You are on page 1of 16

A soja como fator de competitividade no mercosul : histórico, produção e perspectivas futuras. 1. INTRODUÇÃO 2. HISTÓRICO 3.

PORQUE A SOJA SE TORNOU IMPORTANTE PARA O MUNDO 4.EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO MUNDIAL 5.EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DO MERCOSUL 5.1.Soja no Brasil 5.2.NA ARGENTINA 6. SIMILARIDADES E DIFERENÇAS ENTRE O BRASIL E A ARGENTINA 7. IMPACTOS DA BIOTECNOLOGIA 8.PERSPECTIVAS FUTURAS 9. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

2 2 2 4 5 5 5 6 7 9 10 10

1

2005). Filipinas. Nepal e Índia. trigo. nas proximidades dos lagos e rios na China Central (Hymowitz e Shurtleff. Além disso. Brasil e Argentina tem contribuído com o aumento da oferta mundial de soja de qualidade. HISTÓRICO A soja é originária da China ( Centro de origem Chinês) e a forma cultivada nunca foi encontrada na natureza (forma silvestre). * Centro de Estudos e Pesquisas em Agronegocios – CEPAN/UFRGS 2 . Dentre os produtores mundiais. portanto a análise da performance deste dois atores pode contribuir para o entendimento dos progressos passados e de possíveis progressos futuros. LUIZ CARLOS FEDERIZZI* 1. Navios carregados de soja foram enviados a Europa em 1908.A SOJA COMO FATOR DE COMPETITIVIDADE NO MERCOSUL : HISTÓRICO. Tem sido utilizada por quase três mil anos.e chegou a ser nomeada uma das cinco plantas sagradas dos chineses junto com arroz. 2. De acordo com os primeiros relatos a produção de soja foi exclusiva da China até próximo da guerra China-Japão de 1894 a 1895 quando os japoneses começaram a importar a soja como fertilizante. especialmente pela sua capacidade de produzir grandes quantidades de proteínas de excelente qualidade para a alimentação animal e de óleo para consumo humano. INTRODUÇÃO A soja (Glycine Max) é considerada uma das mais importantes culturas para a vida humana na terra. cevada e milheto. Na Ásia a soja vem sendo utilizada no preparo de alimentos e na fabricação de remédios por milhares de anos. mas os Europeus já haviam tomado conhecimento da existência da soja através dos escritos de um botânico alemão por volta de 1712. onde crescia nas terras baixas e úmidas. Indonésia. da soja são produzidos uma gama variada e rica de produtos e o aumento continuado de sua produção é de grande importância para a estabilização do suprimento de comida para a humanidade. junto aos juncos. e por isso é chamada da planta protaginosa por excelência. PRODUÇÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Provavelmente tenha sido domesticada entre os séculos 12 e 11 BC na China. Nos séculos 15 e 16 a soja foi levada nas rotas mercantis e foi introduzida em diferentes países como Japão. Também é possível que missionários tenham enviados sementes de soja por volta de 1740 para a França onde foram semeadas.

