scaneado e revisado por Airton Simille Marques EURICO FELIX SWING (SEXO SEM SEGREDOS) APRESENTAÇÃO Que a instituição

do casamento está falida, isso todo mundo sabe. Antigamente, pressionada pelas imposições morais e religiosas da sociedade, a mulher assistia chupando os dedos, as puladas de cerca do seu marido e no intimo suspirava, "ah! que bom ser homem. . . " e- o homem ia dando suas escapadas, mantendo porém a "máscara" que a sociedade exigia que ele usasse. Todos descontentes, todos infelizes, só conheciam a alegria nos breves momentos onde suas mentes ainda meio receiosas, flutuavam pelos paraisos das fantasias sexuais, onde as "transas" mais incriveis aconteciam: as orgias, os grandes bacaneis, as inversões, o buraco da fechadura, a mulher do vizinho, o mecânico suarento e cheio de graxa, a menininha adolescente desnudando-se languidamente, o criolão do bar com seu membro gigantesco. . . e ia por ai, até que uma criança berrando, a mulher chamando pro jantar ou o marido gritando pela camisa passada, trouxesse de volta a dura e assexuada realidade. Mas, os tempos mudaram... E foi sob o impacto da ultima Grande Guerra e a revolução dos meios de comunicação de massa (principalmente a TV e o cinema que a antiga moral começou a desmoronar; foi mais ou mênos como aquele caso do cara que já estava morto, só que ninguém lhe disse isso a ele e continuava a "viver". Como tudo mais que pertenceu aquela época "pratrasmente" o casamento tradicional monogâmico também foi abalado em suas estruturas mais profundas. A autoridade lncontestada do marido (chefe da familia) foi questionada, a própria conscientização da mulher quanto aos seus direitos (inclusive o direito ao orgasmo, coisa que poucas das nossas avós conheceram, e que lhes era negado quase que oficialmente) com a célebre pergunta altamente subversiva "se ele pode porque eu não posso também?" e a democratização da informação atingindo a todos os membros da familia nivelando os conhecimentos de pais, mães e filhos, contribuiram se não para criar uma nova moral, pelo menos para corroer a velha. Esse livro fala de uma "nova moral ", de casais que se liberaram de velhas

palavras de ordem, de antiquissimos tabus e partiram para uma experiência nova, de abertura de fronteiras, de curtição do sexo em toda sua potencialidade tirando dele o máximo de prazer, de gratificação e de enriquecimento pessoal e mútuo. Aqui, um grupo de casais, amigos, adultos, resolve, sem nenhuma premeditação, partir para a experiência do SWlNG, termo criado nos Estados Unidos para designar troca de casais (troca de parceiros sexuais entre os membros de casais). Hoje em dia o SWlNG é uma instituição já bem difundida nos EUA e em alguns países da Europa (no Brasil o movimento já tem numerosos adeptos) e os swingers afirmam que se for feito dentro das regras, o swing pode revitalizar casamentos cansados e quase falidos e por outro lado acabar de vez com aqueles relacionamentos que só se mantêm por razões outras que não a vontade e o desejo mútuo de estarem juntos. Para quem o pratica é a oportunidade de ver (e sentir) as fantasias sexuais tão suspiradas na prática, e sem nenhum sentimento de culpa (afinal o outro ou a outra está ali também curtindo a sua). A liberação de centenas de anos de preconceitos acumulados, de regras inflexiveis criadas pela religião e pelo próprio sistema da propriedade privada "essa mulher é minha! Seus pensamentos, seus desejos, sua vida me pertence" e vai por ai levando e trazendo séculos de equivocos, mulheres mal-amadas, homens impotentes, filhos frustrados, etc., etc. Não estamos aqui de maneira nenhuma recomendando o SWlNG como o remédio lnfalivel para todos esses males. Muito pelo contrário. . Achamos, sim, que antes de partir para essa experiência "da pesada" que é a troca de casais, é fundamental ter um caminho percorrido. O caminho da libertação individual, o caminho da compreensão, da conscientização de nossos males e mazelas, onde se originaram os preconceitos e tabus, a que interesses serviram, como foram sutil ou ostensivamente impostos a toda nossa civilização, etc. Ai dos "lsso moral minha então depois que vocês sacarem o porque dos medos, dos "não pode ", é normal " "lsso é anormal " do "isso é pecado", "lsso é atentado a e aos bons costumes ", depois desse banho de descarrego total, ai, gente, vocês talvez até achem o SWlNG uma caretice das grandes:

Robert Goldcock 1ª. PARTE OS CASAlS

A noite veio rapidamente. As luzes ganharam brilhos mais intensos e a auséncia do sol só servia para dar mais entusiasmo. A festa fora organizada às pressas como sempre. Aliás, até seria melhor, pois dava a nítida sensação de não haver a premeditação. Haveria maior entusiasmo. Para Ted Duncan, uma festa pode estar animada até quando se está condicionado a suportá-la. A partir do instante em que é preciso fazer um heróico esforço para não bocejar, significa que a retirada se traduz na melhor solução, a menos que se queira passar por momentos enfadonhos. E era exatamente o contrário, o que os Duncan estavam querendo agora, quando a notícia da promoção veio, como uma bomba de alegria. E tal notícia explicava não só uma mas várias festas. - Será que o Gordo aparecerá? - perguntava Lea, pondo pela cabeça o vestido azul, de noite, longo e com um decote pronunciado. - Claro, querida - respondia Ted, preocupado com os laços dos cordões dos sapatos sociais. - Ele não perde nenhuma das nossas festinhas. Enquanto o marido a auxiliava com o fecho do vestido, Lea pensava em passar, de manhã, um telegrama a seus pais, dando-lhe a notícia da promoção de Ted. Este, apesar da alegria do momento, não pôde deixar de admirar a plástica da esposa. Belas costas, as da sua Lea, chegou à conclusão: Os onze anos de casados só contribuiram para torná-la mais atraente, sensual. Aos trinta e dois anos, ela estava no mais acentuado grau de feminilidade. Virou-a e a beijou na testa. Depois, segurando-a pelos ombros afastou-a ligeiramente. Admirou-a e, como sempre, chegou à conclusão aconchegante de que Lea era realmente uma mulher muito atraente. A festa transcorreu num clima de alegria e descontração, além de um certo toque de intimidade, pois dela só participavam, como sempre, os mesmos casais cuja amizade vinha já de algum tempo. Lá estavam, além de Ted e Lea, Jonathan Field e Mira, um casal cujo senso de humor era uma constante. Bastante simpáticos a todos do circulo. Gordo e Rebeca, os intelectuais do grupo e ainda Dubois e a miúda Trisha. A música vindo de um aparelho estereofônico, era escolhida conforme a preferência de cada um. A bebida, variadíssima; era servida por todos, sem que se precisasse pedir. Todos estavam perfeitamente à vontade, pois era exatamente o que ocorria na casa de cada um deles. Como sempre, o Gordo foi quem primeiro sentiu os efeitos do sinal verde da bebida. Ao contrário do que se podia esperar, Rebeca não perdia o bom humor

quando isso acontecia. Ficava, sim, rindo à toa, se divertindo com as "macaquices" que o marido fazia. Era realmente uma figura muito engraçada. Depois de não conseguir evitar o quinto abrir de boca, Ted convidou Lea para a retirada. - De jeito nenhum - protestou Mira. - Na minha casa os convidados ficam até terminar a festa. - lsso mesmo, anfitriã. gerente. - Porque não quis bandeja dourada? Gordo. E eu ainda não dancei com a mulher do nosso Ou você esperava que eu a oferecesse numa E Lea viria

- Prá falar a verdade, até que seria interessante. coberta por véus transparentes, azuis. . .

Enquanto todos riam, Gordo lançou um olhar fulminante, querendo com ele deixar bem claro a Rebeca que não havia gostado do belíscão. Lá pelas três da manhã a festa foi encerrada com todos se despedindo animadamente. As festinhas sempre eram animadas e concorridas, pois os quatro casais jamais as perdiam. Já de antemão ficou estabelecido que a próxima seria na casa de Trisha. Nenhum dos casais veio de carro, pois moravam no mesmo quarteirão. Ted era vizinho de Dubois e o Gordo vinha logo a seguir. Em frente à casa do Gordo ficáva a de Jonathan, onde aconteceu a festa da qual todos acabavam de chegar. Mira deixou-se cair na cama pesadamente. A cabeça pesava um pouco, efeito dos bons tragos de uísque. Com a ponta do sapato empurrou o do outro pé. Depois, com os dedos do pé já descalço, livrou-se do sapato restante, pressionando no calcanhar. Jogou os longos cabelos para trás e esticou as pernas. Naquela posição, a alça esquerda do vestido caída e os olhos fechados, foi como Jô a encontrou, quando veio do banheiro. Sorriu ternamente. - Linda. Você está maravilhosa, Mira. Agora, vá tomar sua ducha. Já é tarde. Como esteve na festinha.

Jonathan, o Jô, era alto, espadaúdo, com uma barba preta cerrada e algumas pinceladas brancas. Ainda conservava o bom preparo físico de dois anos atrás, quando jogava basquete. Os cabelos eram ralos, mas bem cuidados. Alguns centimetros mais alto que Mira, esta, além de ótima dançarina, era muito

escovou os cabelos e. nu como sempre ficava. depois de esvaziar a bexiga (ah. Foi sentar-se novamente no vaso. Pensou em escovar os dentes. nua. . Afinal. os dois.Tive de mudar a roupa da Sabrina. içou o braço às cegas até chegar ao cordão acima da cabeça. Em seguida. Passou os dedos pelos cabelos desgrenhados e começou a assobiar. Cuidando para que a água gelada não lhe molhasse os cabelos cor de cobre. mais relaxante. as costas escoradas na cabeceira da cama. de olhos esverdeados com algumas pregas nos cantos e lábios incrivelmente delicados. que a de urinar após passar muito tempo segurando!). Puxou-a para si. Jô. ficando assim. No banheiro. com o que conseguiu uma ereção-relâmpago. . jogá-la num canto. meteu-se numa negligée cor-de-rosa. em igualdade de condições. Abriu a torneira e com as mãos em concha levou água à boca e fez gargarejo barulhento por várias vezes. Quando Mira se achegou a ele. Dos quatro casais de amigos eram eles os que há menos tempo estavam casados. a esposa chegou.Outra vez? Precisamos levá-la ao médico. dirigiu-se para o quarto. Os dois corpos não ligaram a minima para o lençol de cetim.Puxa! Que demora! Já estava imaginando que tivesse pegado no sono! .ela já tem . sentou-se na beira do leito e fez com que a lépida vestimenta da esposa subisse.boa dona de casa. Puxou-o para baixo molemente e o box foi invadido pelo barulho da descarga. outro de seus orgulhos. quando em casa. munido de um entusiasmo que de lmediato contagiou a fêmea. sóbrio como que por encanto. Gordo. A espera. A água que esguichou com força molhou sua bunda e ele levantou-se. A visão do corpo desnudo de Mira causava sempre o mesmo efeito. Mira sentiu-se satisfeita com o que via. após o que esfregou pelo corpo uma toalha felpuda. com passos lânguidos. Que ímporta se se amarrotasse todo? Sem dúvida o dia claro os iria surpreender perdidos um dentro do outro. os pés cruzados. para em seguida. refrescou-se. Enquanto Rebeca inspecionava a cama das crianças. a imagem refletida no espelho que tomava toda a parede. quando por fim. lnconscientemente o fazia sempre que Rebeca se demorava mais que o usual. Um ano e meio. sorrindo. Arreganhou a boca e fez uma vistoria na arcada dentária. Olhou no espelho acima da pia e viu um rosto grande. querida. não existe sensação mais gratificante.

por vezes sentia a boca dolorida. quando o tinha por muito tempo dentro.Merecida a promoção do Ted. . talvez mesmo a coisa que ela màis gostava nele. Agora vão poder dar a famosa festa no sítio deles. Gordo achava delicioso comentar os acontecimentos.Faremos isso segunda-feira. pretos como os olhos. ela já deveria ter chegado a mais tempo. . . Miúda e morena. era uma mulher que tinha as medidas exatas nos lugares exatos. uma cor que Gordo nunca pôde gostar. . sentimento que algumas (poucas. Escorregadios. ou da blusa fina. . . O piso de azulejos cor de maravilha. não acha? . Enquanto conversavam Rebeca ia se despindo.Tomara que resolvam logo e. Era tão grosso e grande que. enquanto o marido lhe cobria o seio esquerdo com espuma. já? Rebeca estava de joelhos. E.oito anos e. . que viviam a tremular por baixo do vestido que ela usasse. Uma mulher Puxa. acho..perguntava Rebeca. sim. ei. Lea. é verdade) mocinhas ainda lembram. As nádegas eram rechonchudas e os seios fartos e firmes. Porque. Na verdade.Trisha já esteve lá e disse ser um lugar maravilhoso. mas que continuava ali porque Sabrina adorava. não resistiu à tentação de abocanhar o sexo dele. ensaboando as coxas do marido. e para Trisha era mais que razão para se unir a ele.. ensaboados e com uma excitação diferente após cada festa. enquanto a água escorria pelos corpos que um e outro esfregava.Sim. para depois de qualquer festa. Ambos tinha consciência disso. de repente passou a servir de alcova. enquanto a água escorria calma e abundante. Mas Dubois era um macho por excelência. cabelos curtos. Sempre se soube que Trisha não havia se casado com Dubois exatamente por amor. para iniciarem o ritual que adotaram. como sempre.. é que está contente. uma das coisas de que Trisha mais fazia questão era: nada de sutiã. como dancei! .Você está em plena forma. os dois se debatiam em carícias.

quando estavam dançando. exatamente. bonita . Era nesse momento. com a colaboração de mãos apressadas. até chegar ao pescoço. encharcados. mais .Você notou como Mira estava sensual? . Empurrou Dubois.Lea também estava muito grudádos nas formas da mulher. estava ótima. Uma excitação veio tão forte que ela chegou ao orgasmo de imediato. sempre esfregando seu sexo pelo corpo do homem sob ela. Vindo do banheiro. para ficar ela. Trisha não era uma mulher ciumenta. . Trisha veio sentar-se no colo dele. passava uma toalha nos cabelos que grudavam à cabeça. de imediato. foi subindo os quadris. Pela cabeça de Trisha passavam os mais diversos e felizes pensamentos. . Suas mãos esmagavam os seios morenos. de como Dubois abraçava Lea.O seu decote. que não se liga muito em elegância. ficava bem com o mundo. principalmente.incrivelmente disposta para o sexo. Em seguida. até Rebeca.Para dizer a verdade. dava-lhe um ar exótico. Com o auxilio das mãos e após ele sair todo. foi subindo passou pelo tórax musculoso. Bem sabia que vez por outra Dubois enfiava sua preciosidade em outra mulher. enquanto as de Trisha lhe arrancavam a cueca. passou uma perna pela frente de Dubois. lábios trêmulos. dos quatro amigos. . fazendo-o deitar-se na cama. O pênis duro e quente procurou. . nua. que ela ficava em paz. Para ela era importante apenas que sua vida particular com ele fosse satisfatória. o mais atraente. como estava? Dubois não respondeu com palavras. as pernas acentuadamente abertas. hoje não vou tomar banho. Sua vagina úmida deslizou pelo umbigo. Pequenos gemidos começam a sair da garganta de Trisha. no campo do sexo. mas não achava nisso motivo para se irritar. Lembrou-se repentinamente. Com técnica. sentindo sob a cueca um volume se formando depressa. Estou muito preguiçoso. combinava perfeitamente com Dubois um francês radicado na Inglaterra e. acomodar-se. de frente para ele. as gotas passeando livres pelo corpo moreno. o que facilitava sobremaneira uma penetração total e compensadora. Os olhos fechados. encostou seu vértice à barriga do marido.Trisha. Como toda boa européia que se preza. querida.respondeu Dubois com os olhos .E eu.

é claro. Ted. Apenas umas diminutas sardas. guardiões que eram. Põe atrás. Mas os de Lea não eram lá muito pequenos. tonalidade mais acentuada. saltitantes. As nádegas faziam coro aos seios. era a única explicação que encontrava.Sério. de prazer. quando ele se enfiou com força nela. Quando derreava. Sempre ficava orgulhosa quando seu marido a molhava por dentro. imaginar o nível da mulher que eu tenho. . pararam um pouco para recuperar o fôlego. o marido sempre foi bom.Sei. para impedir a língua intrusa. Para falar a verdade. fôra Ted quem a iniciara na prática anal. Fartíssimas e duras. alcançou o queixo. soltou um gritinho histérico. Quando se sentia penetrada por ali. . As preocupações com a promoção que não vinha. não me encabule. quando estava excitada. porém conhecida de tantas visitas.Gostou? . Ousados. Aposto como você é única. . . resultados inenarráveis. Na cama. ultimamente tivesse se descuidado um pouco. Lea exultou. . As coxas eram esguias e os pés pequenos davam uma graça especial ao seu andar felino. . mesmo. que vitoriosa penetrou para dentro da esposa. Com tal expediente. Lea conseguia. por trás. Os mamilos eram cercados por rodas escurecidas. propiciou à Dubois a dádiva de enveredar por meio dos pelos morenos. talvez. satisteita. que nada puderam fazer.vagarosamente.Ora.  divino. sabe? Eu também adoro. iniciando um longo clímax. realizada. uma pele imaculadamente branca. para interromper sabiamente a escalada. alta e lourissima. que não tivesse tal atividade.Pena que ninguém consegue. Por isso. Por muito tempo Ted sempre dera o máximo a ela. sem manchas. Para Lea. Mulher forte. Os corpos suados. sentiu-se inundar. compactas.Você sabe que sim. pois esta tinha realmente seios enormes. mas agora Lea não admitia uma trepada sequer. atualmente. agora.Tire. que adquiriam conforme o momento. pois essa era uma zona altamente erógena do seu corpo. Ted sentia verdadeiro orgulho da mulher que tinha. porque não pode. . Os seios só perdiam em tamanho para os de Rebeca.

Prá você também. . somos duas pessoas adultas. .eu a estive observando quando dançava com Dubois. Ted. .disse Ted. E ficou duro.Bem. Dava prá sentir claramente na barriga como ele estava duro. Como é. . E sabemos perfeitamente que tudo não passa de um processo normal. Afinal de contas.Sabe . estavam de novo sob a ducha. Sou uma mulher de trinta e dois anos. é gostoso saber que ainda desperto a sexualidade de outro homem. Você viu como ele me apertava? Por . casada a onze e.Você notou como ele ficou excitado? . bem. E atraente. instantes meus seios chegaram a doer. . querido. . Ele lhe agrada.Oh . nada de ficar encabulada. ele é ousado.Querida. fiquei envaidecida.Prá falar a verdade.Apesar de terem tomado banho assim que chegaram. bem. .Não seja despretenciosa.Fiquei. Os onze anos só fizeram bem a você. Ted anuiu à afirmação de Lea.Não acredito.E você. não? . .Um pouco de exagero dela.Será que Trisha trai o Dubois? . ele. que a faz gozar quantas vezes quiser? . Não abriam mão de uma boa água morna. . ela faz assim com todos.Ora. Pensa que não vi como Trisha esfregava em você? E o jeito dela dançar. Lembra-se de que ela nos disse certa vez que Dubois é incansável. -Ah. ficou "molhadinha"? . .Hâ. O que você acha? . psico-biológico. para expulsar o suor. .O que você achou? . Pode estar certa.Mas eu bem que gostaria de ser assim. ficou? . agradável. agora.. eu . ele dança muito bem. claro. Quem não ficaria? .Oh. .Mas você gostou.. eu não estou insatisfeíta com você. não acha : . . hã. .

que bem podia passar por dez ou onze anos. . No mo mento exato em que gozava. Seu irmão já está no carro. quando ele respirava o seu perfume e encostava o pênis duro em você eu .. vendo no seu o corpo do marido de Trisha e tanto ele. querida. Ted. Tudo nela lembrava a mãe. menina. por seu lado. Olhou bem nos olhos do marido. Passaram pela casa de Dubois e se despediram.Não é bem assim. sentindo-o duro como o mármore da parede. Sabrina. Por fim reconheceu que ela própria se encontrava molhada por dentro. enquanto a mão procurava mais abaixo. 2. Lea riu. Sardenta.Sejamos sinceros. com a con versa. como Lea atingiram um orgasmo tão intenso como há muito tempo não ocorria. eu fiquei excitado.a PARTE UM COMEÇO PROMETEDOR . entre curiosa e divertida. tinha nos olhos violeta uma vontade enorme de viver intensamente. Lá deitaram-se e deliraram com as altitudes que o sexo pode proporcionar. A julgar pelo tamanho.Assim que conseguirmos um médico para a Sabrina. vou lhe confessar algo. olhos fechados. Lea involuntariamente lem brou-se de Dubois. que se achava com um quarto de água quente. era muito extrovertida. Ted. Puxou Ted para dentro da banheira. até mais tarde. Por vezes eu sínto que você bem que iria . . Por baixo da camiseta fina já se podiam notar pequenas saliências que mostravam claramente que ela teria seios enormes como os de Rebeca. Geralmente tais viagens não . um pequeno frêmito de curiosidade e desejo foi crescendo dentro dela. . Quando via Dubois esfregando-se em você.Vamos logo. . a gente está de volta. quando seus seios maravilhosos se esmagavam contra o corpo dele.Sabe. Ousado. imaginou-se como sendo apenas um observador. Até mesmo no detalhe do busto. Irriquieta. Gordo não era muito dado a dirigir e por isso Jonathan e Mira iam com eles.

não. Ted era um bom pedreiro e fizera um pequeno terraço. Dubois estava com Trisha! Mas para uma mulher adulta e bem posicionada emocionalmente. Nas horas vagas e quando estava com disposição. era constituída de dois andares.Obrigado. depois que assumira a gerência. Mas de imediato lembrou-se da conversa tida com Ted e o olhar de Dubois pareceu intimidá-la. sobressaltou-se um pouco. Dubois. sua filha. querida? Por favor? . . olhos fechados e cobertos por um livro aberto. A certa altura. era a primeira reunião marcada. viagem. eram Dubois e Trisha. porque seu marido nunca vinha para o almoço. O marido havia saido cedo. Realmente. Pensou em vestir-se. vindo do interior da casa. Lea. como Lea.Fizeram muito bem. A menos que alguma coisa não estivesse dando certo. apenas. O sol estava valente e mandando o ar da sua graça com tanta intensidade que por vezes ardia. na eterna mania das mulheres de bronzear o corpo. ouviu um barulho. Lea. recebia nos seios leitosos todo o impacto do calor solar. A casa de Ted e Lea. Trisha. Você está muito bem. sabendo que assim o peso do corpo esmagar-lhe-ia os seios contra a toalha e tudo estaria resolvido. onde agora Lea se deleitava. mas resolveu ficar como estava.duravam mais que três dias. metida numa calcinha diminuta. você deixou a porta entreaberta e fomos Temos uísque na geladeira portátil. Como sempre. Oh. Afinal. faltar. para uma reunião extraordinária. a exemplo das dos amigos. . Lea tinha a manhâ toda à sua disposição. apesar de ser domingo. Sirvam-se.Claro. o primogênito. mas nem lhe passou pela cabeça. Boa viagem. um pouco dolorida pela falta de sono. já que Beatriz. Sentiu uma corrente estranha a . Lea sorriu. . entrando.A casa de Lea ainda está fechada. tranqüilizou-se. junto com Marian. De repente. Seria Ted? Não. não era motivo para uma preocupação maior. quando havia reunião. concluiu. ao ouvir a voz de Trisha. Apenas virou-se de barriga para baixo. Ficara chateado. Então. Você os avisa sobre a nossa Estava um belo dia. . quando percebeu passos mais pesados. Estendida sobre uma toalha.Bom dia. estava em casa dos avós.

