..

Selelilbrode ma, DIÁRIO DO CONGRESSO NACIONAL

4, Se, em qualquer escrutinio; o núm..ró ire candidatos votados
for:
a) igual ao nÍlmero de vagas a serem preenchida&, os cano
didatos siló considerados eleilOs; , ..
Irl inferior ao número de vagas a serem os
candidatos suo considerados eleilos, e realizar·se·50
adicionais para das vagas reslantes; , '
oI sUfl"rior ao número de vagas a ser.,n' preenchidas. o candi·'
dato (ou os candidalos com o mesmo número de vOlOS), que lenha
recebido o menor número de votos eliminado e, Se o número de
candidalos reslanles quelenhâm recebidos Valos ror: '
(i) igual ao número de vagas a 'erem preenchidas, todos os
candidatos slo considerados eleilos;
(ii), inferior ao número de vagas a serem preenchidas, todos os,
candidatos são eleitos e realizar·se·50 escriidliios
adicionais para preenchimento das vagas restanles; a partic'ípdC;ão
nesses e<crutinios fica limitada aos Governadoles cujos votos não
lenham sido computados para a eleição do um ITÍembro já eleito;
(iii) superior aO número de vagas a s.rem preenchidas, réalizar­
se-ào escrutínios adicionals: a parücipnçào nesses escru\inios fica
aos Governadores cujos votos não tenham sido computados
para a eleiçUo de um Membro jã eleitQ,
C - Olstrllrukio de fot05 o. Junta EXe<:Uli'.
L Na Junta Ex""utiva um membro. eleito por um Governador
ou Governadores representanles de um MerntHlI ou de Membfos da
categoria 11. eslá habilitado a votar por' aquele Membro ou
Membros, Quando o membro da Junta Executiva representar mais
de um Membro: pode ele usar separadamente os valos dos Membros
querepresenle,
2, Se os direi los de votos de um Membro da categoria 1\ vierem
a ser modificados nos inlervalos das eleições dos membros da Junla
Executiva:
a) ,nlio haverá, em conseqUência, qUalquer mudança nessel
membros; •
b) os direitos de voto de cada membro da Junta Executiva serão
adotados, antes da- entrada em' vigor pr_D1e por
maioria simples dos Estàdos enumerados na Parte I do AneJl'o i
como,Estados que possam Membros da categoria 111, ou.
após a em vigor do Acordo. por maioria simples dos
Membros da categoria 111.
e- Dislri""içio de .otos lia Juilta Exewlha
Cada membro da Junta Executiva. eleito pela categoria 111. tem
100 'valos,
D-Emeftdu
A seção B pode ,er emendada periodicamente por maioria de
dois terços dos Membros da çategoria lIl. O Presidente será in­
formado de qualquer emenda,
(Às 'Comissões de Relações Exteriores e de Agricultura.}
O SR. PRESiDENTE (Petrõnio Portella) - O Expediente lido
vai li publicação,
Sobre a mesa, projelos de lei que serão lidos pelo Sr, \'­
Secretãrio,
São f6 uguinres
LPROJETO DE'LEI DO SENADO N'161, DE 1978 j
"Regul.menla o exercido da pronssio do Dnenhbta e dá
outras pro\'idê:ociaJ. u
O Congresso Nlicional decrela;
Ar!. I' r: livre. em o lerritório nacional. o exercicio da
profissão de desenhista, observadas as disposições desta 'lei.
Art: 2- Poderão Cllcréer a profissão de desenhista;
.) os porladores de diplomas de desenhista expedidos por esco­
las oficiais ou reconhecidas e registradas na Diretoria do Ensino
Superior do Ministtrio da Educacão e Cullura;
b) os desenhistas dipillmados no Exterior, que tenham revalida­
do e regislrado o seu diploma no Brasil. na forma de legislação em vi·
gor:
ajustados a partir da dala em que selornem efetivas as mudanças nos .... c) os prpfissionais não portadores dos diplomas mencionados
direitos de votos do membro ou Membros que represente;
e) O Governador de um novo Membro da categoria 11 pode
designar um membro, que já partiCipe da Junta Executiva, para
representã-Io e em seu nome votar, até a próxima eleição para a
JunCa, Durante cise período. um membro assim designado serã
considerado como eleilo por esse Governador,
D-Emendu
As das seções A;D podem ser emendadas pelo valo
dos Governadores que representem dois tertos dos Membros da
calegoria li, cujas contribuiçõO$ (eretuadas de acordo com a Seção S
e) do Artigo 4') totaUzem 70% das contribuições de todos os
Membros da calegoria 11, O Presidente será informado de qualquer
emenda, '
Parte 111 - Categoria 111
A- de folO1 ao C_lhode GOlero.dores
Os 600 valos da calegoria 111 slo dislribuídos eqUilativamenle
entre seus Membros.