Gentil Coelho Leal e pelo técnico rural Floriano Peixoto Machado e assim teria sido repassadas sementes aos agricultores que começaram a cultiva-la em 1924 (Costa. RS. esta ficou restrita a produção de forragem. segundo os relatos de Millán (1935). se referem a experiências feitas na Bahia por Gustavo Dutra em 1882 e em Campinas no IAC por Daffert em 1892 (Leal. Nos primórdios de seu cultivo no Rio Grande do Sul os grãos de soja eram cozidos e depois utilizados na 3 . Mas. 1967). Porto Alegre. sementes de soja já eram distribuídas aos produtores em 1882 e até 1930 haviam sido publicadas 23 comunicações técnicas sobre a cultura. RS onde foi lançada a primeira variedade desenvolvida no Brasil (Magalhães. Estas estações estavam localizadas nos municípios de Alegrete. O boletim ainda se referia a diversos trabalhos realizados na Argentina onde eram obtidos bons rendimentos de grãos e altos rendimentos de forragem. 1981). Até então a soja era denominada feijão da Manchúria e era utilizada somente como forragem verde ou feno. 1996 e Leal. Bagé. Julio de Castilhos. No Rio Grande do Sul a soja teria sido cultivada pela primeira vez em D.C.1967). 1996). È provável que devido à soja ocupar a mesma época de plantio e a mesma área do milho e devido a melhor adaptação e melhores rendimentos do milho em relação a soja. Craig professor norte-americano que viera lecionar e realizar atividades de pesquisa na Escola Superior de Agronomia e Veterinária da então Universidade Técnica de Porto Alegre introduziu sementes de variedades de soja e as distribuiu para as diferentes estações experimentais que estavam subordinadas a Escola. Os relatos posteriores indicam que pelo ano de 1924 foi realizada uma grande propaganda a respeito do cultivo da soja na Argentina. pelo Professor do Liceu Rio-Grandense de Agronomia Guilherme Minssen ( Costa. Em 1901 teria sido publicado o primeiro trabalho com soja no Estado. Na chamada região pioneira.1967). Cachoeira do Sul. somente em 1941 a soja começa a aparecer nas estatísticas oficiais do Estado. As primeiras variedades utilizadas nos Estados Unidos eram originarias da China. Bento Gonçalves. Foi a partir da década de 30 que os trabalhos de experimentação com soja foram tomados de forma sistemática na antiga Estação Experimental Fitotécnica das Colônias em Veranopolis. Santa Rosa e Viamão ( Leal. a soja foi semeada experimentalmente pela primeira vez em outubro de 1921 na Estação de Agricultura e Criação pelo Prof. Na Argentina. Somente anos mais tarde com o desenvolvimento de variedades mais adaptadas e com as altas produções de milho no mercado Internacional este deixou de ser competitivo e permitiu a rápida expansão da soja. As mais antigas citações encontradas na literatura sobre soja. Em 1914 F.Provavelmente a soja tenha sido introduzida nas Américas em 1765 como forragem. entretanto o mesmo ocupou pequenas áreas até o inicio dos anos 50. no Brasil. Os primeiros relatos de estudos científicos feitos com soja nos Estados Unidos foram em 1879 no Rutgers Agricultural College em Nova Jersey. O folheto número 871 do Ministério de Agricultura de la Nacion de Buenos Aires (1931) apresentava os dados de proteína e óleo da soja em comparação com outras leguminosas e demonstrava as possibilidades da soja para alimentação humana.Pedrito em 1900. em Santa Rosa.

adubos. compostos nutritivos e em vários outros segmentos industriais. alimentação para bebês. produtos dietéticos e alimentação animal. A proteína dá origem a produtos comestíveis como massas. setor de combustíveis. misturas preparadas. só mais tarde nos anos 60 que a soja teve área expressiva e sua comercialização regularizada. Os principais modos de consumo da soja foram inicialmente adubação verde e. Os principais produtos derivados da soja estão descriminados no diagrama da Fig. Em 1904 o químico americano G. A soja era uma cultura limitada a sua área de origem a China.W. dá origem a vários outros produtos. destas 350 milhões foi utilizado na alimentação animal e o restante foi utilizado na alimentação humana (Brum. Hoje é encontrada na agroindústria de alimentos e indústria química. Os farelos derivados da soja. na indústria de confecções. papel. provavelmente estaria ainda hoje confinada a China. Fibra (5%) e outros (5%). bebidas. ração animal e matéria-prima da indústria de alimentos. A soja deve seu desempenho no século XX ao desenvolvimento pleno da ciência e da tecnologia. fonte de óleo comestível. cosméticos. fabricação de fibras. formulador de espumas. A composição aproximada dos grãos de soja é: Proteínas(40%). Carver descobriu que a soja era uma excelente fonte de proteína e óleo. medicamentos e tintas. 1943). Óleo (20 %). Celulose (17 %). cereais. também. 3.alimentação de suínos. PORQUE A SOJA SE TORNOU IMPORTANTE PARA O MUNDO Na passagem do século XIX para o século XX as duas mais importantes culturas para a humanidade eram o trigo e o milho. Cinzas (6%). da quantidade e qualidade de produtos que podem ser derivados da mesma e da substituição do uso de gordura animais pelos óleos vegetais mais saudáveis. Nos anos 90 cerca de 523 milhões de toneladas de proteínas foram utilizadas no mundo. A soja integral é utilizada pela indústria de alimentos em geral e o óleo cru se transforma em óleo refinado e lecitina que. sem tal desenvolvimento. que são utilizados para a alimentação animal são muito melhores e mais ricos em proteínas do que aqueles derivados de outras oleaginosas como a canola e o girassol. Os primeiros relatos tanto nos Estados Unidos como na Argentina e Brasil realçavam as qualidades dos grãos de soja que poderiam ser utilizados para muitos fins industriais. mais tarde. indústria de adesivos e nutrientes. produtos de carne. 2002). Açucares (7%). inclusive na fabricação de parte de automóveis que recém estavam sendo fabricados em escala comercial (Boerger. revestimento. após a extração do óleo. Passados 100 anos a soja é a mais importante comodity no mercado internacional. Esta transformação só foi possível graças a um conjunto de fatores relacionados a plasticidade da planta soja.1. 4 . É usada. emulsão de água para tintas. por sua vez.

Das poucas toneladas produzidas no inicio dos anos 20 até 219 milhões de toneladas de grãos de soja estimadas para a safra 2005/2006 se criaram muitas oportunidades e um mercado em crescimento e com demandas ainda maiores. Argentina. 2002).65 milhões de toneladas em 2000. A cultura da soja ficou por muitos anos confinados aos Estados do Sul do Brasil porque ela tem características peculiares na sua adaptação aos diferentes locais de cultivo. 5. Neste ambiente a soja é imbatível como cultura fácil de produzir e com uma quantidade muito grande de proteína podendo suprir com proteína vegetal barata o mercado em expansão.Soja no Brasil Apesar de ter sido introduzida na Bahia foi no Rio Grande do Sul que a soja se estabeleceu e ganhou importância no Brasil. especialmente quanto à reação ao fotoperíodo e respostas a temperatura do ar. que regulam a época de florescimento da soja (Mundstock e Thomas.2) e as principais regiões consumidoras de grãos Estados Unidos.4. O mercado mundial da soja é realizado por poucos paises produtores Estados Unidos. 2005). As importações mundiais da soja em grão cresceram na ultima década 85% passando de 25.EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO MUNDIAL A soja foi produzida em grandes quantidades somente na China até a década de 1940 quando começou sua expansão.Com o surgimento do mal da vaca louca na Europa e a proibição do uso da proteína animal na alimentação de aves e suínos nos anos 90. enquanto a produção mundial cresceu somente 55 % (Brum. As exportações dos Estados Unidos e do Brasil aumentaram as vendas de grãos no mercado externo. As variedades introduzidas do sul dos Estados Unidos tinham boa adaptação somente nos ambientes dos estados do Sul.1. Ásia e União Européia (Brum. Paraguai e Uruguai neste trabalho pela sua importância somente serão discutidos neste trabalho os dados referentes ao Brasil e a Argentina. Já no Brasil foi nos anos 60 que a soja começou ganhar impulso. Argentina e China (Fig. Brasil. enquanto que na Argentina foi nos anos 70(fig. quando semeadas na região Central do Brasil 5 . a proteína vegetal teve que ser o substituto natural. América do Sul. 2002). especialmente nos Estados Unidos.A razão da expansão mundial foi devido aos aumentos de área e também pelos aumentos de rendimento que foram sendo melhores graças ao conhecimento cientifico gerado e rapidamente repassados aos agricultores.73 milhões de toneladas em 1990 para 47. 5. durante a segunda guerra mundial.2). enquanto que a Argentina aumentou suas exportações de farelo e óleo.EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DO MERCOSUL Apesar do mercosul ser formado pelo Brasil.

5. tornando a atividade antieconômica.2.1998. permitindo que a soja cresça e se desenvolva forme alta biomassa aparente o que resulta em altos rendimentos. devido à quantidade de investimentos. Entretanto. 2005). 1989). por volta dos anos de 1960.A agricultura Argentina cresceu pouco nos anos de 1950 a 1980.tinham pequeno crescimento e floresciam logo o que resultava em baixo rendimento de grãos. bem como. Os reflexos da seca estão sendo sentidos nos principais municípios e nas contas do Estado do Rio Grande do Sul. enquanto que já no final dos anos 80 a região centro-oeste apresenta maior produtividade média que a região sul (Conab. Hoje a soja é cultivada em todas as regiões do Brasil. em algumas regiões do Brasil e foi também a principal responsável pela introdução do conceito de agronegocio no país. A terra mais fértil dos pampas Argentinos estava alocada para a produção semi-extensiva de grãos e extensiva pecuária de corte e leiteira. Foi somente após a introdução da característica período juvenil longo que a soja pode se expandir para as regiões mais ao norte do Brasil (Kiihl e Garcia. nos últimos anos houve grandes mudanças com o continuo aumento da área de produção e da produtividade e o deslocamento do cultivo da soja para o Centro-oeste (Mato Grosso é o estado maior produtor).NA ARGENTINA Apesar de ter começado o cultivo e ter realizado estudos científicos antes do Brasil. pela necessidade da visão empresarial de administração da atividade por parte de todos os elementos envolvidos no complexo agroindustrial da cadeia. (Marafon. As variedades americanas eram muito sensíveis as mudanças de latitude e da época de plantio devido sua resposta as variações no comprimento do dia. A soja. Durante os anos 90 o setor agrário argentino incorporou extensivamente uma série de produtos e processos tecnológicos que reconfigorou o papel da produção de grãos e o conhecimento tácito dos produtores. Os agricultores das regiões tradicionais com áreas pequenas (mais de 90% com menos de 50 hectares). 2002). os preços baixos no mercado internacional. na Argentina a soja demorou ater uma grande área cultivada. por outro lado a liquides da soja atrai cada vez mais tanto grandes quanto pequenos agricultores. foi a grande responsável pela profissionalização e especialização da agricultura. Ocorreu um forte movimento de concentração na industria moageira e nos demais elos da cadeia. inclusive na região Norte e desde a safra 2001/2002 a região centro-oeste tem a maior área cultivada e a maior produção de soja. terão seria dificuldades de permanecerem no negócio devido a um conjunto de fatores como: a elevação dos custos de produção. Durante o período juvenil a planta de soja não floresce mesmo que as condições de fotoperíodo existam. sem dúvida. os rendimentos relativamente baixos. empresas e pessoas envolvidas em sua produção e processamento. Pressionados pelos preços baixos das comodities no meio 6 . e mais os problemas de clima como o que foram expostos na safra recém finda. Brum.

os produtores tiveram a disposição tecnologias que permitiram reduzir drasticamente os custos e as adotaram na quase sua totalidade. A expansão se deu a uma combinação de fatores como: (1) os altos preços da soja no mercado internacional nos anos de 1996. (2) políticas internas favoráveis à produção agrícola. grande atividade de marketing das empresas produtoras de sementes. (8) a introdução das técnicas de plantio direto. Acesso ao mercado internacional. SIMILARIDADES E DIFERENÇAS ENTRE O BRASIL E A ARGENTINA As principais similaridades foram à rápida expansão na produção interna pela utilização de áreas antes devotadas a outras culturas e posteriormente a expansão para novas áreas antes utilizadas com a pecuária. especialmente a partir do embargo americano a Europa em 1973. o gene foi inicialmente de propriedade da Monsanto. pela introdução do plantio direto e variedades resistentes aos herbicidas. enquanto que nos dez anos seguintes partiu de 12 milhões de toneladas para 39 milhões em 2005. A soja é responsável por 50 % dos grãos produzidos e representa 20% de todas as exportações Argentinas e hoje ocupa as melhores áreas (Fig. Aumentos crescentes nos rendimentos obtidos pela adoção de novas tecnologias. 2003). enquanto na Argentina a soja começou e se 7 . È preciso notar que na Argentina a propriedade do gene RR teve um caminho diferente do Brasil. (5) possibilidade de dois plantios por ano na mesma área (trigo/soja). com um crescimento anual médio de 2. que o licenciou para a companhia Asgrow. Estas tecnologias incluíram a utilização de sementes transgênicas e a utilização do plantio direto (Bisang.dos anos 90. especialmente variedades mais adaptadas e uso correto de fertilizantes. O crescimento observado na produção de 87 a 96 praticamente foi nulo. (3) a disponibilidade de áreas planas com alta fertilidade. (6) expansão e alta demanda do mercado internacional por proteína vegetal. 6. A Asgrow foi comprada pela companhia Nidera que o introduziu no mercado Argentino. (4) aos baixos custos de produção. As principais diferenças são quanto aos aspectos fundiários onde no Brasil a soja começou em áreas pequenas de até 50 hectares (90 % dos produtores). 2002). A produção Argentina realmente teve um grande incremento após o ano de 1996. Aumento no numero de variedades disponíveis aos agricultores através dos programas de melhoramento.4).1997 e 1998.7 milhões de toneladas. Quando a Monsanto patenteou o gene internacionalmente este já tinha sido liberado para venda comercial na Argentina (Qaim e Traxler. (7) o desenvolvimento de um grande numero de variedades adaptadas as diferentes regiões produtoras.

Somados todos os custos de produção quando comparados os agricultores Brasileiros tem uma rentabilidade 230% menor que a obtida pelos produtores Argentinos (Brum. Outro ponto de diferença é que na Argentina muitos produtores terceirizam suas atividades e não investem grandes somas de capital na compra de maquinas diminuindo ainda mais seus custos de produção. do que aquele observado na Argentina onde a maioria das variedades é de grandes companhias multinacionais ou de empresas Argentinas a elas associadas. Dados da Argentina revelam que os produtores tiveram uma vantagem de aproximadamente US $ 30.estabeleceu em propriedades maiores. bem superiores aos praticados na Argentina. e com o desenvolvimento de tecnologia brasileira melhorou a eficiência de utilização de corretivos e fertilizantes e a obtenção de variedades mais adaptadas a região tendo como resultado altos rendimentos de grãos. enquanto o Brasil esta vendendo no mercado externo mais o grão a Argentina esta exportando mais o farelo de soja e óleo. a expansão esta se 8 . onde no Brasil há uma carga maior de impostos.00 por hectare por adotarem a tecnologia RR e os agricultores que tiveram maiores ganhos foram aqueles com propriedades menores de 100 hectares (Qaim e Traxler. A atuação no mercado também tem diferenciado o Brasil da Argentina. No Brasil as empresas multinacionais produtoras de sementes têm uma fatia bem menor de mercado. e todos os agricultores têm que investir em maquinas agrícolas. No Brasil esta pratica não é usual. Grandes diferenças também são observadas em termos de impostos pagos. EMBRAPA. A expansão da soja no Brasil foi para a área tropical do Centrooeste. Nestas áreas planas e maiores foi possível melhorar a eficiência na utilização de máquinas agrícolas com o conseqüente aumento dos rendimentos de grãos e diminuição de custos. No Brasil a grande maioria das variedades de soja no mercado é de empresas publicas como OCEPAR. Por outro lado a Argentina já ocupou suas melhores áreas e a expansão atual esta seguindo para áreas mais marginais além de limitadas estas terão rendimentos menores. enquanto no Brasil. Fundação Mato Grosso etc. Já no Brasil. 2002). ainda persistem problemas legais impedindo seu pleno uso pelos agricultores. onde as propriedades são maiores e melhorou a economia de escala. Na Argentina existe também uma vantagem quanto aos preços pagos aos defensivos agrícolas comumente utilizados na lavoura de soja que são mais baratos devido a existência de produtos genéricos em maior quantidade e há mais tempo e também a nova concorrência realizada pelo baixo custo dos herbicidas utilizados na soja RR.2002). A adoção rápida pelos agricultores argentinos da soja transgênica RR permitiu uma redução de custos de produção e uma vantagem competitiva.

