A fadiga pode ser definida como a impossibilidade de manter uma força ao nível esperado, ou a debilidade para realizar performances

rotineiras, sendo que o paciente tem a sensação da necessidade de aumentar o esforço continuadamente para manter a mesma força. Quando uma fadiga tem uma etiologia determinada é chamada de fadiga sintomática. O que pode sintomática? causar uma fadiga

que depende da alimentação, ou seja, dos hidratos de carbono, das gorduras e das proteínas; 6. Lesões cardíacas que prejudicam a circulação sangüínea do músculo; 7. A anemia ou as pneumopatias, que diminuem o oxigênio do sangue que irá permitir o metabolismo; 8. As endocrinopatias, especialmente o hipotireoidismo. Como diagnosticar a(s) causa(s) da fadiga sintomática? O grande número de causas da fadiga sintomática obriga o médico a uma boa anamnese, assim como exame clínico completo e exames de laboratório, para que possa determinar, conforme o caso, se existe ou não uma etiologia determinada. Que exames devem ser realizados? São obrigatórios os exames laboratoriais, rotineiros, como hemograma, uréia, creatinina, hemossedimentação, glicemia, T3 T4 TSH, cortisol basal, proteínas e frações, CPK, TGO, TGP, bilirrubinas, fosfatase alcalina, sódio, potássio, fósforo, magnésio e verificação de anticorpos (IgG e IgM) para revelar a existência de uma possível infecção atual ou antiga, especialmente para vírus e moléstia de Lyme. Se nada for encontrado, o médico recorrerá a exames que podem indicar alterações metabólicas musculares que dificultam a formação da energia no músculo (ATP): dosagem de amônia, ácido láctico e piruvato durante exercício em isquemia. Na suspeita de 3

1. Anormalidade do recrutamento dos estímulos nervosos que irão contrair os músculos para realizar determinado movimento; 2. Comprometimento da passagem do estímulo do sistema nervoso ao músculo, como acontece, por exemplo, na miastenia; 3. Drogas ou medicamentos, como aqueles que diminuem o potássio por exemplo, os corticóides e os diuréticos, ou por outras alterações, como se observa com a penicilamina, a cloroquina, a anfotericina B, a emetina, o clofibrate, o álcool etc.; 4. Vírus ou bactérias como a Borrelia burgdorferi causadora da doença de Lyme e vírus que ocasionam, por exemplo, o herpes, as hepatites, e mesmo as gripes (influenza); 5. Alterações do metabolismo muscular necessário para a produção de ATP (ácido adenosina trifosfórico) que constitui a energia muscular, a usina do músculo, e Fadiga

usados também na fadiga metabólica. Os sintomas mais comuns são: fibromialgia (dores intensas em todo o corpo. Como é o tratamento para a fadiga sintomática? Para fadiga sintomática. infecciosa. paraneoplásica ou anóxica. seja ela desmielizante. Esse trabalho sugere também que várias seriam as etiologias da SFC. conforme referimos anteriormente. os exercícios de início bem leves e que vão aumentando lentamente no correr do tempo são a melhor terapêutica. remédios contra a insônia etc. Gay Goldstein em 1993. neoplásica. antiálgicos. Na SFC.alterações mitocondriais. Esses exercícios. de fatos recentes. a biópsia muscular com histoquímica ou com microscopia eletrônica poderá também ser útil. desde que a lesão esteja presente na região límbica do cérebro. febre leve (37°. depressão. 37. além da fadiga. Quais são os sintomas da Síndrome da Fadiga Crônica? Síndrome de fadiga crônica (SFC). presente em 50% dos casos da SFC. tratamento dependerá da etiologia. também muito relacionados à dor. mas não todos obrigatórios em todos os casos.) em determinados períodos do dia. além do apoio psicológico. cefaléia e déficit da memória de curto prazo. ou seja. como antidepressivos.2° etc. publicou um livro sugerindo que uma lesão situada na região límbica do cérebro poderia ser responsável pelos sintomas da SFC. verificadas pela presença de pontos muito dolorosos. em determinados locais). Existe alguma causa para a Síndrome da Fadiga Crônica? Para explicar a presença de tantos sintomas. O autor verificou ainda que a região límbica tem alta densidade de receptores de serotonina. dor de garganta e linfonodos no pescoço e nas axilas. sono não restaurador interrompido a intervalos pequenos. encontramos vários outros sintomas. substâncias relacionadas à dor e à depressão e que exerce grande modulação dos opióides endógenos. visarão o aumento do número de mitocôndrias no músculo. o Como é o tratamento para a Síndrome da Fadiga Crônica? Para a SFC teremos um tratamento para cada um dos sintomas existentes. 4 Fadiga .

¯ f–°¾nff%¾%nf¾f%¾% f€f –f ¾°¯hnf"  –f°  °¯   nf¾f¾ f €f –f¾°¯hnf –f ¯x nf¯f ff°f¯° ¾ f¾¾¯n¯ f¯  n°n n¯½   f¯ ¾  f f  ½ff   ½¾¾f  ¯°f  n°€¯   nf¾  ¾  ¾   °j ¯f –f  ¯°f f  .  f¯ ¾  ¯¾  ff ¾" j  –f¾ ¾ f¯ ¾ f ff¾  ° ¾  n¯  ¯–f¯f  xf  n f°°f   ¯¾¾ ¯ °fsj  –n ¯f  @ @ @  n¾ f¾f  ½ °f¾  €fsµ ¾  .

9  @  @9   °f¾  €¾€ff¾  fnf°f  ¾   ½h¾¾  €¾€  ¯f–°x¾   €nfsj f°n½¾%– –.%½ff   f f ¾y°nf  ¯f ½¾¾  °€ nsj ff  f°–f  ¾½ nf¯ °  ½ff¾ ¯x¾f ¯  °f f€ °n°f  ¯x n n h f f¯ ¾  ½ ¯° nff fsµ ¾¯ f nf¾ ¯¾nf ¾   €nf¯ f €¯fsj f ° –f ° ¯¾n %@9%  ¾f– ¯  f¯´°f  hn  hnn  ½f f°   nn ¯ ¾ ¯f  -f ¾¾½ f     .

   f fsµ ¾ ¯n° f¾  f ½¾f ¯¾nf n¯ ¾¯nf  n¯ ¯n¾n½f  ´°nf ½ h f¯ x¯ ¾   .f¾ ¾j ¾ ¾°¯f¾ f ° ¯  f f –f.

´°nf" ° ¯   €f –f n´°nf %.

%  n°€¯   € ¯¾ f° ¯ °  fx¯ f €f –f  °n°f¯¾ h¾ ¾ ¾°¯f¾  ¯f¾ °j  ¾  –f¾ ¯  ¾ ¾ nf¾¾ ¾¾°¯f¾¯f¾ n¯°¾ ¾j  € ¯f–f %  ¾ ° °¾f¾ ¯    n½   €nf f¾ ½ f ½ ¾ °sf  ½°¾¯ ¾¾  ¯  ¯°f ¾ nf¾% ½ ¾ °  ¯  ¾nf¾¾ f.

 ½ ¾¾j  ¾° °j  ¾ff  ° ¯½  f ° f¾ ½  °¾   –f–f°f °€° ¾°½ ¾ns °f¾ ff¾  €      %    n % ¯  ¯°f ¾ ½  ¾  f  n €fxf  x€n f ¯ ¯f  n ½f   ¾ ©f  €f¾ n ° ¾  ¾  f–¯f nf¾f ½ff f ° ¯  f f –f.

´°nf" 9ff ½nf f ½ ¾ °sf  f°¾ ¾°¯f¾  f  ¾ ° ¯   ½ n ¯  ¾– °    ¯f  ¾j¾f f°f –j¯ nf nx  ½ f¾  ¾½°¾h ½ ¾¾°¯f¾ f .

 ¾¾  f f ¾–   f¯ x¯   hf¾ ¾ f¯ f¾ –f¾ f .

 ¾    f  ¾j ¾ ©f ½ ¾ °  °f  –j ¯ nf nx  ¾ ©f f ¾¯ f°  °€ nn¾f  ° ½h¾nf  ½ff° ½h¾nf  f°nf   f  €n f° f   f  –j ¯ nf  ¯ ff °¾ f    n ½ ¾  ¾ °°f  ¾ ¾i°nf¾  fn°f f¾ g   g ½ ¾¾j     n  –f°  ¯ fsj ¾ ½ ¾ ° – °¾ f¯ x¯¯ fn°f ¾g       .

¯ x  ff¯ ° ½ff f €f –f ¾°¯hnf" 9ff €f –f ¾°¯hnf  ff¯ ° ½ ° h f –f   .

¯xff¯ °½fff° ¯  f f –f.

´°nf" 9fff.

  ¯¾¯ff¯ ° ½ff nf f ¯ ¾ ¾°¯f¾ ¾ ° ¾  n¯ f° ½ ¾¾¾  f°h–n¾   ¯x ¾ n°f f °¾´°f n  -f .

 fx¯ f½½¾n–n ¾  nn¾  °n ¯   ¾    j f¯ °f°   °f¯ °  ° n    ¯½ ¾j f ¯   f½ynf  ¾¾ ¾  nn¾  ¾f ¾ f¯ x¯ °f €f –f ¯ f nf  ¾fj  f¯ °  °¯   ¯n´° f¾°¯¾n                f –f .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful