c (humano) Ribonuclease A (pâncreas bovino) Lisozima (clara de ovo) Mioglobina (coração de cavalo) Quimiotripsina ( bovino) Quimiotripsinogênio (bovino) Hemoglobina (humana) Albumina (soro humano) Hexoquinase (levedura) Imunoglobulina G (humana) RNA polimerase (E.000 51 104 124 129 153 241 245 574 ~550 ~800 800 ~1.000 513.000.700 13.000 102 000 145.000 450.500 102.320 ~4.000 1.

DESNATURAÇÃO DE PROTEÍNAS AGENTES DESNATURANTES: CALOR SAIS SOLVENTES ORGÂNICOS MUDANÇAS DE pH PROCESSOS REVERSÍVEIS OU IRREVERSÍVEIS EM FUNÇÃO DA INTENSIDADE DO AGENTE DESNATURANTE .

ESTRUTURA DA MIOGLOBINA .

ESTRUTURA DA HEMOGLOBINA .

PERFIL ELETROFORÉTICO DE SORO HUMANO SUPORTE: ACETATO DE CELULOSE DESTAQUES Gamopatia monoclonal Hipoalbuminemia - + .

PERFIL ELETROFORÉTICO DO SORO HUMANO SUPORTE: ACETATO DE CELULOSE DESTAQUES: - + .