especialmente de frangos e suínos. permitindo maior eficiência do seu uso na alimentação animal. 2003). 7. algodão e canola). propiciaram uma renda bruta superior a 20 bilhões de dólares. tornando o óleo de soja muito melhor do que é hoje e competindo diretamente com o óleo de canola e de girassol. Para os produtores houve um incremento de renda por hectare que variou de 10 a mais de 100 dólares por hectare dependendo da cultura utilizada. Primeiro serão desenvolvidas variedades com um conjunto de características agronômicas modificadas que envolverão o crescimento/desenvolvimento das plantas. Nos próximos anos os desenvolvimentos da biotecnologia causarão maiores impactos para cultura do que aquele observado nos 100 anos passados. aquelas empresas que ofereciam produtos que competiam diretamente com as variedades transgenicas (Ford Runge e Ryan. Variedades que terão uma redução muito grande nos fatores antinutricionais que estão presentes nos grão de soja hoje. maiores rendimentos em condições de estresse e melhor qualidade para a alimentação animal com o aumento dos ingredientes chaves como o teor de metionina e redução dos níveis de fitatos para diminuir o conteúdo de fósforo presentes nos resíduos.dando em área novas com um potencial de expansão de até 80 milhões de hectares e com potencial de rendimento próximos dos atuais. Nos próximos anos estarão no mercado variedades de soja com sua composição de óleos modificados.As novas variedades resultantes das novas biotecnologias proporcionarão novas ferramentas para buscar uma agricultura de mais precisão. Pelo lado da industria houve uma grande competição entre os fornecedores de produtos que levou a algumas empresas mudar completamente seu portofolio de produtos.Especialmente. Variedades que vão trazer no seu genoma genes de resistência as principais moléstias e insetos. as quatro culturas que tinham variedades transgenicas no mercado (soja. calor e umidade sem perdas de rendimento. IMPACTOS DA BIOTECNOLOGIA Apenas no ano de 2002 nos Estados Unidos. Também estão sendo desenvolvidas variedades que vão suportar melhor estresses ambientais como seca. A mais longo prazo plantas de soja mais eficientes que poderão utilizar de forma mais racional a quantidade de água e luz existente no ambiente com resultados na produção de grãos de soja para o mercado em expansão. 9 . e na certa trarão características de maior apelo social não só em termos de produtividade mas também quanto uma maior conservação de solo e água. fitoremediação para solos com problemas e outros benefícios ambientais. A ciência desempenhou papel fundamental na expansão do cultivo da soja e proporcionou ao mundo uma fonte de proteína barata e confiável de produzir. milho.

A. China e Índia têm área disponível para aumentos da produção de soja em larga escala. Por outro lado. O lançamento recentemente de Editais pela FINEP para o financiamento de base para as empresas da nova economia poderá auxiliar na criação de novas empresas brasileiras de biotecnologia. Com tamanha facilidade e potencial de produção de soja os países de mercosul têm que se preparar para uma atitude mais ativa no mercado mundial.Difusion Process in Networks: The case of transgenic soybean in Argentina. 9. A economia mundial da soja: impactos na cadeia produtiva da oleaginosa no Rio Grande do Sul 1970-2000. L. 8. Como a expansão americana chegou ao seu limite e os aumentos de rendimento serão lentos. 2002. Nenhum dos paises competidores como EUA. 176 p. Montivideo.2. Unijui. para um efetivo ganho os países do mercosul deveriam adotar políticas conjuntas de crédito. R.A. vol. 2003. p. Investigaciones Agronômicas . Brum. nos países desenvolvidos e na China.PERSPECTIVAS FUTURAS O Brasil e Argentina juntos já produzem e vendem no mercado internacional mais soja que o principal produtor os Estados Unidos. A. Ed. Pode ser encontrado no site : www. A utilização cada vez maior dos óleos vegetais para fins industriais também seguirá pressionando a demanda. o que continuará pressionando a demanda por proteína vegetal barata. Nov. 10 . Ijui. Políticas deveriam ser buscadas que aproveitem as similaridades e diminuam as diferenças levando a uma integração completa de mercado pelo menos para a cadeia da soja. porque em curto prazo não existe cultura que poderá substituir a soja na produção de proteína de forma barata e fácil. Boerger. 2003. 1943.org/strategic/soy33. O Brasil pela confusão do sistema regulatório vigente e pela falta de decisão na adoção de novas tecnologias na área deverá perder competitividade a médio prazo. tenderá a levar vantagem na utilização dos novos produtos da biotecnologia.Como a Argentina tem utilizado a biotecnologia com mais rapidez que o Brasil. de controle dos custos de produção e de vendas no mercado externo. Entretanto. de uso da biotecnologia .pdf. Trabalho apresentado na Conferencia Internacional sobre Sistemas de Inovações Estratégicas de Desenvolvimento para o Terceiro Milenio. Por outro lado esta aumentando o consumo de carne no mundo especialmente.bothends. o Brasil formou nos últimos anos um grande número de Doutores com treinamento na área de biotecnologia e tem muitos grupos trabalhando com soja é possível que desenvolva tecnologias próprias. REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS Bisang. esta claro que os produtores do mercosul poderão exercer um papel maior no futuro.A. Bamiro y Ramos S.

C.994-1000. Ryan. R. Bol. R. De Agricultura dela Nacion. Campinas. Departamento de Plantas de Lavouras.).S. 1998. Council for Biotechnology Information. Magalhães. Estatística do complexo soja.No Estado do Rio Grande do Sul.C. A. 1998. Boletin del Ministerio de Agricultura dela Nacion 29(1) :113-117.A. Fatores que afetam o crescimento e o rendimento de grãos. The economic status and performance of plant biotechnology in 2003: Adoption. Argentina. Instituto de Tecnologia de Alimentos.Pascale. 11 . 1995/1997.C. 2003. Del Min. research and development in 2003. 1981. Sérgio Roberto de. A dimensão espacial do complexo agroindustrial soja no Estado do Rio Grande do Sul. 1967. ABIOVE. ano 1934. suplemento al tomo 36. A soja no Brasil.Costa. Introdução e evolução da soja no Brasil. p. C. and Traxler G. Qaim M. J. 2005. Garcia. Leal.. Rio de Janeiro: UFRJ. Paper presented in 6 th ICABR Conference on “Agricultural Biotechnologies: New Avenues for Production. Fauldade de Agronomia. A. e Medina. 31 p. 1989. The use of long-juvenile trait in breeding soybean cultivars. 302 p. (2002) Roundup Ready Soybeans in Argentina: Farm Level.(eds. 233 p. Foveret Filho. Thomas. 1930. R.J. B. Washington. 9. Milán. Tese (Doutorado em Geografia). Milán. Actas IV Conf. A. 274 p Marafon. M. J. G. Ford Runge.L. S.M.Porto Alegre. Paula. Ed. Environmental. El estudio sistematico de las plantas cultivadas en la republica Argentina. Italia July 2002. A. Porto Alegre.J. 1935. Plantas da Lavoura Sul Rio-grandense. 122 p.18-20. A. J. Mundstock. In: Miyasaka. Kiihl. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mundial de Investigacion en Soja. 1996. and Welfare Effects. Bibliografia agrícola Argentina hasta 1930.. In: A. Cultura da Soja. Buenos Aires. Consumption and Technology Transfer” Ravello. Paulo. C. 5 a 9 Mar.

Principais produtos derivados da soja Fonte: BNDS – Paula e Foveret Filho 12 .. Fig.1.

embrapasoja. Fonte: www.2 Produção de soja pelos principais paises produtores.Fig.br 13 .

Fonte: Conab.embrapasoja. Área cultivada. 3.Fig.br 14 . www. produção e produtividade média da soja no Brasil.

4.Fig. Fonte: USDA 15 . Principais províncias produtoras de soja na Argentina.

16 .