You are on page 1of 5

OS ITENS CERTOS Os itens certos geralmente são longos, politicamente corretos, acompanham a lógica, os princípios e o bom senso, não

contém afirmações preconceituosas. Sua leitura se dá de uma só vez, sem quebras, chegam até a provocar sono. O politicamente correto aparece em todas as provas, mas é no ENEM que ganha relevância, posto que o governo aproveita a grande massa de jovens que fazem a prova para dar o seu recado. Itens certos costumam vir acompanhados de palavras inclusivas, como forma de amenizar e evitar a possibilidade de anulação, caso seja encontrada eventual exceção. OS ITENS ERRADOS Nos livros (na natureza), encontramos “verdades”. O trabalho dos examinadores é justamente falsear algumas frases de maneira sutil, para não percebermos. É estudando este modus operandis que nós conseguimos turbinar a nossa nota. Para tornar errado um item, o examinador insere uma falsidade (BATATA PODRE), liga conceitos invertidamente às respectivas palavras (INVERSÕES), inserem palavras fortes, que não deixam margem para exceções (EXCLUSIVAS), pegam duas verdades e dizem que uma é causa da outra, sem o ser (CAUSA/CONSEQUENCIA) ou simplesmente metem uma CASCA DE BANANA

Há outros casos em que a coordenação é total e a banca examinadora distribui muito bem o gabarito. O Exemplo mais notável é o ENEM, repete o mesmo padrão todo ano. LETRA 2006 2007 2008 A 12 12 12 B 13 13 13

Neste caso o item certo costuma ser o menor deles. o examinador pode inserir falsidades nos itens que quer incorretos (Batata Podre). D e E tiveram uma a mais. Note que B. Por outro lado. chutando na letra que tiver menos. Se ao final você verificar que há mais de treze questões em determinada letra. 8. pois certamente algumas estarão incorretas. Para formular um item correto os examinadores têm que colocar todo o conceito.2 – GRANDES OPÇÕES Uma pequena falsidade invalida um item. Noutros há um absoluto planejamento e as letras são bem divididas. Assim. os itens corretos geralmente são maiores que os errados. as questões sem pista alguma. deixe as questões sem dicas por último. Neste caso. pois muitas vezes uma pequena omissão acaba por ter a questão anulada por alunos mais atentos. A TÉCNICA DO CHUTE – QUADRO SINÓPTICO 1 A CARA DO GABARITO Existem concursos onde não há coordenação e a CARA DO GABARITO vem com muitas diferenças entre uma letra e outra. você chute na letra que menos apareceu. .C 12 12 12 D 13 13 13 E 13 13 13 TOTAL 63 63 63 Aqui recomendamos que ao final da prova. como no ENEM. faça uma revisão específica para estas questões.

fundamental. para que uma assertiva seja totalmente verdadeira. 3 OVELHA NEGRA Muitas vezes a opção correta difere das incorretas. Por outro lado. C E R T A S 6 INCLUSIVAS Quando prevêem exceções ou usam palavras inclusivas. Há concursos onde a posição ideológica do examinador é determinante. tal como uma ovelha negra num rebanho (muitas vezes no tamanho).2 GRANDES OPÇÕES Uma pequena omissão muitas vezes torna o item incorreto. . já que o examinador está distribuindo bem para evitar tal artimanha. O ENEM está mais para a OVELHA NEGRA do que para a MAIS VOTADA. Palavras chaves: a princípio. assim o examinador coloca uma frase politicamente correta no item CERTO.. predominantemente. 4 A MAIS VOTADA Em provas menos elaboradas utiliza-se muito. há muita lição de moral. pode.. 5 POLITICAMENTE CORRETA Especificamente no ENEM. Assim. Já no ENEM ficou difícil. Geralmente os itens grandes são corretos. etc. em regra. Portanto. muitas vezes vem com um tamanho bem maior do que das outras letras. em geral. geralmente são corretas. os menores também costumam ser corretos.

mas que é desmentida pelo texto. geralmente são incorretas. Exclusivamente.. mas sempre tem. no ENEM o examinador coloca itens politicamente incorretos como falsos. Em tempo algum. Somente. 12 ELIMINAÇÃO DAS OPÇÕES ABSURDAS = A MAIS CORRETA Eliminar as absurdas é o grande segredo. Outras vezes é uma mentira tida por uma verdade por muitos.. não deixando brechas para exceções.7 EXCLUSIVAS Quando a opção é muito forte.Também nos . 11 CAUSA / CONSEQÜÊNCIA Traz duas verdades. 10 CASCA DE BANANA CUIDADO! Concordo que é sacanagem. mas falseia ao dizer que uma é causa da outra. 8 POLITICAMENTE INCORRETA Ao contrário da 5. Tão-somente. Unicamente. sempre. Aumenta a probabilidade de acerto nos chutes. 9 BATATA PODRE O item quase todo é correto. obrigatoriamente. aparentemente tentando desempenhar função educativa sobre os jovens. não. Outras vezes liga uma verdade a uma causa absurda. nunca. mas que não pode ser inferida do texto como é pedido.. mas pode vir abaixo. mas há a inserção de um pedaço que o invalida (geralmente ao final da frase). Palavras chaves: GARANTE. De modo nenhum. etc. totalmente. apenas. Jamais. Só.. Em hipótese alguma. O lugar preferido é a letra “a”. Tão-só. Muitas vezes é uma verdade.

Aquele velho erro de marcar a correta. E R R R A D A S 13 INVERSÕES O item traz definições corretas. mas as liga invertidamente às palavras que representam . também é eliminado.livra das “cascas de banana” e “bobeiras” nas matérias que estudamos com grande sacrifício. quando se pede a incorreta.

%¾¯½ ¾¯ ° ¯  ¯¯f.

.

 --     h¾nf¾¾ ¯ fn °fsjxf f f°nf f¯°f f ¾ ¯ ¯ –f f  ¯½¯f¾°h x-.  ½  ¯ ¾¯½f j f°  @   .

.

   @@  n¯ ° f¯¾ f€°f f½f f¾ ¾µ ¾¾ ¯½¾ff–¯f nyn °f f  ¯ °¾f½f n  -     f¯¯ff¯f¾   f€°fny €nf h¯f¾    ¾µ ¾ ¯  ¯°f f f €fsf¯f  ¾j ¾½ n€nf½ff ¾f¾ ¾µ ¾ ½¾n f¯ ° f–¯f¾ ¾fj°n f¾     -9 D¯f½  °f€f¾ f °f f¯ ¯ 9ff€¯f¯ ¯n ¾ f¯°f  ¾y¯  nnf n°n  ½¾¯f¾  ¾¯f½  °f¯¾¾jfnf f½ f ¾j f°f f ½f°¾¯f¾f °¾ ¾¾¯ ¾ °¾n ¾– f¯ ° ¾j¯f ¾ ¾ f ¾  9f   f¯°f ½ °¾ €f¾ f ¾°¾ °¾  °n ¾% fff 9  % - ¾ nf¾ ¯n n¾¯f¾ ¯ °  ¾     @.

-.

.

D-9@.D@ .

 .

  @ ¾ ¯n°n¾¾° °jhn °fsj f.

 @ ¯n¯¯f¾ €  °sf¾ ° ¯f f f -¾h¯f ¾½f° ©f¯ ° f¾ f¾¾j ¯   f¾  n¯° -. - ¾ nf¾   f¾ ¾µ ¾¾ ¯ nf¾½¯ nf° °f f  ¯ °¾  .

-9D¯f½  °f¯¾¾j¯f¾  ¾°f ¯°n  9f°  ½ff ¯ff¾¾ f¾ ©f f¯ °   f f ¯f¾  ¾ ¯n¯¯f¯f° ¯¯f   f¾f¾  f¾ ¾¾¯   f¯ ° ¾ °¾–f° ¾¾jn ¾ 9f  ¾¯ ° ¾f¯ x¯n¾¯f¯¾  n ¾  I-.f¾  ¾f½sjn f €   f¾°n f¾ fn¯¯f f ° –f°¯ f°%¯f¾   ¾°f¯f°%  . ¾h¯f¾½fffI-   ½fff .I@  9@.I@ ¯½f¾¯ °¾ f f f¾f ¾ ¯ h°-.€n €n ©h  f¯°f  ¾h ¾ °  ¯½ff fff¯f°f -.

.-@ .

h¯fsj ¯f f¾¾¯ f¯°f nnf¯f€f¾  ½nf¯ °  n f° ¯.@ ¾½ n€nf¯ ° °-.

@ hn°n¾¾° f½¾sj –nf  f¯°f x  ¯°f°  .

   @   -.

f° ½ y ¯ n sµ ¾¾f¯½fff¾°n¾f¾ – f¯ ° ¾j n f¾ 9fff¾nf ¾ f ½°n½ ½ ¯°f° ¯ ° €° f¯ °f  ¯– f  ¯ –f ½  n  .DI.

O.

DI.f° f½sjx¯€ °j f°   nf¾½ff n sµ ¾  – f¯ ° ¾j°n f¾  9fff¾nf ¾ -@ °°nf ¾ ¯½  –ff¯ ° °j f¯ ° f½ °f¾  f¯f¾ ¯ ½ ¾ f–¯f ¯ ¯½f–¯  ¯ ° °¯  ¯ ° D°nf¯ °  n¾f¯ ° @j ¾ @j ¾¯ °  n  9@.

-@ -..

@ n°h f °-. f¯°f nnf °¾½nf¯ ° °n ¾n¯€f¾¾  f½f ° ¯ °  °f°  ¾ ¯½ °f€°sj nff¾  ¾© °¾   @@9 ¯f¾  xn  ¯f¾hf°¾ sj ¯½ fs °f f %– f¯ ° f€°f f €f¾ %  .

.

 -- .

D".

f¾  ¾x¯f  f ¯f¾ °j½ ¾ °€  f  n¯x½    f¾  ¾ x¯f¯ °f f½¯f  f ½¯¾ ¯f¾ x ¾¯ ° f½    .°n  x¾fnf°f– ¯ ¯f¾¾ ¯½  ¯ –f½ €  xf f#f# ¯f¾ ½  f f .

D$ .

-.-.

 @f f¾  f ¾ ¯f¾€f¾ ff   ¯fxnf¾f ff f¾  ¾–f¯f   f f ¯fnf¾ff ¾ f   ..- 9 D  .

@ ¯°ff¾f ¾ f¾x–f° ¾ –  ¯ °ff½ f  f  fn °¾ n ¾ @f¯ x¯°¾ .

f f¾#nf¾nf¾  f°f°f# #  f¾#°f¾¯fxf¾  ¾ f¯¾n¯–f° ¾fn€n        ¯fnffn f f° ¾ ½ f°n f f¯ x¯x ¯°f           -I ¯f €°sµ ¾n f¾ ¯f¾f¾–f°  f¯ ° g¾½fff¾   ½ ¾ °f¯ .