You are on page 1of 2

Memes, intencionalidade e a perspectiva intencional: uma crítica a Dennett

José Sérgio Duarte da Fonseca (sergio-fonseca7@hotmail.com) Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da UFPI

Podemos dividir o projeto de explicação da consciência proposto por Dennett em duas etapas: a negativa, a crítica ao dualismo, mesmo em sua versão materialista, representada pelo materialismo cartesiano e a positiva, que mostra como podemos explicar a linguagem e a cultura em termos biológicos. O argumento como um todo está inscrito no horizonte do objetivo primário de Dennett, a naturalização da consciência. Para que este objetivo seja alcançado, ele precisará criticar o entendimento tradicional da intencionalidade como uma propriedade intrínseca, passando a explicá-la como apenas um ponto de vista bastante útil, especialmente quando nos defrontamos com o problema de interpretar o comportamento de organismos humanos. Essa visão extrínseca da intencionalidade constitui-se, sem dúvida, em uma de suas maiores contribuições à filosofia da mente. Dennett segue adiante, passando a afirmar que o próprio processo de evolução biológica pode ser estudado, proveitosamente, se o considerarmos como intencional, ou melhor, se adotarmos o ponto de vista intencional a seu respeito, tornando-nos adaptacionistas. A adoção do ponto de vista intencional no estudo do projeto de organismos não deve ser considerada como uma mera aplicação do vocabulário intencional da psicologia de senso comum para uma nova tarefa

ele. Será mostrado que o projeto dennettinano falha. será mostrado que o projeto dennettiano repousaria sobre a pressuposição não inferencial de que somos capazes de adotar a perspectiva intencional. ou seja. precisamos adotar o ponto de vista intencional com relação ao vocabulário intencional. parece razoável supor que o adaptacionismo possa produzir uma explicação satisfatória. O próximo passo da análise seria a explicação do próprio ponto de vista intencional. possui pressupostos. Para que seja possível uma caracterização biologicamente precisa da intencionalidade em termos de memes. desde já. ele precisa tomar nossa capacidade de adotar o ponto de vista intencional como um fait accoumpli. em termos de evolução memética. Assim sendo. . por exemplo. o objetivo de Dennett é fornecer razões pragmáticas para concebermos o adaptacionismo como a tarefa interpretativa primordial. formando uma base sólida a partir da qual ele possa empreender o exercício que mais lhe interessa. caracterizando-o como um integrante da comunidade biológica dos memes. os memes que formam o vocabulário intencional. no entanto. Mas essa capacidade depende. devido ao fato dele não nos prover uma caracterização não circular de nossa capacidade de adotar a perspectiva intencional em termos de memes. Se o adaptacionismo é o exercício “fundante”. da evolução de determinados memes. o de interpretar pessoas como artefatos biológicos. do vocabulário intencional.explicativa.