.Jonathan e Gordo viajaram. Desceu à sala e trancou a porta. não dissera nada ainda. Lea.percorrer pelo longo de sua espinha. bebericou.perguntou a Trisha. só que deitada na sua cama. Subiu novamente.Ah. um refrigerante. . onde Ted havia feito banquinhos de tijolos. Mexeu os quadrís. A geladeira ficava exatamente a dois metros dos seus pés e ela sentiu com uma bruta nitidez o olhar do homem a lhe percorrer o corpo. acreditava mesmo que ele iria gostar da idéia. O Gordo disse que se vocês derem a festa no sítio na ausência deles. Sentiu-se.Dubois andou para o canto da parede. com o vento fresco a lhe fazer carícias. obrigada. apenas. irá processá-los. . Riram. Tinha providenciado uma refeição leve. Não que sentisse receio de que ele não viesse a aprovar.E as "meninas" foram com eles? As "meninas" eram Mira e Rebeca. ainda nua. vencendo os degraus de dois em dois.Está muito bom. . . O problema da Sabrina. despiu-se toda. Mas. Pelo rosto radiante do marido. mais para tentar fugir dos pressentimentos. Mandaram um abraço. Apesar de não poder ver os seios dela mais do que via na piscina. o suficiente para cobrir os seios. Eu já sou muito morena. . Levantou-se languidamente e pegou uma toalha pequena. . Dubois e Trisha se foram. Procurou ser sincera e não soube decifrar se de alívio ou tensão. qualquer dia desses. Pelas quatro horas. e quando estava já no fim da escada.Não. Talvez o fizesse.Não quer aproveitar o sol. Depois de alguma conversa. querida? . sobressaltou-se com o barulho da campainha. Colocou no corpo às pressas. Foram a Fresno. leve. Sentou-se. Ao contrário. nua. um vestido longo. Não fez o menor comentário pelo fato de Lea estar sem sutiã. Além da emoção de andar livremente pela casa silenciosa. Desceu. simplesmente. inquieta. Não passaram para avisar porque viram a casa fechada. rápida.Sim. . Lea sempre teve vontade de frequentar um campo de nudismo. era evidente que ela estava sem ele. como sempre acontecia após cada banho de sol. Mas nunca disse isso a Ted. um pouco trêmula. Era Ted. que amarrou ao pescoço. . as coisas tinham saido muito bem. Lea respirou um pouco mais fundo.

Serviu-se também de um e ambos tomaram um gole em silêncio. Descansou o copo no canto do bar e de um único gesto tirou o vestido.Como foi? .Claro. dando graças aos céus por ter uma mulher tão sensual. Colocou os braços para trás. Ainda estava tão enxuto como quando se casaram. apetitosa. gelado. Quem sabe. Levantou-se e a abraçou. levou-a para o quarto. Lea estava se retorcendo na cama. olhos fechados.Veja. .Õtimo. um pouquinho só. curvou um pouco para a frente o joelho esquerdo. amor. Ted verteu na garganta um gole maior. Não. Uma ruga no canto dos lábios. Controlou seus impulsos e primeiro visitou o banheiro. todo molhado. saboreando a bebida. ao longo do corpo. o que fez hoje? . Esmagou-a sob seu peso e substituiu os dedos dela pelos dele.Muito bem. Ted sentou-se e ela lhe preparou um drinque. De pés juntos. Lá. . . amarfanhando os lençóis..perguntou depois de beijá-lo de longe. seu marido . Um bom trago vai bem.E você. mostrando-se inteiramente despida. onde também se despiu. Encostada no bar Lea olhava o marido confortavelmente sentado no sofá. Mas Ted não veio de imediato. outras coisas. Ao voltar. cruzando as mãos à altura das nádegas. Em seguida. no âmago da sua quentura. Com isso. Entre foi aumentado em quarenta e cinco por cento. Me tostei um pouco ao sol. . sorrindo. para ir no fundo. buscar o início para o delírio que chegava nele e passava a ela em descargas elétricas que quase em seguida começaram a resultar em tremores e convulsões incontidas. Muito bem. Lea o levou pela mão até a sala de estar. Ted perdeu de vez o controle ao vê-la com a mão brincando dentro de si mesma. Isso merece uma comemoração. onde tomou um banho rápido.Queimou bem? . mesmo. não? . Lea estava excitada só de vê-lo apontando para ela. pois a pressa era acentuada e o fez esquecer-se do detalhe. empinou os seios.Nada de interessante. um pouquinho mais gordo. É. saboreando a bebida e o degrau subido na carreira.

bem. . . .Ted. E. cada qual colocando seus trajes de dormir. Você bancou a tola. eles estiveram aqui quando eu estava no terraço tomando sol..E quando eles voltam? Dentro de trés dias. Pelo menos eu acho que não. . nada com que deva se preocupar.Eu estava apenas de calcinha. acho que não. antes que Viu-lhe os seios? Quando eu percebi que ele estava com Trisha. de suor.. Mas creio que notaram o meu embaraço.. viesse a saber por outros.Vieram avisar da viagem que Mira e Rebeca.. . E.O que eles disseram? . Eu estava no terraço. . Iriam ficar morrendo de.Ora. e estavam no quarto. . depois daquele salgado. . .Não. Devia ter se erguido e mostrado seu corpo maravilhoso para eles. virei- . . fizeram a Fresno.. me..É bom. não seja descarado! .. quando já haviam tomado outro banho. eu estava tomando sol quando eles chegaram e foram entrando. . . porque aí poderemos marcar finalmente a data para a festinha no sítio. Foram muito gentis.Nada.O que? aconteceu alguma coisa? .Ted.Estiveram aqui Trisha e Dubois. Como disse. Quer dizer. juntamente com os rapazes.Bem.Não. Ficou envergonhada? Mas quis lhe contar.Hoje de manhã. querida. a porta não estava trancada. eu. . creio que devo lhe contar.Dubois a viu assim? .Creio que não.O que eles queriam? . .disse Lea.

Se é assim. sei lá. que dia é amanhã? . logo iniciaram uma conversa agradável. . Acabávamos de chegar. deixou que o corpo se encostasse de cima a baixo ao parceiro. a camisa com três botões abertos. Pensamos que pudesse ter acontecido algo. Mudemos de roupa. com a aprovação dos quatro.É bom a gente ver. A certa altura. Sabe. Vizinhos que se entendiam muito bem. Já não conversavam. Sem paletó. claro.. Ted tirou Lea para dançar. . . dançou com Trisha. . Tamos passando e vimos luzes.disse Trisha. Aceita? O jantar transcorreu num clima agradável. Sabe Ótimo. vamos. feriado! completamente? Sabem que me havia esquecido - É o entusiasmo pelo cargo . claro. Trisha. não queremos incomodar. .Trinta e um. vamos tomar uísque e festejar. regada com excelente bebida e melhor música.Já que estão aqui. . Estava com um copo na mão. Cheirava a uma lavanda suave. . estão dando um ótimo show no Azteca.Ora. Dançaram um pouco e pelas dez estavam de volta.Ora. Feito isso.Escute aqui. Era mais alto que Ted. Entrem. então. Lea aguardou que a música lenta recomeçasse e esperou que Dubois a enlaçasse. "seu" gerente. embora menos corpulento. . felismente. Alguns amigos os cumprimentaram pela promoção de Ted. quando dançavam.Bem. . Antes de opor qualquer resistência. inverteram os casais. Algum tempo depois.Será que aconteceu alguma coisa? . Dubois atendeu. nada de anormal. são vocês. sem gravata. Trisha estava mudando um disco.Ah. Você está convidada para jantar com um marido que a ama muito. sabe de uma coisa.Bem . .Bem. Dubois estava renovando a bebida nos quatro copos. por iniciativa de Lea e. Ted.brincou Lea. . diferente do perfume . e resolvemos descer. temos visitas. Já são dez e tanto. pelo meio. já é tarde. nada de dormir cedo. Desceram e apertaram a campainha. sentem-se e tomem um drinque. Quando passavam em frente à casa de Dubois viram luzes acesas e pararam.

Ted e Lea se levantaram. Inconscientemente. justas. Ao contrário. Consciente de que estava ereto. apertou o corpo moreno e miúdo mais de encontro a si.Bem.disse Trisha. mas não o fez. Quando. está na hora. no sofá grande. enquanto suspirava entrecortadamente. Ted pigarreou. o disco parou. . numas calças compridas. Sentaram-se.Você dança muito bem. Em seguida. Lea quase completou com um "é mesmo". branca. Antes do fim do disco já Ted servia atodos com mais uma dose. por fim. Não teve coragem. . no calor que lhe era irradiado aos seios. Uma corrente invisível estava trabalhando no ar.Já é tarde. Receou ter sida ousada demais e procurou com o olhar.Bem.E ela me disse também que a surpreenderam tomando banho de sol.Lea me disse que estiveram em casa hoje de manhã. Deu a impressão de que iria dizer algo. .do marido. Foi uma bela noite.Fomos dar o recado dos "turistas". Lea. Dubois. semi-transparente. Olhou-a nos olhos mais uma vez. .Obrigada. uma onda gostosa. e Trisha começou a sentir. enquanto Dubois mudava novamente o disco.Podiam ficar mais.disse Dubois. Por fim. sentiu-se excitada. . de algo. . com naturalidade. mas não o fez. Os quatro estavam como que magnetizados. a música acabou. . vamos ao uísque . Ted e Trisha. Sentiu-lhe que o hálito quente um pouco acima da testa e notou perfeitamente que ele estava crescido. A música clássica de Beethoven inundou o ambiente. até ver Ted.fez Ted como se se lembrasse de momento. A mão dele alisando as costas de Trisha. Tanto que esfregou-se mais forte contra Dubois. Ah. Sentia-se como que algo estivesse faltando. . Olhou para a esposa. Dubois e Trisha também ficaram de pé. coçou a cabeça e disse: . veio sentar-se ao lado de Trisha. insinuante. Lea. Tornou a pousar a cabeça no ombro de Ted. . Ted não fez o menor esforço para disfarçar. acreditem. . deixando transparecer que iam para casa. Esta estava olhando para ele. pela dureza encostada quase que de encontro ao seu sexo.Nós também achamos . sem que pudesse controlar. . rapazes. Lea. e com um blusão folgado.

que. Só soube que suportou o olhar fixo de Dubois. por fim. mais que nunca.Pois é.Vocês dois são muito gentis.Pois bem. Com os olhos. Você estava muito bem. da sua atitude. rapazes. a olhavam. . só quebrado pelo leve chiado feito pela agulha da vitrola no fim do disco que esqueceram de tirar. uma expressão de amor e orgulho.Ted pareceu levemente encabulado. Viu em Ted. . um toque de orgulho misturado de alguma angústia. . . Muito bonita. Engoliu em seco. Tomou ciência da situação.Já disse. Lea . carinho e excitação. Ted . um silêncio acentuado tomou conta da sala.Eu também a achei ótima. mantinha um semblante que transpirava excitação misturada com a certeza . Lea enrubesceu ligeiramente. se devido à presença de Ted. por um instante. Trisha apenas acompanhava com os olhos e ouvidos bastante abertos. Por cerca de um minuto. querida? Lea gelou.Bem. Todos estavam silenciosos. Soube claramente que dependia muito dela. concentrados. Quer mostrar a eles. a verdade foi que não corou.Lea. bolas. sendo imitado por Trisha e Dubois. Trisha. . seu marido. . o desenrolar do que viesse a acontecer. como que num alento. hã? . Ted sentou-se. Em Dubois. do seu comportamento. . o que acha dela. Ora. mais ou menos dos três. . Lea voltou a cabeça para Ted e. passeou pelo olhar de cada um. Dubois. ou não. Escute. Ted.. . espectantes. prá dizer mesmo a verdade. Chegou então à conclusão de que não poderia de forma alguma decepcionálo. Sabia o que deveria fazer. Seu primeiro pensamento foi de reação veemente. querida. resolveu.Olha. eu . . mas nada falou. como uma força a levá-la à capitulação final. ouçam. a impressão era de curiosidade e expectativa e Lea pareceu adivinhar nos seus olhos uma mistura de erotismo e desejo. E sentiu. Lea não soube explicar se foi pelo uísque ou qualquer coisa que o valha. os anseios do seu Ted. Colocou a bolsa sobre o bar e andou até ficar a uns cinco passos. por sua vez..repetiu Dubois o elogio. E.Você bem que gostaria de ter visto os seios dela hoje de manhã. . não? Dubois olhou sério para os dois. Mas viu no marido um olhar confiante.

com os mamilos ligeiramente enrugados pela excitação. enquanto os olhos não desgrudavam dos seios. Então. Viu claramente. Dos "seus" seios. . o laço que prendia a blusa aos ombros. estava ardendo de desejos por ela. foi muita sobriedade. Sua face adquiriu a cor normal. macho. alvo. Feito isso. Primeiro apareceu o cóz das calças. Seios fartos. ficou alegre. Lea sentiu-se como se fosse transbordar de excitação. para. que não Ted ou seu médico. Por um instante se lhe passaram pela cabeça os mais diversos pensamentos. por que não. a naturalidade.de que sáberia e poderia apreciar coisas belas. depois de tantos anos de casada. sem dúvida. o movimento de Lea foi rápido e decisivo. segurando numa das mãos a blusa preta. Trisha apenas sorria e acenava aprovadoramente. Depois. os braços cruzados. desejaria estar na situação dela. Os braços se movimentaram e desfizeram. observada. por dois homens ao mesmo tempo. Tomou conhecimento. libertos e alegres. uma total e completa ausência de libertinagem. usou as mãos para segurarem a bainha da vestimenta. Olhou para Ted e viu-o com um ligeiro sorriso satisfeito. um pouco abaixo do umbigo. a saliência que a posição dos braços provocava às costelas. Em seguida a barriga branca. Viu Dubois passar a língua pelos lábios então ressequidos. Mas o que predominou nos três olhares. e os olhares convergiram para os pontos vitais. mesmo ele estando sentado. Deu então uma piscadela endereçada a todos. Soube que qualquer mulher no seu íntimo. De repente. Notou claramente as paredes vaginais molhadas. que tinha uma mulher bonita. Foi exatamente a sincera franqueza nos seus olhos que trouxe de vez o alívio a Lea. num piscar de olhos estar de braços abaixados. com dedos ágeis. com a perfeita conscientização do que estava mostrando. consciente e calma. Era a primeira vez. Um colo delicado. Olhou altiva para os três espectadores. foi erguendo as mãos. Mais acima. as calças levantadas. sorriu de leve e tornou a colocar a blusa. Daí em diante. Aquele homem sensual. firmes. que os mostrava assim. a vaidade pessoal satisfeita. a outro homem. por fim. desejada. Nada torna uma fêmea tão superior quanto a situação de estar sendo admirada. de que a muito tempo seu ego ansiava por semelhante situação. cheios.

vamos indo. escondendo os pés pequenos da mulher. este desceu fulminante.. Trisha curvou-se. silenciosamente. colocando-o no lugar. não quer mostrá-los. . quebrado o gelo. Trisha permaneceu de braços estendidos ao longo do corpo e quando Dubois com os dedos empurrou as alças do vestido pelos ombros.Você também . para exprimir sua opinião: . Este fez com que a esposa se levantasse. mostravam-se os quatro mais à vontade. olhando direto nos olhos dela. Lea. pegou o vestido. empinados. . . Dubois ficou atrás de Trisha. Trisha? . olhando um . tinha os mamilos ligeiramente salientes. beijou-a de leve na testa. Usou apenas uma palavra. Tão fartos quanto os de Lea. muito transparente. Ver Trisha metida apenas numa diminuta calcinha de seda azul claro.insinuou. Passado o primeiro momento de revelação. E olhando para Ted. Os seios de Trisha eram morenos. maliciosa. Limpou a garganta. Positivamente a situação o tocava muito. era contagiante.Você está em plena forma. Abriu o fecho do vestido de noite correu lentamente o zíper até a cintura. querida? Lindos. Gostei muito.. Ted também se ergueu. . Ver os seios à disposição tanto do seu como do olhar de Dubois e Lea. depois para Lea. .Concordo. enquanto murmurava um "obrigado" que pela emoção saiu quase inaudível.Bem. Sem a menor pressa. tanto que eralhe bastante fácil ver os pelos negros do sexo dela. querido? Ted não perdeu a dica. Não são lindos. Foi uma ótima noite. Lea.Que tal? Dubois olhou primeiro para Ted. Não. . franca e calorosamente. repito. Trisha sorriu para ele e olhou para Dubois. que segurava prudentemente longe do seu corpo e inclinando-se. Até amanhã.Lindos! Aproximou-se de Trisha e tomou-a pelos ombros.O que Ted e Dubois apertaram-se as mãos. Ted sentiu-se invadir por uma onda morna de inquietação. Em seguida. Trisha.Fantástico.disse Lea. . acha.

tanto quanto os amigos. Quando se afastaram. Sabia do que em a respeito e. Então. querido? Fiquem. com voz calma. Ao despedir-se de Dubois. sob os olhares de Ted e Trisha. Trisha e Lea trocavam os tradicionais beijinhos. As palavras não se faziam muito necessárias. Por fim. . abrindo os dentes para receber ansiosa a língua pontuda e úmida. Sabia da mentalidade . só teve de ser sincera: . Passando a mão pela cintura dela.Concordo. Ted percebeu e piscou para ela. Por fim. Lea beijou-o na face e sutilmente roçou nos dele. num diálogo mudo. virou-o no momento exato em que ela aproximava os lábios Trisha bem que percebeu mas não recuou. aaa Na verdade ela mesmo pensava do marido. Venham conosco.Aqui é o quarto de visitas. caso ficassem. Lea? Vacilou um pouco. notaram que Lea e Dubois os estavam observando. com desejo. quietos. o que poderia acontecer. Então Lea virou-se para Dubois: .Muito bem. "casualmente.nos olhos do outro. Lea grudou-se toda nele. Exultou ao perceber que Trisha não opunha resistência.Que diz. Querem mais uma dose? Pararam em frente a um Todos aceitaram. . Se quiser. mas só tem uma cama pequena. do que ela achava. seus lábios.Está no seu direito. Trisha quebrou o silêncio.Eu quero ficar. segura: . Porque vocês não dormem aqui? que acha. cama grande. Apertou-a nos braços e esmagou aquela boca morena com fome. sabia do que ela mesma queria. havia uma. num momento como aquele. Aproximou o rosto para que Trisha o beijasse mas. pode me beijar. E. Ted e Lea se entreolharam. Sabiam. . . . . portanto. Pousou suavemente os lábios carnudos nos de Ted Por que oque não mais conseguiu se controlar. Chegaram ao quarto do casal.Eu.Já está tarde. principalmente. quarto: Tomaram o uísque e subiram. Dubois uniu-se a ela com lábios quentes. onde além da menor. se soltaram. está decidido.

O que acham? Desde que não os incomodemos.Pronto .As camas estão arrumadas. Dubois foi sentar-se na cama.disse Trisha. Lea havia se sentado na cama pequena e Dubois guardava a camisa no cabide. Claro que não iriam incomodar. sopesando com delicadeza. calmamente. As de Dubois. . . sorridentes. Passou a massageá-la. O movimento brusco fez com que os seios tremulassem ligeiramente. Não eram as mâos de Ted que lhe apertavam os seios. puxou o laço da blusa de Lea e a livrou da mesma. as têmporas latejando de excitação. juntando-se a ela como dois espectadores. fecho. Quando o correu todo. Ted abriu o vestido de Trisha. isto sim. O contato era diferente. Em seguida.Para nós está ótimo. Quer abrir meu . Levou as mãos e os segurou. afastou-se e foi sentar-se perto de Dubois. cheia de cobertores.Ted os olhava maravilhado. Trisha e Lea trataram de arrumar as camas. E que agora a estava transportando para nuvens coloridas. Depois. Lea fechou os olhos e passou a respirar com dificuldade. Ted desceu o vestido dela. Trisha. Outras. Ted? . expostos. mas na realidade estavam. estranhas. com uma lentidão premeditada. O efeito que lhe causava ver sua mulher. Trisha chutou o vestido para um lado. Ted a apertava firmemente. O tabu que pudesse estar atrapalhando havia deixado de existir lá em baixo. mas sábias. Por sua vez. Trisha virou-se para ele. As mãos de dedos delicados desabotoaram a camisa de Ted e o livrou dela. propiciando aos seios volumosos que ficassem livres. Tentavam demonstrar calma. Era muito gostoso ver as costas morena se revelando a cada centímetro que o zíper baixava. Um certo torpor. tranquilidade. .Creio que aqui estarão mais confortáveis. Abraçou-a calmamente e a beijou com desejo. perto de Lea. Do homem que estava acostumado a pressionar os seios morenos de Trisha. colou nas costas bonitas as mãos ligeiramente trémulas. Colou aos dele os lábios entreabertos e mergulhou a língua na boca máscula. com volúpia. .Com prazer. oscilantes. renovando a alegria de ver-lhe os seios maravilhosos. encostou-se ao peito dele. com perícia.mais para a parede. agora. enquanto os homens conversavam. ficando a dois palmos. sentido os pelos do tórax fazendo graciosas cócegas nos mamilos. que a beijou com sofreguidão. deixando transparecer uma angústia latente. Depois. Dubois de imediato levantou-se. . conseguiu descer as calças dele. . Ted andou até Lea e atrouxe para o centro do quarto.

esfregões e apertões. As mãos de Trisha eram mais ágeis. o puxou para a cama. Com mãos ágeis. caíram na cama de Trisha. mas não muito entusiastas. Em seguida. sendo acariciada por Dubois. dando de cheio com a mão no monte de vênus de pelos macios. trocavam de par e a emoção de estar novamente em contato com o corpo conhecido. incansavelmente. Ted a agarrou nos seios que apertou com técnica. depois de passar pela experiência de desfilar por outros ricos centímetros de corpos diferentes. Encheu-se de orgulho.bonita. A atmosfera erótica ficou quase que palpável. Não era maior que o do seu Ted. Na precipitação. o que lhe dava um toque quase feminino. Lea adotou uma atitude apressada. mas muito mais grosso e mais cheio de veias. Pois Lea nunca usava calcinha. causava uma sensação agradável. Ted vasculhava com as mãos. morna. A glande era saliente. que fatalmente não teria vencedor nem vencido. Novamente com gestos destros. nem tão musculoso. como que numa muda desculpa por sua fraqueza. era indizível. que já não conseguia mais ficar impassível. gemendo e respirando com ruído. vendo que Lea não ficava impassível. Depois de olhar para Trisha e para Ted. Uniu-se a ele. ficou completamente nua. Deliciando-se com o corpo moreno. Viu Dubois abrindo o zíper das calças compridas dela e antegozou o resultado. Lea apertava com maestria o pênis de Dubois. porém muito sensual. As bocas estavam num duelo de titãs. desejada. Trisha livrou-se da calcinha e a Ted da roupa que faltava tirar. Quando faziam alguma pausa para recuperar o fôlego. era um culminar de emoções. muito quente e duro. Percorrendo o corpo dele. usou de mãos apressadas para despir Dubois. que ela estava numa excitação crescente. Tanto que Ted não resistiu à . Até nos instantes em que os corpos de Ted e Dubois se chocavam. Passaram a um combate de carícias. passou a trocar com ele. Notou as nádegas mais salientes que as de Lea. notava que não era tão peludo quanto Ted. Os corpos se batiam um no outro. sedosos. os seios talvez mais rígidos e a estatura pequena. Dubois gostou muito de percorrer as coxas longas até chegar no vértice que elas formavam. a menos que estivesse de vestido e quando suas calças desceram. Ted estava hipnotizado e só saiu do seu torpor quando Trisha. miúdo. um detalhe que só contribuia para melhor.

Mas. Foi empurrando com atenção. Ted tirou uma das mãos do seio de Lea. o cheiro de sexo que invadiu o quarto foi tão intenso que os quatro passaram a movimentos mais intensificados. na sua impaciência compreensível. as mãos atarracadas nas nádegas de Dubois. Em outra oportunidade tanto Ted como Dubois murchariam por algum tempo. molhada. ao sentir o contato da vagina nova. Viram Dubois enfiar-se com força para dentro do corpo branco de Lea. engulí-lo com sua gana de amor. Dubois estava deitado e Trisha em cima dele. enquanto Lea soltava incontidos e pequenos gemidos. Com as mãos afastou ligeiramente as beiras da vagina úmida de Lea e acomodou ali sua glande avermelhada e brilhosa. até que Dubois saisse de dentro dela. Ted subiu em cima de Trisha. num movimento constante. Fumariam um cigarro. Trisha. Entre em mim. fazia descer seu sexo para ser furada profundamente.espera e entrou profundamente na vagina de Lea. Então. Pegou na direita de Dubois e a pousou lá. empurrava e tirava com a fogosidade de um potro. . preparouse. de joelhos. arranhava. . todo dentro de Lea. a situação era especial. Ted obrigou Lea a abrir as pernas e. Entre . Trisha levantou os quadris. venha. molhada do sumo de Trisha. querido. De um lado da cama. Dubois. demorando-se mais nos mamilos salientes. A sensação nova. depois de recuperado o fôlego. Viram-no entrar e sair. agora. assumindo a posição antes adotada por Ted. quase que obrigou Dubois a entrar nela no que foi atendida com precisão. alcançando um orgasmo quadruplo quase que instantaneamente. Escorou-se nos joelhos e envolveu com as mãos ávidas os grandes seios morenos. como que querendo enfiá-lo mais.Por favor. Do outro. Lambeu-os. estava ele. Empurrou Ted. para que este a acariciasse junto com ele. conversariam um pouco. deu uma estocada e. Deixando de olhar a cópula da sua mulher com o amigo. caso quisessem novo embate. Trisha procurou seu pénis e o dirigiu para dentro dela. Agora as sensações eram renovadas. Dubois desceu da cama. as pernas e os braços mantendo-o todo colado dentro dela. Ted e Trisha assistiram em transe. que o apertava. Então. Quando percebeu estar bem dirigido. . deitou-se entre o marido e o casal de amigos. obrigando-o a sair de cima de Lea. acentuadas. Lea sentiu-se maravilhada. por fim. deu a volta. para recuperarem as forças. . Por pouco Ted não ejaculava. enquanto as mãos não paravam de apertar os seíos de bicós duros e avermelhados. continuavam duros e prontos. Ted. Mesmo sem sairem.

Tinham certeza de que haviam conseguido sobrepujar vários tabus. os mamilos endureceram. Seu pénis deslizou com a total aquiescência para dentro da gruta entumescida. Lea uniu sua boca à dela. de encontro à de Trisha. Foi Trisha quem avançou a língua. a perspectiva de um futuro muito mais emocionante. a fêmea desejável. que Lea sugou com gosto. cujos lábios estavam gotejando.procurando captar cada detalhe da sua primeira viagem àquele labirinto maravilhoso. Trisha virou-se. Veja como minhas pernas tremem. Alisou-os. Tinham chegado ao ponto em que todos os casais pelo menos uma vez na vida pensou fazer. A conversa era animada. sequiosa por prazer. para depois aprofundar a sua . impulsivamente e as duas se perderam num abraço escorregadio. Curvou a cabeça.dizia Lea. sentia dentro de si uma outra Lea gritando. PARTE SEXO SEM BARREIRA O dia já dava sinais de querer apagar o escuro. esperados. num beijo diferente. com carinho e dedicação. Existia um elo a mais unindo-as e arraizando a amizade dos quatro. Ted e Dubois tomavam banho juntos. ser sensual. iniciando ambos um vai-e-vem frenético. .Mas Ted não fica atrás. minha cara. as costas que Dubois acariciou. Os resultados conseguidos foram os melhores imaginados. Eram as costas que Ted acariciou há pouco. onde demorou-se. Bem que você . Eram as costas da sua amiga. Quer passar o sabonete nas minhas costas? Lea ensaboou as costas morenas. . 3. uma sensação de liberdade. Quando terminou a descida. Ted beijou Trisha com ardor. Sêquer um olhar que denotasse algum desagrado.Puxa . Depois. E Lea estava gostando do que fazia. os seios e coxas se entrechocando. Para a bela morena era um bálsamo. Não houve uma palavra de recriminação para o que eles fizeram. fazendo-as ficarem sobre os seios semi-ocultados na espuma branca. mas que a covardia impedia. o que é importante. além de delicado. Eram as costas de uma mulher. à procura do instante que enleva ao mais alto ponto que dois seres humanos conseguem chegar no campo das emoções. místurado com água morna e espuma. entreabertos. Desceu a mão com espumas até as nádegas roliças de Trisha. que conseguia. Numa reação instantânea. foi a vez de Trisha e Lea. Ergueu as mãos e as passou por sob os braços da amiga. A mulher sensual. e havia. várias inibiçóes.Como estou cansada! dizia que Dubois era fogo. no banheiro. Lea sentiu despertar dentro dela uma outra personalidade.

suavemente. instruida por Trisha. introduziu o de Ted na boca. quando voltava com os drinques. ficasse alto. interrompido quando Trísha a puxou pelo ombro. comungando intensamente com elas mesmas. quanto mais duas tomando banho. Sábia na arte Quando não os vimos no quarto. nuas. procurando livrá-lo do roupão. Sugava com maestria. descobrindo as glandes inchadas. que a nudez fazia divino.dentro da boca da amiga. Puxava-os levemente para cima e depois baixava as mãos. num andar gracioso. Lea tomou de um só gole a sua dose atarracou-se ao marido. sentou-se no sofá. Completamente despreocupados com a vida. não tiveram a mínima preocupação em colocar roupa. Modernos! Desceram as escadas. iniciaram um embate animado. exatamente entre as pernas fechadas de um e de outro.disse Ted. A excitação estava chegando ao máximo e elas bem sabiam até onde poderiam chegar.Nossa paciência não dá para esperar uma. .Pensamos que já estivessem dormindo. Depois. Ted obedeceu. Estranharam não encontrar lá os dois homens. Como o amigo. já o amigo se abraçara a Trisha. . e ainda conscientes do quanto se encontravam em isolamento com o exterior. Para Dúbois e Ted. mas logo se acostumou. . Avançou até onde pôde e recuou. essa exigência inexplicável que o homem faz. para disfarçar o que lhe fazia com que o roupão que Dubois emprestara. até que ponto podiam esperar uma da outra. Chegaram até eles sorrindo. causando tremores em Ted. que puxou a toalha que o envolvia. . Trisha aproximou-se e ficou de joelhos. cada um com seu copo. como Dubois. para o quarto. Segurou os pênis enrijecidos e começou a friccioná-los. Beijou-o e disse: . Quando o conseguiu. enquanto a mão esquerda não deixava de bolinar Dubois. os dentes. sentados nas poltronas. deu a volta e ajoelhou-se atrás do sofá. o busto encostado neste e os braços nos pescoços dos dois homens. fazendo-a afastar-se de Ted. O couro frio em contato com as nádegas pareceram estranho por um instante. Lea. sentir sua saliva. foi uma visão maravilhosa vê-las escada abaixo. em tempos em que se convencionou chamar "modernos". Os espectadores passaram a ser três. Mas. no frescor da natureza. .Preparo uma dose para vocês .Sente-se. . soltaram-se. A seguir. o canto da boca. Tiraram o resto do sabão dos corpos e sairam com a água gotejando.

Avermelhado. estava a alegria de poder engulir um pouco da saliva da outra. Lea não conseguia aquilatar o elevadíssímo grau de excitação em que o espetáculo resultava. proporcionando cócegas. ficaram surpresos. empurrando Lea para o pênis de Dubois. pararam. chupando-o de olhos fechados. vasculhando-a em toda a sua dimensão. Um espetáculo à parte. Trisha voltou a ajoelhar-se. no primeiro instante. Quando Trisha voltou a boca para o pênis de Ted. Lea quase não conseguia respirar. Beijou-o com afeto. Então. enquanto sentia entrando dentro da sua boca aquele nervo quente. para em seguida voltarem a agasalhar nas bocas os bocados dos maridos. Em seguida premiou a espera do marido com chupadelas divinais. tão de perto outra boca engulindo o pênis de Ted era o máximo. as duas mulheres pararam para descansar. E então. pondo-a num canto. Sugou-o com toda a perícia de que era capaz. deu a volta. Curvou os joelhos e olhou para o nervudo sexo de Dubois. Olharam para os maridos. pôde. cada uma querendo sugar da outra prazer maior. num diálogo mudo. E mais. poderia ser mais demorada a ejaculação de agora. Assim. uma boca que ela a pouco beijara. exultaram: Lea e Trisha tinham se unido num demorado beijo. Dubois levantou-se e ergueu a pequena mesinha. Quando os maxilares ficaram doloridos. as bocas bem abertas. Ted e Dubois. Em seguida mergulhou-o todo novamente. parou antes que o esperma lhe viesse à boca. A certa altura Lea inverteu as posições. Ainda bem que os homens haviam tido dois ou três orgasmos antes. uma para a outra. estava reluzente da saliva de Trisha. mas depois. Voltou a abocanhar Ted e Trisha a Dubois. além do prazer de poderem ter na boca o pênis de que gostavam.da chupação. Depois. Quando os maridos passaram a tremer levemente. tirou o membro de Dubois da boca e deslizou o seu querido Ted para o mais profundo da sua garganta. Ver assim. abocanhando os maridos. Os dentes do maxilar inferior faziam um estratégico movimento de esquerda-direita. Colocou a língua para fora e deu pinceladas na glande. Assim. Com o rabo do olho percebeu que Trisha estava beijando Ted e sentiu-o ainda muito excitado. até senti-lo no céu da boca. Para as duas. as duas mulheres ajoelhadas. Afastou os lábios carnudos e avançou a cabeça. . Após beijar mais um pouco Ted. chupar novamente o membro de Ted. Olharam-se novamente.

quando Ted acentuou o movimento com a língua e tez com que o dedo indicador passasse para dentro dela. Com isso. Por fim Ted as separou e as obrigou a ficarem deitadas. terminando por alojar-se no sexo delicado.conseguindo com isto. notou que estava sobre Trisha. Depois as duas voltaram a se unir num duelar de línguas. As mulheres se aperceberam do grande afrodisíaco que resultava aos amigos. que consistia em beijar o queixo. os corpos rolando pelo tapete. a magoarem seus seios. as mãos embrutecidas pelo desejo. inundando as paredes vaginais. vê-las se beijando e isso as alegrava. Não havia a preocupação de saber quem estava abraçando quem. Trisha levou a mão para a beira do sofá e apagou as luzes. Depois. ela ficou de um lado. outra. embebendo a sala numa penumbra cúmplice. um aroma que as palavras são inúteis para descrever a sensação que transcende. O que importava? Nada. Trisha segurou o pênis de Ted e o encostou ao de Dubois. iniciou um prelúdio com os lábios. passaram a lamber ao mesmo tempo as duas glandes. A esta altura já Trisha havia afastado as pernas. Para Trisha e Lea. Controlou-se e passou a mordiscar com delicadeza o clitóris. Era uma visão. um frente ao outro. ele e Ted atarracaram-se às mulheres. passar pelo pescoço. a mesmíssima coisa. bastante espaço. sendo que as duas ficavam de frente uma para a outra. Por vezes percebiam que era Ted quem furava Lea. . que mesmo no semi-escuro ecitava. Os quatro corpos nus. que era Lea quem subia em cima de Dubois. Ted fez a língua penetrar. forçando a entrada. lambendo-o num movimento crescente. até enfiála toda dentro dela. com seus hinos vitoriosos. Passaram a rolar pelo tapete. Um dos dedos deslizava de um lado a outro no ânus rugoso. o deixou quase que à beira de um orgasmo. O vendaval de emoções era incontrolável. Beijou-a voluptuosamente. Era o orgasmo que vinha. Trisha pediu a Ted e Dubois para ficarem de joelhos. de costas. Ao abrir os olhos. explodiu abundantemente. De joelhos que também estavam. Para Ted e Dubois significava o mesmo: maravilhoso. E. desnudo. Lea de outro. imitado por Ted. Dubois atracou-se de novo a elas. brincar com o umbigo. aos poucos. dançar por momentos na pista de cada seio. O cheiro era forte e gostoso. a princípio aos poucos. Trisha passou a ter convulsões espasmódicas e a soltar gemidos que não queria. sequiosos de prazer. Em seguida.

a levaria a arroubos de delírio. Lea. Trisha foi servir-se também de um gole. Com as bocas recém saídas das vaginas cada homem levou à boca da esposa o gosto da outra. mais como um sussurro. por favor. que deixara no bar. Para Lea. não. cada mulher com seu marido. Porque não aproveita? E ele aproveitou-se. Tede . se bem que começando muito pequena. Seu rosto ficava na direção exata. mas ouvir palavras obscenas quando estava fazendo amor. Lea ajoelhou-se e curvou o corpo para frente. Dubois foi buscar seu copo. Largaram-se e voltaram a se abraçar. Como estavam sendo egoístas.Afaste-se. tornou-se mestre. Enquanto mergulhava fundo a língua na vagina de Trisha. Quando estavam voltando do bar. Na posição. Dubois. . sentiu seus quadris sendo puxados para baixo. antes mesmo que Dubois o fizesse. Quando Ted a largou. ao constatar o gozo da mulher. Lea chupava compenetrada. Do beijo vaginal passaram ao duelo de bocas sumarentas. Dubois obedeceu-a. suas nádegas ficavam arrebitadas. mesmo. "pois ia meter a língua na sua boceta gostosa. mas que aos poucos (pois o que é bom é logo assimilado). deixando escapar sem querer. um "puto".perguntou Trisha para Dubois. Recostado no sofá. Trisha e Lea pararam com seu colóquio. pois ainda faltava um pouco mais de prática. Dubois era muito bom com a língua e num instante Lea estava se entregando ao orgasmo. As mãos procuraram os seios divinos. sentiu o gosto diferente da outra vagina. Ted assistia ao embate. para carícias. onde Dubois acariciava Trisha. Lea postou-se de maneira a que Trisha ficasse sob si. num beijo que transbordava de desejo. ligeiramente abertas. Baixou os cotovelos e iniciou um beijo vaginal que de princípio foi um pouco inexperiente. tentando tirar e dar tudo. querido? . sentiu·se tomada por uma onda crescente de excitação. Dubois e Trisha pararam para se deliciarem com a cena. para abocanhar Ted. sugando a saliva de Ted.Que visão gratificante. Movendo-se sobre os joelhos. . que. para logo uma língua lisa e dura a invadir. pediu cavalheirescamente a Lea que afastasse as coxas. Nunca dissera nem a Ted. encostando-se a Lea. extasiado. era para ela um estímulo fora do comum. cada uma querendo ser mais gulosa que a outra. Pena que não conseguiram o orgasmo. Aproximou-se e ficou também de joelhos. virou-se para o lado.Dubois. salientes.

à medida que com muito cuidado ia levando os quadris para a frente. Ted sorriu. é tão bom! Você. por fim. Não terminou. e com razão. Eu a adoro. sentiu os pelos púbicos de Dubois nas nádegas. um pouco trabalhosamente. Dubois. Lea permaneceu sentada sobre ele. em revistas. Não.Ted. quando da prática de sexo anal. preconceito. Isso. para sentir o membro molhado de Dubois entrar e sair. Trisha sorriu. é claro. Com as mâos. quando Lea gozou... Ted. A posição proporcionava a mais profunda das penetrações. Outra vez. fruto de uma educação.sorriu para Dubois e disse: . aprovou de imediato a variação. Tirou o pênis de Ted da boca e olhou sorridente para ele. ainda sem que ela desabrigasse o membro que a visitava. foi entrando na vagina da . O pequeno ardor que a fricção causava. Quando ele estava todo dentro dela. enquanto Dubois entrava e saía de dentro dela. Em seguida. Quando. Ainda restava um pouco de receio. dentro dela. tirou o pênis de Dubois de dentro de sua vagína. no tapete. ia sentindo-se invadida. em meio a entrecortados gemidos. O coração começou a bater descompassadamente. Ted obrigou-a a deitar-se de costas sobre o peito de Dubois.Você é divina. . . satisfeito. lenta e gostosamente. deite-se. Lea sempre se achou uma mulher "boa de cama". você viu? Dubois enfiou no meu. Então. querido. uma formação rígida. Com calma. como todo bom francês.Fure-a. Enquanto não desgrudava um centímetro do membro de Ted. Depois. fez o mesmo com a vagina de Lea. molhando-lhe o pênis com sua saliva e depois. segurou-o pela glande e o colocou em cheio no ânus. não o tire de Dubois deitou-se de costas. correu para perto de Ted. sem deixar de chupar Ted. com seu membro completamente escondido dentro de si. foi logo esquecido. Agora. soltou um grunhido de satisfação. . mas excitado. . colocando os dedos em forma de "v". Dubois obedeceu. esta quase que não se controla e por pouco não machuca Ted. Dubois. Procurou a vagina de Lea. Vira muitas poses iguais a que se estava iniciando. procurou afastar ainda mais as nádegas de Lea. Sente-se. Passou a chupar com mais alento. A excitação foi aumentando. Depois de algum tempo. Lea levou a mão à vagina. Dubois começou a ir e vir.

esposa. no momento em que percebeu estar ele chegando ao fim. o que era mesmo melhor. Extenuados. na vagina agora mais apertada. Ted saiu de dentro de Lea. vocês entram em mim? De ímediato. uma diminuta e indiscreta lágrima de orgulho satisfeito. E. Lea. sabia que você era ótima! " . absorveu cada gota. que Dubois saisse também. sairam às pressas. pelas duas da tarde. prestativa. Como o banheiro era pequeno para os quatro. Mas. . a guiava. num último esguichar. numa fogosidade inédita. estava enrijecido e apontando para o teto. Levantaram-se e. Podia até adivinhar o que passava pela cabeça dele: "Eu sabia. seu membro estava dentro dela. Em seguida Trisha imitou Lea. O sol os veio pegar ainda nus e dormindo. Lea. não. Subiram para o banheiro. Em seguida arqueou os joelhos. enquanto que Lea sentia-se de novo uma rainha. Claro que não ficaram impassíveis e a excitação que ainda se fazia presente. Trisha e Lea prepararam uma refeição leve. O pênis molhado do sumo vaginal de Lea. juntamente com Trisha. . por algum tempo. no momento em que Trísha chegava ao fim. mais uma vez os membros amigos procuraram as vaginas amigas.Vocês. Ted deitou-se. derramou dentro dela seu esperma abundante. principalmente Lea. Quando se deram por satisfeitos em tal posição. fazendo com isso. sexo. concentrou-se toda e no instante preciso em que Dubois a inundava com o esperma quente. com os pés à altura dos seus quadris. já havia gozado e. as emoções do conhecimento mútuo. num orgasmo prolongado. por fim. . todos sorriram. Lea e Ted sairam. Trisha ficou sobre ele. . cada corpo pendeu para um lado. exausto. com o que Dubois a invadiu fundo. Orgulho com o qual Ted compartilhava em dobro. Com uma das mãos segurava o pênis de Ted e com a outra guiava as nádegas da amiga para a estocada certeira. Ted. com a satisfação plena. Os movimentos foram se acelerando e. Depois de entrarem. A conversa girava sobre diversos assuntos. Tanto Ted como Lea se admiraram pela facilidade com que o membro sumiu dentro dela. Um pouco apertado. fazendo das mãos cruzadas um travesseiro. um de cada vez. tomaram outra ducha. deixando marcas de pés molhados pelo chão. A dose havia sido suficiente. deitando-se sobre Ted. Ted renovou. Quando. e dirigiram-se para a cama que a duras penas sustinha o peso dos dois casais. penetrada a fundo por Dubois. por fim. Os corpos suados eram vistos com facilidade. que rolou para um lado.Depois de comerem com apetite. com a pericia de Dubois. o sol já estava claro. o sono chegou. onde já meio extenuados tomaram um banho a quatro.

E.E agora? O sobressalente está furado. Indagando a um camponês.. Mira.Calma. os desgastes. . após muita insistência de Mira. A viagem de ida transcorreu normalmente e a família visitada era muito simpática.Ora. Teremos um bom rapaz para nos fazer os reparos. rapazes é hora de irmos. Gratos pela acolhida. . PARTE OUTRA EXPLOSÁO DE EROTISMO Enquanto tudo isso se passava. souberam que poderiam continuar pela mesma estrada. Ted. vamos. A essa altura tem lobo mau pelas ruas. Ted. . onde um velho encarquilhado procurava debaixo . Na volta. saindo numa estradinha que ficou esburacada. aceitaram o convite de Jonathan. . Enquanto isso. para um café. Dubois. Como resultado. Gordo e Rebeca. não Lea? . mas só estará aqui de manhã. realmente.Deus o ouça. de repente. Até breve. optaram por continuar. Entraram na hospedaria.Bem. à procura de recuperar as forças. sempre animado pelas piadas do Gordo. Amanhã a gente se vê no serviço. Pelas onze da noite.Claro. que conseguiram um bom médico para Sabrina. Teremos de passar a noite aqui. num vilarejo a cento e poucos quilômetros de Fresno. Jonathan. para andar mais. que dormir. Entre voltar trinta. vocês serão sempre bem vindos. pararam numa pequena pensão.Oh. Mas. vocês não saiam de dentro do carro. para visitarem uma irmã de Jo. Por instinto. tiveram um pneu furado. garotas.Tem um rapaz. Confíem aqui na boa estrela do Gordo. será possível que você não confia em mim? Vamos lá saber. que daria na principal cerca de quarenta quilômetros depois. . erraram o caminho. rapazes. Cremos que vamos dormir o resto da tarde. o Gordo voltava um pouco mais sério. senhoras e senhores. evidentemente. Pouco depois. Jonathan olhou para os pneus e sacudiu a cabeça. O pneu direito trazeiro estava vazio. que foi trocado. Principalmente depois Estou me arrastando. . 4. Trisha. desta noite. querida. os quatro não fizeram mesmo outra coisa.

Bem. como podem estar pensando. . mas pequeno. Com um andar de passos miúdos. meninas? . mais brancos. de lã vermelha. Agora. gutural.Então. Apenas sou prático. Nem perguntei se são casados.Escute.Prá mim. com os serviços feitos nos pneus.Olha aqui. As camas. Encontrarão café no fogão. que estarão prontos às sete horas. senhor. Caso façam estragos eu os cobrarei amanhâ. custará quatro. outrora. .  a única coisa que nos resta O quarto era razoavelmente limpo. Ficamos com ele? . somos casados.Prá seu governo. mas como estão em quatro. arrumadas em estilo militar.disse Gordo ao velho. idem. tratemos de subir.. Acham que sou rabujento? . pequenas. Rebeca.O que fazemos. fazer.Duas.O velho diz que só tem um quarto. Jonathan veio de encontro aos três. saiu e bateu a porta . pois preciso ir para casa.do balcão uma chave. Ficamos com o quarto.A voz saiu da boca murcha.Prá mim.Quantas camas tem o tal quarto? . . . senhor . deixem-me ir. Nós nos ajeitamos. Pode ir.Deixa. . . pessoal. . . Rebeca sentou-se. Pelo menos os ..Eu não sou rabujento. Fizeram o pagamento. E digam logo se querem. com lençóis que certamente eram bem mais limpos. Moro longe.Normalmente o preço é de dois dólares. está resolvido. . "seu". . sim.Até amanhã. se não ficarmos? . está bem. antes que apareçam novos fregueses perturbando meu sossego. .Vou para casa.O que dizem. . tinham as cobertas.

.Quem não gostar de dormir com as luzes apagadas. Mira? Não se preocupe.Se posso dar uma sugestão .Disse Rebeca. Você se incomodaria se eu dormisse de cueca. .ofereceu-se Gordo. que me desculpe o Redford. sou muito vaidoso.Simples. . como pode haver tamanha burrice. apesar de tudo . atirando-se de comprido numa das camas. se virem.Qual? . .Mas. diabos. . Vamos fazer um barulho dos . deu azar. . tem um detalhe: Vocês que não ligam para a aparência.opinou Jonathan. . Se o fizermos. para a lâmpada. perguntou Rebeca. Eu.continuou Gordo. Olharam divertidos. senhoras e senhores .Não podemos dormir com as nossas roupas. O caduco trancou a porta.De qualquer forma. . automaticamente.Deixem que eu vou . Gordo. Fizeram uma rápida inspeção. . vê lá! .Ora.Podemos dormir os quatro de roupa de baixo. não aconteceu um terremoto.Bem. E agora? .Não se pode dizer que seja de todo mal. todos Alguém vai na casa do velhote e. é só descer e pegar .Alguém vai tomar café? Resolveram que não: . com ares de político em discurso.Todos olharam para Gordo. está bem.. pendurada por um fio no forro.Não. pois eu só pego no sono no escuro. . . . Quatro minutos mais tarde.lh. O que acha. .Tenho uma notícia espetacular.Isso mesmo .Prá mim. . Asseguro que é bastante sóbria. Os excrementos de moscas eram visíveis.disse Jo. pensarão em casa que saimos de dentro de uma garrafa.colchões eram macios. . do que ficarmos com as roupas amassadas. Será melhor.. Que acham? . estava de volta. até que ele apareça. à espera de nova piada.disse Gordo. Mira? .Sejamos civilizados . entre divertido e contrariado. estou me lembrando de um detalhe.Porque na casa do velhote? as malas no carro.

Para não encabulá-la. Pronto. onde está a tomada? Foi que se aperceberam do detalhe. que eu soluciono o problema. Façamos o seguinte. tirando-a. .Oh. Um pouco encabulada. Aí esperou que Mira fizesse o mesmo. Rebeca livrou-se da blusa.Não é questão de .disse Rebeca. está bem para mim .. . Rebeca fica sem sutiã.Mim.Olha . para que tanto escarcéu? Espera aí. enquanto você se despe e entra embaixo das cobertas. mas. como que ensimesmados na intimidade pessoal pela qual iam passar. com falsos temores.. deixando aparecer o rêgo entre os séios. Não havia interruptor no quarto e a lâmpada ficava alto o suficiente para que não fosse alcançada. o Gordo vira para o canto. ..disse Rebeca.Oh. . semi-transparente. mas levemente ofendida. É que eu.Não creio que Mira tenha vergonha de vocês.Grande coisa. sentados na cama.. tanto faz. procurando não demorar-se em olhar esta ou aquela. Em seguida correu o zíper da saia.. Cristo. a gentil senhora não dorme com a luz acesa? Mira olhou para Gordo. Aquele "para não encabulá-la" a incomodava um pouco. Jonathan? . . à espera. Você está usando sutiã. Mira sentiu-se um pouco desprotegida. Mira ficou segurando a blusa pelas barras.: . Não tinha intenção de parecer uma pudica recatada. para mim. estavam quietos. .. roupa. Jo e eu dormimos de cueca e vocês duas de calcinha. junto com o saiote. Mira livrou-se da saia longa e desabotoou a blusa.Problema resolvido. . depois. mostrando um sutiã preto. . atrapalhada. por mais que tentasse evitar. Os dois homens. Mira. não Rebeca? .Não brinque. bem.Era Jonathan. . para haver igualdade. Então apresento uma solução diplomática: Amarrote a .Eu. Gordo..Então. ..O que vocês resolverem. Num ínstante Gordo e Jonathan estavam de cuecas. para o marido. . .Não é isso. não estou usando sutiã e.E você. .

apesar de vê-los todo dia. Com uma calcinha mais ousada ficaria um verdadeiro show. um frêmito de satisfação. tudo ficou mais fácil. Não tão fortes como as de Rebeca. A vaidade feminina ficou transbordando. Para seu marido. oito pelo menos. que no íntimo reconhecia ser tímida. mas a presença da nudez das duas mulheres. Tinha certeza de que seriam assim. admirando-a. lia através pesquisas. Rebeca bem o viu. E não se reprovou. tão grandes! Que maravilha! Os mamilos são como uma coroa que dão o retoque final. Se aquietaram. . Os pés pequenos são uma graça. admirava mulheres de seios fartos. feito uma cascata de orgulho. Se eu pudesse vê-la um dia. E a calcinha! Tão transparente que dava prá ver os pelos. Procuraram agir com naturalidade. Por fim. Por fim. Rebeca tomou ciência de que estava excitada em ter olhos que não os de Gordo. Mira. Rebeca tinha consciência dos seus dotes. " . vindo não se sabe de onde. . E começou a nascer dentro de si uma espécie de fio delicioso. A princípio. Conversaram ainda um pouco. apertar os biquinhos entre os dedos. muito pelo contrário. sentiu-se tola. . Verdade que pela primeira vez que Gordo olhou fixamente para seus seios. mas o sono custou a chegar. E os seus eram opulentos. mas bem feitas. A bunda deve ser um espetáculo. deixava um ar de constrangimento. Até que se aquietaram. Se Mira não se virasse de costas para os dois homens. Para Jonathan. pela expressão de seus olhos. Por fim Mira se decidiu. Os quadris estreitos são muito bonitos. E os seios! Menores que os de Rebeca. sentiu vontade de estar em outro mundo. Jonathan: "Eu sabia. ainda mais. era sempre uma revelaçáo. da mesma forma que Gordo e Jo. Cada um perdido nos próprios pensamentos. Me agradou muito e o detalhe das nádegas arrebitadas. Devem transformar as mãos da gente em príncipes mergulhados em ouro em pó.. Rebeca também não o faria.Rebeca desabotoou o sutiâ. De imediato Rebeca livrou-se do sutiã. foi uma sensação de extremo erotismo. após o primeiro impacto de revelação as coisas foram tornando-se mais fáceis. Não queriam demonstrar menos coragem. Não era coisa do outro mundo. passados os primeiros instantes. dois potros selvagens e tremulantes. Desde a adolescência. também. mas certamente seria maravilhoso tê-los todinhos nas mãos. enrubescendo.' Gordo: "Belas coxas. . Abriu de vez a blusa e a tirou. mesmo que parcial. que de cada dez homens. . depois da primeira impressão. cada uma estudava a outra. Mas. com a consciência de que Jo estava presenciando tudo.

o velhote deu um murro no balcão. O carro estava realmente já em condições de viajar. Aposto que ele adoraria tocá-los ao menos uma vez. O que será que Jo sentiu. porque deixar de mostrá-lo? Além do mais. Polarizava as atenções e a maior parte do tempo os três companheiros apenas o ouviam e se divertiam. Nem uma trepada. Será que me acariciaria como Gordo? Tenho certeza de que Gordo nem ligou por eu ter mostrado as tetas. Quando a poeira já se dissolvia. Tomaram um café preto. perto dos meus! Mas acho que ele deve ter gostado. um buraco de cerca de dois centímetros. esperar outra oportunidade. foi à rua e deu a volta na casa. Moleirões duma figa. pagaram e partiram.. Era mesmo uma figura. Que se poderia fazer? Aguardar. 5. Pela . Disfarçado estrategicamente. é dignificante sentir um macho admirando minhas formas.Mira: "Não foi tão esquisito nem vergonhoso como pensava." Rebeca: "Que sensação estranha! Senti-me como uma cadela no cio. até se encontrar justamente na parede do quarto onde antes estiveram os hóspedes. irritadíssimo. Principalmente quando Jo os olhou e eu percebi desejo nos seus olhos. vestiram-se. Rebeca tem os seios tão grandes. Creio que o faria novamente. quando mostrei os seios. Droga. Quando o dia veio. podia perfeitamente ver quase que todo o interior do quarto. no jantar. terei de Saiu de trás do balcão. Nada de comentários. PARTE REBECA: UMA MULHER INSACIÁVEL Antes. Afinal. Gordo iniciou seu festival de piadas. tenho um corpo bonito. captar nele ondas de desejos de estar colado a mim". Olhando por ele. Será que fiz bem em ser tão ousada quanto Rebeca? Sei lá se fui mesmo ousada. saiu. a conversa girou sobre o acontecimento a dez dias. pois senti desejo nos seus olhos. nada de elogios ou desaprovações.Porcaria. ao me ver apenas de calcinha perto de Gordo? Teria sentido ciúmes? Será que agradei ao Gordo? Não sei. . E eu gostei de fazê-lo.. fazendo pular um copo. Subiu por uma escada. Depois de disfarçar melhor ainda. Gostaria de poder saber o que ele realmente sentiu.

Mas não vejo razão.. Na casa de Lea.disse Ted. Que tal se fóssemos logo para cama? . . E você? Não sentiu ciúmes? .Tudo? Muito me admira sua franqueza. Depois é que vêm os detalhes.Quer me dizer que também você agradaria a você? . . primeiro. prá já. vêm-se à lembrança o ocorrido. Sei a qualidade de mulher que tenho. estava dizendo à Mira que ter seios defeito. não seria tão grosso. como se estivessem falando das compras. enquanto Ted tentava resolver palavras cruzadas. Ted vinha da biblioteca. que mulher você é. querida. sentando-se perto delas. . nada. se dependesse só de mim. Então nosso grau de excitação aumenta. reconheço. também não sei mesmo se é o que ele pensa.O que você sentiu ao ficar apenas de calcinha na frente do Jonathan? .Você notou como até nosso relacionamento melhorou? .Para mim. a ponto de me jogar na cara. Mira ficou vermelha. Você nunca me decepcionaria. Os homens preferem. .Fiquei bastante excitada. .dizia a Lea. . Pelo menos.Tudo. . Poderia até acontecer mais coisas naquele quarto. asseguro a você que já namorei muitas mulheres de . somos adultos.Não é defeito nenhum. e por vezes chegou a ter complexo . E mesmo que sentisse.Esteja certo que sim.Ah. a mulher. tocavam no assunto e num tom de cordialidade. De mais a mais. se você quer saber.Olha. O que diz o Jo? . .primeira vez.Muito.Querido. Foi ótimo não? . Bem. Lea o chamou. com a revista na mão.Que coisas? . E ninguém pode dizer que você não seja uma mulher atraente.Eu? Fiquei é satisfeito. Rebeca. Mira. Creio que deva ser porque sempre que nos vemos nus. . pequenos não é . . esta e Mira conversavam. * * * A tarde de sábado estava radiante. . .

não era desejo. os seios são sempre admirados pelos homens. mas não o fez. Agora. mas quem não olharia? Eu já olhei muito para os seus. mas antes que o fizesse. olhe bem para mim. Veja. Enquanto não ficam totalmente flácidos.Sejamos práticos.Ora. mas eles não são assim.Não. Corou muito e a custo encarou a amiga.Você não deve ficar assim. Por um instante. Talvez. O calor da mão dele no seio direito a fazia ficar com a garganta seca. principalmente quando você usa aquela camiseta de seda bem fininha. pensou em levar as mãos aos seios. Eles são . Não era excitação. . Viu nela um semblante calmo. já Lea puxava a blusa.Para ser franco. sorridente.Mira. sua opinião. . . . Estou sendo sincero com você. dão outra impressão e. tão pequenos. principalmente nos mamilos. E temos certeza de que você não. Mira então lhes contou o incidente ocorrido na velha hospedaria de beira de estrada. não são tão pequenos assim. Este sopesou com seriedade. Ted se aproximou e a olhou longamente. . São fortes como os de uma adolescente. Ted . Quando sentiu o vento batendo no busto. Lembrou-se de ímediato da sensação que sentiu quando mostrou os seios ao Gordo.Como pode? As vezes. Era o embaraço que a situação provocava. Mira. Os seios pareciam queimar. chegou ainda a esse ponto. Mira olhou admirada para Lea. pensou em impedi-la. Enquanto falava. . . como que a dar-lhe coragem. Continuou Ted: .Pois já disse que admiro os seus.falou Lea. por baixo da blusa. possam ter dado tal impressão. perto dos de Rebeca.. Mira quase desfaleceu quando Ted imitou a esposa. apalpou o seio esquerdo. a própria Lea lhe pedia para mostrá-los a Ted! Lea começou a erguer a blusa de Mira. como você diz. . Mas você também tem mulher de seios grandes.. Ele será honesto ao manifestar .seios até menores que os seus e nem por isso elas deixavam de ser sensuais.Nem flácidos. Mostre-os a Ted.E eu bem vi como Jonathan olhou guloso para Rebeca. claro.

Pode o que? . Grande. não deveria passar de um belo fim-de-semana ao ar livre. Agora coloque a blusa e venha ajudar-me com meus vasos. . o que posso responder? . Ted tinha nele a maior confiança. Ted náo poderia ir também pois havia um grande negócio em vista e ficou estabelecido que ele e Lea. Um negro enorme. a natureza estava radiante. mas insistiu para que Trisha fosse com Rebeca e o Gordo. A própria Rebeca.. encontraram Julius. . . altivos. brisa suave brincando. o encarregado da manutenção da limpeza e que acumulava as funções de guarda. de tábuas. que chegaria de Chicago no sábado de manhã. Porque chegaram em plena manhã ao sítio. moça.Mas mulher . Não é preciso. etc. que irradiava a eficiência e personalidade. dirá a mesma coisa. iriam com Mira. de seios nus à frente de vocês. . Eles dirão a mesma coisa. me tem aqui.Sim. mas uma mulher casada.Se vocês estão dizendo. Apertaram a mão grossa mas franca e entraram na casa. * * * Finalmente ia sair a festa no sítio de Ted. Jovens. sol a pino. como queria Gordo. Vá por nós. Lea. Na realidade. Se quiser.cortou Ted. colocando as coisas do jeito que vocês o fazem. os encarregados dos preparativos iniciais. estando semi-nua? . rapaz.É. fale também com Trisha e Dubois. Certo? . Com a maior franqueza. Dubois não poderia ir na sexta-feira à tarde. longe do barulho de carros..Vocês dois.O patrão avisou da chegada de vocês. que é mulher. . a quarenta quilômetros da cidade.A maldade humana faz barreiras de preconceitos que só quando a gente as transpõe é que vê o quanto é fraco. Na propriedade. nos quarenta e cinco anos bem vividos.Obrigado. Diga-nos uma coisa: Você cometeu algum crime. Sejam benvindos. como é que pode? .muito bonitos. Puxa. como se fosse a coisa mais natural desse mundo. .Não responda nada. mais Jonathan. uma mulher casada. . .

o piso de tacos muito bem lustrado (méritos para Julius).O que fazemos. tão gelada que lhe doeu os dentes (o apelido não era exatamente por ele ser obeso. . A manhã está convidativa. Mancha. Colocou cada coisa em seu lugar no guarda-roupa.Eu estive pensando em dar umas voltas. prá começar? . Quixote de La Marcha. Eu termino com minhas coisas e vou ver o que temos para o almoço. Depois. .Nunca tive vocação para abstêmio. mais o short curto. jogando longe as sandálias.um só pavimento. Julius. . Trisha. um comilão inveterado). Depois. vão ter de racionar a cerveja até amanhã.corrigiu Rebeca. meu amor. Meninas. Fiquem com Julius. Volto . . espreguiçou-se e colocou a blusa fresca. por um instante. a coloquei no quarto ao lado.As coisas já estão nos lugares. dos quais oito quartos. . Ele é de toda confiança. . Despíu-se. quando o patrão trará novo estoque. . tirou uma latinha de cerveja. Volto até a noite.Ih. Depois. Depois que o carro desapareceu. Gordo.O quê? Ora. Vou ter que debandar. muito pelo contrário. A maleta preta. Você não conhece meu marido. queiram desculpar "D. Mas.Mancha. Caiada. que vinham vindo da sala. Você bem sabe disso. Que venha a cerveja. " . Rebeca sentou-se na cama. . Um silêncio gostoso se podia notar. Ia saindo mas voltou e pegou mais duas. Até logo mais. Foi ao quarto de Trisha. .O que é isso. a gente pode fazer uma expedição. separando um short e uma blusa brancos.Faça isso. De calcinhas. Até que era esbelto. . Julius foi cuidar das obrigaçôes e as mulheres. eu nem comecei a desarrumar minhas coisas.Que seja Mancha. Deve ser da Trisha. . tinha inúmeras janelas e doze cõmodos. tratou de esvaziar a mala.Ih. enormes. você não me conhece direito? Pensa que vou ficar me limitando a uma ou duas latinhas até a manhâ à tarde? De jeito nenhum. com camas em estilo colonial. Enquanto Julius levava as bagagens. que não deve ser do Gordo. Gordo? Não seja exagerado. das malas. Gordo procurou a geladeira. Ficou olhando para os pés. que levou para Rebeca e Trisha. Comeu uma fatia de mamão sem açúcar. à cidade. Ah. .

as coxas. . para que ela continuasse em seu sono inofensível. Quase que por instinto. Livrou-se da camisa grossa. Julius? . Quando se cansou.Você nada muito bem.Obrigada. surpreendeu-a um calorzinho que foi nascendo. Rebeca.. bordada aqui e ali por algumas folhas secas que afundavam. calças. .O que está olhando. Andou bastante. . A verdadeira Rebeca desabotoou a blusa. mas não fez nada. por uns bons quatro minutos. não dizia exatamente o que Julius fez. afastando-se um pouco da casa. eu não sou propriamente o que se chama de tímído. Foi quando viu Julius.perguntou. . Quando ele saiu da água. Porque não tira a roupa e toma um banho Comigo? Está suado. a roupa grudada ao corpo. A medida que ia andando para dentro do riacho a água ia subindo. Ficou acompanhando-o com os olhos. dando braçadas vigorosas. Rebeca teve de reconhecer: ficou surpresa. Rebeca bem que tinha consciência da fina blusa grudada como uma segunda pele. ao invés de sentir-se constrangida. E ela não lutou. Mas. .Então. . Ao se referir a "tirar a roupa". Aí parou.E é muito bonita.. Rebeca deixou-se contaminar pela beleza. não fez nada para tentar reprimir a Rebeca que tinha adormecida dentro de si. vamos ao meu passeio.Olha.. Rebeca sentiu uma sensação de liberdade. Ensaiou um movimento e jogou-se toda. Bem que podia. para em seguida içar-se e tomar fôlego. . audaciosa. que a estava observando. Pois o negro mostrou-se em sua nudez total e atirou-se na água. tirando-a para . a Rebeca exterior caiu de vez. Alcançou as pernas. os pés descalços em contato direto com a grama. Depois. mas de água muito limpa. as botas. A água está uma delícia. mostrando um bíceps de halterofilista. que deixava ver a areia amarelada. Os olhos negros do homem eram uma prova disso. saiu da água. olhando o negro. chegou a uma baixada pedregosa que dava para um riacho pequeno. Deixou-a despertar. Mergulhava até tocar na areia com a mão. Andando pelo gramado. só por um momento. Enquanto ouvia o som das águas protestando simpaticamente contra um ou outro obstáculo. foi entrando no riacho. Já que convidou. Até já.

Lá. após o casamento com Gordo. não impórta quem seja ela ou o parceiro. deixando adivinhar estar ele novamente querendo "voar". faziam um contraste estupendamente erótico nos seios branquíssimos. Antes de lembrar-se do marido. contrariados. olhos bem abertos e mirando o instrumento já . como se o salgado suor pudesse se transformar num elixir erógeno. depois. só que agora. Num descontrole momentâneo. Rebeca olhou ternamente para o rosto suarento de Julius. exalando cheiro de carne. esta ou aquela nádega. uma apertava este ou aquele seio. Rebeca ia prestando atenção naquele pênis negro. Os lábios grossos se uniram aos seus. enquanto abria as pernas. a outra. E alegrou-se de que fosse a um negro tão másculo como Julius. quando ele voltou do riacho. grosso e comprido. molhado. cheiro de sexo. trazendo para cima de si aquela montanha de homem negro. E o orgasmo veio. As mãós negras. que ia se injetando. Quando saiu de dentro dela. Era a primeira vez que se dava a outro homem. Sentiu a vagina intumescer. ficando comprido. num ritmo lento e constante. Correu o zíper do short e com os polegares o fez descer acompanhado da calcinha. não importa a que camada pertença. Mas Rebeca achava divino o molhado balé que o nervo negro fazia. no pequeno quarto de hospedaria. de água. Rebecà sentiu que os músculos da vulva se contraiam lentamente. pois só se concentrava em entrar e sair. pronta para receber o macho. ouviu primeiro a areia rangendo sob os pés do "seu" homem. A medida que Julius andava para ela. veio-lhe à mente os olhos de Jonathan fixado nela. Segurou o pênis grosso e o indicou para o caminho que possibilitava a que entrasse dentro dela. passou a língua por aquela cara enorme. enquanto as mãos. a espetava. Mútuo. Julius parou a dois passos dela. As narinas de Julius se dilataram. Fechou os olhos. O membro de Julius. a que nível de instrução tenha chegado. Estava no auge. Rebeca ajoelhou-se. Julius podia não ser lá um parceiro de primeira linha. para que em seguida uma língua áspera penetrasse fundo na sua boca. Gemeu involuntariamente quando o peso do macho esmagou-lhe as nádegas contra a areia. enormes. fazendo afastar as paredes vaginais sequiosas por visitas. Soltou o corpo. Julius foi entrando. virou-se para ele e colou o corpo naquele negror misturado de carne e músculo. o mesmo ruido. Rebeca o tomou pela mão e o conduziu até uma pequena extensão de areia. Sua pele de ébano brilhava contra o sol. Uma fêmea que se aproxima ao frenesi do momento culminante é sempre uma fêmea.mostrar ao homem os seios enormes. grosso.

rouca.Mas Julius continuava. dirigiu-se à casa. De Julius.Pára.Fique de quatro. Escorada nas mãos e joelhos. depressa! O negro imprimiu um entrar e sair verdadeiramente alucinante. Julius. Com os dedos.fogoso. Vestiu o short e a blusa. Quando o terceiro e forte orgasmo. quando Julius chegou ao seu orgasmo final. onde lavou-se. Olhou para a mulher. Mas. Depois. abriu-lhe os lábios vaginais e encaixou-se lá. Pensou que iria enlouquecer.pediu. a mulher-fêmea satisfeita. nem sinal. por quase dez minutos. mole. o corpo todo ia arriar. gosmentos. começou a tremer. com a região pubiana. Iriam jantar com Ted e Lea na casa deles.Depressa. já quase secos. foi ao riacho. As mãos se agarravam na areia. quando o fazia. com tanto pôr e tirar. Seu rosto bateu contra a areia. então. Ficou quieta. mas não havia tempo para evitar. . Batia com força nas nádegas brancas. Por causa disso. Rebeca exultou. Os fortes esguichos quentes do esperma de Julius. 6. Este posicionou-se adequadamente. . . onde entrou de um só impulso. A terra lhe entrou por entre as unhas. dois orgasmos. descuidou-se e soltou o corpo de Rebeca. tirando lenta e prazeirosamente o esperma ressequido das costas. Com isso a mulher foi à areia. . PARTE MIRA E JO ENTRAM NO SWING As malas arrumadas estavam num canto da sala.Enfie mais uma vez? . Mira teve de se desdobrar para . O esperma que antes derramara dentro da buceta dela estava escorrendo pela coxa direita. Melhor. prontas para a viagem. Quando sentiu as pernas bem firmes. Rebeca adotou a posição. pára. Mais que depressa. expos sua anatomia mais íntima aos olhos de Julius. As mãos seguravam os quadris de Rebeca que chegou logo a um. Os braços falharam. nas suas costas. . foram se alojar. forte e impetuoso. mas um imprevisto fez com que o local fosse mudado.

frango temperado na manteiga. trataram de detalhes para a viagem. colocavam a comida na mesa.mo tom de quem caçoa.disse Mira.. O jantar foi breve e agradável.preparar algo. Por fim. nunca fez comentários desfavoráveis. -Eai? . no mes. mas você nunca me disse! . não acha? Será que ela os mostraria a mim com tanta facilidade assim? Hã? .Mas garanto que ele gostou. sem novidades. mas não conseguiu responder de imediato o que sentia. por volta das cinco. dando conta de que já havia estado no sítio e que só voltara para apanhar mais cerveja. alguma salada. e pronto. . Jonathan desafiou Ted para uma partida de xadrez enquanto faziam a digestão e as mulheres limpavam a mesa e lavavam a louça.Acho que não. estavam conversando.Sim. O primeiro instante causou a Jonathan uma esquisita sensação. da sexta. E eles me fizeram ver que não havia nada de extraordinário. Enquanto Mira. Foi uma boa hora de paciência para Jonathan explicar que os negócios em Chicago haviam sido concluidos rapidamente e que chegaram às duas horas mesmo. não é? Mas. . . tomando pequenos goles de uísque. ajudada por Lea. . Parece que mostrar as tetas está virando moda. O Gordo estivera em casa. Menos de uma hora depois. Jo estava querendo dizer que os seus seios eram mesmo atraentes. . não fosse isso. Mira observou bem o marido. . para ver se captava ciúme na observação porque.Porque você sempre me tratou muito bem.Porque não pergunta a ela? . Aquele homem também vira sua mulher nua.Está irritado? . Arroz de forno.Bem. Ted e Lea chegaram. o Gordo se foi. Agora.A Ted também? . num ambiente de pura camaradagem. Procurou se auto-analisar. acabei mostrando a eles. se eu não ver os de Lea estarei em desvantagem.

Isso é bom sinal. .Na cozinha. . em plena sexta-feira? Além do mais.Quem sabe podíamos ver algum espetáculo e.E qual foi a reação dele? . Disse a ele que os mostrei a vocês. Esses marmanjos ignoram a gente completamente quando estão jogando. totalmente ignoradas pelos homens. terminando sua tarefa. Claro.Sabe o que ele me perguntou? mesma facilidade.. Mira . música na vitrola. Nas boites é um empurra-empurra dos diabos.Claro. ... Creio que terminamos. enquanto passava os pratos sob o jato de água.disse Ted.. . mas sentiu a oportunidade de dar uma resposta a Jo. Aqui a gente está confortavel. . o que? . Nem quando renovavam os uísques.Aquilo. a conversa pôde ser a quatro.Que tal umas voltinhas? Uma boate. . . onde vamos ver espetáculo .perguntou Mira. não acha? . Depois de cuidar da aparência um pouco. foram para a sala..Lea deu uma força.Ora . . Mira criou coragem. não acha? . esquecidas. eles erguiam os olhos. não posso ir tirando a blusa toda vez que o encontrar.Isso mesmo. ou permitisse. Quando o jogo terminou.O que seria de nós sem o uísque? . Ufa.Não fez cena. . nem demonstrou contrariedade. .. hã? .Talvez a gente pudesse ficar em casa.A respeito dos seios. certa altura. que preste. depois a gente volta prá mais um drinque.Se a situação exigisse. temos bebidas. . . onde estiveram por uma boa hora. .Não seja mal educado. E as mulheres? .Talvez. Se você mostraria a ele os seios com a . .Eu contei a Jo sobre aquilo.Mira não soube explicar porque.perguntou Lea. Jo.

companheiro que encorajava a enfrentar determinadas situaçôes. Desculpe.Vou ver. façamos de conta que é a Roselyn. fingiu segurar um microfone.Senhoras e senhores. Bom divertimento.perguntou Mira.Não é isso. numa altura razoável. Lea colocou a agulha no disco que começou a se fazer ouvir. . onde a gente vai sempre.E onde estão as mulheres? . pousou o copo ao lado da vitrola. Dançaram algumas outras músicas. Jonathan? . Procurou sorrir. não podemos ficar sozinhos. relógio acusou meia-noite. .perguntou Jonathan.Ora.Prá começar. numa dança sensual. Se elas querem. Vamos Improvisar uma aqui. Lea levantou-se e procurou um disco entre os tantos espalhados pelo móvel.. enquanto as mãos deslizavam feito cobras. apenas um detalhe! . . . de quando fica encabulado) vocês sabem a que me refiro. para salvá-lo do embaraço. Optou por uma balada lenta. Era assim que via as moças do strip-tease fazer. Então. . . matreira.Epa. as luzes são muito fortes aqui. . fazendo cara de ofendida.Ora. Colocou alguma música. Vai começar a nossa Cada um com um copo. Então.Ei. até que o . Ted a tirou Você tem bons discos na vitrola. voltando com o copo cheio.E o que vocé pensa que nós somos? . . Que acha. . que saia a boite. . . (sempre o "ora". Mira? iria reparar. . O pessoal Em seguida.Ora.veio Ted. queiram sentar-se. Começou a remexer os quadris. imitando um apresentador. não queria ofendê-las.Está certo . pelo corpo. Jonathan a enlaçou.perguntou Lea. sentaram-se. E nós? . para dançar.O que devo achar? Existem tantos tipos de boites . seção de shows.

Ai o prato começou a girar e a agulha voltou a deslizar por entre os sulcos finos. O vestido escorregou mansamente. na qual sentou-se. tentando acompanhar a música. e na calcinha preta. Lea voltou a sorrir. dizendo ser o fim. Mira o imitou. Previa o que estava e que iria acontecer. o vestido. mas os olhava a todos. Virou-se de costas para o trio e foi tirando um a um os botões de suas casas. Era sempre uma emoção renovada despir-se. Não olhava para nenhum dos três em particular. Jo tomou alguns goles. primeiro. Fazendo suspense premeditado. Puxou uma cadeira. E isso a deixou segura. coincidentemente. "Será que ela mostraria?" heim? As mãos tremeram quando segurou as alças do vestido. consciente. duas pequenas margaridas. Criou coragem e movimentou o braço da vitrola para a direita. Se as coisas chegavam ao ponto em que chegaram. Fez o mesmo com a outra. até ouvir um estalido. mulher bonita. muito principalmente mesmo. no caso Jo e Mira. levantou-se e reiniciou o movimento. que trazia agilmente desenhadas. Livrou o último botão da prisão. confiante. de lado para a platéia improvisada. virou-se. Lea. Fez-se um breve silêncio até que as notas melodiosas impregnassem o ambiente. fazendo um huuu!! Jonathan. Jonathan reparou no delicioso detalhe: a . onde pegou a garrafa de uísque. A música terminou novamente. parou um pouquinho na elevação formada pelos seios. para obrigar Lea a tornar a acioná-la. Ted colocou os dois dedos indicadores na boca e assobiou numa vaia pálida. Sua masculinidade iniciou um processo de despertar. Lea levou as mãos às costas e desabotoou o fecho do vestido. como que agradecendo as palmas. recolocando depois a garrafa no lugar. Em seguida. Lá estava ela. venceram a delicada montanha e desceram rápidos para o chão. Ao chegar ao último. principalmente se Ted estava olhando e. se havia mais pessoas. depois pelo esquerdo. foi ao bar. tão diminuta quanto qualquer biquini que se vê por aí. que impediam serem os mamilos nítidos na transparência. Com um novo auxílio (um meneio de ombros). Com o "rabo" do olho viu Ted tranqüilo. até tirá-la. encorajado. antes de tudo.Tirou primeiro os sapatos. Encheu os copos de cada um dos seus espectadores e o seu. ao menos tinha certeza de que poderia fazer um belo visual. fez uma reveréncia. Tomou de um gole o resto do líquido no copo. Lea voltou aos movimentos sinuosos. Mira estava quieta. a música terminou. coberta por um sutiã branco. Deslizou pelo ombro direto. Então. os ajudou. observando cada movimento de Lea. Ora Lea era uma mulher. Ergueu um pouco o vestido e puxou a meia de nylon cor da pele que veio enrolando.

deu mais alguns passos. Como as sandálias ficaram ao pé do sofá. ! Qualquer dia a levo para fazer concorrência às garotas do Roselyn. . Ted? . Viu sua mulher levantar-se. a confiança adquirida após o diálogo de algum tempo atrás. sorrindo e a admirou. depois a outra. Agora. belos. esquecia-se do ritmo. Em seguida. Lea voltou a seu lugar. Mas. mas não tenho tanta prática. trêmulos. então lembrou-se de que não usava sutiã. Ergueu os braços. imitando novamente segurar um microfone. por seu despreendimento. não olhou para eles.calcinha entrava acentuadamente pelas nádegas leitosas. na camioneta de Jonathan) e uma toalha. à espera do fim do disco.Espero não tê-los decepcionado. restava apenas erguer a blusa e a tirar. voltando em seguida com uma blusa leve sobre os seios (a tirara da mala que haviam trazido de casa. mas mordeu o lábio. impedindo-o de cair logo. Os seios não tão grandes como os da amiga. Depois de um gole generoso. desejáveis. mas com a mesma beleza. . para receber os aplausos e foi para o quarto. Com isso os seios se empinaram. ergueu a blusa e despiu-se dela.disse Ted. a mais recente atração da casa: Mira! Jonathan teve um sobressalto. Que acha.Bem . postou-se bem na frente da diminuta platéia e tirou-o. novamente enrugados pela feminilidade ávida. para enxugar o círculo que o copo de bebida fez no móvel. brancos. Jo? .falou Lea. Viu em Jonathan uma expectativa revelante e tal fato a animou. Desceu uma alça do sutiã. mostrando-se com confiança. Ai.Você esteve divina. Quando procurava fazer outra coisa. mostrando uma calcinha de cetim. Quando tentava se movimentar como Lea. graciosa. Ao contrário de Lea. Lea segurou o sutiã à frente dos seios. Depois. revelando os seios fartos. Então. esquecia-se do resto. senhores e senhora. A música voltou a se fazer ouvir. concentrou-se apenas em si. avançaram para a frente fogosos. Jonathan aprovou vê-la naquela blusa pequena e calcinha. dedos ágeis desprenderam o fecho. estavam como que sorridentes.Desculpem. Para sua surpresa.Claro que não . contentes pela liberdade que vinha. tirou a saia. O que diz. Deu mais alguns passos. Jonathan . . Quando isso aconteceu. para aumentar o suspense.E agora? Fim de espetáculo? . curvou-se. Creio que irei logo ao assunto. para que fosse levada ao sítio.Muito bom. mamilos escurecidos. Pensou duas vezes. .

O que acha. amor. sentiu-se. Acho que a franqueza é tudo.antes de sentir-se ciumento.Conhecemos.Lea. Levantou-se. .Obrigado. achei. sadios. Foi novamente Ted quem livrou Jonathan de dizer outro "ora".Desejável? . Em seguida. querida. Sempre tive vontade de fazê-lo. Jonathan voltou-se para Mira.Não posso deixar de falar mais.Sim. Sentiu-se um pouco trôpego..Conhecem o swing? . porque não? . . .Bonita.. excitado. Eu estou ardendo de desejos por você. pela bebida.Cortou Jonathan. pergunte à Lea. sabe-se lá. Depois que Mira colocou novamente a blusa. Pegou Lea pelo braço e a levantou.Concordo.E Mira? Precisa haver comum acordo.Oh. . levantou-se e a beijou com carinho.. Mas estava eufórico. Lea. Eu quero. Ele era um homem. voltou-se para Mira. Esta sorriu-lhe. Não a achou bonita? Ted. não. . Que mais queria? .Você não a deseja? . . Ela é visitante. Muito.. eu nunca pratiquei o swing. Até Lea.De novo para Lea e Ted.Sim. sem dar vexame. Abraçou-a e a beijou com ardor. minha mulher. tinha uma mulher capaz de despir-se à frente de outro. Quero vê-la nua. Ted? . . eu. Eram dois casais amigos. . pela situação. . Jonathan aproximou-se e a beijou de leve nos lábios. Mira? . e. por favor.Concordo com você. Acariciou-lhe um e outro seio. Quero possuí-la. ele próprio a livrou da blusa ante Lea e Ted.. obrigando-os a tremerem. . Depois. Dêemme essa chance. Sua pausa não foi interrompida. Voltou-se para os amigos. inteiramente . deixando-a perto dele. sabem. Todas as mulheres são desejáveis. isto sim. sim. que havia se levantado.

pediu: . soltou a saia. descontrolou-se. desabotoou a camisa de Ted. e que ao mesmo tempo a faria gozar como nunca. Ted foi até Mira que estava ainda um pouco aturdida. A cueca estava espichada. acompanhou apenas com os olhos. Deixou o corpo descer e dentro dele foi sentindo que Jonathan ia entrando. inteiramente nua. e quando a desceu o pênis de Ted pulou como uma mola. Fechou os olhos e colocou o pênis dele na boca. ante a visão. querida. . Ao terminar a descida. Quero poder tocar em cada parte do seu corpo. Mas.Livre-me da calcinha. um felizardo que deslizaria suavemente. quero que Mira seja possuida na minha frente.. daquilo. Livrou-se num Instante da blusa. depois. Estática. quando estavam os dois despidos. todos? . Colou-se a ela e a beijou. já inteiramente nua. Quero ver vocês dois copulando. Ajoelhou-se e puxou as calças. contava apenas o fato de serem um homem e uma mulher.Tudo bem. batendo no seu õlho esquerdo.. Lea não considerava Jonathan um homem exatamente bonito. Deixando os braços cairem.A voz de Lea transparecia a emoção do erótico. Obrigou-o a sentar-se no sofá. Dispa-se para ele. que desceu. à minha disposição. ele apontando firme para ela e ela entumescida. Jo. Passou as mãos em volta da bunda de Ted e fez com que ele trouxesse os quadris para a frente. Era um pênis estranho. O detalhe . Depois. frente a frente. fundo. tocada em sua sensualidade.Porque não o fazemos.despida. Quero ver Mira gemendo. que se deliciaria com o tanto que Lea podia e era capaz de dar. despiu-se por inteiro e aJudou Jonathan a livrar-se também da sua roupa. . Eu a desejei quando a vi seminua lá em casa. encostou-se ao tronco másculo e Jo a abraçou. Quero ver Ted entrar nela. olhando nos meus olhos. primeiro de leve. sob Ted. costas para ele e sentou-se sobre o membro quente. correspondendo sofregamente. assimilar técnicas. aprender. Mira. Então. querido. O que me dizem? Foi Ted quem respondeu. Quero sentir. enquanto sentia-se na liberdade plena. sugando-o com tanta calma quanto lhe permitia a excitação. Virou-se de. Eu também quero Mira. que jogou longe. Quando Ted afastou os lábios dos seus.

Jonathan havia ejaculado uma vez dentro de Lea. com volúpia. o primeiro quente contato. Vibrou quando aquele elemento estranho entrou dentro dela. Lea se aproximou do outro lado. onde a visão era . Jo olhou para ela. iniciando uma escaramuça com a língua. expondo a vagina franca. ele colou a boca. agora uma verdadeira mulher. agora apertava os seus. molhado da vagina dela.Entre. Era a realização. Lea o beijou. foi crescendo. e ainda mais que ele a segurou firmemente pelos seios. Passou a língua pelo seio molhado. sentindo o gosto deliciosamente forte. beijando Mira com ardor. Foi para trás de Lea. Da sua Mira. Sabia que ele estava atravessando seu momento de libertação. túmidos. encheu-o de sensualidade. Póde sentir entre os dedos o membro de Ted deslizando para dentro de Mira. Agora ambos estavam assistindo aos fervores de Mira e Ted. ante o espetáculo que presenciava. pois havia estado com a mão a sondar entre os sexos de Ted e Mira. à medida em que ia sendo possuída. Tudo estava sendo como ele sempre imaginara. sempre desejara. então. Em seguida. As faces da esposa estavam vermelhas. Não era mais o membro de Jo. Estava vendo Mira trepando com outro. Atingiu um orgasmo explosivo. enquanto descansava o pênis no mais quente e fúndo da sua vagina o penis vitorioso. Sentiu entre as coxas. não era mais o seu dedo. murcho após a primeira esguichada. A certa altura. apertou-os. de desejo. Era um outro homem que a estava penetrando. que estava passando para a prática a imaginação que todo casal um dia havia imaginado.da barba no seu ombro a agradou. Olhou para os quadris de ambos. que lhe sorriu. Fê-la abrír as pernas. As mãos acostumadas a apertar os seios grandes de Lea. Ali. Mira lhe pediu: . obrigando-a a se abrir. Ver o pênis de Ted aparecer e sumir dentro da sua Mira. O sexo de Jonathan. Jonathan levou as mãos nos seios de Lea. Enquanto a mão continuava sentindo. Notou que um ficou molhado. Seus mamilos completamente endurecidos. Sentia que tanto ela como Ted estavam se satisfazendo. Já não aguento mais. Compreendia Jo. por favor. com sofreguidão. meu amor. Da mulher antes tímida. uniu seus lábios aos de Mira. Ted colocou Mira de costas no chão frio. Mete aí dentro. Sentiu Ted forçar. ergueu-se. Sentiu-se arreganhar. olhou para Mira. Colocou a mão entre os dois corpos. Lea.

Enquanto ela beijava Mira. onde deitou-se. E Não acha.Muito. Olha.Se você não quiser. Quer? Lea gosta muito. enfiou o membro dentro dela. dispostos à colaboração mútua. Lea descansou as pernas em seus ombros. Muito apertada e molhada..Posso pôr atrás? Aí? . lá.Vamos tentar. junto com Ted. mas satisfeitos. ele tirou. assim. é que. Quando este chegou.. A posição lhe proporcionou uma penetração extremamente profunda. proporcionando. como podiam variar. Ted? . . tirando-o de cima de Mira. Novamente sentiu Ted entrando firme nela. Jonathan começou a entrar e sair. gratificante. Lea. Imitando Ted. tudo bem. sabe? Adorei seus seios.. Mira. Enquanto isso. erguendo as pernas. mas eu. .Lea deixa você entrar atrás? . Você é bem quente. Quatro corpos nus. Levou-o até a mesa no canto da sala. Muito bom mesmo. jogaram-se ao chão. A um instante. você não lhe dando o valor merecido. não acha? .Por que? .Gostou da Mira? . . Encostou-se em Mira e entrou nela com desejos incontroláveis. Sairam de dentro delas. a se dar ao máximo. com presteza.Sempre.. . heim? Jonathan não quis ouvir muito diálogo. É ótimo.gratificante.Disposta? . Lea saiu de baixo de Ted e foi até Jonathan. Ted chegava até Mira. Com isso. .Não. para com isso. suados.Eu sabia que seria maravilhoso. não ria. Jo nunca me pediu para enfiar . Depois.Tem que haver uma primeira vez. . Ted fez o mesmo com Lea. espasmódicos gemidos de prazer a Lea e a Mira. Lea levou mais para dentro da boca de Mira a sua língua. . proporcionar o melhor. Eu a adorei. A vagina ficava à altura dos quadris de Jonathan. aumentando gradativamente a velocidade.Mira é ótima.Freqüentemente.

Mira andou até ele. toda transformada num sorriso. Ted a fez dar a volta ao sofá. Mira foi empurrada para a frente. preocupado em acariciar o clitóris de Lea não deu-se pelo fato. As rugas de Mira eram bonitas. inchada transpôs a barreira. Apenas suas pregas foram resistindo à avançada de Ted. pelos pelinhos púbicos a lhe roçarem as nádegas . para em seguida encostá-lo no outro buraquinho. junto com ela. em partes nunca antes visitadas compensou. entre um pouco em mim. Jonathan entrou satisfeito na vulva apertada dela. por fim . Mira havia se deitado de nádegas para cima. Com isso a posição a obrigava a permanecer com o trazeiro levantado. quando captou a cabeça do pênis de Ted a lhe encostar no ânus. interminável. por favor? Jonathan aquiesceu. Doeu um pouco e ela gemeu. Esta aproximou-se e segurou o pênis de Jonathan. Estava realmente muito à vontade. Pressionou vagarosamente. Quando ele parou. Mira achou a prática elevante. Jonathan . Jonathan. com prazer. entrando no tunel de Mira. batidas. ergueu os quadris.Querido. dando instruções mudas. elas se renderam. Mira sentiu-se invadir por uma excitação incrível. Jo ficou meio surpreso e vacilou. Mira recuou um pouco. Ted. inundando-a. entrou. num rosado aconchegante. liso. Conhecera sensações novas. Sentiu Ted a lhe desvirginar (cientificamente. foi ao gozo. Obrigou-a a curvar o corpo de forma a que ficasse com os seios escorados na guarda da poltrona e as mãos nas almofadas. A visão de seu marido com a boca colada à vagina de Lea era outra dádiva. Não cedeu. Ted fez um sinal a Lea. mesmo). acusando o acontecimento. Ted estava molhado. as nádegas forçadamente abertas.e ela percebeu que ele havia entrado todo.Venha. contraiu os músculos. obrigando-o a sair. Subitamente a glande. Com as quatro primeiras enfiadelas estavam quase com um pouco mais. asseadas. Ficando com os seios e os braços apoiados no chão. saiu. Mas daí para a frente só o prazer de sentir-se invadir por aquele músculo duro. Precisou um pouco de força. Sentiuo caminhando dentro dela. pois acabara de sair da vagina dela e. Quando não havia mais condições de recuar. Espectante..ele apertou-se. . por isso mesmo.

Pediu a Ted que se sentasse na beira da banheira. Passou a chupar-lhe com carinho. é claro. Permaneceram por alguns minutos nessa posição. Quando eles sairam da sala. Então. Para o banho. Quando estava todo dentro dela. até que o sumo se formasse. Quanto havia perdido! E pela primeira vez.Você é um bom macho. na Mira? . No banheiro. Ted parou. no que foi atendido de pronto. depois que Mira sentou-se no bidê e se lavou. é claro. Inúmeras vezes sentiu vontade de pedir a Mira que o deixasse enfiar ali. gozou ali. até entrar para o interior da esposa.Adorei.Entre em mim. Ted propôs ir com Mira. Passou a beijá-la na vulva. Ao ver o membro vermelho. para ele. lavou o pênis. chamou-se de tolo. Instantes depois. Estava de pé em frente ao barzinho. onde espetou até que ela gozasse. Com isso. Lá colocou o membro dele na boca. Jonathan levantou-se e dirigiu-se para ela. . Mira pediu: Põe mais um pouco atrás? Ted fez sua vontade. Mira não resistiu. Lea ficou olhando para Jonathan. . mas de maneira a que também pudes-se beijá-la. . sempre com Mira lhe abocanhando. . Na pia. Ted deitou-se na banheira. então. com um copo na mão.O que será que eles vão fazer? Tomar banho. Quando perceberam que iam gozar. mas não o havia feito. que tanto lhe proporcionou. com água fria. e o molhou bem.foi empurrando. .Nós. não? Lea riu para ele. Ted fez com que ela escorasse as mãos na borda da banheira. onde ele sentou-se. por aquele buraco novo. não vamos ficar apenas esperando. até que Ted a virou e meteu-se nela com estocadas rápidas. com gosto. Lea indicou-lhe a cadeira.Não creio . no clitóris. junto com o do marido. Venha. Eu curto muito isso. apenas? .disse Jonathan. sabe? Me satisfez. auxiliado por Mira. Obrigou-a a deitar-se sobre ele. .Você gostou de entrar atrás. apertado. até desabarem-se extenuados. entrou com galhardia na vagina dela.

Dois ao mesmo tempo? Devia ser divino. Gostava de ver suas tetas. acariciou o céu da boca. Em seguida. A vagina molhada abrigava fácil o pênis. pois era mais prático. Entrou na sua vagina. buraco.disse Ted a Mira. Põe a língua lá dentro. a pulsar. Ted a penetrou. Mergulhou a língua para um cumprimento à dele. Colocou-a perto do sofá. Completava a mulher. Algum tempo depois. querido. Lea. comprimidas. alegre. Era a primeira vez que o fazia. que já tinha experiência. Então sentou-se. levantou-se e colou a boca na dele. é claro. uma das coisas que mais gostava. a visitou. ter um pênis no buraquinho rugoso. de costas para Jonathan e novamente a sensação de alegria pela entrada no "outro". . entrou aos poucos para dentro do buraquinho trazeiro de Lea. Ele sentou-se. E ela gostava disso. sugou o membro com dedicação. em hipótese alguma. Procurou um pano. Com dificuldade. Ted ajeitou-se. começando. curvou o corpo. Virou-se novamente de frente para Jonathan. apartou-o. até ter os seios novamente de encontro ao peito de Jonathan.Chupe-me agora. Lea engoliu. Sentou-se nele. O gosto de saliva misturado com o próprio esperma teve um efeito surpreendentemente afrodisíaco. quando voltavam nus. Deu algum tempo ao trio e depois. deitou-se de costas e Jonathan a agarrou pelos seios. Ao aconchegar completamente o marido no ãnus. levantou-se. Lea procurou no quarto e trouxe para a sala uma banqueta da penteadeira. para Jonathan. pensava. O membro de Ted não ficou parado. não tão grandes. achatados contra seu peito. Mira sentiuse envolver por uma onda de calor. do banheiro. os seios enormes.Veja. que a certo instante Jonathan não resistiu e soltou uma golfada de sêmen que se projetou pela boca de Lea. de frente. Quando viu que Jonathan não soltaria mais uma gota. Sem sequer abrir os olhos. Chegando perto deles. que espetáculo . e maestria. mais graciósos. de bicos agora pontudos. apertadas. Depois foi a vez dela. Assim. ficando com as omoplatas recostadas no sofá. aos poucos. as mãos másculas lhe esmagando novamente os seios. aninhou-se entre os dentes e ás bochechas. fez com que Jonathan jogasse o corpo para trás. mas não lhe desagradou. Era sempre uma sensação renovada. Foi em tal posição que Ted e Mira os vieram encontrar. Chupou. começou a escorrer garganta abaixo. decidida. isto sim. com o qual limpou Jo. Olhou para a vagina de Lea um pouco deformada pela presença do membro de Jonathan. E o fez com tanta concentração. querida. A moça ficou olhando. Com menos facilidade. embora estivesse duro ainda.Lea sentou-se sobre ele. . mais confortável. .

disse Rebeca.Posso falar enquanto você toma banho. E ela não aceitou ficar de fora. simplesmente divina. Foi contraindo os músculos e só com isso. sorrindo. despediram-se. Mira. no peito de Jonathan. beijou Jo nathan. após novo banho.Chupe-a. então foi o máximo. A visão. Uma hora depois. chegou a um orgasmo. conversar com você . Mira pestanejou levemente. que não tem experiência. quando o marido Você esteve divina. E eu vou contente dentro de você. Acabo de chegar. . mostrou-se prodigiosa.delicioso levar dentro de mim o esperma de dois homens maravilhosos. pessoal. Lea habilmente encaixou a vulva na boca pequena. Tentava contrair os músculos.Boa noite. à Lea. PARTE SEXO TOTAL .Não pode ser mais tarde? ducha. O casal de àmigos se foi. Estaremos aqui na hora. Então pediu a Mira: . Gostaria de tomar uma . náo foi maravilhoso? . . Mira recostou-se na porta fechada e Oh. Era como se um membro gigantesco a estivesse penetrando. Quando apertou a mão de Ted. Lea afastou-se um pouco e Ted lhe pediu para que aproximasse.Preciso mudava de roupa. .Mira sentiu-se enlouquecer. Ergueu Mira um pouco e abaixou-se. Subiu no sofá. que causara excitação a Mira.Além do que imaginava. Em seguida. respirou fundo. para que o marido desta a lambesse. Tinha de participar. Mira disse olhando-lhe nos olhos: . Vamos para a cama? 7. mas desceu a cabeça e deitou-se por completo. Jo. E que ninguém diga que não sabe. com a animação do acontecimento.

algum outro homem .Então. realmente. me entreguei. . . teremos de nos virar sozinhos. Rebeca o seguiu. aliviada e contente.Ouça.Eu hoje fiz algo diferente. vendo o membro de Gordo enrijecido. Só imponho uma condição. Enquanto a gente faz amor.Não.Não creio. .estaremos mais à vontade. mas sei que fiz. Fiquei nua na frente de um outro homem. Fiquei nua na frente de Julius. nunca. já sob a água. .. . Ficou irritado? . . porque estava. .Estamos sozinhos. . enquanto se encaminhava para o banheiro. fiz amor com ele. vá me contando detalhes da sua aventura.E Julius.Não muito. Eu dei a entender que o queria.Só que não foi o Jonathan. É diferente a sensação de um pênis preto entrando em você? **** .Depois de casada. .disse Gordo. ficou? .Sim. . Enquanto você não prostituir seus sentimentos. .- É grave? Pelo menos eu acho assim. repito.disse Rebeca. você fez por sua vontade.Agora. Inteiramente.Eu mesmo a vi nua na frente de Jonathan. venha. fale .Então. Não importa como começou.Por outro lado . Mas achei muito bom.Bela novidade . Não ficou zangado comigo. antes de Julius. a partir de hoje de manhã.. Gordo enrugou levemente a testa. . Rebeca. . querido . Não me esconda nada. gostei.disse Gordo.Você sabe que não. . Estava muito excitada. . pode ficar à vontade. Já faz algum tempo o Julius me havia pedido uma dispensa. . é algo prá se pensar.Obrigada. muito excitada.observou Dubois. Veja como estou. Gostou? Quem tomou a iniciativa? Ele? . foi um bom macho? . . Só bastante força e muito músculo. . Por isso. entende? E.E.

De bermuda.A piscina ainda não foi reparada . Dubois. por fim. pois temos o riacho. os seios tremulando. Gordo suava um pouco. As mulheres apenas sorriram. Gordo a viu abrir a porta e sair. rapazes? . Rebeca colocou a ínfima calcinha do biquini. resoluta e entrou. Ficou um pouco intrigado. A água não é muito fria e não existe qualquer perigo.respondeu Dubois.Já vou. livres. Rebeca tinha acabado de tirar a roupa. Tentou imaginar Rebeca sendo possuida por Julius. Rebeca não se perguntou se estava sendo ousada demais. sacudiu a cabeça. sozinha na sala com os três . aprovando. e sentiu uma grande vontade de ver isso pessoalmente. Ouviu as vozes de Jonathan. se deliciaram.falou Lea. . Muito bem. segurando o bustiê na mão esquerda. naquela posição. parou um pouco. cheia de raios de otimismo. Lea também estava lá.Ora . E vocês? As três correram para os quartos. seu trazeiro pareceu sorrir para ele. Todos os homens. a fim de colocarem roupa de banho. sem camisa. . Jonathan apenas uniu os dedos. Rebeca sentiu-se perfeitamente à vontade. Ted e Trisha.Mas que maravilha! Que acham. Quando ela se inclinou para procurar o biquini. sob os protestos gerais. Foi andando. A noite transcorreu normalmente para eles e a manhã mostrava-se novamente bela.disse Trisha. Alguém me acompanha? Todos se voltaram para ela e acusaram a surpresa de ver os volumosos seios à mostra. enquanto levava a cerveja aos lábios. sorrindo. . . certamente. na sala.Eu sempre me "amarrei" no topless . Antes de virar o corredor e entrar. Ouviu barulho na sala. . mas os homens.Mas não haverá problemas. Gostou do líquido amargo descendo rapidamente pela garganta. Depois. A tarde veio carregada de calor. .Eu também vou . brancos. aguardando o encontro com alguém. deitado na cama. A bermuda ficou retesada. O único íncidente deu-se quando Trisha deixou queimar o feijão. que guardou nos cabides. Mira. Foi até a latinha de cerveja. Não.Vou nadar.falou Ted. pernas abertas. para o último gole. Andou.

Não queria chegar à sala separadamente. Mira amarrou às costas o sutiã. Quando já ia sair. mas pensou em Dubois. Só ela! Ah. Resolveu-se. Andou até a enorme geladeira e tirou mais uma latinha de cerveja. não havia problema. em Gordo. Fechou depressa sua porta e engoliu em seco. com passos ligeiros. Entreabriu a porta e espiou o corredor. também o faria. Algumas gotas amarelas se desviaram. tão bonzinhos! E vamos à água.respondeu Jonathan. balançando com graça. Sabia que Ted iria aprovar. Despiu-o e vestiu uma tanguinha vermelha. Olhou-se no espelho e fez um sinal de aprovação. não. Nos quartos as mulheres procuraram suas roupas de banho.Obrigada. Os seios delas foram a primeira visão que teve. ora. executando um desenho. fazendo um estalido.. Foi entre engraçado e gostoso sentir-se livre. um sorriso matreiro nos lábios. depois sorveu um grande gole. Se Rebeca ia de topless. Os homens aplaudiram quando as viram. * * * O jantar transcorreu na maior descontração. quanto a ele. Não podia dar vexame. assim. . .Parabêns. Quatro pares de uma das coisas que mais adoro. Teve impulsos de imitar Rebeca.. Viveu um momento de grande interrogação. ignorando o bustiê. Puxou o anel. Ted já conhecia bastante bem seu corpo. viu Lea abrir sua porta. . Apressadamente despiu os seios e jogou o sutiã na cama. Mas não a agradou. Lea tirou da mala uma grande toalha. saindo em seguida. Vocês não vêm? . A surpresa ficou reservada .Mais tarde . Jonathan certamente iria desaprovar. Trisha. Despiu-se e entrou dentro de um vistoso maiô vermelho. as .Ora. Por sugestão do Gordo. de repente. vestiu uma ínfima calcinha amarela. involuntariamente e lhe cairam no colo. Você está muito bonita assim. sair de seios à mostra. quase ao mesmo tempo que Trisha.homens a lhe devorar os seios com olhos ávidos. Mas assim. para Gordo.

Ciumento? Por mim você pode até ficar desse jeito na frente dos três. . um ar pensativo. do banheiro. Gordo também saiu. Quando Rebeca se virou. . visse a nudez integral das costas dela. Ted saiu da porta e dirigiu-se ao seu quarto. la passando direto.parou Gordo. Trancou a porta com cuidado e se despiu. . Um dia destes eu quero presenciar tudo.Hei . Vá à janela e finja estar olhando para fora. Fechou a porta. davam um ar romântico. no momento em que Rebeca saía.Você nem se abalou quando me viu. O instinto femínino a fez perceber que havia um homem observando-a. E. Terminada a refeição. ou de qualquer outro. Não viu que era Ted. Ted casualmente olhou pela porta aberta.Cuidado para não errar de quarto . ouço passos. Pelas dez horas as mulheres se retiraram. voltando-se para eles. . com cadeiras de vime espalhadas aqui e ali. Sentiu um arrepio de desejo. Gordo foi à porta do quarto e a abriu. entrando no seu próprio quarto. Está aí uma idéia prá se pensar. Sacudiu os cabelos e levou as mãos para cerrar as cortinas. de costas. olhando pela janela. eram colocadas em fila sobre o murinho baixo. mas os olhos grudaram nas dádegas expostas.Bela resposta . . Andou pelo corredor e parou em frente ao quarto de Trisha. . As latinhas de cerveja. dizendo-se cansadas. já não o viu. .Que bom você não ser ciumento. mais a lua clara.Até que não seria um mau negócio. Rebeca fez como ele explicou. de maneira a que fatalmente quem passasse e olhasse. inteiramente despida. espere. Aposto como será altamente erótico. Podia até entrar. Quiria? Poderia ser outro. pois estava atrás da porta.O mundo não iria acabar.Sabe. A iluminação a lampiôes. Gordo estava quieto. Rebeca lhe veio ao encontro. acomodaram-se na varanda grande e cômoda. Com isso.brincou Dubois. Jonathan tirou uma gaita do bolso e executou algumas canções.mulheres continuaram com os bustos descobertos. Um pouco depois. numa total correspondência de anseios. esvaziadas. uma pilha de excitação. . com certa destreza. deixava a claridade bater em cheio nas formas esguias. Rebeca. . . Um calor a invadiu. Boa noite. .sorriu Gordo. não me sai da cabeça sua trepada com Julius. Será que ela aceitaria a coisa? Pensou um pouco e deu de ombros. .

molhe um pouquinho. Fiquei logo "pronto". . sem querer. tão abruptamente. como está duro! .Lá isso é verdade mesmo.Pois eu gostaria que levassem.Mira. Estou tão ansiosa! . como você está.. Mas é necessário se dar tempo. nua em pelo. Concordo que eu gostaria de entrar no quarto de Mira. Bem sei que isso é um assunto que excita. Venha. Ah.Trisha.Pois falo sério. . Assim. passei pela porta de Rebeca.  estímulante vê-la se expondo.Então. como sou grato ao Ted! . Sei que você também gostaria. Ela tem uma bunda muito convidativa. Pela porta aberta. sabe o que eu vi? Rebeca na janela. você também gostaria de ter Gordo ou Jonathan.Por um momento pensei que eles fossem levar a sério.Adoro que me olhem com desejos.O que você acha? Ai. querida. simplesmente fantástico desse jeito. vá pondo. Acho . .respondeu Ted. amor.* * * .O mesmo digo eu . heim? É ótimo vê-la tão bem disposta. Agora.Ainda bem que não se demorou muito. já nu e entrando por sob as cobertas. por exemplo. mesmo? Claro que você não o expulsaria. * * * . lá se foi . Claro.E se Gordo resolvesse trocar e entrar aqui? . não é . * * * E porque não propôs a ele que o fizesse? . Puxa. vá devagar. * * * As atividades de cada casal tornaram a noite mais curta e eles acordaram bem tarde. .Pois está intimado a me visitar por aí todos os dias. não pode ser assim. estaria dado o passo.Quando vinha para o quarto. Até que as mulheres (vestidas) preparassem o almoço. ou no de Rebeca. Você gosta? ..

Rebeca.Você conhece o swing? .Foi depois da primeira vez com vocês. Dubois. . . não? . Lea? E Ted. a Rebeca: As três soltavam . . para a água. .Pode acreditar que sim. . . . Lea olhou cúmplice para Trisha e Mira. regada a cerveja. .Você nem imagina. Pergunte a Lea sobre Jo. Vocês vão cair duras. . . . Sabe com quem? Eu e o Gordo adoraríamos entrar. lá se foram as quatro. Oh. deve ser maravilhoso.. . E você. . Jonathan.Não sei se Jo agiria da mesma forma. já metidas na peça solitária. Lea. a cada confidência mais ousada. os homens sairam para um passeio à cavalo. digam. gritinhos. Nós participamos com Lea e Ted.Vejo muitos anúncios. quando Gordo voltou à cidade. Mira e Depois.Rebeca escorou-se num cotovelo. . o que achou de Dubois? . intimando as mulheres a esperá-los no riacho. Finda a limpeza. Ouço falar.. que fofoca! . Lea? .disse Rebeca. Trisha. ainda bem que Gordo não se incomodou. E narrou detalhadamente sua aventura com Julius. .E. Lea.Não acredito! Quer dizer que. A tarde..Tenho uma revelação fantástica. . que notícia maravilhosa. Ontem. Mira. Então você já deu para o Dubois. única bebida presente.E a nós não contaram que praticaram swing com eles. e eu contando vantagem .Pois eu acho que ele seria muito liberal. Os quatro corpos molhados estavam espalhados pela areia que grudava na pele. . . . . Trisha..Como pode dizer isso com tanta certeza.Isso é que é vida .a manhã. A refeição. foi normal.Meninas .Conte prá ela. . .Nada.Eu e o Ted aderimos.É divino sentir o sol batendo de cheio na gente. Oh.Chi. . .

. aprovaram de imediato. deitados na areia.gritaram e correram para elas.o swinger não faz exatamente como você fez com Julius. .pediu Lea. . Desçam logo e venham nos fazer companhia. A medida que saiam os bustos começaram a surgir numa emersão vitoriosa. As quatro estavam completamente nuas.luuup! . A certa altura. Mas quando as mulheres sairam de todo da água. eu queria tanto entrar.Escutem. Então as mulheres nadaram até onde os pés alcançavam a areia. . Fizeram uma algazarra ensurdecedora. Rebeca . e após saberem do que se tratava. desceram  dos cavalos e os deixaram soltos.. Gordo viu a caixa de isopor.observou Lea. Quando os outros o viram sair. os oito ficaram despidos. Em seguida sorrindo. começaram a andar para fora da água. . Agora. quando estavam fora da água. Curioso.Dê tempo ao tempo.Uma delícia.De acordo. que tal se fizéssemos uma surpresa aos rapazes? As três ve viraram para Mira. gotejantes. Os quatro pararam à espera.. fazendo a água espirrar para todos os lados. Sua chance chegará. . . cairam na risada e as mulheres dos outros três os tomaram de assalto. . Não a estamos desaprovando por ter trepado com ele. . curiosas. ficaram estupefatos por um bom minuto. O Gordo também. Deve haver igual participação.Ah.Como está a água? . Quando os quatro chegaram. Ao ataque. bocas escancaradas pela surpresa. . Suados. podem estar certas. maravilha! Cerveja à vista.Esperem . a nudez total de cada um não contou muito.Oh. Os maridos sorriram com aprovação.Mas. sem que haja a recíproca. Assim. Como estivessem com shorts por baixo. elas estavam dentro da água que as cobria até o pescoço. mostrando as nádegas cabeludas. indo os oito para o riacho. até livrá-los dos shorts. logo estavam se preparando para entrar na água. adote a seguinte linha: Jamais o marido de uma vai com a mulher do outro. veja bem.Mira preparou uma surpresa prá vocês. Ninguém . se você entrar para o grupo.

O jantar transcorreu dentro de uma certa tensão. detalhes que viam tão facilmente antes. . E todos se recolheram. e .Éstá sem sono? A camisola branca. resolveram ir para casa. pessoal. antes disso. Então. Talvez a razão pudesse ser o fato de terem de partir. o detalhe que era estarem novamente vestidos.. Não havia nenhuma insinuação. Rebeca beijou-o com carinho e saiu. dava-lhe um ar de mistério. estava se preparando para se deitar. . deixou de existir. à tarde. Esteja à vontade.falou Gordo. . Vamos tratar de arrumar as coisas e jantar.. Ficou parada no umbral. ela estava ainda mais inquieta. transparente. estou morrendo de vontade de fazer amor. Tudo porque o erótico da situação. . Quando o marido voltou. aproveitou-se de que Gordo estivesse no banheiro e bebeu da dele. querida? Rebeca sorriu levemente para Mira.Eu sei.Mas.Ora. querida. . cada qual buscava na lembrança.Bem.Eu.ficou realmente excitado. olhando para o casal lá dentro. escondidos no convencionalismo que o próprio homem criou. Deixa?. não faça drama. Amanhã devemos ir. Fechou a porta e caminhou para . e que agora as roupas escondiam. Levou a latinha à boca. deixe-me sair um pouco? . Muitos pulos na água depois.. .Não quer entrar? Venha. no sábado a gente possa voltar. Parou frente a uma porta e a empurrou. nua. não parava de ressoar em seus ouvidos. ! Quem sabe. Você é muito fogosa. Jonathan. Depois de colocar a camisola. A conversa com as amigas. por hoje. querido..E de preferência para poder ficar assim. . .Gordo. Você. Tudo era natural. pelados. Ainda assim.. convidou: . que maravilha de sol . .Prometo que não o deixo na mão. e todos riram quando ele rolava pela areia branca. que tivesse uma ereção. . Rebeca sentiu-se com uma euforia inexplicável. Ah.. devagarinho. .Vocé está bem. Agora. mas esta já estava vazia. já sem a camisa do pijama. Mas. o jantar foi rápido. Mira. chega. apesar do estoque de cerveja se esvaindo ligeiro. perto da cama. . .

aperte-me toda. Jonathan. Este a olhou de cima a baixo. Assim. caminhou para o quarto do Gordo. As pernas e braços de Rebeca o prenderam num duplo abraço. Saiu de baixo de Jonathan e o fez deitar-se.Que delícia! Jonathan apertava com vontade os seios fartos. . ergueu-se da cama e beijou Jonathan.Me aperte. Rebeca abriu as pernas e Jonathan a penetrou. resoluta e andou para a cama. lépida. * . até encaixar os lábios na vulva. Entrou. A cama rangia. fazendo com que a camisola deslizasse e fosse ao chão. sentiu o odor forte e gostoso junto às narinas.. Com os pés para a cabeceira da cama. avançando a língua ávida.. aperte meus seios. Não conseguiu falar. Depois. Beijou um. Aqueles seios pequenos. depois outro. Gordo? . estava molhado dela mesma. * * . duros o fizeram ter uma ereção forte. Mira olhou-os por um instante. Quando a saliva o deixou bastante escorregadio. invadindo-a com um prenúncio de euforia.Mira. moveu os ombros. num protesto impotente. Em seguida. abriu a porta. já despido. quando o nervo endurecido ia entrando lentamente. eu. . Encaixou o membro dele no seu trazeiro e impulsionou-se para baixo. tornou a fechá-la.Venha. deitou-se sobre ele e chupou-o. enquanto as bocas voltavam a travar uma luta titânica. Despiu a calcinha e abraçou-se a Jonathan.. Mira ficou de pé à sua frente. Afinal. Seria menor que Ted ou do Jonathan. molhada. mas os achou excitantes. Ao invés disso. onde Gordo estava sentado. funda. Nua. Mira ajoelhou-se e abocanhou o pênis duro. sentindo-a quente. até que ela chegasse ao espasmo. não importava. num esgrimar de línguas barulhento. Gordo pegou-lhe os seios bem menores que os de Rebeca. molhado mesmo. saiu. A respiração saiu com ruido.Tudo bem. Procurou às cegas. Jo. Jonathan que havia fechado os olhos. Mira levantou-se e virou as costas para ele.

Lambeu-o com deleite e quase o colocou todo na boca. . o que lhe abriu o apetite. mas teve uma outra inspiração. Passeou a lingua por toda a extensão dos lábios vaginais. colando a boca no sexo dela. . Em seguida olhou para a cama e não viu Lea.disse Trisha. Dubois tinha ido ao banheiro. Esta. que ficou com Ted. mas logo imaginou que ela estivesse no banheiro. mais a ciência de que enquanto se beijavam. As duas estavam de lado. sorrindo para ele. Quarenta minutos depois Rebeca estava voltando para seu quarto. Achegou-se a eles. Dubois foi para seu quarto. o marido de uma estava penetrando fundo na outra. apertando-a mais de encontro a Trisha. Logo Dubois estava no quarto e imitou Ted. entrando de imediato dentro dela. encostando-se. os corpos grudados um no outro. de imediato. Rebeca fez com que o membro de seu marido saisse de dentro da vagina de Mira. Lea rolou para cima de Ted. os braços abertos. num turbilhão de sensações indizíveis. Apesar das luzes apagadas. de sexo. do outro lado. A visão deu outro alento a Ted que acomodou-se melhor. Soltou o marido e jogou-se sobre a amiga. Entrou e a fechou.Olá. Levando a mão para o meio dos dois. depois. enquanto as bocas se uniam. outra surpresa: . Gordo sorriu. apertou-lhe os seios. até dar com a porta aberta do quarto de Ted. Seguiu em frente. Trisha ergueu ligeiramente a coxa esquerda para facilitar a entrada de Ted na vagina faminta. Depois. que suspirou de satisfação. em Trísha. enebriante. Ficou um pouco apreensivo. toda ensaboada. mas com Lea. subiu na cama e encostou o corpo ao do Gordo. Desceu da cama e saiu ao corredor. Lea sentiu as mãos do marido a segurarem-lhe as nádegas. contribuia para que se aproximasse vertiginosamente rápido da nuvem do gozo. A emoção causada pela posição dava-lhes frêmitos de prazer.Me faz companhia? . Ia faze-lo entrar nela. Para as duas mulheres. Vá ao nosso quarto. penetroua fundo na vulva molhada. Encontrou Ted. não com Trisha. mas quando empurrou a porta. Lea descansava a cabeça em um e Trisha em outro. Sugou o sumo vindo da vagina de Mira. o contato instantâneo das bocas e corpos. Encostou-se em Lea e ergueu-lhe a coxa direita. Dirigiu-se para lá. Fazendo-os de travesseiro. divisou perfeitamente o casal no embate amoroso. Por todo o quarto exalava um cheiro forte.* * * Ted estava deitado de costas.

como exijo. Desculpe. * * . Lea estava ali. ainda mais que Lea procurou os lábios dela. tolinho. E você merece mesmo todos os elogios. .Não para você. Entre. com a reação instantânea do seu membro. Possuiu-a violentamente. Agora podia beijá-la.Não só deixo. no rio.Está cansado? . não fossem as perspectivas que se apresentavam.Oi. * . * * * Havia ejaculado violentamente dentro de Lea. Mesmo quando trepava com Mira. .Vamos para a cama.Claro. A mão dela o . mas o corpo nu fresco e apetitoso.Não sei se mereço tanto.. agora a situação era outra. ficava imaginando-a nos meus braços. Lea chegou perto da cama. Depois. Tomaram uma ducha que seria demorada. venha entrar em mim. na sua frente. . sorrindo. deitado. quando Trisha se intrometeu entre eles.Com prazer. Gordo abriu os olhos e ficou admirado. E agora ele podia trepar com ela. quero por trás. Lea do seu quarto foi onde supunha encontrar Ted. Procurando não fazer ruído. o Gordo. Se antes. Lá estava. você deixa? . braços e pernas abertos. A vulva raspada dela o deixou novamente em ponto de bala. . querido. Trisha.Depois. uma figura cômica. a vira nua e não sentiu desejo. mas eu sempre a desejei. Estou louco por você. Lea andou para Jonathan. isto sim. num estado de erotismo a ponto de explodir. levantou-se e Trisha grudou-se a ele feito cola. os seios apontando para seu rosto. olhos fechados. acariciar suas formas. posso entrar? A face afogueada pelas atividades.

bem liso. Se Lea era uma mulher fogosa e ela sempre o fazia suar. O coração de Ted começou a disparar. Trisha o encostou novamente ao buraquinho de Ted e. os seios volumosos e morenos a tremer os quadris ondulando para os lados. Engoliu grosso. esfalfados. PARTE UM CASAL "SAI DA LINHA" A LEI DO SWING . Num segundo o membro estava todo escondido dentro dela. Lea subiu sobre ele. era um grande esforço. quase tão quentes quanto a sensação que sua vagina lhe dava. Sentiu quando Trisha apoiou o dedo em seu ânus. Deitou-se na cama e Trisha subiu para cima dele. Percorria todo o seu corpo. A certa altura. unindo os lábios aos dela. o que não dizer de ter que satisfazer Mira e Rebeca. Quando deu o dedo por bem embebido. para delícia dela. Abraçoua. As mãos ágeis passaram a dar pequenos apertões nas suas nádegas peludas. contraiu os músculos. Ted sentiu. para fazer sumir dentro dela o pênis rijo. Mas quando Trisha entrou no quarto. o foi empurrando. Um dedo se aninhou no buraquinho rugoso. Então. porque a mão de Trisha estava se insinuando. pois sentiu o dedo de unha aparada a lhe roçar naquele buraco rugoso. ficando ele por cima. macios e quentes. 8. que ela o enlaçava pelos quadris.agarrou e deu pequenos apertões. um duelo de línguas enfurecidas. Os dentes se batiam. as pernas escancaradas. pelas nádegas. Quando Trisha o tirou de perto. mas notou que ela apenas o estava enfiando na vagina. junto com o seu membro. mas não entrou. Trisha não fazia por menos. E se ele trabalhava com as mãos. Entrou e saiu dela até que o espasmo mútuo os fez parar. nem permitir que ela tirasse o dedo de dentro de si. Ted virou-a. a abraçou com força. Trisha foi escorregando uma das mãos. Decididamente. Ted quis ficar decepcionado. a vagina raspada Ted não mais disse a si mesmo que estava cansado. empurrando. passando a movimentá-lo. mas sentia-se baqueado. O membro latejou mais excitado. Sentiu uma estranha sensação. passeou a mão pelas costas dela. mas sem tirar o membro de dentro dela. O dedo fez pressão levemente. Conseguiu enfiar mais de seis centímetros em Ted. delicadamente. *** Ted sentiu-se fraco. No seu buraco. Sempre apertando-lhe as nádegas. Não conseguiu se concentrar na delícia que era ter o membro dentro da vagina alagada de sumo. ao mesmo tempo! Claro que no íntimo ele também se satisfazia.

.Aqui está uma nota de cem dólares. a confiança mais mútua. basta subir ao nosso palco e fazer alguma coisa. Mas muito bem dispostos. Tinham cinco dias pela frente. Os comentários giravam em torno da noite passada. sempre com a franqueza que não se faz necessário ser escondida. naquela segunda-feira os quatro chegaram quase em cima da hora ao serviço. Qualquer um dos senhores pode ganhá-la. só que sempre às pressas. Quando chegaram à cidade tiveram tempo apenas para um banho acompanhado por carícias e lascividade normal dos casais que se desejam mutuamente. . com uma vontade enorme de viver. O anunciante tinha os cabelos escorridos e grudados na cabeça com auxilio de brilhantina. Para tanto. Um mundo de horizontes coloridos se havia mostrado. Agora. senhores e senhoras. de botar para fora os recalques para que os corpos se revigorassem com a energia que seria muito necessária. No palco. Um ambiente de alto luxo e requinte. iria gastá-los em diversões. Os sentimentos passaram a ser mais sólidos. Havia a lembrança do outro ou da outra. No momento. Ela e Gordo já haviam visitado a grande capital várias vezes . estavam numa boite caríssima. cujo decote deixava estrategicamente. Sentados numa mesa a alguns metros do palco. ! Quem mais ficou radiante foi Rebeca. Por coincidência.Antes de seguirem viagem. tomaram um café frugal e aromático. uma negra com uma peruca loura cantava um blue. daqui para a frente. assistiam ao espetáculo. atenção. que sentem um pelo outro a atração física que colabora para o bom relacionamento de todo casamento. Ao fim do número agradeceu aos aplausos e retirou-se. demorou um dia e pouco. Estavam todos muito bem dispostos e bem humorados. vestida num macacão ousado.Atenção. não. E o desejo carnal ficou aumentado. porque havia a comparação. um seio à mostra. os tabus que os laços matrimoniais traziam dos tempos. Mas nenhuma pilhéria. . esvaziando aos goles as taças do fino champanhe. Agora. * * * O que a firma o designara a fazer em Nova Yorque. como ainda tinha cinco dias. Estavam conscientes de que haviam transposto as barreiras do preconceito.

Então ela levantou-se.E o marido está? Gordo prestou atenção à resposta. Palmas para nossa freqüentadora. . Vista do público. Iniciou movimentos pelo palco. andando para o palco. quer ganhar a nota? . menos um facho que se concentrava nela.perguntou Rebeca. conduziu até o centro do palco. temos vários. . vindo não se sabe de onde.Para mim está bem. que nunca tinha visto. o apresentador perguntou: Pode ser. mais imponente. uma mulher muito bonita. sempre focada pelo facho de luz. na verdade. . . um strip-tease. Era uma exibicionista. representar. que certamente ficariam excitados quando a vissem. Na surdina uma música suave. O homem a viu. de maneira que apenas via as silhuetas. .Ah. muito bem. Pedindo silêncio. O compasso vagaroso da melodia era fácil de acompanhar. O que prefere: cantar. apressada . Subiu por uma escadinha lateral.Não. Mas sentiu-se bem. Por O apresentador a pegou pela mão e a . Estava vestida com um longo azul esvoaçante.. dar um show. . . Rebeca olhou para a assistência. Ficou sozinha no palco e as luzes se apagaram. Rebeca parecia ainda mais alta. estranhos. Que acha? . um belo decote. . lenta.Se for possível.Solteira ou casada? . digamos. sinal.Bem.Ótimo. A platéia aplaudiu.Casada. mas as luzes haviam sido diminuidas ao máximo. . Jogou os cabelos para trás. . Sabia que lá estariam muitos homens.Como é o show? . na sua beleza loura. com quem nunca havia conversado.Posso ir. minha senhora.Você é quem sabe. Gordo? .Então.

Pegou o sutiã. que tirou. Virou-se de costas. Ergueu um. arrebentando o fecho do sutiã. Cabeça erguida. os tirou. e os seios empinaram libertos. pegou o vestido e o colocou por sobre a cabeça. altiva e sorridente. Os assistentes prenderam a respiração. Pegou a diminuta calcinha e jogou-a. escorando o queixo no espaldo. Aí demorou-se. Subitamente. Prestou atenção na descida. cobrindo seus pés. Sentiu as nádegas indo aos pouco ficando à mostra. com o que a peça desceu a seus pés. Esticou a perna esquerda. depois o outro. cruzou as mãos. Rebeca então forçou violentamente. foi descendo a calcinha. voltou-se para o público. olhando-a como se a desejasse. como se sentisse prazer. Voltou-lhe novamente as costas e enquanto se contorcia. com a mão direita sobre o sexo. Algum tempo depois. Então. caminhou para um lado. Estava já tremendamente excitado. meneiando os quadris bem torneados. sentindo-se perfeitamente à vontade com o contato do . descobriu-a até a metade da coxa. Como que se arrependesse. andou até a beira do palco. Levantou-se. para outro. pernas abertas. entre a pele e o pano da calcinha. Rebeca curvou o corpo para a frente e abriu as fivelas dos sapatos finos. voltar as costas. certamente posta ali por um funcionário. Voltou à cadeira. Jogou para eles o bustiê e retornou ao meio do palco.Gordo a olhava embevecido. de maneira a que o lado de fora da direita ficasse para a esquerda e vice-versa. Ergueu-o e o colocou na cadeira. Virou-se para o público. Puxou o vestido. oscilantes. Estava agora metido numa calcinha diminuta e num sutiã menor ainda. até a altura dos quadris. As nádegas cheias esticavam o pano da calcinha. Ergueu os braços acima da cabeça. Quando a calcinha estava exatamente à altura dos joelhos. Pés descalços. Rebeca sentiu-se nela. Sabia estar-se mostrando em todos os detalhes mas confiava na sua anatomia. ergueu os braços e juntou as pernas. O vestido escorreu. na sua opulência. vagarosamente. para depois. fazendo o vestido esvoaçar. A mão não tremeu quando abriu o fecho do vestido. colocou os dedos polegares no rego formado pelos seios. rodopiou pelo palco. quando ela andou para o outro lado. para deleite dos espectadores. segurando o vestido para que não caísse de vez e deu mais alguns passos. curvou o corpo e recebeu verdadeira ovação. Apareceu uma cadeira. sempre com as mãos cruzadas e virou-se para a platéia. Colocou os polegares nos lados dos quadris. e desceu o zíper. Desceu os braços e descobriu os ombros. que se enfiava por entre elas. alisando as formas do corpo. macio. sem deixar de mexer os quadris. num impulso. sentindo os seios tremularem. nas costas.

tecido em toda a extensão do corpo. Recebeu a nota e desceu. Logo os olhares se afastaram dela, para se dedicarem às três mulatas que entravam no palco. Gordo a estava esperando, satisfeito. - Explêndido. - Obrigada. Você esteve maravilhosa. Vamos? Estou precisando é de outra coisa, agora.

Sorriu cúmplice para ele. Saíram e começaram a andar, à espera de um táxi. Pouco adiante, foram interceptados por um homem. - Perdão, senhora. Permita-me que me apresente. Sou Neai. Vi o espetáculo e gostaria de conversar. O cavalheiro, quem é? - Ele. . . - Gordo apertou-lhe o braço. viria. - Ele é um amigo. - Oh, quer dizer que... Sabia o tipo de conversa que

que já tem compromisso?

- Ora, não se preocupe, rapaz. Sou apenas um amigo, mesmo. Trouxe-a para jantar, mas tenho de sair logo para um outro encontro. - Piscou para o outro. - Não quero atrapalhar. - Se é assim. . . Tenho um carro logo adiante. Vamos? Bem mais alto que Gordo e Rebeca, o tal Neal passava dos quarenta anos. Moreno, pele queimada de sol, era bastante agradável. Posso lhe fazer companhia? - Como assim? - Poderíamos ir ao meu quarto. - E eu, como fico? - perguntou Gordo. Bem, você mesmo disse que não queria atrapalhar. - Bom, se é assim, tenho que debandar. - Obrigado "Marc". Que tal se fôssemos ao apartamento de uma amiga minha. É muito confortável. Fica no Hotel Burguen. - Para mim está ótimo. - Então vamos acabar com a conversa. "Sara". Eu me retiro. Até amanhâ,

Gordo se retirou. Mais à frente tomou um táxi e recomendou a maior pressa possível. Rebeca sorriu, pois bem sabia o que ele iria fazer. Pisando

o tapete com cuidado para náo acordar o recepcionista, pegou sua chave. Olhou o relógio. Duas e quatorze. No quarto, olhou pelos lados até achar o que queria, para seu plano. Colocou o biombo que usavam para mudar de roupa, estrategicamente de maneira a que pudesse ficar atrás dele, sem ser visto. Serviu-se de um uísque, mãos trêmulas e escondeu-se, quando ouviu passos no corredor. Pelas frestas podia divisar sem a menor dificuldade, tudo o que acontecia no quarto. - Você não usa chave? - perguntou Neal, quando Rebeca empurrou a porta. - Oh, Sally sempre a deixa destrancada. Gordo os viu entrar e sentiu um comichão. chave na porta. - Por favor, não podemos demorar. Entre. Viu sua esposa passar a

Meu marido desconfiaria. Aquele show que você deu deixou-

- Por mim, podemos começar logo. me "pronto". - Então, dispa-se.

Viu o homem tirando a roupa, enquanto Rebeca servia dois copos. Observou como sua mulher ficou excitada ao ver Neal despido. Os olhos não ousando sequer piscar, Gordo seguiu cada segundo do que ocorria. Viu Rebeca tirar o vestido, ficando novamente nua em pelo. Viu-a caminhar com uma expressão de êxtase nos olhos, e se agarrar a Neal. Baixou os olhos e viu que o membro dele não era tão grosso como o seu, que estava agora fora das calças, rijo. Mas era muito comprido. Mais que o dele. Observou como as mãos dele apertavam, espremiam os seios enormes de Rebeca e que com isso causava a ela muito prazer. Depois, foram as nádegas que ele apertou, o corpo esfregando-se ao dela. Gordo suava frio, deleitado com a visão altamente erótica e excitante. Viu como sua linda mulherzinha se ajoelhou e agasalhou o pênis comprido na boca. Viu o homem estremecer, desmanchando os cabelos dela. Não aguentou muito tempo e tirou da boca de lábios carnudos dela. Não queria terminar ainda. Rebeca ficou de quatro no chão, numa posição que favorecia a visão de Gordo e ele viu como Neal encostou o instrumento na gruta dela e empurrou, entrando fácil e rapidamente, tanto porque estava liso, molhado da saliva, como pelas

paredes úmidas da Neal entrava e saia de sentou-se na cama Gordo soube que o homem serem expulsas.

vulva. Sem sentir, Gordo masturbava-se, à medida que dentro de Rebeca. Os olhos não abandonavam a cena. Neal e Rebeca permanesceu ainda algum tempo na posição e havia ejaculado nela, pois algumas gotas começavam a

Com a barra do vestido que estava no chão, Rebeca limpou as coxas. Neal estava novamente "pronto" e Rebeca sentou-se sobre ele, fazendo-o mergulhar nela. Ela mesmo providenciava os movimentos de subir e descer, os seios balançando. Num determinado momento olhou fixamente para o biombo e Gordo sorriu. Em seguida, Rebeca ergueu-se, segurando o membro lambuzado e quando ele saiu da sua vulva, levou o traseiro um pouquinho para a frente e o desceu, para sofrer uma penetração profunda, rápida e completa. Soltou um gemido de prazer quando as nádegas se encóstaram em Neal e ele lhe esmagou os seios tão forte que doeram. Com malabarismo, conseguiram virar-se e Rebeca escorou-se nos joelhos e braços, enquanto Neal, com seu membro comprido, a furava num movimento constante. Tal posição permitia a Gordo ver nitidamente o peludo traseiro dele indo e vindo, se contraindo à medida em que ele entrava em Rebeca. As bolas dele balançavam ridículas. Muitas mulheres não gostavam de friccionar do pênis, quando eram penetradas por trás, Mas Rebeca, ao contrário, sentia-se maravilhada e bem com isso, o que lhe proporcionou um longo orgasmo, intensificado pela ciência de que Gordo estava vendo tudo. Quando ejaculou mais uma vez, Neal foi ao banheiro, onde se limpou. Ao voltar, Rebeca. a respiração ainda não regularizada disse: - Agora vá. - Eu a levo. - Nem pense nisso. Vá. Preciso me lavar e ir para casa. Foi bom.

Ficou deitada, quieta, enquanto Neal, satisfeito, se vestia. Em seguida ele curvou-se, beijou-a na boca e retirou-se. Gordo, estranhando a mão gosmenta, foi então que notou haver ejaculado. limpou-se na roupa e a tirou. Saiu do esconderijo e sorriu para a mulher deitada. Rebeca olhou-o divertida. - Como é? Gostou? Você nem imagina o quanto é excitante!

- Não perdi um segundo sequer.

- Ele trepa bem, sabe? vezes com ele.

E um belo macho.

Gostaria de deitar-me mais

Gordo estava já na cama. Afastou as pernas de Rebeca e a inspecionou. Viu esperma deslizando para fora. Virou-a e afastou-lhe as nádegas. Incrível, a elasticidade daquele buraquinho! Já estava como se nunca tivesse sido invadido. Virou-a novamente e entrou nela. Um pouco depois, tirou o membro, notando-o gosmento e sabia que ali ainda havia restos de Neal. Rebeca, idem. Por isso mesmo, levou-o à boca e o sugou, achando maravilhosa a mistura do sêmen de Neal com seu sumo. Sentiu-se, repentinamente, enternecida pelo marido e o sugou caprichadamente, até fazê-lo soltar golfadas e foram necessários dois goles para consumí-lo mas não conseguiu parar. Continuou, até que Gordo ficasse novamente duro e o colocou na vagina, onde, num movimentar firme, chegaram ao fim, satisfeitos. * * * Antes, na portaria, tinha sido fácil observar o número do quarto. Trocaram um olhar quando ele subiu, num meio sorriso. Com a chegada da noite, ficaram observando, para ver quando ele chegava, o que aconteceu por volta de uma hora. Ouviram quando a porta abriu e fechou. - Vá - disse, e Rebeca saiu. Bateu à uma porta, esperando que se abrisse. Apareceu um homem de tronco nu, os músculos parecendo estalar. Era mais negro que noite sem lua, alto, seguramente pesando uns noventa quilos. A cabeça era lisa, pois os cabelos foram cortados rente. - O que deseja? - Eu... eu perdi o sono. tomamos um drinque? Não quer fazer-me companhia, enquanto

O negro a olhou de cima a baixo. Balançou a cabeça afirmativamente. Seria muito agradável; pensou, estar com ela. Muito branca, cabelos louros, cheia, sensual. Ela tomou-o pela mão e o levou para seu quarto. Lá, depois de passar a chave à porta, olhou para ele sorridente. A mão foi à carreira de botões, para abrí-los. - Não, não faça isso. Não gosto desse jeito.

alojando nela aquela grossura toda. . imitando uma laranja no espremedor. O negro apertou-lhe os seios com força. * * * Quando chegaram para uma visita. mas estavam grudados por causa do esperma que começava a secar. Então.Rebeca ficou desconcertada. Dubois. que lhe causou uma dor intensa. enquanto Mira sorria divertida e compreensiva. muito grosso. Ao pressentir que ele ia ejacular Rebeca recuou. Tentou afastar os cabelos da testa. rasgou-o de cima em baixo. a mão segurou o vestido à altura do decote.Não sabíamos. Com a mesma brutalidade o negro lhe arrancou o sutiã e a calcinha. Trisha desviou o olhar. mas ao invés deles. você sabe como ela está sempre disposta. Rebeca soltou um grito. Não tivesse eu convidado Jonathan para vir visitá-los. esperando a carícia no seio. . girando. saiu do esconderijo e foi com ela ao banheiro. mas não o suficientemente rápido para impedir que um jato denso fosse de cheio em seu rosto. O negro sorriu estranhamente e colocou a mão aberta de cheio sobre o próprio esperma. férreo. Dando um puxão violentíssimo.E Trisha tem andado muito nervosa. enquanto a puxava pelos cabelos. obrigando-a a encostar a boca de encontro ao membro grosso. foi possuída com fúria quase animalesca e sentiu com a maior nitidez quando ele a inundou toda. mas sucumbiu à conclusão que sua condição de mulher chegou: altamente erótico. passando a alisá-lo com a língua fazendo pinceladas sobre a glande. espalhando-o pelo rosto bonito de Rebeca que ameaçou sentir certo nojo. onde se amaram ternamente. nas partes íntimas. esfregando-o. Fechou os olhos. Entre tantos regimes e exigências. deixando-a nas convulsôes do espasmo. Em seguida. tomaram uma ducha e foram para a cama. Depois. Você devia ter mandado nos avisar. um tanto encabulada. Jonathan e Mira ouviram de Dubois a explicação de que estava com problemas intestinais a cinco dias e que o médico estava visitando-o diariamente. assustada. Com estocadas brutais. foi-se para seu quarto. Gordo. Jogou-se na cama e abriu ao máximo as pernas. entre murmúrios. Colocava as mãos espalmadas sobre eles e fazia pressão. e talvez ainda não soubéssemos. Viu a mão do negro avançar para si. O membro negro entrou tão duro e forte nela. Despiu-se em seguida e sentouse na cama. a mais severa era: nem pensar em sexo. onde carinhosamente. . era isso que ele queria? Pois abriu os lábios e avançou a boca. lavou-a no rosto. sem uma palavra.

por incrível que possa parecer. Desceu pelo seio duro. . Abrace-me.. No quarto. por sobre a pequena elevação pubiana. os dedos se infiltraram por dentro dela e brincaram com as pontinhas de pelos que começavam a crescer. sentiu-lhe o mamilo. sentaram-se na beira da cama. Sei que é contra nossos princípios do swing.Vá com ela. Passou-a numa carícia leve. . Trisha. Jonathan recebeu-a nos braços com ternura. . um pouco sem jeito. sedento. . Quando chegou à barra da calcinha.Deve estar fazendo um "ótimo" juizo de mim. mas de maneira que a mão estivesse por baixo da roupa. mas hão de convir que a ocasião é especial. Voltou-a para cima. agora pela perna esquerda. nem pedi. sim? tanto necessita. O importante é que você e Dubois são evoluidos o suficiente para compreenderem a situação.Bem. estou mesmo tensa. Dê-lhe o calmante de que ela . é sempre agradável fazer amor. Além do mais. . Quer um café. Rolou sobre ela e os lábios se encontraram num beijo voluntário. mas agora já estou bem melhor. principalmente sendo com uma mulher tão sensual como você. Jonathan correu a mão por toda extensão do corpo moreno. cheio de explorações.Eu sei que pode ser assim com algumas pessoas. gostaria de pedir-lhes algo.Não precisa dar explicações.Ele não queria incomodar. desceu pela coxa direita até o joelho. enquanto soltavam os corpos na cama. .Jonathan. creia-me.O que é? . Estavam um pouco encabulados. querida. não? . Enquanto isso. querido? Jonathan levantou-se e Trisha o imitou. faça amor com Trisha. fico fazendo companhia a Dubois. Afagoulhe os cabelos. continuou descendo até chegar ao ventre. Mas é verdade que .completou Mira. querido. E já que estão aqui. cada um procurando tirar em cada centímetro do outro a onda necessária para eleválos.Você é muito gentil. . em contato direto com o aveludado da coxa. onde o vestido terminava.Eu não me queixei a ele.Isso .

Ajoelhou-se. Ficou olhando para Ted que. Trisha era uma mulher de formas bem feitas. preparado e sentou-se ao lado dela. Feito isso. fazendo o membro dele espetar primeiro as coxas da amiga. Olhou para Ted e sentiu que aquilo não o estava agradando muito. nem assim. passando a entrar sistematicamente nela e sair. Sentiu que o esperma dele jorrou dentro dela. com auxílio dos pés. Vê-la inteiramente nua à sua frente deu-lhe pressa suficiente para livrar-se das roupas. muito quente. sua feminilidade se agitou.Os botões do vestido foram sendo um a um vencidos. a mulher içou. Quando. * * * De cueca. Trisha ergueu as costas. Ted dançava com uma Rebeca nua e envolvente. numa visão gratificante. não chegou ao orgasmo. Rebeca caminhou para Lea e Gordo que ainda a enlaçava. amiga. segurou-o e o levou para a entrada da vulva de Lea. Fazendo pressão com a cabeça no travesseiro. deixando a descoberto os seios lindamente amorenados. Veio até o marido e o beijou emocionada. Trisha era toda sorrisos. colou o corpo ao dela e Trisha pediu-lhe com um sussurro. os quadris e Jonathan terminou o ato de despíla já que a calcinha fora tirada habilmente junto com o vestido. Mira compreendeu e sorriu. desejada. Ficaram quietos por uns trés minutos. Lea sentiu-se um pouco incomodada. Afastou-lhe os lábios vaginais e Gordo empurrou. murmurando um "obrigada". para abrir a frente do vestido. Não disse nada e quando Gordo a deitou no sofá. que entrasse logo. segurava-lhe o seio esquerdo. Desceu a calcinha de Lea e a cueca do marido. penetrava em Rebeca que estava com as mãos escoradas no sofá e o traseiro levantado. Seu membro pareceu estar envolvido pela maior carícia desse mundo. Rebeca . procurando sorver a delícia que significa estar mergulhado numa mulher bonita. voltaram à sala. Naturalmente. Lea estava metida numa calcinha que tinha um minúsculo triângulo que lhe encobria o sexo e de resto uma tira apenas que ficava escondida entre as nádegas. Dubois estava tomando uma limonada. o rosto levemente sério. Quando a música parou. que Mira havia preparado. Obedeceu-a sentido-a quente. a outra. justa e úmida. Sentiu que Ted precisou de muita concentração e que demorou muito para ejacular. vinte minutos mais tarde. do que aproveitou-se Jonathan para descer-lhe o vestido até a cintura. Dançava com Gordo que com uma das mãos a com os seios grudados no seu tórax. entrando com prazer. Jonathan pegou o copo de uísque que Mira lhe havia. iniciando os quatro uma animada conversa. Então.

Desculpem a franqueza. . . a respeito do seu comportamento e do de Rebeca. Se todos nos pervertêssemos ao ponto de sairmos por aí à procura do primeiro homem. chegaram a um acordo. Ted pigarreou. querida.falou Trisha. . . Mas não é essa a finalidade do swing. Servido o uísque.cortou Rebeca. agora. No swing tem que haver a participação mútua. estivemos conversando. os oito. mas não irritado. Ele não quer que você se entregue a quem quer que seja. No outro dia foram visitar Jonathan e Mira. quando não estão com a gente.era Mira.O swing é um relacionamento bem intencionado. Em suma .Talvez. Tem um ótimo desempenho quando está fazendo amor. Gordo. seria.Não a repudiamos pelo fato de ter se dado a vários homens. . rapazes .Bem.Gordo estava sério.disse Dubois.Veja bem. Mas não os queremos no nosso movimento. todos nós sabemos. Vocês sabem que seremos sempre amigos. .Somos quatro casais saudáveis.Algum problema? . pois conseguiu dois belos gozos. Ted narrou a eles as peripécias que com tanto orgulho Gordo e Rebeca lhes contaram sobre o que haviam feito na viagem. porque não o podemos fazer. após algumas confabulações. seguindo de lá os quatro para casa de Dubois e Trisha.ou mulher. o que vocês não estão fazendo.adorou o detalhe. . A vida particular de vocês só pertence a vocês. Em menos de dez minutos.Desculpe.Mas sinta: você é uma mulher bonita.Lea estava séria. . Depois que Gordo e Rebeca se foram. .Seria prostituição . . Eles me encarregaram de falar por eles.Não sejamos extremistas. Trisha telefonou para Gordo e convidou-o a ir visitá-los com Rebeca. . Não desaprovamos o que fazem. Rebeca . nem que você o faça com várias mulheres. Então.. eles chegaram. . tomaram uma ducha e conversaram bastante. Se estamos no swing. Avisou que os outros lá estariam. queridos. não aprovamos que Rebeca ande com vários homens. . temos de agir dentro dos preceitos dele. desprovido de maldade e é praticado pelos casais. os seis. Como membros do swing.É isso. . mas não queremos tê-los no nosso movimento.

Vocês não aprovam mesmo o nosso comportamento. . Só que não tão franca. nossa conversa. Em resumo: Mandei uma carta à Central. Mas.Rebeca.Bem. conte a eles.Concordo. . não consegui sentir prazer. não se preocupem.E no envelope está a sua transferência. . quando o Gordo me possuia.É assim.Se eu fosse para aquele quarto. . . creio que seria ótimo.Concordo. Lea. terminaríamos por descobrir nossa verdadeira personalidade.Não. fazer amor com Dubois ou com Ted. pessoal. Rebeca? E isso é bom. Mas faria certas restrições se tivesse de fazê-lo com você. . querido. E Gordo é um voyeur inveterado. . obscenidade barata. . Gordo já previa que isso fosse acontecer. ontem. sem consultá-lo. Não é assim que deve ser o swing. creio que teremos de deixar o swing. Não exigimos.Pois eu direi o que você vai ler lá. no que fazíamos. uma prostituta. agora. desculpe. . De qualquer forma. Sentimos muito. eu e Rebeca conversamos bastante e chegamos à conclusão de que não éramos muito normais. porque sei que você estaria vendo em mim. Aí consultamos um analista e ele nos confirmou o que pensávamos. Sabe por que? Será porque não estivesse suficientemente excitada? Não. . Foi porque eu sabia que vocês dois viam perversidade.. pedindo uma transferência para a sucursal de Los Angeles. Quando voltamos de Nova Yorque. Gordo. Mas não os queremos como swingers. Tive que ir ao fórum. Que acha. Ted? .Você abriu o envelope que deixei na sua mesa. não há dúvida de que vocês são muito francos. na hora do almoço.Sim. Mas. Um pesado silêncio invadiu a sala. . quebrado mais tarde por Rebeca. Não posso e não quero parar. . pornografia pura. não queremos que vocês deixem de se dar a quem quiserem. ou seja. querida.Mira estava olhando firme para o Gordo. vocês me desculpem mas. Acredito que mesmo que não tivesse eu e ele mantido relações com vocês. Descobri em mim algo de ninfomaníaca.

.Eh. cheio de entusiasmo e muito amor. nada de tristezas. pessoal.. E. belo. Onze dias depois Gordo e Rebeca se mudaram. E tudo voltou à normalidade. Vocês são sensacionais. nós os adoramos.. FIM . Eu e Gordo não estamos nada incomodados com a nossa situação. Sem ressentimentos. simples. olhem. tudo voltou a ser puro.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful