Curso Formativo Sobre Liturgia Católica 1. O QUE É SÍMBOLO? Se pensa que o simbólico geralmente é algo irreal.

Símbolo é o encontro de duas realidades numa só, símbolo é a presença da mesma realidade em outra forma. O bolo de aniversário representa festa, a aliança significa amor e fidelidade. Símbolo pode ser um objeto, um elemento capaz de expressar de alguma maneira uma realidade que está presente, que a gente não pode expressar totalmente, mas que é mais do que a gente pode exprimir por palavras. Símbolo é um objeto, um gesto, um elemento, um movimento, uma expressão corporal, onde o que vale não é mais aquilo que em si , mas o que exprime, o que significa. Exemplo: Um rapaz que leve uma rosa a sua noiva o que importa não é o valor da rosa em si , mas o que significa: a rosa define o mistério profundo do amor que existe. O SíMBOLO É A LINGUAGEM DO MISTÉRIO.

2. OS SÍMBOLOS NA LITURGIA. As realidades que Deus nos quer revelar e comunicar na Liturgia , que são profundas e inefáveis, na qual o homem não consegue exprimir, são expressas liturgicamente nos sinais sagrados e símbolos. Muito mais que os conceitos, a Liturgia se interessa mais pelas realidades que expressa. A Liturgia é um acontecer de realidades sagradas e ocultas em forma terrena. É preciso transformar em ação vivencial aquela ação mediante a qual o homem que tem fé compreende, acolhe e realiza os sinais da graça invisível. É o homem todo que celebra o culto. Não só alma e inteligência, mas todo o seu corpo deve entrar em comunicação com Deus. O corpo humano é o maior símbolo da linguagem religiosa. Assim também, não só a comunicação pela linguagem falada, mas por sinais que signifiquem e comuniquem a graça estabelecida por Deus: a santificação do homem. "Que o Deus da paz em pessoa vos santifique totalmente, e que vosso espírito, alma e corpo, sejam perfeitamente ... irrepreensíveis por ocasião da vinda de Nosso Senhor. Aquele que vos chama é fiel: é Ele ainda quem agirá" (1 Ts 5, 23-24) . Curso Formativo Sobre Liturgia Católica 3. ALFAIAS LITÚRGICAS EM GERAL. É muito abundante a literatura relativa às alfaias litúrgicas . Chamam-se alfaias litúrgicas todos os objetos que servem ao exercício da Liturgia . Referem-se em particular aos lugares litúrgicos , aos ministros da liturgia e às celebrações litúrgicas . No dicionário comum alfaia quer dizer móvel ou artefato de uso. 0 inegável valor das alfaias é ser "sinal" que caracteriza a realidade invisível da graça ministrada por Deus no exercício litúrgico . 3.1. SÍNTESE HISTÓRICA. No início a Igreja adotou alfaias, no exercício litúrgico , que eram habitualmente usadas para outras atividades. Houve o cuidado de fugir da influência da religião judaica e do contato com as religiões pagãs. Nos primeiros séculos as alfaias correspondiam ao decoro, praticidade e respeito pela Liturgia . Os vasos eucarísticos no princípio, eram feitos de vidro decorado. Só posteriormente se teria recorrido a matérias preciosas, trabalhadas com arte. As vestes dos ministros (séc. V) eram comuns e belas. Em certos casos foram adotadas roupas e insígnias dos funcionários do império. No decorrer dos séculos elas foram se distinguindo, por causa da maior riqueza da sua matéria e confecção. O século XII foi marcado pelo auge da verdadeira fase criativa das alfaias I tanto na sua arte ou decoro como nos seus sinais (o que representavam). Também nesse período se observou o uso de benzer as alfaias. A arte teve influência nas alfaias, nas suas sucessivas épocas e com estilos diferentes e com uma rica produção no campo da pintura, da costura, do bordado (às vestes litúrgicas) , da ourivesaria (aos vasos sagrados).

. admitindo a mudança na matéria ou na forma ou na ornamentação. 8). Liturgicae instaurationes (aplicação para a sagrada liturgia.2. e aceita as adaptações que correspondem à mentalidade e às tradições de cada povo. Instrução Inter Oecumenici (Sag. 3. desde que respeite as exigências do culto: Os artistas devem lembrar-se" que as obras se destinam ao culto católico. Dos Ritos). O simbolismo dos paramentos litúrgicos versou sobre três pontos: as virtudes que devem resplandecer nos ministros que os vestem. §3 . Ainda hoje se procura dá a liberdade de expressão da arte. A respeito da materia e a forma das alfaias litúrgicas diz-se que devem observar as prescrições litúrgicas . Tanto anteriormente como após o Vaticano II a Igreja procura distinguir os objetos destinados ao uso sagrado dos destinados ao uso profano.. Culto Divino) Carta sobre o mistério e o culto da ss. É do dever do ordinário local zelar para que as alfaias sigam as normas do direito da arte sacra e vigiem para que as alfaias não venham a ser alienadas ou destruídas . para quem interessar.. deve haver o cuidado de manter nobre simplicidade .312. a pessoa de Cristo representada pelos ministros. " É dado aos povos e aos artistas mais ampla possibilidade de empregar no culto sagrado suas melhores energias" (Instrução Liturgicae instaurationes. Cong. mesmo aquelas que já caíram em desuso. a Igreja sempre se preocupou com que as sagradas alfaias servissem digna e belamente ao decoro do culto.. pode-se procurar nas seguintes fontes: Instrução sobre as missas para grupos particulares (Congregação Culto Divino). das alfaias sagradas é de competência das conferências episcopais de cada país.3. A Igreja nunca teve um estilo artístico próprio. . a sua paixão. Eucaristia (João Paulo 11). dentro do possível.Código 1917). (cf cân." (lGMR 287).. objeto do memorial litúrgico.. AS ALFAIAS NO HOJE DA IGREJA.. também para todos os tipos de alfaias sagradas a Igreja admite o gênero e o estilo artístico de cada região.4. à piedade e à instrução religiosa dos fiéis" (Sacrosanctum Concilium. 127). 3.. " . IGMR (Introdução Geral Missal Romano) 253 . de modo particular as alfaias da celebração eucarística : "O culto litúrgico jamais pode ser despojado do seu caráter sagrado. as leis da arte sagrada. Para maior aprofundamento do assunto discorrido acima. conforme as normas do direito (cf SC 128) . A AUTORIDADE COMPETENTE.. "Como para a construção de Igrejas. Cong.Como última alusão a história requer vê-se sobre à interpretação simbólica dos paramentos e cores que se desenvolveram na Idade Média. por isso é errado substituir os objetos sagrados pelo de uso comum ou vulgar" (Paulo VI) "Deixar de observar as prescrições litúrgicas sobre a exigência dos parâmetros à celebração é interpretado como falta de respeito à Eucaristia" (João Paulo li). mas admitiu as formas artísticas de todas as épocas. decorrente progresso da técnica da arte no decorrer dos tempos" ( Sacrosanctum Concilium 122). 3. Sacrosanctum Concilium (Vaticano II). a tradição da Igreja e . 1296. ALFAIAS LITÚRGICAS E ARTE SACRA. à edificação . As adaptações requeridas pelas necessidades ou pelos costumes locais.