B - E1rlçio de membros da Jurita EXraltha e seus ... plent..
, I, Dos seis membros e seis suplenles da Junta Executiva eleitos
entre Membros da categoria m, dois membros e dois suplentes serllo
das seguintes $egiões: África, Ásia e Latina, como
reconhecidas na prática adOlada na Confertncia das Natões Unida,
sobre Comércio e Desenvolvimento,
2, Os procedimentos para a eleição dos membros e suplentes da
Junta Executiva da ealegoria 111, conforme Seção 5 a) do Artigo 6'
do Acordo e -li duraçlo do mandato de tais m,embros e suplentes na
primeira eleição a Seçlio S b) do mesmo Arligo, serão
nas alineas anteriores que, comprovadamente, à data da vigência
desta lei, venham exercendo ou ocupando funções, cargos oU empre­
de desenhista. em empresa pública ou privada, e que requeiram
seu regislro em forma a ser delerminada em regulamento,
Art, 3- f: reservado, exclusivamente. aos profissionais de que
Irala esta lei, o lílulo de desenhista,
Parágrafo único, O Utulo de que trata este artigo poderá ser
acompanhado de outra designação decorrente de especialização.
Art. 4' Sào atribuições exclusivas do desenhista, as seguintes
funções:
" - Desenhist3 Projelisla. com as seguintes atividades:
.) projelar e calcular órgãos e elementos mecânicos;
b) projetar e calcular edincios de até dois pavimentos;
o) exeCUlar cãlculos de resistência de materiais de qualquer espé­
cic;
d) projetar e calcular plantas elétricas e hidrãulicas:
e) conhecer e manusear instrumenlos !le medida de alta preei­
sào.
11 - Desenhista Técnico. com as seguintes atividades:
.) execular desenhos, partindo de um desenho de conjunto;
b) ..ecutar desenhos mediante levantamento de peças ou
elemenlos mecânicos:
c) executar cálculos geométricos e cálculos de resistênCia de
matcriai$, em caSQS simples:
d) conhecer e manusear instrumentos de precisllo,
,111 - Desenhista Industrial. Artístico, com as seguintes ativida·
des:
1&) executar desc:nh<;>s, partindo de um "croquis" ilustrativo
devidamente Calado:
b) executar gráficos. seguindo oriemação técnica;
,
QlIiJIl.·felr. 14 DIÁRiO DO CONGRESSO NAOONAL (Seçio 11)
t) tonheter c manusear instrumentos rudimentares para a
elaboraçàó de desenhus.
Arl. 5' A profis,ão de desenhista compreende ... seguinles
especializaçiks:
a)
h) mecãnita:
c) instalaçoe, industriais:
d) eletricista·eletrÔnico:
e) con5lruçào civil:
f) concreto armado:
I) construção seronúucicQ:
h) construção naval;
f) construcão
j) construçãu de mobiliáriu:
I) topografia. curlografla e ogrimensura:
m) aní'tico e de ilu'traçãu:
n) propaganda:
o) gráfico' estulfsticus:
p) zoologia:
q) bolãnica;
r) mineralogia:
s) textil;
I) modas;
u) dc<:oração.
ArI. 6' A duração normal da jornada de trabalho do desenhista
não pode,,; excwer de (seis) horas diárillS.
§ I' Excepcionalmente a jornada de trabalho poderá. ser an­
tecipada ou prorrogada por até 2(duas) horas diárias.
§ 2' A. hora. extraordinárias serilo pagas com acréscimos de
30% (trinta por cento) sobre as horas normuis de trabalho.
Art.7' A remuneração mlnima dos profissionais de que trata es·
la lei não poderá ser inferiur ao valor de 6 (seis) salários mínimos re­
gionais. •
Arl. g, São criados o Conselho federal de Desenho e os Con­
selhos Regionais de Desenho, cujas' a"ibuiço.., composiçilo e
compclência serão determinadas pelo Poder Executivo. em re·
gulamento.