benção dos óleos e consagração do crisma. por um sacerdote. d) Se for ser veiculada para fora da Igreja deve ser arranjada dentro do corporal. f) Ele contém um aspecto da humanidade de Jesus: o sangue. para adoração pública. usa .se formulário diferente. geralmente dourada. VASOS EUCARÍSTICOS. quando entram em contato imediato com o Corpo e o Sangue do Senhor conforme o formulário: "Sobre o Teu altar. de qualquer material. no seu recipiente. E) OSTENSÓRIO: a) Chamada também custódia. b) As âmbulas que ficarem vazias devem ser purificadas c) Também são utilizadas para Adoração ao Ssmo. C) ÂMBULA: a) Também chamada cibório (= tabernáculo) ou píxide (de púxis = caixa). as hóstias consagradas para se levar aos doentes.. ó Deus. BÊNÇÃO DO CÁLICE E DA PATENA Antes. Agora bastam ser bentos e a bênção pode ser dada por bispo ou presbítero desde que confeccionados conforme as normas. .. santifica-os para o serviço litúrgico. D) TECA: a) Pequena caixa redonda. é usada para expor o Ssmo. em que se colocam. b) Não é considerada tampa de cálice. ou véu umeral. b) O cálice tem suas raízes na Páscoa judaica. Por isso ele representa a essência da nossa humanidade que deve conter a Deus. era uma bandeja grande. São assim chamados os vasos sagrados a conter o Corpo e o Sangue do Senhor A) CÁLICE: a) juntamente com a patena são os vasos mais importantes. c) Na idade média se construíam pequenas torres eucarísticas com partículas consagradas. e) Ao ser usado pelo sacerdote. Podem ser benzidos durante a missa. c) Deve ser de matéria que não absorva. c) Deve ser manuseada sem tocar os dedos no interior ( local da hóstia grande) . e) Pode ser utilizada para distribuir as Santas Hóstias f) Vem do grego "patané" = bacia. 1." Fora da missa.18 a 0. e) Seu tamanho varia de 0. o nó central para segurá-Ia e o pé para sustentá-Ia. a qual são destinados. onde a santificação dos mesmos é fruto da benção do Senhor. d) Não deve ser usado durante a Santa Missa para adoração do Ssmo. somente pelas bordas. que neles oferecemos.2. para conter o pão consagrado. o Corpo e o Sangue do Teu Filho. colocamos o cálice e a patena. que serve para depositar as hóstias consagradas a serem guardadas no tabernáculo ou para distribuí-Ias aos fiéis.20 cm de altura. 4. e no século XV a ser usado para a exposição do Ssmo.4. b) Foi introduzido no século XIV em vista da festa do Corpo de Deus. b) Em geral os ministros a levam numa bolsa de couro ou arrumada sobre o corporal. os líquidos. B) PATENA: a) No princípio. ambos deveriam ser consagrados pelo bispo ou . previsto pelo direito. Obs : Os textos dos formulários de benção se encontram no ritual da dedicação de igreja e altar. mas pequena bandeja. e para as procissões eucarísticas . o mesmo deve estar usando capa. E para bênção com o mesmo. onde são consagrados o pão e o vinho. de metal. d) Deve ser de metal dourado pelo menos em três partes: interior da copa.

Quanto à forma das vestes litúrgicas ficam à determinação das Conferências Episcopais frente à Santa Sé de adaptar conforme necessidades e costumes regionais: A CNBB aprovou (1971) a substituição do conjunto alva e casula por túnica ampla. ela já é um símbolo e não convém usar outro sinal. simboliza a casa ou tenda de Deus.4. VESTES LITÚRGICAS. d) Em si . de qualquer grau. ESTOLA: a) Tem suas raízes no Sagrado (cobrir-se quando estiver em presença do totalmente Outro) . As vestes quer nos dar o sentido de revestir-se de Cristo. b) É o Talit dos hebreus . com mangas folgadas e largas. Deriva da capa clerical e monástica dos séculos VIII e IX. se houver ornatos.. de sua autoridade. A beleza e a nobreza das vestes decorra do tecido e da forma. de cor neutra. IX recebe o nome de estola (antes era orarium = boca . A variedade das vestes ou paramentos litúrgicos serve para manifestara diversidade dos ministérios (indicações hierárquicas) exercidos na Liturgia . pendendo diante do peito. e) Era carregada ao pescoço com mais de uma volta. com fecho junto ao pescoço. b) É diminutivo de tenda. SOBRE PELIZ: a) Alva reduzida. c) Usada na benção eucarística . Só após o séc::. O cristão procura imitar o Cristo. celebração do matrimônio. que simboliza a pureza de coração com que o sacerdote deve se aproximar do altar. símbolo da caridade. quando muito chega ao joelhos. São aquelas que todos os ministros. c) Simboliza o jugo suave da lei de Cristo e da caridade. incorruptibilidade da doutrina. A veste é sinal primeiro para quem a porta. usando que seja alusivo ao Mistério Pascal .. b) Não pode substituir a alva quando se usar a casula ou dalmática . funerais. . procissões. . " PLUVIAL: a) Vem de Pluviale = capa de chuva. b) Capa que chega até os pés. As cores devem visar manifestar o caráter dos mistérios celebrados.3. virtude da perfeição e imagem da boa fé. teto de Jesus operando com o Espírito. geralmente de linho. Vestes. jugo que o sacerdote deve levar e ensinar aos demais a levar. c) Presa a cintura pelo ângulo e antecedida pelo amito . d) Simboliza a imortalidade da alma e é sinal do serviço e poder sacerdotal. c) Bispos e sacerdotes levam-na em torno do pescoço. aberta na frente. b) Sentido espiritual: candura virginal . A) VESTES COMUNS. O bispo usa quando administra a confirmação. sejam figuras ou símbolos que indiquem o uso sagrado. e) Oração de investidura: "Recebei a veste sacerdotal. com estola do tempo ou festa litúrgica . prendendo ao lado direito.) B) VESTES PRÓPRIAS CASULA: a) Vestimenta usada sobre a alva e a estola seguindo a cor litúrgica do dia. casa. dos seu serviço. Em algumas regiões substitui a alva. Poderoso é Deus para aumentá-Ia em vossa alma e perfazer assim a sua obra. paramentos ou hábitos vêm do termo latino habitus e designam as disposições morais da pessoa e a sua atitude exterior. associada ao grau da hierarquia Breco romana. conforme desenrolar do ano litúrgico. usam: ALVA: a) Túnica branca.para proteger da saliva e do suor as sagradas espécies. d) Deve ser usado sobre a alva ou a sobrepeliz. seu divino modelo. o diácono usa a tiracolo sobre o ombro esquerdo.

TÚNICA: Cor branca ou vermelha. b) É a veste própria do diácono .marinho. d) Representa simbolicamente o próprio Cristo que carregou em seu ombro uma ovelha perdida sendo imitado pelo bispo em seu pastoreio . b) Retângulo de pano que se coloca antes da alva. COTA: Vestimenta branca colocada sobre a túnica. também. COLARINHO: Colocado no pescoço dentro da túnica. podendo ser usada também pelo bispo ou abade. Os nobres a usavam em cerimônias religiosas indicando a realeza como serviço da divindade na Terra. c) Veste oriunda da Dalmácia . Quando a cor litúrgica for preta ou roxa não usa. c) Foi posto em uso a partir do século VIII. deve ser: camisa social de manga comprida branca. Obs : O uniforme para vestir as indumentárias litúrgicas. a Ssma. c) Era tecida com lã branca de dois cordeiros ofertados ao Papa. debaixo da casula . c) Lembra o conselho de cingir os rins como presteza para o trabalho. II "era o vestido das classes nobres. anualmente. IV . BARRETE: a) Chapéu preto com 3 pontas. calça social preta ou azul. significando que o sacerdote é graduado nas ciências divinas. CÍNGULO: a) Cordão para ajustar a alva à cintura. b) Simboliza as cordas e os açoites com que Jesus Cristo foi atado e flagelado . c) Sua utilização vem desde a Idade Média e hoje seu uso é optativo J caindo já em desuso. No séc. estar em alerta e cingir o ministro com os poderes dos conselhos evangélicos. b) Possui estreita relação com o ato de cobrir o Sagrado como se faz com a Torah na sinagoga. sendo adotada para o uso litúrgico no séc. na festa de santa Inês. distinguindo à pessoa e à solenidade. VÉU UMERAL OU VÉU DE BENÇÃO: a) Pano com o qual cobre o ombro do sacerdote enquanto concede a benção eucarística ou translada o Ssmo. b) Significa. Usada em celebrações festivas. sapato social preto. e cobre o colo e a espádua. Trindade. firmado por dois cordões. b) Tira circular.e) Não tem um caráter sacro próprio. D) OUTRAS VESTES LITÚRGICAS . Obs: O pluvial e a casula são vestes próprias do sacerdote. C) VESTE DOS ACÓLITOS (OPCIONAIS). derivado do cinto romano. seguindo a cor litúrgica . Sacramento. se revestir de Cristo e de sua pureza. usada pelo Papa e . d) Foi adotada pelos patriarcas de Constantinopla . c) Simboliza a proteção divina. DALMÁTICA: a) Túnica comprida com mangas curtas e largas. casaco retangular romano. . AMITO: a) Vem de amicire = revestir. PÁLIO: a) Vem de pallium . FAIXA VERMELHA: Colocada sobre a cota. também pelos metropolitas. com dois pendentes sobre o dorso e sobre o peito. posta sobre a alva e a estola.

Também interpretado como o bicórnio de Moisés . hoje também chamado bastão pastoral". e integridade da fé e na pureza da vida. esposa de Cristo. VÉU: Na linguagem litúrgica . 3) As duas tiras (lNFULAS) . roxa para bispos e vermelha para cardeais.BATINA: a) Diferenciada da túnica por ser um pouco mais comprida (até os tornozelos) . não é sinal de jurisdição e por isso não é dever obrigatório o seu . ao mesmo tempo. ao dar benção solene e quando é incensado . simbolizando a perpétua unidade entre a Igreja e o bispo. no homilia e durante o Credo. d) CRUZ PEITORAL: 1) Pequena cruz de metal. 2) Sua forma circular evoca a eternidade. c) MITRA: 1) Ornamento de honra e sinal de poder. 3) Não recebe benção alguma.12 cm . capacete de defesa e de salvação que enfrenta os adversários da verdade. em torno de 0. a permanência e fidelidade. 2) Os antigos cristãos usavam incluindo relíquias ou escritos do Evangelho. o véu vela e revela realidades que só são compreendidas à luz da fé : a) Véu do sacrário : Quase desapareceu. representam defesa e salvação. 4) No Ritual de Ordenação é usado a fórmula: " Recebe o báculo. É sinal de respeito. 3) Na celebração é usado pelo bispo: na entrada. que lembra a dignidade sacerdotal derivada da cruz e dos deveres para com o rebanho redimido pela cruz. INSíGNIAS PONTlFICAIS: São as que distinguem as pessoas eclesiásticas de caráter episcopal: a) ANEL: 1) Sinal de fidelidade e perpétua aliança com a Igreja. representam o resplendor que emana da cabeça de Moisés como o brilho da ciência e da sabedoria do pastor. b) Cor preta para o sacerdote. sinal de fidelidade. parda para carmelitas e franciscanos . curvado na extremidade algumas vezes trazendo algum símbolo. b) Véu do cibório : Não prescrito em rubrica. mas expressão do calor humano diante do frio metal e de mistério. sinal do teu ministério de pastor: cuida de todo o rebanho no meio do qual o Espírito Santo te constituiu para governar a Igreja de Deus. branca para monges dominicanos e cistercienses . durante a proclamação do Evangelho. 3) No Ritual de Ordenação do bispo se usa a fórmula: "Recebe o anel. 4) É usada pelo bispo todas as vezes que muda de lugar na celebração. quando está sentado. 2) Na Antiguidade era o "bastão usado pelo pedagogo . guarda a santa Igreja. mas após Vaticano II insiste em não se usar INSIGNIAS LITÚRGICAS INSIGNIA COMUM: Relativa ao bispo. que vela e revela o mistério da Eucaristia contido no sacrário . c)Véu do cálice: Previsto pela rubrica. 2) Chapéu com duas pontas que significam o AT e o NT . como fontes de bênçãos. b) BÁCULO: 1) Bastão em forma de cajado usado pelo bispo como sinal do seu ministério de Pastor (Pai e juiz) . sacerdote e diácono : a estola.

Natal. sempre foi usado o branco natural. o vermelho para os mortos e o branco para os outros casos. o direito litúrgico deixa às Conferências episcopais uma margem de adaptação dos objetos sagrados conforme as culturas e usos locais (cf. fiéis defuntos. O caráter sagrado do objeto litúrgico não está ligado a certas particularidades de formas. No primeiro milênio. exceto no momento da oração eucarística . luz. vermelho (Cardeal) e branco (Papa) . 2) A imagem do crucifixo deve estar voltada para o Arcebispo. do fogo (presença do Espírito Santo) . há mais liberdade no uso das cores. para que ele possa ver o objeto do seu apostolado : Jesus crucificado. assim como. Como já foi explícito. e sim a seu destino litúrgico e ao uso que dele é feito a serviço de um mistério de santificação . santos não mártires. B) VERMELHO: Sentido: Sangue derramado dos mártires pela fé e por Cristo na cruz. AS CORES LITÚRGICAS " A diferença das cores nas vestes sagradas tem a finalidade de expressar. São sinais humanos para uma ação ritual simbólica. possuem um aspecto funcional (adaptados a um ação) e significativo (porta um sentido místico) .uso. sobre a qual se põe o Missal. b) Em alguns casos a forma do asperge faz dele o próprio recipiente de água. Depois do Vaticano II. A partir do século XII em Roma se fixou as cinco cores litúrgicas : A) BRANCO: Sentido: Inocência. 5. f) CRUZ ARQUIEPISCOPAL: 1) Lembra os benefícios da evangelização que se deve ao Bispo de Roma. Tempo do Advento e da Quaresma.288) . pureza. 2) Cor: Roxo (Bispo) . A Igreja Oriental usa somente duas cores. começo de uma vida nova (batismo) . festa. festas e memórias da Virgem Maria. 3) Palavra latina que significa só a Deus. que insígnia propriamente dita. c) Também chamado aspersório ou hissopo. a característica particular dos mistérios da fé que vão ser celebrados e o sentido da vida cristã no longo caminho em curso do ano litúrgico " (lGMR 307) . Pode ser substituído . 2) A TRIL : Estante de madeira ou de metal. Uso: Páscoa. Cátedral de S. Vejamos outros objetos e elementos relacionados ao uso litúrgico: 1) ASPERGE: a) Objeto de metal em forma de pequeno bastão para borrifar água nos fiéis. São objetos diferentes dos demais. É mais uma devoção tradicional. conversão . D) ROXO OU PRETO: Sentido: Penitência e mortificação. IGMR 287 . a natureza sempre reverdeja Uso: Tempo comum. bem como no uso externo. festa dos Apóstolos e Santos mártires. alegria. C) VERDE: Sentido: Esperança na vida eterna que deve sempre se renovar. luto pela perda de alguém. Pentecostes. Pedro e outros. Uso: 3º Domingo do Advento (Gaudete) e 4° Domingo da Quaresma (Laetare). que possuem finalidade própria na Liturgia. Uso: Domingo da Paixão e Sexta-feira Santa. 6. E) ROSA: Sentido: Alegria pela vinda do Messias e alegria pela salvação que Cristo realizou . e) SOLlDEU: 1) Pequeno gorro que cobre o topo da cabeça. DIVERSIDADE DE ELEMENTOS E OBJETOS SAGRADOS. da força e da realeza. ou seja.

de qualquer material. c) O rito da imposição das cinzas se dá no início da Quaresma . 12) CALDElRINHA : Pequeno recipiente de metal para receber água benta. 4) ÁGUA BENTA: a) Um dos sacramentais da Igreja. d) Faz parte dos elementos principais do presbitério com o altar.CÁLICE: Pano quadrado que é colocado por cima da pala. antes. ambão e sédia . 13) CÍRIO PASCAL: . deve gerar uma disposição de conversão. d) Se pode completar a purificação depois da comunhão. b) A bênção da água é rito solene na Vigília Pascal . de forma que o cálice fique coberto. c) Deve estar no presbitério por marcar o lugar dirigido pelo Vitorioso. 11) CRUZ PROCESSIONAL : a) Em torno de 0. 50 cm de lado) que se estende sobre a toalha do altar. b) Véu que cobria o tabernáculo e o cálice e a patena . ou pedras que indiquem as chagas. nunca jogada fora. b) Vem do latim corpus e evoca o Corpo de Cristo. 6) CINZA: a) Simboliza o pecado e a fragilidade humana. Caiu em desuso após o Vaticano /I (uso facultativo) .. 8) COBRE . missas festivas e solenidades. c) Simboliza o Santo Sudário e é o mais antigo de todos os paramentos. 5) BOLSA: Objeto quadrado feito de papelão duro. b) É bom que sua altura seja inferior a do altar. U és pó e a ele voltarás" . possuindo uma abertura num dos lados para colocar o corporal. coisas comuns. dando-lhe o estandarte de vitória. como sinal de purificação. reconhecendo o seu nada. e se possível. 10) CREDÊNCIA: a) Mesinha que serve para acolher os objetos concernentes à eucaristia. b) Sinal de reconhecimento do homem.por uma almofada. 3) ÁGUA: Elemento natural primordial com características positivas (nascimento e regeneração) e negativas (morte e purificação) como na liturgia batismal .30 a 0. e)Usada em procissões.50 cm presa a uma haste de mais ou menos 2m . é sinal de penitência e conversão. c) A água que sobra pode ser distribuída ou posta em vasos de plantas. c) Deve ser posta à direita do celebrante . e) O rito das cinzas não é um caráter mágico que cancela os pecados cometidos. b) Terá a figura de Cristo morto ou ressuscitado. usado juntamente com o aspersório.. que faça parte da própria parede ou do grande banco da presidência. d) Relembra os cortinados que cobriam a Arca da Aliança dos hebreus . d) No século IX era a própria toalha estendida sobre o altar. É feito com as cores litúrgicas . para depor a patena . c) Indica que o que está sob ele pertence a ordem diferente das . em rito menos solene na celebração do Batismo. cálice e as âmbulas na celebração eucarística e o ostensório para exposição do Ssmo. revestido com tecido de cor litúrgica . composto de duas partes. como sinal sagrado.. por isso. 7) CORPORAL: a) Sagrado linho (aprox. d) As cinzas devem ser feitas das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior . 9) CONOPEU: a) Vem de chonopéion = cortina.

recoberta por um tecido da cor litúrgica do dia e é usada pelo bispo na ausência da cátedra. 19) HÓSTIA: a) A palavra vem do latim e significa: a vitima a ser sacrificada (cf Ef 5. exéquias etc.. sem encosto. 22) LÂMPADA: Significa a presença da Sagrado e Divino. b) A Menorá é o castiçal de origem judaica. d) Após o Vaticano /I seu uso ficou facultativo. a nova coluna de fogo (Ex 13. 17) FALSDITÓRIO : Vem de Faltstuhl = cadeira desmontável . sendo no Ocidente habitual só no século IX-X. seu símbolo representa a luz plena.. d) Tem a hóstia grande da medida da patena e as pequenas chamadas partículas. em forma circular tem sentido de pertença.luz. nas vésperas solenes. 1 Pd 2. Vasos de prata. as ofertas. 20) INCENSO: a) Seu simbolismo (oração) aparece no SI 140. a assembléia e o próprio Cristo sacramentado (adoração) . cadáveres etc . g) É sinal de divindade. aparecem as primeiras representações do Crucificado. 18) GALHETAS: Também chamadas Ámula . b) Cinco toques da matraca eqüivale ao toque contínuo das campainhas. Cadeira móvel.a) É o Lumen Christi . b) O mais importante é o fogo novo tirado na noite da Vigília Pascal representando Cristo . f) É usual na bênção do Santíssimo . 16) FOGO: a) Entre os elementos naturais o fogo é fonte de luz e calor.2 : " Como incenso suba a Ti a minha prece ". usada na Quinta e Sexta-feira Santas substituindo as campainhas. c)Permanece aceso durante o tempo pascal no presbitério e no tempo comum permanece junto à fonte batismal . tornando-se artigo de luxo. 21) LUNETA: Objeto em forma de meia-lua onde se fixa a Santa Hóstia dentro do ostensório . . o Evangeliário . b) Sempre foi usado no Oriente. o celebrante (reverência) . i) A bênção do incenso em turíbulo é um sacramental. d) É usado nos batizados e exéquias. São mencionadas pela primeira vez no século V . b) Pequena toalha para enxugar os dedos no ofertório .1 Ocm de diâmetro. 15) CRUZ: Sinal de vitória após a morte de Cristo. e) Incensam-se o altar. Corresponde à vigilância cristã 23) MANUSTÉRGIO: a) Chamada mappula ou guardanapo servia para enxugar os dedos e boca nos banquetes imperiais. a cruz. que serão transformadas no Corpo do Senhor. b) Deve ser de cera de 1 m de altura e 0. e os três toques lentos aos três das campainhas.2 . estanho ou vidro destinado à conservação dos santos óleos e do vinho e da água para a eucaristia. 24) MATRACA: a) Tábua com um martelinho que bate dos dois lados. c) Incensar em forma de cruz representa uma unção para Deus e sacrifício. b) Delgado disco de farinha e água. no diminutivo. como foi ofertado a Cristo pelos Magos.5) . sobre as ofertas. 14) CASTIÇAL: a) É base utilizada para colocar velas. o Ressuscitado. do Espírito Santo e árvore da vida. c) Representa o pão ázimo da Páscoa dos judeus. No século V .21-22) . daí o primeiro nome dos cristãos: ILUMINADOS. h) São grãos feitos de uma goma perfumada extraída de árvores.. a luz nova.

30 x 0. a união intima entre Deus e o homem. b) É administrada pelo turiferário da esquerda.20 ou 0. consagração. construído de matéria sólida e não .30 . com o qual se cobre o cálice. em procissões. 28) PALA: a) A palavra origina-se de " palliare = esconder.bênção do Ssmo. é usada junto com o turíbulo . b) Feito da fundição de cobre e estanho. CDC 938§3) 33) TURÍBULO : a) Defumador de metal. preso a três correntes. anuncia a morte do cristão. 26) NA VETA: a) Pequeno recipiente para guardar os grãos de incenso. Sua forma de nave faz derivar o seu nome. e) É usado em partes da missa. por ser alimento. c) São três os óleos que o bispo benze na missa do crisma: do Crisma. sendo seu uso no cristianismo após séc. b) Sua dimensão básica consiste em 0. O óleo impregna o corpo e o Espírito a alma. b) É símbolo próprio do Espírito Santo e da luz plena. dos Catecúmenos e dos Enfermos. b) É o primeiro objeto a ser arranjado no cálice.38) que salva e cura (o óleo dos sacramentos). c) Era usado nas franjas das roupas do sacerdote no AT . 25) MENORÁ: a) Castiçal de origem hebraica . Segura-se disco do turíbulo . 32) SACRÁRIO: a) Lugar do Sagrado. At 10.18 . d) No sentido humano significa o trabalho e a capacidade de transformar do homem se assemelhando a Deus. e de Upala = cortina. cobrir. b) Quadrado forrado de pano branco e de linho. . no qual se dava o sinal para os ofícios na Igreja. munido de carvão para receber o incenso.c) Simboliza as marteladas que pregaram Jesus na Cruz e origina-se de simantron . b) É símbolo do Espírito de Deus (Lc 4. No A T seu uso era no momento do sacrifício junto ao Santo dos Santos . que caiu em desuso no tempo da Inquisição . onde o som do metal é a voz do Sagrado. 27) ÓLEO: a) É sinal de força e coragem e a sua unção significa bênção . a serem utilizados nas celebrações do Batismo.. para guardar as reservas da eucaristia na Capela do Santíssimo . 29) PÃO: a) É símbolo de alimento e vida e é feito de farinha de trigo pura e sem fermento. da patena e da âmbula vazia após a comunhão e para o sacerdote enxugar os lábios e os dedos.. c) Exprime.20 x 0. tábua em que se batia com um martelo. que serve o incenso por meio de uma colherinha. b) Cada impulso para frente dado pelo turíbulo chama-se "ductus" . 31) SINO: a) Deriva-se de "signum" = sinal. b) A transformação do pão no Corpo do Senhor chama-se TRANSUBSTANCIAÇÃO. Crisma. IV . Unção dos Enfermos e Ordenação. É arranjada em cima da patena . . etc. reservado para a purificação do cálice. 30) SANGUÍNEO: a) Pequeno pano de linho mais estreito.transparente. retomando seu sentido após o Vaticano II. d) A planta que oferece o óleo é a oliveira e a palmeira misturado com bálsamo. d) É símbolo da convocação do povo de Deus para ouvir sua Palavra e celebrar os seus mistérios. reconhecimento da parte de Deus e distinção diante dos homens. c) Seja inamovível . e fechado (cf.

Para se obter a uniformidade nos gestos e posições deve-se obedecer as normas práticas que são orientadas pela Igreja. e o próprio Senhor quando esteve com os doutores (Lc 2. Assim como os hebreus que comeram a Páscoa de pé . É necessário e dever dos pastores da Igreja vigiarem para que os fiéis participem da celebração do sagrado com conhecimento de causa. O gesto enriquece e enobrece o pensamento e a emoção interior vivida pelo homem. Os gestos e posições que o corpo deve admitir dentro das ações sagradas.24). 48) . . ativa e frutuosamente . 35) UMBELA : Pálio pequeno. mente e alma (cf. para ser uma adoração em verdade 00 4. 2) Na celebração litúrgica essa atitude deve ser observada durante as leituras (com exceção do Evangelho). aos pés de Jesus (Lc 10. prontos para partir. B ) DE PÉ: 1) É a atitude fundamental da assembléia na oração litúrgica . durante o Evangelho e a profissão de fé . unicamente. b) Deve ser de uva pura e natural. 19. AS ATITUDES E OS GESTOS LITÚRGICOS. 3) O Evangelho mostra Maria. 14. mas de uma carne. alegria e fé e símbolo da luz e da consagração. Os gestos dentro da Liturgia permitem aos fiéis participarem das realidades divinas de forma plena.1) .46) . SC 11. 7. 2) Exprime também a disponibilidade ativa de se estar a espera do Senhor que virá. feita de corporeidade . Exprime o respeito e a atenção diante dos atos sagrados: no canto de entrada. de quem ensina com autoridade (Mt 5. irmã de Marta. na oração universal e na oração sobre as oferendas . se antes não forem um estado de alma. ao canto do Aleluia . é sinal da comunidade e da unidade da assembléia e exprimem e favorecem a atitude interior.1). também. durante a homilia e ofertório. 1. semelhante ao guarda . A) SENTADO: 1) Atitude de recolhimento para se escutar a palavra e meditá-la e. 36) VINHO: a) Símbolo da presença do Esposo que constitui alegria e felicidade e do Sangue de Cristo.com a esquerda e com a direita o faz balançar nas correntes. uma profunda e autêntica exteriorização de realidades interiores. 30. de um espírito humano. Para isso é preciso que os fiéis sejam instruídos a sintonizarem a sua mente com as palavras que pronunciam e assim. A adoração em espírito. participarem das sagradas ações com toda gestualidade e atitudes que envolva corpo. c) Deve nos lembrar que nós temos sede de Deus. ativa e comunitária (cf SC 21) . Repetir ritos pode produzir o desgaste dos sinais sagrados. 7. conforme seus documentos e rúbricas . uma perda de consciência dos seus significados. deve ser também corporal (Rm 12. 3) É a posição do ressuscitado. 37) VELA: Sinal de festa. O corpo do homem também ora diante de Deus.39) . ATITUDES DA ORAÇÃO LITÚRGICA.sol. A encarnação do Verbo não é um assumir. sem mistura de substâncias e não deve azedar para o uso da celebração eucarística. Cristo teve atitudes e gestos que expressavam a sua oração ao Pai. 34) TOALHA: Deve se reduzir ao tamanho da mesa (parte superior) ou cair dos lados não decepando a visão do altar. Os gestos e atitudes prescritas não devem ser uma simples execução de uma rubrica. se for conveniente durante o silêncio sagrado após a comunhão.

Todos esses momentos é um caminhar na presença de Deus como peregrinos que se aproximam das fontes de salvação.) . É a posição do Celebrante em orações presidenciais. de penitência e de oração intensa (Mc 14. invocação.10). diante de um ícone do Senhor e de Maria.59. 4) A inclinação do corpo faz-se como saudação ao altar (se não tiver o Ssmo.36). dos acólitos no serviço do altar. 9. 2) É também a expressão da oração de súplica (cf At 7. A Instrução (lGMR) não fala do ajoelhar-se no ato penitencial nem depois da comunhão. dando significado ao gesto do caminhar. Referindo-se a Jesus no Horto. Atitude litúrgica normal para se receber a bênção de Deus. por isso nos rebaixamos diante da sua onipotência. invoca os auxílios divinos. G) CAMINHAR: 1) A palavra procissão evoca um caminhar solene de um povo que se encaminha a um lugar sagrado (2Sam 6.40.devoção e oração. consciente da fragilidade e pequenez em corresponder à vocação por forças próprias. Prefácios e Orações Eucarísticas. em frente as sagradas espécies (antes da comunhão) . adoração e súplica diante de Deus. 2) Expressam recolhimento. Nm 9. "com o rosto em terra". A) DAS MÃOS: a) Mãos unidas: 1) Ter juntas as palmas das mãos. D) AJOELHAR-SE: 1) Expressão de humildade e pequenez diante de Deus. Reconhecendo que Deus é maior que todas as coisas. 2) Elevar as mãos as alturas simbolizam o divino: o Celebrante ao mesmo tempo que eleva as preces. GESTOS DA ORAÇÃO LITURGICA.41. manifestando a fé naquilo que se está vivendo.35. Lc 2.2. humildade e adoração. 20. 3) Na celebração eucarística essa atitude é adotada no momento da consagração das espécies. e o sacerdote quando profere as palavras da consagração "deu graças" . c) Impor as mãos: . e todas elas devem expressar uma assembléia de fiéis em oração. Mt 36. 7. do evangelho e da comunhão. b) Mãos elevadas ou estendidas: 1) Cesto do Celebrante nas orações presidenciais das Coletas. em frente ao Evangelho. Expressa louvor. F) PROSTRAR-SE: 1) É a imagem do aniquilamento. 3) Se faz inclinação da cabeça aos nomes de Jesus e Maria e dos Santos. 2) Essas ações devem ser realizadas com beleza (lGMR 22). Muitas são as procissões feitas no decorrer do ano litúrgico. aquele que ora mediando entre Deus e os homens. do ofertório.C) INCLINAR-SE: 1) É a posição para significar respeito. Mt e Mc expressam como "caído por terra". Ocorre nas ordenações e na profissão perpétua dos religiosos como total entrega ao Senhor. 3) Na celebração eucarística tem-se destaque processional no momento da entrada. inclusive maior que as nossas misérias.29). 2) No Ocidente essa posição foi sendo substituída pelo ajoelhar-se. As mãos juntas com dedos entrelaçados pertence à devoção particular. 2) É um ajoelhar-se acompanhado de inclinação profunda que leva o rosto ao chão.

de transmissão. do Dom do Espírito Santo. 3) Dar as mãos no Pai-Nosso é um gesto que vem se imprimindo na Liturgia. e a Liturgia é um antegozo dessa contemplação.1) Sinal de bênção e de reconciliação. o sopro do Cristo ressuscitado. traçando o sinal da cruz. representa a presença ativa de Deus. o peito e os ombros declaramos que todo o nosso pensamento. C) ELEVAR OS OLHOS AO CÉU: 1) Gesto que ocorre na primeira oração eucarística.20) para toda Igreja e toda família humana. de unidade. 3) Gesto simbólico que representa o efeito da presença de Cristo. 3) As Conferências episcopais podem substituí-lo conforme cultura. 2) Na profissão perpétua o professando a profere nas mãos de seu Superior. presbiteral e episcopal. de comunhão. Era traçado à maneira que fazemos sempre antes da leitura do evangelho (persignação). 5) A faculdade de abençoar. a ação do Espírito Santo que vivifica todas as coisas. Sacramento e da cruz em certas ocasiões não como adoração da mesma. sem o corpo do Senhor chama cruz. expressando o amor recíproco antes de participar da comunhão do único Pão. inclinação de cabeça. Obs: Quando se tem o corpo de Jesus chama-se crucifixo. é do século V/II e professa a fé no poder vitorioso da paixão do Senhor ressuscitado. aperto de mão. d) Dar as mãos: 1) Sinal de saudação fraterna. 2) Com o sinal pedimos a Deus que a força da mensagem de Cristo penetre a nossa mente. assim como na ordenação presbiterial em obediência ao Bispo. transmissão da força de Deus e de vida nova como se percebe na bênção dos óleos na Quinta-feira Santa. B) SAUDAÇÃO DA PAZ : 1) Com ele os fiéis imploram paz e unidade (Rm 16. de amor. Expressão de afeto ao Cristo que está presente no altar. na pessoa do cristão e nos símbolos fitúrgicos. f) Persignação: 1) Forma ligada à proclamação do Evangelho. desde que o gesto empregado exprima reconciliação e perdão. D) ÓSCULO OU BEIJO: 1) Sinal de reverência. 2) Sinal de adoração entre os hebreus (jó 31. Iluminando nossa inteligência para compreendermos. 2) O homem é chamado a contemplar Deus face a face. . de compromisso sagrado.16. é reservada aos sacerdotes e ao diácono dentro da função. nas ordenações diaconal.27). 2) Suas diversas expressões: abraço. vontade e ação se desenvolvem em nome da Trindade. 4) Tocando a fronte. 2) Expressa uma consagração. por isso só é feita diante do Ssmo. no Evangelho. 2) Desde início do século III. acompanhado de invocação Trinitária. e) O sinal da cruz: 1) O livro de Ezequiel (9. expressando sua íntima comunhão com o Pai. de consentimento. nossa palavra e nossa vida. 2) Esse gesto é expresso no momento da consagração eucarística.Cor 16. 3) O grande sinal da cruz sobre todo o corpo. que possamos professar a nossa fé e agir de acordo com ela. Jesus em momentos solenes elevava os olhos ao céu. gesto de consagração. nas profissões religiosas. é mencionado como sinal de consagração do cristão ao Cristo. na unção dos enfermos. E) SOPRO: 1) Simboliza a força. beijo. mas que não faz parte do usual dessa oração litúrgica. mas do Senhor.4) já descrevia os justos marcados com o sinal do Tau (última letra do alfabeto hebraico) lembrança do patíbulo redentor. F) GENUFLEXÃO: 1) É um ato de adoração.

) H) REUNIR-SE EM ASSEMBLÉIA: 1) A assembléia cristã é o maior gesto humano diante do apelo divino. Gesto da Liturgia latina de origem romana quando se apresentava a uma autoridade.".). leva a uma reflexão mais profunda. G) SILÊNCIO: 1) Leva a primeira atitude litúrgica : a escuta. 3) Sempre que houver o silêncio na celebração eucarística deve-se ter o seu sentido para que não se pense ser uma parada na celebração (o silêncio sagrado. após a comunhão. . enaltecer. que vamos receber. A dupla foi abolida. louvar. 3) O vinho simboliza Cristo e a água o cristão que se oferece juntamente com Cristo. e. para celebrar as realidades sagradas do mesmo. ao passo que a água o povo de Deus nascido das águas do Batismo.. 2) Nos primeiros séculos esse gesto era feito pela necessidade de reduzir os pedaços para a comunhão dos fiéis.". K) BENÇÃO: Benefícios concedidos por Deus. 4) É feita: quando se entra e se sai da Igreja (que tenha Ssmo. como povo sacerdotal. 4) O congregamento de assembléia é feita por Deus. O) A GRANDE ELEVAÇÃO: Exprime. após uma leitura ou homilia. Perdeu sua importância com a confecção das hóstias. e não por motivações humanas ( ver Ex 19. 3-8). no ato penitencial. nos sirva para a vida eterna !". 5) Na Missa se fazem três genuflexões : depois da elevação da hóstia. assim. junto com o celebrante na chegada e saída do altar (se nele estiver o Ssmo. a unidade de todos em um só pão que será repartido entre os irmãos.. com um só ou com dois joelhos. 3) Significa a unidade das espécies consagradas. 2) Assim como as gotas de água colocadas no vinho somem totalmente. das minhas faltas e purificai-me do meu pecado". J) PARTÍCULA DE HÓSTIA NO CÁLICE: 1) Oração que precede o rito: "Esta união do Corpo e do Sangue de Jesus. após elevação do cálice e antes da Comunhão. N) BATER NO PEITO: Sinal de humilde arrependimento feito por sacerdote e fiéis durante o "Confesso a Deus todo-poderoso. mesmo diante do Ssmo. identificar-nos com Ele. no primeiro Oremos da Coleta. que permite aos fatos litúrgicos falarem por si. M) GOTAS DE ÁGUA NO VINHO: 1) O vinho lembra a Redenção pelo sangue. isto é. 2) Constitui um sacramento do próprio Cristo. o movimento ascensional de oferta ao Pai pela mediação de Cristo pelo Espírito. jarra de água e manustérgio. em seu Nome. no Sacrifício da Missa nós devemos entrar em Cristo. L) BENDIZER: Atribuir os benefícios recebidos àquele que os concedeu. de modo solene. 3) Os elementos próprios para esse gesto: bandeja. I) LAVABO: 1) Por ocasião da preparação das oferendas significando que somente com mãos puras e coração limpo nos podemos aproximar do Sacrifício Eucarístico. por ocasião das palavras "por minha culpa. 4) Possui significado penitencial. Senhor.).. a simples e a dupla. submissão a outro. os dons que são ofertados aos homens. o Cristo e Senhor nosso. que gera unidade e comunhão de um povo reunido em torno de um Único Deus.2) Até a reforma conciliar havia dois tipos. as graças. 3) A constituição de uma assembléia litúrgica é definida por: pessoas batizadas convertidas e em disposição de conversão contínua. o Cristo Ressuscitado. 2) A expressão própria que acompanha o rito: "Lavai-me. ao passar em frente do Sacrário. 3) Indica humildade. 2) É o espaço de Deus..

OS LIVROS LITÚRGICOS. de um autor. bispo ou presbítero. A rapidez da difusão do Missal se deve ao fato da multiplicação das missas . B) Missal: Por exigência de ordem prática começam a aparecer livros que contém todos os elementos para a celebração eucarísitica. sobre o jejum. também encontramos a Tradição apostólica do padre Hipólito (primeiro livro litúrgico em sentido lato) com descrições de ritos litúrgicos. Próprio dos santos e o tempo do advento. 2º O TEMPO DA CRIATIVIDADE ( SÉCULO IV).8. coroação dos reis. Os livros são veículo da tradição. Os livros litúrgicos contêm as palavras e gestos que exprime a ação divina através da Liturgia. 4° LIVROS MISTOS OU PLENÁRIOS. Encontramos aqui a Didaqué (não é propriamente litúrgico) com indicações sobre o batismo. não existem livros litúrgicos propriamente ditos. como língua litúrgica. formulas de consagrações. e a composição dos textos eucológicos em latim. por Ter sido considerado uma composição de Leão Magno. São os três primeiros séculos cristãos. Que quer saber como realizam em Roma as diversas celebrações. Na Igreja de Roma ocorre a passagem do grego para o latim.. orações eucarísticas e outras.. em sentido estrito. Quando se começou a escolher trechos para determinados dias foram surgindo os lecionários que contém somente os evangelhos. São chamados livros puros no sentido que cada um deles contém um elemento da celebração e que servem para cada ministro. Eis os livros mistos ou plenários: A) Pontifical : É o livro que contém fórmulas e ritos das celebrações reservadas ao bispo. A origem de tais livros deve-se sobretudo a necessidade do clero franco. como de uma Igreja particular em comunhão com outras Igrejas.. dedicação da Igreja. mesmo sem ser sob forma oficial. para os ritos litúrgicos. eucaristia. tanto. Eles se distinguem: A) Sacramentário: Livro do celebrante. as ordenações. exceto o texto da Bíblia. No primeiro sentido. ainda se acham sem notas musicais. com textos para ordenação.. ou ambos os tipos. o livro é elemento da celebração e deve ser até respeitado ou venerado. mas é necessário conhecer como estruturar o desempenho da celebração em si. Daí surgem livros especiais. mesmo não tendo sido escrito em vista da celebração. Na história dos livros litúrgicos. B) Lecionário: No princípio. Nesta época. das virgens. Os mais antigos devem estar próximos do séc. o Sacramentarium Leonianum . tanto no Ocidente como no Oriente. Também é litúrgico o livro que. Surge também. Foram livros nascidos da fusão dos vários livros. 3º OS LIVROS LlTÚRGICOS PUROS (SÉCULO VII). Por livro litúrgico. por exprimirem a fé da Igreja. são fruto do pensamento. ou as leituras não evangélicas. Este livro é assim chamado de Missale. batismo. que se chamarão Ordo ou Ordinarium. D) Ordines : Para a celebração litúrgica não bastam os vários livros que contém os textos. Está dividido em três livros: Próprio do tempo (da vigília de Natal a Pentecostes). dedicações das Igrejas. O primeiro livro desse gênero é o Pontifical-Germânico do séc. Se tem livros litúrgicos verdadeiros em uso. era deixado à livre criatividade. feitos com tal propósito. Domingos comuns e celebrações vàrias. Surge a criação de textos. contendo as fórmulas eucológicas para a eucaristia e os sacramentos. podemos dividi-Ia em cinco períodos: 1º O TEMPO DA IMPROVISAÇÃO. C) Antifonám : Livro que contém os cantos da Missa. X. contém textos e ritos de uma celebração. Surge a primeira prece eucarística. Começam-se a reunir em um só livro os elementos que servem para a celebração.. O tempo indicado para esse surgimento fica em torno de 645 até 750. ou Missale plenarium. como a confirmação. entedemos um livro que serve para a celebração litúrgica e escrito em vista desta. ou Liber Missalis. e destina-se ao cantor ou coro. as leituras para a celebração litúrgica eram lidas diretamente da Bíblia. VIII. A documentação litúrgica aumenta. O primeiro passo foi inserir por extenso nos Ordines os textos eucológicos.

A sagrada comunhão e o culto do mistério eucarístico fora da missa. D) Breviário: Foi o livro que compendiou os livros distintos da liturgia das horas: Saltério.C dos domingos e solenidades. assim. Rito da consagração das virgens. porque já não inclui as leituras. Bênção dos óleos e o Ritual da dedicação da Igreja e altar. Santoral : contém as leituras do Próprio e do Comum dos Santos. Das crianças: preparado pela CNBB. O Concílio Vaticano II quis uma reforma geral dos livros litúrgicos. as funções e tarefas de cada ministro. as normas para a correta celebração. introduzindo a língua vulgar nas várias partes. deveria haver o Missal para a eucaristia). O texto do Missal é dividido entre o Próprio do tempo. Rito da iniciação cristã dos aduldos. Com o Concílio começou-se uma execução da Constituição litúrgica. o lecionário e os primeiros Ordines. Rito da profissão religiosa. Antifonal e o Oracional (orações para as diversas horas canônicas). o livro para qual confluem o sacramentário. com textos adaptados a um itinerário da fé próprio das crianças. que são ordenados conforme apresentação: Rito de Confirmação. A edição é dividida em quatro volumes. O MR não é mais um missal plenário. E) Pontificale Romanum : No Brasil. Homiliário (reunia as leituras patrísticas). Foi aprovado pelo Motu próprio "Mysterii paschalis". Indica as últimas resoluções da Igreja a respeito da Liturgia. Rito do matrimônio. inclusive. Missas dos defuntos. C) Ritual: Livro que contém os ritos celebrados pelos presbíteros (além dele. as diversas partes e elementos e papéis dos ministros. bem como boa parte do AT. Tempo Comum. Assim. F) Rituale Romanum : Compreende os seguintes ritos e celebrações: Rito para batismo das crianças. com a possibilidade da tradução nas línguas correntes. em que o celebrante dizia tudo. Compreende também a Instrução Geral sobre o Missal Romano (lGMR). Calendarium Romanum (1969): Regula a ordem do ano litúrgico e das celebrações dos santos. D) Liturgia Horarum : Compendia às diversas horas do dia a glorificação de Deus. Hinário (hinos de composição eclesiástica para as diversas horas canônicas). dos Santos. mesmo o que competia a outros ministros. Rito das ordenações. articulação do rito. traduzir parte do Ritual. Contém as normas universais do ano litúrgico e do calendário geral e o novo esquema da Ladainha dos Santos. na composição dos novos livros em vista da celebração. etc. Para as missas rituais: compreende leituras previstas para a missa que está inserido a celebração de um sacramento ou de outro rito (profissão religiosa. de 1 ( 68 até hoje.privadas. Para as missas de Nossa Senhora: recentemente publicado no Brasil. Rito de exéquias. que apresenta a teologia da Missa. C)Lecionário: Contém as leituras para a celebração eucarística e dividi-se em : Dominical e festivo: compreende os três ciclos A. a espiritualidade. foram publicados oficialmente pela Santa Sé : A) . O Missal é. Sob o título do MR têm-se o ardo Lectionum Missae. mas a toda comunidade cristã. . B) Missale Romanum (1970) : Encontra-se o conjunto de tudo quanto é necessário à celebração e ucarís tica. Rito da penitência. G) Diretório Litúrgico : Guia litúrgico que orienta para preparação das celebrações. recomenda-se a celebração das duas horas mais importantes (laudes matutinas e vésperas) .B. onde. Este novo nome especifica o de "ofício divino" e substitui o de "breviário".). São duas as novas perspectivas desse livro: ele se destina não só aos sacerdotes e religiosos. . se lê quase todo o NT. Ferial : contém o ciclo bienal da primeira leitura. foi publicado em vários livros. que contém o elenco das leituras para o ano litúrgico e os respectivos cantos entre as leituras. 5º LIVROS DO VATICANO II. Rito da unção dos enfermos. e na tradução do velho Missal como aprontar lecionórios ad experimentum. Encontra-se a Introdução Geral à Liturgia das Horas que explica a teologia. exéquias.

8O89./489548 .:2.9..88.85.44..424.7.4/.8 48/4386:08441079.8./0   A109.3:0 .9:7.3O8/0.0.454..02...94503903.:2.48. .801..7/4$.:3/.54750884.8.789F42. 20 $0347 /..3.3:89F74   !488:831.14.470:3/40294734/0:2 3.81./4..701472.504/.4 25434854/0248.4:42.:947/.3402-7.47..0:39...46:0570..78940. 34.3.6:.427894 .84/.00-7..0808.48.439J3:.71J..7.422485:7...:2/...834..    .70254780.08 :2.E:.43.90.5742.8/0E:.254793.8802-F....20394/457O5747894   .   4857207488F./.8-./.:9. 50..97.5O8..8/4.424.4/00:8   $025706:04:..9824   882.00-7.4/.43899:4/0:2..43.4:974 0894/.42:28O4:..409..079/.45.8002 /85484/0./40 .0784.3482-4.$824 .9.8 .8. .07/49001F8/:7.99:/097.08./.0/0479489..F109.7.03843.8410703/.481.02480397.7E74 :394.    #&# $$$A   .07      '    !474.3.8802-F.5.00..109450.20390.3/0.42:34 34572074 70248/.F/013/.438./4    80020394857O57485.43...00 .E:.4/0789450485J794  .43.24870.0:894/4 54/07484  5474./041079...6:.42.5705../.4794.00-7..7J89..420    .701042.3/480 . 6:0507290.94897...42:34/481F8 !07/0:8:.79/403970487248    @ 0301J.O89.823..5./.:34/447540/4$.-4/.805:71.   A4085.4/00:83.4310./4/.34/. 20824/.4   057088457O57.882 34$./...3908/./0/070/:74850/..9.E.7.5O8:2.7../00 .4870.4/./0E:.42454.20390 .80..3/46:08420390.4842038    #97-:748-0301J./.770503/2039410945478.3904 4310884.8802-F..07/49...3./0/./0:2/0.7.20/.5470:8 0280:420 034547249.34 6:007.870. 9F.5O800..3:0/008:8 478940$0347 34884 6:0.825080./088. 894F .71J.    %# !% $3.00-7.481.6:0..88.    !#% & $%      7.390/4$824   3/.43.3/4800397.7.    #'@ 5720 /024/484030 424.84/.854723.849.93./48.7 348.7.7. 88.08./04702742.7027894 /0391..8   $31./.8 E:.088/. ..9.09:7./0 8:-2884..20394.7 03.85741:3/.0//485470:8 .#0/0345048.4.4 48H3..08800894-.7..7..07     %$ & '     ..4:.7 80300089.0297H803:1008/0548/.7.8846:0.0748H3.42:34/0:254.3903../4503903.6:034 8050380807:2.0/0: 4:..8 /420824   43899::28./0/094/4802 :28O546:0807E705.3484202949.57207.87.702170390/4$.5708039.42:34    $     0.425..:3/.40:8 5.4/.. ..42/48 4048 /:5./0..77.08.30.40:..390/4./.0 80907480:8039/45. 20 /420:50.074$824   .0-07 34887.8085F.70.7.485.20394/0.8831.8 47894#088:8.470894:2.:480880089407. 6:0903.09073../:5.4!.:3/./4 .J/.:5..43.0-/486:006:048.7.. ..7J89.4/4.4370.78946:08041070.4 8.45.

0/0893.202#42. .7..7.424/0:2.4./.4O.8 /.5.97.//40297H8.J54 ..7..025.74897.2802349..0503. 3408902.430.30..394804 90254/4.474  82.423/.82:8./.748 /0./48.J-.7.00-7. 0723./.../4.439F28420390480..../4.00-7. ' .8 .43E7486:0 ..E748..47/03.00-7.080:.8...748 420.248.70.746:0.088/.74897.4802.42909485./4:2.4-854 .497.238974 0880/893:02   $../090723.8 /.02/47045.4507J4/48    %! !# '$@   $44897H857207488F.08./0..439F21O72:.748!7O574/490254 /...7.485..4/090948 9.41.5/0/.74884./0390. .02089.48 54/0248/.3.J8:702.40:.2-F2F97.00-7..3.J-.85..8.078.0294734/0.70. 07.4/.809:7.8.2.../0#42.A4.4/.4O.42470.9824 0:.7485:748348039/46:0.746:0. 84-7040:29.4 45720748039/4 4.7.89../047/0257E9.74 7/44: 7/3.   .4028 .74/08025034/.08 47.4 028039/4089794 0390/0248:2.424.89.81O72:.48 848.80/0.8 10948.80089486:005720.8417:94/45038.88. 80.7.7:2043..00-7..4397.4770..7.41.7486:0.70.2/.34-..8  8. 890.7.8340.3048 4:..08/.48.5.7.8841438077547090384348 7/30848 909480:. .20390/.J.94 ./4/088.439H2.3F.0./48 ./1:84/488.4O.48908 .789.708/0794897./.74F0020394/.2-F2 03.0807..8./ .7J89.4204:..79402.1:84/48.08.203948 89E/.. ./0/4... $0902...39434 .:2/008.2.4240897:9:7..00-7.406:0807.8/709.8 4:.:2039.08808:7203941.74897...748289484:503E748   !4391.424:97./0.746:0807..85.7.89O7.70.425484/004 .42:34./45.9F    39143E2.E748.00-7.70.48794897.9F708509.1F/..7448 002039486:0807.2-F2 4$.  $:70.9.497.438/07.8 .4/.3948/0.870.7.70.4.02.20394 9.7./..48 20824802 80784-1472.0J.8     %! #%' $A& '   $:70.00-7..3.00-7./44:.00-7.424J3:.:4/.8F 30.%7. %./.439F294/4848 002039485.92 $:70 9. !7O574/488..7038 .43172.7:2 4702/09. !0390.4 ":06:078.3948/.97.42:380.34    $'# $% # $!&# $ $A& '   /4..07/.0488.0:..702.2..2039097.7497.4/48F..2:95.00:.4  5720745..497.5489O.8     7/308!..  ":.2.7.039442348.439F2:20020394/./48/.570.2039.4.497..40/0.394  /0:2.94/.439F248.4 .807948/.:947 .43903/4...8147.74/4..248.088E74.07./0 3.57207..4 .74897.2039E74.80.3/.9.6:..8    0.425484/48909480:.4/48708  572074 ./48/.  $'# $% # $   !47.7J89..5../45../4  8. .79..:.757O248/48F.. 97.43E744573.7:2 7.70:3702:28O.42 /08.08 /0/. 0.420.4 .789..390 -8544:5708-J9074 ./.474.48 .407970.88.7.07.8.78948 089.429.439F29094807948/0:2.8  4:88...     88.5745O894 6:080.0 4:-0788.248.2.7483.00-7.8/0.39474:.07..-07.7497.9:7.00-7.42434 70390 5.F8/.804:97.20390 /948 0.0307.6:F 34F 57457.870.4028039/4.09449094/.7486:0.92 .8288...4857457.8.0870807.748 0850./4 5470572702.3/480.7.!470H3.4397.847/03./089.882.809:7.07417.7J89..80:..2-48489548  90254 3/.00-7.08   S'# $$% $ &! # $   47./705O94 572074.28:73/4480.0 08.2 80.7.0 8084-709:/4..:48.:2039.438.9824 /0/.439F24890948 2.025.89..4 -.05.44.7.746:0 2082434903/48/408.3:2 547%078/4.74F.7.85..7.48 1472:./074802:84 $4.0884-704-.74/0880H3074F4!4391.79402. .00-7.F54..

..8.8./450.84-70488.42509.4254840.9F74  42E74 70:3.7.85..439F24003.8570.3...078.879:.0 6:0.-.00-7./.4 #94/.847.E7.7.0390203905:-./.745.57207.00-7.//4039704!7O574/490254 /48$.8/4/./:4/4.8288.8094/44% -02 ./0/.J4'.847.4:208  3.8   .085.03/.8 /.078.2039050.7:2#42.9.7..$0347.8288.7.7.503E74 5476:0E343.7./4347..34 # 6:0.974.4203/.7.97..8/.74802..../..3:2  #0:.94/.79.4.809:7.../.03/E7407.748/893948/. 0F6:.074 88.4#94/043172.8..:.9. #94/42.404870850.42. 57418847048.42:3/. 80./..8    9:7.40 :..574.. #94/00F6:../402..J4.8 439F2.8:2288.8 39143./ 8002  423.4-03.4147../.73.8/0488.57439.078.0..3948 4.9.7.  3.8.85..7.7. .5039H3..088E74.1.09:7..809:7.7    #9:.:29307E74/.48  /48/4234808403/..8     !4391.40/.425484/4834.394F30.8.8.4 /0:28..59.790/4#9:.43O748..07.. 47.E74 0/4F/. .46:047039./4850485708-J90748 ..04 7./:/48 #94/.847.746:0.4397..471..97J89. 09. 43/0 80H6:.4.88.74 0080/0893.7./48..8 145:-. .203944:/04:974794 57418847048.8/0.83472.8/4.85.6:0089E3807/4.47709.:34/4803107248 #94/.847..078.97.00-7.7.  .F2/00 /0.8/4!7O5740/442:2/48$.809:7.809:7..0#42.07.0#42./4841.3408:-899:4/0-70.78970. ./0 .5708039.00-7.0:.74897.F8507.3908 .5F8/482389748 $4/:.F/..7.8..7J89.8.47703908 42443.34 97.8J3:. 4257003/09.4257003/04897H8.238974 .:94/4 289F740:.E7444.6:.746:0.9F40 147.701472.3.4/041J.2039E74 40..834..48 ..438.9044.8.439F2./:4 3././..43420 0850.70. .439F2487948.//.7:242503/.8    0..8    709O7497.$.08/48 8.5488-/.:/082..0/.47/02/4.43E74439F2.8  9094 /488.8:3./.346:8:2.3:2  3..00-7.4257003/009:7.33.8$.7085094/.8.7J89.7/40.:4/..8/0880..00-7.F  ..4/4794 .0#42.3948    88.8 .3974/:407.4. 8..4/.:./0.    70.3897:407.9.87084:08/.4 3974/:3/4..9:7.08#945.J3:.4  #34F2.70.34 97..825479.1F57O574/.026:.40:.9824/.7.#42.85.882 4./48....82.8 /.48.4:97482389748  88..3.:8.847..3948  !.288.07/49080704848 2.48.3.8 .288.5../.8 3E74 348/0.43899:497.42:3404.394803970..4204: 80:2...85.8   !. .809:7.04  88.08 #94/.00-7.86:005.8/.424-4.3:247.748 6:08447/03.33.9044./.40/4.42503/4:48.2-F2.8 92.789/48.7038 H34 /48O04804#9:.39.3.439F24..70.431:0248.7.8 #94/.85.83472..00-7.9:7. 804.790/4%   $./.9:/4 2082446:0./05072039:2 97.789. 882  /0 .3497.00..809:7.43:394/09:/46:.97..9:7./48$. 80.85705..4:./.4/.43E740485720748 7/308    #9:.7J89.01089.89.E748.4/.5705.7.7.08 3/.4/00:8 89034.488./48.4/.70..8 026:04.81:30809./450449:57O57489075.8.5..8507850.5.3947.89..0434..57.4/.078./08   07.7.25:-.00-7.8/48/01:3948  $4-49J9:4/4#9H2 804./..701.8 ..4290948..80.00-7.4314720 ./0/.8    '# $ '%    43.424.7.5./:75.390/.9:93.43.00-7..7.08E89.85.4086:02.943:288.790800020394805.3948 %025442:2 88.7908 03.7.847/03.97234 #94/.:.0 3.$F    .847.348O.4397.08579:..3:24257003/04880:390879480.5708039.8/:.47.4/.

   .