Parágrafo único. A instalação dos órgãos de que trata este arti­
11-0 é subordinada li prév,a consignacão. no Orçamento da União, das "
dotações necessárias. assim como li criação dos cargos, funções ou
empregos indispensáveis ao seu funcionamento, por iniciativa do
Presidente da República.
An.9· 11 profissão de desenhista passa a integrar, como Grupo
28'. a Confederaçào N3cional da.. Prolissõcs liberais a que alude o
arl. 577. da Consolidação das Leis do Trabalhu.
Art. 10. O Poder Executivo, ouvido o Ministério do Trabalho,
regulamentará esta lei no prazo de 90 (noventa) dias.
Art. 11. Esta lei entra em vigor na da.. de sua publicação.
Art. 12. Revogam-se as disposicões em contrário.
Ju.tili...çlo
Como se sabe, é tendência do Direito do Trabalbo, em nosso
tempo, esunder seu manto protetor a todas as modalidades de 011­
cios existentes.
Assim. paulatinamenle, todas as profissões vcm tendo o respecti­
vo (x.crcic.io regulamentado, discrlminando·\c os direitos c
dos integrantes da categoria profissional.
Pois bem, lemo. para nós que é chegado o tempo de re­
gulamentação da profisdo de desenhista. cujo. integrantes. até o
momento, ..tao li marstm do. direitos trabalhistas e previdenci.rios.
Em verdade. no atual cont«.o. devido à falta de regulamenta­
çào do exercício prolissional, os desenhistas slio sub'metidos a
extenuante jornada de trabalho. percebendo baiu remuneraçilo.
Impô... se, por consegUinte, seja regulado o exercfcio da pror;,­
são de objelivo desta proposição. que especifica as atri­
buiçõcs cometidas a esses profissionais, a jornada de trabalho a que
deverão ser submetidos e a remuneração m!nima que deverá lhes ser
atribulda, dentre outras medidas.
A proposição ainda preconiza a criação do Conselho federal de
Desenho e dos Con..\ho. Regiona;" de Desenho, cuja i ..st.laçà.l 6 "u­
bordinada. em obediência a prece. to cOI!stitucional, li ;>révia consiA­
nação de recursus no Orçamento d,. 'Inião. assin, como li criação
dos cargos. funções c empregos ao Seu luncionamento,
por iniciativa exclusiva do Sr. Presidente da RepQblica.
Assinale-se, por derradeiro, que o projetado foi inspirado em su-.
gestão oferecida pela A••ociaçllo dos Desenhistas da Municipalidade
d. São Paulo. .
Sala das Sessõ... 13 de sllemoro de 1978. - NeIJO." Camelro.
(À, Coml..i}eJ COtlJ//tu/çdo e Jwl/ça, de Legislaçdo
Social. de Educarão e Cultura e de Finanças.'
PROJETO DE LEI DO SENAOO N' 263, DE 1978
"Modifica o rtdaçlo do § I' do anllo 471 da Consolida·
das leis do Tnb.lho."
O CongresSo Nadonal decreta:
Arl. I' O§ I' do anigo 477 da Consolidaçilo das Leis do Traba­
lho. oprovada pelo Decrelo-Iei n' 5.452. de I' de maio de 1943. passa
;) vigorar com a seguinte redação:
"Art. 477.... . .
\' O pedido de demissão ou l<cibo de quitação de res­
cisâo do contraIo de Irabalho, mesmo a Ihulo de experianç;a,
só será válido quando feit" com a assistência do respectivo
sindic3to, ou perante autoridade do Ministério'l!o Trabalho:'
Art. 2' Esla lei enllará em vigor na dai o da sua publicação.
Arl. 3' Revogam-se as em conlrário.
JuslUklçio
Afelando de maneira extremum•. :e negativa o equilfbrio do
nossO mercadu de Irabalho. a rotatividade da moo·d.-obra já passa.a
constituir um sério problema paro os que se preocupam com a obten­
ção de uma raz06vel harmonia nas relações
Por certo. um dos (atores mais t;Jl;pressivo!. nara o aumento dos
Indices de elevação da rOlalividade da mão·de·obra é o dos
denominados "contfí.1tos de '=J.perilncla". cuja caracú:ris\ica princi­
pal é o curto prazo de vigéncia, ou seja, até novenla dias.
indepcndenlemenle de quaisquer õnus par> O empregador. Nada
impede a dispensa. findo o prazo contratual.
Tão livres e difundidos são esses COntralOS de experiência, que
nem mesmo podemos estabelecer quantos se efetivam e desfazem,
sempre em detrimento da segurança que deveria ser uma constante
para os nossos trabalhadores.
Dai. propormos a ohrigatoriedade da homologação do termo
de"cs conllalos. pelo Ministêrio do Trabalho, depois da assistencia
dos órgãos de classe compelentes. A um só tempo, por essa via,
chegariamO! a dois resultados positivos: detectaríamos o número
exalO COOlralas de experiência celebrados, para maior controle
do Minislério do Trabalho; e. consequenlemente, forçariamos o
declínio da curV3 de rotatividade da mão-de·obra nacional.
Sala das Sessões. 13 de .etembro de 1978. - Nelson Co_Ir•.

DECRETO-lEI N' 5.452. DEI' DE MAIO DE 1943
Aprou a das Ltls do Trabalho.
Da R...,lslo
ArI.477. f: ..",gurado a todo empregado, não existindo prazo
estipulado par;) a termin:1ção do re!ipcctivQ contrato. e quando não
haja ele dado motivo polra cessaçào das relações de trabalho, o direi­
to de haver do c:mpregador uma indenização. paga na base da maior
remuneração que cenhd percebido na mesma empresa.
Identificação da Matéria
PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 262, DE 1978
Autor: SENADOR - Nelson Carneiro
Ementa: REGULAMENTA O EXERCICIO DA PROFISSÃO DE DESENHISTA E DA OUTRAS
PROVIDENCIAS.
Data de apresentação: 13/09/1978
Situação atual:
Local: 06/03/1980 - SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO
Situação: 06/03/1980 - ARQUIVADA AO FINAL DA LEGISLATURA
Indexação da matéria: Indexação: REGULAMENTAÇÃO,EXERCICIO PROFISSIONAL, DESENHISTA.
REQUISITOS, EXERCICIO PROFISSIONAL, DESENHISTA. DEFINIÇÃO, OBJETIVO,
EXERCICIO PROFISSIONAL, DESENHISTA. REGULAMENTAÇÃO, JORNADA DE
TRABALHO, DESENHISTA. LIMITAÇÃO, SALARIO MINIMO, ENGENHEIRO.
COMPETENCIA, CONSELHO FEDERAL, CONSELHO REGIONAL, DESENHISTA.
Sumário da Tramitação
Tramitação encerrada
Despacho: Nº 1.Despacho Inicial
(SF) CCJ - COMISSÃO CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA
(SF) CLS - COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO SOCIAL
(SF) CEC - COMISSÃO EDUCAÇÃO E CULTURA
(SF) CF - COMISSÃO DE FINANÇAS
TRAMITAÇÕES (ordem ascendente)
13/09/1978 ATA-PLEN - SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO
LEITURA.
13/09/1978 MESA - MESA DIRETORA
DESPACHO AS CCJ, CLS, CEC E CF. DCN2 14 09 PAG 4463.
15/09/1978 CCJ - COMISSÃO CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA
RELATOR SEN OTTO LEHMANN.
24/11/1978 CCJ - COMISSÃO CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA
PARECER PELA CONSTITUCIONALIDADE E JURIDICIDADE.
05/03/1979 ATA-PLEN - SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO
COMUNICAÇÃO PRESIDENCIA SEU ARQUIVAMENTO TERMOS ART 367 DO REG INT. DCN2 06 03 PAG
0071.
06/03/1980 ATA-PLEN - SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO
COMUNICAÇÃO PRESIDENCIA SEU ARQUIVAMENTO DEFINITIVO, TERMOS ART 367, 'IN FINE', DO REG
INT. DCN2 07 03 PAG 0142.
06/03/1980 ATA-PLEN - SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO
Situação: ARQUIVADA AO FINAL DA LEGISLATURA
ARQUIVADO DEFINITIVAMENTE TERMOS ART 367 DO REG INT. (PROCESSO ARQUIVADO EM 30 05 1980).
Senado Federal
Secretaria-Geral da Mesa
Atividade Legislativa - Tramitação de Matérias
Impresso em 08/02/2011 13h33 Sistema de Tramitação de Matérias - PLS 00262 / 1978 1

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful